Introdução à arte das poções

por Luis Peverell Slughorn e Travis Christopher Granger

Existem três virtudes que são esperadas do aluno de Cautela. poções: Paciência, Dedicação e Cautela.

Sumário Resumido
- Primeira aula:
Introdução História das Poções Ferramentas e Utensílios Essenciais Questionário 1

- Segunda aula:
Os Principais Ingredientes Classificando uma poção As Poções mais conhecidas Nomeando uma poção Questionário 2

- Terceira aula:
Poções & Feitiços: Um caminho conjugado Poção do Sono Simples Poção da Seca Questionário 3

- Apêndice (Aula extra):
Poção do Resfriado Os métodos de se preparar uma poção.

- Considerações Finais

2

Primeira aula
1. Introdução “A partir deste ano começarão a aprender a nobre arte de preparar uma
poção. Obviamente não é fácil, porém ninguém disse que é difícil, se disse, é mentira! Apenas digo que duas virtudes devem ser usadas em cima do preparo de uma poção: Paciência e Dedicação. Sem as duas dificilmente o preparo de tal sairá com seus respectivos efeitos. Têm os que pensam que poções é algo desnecessário, já que existe uma varinha para fazer movimentos e ter efeitos momentâneos, enquanto uma poção deve-se ao preparo e a espera, para então o uso de tal. As poções têm uma complexidade muito maior que um feitiço, elas realmente mexem com seu sistema nervoso: elas o dopam, o fazem exercer o que lhe foi preparado, e não há como se proteger depois de usada, e, diferente dos feitiços, seus efeitos tem longa durabilidade dependendo da forma que a poção foi ministrada: se ingerida, inalada, passada ou exercida em ritual. Espero que apreciem e aprendam com nossa matéria, que é realmente muito útil para a vida de vocês. Ah, e claro, uma terceira virtude: Cautela. Para obter uma poção, obviamente, essa virtude deve ser observada por aqueles que não quiserem sair fazendo bobagens.”

Luis P. Slughorn
2. História das Poções
Desde uma data indefinida a qual atribuímos o início de tudo para a magia, ainda levou-se muito tempo para que os bruxos se concentrassem em tarefas tão melancólicas quanto era o preparo de poções na Antiguidade. Ressaltavam que os bruxos que faziam poções, chegavam a ser chamados de covardes, por muitas vezes terem de recusar alguma aventura ou viagem “sem fim” de seus companheiros, pelo fato de não poderem deixar o caldeirão sozinho. Outra peça que tem sua própria história. Antes de darmos início a este estudo sobre o surgimento das poções, seria de grande utilidade aprender sobre os caldeirões. 2.1 Os Caldeirões O primeiro caldeirão de que se tem notícia, era nada mais nada menos do que uma cesta de vime bem feita, de modo que não tivesse buracos. E, obviamente, esta não era colocada sobre o fogo de fato e sim sobre uma

3

espécie de chapa, feita algumas vezes de mármore, logo embaixo da chapa havia espaço suficiente para que uma pequena fogueira pudesse ser acesa. Os caldeirões podem ser feitos de diversos materiais, mas no início da história, existiam, somente, os de vime, palha de milho e, se tem notícia de que alguns foram feitos de ardósia, porém como uma espécie de caixa arredondada nas arestas, embora estes não tenham alcançado muita fama. 2.2 O Início No século II, finalmente, obteve-se sucesso. E um bruxo, desconhecido, havia finalmente criado uma poção completa. Sim, completa, porque antes só se faziam infusões, pastas, chás e sucos. 1 A Poção do Sono Simples, como ficou conhecida a Morpheus Liquor, foi a primeira poção completa a qual se tem notícia. E por muito tempo foi a única existente até então. Pois, devido a inúmeros fracassos profissionais, os fabricantes de poções estavam desistindo de estudar novas formas de se preparar e novas poções, e mais preocupados com a situação do mundo da época. O mundo bruxo, entretanto, correspondia aos anseios do mundo trouxa e compartilhavam de certas euforias, desejos, curiosidade. Foi no século XV que finalmente, a segunda poção, de que se tem notícia, foi concluída e considerada completa. A Piper Fellings, também conhecida como Poção do Resfriado, foi criada. O que seria de grande utilidade em um futuro bem próximo. Alguns anos mais tarde Bruxos, Trouxas e Mestiços (originados pela proximidade entre os dois mundos), sofreram de um mal que humanidade jamais esqueceu a Peste Negra. Alguns poucos sobreviventes desta terrível doença, contando apenas os infectados, viveram graças a nova poção. Ela não lhes garantia a cura, porém diminuía a pressão dos sintomas sobre o corpo. Foi aí que começou um grande problema para todos os bruxos europeus até então: a Inquisição. Essa primeira caça às bruxas, teve início com repulsiva dos Trouxas ao verem que seus vizinhos infectados pela Peste ainda sobreviviam graças a um estranho ritual que praticavam em suas casas. Esse ritual, de que falo, era uma crendice do nosso povo, que achava que para a poção ficar em perfeito estado devia executar danças esquisitas, gritar com os companheiros e filhos e chutar o gato. Mas vocês se perguntam: por que de tudo isso? Porque o fabricante desta poção, como constatou décadas mais tarde, estava tão irado que a poção não estava dando certo que xingava a esposa e o filho por não terem o ajudado como deviam, fora o gato que tinham, o qual se esfregava nele, pedindo comida obviamente, porém tal carinho foi entendido como uma forma de perturbação e... Pobre do gato... Sem misericórdia foi chutado para fora da casa. Eis o fato por trás da história, os pêlos do gato se soltaram na hora do chute e alguns foram parar na borda do “caldeirão”, contudo ele pode constatar que um deles foi parar dentro da poção. Quando ele estava prestes a matar o gato, no entanto, percebeu previamente que esta assumira uma outra coloração e emanava um cheiro que parecia com mostarda. Mexeu a poção para constatar que esta não mais mudaria de tom e passou a tarde comemorando o sucesso, ao verificar que quando sua sogra a tomou, havia rapidamente descongestionado o nariz e a garganta não mais

4

estava irritada. Aos poucos a tosse cessou e os espirros da anciã, não mais foram ouvidos na vila em que moravam. Voltando a nossa história, os Trouxas ao verem o ritual estranho de nossos antepassados, comentaram insatisfeitos com o seu conselho religioso, que conhecemos como Papado. O Papado aproveitando-se da situação para usar a seu favor, mandou queimar, empunhalar, enforcar os praticantes de tamanha heresia 2. Entretanto, no plano deste conselho, não somente os bruxos foram perseguidos, como também Trouxas que não seguiam suas ordens, os chamados por eles de Protestantes 3. Como sabem bem, essa perseguição às bruxas quase não teve peso sobre nós, que escapávamos facilmente da fogueira, com o feitiço de Congelar as Chamas, porém foi devastadora para os Trouxas Protestantes. Nosso povo cansado da perseguição infundada decidiu esconder a magia dos Trouxas, e por muito tempo nenhum deles ouviu falar sobre nós, até que alguns rebeldes apareceram e executavam feitiços em praça pública etc. Porém esta parte já se alongaria demais de nosso princípio, que é o estudo das Poções. ¹ Vide Apêndice ² Heresia = pecado, erro cometido contra os princípios do Papado; ³ Protestantes = Trouxas que não concordavam com alguns princípios do Papado.

3. Ferramentas e Utensílios Essenciais
Para o preparo de uma poção, são necessárias várias ferramentas, cada uma com sua devida tarefa para que tudo que seja pedido ao preparo da poção, possa ser feito com sucesso. As ferramentas são: Balança de latão, Caldeirão, Coador, Colher, Concha, Conta-Gotas, Copo Graduado, Faca, Frasco, Funil, Pilão e Recipiente. Balança: A balança é usada para pesar ingredientes de forma precisa, para que o erro na quantidade não atinja uma margem acima da pedida assim não causando a alteração da poção. Caldeirão: Ferramenta que não pode faltar! É nele onde a química dos ingredientes acontece para que a poção seja feita. Coador: Usado para separar sólido de liquido, ou então separar as impurezas. Colher: Usado para manipular ingredientes ou mexer a poção. Concha: Usada para retirar amostras da poção (geralmente colocando-as em frascos). Conta-Gotas: Serve para ter a precisão na quantidade de um liquido qual o uso deve ser em pequena quantidade, para não causarem alterações na poção. Copo Graduado: Também usado com muita precisão para medir quantidades maiores de líquidos, e também homogeneizar substâncias. Faca: Este serve para separar os ingredientes em partes menores para que a reação ocorra mais rapidamente ou então para ter a quantidade ideal pedida. Esta também serve, quando usada a sua costa, para liberar líquidos do ingrediente.

5

Frasco: Usado para a coleta das poções, para análises, armazenamento ou uso da mesma. Funil: Ajuda na colocação da poção no frasco, para que este não seja derramado (desperdiçado). Pilão: Serve para reduzir o ingrediente a pó, o amassando, assim reduzindo sua matéria e facilitando a dissolução do mesmo. Recipiente: É um pote usado para misturar os ingredientes antes de colocá-los na poção. Tendo assim seu tratamento adequado. O material também influencia no efeito da poção, pois quanto menos reativo, melhor. Pra não contaminar os ingredientes reagindo com eles. O ouro é melhor que latão, pois o ouro reage menos que o latão. Existem as devidas proteções no preparo de uma poção, o uso de luvas para o trabalho com plantas, as quais podem ser prejudiciais à pele, conseqüentemente para a saúde, ou então para demais ingredientes, aos quais apela a vaidade. Máscaras para plantas e substâncias que não devem ser inaladas por causarem diferentes reações no sistema nervoso, ou até mesmo envenenamentos. Óculos de proteção por conta de ácidos, para que não caiam nos olhos, ou no trabalho com substâncias voláteis, ou ainda outras coisas que possam ter contato com os olhos.

4. Questionário 1
1) Qual ferramenta você utilizaria para: a) Medir líquidos; b) Extrair seivas; c) Reduzir um ingrediente a pó; d) Evitar desperdício; e) Reservar ingredientes ou soluções que serão trabalhadas posteriormente. 2) Escolha 2 ingredientes e disserte, em poucas linhas, sobre eles. 3) Que espécie de gato era o da história? Você pode pesquisar a respeito da poção, para isso utilize a própria apostila. 4) Quais são as três virtudes presentes no preparo das poções? 5) Com suas palavras, responda: O que é uma poção?

6

Segunda aula
5. Os principais ingredientes
Obviamente, para o preparo das poções, são necessários os ingredientes, porém, quero, antes que comecem a prepará-las, conheçam o que nelas são adicionadas. É necessário entender uma poção, o porquê dos seus efeitos, e porque os ingredientes às vezes têm seus efeitos distintos em diferentes poções. Começaremos a estudar as plantas, por serem algo talvez mais simples que outros tipos de ingredientes. Abóbora Usada em poções simples, geralmente para fazer bebidas. Sua função, como uma fruta não mágica, é melhorar o paladar, amenizar gosto, já que esta não reage tanto à poção. Acônito Lapelo Planta extremamente venenosa, podendo causar a morte se ingerida. Esta se diferencia da sua irmã (licoctono), pois causa a euforia exagerada, podendo por vezes causar a morte após essa, ou então matar rapidamente, porém isso se for ingerida sozinha. Ao preparo de uma poção para que seu efeito seja mais distinto, ela causa a grande euforia, colapsos, ao ser misturada com a pedra da lua, pode causar stress, tristeza e depressão. O lapelo é usado em poções como: Deforma, Veritaserum, Mata-Cão, Voldemort, entre outras. E em cada uma, produz um efeito diferente, por causa da mistura dos ingredientes. O lapelo ao ser inalado sozinho, causa dores horríveis, levanto a morte em minutos, ao preparo da poção deforma, ele continua a causar dor ao inalar a poção, porém as misturas dos ingredientes conseguem esconder esse efeito. Acônito Licoctono Dos dois acônitos, este é o mais forte, tanto que ele não consegue ser enganado totalmente pela pedra da lua. Este acônito tem o efeito de acalmar, relaxamento, é como uma droga depressora, porém se ingerido sozinho, dopa a pessoa por completo, causando a morte da pessoa, que aparentemente parece ser natural. Os dois acônitos juntos, dão incomodo a pessoa, porém ao preparo da poção, esse efeito em conjunto pode mudar, como por exemplo na poção Veritaserum, serve para dar incomodo a pessoa, porém na Voldemort, serve para ajudar a vida da pessoa a se prolongar, mas isso, só por causa do preparo da poção, que como sendo ritual, as palavras tem total poder sobre os ingredientes, então o licoctono em vez de acalmar a pessoa, acalma no sentido da poção (Voldemort serve para afastar a morte por um tempo), então nesta poção, ela acalma a morte, mas tal complexidade não pode ser dita aqui, já que estão só no primeiro ano.

7

Aliquente Uma planta que causa histeria. O efeito dela pode ser retardado, causando delírios na pessoa, conseqüentemente não a deixando pensar direito, e a confundindo, como na Veritaserum, qual as folhas de aliquente são usadas, este ingrediente nesta poção causa a confusão da pessoa, então mais um motivo para ela se perder, não conseguir pensar, e acabar revelando o que lhe perguntando. Arrudas Planta usada em simples poções. Serve como um ajudante parassimpático, acalmando a pessoa, e até podendo fazer desacelerar os batimentos cardíacos após o susto ou acontecido (utilizada mais em chás). Asfódelo Esta planta é relacionada a vida após a morte. Seus efeitos são parecidos com essa relação, podendo ser usada em poções de curas, ou então remédios. Serve também para alucinar a pessoa ou dopá-la, para que durma. E como outros ingredientes, tem sua reação junto a outro, mudada, então causando um efeito diferente. Beladona É uma planta extremamente venenosa, causando a morte se ingerida, porém não há esse perigo na maioria das poções, já que a beladona segue o que o ingrediente mais poderoso da poção faz, assim reforçando seu efeito. Muitos pensam que então não é necessário, mas se as tem, é porque é sim, pois o efeito causado sozinho por tal ingrediente não é tão forte como deveria para a poção, então a beladona pode ser usada para ajudá-lo e reforçar. Betônica Planta usada para causar sonolência, é mais usada como um calmante para dormir. Em poções, geralmente é usada quando o efeito de sonolência não é tão pesado, e dependendo do modo que for preparada a poção, a betônica pode ser comparada ao pó de mico, fazendo com que partes do corpo fiquem vermelhas e comecem a coçar. Botão-de-prata Planta medicinal, podendo curar pequenas doenças, ou então pelo preparo da poção, ela cobre algum efeito perigoso, o ponderando. Bubotúbera Planta cuja possui verrugas, que, quando espremidas, soltam um pus amarelado, que cheira a gasolina. Esse pus é chamo de baboteu cuting, que tem um poder de renovar as coisas, não renovar totalmente, mais melhorar, por exemplo, se passado na pele, tal ira aparecer vários tumores amarelados, porém, com o preparo da poção, o baboteu tem o poder de retirar espinhas e reparar a beleza na poção embelezadora. Mas em outras, depende muito da reação do preparo da poção.

8

Casca de Wiggentree Sua casca pode curar gripes e fazer funcionar glândulas com problemas, ela também limpa o sangue, tirando suas impurezas. Cocleária Planta que tem seu efeito para confundir, é uma planta poderosa, já que os outros ingredientes não têm tanta reação sobre ela, então ela podendo sempre exercer sua devida função. Se usada junto com um acônito lapelo, este será confundido em seu efeito, causando tipos delírios na pessoa. A pedra da lua ao ser misturada com a cocleária, muitas vezes é indagado o porquê, já que a pedra da lua faz o serviço todo, porém quem o diz, não conhece bem as coisas, já que a pedra da lua, reverte o efeito do ingrediente, enquanto a cocleária o confunde. Cumari Planta estimulante, que usada em poções, serve para levantar o astral da pessoa, ou faz com que ela possa ficar acordada mais tempo. A cumari também é usada junta da cocleária para ser um estimulante sexual. Descurainia Ela tem o efeito de amenizar o efeito da poção, assim não o deixando ter conseqüências que poderiam ser graves demais. A descurainia também serve para estimular a poção a ter um fim ao seu efeito (como na Polissuco, fazendo com que o efeito de transmutação tenha um tempo determinado). Ditamno Fungo no qual ao ser usado, pode curar cortes, fazendo até com que não se tenha cicatrizes. A poção mais complexa em que o ditamno é usado, se chama darartiva, que pode acabar com o ferimento na hora, o curar, tirar as cicatrizes, e até repor partes do corpo perdidas. Guelricho Planta que da guelras a quem as come, assim podendo respirar debaixo da água. Em poções seus efeitos são extremamente distintos dependendo da reação acontecida. Ligústica Planta medicinal poderosa, que dependendo da forma da poção, pode causar grandes curas. É uma planta muito usada em chás também. Losna Uma planta que serve para exagerar no efeito da poção, fazendo com que este seja maior e mais complexo. Menta Usada para cobrir cheiros ruins de poções ou de certos ingredientes, serve também como ingrediente medicinal, curando certas coisas. Mas a principal função da menta é a de produzir euforia ou descanso.

9

Moly A flor de moly não tem muitas utilidades, porém serve para enfeitar poções rituais ou deixar a poção sem nenhum gosto ou cor. Uma função dela é trazer a felicidade, porém esta é trazida apenas em poções rituais, pela simbologia da planta, já que esta é muito bonita. Sanguinária Planta na qual pode produzir em vezes muito maiores o DNA da pessoa ou animal encontrado na poção. Geralmente é usada em poções rituais ou de transmutações. Romã Seu fruto em poções, serve para fazer um tipo de dopping na pessoa, fazendo com que ela fique mais resistente, forte, e consiga agüentar por mais tempo os problemas físicos. Pode ser usada também para relações sexuais, aumentando o tempo da atividade, devido ao comportamento do corpo causado pela romã. Tentáculos Venenosos A semente desta planta asfixia a pessoa, deixando-a roxa, não causa a morte algumas vezes, porém a pessoa irá ficar com agonia e roxa para sempre se não utilizar tratamentos. Urtiga As urtigas provocam ardor na pele se encostada, causando problemas sérios. Em poções elas são usadas como cura de pequenos problemas na pele.

6. Classificando uma poção
Ingeridas: As poções ingeridas, como seu nome já diz, são as poções que são preparadas para serem bebidas, e fazerem efeitos em nosso corpo como uma droga, alterando o metabolismo. Nas poções ingeridas, entram os sete métodos de preparo: chá, tisana, infusão, decocção, meceração, suco e cozimento. Inaladas: São todas as poções ministradas por via nasal, atingindo com maior rapidez o sistema nervoso. As poções inaladas podem causar doenças com o tempo. Esta forma de poção também é considerada uma droga. Seus métodos de preparo são: cozimento, meceração, decocção e infusão. Passadas: Toda poção que tem seu uso em contato com a pele ou objetos (casos raríssimos). Ao entrar em contato com a pele reage quimicamente, sendo seus efeitos irreversíveis na maioria dos casos. As poções passadas podem ser pastosas ou líquidas, ambas ministradas como pomadas. Seus métodos são: tisana, infusão e cozimento. Ritualísticas: Poção onde a preparação acontece em meio a simbologias dos ingredientes em torno de palavras e de magia, para que o efeito proposto aconteça, a poção ritual é comparada a alquímica, porém as duas são coisas

10

diferentes. As formas de se preparar uma poção ritual: tisana, infusão e cozimento. Alquímicas: Toda poção que seu preparo seja a modo ritual ou apenas químico: o último serve para produzir coisas, criá-las; enquanto o primeiro envolve além do ritual, a alquimia, no modo de criar algo. A alquimia é tal como a base de ritual: repleta de arte simbólica, onde se utiliza de objetos ou simplesmente círculos que representam determinado efeito. Posteriormente se prepara o caldeirão para assimilar o que se quer dessa forma (mostrar o que querem) e o caldeirão assim a reproduz, um exemplo: homúnculo. Os métodos para as poções alquímicas são: tisana, infusão e cozimento.

7. As poções mais conhecidas
Desde aproximadamente o século XVII, as poções ganharam novas utilidades e novos ingredientes foram descobertos. Vamos a uma pequena lista, para abrangir seus conhecimentos e atiçar suas curiosidades, das poções que irá encontrar neste e em outros anos letivos.
Morpheus Liquor ~ Poção do Sono Simples Piper Fellings ~ Poção do Resfriado Dead-alive man ~ Poção do Morto-vivo Introsolution ~ Poção contra a diarréia Finus Bright ~ Poção de Brilho Rockabye head ~ Poção para dor de cabeça Slycure ~ Antídoto para picadas de cobras Spicure ~ Antídoto para picadas de aranhas Scorcure ~ Antídoto para picadas de escorpião Sweet Sensations ~ Antídoto Simples Healinapot ~ Poção Simples de Cura Healoctopus ~ Super Poção de Cura Slysoul ~ Poção contra o estresse Wiggenweld ~ Poção Wiggenweld Marvelhair ~ Poção para Fixar os cabelos Oblivieat ~ Poção do Esquecimento Nosense Love ~ Poção do Amor simples Noseeme ~ Poção da Invisibilidade temporária Coughdeath ~ Poção contra tosse Jerry’s Smile ~ Poção contra problemas bucais El fuego loco ~ Poção do Fogo fátuo Felix Felicis ~ Poção da Sorte Amortentia ~ Super Poção do Amor Poção da Seca Poção da Incoerência Poção da Deforma Poção Mata-cão Poção Visgal Poção Darartiva Poção Incapitus Poção “Voldemort” Poção para Envelhecer Veritaserum ~ Poção da Verdade Poção do Engano

8. Nomeando uma poção
Como podem ver os nomes citados e a grande maioria desconhecidos por muitos, foram os primeiros nomes que estas poções ganharam antes de começarem a ser catalogadas de acordo com a Norma Técnica para estudo das Poções, criado pela Confederação Internacional dos Bruxos em 1976: O nome que se deve dar a sua criação deve seguir o padrão comum: Prefixo Poção seguido pelo sufixo efeito da poção. 11

9. Questionário 2
1) Escolha uma poção e realizando uma pesquisa com quem já a aprendeu, disserte sobre ela. 2) Escolha 3 ingredientes e disserte sobre eles. 3) Consulte as poções que você verá neste livro/apostila e classifique-as. 4) Consultando o apêndice, procure saber o melhor método para se trabalhar com: a) Raízes; b) Pedras místicas; c) Folhas; d) Cascas; e) Flores.

- 12 -

Terceira aula
10. Poções & Feitiços: Um caminho conjugado.
Aprenderemos agora três feitiços simples que vocês podem usar em suas poções. Limpar: Usado para poder limpar um caldeirão após o seu uso. Lacarnium Inflamare: Para poder acender o fogo cujo local será posto o caldeirão para o preparo da poção. Evanesco: Usado para fazer algo desaparecer quando for derramada poção, ou alguma coisa que suje o chão.

11. Poção do Sono Simples
~ Ingredientes ~ - 1 litro de água - 100g de beladona - 100g de raiz de sanguinária picada - 200g de garra de grifo em pó - 100 ml de sangue de salamandra - 8 gotas de xarope de heléboro ~ Modo de Preparo ~ Coloque a água no caldeirão até ferver. Acrescente a raiz de sanguinária picada e a garra de grifo em pó. Mexa a poção até ela adquirir certa coloração. Pare de mexer e acrescente o sangue de salamandra. Deixe a poção cozinhar por 3 minutos. Retire a poção do fogo, despeje-a em um recipiente, e coe-a devolvendo ao caldeirão. Leve o caldeirão ao fogo novamente, e despeje a beladona. Acrescente as 8 gotas de xarope de heléboro. Nesse ponto, a poção vai ganhar outra coloração. Mexa a poção uma vez no sentido horário e outra no anti-horário, repetindo o processo (aproximadamente quatro vezes) até perceber uma mudança na coloração. Quando este momento chegar, pare de mexer e guarde em uma garrafa de vidro escuro. ~ Curiosidades ~ • Seu sabor é quase imperceptível, embora se aproxime de cereja. • Seu efeito tem uma hora de duração.

- 13 -

12. Poção da Seça
~ Ingredientes ~ 500mL de água 3 folhas de Ligústica Raspa de Bezoar 100g de pó de Chifre de Árpeu 15g de Ditamno 35g de Heléboro 1 flor de Moly inteira (considerar a raiz) ~ Modo de Preparo ~ Pegue o Bezoar, e corte uma parte muito pequena mesmo (do tamanho da sua unha do dedão do pé) e então coloque no caldeirão. Raspe bem o Chifre de Árpeu e utilize desse pó na poção. Mexa cinco vezes no sentido anti-horário. Agora coloque o Ditamno e deixe a poção descansar por 5 minutos. Após esse tempo, acrescente o heléboro juntamente das folhas da Ligústica e mexa uma vez no sentido horário. Por fim, coloque a flor de Moly na poção deixando-a cozinhar por mais 15 minutos. Terminado o tempo, sua poção estará pronta para ser utilizada. ~ Curiosidades ~ A poção da seça é ótima para ocasiões em que se tem muita dor, um gole e a dor para na hora. É geralmente usada em doentes, ela não tira o problema, apenas a dor, os sintomas do lugar atingido continuarão. Ex.: Você recebe uma facada na perna e corta sua artéria, você obviamente vai sentir muita dor, mas após tomar a poção, ela cessara, contudo não colaborará com a cura do problema, no caso, a artéria continuará sangrando até você morrer. Por isso é sempre utilizada somente como analgésica, como se fosse uma anestesia.

13. Questionário 3
1) Qual a importância de se manter a Poção do Sono em um frasco (garrafa) de vidro escuro? 2) Com suas palavras, descreva o uso da Poção do Sono. 3) Qual o perigo existente em inibir a dor? 4) O bezoar é muito utilizado para: 5) Que origem tem a folha da Ligústica?

- 14 -

Apêndice (aula extra)
14. Poção do Resfriado
~ Ingredientes ~ - 500mL de água - 1 pêlo de amasso - 60g de pimenta do reino em pó - 35g de asas de oode em pó - 2 barras de chocolate derretidas - 30 sementes de mostarda ~ Modo de Preparo ~ Coloque a água para ferver e espere atingir o ponto de ebulição. Acrescente as asas de oode em pó logo em seguida. Derrame chocolate derretido e vá mexendo no sentido horário, mexa por 3 minutos. Acrescente as sementes de mostarda e mexa no mesmo sentido anterior, por mais 2 minutos. Mexa então no sentido contrário e vá salpicando a pimenta do reino, até que acabe. Quando isto ocorrer, não pare de mexer, movimente a poção assim por mais 4 minutos. Finalmente deixe a poção descansar por 5 minutos e atire o pêlo de amasso. Mexa apenas três vezes em cada sentido e retire do fogo. A poção deverá estar com uma cor bem simples. ~ Curiosidades ~ • Sem acrescer o pêlo de amasso, a poção pode ser utilizada como uma deliciosa cobertura de sorvete, conhecida como Piper Framelicious. • A poção trata resfriados e gripes fortes. Deve ser conservada em ambiente protegido do sol e da umidade.

15. Métodos de se preparar uma poção
In Natura Como podemos concluir a partir do subtítulo, esta é a maneira mais fácil e comum de se preparar o ingrediente. Conservá-lo fresco e arejado quando não utilizado é importante e tomar o cuidado de sempre acrescentar a poção a quantidade necessária à poção, nem mais, nem menos. Para isso o uso de uma balança é vital.

- 15 -

Infusão A infusão é algo simples e apesar do nome que comumente muitos associam a junção apenas, não é isso. A infusão consiste em deitar água fervendo sobre o ingrediente dentro de um caldeirão ou outro recipiente, e cobrir com um pano o recipiente no qual foi feita a infusão de 5 a 10 minutos, dependendo da substância que sofreu a infusão. Decocção É o contrário da infusão, porém há uma diferença, após deitar-se água fria sobre a substância, inicia-se um processo de cozimento que vai de 5 a 30 minutos. Maceração Conhecido também por “pôr de molho”, ou seja, os ingredientes são postos sob repouso em água em temperatura ambiente, de 10 a 24 horas, dependendo do tipo de substância. Para alguns ingredientes, principalmente em poções até o nível II (até o 5° ano), o tempo de maceração é de aproximadamente 15 minutos. Tisana O método mais comum de preparo, a tisana se trata de simplesmente a colocar os ingredientes no caldeirão que deve conter água já no início do processo de fervura. Cobre-se com a tampa o caldeirão e deixa-se ferver por 5 minutos, após isso se côa a tisana.

Sucos O suco se obtém triturando ou moendo-se, em máquinas de moer, a substância (se esta for um vegetal ou outro elemento que contenha certa quantidade de água). Após isso, se côa. Chá Não é o contrário, mas o inverso da decocção. Como assim? Em vez de deitar-se água fria sobre a substância, como na decocção, deita-se a substância em água quente e deixamos de molho de 5 a 20 minutos. Após isso se côa.

Porém, não quer dizer que ao ser preparada uma poção, tem que ser apenas um método, pois existem nas poções os sub-métodos, que são os ambíguos (mesmo que sejam mais de dois), que são quando uma forma de poção se utiliza mais de dois métodos, o que é obviamente certo que na maioria dos casos acontece. A poção polissuco é uma poção ambígua tisanainfusamentossuca (tisana, infusão, cozimento e suco). Os ambíguos usam algo de cada método, pois se fosse cada ao todo, não poderiam ser ambíguos, pois a complexidade ia ser enorme, e causaria impactos nas preparações.

- 16 -

Considerações Finais
Chegamos ao fim deste livro/apostila com um sentimento de conquista. Aprendemos o básico para iniciar a nossa longa jornada, rumo ao conhecimento necessário ao preparo das poções. Vemos-nos no próximo volume com mais poções e curiosidades.

Os Autores

Luis Peverell Slughorn
É professor de Poções e Ocultismo e foi nomeado Ministro da Magia em 26 d.V, é formado em Poções, Defesa Contra as Artes das Trevas e Trato das Criaturas Mágicas.

Travis Travis Christopher Granger
É professor de Poções e Saúde, e foi nomeado como Conselheiro na Suprema Corte dos Bruxos em 26 d.V, é formado em Poções e Enfermagem.

- 17 -

Related Interests