A luz nos revela o mundo. O corpo e a alma anseiam por ela. A luz desperta em nosso cérebro as sensações de cor. Ela nos alimenta, fornecendo a energia para o crescimento das plantas, e nos inspira com os efeitos especiais como o arco-íris. A luz nos proporciona instrumentos que modificam a vida, desde a lâmpada doméstica até o raio laser e a fibra óptica. Os cientistas ainda não entendem completamente o que é a luz. Mas sabem que ela vai iluminar nosso futuro.

Joel Achenbach (National Geographic - out/2001)

Guia de Iluminação
2

Índice
Introdução .................................................................................................................................................................... 4 História da Luz ............................................................................................................................................................. 4 Conceitos Básicos ...................................................................................................................................................... 5 Produtos - Lâmpadas ................................................................................................................................................ 11 Incandescentes ..................................................................................................................................................... 11 Halógenas ............................................................................................................................................................... 12 Fluorescentes (PL / TL) ......................................................................................................................................... 14 Fluorescentes Compactas Integradas ............................................................................................................ 14 Fluorescentes Compactas Não Integradas ................................................................................................... 15 Fluorescentes Tubulares ................................................................................................................................... 16 Vapor Metálico Compactas com Tubo Cerâmico (Mastercolour - CDM) .................................................... 17 Vapor Metálico Compactas com Tubo de Quartzo (MHN/MHW) ................................................................. 18 Mista (ML) .............................................................................................................................................................. 18 Vapor de Mercúrio (HPL-N) ................................................................................................................................. 18 Vapor Metálico (HPI Plus) .................................................................................................................................... 19 Vapor Metálico (HPI) ............................................................................................................................................ 19 Vapor Metálico (MH) ............................................................................................................................................ 20 Vapor Metálico Colorido (Artcolour MH-T) ....................................................................................................... 20 Vapor de Sódio (SON e SON-T) ........................................................................................................................... 20 Vapor de Sódio (SON-H) ....................................................................................................................................... 21 Vapor de Sódio Plus Pia (SON Plus PIA) ........................................................................................................... 21 Produtos - Reatores .................................................................................................................................................. 22 Reatores Eletromagnéticos Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas Fluorescentes .......................................................................... 22 Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas de Descarga ............................................................................ 22 Ignitores para Lâmpadas de Descarga ............................................................................................................. 23 Reatores Eletrônicos para Lâmpadas Fluorescentes Ecotronic ................................................................................................................................................................. 23 Ecotronic Plus ........................................................................................................................................................ 23 Enertron .................................................................................................................................................................. 23 Transformadores para Lâmpadas Halógenas .................................................................................................. 25 Produtos - Luminárias .............................................................................................................................................. 26 Iluminação Comercial e de Escritórios .............................................................................................................. 26 Megalux ............................................................................................................................................................... 27 Advanced T5 ....................................................................................................................................................... 28 Estilo T5 ................................................................................................................................................................ 29 Iluminação Postos de Gasolina .......................................................................................................................... 29 Iluminação Industrial ............................................................................................................................................ 30 Iluminação Pública ............................................................................................................................................... 31 Iluminação Esportiva / Fachadas ....................................................................................................................... 32 Iluminação Decorativa ......................................................................................................................................... 34 Performa .............................................................................................................................................................. 34 Architectural Lighting ........................................................................................................................................ 34 Architectural Lighting Classic .......................................................................................................................... 35 Prima Linea .......................................................................................................................................................... 36 Projeto de Iluminação .............................................................................................................................................. 37 Cálculo para áreas internas (método dos Lúmens) ............................................................................................. 37

Guia de Iluminação
3

Introdução
Artistas que dominam a técnica de pintar conseguem criar em suas obras diferentes ilusões e impressões. A luz presente na obra desses pintores exerce, sobre cada um de nós, um fascínio especial. Luz também é energia: o Sol é a fonte energética para o dia, a energia elétrica forma a base da luz artificial. Nossa tarefa mais importante é utilizar essa energia da forma mais responsável possível. As instalações de iluminação feitas pela Philips levam esses critérios em conta. De acordo com cada tipo de aplicação proporcionamos um ambiente propício à execução das atividades as quais se propõe, levando em conta os aspectos econômicos e considerando a economia de energia. Por mais de 100 anos a Philips se dedica ao desenvolvimento de novas fontes de luz e, desde a fabricação de sua primeira lâmpada, em 1891, ela vem se mantendo na liderança tecnológica em iluminação. Os contínuos investimentos em pesquisa feitos pela Philips ao longo do tempo têm contribuído de forma a estabelecer um critério de iluminação qualitativo e quantitativo. Esse conhecimento é a base do desenvolvimento de componentes mais efetivos e eficientes para uma boa instalação de iluminação. Trabalhar a luz é destaque, é emoção.

História da Luz
Pode-se dizer que a luz artificial é tão antiga quanto a História da humanidade. Seu início deu-se quando o homem aprendeu a controlar o fogo, e por milhares de anos a única fonte de luz artificial disponível foi a chama. Posteriormente, o homem, no intuito de controlar essa chama por um longo período, desenvolveu outras fontes de luz mais duradouras, tais como a primeira lâmpada, que era equipada com um pavio e consumia óleo animal ou vegetal, e, mais tarde, provavelmente na era romana, a vela, obtendo-se assim fontes de luz portáteis. Tais fontes de luz permaneceram em uso até aproximadamente dois séculos atrás, quando surgiram os queimadores tubulares (lampiões). Somente no século XX, a chama foi substituída por corpos sólidos incandescentes, tendo como exemplos mais marcantes a lâmpada elétrica e a camisa de gás. Finalmente, no começo dos anos 30 iniciou-se a produção de lâmpadas de descarga de baixa pressão, com menor desperdício de energia em forma de calor.

Guia de Iluminação
4

A unidade de medida é o lux e ela é designada pelo símbolo E. que segue a tendência das normas internacionais. Baseado em pesquisas realizadas com diferentes níveis de iluminação os valores relativos à iluminância foram tabelados. por exemplo. Exemplo: uma lâmpada incandescente de 100 Watts emite cerca de 1. Pode ser comparada com a intensidade de um jato de água numa dada direção. Nível de Iluminação ou Iluminância: É a quantidade de luz ou fluxo luminoso que atinge uma unidade de área de uma superfície por segundo. da Associação Brasileira de Normas Técnicas. e no Brasil eles se encontram na norma NBR 5413 Iluminância de Interiores. As lâmpadas fluorescentes. Uma lâmpada proporciona uma eficiência luminosa maior do que outra quando a energia consumida por ela é maior na produção de luz do que na outra. Tabela comparativa entre as eficiências luminosas das lâmpadas em geral: Lâmpada Sódio Mastercolour Metálica Mercúrio com reator mercúrio Fluorescente Super 80 Fluorescentes Compactas Halógenas/Mistas Incandescentes Eficiência (lm/W) 120 a 150 95 80 55 80 65 25 17 Guia de Iluminação 5 .CONCEITOS BÁSICOS Conceitos Fluxo Luminoso: É a quantidade total de luz emitida por segundo por uma fonte de luz. Pode ser comparado com a quantidade de água que passa por segundo em um determinado ponto. Eficiência Luminosa de uma Lâmpada: É calculada pela divisão entre o fluxo luminoso emitido em lúmens e a potência consumida pela lâmpada em Watts. Pode ser comparada com a quantidade de água (chuva) que cai numa área de superfície por segundo. A unidade de medida é lúmen por watt.300 lúmens de fluxo luminoso por segundo ao ambiente. radiada por segundo. produzem maior energia em luz e menor em calor do que as lâmpadas incandescentes. Intensidade Luminosa: É definida como a concentração de luz numa dada direção específica. Ela é designada pelo símbolo I e a unidade de medida é a candela (cd). Um lux equivale a 1 lúmen por metro quadrado (lm/m2). A unidade de medida do fluxo luminoso é o lúmen (lm) e ele é designado pelo símbolo .

500 K) e também em cor quente (2. conforme o ambiente a ser QUENTE iluminado. Depreciação do Fluxo Luminoso: Ao longo da vida útil da lâmpada. Quanto mais alta a temperatura de cor. conseqüentemente. são erroneamente chamadas de lâmpadas frias. tiveram queima. Rendimento: É a divisão entre o fluxo luminoso irradiado pela luminária e o fluxo luminoso total da lâmpada. mais branca é a tonalidade de cor da luz. Uma luminária de alto rendimento luminoso possui refletor dimensionado para a lâmpada e excelente reflexão. Ex. A sua unidade de medida é o Kelvin (K). Temperatura de Cor: Expressa a aparência de cor da luz emitida pela fonte de luz.700 K tem tonalidade quente. grande parte do fluxo luminoso da lâmpada não será refletida no ambiente e. e sim ao tom de cor que ela dá ao ambiente. semelhantes às lâmpadas incandescentes. do qual 50% das lâmpadas de um grupo representativo. As fluorescentes compactas estão disponíveis em temperatura de cor fria (6.700 K).CONCEITOS BÁSICOS Vida Útil: É definida como o tempo em horas. NEUTRA Nas lâmpadas a temperatura de cor é medida em Kelvin (K) e quanto maior for o número mais fria é a cor da lâmpada. haverá desperdício da luz e baixo rendimento luminoso.: uma lâmpada de temperatura de cor de 2. do qual cerca de 20% a 30% do fluxo luminoso das lâmpadas testadas foi depreciado. as áreas sociais e os dormitórios devem ter o tom mais quente ou neutro. como essas lâmpadas emitem menos calor.700 K e 5.000 K tem tonalidade muito fria. cozinha. a fim de preservar a iluminância média (lux) projetada sobre ambiente ao longo da vida útil da lâmpada. Este fator deve ser considerado no cálculo do projeto de iluminação. o que proporciona um alto aproveitamento da luz e. Vida Mediana: É definida como o tempo em horas.000 K. Já as áreas de serviço. que leva ao relaxamento e ao aconchego. é comum ocorrer uma diminuição do fluxo luminoso que sai da luminária. uma de 7. Antes elas só existiam em tons frios e. Luz com tom de cor mais quente torna-se mais aconchegante e relaxante. Caso a luminária não disponha de um refletor adequado para a lâmpada ou o refletor não seja de boa qualidade de reflexão. luz mais fria mais estimulante. Hoje estão disponíveis no mercado lâmpadas fluorescentes com uma nova tecnologia. banheiro. que permite apresentar diferentes temperaturas de cor. Em sua casa. testadas sob condições controladas de operação. home-office e sala de estudo devem ter tom neutro ou frio. em razão da própria depreciação normal do fluxo da lâmpada e por causa do acúmulo de poeira sobre as superfícies da lâmpada e do refletor. Atualmente já são usadas na casa inteira e com grande efeito decorativo. não estamos nos referindo ao calor físico da lâmpada. induzindo maior atividade. Quando falamos em luz quente ou fria. permite reduzir o número de luminárias e lâmpadas num projeto de iluminação de um ambiente. O ideal em uma residência é variar entre 2. FRIA Aparência de cor Guia de Iluminação 6 . conseqüentemente.

Em uma residência devemos utilizar lâmpadas com boa reprodução de cores (IRC acima de 80). de 20 a 50 kHz. Existem tipos de lâmpada com três ou mais temperaturas de cor diferentes e o mesmo IRC. Interferências em aparelhos eletrônicos e microcomputadores são alguns dos problemas que podem ocorrer. sem o usuário perceber que dentro do seu forro ou luminária tem uma bomba de efeito retardado. A escolha de um reator de qualidade é fundamental para uma instalação de iluminação. são alguns dos inconvenientes que esses pequenos produtos podem fazer ocultamente. São impregnados com resina de poliéster adicionado com carga mineral. prestes a detonar sobre sua cabeça. com isolação reforçada com classe térmica de 180°C. Reatores Eletrônicos: São aqueles construídos com capacitores. em seguida. Riscos de incêndio. Tipos de Partida de Reatores para Lâmpadas Fluorescentes: Existem diversos tipos de partida de reatores. uma vez que o fluxo luminoso poderá ser prejudicado e a vida útil da lâmpada será menor. A escolha de um reator de qualidade duvidosa pode comprometer o projeto elétrico e o luminotécnico. com a utilização de um starter externamente é gerado um arco entre os eletrodos das lâmpadas proporcionando o acendimento. indutores. Outro fator que compromete o projeto é o fator de potência e os dispositivos de segurança que um reator de baixa especificação não possui. Estamos falando apenas de um simples reator de qualidade e marca duvidosas usado para auxiliar o funcionamento de lâmpadas fluorescentes ou de descarga. além de manter a estabilidade da iluminação. levando-se em conta também o tipo do reator conforme abaixo: a) Reatores Eletromagnéticos Partida Convencional . Essa faixa de operação quando bem projetada proporciona maior fluxo luminoso com menor potência de consumo. pois a cor é fundamental para o conforto e beleza do ambiente. Operam em alta freqüência. transformando assim os reatores eletrônicos em produtos economizadores de energia e com maior eficiência que os reatores eletromagnéticos. aquecimento do local. Reatores Eletromagnéticos: São aqueles construídos por núcleo de aço laminado com baixas perdas eletromagnéticas e bobinas com fio de cobre.o reator fornece por alguns segundos um fluxo de corrente ao filamento da lâmpada para preaquecê-lo e. Guia de Iluminação 7 . circuitos integrados e outros componentes eletrônicos. pois o reator contribui para o adequado desempenho (fluxo luminoso e durabilidade) das lâmpadas. tendo um grande poder de isolação e dissipação térmica. Reatores: São equipamentos auxiliares necessários para limitar a corrente elétrica nas lâmpadas de descarga. resistores. prejudicando ou forçando o uso demasiado do ar-condicionado. A capacidade das lâmpadas de reproduzirem bem as cores (IRC) independe de sua temperatura de cor (K).CONCEITOS BÁSICOS Índice de Reprodução de Cor (IRC): Este índice quantifica a fidelidade com que as cores são reproduzidas sob uma determinada fonte de luz.

Essa perda do reator eletromagnético é fornecida pelo fabricante e deve ser somada à potência consumida pelas lâmpadas para calcular o consumo em Watts da luminária. consomem uma energia chamada reativa. Os filamentos são aquecidos constantemente pelo reator.105 lúmens. criando um ângulo entre a potência gerada pela concessionária e a consumida. possibilitando assim o acendimento de forma instantânea. seu fluxo será de 2. o fluxo emitido será 3.o acendimento é proporcionado pelo arco gerado pelo reator entre os eletrodos da lâmpada. Se x ≠ y. Freqüência de rede (Hz): Denomina-se a freqüência fundamental do sistema elétrico. se uma lâmpada fluorescente de 32 W com fluxo luminoso de 2.acendem a lâmpada em tempo mais curto que os reatores eletromagnéticos convencionais e não tem a cintilação inicial. consome mais energia em calor no seu núcleo do que o reator eletrônico consome em seus componentes eletrônicos.15.CONCEITOS BÁSICOS b) Reatores Eletromagnéticos Partida Rápida . A concessionária fornece a energia conhecida como potência aparente e o consumo das instalações é medido pela potência ativa. no caso de reatores eletrônicos. No Brasil. O fator de potência não poderá ser inferior a 0.92. c) Reatores Eletrônicos Partida Rápida Programada .o acendimento é controlado eletronicamente pelo sistema de pré-aquecimento dos filamentos da lâmpada. Acompanhando o gráfico temos: y x Se x = y. e ela é expressa como “perdas em Watts”. Aparelhos elétricos. Perdas do reator (Watts): O reator consome energia em forma de calor. está contra a portaria DNAEE 1569/93. O valor informado pelo fabricante é do total do conjunto (lâmpadas + reator).700 lúmens for utilizada com um reator eletrônico cujo fator de fluxo seja 1. d) Reatores Eletrônicos Partida Instantânea . temos uma energia que está sendo gerada. você está usando a energia da forma mais eficiente possível. devido ao seu princípio de funcionamento. Consiste na relação entre a potência consumida e a potência fornecida pela concessionária.160 lúmens. quando de seu funcionamento. esta freqüência de rede é de 60 Hz. Guia de Iluminação 8 . pela circulação de corrente elétrica no seu núcleo ou seus componentes. Esse valor é fornecido pelo fabricante do reator e deve ser considerado no cálculo da corrente elétrica do circuito para dimensionamento da bitola dos fios condutores. Revela com qual eficiência uma instalação está utilizando a energia elétrica. O reator eletromagnético. mas não consumida. Para este tipo de partida não é utilizado o starter. Caso isso ocorra. Fator de Potência do reator (cos Ø): Indica o grau de defasagem entre a tensão e a corrente proporcionada pelo reator no circuito. Fator de Fluxo Luminoso (Fator de Reator): Este fator determina qual será o fluxo luminoso emitido pela lâmpada. inclusive os reatores. Se a mesma lâmpada for utilizada com um reator que apresente fator de fluxo 0. o que facilita o acendimento da lâmpada em um curto espaço de tempo.80. não sendo correto somar a potência das lâmpadas para esses modelos. Por exemplo.

portanto não podemos exigir que esse tipo de produto apresente desempenho ou performance adequados. disparos de dispositivos de proteção. tensão elevada entre o neutro e terra. Refletor: Trata-se de uma parte interna da luminária. proporciona a segurança necessária para a instalação. aparelhos de fax. Em função do exposto. Temos sempre de usar o produto certo para a aplicação certa. Esta segunda onda representa a harmônica de uma quinta ordem. vibrações e acoplamentos. Nesta figura. queda de tensão e redução do fator de potência da instalação. secretárias eletrônicas. impressoras. circuitos eletrônicos. além de outros. Os principais efeitos observados em instalações e componentes submetidos à presença de harmônicas são: aquecimento excessivo. Guia de Iluminação 9 . Fator de Eficácia: Corresponde ao rendimento do reator. como. temos duas curvas: uma onda (preta) senoidal normal. Quando tratamos de luminárias decorativas. há necessidade cada vez maior de dimensionar condutores e dispositivos de proteção. ressonância. representando uma corrente de energia limpa. vemos como ficaria a soma das duas curvas. é essencial que sejam utilizados reatores eletrônicos que atendam às normas técnicas vigentes com baixo nível de THD (norma ANSI . geradas pelos harmônicos de alta freqüência de qualquer equipamento. o próprio nome já diz para o que serve “decoração”. Bem como a correta emissão do fluxo luminoso da lâmpada no ambiente. levando-se em conta os componentes harmônicos dos diversos circuitos em uma instalação elétrica. normalmente constituído de chapa de aço branca ou de alumínio. ou seja. centrais telefônicas. Além dos seus requisitos básicos de manter uma boa conexão mecânica e elétrica com a lâmpada e os equipamentos auxiliares. sem causar ofuscamento. reatores eletrônicos de baixa especificação. como fotocopiadoras. pois elas contribuem diretamente para uma distribuição eficiente da luz da lâmpada no ambiente e para o bom conforto visual das pessoas. Onde verificamos que a curva deixa de ser perfeitamente senoidal na presença das harmônicas. Nesta figura. representando a harmônica. pinturas. desenhado para refletir o fluxo luminoso das lâmpadas nas direções projetadas. Vários equipamentos são responsáveis por poluição da rede. Luminárias: Têm papel extremamente importante numa iluminação. podendo ainda receber acabamentos de tipos diferenciados. cargas não lineares e demais componentes que alteram a forma de onda de tensão e/ou corrente. sua freqüência é de 5 vezes 60 Hz. máquinas de soldar. e outra onda menor (cinza). por exemplo. Com a larga utilização de equipamentos que contêm fonte chaveada.THD < 33%). ou de 300 Hz.CONCEITOS BÁSICOS Distorção Harmônica: Trata-se de correntes alternadas que causam poluição ou interferência na rede. principalmente os eletrônicos. Esse valor é encontrado quando dividimos o valor do (fator de fluxo luminoso) fator do reator pela potência total do sistema. Dificilmente encontraremos uma luminária decorativa com desempenho satisfatório ou vice-versa.

quando a luz refletida em determinadas superfícies retorna aos olhos dos usuários desse ambiente.altura da luminária até o plano de trabalho (m) Luminância: É a definição para a intensidade luminosa (cd) produzida ou refletida por unidade de área (m2) de uma superfície numa dada direção. parede. quando o ofuscamento ocorre através da luminária/lâmpadas. Sua função é limitar o ângulo de ofuscamento em um ambiente. ou indireto. proporcionados por excesso de luminância na direção da visão. a fim de evitar sombras acentuadas e assegurar o conforto e a segurança para a prática da atividade exercida na área. Fator de Local (K): Encontramos este valor no cálculo do projeto de iluminação pelo método dos Lúmens.CONCEITOS BÁSICOS Aletas: Consideramos aletas a “grade” posicionada em frente às lâmpadas. Estas. no sentido perpendicular a elas. piso e superfície de trabalho). deve ser considerada como complementação à determinação das iluminâncias (lux) do ambiente. Uma boa uniformidade na iluminação é necessária. Uniformidade: A uniformidade de uma iluminação é medida pela relação entre a iluminância mínima e a média obtida na área iluminada. do rendimento da luminária. teto. mas usa-se normalmente alumínio ou aço. Ela é designada pelo símbolo L e a unidade é a candela por metro quadrado (cd/m2). proporcionada pelas várias superfícies dentro da área (luminárias. A distribuição da luminância no campo de visão das pessoas numa área de trabalho. Pode ser considerado direto. a fim de evitar ofuscamento. Ofuscamento: Ocasiona desconforto visual ou uma redução na capacidade de ver objetos. quando aplicada a fórmula abaixo. parede e piso e de outro item denominado fator de local. podem ser constituídas de vários materiais e com vários tipos de acabamento. das reflexões de teto. janelas. O espaçamento entre as luminárias e o distanciamento delas das paredes têm contribuição direta no resultado da uniformidade da iluminação. levando em conta as dimensões do local a ser iluminado: K = C x L (L + C) A onde: C = comprimento do ambiente (m) L = largura do ambiente (m) A = altura útil . assim como os refletores. Este fator depende da distribuição da luz. Fator de Utilização: Representa a porcentagem do fluxo luminoso das lâmpadas que alcança o plano de trabalho em um ambiente. Guia de Iluminação 10 . aumentando o conforto visual de seus usuários.

possui IRC 100. a sua luz não atrai a maioria de insetos voadores. não se preocupando com a eficiência do sistema.Lâmpadas incandescentes com design decorativo. que é levado à incandescência. não se preocupando com a eficiência do sistema. Guia de Iluminação 11 . iluminação de emergência.Lâmpada incandescente com bulbo com uma cobertura especial que proporciona a emissão de luz numa faixa espectral (luz amarela) não visível pela maioria dos insetos voadores. produzindo luz e calor.LÂMPADAS Lâmpadas Incandescentes O funcionamento de uma lâmpada incandescente ocorre pela passagem de corrente elétrica por um fio fino (filamento da lâmpada).Lâmpada incandescente com bulbo transparente em formato de pêra. com grande qualidade de luz. cria uma atmosfera agradável e relaxante com alto grau de conforto visual. ou seja. Standard . que se harmonizam com a concepção e modelo do lustre. campings). conseguido a partir da cobertura que esta lâmpada possui. com grande qualidade de luz. Indicadas para uso em lustres. Aplicações: Iluminação residencial. Buglezzz .PRODUTOS . iluminação comercial (hotéis) e demais locais que necessitem de baixo custo inicial. Indicadas para uso em qualquer tipo de luminária. não se preocupando com a eficiência do sistema. arandelas. Soft . Aplicações: Iluminação decorativa e demais locais que necessitem de baixo custo inicial. iluminação de emergência. candelabros etc. Indicadas para uso em luminárias/lustres abertos. Aplicações: Iluminação residencial (jardins. iluminação comercial (indústrias alimentícias) e demais locais que necessitem limitar a presença de insetos voadores. graças ao seu efeito de luz branca suave. iluminação comercial (hotéis) e demais locais que necessitem de baixo custo inicial. com grande qualidade de luz. cor quente (2.Lâmpada incandescente com bulbo leitoso e formato especial. Aplicações: Iluminação residencial. permite dimerização e tem baixa eficiência (verifique tabela de eficiência). com alta resistência elétrica. Indicadas para uso em luminárias fechadas ou com difusores de luz para evitar o ofuscamento direto.700 K). Vela/Vela Balão/Lustre . varandas. Não necessita de um equipamento auxiliar para seu funcionamento.

caso necessite manusear o produto sem uso de luvas. iluminação pública (semáforos) e demais locais que sofram vibrações. são capturadas pelo composto halógeno. redepositando a molécula de tungstênio sobre o filamento da lâmpada. Halógenas A lâmpada halógena também possui filamento. comercial e demais locais em que a alimentação da rede seja indisponível.Lâmpada projetada para uso específico em geladeiras e fogões. Indicada para uso em spots e luminárias embutidas. Aplicações: Indicada para uso em geladeiras e fogões. Portanto. Guia de Iluminação 12 .PRODUTOS . através de bateria ou gerador próprio. que tem a propriedade de absorver todo e qualquer componente que se armazene nele. a oleosidade da pele ou as impurezas mancharão o bulbo. as moléculas do filamento de tungstênio. Este ciclo regenerativo serve para evitar o escurecimento do bulbo e prolongar a vida da lâmpada. Quando esse composto fornecido pelo halogênio e tungstênio se aproxima do filamento. limpe-o com pano seco antes do primeiro acendimento.LÂMPADAS Gel Fog . Fil-Ref . porém trabalha em conjunto com halogênio (por exemplo: iodo.Proporcionar facho de luz direcionado. Aplicações: Iluminação decorativa e de destaque em ambientes residenciais e demais locais que necessitem de baixo custo inicial e grande qualidade de luz.Lâmpada com filamento reforçado para ser utilizada em locais onde existe vibração. Possui um cimento especial na base resistente ao calor. O halogênio continua a sua tarefa no ciclo regenerativo. caso contrário. Baixa Tensão . que se desprendem com o uso. cloro e bromo). Indicada para áreas rurais ou lugares isolados.Lâmpada incandescente alimentada por 12 V. de emergência. Aplicações: Iluminação comercial (oficinas mecânicas). promovendo uma regeneração do mesmo.Lâmpada incandescente com espelho parabólico interno que produz facho de luz médio. é decomposto pela alta temperatura do filamento. Mini-Spot . não se preocupando com a eficiência do sistema. Aplicações: Iluminação residencial. Através dessa composição. O bulbo é de quartzo.

Apresenta luz suave e brilhante.PRODUTOS .É ideal para o destaque de objetos. incluindo aplicações em jardins dentro de luminárias apropriadas. praticidade na instalação e baixo custo inicial. hotéis) e ambientes residenciais. residencial e de áreas externas de pequeno porte (fachadas. Aplicações: Iluminação decorativa e de destaque de objetos em ambientes comerciais (lojas e vitrines. iluminação de estacionamentos) e demais locais que necessitem de grande quantidade de luz. Aplicações: Iluminação decorativa e de destaque de objetos em ambientes comerciais (lojas e vitrines. possibilitando seu funcionamento correto. restaurantes. que assegura a qualidade do refletor contra poeira e umidade.Extremamente compacta. áreas externas (jardins. Dicróica (12 V) . Ideal para luminárias compactas.LÂMPADAS Os modelos de 12 V necessitam de um transformador para interfaceá-los com a rede elétrica.Sendo de grande aplicação em luminárias residenciais ou as de maior potência em refletores para iluminação externa. Palito .Lâmpada halógena composta de um refletor dicróico que proporciona luz constante e aparência de cor uniforme ao longo de sua vida além de projetar para trás grande parte do calor gerado pela lâmpada. praticidade na instalação e baixo custo inicial. PAR . Possui uma lente frontal. não se preocupando com a eficiência do sistema. Cápsula (12 V) . Aplicações: Iluminação decorativa e de destaque em ambientes comerciais (lojas e vitrines. Ideal para luminárias compactas e iluminação indireta. Guia de Iluminação 13 . todas as lâmpadas halógenas permitem dimerização. joalherias) e residenciais. Ideal para luminárias compactas. Aplicações: Iluminação comercial (lojas e vitrines).Consistindo de uma cápsula halógena envelopada em uma superfície refletora de alumínio com haste antiofuscante. ALR . não se preocupando com a eficiência do sistema. restaurantes). fachadas) e demais locais que necessitem de grande quantidade de luz. é muito utilizada em luminárias de mesa. Os demais modelos funcionam diretamente na rede.111 (12 V) . Aplicações: Iluminação decorativa em ambientes comerciais (lojas e vitrines) e residenciais.

alta durabilidade e qualidade de luz. devido à eficiência do sistema.PRODUTOS . o que permite a troca e o manuseio da lâmpada de maneira fácil e segura para o usuário. O equipamento auxiliar (reator). Kit-Circular (Residencial) Aplicações: Iluminação residencial. Fluorescentes Compactas Integradas São ideais para substituição das lâmpadas incandescentes em uso residencial. na qual a luz é produzida através do pó fluorescente ativado pela energia ultravioleta da descarga. Guia de Iluminação 14 . praticidade de instalação. Ideal para uso decorativo. alta durabilidade e qualidade de luz. fluorescentes compactas não integradas e fluorescentes tubulares.LÂMPADAS Fluorescentes (PL / TL) A lâmpada fluorescente é uma lâmpada de descarga de baixa pressão. devido à eficiência do sistema. praticidade de instalação. pela sua praticidade. devido à eficiência do sistema.000 horas. eficiência do sistema. IRC 85. grande economia de energia e alta durabilidade. vida mediana de 5. praticidade de instalação. durabilidade e qualidade de luz. devido à eficiência do sistema. alta durabilidade e qualidade de luz.000 a 15. já vem incorporado na lâmpada. Esta família de lâmpadas é dividida em três: fluorescentes compactas integradas. Tabela de equivalência para substituição Incandescentes Comuns 127 V 220 V 25 W 60 W 75 W 100 W 40 W 75 W 100 W 100 W + 25% Fluorescentes Compactas 9W 15 W 20 W 23 W Essential Aplicações: Iluminação residencial. Ideal para uso decorativo. Universal (Residencial) Aplicações: Iluminação residencial. cores quentes e frias e ainda uma grande diversidade de formatos. praticidade de instalação. Globo (Residencial) Aplicações: Iluminação residencial. Possuem alta eficiência luminosa.

restaurantes) e demais locais que necessitem de uma alta qualidade de luz e eficiência do sistema. cores quentes e frias. Para o modelo de lâmpada de 4 pinos. shopping centers. Guia de Iluminação 15 . eficiência do sistema. escolas. praticidade de instalação.LÂMPADAS PLE-T (Profissional) Aplicações: Iluminação comercial. teatros. O reator permanece em operação por longo tempo. escolas) e demais locais que necessitem de uma alta qualidade de luz e eficiência do sistema. altíssima durabilidade e qualidade de luz. teatros. variados modelos e aplicações. onde a iluminação fica ligada por períodos longos. o que permite a criação de diferentes efeitos em ambientes e a economia de energia. residencial e demais locais que priorizem eficiência do sistema. PL-C (2 Pinos) Aplicações: Iluminação comercial (hotéis. Ideal para luminárias compactas. PL-T (4 Pinos) Aplicações: Iluminação comercial (hotéis. apenas é substituída a lâmpada. restaurantes) e demais locais que necessitem de uma alta eficiência do sistema e qualidade de luz. shopping centers. PL-L (4 Pinos) Aplicações: Iluminação comercial (hotéis. escritórios. assim que a lâmpada necessitar ser trocada. Ideal para luminárias compactas. shopping centers. escritórios. A vantagem em relação às integradas é que. escolas) e demais locais que necessitem de uma alta qualidade de luz e eficiência do sistema. o que torna o sistema mais econômico para o usuário. escritórios. teatros. Fluorescentes Compactas Não Integradas Estes modelos são recomendados para áreas comerciais.PRODUTOS . com ganho em designer. existe a possibilidade de dimerização do fluxo luminoso utilizando os reatores eletrônicos dimerizáveis. escolas. Ideal para substituição de lâmpadas fluorescentes tubulares. Ideal para luminárias compactas. Possuem IRC 85. escritórios. teatros. PL-S (2 e 4 Pinos) Aplicações: Iluminação de sinalização e de emergência (hotéis.

LÂMPADAS Fluorescentes Tubulares TLT/TLD Standard .).5 mm (TLT) ou 26 mm (TLD). cozinhas etc. Trabalha somente com reator eletrônico.Lâmpadas fluorescentes tubulares com 16 mm de diâmetro. residencial e demais locais que priorizem baixo custo inicial e eficiência do sistema. galerias de arte. indústrias químicas etc. indústrias têxteis.lâmpadas fluorescentes com IRC >95.5 mm.).5 mm T10 ø 26 mm T8 ø 16 mm T5 Guia de Iluminação 16 . TL5 Super 80 .5 mm (TLT) ou 26 mm (TLD). Aplicações: Iluminação comercial. Aplicações: Iluminação comercial. industrial. industrial e demais locais que priorizem altíssima qualidade de luz e eficiência do sistema (museus. lojas.Possui diâmetro de 33. Aplicações: Iluminação comercial. alta eficiência. industrial. desde que o sistema seja com reator eletromagnético com starter.Possuem diâmetros de 33. TLE Standard . depósitos etc.). residencial e demais locais que priorizem baixo custo inicial e eficiência do sistema. TLD Super 90 . não se preocupando com a qualidade da luz (garagens. industrial. industrial. Aplicações: Iluminação comercial. não se preocupando com a qualidade da luz. iluminação indireta e sancas. Retrofit direto das lâmpadas de 20 W/40 W/65 W. gráficas. Ideal para luminárias decorativas.Séries 80 e 90. TLT/TLD Super 80 .). oficinas.Possuem diâmetro de 33.PRODUTOS . Lâmpadas de nova geração tecnológica permitem um maior rendimento da luminária lâmpadas da nova geração com menor diâmetro ø 38 mm T12 ø 33. residencial e demais locais que priorizem qualidade de luz e eficiência do sistema (escritórios. Série 90 . residencial e demais locais que priorizem qualidade de luz e altíssima eficiência do sistema (escritórios. galpões industriais etc. Aplicações: Iluminação comercial. Ideal para luminárias compactas.

LÂMPADAS Vapor Metálico Compactas com Tubo Cerâmico (Mastercolour . iluminação de áreas externas de pequeno porte (fachadas. Ideais para destaques. monumentos etc. Aplicações: Iluminação comercial (lojas e vitrines). CDM-TT Aplicações: Iluminação de áreas públicas que necessitem de uma altíssima qualidade de luz e eficiência do sistema. excelente relação custo x benefício. áreas de comércio noturno. OBS. Ideal para luminárias compactas dotadas de vidro com acabamento fosco. Ideal para luminárias compactas. baixo consumo. IRC alto (83 a 96 conforme modelo).: Toda lâmpada metálica deve ser utilizada em luminária fechada. monumentos. Guia de Iluminação 17 . monumentos. onde os interesses vão em busca de embelezamento da cidade. posição universal de funcionamento (exceto duplo contato). áreas externas (fachadas. áreas de comércio noturno. CDM-T Aplicações: Iluminação comercial (lojas e vitrines) e demais locais que necessitem de uma iluminação com altíssima qualidade de luz e eficiência do sistema. com tubo de descarga cerâmico. monumentos etc. CDM-ET Aplicações: Iluminação de áreas públicas que necessitem de uma altíssima qualidade de luz e eficiência do sistema. como praças. outdoor) e demais locais que necessitem de uma iluminação com altíssima qualidade de luz e eficiência do sistema.PRODUTOS . como praças. de alta eficiência. CDM-R Aplicações: Iluminação decorativa e de destaque em ambientes comerciais (lojas e vitrines). externa e até mesmo iluminação pública. CDM-TD Posição de funcionamento: horizontal. o que lhes proporciona maior estabilidade da cor durante seu tempo de vida. iluminação geral. diversidade de formatos e potências. outdoor) e demais locais que necessitem de uma iluminação com altíssima qualidade de luz e eficiência do sistema.CDM) Lâmpadas de vapor metálico.

revestido na parede interna com um fósforo. iluminação pública e demais instalações que necessitem de baixo custo inicial. Atualmente estão sendo substituídas por lâmpadas mais eficientes como lâmpadas de vapor de sódio (iluminação pública) e lâmpadas de vapor metálico (iluminação de galpões industriais). Por ter tamanho reduzido. iluminação de áreas externas de pequeno porte (fachadas. não se preocupando com a eficiência do sistema. sua ligação é feita diretamente à rede e opera em 220 V. Aplicações: Iluminação de locais que necessitem de grande quantidade de luz. Aplicações: Iluminação comercial (lojas e vitrines). cor branca-azulada. são facilmente alojadas em pequenas luminárias. Vapor de Mercúrio (HPL-N) As lâmpadas de mercúrio necessitam de um reator para seu perfeito funcionamento. não se preocupando com a eficiência do sistema. IRC 40. Aplicações: Iluminação de galpões industriais. Não necessita de equipamento auxiliar para seu funcionamento.LÂMPADAS Vapor Metálico Compactas com Tubo de Quartzo (MHN/MHW) São lâmpadas de vapor metálico. São lâmpadas que necessitam de reator e ignitor para seu perfeito funcionamento. praticidade na instalação e baixo custo inicial. Possuem eficiência de até 58 lm/W. com um tubo de descarga de quartzo preenchido com mercúrio de alta pressão e uma mistura de vapores. Mista (ML) A lâmpada de luz mista consiste em um bulbo preenchido com gás. Possui IRC 60.PRODUTOS . dependendo da aplicação. Guia de Iluminação 18 . Sua aplicação é substituída por lâmpada de vapor metálico ou vapor de sódio. contendo um tubo de descarga ligado em série a um filamento de tungstênio. monumentos. outdoor) e demais locais que necessitem de uma iluminação com qualidade de luz e eficiência do sistema. com a adição de sódio e tálio para correção de cor e estabilização do arco. por estabilização da descarga do tubo. cor amarela e eficiência de até 21 lm/W.

Guia de Iluminação 19 . contendo mercúrio de alta pressão e uma mistura de iodeto metálico. esportiva. Todos os modelos necessitam de reator e ignitor para seu perfeito funcionamento. de qualquer fabricante.PRODUTOS . Vapor Metálico (HPI) São lâmpadas de multivapor metálico que consistem em um tubo de quartzo. que está alojado em um bulbo externo de vidro e termina em uma base-padrão com rosca. que possui ignitor incorporado. que está alojado em um bulbo externo de vidro e termina em uma base-padrão de rosca. desde que os equipamentos auxiliares e a lâmpada sejam devidamente protegidas da água. retrofit direto para lâmpadas de vapor de mercúrio). essas lâmpadas podem trabalhar até -20˚C. Os modelos PLUS oferecem uma combinação de aparência branca natural e alta eficiência luminosa ao longo de sua vida mediana. monumentos e demais locais que necessitem de uma iluminação com alta qualidade de luz e eficiência do sistema. esportiva. monumentos e demais locais que necessitem de uma iluminação com alta qualidade de luz e eficiência do sistema. contendo mercúrio de alta pressão e uma mistura de iodeto metálico. A excelente estabilidade de cor assegura uma aparência uniforme entre as diversas lâmpadas instaladas. fachadas. As novas lâmpadas HPI Plus são projetadas para trabalhar com reatores para sistemas metálicos. Todas as lâmpadas necessitam de reator e ignitor (exceto a modelo S. o que significa que podem operar em câmaras frigoríficas. ou mercúrio. No geral. Aplicações: Iluminação de galpões industriais/comerciais. fachadas. A excelente estabilidade de cor assegura uma aparência uniforme entre as diversas lâmpadas instaladas. ou sódio. Aplicações: Iluminação de galpões industriais/comerciais.LÂMPADAS Vapor Metálico (HPI Plus) São lâmpadas de multivapor metálico que consistem em um tubo de quartzo.

fachadas e demais locais que necessitem de uma iluminação com alta qualidade de luz e eficiência do sistema. com um tubo de descarga de óxido de alumínio sinterizado alojado em um bulbo externo de vidro equipado com uma base com rosca-padrão E27 ou E40. conforme a potência. eficiência do sistema e destaque através das cores azul. Necessitam de reator e ignitor de mercúrio para seu funcionamento. azul. porém coloridas. estacionamentos e galpões onde a necessidade de reprodução de cores não é essencial. com cores suaves.PRODUTOS . vermelha e violeta. Aplicações: Iluminação pública e demais locais que priorizem a alta eficiência do sistema. uma vez que as lâmpadas de vapor de sódio são as mais eficientes do mercado. Vapor Metálico Colorido (Art Colour MH-T) As mesmas características das lâmpadas de vapor metálico. Muito utilizadas em vias públicas. fachadas. verde e violeta em 400 W. eventos promocionais e demais locais que necessitem de uma iluminação com alta qualidade de luz. monumentos. Proporcionam alta eficiência luminosa. Aplicações: Iluminação de destaque em monumentos. Disponíveis nas cores: vermelha. verde.LÂMPADAS Vapor Metálico (MH) São lâmpadas de multivapor metálico que consistem em um tubo de quartzo. Apresentam qualidade de luz regular (IRC<25). Vapor de Sódio (SON e SON-T) Lâmpadas de vapor de sódio em alta pressão. contendo mercúrio de alta pressão e uma mistura de iodeto metálico. A excelente estabilidade de cor assegura uma aparência uniforme entre as diversas lâmpadas instaladas. Dispensam o uso de filtros e gelatina para o efeito da cor. Guia de Iluminação 20 . Aplicações: Iluminação esportiva (estádios). necessitam de reator e ignitor para operar. que está alojado em um bulbo externo de vidro e termina em uma base-padrão com rosca.

Internamente também sofreu algumas alterações. o que fez com que tenha menos falhas prematuras e reacendimento mais rápido. uma vez que as lâmpadas de vapor de sódio são as mais eficientes do mercado. com um tubo de descarga de óxido de alumínio sinterizado alojado em um bulbo externo de vidro equipado com uma base com rosca-padrão E27 ou E40. Essas lâmpadas são produzidas para substituir as lâmpadas vapor de mercúrio diretamente (sem a troca do reator) nas potências equivalentes. economia de energia e dispensa o uso de ignitores. Proporcionam alta eficiência luminosa. Aplicações: Iluminação pública e demais locais que priorizem a alta eficiência do sistema. Vapor de Sódio Plus Pia (SON Plus PIA) Lâmpada de vapor de sódio em alta pressão com as mesmas características da anterior (PLUS). Aplicações: Iluminação pública e demais locais que priorizem a alta eficiência do sistema. uma vez que as lâmpadas de vapor de sódio são as mais eficientes do mercado. Apresentam qualidade de luz regular (IRC<25). Apresentam qualidade de luz regular (IRC<25).PRODUTOS . Alta eficiência. porém 15% mais eficiente.LÂMPADAS Vapor de Sódio (SON-H) Lâmpadas de vapor de sódio em alta pressão. Muito utilizadas em vias públicas. conforme a potência. Possui menos pontos de soldas e menos componentes (PIA). prolongando a vida mediana dessas lâmpadas. necessitam de reator e ignitor para operar. Guia de Iluminação 21 . estacionamentos e galpões. Possui menor tamanho e é compatível com os sistemas de sódio já existentes. onde a necessidade de reprodução de cores não é essencial.

Reatores eletromagnéticos impregnados. Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas de Descarga VM / VS / VT . 11 W. 18 W e 26 W. 36 W. residências. lojas. entre outros. escritórios. Aplicações: Iluminação pública.Os reatores Série Ouro Plus foram desenvolvidos para obter maior rendimento e proporcionar longa vida útil à lâmpada e maior segurança e confiabilidade ao projeto. shopping centers.REATORES Reatores Eletromagnéticos Reatores Eletromagnéticos para Lâmpadas Fluorescentes DPC/DPR/SPR/SPC . bancos. escolas.PRODUTOS . 85 W e 110 W. entre outros. indústrias. * Quando o reator for de uso interno. 16 W. 13 W. 40 W. supermercados. e para lâmpadas fluorescentes tubulares de 15 W. o ignitor é acoplado. O processo de enrolamento ortociclo resulta em um volume compacto de bobina e por conseqüência o reator tem menor peso e perdas elétricas baixas. hospitais. industrial. o ignitor é incorporado. shopping centers. Guia de Iluminação 22 . fabricados de aço laminado com baixas perdas eletromagnéticas e bobinas com fio de cobre. esportiva. hotéis. Aplicações: Bancos. Disponíveis para lâmpadas fluorescentes compactas de 7 W. 9 W. 20 W. 58 W. * Quando o reator for de uso externo. 65 W. 32 W.

Reatores eletrônicos de alto fator de potência. Disponíveis para lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 W. 40 W e 110 W. 36 W.Reatores eletrônicos de baixo fator de potência. 40 W. lojas. 32 W. lâmpadas circulares de 22 W. Aplicações (pequenas e médias instalações): Lojas.Ignitores eletrônicos para lâmpadas de descarga de alta intensidade. 32 W. Reatores Eletrônicos para Lâmpadas Fluorescentes Ecotronic ED/ES . ‘TL’ D. residências. indústrias. entre outros. 65 W. e lâmpadas fluorescentes compactas PL-T de 32 W e 42 W. entre outros. shopping centers. São leves e com dimensional reduzido. leves e compactos. 58 W. indústrias. que operam com lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 W ou 32 W. Aplicações: Bancos. residências. Ecotronic Plus ED/ES . leves e compactos. Redução de até 30% no consumo de energia.PRODUTOS . escritórios. 20 W. cozinhas. metálico e multivapor metálico para provocar a descarga inicial das mesmas. 20 W. supermercados. galpões. shopping centers. entre outros. Aplicações: Bancos. leves e compactos. para lâmpadas fluorescentes ‘TL‘. para lâmpadas fluorescentes ‘TL’. industrial. bancos. TL-E e PL-T. hospitais. São reatores bi-wattagem. escritórios. shopping centers. Aplicações: Iluminação pública. escolas. entre outros. 85 W e 110 W e para lâmpada compacta de 55 W. Enertron HF . hospitais.REATORES Ignitores para Lâmpadas de Descarga IGN . 32 W e 40 W. Guia de Iluminação 23 . sem cintilação e sem efeito estroboscópico. Partida instantânea. áreas de serviços. escolas. Partida rápida. hotéis. Disponíveis para lâmpadas fluorescentes tubulares de 16 W. Redução de até 40% no consumo de energia. banheiros.Reatores eletrônicos de alto fator de potência. sem cintilação e sem efeito estroboscópico. garagens. hotéis. ‘TL‘ D e PL-L. com fator de fluxo luminoso elevado. partida instantânea. esportiva. Proporcionam pulso de alta tensão para lâmpadas de sódio. Disponíveis para todas as potências de lâmpadas do mercado. supermercados. 18 W.

assim que a lâmpada for substituída o reator passa a operar automaticamente. leves e compactos.Reatores eletrônicos de alto fator de potência. shopping centers. shopping centers. Redução de até 25% de economia de energia em relação ao reator eletromagnético correspondente. hospitais. Possui também circuito automático de desligamento. entre outros. residências. assim que a lâmpada for substituída o reator passa a operar automaticamente. entre outros. 26 W. Aplicações: Bancos. HF-B . Aplicações: Bancos. shopping centers. indústrias. Disponíveis para as lâmpadas fluorescentes compactas de 13 W.Reatores eletrônicos de alto fator de potência. residências. indústrias. supermercados. hospitais. 18 W. hospitais. partida instantânea. 36 W e 58 W e fluorescente compacta PL-L de 36 W e 55 W. 39 W. 32 W e 42 W. escritórios. 54 W e 80 W. hotéis. residências. No caso de falha das lâmpadas ou final de vida. alimentação inteligente .Reatores eletrônicos de alto fator de potência. hospitais. hotéis. HF-P (TL5) . entre outros. elevada durabilidade. supermercados. alimentação inteligente: fluxo constante nas lâmpadas independentemente das oscilações da rede.fluxo constante nas lâmpadas independente das oscilações da rede.fluxo constante nas lâmpadas independentemente das oscilações da rede. Aplicações: Bancos. Partida programada. Partida programada. Operam com lâmpadas fluorescentes tubulares de 110 W. residências. partida rápida. hotéis. Operam com lâmpadas fluorescentes tubulares de 18 W ou 20 W e 36 W ou 40 W. shopping centers. 49 W. supermercados. Guia de Iluminação 24 . escritórios. indústrias. circuito automático de desligamento. Aplicações: Bancos. residências. escolas. escritórios. Redução de até 25% de energia elétrica. partida rápida.Reatores eletrônicos de alto fator de potência. escritórios. elevada durabilidade. Aplicações: Bancos. Disponíveis para lâmpadas fluorescentes tubulares ‘TL‘D de 32 W. circuito automático de desligamento. para lâmpadas fluorescentes compactas. indústrias. 35 W.Reatores eletrônicos de alto fator de potência. HF-P (PL-T e PL-C) . 24 W. escritórios. escolas. entre outros. escolas. shopping centers. escolas. leves e compactos. para lâmpadas fluorescentes TL5.REATORES SSB HO . supermercados. No caso de falha das lâmpadas.PRODUTOS . EBS . alimentação inteligente . indústrias. hospitais. entre outros. hotéis. 21 W. hotéis. Disponíveis para lâmpadas fluorescentes tubulares nas potências de 14 W. permitem vários ciclos liga e desliga durante o dia. Redução de até 20% no consumo de energia elétrica. escolas. assim que a lâmpada for substituída o reator passa a operar automaticamente. supermercados. leves e compactos. No caso de falha das lâmpadas ou final de vida. 28 W.

39 W. 21 W. hospitais. alto fator de potência. 35 W. hotéis. 32 W e 42 W. entre outros. residências. podendo variar o fluxo luminoso de 3 a 100%. Aplicações: Bancos. nas potências de 14 W.Reatores eletrônicos dimerizáveis. Partida programada. entre outros. museus. escritórios. 54 W e 80 W. supermercados. escolas. Partida programada. leves e compactos para lâmpadas fluorescentes TL5. elevada durabilidade.Reatores eletrônicos dimerizáveis. alto fator de potência. elevada durabilidade. hipermercados. shopping centers. 35 W. indústrias. HF-R (DALI) . indústrias. Guia de Iluminação 25 . 54 W e 80 W. 18 W. Disponíveis para as potências de 20 W à 50 W. leves e de pequenas dimensões para lâmpadas fluorescentes compactas. escritórios. residências. leves e compactos para lâmpadas fluorescentes TL5. shopping centers. 28 W. HF-R (TL5) . escolas. 49 W. entre outros. projetados para proporcionar uma grande economia e eficiência.REATORES HF-R (PL-T e PL-C) . 24 W. nas potências de 14 W. podendo variar o fluxo luminoso de 3 a100%. residências. escolas. 26 W. indústrias. Transformadores para Lâmpadas Halógenas Transformadores magnéticos e eletrônicos para lâmpadas halógenas. 21 W. escritórios. Utiliza-se um protocolo DALI (Interface de Iluminação Endereçável Digital). Alto fator de potência e baixa distorção harmônica. entre outros. hospitais. 49 W. Disponíveis para lâmpadas fluorescentes compactas de 13 W. Partida programada. shopping centers. Aplicações: Lojas. hospitais. 39 W. shopping centers. 28 W. podendo variar o fluxo luminoso de 3 a 100%. alto fator de potência. elevada durabilidade. Aplicações: Bancos.PRODUTOS . 24 W. hotéis. hotéis. Aplicações: bancos.Reatores eletrônicos dimerizáveis. supermercados.

PRODUTOS . polido e anodizado. Aletas parabólicas de alumínio acetinado e anodizado. Refletores de alumínio em 4 versões: M5 ou C5 (aletas parabólicas) e C1 ou M2 (aletas planas). TBS / TCS 050 . tarefas simples ou onde o uso de computadores não é freqüente.Refletor parabólico contínuo de alumínio acetinado e anodizado. fácil instalação e manutenção.Refletor parabólico contínuo de alumínio brilhante. C5 . Indicadas para áreas de alta demanda visual e onde o uso de computadores é freqüente. Rendimento de 70%. M2 . onde o uso de computadores é freqüente. além de dificultar a visualização de pó ou partículas. porta-lâmpadas anti-UV e antivibração.Refletor parabólico contínuo de alumínio acetinado e anodizado.Luminária de embutir ou sobrepor para 2 lâmpadas de 32 W ou 16 W. Alto rendimento luminoso. Indicadas para áreas de baixa demanda visual. polido e anodizado.Luminária de embutir ou sobrepor para 2 lâmpadas de 16/32 W ou 20/40 W. Aletas planas de alumínio brancas. polido e anodizado. Rendimento de 75%. 40 W. Aletas parabólicas de alumínio brilhante. designer simples e eficiente. C1 .Luminária de embutir ou sobrepor para 2 lâmpadas de 32 W. de fácil instalação e manutenção. 16 W ou 20 W ou para 4 lâmpadas de 16 W ou 20 W. Rendimento de 67%. com refletor de alumínio sem aletas. Indicadas para áreas de média demanda visual e onde o uso de computadores é mais freqüente. Econômica. TBS / TCS 027 . Guia de Iluminação 26 .Refletor parabólico contínuo de alumínio brilhante. Porta-lâmpadas anti-UV e antivibração. M5 . Aletas planas de alumínio na cor natural e frisadas.LUMINÁRIAS Luminárias Iluminação Comercial e de Escritórios TBS / TCS 029 . Rendimento de 73%. Indicadas para áreas de alta demanda visual. Bom conforto visual e de fácil instalação e manutenção. alto rendimento luminoso (73%). design simples e eficiente. aletas brancas (rendimento 62%) ou difusor em acrílico (rendimento 65%). além de dar ao ambiente ar de sofisticação. com refletor de chapa branca.

Refletor parabólico contínuo de alumínio brilhante. C5 . excelente conforto visual. C1 . fácil instalação e manutenção. Aletas parabólicas de alumínio brilhante. M2 . Aletas planas de alumínio na cor natural e frisadas. além de dificultar a visualização de pó ou partículas. 13 W. própria para interiores. polido e anodizado. Rendimento de 59%. tarefas simples ou onde o uso de computadores não é freqüente. Aletas parabólicas de alumínio acetinado e anodizado.Refletor parabólico contínuo de alumínio acetinado e anodizado.Luminária de embutir para 2 lâmpadas HO de 110 W. polido e anodizado. Opcional refletor de alumínio RA200. polido e anodizado. Indicadas para áreas de média demanda visual e onde o uso de computadores é mais freqüente.PRODUTOS .Luminária de embutir ou sobrepor para 2 lâmpadas de 32 W ou 16 W. Indicadas para áreas de alta demanda visual. dimensões compactas. corpo e refletor de chapa branca. fácil instalação e manutenção. fácil instalação e manutenção.LUMINÁRIAS TBS / TCS 912 . bom conforto visual. onde o uso de computadores é freqüente. Indicadas para áreas de alta demanda visual e onde o uso de computadores é freqüente. Econômica. econômica. bom rendimento luminoso (60%). alto rendimento. FBS / FCS 029 .Refletor parabólico contínuo de alumínio brilhante. ou 4 lâmpadas de 16 W. Guia de Iluminação 27 . Refletor de chapa branca. além de dar ao ambiente ar de sofisticação. 18 W ou 26 W. Rendimento de 68%. Rendimento de 62%. Indicadas para áreas de baixa demanda visual. TBS 200 . louvre aletado.Refletor parabólico contínuo de alumínio acetinado e anodizado. Aletas planas de alumínio brancas. M5 . excelente rendimento luminoso (82%). Refletores parabólicos contínuos de alumínio em 4 versões: M5 ou C5 (aletas parabólicas) e C1 ou M2 (aletas planas). Rendimento de 63%.Luminária de embutir ou sobrepor para 2 lâmpadas PL de 11 W.

Refletor parabólico de alumínio (M5 ou C5). aletas parabólicas 3-D. Aletas parabólicas de alumínio.Refletor parabólico contínuo de alumínio acetinado e anodizado. excelente conforto visual.Refletor parabólico contínuo de alumínio brilhante. Oferece ainda três opções de acabamento: Sem painel Painel branco Painel perfurado C5 . Indicadas para áreas de alta demanda visual e onde o uso de computadores é freqüente. altíssimo rendimento. além de dificultar a visualização de pó ou partículas. 64% (228 . onde o uso de computadores é freqüente.P/B1) ou 65% (415). M5 . 64% (314 . Aletas parabólicas de alumínio acetinado e anodizado. design e sofisticação. Indicadas para áreas de alta demanda visual. Aletas parabólicas de alumínio brilhante.LUMINÁRIAS TBS / TCS 910 .P/B1). além de dar ao ambiente ar de sofisticação. polido e anodizado.P/B1). Rendimento de 66% (228). polido e anodizado. Guia de Iluminação 28 . 70% (314) ou 71% (414). Rendimentos de 74% (228).PRODUTOS . com 12 opções de luminárias. 63% (228 .Luminária de embutir ou sobrepor para 2 lâmpadas TL5 de 28 W ou 3 ou 4 lâmpadas TL5 de 14 W.

altíssimo rendimento luminoso. design e estilo sofisticado.LUMINÁRIAS TBS / TCS 910 .P/B1).simétrico).P/B1). bom rendimento luminoso (64% .P/B1). 73% (314 MD . bom conforto visual. Aletas de policarbonato injetado translúcido.PRODUTOS . Refletor de chapa de alumínio brilhante e aletas brancas. nas versões simétrica e assimétrica. Oferece ainda três opções de acabamento: Sem painel Painel branco Painel perfurado Produzidas em alumínio Brilhante (CD) Acetinado (MD) Aletas de policarbonato verde injetado translúcido Rendimentos: 79% (228 CD). Iluminação Postos de Gasolina MBR / MBS 901 . Refletor parabólico de alumínio brilhante ou acetinado. 70% (228 MD . com 12 opções de luminárias. 73% (228 MD).assimétrico e 71% .Luminária de embutir ou sobrepor para 3 ou 4 lâmpadas TL5 de 14W ou 2 lâmpadas TL5 de 28W. fácil instalação e manutenção.P/B).Projetores de embutir para uma lâmpada vapor metálico de 250 ou 400 W. 77% (314 CD . 76% (228 CD . bom conforto visual. Guia de Iluminação 29 . 75% (414 CD) ou 73% (414 MD). Possui chassi para equipamento auxiliar.

Econômica. Apresenta grau de proteção IP 66. Duas opções de facho: aberto (502) ou fechado (503) com vidro de proteção temperado. o que significa que ela é à prova d'água. excelente rendimento luminoso. TCW215 / TCW216 . grande praticidade no uso e instalação. alojamento de alumínio fundido. contatos de cobre niquelado com mola estabilizadora. H / S / MDK 472 e HDK 474 . H / M / SDW 502/3 . Guia de Iluminação 30 . 32 ou 40W.Luminária de sobrepor para 1 ou 2 lâmpadas de 16.Luminárias de sobrepor para 1 lâmpada vapor de sódio ou vapor metálico de 250 ou 400 W.PRODUTOS .Luminária de sobrepor para 1 ou 2 lâmpadas de 16. vapores e poeira. não tem clipes aparentes. 32. que por sua vez pode ser de chapa branca (RN500) ou alumínio (RA500). O modelo 474 possui porta-soquete de alumínio fundido. 20.LUMINÁRIAS Iluminação Industrial TMS 500 . Opção com ou sem refletor. Apresenta grau de proteção IP 65. contatos de cobre niquelado com mola estabilizadora.Luminária de sobrepor para 1 ou 2 lâmpadas de 110 W ou 2 lâmpadas de 32 W.Luminárias de sobrepor hermética para 1 lâmpada de vapor de sódio. Excelente rendimento luminoso. cabeceiras em ABS. vapores e poeira. refletores de alumínio anodizado e polido. Possui excelente rendimento luminoso. com difusor em acrílico leitoso (215) ou policarbonato prismático (proporciona maior resistência a impactos) (216). que por sua vez pode ser de chapa branca (RN500) ou alumínio (RA500). vidros de proteção temperados. antivibração. 40 ou 58 W. Opção com ou sem refletor. Possui ainda porta-lâmpadas de porcelana reforçada. maior durabilidade. o que significa que ela é à prova d'água. Excelente rendimento luminoso. antivibração. podendo ainda ser acompanhada com vidro frontal (GVX 472/3). maior durabilidade. fácil instalação e manutenção. grande praticidade no uso e instalação. porta-lâmpadas de porcelana reforçada. TMS 600 .Luminária de hermética para 2 lâmpadas de 32 W. cabeceiras em ABS. 20. fácil instalação e manutenção. fácil instalação e manutenção. Opção com refletor de chapa branca (431) ou alumínio (439). vapor metálico ou vapor mercúrio de 250 ou 400 W. Os modelos 472 possuem alojamento de chapa de aço e suspensão para tubo ou perfil. de fácil instalação e manutenção. Duas opções de facho: aberto (ZDK 472) ou fechado (ZDK 473). Excelente rendimento luminoso. refletores de alumínio anodizado. Excelente rendimento luminoso. TCK 431 / TCK 439 .

base para fotocélula. Excelente rendimento. antivibração. base para fotocélula. vedação com junta de silicone. apresentando grau de proteção duplo IP 65 para a lâmpada e para o equipamento auxiliar. F / MDK 501 e F / MPK 501 . M / SRP 945 . de fácil instalação e manutenção. vedação com junta de silicone.Luminária para 1 lâmpada vapor de mercúrio de 125 W ou 1 lâmpada de sódio de 70 ou 100 W. corpo de alumínio injetado. apresentando grau de proteção IP 65 para a lâmpada e IP 23 para o equipamento auxiliar. H / SRS 941 . Excelente rendimento luminoso.LUMINÁRIAS S / MDK 500 . Difusor prismático de acrílico com dois diâmetros: 22” ou 16”. design moderno e fácil manutenção. Apresenta ainda refletor e porta-lâmpada ajustáveis.PRODUTOS . Difusor prismático com dois diâmetros: 22” ou 16”.Luminária para 1 lâmpada vapor de sódio. base para fotocélula. porta-lâmpadas de porcelana reforçada. alojamento de alumínio repuxado e pintado em tinta epóxi (branca ou cinza). vidro de proteção ou difusor de policarbonato. base para fotocélula.Luminária de sobrepor para 1 lâmpada vapor de sódio ou vapor metálico de 250 ou 400 W. Possui refletor de alumínio anodizado. apresentando grau de proteção IP 54 para lâmpada e IP 33 para o equipamento auxiliar. corpo de alumínio injetado.Luminária de sobrepor para 1 lâmpada vapor metálico de 250 ou 400 W ou 1 lâmpada Mastercolour (CDM-T) de 150 W ou ainda 1 lâmpada fluorescente compacta não integrada (PL-L) de 42 W. alta durabilidade e design moderno. vidro de proteção ou difusor de policarbonato. 100 ou 150 W. Excelente rendimento. difusor de policarbonato. alojamento de alumínio injetado. refletor e porta-lâmpada ajustáveis. contatos de cobre niquelado com mola estabilizadora. efeito de iluminação tridimensional. apresenta grau de proteção IP 65 para a lâmpada e IP 23 para o equipamento auxiliar. vidro de proteção ou difusor de policarbonato. suspensão através de ganchos ou cabos de aço (presos em uma canopla). Guia de Iluminação 31 . excelente rendimento luminoso. alta durabilidade e design moderno. Refletor de alumínio anodizado. Iluminação Pública H / M / SRP 822 . vedação com junta de silicone.Luminária para 1 lâmpada vapor de 70. alta durabilidade e design moderno. Excelente rendimento. corpo de alumínio injetado. excelente rendimento. Possui refletor de alumínio anodizado. vedação com junta de silicone.Luminária para 1 lâmpada vapor de sódio ou vapor metálico de 150 a 250 W. vapor metálico ou vapor de mercúrio de 250 a 400 W. alojamento de alumínio injetado. Possui refletor anodizado. SRP 970 . de fácil instalação e manutenção.

vidro de proteção temperado. M / H / SRB 991 . H / SRC 510 . vedação de junta de feltro.Luminária para 1 lâmpada vapor de mercúrio de 125 W ou 1 lâmpada de vapor de sódio de 70 W.Luminária para 1 lâmpada vapor de mercúrio. ou ainda 1 lâmpada vapor de sódio de 150 ou 250 W. base de alumínio fundido e hermético. Possui refletor de alumínio reticulado e anodizado. alta durabilidade. vapor metálico ou vapor de sódio de 250 ou 400 W. vidro de proteção temperado e refletor de alumínio anodizado. Excelente rendimento. Possui difusor de polipropileno leitoso. Possui refletor de alumínio anodizado brilhante. Excelente rendimento. vapor metálico ou vapor de sódio (ovóides ou tubulares) de 250 ou 400 W. Boa distribuição de luz. Excelente rendimento. Iluminação Esportiva/Fachadas HLF 100 . fácil manutenção e garantia de hermeticidade. alta durabilidade. design moderno e fácil manutenção. difusor de acrílico transparente. vidro de proteção temperado.Luminária decorativa para 1 lâmpada vapor de mercúrio de 125 W ou 1 lâmpada vapor de sódio de 70 W. Possui refletor de alumínio reticulado e anodizado. H / SPC 455 .PRODUTOS .Luminária decorativa para 1 lâmpada vapor de mercúrio ou vapor metálico de 250 W. corpo de poliéster reforçado com fibra. design decorativo e fácil manutenção. fácil manutenção e garantia de hermeticidade.Projetor para 1 lâmpada vapor de mercúrio. Possui refletor de alumínio anodizado martelado. Excelente rendimento. válvula de respiro. corpo de poliéster reforçado com fibra. cabeceiras de alumínio fundido.Projetor para 1 lâmpada vapor metálico de 70 ou 150 W. design moderno e fácil manutenção. vidro de proteção. suporte de fixação. cabeceiras de alumínio fundido. alta durabilidade. alta durabilidade. tampa de inspeção lateral. Guia de Iluminação 32 . Alta durabilidade. suporte de fixação e válvula de respiro.LUMINÁRIAS H / SRC 612 . HLF 400 . tampa de inspeção lateral. Possui corpo de chapa de aço. alta durabilidade e fácil manutenção.

Refletor de alumínio anodizado. tampa de inspeção lateral. HNF 003 . metálico ou sódio de 250 ou 400 W. Excelente rendimento. apresentando grau de proteção IP 65. suporte de fixação e válvula de respiro. cabeceiras de alumínio fundido. apresentando grau de proteção IP 55. fácil manutenção e garantia de hermeticidade. Alta durabilidade.PRODUTOS . cabeceiras de alumínio fundido. vidro de proteção temperado. Guia de Iluminação 33 . corpo de alumínio injetado. Possui refletor de alumínio anodizado martelado. SLS 1500 . versões simétricas e assimétricas. vidro de proteção temperado. alta durabilidade. fácil manutenção e garantia de hermeticidade. vidro de proteção temperado. Apresenta grau de proteção IP 65. Possui refletor de alumínio anodizado brilhante. transferidores graduados para focalização.LUMINÁRIAS HLF 432 . vidro de proteção temperado. CGP 500 .500W ou 1 lâmpada vapor de sódio de 1. versões simétricas e assimétricas. Possui refletor de alumínio anodizado brilhante. fácil manutenção e garantia de hermeticidade.Projetor para 1 lâmpada tubular vapor metálico ou vapor de sódio de 250 ou 400 W. fácil manutenção e garantia de hermeticidade. Excelente rendimento. apresentando grau de proteção IP 65. tampa de inspeção lateral. fácil manutenção e garantia de hermeticidade. suporte de fixação e válvula de descompressão.Caixa de alumínio injetado para abrigar equipamento auxiliar de lâmpadas vapor de mercúrio. Excelente rendimento.Projetor para 1 lâmpada vapor metálico ou vapor de sódio (tubulares) de 250 ou 400 W.000 W. Excelente rendimento. suporte de fixação e válvula de descompressão. alta durabilidade. alta durabilidade. Tempo 3 .Projetor para 1 lâmpada vapor metálico ou vapor de sódio (tubulares) de 1. suporte de fixação e válvula de respiro. fácil manutenção e garantia de hermeticidade. 100 ou 150 W ou 1 vapor metálico de 70 ou 150 W. Excelente rendimento. alta durabilidade.Projetor para 1 lâmpada tubular vapor de sódio de 70. corpo de alumínio injetado. Possui refletor de alumínio anodizado martelado.Projetor para 1 lâmpada vapor metálico de 1. alojamento de alumínio fundido. vidro de proteção temperado. apresentando grau de proteção IP 55. alta durabilidade.000 W. Tempo 2 .

Luminárias decorativas Para lâmpadas fluorescentes compactas (PL-S/PL-C/PL-T/PL-E) FBN 250 FCN 250 FCN 251 FBN 150 FCN 150 FBN 190 Para lâmpadas a vapor metálico (70/150 W) MBF 230 MCF 230 MBF 280 MLF 190/1 MBF 100 MLF 100 Guia de Iluminação 34 . apresentando três tipos de acabamento e versões vertical e horizontal das lâmpadas. Wall Washer . modelo PL-T 26. modelo PL-C de 13. 26 W ou para 1 e/ou 2 lâmpadas fluorescentes compactas não integradas. Vidro decorativo: Proporciona luz mais difusa. Aro Antiofuscante: Proporciona conforto visual. 32 ou 42 W. Architectural Lighting . 18.PRODUTOS .LUMINÁRIAS Iluminação Decorativa Performa: Luminária para 1 e/ou 2 lâmpadas fluorescentes compactas não integradas. Refletor de termoplástico metalizado e corpo de plástico.Proporciona luz direcionada ou assimétrica.

PRODUTOS .LUMINÁRIAS Para lâmpadas halógenas dicróicas DBG 101 DBG 102 DBG 103 Para lâmpada halógena Aluspot DBG 104 Para lâmpada incandescente Mini-spot NGB 100 Para lâmpada halógena ou a vapor metálico PAR 20/30 DBG 100-120 DBG 102-120 DBG 103/130 Arandelas para lâmpadas fluorescentes compactas integradas Architectural Lighting Classic .Possui modelos para lâmpadas fluorescentes compactas não integradas e para lâmpadas a vapor metálico. FBS 975 FBS 970 MBS 975 MBS 970 Guia de Iluminação 35 .

Permitem o uso de filtros. Altea Ilia Ecus Urania Guia de Iluminação 36 . os sistemas e acessórios da linha Prima Linea permitem soluções práticas e de extremo bom gosto na decoração de ambientes. para trilho ou canopla. Com design inovador.PRODUTOS . Disponíveis nos modelos de embutir.LUMINÁRIAS Prima Linea: Luminárias para lâmpadas de baixa voltagem halógenas dicróica e aluline. extensões e acessórios para projeção e sistema antiofuscamento.

Guia de Iluminação 37 . Considerando que o local tenha teto claro e parede e piso escuros. Cruze o valor de Fator de Local (K) com os índices de refletância do ambiente a ser iluminado. 50. Cálculo para áreas internas (método dos Lúmens) 1º . 70 e 80 correspondem à porcentagem de reflexão nas superfícies escuras. economia de energia e estética. considere o primeiro algarismo do cabeçalho como representando a reflexão do teto. incluindo os detalhes construtivos dos tetos e das paredes.Fator de Utilização (η) Para determinar este valor. claras e brancas respectivamente. uma estreita colaboração deverá.PROJETO DE ILUMINAÇÃO Projeto de Iluminação Antes de começar a projetar uma iluminação para um novo ambiente. Também são necessários conhecimentos preliminares das refletâncias das superfícies de paredes. médias. recorra à tabela de Fator de Utilização constante no folheto da luminária escolhida. limitação do ofuscamento. preferencialmente. 50 10 10.altura da luminária até o plano de trabalho (m) 3º . igualmente são necessários detalhes da decoração interna e dos móveis do ambiente a ser iluminado. portanto. o caminho dos dutos e a distribuição das luminárias deverão ser considerados juntamente. recomendamos a consulta à norma da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) de número NBR 5413. o nível requerido de iluminação muda. São necessários os desenhos de cada ambiente. que depende das dimensões do recinto.Escolha do Nível de Iluminação (E) A primeira providência será escolher o nível médio de iluminação em função do tipo de atividade visual a ser exercido no local. você obtém refletâncias de números 511 ou. tetos e pisos. a segunda linha a reflexão da parede e a terceira a do piso. Emprega-se a fórmula: K = C x L (C + L) x A onde: C = comprimento do local (m) L = largura do local (m) A = altura útil . Na tabela. existir entre os profissionais responsáveis pela obra. Os números 30. Para cada tipo de atividade. Consulte à norma NBR 5413. uniformidade.Fator do Local (K) O segundo item será calcular o fator de local. reprodução das cores. 2º . No caso da aplicação de um sistema de ar-condicionado. Os requisitos básicos a serem considerados nos projetos de iluminação são: o nível de iluminação necessário para o ambiente em questão.

Alguns desses fatores poderão ser eliminados por meio de manutenção. admitindo-se uma boa manutenção periódica.Definir número de luminárias Agora com todas essas informações. em ambas as direções.000 h 7. Na prática. geralmente.80 0.PROJETO DE ILUMINAÇÃO 4º . para amenizarmos o efeito desses fatores.85 0.Fator de Depreciação (d) Com o tempo. O espaçamento até as paredes deverá corresponder à metade desse valor.80 0. Guia de Iluminação 38 . As lâmpadas fornecerão menor quantidade de luz. paredes e teto ficarão sujos. entre 1 e 1. podemos adotar os valores de fator de depreciação de acordo com a tabela: Ambiente Limpo Normal Sujo Período de Manutenção 2.95 0. Este valor situa-se. já é possível efetuar o cálculo para quantificar o número correto de luminárias (já escolhida anteriormente) para o ambiente a ser iluminado: N = L x CxE Φ Lumin x η x d onde: L = largura do local (m) C = comprimento do local (m) E = iluminância (lux) Φ Lumin = fluxo total da(s) lâmpada(s) utilizada(s) pela luminária η = fator de utilização d = fator de depreciação O espaçamento entre as luminárias depende de sua altura do plano de trabalho (altura útil) e da sua distribuição de luz.91 0.5 vez a altura útil.88 0.500 h 0.57 5º .500 h 5.91 0.66 0. Os equipamentos de iluminação acumularão poeira.

Guia de Iluminação 39 .

.JUNHO/2002 Devido a constante atualização tecnológica dos produtos Philips. eventuais alterações poderão ser efetuadas sem prévio aviso.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful