A ELEVAÇÃO DOS PREÇOS DAS COMMODITIES AGRÍCOLAS E A QUESTÃO DA AGROENERGIA1

Marcos Antonio Matos2 Evandro Scheid Ninaut3 Rodrigo Chaer Caiado4 José Vitor Salvi5 1 - INTRODUÇÃO12345 Nos últimos anos, a escalada dos preços dos alimentos resultou em discussões que mobilizaram a opinião pública no âmbito mundial. Nesse contexto, as causas das elevações dos preços das commodities agrícolas foram identificadas, expressando as preocupações principalmente nos países, devido à elevação dos recursos financeiros necessários para a compra de alimentos básicos (FAO, 2008). Dentre as variáveis que resultaram no citado incremento de preços, foram listados os aumentos da demanda mundial, principalmente da Ásia, as elevações dos preços do petróleo e a questão da agroenergia, destacando-se a produção de biodiesel e etanol (OLIVEIRA, 2008). Este estudo foi elaborado a partir do cruzamento estatístico entre bases de dados relacionadas à produção agrícola, ao consumo e à agroenergia, considerando-se as informações disponibilizadas pelos órgãos oficiais e pela bibliografia especializada. Dessa forma, o estudo tem o objetivo de analisar as variáveis envolvidas e as suas influências na elevação dos preços das commodities agrícolas no mundo, considerando-se o entendimento da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

2 - RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados deste estudo foram estruturados em cinco etapas. A primeira procurou abordar a tendência de alta nos preços das commodities agropecuárias, a segunda foi voltada para a análise da elevação da demanda por alimentos no mundo, a terceira etapa mostrou o incremento nos preços do petróleo e a quarta, a análise da matriz energética, finalizando o estudo por meio da avaliação do panorama da produção de biocombustíveis e de grãos e das considerações finais observadas.

2.1 - Preços dos Alimentos em Alta A elevação dos preços dos produtos alimentares ao longo dos últimos dois anos tem levantado preocupações em relação à situação alimentar e nutricional das pessoas nos países em desenvolvimento e à inflação generalizada. Destaca-se que os preços reais estão ainda abaixo do seu ápice observado em meados de 1970, contudo, as cotações atingiram elevações significativas. A figura 1 apresenta a análise do índice dos preços alimentares da Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas (FAO), considerando-se a avaliação dos seus componentes individualizados, no período compreendido entre os anos de 2000 e de 2008. Ressalta-se que o citado índice consiste de uma média de preços referente a seis grupos de commodities, abrangendo a análise de preços no cenário internacional. Em 2007, o índice da FAO mostrou um crescimento de 23,55% em relação ao ano anterior. Analisando-se o mês de abril de 2008, o índice apresentou um crescimento de 38,63%. Para o ano de 2006, a evolução observada foi de 8,61%. As informações descritas revelam o in cremento dos preços dos alimentos, a partir de 2007, o que estão associados à totalidade das

1 2

Registrado no CCTC, IE-71/2008.

Engenheiro Agrônomo, Mestre, Técnico de Mercados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) (e-mail: marcos.matos@ocb.coop.br). Economista, Especialista, Gerente de Mercados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) (e-mail: evandro.ninaut@ocb.coop.br). Graduando em Economia, Estagiário da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) (e-mail: rodrigo.chaer@ ocb.coop.br). Engenheiro Agrônomo, Mestre, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo (e-mail: jvsalvi@esalq.usp.br).
5 4 3

Informações Econômicas, SP, v.38, n.9, set. 2008.

set. a partir de 2006 foi observado um desalinhamento entre a cotação do dólar e os preços reais da soja.US$-1 nesse mesmo mês em 2006. a redução no preço real da soja foi de 46. renda dos consumidores. Oct. Nov. Dessa forma. o incremento populacional e o crescimento econômico dos países resultaram no aquecimento da procura por diferentes tipos de alimentos. Sept.24%. Feb. óleos e gorduras têm experimentado aumento dos preços. os preços reais elevaram-se significativamente. mas ao crescimento asiático e dos países emergentes. a cotação do dólar continuou na trajetória de redução. Apr. devido à crise norteamericana. O comportamento do preço real da soja mostrou uma queda abrupta no período compreendido entre abril de 2004 e abril de 2006.626 R$. n. A análise dos preços da soja no mercado interno é observada na figura 2. Jan.09 R$. bem como aos preços do petróleo e. apresentando um valor de 1. em sua evolução recente nem tanto associados à elevação da demanda no âmbito mundial. A cotação do dólar mostrou uma queda significativa de 33. Em contrapartida.18 em abril de 2006 para R$47. Os produtos lácteos. A partir dessa data.62%. No período visualizado entre o início da análise (janeiro de 2004) e o mês de setembro de 2006. e da série da inflação no período.US$-1 nesse mesmo mês de 2008 (Figura 2).. atingindo R$47. Tais medidas incluem o auxílio às populações mais vulneráveis e aos produtores rurais.97 em junho de 2008. aos custos de produção agrícola. Fonte: FAO (2008). no Período entre os Anos de 2000 e 2008. alta de 116.US$-1 em abril de 2004 para 2. nos preços da soja. com destaque para o crescimento dos preços dos fertilizantes e dos agroquímicos. Contudo.97 em junho de 2008.69 320 Index FAO preços dos alimentos 300 280 260 240 220 200 180 160 140 120 100 80 60 Apr. obtida por meio de valores nominais. SP. passando de 3. v. 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2007 2008 Período analisado (ano) Carne Lác teos Cereais Óleos e gorduras FAO Index Figura 1 .9. Ma r. As elevações de preços descritas são explicadas por diversos fatores. Dessa forma. conseqüentemente. a valorização cambial observada explicou a queda Informações Econômicas.2 . Nesse período.38.Índice FAO de Preços dos Alimentos.13 R$. para o incremento da oferta de produtos agrícolas. 2. cereais.Aumento da Demanda por Alimentos O aumento da demanda por alimentos no mundo é explicado por dois fatores principais: crescimento populacional. as oscilações do preço real da soja foram explicadas harmonicamente pelas variações cambiais. os governos e as organizações internacionais estão planejando ações com a finalidade de minimizar os efeitos da subida dos preços internacionais na economia. Ma y June July Aug.28%. passando de R$22. commodities agrícolas englobadas na figura 1. Dado o panorama conjuntural. carnes. 2008. Dec. As figuras 3 e 4 mostram a evolução do A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas . devido a uma elevação significativa no valor da saca da soja.

2008. 2007/08 2005/06 2006/07 Taxa de câmbio -1 (R$.8573 2 1. ¹Base: junho de 2008.00 2. set.22 R2 = 0.1.55 2. Câmbio 190 180 Índice do consumo d oméstico (bas e: safra 1998/99 = 100) 170 160 150 140 130 120 110 100 2004/05 90 1998/99 1999/00 2001/02 2002/03 2000/01 2003/04 Safra Soja Milho Trigo Arroz Figura 3 .70 .Comportamento do Preço Real da Soja.50 jul/08 set/05 jul/07 set/07 jul/05 jan/06 jan/07 jan/08 mar/08 mar/06 mar/07 nov/05 maio/04 jul/04 mar/05 set/04 nov/04 jan/05 Período analisado (anos) Preço Soja Figura 2 .15 3. Fonte CEPEA (2008) e FGV (2008). Informações Econômicas. A.4814x + 43. SP.10 1.70 Matos.939 2 3.40 2. Fonte: USDA (2008).25 2. et al. Safras 1998/99 a 2007/08.1259 R2 = 0. Arroz e Trigo.US$ ) 2.0302x . n. 48 46 44 Câmbio y = 0.65 maio/05 maio/06 set/06 nov/06 maio/07 nov/07 maio/08 1.95 Preço soja y = 0.85 Preço real da roja (R$.s c ) -1 42 40 38 36 34 32 30 28 26 24 22 20 mar/04 jan/04 2. Milho.0.9.Índice do Consumo Doméstico de Soja.38. Período 2004 a 2008¹. v. M. Países em Desenvolvimento.80 1.0003x .0403x + 3.

0 Índice do consumo doméstico (base: safra 1998/99 = 100) . como o aumento da relevância das nações que apresentam alto potencial de crescimento do consumo de alimentos.7%. patamares acima das variações registradas pelos países ricos.69%. Países Desenvolvidos. nos países em desenvolvimento o consumo de soja. em valores totais e Informações Econômicas. Associado ao incremento do consumo alavancado pela renda.9.4% e 10. considerando-se os principais continentes no ano de 2005 e a respectiva projeção para 2030.0 130. trigo e arroz. consumo doméstico de soja.21%. set.67%. A Ásia é o continente mais populoso. O incremento do consumo doméstico de alimentos. A África apresentará uma taxa de 66. ao longo da última década nos países em desenvolvimento e desenvolvidos. passando de 0. SP. o PIB per capita apresentou um crescimento de 537. 2008.50 bilhão em 2030.200. Segundo o cenário. A taxa de crescimento da economia foi positiva no período.0 110. as projeções do crescimento populacional mostram a tendência de manutenção das pressões sobre o balanço de oferta e demanda de commodities agropecuárias. Milho. v. Arroz e Trigo. determinado principalmente pelas mudanças na configuração da economia mundial.0 90.90 bilhões de habitantes e uma projeção de 5.0 140. No período amostrado entre as safras 1998/99 e 2007/08. n. o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) apresentou a evolução do balanço de oferta e demanda das commodities agrícolas. em razão dos elevados contingentes populacionais e dos níveis ainda modestos do produto per capita. e as projeções para 2030.Índice do Consumo Doméstico de Soja.00 em 1991 para US$2. arroz e trigo cresceram.90 bilhão de habitantes em 2005 para 1. crescimento de 27. com destaque para os países emergentes. No período visualizado.00 em 2007. conforme o observado em 2000. A análise da distribuição das populações rurais e urbanas é mostrada na figura 7.0 170.68%.40% no ano de 2007. A população mundial passará de 6. 84.30 bilhões na estimativa para 2030. respectivamente.0 1998/99 1999/00 2000/01 2001/02 2002/03 2003/04 2004/05 2005/06 2006/07 2007/08 Safra Soja Milho Trigo Arroz Figura 4 . Fonte: USDA (2008). fato associado à produção de etanol nos Estados Unidos (Figura 4). milho. per capita. Segundo a participação das popula- A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas 190. A figura 6 apresenta o panorama da população no mundo. 9. está associado à elevação da renda per capita nos últimos anos. devido à significativa evolução da demanda nas economias desenvolvidas.0 120. o que representa um crescimento de 28. Destaca-se que o milho se caracterizou como uma exceção. com um valor de 11.38.4% (Figura 3).00 bilhões em 2030. Safras 1998/99 a 2007/08. passando de US$345.71 180.50 bilhões de habitantes em 2005 para 8.0 160. com 3. A figura 5 mostra o crescimento do PIB chinês.0 150.0 100. ao longo dos anos.

90 5.00 1.00 5.50 8. 2008.72 Matos.50 6.0 8.00 0.População Mundial e por Região.0 10.00 3. 2005 e Projeção para 2030.50 4.50 2.0 12. v.50 0. 2030 Informações Econômicas.00 0.00 Mundo África Ásia Europa América Latina e América do Norte Caribe Período 2005 Figura 6 . Fonte: MAPA (2007).70 0.Evolução do Produto Interno Bruto Chinês.50 5.9.0 2. A. SP.0 0.0 4.00 4.38.50 3. Período 1991 a 2007.50 0.50 8.50 1.0 Ano PIB per capita Figura 5 . et al. Fonte: CCIBC (2008). set.70 0.0 14. n. Crescimento do PIB (%) PIB (US$) per capita .60 0.00 6.00 7. M.0 1500 1250 1000 750 500 250 0 19 91 19 92 19 93 19 94 19 95 19 96 19 97 19 98 19 99 20 00 20 01 20 02 20 03 20 04 20 05 20 06 20 07 6. Crescimento PIB 8.30 bilhão de pessoas 6. 2250 2000 1750 16.70 0.50 0.60 3.00 2.50 7.90 1.

a evolução foi de 49. o que justifica esforços para promover a expansão da oferta agrícola global. A figura 8 apresenta a evolução dos preços do petróleo. Dessa forma.61% na Europa. Fonte: MAPA (2007). ções urbanas e rurais no mundo. também. das tendências do envelhecimento da população e da urbanização. 2008).73 65 61% 60 Participação relativa (%) 56% 55 50 45 40 35 30 2000 2010 Período População rural População urbana 2020 2030 53% 51% 49% 47% 44% 39% Figura 7 .16 por litro em abril de 2005 para US$1. rurais. o desenvolvimento do mercado de biocombustíveis nos EUA e na Europa promoveu uma possível integração significativa das commodities agrícolas energéticas com os preços do petróleo (NASSAR.3 . devido aos seus derivados que são utilizados na agricultura. que também ocasiona o aumento dos agroquímicos e 2. O preço de produtos como arroz.38.40% no intervalo estudado. trigo e soja. Rural e Urbana. Os preços do óleo diesel no período observado mostraram um aumento de 75. relacionase ao aumento no custo do barril de petróleo. de modo a ampliar mercados para uma parcela considerável dos emergentes.Projeção de População Mundial. passando de US$1. tais situações foram planejadas nos países com o intuído de se reduzir a dependência do petróleo. set. 2000 e 2030. considerando-se a produção de etanol a partir do milho nos EUA e a produção de biodiesel a partir da colza. resultando em redução na margem dos produtores Informações Econômicas. o apoio aos produtores dos potenciais países e a queda de barreiras comerciais pelos países desenvolvidos. 2008. observado nos últimos meses. competitivos na produção primária. A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas .Preços do Petróleo O aumento nos preços dos alimentos é agravado com a influência indireta da alta do petróleo nos insumos agrícolas. as pressões sobre os preços dos alimentos serão mantidas. e que inclui. na projeção de 2030 as participações serão de 61% para o setor urbano e 39% para o rural. abrangendo os preços do diesel para a Europa e América do Norte. Para a América do Norte. Os preços do petróleo influenciam fortemente os preços das commodities agrícolas energéticas.73 no mês de abril de 2008. n. Contudo. De acordo com o cenário de crescimento populacional. da elevação da renda e do consumo. SP. v.9. observa-se que a partir de 2010 a população urbana superará aquelas que vivem no meio rural.

quando a participação foi de 28. segundo a tendência mundial de utilização e inserção de fontes renováveis na matriz energética. A partir dessas referências.74 1. v. SP.15 1.25 1. a crescente demanda por biocombustíveis pode estar levando a uma alta dos preços internacionais dos alimentos.55 1. 05 Out.10%. A relevante importância da agricultura na matriz energética resulta na influência direta na economia. 08 Matos. como o carvão mineral e o petróleo. 07 Jul. O Brasil possui viabilidade econômica para a exploração do potencial agrícola. 2005 a 2008. Observa-se na figura 9 a análise da evolução do PIB do agronegócio e a sua participação percentual no PIB brasileiro ao longo dos anos. . 05 Jan. n. Para tanto. diversos questionamentos foram levantados com o objetivo de analisar a correlação entre a produção de biocombustíveis e a de etanol no aumento dos preços dos alimentos no mundo. Preço diesel (US$. com destaque para o Produto Interno Bruto (PIB) e para a Balança Comercial. 07 Out. 2008. fato constatado em 2003. que respondem por grande parte da produção de biocombustíveis. Considerando-se a influência dos preços do petróleo nas cotações das commodities agrícolas e na inflação dos países.55 Abr.35 1.95 0. et al.05 0.80%. de florestas plantadas e de plantas oleaginosas e da importância do agronegócio na economia.Preço do Diesel na Europa e na América do Norte. 05 Jul.85 0. faz-se necessária a análise da eficiência produtiva das plantas utilizadas. consequentemente o aumento no custo de produção de alimentos (OLIVEIRA. destacam-se as projeções e a possibilidade da elevação da participação de energias renováveis como busca para a mitigação da dependência atual dos combustíveis fósseis. 2008). 2004 e a partir de 2007. por meio da utilização de fontes renováveis de energia a partir da canade-açúcar. no último ano avaliado.75 1. ainda abaixo dos níveis de 2003. 06 J an.45 1.9.38. Diante do cenário de diversificação da matriz energética. 08 Abr. Informações Econômicas. M. Dessa forma.L ) -1 Período Europa América do Norte Figura 8 . 07 Jan. a participação do PIB do agronegócio na economia brasileira foi de 25. 07 Abr. a análise da matriz energética mundial se torna importante. Segundo a FAO (2008). 06 Abr. a alta nos preços dos cereais como o milho e dos óleos vegetais. Fonte: IEA (2008). 06 Jul. destacando-se a produção de etanol e de biomassa para a produção de energia.75 0.65 0. Dessa forma. 06 Out. set. bem como o potencial agrícola dos principais países para o entendimento da questão.65 1. As oscilações visualizadas no PIB do agronegócio se devem às variações das cotações das commodities no âmbito internacional. A. é o principal motivo para a expansão dos custos de importação de alimentos.

4 25. porém.5 15. crescimento de 54. A produção dos produtos do setor sucroalcooleiro apresentou oscilações no período estudado.00 mil metros cúbicos em 2006 e de 402.76 bilhões na safra 2006/07. a figura 11 apresenta a evolução das quantidades obtidas de álcool e de açúcar a partir da cana-de-açúcar entre as safras 1990/91 e 2006/07. Analisando-se o ano de 2008. com diminuição nos estoques dos outros cereais. a produção de biocombustíveis mostrou um crescimento significativo.8 28.Biocombustíveis e Produção de Grãos De acordo com Oliveira (2008). independentemente da produção de etanol (Figura 12). Em relação à produção de etanol no Brasil. 2. n.0 25.1 21.38. soja e trigo. No mesmo período a produção de açúcar aumentou em 302. impulsionado pelo seu uso para a produção de etanol pelos EUA.Evolução do PIB do Agronegócio e a sua Participação do PIB do Brasil. Informações Econômicas. 2008.9 23. não há correlação direta com os preços dos alimentos. Em relação ao panorama geral da produção de biocombustíveis. incremento de 483. set.8 25. A produção nacional de etanol não re- Participação do agronegócio (%) 27. a partir da safra 2000/01 foi observada tendência de elevação das quantidades produzidas.5 A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas .4 . SP. Contudo. Fonte: CEPEA (2008).0 17. Dessa forma.52 bilhões de metros cúbicos para 17. fato explicado pela elevação da produção das commodities agrícolas. De acordo com a ANP (2008).3 22.37 milhões de toneladas para 29.5 10.68 milhões em 2006/07. v.0 12. com produção de 69. o que resulta em projeções de continuidade nas taxas de crescimento da produção brasileira.0 199419951996 199719981999 200020012002 20032004 200520062007 Período (ano) PIB agronegócio Participação no PIB Brasil Figura 9 . para o entendimento das relações de preços faz-se necessário analisar as condições atuais brasileiras. Muitos dos produtores desses alimentos redirecionaram sua produção para milho. causando aumento do preço desses produtos. o preço do milho no mercado internacional. passando de 7.0 22.26%. considerando-se o cenário atual da produção de etanol. a figura 10 apresenta as quantidades produzidas de biodiesel ao longo dos anos de observação.75 650000 PIB agronegócio (milhão R$) 625000 600000 575000 550000 525000 500000 475000 450000 425000 400000 375000 350000 28.9. causou aumento nos preços de arroz. visualiza-se o incremento na produção de biodiesel nos meses de janeiro a abril.2 22.99%.3 21. Analisando-se a produção de etanol a partir de cana-de-açúcar no Brasil.64% ao longo dos dois últimos anos.3 28.73 mil metros cúbicos em 2007.5 20.3 30. de biodiesel e a evolução da produção de grãos e demais alimentos.3 25.2 22. a produção de álcool passou de 11. 1994 a 2007.3 24.1 24.

500 14.9.531 6.515 11. Período Jul.590 12.043 1.Produção Mensal de Biodiesel no Brasil.869 13.000 17.052 49.000 10.582 26.581 281 285 18. set. Dez.695 11.285 11. v.936 25.399 15. Abril Maio Jun.725 17. 2005 2006 2007 2008 Figura 10 . M.637 1.989 Jan. Fev. Ago.158 55.76 Matos.500 10. Set.000 12.000 13.000 17.025 14.075 1. SP.Produção Brasileira de Álcool e de Açúcar a partir da Cana-de-açúcar.623 15.593 02 03 04 01 00 94 91 93 97 92 95 96 02 / 05 98 99 99 / 98 / 94 / 95 / 91 / 90 / 92 / 93 / 96 / 97 / Período Álcool Fonte: UNICA (2008).005 27.490 3.38. Janeiro de 2005 a Abril de 2008.401 45.000 9. Mar.372 13.809 15. Fonte: ANP (2008).000 11. Nov.000 12.370 53. 18.685 22.102 57 16.718 43. Informações Econômicas.735 8. A. n.500 Produção de álcool (mil m3) 15.000 27.786 2. Safras 1990/91 a 2006/07.000 . 2008.500 5. Açúcar Figura 11 .331 5.413 14. Out.578 6.109 16.500 20.716 12.933 22.000 7.000 11. 100 90 Produção de biodiesel(% ) 80 70 60 50 40 30 20 10 0 1. et al.773 26.000 15.000 14.000 17.763 30. 04 / 05 / 00 / 03 / 06 / 01 / 06 07 Produção de açúcar (mil t) 16.536 10.000 12.022 12.

set. As áreas destinadas às pastagens apresentam preponderância absoluta em relação às demais utilizações da terra.9.46%. SP. A Rússia figura na A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas . passando de 57. Quando se observam as áreas em uso. Dessa forma.82 milhões de hectares de pastagens e terras não utilizadas. O Brasil possui o potencial para se consolidar como o maior País agrícola do mundo. devido à disponibilidade de terras aráveis. o que revela o incremento da produtividade agrícola no Brasil nas últimas décadas. pastagens. revelam o equívoco da associação da produção brasileira de biocombustíveis nas pressões sobre os preços dos alimentos no mundo.38. a figura 14 auxilia na análise da evolução da participação das áreas com grãos.29%. v. mostrando um crescimento de 24. Além da relativa ausência de concorrência entre as culturas. café. a produção de etanol a partir da cana-de-açúcar não apresentou influência Informações Econômicas.98 milhões de hectares. Produção de cana-de-açúcar Figura 12 . frutas e cana-de-açúcar) está presente em 62. n. Dessa forma. frutíferas e olerícolas. Os EUA aparecem na segunda posição. sendo o atual maior produtor mundial em termos de quantidades produzidas. A produção agrícola apresentou tendência de crescimento linear ao longo dos anos. destacando-se a diminuta participação das áreas com cana-deaçúcar. observa-se o crescimento da produtividade dos grãos no Brasil (Figura 13).Evolução da Produção Brasileira de Grãos e de Cana-de-açúcar. a cultura da cana-de-açúcar não concorre em área com as demais culturas. bem como o incremento das produtividades e as projeções de potencial agrícola. devido à ausência de competição por área e pela eficiência do Brasil no setor. Dessa forma. A figura 15 mostra as áreas agricultáveis nos principais países agrícolas e a quantidades de áreas não usadas e pastagens. sultou em queda nas quantidades de grãos produzidos internamente. que poderiam ser inseridas na produção de alimentos. 2008. sendo ainda disponível 330. na produção de alimentos. visto o ritmo acelerado de crescimento de grãos. 1977 a 2008. Já a área plantada apresentou oscilações no período analisado. Na perspectiva em foco.77 150 140 650 Produção de cana-de-açúcar (milhão t) 600 550 500 450 400 350 300 250 200 150 100 50 Produção de grãos (milhão t) 130 120 110 100 90 80 70 60 50 40 30 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07 08 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 20 20 20 20 20 20 20 20 20 Período (ano) Produção de grãos Fonte: CONAB (2008).28 milhões nas projeções da safra 2007/08.90 milhões de toneladas em 1990/91 para 143. As evoluções na produção de commodities energéticas e não energéticas. a produção agrícola brasileira (grãos. evolução de 147. cana-de-açúcar. a Índia e a China apresentam montantes superiores de áreas destinadas à produção agrícola.

v. Carne. 55.5 35.Evolução da Área Destinada à Produção de Grãos. entre as Safras 1990/91 e as Projeções para a Safra 2007/08.0 32.7x + 51424 2 R = 0.5 30.91 110 100 90 80 70 60 50 40 30 y = -3. A.0 42.5 45.66x .38.Produção Brasileira de Grãos e Área Plantada. 2008. SP. 100 90 80 Representação (%) 70 60 50 40 30 20 10 0 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Período (ano) Pastagens Grãos Cana-de-açúcar Café Frutíferas e olerícolas Figura 14 . n.1131.93 4 3 2 20 10 0 90/91 91/92 92/93 93/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 Período (safra) Área plantada Produção de grãos Figura 13 . 2001 a 2007.0 150 140 130 47. set.0 52.3x + 34268 2 R = 0.78 Matos. Informações Econômicas. Cana-de-açúcar.0 y = 4505.5 50.3x + 3939. et al.05x + 107.5 40.9. M. Fonte: CONAB (2008). Fonte: CONAB (2008). Produção de grãos (milhão t) 120 Área plantada (milhão ha) . Frutíferas e Olerícolas.0 37.

A produção de álcool no Brasil apresenta maior produtividade. frente aos gêneros alimentícios e alimentação animal. os EUA adotaram a estratégia de subsidiar os agricultores que cultivam a energia.50 vezes superior em relação ao do etanol produzido de beterraba e de trigo. esses mesmos agricultores nos EUA têm cultivado milho em detrimento da soja e do trigo e.33%.71% quando comparada à cana-de-açúcar no Brasil (Figura 16). O milho nos EUA.80 mil litros. Analisando-se o etanol de milho. A partir da safra 2006/07 observa-se comportamento oposto entre a produção de milho. n. Além da produtividade na produção de etanol. Fonte: FAO (2008).48%. aproximadamente 32. que se elevou em 9.08% da produção de milho será destinada para a produção de etanol na safra 2008/09. com uma quantidade produzida de 7 mil litros por hectare.Análise da Disponibilidade de Terras Aráveis nos Principais Países. deve-se considerar o balanço energético do sistema de produção. entre as safras 2003/04 e as estimativas para a safra 2007/ 08. 2008. caracterizado pela relação entre a quantidade de energia renovável e a obtida por unidade de energia fóssil gasta no ciclo de produção. alvo de críticas em relação à pressão nos preços dos alimentos. em função dos subsídios. a relação de superioridade a favor do produto brasileiro é de aproximadamente sete vezes (ICONE. Dessa forma. Tal observação se deve ao avanço da cultura do milho sobre a soja. redução de 45. com potencial de se alavancar a produção interna. da cana-de-açúcar é 4.38. o balanço energético do etanol brasileiro produzido a partir Informações Econômicas. SP. Indonésia Colômbia A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas Área (milhão de ha) Brasil Rússia China Canadá Ucrânia México Austrália França EUA Índia . set. e a produção de soja. Dessa forma. Com a elevação nos preços do petróleo. em função dos incentivos para a produção de etanol. Observa-se na figura 17 a análise da produção de soja e de milho nos EUA.73 milhões de hectares para a produção agrícola (Figura 15). seqüência. Outro ponto de destaque nas discussões da produção de biocombustíveis diz respeito à sustentabilidade dos programas incentivados nos demais países. que foi reduzida em 7. a partir da cultura do milho. v. ICONE (2008). considerando-se a possibilidade de serem incorporados 164. A figura 16 apresenta a análise da eficiência na produção de álcool em função da planta utilizada nos diversos países produtores.9. mostra uma produtividade de 3. 2008).79 400 350 300 250 200 150 100 50 0 Argentina Venezuela Principais países Agricultura Pastagem e terras não usadas Figura 15 .

Fonte: USDA (2008). 2008.Evolução da Produção de Soja e de Milho nos EUA. v.ha-1) 5000 5. 90000 85000 340000 320000 Produção de soja (mil t) 80000 75000 300000 280000 70000 260000 65000 60000 55000 50000 2003/04 2004/05 2005/06 2006/07 2007/08 1 2007/082 Produção de etanol de milho 240000 220000 200000 Safra Soja em grão ¹Levantamento de março.500 2000 1000 0 Cana . A.300 4000 3. SP. Figura 17 .38. Safras 2003/04 a 2007/08.125 2.9. set.India Milho .EUA Mandioca Tailândia Trigo . Produção de milho (mil t) .800 3000 3. Fonte: ICONE (2008).500 5. 7000 7. M.UE Países e plantas utilizadas Figura 16 . et al.Análise de Produtividade na Produção de Álcool por Hectare Plantado.000 6000 Produtividade (L.Brasil Beterraba .80 Matos. n. ²Levantamento de abril. Milho Informações Econômicas.UE Cana .

cepea. 2008. A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas .CEPEA. Acesso em: 8 jun. SP.com. milho. no curto prazo. das variações nos preços do petróleo e da produção de etanol nos EUA. porém com intensidade abaixo do efeito observado pelas elevações da demanda e pelas variações no preço do petróleo no mundo. 3 . GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS .php>. Disponível em: <http://www. com ênfase nos países emergentes. Como exemplo. devido à produção de etanol a partir do milho nos EUA e à disponibilidade de áreas agricultáveis no mundo.br>.seja para a produção de alimentos. Ministério de Minas e Energia. destacam-se as barreiras comerciais e os subsídios dos países desenvolvidos. 2008).br/petro/dados_estatisticos. 2008. set.00 no início de agosto do mesmo ano (FUTURE SOURCE. Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. Nesse contexto.br>. Acesso em: 24 fev.conab. Disponível em: <http://www. 2008. Dados estatísticos mensais: vendas de combustíveis. Outro aspecto da redução dos preços está relacionado ao clima favorável nas regiões produtoras nos EUA. o Brasil se apresenta com capacidade potencial para expandir a oferta dessas commodities. 2008). Acesso em: 19 maio 2008.00 passando para valores abaixo de US$120.9. café e suco de laranja apresentaram relevantes reduções nos preços internacionais. seja para a produção de biocombustíveis. perda de renda dos produtores rurais. 2008. do crescimento populacional. 2008). A despeito do cenário descrito. Contudo.br/pg_dinamica/bin/pg_dinamica. conforme avaliação realizada neste estudo. Informações Econômicas. o que tem resultado em queda nos níveis dos estoques no mundo. Universidade de São Paulo. n. Acesso em 24 fev.usp.gov. LITERATURA CITADA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO.gov. Disponível em: <http://www. o barril do petróleo atingiu a cotação recorde de US$145. no longo prazo os preços das commodities continuam pressionados pela elevação da demanda.CONCLUSÕES As pressões inflacionárias que resultaram na elevação dos preços das commodities agropecuárias estão relacionadas a fatores da conjuntura global. Central de informações agropecuárias: conjuntura agropecuária. do consumo. o citado crescimento fica principalmente para o Brasil (PORTAL DO AGRONEGÓCIO. principalmente nos estados de Iowa. v.camarabrasilchina. a elevada carga tributária e a dependência dos insumos no Brasil os fatores que têm elevado os custos de produção das culturas e.anp. COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO . devido à eficiência do agronegócio e da disponibilidade de área para se consolidar como o principal País agropecuário. com uma projeção do uso de 102 milhões de toneladas na safra 2008/09 e a baixa produtividade por hectare. Agromensal.CCIBC.China. consequentemente.asp>. CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA . Dentre elas destacam-se elevação da renda. Portal de negócios com a China: uma parceria estratégica Brasil . a infra-estrutura precária.38.81 Considerando-se as quantidades utiliza das de milho para a produção de etanol. as commodities como soja.CONAB. Illinois e Missouri (CEPEA. Com a elevação do consumo o mundo se vê forçado a aumentar significativamente a produção agropecuária e. CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA BRASIL/CHINA . Tal fato foi explicado pela queda das cotações do barril de petróleo e pela liquidação de alguns contratos nos Mercados Futuros por parte dos fundos de investimento. no mês de julho de 2008. a produção de etanol nos EUA pode estar contribuindo para a pressão nos preços dos alimentos. Disponível em: <http://www.ANP. Para tanto.

gov.iconebrasil.org/worldfoodsituation/FoodPricesIndex/en/>. São Paulo. Dados e cotações: estatísticas. Este estudo foi elaborado a partir das fontes primárias das bases de dados e tem o objetivo de analisar as variáveis envolvidas e as suas influências na elevação dos preços dessas commodities. crude oil. et al. INTERNATIONAL ENERGY AGENCY . Statistics and balances: prices. 2008.UNICA.br/pt/?actA=7&areaID=7&secaoID=23&artigoID=1596>.IEA. Acesso em: 10 jun. A. Acesso em: 9 jun. Petróleo.38. INSTITUTO DE ESTUDOS DO COMÉRCIO E NEGOCIAÇÕES INTERNACIONAIS .br/dadosCotacao/estatistica/>. devido à eficiência do agronegócio e à disponibilidade de área. PORTAL DO AGRONEGÓCIO. 2008. 2008.unica.gov>.jsp?s=CL%20U8>. Notícias do agronegócio. v.ICONE. 2008. cooperativismo. n. M. FOREIGN AGRICULTURAL SERVICES – FAS. 2008.br/conteudo. Jornal do Campus: jornal da Universidade de São Paulo. 2008.usda.MAPA.FAO. Light charts. . Acesso em: 8 jun. abr.com.iconebrasil. Informações Econômicas. 2008. FUTURE SOURCE database. preços. Apresentação… Washington: Woodrow Wilson International Center for Scholars.9.php?id=6353>. NASSAR.iea. U. o grande culpado. Acesso em: 6 ago. A ELEVAÇÃO DOS PREÇOS DAS COMMODITIES AGRÍCOLAS E A QUESTÃO DA AGROENERGIA RESUMO: A escalada dos preços dos alimentos resultou em discussões que mobilizaram a opinião pública no âmbito mundial. Gestão estratégica: projeções do agronegócio mundial e Brasil (2006/07 a 2017/18). Washington.FGV. 10 jul. World food situation: high food prices. UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE – USDA. 2008. Os agrocombustíveis e a crise dos alimentos. Nesse contexto.pdf>. de. Acesso em: 11 maio 2008. In: WOODROW WILSON INTERNATIONAL CENTER FOR SCHOLARS.asp>. ano 26. Acesso em: 18 maio 2008. 338. set.fao. Disponível em: <http://www. Disponível em: <http://www. Divisão de gestão de dados.quote. Acesso em 10 jun.br/dgd>. 2008. n. A. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. ICONE. SP. 2008. Food prices index. OLIVEIRA.fgv. Disponível em: <http://www. Disponível em: <http://www. FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS . 2008.82 FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS . Disponível em: <http://www. dos preços do petróleo e as condições climáticas influenciaram diretamente nas cotações. Acesso em: 10 maio 2008. 2008. Disponível em: <http://www. 10 jul. Disponível em: <http://www.fas.org/Textbase/stats/index. Palavras-chave: agronegócio.br/pt/?actA=10&areaID=14&secaoID=30&artigoID=1607&mesN=4&anoN=2008#1607>. Disponível em: <http://www.org.br/images/MAPA/arquivos_portal/proj_agro. Este crescimento da renda. Clima determina forte queda nos preços da soja. o Brasil apresenta capacidade potencial para expandir a oferta das commodities. Disponível em: <http://futuresource. do consumo.org.portaldoagronegocio. Disponível em: <http://www. UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR . Commodities and products: oilseeds. Sugarcane ethanol and land use in Brazil.com/charts/- Matos.agricultura. da população.com. PECUÁRIA E ABASTECIMENTO . A.

n. A Elevação dos Preços das Commodities Agrícolas . increased consumption. SP.83 AGRICULTURAL COMMODITIES PRICE RISES AND THE ISSUE OF AGROENERGY ABSTRACT: The global food price surge has stirred debates that have mobilized public opinion worldwide. v. this study examined the factors that contributed to the growth of agricultural commodity prices on world markets.9.38. Brazil. set. population growth. Within this context. Liberado para publicação em 14/08/2008. prices. cooperativism. Key-words: agribusiness. Brazil has potential capacity to expand the commodity market in virtue of the country’s efficient agribusiness production and availability of arable land. Informações Econômicas. 2008. This trend is explained by rising incomes. Through the use of primary source databases. oil price variations and weather. Recebido em 30/06/2008.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful