A página da Arte Great 2

Copyright © Flaming Productions Espada 1997
UM TRATADO
ON
A Grande Arte
UM SISTEMA DE FÍSICA DE ACORDO COM filosofia hermética
E TEORIA E PRÁTICA DA
MAGISTÉRIO.
POR
Dom ANTOINE-JOSEPH Pernety,
Monge beneditino da congregação de Saint-Maur, Abade de Burgel em
Thuringe,
Bibliotecário de Frederico, o Grande, rei da Prússia, etc
Editado por
EDOUARD BLITZ, MD,
Doutor em Cabala, Doutor em Ciências Hermética, membro da "Associação
Alchimique DE FRANCE ": O presidente do Grande Conselho
da Ordem Martinista, etc
AGNZ

Página 3
A página da Arte Great 3
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Prefácio.
Sob os auspícios da "Université Libre des Hautes Etudes" de Paris, um ramo
do que tem
Recentemente, foi estabelecida nos Estados Unidos, nós publicamos o
primeiro volume de uma série de obras clássicas cujos
estudo constitui o fundamento da doutrina dos "Faculté des Hermétiques
Ciências."
Não é sem razão que escolhemos Pernety para inaugurar esta série. Dos três
mil
volumes que compõem a bibliografia de A
LCHEMY
, Aqueles de D. Antoine-Joseph Pernety são o
únicos em que as teorias dos Artífices estão expostos com o método: ele é o
primeiro e único
escritor que tem se esforçado para apresentar um curta, concisa e completa do
sistema da Opus Magnum.
Esses valentes defensores da fé mística, a quem somos gratos para o presente
universal
despertar de idealismo, não deixaram de reconhecer o importante papel que os
filósofos Herméticos
têm desempenhado na preservação e transmissão da tradição sagrada sobre os
rapports
existe entre Deus, o Homem ea Natureza. Infelizmente eles se encontraram
cara a cara com o
Esfinge, não conseguir resolver o enigma, pois eles perderam o seu caminho
no labirinto inextricável de
símbolos aparentemente contraditórios e sinais, e na escuridão da sua
ignorância, eles têm sido
incapaz de distinguir a verdade do lixo que o rodeia, ou da separação física
pura
fatos de meras especulações místicas. Tendo uma vaga intuição de que o
hermetismo não era unicamente
preocupado com a transmutação dos metais, mas também com a emancipação
espiritual do homem, eles
lucraram por algumas analogias que se apresentaram, e criaram uma alquimia
mística
em que o homem interior é objecto exclusiva. Mas, enquanto tal interpretação
pode, em muitos casos,
ser aplicada ao simbolismo alquímico, e enquanto nós pode acreditar que
nesta seguimos as tradições de
o Rosacruzes (que fundou um sistema no qual Alquimia e Cabala eram
indissoluvelmente
blended), os comentaristas modernos, pedindo o jargão dos alquimistas - que
nunca mais são

Page 4
A página da Arte Great 4
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
obscura do que quando eles aparecem para se expressar claramente
1
- Fizeram analogias que um mero
familiaridade com os princípios fundamentais da alquimia física seria
suficiente para fazer com que sejam
rejeitado como totalmente desprovido de pertinência.
Rosacruzes eram de fato os místicos, mas seus estudos foram sobretudo de
natureza puramente física e
caráter experimental, a sua associação de misticismo e química foi fundada
em analogias a
verdade que poderia ser demonstrada no laboratório e devidamente
verificados pelos sentidos físicos. Não
proposição metafísica foi aceito por eles que não poderiam ser plenamente
confirmada por científica
manifestações, de acordo com a prática de Roger Bacon, o pai do método
experimental.
Alquimistas adquirido o conhecimento das operações divinas pelo estudo das
artes humanas ea
observação do fenômeno natural,
ena. Hermetismo começa com o estudo das operações da Natureza,
e termina com o conhecimento do Princípio Divino. Nenhum,
no entanto, deve esperar para contemplar a
Sun segredo dessa Arte Real, enquanto ele permanece na escuridão sobre os
princípios fundamentais da
hermetismo física, ou Alquimia.
A Arte Espagíria é uma ciência morta, que há muito tempo já proferiu sua
última palavra, nada permanece, mas alguns
trechos, fragmentos de sua vestimenta exterior, e uma infinidade de
elucubrações inúteis por pseudo-adeptos;
o segredo está perdido, para as futuras gerações para recuperar, mas, a fim de
ser libertado do problema de
vasculhando livros antigos e manuscritos empoeirados, e de reconstituir,
palavra após palavra, desta ciência em sua
integridade pela investigação paciente, a fim de evitar o tedioso trabalho de
decifrar o hieróglifo
pentagramas e de restaurar o significado secreto das vias mutilados dos
Mestres que têm
chegou até nós através dos séculos, não é permitida a inventar um novo
hermetismo, para ampliá-la, ou para
atribuir-lhe um significado que, mais provavelmente, nunca
tiveram. Hermetismo é o que é, e devemos
aceitar os seus ensinamentos para o que eles valem a pena, sem tentar
conciliá-las com as afirmações de
ciência moderna, ou dar a eles qualquer significação que pode sugerir a si
mesmo.
Filosofia hermética desde há muito tem sido rejeitado pela Escola, e os meios
de informação científica
investigação está aqui de nenhum uso prático, a química do século XIX,
mesmo não oferece nenhuma pista, pois as idéias
da Arte Espagíria são absolutamente a antítese daqueles de química oficial. O
estudante deve fazer
utilização de outros meios, mas que ele guarda contra as idéias preconcebidas,
contra seu ardente desejo de verificar,
nos símbolos obscuros de artistas medievais, suas próprias suposições. Que
ele se lembre que os símbolos
provar tudo, e que os sinais escolhidos para defender a afirmativa de qualquer
proposição, também pode ser
utilizado com sucesso para demonstrar o negativo da mesma proposição;
símbolos são a expressão
do Absoluto que não é nem positivo ou negativo, mas positivo e negativo, de
acordo com o ponto
de vista a partir do qual os juízes.
Assim, a fim de distinguir o caminho certo ", que leva aos Campos Elíseos",
de que "o que
fronteiras Tártaro, "a assistência de um guia de confiança é
indispensável. Infelizmente, esses guias são
poucos, e se, por acaso, um é encontrado, o aluno e noventa e nove vezes em
cem, longe de serem
dispostos a seguir em silêncio, prefere escolher seu próprio caminho. Se o
aluno depende de sua suposta
vontade de obedecer a seu iniciador, deixe-o fechado este livro e renunciar a
seu plano de levantar o véu que
Abrange os arcanos de Filosofia hermética, por despreparados como ele
certamente é, ele quer cair uma vítima
de impostores, ou deixar de reconhecer com gratidão o dom celestial de um
Mentor.
Há apenas um método pelo qual se pode ter sucesso sem um mestre na
reconstituição, em sua
integralidade, a Ciência Lost, e este método que ter prazer em revelar, tão
claramente como
possível, é infalível em seus resultados. Ela constitui a operação mais potente
do Ars Magica: o
1
O Philosophiœ Thesaurus atesta que a franqueza dos filósofos é totalmente
ilusório, e que é apenas
em suas profundezas incompreensíveis que devemos procurar a luz da
Hermes. - Vidas dos Alchemystical de Barrett
Filósofos, editado por Arthur Edward Waite, Londres, 1888, página 93.

Page 5
A página da Arte Great 5
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
E
VOCAÇÃO
. Vamos descrevê-la sob o seu aspecto geral, remetendo o leitor para as obras
especiais
sobre Magia Transcendental para mais detalhes:
Evocação consiste em causar espíritos que partiram para manifestar a sua
presença perante o Conjuror. Mas quanto
espíritos só pode aparecer imaterialmente - e como influencia em vez
de indivíduos - escusado será
dizendo que esses seres não podem se manifestar de forma tangível,
(suscetível de ser
fotografado), a menos apelo é feito para o nosso próprio princípio semi-
material, semi-espiritual, a nossa Astral
Corpo, o que, no entanto, constitui a grande operação para a qual é necessário
nem aconselhável
recorrer, tanto mais que a evocação, como recomendamos, difere da Grande
Operação em que é de longa duração, praticamente permanente, ao passo que
o último é dependente
os poderes do Conjuror, além disso, o Grande operação só é possível para o
Iniciado em Theurgy,
enquanto a evocação simples, como aqui descrito, pode ser realizada com
sucesso por qualquer um que
possui as palavras-passe do Primeiro Grau de Iniciação: P
ATIENCE
e W
ILL
-P
OWER
.
A evocação, ou operação dos Mistérios menores, consiste em recriar a
atmosfera em que
o falecido viveu enquanto estava na terra. Por conseguinte, é importante que a
escolha de um mestre ser invisível
feito de forma inteligente a partir de uma longa lista de filósofos
herméticos. O operador deve conhecer a
biografia de que o Mestre e obter uma impressão correta de sua aparência
exterior, ele deve saber
a história da época em que que o Mestre viveu, a geografia do país em que ele
residia,
a topografia do seu município, o plano de sua casa, a disposição de seu
laboratório. Ajudar a si mesmo por
quaisquer livros informações, monumentos ou tradição pode fornecer, o
Neófito vai montar e
classificar todos os detalhes sobre a vida de casa, costumes, ocupações diárias,
etc, de modo a reconstituir, em
o mundo imaginativos, a vida do Guia seleccionado. Coloque-o no meio de
seus discípulos, seja em sua
laboratório ou no anfiteatro da escola onde lecionou; reunir todas as obras
provavelmente
conhecida e estudada por ele, leia e re-lê-los, escrever a partir da memória das
próprias obras que o Mestre,
especialmente suas passagens mais obscuras, pois a alma de um escritor pode
ser encontrado em suas palavras, pronto
para transmitir a verdadeira interpretação a um ansioso para
descobrir. Recolher objetos contemporâneos para
que o Mestre, especialmente livros, instrumentos e obras de arte. Tudo isto
constitui a restauração da
maior parte do material da atmosfera que vai servir como veículo para a força
magnética verdade que
deve ser o laço que une a alma, ou influência, do Mestre invisível ao do
Conjuror. Este
fluido magnético verdade deve ser estabelecida entre a mente do operador,
que agora está ativo, e
a do Mestre, qual é passiva, quando os rapports estão finalmente estabelecida,
a mente do Guia
torna-se o pólo positivo e a do início ao pólo negativo da bateria deste
intelectual. A
gerar o fluido magnético, o estudante deve colocar o seu intelecto no mesmo
nível que o seu escolhido
Preceptor: ele deve aprender a conhecer e ignorar o que o Mestre sabia e
ignorou, ele deve
Acredito que o que o invisível acreditava, quando na terra, se a ciência
moderna aceita ou rejeita
essas crenças, ele deve pensar sobre os mesmos pensamentos do Mestre, falar
suas próprias palavras, use o mesmo
expressões, recitar as mesmas orações, praticar a mesma religião, adquirir os
mesmos hábitos, faça o
mesmos atos de virtude, viver a mesma vida, em uma palavra, ele deve
colocar o coração ea mente de uma bem
condição Simpático, em uma perfeita harmonia com o coração ea mente de
seu mentor, de modo a atrair a
este último em sua própria atmosfera, novamente, de que ele vai se tornar o
centro intelectual, como antigamente, ele
vai encarnar-se em seu discípulo cuja mente, agora uma argila plástica, vai
adquirir em seu mais alto
grau a faculdade de receptividade, e tornam-se suscetíveis de receber o
mínimo de impressões de
o mundo exterior. A Influência do ser assim evocada, assim, trouxe de volta
ao mundo por uma
magnetismo irresistível, irá se unir com o operador e, por meio deste último
instrumentalidade, o trabalho que a morte interrompeu. É assim que Hans de
Bülow, que viveu entre os
lembranças, as obras e as relíquias de Beethoven, consagrar toda a sua vida ao
estudo deste
Mestre, conseguiu dar aquela expressão tradicional estabelecida pelo
compositor para a
interpretação de suas sonatas e sinfonias.
Para realmente possuir um Mestre e executar suas obras, como o próprio autor
imaginou, nós
deve preparar dentro de nós mesmos um ajuste templo para recebê-lo,
devemos colocar todas as nossas faculdades mentais
sob seu controle, que deve se tornar um instrumento dócil nas mãos. Mas, pela
lei de reação,

Page 6
A página de Arte Grande 6
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
esta completa submissão de nossa parte logo torna-se a manifestação de nossa
independência absoluta,
de nossa liberdade intelectual absoluta.
Este é o curso que recomendamos a todos os nossos alunos, e é para instruí-
los sobre a
pareceres científicos dos filósofos herméticos que publicamos esta obra de
dom Pernety. O
opiniões aqui expressas podem não estar de acordo com o ensino do
conhecimento escolar, mas
não apresentar este trabalho como um substituto para a Física clássica e
Química. As teorias expostas
por Pernety foram os dos alquimistas! Para o místico, para o candidato do
Panacea Universal, ou
Pedra Filosofal, a ciência descrita neste tratado é tudo que é necessário, ou
melhor, é o único,
para ser aceito, independentemente de suas diferenças a partir dos resultados
da investigação moderna, que, para o nosso
propósito, são totalmente inúteis. Assim como é indispensável para os alunos
de Edison e Tesla para basear
seus estudos sobre as mais recentes obras sobre Filosofia Natural, porém
errônea da ciência da to-
Amanhã pode ser que eles sejam, é indispensável, para aqueles que não
reconhecem a impossibilidade de
transmutação de metais, para basear suas investigações sobre a ciência que foi
suficiente para Arnaud de
Villeneuve, Nicolas Flamel e Paracelso. "
2
O presente trabalho que temos direito T
REATISE
O
N
T
HE
G
Reat
A
RT
é composta pela
observações preliminares que antecedem as principais obras sobre alquimia do
savant dom Pernety,
especialmente seu "Fables Egyptiennes et grecques dévoilées réduites et au
même principe", (à Paris,
chez Bauche, dois volumes em I2, I758). Este trabalho é quase a única fonte
de onde moderno
expositores da Alquimia derivaram suas informações, esquecendo, é claro,
para dar o devido crédito ao
este autor, excluindo suas obras a partir das listas bibliográficas encerrar suas
compilações e
mesmo indo tão longe, em alguns casos, como para mutilar o seu nome,
quando obrigado a citar extensivamente
a partir de suas obras. A publicação deste T
REATISE
constitui tanto uma obra de justiça e
restituição ao monge francês aprendido, como um esforço para contribuir para
o renascimento de uma Ciência
que contém em si os germes das descobertas mais importantes e inesperadas e
oferecendo uma
guia-se no labirinto de símbolos obscuros desse mais obscura de todas as
Ciências Ocultas.
Antoine-Joseph Pernety nasceu em Roanne, França, em 1716, e morreu em
Valence (Dauphiné), em
1801. Em tenra idade ingressou na Congregação Beneditina de Saint-Maur e
ali dedicou sua
vida a esses estudos de pacientes para os quais monges beneditinos são
justamente famosa, ele publicou numerosos
obras sobre teologia e artes, geografia e mitologia, filosofia e matemática, mas
ele
tornou-se célebre por suas pesquisas no campo das ciências ocultas. Suas
explorações em
lore esquecido levou à criação da "Académie d'Avignon" a seita
dos Illuminati, cuja
influência na Maçonaria tem sido sentida: o mais famoso, se não o mais
importante, o grau
introduzido na nomenclatura Maçônica por Pernety é a Vigésima Oitava do
Antigo e
Aceito Rito Escocês, conhecido como Cavaleiro do Sol ou Príncipe Adepto, e
uma parte considerável de sua
rito é ainda preservada em outros sistemas maçónico, tais como a ordem
Martinista.
O trabalho que apresentamos ao público é o resultado de um estudo
comparativo entre os escritos do
Filósofos espagíricos de todos os tempos, escolas e nacionalidades, e não
apenas um resumo do
ideias pessoais do autor sobre o assunto, é um monumento de investigação
paciente, o que representa mais de um
quarto de século de investigação. O escritor analisou cuidadosamente as
composições clássicas de
Mestres, preservar com cuidado religioso os dogmas sobre a qual todos
concordam, e deixando de lado
suas contradições, baseando-se sobre o axioma de que a Verdade, quando uma
vez descoberto, é o mesmo para
2
O lamentou Grão-Mestre da Rosa Cruz Kabbalistique, Stanislas de Guaita,
escreveu em seu último trabalho: O
composição de ouro é possível, já que a natureza compõe o ouro nas entranhas
da terra. ME Varenne disse em 1886:
"Comprimir hidrogênio para duzentos mil atmosferas e você vai obter um
lingote de ouro puro." (Citado por Jules
Lermina) O segredo da Transmutação foi perdido, mas muitos outros segredos
de menor importância também foram perdidos. Tal
são as cores indeléveis do Egito eo verniz violino dos luthiers de Cremona,
que a química moderna, com todo o seu
andamento, não é capaz de analisar. Não pode haver a menor dúvida de que os
elementos químicos da-química da escola será em breve
decomposto em elementos mais simples até a unidade da matéria, o protilo de
Crookes, o absoluto que nossos antepassados sabiam tão
bem, vai ser finalmente encontrado.
EB

Página 7
A página de Arte Grande 7
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
tudo, enquanto o erro só oferece oportunidade para a discussão.
3
Pernety, seguindo o exemplo de Trevisan,
comparou com uma atenção extrema do grego, alexandrino, árabe, francês,
alemão, holandês,
Inglês, cabalística, Rosacruz e islâmica escolas de hermetismo, apresentando a
síntese de sua
doutrinas da maneira lúcida, tão característico do sábio francês, por natureza,
o inimigo mortal de todos
o que é obscuro e incompreensível.
O presente trabalho está dividido em três partes: um discurso introdutório,
uma exposição de Natural
Filosofia de acordo com hermetistas, sem o qual todos tentam entender a arte
de
Transmutações é impossível, e da Teoria e Prática do Magistério, ou Royal
Art, resumidamente,
mas completamente apresentada.
O editor desta tradução tem preservado no texto as notas do próprio Pernety, e
tem
introduzido, como notas de rodapé, anotações emprestadas de outras obras de
Pernety, de Albert Poisson,
o Champollion da Alquimia, Dr. Papus, Jollivet-Castelot, de Guaita, etc, em
poucos lugares
onde o texto para permitir que parecia uma explicação complementar. Estas
anotações são sempre seguidos
pelo nome do autor a quem o tradutor é endividado.
A obra contém também uma tabela de caracteres alquímicos que são tão
freqüentemente se reuniu com a
obras espagíricos e um curto dicionário de símbolos herméticos, compilado
pelo lamentou Albert
Poisson para as suas "teorias et des symboles Alchimistes"
4
que vai pagar grande ajuda na leitura
de Ouros alquímico. EB
N
EVADA
, M
ISSOURI
De 3 de março de 1898.
3
Ao comparar os adeptos e examinar em que as coisas que eles concordam, e
em que eles diferem, ele (Bernard Trévisan) julgado
que a verdade deve estar nessas máximas em que eles eram praticamente
unânime. Ele nos informa que era dois anos antes
ele colocou sua descoberta para o teste, que foi coroado de sucesso, e não
obstante as fraquezas da velhice, ele viveu por
algum tempo o gozo do seu salário atrasado. - Vidas de Barrett. Dos filósofos
Alchemystical Editado por Arthur
Edward Waite, Londres, 1888. página 128.
4

Page 8
A página da Grande Arte 8
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Lista dos trabalhos modernos Consultado
P
ERNETY
- Dictionnaire Mytho-Hermetique - Paris, I779
A
Lbert
P
OISSON
- Teorias et des symboles Alchimistes, - Paris, 1891
id. - Cing Traités d'Alchimic - Paris, 1890.
J
OLLIVET
-C
ASTELOT
- Comente sobre devient Alchmiste - Paris, 1897.
T
IFFEREAU
- L'Or et la Transmutação des Métaux - Paris, 1892.
D
E
G
Uaita
- La Clef de la Magia Noire - Paris, 1897.
E
LIPHAS
L
EVI
- La Clef des Grands Mistérios - Paris, 1861
D
R
. P
APUS
- Traité méthodique de Ciência Occulte - Paris.
id -. La Kabbale - Paris.
id -. Traité de Fisiológica Synthétique - Paris.
D '
Espagnet
- Hermética Arcano - London, 1894 e: -
AL
MAIS DE
P
HILALETHES
- A curto Inquérito sobre a Arte Hermetique, - em
Collectanea Hermética, editado por W. Wynn Wescott - Londres, 1894.
B
ARRETT
- Vidas dos Filósofos Alchemystical, editado por Arthur Edward Waite-
Londres,
1888.

Page 9
A página de Arte Grande 9
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Índice.
P
REFÁCIO
.
3
L
IST DA
M
Odern
W
Orks
C
ONSULTED
8
T
CAPAZ DE
C
ONTEÚDO
.
9
P
RELIMINARY
D
ISCOURSE
11
PARTE I
25
Princípios Gerais da Física acordo com a filosofia hermética.
25
Da Primeira Matéria
28
Da Natureza
30
Da luz e seus efeitos
32
Of Man
32
Dos Elementos
37
Da Terra
39
Da Água
39
Do ar
41
De Fogo
41
Igneus est Illis vigor, et COELESTIS Origo
42
Das operações da Natureza
45
Dos aspectos gerais do Mixts
46
Das diferenças entre os três Reinos
46
O Mineral
46
The Vegetable
46
O Animal
47
Da alma de Mixts
47
Da geração e corrupção dos Mixts
48
Da Luz
50
Da preservação da Mixts
52
Da Úmido Radical
53
Da harmonia do universo
54
De Movimento
55
PARTE II
57
Tratado sobre o trabalho hermético.
57
Tratado sobre a Grande Obra
58
Philosophical Conselhos
60
Aforismo. Da verdade das Ciências
61
A chave da Ciência
62
De sigilo
62
Dos meios de chegar no Secret
62
Das chaves da Natureza
62
De Princípios metálicas
63
Da questão da Magnum Opus em Geral
63
Antigos nomes filosóficas dadas a esta matéria
65
Matéria é tudo e ainda assim simples
66
A Chave do Trabalho
68

Page 10
A página de Arte Grande 10
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Definições e propriedades deste Mercury
73
Do vaso de Arte e de Natureza
75
Nomes dados a este vaso pelos Antigos
76
Of Fire em Geral
78
Of Fire Philosophical
79
Princípios Operativos
80
Princípios de funcionamento, em particular
83
Calcinação
83
Solução
83
Putrefação
83
Fermentação
84
Sinais demonstrativas ou Princípios
85
Do Elixir
89
Operação do Elixir de acordo com d'Espagnet
91
Quintessência
91
A tintura
91
Multiplicação
92
Dos pesos no Trabalho
93
Regras Gerais muito instrutivo
94
Da virtude da Medicina
97
Das doenças dos metais
98
Dos tempos da Pedra
100
Conclusão
100
A
DDENDA
.
102
Dicionário de Símbolos herméticos
102
Personagens alquímicos.
105

Page 11
A página de Arte Grande 11
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Discurso preliminar
Não espere para ter a aprovação dessas vastas, sublime e penetrante mentes
que abraçam
tudo, que sabe tudo sem ter aprendido nada, que disputam a respeito de tudo,
que
decidir sobre tudo sem o conhecimento da causa. Não é a essas pessoas que se

aulas, a eles pertence o nome de sábio, ao invés de Demócrito, Platão,
Pitágoras e
os outros gregos que estavam no Egito para respirar o ar hermético, e que
tirou dele a loucura de
que vamos tratar. Não é para os sábios deste personagem que este trabalho é
feito: este ar contagiosa
Egito é difundida em todo isso, eles correriam o risco de ser infectado por ele,
como os Gebers,
Synesiuses, Moriens, Arnaud de Villeneuves, Raymond Lullys, e tantos
outros, simples o suficiente para
acreditar nesta filosofia. Seguindo o exemplo de Diodoro da Sicília, de Plínio,
de Suidas e
muitos outros antigos, eles teriam, talvez, tornar-se crédulo o suficiente para
considerar esta ciência como real,
e falam dele como tal. Eles podem tornar-se ridículo como Borrichius,
Kunckel, Beccher, Stahl, louco
suficiente para fazer tratados que provam isso, e para realizar sua defesa.
Mas se o exemplo desses homens célebres faz qualquer impressão sobre
mentes livres de preconceitos e
vazio de prejuízo a esse respeito, não será encontrado, sem dúvida, os homens
suficientemente sensato querer
será instruído, pois, de uma ciência pouco conhecida, na verdade, mas
cultivada em todos os momentos. Ignorância orgulhoso
e fatuidade só são capazes de desprezar e condenar sem conhecimento. Nem
cem anos
atrás, apenas o nome de uma álgebra mantido a partir do estudo que a ciência
e foi repulsivo à assim
chamado bom senso dos sábios! que a geometria é capaz de dar histeria para o
desenvolvimento científico
"Petits-Maîtres" de hoje. Pouco a pouco, uma tornou-se familiarizado com
eles. Os termos bárbaros
com que arrepiam, já não causa medo, se estuda-los, um cultiva-los, a honra
tem
conseguiu a repugnância, um pode dizer o desprezo, com que foram
considerados.
Filosofia hermética ainda está em desgraça e, consequentemente,
descrédito. Ele é cheio de enigmas e
provavelmente não será liberado, por um longo tempo, desses termos
alegóricos e bárbaro cuja verdadeira
significando assim poucos compreendem. O estudo é tanto mais difícil quanto
metáforas perpétuas colocar
no caminho errado aqueles que imaginam que eles entendem os autores que
tratam do mesmo, no primeiro
lendo. Além disso, estes autores nos alertam que tal ciência como este não
pode ser tratado da forma mais clara como o
outros, por causa das consequências fatais para a vida civil, o que pode
resultar dela. Eles fazem dele um
mistério, um mistério que eles estudam, em vez de aprofundar a se
desenvolver. Então, eles continuamente
recomendamos o leitor a não levá-los, literalmente, para estudar as leis e os
processos da natureza, a
comparar as operações de que falam com o dela, para admitir somente aqueles
que serão encontrados
conforme a dela. . . .
A ambição eo amor das riquezas são os únicos motivos que influenciam quase
todos aqueles que trabalham
para instruir-se sobre os processos desta ciência, que lhes apresenta
montanhas de ouro
em perspectiva, e vida longa para apreciá-los. Que riqueza para corações
ligados às bênçãos desta
mundo! Eles aceleram, eles correm para chegar a este objetivo, e como eles
temem não chegar lá em breve eles
tomar o primeiro caminho que parece levar a que mais rapidamente, sem se
dar ao trabalho de instruir
-se sobre o verdadeiro caminho. Eles caminham, eles avançam, eles acreditam
no fim, mas
como andaram às cegas, eles encontram lá um precipício em que cair. Eles,
então, acho que para esconder
a vergonha de sua queda, dizendo que este objectivo pretendido é apenas uma
sombra, que eles não podem
abraçar, pois eles tratam os seus guias como os pérfidos, eles finalmente
chegam ao ponto de negar até mesmo a
possibilidade de um efeito, porque são ignorantes de suas causas. O
quê! porque os maiores naturalistas

Page 12
A página de Arte Grande 12
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
perderam seus noturnas estudos e suas obras na tentativa de descobrir o que
processa Natureza emprega para
formar e organizar o feto no útero materno, para fazer a planta germinar e
crescer, para formar
os metais na terra, podemos de bom grado negar estes fatos? Será que nós
consideramos como um sensível
homem cuja ignorância seria a fundação de suas negações? Um nem sequer se
dignou a tomar
ao trabalho de fazer o mínimo de provas para convencê-lo.
Mas os sábios, artistas iluminados e hábil ter estudado toda a vida, e ter
trabalhado
continuamente para se chegar a isso, eles deram suas vidas por ele: o que
devemos concluir? Que a coisa
não é real? Não: por volta do ano 550, a partir da fundação de Roma até
nossos dias, o mais hábil
pessoas trabalharam para imitar o famoso espelho queima de Arquimedes,
com o qual ele queimou os vasos
dos romanos no porto de Siracusa, não têm sido capazes de ter sucesso, eles
trataram o fato como um
alegoria, que era uma fábula, e até mesmo a confecção do espelho era
impossível. M. de Buffon pensa
tomando uma forma mais simples do que aqueles que o precederam, ele chega
ao fim; somos surpreendidos, nós
finalmente confessar que a coisa é possível.
Vamos concluir, então, com mais razão, que estas Savants, esses artistas
hábeis fizeram a sua própria
conhecimento de demasiada importância. Em vez de seguir as formas retas,
simples e suave de
Natureza, eles atribuíram aos seus sutilezas que ela nunca possuiu. Arte
hermética é, dizem que o
Filósofos, um mistério escondido para aqueles que confiam demais em seu
próprio conhecimento: é um dom de
Deus que considera favoravelmente aqueles que são humildes, que temem que
colocar toda a sua confiança em
Ele, e que, como Salomão, a demanda dele com entusiasmo e perseverança
que a sabedoria, que
segura em sua mão direita comprimento dos dias, e em sua esquerda
riquezas, (Provérbios ch iii v. 16.).; que
sabedoria que os filósofos preferem todas as honras, para todos os reinos do
mundo, porque ela é a
Árvore da Vida para aqueles que se apegam a ela, (Provérbios, cap. Iii. V.
18).
Todos os filósofos herméticos dizer que, embora a Ars Magna é uma coisa
natural, tanto na sua essência
e em suas operações, mas as coisas tão surpreendentes acontecem na mesma,
que elevam o espírito do homem
para o autor do seu ser, que eles manifestam a sua sabedoria e glória, que eles
são muito acima
inteligência humana, e que somente aqueles compreendê-los, cujos olhos
Deus se digna a abrir. Isto é
suficientemente provado pelos erros e pela falta do sucesso de todos os
artistas, famosos no vulgar
química, que, apesar de toda a sua habilidade na manipulação, apesar de todo
o seu conhecimento da pretensa
Natureza, ter perdido o seu tempo, seu dinheiro, e muitas vezes a sua saúde,
na busca desse inestimável
tesouro.
Quantos Becchers, Homberts, Boerhaves, Geofroys e outros químicos
qualificados, têm por
incansáveis trabalhos forçados Natureza para revelar-lhes alguns de seus
segredos? Apesar de toda a sua
cuidado em observar seus processos, na análise de suas produções, para levá-
la no ato, eles têm
quase sempre não, porque eles têm sido os tiranos desta natureza e não seus
verdadeiros imitadores.
Suficientemente esclarecido em química comum, e instruídos em seus
processos, mas cego em relação a
Química Hermética, e levado por costume, eles têm erguido sublimatória,
calcinatory,
fornos Destiladores, (Novum Lumen Chemicum;. Trato I). Eles empregaram
um número infinito de
cadinhos, vasos e desconhecidos para simples natureza, pois eles têm
convocado em seu auxílio o fratricídio de
Fogo natural, como eles poderiam ter conseguido com tais processos
violentos? Eles não têm absolutamente
partiram aqueles que seguem os filósofos herméticos, se formos acreditar
Presidente d'Espagnet,
(Arcano Hermético, é possível 6.).:
"Os Alquimistas que deram suas mentes para seus quase inumeráveis
Sublimações,
Destilações, soluções, Congelations a extracção colector dos Espíritos e
tinturas e outros
operações mais sutil do que rentável, e assim ter-se distrair por uma série de
erros,
como tantos algozes, nunca vai ser inclinado novamente pelo seu próprio
gênio para a forma simples de
A natureza ea luz da Verdade, de onde a sua sutileza trabalhador tem torcido
eles, e por
Twinings e curvas, como por areias movediças da Líbia, tem se afogou seu
juízo emaranhados, a única

Page 13
A página de Arte Grande 13
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
esperança de salvação para eles permanece em descobrir um fiel guia e
mestre, que pode tornar o
Sun claro e evidente para eles, e sem os olhos da escuridão. "
"A Tyro estudiosa de um raciocínio rápido, mente constante, inflamada com o
estudo da Filosofia, muito
hábil em Filosofia Natural, de coração puro, completo em boas maneiras,
extremamente devotada a Deus,
embora ignorante de Química prático, pode entrar com confiança na auto-
estrada da Natureza
e ler os livros dos filósofos ".
5
"Se Hermes, o verdadeiro pai da Filosofia", assim diz o Cosmopolita (Novum
lumen Chemicum,
Trato I), se o Geber sutil, a profunda Raymond Lully, e outros químicos
justamente célebres
poderia voltar para a terra, os nossos alquimistas não só se recusam a
considerá-los como seus senhores,
mas acho que para conferir um favor a eles por possuí-los como seus
discípulos. É verdade que
eles não sabem como fazer todas essas destilações, circulações, calcinação,
sublimações,
em uma palavra todas as inúmeras operações que os químicos ter imaginado,
porque eles têm
mal entendido os livros dos filósofos ".
Todos os adeptos reais falar com uma só voz e se eles falam realmente, pode-
se, sem tomar muito
problemas, sem o emprego de tantos vasos, sem consumir tanto de carvão
vegetal, sem arruinar
sua bolsa e sua saúde, pode-se, repito, trabalhar em conjunto com a natureza,
que, sendo auxiliado, vontade
emprestar-se aos desejos do artista e vai abrir livremente a ele os seus
tesouros. Ele vai aprender com
ela, não como destruir os organismos que ela produz, mas como e de que, ela
compõe-los,
e sobre o que eles resolvem. Ela vai mostrar-lhe que o assunto, que o caos a
partir do qual o Ser Supremo
formou o Universo. Eles vão ver a Natureza, como em um espelho, e seu
reflexo se manifestará a
-lhes a sabedoria infinita do Criador, que dirige e orienta-la, em todas as suas
operações, por um simples
e uma maneira original que constitui todo o mistério da Opus Magnum.
Mas essa coisa chamada Pedra Filosofal, Medicina Universal, Golden
Panacea, ela existe em
realidade, bem como na especulação? Por que, através dos tempos, têm tantas
pessoas, a quem o Céu
parecem ter favorecido com conhecimento superior ao da maioria dos
homens, procurou em vão? Mas, na
Por outro lado, para muitos historiadores de confiança, por isso são muitos os
sábios atestaram sua existência, e têm
deixou nos escritos enigmáticas e alegorias do método de torná-lo o que
dificilmente pode ser posta em dúvida,
quando se sabe como adaptar esses escritos com os princípios da Natureza.
Os filósofos herméticos diferem absolutamente dos Filósofos comuns ou
físicos. O
Estes últimos não têm determinado sistema. Eles inventar novas diariamente,
e o último parece ser concebido apenas para
contradizer e destruir aqueles que a precederam. Em resumo, se uma é erguido
e estabelecida, é
sobre as ruínas de seu antecessor, e existirão somente até um novo derruba-lo
e leva o seu
lugar
Pelo contrário, os filósofos herméticos todos concordamos; nenhum deles
contradiz os princípios da
o outro. Ele que escreveu há trinta anos fala como ele, que viveu há dois mil
anos. Uma coisa
que parece um pouco singular é que eles nunca cansado de repetir que o
axioma que a igreja
(Vicente de Lerin. Commonit.) Adota como a marca mais infalíveis da verdade
no que ele apresenta
para nós, para a crença: Quod ubique quod ab omnibus, et Semper creditum
quod est, id firmissimè
credendum puta. Observe-se, dizem eles, ler, meditar sobre as coisas que
foram ensinadas em todos os tempos,
e por todos os filósofos, a verdade está entre as passagens onde todos eles
concordam.
O que uma indicação, de fato, quando os homens que viveram em épocas tão
distantes, e em países tão
diferente na linguagem, e, atrevo-me a dizê-lo, em sua forma de pensar, todos
concordam em um ponto. O quê!
seria egípcios, árabes, chineses, gregos, judeus, italianos, alemães,
americanos, Francês, Inglês, etc,
acordaram, sem conhecer o outro, sem entender o outro, e sem ter
5
'Tradução por Dr.Wynn Westcott. em Collectanea Hermética.

Page 14
A página de Arte Grande 14
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
comunicaram as suas ideias, por escrito e em falar sobre uma quimera, uma
entidade imaginária? sem
levando-se em conta todas as obras sobre o assunto, que foram queimadas
pelas ordens de Diocleciano,
6
que
pensei assim privar os egípcios dos meios de fazer ouro, e para torná-los
incapazes de
sustentar a guerra contra ele, ainda permanecem para nós, em todas as línguas
do mundo, funciona suficientemente
numerosos para justificar o incrédulo que um acaba avançado. A biblioteca só
no King of
preserva um grande número de manuscritos antigos e modernos, em todas as
línguas, relativos a esta ciência.
Michel Maier disse sobre este assunto, em um Epigram, encontrado no início
de seu tratado, intitulado
Symbola aureœ Mensae:
Unum opus en priscis HAEC usque ad tempora seclis
Consona diffusis Gentibus ora dedit.
Vamos ler um Hermes, Egito; Abraham, Isaac de Moiros, judeus, citado por
Avicena, Demócrito,
Orfeu, Aristóteles (De Secretis secretorum), Olympiodoros, HeIiodorus (De
rebus chemicis anúncio
Theodosium Imperatorem), Etienne, (De magna et scientia sacra, ad
Heraclium Cœsarem) e outros
Gregos, Sinésio, Teófilo, Abugazal, etc, africanos, Avicena, (De re recta
Tractatulus.
Chemicus. Tractatus ad Assem Philosophum. De anima artis), Rhasis, Geber,
Artephius, Alphidius,
Hamuel, apelidado o Velho, Rosinus, árabes, Albertus Magnus, (De Alchymia,
Concordantia
Philosophorum; De compositione Compositi, etc), Bernard Trevisan, Basílio
Valentin, alemães.;
Alain (Liber Chemicœ), Isaac, pai e filho, Pontanus, flamengo ou holandês;
Arnaud de Villeneuve,
Nicolas Flamel, Denis Zachaire, Christophe Parisien, Gui de Montanor,
d'Espagnet, francês; Morien,
Pierre Bon de Ferrare, o autor anônimo do "casamento do Sol e da Lua", os
italianos;
Raymond Lully, espanhol, Roger Bacon, (Speculum Alchemiœ), Hortulain,
Jean Dastin, Richard,
George Ripley, Thomas Norton, Philalethes eo Cosmopolita, Inglês ou
escocês. Finalmente, muitos
autores anônimos (Turba Philosophorum, Seu Codex veritatis, clangor
Buccinœ, Scala
Philosophorum, Aurora Consurgens, Ludus puerorum, Thesaurus
Philosophiœ, etc.), De todos os países
e de diferentes idades: lá não será encontrado entre eles um cujo princípios
são diferentes dos
as dos outros. Será que isso não conformidade de idéias e princípios formam,
pelo menos uma presunção em
favor da verdade e da realidade do que eles ensinam? Se todas as fábulas
antigas de Homer, de Orfeu e
dos egípcios, são apenas alegorias desta arte, como afirmam provar neste
trabalho, pelo trabalho de base
e origem das fábulas si, bem como a sua conformidade com as alegorias de
quase todos
Filósofos, poderia convencer um a si mesmo que esta ciência é apenas uma
vaga fantasma, que nunca
teve uma existência entre as produções reais da Natureza?
Mas, se esta ciência tem um objeto real, se este Art existiu, e se devemos
acreditar que os filósofos,
sobre as coisas maravilhosas que dizem respeito dele, por que é tão
desprezado, por isso que denunciou, porque assim
desacreditado? Porque a prática desta arte nunca foi claramente
ensinado. Todos os autores, antigo
e moderno, que tratam do mesmo, fazê-lo sob o véu de hieróglifos, enigmas,
alegorias e fábulas;
de modo que aqueles que desejavam estudá-los, em geral tomado o caminho
errado, onde tem
surgiu uma espécie de seita, que, por ter erroneamente compreendido e
explicado os escritos do
filósofos, introduziu uma nova Química, e imaginou que o seu sistema foi a
única verdadeira
um. Muitas pessoas tornaram-se celebrou neste campo. Alguns qualificados
nos princípios, os outros
extremamente hábeis na prática, especialmente na experiência necessária para
o sucesso de determinadas
operações, eles têm todos unidos contra Hermética alquimia, eles têm escrito
de uma forma mais facilmente
compreendida pela multidão, eles provaram as suas opiniões por argumentos
ilusórios. Ao fazer
6
Postquam (inquit Paulus Diac. Na vita Diocletiani) Alchillem Ægypiorum
Ducem octomenses em Alexandria aegypti
obsessum profligasset Teodósio omnes Chymicæ artis libros diligenti estúdio
Requisitos conflagravit, ne reparatis opibus
. Romanis repugnarent Orosius diz a mesma coisa, ch.16, B.7 Suidas, sobre a
palavra Chemia se expressa assim.:
Chemia est auri et argenti confectio, cujus libros Teodósio perquisitos exussit,
EO quod aegyptii res Novas contra
Diocletianum moliti fuerant, duriter atque hostiliter eos tractavit. Quo tempore
etiam libros de Chemia auri et argenti à
veteribus conscriptos conquisivit et exussit, ne deinceps Ægyptiis divitiæ ex
Arte illa contingerent, neve pecuniarum
affluentia confisi em posterum Romanis rebellarent.

Page 15
A página de Arte Grande 15
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
aleatoriamente, misturas de diferentes substâncias e trabalhando às cegas, sem
saber qual será o resultado
seria, eles viram monstros surgem, e as mesmas chances que os produziu
atuou como
base para os princípios estabelecidos em seguida. As mesmas misturas,
reiterou, o mesmo trabalho repetido, tem
dado exatamente o mesmo resultado, mas eles não observaram que este
resultado era monstruoso e
análogo só para as produções anormais de Natureza, e não para aqueles que
resultam da sua
processos, quando ela confina-se à aulas particulares a cada reino. Sempre a
partir da união
de um burro e uma égua resulta um animal monstruoso chamado de mula, pois
a natureza age sempre na mesma
forma, quando os mesmos materiais são fornecidos ela, se a produzir
monstros, ou para formar seres
conforme a sua espécie em particular. Se mulas veio até nós a partir de
alguma ilha distante, e nós sabíamos
nada de seu nascimento, certamente será tentado a acreditar que estes animais
formam uma classe, que
é multiplicado como os outros. Nós não suspeitaria de que eles eram
monstros. Somos afetados, neste
mesma maneira, os resultados de quase todas as operações químicas;
consideramos produções anormais
produções feitas na ordem natural da Natureza. De modo que se pode dizer
deste tipo de Química, que
é a ciência de destruir metodicamente os Mixts produzido pela natureza, a fim
de formar a partir delas
monstro, que têm praticamente o mesmo aspecto e as propriedades como as
Mixts naturais. Será mais
ser necessário conciliar o público?
Prepossessed por essas aparências enganosas; oprimido pelos escritos sutis;
cansado pela
invectivas contra Hermética Alchemy, desconhecidos até mesmo para seus
agressores multiplicado, é surpreendente que
a multidão despreza-lo?
Basílio Valentin, (Azoth des Philosophes), compara os "souffleurs" aos
fariseus, que estavam em
honra e autoridade com o público, por causa de sua afetação de religião e
piedade. Eles foram,
, disse ele, os hipócritas, presa apenas com a terra e os seus próprios
interesses, que abusam da
confiança e credulidade das pessoas, sempre prontos a tomar pelas aparências,
porque a sua visão é
não gosta o suficiente para perfurar o exterior das coisas. No entanto, não
deixe que alguém imaginar que, por tal discurso I
intenção de ferir a química dos nossos dias. Um encontrou meios de torná-lo
útil, e muito
elogio não pode ser dado a quem faz um estudo assíduo dele. As experiências
curiosas que
a maioria dos químicos fizeram só pode satisfazer o público. Medicina deriva
assim muitas vantagens a partir de
Química, que a condenam seria ser hostil para o bem do povo. Ele contribuiu
nem um pouco
aos bens da vida por parte dos meios que tem mobilados de aperfeiçoar
Metalurgia e outros
arts. Porcelana, faiança são frutos da química. Ela fornece materiais para
tinturas, para a tomada de vidro,
etc Mas porque sua utilidade é reconhecida, devemos concluir que é a única
verdadeira química? E
deve Química Hermética ser rejeitado e desprezado por isso? É verdade que
muitas pessoas afirmam ser
Filósofos, e aproveitar a credulidade dos néscios. Mas é ciência Hermética ser
responsabilizado por isso? Não Filósofos chorar alto o suficiente para ser
ouvido por todos, e para alertar contra o
armadilhas estabelecido por esta classe de pessoas. Não há um deles que não
quer dizer que o assunto deste
Arte é de baixo preço, e mesmo que não custa nada, que o fogo, necessário
trabalhar não custa
mais, para que apenas um vaso, ou no máximo dois, não é necessário durante
todo o curso de trabalho. Ouçamos
d'Espagnet, (Can. 35):
"O trabalho filosófico exige mais tempo e trabalho do que custa, pois ainda há
muito pouco
a ser feito quando se tem a matéria necessária. Aqueles que exigem grandes
somas para atingir este
objeto, ter mais confiança nas riquezas dos outros do que na ciência da
arte. Portanto, deixe-o
amador estar em guarda, e não cair nas armadilhas que rogues criados por ele,
ladinos que desejam
para a sua bolsa, mesmo quando eles lhe prometer montanhas de ouro. Eles
exigem o dom para guiar
los nas operações desta arte, porque eles não vêem, no mínimo. "
Assim, não é necessário colocar a culpa em Química Hermética, que não é
mais responsável do que
é a honestidade de velhacaria. Um fluxo pode tornar-se sujo e mal-cheiroso da
sujeira que se acumula em
o seu curso, sem a sua fonte é o menos puro, menos bonita, menos clara.

Page 16
A página de Arte Grande 16
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Aqueles que ainda condenam Ciência Hermética são aqueles bastardos da
alquimia comumente conhecido como
souffleurs e requerentes de Pedra Filosofal. Eles são idólatras da Filosofia
Hermética. Todo o
recibos apresentados a eles são para eles como tantos deuses diante de quem
eles dobrar o joelho. Muitos
desta classe são instruídos nas operações de química comum, eles têm mesmo
muita habilidade em
manipulações, mas eles não são instruídos nos princípios da Filosofia
hermética, e nunca será
sucesso. Outros são ignorantes mesmo dos princípios da química comum, e
estes são, propriamente
. falando, as souffleurs Para elas, podemos aplicar o provérbio: Alchemia est
ars, cujus initium
laborare, médio mentiri, finis mendicare.
A maioria dos artistas, hábeis em Química comum, não negam a possibilidade
de o Filósofo do
Stone, o resultado de muitas de suas operações é uma prova suficiente
disso. Mas eles são escravos do humano
opinião, eles não ousariam confessar abertamente que reconhecê-lo como
possível, porque temem a
expor-se ao ridículo do ignorante, e de pretensos sábios, cegos pelo
preconceito. Em
público, eles piada sobre ele, ou pelo menos falar sobre isso com tanta
indiferença, que suspeita-se que eles
não considerá-lo como real, enquanto os testes que eles fazem, em particular,
tendem a sua busca. Depois de ter
passou muitos anos no meio de seus fornos, sem ter sucesso, sua vaidade é
ofendido;
eles têm vergonha de ter falhado, então, eles buscam a indenizar-se, para
vingar-se, por
falando mal do que eles têm sido incapazes de obter. Estas são as pessoas que
não é igual a
na teoria e na prática de Química, pois eles têm assumido como tal, eles
provaram que, assim como
eles poderiam, mas, repetindo-a ou fazendo-a ser anunciada por outros, eles
fizeram as pessoas
acreditar. Quando, no final de sua vida, eles pensam aconselhável para
condenar Filosofia hermética, o
multidão não vai examinar e ver se eles fazem isso de forma errada, a
reputação que adquiriram
dá-lhes o direito, e não se atreveria, mas para aplaudi-los. Sim, dizem eles, se
a coisa tinha sido
viável, não poderia ter escapado a ciência, a penetração, a destreza de um
homem tão hábil.
Essas impressões são insensivelmente fortalecida e um segundo, não ter
conseguido melhor do que o
primeiro, foi decepcionado com sua esperança e da sua obra, ele adiciona a
sua voz à dos outros, ele
ainda chora mais alto se ele pode, ele faz-se ouvir, o prejuízo cresce, até que,
finalmente, chega-se ao
ponto de dizer com eles, que a Filosofia Hermética é uma quimera, eo que é
mais, eles são
convencido, sem qualquer conhecimento do assunto. Aqueles a quem a
experiência provou o contrário,
contente com o seu destino, não invejo o aplauso dos ignorantes. Sapientiam
et doctrinam stulti
descipiunt, (Provérbios, cap. I).
Alguns têm escrito para desiludi-los - (Beccher, Stahl, M. Pott, M. de Justi,
comprometem a sua defesa
abertamente em suas memórias) - eles não queriam sacudir o jugo do
preconceito, eles têm
manteve-se sob ele.
Mas, finalmente, o que constitui a diferença entre a química comum e
Química Hermética?
Simplesmente isso. O primeiro é, propriamente falando, a arte de destruir os
compósitos que a natureza
formado, eo segundo é a arte de trabalhar com a natureza para aperfeiçoá-
los. O primeiro põe em prática a
Tyrant furioso e destrutivo da natureza, o segundo emprega-la suave, agente
benigno. Hermético
Filosofia tem como objeto de seu trabalho, o secundário
7
ou princípios principais de coisas, para levá-los
a perfeição de que são susceptíveis, por processos adaptáveis aos da Natureza.
Química comum leva as Mixts que já atingiram seu ponto de perfeição, se
decompõe
e os destrói. Aqueles que desejarem podem levar ainda mais o paralelismo
entre essas duas artes, pode
recorrer ao trabalho que um dos grandes antagonistas da Filosofia hermética, o
padre Kircher,
SJ, compôs e que Manget inseriu no primeiro volume de sua Bibliothèque de
la
Chymie curieuse. Os filósofos herméticos dificilmente deixam de marcar a
diferença dessas duas artes em
suas obras. Mas a marca infalível, pelo qual se pode distinguir um Adepto de
um químico, é que
Adepto, de acordo com todos os filósofos, leva apenas uma coisa, ou, no
máximo, dois da mesma natureza,
um vaso, ou talvez dois, e um único forno para aperfeiçoar o seu trabalho e, ao
contrário, o químico funciona
7
Questão secundária, ou Seed of Metals, a questão primordial da obra do
filósofo, para distingui-la da Prima
Materia, ou Primeiro criou a matéria, que está além do alcance do artista.

Page 17
A página de Arte Grande 17
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
em todos os tipos de assuntos, de forma indiscriminada. Esta é também a
pedra de toque de que você deve tentar
esses bandidos, ou souffleurs, que têm projetos em sua bolsa, que exigem o
ouro, a fim de torná-lo,
e que, em vez de a transmutação que eles prometem que você, faça de fato
apenas uma transferência de ouro
a partir de sua bolsa para o deles. Esta observação não é menos aplicável
aos souffleurs de boa-fé e
honestidade, que pensam estar no caminho certo, e que enganam os outros,
enquanto enganando a si mesmos. Se esta
trabalho faz impressão o suficiente sobre as mentes para convencer da
possibilidade e da realidade de Hermética
Filosofia, Deus queira que ele também pode servir para desiludi aqueles que
têm a mania de gastar o seu
propriedade em que funde a carvão, em fornos de montagem, na calcinação,
na sublimação, na destilação, finalmente, em
reduzir tudo a nada, isto é, a cinzas e fumaça, os Adeptos não correr atrás de
ouro e
prata. Morien dá uma grande prova disso no Roi Calid. Este último tendo
encontrado muitos livros que
tratado da Ciência Hermética, e ser capaz de compreender nada deles,
ofereceu uma grande recompensa para
o que explicaria eles, (Entretien du Roi Calid). Os encantos desta recompensa
trouxeram-lhe
muitos souffleurs. Então Morien, o Eremita, partiu de seu deserto não atraídos
pela promessa
recompensa, mas pelo desejo de manifestar o poder de Deus, e de mostrar o
quão maravilhoso Ele é
em todas as suas obras. Ele encontrou cálidas, e exigiu que os outros um local
adequado para trabalhar, a fim de
comprovar, por suas obras, a verdade de suas palavras. Morien, tendo
terminado suas operações, deixou a perfeita
Pedra em um vaso em torno do qual ele escreveu: Aqueles que têm tudo o que
é necessário para eles, têm necessidade
nenhuma recompensa nem da ajuda de outros. Ele então partiu sem dizer uma
palavra, e voltou
a sua solidão. Calid ter encontrado este vaso, e depois de ter lido o edital,
entendido bem o que
significado, e depois de ter testado o pó, ele banido, ou condenado à morte,
todos aqueles que desejavam
enganá-lo.
Por isso, os filósofos até dizer que esta pedra é o centro ea fonte de virtudes,
uma vez que os
que a possuem desprezar todas as vaidades do mundo, glória vã, a ambição,
uma vez que estima o ouro não
mais do que areia ou poeira, (Sapientia, cap. 7), e prata é para eles mais do
que a sujeira. Sabedoria sozinho
faz qualquer impressão sobre eles, inveja, ciúme e outras paixões tumultuadas
não excitar o
tempestades do seu coração, eles não têm outros desejos do que viver para
agradar a Deus, nenhuma outra satisfação
do que tornar-se secretamente útil para o seu vizinho, e penetrar cada vez mais
na
segredos da natureza.
Filosofia hermética é, portanto, a escola de piedade e de religião. Aqueles a
quem Deus atribui a
conhecimento do que são ou já piedosa ou tornam-se
assim, (Flamel, Hieróglifo). Uma ll o
Filósofos começar suas obras, exigindo de quem as ler, com a intenção de
penetrar no santuário da natureza, um coração reto e um espírito temente
a Deus: Initium sapientiœ
timor Domini, a mente compassiva, para ajudar os pobres, uma profunda
humildade e um firme propósito de fazer
tudo para a glória do Criador, que esconde seus segredos do orgulho e fingiu
sábio do
mundo para manifestá-los aos humildes, (Mateus, cap. XI).
Quando nosso primeiro pai ouviu a sentença de morte pronunciada como um
castigo por sua desobediência,
que recebeu, ao mesmo tempo, a promessa de um Libertador, que era para
salvar toda a raça humana. Deus,
all-lamentável, não queria permitir a mais bela obra de suas mãos a perecer
absolutamente. A mesma coisa
sabedoria que tinha preparado com tanta bondade o remédio para a alma, não
se esqueça de indicar
um contra os males que estavam a afligir o corpo. Mas, assim como todos os
homens fazem e não o lucro por meio de
segurança, que Jesus Cristo adquiriu para nós, e que Deus nos oferece, para
que todos os homens não sabem
como usar o remédio, que pode curar as doenças do corpo, embora a matéria
de que é
composto é comum, e presente diante de seus olhos. Eles vêem isso sem
saber, ele e empregá-lo
para outros fins que não aquele para o qual foi concebido, (Basil Valentin
Azoth des Phil. eo
Cosmopolita). Isso prova que, de fato, que é um dom de Deus que é concedida
a quem, por favor
Ele. Vir insipiens não cognoscet, et stultus não intelliget hœc. Embora
Salomão, o mais sábio dos homens,
diz, nós, Altissimus de terra creavit medicinam et posuit Deus de super terram
medicamentum quod
não despiciet sapiens, (Eclesiastes, cap. 38).

Page 18
A página de Arte Grande 18
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Ele é o assunto que Deus usou para manifestar a Sua sabedoria na composição
de todos os seres. Ele
animou com o sopro de espírito que "se movia sobre a face das águas", antes
de sua
onipotência tinha desvencilhou o caos do universo. Isto é, o que é suscetível
de todas as formas,
e que, propriamente falando, não tem nada de si próprio, (B. Valentin). Assim,
a maioria dos Filósofos
comparar a confecção de sua pedra para a criação do Universo. Não foi,
portanto, dizer que o
Escrituras (Gênesis, ch.1), um caos confuso, em que nenhum indivíduo
poderia ser distinguidos. O
globo terrestre estava submerso nas águas, pois eles pareciam conter os céus, e
para colocar em
seu seio os germes de todas as coisas. Não havia luz, tudo estava na
escuridão. A luz apareceu, o
sombras foram dissipadas e as estrelas foram colocados no firmamento. O
trabalho filosófico é
exatamente a mesma coisa. Primeiro, é um caos sombrio, tudo parece tão
confuso nele, que não se pode
distinguir os princípios que compõem a matéria da Pedra. O Céu dos Filósofos
é
mergulhou nas águas, sombras cobrir toda a sua superfície e, finalmente luz
separa-los, a Lua eo
Sun se manifestam, e trazer alegria ao coração do artista e da vida ao assunto.
Este consiste no caos siccum e humidum. O siccum constitui a Terra,
o humidum é
da Água. As sombras são da cor preta, que os filósofos chamam de nigrum,
Nigro nigrius, (preto,
mais negra do que preto em si). Esta é a noite filosófica, e as sombras
palpáveis. Luz na
criação do mundo apareceram antes de o sol, é que a brancura da matéria, de
modo muito desejado, a qual
sucede a cor preta. Finalmente o sol aparece, de uma cor laranja, o vermelho
do que se aprofunda,
pouco a pouco para o vermelho púrpura: isto torna a realização do primeiro
trabalho ..
O Criador desejou então colocar o selo em seu trabalho, Ele formou o homem
da Terra, e de um
terra que parecia inanimado: Ele soprou nele o fôlego da vida. O que Deus
fez, em seguida,
relação ao homem, o agente da Natureza, a quem alguns chamam-lhe um
RCHEUS
(Paracelso, Van Helmont), faz
agora com a terra ou barro Filosófica. Ele funciona, por sua ação interior, e
anima-lo para que
começa a viver e se fortalecer, dia após dia, até atingir a
perfeição. Morien, (op. cit.)
tendo comentou esta analogia, explicou a confecção do Magistério através de
uma comparação,
desenhada a partir da criação e geração de homem. Alguns afirmam ainda que
a Hermès fala da
a ressurreição de corpos em seu Pymander, porque ele conclui ele, afirmando
que ele tem observado em
o progresso do magistério. O mesmo problema, que tinha sido forçado a um
certo grau de
perfeição no primeiro trabalho, é dissolvida e putrified, que pode muito bem
ser chamado de morte, uma vez
nosso Salvador disse de um grão que um semeia, (Flamel), Nisi granum
frumenti Cadens em TERRAM
mortuum fuerit ipsum solum manet. Neste putrefação da matéria filosófica
torna-se um preto,
Terra volátil, mais sutil do que qualquer outro pó. Os Adeptos até chamá-
lo Corpse quando é neste
estado, e dizer que ele tem o odor de um, não, diz Flamel, que o artista cheira
um odor ruim, já que é
feita em um vaso selado, mas ele julga que é tal pela analogia de sua
corrupção para que de morto
corpos. Este pó, ou cinzas, que Morien diz que não devemos desprezar,
porque é reviver, e
porque ele contém o diadema do rei-filósofo, recupera seu vigor, pouco a
pouco, em
proporção em que escapa dos braços de morte, ou seja, desde a escuridão: é
revivified, e
leva um esplendor mais brilhante, um estado de incorruptibilidade mais nobre
do que aquele em que ele existia
antes de sua putrefação.
Os egípcios, observando essa metamorfose, imaginava a existência da Fênix,
que
disse ser um pássaro de cor roxa, que surgiu a partir de suas próprias
cinzas. Mas esta ave fabulosa é simplesmente o
Pedra Filosofal, que atingiu a cor de púrpura após a sua putrefação.
Vários filósofos antigos, iluminados por esses efeitos maravilhosos da
Natureza, concluíram
a partir deles, com Hermès, de quem obtivera os princípios no Egito, que
havia um novo
vida após a morte tinha tirado isso. Isto é o que eles quiseram provar quando
eles falaram de
a ressurreição de plantas a partir de suas próprias cinzas em outras plantas da
mesma espécie. Se encontra ninguém
que falou de Deus e do homem com tanta elevação e nobreza. Ele explica
ainda, como um
. pode dizer dos homens que eles são deuses Ego dixi dii Estis, et Filii
excelsi omnes, diz David, e Hermès:
(.. Pymand ch 11), "A alma, ó Thaut, é da essência do próprio Deus, pois Deus
tem uma essência, e

Page 19
A página de Arte Grande 19
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
o que é só ele sabe. A alma não é uma parte, separado deste essência divina
como uma parte é
separado de qualquer outro material, mas é, podemos dizer, uma efusão, quase
como a luz do sol,
o que não é o próprio sol. Essa alma é Deus no homem, é por isso que se diz
dos homens que eles são deuses,
porque o que constitui, propriamente falando, a humanidade é semelhante a
divindade. "
O que, então, deve ser o conhecimento do homem? É surpreendente que,
iluminado pelo Pai das luzes,
ele penetra até nas mais sombrias, recessos mais ocultos da Natureza? que ele
sabe que suas propriedades,
e como usá-los? Mas Deus distribui Seus dons como Lhe agrada. Se ele é bom
o suficiente para
estabelecer um remédio para os males que afligem a humanidade, Ele não
julgou apto a torná-la conhecida
tudo. Consequentemente Morien diz: (Entretients de Calid et de
Morien), "que o" Magistério é o
segredo dos segredos do Deus Altíssimo, o Criador de tudo que existe, e que
Ele mesmo revelou esta
segredo para seus santos profetas, cujas almas que Ele colocou no Paraíso ".
Se este segredo é um dom de Deus, alguns dizem que deve, sem dúvida, ser
colocado na categoria dos talentos
que Deus concede e que não deve ser enterrado. Se os filósofos são pessoas
tão piedoso, tão caridoso,
por que vemos tão poucas obras boas da parte deles? A única, Nicolas Flamel,
na França, foi construído
e igrejas dotadas e hospitais. Estes monumentos existem hoje, à vista de toda
Paris. Se houver
são outros filósofos, por que não seguir um bom exemplo? Por que eles não
curar os doentes?
Por que não aliviar as famílias de pessoas honestas sobrecarregados com a
miséria? Eu respondo que um
não sabe tudo de bom feito em segredo. Não se deve fazer o bem e, em
seguida, publicá-lo ao som de
a trombeta, a mão esquerda, de acordo com o preceito de nosso Salvador,
Jesus Cristo, não deve conhecer a
bem que o faz a mão direita. Não se sabe, até que, depois da morte de Flamel,
que era o
autor destas boas obras. As figuras hieroglíficas, que ele tinha colocado no
Cemitério da
Inocentes, apresentou apenas o que era piedoso e em conformidade com a
religião. Ele próprio viveu
humildemente, sem ostentação, e sem dar o menor sinal do segredo que ele
possuía.
Além disso, havia naqueles tempos maiores facilidades para fazer o bem do
que agora.
Filósofos não são tão comuns como os médicos. Eles são em número
reduzido. Eles possuem o segredo da
cura de todos os males. Eles não faltam o desejo de fazer o bem para todo o
mundo, mas este mundo é tão
perverso que é perigoso para eles para tentar. Eles iriam fazer isso, com o
risco de suas vidas. Será que eles
curar alguém, como por milagre? Um murmúrio será ouvida entre os médicos
e as pessoas, e
mesmo aqueles que mais duvidou da existência do remédio filosófico, então,
suspeitar que há
É uma coisa dessas. Este homem vai ser seguido, suas ações serão observados,
o relatório vai se espalhar, o
avarento, o ambicioso irá persegui-lo para descobrir o seu segredo. Então, o
que ele pode esperar, mas
perseguições, ou o exílio voluntário de seu país?
A experiência do Cosmopolita e Philalethes comprova isso
suficientemente. "Somos", diz o
último, "envolto em maldição e infâmia, não podemos desfrutar
tranquilamente a sociedade de nossos amigos;
quem vai descobrir quem somos, vai querer ou para extorquir de nós o nosso
segredo, ou para planejar nossa ruína,
se recusar a revelar a eles. O mundo hoje é tão mau e tão perverso, interesse e
ambição
para dominar os homens que todas as suas ações não têm outro objectivo, mas
a satisfação dessas paixões. Será que
desejar, como os Apóstolos, para realizar obras de misericórdia, um retorna
para nós o mal pelo bem. Eu fiz a
julgamento desta ultimamente em alguns lugares distantes. Eu ter curado,
como por milagre, alguns morrendo queridos, abandonado por
Médicos, e para escapar da perseguição, fui obrigado, mais uma vez, para
mudar meu nome, a minha
vestir-se, fazer a barba meu cabelo e minha barba, e para fugir a coberto da
noite. "No entanto, para o maior
perigos que um filósofo não se expor, se ele deve fazer a
transmutação? embora
deve pretendem fazer uso do ouro para uma vida muito simples, e para o
benefício de quem precisa. Este
ouro, mais fino e mais bonito do que o ouro comum, como eles dizem que é,
em breve será reconhecido. Por esta
marcar sozinho, ninguém vai suspeitar que o portador, talvez até de
falsificação de dinheiro. Que terrível
conseqüências que um filósofo, acusado de tal suspeita, não tem que temer?
Eu sei que muitos médicos exercem a sua profissão, não tanto através do auto-
interesse, por meio de
o desejo de servir o público, mas todos eles não são assim. Alguns vão se
alegrar com a boa sorte de

Page 20
A página de Arte Grande 20
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
seu vizinho, os outros vão ficar com raiva porque eles foram privados de uma
chance de aumentar a sua
receitas. Ciúme não deixaria de tomar posse de seus corações, e que sua
vingança será
longa em fazer sentir seus efeitos? Ciência Hermética não é ensinada nas
escolas de Medicina, embora
Não se pode duvidar que Hipócrates entendia, quando pesamos expressões
bem espalhados em suas obras,
e os elogios que ele derramou sobre Demócrito antes de os habitantes de
Abdera, que consideravam
este filósofo, como um louco, porque, ao voltar do Egito, ele distribuiu entre
eles quase
todo o seu patrimônio, a fim de viver como um filósofo em uma casa de país
pequeno, removido do tumulto. Ainda
esta seria uma prova da antiguidade da Ciência Hermética insuficiente, mas há
tantos outros,
que negar essa antiguidade é mostrar sua ignorância dos autores antigos. O
que significa Pindaré,
(Olymp. 6), quando ele diz que o maior dos deuses causaram a cair na cidade
de Rhodes a golden
neve, feita pela arte de Vulcan? Zósimo, Panopolite, Eusébio e Sinésio nos
ensinam que este
A ciência foi muito cultivada em Memphis, no Egito. Eles citam as obras de
Hermès. Plutarco diz:
(Theolog. físico Grœcor), que a antiga teologia dos gregos e bárbaros era
simplesmente um
discurso sobre a Física, escondidos sob o véu das Fábulas. Ele até tenta
explicar que quando ele diz que por
Latona eles entenderam noite, por Juno, a terra, por Apolo, o sol, e por Júpiter,
o calor. Ele acrescenta
que os egípcios disseram que Osíris era o sol, a lua Isis, Júpiter, o espírito
universal difusa
toda a Natureza, e Vulcan, incêndio, etc Manetho amplia muito sobre este
assunto.
Orígenes, (LI contra Celse), diz que os egípcios divertiu as pessoas por estas
fábulas, e que
eles velada a sua filosofia com os nomes dos deuses do
país. Coringius, (Omininò tamen
et ipse existimo Œgyptiorum Hierophantas, omnium Mortalium
principes |)](¦(¦(´ jactisasse,
et ab seu chemiœ profluxisse exordia), apesar de tudo o que ele escreveu
contra a Filosofia hermética,
foi forçado, por provas, para confessar que os sacerdotes do Egito praticaram
a arte de fazer ouro,
Química e que teve a sua origem ali. São Clemente de Alexandria, em
seus Stromates, dá grande
louvar aos seis obras de Hermès, em Medicina. Diodoro da Sicília, (Antiq. l. 4,
c.2), fala em detalhes
de um segredo que os reis do Egito possuía, de ouro desenho de um mármore
branco, encontrado na
fronteiras de seu império. Estrabão, (Geogr. l. 17), também, faz menção de
uma pedra negra, a partir do qual
eles fizeram muitos morteiros, em Memphis. Pode ver-se, no decurso do
presente trabalho, que este pedra negra
mármore branco e ouro eram meramente alegórica, e significou a Pedra
Filosofal, que tem
atingido o estado da cor negra, de pedra, que os mesmos têm chamado
Filósofos Argamassa, porque
a matéria é triturada e dissolvida. O mármore branco foi esta mesma matéria,
chegou à cor branca,
chamado Marble por causa de sua fixidez. O ouro foi o ouro Filosófica, que é
derivada a partir desta
brancura, ou a Red Stone fixo. Explicações mais pormenorizadas do presente
será encontrado no decorrer de
este trabalho.
Philo, o judeu, (Lib. I. de Vita Mosis), relata que Moisés aprendeu no Egito,
Aritmética, Geometria,
Música e simbólica Filosofia, que foi escrito só em caracteres sagrados,
Astronomia e
Matemática. São Clemente de Alexandria acrescenta a estes Medicina e do
conhecimento de
Hieróglifos, que os sacerdotes ensinado apenas aos seus filhos, e os filhos dos
reis de seu país.
(Cum autem Moisés jam ESSET œtate Grandior, Arithmeticam et
Geometriam, Rhytmicam et
Harmonicam et prœterea medicinum simul et Musicam ab iis (Œgyptiis),
edoctus est, qui entre
Œgyptios rante insignoires; et prœterea eam, quœ traditur por Symbola et
signa Philosophiam, quam
em Litteris ostendunt hieroglyphicis. Alium autem doctrinœ orbem tanquam
puerum regium Grœci eum
docuere em Œgypto, ut DECIT Philo na Vita Mosis. Didicit autem litteras
Œgyptiorum et rerum
coelestium scientiam à Chaldeis et ab Œgyptiis. Unde em ejus gestis, dicitur
eruditus, fuisse em omni
scientia Œgyptiorum. (Clemens Alexand. l. I. Strom).
Hermès foi o primeiro que ensinou todas essas ciências para os egípcios, de
acordo com Diodoro de
Sicília, (L. 2 c. I), e Estrabão, (Lib. I7). Padre Kircher, embora muito amargo
contra Hermética
Filosofia, mostrou-se, ele mesmo, (Œdyp. Œgypt. L. 2 p. 2), que foi praticada
no Egito. Veja também
Diodoro (Antiq. I, c.
II
) E Julius Matern. Firmicus (lib. 3, c.
Eu
. de Petosiri et Nicepso). Santo
Clemente de Alexandria, assim se expressa sobre o assunto: Ainda temos
quarenta e dois trabalhos de
Hermès que são muito úteis e muito necessário. Trinta e seis desses livros
contêm toda a

Page 21
A página de Arte Grande 21
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Filosofia dos egípcios, e os outros seis se relacionam principalmente à
Medicina: os primeiros mimos do
construção do corpo ou anatomia, o segundo de doenças, o terceiro dos
instrumentos, o quarto de
medicamentos, a quinta do olho, eo sexto de doenças das mulheres.
Homer tinha viajado no Egito, (Diodoro da Sicília, l. I, c. 2), e aprendi muitas
coisas de sua
associação com os sacerdotes daquele país. Podemos até dizer que a partir
daqui ele derivou suas fábulas.
Ele dá prova disso em vários locais em suas obras, e, especialmente, em seu
terceiro hino, a Mercury, em
qual ele diz que esse deus foi o primeiro que inventou o Art of Fire:

V. 108 & V.
III
-

Homer ainda fala da Hermès, como o autor de riquezas, e chama-lhe,
consequentemente,

É por isso que ele diz, (ibid v 249), que a Apollo foi a
Hermès para obter notícias dos bois que haviam sido roubados dele. Ele viu-o
deitado em sua obscura
caverna, que estava cheio de néctar de ambrosia, de ouro e prata, e as vestes
vermelhas e brancas
Ninfas. Este néctar, este ambrosia, e estas peças de vestuário das ninfas
consulte o Filosófico
Trabalhar.
Esdras, em seu quarto livro, o capítulo oito, assim se expressa: quomodo
interrogabis terram, et
dicet tibi, Quoniam dabit TERRAM multam magis, unde fiat fictile, parvum
autem pulverem unde aurum
caber.
Stephen, de Bizâncio, foi tão bem convencido de que Hermes era o autor de
Química, e teve
tão alta idéia dele, que ele não hesitou em citar o Egito

, Vossius, (de Idol.)
pensou que era seu dever corrigir essa palavra por aquele
Ερμοχημιος.
Foi, sem dúvida, esta que
Homer levou a imaginar que suas plantas e Moly Nepenthes, que tiveram
tantas virtudes, veio
Egito. Plínio (Lib. 13, c.2), testemunha-o nos seguintes termos: Homerus
quidem primus
doctrinarum et antiquitatis parênteses, alias multus em admiratione Circes,
gloriam herbarum Œgypto
tribuit. Herbas CERTE Œgyptias à Regis uxore traditas suœ Helenœ plurimas
Narrat, ac nobile illud
nepenthes, oblivionem tristitiœ, veniamque afferens, ab omnibus Helena
Utique mortalibus
propinandum.
Em seguida, é fora de dúvida que a Arte Química da Hermès era conhecido
entre os egípcios. É
não menos certo que os gregos que viajavam no Egito aprendeu lá, pelo
menos alguns deles;
e que, tendo aprendido com os hieróglifos, que ensinavam que sob o véu de
fábulas. Eustáquio
isso implica em seu comentário sobre a Ilíada.
A idéia de fazer ouro com a ajuda de arte não é, portanto, novo, além das
provas que temos
dado, Plínio, (Lib. 33, c. 4), confirma-lo, porque ele se relaciona de Calígula
"O amor que Caius
Calígula tinha de ouro, induziu esse Príncipe de trabalhar para obtê-lo. Por
isso, diz o autor, ele
digerido uma grande quantidade de orpiment e conseguiu, de fato, a fazer
excelente ouro, mas de tal
pequena quantidade que ele perdeu muito mais do que ganhou. "Calígula
soube, então, que o ouro poderia ser feito
artificialmente, portanto Filosofia hermética era conhecido.
Como para os árabes, ninguém duvida de que a Química tanto hermética e
comuns têm sido sempre
conhecido entre eles. Além disso, Albusarius nos
ensina, (Dynastiâ Nona), que os árabes têm
preservou um grande número de obras dos caldeus, dos egípcios e dos gregos,
pelo
tradução que eles fizeram eles em sua própria língua, ainda temos os escritos
de Geber,
Avicena, Abubali, Alphidius, Alchindis, e muitos outros sobre esses
assuntos. Pode-se mesmo dizer que
Química foi difundido por toda a Europa por meio deles. Albert, o Grande,
arcebispo de
Ratisbonne, é um dos primeiros conhecido, uma vez que os árabes. Entre
outras obras eruditas sobre Dialética,
Matemática, Física, Metafísica, Teologia e Medicina, várias obras sobre
química são encontrados,
um dos quais tem o título de Alchymia, que tem sido inchou mais tarde, com
uma infinidade de adições e
sofisticações. O segundo é intitulado De Concordantia Philosophorum. A
terceira, De compositione

Page 22
A página de Arte Grande 22
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Compositi. Ele também escreveu um tratado sobre os minerais, ao final da
qual ele coloca um artigo especial
em Matéria de Filósofos, sob o nome de De Electrum Minerale.
No primeiro destes tratados, ele diz: "O desejo de me instruir em Química
Hermética levou
me a percorrer várias cidades e províncias, para visitar o sábio, a fim de me
familiarizar com este
Ciência. Eu copiei e estudado, com muito cuidado e atenção, os livros que
tratam do mesmo, mas para um
muito tempo, eu não ter reconhecido o que avançar como verdadeiro. Estudei,
de novo, livros a favor e contra,
e eu fui incapaz de obter qualquer benefício deles. Eu conheci muitos cânones,
alguns aprenderam em
Física, alguns ignorantes, que interferiu nesta arte, a uma enorme despesa,
apesar de seus problemas,
seu trabalho e seu dinheiro, eles não conseguiram. Mas tudo isso não me
desanimar, eu comecei a trabalhar
mim mesmo, eu fiz as despesas, eu li, eu vi, eu ia de um lugar para outro, e eu
meditava
constantemente sobre estas palavras de Avicena: Se a coisa é, como é? se não
é, como não é? Então eu
trabalhou, eu estudei com perseverança, até que eu encontrei o que eu
procurado. Devo o meu sucesso à graça de
o Espírito Santo, que me iluminou, e não para o meu próprio conhecimento.
"Ele diz também em seu Treatise on
minerais (Lib. 3, c i.): "Não é a província de filósofos naturais de julgar a
transmutação de
corpos metálicos, bem como a mudança de um para o outro: esta pertence à
arte chamou Alquimia. Este
A ciência é muito certo, porque ele ensina a conhecer cada coisa por sua causa
peculiar, e não é
por isso difícil de distinguir de coisas acidentais mesmo as partes que não são
da sua natureza. "Ele
em seguida, acrescenta, no segundo capítulo do mesmo livro: "A matéria
primordial dos metais é a umidade,
oleosa, sutil, constituída e mesmo em grande parte misturada com a matéria
terrestre. "Ele fala como um filósofo,
e em conformidade com herméticos, como será visto mais adiante.
Arnaud de Villeneuve, Raymond Lully, seu discípulo, e Flamel, apareceu
pouco depois, o número
aumentou pouco a pouco, e esta ciência se espalhou por todo todos os reinos
da Europa. Na última
um século viu o Cosmopolita, d'Espagnet e Philalethes - sem dúvida, havia
muitos outros -
e alguns vivem em nossos tempos, mas o número é tão pequeno, ou esconder-
se tão bem, que eles
não pode ser descoberto. Esta é uma forte prova de que eles não procuram a
glória do mundo, ou pelo menos,
que temem os efeitos da sua perversidade. Eles são guardados na sua
expressão, bem como nas suas
escritos. Obras sobre o assunto aparecem de vez em quando, mas só é
necessário ter lido e
meditava sobre os dos verdadeiros filósofos, para perceber que estes se
assemelham a eles somente na
termos bárbaros e estilo enigmático, e não em tudo no principal. Seus autores
tinha lido bons livros;
eles citá-los muitas vezes, mas assim intempestiva como provar claramente,
tanto que eles não têm
meditava sobre eles, ou tê-lo feito, de forma a adaptar as expressões dos
Filósofos
para as idéias falsas que o preconceito tem colocado em suas mentes, em
relação às operações e da matéria,
e não, de modo a corrigir suas idéias dos autores que lêem. Estas obras de
falsa
Filósofos são inúmeras, todo mundo quis escrever, a maioria deles, sem
dúvida, a fim de encontrar
na bolsa da livraria um recurso, que de outra forma não-los, ou pelo menos
para fazer um nome,
que certamente não merecem. Um certo autor anteriormente expressou o
desejo de que alguns verdadeiro
Filósofo teria caridade suficiente para o público, a publicar uma lista dos bons
escritores sobre este
Ciência, de modo a evitar que muitos de ler com confiança o mau, que levá-
los ao erro. Olaus
Borrichius, o Dane, tinha indicado no final do século passado, um trabalho,
intitulado: Conspectus
Chymicorum celebriorum. Ele faz artigos separados em cada uma, e diz, de
forma prudente o suficiente, o que
ele pensa deles. Ele exclui um grande número de autores da classe dos
verdadeiros filósofos, mas
aqueles a quem ele dá como verdade - eles são, de fato, assim? Além disso, o
número é tão grande, que não se faz
sabe qual escolher, de preferência com os outros. Consequentemente, um será
envergonhado, quando
que desejam dedicar-se a si mesmo com este estudo. Eu preferiria tomar o
sábio conselho de d'Espagnet, que
ele dá nestes termos em seu Arcano Hermeticœ Philosophiœ Opus,
pode. 9. "Deixe um amante da verdade
fazer uso de alguns autores, mas a melhor nota e verdade experiente. "E
cânone 10," Quanto ao
autores da nota chiefest, que discorriam tanto aguda e verdadeiramente dos
segredos da Natureza e
Filosofia oculta. Hermès, (Emerald Table) e Morienus Romanus (Entretients
du Roi et Calid de
Morien), entre os antigos, são, na minha opinião, é a mais alta estima, entre os
modernos,
Conde Trevisan, (La Philosophie des Métaux, e sua Lettre à Thomas de
Boulogne), e Raimundus
Lullius estão em maior reverência com um, por que que o doutor mais aguda
vos omitido, nenhum quase

Page 23
A página de Arte Grande 23
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
falou, vamos, portanto, um aluno ler suas obras, sim, deixá-lo lido muitas
vezes sobre o seu ex-
Testamento e Codicilo, e aceitá-los como um legado de grande valor. Para
estes dois volumes deixar
ele adicionar seus dois volumes de Prática, do qual faz todas as coisas
desejáveis podem ser recolhidos,
especialmente a verdade da Primeira Matéria, dos graus de Fogo, eo Regime
do Todo, onde
O trabalho final é concluída, e as coisas que nossos antepassados tão
cuidadosamente trabalhado para manter em segredo.
(A maioria das obras de Raimundus Lullius, não aqui mencionadas, são piores
do que inúteis). "O ocultismo
causas, as coisas e os movimentos da Natureza secretos, são demonstrados em
nenhuma parte mais clara e
fielmente. Quanto ao primeiro e mística água dos filósofos, ele pôs-se
algumas coisas,
ainda muito sucintamente. "
Quanto a isso Clear Water procurado por muitos, encontrado por tão poucos,
no entanto, óbvio e rentável a todos,
que é a "base do trabalho dos filósofos, um polonês nobre, não mais famoso
por sua erudição de
sutileza da inteligência, que escreveu anonimamente, mas cujo nome, apesar
de uma dupla Anagram tem
traído, (O Cosmopolita. Ao d'Espagnet escreveu isso, o público ainda não
estava ciente de seu erro em
conta o autor deste livro, que Michael Sendivogius, um polonês, publicado
sob um anagrama de
seu nome, mas desde então tem sido dado a conhecer que ele recebeu o
manuscrito da viúva do
Cosmopolita. "), Tem em seu Novum Lumen Chymicum,
Parabola e Œnigma, como também em seu tratado sobre
Enxofre, falado em grande parte e livremente o suficiente, entretanto ele me
expressou todas as coisas que lhe dizem respeito tão claramente,
que nada pode ser mais satisfatório para ele que o conhecimento
desireth. (Pode
II
.) "
"Os filósofos, continua o mesmo autor, (can. 12)", costumam se expressar
mais sucintamente em
tipos e figuras enigmáticas, (como por uma espécie muda de discurso), do que
por palavras, ver, por exemplo,
Tabela do idoso, as imagens alegóricas de Rosarius, as imagens de Abraham,
o judeu em Flamel, e
os desenhos do próprio Flamel, do tipo mais tarde, os raros emblemas do mais
erudito Michael
Maiërus, em que os mistérios dos Antigos são tão totalmente aberta, e como
novas perspectivas que
apresentar a verdade antiquada e, embora projetado remoto da nossa idade,
ainda estão perto aos nossos olhos, e
são perfeitamente ser percebido por nós. "
8
Tais são os únicos autores elogiou por d'Espagnet, como estando além de
qualquer dúvida, competentes para
instruir em Filosofia Hermética, qualquer homem que deseja aplicar-se a
ele. Ele diz que é preciso
não estar contente com a lê-los uma ou duas vezes, mas deve lê-los dez vezes
ou mais, sem
tornando-se desencorajados, isto deve-se fazer isso com um coração puro,
livre da fadiga cuidados do
idade, com um objetivo fixo de usar o conhecimento desta ciência só para a
glória de Deus, eo
bem do próximo, para que Deus possa difundir sua sabedoria na mente e no
coração, porque a sabedoria, para
diz o Sábio, nunca vai morar num coração impuro e manchado com o pecado.
No entanto, d'Espagnet exige um conhecimento alargado de Física e, por essa
razão, vou colocar no
final do discurso, um tratado simplificado que irá conter os seus princípios
gerais, elaborado a partir da
Os filósofos herméticos, que foram recolhidos por d'Espagnet em
seu Enchyridion O herméticos.
Tratado, o que se segue é absolutamente necessário preparar o leitor a
compreender este trabalho.
9
Eu vou
adicionar citações de filósofos para mostrar que todos eles concordam com os
mesmos pontos.
O estudo da Física não podem ser demasiado altamente recomendado, pois a
partir dele que se aprende a conhecer o
princípios que a natureza emprega na composição e formação dos indivíduos
dos três
reinos, animal, vegetal e mineral. Sem esse conhecimento, pode-se trabalhar
às cegas, e
tentaria formar um corpo, desde que o que seria adequado apenas para formar
uma ou de outro género
espécie, totalmente diferente do proposto. Para o homem vem do homem, boi
de boi, planta de seu
própria semente, e de metal de seu próprio germe. Portanto, quem quiser
procurar, fora do metal
natureza, a arte e os meios de multiplicar ou de aperfeiçoar o metal seria
certamente um erro. Ainda
8
Tradução por W.Wynn Westcott, em Collectanea Hermética. Vol. 1, pp 13-14
9
Les Fables Egyptiennes et grecques dévoilées de que este trabalho é um
extrato.
EB

Page 24
A página de Arte Grande 24
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
devemos confessar que a natureza por si só não poderia multiplicar os metais,
assim como a arte hermética. É verdade que
os metais contêm dentro de si essa propriedade multiplicativa, mas eles são
maçãs arrancadas antes
seu vencimento, de acordo com Flamel. Os corpos perfeitos ou metais
(filosófica) contêm este mais
perfeito germe, mais abundante, mas que é tão obstinadamente ligado a eles,
que só Solution Hermética pode
retirá-la. Aquele que tem o segredo disso, tem o segredo da Magnum Opus, se
quisermos acreditar que a
Filósofos. É necessário, para ter sucesso, conhecer os agentes que a natureza
utiliza para reduzir
os Mixts aos seus princípios, porque cada corpo é composto de que em que
possa ser naturalmente
resolvido. Os princípios da Física, que seguem em pormenor, pode muito bem
servir como uma tocha para iluminar o
passos daquele que iria penetrar nos poços de Demócrito e não descobrir a
verdade, escondido no
mais grossas sombras. Por este bem é somente os enigmas, as alegorias, e
obscuridade, espalhados
durante as obras dos filósofos, que aprenderam com os egípcios, assim como
Demócrito,
não revelar os segredos da sabedoria.

Page 25
A página de Arte Grande 25
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
PARTE I
Princípios Gerais da Física
Conforme
Filosofia hermética.

Page 26
A página de Arte Grande 26
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Não é dado a todos penetrar no santuário mais íntimo dos segredos da
Natureza, muito poucos sabem o
caminho que conduz ao mesmo. Alguns, impaciente, errar por tomar
caminhos que parecem encurtar o caminho, outros acham,
em quase todas as etapas, encruzilhada que os deixam perplexos, levar para a
esquerda e para o Tártaro, em vez de
segurando a direita que levam para os Campos Elísios, porque eles não têm,
como Enéias, uma sibila por um
guiar. Outros não pensam ser confundido em seguir os caminhos mais batidos
e mais freqüentado. Ainda
todos percebem, depois de longos trabalhos, que, longe de ter alcançado seu
objetivo, elas têm ou passou por um
lado ou viraram as costas em cima dele.
10
Erros têm a sua origem no preconceito, bem como na falta de conhecimento e
instruções de som.
O verdadeiro caminho deve ser muito simples, pois não há nada mais simples
do que as operações da Natureza.
Mas, apesar de traçado por esta mesma natureza, é pouco freqüentada, e até
mesmo aqueles que passam nele fazê-lo
seu dever ciúmes para esconder seus passos com espinhos e cardos. Uma anda
lá só, através da
obscuridade de fábulas e enigmas, é muito difícil não errar, a menos que um
anjo da guarda tem o
tocha antes de nós.
11
Ele é, então, necessário conhecer Nature antes de empreender a imitar ela e
para aperfeiçoar o que ela tem
deixou no caminho para a perfeição. O estudo da Física nos dá esse
conhecimento, não de que o natural
filosofia das escolas, que ensina apenas especulações, e armazena a memória
com termos mais
obscura do que a coisa que se quer explicar. Física, alegando que para definir
claramente um corpo,
diz-nos que é uma composição de pontos, ou partes, de pontos que, levaram
de um lugar para outro, vai
linhas forma; estas linhas, reunidos, uma superfície, medida de onde e de
outras dimensões, a partir do
união das peças resultará um corpo e de sua separação, a
divisibilidade ad infinitum. Finalmente, tantos
outros raciocínios deste tipo, que são incapazes de satisfazer uma mente
curiosa para chegar a uma palpável
e conhecimento prático dos indivíduos que compõem este vasto Universo. É
de Química
Filosofia, que se deve recorrer. É uma ciência prática, fundada na teoria, a
verdade da
que a experiência tem provado.
12
Mas esta experiência é, infelizmente, tão rara que muitas pessoas duvidam
sua existência.
Na autores vão, pessoas de mente, de gênio, e muito sábios em outros
departamentos, quiseram
inventar sistemas, a fim de representar a nós, por uma descrição florido, a
formação eo nascimento do
mundo. Um deles é pego em turbilhões
13
o movimento muito rápido do que ter afastado, ele está perdido
com eles. Sua Materia Prima, dividido em partes sutis, ramous e globulosa,
nos deixou apenas um
assunto vazio para discussões artísticos, sem nos ensinar o que é a essência
dos corpos. Outro,
14
não
menos engenhoso, já pensou em submeter todos os cálculos, e imaginou
uma atração recíproca,
o que, no máximo, ajuda-nos a dar a razão para o movimento real do corpo,
sem dar
nos uma informação y quanto aos princípios de que as compõem. Ele sabia
muito bem que este
teria sido a reviver, sob um novo nome, as qualidades ocultas dos
Peripateticians,
15
banido
tanto tempo da Escola, também ele afirmou esta atração apenas como uma
conjectura, enquanto seus adeptos têm
fez seu dever de mantê-lo como uma coisa real.
10
"Por isso, eu não vou pisar um passo adiante sem um guia, pois teme ir de
novo para o Labirinto." (Collectanea
Hermética, editado pelo Dr. Wynn Westcott. Vol. III. Um Inquérito Curto Em
relação à Arte hermética, por um amante de Philalethea,
página 30).
11
"Este guia deve ser um homem muito sábio, indued com dons singulares: -
Ibid.
12
Consulte "Traité méthodique de Ciência Occulte", de Papus, p. 643, de provas
irrefutáveis sobre a possibilidade de o
Transmutação dos metais.
13
Teoria de Descartes, que ensinou que cada estrela era um dom que ocupa o
centro de uma corrente circulary imenso, dentro
que se movia cada planeta, isto o centro de uma corrente de interiores. Esses
redemoinhos, apesar de sua desigualdade em relação à
o espaço que ocupam, no entanto, são compensados pelos rapports existentes
entre o volume do corpo central e o
extensão da corrente.
EB
14
Newton.
15
Discípulos de Aristotole. Era costume para o Mestre para instruir seus
discípulos, enquanto caminhava com eles no país.
De Theis a etimologia da palavra Peripatetician, do grego para andar.

Page 27
A página de Arte Grande 27
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A cabeça de um terceiro autor, atingido pelo mesmo golpe com que sua
pretensa cometa atingiu o sol,
permitiu que seus ideais para tomar rotas tão irregular como aqueles que ele
fixa para os planetas, formado,
segundo ele, de peças separados por choque do "corpo ígneo" da estrela que
preside
do dia.
A imaginação de um Talliamed, e outros escritores semelhantes, são sonhos
que merecem apenas desprezo e
indignação. Finalmente, a todos aqueles que quiseram afastar o que Moisés
nos deixou em Gênesis,
ter-se perdido nos seus raciocínios vãos.
Deixe um não diz que Moisés quis fazer filósofos cristãos e não só. Instruído
por
a revelação do Autor da Natureza, bem versado em todas as ciências dos
egípcios, que eram
mais iluminados em todos aqueles que cultivamos hoje, que, mais do que ele,
poderia nos ensinar alguma coisa
certo quanto à história do Universo?
Seu sistema, é verdade, é muito adequado para fazer os cristãos, mas isso é
qualidade, o que está faltando na maioria dos
os outros, incompatíveis com a verdade? Tudo nele anuncia a grandeza, a
onipotência e
sabedoria do Criador, mas ao mesmo tempo, tudo o que se manifesta em nós a
criatura, tal como ele é.
Deus falou e tudo foi feito: Dixit et facta sunt, (Gen.
Eu
). Isso foi o suficiente para os cristãos, mas não para
Filósofos. Moisés acrescenta onde esse mundo foi derivado; que ordem
aprouve ao Supremo
Sendo colocar na formação de cada reino da Natureza. Ele faz mais: ele
declara positivamente
Qual é o princípio de tudo o que existe, e que dá vida e movimento a cada
indivíduo.
Que ele pudesse dizer mais em tão poucas palavras? Pode-se exigir que ele
deve descrever o
anatomia de todas as partes desses indivíduos, e se ele tivesse feito isso, seria
um ter tido mais fé em
ele? Uma pretende estudar, e isso porque ninguém duvida. Um dúvidas
através de I
GNORANCE
E, em
tal fundamento o sistema pode erguer uma que não vai cair em breve em
ruínas?
O homem sábio não poderia melhor designar esse tipo de arquitetos, esses
fabricantes de sistemas, que por
dizendo que Deus tem dado ao longo do Universo a seus raciocínios
vãos, (Eclesiastes cap. III, v
II
). Digamos
Mais: não há ninguém, versados na ciência da natureza, que não reconhece a
Moisés como um homem
inspirado por Deus, como um grande filósofo e um verdadeiro
físico. Descreveu a criação do
Mundo e do homem com tanta verdade como se tivesse assistido em
pessoa. Mas vamos confessar, ao mesmo
tempo, que seus escritos são tão sublime, que não estão dentro da
compreensão de todos, e que os
que combatê-lo, fazê-lo porque não entendê-lo, porque as sombras da
ignorância
cegá-los, e os seus sistemas são apenas sonhos loucos de cabeça inflados com
vaidade e doentes com
demasiada presunção. Nada mais simples do que a física. Este assunto,
embora muito complicado
Aos olhos dos ignorantes, tem apenas um único princípio dividido em partes,
alguns mais sutis do que os outros.
As diferentes proporções empregadas na mistura, a reunião e combinações das
mais sutil
peças com aqueles que são menos assim, formar todos os indivíduos da
Natureza, e como essas combinações são
quase infinito, o número de Mixts
16
ou compósitos também é infinita.
17
Deus é um ser eterno, uma unidade infinita, o princípio radical de todos: a sua
essência é uma grande luz;
Seu poder é onipotência, Seu desejo uma boa perfeita, Sua vontade absoluta
de um trabalho realizado. A
quem sabe mais, resta apenas espanto, admiração, silêncio e um
abismo impenetrável de glória. Antes da criação, Ele era como se dobrado em
si mesmo e suficiente para
Si mesmo. Na criação, Ele trouxe esta grande obra, que tinha concebido por
toda a Eternidade. Ele
desenvolveu a Si mesmo por uma extensão de manifesto de si mesmo, e
tornou realmente o material deste ideal
mundo, como se ele tivesse desejado para tornar palpável a imagem de sua
divindade. Isto é o que a Hermès tem
quis nos fazer entender, quando ele diz que Deus mudou de forma: que então
o mundo foi
16
Adotamos esta ortografia para designar, sem confusão, os corpos formados
pela ASSOCIAÇÃO de diferente
elementos; Mixts são o que a química moderna chama de substâncias,
compostos ou compósitos. - EB
17
Fenômenos em corpos materiais e em corpos orgânicos têm condições para os
mesmos elementos ea mesma elementares
propriedades. Ele é a complexidade do arranjo que faz a diferença. - C
LAUDE
B
ERNARD
.

Page 28
A página de Arte Grande 28
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
manifestada e transformada em Luz, (Divine Pymander, cap.
Eu
). Parece provável que os antigos
entendido algo assim, pelo nascimento de Pallas, a emissão do cérebro de
Júpiter, com o auxílio
de Vulcan, ou Light.
Não menos sábio em suas combinações de poderoso em suas operações, o
Criador estabeleceu como
ordem na massa orgânica do Universo, que as coisas superiores são
misturados, sem confusão com
os inferiores, e tornar-se semelhante a eles por certa analogia.
18
Os extremos estão intimamente ligados
por uma média imperceptível, ou um nó sagrado,
19
de que Workman adorável, de modo que tudo obedece a
direção do Supremo Moderador, enquanto que a ligação entre as diferentes
partes pode ser quebrado apenas por Ele
que combinou-los. Hermès estava certo em dizer que "o que está embaixo é
como o que está
acima, a fim de aperfeiçoar todas as coisas admiráveis que vemos
", (Tabula Smaragdina).
Da Primeira Matéria
20
Alguns filósofos têm suposto uma questão existente antes dos elementos;
21
como não houve
compreendê-lo, eles têm falado sobre isso de uma forma muito
obscura. Aristóteles, que parece ter
acreditavam que o mundo eterno, fala de uma primeira matéria universal, mas,
sem se atrever a enredar
se nos enrolamentos escuras das idéias que ele tinha dela, ele manifestou-se
em relação a ele
de um modo muito ambíguos. Ele considerou como o princípio de todas as
coisas sensíveis, e parece
deseja dar a entender que os elementos foram formados de um tipo de
antipatia, ou repugnância, que era
encontrado entre as partes desta matéria, (d e Ortu et Interitu BII, cap. 1-
2). Ele teria fundamentado
melhor, se tivesse visto apenas simpatia e harmonia perfeita, uma vez que se
vê sem oposições no
próprios elementos, embora normalmente se pensa que o fogo se opõe à
água. Não seria
enganado, se ele percebeu que esta pretensa oposição vem somente do
objetivo de suas qualidades e
a diferença de subtileza das suas partes, desde que não haja água sem fogo.
Thales, Heráclito, Hesíodo, consideraram a água como a Matéria de
coisas. Moisés aparece,
(Gênesis, Cap. 1.), Para favorecer essa idéia, dando os nomes Abyss e água a
esta primeira matéria, não
que compreendia água como o elemento que beber, mas, como uma espécie de
fumo, de um vapor húmido,
espesso e escuro, que é condensado, mais ou menos, de acordo com a maior
ou menor densidade do
coisas que aprouve ao Criador para formar a partir dele. Esta névoa, este
imenso vapor, foi condensado
ou rarefeita em Água caótico universal, o qual tornou-se assim o princípio de
tudo, para o presente e
para o futuro, (Cosmop. Trato 4).
Em seu início esta água era volátil, como uma névoa; condensação feita de
uma questão mais ou menos
corrigidos. Mas tudo o que pode ter sido o assunto, o primeiro princípio das
coisas, que foi criado em
sombras muito grossas para a mente humana para ver claramente. Apenas o
Autor da Natureza sabe disso, e em
teólogos e filósofos vão querer determinar o que era, no entanto, é muito
provável que
esse abismo escuro, este caos, era uma solução aquosa, ou úmido, matéria,
uma vez que seria mais facilmente rarefeito
e condensado, e, consequentemente, mais apropriados, devido a estas
qualidades, a construção de
o céu ea terra.
18
O dogma fundamental da Ciências Ocultas é retomada no conhecido aforismo:
"A harmonia resulta da
analogia dos contrários "-. EB
19
Este vínculo secreto, unindo em uma triunidade todos os opostos, seja físico
ou metafísico, constitui o G
RAND
A
RCANUM
, O Solvente Universal dos Alquimistas. - EB
20
A primeira matéria ou Materia Prima, ou Hyle, é o Éter Cósmico, o Grand
Telesma da Hermès. O alquímico
Teorias são fundadas sobre a unidade da matéria, os Artífices reconhecido,
mas um elemento Cósmica, um absoluto química que
deram o nome de Azoth. O dogma da unidade da matéria, depois de ter sido
rejeitado pela química moderna, está agora novamente
atraindo a atenção dos cientistas. A unidade da matéria foi simbolicamente
representada por uma serpente que morde a cauda, o círculo
sendo o hieroglífica da continuidade da transformação material através de uma
progressão gradual imperceptível.
EB
21
. In Filosofia hermética, os elementos significa que certas condições em que
os corpos se encontram: eles são os equivalentes de
Sólido, líquido, gasoso, etc

Page 29
A página de Arte Grande 29
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A Sagrada Escritura chama essa massa informe, por vezes vazio Terra e, por
vezes, Água,
embora tenha sido, na verdade, nem um nem o outro, mas apenas em
potência. Seria, portanto, ser
admissível a conjectura de que poderia ter sido quase como fumaça ou vapor
grosso, estúpido e inerte,
entorpecido por uma espécie de frio, e sem ação, até que a mesma Palavra que
criou este vapor, infundido em
é um espírito vivificante, que se tornou visível e palpável pelos efeitos que
produziu.
A separação das águas acima do firmamento das águas abaixo, da qual se faz
menção
em Gênesis, parece ter sido feito por uma espécie de sublimação do mais sutil
e mais tênue
peças, das que foram menos, quase como numa destilação, onde o aumento de
espíritos e separada
a partir das partes mais pesadas, mais terrestres, e ocupam a parte superior do
vaso, enquanto que as mais grosseiros
permanecem no fundo.
Esta operação poderia ter sido feito apenas com a ajuda de que o espírito
luminoso que foi infundido em
a massa. Para a luz é um espírito ígneo, que, agindo sobre este vapor, e nele,
prestado algumas partes
mais pesado por condensação, e opaco por sua adesão mais próximo, o
espírito dirigi-los para o
região inferior, onde ficavam as sombras em que foram enterrados em
primeiro lugar.
22
As partes mais
tênue, e que havia se tornado mais e mais homogênea pela uniformidade de
sua tenuidade e
pureza, foram elevados e pressionou para a região superior, onde, sendo
menos condensada, eles
permitida uma passagem mais livre para a Luz, que se manifestou em todo o
seu esplendor.
O que prova que o abismo escuro, o caos, ou primeira matéria do mundo, era
uma solução aquosa e
massa úmido, é de que, além das razões que trouxeram para a frente, temos
um exemplo palpável
sob os nossos olhos. A propriedade de água é para ser executado, ao fluxo,
enquanto anima de calor e mantém no seu
estado fluido. A continuidade dos corpos, a adesão das suas peças, é devido ao
humor aquoso. É
a Ciment que une e vincula as partes elementares de corpos. Assim, desde que
ele não é separado
los totalmente, eles preservar a solidez de sua massa. Mas se o fogo aquece
estes corpos para além do
grau necessário para a sua conservação no seu estado de ser real, ele vai
embora, rarefaz esta
humor, faz com que evapore, eo corpo é reduzido a pó, porque o vínculo que
une a sua
partes não existe mais.
Calor é o instrumento que o fogo emprega em suas operações, que ainda
produz por este meio de dois
, efeitos opostos na aparência, mas conforme às leis da Natureza, e que
representa para nós que
que teve lugar na desarticulação do caos. Ao separar o mais ténue, a maioria
parte mais húmida do terrestre, calor rarefaz o primeiro e o segundo
condensa. Assim, pela
separação da heterogénea, é feita a união da homogénea.
Na verdade, vemos no mundo só água, mais ou menos condensado. Entre o
céu ea terra,
tudo é fumaça, névoa, vapores, pressionado a partir do centro, o interior da
terra, e elevada, acima de sua
circunferência na parte que chamamos de ar. A fraqueza dos órgãos de nossos
sentidos não permite
nos a ver os vapores sutis, ou emanações dos corpos celestes, que chamamos
de influências, e que
misturam-se com os vapores sublimando dos corpos sub-lunares. Os olhos da
mente deve ajudar o
fraqueza dos olhos do corpo.
Em todos os momentos corpos exalar um vapor subtil, que se manifesta mais
claramente no verão. O aquecimento
sublima ar em vapores das águas, e atrai para si. Quando, depois de uma
chuva, os raios do
feixe do sol sobre a terra, vê-se que fumar e expirar-se em vapor. Esses
vapores pairar no ar
a forma de nevoeiros, quando eles não sobem muito acima da superfície da
terra, mas quando montar a
região centro, vê-los flutuar, aqui e ali, em forma de nuvens. Em seguida, eles
são resolvidos em
chuva, neve, granizo, etc, e cair para retornar à sua origem. O trabalhador
sente-se isso para o seu grande
22
Esta Luz Universal, quando considerada particularmente como agente de
formação de metal principal, é chamado de
Zoth
Ou Sophic
Mercúrio. É o menstrum, o Solvente Universal, o vínculo de união, ou, em
termos menos místicos, o Éter Cósmico dinamizado.
De Guaita

Page 30
A página de Arte Grande 30
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
inconveniente, quando ele trabalha vigorosamente. Mesmo o homem ocioso
sente em grande calor. O corpo
transpira sempre, ea transpiração, que muitas vezes vai da testa manifesta esta
suficientemente.
Aqueles que aceitaram as idéias fantásticas dos rabinos, que acreditava que
existia, antes
esta primeira matéria, um determinado princípio, mais antiga do que a que
eles têm dado muito mal
o nome do Hylé
23
. Era menos um corpo de uma imensa sombra, menos uma coisa, que um
muito obscuro
imagem de uma coisa, o que se poderia chamar, em vez de um fantasma
sombrio do ser, uma noite muito negra ea
retiro ou centro de sombras, enfim, uma coisa que só existe em potência, e que
o ser humano
mente poderia imaginar apenas em um sonho. Mas mesmo a imaginação pode
representar para nós, apenas como um homem
cego de nascença representa a si mesmo a luz do sol. Estes devotos dos
rabinos acharam por bem dizer
que Deus fez com que o Primeiro Princípio um sombrio, abismo sem forma
como a matéria a partir da qual seria
derivado dos elementos e do mundo. Mas, finalmente, tudo anuncia-nos que a
água era o primeiro
princípio das coisas.
O Espírito de Deus que pairava sobre as águas (Gênesis, cap.
Eu
), Era que o instrumento a
Supremo Arquiteto usado, para dar forma ao Universo. É luz difusa
instantaneamente, reduziu de latente
à existência real os germes das coisas, até este momento confuso em caos, e,
por uma constante
alternância de coagulações e resoluções, que mantém todos os indivíduos
espalhados por toda a massa;
que anima cada parte dela, e por uma operação contínua e secreto, dá
movimento a cada
individual, de acordo com o gênio e as espécies a que a designou. É,
propriamente falando,
a alma do mundo, e quem ignora ou nega, ignora as leis do Universo.
Da Natureza
Para este primeiro motivo ou princípio de geração e de transformação está
ligado a um segundo material,
a que damos o nome de Natureza. O olho de Deus, sempre atenta ao seu
trabalho, é, propriamente
falando, a própria Natureza, e as leis que Ele colocou para sua preservação,
são as causas de tudo
que ocorre no Universo. A natureza que temos chamado apenas de um
segundo material
motivo, é uma natureza secundária, um servo fiel que obedece exatamente a
ordem do seu Mestre,
(Cosmopol. Tract. 2), ou um instrumento guiado pela mão de um trabalhador,
incapaz de fazer uma
erro. Desta natureza, ou segunda causa, é um Espírito Universal, que tem um
vivificante e adubação
propriedade da Luz, criado no início e comunicada a todas as partes do
macrocosmo.
Zoroastro e Heráclito tê-lo chamado um espírito ígneo, um fogo invisível,
e "Alma do
. World "É disso que Virgílio fala quando diz: (Eneid. I. 6): desde o início,
uma certa ígnea
espírito infundido ao céu, a terra eo mar, a lua eo Titã, ou corpos terrestres -
isto é, os minerais e os metais, a qual deu os nomes dos planetas. Este Espírito

-lhes a vida e os preserva. A alma, difundida através de todo o corpo, dá
movimento a toda a massa
e para cada uma das suas partes. De onde vêm todos os tipos de seres vivos,
quadrúpedes, aves, peixes. Este
Espírito ígnea é o princípio de seu vigor, sua origem é celestial, e é-lhes
comunicado
através do germe que as produz.
A ordem que reina no Universo é apenas uma consequência das leis
eternas. Todo o
movimentos das diferentes partes da sua massa deles dependem. Natureza
formas, altera e
desintegra-se continuamente, e seu moderador, presente em toda parte, os
reparos continuamente o
transformações do trabalho.
23
Palavra derivada do grego ( ¸, e que significa floresta, caos, confusão. É
também o nome dado pelos alquimistas
à questão da Pedra Filosofal. - Pernety, em Dict. Mytho-Herm., P. 205.

Page 31
A página de Arte Grande 31
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Pode-se dividir o mundo em três regiões
24
, Ao superior, o médio eo inferior. O
Filósofos herméticos para dar o primeiro nome de EU
NTELLIGIBLE
, E dizer que é espiritual,
imortal ou imutável, que é a região mais perfeito.
O Oriente é chamado C
Elestial
: Ele encerra corpos menos perfeitos e uma quantidade de espíritos. É
necessário notar que os filósofos não entendem por esses espíritos, imaterial
ou angelical
espíritos, mas espíritos simplesmente físicas, tais como o espírito ígneo
espalhados por todo o Universo, tais
é também a espiritualidade de sua região superior. Esta região estar no meio,
participa do
caráter tanto do superior e inferior. Ele serve como um meio para unir estes
dois extremos e, como
o canal através do qual os espíritos vivificadoras que animam todas as partes
da região inferior são
comunicada. É apenas sofrido alterações periódicas.
A Inferior ou E
LEMENTARY
, Contém todos os corpos sublunares. Ele recebe dos outros dois
espíritos vivificantes apenas para devolvê-los. É por isso que tudo está
mudado, tudo está corrompido, tudo morre, não há
geração que não é precedida pela corrupção e nenhum nascimento que não é
seguido por morte.
Cada região está sujeita e dependente de um superior a ela, mas agem em
conjunto. O
Sozinho criador tem o poder de aniquilar os seres, como só Ele tem o poder de
desenhá-los
do nada. As leis da natureza não permitem que o que tem o caráter de ser, ou
substância, deve ser submetido a aniquilação, o que causou a dizer
Hermes, (Pymand.), que
nada morre neste mundo, mas que tudo passa de um estado de ser para
outro. Cada Mixt é
composta por elementos, e resolve, finalmente, para os mesmos elementos,
por uma rotação contínua, como foi dito
Lucrécio:
Huic accedit uti quicque em SUA corpora rursum
Dissolvat natura; neque ad nihilum interimat res.
Existia, então, no início, dois princípios: o luminosa, aproximando-se da
natureza espiritual;
o outro material e escuro. O primeiro, o princípio da luz, de circulação e de
calor, o segundo, o
princípio de sombras, de torpor e de frio, (Cosmopol. Trato eu.), o primeiro,
ativo e masculino;
o último, passivo e feminino. Do primeiro vem o movimento para a geração
em nossa primária
mundo e, a partir do segundo produto da alteração, a morte de onde tomou a
sua origem.
Todo o movimento é feito por rarefação e condensação, (Beccher, Physica
Subterranea). O calor, o
efeito da luz sensível ou insensível, é a causa de rarefacção e frio produz
contracção ou
condensação. Todas as gerações, vegetações e acréscimos são feitos somente
por esses dois meios, porque
estes são os dois primeiros disposições por que os corpos foram afetados. A
luz é difundida apenas pela
rarefação e condensação, que produz a densidade dos corpos, por si só tem
preso o progresso
de luz, e preservou as sombras.
Quando Moisés disse que Deus criou os céus ea terra, ele parece ter querido
falar de
os dois princípios formais e materiais, ou ativa e passiva, o que temos
explicado, e ele faz
não parecem ter entendido pela terra, que a massa árido que apareceu depois
que as águas eram
separado dela. Isso que Moses fala é o princípio de que todos os materiais de
que existe e
compreende o mundo terra-aqua-Aerian. O outro tomou o nome de sua secura,
e tendo em vista
para distingui-lo da massa de águas: et vocavit Deus aridam terram,
congregationesque
aquarum maria, (Gênesis, cap.
Eu
).
O Ar, Água e Terra são apenas a mesma matéria, mais ou menos tênue e
subutilizados, em
proporção que é mais ou menos rarefeito. A Air, como o princípio rarefação
mais se aproximando, é o
24
Essas três divisões são idênticas com aquelas adotadas pelos cabalistas, que
dividem o universo em três mundos:
Arquetípica, Astral e Elemental.
EB

Page 32
A página de Arte Grande 32
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
mais sutil, a água vem em seguida, e então a Terra. Como o objeto que eu
tenho, em dar estes abreviada
Princípios da Filosofia Natural, é apenas para instruir os amadores de
hermetismo, eu não vou entrar em
os detalhes da formação das estrelas e os seus movimentos.
Da luz e seus efeitos
Claro, depois de ter actuado sobre as partes da massa escura, que estavam
mais próximos a ele, e tendo
rarefeita-los mais ou menos proporcional à sua distância, finalmente penetrou
até ao centro, em
a fim de animá-lo em sua totalidade, para fertilizá-lo, e fazê-lo produzir tudo
aquilo que o Universo
apresenta aos nossos olhos. Assim aprouve a Deus para corrigir a sua fonte
natural do sol, mas sem recolher-lo
existe inteiramente. Parece que Deus desejou para estabelecê-lo como o único
distribuidor da luz, a fim de que
a luz criada por um Deus único, próprio da Luz increate, devem ser
comunicadas às criaturas
por um único agente, como se a indicar-nos a sua primeira origem.
Deste tocha luminosa todos os outros emprestar a sua luz eo brilho que
refletem sobre
nós, porque sua matéria compacta produz em relação a nós o mesmo efeito
que um polido esférica
massa, ou um espelho em que os raios do sol de outono. Devemos julgar de
corpos celestes como da lua,
em vista que só nos revela solidez e uma propriedade comum a organismos
terrestres de interceptar
os raios do sol, e de produzir sombra, que a propriedade pertence somente a
corpos opacos. Um
não devemos concluir que as estrelas e os planetas não são corpos
transparentes, uma vez que as nuvens, que
são apenas vapor de água, também fazer uma sombra interceptando os raios
solares.
Alguns filósofos têm chamado o sol a alma do mundo, e supôs que colocou no
meio do Universo, pois seria mais fácil para ele se comunicar em qualquer
lugar suas influências benignas
a partir de um centro. Antes de tê-las recebido a Terra estava em uma espécie
de ociosidade, ou como uma mulher sem
o macho. Assim que foi impregnado por eles, produziu vegetação
imediatamente, não é simples como
seres anteriormente, mas animado e vivo, animais de todas as espécies.
Assim, os animais eram o fruto da luz, e com todas o mesmo princípio, como
eles poderiam,
de acordo com a opinião comum, ser antipático e contraditório? É a partir de
sua união que todos
corpos são formados de acordo com as suas espécies diferentes, e a sua
diversidade surge somente a partir da maior
ou menos proporção de cada elemento na sua composição.
The First Light tinha espalhado os germes de coisas na matriz que estava apto
para cada uma, a de
o sol fertilizado e os fez germinar. Cada indivíduo preserva dentro de si uma
acender da luz, o que reduz os germes de latência em atividade. Os espíritos
dos seres vivos são
levantadas desta Luz, ea alma do homem é um raio, ou emanação, da Luz
increate. Deus, que
eterno, infinito, Luz incompreensível, Ele poderia manifestar-se para o
mundo, exceto pela luz?
e deve-se ser surpreendido se ele infundiu tantas belezas e virtudes à Sua
imagem, que ele
formou a Si mesmo, e em que Ele estabeleceu o seu trono: Na única posuit
tabernaculum
suum, (Salmo 18).
Of Man
Deus na materialização mesmo, a falar assim, pela criação do mundo, não
acho que era
o suficiente para ter feito tais coisas bonitas, Ele desejava colocar sobre ela o
selo de Sua divindade, e
manifestar-se ainda mais perfeitamente com a formação do homem. Para este
fim, Ele o fez em Sua
da imagem, e em que do mundo. Ele deu-lhe uma alma, uma mente e um
corpo, e destas três coisas,
unidos no mesmo assunto, Ele constituiu a humanidade.

Page 33
A página de Arte Grande 33
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Ele compôs este corpo de uma argila extraída a substância mais pura de todas
as instâncias criadas. Ele desenhou
sua mente de tudo o que há de mais perfeito na natureza, e deu-lhe uma alma
feita por uma espécie de
extensão de si mesmo. É Hermès que fala: "Mens, ó Tat, ex propria essência
Dei est Aliqua
siquidem est Dei essência. Qualiscumque tamen ille sentar, hœc ipsum sola
absoluta novit. Mens Itaquê
ab essentiœ Dei habitu non est prœcisa: Quin etiam Velut diffusa, solis
splendoris instar. Hœc autem
mens em hominibus quidem Deus est; EA de Causa homines dii sunt, ac
ipsorum humanitas divinitati
confinis est "(Pymand., cap.II.) O B
ODY
representa o mundo sublunar, composto por Terra e
Água, é por isso que ele é composto de osso seco e úmido, ou, de carne e de
sangue.
O M
IND
,
25
infinitamente mais sutil, ocupa o lugar intermediário entre a alma eo corpo, e
serve como um elo para uni-los, porque se pode juntar dois extremos apenas
por uma média. É isto que pelo
sua virtude ígnea, vivifica e move o corpo, sob a direção da alma, da qual é o
ministro, às vezes, rebelde às suas ordens, ele segue suas próprias fantasias e
inclinações. Representa
o firmamento, as partes constituintes que são infinitamente mais sutil do que
os da Terra e
Água.
Por último, o S
OUL
é a imagem de Deus, ea Luz do Homem.
O corpo tira a sua nutrição da substância mais pura dos três reinos da
Natureza, que
passar, sucessivamente, de um para o outro para terminar no homem, que é o
complemento, a extremidade e o
epítome.
Depois de ter sido feito de terra e da água, que pode ser alimentado apenas por
uma substância análoga, que é
dizer Água e Terra, e não poderia deixar de resolver para eles.
A mente é alimentada pelo Espírito do Universo e pela quintessência de tudo
o que
constitui-lo, porque ele foi feito a partir dele. A alma do homem se comunica
com a Luz divina
da qual deriva a sua origem.
A preservação do corpo é confiada para a mente. Ele funciona sobre o
alimento bruto que
tomar a partir de vegetais e de animais, nos laboratórios do interior do
corpo. Ele separa o puro
do impuro, que mantém e distribui, através dos diferentes sistemas
circulatórios, a quintessência
análogo àquele a partir do qual foi feito o corpo, a fim de aumentar o seu
volume, ou para manter
ele, que rejeita o impuro e heterogênea por meio destinadas para esta
finalidade.
É o verdadeiro Um
RCHEUS
26
da Natureza, que van Helmont (Traité des Males), supõe colocado em
o orifício do estômago, mas que ele parece não ter tido uma idéia clara, uma
vez que ele falou de
isso de uma maneira tão confusa que é quase ininteligível.
27
Este Archeus é um princípio ígneo, o princípio do calor, do movimento e da
vida, que anima
corpos e preserva a sua maneira de ser tão longo como a fraqueza dos seus
órgãos, o permitam. Ela é nutrida
por princípios análogos a si mesmo, que atrai continuamente pela respiração: é
por isso que a morte
sucede a vida quase imediatamente quando a respiração é interceptado.
25
O Pernety chama M
IND
respostas para o Corpo Astral dos cabalistas, o "perispírito" dos espíritas,
equilibriating
prazo entre o corpo material eo espírito puro. É o HVR Ruah, da Cabala,
o Linga Sharira de Eastern
Filosofia.
EB
26
Físicos e filósofos particularmente Espagíria chamam isso de agente universal
e particular, é o que induz
movimento na Natureza e faz com que as sementes e os germes de todos os
seres sublunares se reproduzir e multiplicar sua espécie.
Pernety em Dict. Myth.Herm.
27
O leitor vai descobrir aqui, que através da forma envergonhada em que
Pernety se expressa aqui, que o
A
RCHEUS
é que a mesma força nervoso central (?), que está concentrado no plexo solar,
que parte do nosso organismo que é o
teatro da vida oculta do iniciado.
EB

Page 34
A página de Arte Grande 34
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
O corpo é por si só um princípio de morte, análoga à massa amorfa, frio e no
escuro, a partir
que Deus formou o mundo. Ele representa sombras. A mente é derivado e
participa de
esta matéria, animada pelo espírito de Deus, que no início se movia sobre as
águas, e que
pela sua luz difusa, infundida na massa que o calor, o produtor do movimento
e da vida em toda a natureza, e
fertilizar que força, o princípio da geração, que fornece a cada um dos meios
de
multiplicando suas espécies.
Infundido no útero com o germe que ela anima, ele trabalha lá para formar e
aperfeiçoar o
habitação, que é habitar, de acordo com a qualidade dos materiais de
decoração, o geográfica
condições ea especificação da matéria. Se os materiais são de boa qualidade, o
edifício será
mais sólido, o temperamento forte e mais vigoroso. Se eles são ruins, o corpo
será mais fraco,
e menos apto a resistir aos assaltos perpétuas que terão de sustentar enquanto
ela existir. Se o
a matéria é suscetível de uma organização mais perfeita, a mente será capaz de
exercer a sua acção com
toda a liberdade e facilidade possível. Então a prole que vai proceder a partir
dele será mais alerta, e
a mente vai se manifestar nas ações da vida com mais brilho. Mas se algo está
querendo, se
o assunto é grave e terrestre, se essa mente é fraco em si mesmo, por causa de
sua pouca força ou
quantidade, os órgãos vão estar com defeito, ou viciada, a mente só pode
trabalhar debilmente em sua morada, o
progênie será mais ou menos estúpido. A alma que será infundida, não será
menos perfeito,
mas seu ministro, sendo capaz de exercer as suas funções com dificuldade -
por causa dos obstáculos
que encontra a cada passo - não aparecerá em todo o seu esplendor e não será
capaz de se manifestar
tal como é. A cabine de um camponês, mesmo a casa de um comerciante, não
iria anunciar a morada de um
rei, mas um rei deve fazer sua morada lá. Em vão, ele tem todas as qualidades
necessárias para
reinar gloriosamente, em vão será seu ministro ser inteligente e capaz de
ajudar o seu soberano, se o
constituição do Estado é ruim, se eles não podem comandar a obediência, se
não há remédio, o estado
não será esplêndida, tudo vai dar errado, tudo vai diminuir, mas vai para a sua
destruição sem que uma seja
capaz de negar a existência do soberano, ou culpá-lo pela falta de glória e
esplendor. Um
vai render, até mesmo para o rei e seu ministro, a justiça que lhes é devido.
Assim se vê por que razão se manifesta em crianças apenas em uma certa
idade e, em alguns mais cedo do que em
outros, por isso que, na proporção em que os órgãos estão enfraquecidos, a
razão parece estar enfraquecido também:
Corpus quod corrumpitur agravante animam, et terrena inhabitatio deprimit
sensum Multa
cogitantem (Sap. eu.) um certo tempo é necessário para que os órgãos sejam
fortalecidos e aperfeiçoados. Eles
são finalmente consumidos, eles caem em decadência e são
destruídos. Mesmo que o Estado estava em seu ponto mais alto
grau de glória, se ele começa a declinar, se a sua destruição é inevitável, o rei
e seu ministro, com
todo o cuidado e aptidões possível, poderá, no máximo, apenas para fazer de
vez em esforços de tempo,
que irá se manifestar seus talentos, mas que não será suficiente para prender a
ruína do Estado.
Howsoever pouco um homem inteligente, olha para si mesmo, e faz com que
a análise da sua composição,
ele vai logo reconhecer esses três princípios de sua humanidade, realmente
distintos, mas unidos em uma única
individual, (Nicolas Flamel, Explicação dos Números, cap. 7).
Deixe os pretensos fortes, mentes, os materialistas, ignorantes e pouco
acostumado a refletir seriamente,
consideram-se de boa fé, e siga passo a passo esse pequeno detalhe do
homem, e que em breve
reconhecer o seu erro ea fraqueza de seus princípios. Eles vão ver que sua
ignorância provoca
los para confundir o rei com o ministro, e os sujeitos, a alma com a mente eo
corpo.
Por fim, que um príncipe é responsável tanto por suas próprias ações e as de
seu ministro, quando este
age por sua ordem, ou com o seu consentimento e aprovação.
Solomon confunde os erros dos materialistas de seu tempo, e ensina-nos ao
mesmo tempo que
eles fundamentado estupidamente como os de nossos dias: -
"Eles têm, segundo ele, (Sap. c 2.), Falado como loucos que pensam que o
mal, e disse: -

Page 35
A página de Arte Grande 35
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
"Nossa vida é curta e tedioso, e na morte de um homem não há remédio: nem
estava lá
um homem conhecido por ter retornado do túmulo.
"Para nós nascemos em tudo aventura, e seremos daqui por diante como se
nunca tivéssemos sido, por
a respiração em nossas narinas é como fumaça, e uma pequena faísca, no
movimento do nosso coração:
"Que, sendo extinta, o nosso corpo deve ser transformado em cinzas, e nosso
espírito deve desaparecer como
o ar suave. . . .
"Vamos, portanto, vamos aproveitar as coisas boas que estão presentes, e
vamos rapidamente usar a
criaturas, como que na juventude. . . .
"Essas coisas que eles fizeram imaginar, e foram enganados: de sua própria
maldade cegou
eles.
"Quanto aos mistérios de Deus, eles sabiam que eles não: nem esperava que o
salário do
justiça, nem discernir uma recompensa para as almas inocentes.
"Porque Deus criou o homem para ser eterno, e fê-lo a ser uma imagem de sua
própria eternidade."
Vê-se claramente neste capítulo, a distinção entre a mente ea alma. O primeiro
é um ígnea
vapor, uma faísca, um fogo que dá à vida animal e movimento de corpos, e
desaparece no ar quando
os órgãos são destruídos. A alma é o princípio das ações da vontade e da
razão, e
sobrevive à destruição do corpo e a dissolução da mente.
Consequentemente, este capítulo explica estas palavras do mesmo
autor, (Ecclesiast. cap III, v. 19).:
"Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais, mesmo lhes
sucede; como o
morre um, assim morre o outro, sim, todos têm o mesmo fôlego, de modo que
um homem não tem preeminência sobre a besta:
porque tudo é vaidade. "Este vapor ígneo, essa centelha de luz anima o corpo
do homem e coloca em jogo
todos os seus recursos. Em vão procurar um lugar especial onde a alma faz a
sua residência,
enquanto ele comanda como mestre. É a morada particular deste espírito que
seria necessário
buscar, mas em vão que um desejo para determiná-lo. Todas as partes do
corpo são animados por ele, é
difundida por toda parte. Se a pressão da glândula pineal,
28
ou o corpo caloso, prisões a ação da
Neste espírito, não é porque ele mora lá em particular, mas porque os recursos
que o espírito
emprega para colocar em jogo a máquina, termina aí mediata ou
imediatamente. Sua ação é dificultada pela
essa pressão, eo espírito, embora difundido em todos os lugares, não pode
mais fazê-los agir.
A tenuidade desse vapor ígneo é grande demais para ser visível aos sentidos,
exceto por seus efeitos.
O ministro de Deus e da alma do homem, segue-se nos animais apenas as
impressões e as leis
que o Criador que lhe é imposta, a fim de animá-los, dar-lhes o movimento
conforme a sua espécie. Ela acomoda-se a todos e é especificado no homem e
nos animais
de acordo com os seus órgãos. De onde vem a conformidade que é perceptível
em um grande número de
ações de homens e animais. Deus usa-lo como um instrumento por meio do
qual os animais vêem, provam,
cheirar e ouvir. Ele constituiu-lo sob suas ordens o guia de suas ações. Ele
especifica em
cada um deles de acordo com as diferentes funções que Ele se agrada para dar
aos seus órgãos.
Daí a diferença de seus personagens e suas diferentes maneiras de agir, mas
sempre uniforme
como para cada um, em particular, tendo sempre a mesma estrada para chegar
ao mesmo objectivo, quando não há obstáculos
encontram-se na mesma.
28
Descartes colocou a sede da alma no cérebro, na glândula pequena glândula
pinealis, situado entre o Optic
Thalimi e Corpora quadrigemina.
EB

Page 36
A página de Arte Grande 36
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Este espírito, que é normalmente chamado de instinto, quando os animais são
faladas, determinado e quase
absolutamente especificado em cada animal, não é assim no Homem, porque o
espírito do homem é o epítome e
quintessência de todos os espíritos de animais. Assim, o homem não tem um
caráter particular que é peculiar a
ele, como cada animal tem: cada cão é fiel, cada cordeiro é manso, cada leão
está em negrito, cada gato é
traiçoeiro, mas o homem é tudo ao mesmo tempo, fiel, indiscreto, traiçoeiro,
destemperado, gentil,
furioso, ousada, tímido, corajoso, circunstâncias, ou razão, decidir sempre que
ele está em cada instante de
vida, e nunca se vê em qualquer animal as variedades que se encontra no
homem, porque só ele
possui o germe de todos. Cada homem iria desenvolvê-lo, e seria convertê-lo
de potencialidade para
atualidade, como os animais, quando a ocasião se apresentasse, se esse
espírito não estava subordinado a
outra substância superior a si mesma. A alma, puramente espiritual, detém as
rédeas. Ele orienta o espírito, e
realiza em todas as suas ações deliberadas. Às vezes não dá tempo para
comunicar suas ordens,
e exercer seu império. Trata-se de si mesmo, ele coloca em jogo os recursos
do corpo, e, em seguida, o homem age
simplesmente como um animal. Essas ações se chama primeiro impulso,
29
e aqueles que se faz sem
reflexão, como vem, vai, comer quando se está preocupado com alguma coisa
séria, que ocupa
ele completamente.
O animal obedece sempre, infalivelmente, sua inclinação natural, porque
tende somente para a preservação
de sua existência passageira, mortal, em que se encontra toda a sua felicidade
e bem-estar. Mas o homem não faz sempre
siga essa inclinação, porque, enquanto ele está disposto a preservar o que é
mortal em si mesmo, ele
sente também outro desejo que dispõe o a trabalhar para a felicidade de sua
parte imortal, para que ele
é certo que ele deve a preferência.
Assim Deus criou o homem à Sua imagem, e formou-lo como o abrégé de
todas as suas obras, eo
o mais perfeito dos seres materiais. Uma chama com razão: Microcosmo . Ele
é o centro onde tudo termina: ele
contém a essência de todo o Universo. Ele participa das virtudes e as
propriedades de todos os
indivíduos. Ele tem a fixidez dos metais e minerais, o vegetability das plantas,
o
faculdades sensíveis dos animais, e além disso, uma alma inteligente e
imortal. O Criador tem
colocado nele, como na caixa de Pandora, todos os dons e virtudes das coisas
superiores e inferiores. Ele
terminado sua obra de criação, a formação do homem, porque era necessário
criar todos os
Universo em proporções estupendas antes de reduzi-lo em limites hominal. E
como o Ser Supremo,
Se sem começo, era ainda o começo de tudo, Ele queria colocar o selo de Sua
obra em
um indivíduo, que, não sendo, capaz de ser sem começo, era, pelo menos, sem
fim, como a si mesmo.
Portanto, o homem não desonrar o modelo do qual ele é a imagem. Ele deve
pensar que ele não tem
foi criado para viver apenas de acordo com sua animalidade, mas de acordo
com a sua humanidade, devidamente
falando. Que beba, deixe-o comer, mas vamos orar, deixe-o dominar suas
paixões, deixá-lo trabalhar para
a vida eterna, neste ele será diferente dos animais, e será realmente um
homem.
O corpo do homem está sujeito a alteração e dissolução todo, assim como
outros compostos. A ação do calor
produz essa mudança no modo de ser de todos os indivíduos sublunary,
porque a sua massa ser um
composição das peças mais relevantes, menos puro, menos conectado, e mais
heterogêneo do que os de
as estrelas ou planetas, é mais suscetível aos efeitos da rarefação.
Esta alteração é na sua progressão um dano real, que é feita sucessivamente, e
que, por
graus, leva a uma nova geração, ou nova maneira de ser, pois a harmonia do
Universo é composto
a formação diferente interior e gradual da matéria que a constitui.
Esta mudança de forma ocorre apenas nos corpos deste mundo inferior. A
causa não é, como alguns
ter pensado, a contradição ou oposição das qualidades da matéria, mas a sua
própria essência, escuro e
29
Para o estudo desses atos involuntários, resultado imediato da Reflex Action ,
ver as obras marcantes de Dr. Papus: Traité
de Fisiologia Synthétique, Traité méthodique de Ciência Occulte , etc

Page 37
A página de Arte Grande 37
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
puramente passivo, que, não tendo em si o poder de adquirir uma forma
permanente, é obrigado a receber
estas formas diferentes e transitória do princípio que o anima, sempre de
acordo com o fim
que tem agradado a Deus para dar a gêneros e espécies .
Para suprir este defeito original da matéria, a partir da qual foi formado o
mesmo do corpo do homem, Deus
colocou Adão em um paraíso terrestre, para que ele pudesse combater e
conquistar essa caducidade pelo uso
do fruto da Árvore da Vida, da qual ele foi privado, em punição por sua
desobediência, e ele
foi condenado a sofrer o destino de outros indivíduos a quem Deus não tivesse
favorecido com essa ajuda.
A Matéria Prima da qual todos foram feitos, o que serve como uma base para
todos os compostos,
parece ter sido tão misturado e identificou neles, depois de ter recebido sua
forma de Luz, que
não podiam ser separados a partir deles, sem causar a sua destruição. Natureza
nos deixou um exemplo de
esta massa confusa e amorfa, em que a ua seca , o que não humedecer, o qual
pode ser vista a aumentar
das montanhas, e que exala de alguns lagos, impregnados com os germes das
coisas, e que
evapora ao menos calor. Esta água seca é aquela que constitui a base da Ars
Magna , de acordo
a todos os filósofos. Aquele que sabe como unir esta matéria volátil com seu
macho, para extrair
de que os elementos, e para separá-los filosoficamente, poderia lisonjear-se,
assim diz d'Espagnet,
( Enchirid. Phys. restit. pode. 49. ), que tinha em sua posse o mais precioso
segredo da natureza, e
mesmo o epítome da essência dos céus.
Dos Elementos
30
Assim, a natureza empregue, desde o início apenas dois princípios simples, a
partir do qual todos os que
existe foi feito, ou seja, a Materia Prima passiva eo Agente luminoso que lhe
deu forma.
Os elementos procedeu a partir de sua ação, como princípios secundárias, a
partir da mistura de diferentes
, que foi formada uma Materia Secunda
31
sujeito às vicissitudes da geração e da corrupção.
Em vão imaginar um poder com a ajuda de técnica química para chegar e
separar o
Elementos absolutamente simples e distintas umas das outras. A mente
humana ainda não sabe
eles. Aqueles em que o profano dá o nome de elementos, não são realmente
simples e
homogênea: eles estão tão misturados e unidos como ser inseparáveis.
Os corpos perceptíveis da terra, da água e do ar, que nas suas esferas são
realmente distintos,
Não são os primeiros e simples elementos que a Natureza emprega em suas
diferentes gerações. Eles parecem
ser apenas a matriz dos outros. Os elementos simples são imperceptíveis, até
sua união forma um
matéria densa, que chamamos de corpo, a que se juntam os elementos
grosseiros como partes integrantes. Ex
insensibilibus namque omnia confiteare principiis constare ( Lucret. lib.
2 ). Os elementos que
constituem o nosso mundo é muito bruto e impuro para formar uma geração
perfeito. Excepcionalmente o
químicos e físicos atribuir-lhes as propriedades dos pais e elementos:
a Materia Prima
e Agente Luminous. Os últimos são como a alma dos compósitos, o ex-
somente o corpo. A arte é
ignorante do primeiro, e iria trabalhar em vão resolver os Mixts para eles: este
é o trabalho de
Natureza sozinho.
30
Na Teoria alquímica, diz Albert Poisson, os quatro elementos, não mais do
que os três princípios, representam
substâncias específicas, que são simplesmente estados da matéria, as
modalidades simples. Água é sinônimo de estado líquido, a Terra
com o sólido, com o ar gasoso e do fogo com a de um estado gasoso muito
subtil, tal como um gás expandido pela acção de
calor. . . Além disso, os elementos representam, por extensão, as qualidades
físicas, tais como calor, (Fogo); secura e solidez, (Terra);
humidade e fluidez, (Água); frio e subtileza, (Ar); Zosimus dá ao seu conjunto
o nome de Tetrassomia .
(Teorias et des Sumboles Alchimistes).
31
Secunda Materia - ou semente em metais .

Page 38
A página de Arte Grande 38
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Sobre esses princípios antigos filósofos distinguidos apenas três elementos, e
imaginou o
Universo governado por três deuses, filhos de Saturno, a quem chamavam os
filhos dos céus e terra.
Os egípcios, de quem os antigos filósofos gregos derivam seus sistemas,
considerado como Vulcan
o pai de Saturno, se acreditarmos Diodoro da Sicília. Sem dúvida, esta é a
razão que os levou não
para colocar fogo no número de elementos. Mas, como eles supunham que o
fogo da natureza, o princípio da
Fogo elementar, teve sua origem nos céus, eles deram o governo de que a
Júpiter e, como um
cetro e marca distintiva, que armou com um raio com três dardos, e deu-lhe
um
esposa sua irmã Juno, a quem eles imaginavam para presidir a Air. Netuno foi
colocada sobre o mar,
e Plutão sobre as regiões infernais. Os poetas adotaram estas idéias dos
filósofos, que, sabendo
Natureza perfeitamente, achou por bem fazer apenas uma divisão trígono dele,
convencido de que os acidentes, que
distinguir a região inferior do ar a partir do superior, não formam uma razão
suficiente para fazer uma
distinção real. Eles viram neles apenas uma diferença de seco e
úmido, siccum e humidum , de calor
e frio unidos, o que os fez imaginar os dois sexos no mesmo elemento.
Cada um dos três irmãos tinham um cetro de três pontas como uma marca de
seu império, e para indicar que
cada elemento, como o vemos, é uma composição de três. Eles foram,
propriamente falando, irmãos, desde
eles foram obtidos a partir do mesmo princípio, os filhos dos Céus e da Terra,
ou seja, o primeiro
animar a matéria a partir da qual todos tenha sido feita.
Plutão é chamado o deus da riqueza e do mestre das regiões infernais, porque
a terra é o
fonte de riqueza, e porque nada atormenta os homens assim como a sede de
riqueza e ambição.
Não é mais difícil de aplicar o resto do Fable à Física. Vários autores têm
interessado
se nesta matéria, e demonstraram que os antigos propuseram apenas para
instruir pela
invenção dessas fábulas. Os filósofos herméticos, que afirmam ser os
verdadeiros discípulos e imitadores
da Natureza, fez uma dupla aplicação destes princípios: vendo nos processos
eo progresso da
Ars Magna as operações da natureza, como um espelho, elas já não distinto
um do
a outra, e explicados-los na mesma maneira. Em seguida, comparam tudo o
que acontece no
Magistério , para as sucessivas etapas da criação do universo, por uma certa
analogia que eles
pensado para observar neles. É surpreendente que todas as suas ficções
tiveram essas duas coisas para um
objeto? Se uma refletida, não se encontrar muito do ridículo em seus mitos. Se
eles personificada
tudo, era para tornar suas idéias mais óbvio, e um logo reconhecer que o
ridículo e
ações licenciosas, que eles atribuem a esses deuses imaginários, eram apenas
as operações da Natureza,
que vemos diariamente, sem percebê-los. Desejo de se explicar apenas por
alegorias, poderia
supõem as coisas de outra forma e por outros atores? Não nossa ignorância de
Física nos dar
o privilégio tolo de zombar deles, e imputando-lhes ridículo, que poderia,
talvez, facilmente
voltar-se contra nós, se eles estavam na terra, para falar na moda do presente
século? A análise de
os compósitos, ou Mixts, nos dá apenas o siccum e humidum , de onde deve-se
concluir que
existem apenas dois elementos perceptíveis na composição dos corpos, ou
seja, Terra e Água. Mas
a mesma experiência nos mostra que outros dois estão escondidos neles. O ar
é muito sutil para atacar
nossos olhos: a audição eo tato são os únicos sentidos que demonstram a nós a
sua existência. Quanto ao fogo
da Natureza, é impossível para a arte a manifestá-la, a não ser por seus efeitos.

Page 39
A página de Arte Grande 39
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Da Terra
A Terra é naturalmente frio, por causa de seu mais participando da natureza
do opaco e escuro
Matéria Primal. Isto faz com que o corpo frio, mais pesado e mais denso, e
esta densidade torna menos
penetrável à luz, que é o princípio do calor. Ele foi criado no meio das águas,
com
que é sempre misto, e o Criador parece ter feito secar em sua superfície,
apenas para torná-lo
adequado para a morada dos vegetais e animais.
O Criador fez a Terra esponjoso, de modo que o ar, água e fogo pode ter
acesso gratuito e
que o fogo interior, que foi infundida pelo Espírito de Deus antes da formação
do Sol,
( Cosmopol. Trato 4 ), poderia pressionar desde o centro até a superfície por
seus poros as virtudes do
Elements, e exalar os vapores úmidos, que corrompem os germes de coisas
por um ligeiro putrefação,
e prepará-los para geração. Esses germes, assim, preparado receber o calor
celestial e vivificante,
e mesmo atraído por um amor magnético, o germe se desenvolve, e as
sementes produz o fruto.
O calor peculiar à Terra, está apto apenas para a corrupção. Sua umidade
enfraquece-lo, e poderia produzir
nada a não ser auxiliada pelo calor celeste, pura e sem mistura, a qual deixa a
geração, por
emocionante a ação do fogo interno, desenvolvendo-la, expandindo-o e
atraindo-lo, falar
Assim, a partir do centro da semente, onde se encontra torpor e
escondida. Estas duas baterias por sua
homogeneidade trabalho em conjunto para a produção e preservação dos
Mixts.
Todos frio é contrária à produção. Quando o assunto é desta natureza, torna-se
passiva, e está apto para
produção apenas enquanto é ajudado e corrigido por uma força externa. O
Autor da Natureza,
projetar a Terra para ser o ventre dos compósitos, aquece, consequentemente,
continuamente pelo calor
do Fogo Celestial e Central, e junta-se-lhe a natureza úmida de água, de modo
que, auxiliado por dois
princípios de geração, a quente e a húmido, que não é esterilizada, e torna-se o
vaso em que está
concebida, todas as gerações ( Cosmo. ibid ). Diz-se, por esta razão, que a
Terra contém o
outros elementos.
Ela pode ser dividida em duas classes, o puro eo impuro. O primeiro é a base
de toda a
compósitos, e produz todos pela mistura de água e à ação do fogo. A segunda
é a
peça de vestuário do primeiro, que entra como parte integrante na composição
do indivíduo.
O puro é animada por um fogo que vivifica os Mixts, e preserva-los em sua
maneira de
sendo, desde que o frio da impuro não exclui, ou, contanto que não é muito
animado e
tiranizado mais perto do fogo artificial e elementar, sua fratricídio. Aquilo que
é visível na Terra é
corrigido , eo que é invisível é volátil .
Da Água
A densidade da água ocupa o lugar intermediário entre o da Air e que da
Terra. É
Menstrum
32
da Natureza, eo veículo dos germes. É um corpo volátil, que parece fugir da
ataques de fogo, e evapora ao menor calor. É suscetível de todas as formas, e
mais mutável
de Proteus. A água é um mercúrio, o qual, participando, por vezes, da natureza
de um corpo de terra-aquoso,
às vezes, de que a de um corpo aqua-Aerian, atrai e busca as virtudes das
coisas superiores e
inferior. Torna-se, por este meio, o mensageiro dos deuses e seu mediador, por
isso é
manteve o comércio entre os céus ea terra.
32
Ou solvente - "One também deu o nome de menstrum , porém de forma
inadequada, para vegetais e Metallic Waters, que
são considerados como o princípio feminino destes dois reinados, e na qual é
colocado o assunto a ser dissolvido. "Pernety, Dict.
Mytho-Herm ., P292.

Page 40
A página de Arte Grande 40
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Um catarro unctious é difundida em Água, (Dissertação de l 'Académie de
Berlim). M. Eller tem
reconheceu nas suas observações: "A água", disse ele, "muito puro e livre de
todo heterogêneo
partes, (na forma do químico comum), pode ser suficiente para a
vegetação. Ele fornece a terra, o
base na solidez das plantas: difunde-se em que ela inflamável, ou oleosa parte,
o que se encontra nele. "
Vamos dar um pouco de terra, depois de ter sido lavados em lixívia e seca por
um incêndio, no qual temos a certeza de
que não há nenhum germe de plantas, vamos expô-lo ao ar em um vaso, e
vamos ter o cuidado de regá-la
com água da chuva, que irá produzir plantas pequenas em grande número,
prova de que é o veículo de germes.
Como a água é de uma natureza que se aproxima intimamente da Primeira
matéria do mundo, torna-se facilmente
seu símbolo, ou imagem. O caos, onde tudo foi derivado, era como um vapor,
ou uma substância úmida,
semelhante a um cigarro subtil. Luz ter rarefeito ele, os céus foram formados
das mais subutilizados
parte, o ar de que era menos, a água elementar de que era um pouco mais
terrestre, e da Terra, da mais densa e, como fezes ( Raymond Lully, Testam,
Anc Theor. .).
Portanto participando água da natureza do ar e da terra, é colocado no
meio. Mais leve que o
Terra e mais pesado que o ar, é sempre misturado com ambos. Pelo menos
rarefação parece abandonar
Terra para tomar a natureza do ar, que se condensa pelo menos frio, sai do ar,
e une
-se com a Terra.
A natureza da água é bastante úmido do que o frio, porque ele é mais fino e
mais aberto para a Luz que
da Terra. Água tem preservado a umidade do Materia Prima e do caos, a Terra
reteve
sua frio.
O siccity é um efeito do frio como do calor e umidade é o assunto sobre o qual
o calor e principal
ato frio. Quando este último é poderoso, ele se condensa a umidade; vemos na
neve, gelo e granizo. De
isso vem a queda das folhas no outono. Se os aumentos de frio, o inverno for
bem sucedida, a umidade do
plantas congela, a fechar os poros, o caule torna-se fraco por falta de alimento:
eles finalmente
murchar. Se o inverno é grave, ele tem o ressecamento, mesmo para as raízes:
ataca o vito-humidum e
as plantas perecer. Como se pode dizer depois disso que o frio é uma
qualidade da água, uma vez que é o seu inimigo, e
Já que a natureza não sofra que um elemento agir sobre si mesmo. Fala-se,
parece-me, mais
corretamente, quando se diz que o frio queimou as plantas. Frio e calor
queimar igualmente, mas numa
forma diferente, calor, expandindo e contraindo frio as partes dos Mixts.
Aquilo que água nos apresenta visivelmente é volátil, o seu interior é fixo. Os
ânimos Air sua
umidade. Aquilo que a Air recebe de Fogo, ele se comunica com água, que
por sua vez
comunica-o à Terra.
Pode-se dividir este elemento em três partes, o puro , o mais puro eo mais
puro , ( Cosmopol, of.
Água ), a partir do último foram feitos os céus, a partir do mais puro, o ar, ea
simplesmente puro tem
permaneceu em sua esfera: é a água comum, que constitui apenas um globo
com a Terra. Estes
Dois elementos unidos fazer tudo, porque contêm os outros dois. De sua união
nasce um lama,
que a natureza utiliza para formar todos os corpos. Esta lama é a matéria de
que irá evoluir todas as gerações.
É uma espécie de caos, em que os elementos são confundidos. A primeira pai
foi formado a partir dele,
bem como todas as gerações que se seguiu. A partir do esperma e o menstrum
é formado
uma lama e esta lama de um animal.
Na produção de vegetação putrefy sementes e mudança em um lodo antes de
germinar. É
então consolidada e cresce em um corpo vegetal. Na geração dos
metais, enxofre e
Mercúrio resolver num Água viscoso, o qual é um verdadeiro lodo. A
decocção coagula esta Água,
corrige mais ou menos, e de que resulta que os minerais e os metais. No
trabalho Sophic, um primeiro
forma um lodo de duas substâncias, ou princípios, depois de tê-los
purificada. À medida que os quatro elementos são
encontrada neles, o Fogo preserva a Terra de dissolução submersão e todo: a
Air mantém

Page 41
A página de Arte Grande 41
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
o fogo, a água preserva a Terra contra os ataques violentos do Fogo, e agindo
assim em
concerto umas sobre as outras, não resulta deles um conjunto harmonioso, que
compõe o que é chamado
a Pedra Filosofal , ou o microcosmo .
Do ar
O ar é leve, e não é visível, mas que contém uma substância que corporifies si,
que
torna-se fixo. Sua natureza é a meio caminho entre o que está acima eo que
está abaixo dele, por esta
razão que leva facilmente as qualidades de seus vizinhos. De onde vêm as
mudanças que experimentamos
nas regiões de baixo, as de frio, bem como aqueles de calor.
O Air é o receptáculo dos germes de todos, pelo crivo da Natureza, através do
qual os poderes e
influências de outros órgãos são transmitidos para nós. Ele penetra todos. É
uma fumaça muito sutil, o ajuste
sujeito de luz e de sombras, de dia e de noite. Um corpo sempre cheio,
transparente, e mais
suscetível de qualidades estrangeiros, bem como mais preparado para
abandoná-los. Os filósofos chamam de Espírito
quando se tratar da Ars Magna . Ele contém os espíritos de todos os órgãos
vitais, é o alimento do fogo, de
vegetação e dos animais, que morrem quando privado dele. Nada iria nascer
no mundo sem
sua penetração e força de alterar, e nada pode resistir à sua rarefação.
A região superior do Ar, ao lado da lua, é puro, sem ser ígnea, como tem sido
ensinada nas escolas, de acordo com a opinião de alguns dos antigos. A sua
pureza é contaminada por
nenhum dos vapores que se erguem a partir da zona inferior.
A região centro recebe a exalação sulfurosa mais sutil, livre dos vapores
brutas.
Eles andam na mesma, e são incendiados ao longo do tempo por seus
movimentos e os diferentes choques
que eles passam entre si. Estes são os diferentes meteoros que percebemos no
região central.
Na região inferior, os vapores da terra subir e se misturam. Eles são
condensados pelo frio e
cair por seu próprio peso. Assim, a natureza purifica a água para torná-lo apto
para suas produções. É por isso
distingue-se as águas de qualidade superior a partir do inferior. Este último
está perto da terra, são
apoiada sobre ele como sobre sua fundação e formar apenas um globo com
ele. As águas superiores ocupar
a região inferior do ar, onde são obtidas sob a forma de vapores e as nuvens, e
onde eles
vaguear à vontade dos ventos. O ar está cheio deles em todos os momentos,
mas eles se manifestam à nossa visão
apenas em parte, quando eles são condensados em nuvens. Esta é a
consequência da criação. Deus separou
as águas do firmamento das que estavam abaixo. Não deveria ser surpresa que
todo o
águas, unido, têm sido capazes de cobrir toda a superfície da terra, e para
causar uma universal
dilúvio, uma vez que a cobriu diante de Deus, eles haviam se separado,
( Gênesis, cap. V .). Essas massas úmidas
que pairam sobre nossas cabeças são como viajantes, que passam a recolher as
riquezas de todos os países, e retornar
para beneficiar sua terra natal.
Of Fire
Alguns dos antigos colocado fogo como um quarto elemento, na região mais
alta do ar, porque eles
considerado como o mais leve e sutil. Mas o fogo da natureza não difere da
Celestial
Fogo, é por isso que Moisés não faz nenhuma menção a ele em Gênesis,
porque ele havia dito que a Light foi criado
no primeiro dia.
O fogo que usamos normalmente é parcialmente naturais e parcialmente
artificial. O Criador colocou no
dom um espírito ígneo, o princípio de movimento e de calor suave, como é
necessário para a Natureza

Page 42
A página de Arte Grande 42
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
suas operações. Comunica-se a todos os corpos, e por emocionante e
desenvolvimento do Fogo, que é
inata neles, preserva o princípio da geração e da vida. Cada um participa
individuais de que mais
ou menos. Aquele que procura na Natureza outro elemento do Fogo, é
ignorante do que o sol ea luz são.
É colocado na húmido radical como o seu assento adequado. Com os animais
parece ter estabelecido a sua
domicílio principal no coração, que o comunica a todas as partes, como o sol a
todo o Universo.
O fogo da natureza é o seu primeiro agente. Ele reduz os germes da potência
ao ato. Assim como ele
atos deixaram de todo o movimento aparente e todas as medidas vital cessa. O
princípio do movimento é leve,
e movimento é a causa do calor. É por isso que a ausência do sol e da luz tem
uma grande
efeito sobre os corpos. Calor, penetra no interior das substâncias mais opacas
e mais dura, e
anima a natureza oculta e torpe. Luz penetra apenas corpos transparentes, e
sua propriedade é
manifestam os acidentes perceptíveis dos compósitos. Assim que o sol é o
primeiro natural e universal
agente.
Na partida da luz do sol atinge os corpos densos, a celestes, bem como a
terrestre, que
coloca em movimento as suas faculdades, leva-as a ele, reflecte-los e difunde-
los no superior
Ar, bem como na parte inferior. Air ter uma disposição para se misturar com a
água ea terra, torna-se o
veículo dessas faculdades, e comunica-lhes os corpos, que são formadas por
eles, ou que
são, por analogia, mais susceptíveis eles. Estas são as faculdades que são
chamados de influências . Muitos
filósofos naturais negar a sua existência, porque não os conheço.
Um incêndio divide-se em três tipos, o Celestial, o Terrestres, ou simples, eo
artificial. O
primeiro é o princípio de que os outros dois e é dividido em universal e
particular. A Universal
difundida por toda parte, excita e põe em movimento as forças dos corpos, que
aquece e mantém a
germes de coisas infundido em nosso globo, destinado a servir como seus
criadores. Desenvolve-se o particular
Fogo, que mistura os elementos e dá forma à matéria.
O Fogo em particular é inata, e implantado em cada mistura com o seu
germe. Ele age pouco, exceto quando
animado, mas, em seguida, faz, na parte do Universo, o que o sol, o seu pai,
não no todo.
Por toda a parte é a produção, tem de haver fogo, como a causa eficiente. Os
antigos pensado como
nós:
Inde hominum pecudumque gênero, vitœque volantum,
Et quœ Marmoreo fert MONSTRA sub œquore pontus.
Igneus est Illis vigor, et COELESTIS Origo
Semenibus.
Virg. Eneida. l. 6.
Mas é surpreendente que eles têm admitido uma contradição entre fogo e
água, já que não existe
Água sem fogo e uma vez que sempre agir em conjunto nas gerações de
indivíduos.
Cada olhar perspicaz deve, ao contrário, observar um amor, uma simpatia que
faz com que o
preservação do Universo, o cubo da Natureza, eo vínculo mais forte, para unir
os elementos e
o superior com as coisas inferiores. Este amor é, para falar assim, o que deve
chamar a Natureza, a
Ministro do Criador, que emprega os elementos para executar Sua vontade de
acordo com as leis que
Ele impôs sobre eles. Tudo é feito no mundo em paz e de unidade, que não
pode ser um
efeito do ódio e da contradição. A natureza não seria tão parecido a si mesma
na formação de
indivíduos da mesma espécie, se tudo não foi feito em conjunto. Gostaríamos
de ver apenas monstros proceder
dos germes heterogêneos dos pais perpetuamente hostis, constantemente em
guerra uns com os outros. Será que
ver os animais de trabalho através do ódio e da contradição para a propagação
de sua espécie? Vamos
julgar as outras operações da Natureza por isso: suas leis são simples e
uniforme.

Page 43
A página de Arte Grande 43
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Vamos filosofia deixar de atribuir a alteração, a corrupção, a decadência dos
Mixts a uma pretensa
antagonismo dos elementos, que é encontrada no penury e fraqueza peculiar à
primeira matéria; no
caos Frigida não calidis pugnabant, humentia siccis . Tudo estava frio e
úmido, qualidades que
pertencem ao assunto, considerado como feminino. O aquecimento e as
qualidades secos, masculino e formal,
têm vindo a da luz, do qual recebeu as suas formas. Assim, é somente após a
retirada dos
Águas que a Terra foi chamado árido ou seco.
Vemos continuamente que o calor ea secura dar forma a tudo. Um oleiro
nunca conseguiria
fazendo um vaso, se secura não dá para a argila de um certo grau de adesão e
solidez. Se o
terra é muito úmido, macio, é uma lama, que não tem forma determinada.
Tal foi caos, antes do calor ou da luz, se rarefeita, e causou a evaporação de
uma parte do seu
umidade. As peças se aproximaram juntos, o barro do caos tornou-se terra, ea
terra de um
consistência apto para servir como material para a formação de todos os
compostos na natureza.
Assim, o calor ea secura são apenas qualidades acidentais da Primeira
Matéria. Tem sido dotado
-los em forma de receber, ( Gênesis, cap. I ). Assim, não é dito em Gênesis
que Deus encontrou um caos muito
bom, como Ele fez a luz e outras coisas. O abismo parece ter adquirido um
grau de perfeição, só
quando se começou a produzir. Confusão, falta de forma, densidade e opaco, a
frieza, a umidade bruto,
e impotência, foram as suas características, qualidades, que indicam um corpo
doente, inclinado a
corrupção. Ele preservou algo dessa culpa original e foi infectado com ele
todos os corpos
que se procedeu da mesma, para ser colocado na região inferior. Por isso,
todos os compostos têm uma
forma transitória de ser, no que diz respeito à determinação da sua forma
particular e específico.
Howsoever oposição luz e sombra pode parecer, uma vez que têm concorrido,
o de agente,
o outro como paciente, na formação do Universo, eles fizeram por este acordo
de sua
qualidades contrárias, um tratado quase inalterável de paz, que já passou em
sua homogênea
família dos Elementos, donde resultou a geração calmo de todos os
indivíduos. A natureza é
prazer em combinação e faz tudo por proporção, peso e medida, e não pela
contradição.
Est modus em rebus sunt certi multas denique,
Quos ultra-citraque nequit reto consistere.
- Hor. Art. Poetisa.
Cada elemento tem, peculiar a si mesmo, uma das qualidades de que
falamos. Calor, secura, frio
e umidade são as quatro rodas que a Natureza emprega para produzir o lento,
gradual e circular
movimento que ela parece afetar na formação de todas as suas obras.
Fogo, seu agente universal, é o princípio do fogo elementar. O último é
alimentada por toda a gordura
matéria, porque tudo aquilo que é a gordura é de natureza húmida e
aéreo. Apesar de, externamente, pode
parecer seco para nós, como enxofre, pólvora, etc, a experiência ensina-nos
que este exterior esconde a gordura,
umidade oleosa, o que é resolvido pela ação do calor.
Quem teria imaginado que ela foi formada no princípio de ar dos corpos
rígidos, como aerólitos,
ter-se enganado, se ter considerado-os como corpos terrestres. É uma
substância que pertence
ao elemento bruto de água: uma gordura, humor viscoso, fechado nas nuvens
como num forno, onde
condensados e misturados com as exalações sulfurosos, que são quentes e
muito inflamável. O
ar, o que é muito comprimida por condensação deste, é rarefeito pelo calor, e
produz a mesma
efeito como pólvora em uma bomba: a quebra dos vasos, o fogo difundido no
ar, livre de seus títulos por
este movimento, que produz luz e ao barulho, que muitas vezes assustar o
mais intrépido.
Nosso fogo artificial e comum tem propriedades exatamente contrárias ao
fogo da natureza, embora
derivada dele. Ele é o inimigo de toda a produção, que é mantido apenas pela
ruína dos corpos, é

Page 44
A página de Arte Grande 44
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
nutrido apenas pela rapinagem, que reduz tudo a cinzas e destrói tudo o que as
outras formas. É
parricídio, o maior inimigo da natureza, e se nós não sabemos como se opor
obstáculos à sua fúria, ele
destruiria tudo. É surpreendente que os "frangos"
33
ver todas perecem em suas mãos, seus bens e
saúde desaparecer em fumaça e cinzas inúteis como o seu único recurso?
M. Stahl não é a primeira, como M. Pott estados, que deu idéias razoáveis e
conectado como a
substância de Fogo, que é encontrado nos corpos, mas ele é o primeiro que
tem fundamentado a respeito dela em
o nome do Flogisto
34
. Um viu o sentimento dos filósofos herméticos sobre este assunto. Ele
só é necessário para abrir seus livros para ser convencido de que eles sabem
que este agente da Natureza perfeitamente;
e que M. Pott estados excepcionalmente que os autores anteriores ao M. Stahl-
se perdido em contínua
obscuridade e inúmeras contradições. Talvez ele só fala dos químicos comuns
e
físicos, mas, nesse caso, ele deveria ter feito uma exceção dos Químicos
herméticos, a quem ele
sem dúvida, ler, e quem ele tão alegremente se encontraram, em seu Treatise
on Fire and Light , impressas com a
Tradução francesa de seu Lithogeognosia . M. Stahl tinha estudado com
atenção. Ele fornece uma prova
isso, não só por ter fundamentado como eles sobre este assunto, mas pelo
grande número de citações
o que ele fez com eles em seu tratado intitulado: Fundamenta Chemiœ
dogmaticœ et
experimentalis . Ele dá a Mercury o nome seco Água , nome que os filósofos
herméticos
dar para o deles. Basílio Valentin, Philalethes, e vários outros, são citadas a
este respeito. Ele mesmo
distingue o químico comum do Químico Hermética, ( parte
Eu
,. página 124 ), nomeando o primeiro
Comunas physici , ea segunda Chymici alii . Na mesma parte da mesma obra
( página 2 ), diz ele
que Isaac da Holanda, Arnaud de Villeneuve, Raymond Lully, Basil Valentin,
Trithéme, Paracelso
etc, tornaram-se louvável Art Química.
Longe de desprezar e rejeitar como falhas, assim como tantos outros, tudo o
que esses autores dizem que, neste capazes
conteúdo homem se com falar como eles e diz: ( p. 183 ), que se expressaram
em enigmas e alegorias, a fim de esconder o seu segredo do povo, e que eles
parecem ter
apenas contradição afetada para colocar os leitores ignorantes sobre o
caminho errado. Ele amplia ainda mais em
este assunto, ( p. 219), onde ele chama os químicos herméticos pelo nome de
filósofos. Pode-se
empregar essa denominação depois de um grande homem. Teremos ocasião
para falar do Sr. Pott, em
tratamento de luz e seus efeitos.
A proximidade da Água e da Terra faz com que sejam quase sempre
misturado. The Water
dilui a terra, a terra engrossa a água, a partir deles é formado de argila. Se esta
mistura é exposta
a um calor animada, cada elemento visível retorna à sua esfera, e a forma do
corpo é destruído.
Colocado entre a Terra eo Ar, Água é realmente a causa das revoluções, a
desordem, a
tumulto, ea ruína que observar no ar e na terra. Ele obscurece o ar pelo preto e
vapores perigosos, que inunda a terra: ele carrega a corrupção em ambos, e
por sua abundância ou
escassez, que perturba a ordem das estações e da Natureza. Finalmente, é a
causa de que muitos
infortúnios como benefícios.
Alguns dos antigos disseram que o sol presidida especialmente sobre o fogo,
ea lua sobre a água,
porque eles consideravam o sol como fonte de fogo da natureza, ea lua como
o princípio da
umidade. Isso fez com que Hipócrates a dizer, ( Lib.
Eu
, De Diœtâ. ), que os elementos de fogo e de
A água pode fazer tudo, porque eles continham todos.
33
Alquimistas charlatão.
34
Fogo fixo, Fogo inerente aos corpos. É a matéria inflamável, ou Enxofre-
priniciple de substâncias. . . Esta qualidade é
encontrado em todos os seres da natureza. Ela é abundante nas partes
gordurosas ou oleosas do animal, estas partes mais sensíveis do
inflamação. M. Wipacher, ( Dissertação imprimée parmi les Eléments de
Chymie de Boerhave ), diz respeito aos espíritos animais
como uma matéria ígnea, ao qual ele dá o nome de Automatic Phlogiston .
Pernety, Dict. Mytho-Herm. p.281.

Page 45
A página de Arte Grande 45
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Das operações da Natureza
Sublimação, destilação e mistura-se três instrumentos ou métodos de operação
que a Natureza
emprega para aperfeiçoar seus trabalhos. Pela primeira ela joga fora a
umidade supérflua, o que
abafar o fogo, e dificultar a sua ação na terra, a sua matriz.
Por destilação, ela retorna à terra a umidade dos quais a vegetação, ou calor,
privaram-lo.
A sublimação é feita pela elevação dos vapores no ar, onde são condensados
na forma de nuvens. O
segunda é feita pela chuva e orvalho. Bom tempo sucede chuva, ea chuva bom
tempo, alternadamente, um
chuva contínua inundaria tudo: bom tempo perpétuo iria murchar tudo. A
chuva cai gota a
queda, porque se caía muito abundante destruiria tudo, como um jardineiro
que faria sua água
grãos por balde cheio. Assim, a natureza distribui seus benefícios com o peso,
medida e proporção.
Mistura é uma digestão dos humores bruto incutiu nas entranhas da Terra, um
amadurecimento e um
conversão deste humor em alimentos por meio de seu fogo secreto.
Estas três operações são tão ligados, que no final de um é o começo da
outra. O objectivo
de sublimação é converter uma coisa pesada em uma luz um e exalação em
vapor, para reduzir a
substância espessa e impuros, e despojá-lo de suas fezes;
35
para fazer com que esses vapores para assumir a
virtudes e propriedades das coisas superiores e, finalmente, para libertar a
Terra de um humor supérfluo que
prejudicaria suas produções.
Dificilmente são estes vapores sublimada, quando eles são condensados em
chuva, e espiritual e
invisível que fossem, eles se tornam um momento depois de um corpo denso e
aquoso, para cair novamente em
a terra e para embeber com o néctar celeste pelo qual foi impregnado durante
a sua residência no
o ar. Assim como a Terra tem recebido, Natureza trabalha para digerir e
amadurecer.
Cada animal, o menor verme, é um pequeno mundo em que todas estas coisas
aconteçam. Se o homem busca a
mundo fora de si mesmo, ele vai encontrá-lo em todos os lugares. O Criador
fez uma infinidade deles de
o mesmo assunto, a sua forma só é diferente. Assim, a humildade torna-se
homem, e glória pertence a Deus
só.
A água contém um fermento, um espírito, uma vida, pela qual tornou-se
impregnado enquanto caminhava
através do ar, que procede das naturezas superior ao inferior, e que é
finalmente
depositados no seio da Terra. Este fermento é um germe da vida, sem que os
homens, animais e
vegetais não podia viver e não podia produzir. Tudo na Natureza respira, eo
homem não
vive só de pão, mas por este espírito aéreo que ele inala continuamente.
Deus ea Natureza, o seu ministro, sozinho sabe como comandar os elementos
materiais primitivos de corpos.
Arte não podia aproximar-se deles. Mas a três, o que resultará a partir deles,
se tornam sensíveis na
resolução dos Mixts. Chemists nome deles Enxofre, Sal e Mercúrio .
36
Estes são os elementos
principied . Mercury é formada pela mistura de água e terra; Enxofre, da Terra
e do Ar; Sal, de
Ar e da água condensada. O Fogo da Natureza é adicionado a estes como um
princípio formal. O mercúrio é
35
Quais Sir Ripley chama damnata Terra , é também designado como mortuum
da cabeça . Eles são as peças heterogéneas de um
Composto, os quais permanecem no corpo, após a eliminação dos seus
elementos filosóficos puros.
EB
36
Enxofre em um metal representa a sua cor, combustability, sua faculdade de
atacar outros metais, a sua dureza.
Mercury seu brilho, volatilidade, fusibilidade, maleabilidade.
Sal significa unir Enxofre e Mercúrio. - Enxofre, Mercúrio, Sal são
consequentemente palavras abstratas que servem para designar o
conjunto de propriedades.
F. Jollivet-Castelot: Comment on devient Alchimiste , Paris, 1897.
O enxofre Universal é invariavelmente considerado como o pai. Até certo
ponto de vista, Mercury é a mãe, e Salt
a criança.
Stanislas de Guaita: La Clef de la Magie Noire , p. 727.

Page 46
A página de Arte Grande 46
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
composto de um viscoso Terra oleosa e uma água límpida; Enxofre de muito
seco, a Terra muito sutil, misturada
com a umidade do ar; sal de um grosso, terra pesada e um ar bruto, que se
encontra
enredada com ele. (Veja o Physique Souterraine , por Beccher).
Demócrito
37
afirmou que todas as Mixts foram feitos de átomos; esta crença não parece ser
muito
da verdade, quando percebemos que a razão dita ea experiência demonstra-
nos. Este
filósofo, como os outros, tem verificado, nos termos desta maneira obscura de
explicar a si mesmo, o verdadeiro
mistura dos Elementos, o qual, a fim de ser moldável para as operações da
Natureza, deve ser feita
intimamente, ou, como dizemos, por mínimos et actu indivisibilia
corpuscula . Sem isso as partes seria
não formam um todo contínuo. Os Mixts são resolvidos em um vapor muito
sutil por artificial
destilação, e não é a Natureza um trabalhador mais hábil do que o homem
mais experiente? Isto é tudo o que
Demócrito quis dizer.
Dos aspectos gerais do Mixts
Notamos três modos de ser, ( Cosmop. novembro lum. Chem. Tr. 7 ), que
constituem três gêneros,
ou três classes, denominadas reinos , o animal, o vegetal eo mineral. Os
minerais são produzidos
na terra sozinho; vegetais têm suas raízes na terra, e subir na água e no ar;
animais
nascem ao ar, da água e do solo, e o ar é um princípio de vida de todos.
Tudo o que diferente das Mixts parecem ser a sua forma exterior, elas não
diferem em princípio,
( Cosmop Trato 2.. ), a Terra e Água servir de base para todos, eo ar entra em
seu
composição apenas como um instrumento, assim como o fogo. Os atos de luz
no ar, o ar sobre a água,
a água na Terra. Água, muitas vezes torna-se o instrumento de mistura em
obras de arte, mas esta
mistura é apenas superficial, vemos isso no pão, tijolos, etc Há uma outra
mixtion íntimo que
Beccher chama Central ( Phys. sub. seita. I., cap. 4 ). É que aquela pela qual a
água é então misturada com
Terra que eles não podem ser separados, sem destruir a forma de Mixt. Não
vamos entrar
no detalhe dos diferentes graus de esta coesão, como queremos ser
breve. Tudo isto pode ser visto na
o trabalho que acabamos de citar.
Das diferenças entre os três Reinos
O Mineral
O Mineral
O Mineral
O Mineral
Dizemos normal de minerais que eles existem, e não que eles vivem, como se
diz dos animais e
vegetais, no entanto, podemos dizer que os metais derivam vida de alguma
forma dos minerais,
ou porque a sua geração não é, por assim dizer, uma união de homem e
mulher sob o nome de
Enxofre e Mercúrio, que por fermentação, a circulação contínua e mistura, são
purificados por
o auxílio do sal na natureza, e, finalmente, são formados numa massa que
chamamos de metais, ou porque o
metais perfeitos conter o princípio da vida, ou Fogo inata, que tornam-se
fracos e sem movimento
sob o exterior duro que o envolve, um princípio que está escondido lá como
um tesouro, até
sendo libertado por uma solução filosófica desse exterior, é desenvolvida e
exaltado por uma vegetativo
movimento, ao mais alto grau de perfeição que a arte pode dar.
The Vegetable
The Vegetable
The Vegetable
The Vegetable
37
Mistagogo grego e alquimista, nascido na Trácia 460 aC, fundador do sistema
atômico .

Page 47
A página de Arte Grande 47
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A alma vegetativa ou espírito anima plantas, por isso eles crescem e se
multiplicam. Mas eles são privados de
a sensação eo movimento dos animais. Seus germes são hermafroditas,
embora os naturalistas têm
observou dois sexos em quase todos os vegetais. O espírito vegetativo e
incorruptível é desenvolvido em
a fermentação e putrefação dos germes. Quando o grão decai na terra sem
germinando, esse espírito se une a sua esfera de novo.
O Animal
Os animais têm, acima de minerais e vegetais, uma alma sensível, o princípio
de sua vida e
movimento. Eles são, pode-se dizer, o complemento da Natureza, tanto quanto
os seres sublunares são
em causa. Deus distinguiu e separou os dois sexos neste reino, de modo que a
partir de dois lá
deve vir um terceiro. Assim, as coisas mais perfeitas se manifesta mais
perfeitamente a imagem do
Trindade.
O homem é o príncipe soberano deste mundo inferior. Todas as suas
faculdades são admiráveis. Os problemas que
subir em sua mente, suas agitações, suas ansiedades são como os ventos, os
relâmpagos, os trovões, os
turbilhões e meteoros que ocorrem no macrocosmo. Seu coração, seu sangue,
todo o seu corpo, mesmo,
são agitados por eles, mas eles são como o tremor da terra e tudo prova em
que ele é
realmente o epítome do Universo. David não era bem no exclamando que
Deus é infinitamente admirável
em todas as suas obras, ( Salmo 91, v.6 e 138, v. 14 )?
Da alma de Mixts
Todos os Mixts perfeitos que têm vida, têm uma alma, ou espírito, e um
corpo. O corpo é composta por argila,
ou da Terra e da Água, a alma que dá forma às Mixts, é uma centelha do fogo
da natureza, ou um
ray imperceptível of Light, que atua nos Mixts acordo com o arranjo atual da
questão,
ea perfeição dos órgãos específicos em cada uma delas. Se os animais têm
alma, ela difere da sua
mente apenas em grau.
As formas específicas dos compósitos, ou se preferirmos, a sua alma,
preservam algum conhecimento de sua
origem. A alma do homem, muitas vezes reflete na Luz divina. Parece desejar
penetrar nessa
santuário, acessível somente a Deus: ele se esforça continuamente para
alcançá-lo e, finalmente, retorna a ele. O
almas dos animais, esses seres, que um motivo secreto dos Céus colocou aqui
em baixo, e que
derivam sua organização a partir dos tesouros do sol, as almas dos animais
parecem ter uma simpatia
com esta estrela pelos diferentes presságios de sua ascensão, de sua
configuração, até mesmo do movimento dos céus,
e das mudanças de temperatura no ar, que seus movimentos anunciar para nós.
Compatível com o ar, e quase inteiramente aéreo, as almas dos vegetais
empurrar a cabeça de seu caule
o mais alto possível, como se estivesse ansioso para retornar à sua terra.
Rochas, pedras, formadas de água e da terra, são assados na terra como no
forno de oleiro, é por isso
eles se inclinam à terra, como se estivesse fazendo parte dela. Mas as pedras e
metais preciosos são mais favorecida
por influências celestes, o primeiro é quando as lágrimas do céu, e um orvalho
celestial congelada, por esta
razão the Ancients atribuído-lhes tantas virtudes. O sol e as estrelas parecem
ter também um
cuidado especial para os metais, e um diria que a natureza deixa-lhes o dever
de dar-lhes
sua forma. A alma dos metais é, podemos dizer aprisionado em seu invólucro
material; Filosofal
O fogo pode desenhá-lo a partir deste envelope e fazê-la produzir um digno
filho do sol, e um admirável
quintessência, que atrai céus perto de nós.

Page 48
A página de Arte Grande 48
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A luz é o princípio da vida, e na sombra da morte. As almas dos Mixts são os
raios de luz, e
seus corpos são abismos de sombras. Tudo vive por Luz, e tudo o que morre é
privado
dela. É por causa deste princípio, para a qual nós pagamos tão pouca atenção,
o que dizemos comumente de um
homem morto, il a perdu la lumière, (ele perdeu a luz), e como diz São João:
" A luz é a vida de
homens "( Evang., cap.
Eu
.).
Cada composição tem faculdades que lhe são próprias. Na medida em que os
animais estão em causa, precisamos apenas
para refletir sobre suas ações para ser convencido disso. O tempo de
acoplamento, a qual é tão bem conhecido
eles, a justa distribuição das peças na progênie, o uso que eles fazem de cada
membro, o
atenção e cuidado que eles dão para a nutrição e defesa de seus jovens, a sua
diferente
afetos, de prazer, de medo, de boa vontade para com seus mestres, sua
disposição para receber
instruções, a sua habilidade em obter as necessidades da vida, a sua prudência
em omitir aquilo que
poderia prejudicá-las, e muitas outras coisas que um observador pode
perceber, provar que a alma é
dotado de uma espécie de raciocínio.
Os vegetais têm também uma faculdade mental, e um método de conhecer e
prever. As faculdades vitais
estão com eles o cuidado de produzir o seu tipo, o multiplicativo, nutritiva,
aumentativa, sensível
e outras virtudes. Sua idéia é manifestada no presságio do tempo e do
conhecimento da
temperatura que lhes é favorável para germinar e brotar seus caules, a sua
estrita
observação das mudanças climáticas, como as leis da natureza, a escolha do
aspecto do céu, que é
adequado para eles, na forma de enterrar as suas raízes; de elevar seus caules;
de estender sua
ramos, de desenvolvimento de suas folhas, de formar e colorir seus frutos, de
transmutar os elementos
em alimentos, de infundir em seus germes uma virtude prolífico.
Por que certas plantas crescem apenas em determinadas épocas do ano, apesar
de um semeia-los logo que eles são
amadurecer, ou eles são semeadas pela queda natural de seus grãos? Eles têm
o seu princípio vegetativo, e
ainda que irá desenvolvê-lo apenas em determinados momentos, a menos que
a arte fornece-lhes o que eles iriam encontrar em
a estação adequada para elas. Por que uma planta semeada em terreno ruim,
ao lado de um bom solo, por que faz isso
dirigir as suas raízes para o lado da segunda? O que ensina uma cebola
colocada na terra, germinativas para baixo,
direcioná-la para o ar? Por que hera e outras plantas da mesma espécie, dirigir
a sua fraca
ramos para as árvores que podem sustentá-los? Porque é que a abóbora
empurrar seu fruto com toda a sua
força em direção a um vaso de água colocada perto dele? O que é que ensina
plantas, em que um observações
os dois sexos, a colocar-se sempre o macho perto da fêmea, e muitas vezes
muito inclinado
uns com os outros? Vamos confessar que tudo isso passa nosso entendimento,
que a Natureza não é cego e
que ela é regida pela Sabedoria.
Da geração e corrupção dos Mixts
Tudo retorna ao seu princípio. Cada indivíduo existe em potência no mundo
material antes
aparecendo em sua forma individual, e voltará em seu tempo e em sua ordem
para o ponto onde ele tem
partiram, como os rios no mar, para nascer de novo, por sua vez, ( Eccles.,
cap. IV 5 ). É talvez assim
que Pitágoras compreendeu sua metempsicose que não foi compreendido.
Quando o Mixt é dissolvido, por causa da fraqueza dos elementos corruptíveis
que o compõem,
a parte etérea abandona-lo, e retorna ao seu país natal. Em seguida, desarranjo,
desordem e
confusão ter lugar nas partes do corpo, devido à ausência do que preservada a
fim
na mesma. A morte, a corrupção, a tomar posse dela, até que o assunto recebe
influências de novo celestes,
que reunir os elementos dispersos, irá torná-los adequados para uma nova
geração.
Este espírito vivificante não separada da matéria durante a putrefação gerador,
porque não é
uma corrupção inteiro e perfeito, como aquele que produz a destruição da
Mixt. É uma corrupção

Page 49
A página de Arte Grande 49
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
combinados e causada por este mesmo espírito, para dar à matéria a forma que
se adapte o indivíduo que
é animar. É um tempo em um estado de inatividade, como vemos nos germes,
mas ele só precisa ser
animado. Assim, uma vez que é, ele coloca a matéria em movimento, e mais
actua, mais ela adquire
novas forças até que tenha terminado o aperfeiçoamento da Mixt.
Deixe os materialistas, os partidários ridículas de oportunidade na formação e
preservação de
compósitos, examinar o que temos dito, e refletir sobre a sério e sem
preconceito, e deixa
eles dizem então como um ser imaginário, pode ser a causa eficiente de algo
real e tão bem
combinado. Deixe-os seguir este passo a passo Natureza, seus processos, o
que significa que ela emprega e
seus resultados. Eles vão ver, se não fechar os olhos para a luz, para que a
geração do
compósitos tem um tempo determinado, de que tudo no universo é feito por
peso e medida,
e que apenas uma sabedoria infinita poderia presidir.
Os elementos começam a sua geração por putrefação. Eles são resolvidos em
uma natureza úmida ou Primeira
Matéria, então o caos é feita, e desta geração caos. Assim, com razão, que os
físicos dizem que
preservação é uma criação contínua desde a geração de cada um corresponde
ao
criação e preservação do macrocosmo. A natureza é sempre consistente, ela só
tem um caminho certo,
a partir do qual ela se afasta apenas por causa de obstáculos intransponíveis,
em seguida, ela faz monstros.
A vida é o resultado harmonioso da união da matéria com a forma, que
constitui a perfeição de
do indivíduo. A morte é o limite determinado onde a desunião e separação de
Forma da Matéria
ocorre. Começa-se a morrer logo que esta separação se inicia, e a dissolução
do Mixt é o
extremidade.
Tudo o que vive, seja vegetal ou animal, tem necessidade de alimento para a
sua preservação,
e há dois tipos de alimentos. Os vegetais são nutridos pelo menos no ar do que
na água e terra. O
seio da terra logo estaria esgotado se não for continuamente alimentada com o
leite Ethereal.
Moisés expressa isso perfeitamente nos termos da bênção que ele deu aos
filhos de José:
De benedictione Domini terra ejus; Pomis de Coeli et rore atque abysso
subjacente, Pomis
fructuum Solis et Lunœ; Pomis de collium œternorum, de vertice antiquorum
montium: et de frugibus
terrœ, et de plentitudine ejus, etc ., ( Deuter. 33 ).
Que a Natureza têm tido o cuidado de colocar os pulmões, os foles admirável
e incansável,
perto do coração simplesmente atualizá-la? Não, eles têm um escritório mais
importante: é a inalar e
transmitir ao coração este espírito etéreo que vem em auxílio dos espíritos
vitais; reparos sua perda
e multiplica-los às vezes. É por isso que nós respiramos mais freqüentemente
quando muito agitado, porque um
maior desperdício de espíritos lhes ocorre, e Nature busca reparar esta perda.
Filósofos dar o nome de espíritos , ou naturezas espirituais , não só para os
seres imateriais, que pode
ser conhecido apenas pelo intelecto, como anjos e demônios, mas também
para aqueles que, embora
material, não podem ser percebidos pelos sentidos, devido à sua grande
finura. Ar puro, ou Éter, é deste
natureza, assim como as influências dos corpos celestes, Fogo inata, seminais,
vitais, espíritos vegetais, etc Eles
são os ministros da Natureza, que parece agir sobre a matéria somente por
meio deles.
O Fogo da Natureza se manifesta em animais só pelo calor que se
excita. Quando é retirado
morte toma o seu lugar, o corpo elementar ou cadáver permanece todo até a
putrefação começa. Este Fogo
é muito fraco nos vegetais para tornar-se evidente, mesmo para o sentido do
tato.
Nós não sabemos qual é a natureza do fogo comum, sua matéria é tão tênue
que se manifesta
só pelos outros organismos a que se liga. Carvão não é fogo, nem é a madeira
que queima, nem
a chama, que é apenas uma fumaça inflamada. Parece ser extinto e
desaparecem quando o alimento é
faltando-lhe. Deve ser um efeito de luz sobre os corpos combustíveis.

Página 50
A página de Arte Grande 50
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Da Luz
38
A origem da Luz revela-nos a sua natureza espiritual. Antes de a matéria
começou a receber sua forma, Deus
Luz criado, que foi imediatamente difundida na matéria, que serviu como o
pavio para sua manutenção.
A manifestação da Luz foi, podemos dizer, o ato que Deus exerce sobre a
matéria, o primeiro
casamento do Criador com a criatura, do espírito com o corpo.
Na primeira difundido em todos os lugares, Luz parecia recolher ao sol, como
vários raios se unem em um ponto. O
luz do Sol é, portanto, um espírito luminoso, inseparavelmente ligado a esta
estrela, cujos raios são
revestida com partículas de éter, a fim de tornar-se sensível aos nossos
olhos. Eles são córregos que fluem
continuamente a partir de uma fonte inesgotável, e que se difundem por todo o
vasta extensão de
Universo.
No entanto, não devemos concluir que esses raios são puramente
espiritual. Eles são corporified com éter, como
a chama com a fumaça. Se nos fornecer, em nossos lares um combustível
perpetuamente smoky teremos uma
chama perpétua.
A natureza da luz é a fluir continuamente, e nós concordamos em chamar os
raios effluxions da
sol misturado com éter. No entanto, não devemos confundir com o raio de luz,
ou com o esplendor e
brilho. A luz é a causa, o efeito de brilho.
Quando uma vela acesa é extinto o espírito ígneo e luminosa, que inflama a
torcida, é
não perdeu, como comumente se acredita. Sua ação simplesmente desaparece
quando o alimento está faltando a ele. É
difundida no ar, que é o receptáculo da Luz, e da natureza espiritual do mundo
material.
Então corpos retornar pela resolução do problema de onde eles foram
derivados, assim também, o natural
formas de indivíduos retornar às formas universais, ou luz, que é o espírito
vivificante do
Universo. Não se deve confundir este espírito com os raios do sol, uma vez
que há apenas o veículo
dela. Ele penetra até ao centro da terra, quando o sol não está no nosso
horizonte.
A luz é para nós uma imagem viva da Divindade. Amor Divino ser incapaz,
para falar assim, conter-se em
si, foi difundido fora de si mesmo e se multiplicaram na criação. Portanto, a
luz não se limita a luminosa
corpos: está espalhado, é multiplicado, é como Deus, uma fonte inesgotável de
benefício. É
comunicada sempre sem qualquer diminuição, parece mesmo a adquirir uma
nova força por este
comunicação, como um mestre que, por transmitir conhecimento para seu
aluno, fortalece o seu próprio.
Este espírito ígneo, nascido em corpos pelos raios, é de fácil distingui-los. Os
últimos são
comunicados apenas contanto que encontrar em seu caminho há corpos
opacos que capturem o seu curso. O
ex-penetra até os corpos mais densos, uma vez que sentir o calor do lado de
uma parede oposta ao
aquela em que os raios de queda, ainda que não tenham sido capazes de
penetrar nela. Este calor existe mesmo
depois os raios desapareceram com o corpo luminoso.
Cada corpo transparente, vidro, especialmente, transmite esse espírito ígnea e
luminosa, sem
transmitir os raios: é por isso que o ar, o que está por trás, em fornecer um
novo corpo a esse espírito,
38
É o Agente Universal, o Mediador Plástico Universal, o receptáculo comum
das vibrações, do Movimento e da
imagens da Forma, Maya.
Este Agente Universal é o Od
Fazer
dos hebreus e de Chevalier de Reichembach, a Luz Astral dos Martinistas.
O uso e manipulação dessa força constitui o Grande Arcano da Magia Prática.
F. Jollivet-Castelot, comentar devient Alchimiste, p. 282.
O Agente Universal quando magnetizando o mundo, chama-se luz astral;
quando forma os metais, é nomeado um
Zoth
ou
Mercúrio Filosófico. . . Eliphas Levi.

Page 51
A página de Arte Grande 51
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
torna-se iluminado e forma novos raios, que são difundidos como os
primeiros. Além disso, toda
corpo transparente, enquanto servia como um meio para transmitir esse
espírito, não só se encontra esclarecido, mas
torna-se luminosa, e esse aumento de luminosidade é facilmente manifestou
para aqueles que notar. Este
aumento de esplendor não teria lugar, se o corpo transparente transmitido os
raios, pois
os recebe.
Mr. Pott parece ter adotado essas idéias dos filósofos herméticos sobre Luz,
em seu
Ensaio: de observações químicas e físicas sobre as propriedades e efeitos de
luz e fogo . Tem
concordaram perfeitamente com d'Espagnet, cujo sentimento eu aqui analisar
e que viveu cerca de um século e
meio atrás. As observações que este professor aprendeu de Berlim traz para a
frente, todos concordam em
provar a verdade do que dissemos. Ele chama Acenda a grande e maravilhosa
agente da Natureza . Ele
diz que o seu conteúdo, por causa da finura de suas partes, não pode ser
examinado por número, medida ou
peso; que a química não pode expor sua forma exterior, porque não pode ser
pensada em qualquer
substância, muito menos expressa, para que sua dignidade e excelência são
anunciados no Sagrado
Escrituras, onde Deus faz-Se a ser chamado pelo nome da Luz e do Fogo: uma
vez que é dito
que Deus é luz, para que Ele habita em luz, a Luz é a Sua Vestment; que a
vida consiste em luz, para que
Ele faz seus anjos chamas de fogo, etc, e, finalmente, que várias pessoas
consideram Luz sim como um
estar espiritual do que uma substância corpórea.
Ao refletir sobre Luz, a primeira coisa, diz o autor, que se apresenta aos meus
olhos e minha mente,
é a luz do sol, e eu presumo que o sol é a fonte de toda a Luz encontrados na
Natureza, que
toda a luz que retorna como no seu círculo de rotações, e que a partir dele que
é enviada de novo ao nosso planeta.
Eu não acho, acrescenta ele, que o sol contém uma queimadura, fogo
destruidor, mas que encerra uma substância
luminosa, pura, simples e concentrado, que ilumina tudo. Considero Luz como
uma substância que
delícias, que anima, e que produz o brilho, em uma palavra, eu considerá-lo
como o primeiro instrumento
que Deus empregou, e como o que Ele ainda emprega na Natureza. De onde
vem a adoração
que alguns pagãos têm prestado ao sol, onde a fábula de Prometeu, que
roubou o fogo
Céu, para comunicá-lo à terra.
Embora o Sr. Pott não aprova aparentemente, ele, na verdade, apoiar o
sentimento das pessoas
que fazem Ether um veículo da substância da Luz, porque, diz ele, que se
multiplicam os seres sem
necessidade. Mas se a luz é um ser simples, como ele confessa, poderia se
manifestar, exceto por alguns
substância sensível? Ele tem a propriedade de penetrar corpos muito sutis por
sua tenuidade, que é
superior à do ar, e por o seu movimento progressivo, que é mais rápido do que
podemos
imaginar, mas ele não se atreve a decidir se é devido a uma substância
espiritual, embora ele seja
certo que o princípio em movimento é tão antiga quanto a esta substância em
si.
Movimento, como o movimento, não produz luz, mas que se manifesta em
substâncias adequadas. Mostra
si só nos corpos celulares, isto é, em uma questão extremamente subtil,
adaptado para o rápido
movimento, se esta matéria flui imediatamente a partir do sol, ou a sua
atmosfera, e penetra
nós, ou seja (que aparece, diz que, mais provável), o sol põe em movimento os
extremamente
substâncias sutis de que a nossa atmosfera está cheia.
Este é, então, um veículo de luz, e um veículo, que não diferem de éter, desde
que este Savant
acrescenta ainda em: " É também a causa do movimento de luz que actua
sobre a éter, e o qual
vem principalmente e mais eficazmente do sol . "Este veículo não é, mesmo,
segundo ele, um
sendo multiplicadas sem necessidade.
Ele distingue Fogo da Luz, e observa as suas diferenças, mas depois de ter
dito que a Luz
produz brilho, ele confunde aqui o último com o princípio luminoso, como se
pode concluir
das instâncias que ele se refere. Eu teria concluído a partir deles que há um
fogo e uma
Claro que não queima, isto é, que não destruam os organismos em que estão
aderentes;

Page 52
A página de Arte Grande 52
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
mas não que há uma luz sem fogo. Esta falta de distinção entre o princípio, ou
causa de
o brilho e brilho, e o efeito desta causa, é a fonte de um número infinito de
erros
no que diz respeito a este assunto.
Talvez seja apenas o erro do tradutor, que pode ter utilizado os termos e Luz
brilho, indiferentemente como sinônimo. Eu estaria muito inclinado a
acreditar nisso, desde que o Sr.
Pott, imediatamente depois de ter relacionado os diferentes fenômenos de
substâncias fosforescentes, podre
madeira, pirilampos, argila queimada esfregou, etc, diz que a substância da
Luz, em sua pureza, ou
separado de qualquer outro corpo, não permitir-se a ser percebida; que tratá-lo
rodeado por
um envelope, e que sabemos que sua presença apenas por indução. Isto é para
distinguir luz, devidamente
falando, a partir do brilho que é o efeito do mesmo. Com esta distinção é fácil
explicar
grande número de fenômenos que permaneceria incompreensível sem ela.
Calor, embora o efeito de movimento, é, nós podemos dizer, identificado com
ela. Luz sendo o princípio
de Fogo, é o princípio do movimento e do calor. Sendo este último apenas um
menor grau de Fogo, ou a
movimento produzido por um fogo mais moderado, mais distante do corpo
afetada, é a este
movimento que a água deve a sua fluidez, uma vez que sem esta razão torna-
se gelo.
Não se deve confundir Fogo elementar com o fogo do fogão cook-e deve-se
observar que
o antigo torna-se um fogo ardente real somente quando combinado com
substância combustível, de si mesmo
dá nem chama, nem luz. Assim, o Phlogiston, ou uma substância oleosa,
sulfurosa, resinosa, não é
o princípio, mas simplesmente o assunto adequado para manter e manifestem-
se.
39
Os argumentos do Sr. Pott provar que as opiniões dos d'Espagnet e outros
filósofos herméticos,
em relação ao Fogo e Luz, são muito razoáveis e conforme à mais exata
físico-química
observações, uma vez que de acordo com este professor aprendeu de Química
na Academia de Ciências
e Belles-Lettres de Berlim. Então, esses filósofos entendido Natureza: e como
eles entendiam
ela, por que não tentar levantar o véu obscuro em que tenham ocultado seus
processos pela sua
enigmáticas, discursos alegóricos e mítico, ao invés de desprezar seus
raciocínios, porque eles
parece ininteligível, ou acusá-los de ignorância e engano?
Da preservação da Mixts
O espírito ígneo, o princípio vivificante dá vida e vigor aos Mixts, mas este
fogo se
logo consumi-los, se a sua actividade não foi temperado pelo humor aquoso
que os une
juntos. Esta umidade circula continuamente em todas as coisas. Ele faz uma
revolução no Universo, por
meio do qual alguns dos Mixts são formados, ou alimentada, ou mesmo um
aumento de volume, enquanto que a sua
evaporação e ausência faz com que os outros a perecer.
Todas as máquinas de compor o mundo apenas um corpo, todas as partes, que
são ligados por meios
que participam da natureza dos extremos. Esta ligação está escondido, este nó
é secreto, mas não é o
menos real, e é por isso que a média de todas estas partes se prestam a ajuda
mútua, uma vez que existe um
relação, e um verdadeiro comércio entre eles. Os espíritos emissário do
naturezas superior fazem e
manter esta comunicação, alguns vão embora, enquanto outros vêm; algum
retorno à sua origem, enquanto
outros descem a partir dele, o último veio toma o seu lugar, os outros divergir,
por sua vez, ainda outros
sucedê-los, e por este fluxo contínuo e refluxo Natureza é renovada e
mantida. Estes são o
asas de Mercúrio, com a ajuda de que este mensageiro dos deuses feito tais
visitas freqüentes ao
habitantes dos Céus e da Terra.
39
Uma substância muito semelhante ao Fogo do filósofo é de oxigênio, um gás
sem a presença do qual a combustão é
impossível, embora incombustível si, e bastante oposto ao de hidrogênio, que
queima no ar, embora incapaz de
manter a combustão.
EB

Page 53
A página de Arte Grande 53
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Esta sucessão de espíritos circular é feita através de dois meios, rarefacção e
de condensação que
Natureza emprega para espiritualizar corpos e corporify espíritos, ou, se
quisermos, para diluir o bruto
elementos, para abri-los, para elevá-los à natureza sutil de assuntos espirituais,
e, em seguida, fazê-los
retornar à natureza dos elementos grosseiros e corporal. Eles sofrem
continuamente como
metamorfose. O ar fornece água uma substância aérea fina que começa a
corporify; água
comunica-lo para a terra, onde é corporified ainda mais. Torna-se então para
alimentar mineral e
legumes. Neste último, torna-se caule, casca, folhas, flores, frutas, em uma
palavra, uma palpável corporal
substância.
No animal, Natureza separa a parte mais sutil, o mais espiritual dos alimentos
sólidos e líquidos,
mudá-la no princípio da alimentação. Ele muda e especifica a substância pura
em esperma,
carne, osso, etc, e deixa as peças mais grosseiras e mais heterogêneo dos
excrementos. Arte
imita a natureza em suas resoluções e composições.
Da Úmido Radical
40
A vida ea preservação dos indivíduos consiste na união íntima entre forma e
matéria. O nó, a
bond, que faz desta união, consiste em que o fogo inato com o Radical
úmido. Este
umidade é a mais pura, a parte mais digerido da matéria, e um óleo
extremamente retificada pela
alambiques da natureza. Os germes de coisas contém muito deste Radical
úmido, em que uma centelha de
Fogo celeste é alimentada, e quando colocado numa matriz adequada, causas,
quando constantemente auxiliado, todos
que é necessária para a produção.
Encontramos algo imortal neste radical húmido, a morte das Mixts não causar
a
desaparecer ou desaparecer. Ele resiste até mesmo o fogo mais violento, uma
vez que pode ser encontrado nas cinzas de
queimado cadáveres.
Cada Mixt contém duas umidades, a de que acabamos de falar, e um
elementares
umidade, em parte aquosa, em parte aérea. As últimas produções para a
violência do fogo, ele desaparece na fumaça,
em vapores, e quando ele é totalmente evaporada do corpo é apenas cinzas, ou
partes separadas por um de
o outro.
Não é assim com o Radical Úmido; uma vez que constitui a base das Mixts,
ele enfrenta a tirania do fogo,
sofre o martírio com coragem insuperável, e permanece obstinadamente
ligado às cinzas do
Mista, o que indica claramente a sua grande pureza.
A experiência tem demonstrado que os tomadores de vidro, as pessoas
geralmente muito ignorantes sobre Natureza, que este
Umidade está escondido em cinzas. Eles descobriram, por meio de fogo o
segredo de manifestá-la, até o momento
como arte e a violência do fogo artificial são capazes. Para fazer o vidro das
cinzas devem ser fundidos, e não
poderia haver fusão, onde não existe humidade.
Sem saber que os sais extraídos de cinzas contêm a maior virtude dos Mixts,
trabalhadores queimar a palha e capim para aumentar a fertilidade dos seus
campos. A prova de que este Humid
Radical é inacessível aos ataques de fogo, isto é o princípio da geração, a base
do
Mixts, e que a sua virtude, seu fogo ativo, permanece apática apenas até a
terra, matriz comum de
princípios, desenvolve as suas faculdades, o que vemos diariamente em
sementes.
40
Ou umidade viscoso . É o Mercúrio dos Filósofos, que é a base de todos os
seres dos três reinos da
Natureza, mas o que é mais particularmente a semente e base de metais
quando filosoficamente preparados para o trabalho hermético. -
Pernety. Dict. Mito. Herm. P. 202.

Page 54
A página de Arte Grande 54
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Este Balm Radical é o fermento da Natureza, que está espalhada por toda a
massa de
indivíduos. É uma tintura indelével, que tem a propriedade de se multiplicar e
que penetra
até mesmo a sua grosseira detritos, já que um emprega-lo com sucesso em
terras estrume e para aumentar a sua
fertilidade.
Pode-se, com razão conjectura, que esta base, esta raiz dos Mixts, que
sobrevive a sua destruição, é
uma parte da primeira matéria , a parte mais pura e indestrutível carimbado
com o selo de Luz
que recebeu formulário. Para o casamento desta primeira matéria com a sua
forma é indissolúvel, e todo o
elementos corporified como indivíduos derivam sua origem a partir dele. Na
verdade não era um assunto necessário
para servir como base incorruptíveis, e como a raiz cúbica para Mixts
corruptíveis, para ser capaz de ser a sua
princípio, constante, permanente e ainda material, em torno do qual giraria
continuamente as vicissitudes
e as mudanças que os seres materiais experiência diária?
Se alguém foi permitido conjecturas e para penetrar na obscuridade do futuro,
não se diz
que esta substância inalterável é a fundação do mundo material, e o fermento
da sua
imortalidade, por meio do qual a existir, mesmo depois da sua destruição,
depois de ter passado através do
tirania de fogo, e depois de ter sido purificado dos seus defeitos originais, a
fim de ser renovado e
tornar-se incorruptível e inalterável por toda a eternidade?
Parece que a luz tem ainda como funcionava apenas sobre ele, e que deixou o
resto na sombra. Assim
preserva sempre uma centelha dela, que só é necessário para excitar.
Mas o fogo inata é muito diferente da humidade. Ele participa da
espiritualidade da Luz, ea
Úmido Radical é de natureza a meio caminho entre a matéria extremamente
sutil e espiritual da Luz, e
elementar, a matéria bruta, corpóreo. A partilha da natureza de ambos, e liga
estes dois
extremos. É o selo do tratado visível e palpável de luz e sombras, o ponto de
união e
do comércio entre os Céus ea Terra.
Assim, não se pode, sem erro, confundir este úmido Radical com fogo
inata. O último é o
habitante, o ex-habitação, a habitação. Trata-se, em todos os Mixts, o
laboratório de Vulcano, o
lar em que seja preservada que fogo imortal, o primeiro-motor criado a partir
de todas as faculdades da
indivíduos, o bálsamo universal, o mais precioso Elixir da Natureza, o
Mercury perfeitamente sublimada
da Vida, que a natureza distribui por peso e medida para todos os
Mixts. Quem vai saber como
extrair o tesouro do coração, e do centro escondido das produções deste
mundo inferior,
a despojar-lo de sua casca grossa elementar, que esconde de nossos olhos, e
desenhá-lo a partir do
prisão escura em que é fechado e inativo, pode gabar-se de saber como tirar o
máximo partido
precioso M
Edicine
para aliviar o corpo humano.
Da harmonia do universo
Os corpos superiores e inferiores do Mundo com a mesma fonte, e ao mesmo
assunto como um
princípio, ter preservado a simpatia que faz com que o mais puro, o mais
nobre, o mais forte,

Page 55
A página de Arte Grande 55
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
comunicar com aqueles que são menos toda a perfeição de que são
susceptíveis. Mas quando o
órgãos dos Mixts são mal organizadas, naturalmente ou através de acidentes,
esta comunicação é
prejudicada: a ordem estabelecida para este comércio é desequilibrado, o
fraco, sendo menos ajudado, torna-se
mais fraco, sucumbe, e torna-se o princípio de sua própria ruína, toupeira ruit
Suá . ( Cosmop. Trato 2 ).
As quatro qualidades de elementos, de calor, secura e umidade, são, podemos
dizer, os tons harmônicos
na Natureza. Eles não são mais contrário do que o tom sério na música é a
aguda, mas são
diferentes, e separadas por intervalos, ou tons médios, que ligam os dois
extremos. Assim como por
esses tons médios uma bela harmonia pode ser composto, de forma natural
pode combinar as qualidades
dos Elementos, de modo a que a partir deles possa resultar um temperamento
41
que constitui a dos Mixts.
De Movimento
Propriamente falando, não há descanso na Natureza, ( Cosmop. Trato 4 ). Ela
não pode ficar ocioso, e se
ela deve permitir repouso real para suceder Movimento por um único instante,
todas as máquinas da
Universo cairia em ruínas. Movimento tem, podemos dizer, elaborado a partir
nada; repouso seria
replunge-lo em nada. Que a que damos o nome de repouso, é apenas menos
movimento rápido,
menos sensível. O movimento é, em seguida, continuamente, em cada parte
como no conjunto. Natureza age sempre na
interior das Mixts. Mesmo corpos não estão em repouso, uma vez que eles
estão corrompidos, e dado que a corrupção
não pode ter lugar sem movimento.
Ordem e uniformidade reinado na forma de movimento, a máquina do mundo,
mas há
diferentes graus neste movimento, o que é desigual e diferente em coisas
diferentes e desiguais.
Geometria exige ainda a lei da desigualdade, e podemos dizer que os corpos
celestes têm um igual
Movimento em progressão geométrica, ou seja, em proporção com a diferença
do seu tamanho, a sua distância e
sua natureza.
Nós perceberá facilmente no decurso das estações que os métodos que a
Natureza emprega apenas diferem
na aparência. Durante o inverno, ela aparece sem movimento, morto, ou pelo
menos torpe. No entanto, é
durante esta temporada morto ( morte saison ), que ela prepara, digere,
abrange as sementes, e dispõe
los para a geração. Ela dá à luz, a falar assim, na primavera, ela nutre e partes
traseiras no
verão. Ela ainda amadurece certas frutas, ela mantém outros para o outono,
quando eles precisam de um
mais digestão. No final deste tempo tudo se deteriora, a fim de ser eliminados
por um novo
geração.
Experiências homem nesta vida as mudanças das quatro estações. Sua inverno
não é o tempo da velhice, como
costumamos dizer, é que ele passa no ventre de sua mãe, sem ação e nas
sombras,
porque ele ainda não tenha aproveitado os benefícios da luz solar. Mal se ele
nasceu quando ele começa a
crescer: ele entra em sua nascente, que dura até que ele é capaz de amadurecer
seus frutos. Então, seu verão
consegue, ele se fortalece, ele digere, ele desenvolve o princípio da vida, que é
para dar a
outros. Quando o fruto está maduro, outono toma posse dele, ele seca, ele
murcha, ele se inclina
para o princípio de que a sua natureza chama-lo, ele cai, ele morre, ele não é
mais.
A partir da distância desigual e varia do sol prosseguir as diferenças entre as
estações. O
Filósofo que deseja imitar os processos da natureza das operações da Grande
Obra, deve
meditar sobre eles muito a sério.
41
Temperamento, na música, é o nome dado pelos teóricos do século XVIII, ao
que os músicos modernos chamam
Tonalidade , viz. ", o conjunto das leis que regem as misteriosas rapports
existentes entre os sons, seja ouvido
sucessiva ou simultaneamente. "
EB

Page 56
A página de Arte Grande 56
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Não vou aqui entrar em detalhes dos diferentes movimentos dos corpos
celestes. Moisés explicou
somente aquilo que diz respeito ao mundo em que vivemos. Ele disse quase
nada de outros planetas, sem dúvida,
a fim de que a curiosidade humana deve encontrar matéria para admiração, ao
invés de assuntos para a disputa. O
desejo desordenado de saber tudo ainda tiraniza a mente fraca do Homem. Ele
não sabe como
conduzir-se, no entanto, ele é louco o suficiente para prescrever as regras do
Criador para realizar o Universo. Ele
torna os sistemas, e fala em um tom tão decisivo, que seria dizer que Deus
consultou-o a
desenhar o mundo do nada, e que ele sugeriu ao Criador das leis que
preservam
a harmonia de seus movimentos gerais e particulares. Felizmente os
argumentos desses pretensos
filósofos não têm nenhum efeito sobre essa harmonia. Nós teríamos razão para
temer as consequências de
dolorosa para nós, como aqueles que se desenha a partir de seus princípios são
ridículas. Vamos nos acalmar:
o mundo vai continuar em seu curso, desde que ele irá agradar o seu Criador
para preservá-la. Não percamos
o tempo de uma vida tão curta como a nossa, em disputa sobre as coisas de
que somos ignorantes. Vamos sim
buscar o remédio para os males que nos oprimem: vamos implorar a Ele que
criou a Medicina de
da Terra , a fim de permitir-nos a conhecê-lo, e que depois de ter nos
favorecido com este conhecimento maravilhoso que
deve usá-lo apenas para o benefício do nosso próximo, através do amor do Ser
soberano, a quem
só seja dada glória por todos os séculos.

Page 57
A página de Arte Grande 57
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
PARTE II
Tratado
no
Trabalho Hermética.

Page 58
A página de Arte Grande 58
Copyright © Flaming Productions Espada 1997

Page 59
A página de Arte Grande 59
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Tratado sobre a Grande Obra
O objectivo desta arte é descobrir a fonte de uma vida longa e riquezas, duas
bases sobre as quais o
felicidade desta existência humana repousa. Ele sempre foi um mistério, e
aqueles que têm tratado de
lo, tem em todos os tempos se fala, como uma ciência, a prática de que
contém algo surpreendente,
e o resultado de que participa da natureza do milagre em si e nos seus
efeitos. Deus, o
Autor da Natureza, que o filósofo propõe a imitar sozinho, pode iluminar e
orientar o
mente humana na busca por esse tesouro inestimável, e no labirinto das
operações desta
Art. Então, todos esses autores recomendam um para tratar a si mesmo ao
Criador e à demanda de
Lhe esse favor com muito fervor e perseverança.
Deveríamos nos surpreender que os possuidores de um belo segredo é ter
velado nas sombras
de hieróglifos, fábulas, alegorias, metáforas e enigmas, a fim de manter o
conhecimento de que a partir
a multidão? Eles escreveram apenas para aqueles a quem Deus se digna a
esclarecer a respeito dela. A
condenam-los, para declamar fortemente contra a Ciência, porque um tem
feito esforços inúteis para obtê-la,
é uma baixa vingança, é ferir a própria reputação, é de publicar sua própria
ignorância, e
impotência para ter sucesso. Deixe um levantar a voz contra os químicos
vulgares, aqueles souffleurs ,
os queimadores de carvão, que, depois de ter sido enganado por sua própria
ignorância, procuram fazer dupes
dos outros. Eu estaria disposta a aderir a esta classe de críticos. Eu até gostaria
que a voz de Stentor para
tornar-me melhor ouvida. Mas quem são aqueles que se preocupam com a fala
ea escrita
contra a Filosofia hermética? As pessoas que são ignorantes sobre isso, eu
aposto, mesmo de sua definição, as pessoas
cujo mal-humor está animado com o preconceito. Faço um apelo a sua boa fé,
deixe-os considerar seriamente
se eles entendem o que eles criticam, eles têm lido e re-lido vinte vezes ou
mais,
os bons autores que tratam deste assunto? Quem dentre eles pode lisonjear-se
de que ele sabe o
operações e processos desta arte? O que Édipo deu-lhes o conhecimento de
seus enigmas, e sua
alegorias? O que sibila introduziu-los em seu santuário? Deixe-os permanecer
então na estreita
esfera de seu conhecimento: ne sutor ultra-crepidam . Ou, já que está na
moda, deixá-los latir depois
um grande tesouro tal qual o desespero de se obter. Consolação pobres, mas a
única que
continua a eles. E faria a Deus para que seus gritos podiam ser ouvidos por
todos aqueles que perdem o seu
riqueza, na busca daquilo que lhes escapa, ao invés de conhecer os processos
simples da Natureza.
Monsieur de Maupertuis pensa diferente dele. Sob qualquer aspecto se
considera o
Pedra Filosofal, não se pode, diz que este célebre acadêmico, comprovar a
impossibilidade de
obtê-lo, mas o seu valor, acrescenta ele, não é suficiente para equilibrar a leve
esperança de encontrá-lo, ( Lettres ). M.
de Justi, diretor-geral das minas de Imperatriz-Rainha da Hungria, prova não
só o
possibilidade de ele, mas a sua existência real, em um discurso que ele deu
para o público, o
argumentos que se baseiam em sua própria experiência.

Página 60
A página de Arte Grande 60
Copyright © Flaming Productions Espada 1997

Page 61
A página de Arte Grande 61
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Philosophical Conselhos
Adorar a Deus sozinho, amá-Lo de todo o coração, e ao teu próximo como a ti
mesmo. Tenha sempre a
glória de Deus como o objetivo de todas as suas ações, invocai-o, Ele vai te
ouvir, glorificá-lo, ele vai
exaltará.
Ser lento em discurso e ação. Não confie em sua própria prudência, após o seu
conhecimento, ou mediante
a palavra e as riquezas dos homens, especialmente dos grandes. Põe tua
confiança em Deus. Cultivar o talento
que Ele confiou a você. Seja avarento de tempo, é infinitamente curto para um
homem que sabe como
usá-lo. Não deixe para amanhã, o que não é seu, o que você deve fazer hoje.
Associe-se com o bom eo sábio. O homem nasceu para aprender, sua
curiosidade natural é uma prova palpável
deste, e estagnar na ociosidade e da ignorância, é degradar a
humanidade. Quanto mais o homem conhece a
mais de perto se aproxima o autor do seu ser, quem sabe tudo isso. Portanto, o
lucro pelo
conhecimento dos Sábios; receber suas instruções com suavidade, e suas
correções sempre em
parte boa. Fugir da associação dos ímpios, a multiplicidade de assuntos, ea
multidão de
amigos.
Ciências são adquiridos apenas pelo estudo, pela meditação , e não pela
disputa. Conheça um pouco de cada vez;
repetir muitas vezes o mesmo estudo, a mente pode fazer tudo quando
concentrado em um único objeto, mas nada
ao tentar abraçar muitos.
Conhecimento, juntou-se pela experiência, constitui a verdadeira
sabedoria. Faltando isso, deve-se recorrer a
opinião, a duvidar, a conjecturas e à autoridade.
Os sujeitos da Ciência é Deus, o Universo, ou Macrocosmo, e do Homem. O
homem foi feito para
Deus, Mulher de Deus e Homem, e as outras criaturas para homem e mulher,
( Sap. cap. 9, v.2 e
seguir.) , de modo que eles devem fazer uso deles para as suas ocupações, a
sua própria preservação, e as
glória de seu autor comum. Acima de tudo, agir de modo a estar sempre em
harmonia com Deus e com o seu
vizinho. A vingança é uma fraqueza no homem. Nunca faça um inimigo, e se
alguém faz mal para você,
seria melhor e mais nobre, para vingar-se fazendo o bem a ele.
Aforismo. Da verdade das Ciências
Existem dois tipos de ciências, e não mais. Religião e Física, isto é, a ciência
de Deus
ea ciência da natureza: todos os outros são apenas ramos destas. Há ainda os
falsos, pois eles
são erros em vez de ciências.
Deus dá o primeiro em sua perfeição para Santos e os filhos do Céu; ilumina a
mente de
homem para que ele possa adquirir o segundo, e o Demônio joga nele nuvens
para sugerir a falsa
onas.
Religião vem do céu, é a verdadeira Ciência, porque Deus, a fonte de toda a
verdade, é o seu
Autor. Física é o conhecimento da natureza, com isso o homem pode fazer
coisas maravilhosas . Mens Humana
mirabilium Effectrix .
O poder do homem é maior do que se poderia imaginar. Ele pode fazer tudo
com a ajuda de Deus, nada
sem ela, a não ser o mal.

Page 62
A página de Arte Grande 62
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A chave da Ciência
O primeiro passo para a sabedoria é o temor de Deus, segundo o
conhecimento da Natureza. Por isso subimos
mesmo com o conhecimento de seu autor, ( São Paulo, Rom. Ch. I, v.20) . A
natureza ensina a discernir a
Filosofia hermética. O tempo de trabalho é sempre Natureza é, ela funciona de
forma simples, por graus, e sempre
pelos mesmos meios para produzir o mesmo resultado. A obra de arte é mais
curto, que ultrapassa a natureza. O
trabalho de Deus é feito em um instante. Alchemy, propriamente falando, é
uma operação de natureza, auxiliado por
Art. Ele coloca em nossas mãos a chave da Magia Natural, ou Física, e nos
torna maravilhoso para os homens, por
elevar-nos acima das massas.
De sigilo
A estátua de Harpócrates, que tinha uma mão sobre a boca, era, entre os
antigos, o emblema
de sigilo, o que é reforçado pelo silêncio, e torna-se mais fraco e desaparece
por revelação. Jesus
Cristo, o Salvador, revelou nossos mistérios apenas aos seus discípulos, e
falou sempre para o povo
através de alegorias e parábolas, Vobis datum est Noscere mysteria regni
cœlorum. . . . Sine parabolis
não loquebatur cis, ( Matth. Ch. 13, v
II
. - Mark ch. IV, V
II
. - Matth. Ch. 13, versículo 34 ).
Os Sacerdotes, entre os egípcios, o Magii, entre os persas, o Mecubales e
cabalistas,
entre os hebreus, os brâmanes, na Índia, os Gimnosofistas na Etiópia, os
Orpheuses, o
Pythagorases, os Platos, os Porphyrys, entre os gregos, os druidas, entre as
raças ocidentais;
falei das ciências secretas apenas através enigmas e alegorias, se tivessem
declarado sua verdadeira
objeto, não teria havido nenhum mistério eo sagrado teria sido confundido
com o
profano.
Dos meios de chegar no Secret
Os requisitos necessários para se chegar a este Segredo, são: o conhecimento
da natureza e da
É um self. Não se pode compreender perfeitamente o primeiro, o segundo ou
mesmo, sem a ajuda de
Alquimia. O amor da sabedoria, o horror do crime, e da falsidade, a prevenção
de cacochemists,
a associação dos sábios, a invocação do Espírito Santo, para não adicionar
segredo segredo, para anexar
a si mesmo apenas para uma coisa (porque Deus ea Natureza prazer em
unidade e simplicidade), como o
condições necessárias para a obtenção da revelação divina.
Homem que é o epítome de toda a natureza, deve aprender a conhecer a si
mesmo como o resumo, a miniatura de
Nature. Por sua parte espiritual, ele é aliado de todas as criaturas imortais, e
por sua parte material, tudo o que
que é transitório no Universo.
Das chaves da Natureza
De todas as coisas materiais podem ser feitos de cinzas, a partir de cinzas de
um faz de sal, de Salt uma separa
Água e Mercúrio, a partir de um Mercury compõe um Elixir, ou
quintessência. Um corpo é colocado em
cinzas para ser purificado de suas partes; combustíveis em Salt, a ser
separadas de suas partes terrenas, na água,
para se decompor e apodrecer, e no Espírito para se tornar quintessência.
Os sais são as chaves de arte e natureza, sem o conhecimento deles é
impossível imitá-la
nas suas operações. Devemos conhecer sua simpatia e antipatia com os metais
e com eles mesmos.

Page 63
A página de Arte Grande 63
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Existe, propriamente falando, apenas um sal na natureza, mas está dividida em
três tipos, para formar o
princípios dos corpos. Estes três são N
ITRE
, T
Artar
e V
ITRIOL
, Todos os outros são compostos de
eles.
N
ITRE
42
é feita a partir do primeiro sal por attentuation, subtilização ea purificação do
produto em bruto
e partes terrestres de frio, que são misturados com o mesmo. O sol inventa-lo,
digere-lo em todas as suas partes, faz
em que a união dos elementos, e impregna-lo com poderes seminais, que
carrega com a chuva
para a terra, a matriz comum.
O Sal da T
Artar
43
é o mesmo assunto mais digerida pelo calor da matriz em que se encontrava
colocado, porque esta matriz serve como uma fornalha na Natureza. Assim, a
partir de Nitre e Tartar de vegetação
é formada. Este sal é encontrada onde Nitre foi depositada, mas especialmente
na superfície do
terra, onde orvalho ea chuva fornecê-la em abundância.
V
ITRIOL
é o mesmo Nitre sal, que, depois de ter passado pela natureza do tártaro,
torna-se um
sal mineral por um longo cocção em fornos quentes. É encontrada em
abundância nas cavidades e as aberturas
da terra, onde se une com um humor viscoso que torna metálico.
De Princípios metálicas
A partir dos sais de que acabamos de falar, e de seus vapores é feita a Mercury
que o
antigos têm chamado esperma mineral. Deste Mercury e de enxofre, seja puro
ou impuro,
são feitos todos os metais, quer no interior da terra, ou na sua superfície.
Quando os elementos, corporified por sua união, assumir a forma de salitre,
ou Tártaro, e de vitríolo,
o fogo da natureza, animado pelo calor solar, digere a umidade que o
ressecamento destes sais atrai,
e separando o puro do impuro, o sal a partir da terra, as peças homogéneas do
heterogênea, ele engrossa o esperma mineral em mercúrio, em seguida, em um
metal puro ou impuro,
de acordo com a mistura e para a qualidade da matriz.
A diversidade de enxofre e de mercúrio, mais ou menos pura, e mais ou
menos digerido, a sua união
e suas combinações diferentes dão origem à numerosa família do reino
mineral. Stones,
marcassites, minerais, diferir de acordo com a variedade das suas matrizes e
da maior ou menor grau
de cocção.
Da questão da Magnum Opus em Geral
44
Os filósofos têm aparentemente falado deste assunto apenas para escondê-lo,
pelo menos quando há uma
questão de designar-se particularmente. Mas quando falam dele, em geral,
aumentar muito
sobre suas qualidades e propriedades e dão a ele os nomes de todos os
indivíduos do universo,
porque eles dizem que é o princípio ea base deles. "Investigar, dizem que o
Cosmopolita ( Trato
Eu
) e
ver se o que você se propõe a fazer, é conforme com o que a natureza pode
fazer. Veja quais os materiais que emprega
eo que ela usa vaso. Se você quiser fazer só o que ela faz, segui-la passo a
passo. Se você deseja
fazer melhor, ver o que melhor pode servir para este fim, mas permanecerá
sempre em naturezas do mesmo tipo. Se,
42
É o Serpens Terrenas de Basílio Valentin.
43
Um solvente, de acordo com Basílio Valentin e alguns outros filósofos.
44
A matéria da Grande Obra era ouro e prata unido a Mercúrio e preparados de
uma maneira especial. O ouro foi
escolhido por sua abundância de enxofre, Prata como contendo um Mercury
muito puro, como por mercúrio, que representou o Sal,
significa para unir ambos Enxofre e Mercúrio.
Albert Poisson: teorias et Symboles.

Página 64
A Grande Arte página 64
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
por exemplo, você deseja pressionar um metal além da perfeição que recebeu
da natureza, você
devem ter seus materiais do reino metálico, e sempre um macho e uma fêmea,
sem o qual
você não vai ter sucesso. Por que você iria se esforçar para fazer um metal
com grama ou com um animal, assim como
seria impossível produzir uma árvore de um cão ou outro animal. "
Esta matéria primordial é comumente chamado de enxofre e
Quicksilver. Raymond Lully, ( Codicit. c.9, )
chama os dois extremos do S
TONE
e de todos os metais. Outros dizem que, em geral, que o sol é
seu pai, a lua sua mãe, que é macho e fêmea, que é composto de quatro, de
três, de
dois e de um
45
e tudo isso para escondê-la. Ele é encontrado em toda parte na terra, no mar,
na
planícies, nos montes, etc O mesmo autor que diz que sua matéria é único, diz
também que o
S
TONE
é composto de vários princípios individuais. Todas essas contradições são
apenas aparentes,
porque eles não falam da matéria a partir de um único ponto de vista, mas no
que diz respeito à sua geral
princípios, ou aos diferentes estados em que ela é encontrada em suas
operações.
É determinado que existe apenas um princípio em todas natural, e que é a
mesma no S
TONE
como
outras coisas. É necessário, então, saber distinguir o que dizem os filósofos da
matéria em
geral, a partir do que dizem dele em particular. Existe também uma única
espírito fixo, constituído por uma muito
pura e incombustível fogo, que tem a sua sede no úmido radical do Mixts. É
mais perfeito
em ouro do que em qualquer outra coisa, e só o Mercúrio dos Filósofos tem a
propriedade eo poder de
desenhá-lo de sua prisão, de corromper-lo e dispor para geração. Quicksilver é
o princípio
de volatilidade, de maleabilidade e de mineralidade, o espírito fixa de ouro
não pode fazer nada sem ele. O
ouro é humedecida, re-incruded , volatilizados, e submetido a putrefacção
pela operação de mercúrio;
e este último é digerido, engrossado, seca e fixada por a operação de ouro
Sophic, o que torna
que por este meio uma tintura metálico.
Juntos, eles formam o Mercúrio eo Enxofre dos Filósofos. Mas não é o
suficiente para que um
Enxofre metálico entra neste trabalho como um fermento, também deve haver
um como um esperma ou germe de uma
natureza sulfurosa para se unir com o germe da substância mercurial. Este
enxofre e este Mercury
foram sabiamente representado com os antigos por duas serpentes, a um
macho, o outro do sexo feminino,
torcido em torno da haste de ouro da Mercury. Esta haste é o Espírito Fixa,
para o qual devem ser
anexado. Estas são as serpentes enviadas por Juno contra Hércules quando
este herói ainda estava no berço.
Este enxofre é a alma do corpo, e com o princípio da exuberation de sua
tintura;
46
comum
mercúrio é privado dele; ouro e prata comum tê-la só para si.
47
O mercúrio adequado
para o trabalho, deve primeiro ser impregnado com um Enxofre invisível
48
( d'Espagnet, cân. 30 ), a fim
que pode ser mais dispostos para receber a tintura visível dos corpos perfeitos,
e que pode ser capaz
em seguida, para comunicá-lo com interesse.
Muitos químicos sangue suor e água para extrair a tintura de ouro comum,
eles imaginam que
torturando-lo podem fazê-lo vomitar e que, em seguida, eles vão descobrir o
segredo de aumentar e
multiplicando-o, mas
Spes conjunto Agricolas Vanis eludit Aristis.
45
Isso quer dizer que dos quatro elementos, dos três princípios, do fixo e volátil
e de uma matéria exclusiva.
EB
46
Esta tintura é extraído ouro.
A
Lbert
P
OISSON
.
47
Ouro e Prata preparado para o trabalho eram chamados de Ouro e Prata
Sophic. Exceto ouro nativo e prata, que são
suficientemente puro, estes metais foram purificados em primeiro lugar: o
ouro por cimentação, ou de antimónio, de prata por coupellation, isto é, pela
liderar.
( Jollivet Castelot )
48
Ao dissolver em água morna mercúrio, puro ouro vermelho quente na
proporção de uma parte de ouro para sete partes de água destilada
mercúrio. Veja Secreta Alchemiœ de São Tomás de Aquino.
EB

Página 65
A página de Arte Grande 65
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Virg. Georg.
Porque é impossível para a tintura solar para ser totalmente separada de seu
corpo. A arte não pode desfazer
nesta classe que a Natureza tão bem unidos. Se por meio do fogo, ou por
corrosão de forte
águas (ácidos), eles têm sucesso na elaboração de ouro um licor de cor e
permanente, deve ser
considerada simplesmente como uma porção do corpo, e não como sua
tintura, pois o que constitui o
Tintura, propriamente falando, não pode ser separado do ouro. É este termo,
tintura, o que provoca
a ilusão da maioria dos artistas. Admito que é uma tintura, pelo menos eles
vão concordar que é alterado pela
a força de fogo, ou as águas fortes, que não pode ser de grande ajuda no
trabalho, e que não podia
para dar corpos voláteis, a fixidez do ouro a partir da qual foi separada. Por
estas razões
d'Espagnet ( Can. 34 ), aconselha-os a não desperdiçar o seu ouro e prata em
um trabalho tão trabalhoso, a partir de
que poderiam derivar nenhuma vantagem.
Antigos nomes filosóficas dadas a esta matéria
Os filósofos antigos escondido o verdadeiro nome da matéria do Opus
Magnum com tanta
cuidar como a Moderna. Falaram que só em alegorias e símbolos. Os egípcios
representado em
sua hieróglifos sob a forma de um boi, que era ao mesmo tempo o símbolo de
Osiris e
Isis, a quem eles deveriam ter sido irmão e irmã, marido e mulher, os dois
netos de
o Céu ea Terra. Outros têm dado a ele o nome de Vênus. Eles também têm
chamado
Andrógino, eo Andromeda, esposa de Saturno, filha do deus Netuno, Latona,
Maya,
Semele, Leda, Ceres, e Homer honrou mais de uma vez com o título de Mãe
do
deuses. Foi também conhecida sob os nomes de Rhea

significado, terra fusível, e
finalmente, por uma infinidade de outros nomes femininos, de acordo com as
diferentes circunstâncias nas quais é
encontrados nas operações sucessivas da obra. Eles personificada, e cada
circunstância mobilado
eles um assunto para inúmeros fábulas alegóricas, que eles inventaram que
parecem boas para eles.
Desejos filosofia hermética que o Latten , (nome que também tem o prazer de
dar-lhes a sua
Matéria), é composta por um ouro e prata, em bruto, volátil, imaturo e cheio
de escuridão durante o
putrefação, o que é chamado de Barriga de Saturno , do qual Venus foi
engendrado. É por isso que ela é
considerado como nascido do mar filosófico. O sal que foi produzido a partir
desse mar, foi representado
por Cupido, filho de Vênus e Mercúrio, Vênus, porque então significava
Enxofre e Mercúrio,
Quicksilver ou Mercúrio Filosófico.
Nicolas Flamel tem representado a Primeira Matéria em figuras hieroglíficas,
sob a forma de dois
dragões, um alado, o outro sem asas, para significar, segundo ele, (Explication
des Signes. Ch. 4), "a
princípio fixo, ou masculino, ou enxofre, e por aquilo que tem asas, o
princípio volátil, ou umidade,
ou mulher, ou Quicksilver. Estes são, acrescenta ele, o Sol ea Lua de fonte
Mercurial, as serpentes
e dragões, que os antigos egípcios pintaram em um círculo, a cabeça
mordendo a cauda, para indicar
que foram derivados a partir do mesmo e que era auto-suficiente e que, no seu
contorno
e aperfeiçoou-se que a circulação. Estes são os dragões que os antigos
filósofos-poetas
colocado para vigiar as maçãs douradas das virgens Hesperidian, e aqueles em
que Jason, em sua busca
para o Velocino de Ouro, derramou o licor preparado pela bela Medea: teses
com as quais
os livros de Filósofos são preenchidos, de que não há Filósofo que não tenha
escrito sobre eles, desde
o verdadeiro Hermes Trismegisto, Orfeu, Pitágoras, Artephius, Morianus, e
outros, até o
tempo presente.
Estas são também as duas serpentes enviadas por Juno, que é a natureza
metálica, que o forte Hércules,
isto é, o Sábio, era estrangular no berço: Eu quero dizer para conquistar e para
matar, para torná-los
decadência, podridão e gerar, no início de seu trabalho. Estes são de novo as
duas serpentes ligados ao
caduceu de Mercúrio, com o qual exerceu o seu grande poder e transformou a
si mesmo como ele desejava.

Página 66
A página de Arte Grande 66
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A tartaruga também estava com os antigos, o símbolo da matéria, uma vez que
tem em seu escudo uma espécie de
representação daquela figura
0
de Saturno. É por isso que Vênus era às vezes representado, (Plutarchus.
em prœceptis connub. ), sentado em uma cabra, cuja cabeça como a do Ram
apresenta quase isso
descobrir
@
de Mercúrio, e com o pé direito apoiado em cima de uma tartaruga. Vê-se em
uma filosofia
emblema um artista preparar um molho para uma tartaruga a partir de uvas, e
um filósofo questionou a
que a matéria era, respondeu: Testudo solis cum pingeudine vitis.
Entre os Aborígenes figura
0
de Saturno foi realizada em grande veneração, eles colocaram em seu
medalhas, suas colunas, seus obeliscos, etc Ils représentaient Saturne sous la
figura d'un vicillard,
ayant Cependant un ar Male et vigoureux, qui laissait couler filho urina en
forme de jet d'eau, c `était
dans cette eau qu `ils faisaient consister la meilleure partie de Leur Médecine
et de leurs richesses.
Outros acrescentou a planta chamada Molybdenos , ou planta de Saturno, cuja
raiz disseram que era de chumbo, o
talo de prata e as flores de ouro. Este é o mesmo do que é feita referência em
Homer sob a
nome molibdénio, ( Odyss. B.10, v 302, etc ).
Les Grecs inventèrent aussi une infinito de fábulas à cette ocasião, et
formèrent en conséquence le
nom de Mercure de M
ηρ ∫ ς
, Inguin, et de K
ωορς
, Puer, parce que le Mercure philosophique est une
cau, Que plusieurs auteurs et particulièrement Raymond Lulle, ( Lib.
secretorum e Alibi ) ont
appelé urina d'enfant. De là aussi la fábula d `Orien, engendré de l` urieg de
Júpiter, de Neptuno et de
Mercure.
Matéria é tudo e ainda assim simples
Filósofos, sempre cuidadosos em ocultar sua matéria, bem como seus
processos, chamá-lo
indiferentemente, em todos os estados em que é encontrada no curso das
operações. Eles dão a ele para
Este propósito muitos nomes, em particular, que terno só em geral, e nunca
tem uma Mixt tinha tão
muitos nomes. É uma coisa e todas as coisas, eles dizem, porque é o princípio
radical de todos os Mixts. Ele
é em tudo e gosta de tudo, porque é suscetível de todas as formas, antes de ser
restrito a alguma classe de
indivíduos dos três reinos da natureza. Quando se está limitado ao reino
mineral, dizem que
que é como o ouro, porque ele é a base, o princípio ea mãe dele. É por isso
que eles chamam de
ouro bruto, ouro volátil, o ouro imaturo, ouro leprosa. É análoga à dos metais,
sendo o mercúrio
de que são compostas. O espírito desta Mercury é tão congelando que é
chamado o pai da
pedras, as preciosas, bem como o comum. É a mãe que os concebe, a umidade
que
alimenta-los, ea matéria que forma eles.
Os minerais são também formados a partir dele, e como é o antimónio
Protheus da química, e o
mineral que tem o maior número de propriedades e virtudes, Artephius
nomeou a questão de
a Grande Obra: Antimônio das peças de Saturno . Mas, embora ela dá uma
verdadeira Mercury, não devemos
imaginar que este derivado de mercúrio é comum antimónio , nem que este é
o mercúrio comum.
Philalethes nos assegura, ( Introitus apertus, etc ), que, em qualquer forma um
trata comum
mercúrio, nunca se vai fazer a partir dele Mercúrio Filosófico. Cosmopolita
diz que este é o verdadeiro Mercúrio,
e que o mercúrio comum é apenas o seu irmão ilegítimo, ( Diálogo. Mercur.
Alkemistœ et Naturœ. ).
Quando o Mercúrio dos Sábios é misturado com prata e ouro, é chamado a
Electra de filósofos,
seu bronze, sua Latten, o cobre, o aço, e nas operações, seu veneno, seu
arsênico, sua
orpiment, sua liderança, sua Latten que é necessário para branquear; Saturno,
Júpiter, Marte, Vênus, a
Lua e do sol.
Este Mercury é uma água ardente, que tem o poder de dissolver todos os
compostos, sais minerais e
pedras. E tudo aquilo que resiste a outros solventes, ou águas fortes, pode ser
dissolvido pelo Scythe de
Old Saturn; que causou o nome da Universal solvente a ser dada.

Página 67
A página de Arte Grande 67
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Paracelsus, ao falar de Saturno, exprime-se assim: "Não seria a propósito ,
que um
deve ser instruído sobre as propriedades escondidas em Saturn, e de tudo o
que pode ser feito
com e através dele. Se fosse do conhecimento geral, todos os alquimistas
abandonaria todos os outros assunto para
trabalhar apenas em cima disso ", ( Coelum Philosph. Can. de Saturno ). "
Vou terminar o que eu tenho a dizer sobre a matéria da Grande Obra,
afirmando certos materiais
que souffleurs geralmente usam para fazer o remédio de ouro ou a Pedra
Filosofal, e que
são excluídos por alguns hermetistas. "Eu tenho, disse Sir Ripley, fez muitas
experiências sobre todas as coisas
que os filósofos chamados em seus escritos, para fazer ouro e prata, e gostaria
de contar-lhes
você. Eu tenho trabalhado em cinábrio, mas não valia nada, e sobre o
mercúrio sublimado que me custa
muito. Fiz muitos sublimações de espíritos, de fermentos, de sais de ferro, de
aço, e de sua escória,
acreditando que por este meio e através desses assuntos para ter sucesso em
fazer a pedra, mas eu vi finalmente
que eu tinha perdido meu tempo, o meu problema e minhas custas. No
entanto, eu segui exatamente tudo o que foi colocado
para baixo por esses autores, e descobri que todos os processos que lhes foram
ensinadas eram falsas. Então eu fiz
águas fortes, águas corrosivas, águas ardentes, com os quais eu trabalhei em
diferentes maneiras, mas sempre
sem propósito. I recorreu após isso cascas de ovos, ao enxofre, a vitríolo, o
que fez os artistas tomam para
o Leão Verde dos Filósofos, ao arsénio, ao orpiment, para salammoniac, sal de
vidro, para alcalino
sal, ao sal comum, sal mineral, a salitre, ao sal de sódio, ao sal attincar, ao sal
de tártaro e
sal alembrot, mas, acredite em mim, estar no seu guarda contra todas estas
questões. Fugir dos metais
imperfeitamente rubified, o odor de mercúrio, o mercúrio sublimado ou
precipitado, você estaria enganado
neles como eu fui. Eu tentei de tudo, o sangue, o cabelo, a alma de Saturno, os
marcassites, as OEs
ustum , o açafrão de Marte, as escalas e as impurezas de ferro, litargírio,
antimônio, tudo isso não vale a pena
figo podre. I trabalharam muito para obter o óleo e água, de prata, que têm
este metal calcinado com um
preparado sal e sem sal, com eau-de-vie, eu tenho usado os óleos corrosivos,
mas tudo isso era
inútil. Tenho utilizado o óleo, o leite, o vinho, o coalho, o esperma das estrelas
que caem sobre a terra,
celandines, secundines, e uma infinidade de outras coisas, e não tenho obtido
nenhuma vantagem deles. Eu
tem mercúrio misturado com os metais, eu reduzi-los aos cristais, imaginando
fazer algo
bom, eu tenho procurado nas cinzas mesmo, mas acredite em mim, pelo amor
de Deus, fuja de tal loucura. Eu
só encontrei um verdadeiro trabalho. "-
Bernard Trévisan se expressa em quase da mesma maneira: "E assim, diz ele,
temos visto
e conhecido muitos trabalhadores nessas fusões e multiplicações em branco e
vermelho, com todos os
materiais imagináveis e com todos os problemas, perseverança e constância
possível, mas nunca
encontramos o nosso ouro, ou prata multiplicado por um terço, metade, ou de
qualquer parte. E embora tenhamos
testemunhado tantas albifications e rubifications, recibos, sofisticações em
tantos países, como
Bem, em Roma, Navarra, Espanha, Turquia, Grécia, Alexandria, Barbary,
Pérsia, Messina, Rhodes,
França, Escócia, na Palestina e países vizinhos, como em toda a Itália,
Alemanha, Inglaterra e
quase todo o mundo, as pessoas nunca encontramos de trabalho, exceto em
materiais sofistas e
assuntos, ervas, animal, vegetal e sementes, pedras e minerais, sais, ex-alunos
e as águas fortes,
destilações e separações dos elementos e sublimações, calcinação,
congelations de
mercúrio por ervas, pedras, águas, óleos, adubos e fogo, e vasos de estranhos,
e nunca temos
encontradas pessoas trabalhando sobre o assunto certo. Encontramos na
verdade nesses países aqueles que conheciam o
Pedra Filosofal, mas nunca poderíamos fazer o seu conhecimento .... E
comecei então a ler livros
antes de trabalhar mais, pensando em mim mesmo que através de homens que
eu não poderia ter sucesso, porque, se eles sabiam que
que nunca iria revelá-lo;. . . assim Olhei para onde os seus livros a maioria
concordou, então eu pensei que aqui
deve ser a verdade, porque se pode afirmar a verdade só em uma coisa. E,
assim, eu encontrei a verdade. Para onde eles
concordaram que era a verdade, embora um nome-lo em um modo, e outro em
outra; ainda é tudo
uma substância em suas palavras. Mas eu sabia que era falsidade na
diversidade e não na harmonia, pois se fosse
verdade, eles só falam de um assunto , tudo o que os nomes e os números
poderiam adotar. . . E
na verdade eu acredito que aqueles que escreveram seus livros parabolically e
figurativamente, ao falar
de cabelo, do sangue, da urina, de esperma, de ervas, de vegetais, de animais,
de plantas e de pedras e

Página 68
A página de Arte Grande 68
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
minerais, tais como sais, alumes, copperas, attraments
49
, Vitriols, bórax e magnésia, e todas as pedras e
águas o que, eu acredito, eu digo que isso lhes custou nada: ou que tomaram
nenhum problema:
ou que eles são muito cruéis,
50
. . . para saber que nenhum livro declara em verdadeiras palavras, a não ser
por parábolas, como
sinais. Mas o homem deve pensar e rever muitas vezes o possível significado
do que eles dizem, e deve considerar
as operações por que a natureza realiza seus trabalhos.
"Portanto, eu concluo, e acreditem: Deixe as sofisticações e todos aqueles que
acreditam neles:
Fugir de suas sublimações, conjunções, separações, congelations, preparações,
disjunções,
conexões e outras decepções. . . . E deixe-os calar, que afirmam uma tintura
diferente
nossa, que não é verdade e não traz nenhum lucro. E deixe-os calar, que falam
de uma diferente enxofre
do nosso, que está escondido em Magnésia (Filosófica), e que desejam extrair
mercúrio
exceto do Servo Red, e outro de água do que a nossa, que é permanente, que
reúne apenas à sua
natureza própria, e umedece nada salvar o que é um com a sua própria
natureza.
"Abandonar ex-alunos, vitriols, sais e todos attraments, bórax, todas as águas
fortes, animais, bestas e todos os
que podem ser derivados a partir deles; cabelo, sangue, urina, esperma, a
carne, os ovos, as pedras e todos os minerais.
Deixe todos os metais só: embora constituam a entrada da obra, de acordo
com as palavras de
Filósofos. Nossa matéria deve ser composto de argent vive , e vive argent é
encontrada principalmente em
metais, de acordo com Geber, de acordo com o Grande Rosário, de acordo
com o Código de toda a verdade,
de acordo com Morianus, Haly, Calib, Avicena, Bendegid, esid, Serapião, de
acordo com Sarne, que
escreveu o livro chamado Lilium , de acordo com Euclides, em seu sétimo
capítulo de Retratações, e
segundo o Filósofo (Aristóteles) na terceira de Meteoros . . . . E para isso, diz
Aristóteles e
Demócrito, no livro de Física , cap. III do Meteors, vamos alquimistas alegrar,
pois eles nunca vão
sucesso em amadurecimento na forma dos metais, até que eles têm reduzi-los
a sua primeira matéria ... ou sabe,
como diz na Turba Noscus, que era o rei da Albânia, que do homem vem só
homens, só de aves
aves, e de besta apenas animais, e que a natureza aperfeiçoa-se apenas em sua
própria espécie. "
( Philosophie des Métaux) .
O que acabamos de citar a partir desses dois autores é uma lição
para Souffleurs . Ele indica a
claramente que não se encontram na estrada direita e pode servir ao mesmo
tempo como um obstáculo para aqueles
que desejaria para enganar, porque sempre que um homem promete fazer a
pedra com o
matérias acima excluídos, pode-se concluir que ele é ignorante ou um
ladino. É claro também por todos
este raciocínio de Trevisan que a matéria da Grande Obra deve ser de natureza
mineral e metálico;
mas o que esta matéria é, em particular, ninguém disse exatamente.
49
Vitriols.
50
Em esconder seu segredo.

Page 69
A página de Arte Grande 69
Copyright © Flaming Productions Espada 1997

Página 70
A página de Arte Grande 70
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A Chave do Trabalho
Basílio Valentin, ( adição aux Douze Clefs ), diz que quem tem farinha em
breve terá massa, e ele
que tem massa vai em breve encontrar um forno para cozinhar. É como se ele
dissesse que o artista que possui o
verdadeira matéria Sophic não vai se preocupar com a trabalhar com ele, é
verdade, se alguém acredita que o
Os filósofos, que a execução do trabalho é uma coisa muito fácil, e que mais
tempo e paciência
do que o necessário despesa, mas isso deve, sem dúvida, ser entendida de
certas circunstâncias do Trabalho,
e quando se chegou a um certo ponto. Flamel diz ( explicação des Figuras
Hiéroglyphiques );
que a preparação dos agentes é mais difícil do que qualquer outra coisa no
mundo . Augurellus,
( Chrysop., 1. 2), nos assegura que um trabalho hercúleo é necessário.
Alter inauratam noto de vertice pellem
Principium Velut ostendit, quod sumere Possis;
Alter ônus subeas quântica.
E d'Espagnet não hesita em dizer que há muito trabalho a ser feito, ( Pode
42. ): "No
Sublimação filosófica de Mercúrio, ou o primeiro de preparação, o trabalho de
um Hércules é necessário,
pois sem ela Jason nunca teria coragem de empreender a conquista do
Velocino de Ouro. "Mas nós
não deve imaginar que este sublimação é feito da mesma maneira como a
sublimação química. Então ele
teve o cuidado de chamá-lo Filosófica . Deve entender-se, pelo que ele diz
depois, que
consiste na dissolução e putrefação da matéria, porque esta sublimação é nada
mais do que um
separação do puro do impuro, ou uma purificação da matéria, que seja de tal
natureza que
pode ser sublimada apenas por putrefação. D'Espagnet então cita as seguintes
palavras de Virgílio. O
poeta, diz ele, parece ter tocado algo da natureza da qualidade e da cultura do
Terra filosófico nos seguintes termos:
Pingue solum primis extemplo um mensibus anni
Fortes invertant Tauri:
... Tunc zephyro putris se gleba resolvit. - Georg. I.
Assim solução é a chave do trabalho . Todos os filósofos concordam e falam
da mesma maneira em
este assunto. Mas há dois trabalhos na obra, uma para fazer a pedra, o outro
para fazer a
Elixir. É necessário primeiro a começar por preparar os agentes, e desta
preparação filósofos
não fala, porque tudo depende disso, e porque a segunda obra é, de acordo
com eles, apenas
brincadeira de criança e uma diversão para as mulheres. No entanto, as
operações do segundo trabalho não deve ser
confundidos com os da primeira, embora Morien, ( Entretients du Roi Calid. ),
assegura que o
segundo trabalho, o que ele chama de ' Disposição ' é apenas uma repetição do
primeiro. No entanto, podemos acreditar que
não é uma coisa tão dolorosa e difícil, uma vez que eles não dizem uma
palavra sobre o assunto, ou falar sobre isso apenas para
escondê-la. Tudo o que esta preparação pode ser, é certo que ela deve começar
pela dissolução do
Importa, embora vários tenham dado a ele o nome de calcinação ou
sublimação, e uma vez que têm
Não queria falar claramente sobre isso, podemos, pelo menos, a partir das
operações do segundo ' disposição ',
desenhar induções pelo qual podemos iluminar-nos sobre as operações do
primeiro.
O primeiro passo é o de tornar Mercúrio Sophic, ou o solvente, a partir de
uma matéria que encerra em si dois
qualidades, e que faz parte volátil, e uma parte fixa. O que demonstra que não
deve ser um
dissolução, é que Cosmopolita nos diz para procurar um assunto do qual
possamos ser capazes de fazer uma água
que dissolve o ouro de forma natural e sem violência. Mas um problema pode
ser reduzido a água apenas por
dissolução, a menos que se emprega a química de destilação comum, que é
excluído do
Trabalhar.
É bom ressaltar aqui que todos os termos de química comum, que os filósofos
empregam em
seus livros, não devem ser tomadas no sentido comum, mas
no filosófico sentido. É por isso

Página 71
A página de Arte Grande 71
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Philalethes nós, adverte ( Método Enarratio. trium Gebri medicin. ), que os
termos de destilação,
sublimação, calcinação, assation, reverberação, dissolução, descensão,
coagulação, são apenas uma
e a mesma operação, feitos de uma só vaso, isto é, uma mistura de matéria;
veremos a
diferenças entre eles, mais tarde, quando vamos falar de cada um em em
particular.
No entanto, deve-se observar que os sinais demonstrativos do Trabalho, de
que os filósofos fazem
mencionou, referem-se especialmente para o segundo trabalho. Observa-se
também que o maior número de
Autores Herméticos começar seus tratados com esta segunda operação, e que
eles supõem que a sua
Mercúrio e seu enxofre já realizados; que as descrições que dão em seus
enigmas, sua
allegories, suas fábulas, etc, são quase todos tirados da que ocorre nesta
segunda
" disposição " de Morien, de onde surgem as contradições aparentes que são
encontrados em suas obras,
onde se diz que duas coisas são necessárias, outro apenas um, mais três, mais
quatro, etc
Assim, a fim de expressar a si mesmo, em conformidade com as idéias dos
filósofos, é necessário
segui-las passo a passo, e como eu não quero deixar a todos a partir de seus
princípios, ou de seu
forma de deduzir deles, vou copiá-los palavra por palavra, para que o leitor
não pode considerar o
explicações que darei das Fábulas como uma produção pura da minha
imaginação. Basil Valentin é
um daqueles que faz com que a maior aplicação das Fábulas em seu Tratado
sobre os Doze Chaves , mas
ele emprega-los para formar suas próprias alegorias, e não para fazer evidente
a intenção dos seus autores.
Flamel, pelo contrário, cita algumas delas ao longo do tempo, no sentido dos
seus autores, por conseguinte
Vou citá-lo aqui mais vezes do que os outros, e isso Treatise será composta da
seguinte
páginas de suas próprias palavras.
Os dois dragões, que ele tomou por um símbolo hieroglífico da matéria são,
diz ele, ( Loco cit.) :
"As duas serpentes enviadas por Juno, que representa a natureza metálica, que
o forte Hércules, que é
quer dizer, o sábio deve estrangular no berço: quero dizer com isso para
conquistar e para matar, para fazê-los apodrecer,
corrupta e gerar , no início de seu trabalho . "Esta é a Chave do Trabalho, ou a
dissolução
anunciado, as serpentes, os dragões, a Quimera, Esfinge, as harpias e outros
monstros da
Fable quem se deve matar, e como putrefação consegue morte, Flamel diz:
"Isso é necessário
levá-los a apodrecer e se desintegrar. Sendo então colocados em conjunto no
recipiente de Sepulcro, eles
rasgar uns aos outros cruelmente e por sua grande veneno e raiva furiosa, eles
nunca deixar de fora do
momento em que eles tomaram o outro, (a não ser que os impede frio), até que
ambos são cobertos em toda
as partes de seus corpos com o seu veneno eo sangue de seus ferimentos
mortais, e, finalmente, matar
do outro, eles são sufocados com o seu próprio veneno, que os transforma
depois da sua morte, numa
permanente aqua-viva . Esta água é, propriamente falando, o Mercúrio dos
Filósofos. Estes são,
acrescenta ele, esses dois espermatozóides, masculino e feminino, descrito no
início da minha Filosófico
Resumo , que são engendrados, (digamos Rhasis, Avicena e Abraham o
judeu), nos lombos e
entranhas, e das operações dos quatro elementos. Estes são o radical húmido
dos metais
Enxofre e Argent-vive, não o enxofre comum e mercúrio, que são vendidos
por farmacêuticos, mas
os que dão para usar esses dois belos corpos e querido que amo tanto. Estes
dois
espermatozóides, disse Demócrito, não são encontrados na terra dos
vivos. Avicena diz isso também, mas ele acrescenta
que são recolhidos a partir da questão dos resíduos do Sol e da Lua ".
Putrefação é declarada nos seguintes termos: "Eu imaginei esses dois
espermatozóides na forma de
Dragões, por causa de seu cheiro ofensivo semelhante ao dos Dragões, e por
causa da
exalações que montar no matrass, são escuras, preto, azul e amarelo. . . . O
Filósofo
nunca cheira esse odor, a não ser que ele quebre os vasos, mas ele juízes
simplesmente pela visão e
mudança de cores, que procede do apodrecendo desta confecção. "Deixe os
químicos, ou
souffleurs, que procuram a pedra filosofal em suas calcinação e sua cadinhos
juiz de
estas palavras de Flamel, se suas operações são conformados, a sua, e se eles
têm o direito de
expor-se a respirar os vapores dos assuntos arsenicais mal cheiro em que
trabalham.
A putrefação da matéria no vaso é, então, o princípio ea causa das cores que
se manifestam, eo primeiro permanente que deve aparecer é a cor preta, que
eles chamam de

Página 72
A página de Arte Grande 72
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
simplesmente o preto , e por uma infinidade de outros nomes, que se verá
mais tarde, no decurso desta
trabalho, ou no Dicionário de Termos peculiares filósofos herméticos, que
segue imediatamente
lo.
51
Esta cor significa então putrefação e degeneração que se segue, e que nos é
dado por
a dissolução do nosso corpo perfeito. As seguintes palavras indicam que
Flamel fala da segunda
operação, e não do primeiro: "Esta dissolução vem do calor externo, o que
ajuda eo
igneity interior, e afiada, maravilhoso poder do veneno de nosso Mercúrio,
que resolve em pura
poeira, mesmo em pó impalpável, o que resiste. Assim, o calor agir sobre e
contra o Humid
Radical, metálico, viscoso e oleaginosas, produz a escuridão da matéria. É o
véu negro
com que os navios de Teseu retornou vitorioso de Creta, e que causou a morte
de seu
pai. Assim, é necessário que o pai morresse, para que das cinzas desta fênix
outra deve subir, e que o filho deveria ser rei ".
A verdadeira chave do trabalho é essa escuridão no início de suas operações, e
se uma outra cor,
vermelho ou branco aparece antes de um presente, é uma prova de que não se
conseguiu, ou, como diz nosso autor:
"Deve-se sempre desejo para esta escuridão, e certamente aquele que não vê-
lo durante os dias da
Stone, qualquer outra cor que ele pode ver, não inteiramente no Magistério, e
não pode aperfeiçoá-la com
este caos. . . E, na verdade, eu digo novamente que, mesmo se você trabalhar
em verdadeira questão, se, no
início, depois de ter colocado as confecções na filosofia de ovo, isto é, algum
tempo depois
o fogo-los irritados, se você não ver este Chefe do Crow, nigrum Nigro,
nigrius , (le noir du
noir très noir), é necessário começar de novo, pois esta falha é
irreparável. Especialmente se deve temer uma
laranja ou cor avermelhada, pois se no começo você vê-lo no ovo, sem dúvida,
você queima, ou
ter queimado o espírito ea vivacidade da Pedra. "
As cores azuladas e amarelada indicam que a putrefacção e a dissolução não
são ainda
acabado. A escuridão é o verdadeiro sinal de uma solução perfeita. Em
seguida, a matéria é dissolvida em um
pó mais sutil, para falar assim, que os átomos que flutuam nos raios do sol e
esses átomos
são transformados em água permanente. Os filósofos têm dado a esta
dissolução os nomes, Morte,
Destruição e Perdição , as regiões infernais, Tártaro, Shadows, Noite, Vest
Obscure, Supulchre,
Tomb, Água Venimous, carvão, esterco, Black Earth, Véu Preto, Sulphurous
Terra, Melancolia,
Preto Magnésia, Clay, fedendo Mênstruo, Fumo, Lamp-Negro, Fogo
Venimous, Nuvem, Chumbo, Preto
Lead, Filosofal, Saturno, Black Powder, coisa desprezível coisa vil, Selo de
Hermes,
Espírito fedorento, Espírito sublimado, Sol eclipsado ou Eclipse do Sol e da
Lua, Corrupção, Preto
Bark, Sea-espuma, Cobrir do vaso, Capital do Alambique, Naptha,
Uncleanliness of the Dead,
Corpse, Óleo de Saturno, Nigrum-Nigro-Nigrius . Eles se designou por todos
os nomes que podem
expressa ou designar corrupção, dissolução e escuridão. Isto é o que forneceu
o
Filósofos com os materiais para tantas alegorias sobre os mortos e do
túmulo. Alguns têm mesmo
denominou- calcinação, desnudação, separação, trituração, Assation , por
causa da redução do
importa para um pó muito sutil. Outros, Redução de Materia Prima,
malefícios, extração,
Commixion, liquefação, Conversão dos Elementos, subtilização, Divisão,
Humation,
Impastation, e destilação. Outras, Xir, Cimmarian Sombras, Abyss, Geração,
Ingresso,
Submergion, Complexion, Conjunção, impregnação . Quando o calor age
sobre estas questões, que são
mudou pela primeira vez em pó, e oleosa, pegajosa água, que na forma de
vapor sobe para o topo do vaso, e
desce novamente no orvalho ou chuva, ao fundo, ( Artephius, ), onde torna-se
quase como uma negra oleosa
caldo. É por isso que tem sido chamado de sublimação e volatilização , a
ascensão eo declínio . O
água, então coagulação cada vez mais, torna-se como breu, o que fez com que
ele ser nomeado
fétido e fedorento. Ela dá à luz um odor de mofo, dos sepulcros e
túmulos. Hermès pediu que a Terra
de folhas ", mas seu verdadeiro nome, diz Flamel, é Latten que é necessário
para branquear . O Ancião
Sábios, acrescenta ele, têm descrito na história da serpente de Marte, que tinha
devorado o
51
D
ICTIONNAIRE
M
YTHO
-H
ERMETIQUE
dans lequel on trouve les alegorias fabuleuses des Poetas, les metáforas, les
Enigmes et les Termes barbares, des Philosophes Hermètiques expilqués par
Dom Antoine-Joseph-Pernety, Religieux
Beneditino de la Congrégation de Saint-Maur .

Página 73
A página de Arte Grande 73
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
companheiros de Cadmus, que mataram pelo perfurando-o com sua lança
contra um carvalho oco.
52
Observar este
Oak ".
Mas para chegar a esta putrefação devemos ter um agente, ou solvente,
análogo ao corpo, que é
para ser dissolvido. O último é solúvel no corpo, chamado germe masculino, a
outra é a dissolução
espírito, chamado germe feminino. Quando eles estão unidos no vaso,
filósofos lhes dão o nome
R
EBIS
, É por isso Merlin disse:
Res Rebis est bina, conjucta sed tamen una ..
Philalethes ( Vera confect. Lapid. Philosoph . p.13 e seguintes), exprime-se,
assim, na
objecto da presente Solvente: "Este germe feminino é uma das principais
princípios da nossa Magistério ;
portanto, é necessário meditar profundamente sobre ele, como sobre a matéria,
sem a qual não se pode
sucesso, uma vez que embora o mercúrio, não é de fato natural argent-vive,
mas uma certa forma de mercúrio para a
nova geração, e que além de sua pureza, exige uma preparação longa e
maravilhosa, que
deixa a ele, na sua integridade, a sua qualidade mineral homogénea. Porque,
se se leva desta dissolução
espírito de sua fluidez e vivacidade de espírito, torna-se inútil para o trabalho
filosófico, porque perdeu
assim, a sua dissolução natureza, e se foram transformados em pó, de uma
maneira qualquer e, se ele não está
da natureza do corpo solúvel, que é perdido, já não tem qualquer relação ou
proporção com ele, e
deve ser rejeitada de nosso trabalho. Aqueles que pensam loucamente e
erroneamente que alterar o Quicksilver antes
está unida com as espécies metálicas. Para este mercúrio, antes de ser unida
com as espécies metálicas.
Para isso Quicksilver que não é mercúrio comum, é a matéria de todos os
metais, e pode-se dizer
a água, devido à sua homogeneidade com eles. Torna-se investido com a sua
natureza em sua
mistura com eles, e toma todas as suas qualidades, porque se assemelha
Mercury celestial, que
torna-se semelhante às qualidades dos planetas com os quais é em conjunto ".
Falta de água pode dissolver as espécies radicalmente e, naturalmente
metálicos a menos que seja a sua natureza, e
pode ser coagulado com eles. Deve passar para os metais, como um alimento
e que é incorporada com eles,
e as formas com eles apenas uma substância. Portanto, aquele que terá de
mercúrio por sua umidade
meio de sais, vitriols, ou outras substâncias corrosivas, actua como um
louco. Esses não são os menos
enganada, que imaginam para extrair mercúrio natural de uma água límpida e
transparente, com a qual
eles podem fazer coisas maravilhosas. Mesmo se eles conseguiriam fazer essa
água, que seria
vale nada no trabalho.
Definições e propriedades deste Mercury
Mercury é uma coisa que dissolve os metais por uma dissolução natural, o que
leva os seus espíritos
da potência ao ato.
Mercury é aquela coisa que torna o material dos metais lúcido, claro e sem
sombra, que
quer dizer, que os purifica de suas impurezas, e chama a partir do interior dos
metais perfeitos
sua natureza e germe que está escondido lá.
Dissolvendo Mercury é um vapor seco, nada viscoso, tendo muita acidez,
muito sutil, muito
voláteis ao fogo, tendo uma grande propriedade de penetrar e de dissolver os
metais. Na sua preparação,
e em fazer essa dissolução, além do comprimento do trabalho, corre-se um
perigo muito grande, diz
Philalethes. Conseqüentemente, ele aconselha ninguém para cuidar de seus
olhos, seus ouvidos e nariz.
52
Furnace dos Sábios. Fala-se, no Fable, do Oak oco contra a qual Cadmus
percorreu o dragão que
devorou seus companheiros. O lance que Cadmus usado é o Fogo, a Serpente
significa Mercury. O Oak oco sendo
o forno Segredo dos Sábios, compreende-se por que os antigos consagrou a
Rhæa, esposa do Saturn.Pernety,
Dict.
Mytho-Herm.

Página 74
A página de Arte Grande 74
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A confecção deste Mercury, acrescenta o mesmo autor, é o maior segredo da
Natureza, pode-se
mal entendemos, exceto pela revelação de Deus, ou de um amigo, pois nunca
se conseguirá por
a orientação de livros sozinho.
Dissolvendo Mercury não é o Mercúrio dos filósofos antes de sua preparação,
mas apenas
depois, e é o princípio do medicamento de terceira ordem.
53
Aqueles que, em vez de empregar esta Mercury para o mercúrio naturais
funcionam filosófico, ou
mercúrio sublimado, precipitado calcinado ou estão muito enganados.
Dissolver mercúrio é um elemento de terra, em que é necessária para semear o
grão de ouro. Ele
corrompe o Sol, putrefies-lo, resolve-lo em Mercúrio, e torna volátil e gosta
de si mesmo. É
transformado em Sol e da Lua, e torna-se como os mercúrios dos metais. Ele
tira as almas dos
corpos, leva embora e inventa-las. Por esta razão, os antigos sábios disseram
que o deus
Mercury atraiu a alma de corpos vivos e os levou para o reino de Plutão. É por
isso que Homer
muitas vezes chama Mercury, (A '
ργειο ⌠ νζης)
Arquicida .
O Mercury dissolução não deve estar seco, pois se é, todos os filósofos nos
assegurar de que não será
adequado para dissolução. É necessário tomar em seguida um germe
feminino, de forma semelhante à do
metais. Arte torna o menstrum dos metais, e por as operações do primeiro
medicamento, ou
a partir da sua preparação imperfeita, que passa através de todas as qualidades
de metais, mesmo para aqueles do
sol. O enxofre dos metais imperfeitos coagula, e leva as qualidades do metal
cujo
Enxofre coagulou-lo. Se o Mercury dissolução não é animado, em vão será
uma empregá-lo para
do Trabalho, universal ou particular.
O Mercury dissolução é o único vaso do Filósofo na qual todos
os Magistério é
realizado. Os filósofos têm-lhe dado nomes diferentes, dos quais os seguintes
são os mais utilizados:
Vinagre dos filósofos, Campo, aludel, água, água de Arte, Água Ardente,
Água, Fonte Divina
Água, purificação da água, Água Permanente, Primeira Água, Água simples,
Banheira, Céu, Prisão,
Superior Eye-tampa, Sieve, fumaça, umidade, fogo, fogo artificial, corrosão
Fogo, Fogo Unnatural,
Fogo úmido, Jordan, Licor, Licor Crude Vegetable, Lua, matéria, matéria
Lunar, Primeiro Poder,
Mãe, Mercúrio bruto, Preparação Mercury, Primeiro-Ministro, Servo
Fugitivo, ninfas, bacantes,
Musas, Mulher, Mar, Espírito bruto, Espírito inventado, Sepulcro, esperma de
Mercúrio, Água Stygian,
Oestrich estômago, vaso, vaso Filosofal, Inspector das coisas ocultas, Crude
Quicksilver tomadas
simplesmente de sua mina.
Mas não se deve esquecer que este Mercúrio não é o que é vendido nas lojas
boticário.
Quando a conjunção de Mercúrio com o corpo solúvel é feita, os filósofos
falam de dois
a partir de uma coisa, e depois dizem que os sábios encontram em Mercury
tudo o que é necessário para eles. Portanto
não se deve permitir a si mesmo ser enganado pela diversidade de nomes, e
para alertar contra o erro de
este tipo de alguns dos principais nomes são dadas aqui:
Água engrossado, Nossa Água, Segunda Água, Arcano, Argent-vive, a
Bondade, a Bondade, que tem
vários nomes, Chaos Hyle, Nossa Compost, Nossa Confecção, Corpo
Confuso, Corpo misto, Cobre, a AES
dos Filósofos (latão Sophic), Latten, estrume, Aqueous fumo, queimadura
Umidade, Estranho
Fogo, Fogo Unnatural, Pedra, Pedra Mineral, única Stone, a matéria
original, a matéria confusa do
53
M
Edicine DO
T
HIRD
O
Rder
. É a preparação da Pedra Filosofal, que nomeou Multiplicação . . . . Este
medicina carrega a pedra à sua perfeição e multiplica-lo tanto em quantidade
como em qualidade. . . . É também chamado Medicina
, da ordem superior.
Pernety Dict. Mytho-Herm.

Página 75
A página de Arte Grande 75
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Metais, Mênstruo, segundo Mênstruo, Mina, nossa mina, Mina dos Metais,
Mercúrio, engrossado
Mercury, Piece of Money, Ovo, Ovo Filosofal, Raiz, única raiz, Pedra
conhecido nos capítulos
dos Livros.
Finalmente, é com esta mistura, ou Mercúrio, que a maioria dos autores
começam seus livros e guloseimas na
W
ORK
.

Página 76
A página de Arte Grande 76
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Do vaso de Arte e de Natureza
Existem três tipos de matrizes, o primeiro é a Terra, a matriz universal do
mundo, o
receptáculo dos elementos, o grande vaso da natureza, o lugar onde a
corrupção dos germes
ocorre, o sepulcro e túmulo vida de todas as criaturas. É especialmente a
matriz do vegetal
e mineral.
A segunda matriz é o útero no reino animal, ou das aves é o ovo, e a matriz
de ouro e prata, é a rocha sozinho.
O terceiro, que do reino mineral, é conhecido por poucas pessoas. O útero
estar com o esperma
a causa da especificação do metal.
O conhecimento desse vaso precioso, e do fixo e saxatilic
54
espírito implantado dentro dela, foi
um dos maiores segredos da Cabala dos egípcios. Era necessário procurar um
vaso
análogo ao que a natureza utiliza para a formação dos metais, um vaso que se
deve tornar
a matriz da árvore de ouro dos filósofos, e se encontrou nada melhor do que
um vidro. Eles
foram adicionados a esta forma de selagem que, numa imitação da natureza,
de modo que deve exalar nenhum dos
princípios. Pois, como diz Raymond Lully, a composição que é feito a partir
da substância da
exalado vapores que caem sobre o assunto corrompido, para umedecer e
dissolvê-la, é putrefação. Este
Vaso deve, então, tem uma forma apropriada para facilitar a circulação de
espíritos, e deve ser de um
de espessura e uma consistência capaz de resistir a sua força.
Nomes dados a este vaso pelos Antigos
Os filósofos tão introduziu este vaso em suas alegorias que não poderia ter o
mínimo
suspeita quanto à ideia que tinha dele. Algumas vezes foi uma torre, por
vezes, um navio, um aqui
cofre, há um cesto. Tal era a Torre de Danaé, o cofre de Deucalião, eo Túmulo
de
Osíris, o caixão, o couro garrafa de Baco, a Ânfora de Ouro, ou vaso de
Vulcan, o
Chalice que Juno apresentado Thetis, o navio de Jason, o Pântano de Lerna,
que era assim
chamado de ©á )´um ¹capsa, lóculo , a Cesta de Erichthonius, o caixão
em que foi fechado
Triodites tênis com sua irmã Hemithea, a Câmara de Leda, os ovos, dos quais
nasceram
Castor, Pollux, Clitemnestra e Helena, na cidade de Troy, as Cavernas de
Monstros, os vasos que
Vulcan apresentado a Júpiter, o caixão que Tétis deu a Aquiles, no qual eles
colocaram os ossos
de Patrocles e de seus amigos; da Copa com a qual Hércules atravessou o mar
para levar os bois
de Gerião, o Cavern do Monte Helicon, que serviu de morada de Febo e as
musas;
finalmente muitas outras coisas adaptado para as fábulas que se inventaram
sobre o tema da Grande Obra.
A cama de Vênus e Marte, a pele em que Orion foi engendrado, a clepsidra,
ou Corno de
Almathœa, (de _¸¿(|( , chifre , e ]'() , água . Os egípcios entendida apenas
isso sua
Wells, os túmulos, as suas Urnas, o mausoléu em forma de pirâmide.
Mas o que mais tem enganado aqueles que estudaram em livros de Filosofia
hermética, que é de
o vaso de Arte e do Vaso da natureza muitas vezes não se distinguem uns dos
outros. Eles falam
às vezes de um, ora de outro, como o assunto leva-los, sem fazer qualquer
distinção.
Eles mencionam geralmente um navio triplo. Flamel tem representado em sua
Hieróglifos sob a
figura de uma escrivaninha. "Este vaso de barro em forma de uma
escrivaninha em um nicho, é chamado, diz
ele, o triple-navio, pois em seu meio há uma prateleira, nessa prateleira uma
tigela cheia de cinzas quentes, em que
é colocado Ovo Filosofal, que é um matrass de vidro que você vê representada
na forma de um
54
Do latim saxatilis , que reside em pedras.

Página 77
A página de Arte Grande 77
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
escrivaninha, cheio de confecção de arte, isto é, de que a espuma do mar
Vermelho e da gordura
o vento mercurial . "Mas parece que a partir da descrição que ele dá desse
vaso triplo, que ele
fala não só do vaso, mas do forno também.
É absolutamente necessário conhecer o vaso e sua forma para ter sucesso no
trabalho. A Vase of Art
deve ser de vidro e na forma oval
55
, Mas para isso da Natureza, os filósofos nos dizem que devemos ser
perfeitamente instruído quanto à sua quantidade e qualidade. É a Terra da
Pedra, ou a mulher, ou
Matrix, em que o germe do macho é recebido, é putrefied e dispostos para
geração.
Morien fala deste último nos seguintes termos: "Você deve saber, O Bom Rei,
que o seu Magistério é
o segredo dos segredos do Altíssimo Deus, Ele confiou aos Seus profetas,
cujas almas Ele tem
colocado no Paraíso. Se os Reis Magos, os seus sucessores, não tinha
compreendido o que disse sobre o
qualidade do navio em que o Magistério é feita, nunca teria sido capaz de
fazer o
Trabalhar. Este vaso, diz Philalethes, é um aludel, não de vidro, mas de terra,
que é o receptáculo do
tinturas, e no que se refere à pedra, deve conter (no primeiro ano de caldeus),
vinte e quatro cheia
Medidas florentinos:. Nem mais, nem menos "
Os filósofos têm falado de diferentes Vasos para enganar os ignorantes.
56
Eles até pensaram
para fazer um mistério desta como de todo o resto. É por isso que eles têm
dado a ele nomes diferentes,
de acordo com os diferentes valores faciais que tenha satisfeito los para dar
aos vários estados
Matéria. Assim eles fizeram menção de Alambique, cucurbitáceas, de Vasos
sublimatórias e calcinação,
etc
57
Mas há apenas um vaso de Arte,
58
que d'Espagnet ( . Lata 112 e seguintes ), descreve assim:
"Mas todo o engano sendo removido podemos falar sinceramente, só navio de
Arte bastam para terminar
Obra do Elixir, pois a diversidade de digestões não requer o mudança de
embarcações, sim, nós
deve ter um cuidado para que o navio ser alterado ou aberta antes de o
primeiro trabalho ser terminado. Você deve
escolher uma forma de rodada navio no fundo (ou abóbora) ou pelo menos
oval, o pescoço um palmo
longo ou mais, grande o suficiente, com a boca reta feita como um jarro ou
jarro, contínua e
ininterrupta e igualmente grosso em toda a parte, que pode resistir a um longo
e, por vezes um incêndio aguda. . .
O segundo navio de Arte podem ser de madeira, do tronco de um carvalho,
cortados em dois hemisférios ocos,
qual ovo dos filósofos pode ser valorizado até que ser chocados. "
59
Trévisan também faz menção de
Este tronco de carvalho, nos seguintes termos: Philosophie des Métaux, IV
Partie ): "A fim de que o
Fonte deve ser mais poderoso, e que os cavalos e outros animais não deve
andar nele, ele ergueu
Existe um carvalho oco, cortado no meio, o que manteve o sol e sua sombra. "
Finalmente, o terceiro vaso é a fornalha, a qual envolve e preserva os outros
dois vasos, e o
Importa que eles contêm. Flamel diz que ele nunca poderia ter devined sua
forma, se Abraão o
Judeu, não tinha descrito com o seu fogo proporcional em suas figuras
hieroglíficas. Na verdade Filósofos
colocou-o no número dos seus segredos, e chamam-lhe A
THANOR
, Devido ao fogo que
é continuamente mantido no mesmo, embora não seja igualmente em todos os
momentos, porque a capacidade do forno
ea quantidade da matéria exigir um fogo proporcional. Para a sua construção
ver d'Espagnet.
60
55
"O vaso deve ser redondo, com um longo pescoço, uma abertura estreita, feita
de vidro, ou de uma terra de natureza semelhante e que
deve possuir a sua compacidade: o orifício deve ser selada "- (. Bachon. )
(Citado por Pernety em Dicção. Mito. Herm.)
56
O navio dos Filósofos é a sua água "( Hermes, Ludas pueroram ).
57
"Os vasos necessários para o trabalho são nomeados aludel, Sieve,
Argamassa , porque o assunto é terra, purificada e
aí aperfeiçoado. "( Calio )
58
Precisamos de apenas um navio, um forno, e uma única operação ou regime,
isto é, após a preparação da Pedra "
( Flamel ). O autor do Rosarium exprime-se absolutamente com as mesmas
palavras.
Pernety, loco. cit.
59
Tradução por W. Wynn Wescott, em Collectanea Hermética , vol. 1 p. 42.
60
O assunto do forno é feito de tijolo, ou de rebocaram Terra, de barro de oleiro,
bem batido e preparado com cavalo
o esterco, misturado com o cabelo, de modo que possa aderir a mais firme, e
não podem ser creacked por longo aquecimento; deixar as paredes ser três ou
quatro dedos de espessura, a fim de que o forno pode ser o mais capaz de
manter o calor e suportá-la. Deixe que a forma da
Furnace ser redonda, a altitude dentro de dois pés ou menos, no meio do qual
uma chapa de ferro ou de bronze deve ser definido, de
a Figura rodada, sobre a espessura da parte de trás de um canivete, de uma
forma que possui a latitude interior da fornalha, mas um
pouco mais estreito do que isso, para que não toque nas paredes, que deve
apoiar-se em três ou quatro suportes de ferro fixados às paredes, e que seja
completo

Página 78
A página de Arte Grande 78
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Of Fire em Geral
Embora tenhamos falado longamente de Fogo no P
PRINCÍPIOS
DE P
HYSICS
que precede este
T
REATISE
, Mas é necessário dizer algumas palavras sobre o assunto, em conexão com o
trabalho. Sabemos
três tipos de Fogo, o Celestial, o fogo de nossos fogões e do fogo central. O
primeiro é muito pura,
simples e não queima em si mesmo. A segunda é impuro, grosso e queima, o
Central é puro em si mesmo,
mas é misturado e temperado. O primeiro não gera, e brilha sem queimar, o
segundo é
destrutivo, e queimaduras enquanto brilhantes, em vez de gerar, o terceiro
engendra e ilumina
às vezes sem queima, e queimaduras, por vezes, sem dar qualquer luz. A
primeira é suave, o
segundo afiada e corrosivo, o terceiro é salgado e doce. A primeira é a de si e
sem cor
sem odor, o segundo é mal-cheiro e cor de acordo com o seu alimento, o
terceiro é invisível,
apesar de todas as cores e de todos os odores. O Celestial é conhecida apenas
por suas operações, o segundo é
conhecido através dos sentidos e da Central por suas qualidades.
O fogo é muito aguda nos animais, sem brilho no metal, temperado no
vegetal, ebulição e
queima nos vapores minerais.
Fogo Celestial tem para a sua esfera da região etérea, de onde se faz sentir até
mesmo para nós. O
Fogo elementar tem por morada a superfície da terra, e nossa atmosfera, o
Fogo Central é
apresentado no Centro da Matéria. É tenaz, viscoso, glutinoso, e é inata na
matéria, é
digerir, com vencimento, nem quente, nem queima ao toque, que espalha e
consome muito pouco,
porque o calor é moderado pelo frio.
O Fogo Celestial é sensato, vital, ativo no animal, mais quente ao toque,
menos de digerir, e é
sensatamente exalado.
O fogo elementar é destrutivo, de uma voracidade incrível, que fere os
sentidos, ele queima, ele
digere, inventa, e não produz nada. É o animal que os médicos chamam de
calor febril , e
contra a natureza; que consome, ou se divide, o humor radical da nossa vida.
O Fogo Celestial passa para a natureza do Fogo Central, torna-se interno,
gerando, a
segundo é externo e separando, o Central é interno, unindo e possuindo a
qualidade de
tornando matéria homogênea.
A luz, ou fogo do sol, vestido com raios de éter, concentrado e reverberou na
superfície
da terra, assume a natureza do fogo elementar, ou de que as nossas
cozinhas. Este último passa para o
natureza do fogo Celeste sendo dilatado, e torna-se por Central de ser
concentrada em questão.
Temos um exemplo desses três incêndios em uma vela acesa, a sua luz em sua
expansão representa
Fogo Celestial, a sua chama Fundamental Fogo, e seu pavio Central Fogo.
Como o fogo do animal é dada fora com uma rapidez incrível, especialmente
pelo constante
transpiração, os filósofos têm estudado para encontrar algum meio de reparar
essa perda, e compreensão
bem que essa reparação não poderia ser feito por aquele que é impuro e
corruptível como o animal
em si, eles recorreram a uma questão, em que o calor necessário foi
abundantemente concentrado.
de furos, que o calor pode ser o moreeasily transportadas por cima deles, e
entre os lados do forno e a placa.
Por baixo da placa que haja uma pequena porta para a esquerda, de cima e
outra na parede do forno, pelo que a parte inferior do fogo pode ser
colocar, e pela maior o temperamento do calor pode ser percebido de forma
sensata, na parte oposta do qual haja um
pequena janela da figura de um Rhomboid enriquecidos com vidro, que a luz
defronte pode mostrar as cores para os olhos.
Após o meio da placa citada, que o tripé de segredos ser colocado com um
vaso de casal. Por fim, deixe o forno ser
muito bem coberta com uma concha ou cobrindo agradável a ela, e tome
cuidado para que as pequenas portas se sempre intimamente fechado, para que
o
excape calor.
Uma tradução em Inglês do Arcano Hermético de d'Espagnet, por W. Wynn
Wescott em Collectanea Hermética , Vol.1.,
pp.43-44.

Página 79
A página de Arte Grande 79
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
The Art of Medicine, não ser capaz de impedir essa perda, e sendo ignorante
dos meios de reparação
isso, tem se contentado com o cumprimento dos acidentes que destroem nossa
substância, que vêm tanto
dos defeitos dos órgãos, ou a partir do imoderado do sangue, das bebidas
espirituosas, do
humores, de sua abundância ou escassez, a morte de onde segue,
infalivelmente, a menos que uma eficaz
remédio é aplicado, remédio que os próprios médicos confessam saber muito
imperfeitamente.
Of Fire Philosophical
A razão que levou os antigos sábios para fazer um mistério de sua
embarcação, foi o ligeiro
conhecimento da fabricação de vidro, que possuía um naqueles
tempos. Posteriormente, o modo de
tornando-o, foi descoberto. Portanto, os filósofos não escondi tanto o assunto
ea forma de sua embarcação. Não é assim de seu fogo secreto, é um labirinto
do qual o mais hábil
não conseguia livrar-se.
O fogo do sol não pode ser este fogo secreto, que é interrompido, desigual,
que não pode fornecer calor,
uniforme em seus graus, a sua medida e sua duração. Seu calor não podia
penetrar na espessura da
montanhas, nem aquecer a frieza de mármore e de rochas, que recebem os
vapores minerais de
que o ouro ea prata são formadas.
O fogo dos nossos fogões impede a união dos miscibles, e consome ou
provoca a evaporação da
vínculo das partes constituintes dos corpos, que é o seu tirano.
O Fogo Central, que é inata na matéria, tem a propriedade de misturar
substâncias, e de
produzindo, mas não pode ser que o Fogo Filosófico muito elogiado, o que faz
com que a corrupção do
germes metálicos, porque aquilo que é em si mesmo o princípio da corrupção,
pode ser o princípio de
geração apenas por acidente: Eu digo por acidente, porque o calor que gera é
interno e
inata na matéria, e que corrompe é externo e estrangeiros para a matéria.
Este calor é muito diferente na geração dos indivíduos dos três reinos. O
animal
possua em um grau muito mais elevado do que o das plantas. O calor do vaso
sob a geração do
metal deve ser proporcional à qualidade do germe cuja corrupção é muito
difícil. É então
necessário concluir que, como não há geração sem corrupção e sem nenhum
dano
o calor, que o calor deve ser proporcionado para o germe que é empregue para
a geração.
61
Há, então, duas baterias, um calor externo putrifying e um calor interno vital
ou generativa. O
Fogo interno obedece ao calor do vaso até que não ligado e entregues a partir
de sua prisão, torna-se
dono do mesmo. O calor putrifying vem a sua ajuda, ele passa para a natureza
do calor vital, e o
dois, em seguida, trabalhar em conjunto.
Por isso, é o navio que administra o calor adequado a corromper, eo germe
que
fornece o fogo adequado para geração, mas como o calor deste navio não é tão
bem conhecido para a
metais como o é para o animal ea planta, é necessário refletir sobre o que
temos dito sobre
Fogo em geral para encontrar este calor. A natureza de modo que
proporcionada na matriz, na medida em que os animais são
em causa, que dificilmente podem ser aumentadas ou diminuídas; matriz neste
caso é uma verdadeira
A
THANOR
.
Quanto ao calor do vaso para a corrupção do grão vegetal, é muito pouco
necessário, o sol
fornece-lo suficientemente. Mas não é assim em Arte hermética. A matriz
sendo a invenção do artista,
deve ter um fogo habilmente inventado e proporcional ao que a natureza
implantes no vaso para o
61
Sempre que a pedra muda de cor você irá gradualmente aumentar o fogo, até
que tudo permanece fixo no fundo
do navio. "( Isaac da Holanda. )

Página 80
A página de Arte Grande 80
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
geração de matérias minerais. Um autor anônimo diz que para conhecer a
matéria deste fogo, é
suficiente para saber como o fogo elementar toma a forma do Fogo Celestial,
e todo o segredo deste
formulário consiste na forma e na estrutura do A
THANOR
,
62
por meio do qual, este torna-se fogo
igual, suave, contínua e de modo proporcionado que o assunto pode ser capaz
de ser corrompidos, após o qual
a geração de enxofre deve ser feito, o que, então, tomar o império por algum
tempo, ea vontade
governar o resto do trabalho. É por isso que os filósofos dizem que as regras
do sexo feminino durante a
corrupção, e as regras machos quentes e secos durante a geração.
Artephius é um daqueles que têm tratado longamente do Fogo Filosófico, e
Pontanus
confessa ter sido corrigida e tenha reconhecido o seu erro na leitura do
Tratado do presente
Filósofo. Isto é o que ele diz sobre isso: "Nosso Fogo é mineral, é uniforme,
contínuo, não faz
evapora-se muito menos fortemente animado, participa da natureza de
enxofre, que é derivada a partir de
outra fonte de matéria, ele destrói tudo, se dissolve, congela e calcina, que
exige habilidade para encontrar
e para fazê-lo, mas não custa nada, ou muito pouco, além disso, é vapourous
úmidos, digerindo, alterando,
penetrante e sutil, aéreo, não violento, não queima, envolvente, contendo e
único. É também o
fonte de água viva, ou Quick-Água, que envolve e encerra o lugar onde o rei
e Rainha banhar. Este úmidos basta fogo por todo o trabalho no início, no
meio e no
acabar, porque tudo Art consiste neste Fogo. Há ainda um fogo natural, um
fogo contra a Natureza , e uma
Fogo antinatural , que não queima, finalmente há um quente, seco úmido,
fogo, frio. Pense bem no
o que acabo de dizer, e trabalhar de maneira correta, sem usar qualquer
matéria estranha. "O que este mesmo
autor, em seguida, adiciona é realmente uma explicação dos três incêndios,
mas, como ele os chama de fogo de luzes, fogo de
Ashes , eo fogo natural de nossas águas , vê-se que ele quis enganar; aqueles
que desejam uma
descrição mais detalhada do Fogo Filosófico pode recorrer ao Testamento de
Raymond
Lully e sua Codicilo ; d'Espagnet fala também de que a partir do nonagésimo
oitavo a cento e
XVIII Canon. Os outros filósofos fizeram quase nenhuma menção de que,
exceto para escondê-lo, ou
indicaram que apenas por suas propriedades. Mas, em alegorias e fábulas que
deram a este Fogo do
nomes Espada, Lance, Arrows, Lançamento do Dardo, machado de
batalha, etc, tal era aquele com o qual Vulcan atingiu
Júpiter para fazê-lo dar à luz Pallas, a espada que o mesmo Vulcan deu a
Peleu, o pai
de Aquiles, o clube que apresentou a Hércules, o arco que este herói recebeu
de Apolo;
o cimiter de Perseus, o lance de Belerofonte, etc É o fogo que Prometeu
roubou
Céu; que Vulcan empregada para formar os raios de Júpiter, e os braços dos
deuses:
o cinto de Vênus, o trono dourado do Soberano dos Céus, etc Finalmente, é o
Fogo de
Vesta tão escrupulosamente preservado em Roma que as virgens vestais cujo
dever era para guardá-lo foram
punida com a morte, se permitido que ele seja extinto.
Princípios Operativos
A preparação é composto de quatro partes. O primeiro é a solução da matéria
em Mercurial
Água, a segunda é a preparação do Mercúrio dos Filósofos, o terceiro é a
Corrupção;
a quarta é a geração ea criação de Enxofre Filosófico. A primeira é composta
por o mineral
germe da Terra, o segundo volatiliza e converte corpos em espermatozóides, o
terceiro faz com que o
separação e eliminação de substâncias, a quarta une e fixa-los, que é a criação
de
a Pedra. Os filósofos têm comparado a preparação para a criação do mundo,
que foi o primeiro a
massa, um caos, uma terra vazia, sem forma e sombrio que não era nada de
especial, mas tudo em
geral, o segundo é uma forma de pesado, a água viscosa, cheio do espírito
oculto de seu Enxofre, eo
o terceiro é o valor da terra árida que apareceu após a separação das águas.
62
O Athanor dos filósofos não é o forno de os químicos comuns, é a própria
matéria Sophic, animado por
o Fogo Filosófico ou incêndio inata residente em latência em sua própria
natureza. Recomendamos ao leitor a paciente
meditação desta parte do Tratado sobre a Grande Arte, podemos assegurar-lhe
que ele será totalmente recompensado por seus planos. EB

Página 81
A página de Arte Grande 81
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Deus falou, a luz foi feita, ele se afastou da sua integridade física, e foi
colocado na região mais elevada.
Então as sombras desapareceram antes; caos e confusão deu lugar a ordem,
noite para o dia, e,
para falar assim, o nada à existência.
Deus falou uma segunda vez, os elementos confusos foram separadas, a mais
leve tomou sua morada acima
e os mais pesados abaixo e, depois, a terra, livre de seus abismos úmidos
apareceu, tornou-se capaz de
produção de todos.
Esta separação da água da Terra, onde existia Air and Fire era difusa, é apenas
uma
mudança sucessiva da matéria sob esta forma dupla;
63
que causou Filósofos dizer que
A água é a base de todo o trabalho, sem a qual a Terra não poderia ser
dissolvido,
corrompido, preparado, e que a Terra é o órgão no qual os elementos húmido
final, e são gele
queimado, por assim dizer, a assumiu uma existência mais nobre.
Em seguida, uma circulação é feita, o primeiro movimento do que sublima a
matéria por rarefação-lo, o
segunda engrossa pelo congelamento, e, finalmente, o conjunto é encerrado
num tipo de repouso, ou melhor
movimento interno, e mistura insensível da Matéria.
A primeira roda desta rotação dos Elementos, como d'Espagnet chama,
consiste na redução de
Importa a água, em que a geração começa, o eclipse do Sol e da Lua, em
seguida, ocorre.
A segunda roda é uma evacuação da umidade supérfluo, e uma coagulação da
matéria, sob
sob a forma de um terra e viscoso metálica, a terceira roda e provoca a
separação de Rectificação
substâncias, as águas estão separadas das águas. Tudo é espiritualizada, ou
volatilizado, o Sol e
Lua retomar seu brilho e luz começa a aparecer na Terra. A quarta roda é a
criação
de enxofre.
63
Isso, Água e Terra.

Página 82
A página de Arte Grande 82
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
O autor que acabamos de citar, diz: "O primeiro digestão operateth a solução
do corpo, segundo o qual
vem o primeiro conjunto de macho e fêmea, o commixtion de ambas as
sementes, putrefação, o
resolução dos elementos na água homogênea, o eclipse do Sol e da Lua na
cabeça
o dragão e, finalmente, dá à volta de todo o mundo em sua antiga Chaos, e
escuro abismo. Este
primeiro a digestão é como no estômago, de uma cor do melão e fraco, mais
do que adequado para a corrupção
geração. Na segunda digestão, o Espírito do Senhor anda sobre as águas, a luz
começa a
aparecer, e uma separação entre águas e águas ocorre, Sol e Luna são
renovadas, os elementos
são extraídos do caos, o que foi perfeitamente misturado em Espírito, eles
podem constituir um novo mundo, um
novo céu e nova terra são feitas e, finalmente todos os corpos tornam-se
espiritual. Jovens do Corvo
mudando suas penas começam a passar para Doves, a águia e do leão abraçar
uns aos outros em um
Liga eterno de amizade. E esta geração do mundo é feita pelo Espírito de fogo
descendo em
a forma de água, e limpando o pecado original, pois água dos Filósofos é o
Fogo, que é movido
pelo calor emocionante de um banho. Mas ver a separação de Waters ser feito
de Pesos e Medidas, para que não
essas coisas que permanecem sob o céu ser afogado debaixo da terra, ou as
coisas que são arrebatados
acima do Céu, ser muito destituídos de aridez. O terceiro digestão do recém-
gerado
Terra bebe o leite orvalhada, e todas as virtudes espirituais da quintessência, e
fasteneth o
vivificação da alma para o corpo através da mediação do Espírito. Em
seguida, ajunta a Terra um grande tesouro em
si mesmo, e é feita como a Lua coruscante, depois gostaria de o Sol
avermelhado, o primeiro é chamado
a Terra da Lua, o último da Terra do Sol, pois ambos são begot da cópula de
ambos, nenhum deles por mais tempo teme as dores de Fogo, porque ambos
querem todos os pontos, pois eles
têm sido muitas vezes purificado do pecado pelo fogo, e sofreram grande
martírio, até que todos os elementos
está voltada para baixo. A Quarta digestão consummateth todos os mistérios
do mundo, eo
Terra sendo transformado em mais excelente fermento, ele leveda todos os
corpos imperfeitos porque tem antes
passou para a natureza celestial da quintessência. A virtude disso que flui do
Espírito do
Universo é um presente Panacea e medicina universal para todas as doenças
de todas as criaturas. O
digestões do primeiro trabalho que está sendo repetido abrirá para ti Furnace
Segredo dos Filósofos ".
64
O processo consiste em Filosófica a solução do corpo e a congelação da
Espírito, e ambos são feitos por uma única operação. O fixo eo volátil estão
intimamente mista, mas
isso não pode ser feito a menos que o fixo é o primeiro volatilizado. Eles
finalmente abraçar, e pela diminuição que
tornar-se absolutamente fixo.
Os princípios operativos que são chamados também as chaves do Trabalho, ou
do Regime, são quatro
número, o primeiro é solução, ou liquefação, a segunda ablução, a terceira
redução, ea
quarta Fixação. Por Solution corpos retornar à sua primeira matéria, e tornar-
se bruto novamente por cocção.
Em seguida, o casamento do masculino e feminino é feita, eo corvo nasce. A
Pedra é resolvido em
quatro elementos, que são confundidos, o céu ea terra se unem para dar à luz a
Saturno.
Ablution ensina a branquear o Corvo
65
e para causar Júpiter nascer do Saturn: isso é feito pelo
mudança do corpo em Espírito. A função de redução, é devolver ao corpo do
seu espírito de que
tenha sido privado por volatilização, e alimentá-lo em seguida, em um leite
racional, sob a forma de orvalho,
até o pequeno Júpiter adquiriu força perfeita.
"Durante estas duas últimas operações, diz d'Espagnet, o Dragão desce do
Céu, torna-se
enfureceu contra si mesmo, ele devora sua cauda, e engole-se pouco a pouco,
até que finalmente ele é alterado
. na pedra "Tal foi o Dragão que Homer fala, ( Ilíada, b 2 v 306 e seguintes. ),
é o
imagem verdadeira, ou símbolo, estas duas operações. "Enquanto estávamos
reunidos em um belo plano-
árvore, diz Ulysses para os gregos, com a finalidade de fazer hecatombes,
perto de uma fonte que emitiu
daquela árvore, apareceu um prodígio maravilhoso. Um dragão horrível, com
uma volta manchado, enviado por
Próprio Júpiter, saiu da base do altar e correu até o avião-tree. No topo desta
árvore foram
oito pequenos pardais com sua mãe voando em torno deles. O Dragão
aproveitou-los furiosamente e
64
Tradução por W. Wyne Westcott. Loco Cit .
65
The Crow se torna o Dove. - Stanislas de Guaita.

Página 83
A página de Arte Grande 83
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
mesmo a mãe, que lamentou a perda de seus pequeninos. Após esta ação o
mesmo Deus que havia enviado
o monstro tornava bonito, brilhante, e transformou em uma pedra diante de
nossos olhos espantados. "Eu
deixar para o leitor a fazer o pedido.
Princípios de funcionamento, em particular
Calcinação
Calcinação
Calcinação
Calcinação
A calcinação comum é simplesmente a morte e a gangrena do Mixt, pela
separação do
Espírito, ou umidade, que ligava as suas partes. É, propriamente falando, uma
pulverização de fogo, e um
redução do corpo em cal, cinzas, terra, flores, etc
Calcinação filosófica é uma extração da substância da água, do sal, do
petróleo, do espírito e da
o resto da terra, e uma mudança de acidentes, uma alteração de quantidade,
uma corrupção da substância,
Ainda em uma tal maneira que todas estas coisas separadas podem reagrupar
de modo a formar um corpo mais perfeito.
Calcinação comum é feita pela ação do fogo dos nossos fogões de cozinha, ou
do concentrado
Os raios do Sol, a água é o agente de calcinação filosófica, por esta razão os
filósofos dizem:
Os químicos queimam com o fogo, e queimar com água , de onde deve-se
concluir que a química comum
é tão diferente da Química hermético, como o fogo a partir de água.
Solução
Solução
Solução
Solução
Solution, quimicamente falando, é uma atenuação, ou liquefacção de matéria
sob a forma de água,
do petróleo, de espírito ou humor. Mas Solução Filosófico é uma redução do
corpo para a sua primeira matéria, ou
natural de uma separação das partes do composto, e uma coagulação das
partes espirituais. É por isso
Os filósofos chamam de uma solução do corpo e uma congelação do
espírito. Seu efeito é liquefazer, para
dissolver-se, a abrir, para tornar bruto, a fina e substâncias livres de suas
partes terrestres, para
desmaterializar o Mixt, para convertê-lo em esperma.
Putrefação
Putrefação
Putrefação
Putrefação
Putrefação é, podemos dizer, a chave de todas as operações, embora não seja,
propriamente falando, o
em primeiro lugar. Ele nos revela o interior do Mixt: é o instrumento que
quebra os laços das partes;
torna, como os filósofos dizem, o manifesto oculto. É o princípio da mutação
das formas, o
morte dos acidentes, o primeiro passo para a geração, o início eo fim da vida,
a média
entre o existente eo inexistente.
O filósofo espera que quando o corpo, dissolvido por uma resolução natural é
submetido à
ação do calor putrefação. Destilação e sublimação foram inventados apenas
em imitação destes
processos da natureza no que diz respeito aos elementos, a inclinação ou
disposição de que se torne
rarefeitas e ascender, e condensado para tornar-se e a descer, fazendo com que
todas as misturas e
produções da natureza.

Página 84
A página de Arte Grande 84
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Destilação difere de sublimação, em que o primeiro é feito por elevação de
coisas húmidas,
os quais são, em seguida, destilado, gota a gota, em vez de sublimação e de
elevação de um extracto seco que
está ligado ao recipiente. Ambos são comuns.
Destilação e sublimação, filosoficamente falando, é uma limpeza, subtlization,
retificação de
assunto.
Coagulação e fixação são os dois grandes instrumentos da Natureza e da Arte.
Fermentação
O fermento é, no trabalho, o que o fermento é na confecção de pão. Não se
pode fazer pão
sem fermento, e não se pode fazer ouro, sem ouro. Portanto, o ouro é a alma
que determina
a forma intrínseca da Pedra. Não vamos ter vergonha de aprender a fazer ouro
e prata, como o padeiro
faz o pão, que é apenas uma composição de água e farinha amassada,
fermentado, que difere da
a primeira apenas por cozimento. Assim, o medicamento de ouro é apenas
uma composição de terra e da água, isto é,
dizer, do Enxofre e Mercúrio fermentado com ouro, mas com um ouro
virgem. Porque, assim como não se pode fazer
fermento de pão cozido, por isso não se pode fazer um fermento de ouro
comum, enquanto ela permanece
ouro comum.
Mercúrio, ou Mercurial Água, é que a água, enxofre que farinha, que por uma
longa fermentação,
torna-se amargo e são feitas em fermento, com o qual Ouro e Prata são
feitas. E como o fermento pode
ser multiplicado eternamente, e pode servir sempre como um material para
fabrico de pão, por isso o Filosófica
Medicamento também pode ser multiplicado, e servir eternamente como o
fermento para fazer ouro.

Página 85
A página de Arte Grande 85
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Sinais demonstrativas ou Princípios
As cores que aparecem na matéria Filosófica durante o curso de operações do
trabalho são os sinais demonstrativos que informem o artista para saber se ele
passou no direito
maneira. Eles se sucedem de imediato e em ordem; caso esta seja perturbada,
é uma prova de que
um tem trabalhado de forma errada. Existem três cores principais: o primeiro
é preto, chamado de Cabeça
do Corvo, e muitos outros nomes que deram o artigo, intitulado: Chave do
Trabalho .
O início desta obscuridade indica que a natureza do fogo começa a operar, e
que o
A matéria está sendo dissolvido, quando esta cor preta é perfeita, a solução é
perfeita também, eo
Elementos são confundidos. O grão apodrece, a fim de ser descartado para a
geração. "Aquele que não faz
saber como tornar a matéria negra não pode branquear, diz Artephius, pois a
escuridão é o
início da brancura, e é a marca de putrefação e de alteração. É feito assim. No
Putrefação, que é feita em nossa água, não aparece em primeiro lugar uma
escuridão que se assemelha a um gorduroso
caldo de carne, sobre a qual pimenta foi aspergido. Este licor sendo então
espessado torna-se um negro
terra, ele fica branco por cocção continuada. . . e, tal como o calor, sob
a humidum produz
escuridão, que é a primeira cor a aparecer, produz calor de modo contínuo a
brancura que é o
segundo princípio da Obra. "

Página 86
A página de Arte Grande 86
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Essa ação de Fogo na humidum faz tudo no trabalho, como na natureza, para a
geração de
os Mixts. Ovídio diz:
Ubi temperiem sumpsere humorque calorque
Concipiunt: et ab seu oriuntur concta duobus. -
Metam. BI
Durante este Putrefaction o macho filosófica ou enxofre é confundida com a
fêmea, para que eles
formar um só corpo que os filósofos chamam de hermafrodita; "Este é, diz
Flamel, ( . Loco cit ), o
Androgyna dos antigos, a cabeça do Corvo, e os elementos convertidos. deste
modo, eu
representar a ti, para que tu tens duas naturezas reconciliadas, que podem
formar um embrião na matriz de
A embarcação, e pode dar à luz a um muito poderoso, incorruptível, o rei
invencível. . . Nossa matéria em
este estado é a serpente Python, que tendo nascido da corrupção do barro da
terra,
deve ser condenado à morte, e conquistou pelas setas do deus Apolo, pelo
justo Sol, isto é,
pelo nosso fogo, igual ao do sol. Estas limpezas muitas vezes repetidas com a
outra metade, são os dentes
desta serpente que o operador sábios, os prudentes Cadmus, vai semear na
mesma Terra, de onde será
soldados mola que vai destruir-se mutuamente, e ser resolvido para este
mesmo tipo de terra. . . Ciumento
Os filósofos têm chamado este confecção R
EBIS
, E também Numus, Ethelia, Arena, Boritis, Corsufle,
Cambar, Albar, Aeris, Bauderic, Kukul, Thabitris, Ebisemeth, Ixir, etc ., é isso
que eles têm
designado como o matéria "de ser branqueada." Falei longamente desta
escuridão no artigo sobre
O
Operatória
P
PRINCÍPIOS
. O leitor pode se referir a isso.
O segundo sinal demonstrativo, ou a segunda cor principal, é branco. Hermès
diz: ( Cap. VII ).:
Saber, o Filho da Ciência, que os gritos Abutre do topo da montanha, eu sou o
Branco do Negro;
porque brancura sucede a escuridão. Morien chama essa brancura fumaça
branca. Alphidius
ensina-nos que esta matéria, ou esta fumaça branca, é a raiz da arte e da
Quicksilver dos Sábios.
Philalethes, ( Narrat. método. p. 36 ), nos assegura que Quicksilver é o
verdadeiro Mercury do
Filósofos. "Este Quicksilver, diz ele, extraído dessa escuridão muito sutil é a
tingent
66
Mercúrio dos Filósofos, com sua Enxofre branco e vermelho naturalmente
misturado em sua mina. "
Os filósofos deram-lhe, entre outros nomes, aqueles que seguem:
Cobre Branco, Cordeiro, Cordeiro imaculado, Aibathest, Brancura,
Alborach, Holy Water, água pesada,
Talco, Argent-vive, Mercury coagulado, Purified Mercury, Prata, Zoticon,
Arsenic, Orpiment, Ouro,
Ouro Branco, Azoch, Baurach, bórax, Ox, Cambar, Caspa, Cerusa, Cera,
Chaia, Comerisson, White
Corpo, Corpo improprement dit, em dezembro, E, Electra, Essence, Essence
Branco, Eufrates, Eva,
Fada, Favonius, Foundation of Art, pedra preciosa de Givinis, Diamond,
Lima, Gum Branco,
Hermafrodita, enxada, hipóstase, Hyle, inimigo, Leite Insipid, Leite da
Virgem, pedra conhecida, Mineral
Stone, de pedra original, Lua, Lua cheia, Branco Magnésia, Alum, Mãe,
matéria exclusiva de Metais,
Média preparatório, menstrum, Configurando Mercury, Óleo, Oleum vivum,
Legumes, Ovo, Fleuma, Branco de
Ovo, Point, Root, Root of Art, única raiz Rebis, Salt, Salt Alkali, Salt Alebrot,
Salt Alembroth,
Sal fusíveis, Salt of Nature, Sal Mineral, Sal dos Metais, Sabão do
Wise, ( Sapo Sapientiœ ) , Seb,
Secondine, Sedine, velhice, Seth, Serinech, Fugitive Servo, mão esquerda,
Companion, Irmã, esperma de
os metais, espírito, estanho, sublimar, suco, enxofre, enxofre Branco, enxofre
unctious, Terra, Terre
Feuillée, Terra Fértil, Potencial Terra, campo em que o ouro deve ser
semeada, Teros, Tincar,
Vapour, Evening Star, Wind, Virago, vidro, vidro de Faraó, Twenty-one,
Abutre, Zibach, Ziva,
Véu, Véu Branco, Narciso, Lírio, Rosa Branca, Bone calcinada, Casca de
ovo, etc
Artephius diz que a brancura é oriundo da alma do corpo flutuando sobre a
água como um branco
creme, e que os Espíritos são, então, tão intimamente unidos, que elas não
podem fugir, porque eles têm
perdeu a sua volatilidade.
66
Tingent, ou seja, adequada para comunicar com os metais imperfeitos a cor
permanente de ouro ou prata.
EB

Página 87
A página de Arte Grande 87
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
O grande segredo do Trabalho, portanto, é para branquear a Latten e deixar
todos os livros por si só, de modo
para não ser constrangido por lê-los, para esta leitura poderia dar origem a
idéias de inútil e
trabalho caros. Esta brancura é o perfeito Pedra Branca, é um precioso corpo,
que quando se tem
sido fermentado e tornou-se Elixir branco, é cheio de uma tintura exuberante
que tem a
estabelecimento de comunicação a todos os outros metais. Os Espíritos, num
primeiro momento volátil, tornam-se fixas. O
próximo corpo é ressuscitado bonito, branco, imortal, vitorioso. É por isso que
tem sido chamado
Ressurreição, Luz, Dia , e todos os outros nomes que podem indicar brancura,
fixidez e
incorruptibilidade.
Flamel tem representado esta cor em suas figuras hieroglíficas, por uma
mulher cercada por um branco
rolo, mostrar, diz ele, "que R
EBIS
vai começar a clarear dessa mesma maneira, branqueamento pela primeira vez
no
extremidades, depois de todo esse círculo branco. A Escada de filósofos
( Scala Philosoph .) diz:
O sinal da primeira parte da brancura, é quando se vê um certo pequeno
círculo capilar, isto é,
dizer, uma passagem sobre a cabeça, que aparecerá em torno do assunto nas
laterais do navio, em um
cor de laranja aproximando. "
Os filósofos, de acordo com o mesmo Flamel, ter representado este Whiteness
sob a figura
de uma espada reluzente. "Quando tu queres ter clareado, acrescenta o mesmo
autor, tu conquistou o
encantadas Bulls, que jogou de sua narinas fogo e fumaça. Hércules limpou o
estábulo completo
de sujeira e escuridão. Jason derramou o líquido sobre o Dragão da Cólquida e
tu tens na tua
potência do Chifre da Amalthœa que, desde que ele é branco, pode cobrir todo
o resto da tua vida com glória,
honras e riquezas. A fim de obtê-lo, deves ter lutado bravamente, e como
Hércules para este
Achelous, este rio úmido (que escuridão, a água negra do rio ESEP), é dotado
de uma
muito grande força, além disso, muitas vezes muda de um para outro ".
Como preto e branco são, para falar assim, dois extremos e, como dois
extremos podem ser unidos apenas por uma
Quer dizer, o problema em deixar a cor preta, não se torna branco
imediatamente, a cor cinza é
intermediário porque participa da natureza de ambos.
Os filósofos têm-lhe dado o nome de Júpiter, porque ele consegue o preto, que
eles têm
chamado de Saturno. Isto causou d'Espagnet quer dizer, que o ar consegue a
água após ter terminado
seus sete revoluções, que Flamel chamou Embebição
67
. A questão, adiciona d'Espagnet, sendo fixado
na parte inferior do vaso, Júpiter, Saturno, depois de ter posto em fuga, toma
posse do reino,
e assume o seu governo. Em seu advento da Criança Filosófico é formado, é
alimentada na
matriz e, finalmente nasce com um rosto bonito, brilhante e branca como a
lua. Portanto, este branco
A matéria é uma solução universal para todas as doenças do corpo humano.
Finalmente, a terceira cor principal é vermelha. É a conclusão e perfeição do
Stone. Este
vermelhidão é obtido simplesmente a continuação da cocção da
Matéria. Depois do primeiro trabalho, é
chamado esperma masculino, ouro filosófico, Fogo da Pedra, Royal Crown,
Filho do Sol, Mina de
Fogo Celestial.
Já dissemos que a maioria dos filósofos começam seus tratados sobre o
trabalho com a Red
Stone. Aqueles que lêem estas obras, não conseguia prestar muita atenção
para isso, pois é uma fonte de
erros para eles, tanto porque não pode adivinhar de que maneira os filósofos,
em seguida, falar, como
porque as operações e as proporções, dos assuntos, que estão no segundo
trabalho, ea
tomada do Elixir, são muito diferentes das do primeiro. Embora Morien nos
assegura que a
segunda operação é apenas uma repetição do primeiro, no entanto, é bom
notar, que o que eles chamam de Fogo, Ar,
Terra e Água, em um exemplo, não são as mesmas coisas que aqueles a que
dão os mesmos nomes
67
Eu
MBIBITION
Ou coobação, ou sublimação, é o tempo da operação, quando a matéria emite
vapores que
condensng queda como a chuva sobre a terra Sophic remainging parte inferior
do navio e umedece-la, até que esteja perfeitamente
saturado.
Pernety. - Dict. Mytho-Herm.

Página 88
A página de Arte Grande 88
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
na outra. O mercúrio é chamado de Mercúrio, na sua forma líquida, bem como
na sua forma seca. Para
exemplo, aqueles que lêem Alphidius imaginar, quando ele chama a questão
do Trabalho, Minas Red , que
é necessário procurar uma matéria vermelho para o início da operação e, por
conseguinte algum trabalho na
cinábrio, outros no mínio, ou chumbo vermelho, outros em orpiment,
(Auripigment), outros em ferro ferrugem,
porque eles não sabem que este mineral vermelho é o perfeito Red Stone, e
que Alphidius começa sua
trabalhar apenas com isso. Mas, para que aqueles que irão ler este trabalho e
que vai querer operar pode
não se engane, nós damos muitos dos nomes que este Red Stone Bears:
Ácido, nitidez, Adam, Aduma, Almagra, Altum, Alzernard, Soul, Ram, Ouro,
Quick-Gold, alteradas
Ouro, Câncer, Cadmic, Camerith, Bile, Chibur, Ashes, Ashes of Tartar,
Corsufle, Body, Body
propriamente falando, corpo vermelho, Direita, Deeb, Dehab, Verão, Ferro,
Forma do Homem, o irmão,
Comb frutas, Cock, de Cock, Gabricus, Gabrius, Gophrith, Grain etíope,
Gum, Gum Vermelho,
Hageralzarnad, Man, fogo, fogo da Natureza, Infinito, Juventude, Hebrit,
Pedra, Pedra indiano, Indrademe
Stone, Lasule Stone, Red Stone, Golden litargírio, Red litargírio, luz, manhã,
Marte, marteck,
Masculino, Magnésia Vermelho, Metros, Mina, Neusis, Óleo de Marte,
incombustível, Óleo Vermelho, Olive,
Olive perpétua, Oriente, Pai, uma parte, estrelado Stone, Phison, King,
Réezon, Residence, vermelhidão,
Ruby, Sal, Red Salt, Germ, Sericon, Sun, Enxofre, Red enxofre, enxofre
Rápido, Tamné, Third,
XIII, Red Earth, teriaga, Thelima, Thion, Thita, Toarech, Vare, Veia, Sangue,
Poppy, Vinho Tinto,
Vinho, Virago, gema de ovo, vitríolo Vermelho, Chalcitis, Colchotar,
Cochonilha, Vidro, Zaaph, Zahau, Zit,
Zumech, Zumelazuli, etc
Mas todos estes nomes não foram dadas a ele pelo mesmo motivo, os autores,
nestes diferentes
denominações, ter considerado, por vezes, em relação a sua cor, por vezes, em
conta a sua
qualidades. Por exemplo, aqueles que têm chamado este Matter: Red Stone,
Ácido, Adam, Verão,
Almagra, Soul, Ram, Ouro, Câncer, Camereth, Ashes of Tartar, Corsufle,
Deeb, o irmão, Fruta, Cock,
Juventude, Kibrit, Indrademic Stone, marteck, Homem, Pai, Sol, terceiro
lugar, Neusis, Olive, Thion, Vidro,
Zaaph, chamam-lhe, assim, por causa de sua mudança de
Constituição. Aqueles que têm considerado apenas o seu
cor, tê-lo chamado Gum Red, Red Oil, Ruby, Sericon, Red Enxofre, Gema de
Ovo, vitríolo Vermelho, etc
"Nesta operação de avermelhamento, diz Flamel, enquanto tu soakest, tu tem
pouca preto,
mas muito de violeta, de azul e da cor da cauda do pavão: para a nossa pedra é
tão triunfante em
ressecamento, que tão logo o teu mercúrio toca, Natureza, regozijando-se em
sua natureza, se junta a ele e
bebe-se ansiosamente, e assim a escuridão que vem de umidade, pode
mostrar-se apenas um pouco,
sob estas cores violeta e azul, enquanto a secura governa
absolutamente. . . Mas lembre-se de
iniciar o avermelhamento pela aposição de Mercury vermelho-alaranjado, mas
é necessário derramar mas pouco
dele, e apenas uma ou duas vezes, de acordo com o que tu queres ver: para
esta operação deve ser feita por
fogo seco, sublimação e calcinação seca. E, na verdade, eu revelo aqui um
segredo que tu queres encontrar
muito raramente escrito ".
Nessa operação, o corpo fixo torna volátil, monta-se e desce enquanto circula
no
Vaso até o fixo tendo conquistado o Volátil, precipita-se para o fundo com a
própria, de modo a
fazer apenas um corpo de natureza absolutamente fixo. O que temos citou
Flamel deve ser aplicada
para o Elixir, do qual falaremos adiante, mas as operações do primeiro
trabalho, ou à maneira de
fazendo Enxofre Filosófico, são assim descritas por d'Espagnet ( Lumen
109. ): "Escolha um vermelho,
corajoso Dragão, que não perdeu nada de sua força natural: depois de sete ou
nove negrito, virgem
Eagles, cujos olhos não pode se deslumbrar com os raios do Sol: colocá-los
com o dragão em um
prisão transparente, bem fechados, e em cima de um banho quente, para
excitá-los para o combate. Eles não vão atrasar
a lutar entre si, o combate será longo e muito doloroso, até o quadragésimo
quinto ou quinquagésimo dia
68
,
68
"Os dias dos Químicos herméticos são contados de forma diferente e não são
os mesmos que os nossos dias comuns. Plínio diz que
seu ano consiste apenas em um mês, alguns dizem que um mês comum,
alguns outros um mês lunar, e outros ainda, um egípcio
Mês - Pernety
"Os filósofos têm estabelecido o tempo de duração diferente para a mistura da
nossa Arte. Alguns dos mais têm falado de um ano;
outros de um mês, outros de três dias, e outros ainda de um dia. Mas, da
mesma maneira como o chamamos dias , o período de tempo

Página 89
A página de Arte Grande 89
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
quando o Eagles vai começar a devorar o Dragão. Este último, ao morrer, irá
infectar toda a prisão
com seu sangue corrupto, e com um veneno muito preto. The Eagles ser
incapaz de resistir à violência das
este veneno irá expirar também. A partir da putrefação de seus corpos vai
nascer um corvo, que vai levantar
a sua cabeça, pouco a pouco, e pelo aumento do banho, ela irá desdobrar suas
asas e começará a
voar, o vento e as nuvens vão levá-lo aqui e ali, cansado de ser assim
atormentado, ele vai buscar
para escapar, por isso tome cuidado, para que não encontrar um
problema. Finalmente, lavar e branquear por uma chuva constante de
longa duração, por um orvalho celestial, será metamorfoseado em um cisne. O
nascimento do Corvo
irá indicar-lhe a morte do Dragão.
se você está curioso para avançar para a cor vermelha, adicionar o elemento
fogo que está faltando para o
brancura: sem tocar ou mover o vaso, mas reforçando o fogo por graus,
pressione o seu
medidas sobre o assunto até que o oculto se torna manifesto, a indicação será
a cor de limão. Em seguida
governar o fogo do quarto grau, sempre pelo gradação necessária, até com a
ajuda de Vulcan, você
ver as rosas vermelhas aberto, o que vai mudar em amarantos, a cor do
sangue. Mas não deixam de
tornar o ato de fogo pelo fogo até ver o todo reduzido a muito vermelhos,
cinzas impalpáveis. "
O Enxofre Filosófico é uma terra de extrema tenuidade, igneity e secura. Ele
contém um incêndio
de natureza muito abundante, é por isso que tem sido chamado de Fire of the
Stone . Tem a propriedade de
abertura, de penetrar os corpos dos metais, e de transformá-las em sua própria
natureza:
consequentemente, ele é chamado de Pai e Germ masculino .
As três cores preto, branco e vermelho, tem que se sucedem na ordem em que
temos
descreveu. Eles indicam as mudanças essenciais que a matéria sofre: enquanto
o outro
cores, que são em número quase infinito e semelhantes aos do arco íris, são
apenas transitória
e de muito curta duração. Estes são o tipo de vapores que afetam o ar ao invés
da Terra,
qual a unidade entre si de distância, e que estão espalhados para fazer o quarto
para as três cores principais
qual temos falado.
No entanto, essas cores externas são por vezes sinais de uma equivocada
de regime e de um mal conduzida
operação, a escuridão contínua é uma certa marca de erro, para os mais
pequenos corvos, assim diz d'Espagnet,
( Can. 66 ), não deve retornar ao ninho depois dele ter saído. A vermelhidão
prematuro também é um sinal de
fracasso, pois ele deve aparecer apenas no final, como uma prova da
maturidade do grão, e do tempo de
colheita.
Do Elixir
Não é suficiente ter chegado ao enxofre filosófico, que acabamos de
descrever, a maioria
alquimistas foram enganado nisso, e abandonaram o trabalho no estado,
acreditando ter
levou-a à perfeição. A ignorância dos processos da Natureza e arte é a causa
deste erro. Em vão
seria uma tentativa de fazer a projeção com esta pedra sulfuroso, no estado
vermelho. O
Pedra Filosofal não pode ser perfeito até ao final do segundo trabalho que é
chamado de elixir .
que a Sun usa para viajar de leste a oeste, os sábios chamaram dia o intervalo
que separa o início da
final da operação. Aqueles que falam de um mês, tem referência ao curso do
Sol em um signo do Zodíaco. Aqueles
que mencionar três dias considerar o início, o meio eo fim da obra: e aqueles
que fixam o tempo em um ano
tem em vista a sucessão das quatro cores emblemáticas das quatro estações do
ano. "Anonymous, citado por
Pernety, Dict.-Mytho.-Herm.

Página 90
A página de Arte Grande 90
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A partir desta primeira enxofre efectua-se uma segunda, que, em seguida,
pode-se multiplicar infinitamente. Deve-se, em seguida,
preservar cuidadosamente esta primeira mina de fogo celestial, para a
utilização prevista.
O elixir, de acordo com o d'Espagnet, é composta por uma matéria tripla, isto
é, de uma água metálico, ou
Mercury filosoficamente sublimada, da Ferment branco, se alguém deseja
fazer o Elixir Branco, ou
O fermento de vermelho, para o Elixir vermelho, e finalmente do segundo
enxofre, o conjunto de acordo com a
pesos e proporções filosóficas. O Elixir deve ter cinco qualidades, que deve
ser fusível,
permanente, penetrante, tingent e multiplicação , que deriva sua tintura e sua
fixação do
Ferment, sua fusibilidade do argento-vive, que serve como o meio para unir as
tinturas da
Fermentar e enxofre, e sua propriedade multiplicativa vem do espírito do
Quintessence
que naturalmente possui.
Os dois metais perfeitos dar uma tintura perfeita, porque eles derivam sua
tintura do puro
Enxofre da Natureza, por isso sua Ferment não deve ser procurada em outro
lugar do que nos dois corpos. Assim
colorir o Elixir branco com a Lua, eo vermelho com o sol. Mercury, o
primeiro recebe este
Tintura, e, em seguida, comunica. Tenha cuidado para não ser enganado na
mistura dos Fermentos e
não tomar um pelo outro, você perderia tudo. Este segundo trabalho é feita nas
mesmas Vas
Philosophorum , ou num recipiente semelhante ao primeiro, no mesmo forno,
e com os mesmos graus de
fogo, mas é muito mais curto.
A perfeição do Elixir consiste na união do casamento e
perfeito Siccum e Humidum ,
de modo que eles são inseparáveis, e de modo que o Humidum dá ao Siccum a
propriedade de ser
fundível pelo menos calor. Prova disto pode ser feita colocando uma pequena
quantidade de la sobre um aquecido
cobre ou ferro chapa, se derrete imediatamente, sem fumaça, que você tenha
obtido o que você procurava
para.

Página 91
A página de Arte Grande 91
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Operação do Elixir de acordo com d'Espagnet
"Terra Vermelha, ou Ferment Vermelho, três partes, Água e Ar, em conjunto,
seis partes, misture o todo,
e triturar de modo a fazer uma amálgama ou colar metálico, com a
consistência de manteiga, de tal maneira
que a Terra pode ser impalpável, ou insensíveis ao toque, adicionar-lhe uma
parte e meia de fogo, e
colocar toda em um vaso, o que você irá selar de perto. Dar a ele um incêndio
do primeiro grau
69
pela
digestão, então você vai fazer a extração dos elementos pelos graus de fogo
adequado para eles,
até que eles são todos reduzidos a Terra fixa. A matéria se tornará como um
brilhante, transparente pedra vermelha,
e estará então em seu estado perfeito. Tirar dele qualquer quantidade desejada,
coloque-o num cadinho, ao longo de um
moderar o fogo, e deixe essa parte com o seu óleo vermelho, saturando-o, gota
a gota, até que ele derrete e corre
sem fumaça. Não tenha medo de que seu Mercury vai evaporar, porque a
Terra vai beber-se ansiosamente que
humor que é de sua própria espécie. Você tem, em seguida, em sua posse a
sua Elixir perfeito. Graças a Deus
para o favor concedido a você, fazer uso dele para a Sua glória, e manter o
segredo. "
O elixir branco é feito da mesma maneira como o vermelho, mas com os
fermentos branco e óleo branco.
Quintessência
A quintessência é uma extração da substância mais espiritual e radical da
Matéria, que é feita por
a separação dos elementos que acabam em uma essência celestial e
incorruptível, livre de todos
heterogeneidades. Aristóteles chama de uma substância muito pura,
constituída de uma certa maneira, não misturado
com peças acidentais à sua natureza. Heráclito chama de essência celestial que
leva o nome do
lugar de sua origem. Paracelsus nomeou, o ser do nosso céu central; Plínio, a
essência corporal,
ainda separado de toda a materialidade, e livre de comércio com a
matéria. Tem sido chamado
conseqüentemente, um corpo espiritual, ou um Espírito corpórea, feito de uma
substância etérea. Todos estes
qualidades ter causado o nome Quintessence a ser dada. Este nome significa
uma quinta substância,
que resulta da união das partes mais puras dos Elementos. O segredo consiste
em Philosophical
separar os elementos do Mixts, a fim de corrigi-las, e pela união de sua pura
partes homogêneas e espiritualizado, para fazer este Quintessence, que contém
todas as suas propriedades
sem estar sujeito às suas alterações.
A tintura
69
O Fogo do primeiro grau é como o da galinha quando choca seus ovos, ou
como o natural da cabeça digerir a comida para
convertê-lo em substâncias do corpo, ou como a de esterco de cavalo, ou, in
fine, similar à do Sol em Áries. É por isso
vários filósofos têm recomendado para iniciar o trabalho quando o Sol entra
neste signo ea Lua na
constelação de Touro. Este grau de calor deve durar até que o assunto tem
asssumed a cor branca, assim como a Pedra
branqueadores, deve-se aumentar gradualmente a temperatura até à
dessecação perfeita da pedra: esta temperatura é igual àquela
do Sol, quando se passa de Touro para Gêmeos. A Pedra de ter sido
desidratado e reduzido a cinzas, uma amplia
o grau de calor até que o assunto se torna roupas o manto real vermelho e
perfeitamente. Este grau de temperatura é a
mesma que a do Sol em Leão, ( Scala Philosophorum ). O Rosarium diz: A
temperatura do seu fogo deve ser a do
calor do Sol, em julho, de modo que por uma cocção moderado e longo seus
engrossa água e mudanças em uma terra preta. No que diz respeito
para o aumento gradual do grau de calor acima mencionado, em Scala
Philosophorum , acreditamos que é importante adicionar
a observação de Pernety em Dict.-Mytho.-Herm. p.221: "Devemos observar
que quando os filósofos falam dos graus de calor
para dispensar a sua matéria, eles não entendem que o fogo deve ser
intensificado ou diminuído como comumente feito por
químicos comuns em seus fornos de média de amortecedores, foles, ou uma
maior quantidade de carvão, mas que a intensidade da
o fogo secreto da matéria deve ser aumentada bya digestão mais ativa, na
proporção que o assunto se torna mais fixo,
seus aumenta gradualmente de fogo, e os seus graus são apreciados pelas
cores que a questão assume.
EB

Página 92
A página de Arte Grande 92
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Quando os ignorantes de Filosofia hermética, leia o termo tintura , nas obras
que tratam de
esta ciência, eles imaginam que se refere simplesmente à cor dos metais, como
laranja de ouro, e
branco para prata. E, como se diz, nestas mesmas obras, que enxofre é o
princípio da tintura;
um trabalha para extrair esta enxofre por água fortis, aqua regia, por
calcinação e as outras operações de
química comum. Esta não é a idéia dos filósofos, ou, no que diz respeito às
operações, ou
Tintura-se o. A tintura de ouro, não pode ser separado do seu corpo, uma vez
que é a alma
isto, e porque não se podia extrair sem destruir o corpo, o que não é possível
para
química comum, como todos que já experimentaram esta experiência, sabe
muito bem.
A tintura, no sentido Filosófica, é o próprio elixir, representado fixo
termocolantes, e penetrante
tingent , pela corrupção e as outras operações de que falamos. Esta tintura, por
conseguinte,
não consiste na cor externa, mas em que a própria substância, que dá a Tintura
com o
forma metálica. Ele atua como açafrão em água, que penetra até mais do que o
óleo em papel, que combina como a cera
com cera, como a água, com água, porque é feita a união entre as duas coisas
da mesma natureza. É
esta propriedade que a torna uma Panacea admirável, para todos os males dos
três reinos da
Natureza, suas buscas neles, o princípio radical e vital, que alivia as partes
heterogêneas
que embaraçar-lo, e mantê-lo na prisão, ele vem para o auxílio deste princípio,
e une-se com a
lutar contra seus inimigos. Eles agem quando em concerto, e uma vitória
perfeita. Este Quintessence expele
a impureza dos corpos, assim como o fogo faz com que a umidade da madeira
para evaporar, ele preserva a sua saúde,
dando ao princípio da vida, força para resistir aos ataques de doenças, bem
como a propriedade de separar
a substância verdadeiramente nutritivo dos alimentos, a partir do seu veículo.
Multiplicação
Compreende-se por multiplicação Philosophical um aumento tanto em
quantidade e qualidade
além do que se pode imaginar. Que a qualidade é uma multiplicação da tintura
por uma corrupção, uma
volatilização e uma fixação reiterou sempre que pode agradar o artista. A
segunda Multiplicação
aumenta a quantidade de tintura, sem aumentar as suas virtudes.
A segunda enxofre é multiplicado com a mesma matéria a partir da qual foi
feita, por adição a ela
uma pequena parte do primeiro, de acordo com os pesos e medidas
necessárias. No entanto, existem três métodos
de fazer a multiplicação, se formos acreditar d'Espagnet, que os descreve da
seguinte
forma: A primeira é tomar uma parte do Elixir Vermelho perfeito, e misturá-lo
com nove partes de seu Red
Água; colocar o recipiente no banho, de modo a tornar o conjunto se
dissolvem na água. Depois de a solução, uma
cozinheiros esta água até que coagula em uma questão semelhante a um rubi,
um inserções então esta questão no
forma do Elixir, e a partir desta primeira operação, a Medicina adquire dez
vezes mais do que virtude
possuía. Se este mesmo processo é repetido uma segunda vez, o medicamento
vai ser aumentada uma
cem, uma terceira vez por mil, e assim por diante sempre por dez.
O segundo método consiste em misturar a quantidade desejada de o elixir com
o da água, enquanto se mantém a
proporção entre eles, e depois de ter colocado todo em um vaso de redução
bem fechados, para
dissolvê-lo no banho, e a seguir todos os do segundo regime, destilando os
elementos sucessivamente
pelos seus próprios incêndios, até que o conjunto torna-se Stone. Então, um
inserções como no outro, ea virtude da
Elixir aumenta cem vezes pela primeira vez, mas esta forma é mais
longo. Uma repete como a primeira, a
aumentar a sua resistência.
Finalmente, a terceira multiplicação é, propriamente falando, a multiplicação
da quantidade. Um lança uma
onças do Elixir multiplicado em qualidade, em cem onças de mercúrio comum
purificada, o que
Mercury colocada sobre um fogo lento, em breve transformar-se em Elixir. Se
uma onça dessa nova Elixir é lançado
em cima de uma centena de onças de outro Mercury comum purificado, ele se
tornará muito encontrar ouro. O

Página 93
A página de Arte Grande 93
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Multiplicação do Elixir branco é feito da mesma forma, tendo o Elixir branca
e sua
água, em vez de o Elixir vermelho.
Quanto mais se vai repetir a multiplicação em termos de qualidade, o mais
efeito que terá na projeção;
mas não é assim da terceira forma de multiplicar de que falamos, pois a sua
força diminui a
cada projecção. No entanto, não se pode levar esta reiteração além da quarta
ou quinta vez, porque o
Medicina, então, seria tão ativo e tão ígnea que as operações se tornaria
instantânea,
desde que a sua duração é reduzida em cada reiteração, além disso a sua
virtude é grande o suficiente na quarta
ou quinta vez para satisfazer os desejos do artista, uma vez que no primeiro
grão pode converter cem
grãos de mercúrio em ouro, no segundo mil, no terceiro de dez mil, na quarta
cem mil, etc É preciso julgar deste medicamento a partir do grão, que é
multiplicado cada vez
que está semeada.
Dos pesos no Trabalho
Nada é mais confuso do que os pesos e proporções exigidas no trabalho
filosófico. Tudo
os autores falam deles, e não uma explica-las claramente. Diz-se que é
necessário
medir seu fogo clibanically
70
(Flamel). Outra geometricamente, (d'Espagnet e Artephius). O
este último de acordo com o calor do sol, da primavera ao outono, o primeiro
diz que o calor é febre
necessário, etc Mas Trévisan nos aconselha a dar um fogo lento, porque então
só se corre o risco de
terminar o trabalho um pouco mais tarde, enquanto que em forçar o fogo está
em evidente perigo de perder tudo.
A composição e a vida dos Mixts é continuada apenas pelo peso e de medida
do
Elementos, então combinados e proporcionado que um não exclui tyranically
sobre os outros, se houver
Muito fogo o germe é queimado, se muita Água Espírito seminal e radical é
sufocado, se
muito Ar e Terra, o compósito terá quer muito ou pouca consistência, e cada
elemento não será livre em sua ação.
No entanto, esta dificuldade não é tão grande, como ele aparece a partir da
primeira leitura dos filósofos, alguns
ensinar, (Trévisan) que a natureza tem sempre o equilíbrio na mão, para
ponderar esses elementos, e assim
proporção suas misturas, que sempre resultará a partir deles o Mixt que ela
propõe
fazer, a não ser que ela é prejudicada em suas operações, pelo defeito da
matriz em que ela executa seu
operações, ou o defeito dos germes que estão decorados com ela, ou por
outros acidentes. Vemos,
mesmo em química comum, que os dois corpos heterogêneos não se
misturam, ou não pode permanecer muito tempo unidos;
quando a água que se dissolva uma certa quantidade de sal, não se dissolvem
mais, que a mais
corpos de afinidade têm, mais eles parecem procurar um ao outro, mesmo
deixando um corpo para o outro para que
eles têm mais afinidade. Estas experiências são conhecidos, especialmente
entre os minerais e os
metais.
O Artista da Grande Obra configura a natureza como seu modelo. Portanto,
ele deve estudar esta natureza em
a fim de ser capaz de imitar a sua. Mas como descobrir seus pesos e
combinações? quando ela deseja
fazer algum Mixt ela não nos chama para aconselhar com ela ou para ajudar
em suas operações, seja para ver o
partes constituintes que Mixt, ou seu trabalho em combiná-los. Os filósofos
herméticos nunca
cansado de aconselhar-nos a seguir Natureza;, sem dúvida, eles sabem dela
desde que eles afirmam ser seus discípulos.
Portanto, a partir de suas obras, pode-se aprender a imitá-la. Mas se diz,
(Artephius): "que apenas um
coisa que é necessária para aperfeiçoar o trabalho, que existe apenas uma
pedra, uma única Medicina, apenas um
Vessel, apenas um Regime, apenas um método de fazer sucessivamente o
branco eo vermelho. Assim,
embora devamos dizer, acrescenta o autor, use isso, use isso, não quero dizer
que é necessário tomar
70
De acordo com a proporção da fornalha. Flamel diz, depois Calid "Se o teu
fogo não é medido Clibinically , isto é
dizer, com peso e medida das matérias, que são, mas o Enxofre e Mercúrio
dos Filósofos, etc
Pernety, Dict.-Mytho.-Herm.

Página 94
A página de Arte Grande 94
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
mais de uma coisa, para colocá-lo uma vez no navio, e para fechá-la em
seguida, até que o trabalho é perfeito e
realizado. . . . Que o artista simplesmente para preparar a matéria como deve
ser externamente, porque
isto faz, por si só, internamente, tudo o que é necessário para tornar-se
perfeita. . . . Assim simplesmente preparar e
organizar o assunto, e Nature vai fazer todo o resto. "
Raymond Lully nos adverte que esta coisa única, não é uma única coisa
tomados individualmente, mas dois
coisas da mesma natureza, que formam apenas um, se há duas ou várias coisas
para misturar, deve ser
feito com proporção, peso e medida. Temos falado isso no artigo sobre
D
EMONSTRATIVE
S
IGNS
, Sob o nome de Águia e do Dragão, e também ter dado a
proporções das matérias necessárias à multiplicação. Assim, deve-se ver que
as proporções de
os elementos que não são o mesmo na primeira e na segunda obra.
Regras Gerais muito instrutivo
É quase sempre necessário tomar as palavras dos filósofos, literalmente,
porque todos os seus termos
têm um significado duplo, e porque empregam aqueles que são
equívocos. Quando eles fazem uso de
termos bem conhecidos, usados na linguagem comum, ( Geber, d'Espagnet e
vários outros), mais eles
parecem falar de forma simples, clara e, naturalmente, mais deve-se suspeitar
de artifício. Timeo danaos, et
dona ferentes . Pelo contrário, nos lugares onde eles aparecem confuso,
obscuro, e quase
ininteligível, é necessário estudar com a maior atenção. A verdade está
escondida lá.
A fim de melhor explorar esta verdade, é necessário comparar os autores,
estabelecer um
concordância dos seus ensaios, porque pode-se, por vezes, para permitir
escapar, o que tem uma outra
propositadamente omitido, ( Philalethes ). Mas nesta seleção de textos, deve-
se ter cuidado para não confundir
o que se diz da primeira preparação, com o que o outro diz sobre o terceiro.
Antes de iniciar o trabalho, é preciso ter isso tudo combinado, que se pode
encontrar nada nos livros
dos filósofos que não podem ser explicadas, pelas operações prestes a ser
realizado, ( Zachaire ).
Para este efeito, é preciso ter certeza do assunto que deve ser empregado, para
ver se ele tem realmente tudo
as qualidades e propriedades pelas quais os filósofos designá-lo, uma vez que
confessar que eles não têm
chamado pelo nome sob o qual é vulgarmente conhecido. Deve-se observar
que este assunto custa
nada, ou pelo menos muito pouco, que a Medicina, que Filaleto ( .. Enarr,
Meth Trium Gebr.
Medic. ), de acordo com Geber, chamada de Medicina de primeira ordem, ou
a primeira preparação, é aperfeiçoada
sem muita despesa, em todo lugar, em todos os momentos, por todas as
classes de pessoas, desde que se tenha um
quantidade suficiente de matéria.
Natureza aperfeiçoa as Mixts apenas por coisas da mesma natureza,
( Cosmopolita ), portanto não se deve
tirar madeira com metal perfeito. O animal produz animal, a planta produz
planta, eo metálico
metais natureza. Os princípios radicais do metal é um enxofre e um mercúrio,
mas não o
mais comuns, estes entram como complementos, como princípios
constituintes, mas como combustível
princípios, acidental e separável do princípio radical verdadeira, que é fixo e
inalterável. Para
informações sobre a matéria o leitor é remetido para o capítulo em que o
assunto é tratado
de acordo com os princípios estabelecidos pelos filósofos.
Cada alteração de um Mixt é feito por dissolução em água, ou em pó, e pode
ser aperfeiçoado
apenas com a separação do puro do impuro. Cada conversão de um estado
para outro é
feita por um agente e num tempo determinado. A natureza sempre age
sucessivamente, o artista deve fazer o
mesmas.

Página 95
A página de Arte Grande 95
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
A conversão termos, dessecação
71
, A mortificação, inspiração,
72
preparação, significam a alteração
mesma coisa em arte hermética. Sublimação, descensão,
73
destilação, putrefação, calcinação,
congelação, fixação ceration,
74
são em si coisas diferentes, mas no trabalho, constituem
apenas
A conversão termos, dessecação
75
, A mortificação, inspiração,
76
preparação, significam a alteração
mesma coisa em arte hermética. Sublimação, descensão,
77
destilação, putrefação, calcinação,
congelação, fixação ceration,
78
são em si coisas diferentes, mas no trabalho, constituem
apenas
uma operação contínua, no mesmo vaso.
71
D
ESICCATION
. - Coagulação, ou fixação da umidade mercurial.
72
Eu
Nspiration
. - A operação que segue o da dissolução dos corpos. . . . The Inspiration
requer um incêndio do
segundo grau.
73
D
ESCENSION
. - Para destilar por descensão, é, propriamente falando, a filtração de bebidas
alcoólicas, mas em terminologia hermética, ele
significa que a circulação da matéria, ou a reiteração das operações da Grande
Obra, para a multiplicação do
quantidade e as qualidades da pedra.
Pernety, dict.Mytho-Herm.
74
C
Ração
. - O tempo quando a matéria passa da cor preta à cinza e, em seguida, para o
branco.
Pernety-Dict.Mytho-Herm.
75
D
ESICCATION
. - Coagulação, ou fixação da umidade mercurial.
76
Eu
Nspiration
. - A operação que segue o da dissolução dos corpos. . . . The Inspiration
requer um incêndio do
segundo grau.
77
D
ESCENSION
. - Para destilar por descensão, é, propriamente falando, a filtração de bebidas
alcoólicas, mas em terminologia hermética, ele
significa que a circulação da matéria, ou a reiteração das operações da Grande
Obra, para a multiplicação do
quantidade e as qualidades da pedra.
Pernety, dict.Mytho-Herm.
78
C
Ração
. - O tempo quando a matéria passa da cor preta à cinza e, em seguida, para o
branco.
Pernety-Dict.Mytho-Herm.

Página 96
A página de Arte Grande 96
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Os filósofos têm dado todos esses nomes apenas para as diferentes fases, ou
alterações que
tem observado no navio. Quando eles perceberam a exalar Matéria na fumaça
sutil e montagem
a parte superior do vaso, que tenham chamado esta
ascensão, sublimação . Então, vendo este vapor descer
para o fundo do vaso, eles têm chamado este . Descension,
Destilação Consequentemente Morien diz:
Toda a nossa operação consiste em extrair a água de sua terra, e devolvê-lo até
a Terra
apodrece e putrifies. Quando eles têm percebido que esta água, misturada com
a sua terra, coagulado, ou
espessa, que se tornou preto e mal-cheirosa: eles disseram que isso
era Putrefação , a
princípio da geração. Esta putrefação dura até que o assunto tornou-se branco.
Essa questão de ser negro é reduzido a pó, quando ele começa a virar cinza, o
aparecimento de cinzas
deu origem à idéia de calcinação, Inceration,
79
Incineração, Dealbation, e quando ele tem
chegou a uma brancura cisne-like, eles têm chamado de calcinação
perfeito . Vendo que o assunto
assumido uma consistência sólida; que já não fluía, formou sua congelação , a
sua
Endurecimento , é por isso que eles disseram que todo o Magistério consiste
na dissolução e naturalmente
coagulação.
Esta mesma matéria solidificada, e endurecido de modo que ela não se
dissolvem em água, tem chamado
eles dizem, que era necessário para secá-lo e corrigi-lo, pois eles, por isso,
deram a esta pretensa
operação os nomes, dessecamento , Fixação , Ceration , porque eles explicam
esses termos, um perfeito
união da parte volátil com o fixo sob a forma de um pó, ou pedra branco.
Por conseguinte, esta operação deve ser considerada como única, mas
expressos em termos diferentes. Uma vontade
saber, então, que todas as seguintes expressões significam também a mesma
coisa: a destilar por Alambique, para
separar a alma do corpo, para queimar, para aquefy, para calcinar "; CERER ".
80
, Para dar a beber, para se adaptar, para
79
Eu
NCERATION
Ou Embebição ou coobação , são termos quase sinônimos para indicar que
parte da operação, quando
Matéria, encerrado no Ovo Filosófico, sobe em forma de vapores tot eh parte
superior do navio, onde não encontrar um
egresso é obrigado a cair sobre si mesmo, até que a matéria a ser fixado, toda
a circulação cessa.
Pernety-Dict.Mytho-Herm .
80
Ver nota de rodapé, na página 87: Ceration .

Página 97
A página de Arte Grande 97
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
forçar para comer, para se unir, para corrigir, para peneirar; rasgar com
tenailles, para dividir, para unir os elementos, para
extraí-los; exaltar los, para convertê-los, para mudar um para o outro, para
cortar com a faca, a
ataque com a espada, a machado, a cimitarra, para furar com a lança, a lança,
a seta, para matar, para
crush, para ligar, para desvincular, para corromper "; folier ";
81
para derreter; engendrar, para conceber, para colocar na
mundo, a esgotar, para umedecer, para água, para absorver, para empastar;
amalgamar, para enterrar "; incérer ;
82
a
lavagem, para lavar com o fogo, para suavizar, para polonês, para arquivo, a
bater com o martelo, para mortificar, para denegrir;
a apodrecer, para ligar o torno, para circular, para rubificar, para dissolver,
para sublimar, para lavar em soda cáustica, para
sepultar, para ressuscitar, para reverberar, para moer, reduzir a pó, para moer
no pilão, para
pulverizar em mármore, e muitas outras expressões semelhantes, tudo isto
significa, simplesmente, para cozinhar por um único
regime , até ao aparecimento da cor vermelha escura. Portanto, é preciso ter
cuidado para não mover a
Vaso, e não levá-la do fogo, pois se o assunto deve esfriar tudo estaria
perdido.
Da virtude da Medicina
É de acordo com todos os filósofos, a fonte de riquezas e de saúde, uma vez
que com ele pode-se fazer
ouro e prata em abundância, e não só pode curar as doenças que podem ser
curadas, mas também pode,
pelo seu uso moderado, preveni-los. Um único grão de este medicamento, ou
elixir vermelho, dado àqueles
sofrendo com paralisia, hidropisia, gota, hanseníase curá-los, desde que tome
a mesma quantidade
durante vários dias. Epilepsia, cólicas, resfriados, inflamações, frenesi e todos
os outros males internos, são
incapaz de resistir a este princípio de vida. Alguns adeptos dizem que ele deu
para ouvir os surdos e vista para
cegos, que é uma solução segura para todos os tipos de doenças do olho, todos
apostema,
83
úlceras, feridas,
cânceres, fístula, nolimétangère,
84
e todas as doenças da pele, um grão a ser dissolvido num copo de
vinho ou água, e, em seguida, aplicado externamente. Que se dissolve pouco a
pouco a pedra na bexiga;
que afasta toda veneno e veneno, quando tomado como acima indicado.
Raymond Lully, ( Testam. antiq. ) nos assegura que é, em geral, um remédio
soberano para todos os males,
que afligem a humanidade, para que ele cura-los em um dia, se eles duraram
um mês, em 12 dias, se a
ano, e em um mês, de qualquer duração que pode ser.
Arnaud de Villeneuve, ( Rosari. ), diz que é infinitamente superior a todos os
remédios de Hipócrates,
de Galen, de Alexander, de Avicena, e toda a medicina comum; que alegra o
coração, dá
vigor e força, preserva a juventude e retarda a velhice. De um modo geral, que
a cura todas as doenças.
Geber, ( Summa ), sem enumerar os males que este medicamento curas, se
contenta com
dizendo que ele conquista todos aqueles que os médicos comuns consideram
como incurável. Isso faz jovem
o velho e mantém-los em saúde, por muitos anos, até mesmo além do limite
normal, quando tomam
apenas tanto como uma semente de mostarda, duas ou três vezes por semana,
antes da primeira refeição.
Philalethes ( Intróito. Apert. et enarrat. método .), acrescenta que limpa a pele
de todos os defeitos,
rugas, etc, que entrega uma mulher em trabalho de parto, quando realizada
para o nariz em forma de pó, e ele
citações Hermès como prova. Ele afirma que se a ter desenhado a partir dos
braços da morte muitos abandonados por
médicos. A maneira de usá-lo pode ser encontrada nas obras de Raymond
Lully e Arnaud de
Villeneuve.
81
F
OLIER
. - É para inventar, para digerir a matéria da Grande Obra, a fim de convertê-lo
para a terra arborizada (matéria na
cor preta), em que a semente de ouro devem ser semeadas.
- Pernety .
82
Eu
NCERER
. - Causar inceration, que ver, Notas p. 87.
83
Abcessos.
84
Um herpes de um personagem muito maligno, muitas vezes afetando a
cartilagem do nariz e fazendo às vezes o total de
destruição deste órgão.
EB

Página 98
A página de Arte Grande 98
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Das doenças dos metais
O primeiro defeito dos metais surge a partir da primeira mistura dos princípios
com mercúrio, e o
segundo é encontrado na união da enxofres e mercúrio. Quanto mais os
elementos são refinados, o
mais homogênea que eles são, e quanto mais eles têm de peso, maleabilidade,
fusão, extensão,
fulgidity,
85
e incorruptibilidade permanente.
Assim, há dois tipos de doenças nos metais, o primeiro é chamado original e
incurável, o
segundo surge da diversidade do enxofre, que provoca a sua imperfeição e
suas doenças,
ou seja, a lepra de Saturno, a icterícia de Vênus, a rouquidão de Júpiter, o
edema de
Mercury e do fel de Marte.
O edema de Mercúrio surge muito aqueousness e crueza, causado pela frieza
de
a matriz na qual é gerado, e sua insuficiência de mistura. Esta falha é um
pecado original
que todos os outros metais partes. Esta frieza, essa crueza, este aqueousness só
pode ser curada por
o calor e igneity de enxofre muito poderoso.
Além desta doença, os outros metais têm um, que surge a partir de seu
interior, bem como externo
enxofre. Este último, sendo apenas acidental pode ser facilmente separado,
porque não é do primeiro
mistura dos elementos. É preto, impuro, mal-cheirosa, não misturar com o
Enxofre radical,
porque é heterogéneo a ele. Não é suscetível de uma decocção que pode torná-
lo radical e
perfeito.
85
Fulgidity ou brilho.

Página 99
A página de Arte Grande 99
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Os limpa enxofre radicais, engrossa, fixa em um corpo perfeito, o mercúrio
radical, enquanto o
segunda sufoca enxofre, absorve e coagula-lo com suas próprias impurezas e
cruezas. Vê-se um
prova disto, na coagulação do mercúrio comum, por o vapor de enxofre de
Saturn,
distingue-se por isso de Júpiter.
Isto faz com que todo o enxofre impuro a diferença dos metais
imperfeitos. Por conseguinte, a doença do
metais é apenas acidental, então, é um remédio para curá-las, e esta solução é
o Filosófica
Em pó, ou Philosophical Stone, chamado por essa razão, Pó de
Projeção . Para usá-lo para os metais,
colocado entre um pouco de cera, em proporção à quantidade de metal a ser
transmutada, e lançá-lo sobre o
mercúrio colocados num cadinho sobre o fogo, quando o mercúrio é, no ponto
de fumar. É necessário
que os outros metais derretidos e ser purificado. Adicione o cadinho no fogo
até depois da detonação,
e, em seguida, retirá-la ou deixá-lo fresco no fogo.
Dos tempos da Pedra
"Os tempos da pedra são indicados", diz d'Espagnet ", pelo Filosófica e
Astronomical
Água. O primeiro trabalho Branco, deve ser terminado na casa da Lua, o
segundo na segunda
casa de Mercury. O primeiro trabalho na Red no segundo domicílio de Vênus,
o segundo ou o último,
na casa de exaltação de Júpiter, pois, a partir dele o nosso Rei deve receber
seu cetro e sua coroa,
ornamentada com rubis preciosos. "
Philalethes ( Loco. cit. p. 156 ), informa continuamente o artista para instruir-
se também ao
peso, medida, tempo e fogo. Ele nunca terá sucesso se ele é ignorante das
cinco coisas seguintes,
relativos aos medicamentos de terceira ordem.
Os filósofos reduzir os anos para meses, os meses ou semanas, e as semanas
de dias.
Cada coisa secos bebidas avidamente a umidade de sua espécie.
Actua sobre esta humidade depois de ter absorvido ele, com força e muito
mais actividade do que antes.
Quanto mais terra e menos água houver, mais perfeita será a solução. O
verdadeiro, natural
solução pode ser feita apenas com as coisas da mesma natureza, e que o que
dissolve a Lua,
dissolve-se também o sol.
Como o tempo necessário para a perfeição do trabalho, pode-se concluir nada,
com certeza,
a partir do que dizem os filósofos, porque alguns, ao determinar que, não fale
do tempo necessário
para a preparação dos agentes: outros tratam apenas do Elixir; outros
confundir as duas obras; aqueles
que fazem menção ao trabalho no Red State, não falo sempre da
multiplicação, outros
só falam do trabalho no Estado Branca, outros têm seu próprio significado
particular. É por isso que
muita diferença encontra-se em obras sobre este assunto. Diz-se que são
necessários 12 anos para o
Trabalho, outros dez, sete, três, um e meio, 15 meses, às vezes é um certo
número de
semanas. Um filósofo tem direito o seu trabalho, o trabalho de três
dias . Outro disse que só
, são necessários quatro. Plínio, o naturalista, diz que mês filosófica consiste
em quarenta dias. Finalmente,
tudo é mistério, com os filósofos.

Página 100
A página de Arte Grande 100
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Conclusão
Todo esse tratado é desenhado a partir dos autores, eu tenho, quase sempre,
fez uso de sua própria
expressões. Citei alguns deles, ao longo do tempo, de modo a mostrar que
tenho falado
de acordo com eles. Quando eu não citei as suas obras, é porque eu não tê-los
à mão. Um
Não podemos deixar de observar uma perfeita harmonia entre eles, embora
eles só falam em enigmas e
alegorias. Eu tinha, na intenção primeiro a dar muitos extratos, das Doze
Chaves de Basílio Valentin,
porque ele tem, mais freqüentemente do que os outros, empregou as alegorias
dos deuses do Fable e porque, sua
trabalho teria, consequentemente relação mais imediata com o seguinte
tratado, mas enigmas são
não explicou por enigmas, além disso este trabalho é bastante comum,
enquanto os outros não são assim.
A fim de entender, mais facilmente, as explicações que dou neste tratado
sobre hieróglifos,
é preciso saber que os filósofos, costuma dar o nome masculino ou pai, ao
sulfuroso
princípio, eo nome, do sexo feminino com o princípio da mercurial. O fixo
também é do sexo masculino ou do agente, o
volátil é do sexo feminino ou paciente. O resultado da união dos dois é o filho
Filosófico, geralmente
macho, fêmea, por vezes, quando a matéria chegou apenas no estado branco,
porque ele não tem, então,
toda a fixidez de que é suscetível, e os filósofos também chamou, Luna, Diana
e vermelhidão,

Página 101
A página de Arte Grande 101
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Sol, Apolo, Febo. A água mercurial ea terra volátil, são sempre do sexo
feminino, muitas vezes mãe, como
Ceres, Latona, Semela, Europa, etc A água é normalmente designada pelos
nomes, filhas,
ninfas, náiades, etc O fogo interno é sempre masculino e ativo. As impurezas
são indicadas pelos
monstros.
Basílio Valentin, a quem antes citado, introduz os deuses da fábula, ou os
planetas, como
interlocutores, a curto abrégé que ele dá no início do seu Tratado sobre os
Doze Chaves.
O seguinte é a substância do mesmo.
Dissolvido de bom ouro, como a natureza ensina, é o que diz o autor, você vai
encontrar um germe, que é o
início, no meio e no fim do trabalho. Deste germe nosso ouro e seu
companheiro são produzidos,
ou seja, um espírito sutil e penetrante, uma alma delicada, clara e pura, e um
corpo, ou de sal, que é uma
bálsamo das Estrelas. Estas três coisas estão unidos em nossa água
mercurial. Esta água foi conduzido para
o deus Mercúrio, seu pai, que se casou com ele, de sua união veio um óleo
incombustível. Mercúrio
jogou fora suas asas de águia, devorou sua cauda de dragão, e atacou Mars,
que o levou a ser
preso, e nomeou Vulcan como seu carcereiro. Saturno apresentou-se e
implorou os outros deuses
para vingar as injúrias que Mercury tinha infligidas a ele. Júpiter aprovou as
queixas de
Saturn e deu suas ordens, que foram executados. Marte, em seguida, apareceu
com uma espada flamejante, e deu
a Vulcan, para que ele possa executar a sentença, pronunciada contra
Mercury, e reduzir a
ossos desse Deus a pó. Diana, ou a Lua, se queixou de que Mercury realizou
seu irmão na prisão
com ele, e que ele deveria ser liberado; Vulcan não ouviria sua oração, e nem
sequer deu para
que a bela Vênus, que se apresentou com todos os seus encantos. Mas,
finalmente, o Sol apareceu
em toda a sua glória, coberto com seu manto roxo.
Termino este tratado pela mesma alegoria como d'Espagnet, o Velocino de
Ouro é guardado por um período de três
dirigido Dragão, o primeiro vem da água, o segundo a partir da Terra, o
terceiro do ar. Estes três
cabeças, devem estar unidos, pelas operações, em uma única, que será
poderoso o suficiente para devorar
todos os outros dragões. Clamar a Deus, para que ele possa esclarecê-lo, se ele
concede a você esta de Ouro
Velo, usá-lo apenas para a Sua glória, o bem do próximo e seu próprio bem-
estar.

Página 102
A página de Arte Grande 102
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
Adendos.
Dicionário de Símbolos herméticos
De Albert Poisson
Teorias et des symboles Alchimistes.
Teorias et des symboles Alchimistes.
Teorias et des symboles Alchimistes.
Teorias et des symboles Alchimistes.
ANGEL. - Às vezes, simboliza a sublimação, a ascensão de um princípio
volátil, como nas figuras
do Spagyricum Viatorium .
A
NIMALS
- Regra geral: 1. Sempre que dois animais da mesma espécie e de sexos
diferentes são
encontrados, eles significam Enxofre e Mercúrio preparados para a Grande
Obra, ou ainda o fixo eo
volátil. O macho representa o fixo, de enxofre, a fêmea representa o volátil,
Mercúrio.
Estes animais estão unidos para significar conjunto, ( Figuras de
Lambsprinck ), ou lutando para
simbolizar a fixação do volátil, ou a volatilização do fixo ( Figuras de B.
Valentin ).
2. Um animal terrestre enfrentando um animal Aerian na mesma figura
indicam o fixo eo

Página 103
A página de Arte Grande 103
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
volátil. 3. Os animais podem simbolizar os quatro elementos: Terra, (leão,
boi); Air, (águia), Água,
(Baleia, peixes); fogo (salamandra, dragão).
APOLLO. - A mesma significação como o sol.
BATH. - Símbolo: 1. Da dissolução do ouro e da prata, 2. Da purificação
destes metais.
BED. - Símbolo do ovo filosófico.
BIRDS. - Ascendente: volatilização, ascensão, sublimação; descendente:
precipitação, condensação.
Quando estes dois símbolos estão unidos na mesma figura, que significam
destilação. Aves contrário
animais terrestres significar Air, ou o princípio volátil.
BLUNTEuNSTRUMENTS. - Símbolos de fogo.
CHaos. - Símbolo da unidade da matéria e, por vezes, da cor preta de
putrefação.
CHAMBER. - Quando o rei ea rainha nela estão fechados, é o símbolo da
Filosofia
Egg.
CHILD. - Vestido com túnica real, ou simplesmente coroada, é o símbolo da
Pedra Filosofal,
às vezes da cor vermelha do magistério.
CIRCUMFERENCE. - Unidade da matéria, a harmonia universal.
CROW. - Símbolo da cor preta, ou putrefação.
CRown. - Símbolo da realeza química, da perfeição metálica. Nas Margarita
pretiosa , os seis
metais estão em primeiro representado como escravos, com a cabeça
descoberta aos pés do rei, mas após a sua
transmutação, eles carregam uma coroa.
DIANA. - A mesma significação como a lua.
DOG. - Símbolo de Enxofre, de ouro. O cão devorado por um lobo significa a
purificação do ouro por
antimônio. Cão e cadela: fixo e volátil.
DOVE. - Símbolo da cor cinza, que precede imediatamente a cor branca, ou
Diana
Regime.
DRAGON. - Um dragão mordendo sua cauda: a unidade da matéria. Um
dragão entre as chamas: símbolo de fogo. Vários
dragões lutando entre si indicam putrefação. Um dragão sem asas, o fixo, o
dragão
com asas, o volátil.
EAgle. - Símbolo da volatilização e também dos ácidos empregados no
Magistério. Uma águia
devorando um leão significa a volatilização do fixo pelo volátil. Duas águias
de combate têm
o mesmo significado.
FREDUZ. - Em geral, as flores representam as cores da Grande Obra.
FOuntain. - Três fontes representam os três princípios. Fonte onde o rei ea
rainha vir a
banhar-se tem a mesma significação como o banho, o que ver Bath.
HERMAPHRODITE. - Enxofre e Mercúrio depois de sua conjunção, muitas
vezes a palavra R
EBIS
é escrito
sobre o peito.
JUpiter. - Símbolo de estanho.
KING EQUeen. - Veja o homem ea mulher.
LION. - Símbolo do fixo, Enxofre, quando está sozinho. Se levar asas, que
representa a volatilidade,
Mercúrio. O leão representa também o mineral, (vitríolo verde), de onde é
extraído o óleo de
vitríolo (ácido sulfúrico), que foi tão amplamente utilizado pelos
alquimistas. O leão oposição a
outros três animais representa o elemento. Terra. Em suma, é o símbolo da
Stone. O
leoa representa o volátil.
MAN EWOMAN. - Enxofre e Mercúrio. Nu, ouro e prata em um estado
impuro, unidos,
conjunto, deitado em um sepulcro, Enxofre e Mercúrio no ovo filosófico.
MASAMENTO. - Símbolo do conjunto, a união do Enxofre e Mercúrio, do
rei e da rainha. O
padre que realiza a cerimônia representar Sal, meio de união entre os dois
outros
princípios.
MARS. - Símbolo do ferro, e da cor laranja.
MMercúrio em. - Símbolo de prata preparado para o trabalho.
MOON. - Princípio volátil, do sexo feminino, Mercury do Filósofo, prata
preparado para o trabalho.
MOuntain. - Forno dos filósofos; Cúpula do ovo filosófico.
NEPTUNE. - Símbolo da água.
PHOENIX. - Símbolo da cor vermelha.

Página 104
A página Great Art 104
Copyright © Flaming Productions Espada 1997
RAIN. - Condensação, cor branca, (Albification).
SALAMANDER. - Símbolo de fogo, às vezes significa a cor vermelha ou
branca.
SADesactive. - Símbolo de chumbo. Figuras também a cor preta, putrefação.
SCYTHE. - A mesma significação como a espada.
SEPULCHRE. - Ovo filosófico.
SErpent. - Em geral, mesmo significaiton como o dragão. Três serpentes, os
três princípios. Os dois
serpentes do caduceu significam Enxofre e Mercúrio. A serpente alada, o
princípio volátil;
privado de asas, o princípio fixo. A serpente crucificada: fixação do
volátil. Uma serpente
com várias cabeças representa os três princípios que emanam de um assunto
universal ou cósmica
éter.
SKELETON. - Putrefação, cor preta.
SPhere. - Unidade da matéria.
SQuare. - Símbolo dos quatro elementos.
SONU. - Ouro Ordinária, ou ouro preparado para o trabalho, também Enxofre
Filosófico.
SWORD. - Símbolo de fogo.
TREES. - Uma árvore tendo luas significa o trabalho lunar, ou transmutação
dos metais em prata e, se ele
ursos sóis, é o símbolo do trabalho GW ou solar. Se ele tem os sinais dos sete
metais, ou
as do Sol, a Lua e cinco estrelas, representa a matéria inique de onde se
originam
todos os metais.
TRIANGLE. - Símbolo dos três princípios.
VENUS. - Símbolo de cobre.
VULCAN. - Símbolo de fogo, normalmente representado como um homem
coxo.
WOLF. - Símbolo de antimônio

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful