Liberdade provisória para crime hediondo

A 4.ª Turma do TRF da 1.ª Região manteve, de forma un nime, senten!a "ue concedeu #iberdade provisória a mu#her presa em f#agrante por pr$tica de crime hediondo. A decisão se deu por ocasião da an$#ise de recurso apresentado pe#o %inist&rio '(b#ico Federa# )%'F* contra decisão da +ara Federa# de ,antar&m-'A "ue concedeu #iberdade provisória, sem fian!a, a presa em f#agrante por transportar comprimidos de 'rami#, medicamento paraguaio de comercia#i.a!ão proibida no /rasi# e sem registro na Ag0ncia 1aciona# de +igi# ncia ,anit$ria )Anvisa*, a#&m de outros medicamentos tamb&m não registrados. 2 3u4.o de primeiro grau concedeu o benef4cio por não haver identificado os re"uisitos da prisão preventiva, previstos no art. 516 do 7ódigo de 'rocesso 'ena# )7''*8 necessidade de garantia da ordem p(b#ica, da ordem econ9mica, por conveni0ncia da instru!ão crimina#, ou para assegurar a ap#ica!ão da #ei pena#, "uando houver prova da e:ist0ncia do crime e ind4cio suficiente de autoria. A prisão caute#ar & uma medida e:cepciona# e só deve ser decretada "uando devidamente amparada pe#os re"uisitos #egais da #egis#a!ão de reg0ncia, em observ ncia ao princ4pio constituciona# de presun!ão da inoc0ncia ou da não cu#pabi#idade, sob pena de se antecipar o cumprimento da pena antes da condena!ão definitiva. A afirma!ão & do re#ator do processo no Tribuna#, desembargador federa# 2#indo %ene.es, "ue acredita "ue a homo#oga!ão da prisão em f#agrante, com a concessão de #iberdade provisória, foi deferida em primeira inst ncia, pe#o 3ui., "ue estava mais pró:imo da rea#idade dos autos, ;não devendo o Tribuna#, em princ4pio, < dist ncia do cen$rio do caso, sobrepor=se ao 3ui. nessa ava#ia!ão>. 2 magistrado tamb&m citou 3urisprud0ncia no sentido de "ue a prisão provisória, da "ua# a prisão preventiva & esp&cie, somente se 3ustifica "uando decretada com base no poder gera# de caute#a do 3ui., ou se3a, desde "ue necess$ria para uma eficiente presta!ão 3urisdiciona#. 7aso contr$rio, não seria nada mais "ue uma e:ecu!ão da pena privativa de #iberdade antes da condena!ão transitada em 3u#gado, o "ue atritaria com o princ4pio da presun!ão de inoc0ncia. ;1os casos de crime hediondo ou e"uiparado, a 3urisprud0ncia do ,upremo Tribuna# Federa# admite a concessão de #iberdade provisória "uando ausentes os fundamentos previstos no artigo 516 do 7ódigo de 'rocesso 'ena#, precisamente como na hipótese>, fina#i.ou o re#ator, negando provimento ao recurso do %'F. 'rocesso n.? @@@11AB=BC.6@@D.4.@1.5D@6 Fonte8 Tribuna# Regiona# Federa# 1ª Região

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful