You are on page 1of 4

Setembro - 2002

NÚCLEO DE PESQUISAS DO INSTITUTO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS CRIMINAIS - IBCCRIM

Fluxogramas dos Processos de Execução Penal
Procedimento para conversão de pena privativa de liberdade em restritiva de direitos e vice-versa

Para acompanhar os fluxogramas publicados nesta edição, vide o diagrama principal Execução), (Fluxograma Geral dos Processos de Execução), publicado no Boletim nº 114 de maio/2002.
1 Núcleo de Pesquisas do IBCCRIM - Convênio IBCCRIM/FSEADE

Setembro - 2002

Procedimento para conversão de pena privativa de liberdade em medida de segurança
(1)

Quando da conversão de pena privativa de liberdade para medida de segurança, o juiz deve fixar o prazo mínimo da duração da medida, entre 1 e 3 anos de acordo com o art. 97, § 1º do Código Penal, já que a LEP não prevê prazo especial. A duração da medida de segurança, aplicada no caso de conversão, não pode ter duração superior ao tempo restante da pena imposta.

Procedimento para conversão de tratamento ambulatorial em internação de Hospital de Custódia

Núcleo de Pesquisas do IBCCRIM - Convênio IBCCRIM/FSEADE

2

Setembro - 2002

Procedimento administrativo-judicial de apuração de faltas disciplinares

(1) (2)

(3)

(4) (5)

Sempre que houver a aplicação de sanção disciplinar de isolamento, pela direção do presídio, deve-se comunicar o juiz da execução. A LEP não tipifica as faltas disciplinares leves e médias, apenas as graves. No Estado de São Paulo, o regulamento da Coespe e os regimentos internos dos presídios dispõem acerca de sua ocorrência e seu processamento. A LEP estabelece quais são as faltas graves, em hipóteses taxativas, não podendo a lei estadual ou o mero regulamento administrativo tipificálas. A condenação por falta disciplinar grave pode acarretar a perda dos dias remidos, regressão de regime e revogação da autorização de saída temporária. As sanções disciplinares de advertência verbal e repreensão serão aplicadas pelo diretor do estabelecimento penitenciário. A sanção disciplinar de suspensão ou restrição de direitos será aplicada pelo diretor do estabelecimento penitenciário e o isolamento pelo conselho disciplinar do estabelecimento. O tempo de isolamento preventivo deve ser computado no período total de cumprimento da sanção disciplinar.

3

Núcleo de Pesquisas do IBCCRIM - Convênio IBCCRIM/FSEADE

Setembro - 2002

Procedimento para execução de pena de multa

(1)

(2) (3)

Com o advento da Lei nº 9.268/96, tornou-se controversa a competência, a legitimação e o rito para a execução da pena de multa. O STJ tem decidido, recentemente, que a nova redação do art. 51 do CP teria implicitamente revogado os arts. 164 e segts. da LEP, mas o tema é ainda controvertido na jurisprudência e na doutrina. De toda forma, para o pagamento voluntário da multa, mantém-se a competência da Vara das Execuções Criminais, e para a promoção de sua execução, o Juízo das Execuções Fiscais, adotando-se o rito da Lei nº 6.830/80, tal como aqui representado. É vedada a conversão da pena de multa em privativa de liberdade e restritiva de direitos, de acordo com as Leis nºs 9.268/96 e 9.099/95. O parcelamento da pena de multa será concedido de acordo com a situação econômica do condenado.

Quadro 3 - Conversões
MODALIDADES DE C0NVERSÕES Conversão de pena privativa de liberdade em restritiva de direitos ver fluxograma G1 Conversão de pena restritiva de direitos em privativa de liberdade
• descumprimento injustificado da restrição imposta • condenação à pena privativa de liberdade, por outro crime, • pena

HIPÓTESES não superior a 2 anos em regime aberto • cumprimento de 1/4 da pena • antecedentes e personalidade recomendarem

cuja a execução não tenha sido suspensa
• condenado está em local incerto e não sabido • falta

ou não atende a intimação por edital grave

ver fluxograma G1 Conversão de pena privativa de liberdade em medida de segurança ver fluxograma G2 Conversão(1) do tratamento ambulatorial em internação em hospital de custória e tratamento psiquiátrico ver fluxograma G3
(1)

• doença mental ou perturbação da saúde mental

grave superveniente

• agente revela incompatibilidade com a medida

não se submete ao tratamento prescrito demonstra periculosidade acentuada que constitui risco para si ou para a comunidade

Pode ocorrer também, embora não prevista em lei, a conversão da medida de segurança de internação em hospital psiquiátrico em tratamento ambulatorial quando da falta de vagas no estabelecimento próprio ou da inexistência do mesmo. 4

Núcleo de Pesquisas do IBCCRIM - Convênio IBCCRIM/FSEADE