73

Curso Básico de Mecânica dos Fluidos

1.12.3 Exercícios resolvidos 1.12.3.1 Para o mecanismo representado a seguir, pede-se determinar: a) A Lei de variação da tensão de cisalhamento em função do raio (R), da velocidade angular constante (ω ) e da espessura da película do fluido lubrificante ( δ ); b) o momento total (MT) que deve ser aplicado ao conjunto para que o mesmo gire com uma velocidade angular constante ( ω ); Dados:

ϕ ; R ; δ ; ω ; µ no S.I.; assumir perfil linear de velocidades

Solução: Pela simplificação prática da Lei de Newton da viscosidade, temos:

τ = µ

v ε
ω r δ ω r δ

e isto tanto vale para o topo, quanto para a lateral, portanto:

τ Topo = µ

e

τ Lateral = µ

A partir deste ponto, pelo fato de ω = constante, sabemos que MT = MRT , onde:

o que nos obriga a trabalhar de forma diferencial. como a área de contato são função do raio.74 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos MRT = MRT Topo + MR lateral Devemos notar que neste exercício. tanto a tensão de cisalhamento. portanto: Topo: dMRtopo =dF µTopo ×r =τTopo ×dA Topo ×r dMRtopo = µ ω r 2πr dr × r δ R2 πωµ 3 = dM Rtopo ∫ ∫0 δ r dr R 2πωµ 3 2πωµ R4 MRtopo = r dr = δ ∫ δ 4 0 πωµR4 ∴MRtopo = 2δ Lateral: d M RLat = dFµL × r = τL × d A Lat . × r d M RLat = µ ω r dA L × r δ . o que implica dizer que o momento resistente também o será.

onde: R x= R sen ϕ dr sen α e dA L = 2πr dr sen ϕ ∴dx = ϕ d M RL = µ d M RL M RL ω d r 2π r R × r δ sen ϕ 2π ω µ 3 = r dr δ sen ϕ R 0 2π ω µ = δ sen ϕ ∫r 3 dr ∴ M RL π ω µ R4 = 2 δ senϕ π ω µ R4 π ω µ R4 ∴ MT = + 2δ 2 δ senϕ π ω µ R4 1 MT = ⋅(1+ ) 2δ sen ϕ .75 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos dAL = ? dAL = 2 π r dx .

2 cm e a folga anular entre os dois é preenchida com um óleo lubrificante de viscosidade dinâmica igual a 0.T (I) Resultante => Pistão => 1) considerando sem a presença do fluido lubrificante Resultante => Rc = T . Determine a velocidade de descida da placa.T 2) considerando a presença do fluido lubrificante Fµ placa = Rplaca Fµ placa = 100 .2 Na figura. A parte superior da placa está presa a uma corda que passa por roldanas.T = τ p × Ap µp × vp εp × A p = 100 − T → 10 v p = 100 . de diâmetro 10 cm.80 2) considerando a presença do fluido lubrificante . O pistão. sem atrito e na outra extremidade está preso um pistão cilíndrico de peso 80 N.76 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos 1. vê-se uma placa plana de área 1 m² que desliza sobre um plano inclinado de 30° com a horizontal.3. supondo diagrama linear de velocidades nos dois lubrificantes. corre dentro de um cilindro de diâmetro interno igual a 10. Solução: Placa => 1) considerando sem o fluido lubrificante Rplaca = G t .2 N × s / m 2 e espessura de 1 mm.Gc Rc = T . A placa tem peso de 200 N e entre a placa e o plano existe uma película de óleo lubrificante de viscosidade dinâmica igual à 10 .T Rplaca = 100 .12.3 N×s/m².

80 εc → 30 v c = T . portanto: 10 v = 100 .80 40 v = 20 ∴ v = 0. temos: vp = vc = v = constante .77 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Fµ c = Rc Fµ c = T . .30 v .5 m/s 1.3 Calcule o momento resistente originado pelo óleo lubrificante em contato com o eixo vertical esquematizado abaixo.80 (II) Pela condição do exercício.3.12. Sabe-se que o eixo apresenta uma rotação constante de 3000 rpm.80 = τ c × Ac v µ c × c × A c = T .

L e µ => no S.78 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Solução: n => origina no eixo uma velocidade angular ω ω = 2 π n → ( rps ) = 2πn → ( rpm ) = 100 π rad / s 60 ω => origina no eixo uma velocidade escalar v v = ω × Re = 10 π m/s O fluido com viscosidade µ. Dc .I. origina no eixo uma força de resistência viscosa Fµ Fµ = τ × Ac = µ × v0 ε = Rm − Re = Fµ = 40 π 2 ( Dm − De ) 2 ε × π × De × L (N) Fµ => origina no eixo um momento contrário ao movimento.3. De . . Dados: n => em rps Dm . que é denominado de momento resistente (MR ): MR = Fµ × Re = 39.48 N×m 1.4 Determine a expressão para o cálculo do peso G da configuração esquematizada abaixo.12.

que é responsável pela ''criação'' da rotação (n) do sistema. respectivamente as figuras A e B. A reação T origina para o eixo um momento. Este momento é denominado de momento motor (Mm ) Mm =T De D =G e ∴ 2 2 G= 2× Mm (I) De Figura B Considerando o ponto P1 na interseção do eixo qualquer com o cilindro.79 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Solução: Para a solução deste exercício. temos: n → origina ω para o cilindro → ω = 2 π n ω → origina v para o cilindro → v = π n Dc µ → origina Fµ para o cilindro → Fµ = τ × Ac . representamos a situação esquematizada pela figura em duas etapas.

v = 0. DC1 = 0.12.5 m/s Solução: υ = 400 cSt = 400 × 10 . L = 2 π m .3.201m . como mostra a figura. Dados: γ H O = 10 4 N m 3 . G1 = 20 N 2 D1 = 0. Sabendo-se que tanto as polias como os fios são ideais e que utilizou-se um fluido lubrificante de viscosidade cinemática igual a 400 cSt.80 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos 2 × π 2 × n × Dc2 × L Fµ = µ × × π D c L → Fµ = ε (D m − D c ) D Fµ → origina MR para o cilindro → M R = Fµ × c 2 2 3 µ π n Dc L MR = (II) Dm − Dc v Como n = constante. γ r = 0.5 Um corpo trapezoidal desce sobre um plano inclinado de 45º com o plano horizontal.81m / s 2 . pedese determinar o peso do corpo trapezoidal (G3) no SI e no CGS.6 m²/s υ= γr γH O µ γ → µ =υ ⋅ ρ =υ ⋅ → µ =υ g g ρ 2 . g = 9.2 St = 400 × 10 .203m . das equação (I) e (II) temos: G = De ⋅ ( D m − Dc ) 2 µ π 2 n D3 cL 1.75 .

5 T1 = 78.3 (I) 0.75 × 0.04 G3 sen 45º = 78.19 N=281.04 G3 sen 45º = 281.5 + 0.19 N => SI 1 N=105 dina.79 + 120.57 (1 ×1. portanto: 281.30581 G3 sen 45º = T + 95.81 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos G3 sen 45º = T + 0.5) 3 × 10 .19 × 105 dina => CGS . temos: G3 sen 45º = T1 + 120.79 N Substituindo em (III).

a Lia.82 Curso Básico de Mecânica dos Fluidos Na foto: eu. o Vinícius e o Marcus Vinícius Existem aqueles que perdem Existem aqueles que ganham Existem aqueles que esperam Simplesmente porque amam Raimundo Ferreira Ignácio .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful