ghijkgl mkin hoqrol gho
sF t J @I C ] CC H^ _ F H J u F HE FvCw
y

Ý †+ ( 96 ', ( 1 + + 1 '( 0 8 K 0 5 '6 ,< 9 c4 ' ( ( 0 < ', 3× e( , 34 1 , 4 , 8 ( ' 6 ' ØÙ Ú = Û R å Ü0 8 6 0 5 '* + ,9< , 1 a 9I F ê H C ], ( K( , 8 6 9 + ( ' 6 95 9 3' (3, ( 3' (1 , L ' : . , (( 0 8 K 0 5 ' (, ( ' a , L , 5 0 6 ' ( 4 , L '' 5 , 4 : ; 9+ ( ' 6 ', 3I F ê H C `@ HH @ ë ] FCH @ [ \ F E C E F = ~ à &'L 0 8 M 'å 2 ', P 4 1 , ( ( ; 9× 9 +( , O ' Ø3' 1 5 ' 2 8 '9 1 / ' 8 0 c ' : ; 9 6 9, P 9 2 3+ 6 ' 8 : ' 6 ' 6 0 1 , : ; 9' 1 / + 3, 8 ' 0 < ' 2 N ' c , 8 6 9+ 3' y ƒ 1 , ( ( ' L < '' 5 , 1 5 '6 ,+ 3' 1 / + 3, 8 9* + , 23, ( 39 * + , ' a 1 ' 8 / , 8 , 2 8 ; 9( ,' 4 L 0 5 '× ( , 34 1 , Ø = á †+ ( 96 9N + + 1 96 94 1 , e 1 0 9, 3× N ' 1 0 ' 3ØÙ Ú = â Ü,× ( , 1 0 ' Ø y „ Ú = ì Ü0 8 6 0 5 '* + ,' (5 ' 1 ' 5 , 1 x ( 0 5 ' (' ( ( 9 5 0 ' 6 ' (', ( ( , ( Ù < , 1 a 9 (5 9 8 ( 0 + , 35 9 8 5 , 0 9 (* + ,'' + 9 1 '6 9, P 98 ; 9 4 1 , , 8 6 ,* + ,( , O ' 39 3' 6 9 (5 9 39( , + ( = y ‡ ä &'L 0 8 M 'Û â 2 ' 4 , ( ' 1 6 ,'4 1 , ( , 8 : '6 '4 1 , 4 9 ( 0 : ; 96 , 4 9 0 ( 6 , × 0 8 , 1 , 8 , Ø,6 ,× 4 ' ( ( ' < ' 3Ø( , 1 , P 0 / 0 6 ' 2 1 , ( 4 , 5 0 < ' 3, 8 , 2 4 , L 9' 6 O , 0 < 9,4 , L 9< , 1 a 9 29( 0 8 ' L0 8 6 0 5 ' 0 < 96 ,5 1 ' ( , y ‰ 4 1 , ( , 8 ,, 3× b( 9 5 0 , 6 ' 6 , Ø4 9 6 , 1 0 '' 3a e 3( , 1 + ( ' 6 9, 3 × '6 , ( 5 9 8 N 0 ' 1 Ø = Š‹ Œ  ‹  ‘ ’“ ” •– — ” ˜š › œ  ›ž ŸŸ   š › ¡ ¢ ž £ › ¤ ¥ ¦ § ¦¥ Ÿ š ¨ ¦ §¦© ª Ÿ ¨    › ž ›¨ £ « Ÿ š ¡ £ ¦ ¬Ÿ š   ›ž ¦ ¨« ¢ š ­ ª ¦ ¨£ š ž ¢ ­ Ÿ š ¦ ¨š ›®§ ¦ ¨ £ « ” ¯ ° ± ²› « £ ³ › š £ ¦ ´ µ ”¶ · ´ ” ¸¶ ”•¹  ‹ º » ±¼½ ¾ Š¿´· À À Á ´Â ”à À Ä ¶Å Æ – Nj ½ ‹ Â È ‹ É Ê Ë ’ Ì ” æ d9 39'< x 1 / + L '6 , 4 9 0 (6 ,× 9 a , 6 , 5 , ØÙ Ú = Û í Üe6 ,+ ( 9 ÍÎÏ Ð ÑÒÓ Õ 9 4 5 0 9 8 ' L 2 ( + '1 , 0 1 ' 6 '8 ; 94 1 9 < 9 5 ' 1 0 ', 1 1 9/ 1 ' 3' 0 5 ' L 8 , 3 L , 1 ' 1 0 '' (0 6 , 0 ' (, P 4 1 , ( ( ' (8 94 , 1 x 9 6 9, 3* + ,9 5 9 1 1 , = }9, P 4 L 0 5 0 ' 1 '5 0 1 5 + 8 ( Ö 8 5 0 ', P 4 1 , ( ( '4 9 1× &'5 + L + 1 '9 5 0 6 , 8 ' L ØÙ Ú = Û Ü 2 ' '' + 9 1 ', P 5 L + 0 6 '5 ' 1 ' 5 , 1 0 c ' : ; 96 ,( 9 5 0 , 6 ' 6 ,* + ,6 , ( 5 1 , < , ÍÎÏ Ð ÑÒÓ î , ( ' 16 '' L , 1 ' : ; 98 ' (1 , L ' : . , (6 ,( , 8 0 6 9 2 4 1 , ( , 1 < ' 3R ( ,' Ý '6 0 < 0 ( ; 9× , 8 1 ,+ 3', L 0 ,* + ,/ 9 < , 1 8 ',+ 3'3' ( ( '* + ,e }4 5 9 , 1 S 8 5 0 ', 8 1 ,9 ( ' 1 / + 3, 8 9 ( ,'5 9 1 1 , : ; 9/ 1 ' 3' 0 5 ' L 6 9, P 9 / 9 < , 1 8 ' 6 ' ØÙ Ú = Þ R ß Ü = ' 9( ,( + a ( 0 + 0 1 à '1 ' 6 0 : ; 9M , 1 6 ' 6 '6 '× {1 e 5 0 'dL K ( ( 0 5 ' ØÙ Ú = ß Ü = á '× 6 0 < 0 ( ; 9,'6 , ( 0 / + ' L 6 ' 6 , ØÙ Ú = â Ü 5 9 8 ( + a ( ' 8 5 0 ' 6 ' ( 8 '× 6 9 30 8 ' : ; 9 Ý × 6 ,+ 3ØÙ Ú = Þ Ü 4 9 1 ^ _ F_ `= 4 9 L x 0 5 ' ØÙ Ú = ã Ü = L M ,( , 1 0 ' ØÙ Ú = ì Ü 4 9 1 H F ] \ C ï A B F = ä ' (× ( 9 5 0 , 6 ' 6 , (0 8 6 x / , 8 ' ( ØÙ Ú = Û å Ü* + ,' 4 1 , ( , 8 ' 3× ' L , 1 0 6 ' 6 , à × Ú = ì Ü 4 9 1 ðH H \ `= á × 1 '' ( ( 0 3ØÙ Ú = Û ß Ü = 9 1 / ' 8 0 c ' 5 0 9 8 ' L ØÙ 5 9 8 5 , a 0 ' 3ØÙ Ú = Û Þ Ü 4 9 1 H F[ @ ê [ F ë \ C = æ 9× 4 1 0 8 5 x 4 0 96 '6 0 < 0 ( ; 9 ØÙ Ú = Û ç Ü5 9 39' L / 90 8 , 1 , 8 ,b× 3K * + 0 8 ' ä × æ × 4 9 6 , ØÙ Ú = Û í Ü 4 9 1 I @ H H C = / 9 < , 1 8 ' 3, 8 ' L ØÙ Ú = Û è R Û Û Ü =
|

&'5 + L + 1 '9 5 0 6 , 8 ' L 2'( 9 5 0 , 6 ' 6 , 2 , 39 6 9 (9 (8 x < , 0 ( 2 e ( , 34 1 ,4 , 8 ( ' 6 '5 9 3a ' ( ,8 ' (1 , L ' : . , (6 ,/ 9 < , 1 8 9 2 9 +( , O ' 2 ( 9 a9 4 1 , ( ( + 4 9 ( 96 ,+ 35 9 1 4 9( 9 5 0 ' L 6 0 < 0 6 0 6 9, 8 1 ,+ 3', L 0 ,* + , / 9 < , 1 8 ' ,+ 3'3' ( ( '* + ,e/ 9 < , 1 8 ' 6 ' = z, ( 6 ,'{1 e 5 0 'dL K ( ( 0 5 ' 2 99 5 0 6 , 8 , ( , 34 1 ,9 39 +'6 0 < 0 ( ; 9( 9 5 0 ' L , 8 1 , / 9 < , 1 8 ' 8 , ( , / 9 < , 1 8 ' 6 9 ( 5 9 39 , ( ( S 8 5 0 '6 '( 9 5 0 , 6 ' 6 , = }6 0 < 0 ( ; 9,'6 , ( 0 / + ' L 6 ' 6 ,N ' 1 0 ' 34 ' 1 ,6 ' , ( 1 + + 1 '9 8 9 L f / 0 5 '6 ,* + ' L * + , 1( 9 5 0 , 6 ' 6 ,,'6 9 30 8 ' : ; 94 9 L x 0 5 ' L M ,( , 1 0 '5 9 8 ( + a ( ' 8 5 0 ' L =1 '' ( ( 0 3* + ,9 (, + 1 9 4 , + (* + ,' * + 0 4 ' ( ( ' 1 ' 39 +( ,, ( ' a , L , 5 , 1 ' 328 9 (( e 5 + L 9 (€‚ 2€‚ ‚,€‚ ‚ ‚ 2 ( 0 / 8 0 N 0 5 ' < ' 3'( 9 5 0 , 6 ' 6 , => ' 1 ', L , ( 2'' + ( S 8 5 0 '6 ,+ 3'3K * + 0 8 ' / 9 < , 1 8 ' 3, 8 ' L ,3, ( 39'' + ( S 8 5 0 '6 ,+ 34 1 0 8 5 x 4 0 96 ,/ 9 < , 1 8 98 ' ( ( 9 5 0 , 6 ' 6 , ( 0 8 6 x / , 8 ' ( 6 , ( 4 9 8 ' < ' 35 9 39+ 3'6 0 N , 1 , 8 : '8 9 K < , L , 3 1 , L ' : ; 9' 9* + ,5 9 8 5 , a 0 ' 35 9 39( 9 5 0 , 6 ' 6 ,9 1 / ' 8 0 c ' 6 ' =d9 39 0 8 , 1 4 1 , ' 1 '' L , 1 0 6 ' 6 ,9 1 / ' 8 0 c ' 5 0 9 8 ' L * + ,( ,' 4 1 , ( , 8 ' < '6 0 ' 8 ,6 , 9 L M 9 (9 a 8 + a 0 L ' 6 9 (4 , L 94 1 0 8 5 x 4 0 96 '6 0 < 0 ( ; 9 …†+' 5 , 0 ' < ' 3* + ,' 6 0 < 0 ( ; 98 ; 9, 1 '0 8 , 1 , 8 ,b( 9 5 0 , 6 ' 6 ,,4 ' ( ( ' < ' 3'6 , ( 5 9 8 N 0 ' 1 6 ,( + ' ( L , 8 , (,'6 , ( 8 ' + 1 ' L 0 c ' 1( , +4 9 8 96 ,< 0 ( ' 2 9 +6 , 5 0 6 0 ' 3* + ,+ 3 ' / 1 + 4 ' 3, 8 90 8 6 0 < 0 ( 9 2 5 9 35 M , N ,* + ,8 ; 93' 8 6 ',4 9 < 9* + ,8 ; 9 9 a , 6 , 5 , 2 8 ; 94 9 6 ,( , 1 + 3'( 9 5 0 , 6 ' 6 , = ˆ9 / 0 5 ' 3, 8 , 2 N 9 0 '( , / + 8 6 ' 0 8 , 1 4 1 , ' : ; 9* + ,< 0 8 / 9 + =

}( ( 0 8 ' L ,'9 4 : ; 95 9 1 1 , ''1 , ( 4 , 0 96 ' (, ( 1 + + 1 ' (L 0 8 / + x ( 0 5 ' ( ,6 '9 1 / ' 8 0 c ' : ; 96 ' (0 6 , 0 ' (6 9, P 9 =

ÍÎÏ Ð ÑÒÓ é 

               !  "        #  

$

%& ' ( )+ , ,, ./ 0 & . ( 1 & .2 &3,4  ¡¢ £ ¤¥¦ È J 57 8 9 : ; < =7 > 8 ? ; 8 @ >A ; @ > B C> <D E =A ; @ >9 FG 9 8 > H I 9< ; F@ >A ; @ > T: = 9 8 Q D : ; >9>: = 8 8 9 ^ E =G 8 > F> ? ; : > H@ =? 9 M ? =< 9 8 E = K = L 9 I D =: = D ? 9 M ? =: = D ? 9 F7 = 8 N D 9 = I O 8 9 D ? 9>@ P > < ? 9 D @ Q D : ; > < : = D ? 8 > 7 = < ? > <7 8 9 < 9 8 A > @ > < : > < = < 9 7 8 = : 9 @ > R P 9D = <= S 8 ; G > F>8 9 7 9 D < > 89 < < 9? 9 8 F=? E => D ? ; G =9>: > @ >@ ; >F> ; < D A = : > @ = BT7 8 ; F9 ; 8 >@ 9 < < > <? 9 D @ Q D : ; > <7 = @ 9< 9 8O = 8 FP H > @ >: = F= ª j; U ; D < 9 8 ^ E =@ =< ; D > H; D @ ; : > ? ; A =@ 9: 8 > < 99 Fe >@ P > < g < 9 G P 9 V =7 = @ 9 8 ? = F= P@ 9> < < > H ? =>A ; @ > B W < ? =X I =7 = @ 9 8 7 9 D 9 ? 8 = P? = @ > < « ¬ B ¯ ® B > <9 < O 9 8 > <@ >9 M ; < ? Q D : ; > I9> <F= S ; H ; Y = P I9> <7 Z <7 > 8 >? 8 > S > H K > 89 F ² j< P S < ? ; ? P ; ^ E =@ =< ; D > H@ 9@ = ; < Å 7 = D ? = <@ 9 7 = ; <@ 9 8 = A 9 ; ? =7 8 [ 7 8 ; = B \9 < @ 9= <G 9 D 9 < I =: = 8 7 = I >> O 9 ? ; A ; @ > @ 9 I =7 < ; R P ; < F= I ] 7 ¬ B Ç ®9 @ 9 7 = ; <@ 9e F> D 9 ; 8 > g« ¬ B ° Ç ®7 = 8 < 9 G P 9 g« > ? X>; D ? 9 H ; G Q D : ; > I >; F> G ; D > ^ E = I >: 8 ; > ? ; A ; @ > @ 9 I ? P @ =; < < =O = ; A ; = H > @ = e 9; D A > @ ; @ = I; F= S ; H ; Y > @ = 9: = H = D ; Y > @ = IR P > D @ =D E =@ ; 8 9 ? > F9 D ? 9 A b 8 G P H > < B J a 9 M 7 8 = 7 8 ; > @ =7 9 H = < 7 = @ 9 8 9 < B _< 7 = @ 9 8 9 < = 7 9 8 > F@ 9F> D 9 ; 8 >; F> D 9 D ? 9` ¾ j8 9 ? ; 8 > @ >@ =7 8 = D = F9e < 9 g@ =? 8 9 : K =e < 9; D < ; D P >P F> D E =F> ; < @ 9O = 8 >D 9 F@ 9: ; F> I F> < : = F=R P 97 = 8 @ 9 D ? 8 = I ; D : = 8 7 = 8 > D @ = I 8 ¬ B ° Æ ® B 9 A ; 8 > A = H ? > g « ; D ? 9 G 8 > H ; Y > D @ = I F= D ; ? = 8 > D @ = I ; D A 9 < ? ; D @ =@ 9F> D 9 ; 8 >> D ? 9 : ; 7 > ? [ 8 ; >> ? X À j; D < 9 8 ^ E =@ =7 8 = D = F9. &: = F=A 9 8 S =e 8 9 A 9 H > g« ¬ B ° ¿ ® I J c F9 < F== <7 = < < b A 9 ; <R P 9< 9A E =9 D G 9 D @ 8 > D @ = I: = H = D ; Y > D @ ==O P ? P 8 = B 9 < : 8 9 A 9 D @ = & ¶ & µ , É . & = P . & & ¶ & µ , B 5= D @ 9; D ? 9 8 A X F=< 9 G P D @ =9 ; M =R P 99 PG = < ? > 8 ; >@ 99 A = : > 8 B d9 < P F=9 < ? 9 9 ; M =@ >< 9 G P ; D ? 9F> D 9 ; 8 > V R P > D @ =7 > 8 9 : 9R P 9e 9 < ? f? P @ =@ = F; D > @ = g I D =  j< P S < ? ; ? P ; ^ E =@ 9e ? = 8 D > 8 9 Fg« ¬ B ¯ ° ® 7 = 8 ( ) ¹ , B M ? 8 9 F=@ >H ; D K >< 9; D < ; D P >P F>8 9 A ; 8 > A = H ? >R P 98 9 < < ; G D ; O ; : >>7 8 [ 7 8 ; >  ¡¢£¤¥¦ Ê J h 9 @ = F; D > ^ E = BTR P ; H =R P 97 > 8 9 : ; >< P S F9 ? ; @ = I< P S < P F; @ = I: = D ? 8 = H > @ = I @ = F; D > @ = I e >A ; @ > g I 8 9 A 9 H >D =7 8 = : 9 < < =F9 < F=@ 99 M 7 8 = 7 8 ; > ^ E =< P > J Ë8 ; > ? ; A ; @ > @ 99; D = A > ^ E =L fD E =< E =9 D : > 8 > @ > < J i 7 = < ; ? ; A ; @ > @ 9; D @ = Ff A 9 H 97 8 ; F9 ; 8 > B T<O = 8 ^ > <A ; A > <7 8 9 < 9 D ? 9 <D >8 9 @ 9 : = F= @ 9 < > O ; = < @ = O P ? P 8 = I F> < : = F= ; F7 9 8 > ? ; A = < @ = < = : ; > H @ 9 ; M > F> < < ; F@ 9< 9 88 9 < 9 8 A > <7 > < < ; A > <jF9 8 : Q@ 9P FF= D < ? 8 = 7 8 9 < 9 D ? 9 BT : 8 9 < : 9 D ? 9: = F7 H 9 M ; @ > @ 9@ =: 9 D f 8 ; = ; D < > : ; f A 9 H I 7 > 8 >< 9? = 8 D > 8 9 F7 = < ; ? ; A ; @ > @ 9; F> D 9 D ? 999 M 7 > D < ; A >R P 9= < U FP D @ ; > H I = < 7 8 = S H 9 F> < < = : ; = 9 : = D Z F; : = < > < 9 8 9 F = @ 9 8 9 << 99 < O = 8 ^ > F9 F8 9 G P H > 8 I F= @ P H > 8 = P: = D ? 8 = H > 8 B k k 7 8 9 < = H A ; @ = < I= ; F7 8 9 < < ; = D > D ? 9@ 9 < 9 D A = H A ; F9 D ? =@ > ? 9 : D = H = G ; > I > < ; D : 9 8 ? 9 Y > < @ = O P ? P 8 = < E = > H G P D < @ = < l m n m o l q r l m r s t o n u vx y z y { | } ~  € y y‚ ƒ „ ƒ … y u † ‡ ˆ ‰| z y Š y ‚ | ~ ‹Š Œ  x | ~ z Žt  ‘ ‘ Ž u ’“ Ž” u• – — “˜ ™  št › t ” n t œ  m ž Ÿ u ]O > ? = 8 9 <R P 9L P < ? ; O ; : > F >A > H = 8 ; Y > ^ E =: 8 9 < : 9 D ? 9@ >  ¡¢ £ ¤¥¦ ¨ : 8 ; > ? ; A ; @ > @ 99@ >; D = A > ^ E =D =F= F9 D ? => ? P > H BÌ 9 F @ Í A ; @ > I > F9 P A 9 8 I > ; F7 = 8 ? N D : ; > @ > : 8 ; > ? ; A ; @ > @ 9 9 @ 9 T< < ; D > H 9>= 7 ^ E =: = 8 8 9 ? >>8 9 < 7 9 ; ? =@ > <8 9 H > ^ © 9 <@ 9: = 9 < E =@ =? 9 M ? = B 9 P@ 9 < 9 D A = H A ; F9 D ? =D E =8 9 7 = P < >> 7 9 D > <D =R P 99 H > J a< ; G D ; O ; : >< = : ; > H F9 D ? 9 I F> <? > FS X F7 9 H =R P 9< ; G D ; O ; : > ¬ B ­ ®8 9 ? = F>>; @ 9 ; >> D ? 9 8 ; = 8 F9 D ? 99 M 7 8 9 < < > < ª T9 M 7 8 9 < < E =e 9 < < 9? 9 8 F= g« 7 = 8e : = D ? 9 M ? = g« ¬ B ¯ ® IR P 9? 9 8 f< P > <: > 8 > : ? 9 8 b < ? ; : > <: = D ? 9 F7 = 8 N D 9 > < 7 > 8 >=S 9 FÅ 9 < ? > 8 7 9 < < = > H 97 > 8 >=@ 9 < 9 D A = H A ; F9 D ? =@ = < 9 M 7 H ; : ; ? > @ > <D =7 9 8 b = @ =O ; D > H @ =? 9 M ? = I ; D ; : ; > @ =7 = 8e T<O = 8 ^ > <A ; A > < g Jc ; D @ ; A b @ P = < I @ = < G 8 P 7 = < 9 @ > < = 8 G > D ; Y > ^ © 9 < B « ¬ B ° ± ® B Îr s m o n Ï  tÐuÐt o n Ï  m Ñ u҅ | ~ „ | Ó |  ~  Š ~ Ô  { y Š| {  | Ó Õ  ƒ y Š { ~ Šy … Ö ~ { | } ~  ×  Š u† ‡ ˆØ Ù m r tÐuÚuÛÏ o Ù  r Ï š˜ Üo Ù u Ÿ uÝ~ z  { „ y ¬ B ³ ®9e =< 9 G P D @ =9 ; M = g ² _<? 9 8 F= <e T7 8 ; F9 ; 8 >@ 9 < < > <? 9 D @ Q D : ; > < g« x … | ~ „ | Ó y u ޛ u ߏ àŽ á â ⠖ Ž” uã ä˜ ™  š t › t ” n t œ  m ž Ÿ u ¬ B ° ³ ® 8 9 ? = F> F>; @ 9 ; >@ 9e @ P > < ? 9 D @ Q D : ; > < : = D ? 8 > 7 = < ? > < g« ¬ B ¯ ® I R P 9< E = I « 8 9 < 7 9 : ? ; A > F9 D ? 9 I 8 9 < P F; @ > < 7 = 8 )+ ) 2 & -( ) ´,2 &, . . , µ ( ),¶ · 2 ,90 ´, å P H G P 9= << 9 G P ; D ? 9 <; ? 9 D < I >8 9 < 7 9 ; ? =@ =P < =@ > <9 < ? 8 P ? P 8 > < & ¶ · , ¶ ) µ ( ,& . . · ¸ ¹ · º · » ,,2 ) ´· ¹ , ¼ ½ ) B H ; D G P b < ? ; : > <D >= 8 G > D ; Y > ^ E =@ > <; @ 9 ; > <@ =? 9 M ? => : ; F> B ¬ B ¿ ®8 9 < P F998 9 ? = F>>> 8 G P F9 D ? > ^ E =@ 9 < @ 9= ¾ _? 9 8 F=e ? P @ =; < < = g« F; < < E =@ => @ A X 8 S ; =e L f g« ¬ B ° ® F> D ? 9 8 ; >>: = 9 8 Q D : ; > ; D b : ; =@ =? 9 M ? = I 9< P >7 8 9 < 9 D ^ >8 9 O = 8 ^ >>; @ 9 ; >@ 9R P 9Xe 7 8 9 : ; < =7 > 8 ? ; 8 W T= @ >A ; @ > g« ¬ B ° ® B 9 D ? 8 9= < > 8 G P F9 D ? = < I F> < D E =7 9 8 F; ? ; 8 ; >; D O 9 8 ; 8 R P 9 I D = À _@ 9 < 9 D A = H A ; F9 D ? =@ =? 9 M ? =7 9 8 F; ? 9< P S 9 D ? 9 D @ 9 8R P 9>9 M 7 8 9 < < E = 7 > < < > @ = Ie Ë8 ; > ? ; A ; @ > @ 99; D = A > ^ E = g« ¬ B ° ®O = 8 > F e O = 8 ^ > < A ; A > < g« ¬ B ° ± ® : = D < ? ; ? P ; P F>= P ? 8 >O = 8 F>@ 9< 98 9 O 9 8 ; 8 >e 7 = @ 9 8 9 < g : = D < ; @ 9 8 > @ > <e @ 9 < > O ; = <@ =O P ? P 8 = g« ¬ B ¯ ® B « ¬ B ° Á ® B W W T7 8 9 < 9 D ^ > @ > 9 < ? 8 P ? P 8 > A 9 8 S > H e > < 9 8 9 F8 9 < = H A ; @ = < g  _7 8 = D = F9 e TR P ; H = g « ¬ B ° à ® @ 9 < 9 F7 9 D K > I D > : = D < ? 8 P ^ E =@ > ? 9 M ? P > H ; @ > @ 9 I « ¬ B ³ Å Ç ® F> 8 : > P F> < ; ? P > ^ E = O P ? P 8 > R P 9 I < 9 = F; ? ; @ > I >O P D ^ E =@ 98 9 ? = F> 8 > <; @ 9 ; > <R P 9: = F7 © 9 Fe =< 9 G P D @ =9 ; M = g« ¬ B ° ³ ® B 7 8 = A = : > 8 ; >> H ? 9 8 > ^ E =D > <8 9 H > ^ © 9 <@ 9< 9 D ? ; @ = I F> <D E =  ¡¢ £ ¤¥¦ Ä ? = 8 D > 8 ; >>> 8 G P F9 D ? > ^ E =; D : = 9 8 9 D ? 9 B ¬ B Æ Å Ã ® W W WT8 9 ? ; 8 > @ > @ > = 8 > ^ E = e < E = > H G P D < @ = <O > ? = 8 9 < g« W D O 9 8 9 Å < 9@ >> 8 G P F9 D ? > ^ E =@ =? 9 M ? =R P 9 ? = 8 D > 8 ; >=? 9 M ? =F> ; <O = 8 F> H9D E =7 8 9 L P @ ; : > 8 ; >< P > 8 G P F9 D ? > ^ E = I@ 9 < @ 9R P 9=A 9 8 S =e L P < ? ; O ; : > Fg« ¬ B à ® W7 9 D < > 8>e A ; @ >K = L 9 g« ¬ B ° Å ¯ ®< ; G D ; O ; : >: = D < ; @ 9 8 > 8< P >8 9 H > ^ E =: = F= > O = < < 9O H 9 M ; = D > @ =D =< ; D G P H > 8 B 7 = @ 9 8 I R P 9? 9 D ? >8 9 G P H f Å H >9: = D ? 8 = H f Å H > B W W> < e 9 < O 9 8 > < @ > 9 M ; < ? Q D : ; > g « ¬ B Æ ® ? = F> @ > < 7 9 H =e 7 = @ 9 8 g « ¬ B Ç ® ? 8 > D < O = 8 F> FÅ W æ _@ 9 < 9 D A = H A ; F9 D ? =@ > <; @ 9 ; > <7 9 8 F; ? 9? > FS X FP < > 8 = < 99 Fe 7 = @ 9 8 9 < g« ¬ B ° Á ® R P 97 > < < > F>F= D ; ? = 8 > 8 9: = H = D ; Y > 8 =O P ? P 8 = B A 9 8 S =e 8 9 7 = P < > g« ¬ B ° Á ®O H 9 M ; = D > @ =D =7 H P 8 > H I< 9 F W W W=7 = @ 9 8D E =X> 7 9 D > <P Fe F= D < ? 8 =; D < > : ; f A 9 H g« ¬ B ¯ Á Å ¯ ° ®7 = 8 R P 9> 7 8 9 L P @ ; : > 8 > : = 8 8 9 ^ E = G 8 > F> ? ; : > H @ = ? 9 M ? = B 7 8 [ 7 8 ; >A ; @ >< 9? = 8 D >7 = < ; ? ; A ; @ > @ 9R P 9H K 9= 7 © 98 9 < ; < ? Q D : ; > B ç< ? E =: 9 8 ? = <> 7 9 D > <= <; ? 9 D < T< < ; D > H 9>= 7 ^ E =: = 8 8 9 ? > B ª W 9W W B ª T7 9 D > <=; ? 9 FW 9 < ? f: 9 8 ? = B ² W 9W W W B ² T7 9 D > <=; ? 9 FW W 9 < ? f: 9 8 ? = B ¾ T7 9 D > <=; ? 9 FW W W 9 < ? f: 9 8 ? = B ¾ W 9W æB À T7 9 D > <= <; ? 9 D <W 9W W W 9 < ? E =: 9 8 ? = < B À W W 9W W W B  T7 9 D > <= <; ? 9 D <W W 9W W W 9 < ? E =: 9 8 ? = < B  W W W 9W æB 
               !  "        #  $

0123 456759
53

.

E D = ? E ? = G E H6 7 ? 6 I ] F = 8 6 A 6 7 ? 6[ 9> . HA 6 E D: . Q > ? = ? . T = F 9 > B . . ? A 9 >6 7 8 9 : . = 9 . HJ A 9 B 6 > > 9 B 9 HJ D 6 X 9 s6? 6 H8 . 69= 7 F = G R F . HE 7 9B 9 7 > = F 6 A E: .2&3 46 7 8 9 : . J A 6 > 6 A G E A = EEB 9 A A 6 L M 96EB 9 6 A } 7 B = E? 6 X ? . 7 L M 9F 6 > > E 7 ? A = 7 B E F EA 6 F 6F 6= 7 ? 6 A E L N 6 > UY. 66 X J D = B E H? 6 A H9 > E 7 ? 6 A = 9 A 6 > O E >6 X J A 6 > > N 6 >. Q S 6 ? = G = F E F 6 s[ t U u † \6 > ? E Q 6 D 6 B 6. 7 F ƒ 7 B = EF 9. = 7 EB 9 HJ D 6 X = F E F 6F 9J D E 7 9 J > = B 9 D @ K = B 9 U { | 9 A= 7 > 6 A = A 6 H= 7 8 9 A HE L N 6 >E F = B = 9 7 E = >: . D = 7 97 9? 6 A H9r B E A E B ? 6 A = T E F 9 s[ t U x \ …J 9 A= > > 9 O > . 7 L M 9F E >B 9 7 F = L N 6 >> 9 B = E = >F EG = F E O6 > J 6 B = 8 = B E H6 7 ? 6B 9 H Q E > 67 E >= 7 ? 6 A C A 6 D E L N 6 >: . A 6 T E < = > ? @ A = B 9 C B . A E > D = 7 K . D ? ./ 0 & . > E6 € 4J A 9 7 9 H6r D < 6 s[ B 9 7 > 6 : . Q S 6 ? = G = F E F 6 OB 9 H9> 6 K H6 7 ? 9F 9A 6 E D W V6 B E A E B ? 6 A = T E F 9J 9 AJ A 9 B 6 > > 9 >B 9 HJ D 6 X 9 >F 6> = K 7 = 8 = B E L M 96F 6 > 6 7 ? = F 9 O G E = C > 6B 9 7 > ? A . 7 L M 9B 9 6 > = G EE 9F 6 = X E A> . 66 > ? E> 6B 9 7 > ? = ? . > E F E >6 7 ? A 6J E A } 7 ? 6 > 6 > O 7 E >D = 7 < E > u u6u ~ O J 9 F 6 A = E HO ? E HQ  HO G = A 6 X J A 6 > > E >6 7 ? A 6G R A K . HE 7 9 >> 68 9 A HE H6> 6F 6 > 6 7 G 9 D G 6 H6 H P 8 .%& ' ( )+ . HEA 6 D E L M 9F 6B E . L M 9F 6. D ? . HJ A 9 B 6 > > 9B 9 HJ D 6 X 9 O7 9 I Z = : . Q 6 7 ? 6 7 F = F EE t U x \ U A 6 8 6 A } 7 B = EEr > . HE 7 9 > U y VED = 7 < Eu z O9E F S 6 ? = G 9r = 7 ? A = 7 B E F E s> 6E J D = B EEr A 6 F 6F 6 = 7 ? 6 A E L N 6 > sJ 9 A : . 6< = > ? @ A = B 9 C B .. D E > U t U u ~ \ A 6 ? 9 HE O 7 9F 6 > 6 7 G 9 D G = H6 7 ? 9F 9? 6 X ? 9 O € 4J A 9 7 9 H6r 6 > ? 6 s[ E= F 6 = EF 6r J A 9 B 6 > > 9B 9 HJ D 6 X 9 s[ t U u z \ O J E A E? 9 A 7  C D 9E K 6 7 ? 6F 6 7 9 G E >? A E 7 > 8 9 A HE L N 6 > U p> > = 7 E D 6E9 J L M 9B 9 A A 6 ? E E A 6 > J 6 = ? 9F 9. E8 D 6 X M 97 98 6 H= 7 = 7 9 Er > 6 K H6 7 ? 9F 9A 6 E D s[ J A 9 G 9 B E A = E= 7 B 9 6 A } 7 B = E66 A A 9K A E HE ? = B E D 7 9? 6 X ? 9 U { VED = 7 < Eu z O E8 9 A HEG 6 A Q E D r YsB 9 7 B 9 A F EB 9 Hr . A E D H6 7 ? 6 U > > EJ 6 A > J 6 B ? = G E OE> . E D9 > 9 B = E D[ 6 H> 6 . ? . A E DF 9F 6 > 6 7 G 9 D G = H6 7 ? 9 I < . = L M 9J 9 A ‡& ˆ . ( 1 & . Q S 6 ? = G 9 \66 > ? 6 OJ 9 A> . D E A6 Hr F 6 > 6 7 G 9 D G = H6 7 ? 9< . 6> . EG 6 T OJ E A ? = B = J EF E ? A E 7 > 8 9 A HE L M 9F 9 >6 D 6 H6 7 ? 9 >: . > 9F 9> = 7 K . ? A 9 > > 6 A 6 > > 9 B = E = > 6 B 9 H9 > 9 Q S 6 ? 9 > J A 9 F . H> 6 K H6 7 ? 9F 6. D E A 6 Hr B 9 7 > = F 6 A E s[ t U v \ U w VED = 7 < E~ O J E A E6 G = ? E A C > 6EA 6 F . HE 7 9 s[ t U u C v \ OJ 9 A> 6 AF 67 E ? . 96 > ? E Q 6 D 6 B 6B 9 H9 > 9 . R > ? = B E > 7 9? 6 X ? 9 U t U u C v \ q 4. Q 6 7 ? 6 7 F = F 9 U t U „ \A 6 H6 ? 6 y p8 D 6 X M 9F 6HE > B . = 7 F 96F 6 > 6 7 G 9 D G 6 7 F 96 H8 . D ? . 6 > U t U x \ A 6 > ? A = 7 K 6 O 7 EE A K . HE 7 9 s[ F 6 ? 6 A H= 7 EE8 D 6 X M 9F 6> = 7 K . H6 7 ? E L M 9 O w 4? 6 A H9r V6 > > EJ 6 A > J 6 B ? = G E s[ E= 7 ? 6 A J A 6 ? E L M 9F 9 >r J A 9 B 6 > > 9 >J > = B 9 D @ K = B 9 > s[ t U v \ O B 9 7 > = F 6 A E F 9 >J A 9 J A = 6 F E F 66 > J 6 B = 8 = B E H6 7 ? 6F 9 >< . E = > U                 !  "        #  ghi j klm ‚ ghi j klm o 0123 456759 53 . > 9F 9J A 9 7 9 H6 r > 6 s OJ 9 F 6 C > 6A 6 ? = A E A9J A = H6 = A 9F 6 D 6 > OE 7 ? 6 >F 6r 8 9 A HE Hs O F 6 = X E 7 F 9 C 9E J 6 7 E >> . E> . A E D O F 6 G 6> 6 A 6 X J D = B E F 97 6 > > EJ 6 A > J 6 B ? = G E O 9: . 6D < 6F 6 A E H9 A = K 6 HU^_`abd e d _ ` af p> > = 7 E D 6E9 J L M 9B 9 A A 6 ? EE B 6 A B EF 9? 6 X ? 9 U q 4r F 6 > 6 7 G 9 D G = H6 7 ? 9< . 6 6 X B D . . 69 >J A 9 B 6 > > 9 >J > = B 9 D @ K = B 9 > 6 > J 6 B = 8 = B E H6 7 ? 6< . } 7 B = E6 7 ? A 6r 9 A = K 6 Hs[ t U u † \6r = 7 ? A = 7 B E F EA 6 F 6F 6 = 7 ? 6 A E L N 6 > s[ t U u z \ O F 6? E D HE 7 6 = A E: . > 9F E > 6 > ? A .> 6 7 ? = F 9 HE = >E HJ D 9 \J E A ? = B = J EF E B 9 7 > ? A .

$ .

.

QUESTÃO 3 16 Nacional de Metrologia.br> (com adaptações). A Retirada da vírgula logo após “Lei n.1-2) e substituição de “que” (5.2) por e.966/1973” (5. observando a competência que lhe é atribuída pelas Leis n. estão sujeitos à regulamentação e ao controle metrológico — ação própria de um organismo de metrologia legal — os instrumentos de medição e as medidas 22 materializadas utilizadas nas atividades econômicas (comerciais) e nas medições que interessem à incolumidade das pessoas nas áreas da saúde. por meio da Diretoria de 13 Metrologia Legal. situada nas linhas mencionadas. cujas atividades foram 10 incorporadas pelo INMETRO e atribuídas à Diretoria de Metrologia Legal.. em nível nacional. só se iniciou três décadas depois.º 11/1988 do Conselho Considerando aspectos relativos à pontuação e à regência. a única opção correta. com a criação do Instituto Nacional de Pesos e Medidas..829/2003 e pela Resolução n. Consideramos um tanto quanto questionável a sua realização. use a Folha de Respostas. 25 além dos produtos pré-medidos. também Considere o seguinte requisito: “A redação oficial deve caracterizar-se pela impessoalidade.inmetro. que para nós daria muito trabalho. Para as devidas marcações. por dois-pontos e vírgula sucessivamente.966/1973.. no quarto parágrafo. uso do padrão culto de linguagem. Assinale a opção em que o fragmento apresentado atende esse requisito. foi promulgada a primeira legislação nos moldes de uma lei de metrologia. n. A Ficamos felizes com o resultado da análise porque foi melhor do que imaginávamos. Normalização e Qualidade Industrial. C Substituição do trecho “a competência que lhe é atribuída” (5. único documento válido para a correção das suas respostas. assinale a opção em que as mudanças sugeridas preservam a correção gramatical e as ideias do texto.. B Talvez seja bom rever o assunto do pedido de análise.27) e inserção de vírgula logo após “também” (5. 31 as atividades de metrologia legal vêm sendo estendidas. Normalização e Qualidade Industrial (CONMETRO). Como em todas as sociedades organizadas.. às demais áreas previstas na legislação.7) e troca de “atribuídas” (5. E “vêm sendo (.. gradualmente. da segurança e do meio ambiente. econômico e social tem.º 5. o desenvolvimento tecnológico. concisão. comércio e serviços D “Cobrindo (.) (comerciais)” (5. 19 No Brasil. C A produção não atendeu à legislação. A “do qual o (.7) e “nacional” (5. organizar e executar as atividades de metrologia legal no Brasil. CONHECIMENTOS BÁSICOS Texto para as questões 1 e 2 QUESTÃO 1 1 A metrologia legal no Brasil precede a Lei n. determinado a efetiva implantação do controle metrológico dos instrumentos de medição. que.) na legislação” (5.21-23): as medidas materiais utilizadas nas atividades econômicas: indústria. que criou o Sistema Nacional de Metrologia.) legal” (5.31-32): as outras áreas que a legislação prevê está sendo alcançada paulatinamente QUESTÃO 2 4 o órgão executivo central. Cobrindo inicialmente apenas as medições em transações comerciais.966/1973. de acordo com o respectivo comando. D O presidente falou claramente de que a decisão é inteligente e mais simples do que a lei vigente.UnB/CESPE – INMETRO Nas questões a seguir. D Substituição dos travessões. Cabe ao INMETRO. abrangência das ações metrológicas e estrutura organizacional.gov. E A adequação dos produtos às normas legais implica risco diminuído de acidentes aos consumidores.) depois” (5. mas 7 a implantação de um controle metrológico.10) por conferidas.º 10. E Eliminação da vírgula logo após “tem” (5. Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade Conhecimentos Básicos (para todos os cargos) . abrangiam medições em operações comerciais.º 5.) central” (5. à qual deverá ser revista. a princípio.933/1999 e n.3-4): onde o órgão executivo central é o INMETRO B “de um controle (.º 5.13-14) por ao que lhe é atribuído. clareza. para cada uma... mantém o sentido da informação originalmente apresentada e está gramaticalmente correta. B Eliminação da vírgula logo após os vocábulos “metrológico” (5.29-31): As atividades metrológicas legais. Já na década de 30 do século XX..27). formalidade e uniformidade” (Manual de Redação da Presidência da República. Metrologia legal no Brasil: histórico. do qual o INMETRO é Assinale a opção em que a reescritura da passagem do texto. 1 28 no Brasil.7-8): da metrologia brasileira teria-se iniciado em 1960 C “as medidas (. Internet: <www. marque.º 9.. 2002).

por ainda que. ocorrido na França. na maioria das vezes relacionados aos esportes.br> (com adaptações). As bandeiras. o INMETRO analisou aspectos dimensionais de bandeiras nacionais expostas à venda na época. B O vocábulo ‘fim’ (5. Naquele momento. essa informação foi sendo substituída por uma adaptação feita pelo povo brasileiro. poderia ter sido empregado. e a frase “Ordem e Progresso” inspira-se diretamente no lema do movimento positivista de Auguste Comte. o verde passou a representar as matas. QUESTÃO 5 Com relação ao vocabulário empregado no texto e à ortografia. As 27 estrelas da nossa bandeira foram inspiradas nas constelações presentes no céu do Rio de Janeiro e representam simbolicamente os 26 estados e o Distrito Federal. o progresso por fim”. a paz que deve reinar no país. que é um fragmento do relatório de análise realizada pelo INMETRO das bandeiras nacionais encontradas no mercado brasileiro no ano de 2006. simbolicamente. ao observar se a bandeira brasileira a ser adquirida está de acordo com as especificações técnicas. Este relatório contém informações sobre as amostras analisadas e os ensaios realizados.34) poderia ser substituída. A bandeira não pode ficar exposta à noite. As constelações que figuram na Bandeira Nacional correspondem ao aspecto do céu. C O vocábulo “recolhimento” (5. A a análise da Bandeira Nacional pelo INMETRO foi realizada devido às irregularidades encontradas em sua fabricação. De acordo com o texto.gov. apresenta e discute os resultados obtidos. o amarelo.UnB/CESPE – INMETRO Texto para as questões de 4 a 8 1 QUESTÃO 4 4 7 10 13 16 19 22 25 28 31 34 37 40 43 46 A análise realizada em diferentes amostras de bandeiras do Brasil vai ao encontro das diretrizes do Programa de Análise de Produtos. no que diz respeito à seleção de produtos consumidos intensiva e extensivamente pela população. no dia 15 de novembro de 1889. ao movimento filosófico denominado Positivismo e à ascendência de D. E A expressão “Há alguns anos” (5. De acordo com a legislação brasileira que trata da Bandeira Nacional. Há alguns anos. todas as marcas analisadas foram consideradas não conformes aos requisitos dimensionais estabelecidos pela legislação brasileira. são usadas em particular em períodos comemorativos. Pedro I. às 20 h 30 min do dia 15 de novembro de 1889. D A expressão “a não ser que” (5. A No lugar do vocábulo “ainda” (5. Internet: <www. o losango e o círculo. na parte da tarde. na cidade do Rio de Janeiro. quando da criação desse símbolo. respectivamente.36) é equivalente a A anos atrás. da descida e da exposição noturna da Bandeira Nacional. E a frase inscrita na Bandeira Nacional e as cores nela utilizadas remetiam. o vocábulo também. B a região sideral que hoje se avista da cidade do Rio de Janeiro é diferente da que se tinha conhecimento nos tempos do Império. Com o passar do tempo. As quatro cores da Bandeira Nacional representam. além de fornecer informações úteis para o consumidor para que se entenda o significado do seu símbolo nacional e para que se realize uma compra satisfatória. as riquezas do Brasil. seu hasteamento — obrigatório em órgãos públicos em dias de festa ou de luto nacional — deve ser realizado pela amanhã e seu recolhimento. assinale a opção correta. sem prejuízo de sentido para o texto.16) é empregado no texto como sinônimo de causa. D está sujeito a sanção pecuniária o cidadão ou o órgão que desrespeitar o que vige na legislação acerca do hasteamento. idealizador da bandeira do Império. no século XIX: “o amor por princípio e a ordem por base. antes da que conhecemos. C a análise realizada pelo INMETRO se restringiu à verificação da proporção das figuras que constituem a bandeira. oficiais ou não. que foi instituída logo após a proclamação da República. tais como a Copa do Mundo de Futebol e o dia da Independência do Brasil. Pedro I.inmetro.33) é empregado no texto como sinônimo de arreamento. Existiram diferentes versões da Bandeira Nacional. as famílias reais das quais descende D.12). 2 Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade Conhecimentos Básicos (para todos os cargos) . a não ser que esteja bem iluminada. o seu céu e o branco. quais sejam: o retângulo. ou em datas festivas. Dentro desse contexto. sem prejuízo de sentido. Ela ainda sofreu algumas influências da bandeira utilizada nos tempos do Império. o azul.

C O termo “D. Pedro I” (5. para fiscalização de produtos em situação irregular no mercado formal. B A forma verbal “Existiram” (5. E Em “para que se entenda” (5. A certificação é obrigatória para brinquedos utilizados por “crianças” até 14 anos de idade. 1 Brinquedos mexem com a imaginação de crianças e adultos. B o gênero descritivo. O selo do INMETRO. em “passou a representar” (5. a intensivamente e de maneira simbólica. D A retirada dos travessões usados no quinto parágrafo não implica prejuízo à estrutura do texto. E A expressão “ao aspecto do céu” (5.18).28) apresentam a mesma função sintática no texto e equivalem. 16 químico. assinale a opção correta. Predomina no texto A o caráter informativo.9) poderia ser corretamente substituída por Houveram. respectivamente. No mercado informal. o INMETRO recomenda que. D Da mesma forma que o uso do gerúndio está correto em “foi sendo substituída” (5.6) foi o que determinou a flexão do vocábulo “relacionados” (5. obrigatório em qualquer brinquedo comercializado no Brasil. é frequente o número de casos de brinquedos 34 falsificados. C o tipo textual argumentativo. o INMETRO realiza um trabalho em parceria com a Rede Brasileira de Metrologia Legal e Qualidade. da qual fazem parte os órgãos 31 delegados do INMETRO nos estados. O selo pode vir diretamente impresso.sitedoconsumidor. o sujeito é indeterminado para que se remeta à população de um modo geral. na avaliação da intenção do uso e na forma de utilização do brinquedo pela criança. .25) é iniciada por preposição por se tratar de locução adverbial. 3 Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade Conhecimentos Básicos (para todos os cargos) 28 Preocupado com o uso indevido do selo. por esse motivo. Pedro I ter sido o idealizador da bandeira do Império. Internet: <www.21-22) a mesma forma nominal do verbo poderia ter sido empregada: passou a estar representando. D o aspecto expositivo. C A expressão “essa informação” (5. é saúde e segurança. que. Nos produtos que contêm brinquedos como brindes. No selo devem constar a marca do INMETRO.7) também no plural. tração. assinale a opção correta. pois ele conta a história da Bandeira Nacional. As avaliações realizadas por organismos acreditados pelo INMETRO são determinadas de acordo com o tipo do brinquedo e baseadas na composição dos materiais utilizados na fabricação do produto.gov. Mas a saúde e a segurança do usuário devem ser preservadas. Compulsória no Brasil. para proteger a saúde da criança. QUESTÃO 7 13 10 7 4 no Brasil deve ser certificado. a certificação de brinquedos visa evitar possíveis riscos que podem surgir no uso normal ou por consequência de uso indevido do brinquedo. inflamabilidade e ruído.18-19) é o sujeito de “descende” (5. o consumidor compre brinquedos em estabelecimentos comerciais legais (mercado 37 formal) e tradicionais em venda de brinquedos.44) e “para que se realize” (5.20).20) faz referência ao fato de D. pois ele se limita a apresentar fatos relativos ao significado dos elementos que compõem a Bandeira Nacional e à análise realizada pelo INMETRO. só é concedido se o A O uso do sinal indicativo de crase na linha 3 é obrigatório. Os principais ensaios realizados são os de impacto/queda. independentemente de o produto ser nacional ou importado.UnB/CESPE – INMETRO QUESTÃO 6 Texto para as questões de 9 a 11 No que diz respeito à estrutura textual. visto que ele usa linguagem figurada e metafórica para abordar o tema da Bandeira Nacional. E a narração.br> (com adaptações). todo brinquedo vendido A Os vocábulos “intensiva” (5. QUESTÃO 8 25 22 19 brinquedo for aprovado em todos os ensaios aos quais for submetido. a marca do organismo acreditador e o foco da certificação.45). no caso de brinquedo. B O plural da palavra “vezes” (5. como no caso de pelúcias.4) e “simbolicamente” (5. devem existir informações sobre sua certificação impressas na embalagem do produto. E. Por esse motivo. Com referência às estruturas linguísticas do texto. mordida. em etiqueta autoadesiva indelével na embalagem ou afixada ao próprio produto em etiquetas de pano. tendo em vista que ele apresenta com pormenores fatos históricos e características materiais da bandeira do Brasil. já que se defende a importância do conhecimento das especificidades da Bandeira Nacional.

C O vocábulo “indelével” em “A cena do beijo continua indelével na minha memória” possui o mesmo sentido que foi empregado no texto. sem que isso acarrete prejuízo sintático ou semântico ao texto. E O vocábulo “finalidade” (5. A finalidade da padronização que vem sendo discutida desde o final da década passada objetiva a segurança”. como lixar o pino do plugue”. Gustavo Kuster. D É possível substituir o verbo “existir” (5. o que preservaria a correção gramatical. sem prejuízo ao sentido e à correção gramatical. na linha 23. a forma verbal “contêm” (5. pois a concordância. Para ele. C Ao adquirir um brinquedo com o selo do INMETRO. o consumidor está isento de riscos que podem ser causados pelo brinquedo. sem prejuízo ao sentido e à correção gramatical do período.27) com o termo que o precede preservaria a coerência e a correção gramatical do período. . E Para ser certificado pelo INMETRO. assinale a opção correta.7-8). de inflamabilidade e de ruído. deveria ser grafada com acento agudo: contém. a concordância pode ocorrer também com a locução “de brinquedos” (5. todo brinquedo deve passar por testes químicos. inclusive por parte do comércio. assinale a opção correta. A padronização tornou-se obrigatória por meio de uma portaria do instituto publicada em 2000. B A substituição de “que” (5. os ministros economizariam milhões aos cofres públicos.15) classifica-se como numeral ordinal. o vocábulo “Segundo” (5. A incompatibilidade levava a que o consumidor adotasse uma série de opções sem qualquer segurança. o INMETRO realiza testes para avaliar a segurança dos brinquedos.UnB/CESPE – INMETRO QUESTÃO 9 Texto para as questões 12 e 13 Segundo o INMETRO. E A concordância do vocábulo “impressas” (5. mas prejudicaria sua correção gramatical. Internet: <www.25). QUESTÃO 10 do padrão brasileiro de plugues e tomadas. “A tomada e o plugue. como: levava o consumidor a adotar uma série. C Como empregado no texto.com. Segundo o chefe da Divisão de Programa de Avaliação da Conformidade do INMETRO.20) pode ser reescrito. a partir de julho de 2011.br> (com adaptações).25) pode ser substituído por objetivo. quando os aparelhos elétricos e eletrônicos à venda terão que estar adaptados. A Flexionar no plural a perífrase “a estar” (5. de mordida. como hoje são feitos. assinale a opção correta. novas tomadas elétricas passam a ser obrigatórias a partir de 2010 e o Brasil concluirá em 2011 todas as etapas do processo de criação 4 Com relação às ideias do texto.7) foi usado como adjetivo assim como em: Ao cair na compulsória aos 75 anos de idade. hoje o Brasil tem mais de doze tipos diferentes de plugues e oito de tomadas. D Em “A sociedade brasiliense laureou os delegados responsáveis pela elucidação do crime”.14) por de preservaria o sentido do período. A O vocábulo “Compulsória” (5.26) fosse empregado no singular. E A palavra “legais” (5. de tração. D O trecho “levava a que o consumidor adotasse uma série” (5. B O termo “acreditados” (5. Nielmar de Oliveira. B Na linha 20.7). D A obrigatoriedade de certificação de brinquedos pelo INMETRO decorre da preocupação com a saúde e com a segurança dos usuários. na linha 31. C Caso o termo “brinquedos” (5. permitem o que chamamos de inserção parcial. com todo o processo de conversão concluído. I n : Agência Br asil. QUESTÃO 11 13 16 19 22 25 Assinale a opção correta no que se refere à concordância verbal e nominal das estruturas linguísticas do texto. 4 Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade Conhecimentos Básicos (para todos os cargos) QUESTÃO 12 Em relação aos aspectos gramaticais do texto. A No trecho “a certificação de brinquedos visa evitar possíveis riscos” (5. o que exigiria a flexão do verbo no plural. B É responsabilidade do INMETRO fiscalizar a existência de brinquedos não certificados ou com selos falsificados.36) foi usada no texto com o mesmo sentido de “formal” (5.5) manteria a correção gramatical do período.37).inovacaotecnologica. “Essa diversidade toda causa uma série de situações de riscos. a forma verbal “devem” poderia ser empregada no singular. no entanto. Novo padrão de plugues e tomadas chega ao comércio em 2010 . de impacto/queda. o vocábulo “delegados” apresenta significado idêntico ao utilizado no texto. o verbo “visa” concorda com a expressão “a certificação”. que passarão a estar em conformidade com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).26) por haver. ocorreria com o núcleo do sujeito mais próximo do verbo.10) foi utilizado como sinônimo de subordinados. 1 A Para conceder seu selo. 7 10 Com respeito à significação e ao emprego das palavras no texto. devido à flexão de número do verbo. quando foram estabelecidos diferentes prazos para que os vários segmentos da indústria adotem as novas regras a partir de janeiro de 2010. o mérito da padronização que está sendo adotada pelo INMETRO é exatamente o aumento da segurança. nesse caso.

muitas vezes. entidade encarregada de regular o setor ao redor do mundo. A Embora o carregador universal só vá ser comercializado oficialmente a partir deste ano. “O objetivo é facilitar a vida dos usuários e reduzir o impacto dos resíduos eletrônicos no meio ambiente. dá o pontapé inicial para a fabricação de um único dispositivo a ser usado pelas novas gerações de telefones móveis. assinaram. B Na linha 28. que não têm entrada para o novo padrão. D O pronome relativo “que” (5. assinale a opção correta. que faz parte da Organização das Nações Unidas.4) foram empregadas em sentido denotativo. Texto para as questões de 14 a 16 1 Com relação às ideias do texto. já que os consumidores não terão mais que receber outros carregadores quando comprarem novos celulares”. c o r r e i o b r a z i l i e n s e . I nt e r ne t : < w w w . C A diversidade de carregadores de celulares é uma escolha dos fabricantes para forçar a fidelização dos usuários às suas empresas. o alemão Günter Verheugen. que. que não deveria ser tão difícil. C Um dos propósitos da padronização de tomadas e plugues é reduzir os riscos de acidentes aos usuários. vale lembrar que. O carregador universal começa a ser comercializado a partir de 2010. E O pronome “eles” (5. anunciou a aprovação de um carregador universal para celulares. A A implementação da padronização foi iniciada em 2000. disse o comissário europeu da Indústria. C Por constituir oração explicativa. A As palavras “morre” (5. A consequência disso seria a redução de 13. a mesma marca chega a oferecer mais de um modelo. apesar de alguns modelos que estão no mercado contarem com conexão micro USB.31). representam 90% do mercado de telefonia móvel.18). acaba se tornando uma verdadeira loteria. D O carregador universal não implicará redução do impacto ambiental. assinale a opção correta.2) e “loteria” (5. No entanto. um memorando comprometendo-se a tornar compatíveis todos os seus modelos comercializados até 2012 com as entradas micro USB. E Um dos propósitos da padronização de carregadores para celulares é ambiental. dez companhias do setor. por estar empregada em sentido figurado. deve ser evitada em textos de correspondências oficiais. juntas. QUESTÃO 16 Em relação aos aspectos coesivos do texto.32) refere-se a “conector do tipo micro USB” (5. 5 Pesquisador-Tecnologista em Metrologia e Qualidade Conhecimentos Básicos (para todos os cargos) . também poderão ser carregados pelos dispositivos. “adaptadores” refere-se a “dispositivos”. E A expressão “pontapé inicial” (5. D O termo “fabricantes” (5. D A padronização de tomadas e plugues ocorrerá em virtude de uma adequação a padrões internacionais. B A criação do carregador universal para celulares é uma iniciativa do INMETRO que segue a tendência da padronização de tomadas e plugues no país. sem prejuízo da coerência e da correção gramatical da oração. Os celulares antigos. E A variedade de plugues e tomadas existentes hoje no Brasil prejudica a adaptação de produtos elétricos e eletrônicos importados. Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto. o órgão. já que adaptadores começaram a ser oferecidos pelos fabricantes. por o qual ou por cujo. assinale a opção correta. Apesar de as empresas não serem obrigadas a produzir o novo padrão. assinale a opção correta.UnB/CESPE – INMETRO QUESTÃO 13 QUESTÃO 14 De acordo com as informações do texto. b r > ( c o m a d a p t a ç õ e s ) . esse tipo de problema tende a acabar. e vai funcionar por meio de um conector do tipo micro USB.6 milhões de toneladas de emissão de gases na atmosfera todos os anos.36) refere-se a “Os celulares antigos” (5. A União Internacional de Telecomunicações. No entanto. uma vez que cada fabricante conta com um padrão próprio de plugue e. União Internacional de Telecomunicações aprova c a rregador uni v e rsa l p a ra c e lu la re s . “disso” refere-se ao fato de que os consumidores não terão mais que receber outros carregadores quando comprarem novos celulares. desde 2009 alguns modelos já se encontravam disponíveis no mercado.11-12). Com isso. de forma voluntária.10) pode ser substituído. B A substituição de tomadas e plugues é uma determinação da ABNT. a expressão “entidade encarregada de regular o setor ao redor do mundo” (5. já que os fabricantes de celulares serão obrigados a oferecer adaptadores para os celulares antigos. Fernando Braga. c o m. C Na linha 33. eles ainda não estão padronizados para receber cargas de energia por meio da conexão — que só funciona para transferência de dados. A A expressão “o novo padrão” (5.34) refere-se a “dez companhias do setor” (5.8-9) encontra-se isolada por vírgulas do restante da oração.16). B A oração iniciada pela expressão “uma vez que” (5.4) introduz ideia de tempo. QUESTÃO 15 4 7 10 13 16 19 22 25 28 31 34 37 Quem nunca se pegou pedindo um carregador de celular emprestado quando a bateria do telefone morre? A tarefa.

.

“a desgraça do mecanismo de mercado é dupla. nem em uma sorte qualquer de razão transcendental. marque na folha de respostas. por um processo de imitação. Afirma. por outro. Texto para os itens de 9 a 17 1 4 7 10 13 16 Acerca do texto. por ditam ou por estabelecem. o mais verdadeiro. acontece no mundo das ciências naturais. Os pronomes “aqui” (R. necessariamente. a palavra “rezam” (R. porque todas as suas eventuais contribuições já estariam incorporadas ao estado atual da teoria.7) e “ali” (R. o sentido dessa assertiva. há aqui dúvidas a respeito de se o conhecimento mais recente é necessariamente o melhor. Cada um dos itens de 5 a 8 apresenta uma proposta de reescrita dessa asserção. ensejando a necessidade de os estudantes se dedicarem a esses pensadores. por um lado. por sua vez. ser reduzidas às ações de indivíduos racionais. em regra. De outro lado. 7 8 A autora defende não haver consenso na ciência econômica. que os homens seguem meio inquestionadamente. Contrariamente ao que. ou seja. são usados no texto para retomar objetos concretos. porque. Pela leitura do texto. que a teoria pudesse captar. ou o campo designado com o código E. dominar. de caráter metodológico. ele não é produto do desígnio humano e. Essas regras. às ciências naturais e às ciências humanas. aquele que incorporou produtivamente os desenvolvimentos teóricos até então existentes. Mas. Ora. e. uniformidade de opiniões. 10 Embora esteja empregada de modo correto. único documento válido para a correção das suas respostas. Idem. o que incorporou as melhores facetas do conhecimento historicamente desenvolvido. Quanto ao consenso nas ciências sociais sobre a verdadeira qualidade da informação teórica incorporada para o conhecimento recente em ciência econômica. palavras dele. que ignora a história do pensamento e segundo o qual o estudante deve familiarizar-se de imediato com o estágio atual da teoria. O texto. os clássicos do passado. para Hayek. — Cargo 1: Técnico Científico — Área: Administração .fipe. julgue os itens a seguir. o que Hayek está então sugerindo é que nem toda ação humana é produto de indivíduos racionais. ou seja. quanto à verdadeira qualidade da informação teórica incorporada ao conhecimento recente na área. em função de tudo isso. seja nas demais ciências sociais. 3 Infere-se do texto que o conhecimento recente da área econômica pode não ser. nas ciências sociais. o homem não tem outra escolha a não ser se adaptar às forças cegas do processo social. caso julgue o item CERTO. se possível. portanto. 5 1 19 22 25 28 Com referência às ideias e à tipologia do texto. não são produtos de um suposto contrato original resultante da ação intencional de indivíduos autocentrados. mesmo que em prejuízo de sua familiaridade com os desenvolvimentos mais recentes. Acrescenta a esse enquadramento que. com correção gramatical. não são postuladas. tendo deixado de lado aqueles que não se mostraram adequados a seu objeto. é predominantemente descritivo. ibidem. a autora defende que não há. A autora defende que. que. além de seus propósitos particulares e do conhecimento subjetivo que cada um possui do mundo. a autora defende não haver consenso seja na ciência econômica. ou errado. depreende-se que a hard science e a soft 2 science correlacionam-se. a ação humana é.br> (com adaptações). está a ideia de uma “fronteira do conhecimento”: o estudante não precisaria perder tempo com antigos pensadores. as ações humanas são fortemente dependentes de um processo que é social e socialmente determinado. O texto constitui uma argumentação em defesa de determinada linha de pesquisa dentro das ciências econômicas. Esse conhecimento. por isso. como rezam os preceitos metodológicos por trás da rational choice (escolha racional). 9 Não existem. Para as devidas marcações. A respeito da qualidade real da informação teórica juntada ao conhecimento recente na área. constituída também por regras. sem prejuízo para o sentido e a correção gramatical do texto. devendo ser julgado certo se mantiver. von Hayek retoma a ideia de que as ações humanas dependem de um processo social socialmente determinado. por trás do modelo hard science. não há consenso sobre a forma de evolução dos paradigmas. que considera que o estudante deve conhecer bem. caso julgue o item ERRADO. para cada item: o campo designado com o código C.14) poderia ser substituída. Internet: <www. particular e intransferível. use a folha de respostas. respectivamente. não podendo. E. tal como requer a teoria econômica moderna. –1– Banco da Amazônia S. Tal afirmação pode ser inferida da leitura do primeiro parágrafo. afirma que. não está. a respeito da verdadeira qualidade da informação incorporada ao conhecimento recente na área. Leda Maria Paulani. fundamentado nem em fatos objetivos. a exemplo do que ocorre nas demais ciências sociais. que geralmente 4 denotam referência a lugar. as pessoas que são guiadas por ele normalmente não sabem por que são levadas a fazer o que fazem”.A. Mas. e o que ele chama de soft science. não há consenso sobre a verdadeira qualidade da informação teórica incorporada ao conhecimento recente na área. estaria a ideia de que o conhecimento está disperso historicamente. pois. para Hayek. como de resto nas ciências sociais em geral. às quais se englobariam a ciência econômica. autônomos e independentes. em caso contrário. Frederick August von Hayek concebe o indivíduo como uma singularidade e o conhecimento como algo subjetivamente determinado. em uma sociedade complexa como a nossa. segundo a autora.UnB/CESPE • De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira. CONHECIMENTOS BÁSICOS Texto para os itens de 1 a 8 1 6 4 7 10 13 16 19 22 25 28 A discussão acerca da influência do pensamento econômico na teoria moderna é aparentemente uma discussão metateórica. Ao contrário. autodeterminados e soberanos. julgue os itens subsequentes.org. 11 Ao afirmar que as pessoas guiadas pelo mercado ‘normalmente não sabem por que são levadas a fazer o que fazem’ (R. na ciência econômica. por apresentar a síntese do pensamento de von Hayek. O economista Pérsio Arida tratou desse problema em um texto que se tornou clássico muito antes de ser publicado. Afirma ali que o aprendizado da teoria econômica tem sido efetuado de acordo com dois modelos distintos: o que ele chama de hard science. na economia e nas ciências sociais em geral.27-28).14). subjacente à visão do modelo soft science.

julgue os itens de 21 a 25. A recente crise econômica e financeira que abalou o mundo teve seu epicentro nos EUA. deve pressupor.16). nov. O atual estágio da economia mundial. — Cargo 1: Técnico Científico — Área: Administração . Países emergentes. O texto remete à ideia de que. ressentem-se dos baixos investimentos em ciência e tecnologia. a substituição do uso desordenado de motosserras pelo exercício de aprender a extrair riqueza da floresta enquanto se garante sua preservação. A timidez das medidas tomadas pelo governo de Barak Obama para enfrentá-la foi. Atenciosamente. para usar a expressão por ele utilizada — está essencialmente vinculada ao domínio do conhecimento.26) teria sua coerência prejudicada caso tal palavra fosse substituída por destino. e à sua importância para o clima global. 12-3 (com adaptações). um aparelho maior que um telefone celular e menor que um computador portátil. não se perde a informação sobre a autoria da citação feita. é unânime a previsão de que o iPad “fará dinheiro”. entre outros importantes aspectos. para a maioria dos analistas. 26 Embora relativamente pouco extensa quanto à dimensão geográfica. sobretudo de países que apresentam uma consciência ambiental mais avançada e onde organizações não governamentais tendem a atuar com bastante vigor. aliada a sua irmã gêmea. A preservação da mata é fundamental no combate ao aquecimento global. dirigida pelo carismático Steve Jobs. seguido de uma proposta de classificação desse fragmento (entre parênteses) quanto à parte e ao padrão de correspondência. como o Brasil. A floresta amazônica há muito deixou de ser tratada como o pulmão do mundo. razões suficientes para praticamente inviabilizar a exportação de seus produtos industriais e agrícolas. exemplo de desenvolvimento sustentável verifica-se no aumento do número de empresas e cooperativas extrativistas que exploram a madeira legalmente. pelo comércio. a produção da riqueza — o “fazer dinheiro”. (corpo de um relatório) 20 Certos da atenção e da observância de V. antecipamos agradecimentos.UnB/CESPE Acerca dos elementos gramaticais presentes no texto. Tendo o texto acima como referência inicial e considerando a inserção da Amazônia no quadro de desenvolvimento sustentável. S. graças à formidável quantidade de água e de espécies que possui. nos dias atuais. caso se substitua “forças cegas” por mecanismos cegos.A. comumente identificado como globalização. As palavras “intransferível”.a para com as recomendações que ora lhe enviamos. p. pela trapaça e pela guerra de conquista. como afirma expressamente o texto. O domínio norte-americano nos mercados mundiais. No trecho “às forças cegas do processo social” (R. pois elas permitem. A expressão “fazer dinheiro”. mas ganhou status ainda mais importante. tem nas inovações tecnológicas que se processam no campo das comunicações um de seus instrumentos fundamentais. foi possível graças ao fim dos subsídios e das práticas protecionistas assegurado pela firme atuação da Organização Mundial do Comércio. teve início a. “inquestionadamente” e “indivíduos” possuem em sua estrutura elementos que indicam negação. julgue os itens que se seguem. e o trecho continua gramaticalmente correto.16) tem sentido diferente daquele empregado na seguinte frase: Ora essa ação é voluntária. nos termos da Lei de Responsabilidade Fiscal. em que o ganho de alguns não aumentava o bolo geral de riqueza. O Globo. caso se retirem o trecho “palavras dele” e as vírgulas que o isolam. além dos índices educacionais insatisfatórios. como afirmado no texto. A cobiça internacional sobre a Amazônia passa ao largo de seu importante peso nos processos naturais que regulam os padrões climáticos globais. às dez horas. mantenha o refrigerador ligado. quanto à classificação proposta e quanto à observância das recomendações previstas para o padrão de correspondência indicado. 20 (com adaptações). mas deriva do extraordinário patrimônio mineral da região. sendo herdada ou tomada de alguém mais fraco ou menos hábil. foi a inovação. a data limite para apresentação das prestações de contas e respectivos relatórios a que se refere a citada lei. o de ar-condicionado da Terra. entre diversas outras considerações. recebem o selo que certifica a extração embasada na preservação dos recursos florestais./2009. Antes disso. a Amazônia é o ecossistema integralmente brasileiro mais conhecido no mundo. Jobs apresentou ao mundo sua nova aposta. A correção gramatical do texto seria prejudicada caso se colocasse uma vírgula logo após a forma verbal “é” (R. será necessário trocar “às” por aos para se manter a correção gramatical. p. (cabeçalho de uma ata) 19 De ordem do senhor ministro da Educação. vigorava a noção mercantilista de que a riqueza apenas mudava de dono. a maior floresta tropical úmida do planeta. julgue os itens que se seguem. a produtividade. a palavra “Ora” (R. A ideia de desenvolvimento sustentável na Amazônia. Veja. 18 Aos dez dias do mês de novembro do ano de dois mil e nove. O que libertou as forças econômicas desse jogo de soma zero. Se não convenceu inteiramente os comentaristas tecnológicos.23). (fecho de um memorando) A Apple. 22 23 24 25 Cada um dos itens abaixo apresenta um fragmento hipotético de correspondência oficial. Banco da Amazônia S.. fortemente marcado pelo papel nele desempenhado pelo conhecimento. Na Amazônia. a principal razão para a perda da supremacia mundial do país para a emergente China.. A produção de madeira certificada precisa ser socialmente justa e estar adaptada plenamente a padrões aceitáveis por parte de crescente parcela do mercado consumidor.. na sala de reuniões do Departamento de Biologia Celular da Universidade de Brasília. estamos informando a todos os chefes do Poder Executivo de todos os entes federados que. a rápida circulação de informações e de capitais. isto é. 3/2/2010. o iPad. diferentemente do que ocorria no passado. “Planeta Terra”. –2– 27 28 29 30 Tendo o texto acima como referência inicial e considerando aspectos marcantes do atual estágio da economia mundial. No último período do texto. nasceu com a transformação dos Estados Unidos da América (EUA) em potência tecno-militar-industrial.. O trecho em que ocorre a palavra ‘desígnio’ (R. ora ela é socialmente determinada. Julgue-os quanto ao aspecto gramatical. hoje plenamente conhecido e devidamente mensurado. 12 21 13 14 15 16 17 No texto. Em um planeta aquecido. tornou-se a mais fulgurante empresa da era digital. apontam especialistas. citado no texto. como sinônimo de criação de riqueza.

.

afinal. se avolumavam como viajantes. 1 4 7 Com referência às ideias do texto.UnB/CESPE – TRE/BA • De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira. Como regra geral. Até breve. O segmento “apesar de ele ter sido considerado um homem violento” (R. tinha para os que conviviam com eles. apesar de quase metade da população recenseada. a expressão “ou seja” (R. dada por Isabel ao seu convidado. tão necessário nesta minha desgraça. É rara. Apesar disso. Coordenador-geral Fernando A. em três parágrafos. desqualificando-o. conforme atestam documentos como o processo-crime citado no texto. Laços de família e direitos no final da escravidão. mas o fato de que. com variantes que definiam os diversos tipos de cativos. Ainda que de longe. para além do espanto dos viajantes. por quase todo o século XIX. como o africano — comumente chamado de preto até meados do século — ou o cativo nascido no Brasil — conhecido como crioulo —. Obra completa. vol. Em “consubstanciadas no sentido pejorativo” (R. ser descendente de africanos. 41% da população livre do Império. No trecho “bem como às normas de comportamento e tensões” (R. no processo. caso julgue o item CERTO. as testemunhas. julgue os itens de 13 a 18. Em um processo-crime de 1850. Apesar disso. referência tão explícita à convivência interétnica no nível privado bem como às normas de comportamento e tensões que implicava. Machado de Assis. 1994. a forma pronominal “o” tem o mesmo referente nas duas ocorrências. ou o campo designado com o código E. nenhuma das testemunhas negou-lhe razão por ter raiva de Isabel. julgue os itens de 1 a 5. Isabel Leme. como uma espécie de sinônimo de escravo ou ex-escravo. Rio de Janeiro. 341-3 (com adaptações). a autora do texto lança mão de um processo-crime ocorrido na época. 3.25) e pela presença do artigo definido.18-19) pode ser corretamente substituído pelo seguinte: apesar dele haver sido considerado um homem violento. a convivência interétnica não restou registrada além das relações de poder. o emprego do acento indicativo de crase justifica-se pela regência da forma verbal “implicava” (R. Obrigado. não foi o convite de Lisboa e Isabel para que Ramos jantasse em sua casa — um homem livre. Para as devidas marcações. use a folha de respostas. que. organizador do volume Luiz Felipe de Alencastro. a anfitriã o tivesse chamado de negro. %10*'%+/'0615 $5+%15 Texto para os itens de 1 a 12 1  4 7 10 13 16 19 22 25 28 31 34 37 40 43 A pluralidade étnica dos brasileiros impressionava vivamente os estrangeiros que. consubstanciadas no sentido pejorativo que a qualificação negro. por volta da década de 70 do século XIX. Novais. relatando-o. a palavra “pejorativo” pode ser substituída por favorável. Por ser explicativa. ou seja. Ainda que ele não tivesse justificado seu ato extremo. são raros os registros dessa convivência interétnica do século passado fora da clássica relação senhor-escravo. uma existência inteira. pareceu compreensível aos depoentes. que apresenta uma comunicação particular. Julgue os itens que se seguem.        A expressão “Apesar disso” (R. desse modo. Na convivência diária no decorrer do século XIX. para cada item: o campo designado com o código C. Meu caro Paz. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. p. Hebe M.072 (com adaptações).   No processo-crime de que trata o texto. nessa situação. se a solidão me abate.27) está entre vírgulas. na documentação. ambos assassinados por ele. Todas as testemunhas que depuseram contra ele no processo acreditavam que o motivo do crime fora uma vingança pelo fato de Isabel tê-lo chamado de negro após um jantar na casa das vítimas. sem prejuízo para o sentido do trecho em questão. caso julgue o item ERRADO. relativos a aspectos gramaticais do texto. único documento válido para a correção das suas respostas. apesar de ele ter sido considerado um homem violento. Obrigado pelas tuas palavras e pelo teu abraço. 15 de dezembro de 1904. é a falta da minha velha e querida mulher. senti-lhes o afeto antigo. a indignação de Ramos. desde 1808.3-4) introduz uma ideia que se opõe à expectativa sugerida no período anterior. com o signatário da correspondência.31-32). a linguagem coloquial admitia variantes da palavra “negro” para designar os diversos tipos de cativos que viviam no Brasil. Abraçate o velho amigo Machado de Assis. Não sei se resistirei muito. desqualificando-o” (R. como hóspede à mesa do casal.24-25). não é a solidão em si mesma. recenseada em 1872. Mattos de Castro. Antônio Ramos foi processado pelo assassinato do negociante Feliciano Lisboa e de sua “caseira” (amásia). 2. vol. e oxalá concluas a viagem sem as contrariedades a que aludes. Considerando o texto acima. pode-se inferir que as testemunhas não estranharam o fato de que a anfitriã tivesse chamado Antônio Ramos de “negro”. o que se depreende da leitura desse processo bem como da de outros documentos similares é que a palavra negro foi utilizada na linguagem coloquial. em gênero e número. Para exemplificar o pouco numeroso registro de convivência interétnica fora da clássica relação entre senhor e escravo em meados do século XIX. naturalistas ou comerciantes no país. São Paulo: Companhia das Letras. o recebera em casa.  10  Do texto pode-se depreender que. Fomos casados durante 35 anos. pelo fato de Antônio ter sido desqualificado durante o jantar para o qual foi convidado. deram-lhe razão no que diz respeito à raiva que ele sentia por Feliciano Lisboa e sua amásia Isabel.  A palavra “Obrigado” (R. segundo me anuncias. ŌŌ %QPJGEKOGPVQU $¶UKEQU RCTC VQFQU QU ECTIQU FG 0ÈXGN 5WRGTKQT w . O que verdadeiramente interessa no caso é que. No trecho “a anfitriã o tivesse chamado de negro. entre outras variações locais ou regionais. o emprego do acento atende à mesma regra de acentuação gráfica. 1.25-26). In: História da vida privada no Brasil: Império. por isso. encontramos um raro flagrante de tal convivência e das tensões do dia a dia dos brasileiros oitocentistas. resumidamente. era formada por descendentes de africanos. marque na folha de respostas. Do texto. 1997. Nas palavras “referência” e “espécie”. ocorrido no município fluminense de Rio Claro. descendente de africanos — que causou estranheza às testemunhas. ao que tudo indica. p.3 e 8) está flexionada no masculino e no singular para concordar.

UnB/CESPE – TRE/BA      As expressões “Meu caro Paz” (R. mantendo-se.6). assim. As formas verbais “anuncias” (R. Em “oxalá concluas a viagem” (R. a forma pronominal “lhes” refere-se às expressões “tuas palavras” e a “teu abraço” ambas na linha 3. o sentido do trecho em que se insere.8). ministros e governadores. recomenda-se evitar o título acadêmico de Doutor e usar o pronome de tratamento Senhor. ao vocativo e à epígrafe da comunicação particular em questão. julgue o item abaixo. Acerca da redação de correspondências oficiais. “concluas” (R. a substituição do conector “se” por acaso não prejudicaria o sentido expresso nessa oração e a correção gramatical. juízes. respectivamente.9) e “aludes” (R.  Como vocativo das comunicações oficiais destinadas a senadores. o vocábulo “oxalá” pode ser substituído por tomara que.8-9). Na oração “se a solidão me abate” (R.4). %QPJGEKOGPVQU $¶UKEQU RCTC VQFQU QU ECTIQU FG 0ÈXGN 5WRGTKQT ŌŌ .9) estão conjugadas na segunda pessoa do singular do mesmo tempo e do mesmo modo verbal. Em “senti-lhes o afeto antigo” (R.10) correspondem.2) e “o velho amigo” (R.

.

1). e eles já os encontram quando surgem no mundo: nesse sentido. Porém.15) por pois ou por já que. despojada que é de qualquer componente moral. podemos constatar que há muita coisa que nos determina a partir do exterior.3) justifica o uso da vírgula entre as duas ocorrências. marque. Tensa construção. ela se torna mais complexa. entende Lévy-Brühl que a prudência e a previsão passam a se constituir em um poder passível de ser exercido a partir do momento em que se instala no homem a noção de responsabilidade. 74-5 (com adaptações). B o pronome “ele” (R. ao contrário. Todavia. Roberto Cardoso de Oliveira.8). que diante da violação da lei sempre se seguirá uma pena. deslocar “que é” para imediatamente antes de “despojada”. Não há fato bruto. C II. C a expressão “essa razão” (R. isto é. por exemplo. E III. Assim. são humanamente representadas. uma lei social A confere ao homem capacidade de previsão e reflexão. Orçamento e Gestão 37'56“1  De acordo com a argumentação do texto. No entanto.14). a partir do momento em que a noção de responsabilidade implica castigo. em contraposição às leis naturais. escrevendo. Para as devidas marcações. a essa altura. In: Filosofia especial. E a relação que o último período sintático do texto tem com as ideias anteriores permite iniciá-lo com um conectivo de valor adversativo. de acordo com o respectivo comando. que apresentam propostas de alteração para o texto. e não mais de leis naturais. Julgue os itens seguintes. Mas. O homem sabe. V e VI. o que significa ser determinada pelo mundo sensível. D mostra-se mais rudimentar do que as leis naturais porque resulta apenas da experiência. mas. B permite que o homem se torne artífice do próprio destino. no universo humano. B I e VI. diferentes também serão as consequências que pode esperar. %10*'%+/'0615 $5+%15 Texto para as questões de 1 a 3 1 37'56“1  4 7 10 13 16 19 Como todo homem é capaz de previsão e de reflexão. nada podem fazer a respeito. para cada uma. atribuímos-lhes significações que se originam em nós mesmos. Franklin Leopoldo e Silva. por mais inelutável que seja. o homem sabe. –1– . variável conforme a liberdade que cada um tem de atribuí-la. C deve ser composta por prudência e previsão para se constituir em poder.16). deslocar a segunda ocorrência de “diferentes” para depois de “também” ou para logo depois de “serão”. D II. sendo exclusivamente produto da experiência. E a liberdade humana é exercida ao se selecionar. aquele que tem condições de se transformar em um fato social ou cultural. n. o indivíduo tem ainda uma opção: pode escolher que significação atribuirá àquele fato. II Inserir o sinal indicativo de crase em “a essa” (R. ano II. Por essa razão. D a flexão de feminino em “determinada” (R. IV e VI. deve admitir que.4) e constitui um dos elementos do conjunto nomeado como “todo homem” (R. Por outro lado.13) indica que o “mundo sensível” (R. Na linha 3.13) determina a “experiência” (R. e sabe também que se trata de uma lei social por ele mesmo produzida. essa noção ainda é muito rudimentar. B os objetos e os acontecimentos do mundo só ganham existência por causa da percepção humana. A relação entre as estruturas linguísticas e as ideias do texto mostra que A a repetição enfática da palavra “diferentes” (R. entre os fatos brutos. Razão e afetividade. 37'56“1  4 7 10 Evidentemente. mas podemos lidar com elas de diversas maneiras e cabe-nos escolher. esse homem não se deve imaginar como sendo um joguete de forças externas. os fatos precedem os indivíduos. pois está relacionada ao modo como cada um dos seres humanos pode representá-los.6) corresponde a dizer que A todas as coisas acabam por tomar características das pessoas que com elas convivem. afirmar que todas as coisas “são humanamente representadas” (R. use a Folha de Respostas. escrevendo à essa. em grande parte. III Retirar o pronome da forma verbal “constituir” (R. para atos diferentes. D a significação dos fatos e das coisas não é fixa. 48-9 (com adaptações). C o alcance da compreensão humana não atinge a significação plena de cada fato e de cada coisa que constitui o universo.12). é o artífice do próprio destino. p. E implica responsabilidade e castigo quando houver desobediência às normas instituídas pelo homem.14). IV Retirar a preposição no termo “em que” (R. único documento válido para a correção das suas respostas.UnB/CESPE – SAD/PE Nas questões a seguir. III e V. p. 2002. todo fato é suscetível de receber uma significação. ele pode compreender muito bem que. diante de cada fato. Texto para as questões 4 e 5 1 I 37'56“1  De acordo com a argumentação do texto. Todas as coisas. Estão certos apenas os itens A I e IV. porquanto envolve a questão da obediência à lei.2) retoma o referente de “esse homem” (R. Cargo 2: Analista de Planejamento. V Na linha 11. VI Substituir o conectivo “porquanto” (R. Brasília: Ed. precedido de vírgula. UnB. a única opção correta.6-7) refere-se à ideia do poder exercido com “noção de responsabilidade” (R.º 8.

os elementos coesivos do período sintático. 37'56“1  Assinale a opção que apresenta uma reescrita gramaticalmente correta e argumentativamente coerente para o fragmento de texto acima. alunos. a companheira ou até o filho.5) e “ele” (R. não uma certeza. apreender. C Na linha 5. do ser que se iguala a mim. UnB. B Na linha 4.15) faz parte no texto mostram que este pronome tanto remete a “jovem” (R. e o que faz com o que fazem de si.8). C Apesar de o pronome “me” (R. o que faz de si e aquilo que faz com o que os outros fazem dele. mas o plural em “podem” (R.2) deve-se ao plural em “fatos” (R. A A flexão de plural em “surgem” (R. flexionado no plural. e sobretudo sempre livre. A Na linha 3: Como simplesmente. subordinados. ao longo do texto. área para tanta curiosidade como o “outro”. mas também sempre livre. de modo a respeitar a correção gramatical e o desenvolvimento argumentativo do texto. E Na linha 14: Mas desconfio. Rio de Janeiro: Agir. Assinale a opção que propõe uma reescrita para o início do período sintático com a inserção de um conectivo. 37'56“1  4 7 10 13 16 Nenhum homem tem a seu dispor terreno para tão grande investigação. quanto a “eu” (R. que é como eu e. sempre livre e sujeita a determinações de várias ordens. ibidem. assim.10) é de uso opcional.14). uma espécie de labirinto. Idem. 1983. Só o tempo lhe irá mostrando que o caminho para o outro não termina. sinceramente. sempre situada. 37'56“1  O sujeito é o que ele faz. explicitando. E Ao retomar um termo antecedente em forma singular. Desconfio de que o jovem acredita. gente de toda espécie. até mesmo com toda a pureza. D Na linha 11: Embora hoje. social e política é a do sujeito que se faz. sempre situada. 36 (com adaptações). E mais: tenho. Walter Ramos Poyares. a expressão “nesta palavra” refere-se à palavra “semelhante”. e com o que fazem dele significa ação histórica. Isso significa ação histórica (social e política) sempre situada. C Na linha 10: Conforme trato do “outro”. A O referente de “o ‘outro’” (R. Isso significa uma ação histórica — social e política — sempre situada e sujeita a determinações de várias ordens. Brasília: Ed. D A organização das ideias no texto permite inserir o pronome se logo depois de “perceber” (R. É também ação (social e política) sempre situada. o desenvolvimento da argumentação mostra que ele se refere a “homem” (R. B Na linha 8: Enquanto convém. D O pronome átono em “atribuí-la” (R. sempre sujeita a determinações de várias ordens. Convém acentuar já que não me refiro aos casos excepcionais de tipos introvertidos. D Ação histórica.1). B As relações textuais evidenciam que. Orçamento e Gestão Assinale a opção correta a respeito das relações de coesão usadas no texto. sempre sujeita a determinações de várias ordens. na linha 3. com aquilo que faz de si e com o que fazem dele.13) e a “outro” (R. pois sempre sujeita à determinações de várias ordens. C O sujeito é aquilo que faz. filhos. sempre sujeita à determinações de várias ordens. mas seu uso deixa explícita a retomada do objeto da atribuição: “a liberdade” (R. conhecer o outro. p. –2– . empregado no sentido genérico de a humanidade.1).9). Cargo 2: Analista de Planejamento. E As relações de coesão de que o pronome “lhe” (R. mas também sempre livre. Falo. E Isso significa ação histórica: o sujeito é o que ele faz.13). eu julgo o “outro” cada vez mais difícil de perceber.UnB/CESPE – SAD/PE 37'56“1  Texto para as questões de 7 a 9 1 Assinale a opção correta a respeito do uso das estruturas linguísticas na organização das ideias do texto.3) deve-se ao plural em “indivíduos” (R. o que se faz. a impressão de estar ele fechado em seu mundo. no entanto. após muita experiência com superiores. a opção pelo modo subjuntivo em “seja” reforça a ideia de que ser “inelutável” constitui apenas uma possibilidade. quanto mais me aproximo dele. Significando ação sempre situada.10). aquilo que lhe faz e aquilo que faz com o que fazem a ele. Hoje. o acento grave em “àquele” indica que “fato” está empregado de maneira determinada e específica. como “ser que se iguala a mim” (R.13).11). logo sou. mais distante ou menos igual ele me parece. social e política. conquanto também sempre livre. comportando o artigo definido.6) ser de primeira pessoa do singular. O que significa uma ação histórica — social e política. B O sujeito que faz com o que faz de si. familiares. porém.3) é retomado. ressalta a ideia em detrimento da forma gramatical. “muita coisa” (R. amores. sempre livre. o que faz de si e o que faz com o que fazem dele. Trato do “outro” do dia a dia. não raro. no entanto. Simplesmente o semelhante abriga nesta palavra tremenda contradição: fala-nos com toda naturalidade. o pronome “elas” (R.1). A O sujeito é o que faz.

além da postura” (R.2-3). para evitar a repetição da preposição “em” na mesma oração. In: Veja. tem um problema sanitário: nossa verdadeira tragédia ambiental é o fato de que 50% da população não dispõe de rede de esgotos ou o fato de que dois terços dos esgotos são lançados nos rios sem tratamento algum. ele deve permanecer mesmo que a palavra “comunidade” seja empregada no plural. basicamente.1) por com diversos atores sociais intervindo. além da postura legal da empresa. já que a população cresceria sempre de forma geométrica e a produção de alimentos jamais poderia aumentar no mesmo ritmo. provocaria erro gramatical. antes de ter um problema ecológico. extrapola na postura.br> (com adaptações). É importante ressaltar que a responsabilidade social é. sua substituição. C impregnar de neuroses e de interesses políticos o debate em Copenhague.6-7) e “todos” (R.8). A O adjetivo “calcada” (R. no Brasil.3) por ao De acordo com a argumentação do texto.7). Cargo 2: Analista de Planejamento. calcada em valores éticos que promovam o desenvolvimento sustentado da 4 sociedade como um todo.8). Mas o que é responsabilidade social. E comparecer à conferência de Copenhague sem saber o que se quer. em perspectiva de gestão empresarial com foco na qualidade das relações e na geração de valor para todos. Significa mudança de 4 7 atitude. 11/11/ 2009 (com adaptações). D Substituição do sinal de dois-pontos depois de “mais” (R. no trecho “em vários países”. A Na linha 3. fantasias e necessidades políticas que se ligam muito mais aos países ricos do que à realidade brasileira. faria melhor pensando primeiro em seus interesses. Parece bem claro que o país. um conjunto de neuroses. A conferência de Copenhague tende a refletir.2-3) seria A prever o futuro da humanidade com base em teorias científicas equivocadas. J. portanto.4-5) por responsabilidade social. Orçamento e Gestão . Emilia Fabiana Rasquinha. E “em perspectiva de gestão empresarial com foco” (R.15) por travessão.org. em vez de reagir ao debate dos outros. a intervenção dos diversos atores sociais exige das organizações uma nova postura. ajustando-se a letra inicial de “Só” para minúscula. ainda. D desconsiderar que a pobreza é a verdadeira questão ambiental do Brasil. E Na linha 10. C “que promovam o desenvolvimento” (R. Texto para as questões 10 e 11 1 Assinale a opção correta a respeito do uso das preposições nas relações de regência no texto. por de preservaria a correção e a coerência textuais. portanto. B substituir os interesses do Brasil pelos dos países ricos no debate ecológico. por isso. chamase pobreza. C Inserção de uma vírgula logo depois de “distante” (R. a “mais cara. obsessiva e mal informada ilusão científica da história? A humanidade já esteve convencida de que a Terra era plana e que era possível prever matematicamente a extinção da vida humana por falta de comida.8) associa os termos “mudança de atitude” (R. Guzzo. por exemplo. estabelecendo a relação semântica de que os beneficiários de tal mudança são “todos” (R. 13 37'56“1  Preservam-se a correção gramatical e a coerência entre os argumentos do texto ao se substituir o trecho 16 19 Estaria o Brasil se comprometendo com o que pode vir a ser a mais cara. 10 principalmente. se não houvesse a necessidade de explicitar que “geração” é um termo regido por “foco”. Internet: <www. A “a intervenção dos diversos atores sociais” (R. por isso. precisaria saber o que quer. –3– promoverem.2) exige o uso de em.5). Fim do mundo. substituição do ponto depois de “outro” pelo sinal de dois-pontos. A questão da responsabilidade social vai. R. o acento grave em “à comunidade” é exigido pelo substantivo “apoio”. como nos.UnB/CESPE – SAD/PE 37'56“1  37'56“1  Assinale a opção em que a alteração proposta na pontuação do texto preserva a correção gramatical e a coerência textual.2) por exige que as organizações tenham. sua substituição por outra forma de ligação.7) por focalizando numa perspectiva de gestão empresarial. um 7 10 processo em crescimento em vários países do mundo e. assim como “qualidade”. portanto. 37'56“1  1 Atualmente. D “responsabilidade social vai.habitatbrasil. ajustando-se a letra inicial de “Simplesmente” para minúscula. da prática filantrópica ou do apoio à comunidade. no termo “em valores éticos” (R.7) por ponto e vírgula. O Brasil. B Na linha 6. E Substituição do ponto depois de “outro” (R. B “exige das organizações” (R. B Retirada da vírgula logo depois de “pureza” (R. no Brasil. C Na linha 7 e 8. a segunda ocorrência de “na” não seria obrigatória. obsessiva e mal informada ilusão científica da história” (R. A questão ecológica real. D A preposição “para” (R. Para isso.

o conselheiro vice-presidente. reuniram-se em Assembleia 4 Geral Extraordinária. no desenvolvimento de suas atividades. ou seja. se. o cidadão paga duas vezes por aquilo que não provocou: quando compra o produto e quando o seu dinheiro é destinado à recuperação da água poluída. na ausência justificada do presidente. apenas uma das identificações é suficiente. Assumindo a presidência dos 7 trabalhos.4).10) justificase pela presença do artigo definido feminino antes do substantivo. D se. no desenvolvimento de suas atividades. 73-82.2-3) e “Assembleia Geral Extraordinária” (R. jogariam dejetos nos rios.1) e “para” (R. C retirar toda informação desnecessária e redundante. In: S. C não serão éticas nas suas relações com a sociedade. entre os termos que ligam. para que o período sintático respeite as regras gramaticais do padrão formal da língua. Para que o trecho de ata fictícia acima respeite as normas de redação dos documentos oficiais é obrigatório A padronizar os termos do texto. B informar. E buscar a objetividade. p. 10 para secretariar a reunião. D Na linha 11. os membros do Conselho Diretor desta entidade. Elizabeth de Melo Rico. jogar dejetos nos rios.Paulo em perspectiva. escrevendo “Clube dos Veteranos” (R.9): por se referirem à mesma pessoa. a flexão de plural em “arrecadam” justifica-se pelo uso do plural em “impostos”. Otoniel Pacheco da Silva Filho. vai perdendo o que lhe é essencial: a sua qualidade de vida. n. com tratamento de água e esgoto (saneamento básico).7) indica que a mesma preposição está subentendida antes de “prejuízos” (R. revelando uma atividade negligente em relação ao meio ambiente. joguem dejetos nos rios. no desenvolvimento de suas atividades. ao desenvolver suas atividades. utilizarem a prática de jogar dejetos nos rios. em primeira convocação. não estarão sendo éticas nas suas relações com a sociedade. C O sinal indicativo de crase em “à recuperação” (R. 37'56“1  Assinale a opção que justifica corretamente o uso de estruturas linguísticas do texto. jogassem dejetos nos rios.3-4) com letras iniciais minúsculas. utilizam a prática de jogar dejetos nos rios.2-5). Sr.5-6). na cidade do Recife.9) e “Otoniel Pacheco da Silva Filho” (R. Rios poluídos geram doenças e enormes gastos com a saúde curativa. Cargo 2: Analista de Planejamento. uma ideia de continuidade que vai de um ponto de origem até um ponto de chegada. o número e a identificação oficial da assembleia. O resultado prático é uma sociedade que. convidou a mim. Xisto da Costa Freire. D substituir o ponto depois de “estatutos” (R. juntamente com a preposição exigida pelo verbo “proceder” (R. Todavia.8). 37'56“1  Assinale a opção de reescrita que preserva as relações semânticas entre os elementos do seguinte trecho do texto: “se.UnB/CESPE – SAD/PE Texto para as questões 13 e 14 1 37'56“1  1 4 7 10 13 16 Há empresas que ofertam produtos e serviços de reconhecida qualidade para seus consumidores. às nove horas e trinta minutos. não estarão sendo éticas nas suas relações com a sociedade” (R. no desenvolvimento de suas atividades. jogarem dejetos nos rios. B A presença da preposição “com” antes de “tratamento” (R. como é o caso da oração “conforme se verifica nas assinaturas apostas ao final” (R.9).8) por vírgula. ao desenvolverem suas atividades. não estarão sendo éticas nas suas relações com a sociedade. 2004 (com adaptações). na sede social do Clube dos Veteranos. A As preposições “de” (R. Aos treze dias do mês de junho de dois mil e nove. no desenvolvimento de suas atividades. E As relações de sentido entre os termos do último período mostram que as duas ocorrências do pronome “que” retomam o termo “sociedade”. v. 18. As prefeituras terão de proceder à recuperação da água poluída com verbas provenientes de impostos que arrecadam do cidadão. B não estariam sendo éticas nas suas relações com a sociedade. não estão sendo éticas nas suas relações com a sociedade. se. desfazendo a redundância entre “a mim” (R.2) estabelecem. A responsabilidade social empresarial e o estado: uma aliança para o desenvolvimento sustentável. A não estarão sendo éticas nas suas relações com a sociedade. conforme previsto nos estatutos. prejuízos em atividades como pesca ou turismo etc. se. E se. preferencialmente antes do termo “em primeira convocação” (R. além de perder dinheiro.o 4. conforme se verifica nas assinaturas apostas ao final. Orçamento e Gestão –4– . se.

.

Chico Mendes foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional. No relatório. Izalmar Mendes mostrou-se satisfeita com o resultado do julgamento. Tarso Genro. O caso de Chico Mendes foi relatado pela conselheira Sueli Bellato. onde nasceu.cartacapital. e se firmou como crítico de projetos governamentais de graves consequências ambientais. um arquivo de 71 páginas redigidas por agentes do antigo Serviço Nacional de Informações (SNI). “O Estado brasileiro não soube compreender o que ele (Mendes) representava naquele momento”. a relatora construiu seu parecer citando fatos ocorridos unicamente no período em que Chico Mendes foi perseguido pela ditadura militar.8 mil reais. na forma de uma portaria assinada pelo ministro da Justiça. em 1981. Acompanhada de dois filhos. Segundo Sueli Bellato. além de indenização de 337.º de março de 1984. Preso em diversas ocasiões. afirmou. A viúva do líder seringueiro. aprovado por unanimidade. que Chico Mendes passou a ser fichado e perseguido pelos militares. Leandro Fortes. O crime. o seringueiro fez um discurso exaltado contra a violência no campo provocada pelos fazendeiros. a prosperidade e a harmonia entre as classes sociais”. então. Emocionada. “Era a hora de limpar o nome do meu marido. por comandar uma campanha contra a ação de grileiros e latifundiários. vai receber uma pensão vitalícia de 3 mil reais mensais. acusado de subversão e incitamento à luta de classes no Acre. Chico Mendes foi vereador em Xapuri. Chico Mendes se tornaria mundialmente conhecido. da perseguição política sofrida por Chico Mendes no início dos anos 80 do século passado. disse o ministro.      De acordo com o texto. em plena ditadura militar. Após assinar a portaria de anistia. como a construção de estradas na região amazônica. em 1980. a atuação de Mendes contra grileiros e latifundiários rendeu. a conselheira contou detalhes da vida de Chico Mendes. Internet: <www. o ministro da Justiça não constata nenhuma relação entre a perseguição política sofrida por Chico Mendes durante a ditadura e o seu assassinato por fazendeiros em 1988. Em Rio Branco. julgue os itens a seguir. O enquadramento de Chico Mendes na Lei de Segurança Nacional. Conforme se depreende do texto. em Xapuri. ela disse ter lido muito sobre o seringueiro morto para. responsáveis pela destruição da floresta e pela escravização do caboclo amazônico. cujo resultado foi o reconhecimento. Mais importante do que a indenização foi o pedido de desculpas feito pelo Estado”. “O Brasil pede perdão a Chico Mendes”. na porta de casa. em Rio Branco. De acordo com a conselheira Sueli Bellato. E ela veio na quarta-feira 10. quatro anos depois. em 22 de dezembro de 1988. realizou-se uma sessão de julgamento da Comissão de Anistia. dali para a frente. por unanimidade. no palco do Teatro Plácido de Castro. Segundo o texto. A indenização à família de Chico Mendes foi aprovada em votação cujo resultado não evidenciou discordâncias entre os membros da Comissão de Anistia. de iniciadas as perseguições.com. Proteção e Controle da Qualidade Ambiental –1– . Faltava reparar a injustiça cometida pelos militares. embora o relatório não tenha se aprofundado na questão.br> (com adaptações). só foi definitivamente absolvido em 1. ao assinar o documento. durante a ditadura. Antes. da infância pobre nos seringais ao dia em que foi assassinado. Izalmar Gadelha Mendes. cometido por uma dupla de fazendeiros. Foi por participar de um ato público. é correto afirmar que a família de Chico Mendes será indenizada porque o seringueiro não sofreu perseguição política. Tarso Genro declarou que o assassinato de Chico Mendes está diretamente associado à perseguição sofrida pelo seringueiro durante a ditadura. Por isso mesmo foi assassinado. portanto. A partir da leitura do texto acima. encadear os argumentos que a fizeram acatar o pedido de reconhecimento e indenização interposto por Izalmar Mendes.CONHECIMENTOS BÁSICOS E COMPLEMENTARES Texto para os itens de 1 a 20 Reparação duas décadas depois 1 4 7 10 13 16 19 22 25 28 Francisco Alves Mendes Filho ainda não era um mito da luta contra a devastação da Amazônia quando foi preso. foi punido com uma sentença de 19 anos de cadeia para cada um. citado pelo texto. porém. acusado de “atentado contra a paz. evidencia a preocupação do governo militar com a militância política do líder dos seringueiros. foi possível constatar que Chico Mendes também foi torturado enquanto estava sob custódia de policiais federais. UnB/CESPE – IBAMA Caderno G Tema 3: Gestão. disse a viúva. Na época.

Considerando aspectos linguísticos do texto Reparação duas décadas depois, julgue os itens a seguir. 
 

Os termos “portanto” (R.28) e “enquanto” (R.29), estabelecem idênticas relações de sentido. O texto caracteriza-se como essencialmente informativo. O emprego do sinal indicativo de crase em “à luta de classes” (R.2) justifica-se pela regência dos termos “subversão” e “incitamento” e pelo gênero do substantivo “classe”. O emprego da vírgula após “latifundiários” (R.3) justifica-se por isolar o termo explicativo. As palavras “amazônico” e “viúva” acentuam-se de acordo com a mesma regra de acentuação gráfica. No segmento “Faltava reparar a injustiça cometida pelos militares” (R.6) o complemento do verbo “reparar” poderia estar precedido da preposição em, com a devida contração com o artigo “a”, sem prejuízo para o sentido e a correção gramatical do texto. No período que se inicia na linha 8, o sujeito da oração principal está posposto ao verbo. O termo “onde” (R.19) introduz oração adjetiva de sentido explicativo. O verbo “participar” (R.24) está empregado, no período, como termo substantivo. 

  

 

Ainda com base no texto de Leandro Fortes e considerando aspectos textuais e gramaticais, julgue os próximos itens. 


O termo “o documento” (R.14) refere-se a “portaria de anistia” (R.12). A expressão “Na época”, no início do último parágrafo do texto, refere-se ao período em que Chico Mendes foi perseguido pela ditadura militar. Pelas opiniões apresentadas no texto, verifica-se que o ministro da Justiça e a conselheira possuem posições opostas no que se refere à atuação política de Chico Mendes. Estaria de acordo com o que estabelece a prescrição gramatical para textos escritos no nível formal da linguagem, tais como documentos oficiais, a substituição da expressão “dali para a frente” (R.3) por dali pra frente. A conjunção “E” (R.7), por ter, no período, valor adversativo, pode ser substituída pela conjunção Mas, sem prejuízo para as informações do texto. Na linha 8, o vocábulo “cujo” estabelece relação sintático-semântica entre os termos “resultado” e “Comissão de Anistia”.    

UnB/CESPE – IBAMA

Caderno G

Tema 3: Gestão, Proteção e Controle da Qualidade Ambiental

–2–

%10*'%+/'0615 $5+%15
1

4

7

10

13

16

19

O mundo moderno, caracterizado pela globalização, pela revolução tecnológica e pelo avanço irrestrito da Internet, sinaliza uma crise mundial complexa, multidimensional, cujas facetas afetam inexoravelmente nossa saúde, nosso modo de vida e a qualidade do meio ambiente e das relações sociais, políticas e econômicas. Essa crise, cujas dimensões incluem aspectos intelectuais, morais e espirituais, exige a substituição da noção de estruturas sociais estáticas por uma percepção de padrões dinâmicos de mudança: mudanças estruturais em nossas instituições sociais, nos valores e, fundamentalmente, nas ideias. É hoje crítico para a sobrevivência de qualquer organização o reconhecimento de que a criatividade é a mola mestra para o sucesso de seus empreendimentos, sendo responsável pela própria sustentação das empresas no competitivo mundo dos negócios. Os profissionais criativos e empreendedores estão sendo cada vez mais valorizados nos seus ambientes de trabalho. São eles — não as máquinas, nem o capital — os verdadeiros responsáveis pelo sucesso de uma empresa.
Ângela M.R.Virgolim. Criatividade e saúde mental: desafio à família e à escola. In: A.M.R.Virgolim (org.). Talento criativo, Brasília: Ed. UnB, p. 29-30 (com adaptações). 

As relações de sentido estabelecidas no primeiro período do segundo parágrafo evidenciam que a forma de gerúndio em “sendo responsável” (R.14-15) remete a “sucesso” (R.14) e, por isso, o adjetivo está empregado no singular. 

O desenvolvimento da argumentação no texto permite que a expressão “nos seus ambientes de trabalho” (R.17-18) seja empregada no singular — no seu ambiente de trabalho —; mas, como a opção pelo plural exige o uso do plural também em “São eles” (R.18), essa substituição exigiria alterações no último período do parágrafo.
1

Repórter – As empresas já se convenceram de que ser ético e socialmente responsável é lucrativo? Ricardo Young – Quem não enxerga a importância da

4

sustentabilidade corre um sério risco de obsolescência intelectual e analfabetismo em relação ao seu tempo. E não se trata de ser ou não ser lucrativo. A responsabilidade social tem

7

a ver com a capacidade de permanecer ou não no mercado. Em uma empresa socialmente responsável, pode-se catalisar a inteligência instalada e lhe dar uma direção e um sentido. Isso

Julgue os itens de 1 a 7 a respeito da organização das estruturas linguísticas no desenvolvimento do texto. 

10

fortalece a empresa, torna-a mais competitiva, aumenta a autoestima e a dedicação dos funcionários, amplia o sentimento de pertencimento — a vida das pessoas, em vez de ser

A substituição de “cujas” (R.3) por que as suas, embora confira maior informalidade ao texto, preserva as relações de sentido entre os termos da oração e a correção gramatical. Uma forma correta de se evitar a repetição da conjunção e no primeiro período sintático do texto seria a substituição de sua ocorrência depois de “vida”, na linha 5, por vírgula, deixando-se todos os termos da enumeração iniciada por “nossa saúde” separados por vírgula. No texto, o emprego do substantivo “substituição” (R.7) exige as preposições presentes nos trechos “da noção” (R.8) e “por uma percepção” (R.8), para indicar os dois termos envolvidos na ideia de troca. O termo “o reconhecimento” (R.13) pode ser substituído por reconhecer, sem que, com isso, sejam prejudicadas a coerência da argumentação ou a correção gramatical do texto. Pelas relações de sentido entre os termos da oração, conclui-se que “seus” (R.14) estabelece relações de coesão entre “organização” (R.13) e “empreendimentos” (R.14), o que justifica o emprego da forma pronominal no masculino plural e na terceira pessoa.

13

ameaçada pelo trabalho, é fortalecida por ele. Essas empresas têm melhores condições de desempenho e, portanto, de prolongar sua vida.
Ricardo Young. Revista Planeta, out./2009, p. 10 (com adaptações). 

A partir da organização das estruturas linguísticas e das ideias do texto, julgue os itens de 8 a 14.  

O emprego do adjetivo “lucrativo” (R.2) no masculino deve-se à concordância desse termo com a oração “ser ético e socialmente responsável” (R.1-2). A ausência da preposição de antes de “analfabetismo” (R.5) mostra que esse termo complementa “corre” (R.4), em paralelo com “um sério risco” (R.4); para que complemente “risco” (R.4), em paralelo com “obsolescência intelectual” (R.4-5), faz-se obrigatório o emprego explícito da preposição.    

Subentende-se da argumentação do texto que, hoje, a capacidade de uma empresa “permanecer ou não no mercado” (R.7) independe do conceito tradicional de lucro.
ŌŌ

%CTIQ  #FXQICFQ

8) como sujeito da oração. o que resultaria em crase.    %CTIQ  #FXQICFQ ŌŌ . deixando-se subentender “empresa” (R. iniciado por “Em uma empresa” (R.12) pelo sinal de dois-pontos ou pelo de ponto e vírgula.8). A função exercida pelo pronome “lhe” (R. com a seguinte redação: dar à ela uma direção. Preservam-se tanto a coerência da argumentação quanto a correção gramatical do período caso se substitua o travessão antes de “a vida” (R. desde que fosse usada também a preposição a.9) retoma e resume a ideia do período anterior.UnB/CESPE – BRB  Seriam mantidas a coerência da argumentação e a correção gramatical do texto caso fosse suprimido o pronome de “podese” (R.9) estaria correta e coerentemente desempenhada pelo pronome ela.7-8). o pronome “Isso” (R. Nas relações de coesão do texto.

.

Uma contribuição ao debate sobre as relações saúde e trabalho. se. dificilmente se admitiria que a caminhada com vistas a esse benefício. No texto. frequentemente. cognitivas e afetivas para produzir foi transformado. a concordância de “alterada” com “manifestações”. Saúde Coletiva. a opção empregada no texto ressalta o caráter contínuo e constante dos aspectos mencionados. uma das mais significativas forças impulsoras da humanidade.2-3) e “para produzir” (R. O fato é que essa ininterrupta e incansável luta pelo saber tem sido uma das mais importantes atividades do homem.  A organização das ideias no texto mostra que “realidade atual” (R. com as suas tentativas frustradas de estabelecer um perfil de morbidade coerente com as queixas dos trabalhadores relacionadas. os seres humanos dedicam-se a investigar e a pesquisar. “às possibilidades” (R. n. A presença da preposição a em “à aquisição” (R. por isso.6). p. a qual é alterada no seio da sociedade devido aos efeitos da desigualdade da distribuição dos bens produzidos. por exemplo.2) está sendo considerada. é o benefício do homem e nunca seu prejuízo. Seriam preservadas a correção gramatical do texto. 185 (com adaptações). à aquisição de uma multiplicidade de conhecimentos e de erros. sua dignidade. Brasília: Conselho Federal de Medicina. Ivan de Araújo Moura Fé. Enfrentam-se. aceitando-se que o objetivo. In: Ciênc.2) e das “capacidades” (R.  Com base nas estruturas linguísticas e nas relações argumentativas do texto acima. na linha 9. A partir da argumentação do texto acima. modifica a sua maneira de enfrentar os riscos e traz efeitos sobre a saúde ainda não perfeitamente conhecidos ou dimensionados. julgue os itens que se seguem.14) retoma “pesquisadores” (R. pois o modo de as pessoas fazerem uso de suas capacidades físicas.11). pois explicita as relações entre termos tão distantes no período sintático. Ocorre que. o homem depara-se com seus limites. criar.10). pudesse fazer-se sem o respeito aos valores maiores do homem. às possibilidades de domínio dos territórios e comportamentos e ao choque contínuo dos conflitos. In: José E. Assad (Coord. em lugar de “tem sido” (R. A organização do trabalho.11) é fundamental para mostrar que a oração aí iniciada está em paralelo com a oração iniciada por “ao dar vazão” (R. 1 4 7 10 13 16 19 A realidade atual vem exigindo dos pesquisadores envolvidos com a temática da saúde maiores esforços para compreender as mudanças recentes.  Subentende-se da argumentação do texto que vários aspectos notáveis fizeram parte da “aventura do homem ao longo da história” (R. “pessoas” (R. ŌŌ         %QPJGEKOGPVQU $¶UKEQU RCTC VQFQU QU ECTIQU FG 0ÈXGN 5WRGTKQT . tais como sua vida.1). conquistar” (R. em razão da acepção de “envolvidos” usada no texto.10) apresenta uma causa para o homem deparar-se “com seus limites” (R.13) é exigida por “Enfrentam-se” (R.8-9) e “insaciável afã de descobrir. sem prejudicar sua correção gramatical. bem como das estruturas linguísticas nele utilizadas. investigar possibilidades ainda inexploradas. 1. Ada Ávila Assunção. os procedimentos destinados a fazer progredir o saber. sua saúde. no entanto. o termo “Os profissionais” (R. ao dar vazão ao seu insaciável afã de descobrir. as manifestações de saúde. fazendo-se. abrir horizontes desconhecidos.4).11). da seguinte forma: as quais são alteradas. Desafios éticos.12) e “ao choque” (R. O desenvolvimento do texto mostra que as expressões “constante anseio de buscar novas perspectivas” (R. ao atingir o indivíduo. teoricamente e na prática. bem como sua correção gramatical. visto como bom para o labor de investigar. A oração iniciada por “ao dar vazão” (R. julgue os itens seguintes. Os profissionais deparam-se.1) constitui a circunstância de tempo em que a “temática da saúde” (R. ao tentar realizar em toda sua plenitude a livre aventura do espírito.2-3). “ininterrupta e incansável luta pelo saber” (R. à sensação de esgotamento.2). fosse usada a forma verbal é. bem como a coerência de sua argumentação. enfim. sua liberdade. 1993. 8.5) expressa o sentido de finalidade: a finalidade dos “esforços” (R.). criar. ampliar o conhecimento. Conflitos éticos em psiquiatria. por isso. p. Ora. ou seja.3) e “indivíduo” (R. e que não se trata de mais um termo da enumeração de verbos que complementam “afã de” (R. 2003 (com adaptações).o 4. A repetição da preposição a em “ao tentar” (R.8).7-8).1-2). sendo esta curiosidade. nem tornar incoerente a relação entre as ideias apresentadas.13). A preposição em “para compreender” (R.005-18.%10*'%+/'0615 $5+%15 1 4 7 10 13 16 19 Um dos aspectos mais notáveis da aventura do homem ao longo da história tem sido seu constante anseio de buscar novas perspectivas. respectivamente.11) referem-se à ideia expressa em “uma das mais significativas forças impulsoras da humanidade” (R. Na linha 2. ou às perturbações na vida familiar. este desejo de conhecer. sua repetição é importante. Desde seus primórdios. mantêm-se as relações entre os argumentos e a correção gramatical ao se iniciar o texto com Na realidade atual. ao desconforto do posto de trabalho. A organização dos argumentos no texto mostra que seria preservada a coerência entre as ideias originais do texto. conquistar. v. é possível substituir “com a” por na.

mas preserva sua coerência e correção gramatical. Por causa das duas ocorrências do pronome “que” (R.  Na linha 3.2). Por ter como agente “pessoas” (R. escrevendo-se são instituídos em vez de “institui” (R. sem se prejudicar a coerência nem a correção gramatical do texto. apesar de a coerência e a correção do texto serem mantidas. 19 passando. Mas qual estratégia se deveria adotar para não sentir a raiva e. não se usa o acento grave na preposição a. Elias Tavares de Araújo.4). pode ser corretamente substituído por ponto e vírgula. Essa não é a melhor solução.11) poderia ser flexionado no plural.1). p.1) por tem altera as relações entre os argumentos do texto. 241 (com adaptações). In: José E. assim. %QPJGEKOGPVQU $¶UKEQU RCTC VQFQU QU ECTIQU FG 0ÈXGN 5WRGTKQT ŌŌ . periódico e demissional do trabalhador. quando produzidos ou desencadeados pelo exercício do trabalho. poderia ser usada a voz passiva. aliás./2010.  Para se realçar “mecanismos de monitoração” (R. e 4 7 uma delas mostra que quem reprime sua frustração é pelo menos três vezes mais propenso a admitir que chegou a um ponto em sua carreira no qual não consegue mais progredir e 7 10 que tem uma vida pessoal decepcionante. sem que a coerência entre os argumentos e a correção gramatical do texto fossem prejudicadas. Já as pessoas que aprendem a explorar e canalizar sua raiva apresentam uma probabilidade muito maior de estar bem situadas Acerca da organização das estruturas linguísticas do texto acima. 4 não gera benefícios para a pessoa — essa atitude.”. ao adotar estratégias de proteção à saúde do trabalhador. fugir da 16 armadilha que essa atitude representa para a saúde? A escolha é.    Mantém-se o respeito à coerência textual e às regras gramaticais ao se retirarem as aspas da citação final do texto. A respeito da organização das ideias do texto acima e das estruturas linguísticas nele utilizadas. Brasília: Conselho Federal de Medicina. 64-5 (com adaptações). julgue os itens a seguir. explorarem. usado para destacar a informação final do enunciado. porque o verbo “evitar” não admite o artigo definido feminino.  A substituição de “se têm” (R. 1993. em geral.10). sem prejudicar a coerência e a correção gramatical do texto.). pois essa não é a melhor solução.7-8) no mesmo período sintático. uma questão de personalidade. Ao estabelecer a obrigatoriedade na realização dos exames pré-admissional. Diferentemente do que alguns autores propõem. além de desfrutar de maior intimidade física e emocional com seus amigos e familiares. institui mecanismos de monitoração dos indivíduos. nas linhas de 19 a 21. jan. julgue os próximos itens. em vez de “regime trabalhista” (R. reescrevendo-a do seguinte modo: Uma cientista que liderou estudo a esse respeito diz que não recomendaria gritar com o chefe.UnB/CESPE – INCA 1 Vale a apena rever certas crenças que se têm multiplicado a respeito das chamadas emoções negativas.  13 profissionalmente. Planeta. Desafios éticos. mas também sofre a influência das circunstâncias pelas quais a pessoa está A relação de significados que a oração introduzida por “ao adotar” (R. criou recursos médico-periciais voltados à identificação do nexo da causalidade entre os danos sofridos e a ocupação desempenhada.   A vírgula logo depois de “trabalhador” (R. Assad (Coord. o infinitivo empregado em “explorar” (R. O travessão empregado logo após “pessoa” (R. tende mais a trazer-lhe prejuízos à saúde. Perícia médica. logo depois de “visando”.1) mantém com as demais orações do mesmo período sintático permite que se substitua essa oração por se adotasse.7) é opcional e sua retirada preservaria a correção gramatical do texto.6-7).9) por que. sublimá-las 1 O regime trabalhista. não é recomendada a substituição de “no qual” (R. Pesquisas científicas recentes sobre a raiva reforçam essa linha de pensamento. periódico e demissional do trabalhador” (R. visando a evitar ou identificar precocemente os agravos à sua saúde. pois os três termos da enumeração que ela tem função de marcar já estão separados pela conjunção “e”: “exames pré-admissional. diz uma cientista que liderou estudo a esse respeito. “Eu não recomendaria gritar com o chefe. p.2).

.

.

.

.

0123 45675965 .

8 7 W -0 + 1 5 X \ /1 + . 26 + M + 6 3 \ /8 7 W + 0 2. 8 7 W /+ H / 1 + 0 7 6 + 0 6 5 m 6 8 7 8 5  1 / H / 0 –= i E . + 3 8 /9 0 W ++ 2Š /0 / 23 . 0 7 8 7 . 1 + 0 3 / .3 56 rstuv rw xv tysz|v }~w z  = D € @ i E  l@ € h ? C G C EC€ ‚ lC D = E ƒ E C „ @ l= EE C lF D Ck lF = k h =B C E h = € < i @ B = E … … … † / 0 3 7 6‡ 7 2H 0 + 6 6 / 6/ 5+ M + 8 0 ˆ 3 7 . / 3 / 27 -+1 / 9 / W + 0 3 / . + 7 0 7 o X \ /1 /6 6 M 0 7 1 / . 7 61 /8 + _ 8 /. 7 / 3 [ 0 7 / 64 5 M 7 : 7 . / M 5 3 7 6 8 63 \ /M + + 2/H 0 J H 0 7 /L / 0 3 M ¢]\ / . H / 0+ _ + 2H M / . 5 2+ 3 8 W -/7 2H / 6 8 /1 68 7 6+ 2H 0 + 6 6 U 6 6 6 . + 3 8 0 M U 6 6 0 + M X \ /H / 1 + 6 + 0 + _ H 0 + 6 6 -1 -6 + 9 5 7 3 8 +: / 0 2I 6 5 H Y + ` 6 + 4 5 + / 60 + 8 0 8 / 66 + L 2. / 2/5 8 / 0 .. 7 + 1 1 + U É ]-M 7 3 ^ -Ê . ‰ H + 0 7 / 1 7 . / 4 5 +/5 8 / 0 7 2H 0 7 2+/8 + _ 8 /++ 6 8 [0 + M . ^ /Š /0 / 23 . 7 2H M 7 . 0 + 6 . 7 1 7 [ 0 7 U £¦V3 §¨ Ÿ ¨ . 20 . / 3 / 27 -1 /L / 0 3 M QNE G @ B =B C • … –@ k > = . + M +7 0 7 -6 + 0+ 3 4 5 1 0 1 / U ]1 -27 63 8 5 0 M4 5 ++ 6 H + 0 3 + 7 + 2+4 5 +W + L 2/25 3 1 /1 + / 5 8 0 -23 + 7 0 U ©5 2-H + 0 . / 3 8 + . / 3 / 27 -7 -2M +/ 1 + 6 + 2H 0 + 9 /. 7 -3 /›0 6 7 M . + 5 ¢ œ6. 6 / m 0 + 6 6 + 67 3 1 7 . H 0 / H / 0 .. 7 / 3 M 2+ 3 8 + . 1 / U «¬ ­ ® ¯±² ³ ´ ¬ ¯ µ ¶ · ¸ ¬ ³ · ¬ ¸ ¹ º »»»µ ¼ ® ³ ´ ¸ ® · ® · ­ ´ µ ² ³ ­ µ ½ ³ ¾¿ À ² Á´  ´ ¼ ¸ ´ Ã Ä ¬ ¯ Å µ † 5 M 9 5 +/ 67 8 + 3 61 +Æ-Ç . / 26 7 9 3 7 : 7 . / M 5 3 7 6 8 -1 +L / 0 3 7 6+0 + W 7 6 8 6 . 7 H M28 q 0 7 -1 + 6 6 + ‰ ž . / 53 + 6 6 -0 + M X \ / ¢]\ /6 +: M Œ — 1 +. -3 \ /6 + 0 / 6 7 2H / 6 8 / 6 Uœ 6 6 / 2m 0 / 6 /q4 5 +-H 0 7 3 . -3 / 6 6 -7 1 + / M / 9 7 U ’ o 8 + 2H /4 5 ++ 6 8 W -21 5 0 + . 3 1 7 . 0 7 8 6H + M / 6. ^ /Š œ6 6 / 2m 0 / 6 /q4 5 +-H 0 7 3 . † / \ /˜m M 1 / ‰ ™ 5 š7 m + 7 0 / . H 0 / W W + M 2+ 3 8 + . 1 + 0 3 /1 ++ .1 7 27 3 5  -/ — ‘ 7 2H / 6 8 /1 +0 + 3 1 -Ž ª šH 0 -/ 66 6 M 0 7 1 / 6+H + 3 6 7 / 3 7 6 8 6+ .3 \ /6 \ / 7 3 1 + H + 3 1 + 3 8 + 61 /M 5 9 0+ 24 5 ++ 6 8 2/ 6 . / 3 6 8 0 5 7 0 /8 / 27 0 ˆ 3 7 . 6 + 2H 0 + L 5  o /H 0 -/ 66 + 3 8 7 1 / 6/ 0 7 9 7 3 7 61 /8 + _ 8 / U Ò œ+ 2H 0 + 9 /1 /. -1 6H 0 / H 0 7 + 1 1 + 68 + _ 8 5 7 6+ 9 0 28 7 . 7 -1 +Š 0 + : + 0 7 3 1 / ‹+H + M / + 2H 0 + 9 /1 + 0 8 7 9 /: + 27 3 7 3 /3 8 + . 7 H M28 q 0 7 -1 + 6 6 + .2/ 8 7 W 1 -H + M -6 5 / 6 7 X \ /H / M  8 7 .Š 0 + 8 0 8 0 ‹/1 + 6 + 2H + 3 ^ /1 -+ . 2+ 3 8 + . 0 + 6 . + 3 1 /H / M a 27 . +-26 6 -6 M 0 7 M 5 2+ 3 8 -3 -W + M / . 0 9 -8 0 7 m 5 8 [ 0 7 U £M 9 5 2L / 0 3 M 8 / . / 0 1 -+ 2. -H M W 0 -Š 6 6 / 2m 0 / 6 / ‹+ 6 8 [ + 2H 0 + 9 1 -. 7 2U È œ+ 2H 0 + 9 /1 6 6 H 6 3 -M 7 3 ^ -¨L 5 1 --. 1 / 0 + 64 5 + Œ 7 . / 3 : 7 1 /H + 0 9 5 3 8 0 7 I/4 5 +.. 3 / 6Z M 8 7 2/ 63 / 6 ./4 5 +6 +.+ 6 8 W H 0 / 1 5 o 7 3 1 /5 2-7 3 8 + 0 W + 3 X \ /3 /1 + m 8 + . /++ 2H 0 + 9 / U “[ ‰ ” + H / 5 . 1 + 0 3 /1 ++ . +/+ 2H 0 + 9 /Ž ++ 2H 0 + 9 / : / 0 2M  . 3 -6 / . 5 0 2/ 6 8 0 0 4 5 +-0 + M 7 1 1 +H / 1 +6 + 0 1 7 6 8 / 0 . 7 6 28 0 m M ^ 0. 7 U ]-2+ 6 2-+ 1 7 X \ / . X \ /+1 -W + 7 . . 7 6 8 -+. / 3 / 27 -+1 / 9 / W + 0 3 / UV 0 -7 6 6 / . / 2 9 0 3 1 +1 + 6 8 4 5 + . 7 + 1 1 + U 3 \ / ‘ 6 \ /7 3 1 + H + 3 1 + 3 8 + 61 /0 5 2/4 5 +H 0 + 8 + 3 1 + 2/ 61 0n6 / ..3 \ /q7 6 6 / U ¡ ¤ £ . / 3 ˆ 27 . 8 7 W /4 5 +7 3 7 .m 6 8 3 8 + ‰ — . 1 + 0 3 /1 ++ . / M 5 3 7 6 8 -3 \ /+ 6 8 W -H 0 / 1 5 o 7 3 1 /7 3 : / 0 2X \ / . -. 1 -H + M /M 5 9 0 — Œ + 24 5 ++ M + 6+ 6 8 \ /+H + M / 6: 8 / 64 5 +H + 0 . 1 / 0 + 64 5 3 8 7 8 8 7 W / 6 Up/ 3 8 5 1 / . + 1 + U Ð *+. / 2 2+ 1 7 1 6 . 5 H 23 -6 / . 7 8 2+ 3 8 + . / 3 / 27 ‹Ž Í U Î Ï ` Î Ê  . 7 6 8 -+ 6 8 W -6 +0 + : + 0 7 3 1 / . 7 6 8 -+ 6 8 W -6 + 0 + : + 0 7 3 1 / .5 2-7 3 8 + 0 W + 3 X \ / 2/ 8 7 W 1 .8 \ /6 5 0 0 1 -H + M -2 1 7 ./ 67 3 1 7 . 20 / 23 . / 3 / 27 . / 3 / 27 ^ W 7 -M 7 1 /628 q 0 7 6+ 6 . 7 8 2+ 3 8 + . 7 M1 /L / 0 3 M .4 5 + 5 2+ 3 8 0 7 -7 2H / 6 8 / 6H 0 -68 7 6Š + 2H 0 + 6 6H 0 + 6 8 1 / 0 61 + — ‰ 6 + 0 W 7 X / 6 ‹ . + 1 + 3 1 /Š ¦+ 1 7 1 V 0 / W 7 6 J 0 7 ‹ U Ì ( .26/5 8 / 0H 0 / . / 3 6 + 0 W 1 / 0 .W + 0 m MŠ : o ‹1 + W + 0 7 -6 + 0 6 5 m 6 8 7 8 5  1 -H / 0 < @ Ë C lU                       !   " # $ %  &         ' "    ]/8 0 + .: / 0 2. 7 6 8 -+ 6 8 W -6 + 0 + : + 0 7 3 1 / ‹ Ž Í U ¨ Ï  8 + 2W M / 0 + _ H M 7 . / 6‡ . 1 + 0 3 /1 ++ .5 20 8 7 9 /1 +. ` 6 +H + M -0 + 9 a 3 . 1 / 68 7 3 ^ 2+ 2H 0 + + 3 1 7 1 /8 + 0 . n¦+ 1 7 1 -V 0 / W 7 6 J 0 7 -Ž ¦V  3 U § ¨ Ÿ ¨ ‹ Ž Í U ¨ Ï ` ¨ Ê ÓL 5 6 8 7 : 7 . J H 7 61 -0 + M 7 1 1 + . 26 + 2/ 5 8 0 /.6 +-H M W 0 -Š 8 + 2H / ‹: / 6 6 +6 5 m 6 8 7 8 5  1 -H + M + _ H 0 + 6 6 \ /B = i E@ € = E . + 0 -M 9 /6 6 7 2I p0 + 6 . 0 + 6 . 3 + 6 6 -2+ 6 2-+ 1 7 X \ /1 /NE G @ B  = . / 2H 0 / W -H + M H 0 + 6 + 3 X -1 /0 8 7 9 /4 5 +-3 8 + . 7 2+ 3 8 /+ . 3 64 5 7 6 . 6 -1 + + 3 : / 0 . / 3 + . / 6 2+ 6 + 6 . / M 5 3 7 6 8 -/ : 7 . 1 / 0 + 6‡ .H 0 + . / M 5 3 7 6 8 -1 /. U / 0 / 23 . ¡ ¥ H 7 2H M 7 . 5 M X \ /1 /L / 0 3 M U Ñ œ. 7 1 -H + M -H / 6 7 X \ /4 5 +6 H + 6 6 / 6/ . / 3 6 8 0 5  2/ 6Ž 3 J 6/ 5+ M + 6 3 \ /6 \ /3 + 5 8 0 / 6 . + 6 6 /n/ H 7 3 7 \ /1 -. 3 /. + H X \ /1 /25 3 1 / . 7 / 3 1 /n7 1 + 7 -. / M + 9 3 8 + 61 -H 5 m M 7 . 7 1 1 +1 +Ÿ  m 7 H / 0 6 U ¡ ¡ 2a œM + 7 8 / 01 + 6 . 7 -/8 0 + . 8 7 3 ^ 26 7 1 //1 7 6 H / 6 7 8 7 W /H + M /4 5 M Œ ” + 2H 0 + 6 6+: 5 3 .5 2-7 3 : / 0 2X \ /7 3 8 + 0 + 6 6 1 .n ¦+ 1 7 1 -V 0 / W 7 6 J 0 7 -Ž ¦V 3 §¨ Ÿ ¨ . 1 7 o 7 -M 9 /6 7 27 M 0 I 3 1 -. 4 5 +-+ . / M + 9 61 +L / 0 3 M+6 + / H 5 3 ^ --+ M + 6 . + 0 . / 0 1 /. / 2/5 26 5 m 6 8 3 8 7 W / . 7 + 1 1 + ‡ /3 / 6 6 /H 0 / L + 8 / . W -/1 + 6 + 2H + 3 ^ /1 -+ . / 0 0 + 26 5 -+ _ 7 6 8 a 3 . / 6 8 5 22. : 7 0 23 1 / .

.

2-3). a exemplo do cerrado. A A fiscalização é dispensável no processo de preservação da caatinga. Na caatinga. que possui 20% de seu território protegidos por lei. de acordo com o respectivo comando. que já ocupou 10% do território nacional. no México. “as perspectivas” (R. ibidem (com adaptações). A O trecho “que já ocupou 10% do território nacional” (R. assinale a opção correta. A promessa do governo federal de utilizar metade do Fundo de Mudanças Climáticas para a recuperação do bioma e a perspectiva de criação de um Fundo Caatinga pelo Banco do Nordeste são notícias importantes. Um dos caminhos viáveis parece ser seguir a fórmula adotada na Amazônia. a caatinga experimenta um processo acelerado de desmatamento — que pode significar a desertificação do semiárido nordestino. C O país tem larga experiência na fiscalização eficaz e bemsucedida contra o desmatamento.6) foi empregada no presente do indicativo. cabe o emprego correto do acento grave no trecho A B C D E “a atuação” (R. por vírgula. ibidem (com adaptações).5).8). Jornal do Commercio (PE).1-2) está entre vírgulas porque tem natureza restritiva.9).• Nas questões a seguir. D Já está em pleno funcionamento o Fundo Caatinga. E O governo federal já utilizou mais da metade do Fundo de Mudanças Climáticas para proteger a caatinga. porque o período em que se insere apresenta informação acerca de fato que ocorre na atualidade. Para as devidas marcações.000 km²” (R. criado no Banco do Nordeste. porém devem ultrapassar logo a fase dos discursos. a única opção correta. Para preservar a caatinga.2). para ser enfrentada de modo satisfatório. A narrativo B descritivo C dissertativo D dialógico E persuasivo QUESTÃO 2 Em relação às estruturas linguísticas empregadas no texto. a caatinga padece da ausência de uma política clara de conservação que estanque o processo de desflorestamento e ajude a impedir a formação de um deserto em pleno Nordeste. esse percentual é de apenas 7%.10) pelo singular está. prevista para dezembro. –1– . É com apoio científico capaz de embasar as decisões sensatas dos governos que se caminhará rumo a necessária reorientação da economia global. aproximadamente metade de sua extensão.000 km². Mas a questão climática. D Preserva-se a correção gramatical do período substituindo-se a forma verbal “estão” (R. Idem. precisa menos de crenças otimistas ou pessimistas e mais de análises objetivas das transformações da atmosfera. QUESTÃO 4 1 QUESTÃO 1 Assinale a opção correspondente ao tipo textual predominante no texto. “a necessária” (R. as perspectivas para a próxima cúpula do clima. C A forma verbal “estanque” (R. será preciso mais do que fiscalização — sempre de difícil execução no país — ou mais do que a declaração de boas intenções. destruída. No texto acima. 16/3/2010 (com adaptações). Cargo 2: Agente Técnico Administrativo 4 7 10 Como o enfrentamento do problema do aquecimento global exige a atuação conjunta de dezenas de nações. Assinale a opção que está de acordo com as ideias do texto acima. CONHECIMENTOS GERAIS Texto para as questões 1 e 2 1 QUESTÃO 3 4 7 10 Único bioma de ocorrência exclusiva no Brasil. marque.12) está entre vírgulas porque é um aposto. E O segmento “que é de 826. B Uma das soluções para o desmatamento da caatinga seria ampliar a área protegida por lei. use a Folha de Respostas. que é de 826. B Prejudica-se a correção gramatical ao se substituir o travessão. Quase dois terços da área sob risco de desertificação no Brasil estão na caatinga. “a questão” (R. único documento válido para a correção das suas respostas. vão-se tornando mais desanimadoras. na linha 3. que já teve. ameaça concreta diante do aquecimento global do clima no planeta. “as decisões” (R. Com 510 espécies de aves e 148 de mamíferos. A caatinga brasileira não tem mais tempo a perder. para cada uma. Idem.

tem a função de A inserir o autor e os leitores como participantes dos fatos focalizados pelas informações do texto. em direção aos centros urbanos. já que. D identificar o poder público. ou não são eficazes para que as pessoas atendam aos apelos de prevenção. nesse passo. 7 10 As campanhas publicitárias não estão dando o resultado esperado. Foram mais de 108 mil casos da doença. a vulnerabilidade da caatinga ameaça prejudicar a recuperação da economia nordestina verificada nos últimos anos. mas não há como implementar-lhe sem que o Estado cumpra seu papel de estabelecer marcos legais e cuidar de fiscalizar sua aplicação. o emprego de verbos na primeira pessoa do plural. Assinale a opção em que o trecho está gramaticalmente correto. nesse passo. desde então.” (R.2-3) “jogar limpo com o consumidor” (R. a caatinga. De acordo com as previsões sombrias baseadas nesses números.5-6) por conquanto nessa velocidade. 15/3/2010 (com adaptações). de uma área da caatinga com três vezes o tamanho do Distrito Federal — pouco mais de 16. entre 2002 e 2008. Tudo indica que teremos uma epidemia de largo espectro este ano. jogar limpo com o consumidor vem-se tornando uma preocupação cada vez mais marcante das corporações bem-sucedidas. B conferir ao texto um tom de modéstia por parte do autor.2) por detectaram-se. é crescente o número dos gestores que já percebem o consumidor como alguém a ser respeitado em troca da fidelidade. com muitas internações em diversos pontos do território nacional. será consumida muito mais rapidamente. As opções abaixo apresentam trechos. sempre alguém tentando fazer o consumidor de vítima. D “De acordo com as” (R. escolha e participação. foi detectado o sumiço.14) por Caso nada. o aumento da temperatura levará à redução das chuvas e ao êxodo populacional. Jornal do Commercio (PE). Se nada for feito para conter o processo. a correção gramatical e o sentido original do texto acima serão mantidos caso se substitua o trecho A “foi detectado” (R.9) Cargo 2: Agente Técnico Administrativo . como autores do texto.7-8) “ser respeitado em troca da fidelidade” (R. o número registrado foi mais que o dobro do registrado no mesmo período no ano passado. O fato é que começamos o ano com mais vítimas da dengue do que em 2009 — até a segunda semana de fevereiro. some do mapa. D Ela animou o surgimento de combativas organizações civis e. com 21 mortes. em “começamos” (R.8). na meca do liberalismo. Estado de Minas. os dirigentes da área da saúde. atirando 25 milhões de toneladas de carbono na atmosfera — e apertando ainda mais o ciclo do aquecimento global.UnB/CESPE – UERN QUESTÃO 5 1 QUESTÃO 7 4 7 10 13 16 No primeiro balanço resultante do monitoramento por satélite. C “já que. B Não foi à toa que. a vegetação equivalente a duas cidades de São Paulo. que não quer chamar a atenção para si. cinco vezes menor. esses agentes econômicos acabam ajudando as sociedades a se afastarem do capitalismo selvagem. execração pública e punição exemplar vai haver. Idem. B “ao do desmatamento” (R. segurança. –2– Com relação ao texto acima. a reclamar de defeitos. por vários jornalistas. No trecho. que são colaboradores de outras áreas. O ritmo é semelhante ao do desmatamento da Amazônia. principalmente.4-5) por ao lento desmatamento. QUESTÃO 6 4 1 4 7 10 Ao lado de avanços nas relações trabalhistas — como a participação nos resultados e o investimento das empresas mais modernas na qualidade de vida de seu pessoal —. Longe da troglodita noção de esperteza que ainda caracteriza certos empresários iludidos com as vantagens do imediatismo. A verdade é que.500 km². o brasileiro médio aprendeu a observar a data de validade dos produtos. assinale a opção que apresenta um trecho inadequado ao uso em correspondências oficiais. ibidem (com adaptações). QUESTÃO 8 1 A coerência. atrasos na entrega e atendimento inadequado. a lei que instituiu o Código de Defesa do Consumidor fará 20 anos em 11 de setembro e são um dos maiores sucessos de aceitação populares. C revelar que o texto é escrito por mais de um autor. A B C D E “avanços nas relações trabalhistas” (R.3-4) “é crescente o número dos gestores” (R.3) e “teremos” (R. E reforçar a ideia de que a publicação é produzida coletivamente. Ao construir uma reputação elevada para seu negócio. E Não faltou. E “Se nada” (R. coube ao governo central dos EUA à iniciativa de promulgarem os quatros direitos fundamentais do consumidor: informação. o apoio da mídia.11) por Conforme as. Por ano. a maior do Brasil. a veracidade das informações da embalagem e. de um texto publicado no jornal Estado de Minas de 15/3/2010. com consequências graves. 15/3/2010 (com adaptações). C No Brasil. sucessivos e adaptados. sem vigilância.1) “investimento das empresas mais modernas” (R. A Reconhecer e fazerem valer os direitos do consumidor é tarefa que certamente cabe a todos os envolvidos.

Considerando que. em algumas regiões. sobretudo de sua forma letal.9) Cargo 2: Agente Técnico Administrativo O texto em apreço é predominantemente A B C D E persuasivo. é dos governantes. a riqueza do pré-sal.5 milhões de toneladas. Assinale a opção em que o trecho adaptado apresenta grafia correta. os terrenos e logradouros abandonados repletos de criatórios do mosquito da dengue. levar o Brasil ao Primeiro Mundo. sucessivos e adaptados. reduzir às desigualdades e propiciar os avanços tecnológicos e a infraestrutura que deve servir as imensas reservas de petróleo capazes de. A o acento circunflexo da forma verbal “têm” (R.UnB/CESPE – UERN QUESTÃO 9 QUESTÃO 11 As opções que se seguem apresentam trechos adaptados de um texto publicado no Jornal do Commercio (PE) de 15/3/2010. O custo de cada armadilha é de apenas R$ 0. foi introduzido um erro gramatical.50. a mistura de calor e chuva com desleixo e omissão — daqueles que representam a coletividade — eleva o temor da epidemia. C A responsabilidade pela saúde pública. embora com pequenas discrepâncias decorrentes do uso de metodologias diferentes. dialógico. E Neste cenário favorável à epidemia. O ministro da Agricultura acredita que as próximas projeções podem confirmar uma safra recorde. Idem. marcado pela crise econômica mundial. com os poços sob a propriedade da União. de caus generalisado. armadilha que atrai as fêmeas e utiliza larvicida biológico. de texto publicado no Correio Braziliense de 14/3/2010. –3– . não de concessão. indubitavelmente de patrimônio de todos os brasileiros. B No entanto. QUESTÃO 10 1 As opções abaixo apresentam trechos. e a chave para abri-la é um marco regulatório para exploração do petróleo da camada pré-sal escrito pelos parlamentares brasileiros. com febre hemorrágica.Paulo. que acabam de ser divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pela Companhia Nacional de Abastecimento.3) C a grafia de “desleixo” (R. A A ampla maioria dos mosquitos desenvolve-se nos rescipientes de água parada localizados dentro dos quintais dos domicílios. indicam que. poderiam ser adotadas em outras cidades. em última instânscia. com 143. camada a mais de 300 km da costa brasileira que não pode ser reinvindicada exclusivamente por esse ou aquele estado.4) E o zero após o “5”. As residências e construções abandonadas devem ser vistoriadas regularmente. É para isso que existem autoridades eleitas pelo povo. D É para melhorar a educação e a saúde. D O Brasil é vunerável à ação do mosquito da dengue por uma razão simples: a precaridade das condições de vida. por uma prolongada estiagem. com transparência e total retorno a nação. no texto acima. E O futuro está próximo. será preciso mais do que campanhas informativas para debelar o risco.3) D o travessão logo após “coletividade” (R. É preciso agir logo. assinale a opção que identifica esse erro. não se podem deixar em segundo plano. sobretudo a Sul. A É preciso considerar como nacional. mas há uma porta a ser ultrapassada. descritivo. É justo que para a nova fortuna haja novas regras. É um cenário bem melhor do que o observado no ano passado.2) B a vírgula logo após “vem” (R. há ser explorado em regime de partilha. QUESTÃO 12 4 7 A pesquisa para o desenvolvimento da vacina contra a dengue têm gerado grande expectativa. Assinale a opção em que o trecho está gramaticalmente correto. somada às deficiências na educação. principalmente nas áreas mais pobres. em “0. investimentos em insumos e máquinas e otimismo do agricultor com as perspectivas do mercado externo são os fatores que explicam os seguidos aumentos das estimativas da safra de grãos que está sendo colhida no país. e por isso o discurso oficial repete o mantra de que o cidadão precisa acordar para o perigo. 13/3/2010 (com adaptações). são o cenário ideal para a multiplicação do inseto. dissertativo. Iniciativas como a ovitrampa. pela queda de preços e. nos locais em que predomina o acúmulo de lixo. ibidem (com adaptações). fazendo a sua parte para previnir o surto. com o argumento de que é o produtor. em Caruaru. pelas incertezas quanto à demanda internacional. C E é imprescindível que elas garantam a melhor gestão. As mais recentes. Os postos e hospitais da rede pública e privada não têm capacidade para dar conta da demanda em momentos de crise epidemiológica. Importante é que o Congresso apresente a nação modelo capaz de trazer das profundezas do oceano para a casa de cada brasileiro as riquezas recém-descobertas. O Estado de S. já vislumbrado. e não do cidadão. esta pode ser a segunda maior safra da história. B Trata-se. Enquanto a vacina não vem.50” (R. narrativo. Clima favorável. bem exploradas.

e o aumento da produtividade. C O tom que se exprime com a linguagem utilizada em “não há só ajuda divina” (R. A Prejudica-se a correção gramatical do período eliminando-se o “do” em “maior do que” (R. como o norte de Minas Gerais. Um dos motivos do crescimento da safra é a expansão de 1. B houve ampliação do investimento em máquinas e equipamentos industriais mesmo durante a crise. –4– QUESTÃO 14 Depreende-se das informações do texto que A o ano de 2009 representou uma queda no crescimento econômico sem reflexos no futuro. água e sol. apesar da queda do PIB. D opinativo e pessoal. B coloquial e pessoal. em termos estratégicos. a demanda dos países asiáticos. QUESTÃO 16 1 4 7 10 13 16 19 O IBGE prevê para 2010 a segunda maior safra agrícola da história: 145. Por isso. A trajetória da soja no Brasil é um dos maiores exemplos da evolução agrícola do país.7% do PIB entre 2008 e 2009 é o dado mais negativo. dessa maneira. Pecuária e Abastecimento mostra que a produtividade. Em relação ao texto acima. como confirmam as contas nacionais divulgadas pelo IBGE.Paulo. continuam presentes: a disponibilidade de recursos naturais. A O Brasil tem condições de aproximar-se dos líderes produtores agrícolas.1 milhões de toneladas de grãos.13-14). Mas não há só ajuda divina. por exemplo sustentada. C impessoal e informativo.UnB/CESPE – UERN QUESTÃO 13 QUESTÃO 15 As opções a seguir apresentam trechos. Valor Econômico. 11/3/2010 (com adaptações). Os portos funcionam de forma insuficiente. principalmente. no cenário do ano passado. pois os principais fatores que impulsionaram a produção brasileira. Cargo 2: Agente Técnico Administrativo . os custos de produção não é competitivo e a agricultura não consegue se desenvolver em regiões cuja áreas poderiam ser agrícolas. medida pela produção em toneladas por hectare.3). E Infere-se das informações do texto que há uma relação diretamente proporcional entre maior produção por hectare e produtividade. Assinale a opção em que o trecho está gramaticalmente correto.7% para 16.Paulo de 13/3/2010. A queda do investimento de 18. supera as 50 sacas e está acima da média registrada nos EUA. 12/3/2010 (com adaptações). O Brasil é privilegiado pelo clima e pela disponibilidade de água e terra. B A produtividade. assinale a opção correta. em “do que a de” (R. nos últimos anos. equipamentos e construções. a produtividade média da cultura da soja era de 30 sacas por hectare. Estudo recentemente divulgado pelo Ministério da Agricultura. O principal impulso vem do aumento da produtividade. consequência do uso mais intenso de insumos. B Subentende-se. de texto publicado no jornal O Estado de S. As estradas são ruins e não atende importantes regiões. totalizando 47. O texto em questão é A subjetivo e informal. a elipse da palavra antecedente “história” (R. é a precária infraestrutura. foi a queda de quase 10% no valor dos investimentos em máquinas. cresce em várias frentes. D a falta de investimentos prejudicou a possibilidade de ampliação da capacidade produtiva nos anos seguintes à crise. D Por causa dessa deficiência. Texto para as questões 14 e 15 O pior efeito da crise econômica. Pecuária e Abastecimento” (R. A contração de 0. C a diminuição do PIB foi a pior consequência da crise. Atualmente.9 milhões de hectares.3).2% do produto interno bruto (PIB) está longe de ser desastrosa. volume 8.5% maior do que a de 2009. para o Brasil. E Sem infraestrutura. Na década de 70 do século XX.14) está no singular porque concorda com “Ministério da Agricultura. E a modernização e a expansão da indústria estão asseguradas. embora o preço desta última venha subindo. o qual o governo não consegue eliminar. condições mais sólidas para a expansão nos anos seguintes. como o adensamento — o que exige investimentos e aperfeiçoamentos tecnológicos.5% da área plantada. E formal e subjetivo. representa quase metade do valor recebido pelo produtor de soja de Mato Grosso. continua a crescer. como terra. 2009 não foi um ano perdido apenas quanto ao crescimento econômico.2). quando começou a entrar em Mato Grosso. O Estado de S. D A forma verbal “mostra” (R.8) torna esse trecho adequado para o emprego em correspondências oficiais. pelas pesquisas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária sobre variedades e métodos adequados a realidade brasileira e pela modernização da gestão no campo. o custo do frete. A perda mais importante foi outra: o país aplicou muito menos que o necessário para modernizar e ampliar sua capacidade produtiva e garantir. C Problemas existem e não são desprezíveis. O principal desafio da agricultura brasileira. máquinas e técnicas modernas de plantio. sucessivos e adaptados.

crédito rural orientado e infraestrutura social representada por equipamentos indispensáveis como escolas. fixadas. O cenário é muito positivo para o agronegócio brasileiro da porteira da fazenda para dentro. Está em segundo em soja. e em quarto em carne suína. E O termo “como” (R.7) está sendo empregada com o sentido de A B C D E restrições. carne de frango e carne bovina. radicadas. 40% da água armazenada se perde pela evaporação. A palavra “peculiaridades” (R. ainda. B O emprego do futuro do pretérito nas duas ocorrências de “seria” (R.5-6). assistência técnica para modificar o padrão da agricultura secularmente praticada. a forma pronominal “-lo” refere-se ao termo 4 A B C D E “O Nordeste” (R. postos de saúde. Em relação ao texto acima. que defendem sua própria agricultura com poderosas barreiras comerciais.14) 7 10 Quando começou a instalar a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE). ibidem (com adaptações).10) a forma verbal “Há” (R. “verde” (R. C O emprego de vírgula logo após “terra” (R. áreas com população rarefeita. limitações. suco de laranja. ibidem (com adaptações). condicionamentos. uma comparação. com isso. assinale a opção correta. Velhos gargalos tolhem uma evolução ainda maior do agronegócio no Brasil. assegurando-se. assinale a opção que identifica esse erro.8). A O termo “Quando” (R. Idem. QUESTÃO 18 1 Em “entendê-lo” (R. desempregada. a cada migrante. a palavra “disseminadas” (R. “estágio de desertificação” (R. A migração seria apoiada por um projeto de colonização. Diário do Nordeste (CE). O seu destino seria o Maranhão chuvoso. causa perda de mercadoria. embora estas também estejam em processo de descaracterização. QUESTÃO 19 Na expressão “população rarefeita” (R. o economista Celso Furtado lançou amplo programa de remoção das populações afetadas pelas estiagens periódicas. como mostra a atual briga do Brasil com os EUA por causa dos subsídios ao algodão.1) estabelece no período uma relação de condição. QUESTÃO 21 1 4 Considerando que. no texto acima. poucas ilhas de umidade. terra. No texto acima. Estradas ruins encarecem o frete e alongam as viagens.10). nos quais se identifica estágio de desertificação. menos produtiva. 7 A rede de açudes públicos construídos ao longo do último século no Nordeste não conseguiu.4) a grafia de “viagens” (R.9) a flexão da forma verbal “causa” (R. foi introduzido um erro gramatical. D A palavra “técnica” recebe acento gráfico pelo mesma razão que o vocábulo “saúde”. dificuldades. Para entendê-lo. centros de lazer e clubes vicinais. Nelas são encontradas áreas densamente povoadas.9) estabelece. alcançar seu objetivo prioritário de suprir com água de qualidade as populações disseminadas pela região.4) está sendo empregada com o sentido de A B C D E espalhadas. –5– Cargo 2: Agente Técnico Administrativo . no trecho.4).5). Sem adutoras ligando os reservatórios aos ajuntamentos humanos. portos subdimensionados e congestionados atrasam os embarques e. especificidades.11) a sigla “EUA” (R. há que se partir das peculiaridades apresentadas por essas diferenças.6) tem a mesma justificativa que a do emprego de vírgula após “escolas” (R. economicamente desfavorecida. “estágio” (R. insalubre. café. “processo de descaracterização” (R. 11/3/2010 (com adaptações). especialmente na área de logística. Nos poucos ambientes com algumas reservas hídricas. Idem.3). a água se torna imprestável para o consumo em razão de sua salinidade. espaços serranos em que o verde ainda se mantém preservado e imensos vazios. enraizadas. farelo de soja e milho. Idem. arraigadas.1). a palavra “rarefeita” significa A B C D E pouco densa. QUESTÃO 22 Texto para as questões de 18 a 20 1 4 7 O Nordeste é marcado pela diversidade nas suas seis regiões naturais. ibidem (com adaptações). A B C D E o ponto e vírgula logo após “milho” (R.UnB/CESPE – UERN QUESTÃO 17 1 QUESTÃO 20 4 7 10 13 O Brasil já é o primeiro da lista de maiores exportadores de álcool. Há ainda o problema do câmbio e o protecionismo dos países ricos.6).5) indica que o plano foi realizado integralmente.

.

Z . . 2 3 . 6 .1 0 4 08 54 2 9: . 51 2 6 9 . 3 P : 5>0 : 5K P 2 9 _ 24 0 ›6 : _ 2‹ 2 Z : t . 4 8 [ _ 24 0K 2 p 3 . 4 0 4 . 5= 0 Z 2 34 . 99 .K 2 3= 2 3 58 P 0 3 K 3 2 K 2 9 .. 2 3 4 2˜0 3 . 0K 2 P 2 6 d 94 0 5•: 1 – : . > 0 2Z 2 P 8 6 .2 94 . 6 .6 0? @ A B CE FG F H I @ H J C H >K 0 3 01 0 4 0: .1 : Z : P X ¡ £ 2 Y 0 3 0. b ’ Z . 2 > 2. 22 3 : 8 6 4 24 0. P 0 [ _ 2q 9: 4 . 21 0 : 8. 6 . 3 3 : .. 3 0 .3 . 3 0 9 2 > 4 . >4 0 s2 P 8 5p : 0 ›6 : Z . 3 0 9 K 0 P 0 Z 3 0 9 > K 0 3 0 < 0 6 a 0 3 0< 8 . : 0 5> 6 2š3 0 9 : P > § ¥ > ¦5: P a \ . 6 . 3 3 0 > Œ ™ K : 6 4 : 9 K . > . 3 0 37 8 . = 2 3 506 . 2 >252 5. 0 5. 0 3. : 9 > > ­5: P a \ . 52 9 Z 2 P . . 9 X Y 2 3 t 5> K 3 . 94 . 9 . = .= 0 .09 2 1 : . : 9 > 9 . . 1 : K 0 [ _ 2. . a ¡ ¡   6 9 . . 1 2 3 3 . 24 . P q. 6 0 P1 3 . > : 3 3 . 9 : < 6 0 4 21 2 521 M 4 : < 2N> 1 0 9 2O 8 P < 8 . 3 . t 3 : 0 9. = : 3 0 > 50 3 7 8 . 6 [ \ . 3 0 [ _ 2. 1 . : = ] 6 4 : 2 9 4 . 6 . 0 9 X SF … J @I C G C@ Hl J F † HE F‡C‡ ˆ Œ ‰= : P M 9 2 = 2= 3 0 6 1 d 9Š . 0 3 : 9 52 X `_ 29 . 9 0 = : 2 9 ¡ ¢ K 9 : 58 P . 0 4 2 3 . 2 X .2: . > . . 2Z ^ P : 4 2K 0 3 001 2 3 3 .2a 2 5. 0 3 0 2 P 0 6 . t2P 2 1 0 P > 1 2 58 5K 3 2 1 . O 0 5.1 : 50K 0 3 0p 0 : b 2. 3 : K 0 3 . O 0 5. P7 8 . : 52 9 9 t 1 8 P 2 9 > p 0 9 . : 1 2K 2 P 2 6 d 9 4 0 5•: 1 – : .0 9 9 : 5= 2 3 >0 99 2 1 : . r 0O ^ . 94 . 5p 2 0  K 0 3 . 6 . 6 . 2 94 09 . 4 : 3 0 9 2 3 [ 0 9K . 9 9 : 4 0 4 . Z : 4 0 950 3 1 0 [ \ . 5 t8 5K 3 2 O . . : 1 0 >9 . ” 6 . P ™ Œ : . < 8 3 0 6 [ 0. .p 0 : b 2K 0 3 01 : 50 X `26 ’ Z . b : 9 . 6 Z 2 P Z : 5.K 3 : Z 0 4 2. K P 0 6 . . : 3 24 29 . 24 . 9 0 K 0 3 . 5K 0 3 . 3 6 0 9 >. -. 3 Z ^ 3 : 2 9 6 ’ Z . 24 2 9. 6 1 : 4 0 X ® ¯ ° ± ² ³ µ± ² ¶ · ¸ ¹º » ¼ ½ ¾ ¿ º ½ º Á» ½ ¾Â à ½ Ä ¾ ¼ º Å ® ° Æ Ç È ° Ç Æ ÉÊ ËË˸ Ç ° Ì Í Î Ì Ç È Ï Ç ¸ ² Í Ð¸ Ñ È ¸ ÒÓ ² Í Ð± Ï ± Ô Æ ± Õ Ö Ç · × ¸ 0123 456759 55. 0 P 6 0 . . 8 50 Z 04 : r . . 0 4 26 28 9 24 0 9 . P 5. 3 < t . 3 4 2 9 4 2 : 9 ] P . 3 : 0 5.7 8 . 9 9 . 9 a 8 50 6 0 94 . 9 9 .4 .0 1 2 3 4 21 2 521 2 50 6 4 207 8 .  “ : 6 4 : < .= 0 5’ P : 0 99 .4 . 2 > 4 . 7 8 d 6 1 : 04 . 5QRRVWTX Y 0 3 0 0 94 . 3 0 P p 0 9 . : 1 0. 3 00K 2 p 3 . 9 4 . 9 . 0 3 . 08 6 : 1 0 5. .. 6 . 6 9 0 37 8 .5: P a .20 . 6 ..9 . .21 P : 50t0p 2 P 04 0Z . 2 > O 8 P < 8 . Z . Z . 3 04 2^ p 0 1 2K 0 3 004 2 91 2 5K 8 . 3 : 0: 6 < d 6 8 2K .¨ © > ª5: P a \ . ^ Xsa . 5 `2 Z 0  2 3 7 8 . O 0 5.26 0 1 : 2 6 0 P 0 . : 9 X ‹ . 0 : 9. : 9 . 54 . O 0 5. 9 500 5p : [ _ 2 X K 0 P 0 Z 3 0Ž K 3 2 O . 6 . . 6 . 0 3 : 9 523 .1 3 : 9 . b . : . —: 1 r X ˜52 8 . 24 : < 6 24 . 3 : 0 > 6 2. 3 3 01 2 6 . 3 52 9 9 0 ’ 4 24 0 .4 . 9 . 8 3 2. 0 4 06 25: .K 2 p 3 . 4 0 4 . [ _ 24 0 99 8 0 93 . 1 2 6 2 5: 04 . 0 . 2 3 . 9 9 2 6 . 2 P : p .0 8 . . >50 9 >7 8 . . . 3 : 02 K 2 . . 6 = 3 . 0 6 . P 0 9: 6 .0? @ A B CE FG F H I @ H J C H > ] 6 : 1 24 2 1 8 5. 1 2 6 2 5: 058 6 4 : 0 P6 2 4 . 1 2 6 2 5: 04 . 3 . 0 p : P : . 9 K . .8 5K 3 2 O . 1 : 5. 9 . 2 3 6 0a 2 O .9 . . 5. 90 2< 2 Z . 9 9 0.4 . 3 < : 0 9 = M 9 9 . 9 . 9 X ˜> . : . 0 6 .q0 6 . 3 3 0. 3 . 6 2 5. 0 3 : 58 P . . 2 > 8 5.K P 0 6 . 93 8 3 0 : 9 4 2 š3 0 9 : PŸ 2 1 8 K 0 5¬ ¦ «4 0 9. . ^ 3 : 2t= 8 6 4 0 5. 3 05. 6 .58 4 0 329 . 9 0 = : 2 90 5p : . 0 6 . 3 0 P4 0 9 `0 [ \ . 0 1 2 3 4 21 2 52. 9 X ™  ‰= . 5>4 . 0 5. = = 3 . .6 . . 9 K 2 6 9 ^ Z . 6 . 6 4 . 6 . 9 = 2 3 1 . 9 4 . 0 4 2K 0 3 02 . . 6 7 8 0 6 .tK 2 9 9 ’ Z . 32 = 8 . 2 > 6 27 8 . 3 0 3 X ˜5¤ ¥ ¥ ¦ > . ž‹ 0 1 a 9 Ÿ4 : 3 . 22 9 P 0 . 0 3.8 5K P 0 6 . 6 = 3 . 51 0 : 3 6 0: P 8 9 _ 24 . 3 9 ’ Z . 9 K 2 9 . 5. .50 : 9 4 . 9 1 : 5. < 8 6 4 29 . 0 3 . š. 8 0 P : r 0 3 2K P 0 6 . 1 2 9 9 2 1 : 2 . 6 . 2 > 1 2 6 Z t 5K 3 . 9 Ÿª «4 2. 9 K .. ‘ 1 8 5Z 2 P 8 6 . 3 9 : . 2< P 2 p 0 P4 .1 2 9 . 2 3 : 0 : 9 4 . . 2 >p 2 0 9: 6 . 2= P . 6 . 0 9 Z : ^ Z . ^ 3 : 2 c < . : Z 24 .< 8 . 9 . 6 . 0 K 04 .2 9< 2 Z . . . . 5: . 6 . . : 0 94 2 K 2 .. . O 0 5.2: . 3 . 2 X ‰K P 0 6 . Z . 5L21 0 5K 2 4 . 8 .q 9: 4 .0 Œ œ •8 1 2 6 . 3 6 0 3 >0K 2 p 3 . 6 . 9< . 9. O 0 5. 2 . 3 3 0 90 < 3 : 1 8 P . b . 1 3 . > 9 : 5> 4 .6 2 5..K 3 . 3 2 9 0 9 >1 2 52 9 8 < . < 2 8 >K 2 3 . _ 2q. 6 . 3 1 0 4 2 97 8 .3 . < 8 3 0 6 [ 00 P : 5. 24 0.0 98 3 < d 6 1 : 0 99 2 1 : 0 : 9 K 2 4 . . < 8 P 0 5X‹ .4 . 6 [ \ . 0 Œ “ = 3 2 5” 6 . 3 0 . . = 09 . 6 . : 0 94 2. 6 94 2‡0 2Ø X Ù -. . : 9 >K 3 2 Z 2 1 2 88 50 7 8 . 9K ] p P : 1 2. < 8 : 39 . P a . 6 . 9 . 6 9 ^ Z . . 3 0 3 3 . 81 2 503 . 6 909 . 2 X‹ . 6 .4 . . 6 .. 1 . 3 7 8 . 24 2 95. 24 . 2 X Ú ‹ . 9 : < 6 0 4 21 2 521 M 4 : < 2Q> 1 0 9 2O 8 P < 8 . Z .8 5 2 6 O 8 6 . r. 0 6 c Y 0 8 P ‹ 0 3 .. 9 . 6 . 1 . —: 1 rÛ Ü X § § Ý >9 . >. 4 04 2 3 24 . P . 9 ›6 : 4 0 9Ÿ K 3 2 6 8 6 1 : 0 c 9 . 3 0 p 0 P a 2Z 2 P 8 6 . 3 6 0 6 .4 2. ž >. 2 3 3 . P0P 2 6 < 2 3 0 r 2 >Z 2 P . : Z . r 0. 5c . . tŠ . K 3 . 6 .9 2 1 : 0 : 9 X  œ 9 s2 53 . 1 : 9 0 52 94 . 6 . 1 . 3 d 94 . 4 0 4 . ^50 P4 0 9 Œ  4 K . 1 2 6 9 . b . t 1 6 : 1 2 > . 3 3 2 ™ ‘ 4 1 2 6 9 : 4 . 9 1 3 t 4 : .1 2 6 9 . 83 8 52. 0 P 4 0 9 K 3 2 K 3 : . : . O 0 5.3 . . 2 . 3 04 21 a _ 2K 0 3 0  ™ ¨ K P 0 6 . 21 2 507 8 .Z 0 P 2 3 . 3 : 09 : 4 2Z .. 0 3 X ‰K P 0 6 . r 0 > p 8 9 1 0 6 4 28 501 2 2 K . 0 6 . 8 3 ^ Z . . P . .50 : 9 = ^ 1 : P K 2 3 . 5NQRSTU 2 821 0 5K 24 . c 9 .2 9: . 7 8 d 6 1 : 0 9 . 9 > 8 9 . 2 >8 51 2 6 1 . Z .

< 2 4 2 9. P 6 2 94 : 0 9 0 . : . 9 K . 0 6 . 8 ’ 9 9 . 3 ^ 3 7 8 : 1 0. 9 . 2 > O 8 P < 8 . [ _ 2< 3 0 50 . : 1 0 >q9 . 3 . 2 Û Ü X ¤ å Ý 3 . . . 6 . 1 : K 0 [ _ 2  Ü X ¨ Ý. 6 . t 1 6 : 1 2 9K 3 M K 3 : 2 94 0^ 3 . b . 9 . 6 9 X Ù Þ : 5K . 6 . 39 .. 9 . 9 . 3 . 3 1 . X á8 0 6 . 6 4 2: 5K 3 . P . : < 2 9 Û 4 .00 K . . : 3 0 4 00 1 0 3 3 .. 6 97 8 . . 59 8 0 52 4 0 P : 4 0 4 . 3 0 3 3 . b K 3 . ^ 3 : 2 X *+*                 !  "   #   $%   &'   "  &() . 2 3 K 3 : Z 0 4 2. P . b K 3 . . 3 52 Ž 1 2 6 9 .6 _ 2K . : Z 2 9q9 . . 0 4 2K . 9 K 2 6 4 d 6 1 : 0 92 = : 1 : 0 : 9 >O 8 P < 8 . 2 3 6 04 . 2 9 > 6 2.7 8 . t 3 : 0 91 8 O 03 . 1 a 24 0 91 2 58 6 : 1 0 [ \ . 0 5. 9 526 ’ Z .1 : Z : P Û Ü X ¤ ¨ c ¤ ­ Ý X Ù Ù ‰. 3 52 9 Ü X § © Ý. O 8 ’ r 29 : 6 . 3 526 _ 20 1 0 3 3 . 1 2 3 3 . 6 .Ž 1 2 6 . 34 03 . 9 9 0: 5K 0 3 1 : 0 P : 4 0 4 . 6 . 3 6 0 9 Û Ü X § å c ¤ ¥ Ý > 1 0 3 0 1 . 2 X 㠉Z 2 1 ^ p 8 P 2Ž p 0 9 . . 57 8 0 P 7 8 . b . 2. 3 2 90 9 K . : 3 2 K 0 3 ^ < 3 0 = 24 2. . 0 4 0 9 6 2. P . .Ž . 6 2 .q9 2 1 : .1 : Z : P > 3 . . O 0. 9 8 p 9 . 6 .2 8 . 4 0 4 . . t 3 : 0 9 Û Ü X ª © c ª ¦ Ý9 : < 6 : = : 1 0 G F H n A J C E @ Hm n F† è @I @ E F oH F GC I C é C E @ H ê C A J F G C E @ H X Ù Ú ‰. . 9 9 _ 2Ž 50 P4 0 9K . 6 0 94 2 : 9 L ë.7 8 . 5K 3 . O 8 ’ r 2q1 2 3 3 . 5K 3 . ^ . 3 8 . 9 . 1 a 2Ž 8 5K P 0 6 . b K 3 . 0 5 : 5K 0 3 1 : 0 P : 4 0 4 . 9 . . P 0 . p : 4 21 2 52 a 2 52 < d 6 . 6 1 2 6 .4 . 4 0 4 . . 0 9K 2 3 . 6 . : 6 0 . 3 52 9. 2 X s2 6 9 : 4 . O 0 5. 9 0 = : 2 93 . 3 : r 0 303 . 27 8 . 3 0 6 4 203 . 6 0 91 2 52] P . . . 1 . 2 >9 _ 20 = . ^ 3 : 2 >2 7 8 0 P4 . 3 : p 8 : K 0 3 03 . 6 . 3 5: 6 0 4 0 9. 9 . : 1 20 2. 5K 3 . . : . 6 . 57 8 . 2 3K ] p P : 1 2 >0 29 . . = 2 3 [ 0 3 20 3 < 8 5. 9 K . 5. 0 3 : 0K 3 . 04 . 9 = .9 . 9 . 9t2 p 3 : < 0 . 6 .Ž 50 P K 2 3 oC n X æ ‰. p : 4 0 > . : 3 0 4 0 4 . . 6 . 6 . . K . 3 . 0 3 : 0K 3 . . P > 9 . 9 9 2 0 P >9 .50 6 . 22 = : 1 : 0 P.9 8 0 9 : 4 . Z ” 6 1 : 09 . < 8 3 0 6 [ 0. 3 06 25.8 51 : 4 0 4 _ 22 88 5M 3 < _ 2 K ] p P : 1 2 X Ù ß `0 1 2 58 6 : 1 0 [ _ 22 = : 1 : 0 P >2 .23 . 0 6 . 9 : < 8 0 P 4 0 4 . : 1 04 02 3 0 P : 4 0 4 . 3 0  Ü X ¨ ª Ý t2 p 3 : < 0 .Z _ 24 . 2 0 K 3 .4 .. 8 3 0P : 6 < 8 ’ 9 . O 8 4 : 1 0 4 21 0 9 29 . . : 3 01 2 6 1 : 9 0. . P 20 8 . : 52 X ä ‰ 9 . : 0 90 K 3 . 6 . ^ 3 : 2 > 2. : 4 24 2. 4 8 [ _ 24 0K 2 p 3 .9 . 2 500 9: 4 . P . . : 1 04 2. . 9 9 . = 2 3 50 Û Ü X § ¦ Ý >50 91 2 6 1 2 3 4 0 Ž : 5K P 2 9 _ 2 Û 0 K . 7 8 d 6 1 : 0 94 . 3 0 . 9 04 . 9 K .1 2 3 3 .: 6 = 2 3 50 3 0 P < 2 250 : 91 P 0 3 0 5. 9: . t Û Ü X ¤ § Ý 1 2 6 . 3 20. >04 . . c 9 . 3 d 6 1 : 00 2 9.K 2 9 9 ’ Z . . b . 9 9 _ 24 0K 3 . 1 a 2. 0 3. 2q. _ 2 X Ù ç . . 0 X Ù à ‰= . 6 . X ß 1 2 6 9 . < 8 3 0 6 [ 0 0 P : 5. . 20 K 3 . : K 24 . M 3 : 2. b . : Z 24 .q3 . : 6 0 . : 0 9 > 50 903 . 3. 9 1 : 6 4 ’ Z . . 5K 3 . 3 0 . 0 3 : 9 52 Û Ü X ¬ Ý >1 2 5050 6 8 . 1 . 9 9 2 0 P > 9 . O 8 ’ r 2 Û 0 29 . 9 9 : 4 0 4 . P 0 [ _ 2 a : . 3 Z 0 [ _ 20 5p : . . 2 9 0 5. K 2 9 : [ _ 20 6 . 1 . 94 2 9Z 2 1 ^ p 8 P 2 9Ž 0 6 .24 . P > 4 .. .6 0. 2 > 9 8 03 . >9 . 6 4 . 3 . 2Û X X X Ý 9 2 1 : . < 24 0P ’ 6 < 8 0. 3 : 6 < . 6 .4 06 . 4 0 [ _ 24 . 6 .1 0 3 0 1 .. 9 9 _ 2Ž q. 4 2 1 8 5.1 3 0 9 . uvwxyuz {yw| v}€}z uv} ‚ „ ƒ Þ ‰94 . : . : 1 0 P 4 2 . 5K 3 . = . 9 1 2 P a 0 9Z 2 1 0 p 8 P 0 3 . 6 . Z . < 24 29 : 6 0 P : 6 4 : 1 0 . = . . . .2 9 K 3 M b : 52 9: .4 . 0 P. . 9 9 2 0 P : 4 0 4 .. 4 0 [ _ 22 = : 1 : 0 Pt K . 6 9 X ⠍9 8 K 3 .= 2 3 50 P 4 . . 6 1 : 2 9 0 5. 99 2 1 : 0 : 99 _ 2 50 . . 6 . 3 1 . M 3 : 2 U K 2 3 .. 0 4 0 Û Ü X § ¦ Ý= 0 r3 . r 0 >5. 9 9 _ 2Ž Y 0 3 0. 6 [ _ 24 2 90 3 . 6 .1 2 6 1 . . Z .4 20 8 . b : 9 .. 9 . : Z 0 5. 6 .t4 0 4 20 2 4 .: 5K . 3 : 0K 3 . 8 0 : 9 X à ˜5p 2 3 02. 3 < t .0 94 . 2 90 29 .K 0 9 9 0 < . : 4 24 0. 2 3 > 4 .2 99 .9 . O 07 8 0 P = 2 324 . . 3 ’ 9 . < 8 : 6 . 0 3 : 0K 3 . = : 6 : 4 2 9 > 6 _ 20 1 0 3 3 . 6 1 2 6 . : 6 0 . 6 1 : 2 6 0 4 2 96 2. < 24 . . b .Ž Z 2 P 8 6 . 3 .

.

.

.

.

.

0123 456759 703 .

3 4  tuvwx ty zx v{u|~|y tu| €‚ ƒ „…† ˆ ‰3 * 5 ) 4 * 3 % : . 9 = $9 & 6 L + 8 29 &% 7 9 & 1 + % 7 + 99 &R 9 < * 3 7 9 &* & + % ) % 8 &5 9 29%o7 8 . 9%% + 8 < 8 % ** 5 9 7  28 5 %) 3 % 7 + *%5 3 8 & * = $9% 7 94 % & & % 9 1 9 &R 9 < * 3 7 9 &9 &4 % Š & * &3 8 5 9 &* & + % < % 2O ) 7 + % 7 99 & * & + 3 9 : 9 &%5 3 8 & *N 8 7 % 7 5 * 8 3 %*R % & + % 7 95 * 7 + * 7 % &*b 8 L M . * &%& * R ) 8 3% 4 3 * & * 7 + % 2+ 3 * 5 M 9 &% % 4 + % 9 &9* 8 + 9 3 8 % L E ½ ¾¿H J C E @E FÀ Á ÂC ` A @*Ã Ã Ä Å Ä Ã Æ k Æ = ‰& & 8 7 % L *%9 4 : . 99 Œ3 % & 8 L7 97 9 < 9% 3 3 % 7 O 9* 4 * 7 * 3 K% ( ) % L 8 % *%& ) %4 9 L Š + 8 5 %* 5 9 7  28 5 % = ‘’ “ ” • –• —˜ ™ š” › œ –  Ÿ  ¡ ¢ £ ¤ ¡ ¥ ¦  § § ¨ © ¨ § ª « ª¬ ­ £ ®¥   ¥ ¯ ¢ ¥ ° ± ² ³ ´ µ ‰&9 4 : . 9+ * 3 1 + % 2b f 21 ) 2%8 24 9 3 + % 7 + *4 % 3 + 8 5 8 4 % : . 9*9* 24 3 * R 9 = Ž& & * & 2* 3 5 % 9 && * 3 . 9 N ) 7 % 2* 7 + % 8 & 1 2% & * 4 9 ) 5 9< % L * 2& * 2% : . 9> % ) L 9 1 9 7 *4 9 3 * + * 3 28 7 % : . 9 7 %3 * 5 ) 4 * 3 % : . 92) 7 8 % L O K* & + K* N 8 7 8 % = ¸ eM 8 7 % 1 ‹ 7 8 %*Œ3 % & 8 L 8 N 8 5 ) L + % 3 % 2%& ) & + * 7 + % : . 9*5 9 7 + % 3 5 9 29 ) + 3 9 & 2* 3 5 % 9 &4 % 3 %% ) 2* 7 + % 3 %4 3 9 ) : . 9 %* 7 R ) *9+ 8 4 9k 1& . 95 ) O 9+ * P + 9 3 * & 4 * 8 + %% &7 9 3 2% &R 3 % 2% + 8 5 % 8 &%L Š 7 R ) %4 9 3 + ) R ) * & %4 % 3 . 95 9 292* & 294 * 3 Š 9 9*Ã Æ Æ m 1 4 % & & % 7 9* Å Å Æ = Ì Í Æ4 % 3 %Ã Ã Í = É k Ì = » r&3 * 5 ) 3 & 9 &2% + * 3 8 % 8 &* & + 8 7 % 9 &% 95 9 2b % + *%* 7 R ) *& . 97 . 95 9 29 2* & 294 * 3 Š 9 9*Ã Æ Æ l = r2% 8 9 3 N 9 5 9%9 * 7 : %& *5 9 7 5 * 7 + 3 % * 2p9 8 K & 1 9 7 *M % < 8 % 2É Æ28 L 5 % & 9 & 3 * R 8 & + 3 % 9 & = q8 7 % & p* 3 % 8 & f9* & + % 99h ) * & + *5 9 2 2% 8 9 37 6 2* 3 9*9 5 9 3 3 T 7 5 8 % & Ê Å l28 L Ë** 2 q% + 9p3 9 & & 99+ 9 + % L*9 * 7 + * &5 M * R 9 )% Ì k = É k Æ4 * & & 9 % & = ¸ q* & 29h . 9 = ¶ r7 6 2* 3 9*b 3 % & 8 L * 8 3 9 & 8 7 N * 5 + % 9 & 4 * L %* 7 R ) *% ) 2* 7 + 9 )2% 8 & *Ç Æ È7 94 3 8 2* 8 3 9+ 3 8 2* & + 3 *9% 7 9 1 * 25 9 24 % 3 % : . 9*9* 24 3 * R 9 1 7 9 &4 % Š & * &3 8 5 9 & 1 & . 9* & < 8 7 5 ) L % 9 & %% + ) % : . 9%* 5 9 7 9 28 %2) 7 8 % L< % 8* 4 * 7 * 39 & 4 % Š & * &* 2* 3 R * 7 + * & 15 9 29 eM 8 7 % 1‹ 7 8 %*Œ3 % & 8 L 1% & & 8 25 9 29 * 4 * 7 * )%& ) & + * 7 + % : . 9% && ) % &5 9 7 + % &4 6 b L 8 5 % & = » ‰4 3 9 ) : . 97 9O 9 R 9 = ‰4 9 & 8 : . 9 4 9 ) 4 9 )3 * 5 ) 3 & 9 &N 8 7 % 7 5 * 8 3 9 &* + f 5 7 8 5 9 &4 % 3 %% 4 9 8 % 3c & 4 3 * N * 8 + ) 3 % &7 95 9 2b % + *%* 7 R ) * = "" €‚ ƒ „…† ¼ ‰3 * & 4 * 8 + 9% &8 * 8 % &9+ * P + 9% 5 8 2% 1 % & & 8 7 % L *%9 4 : . 94 9 34 % 3 + *9 && * R 2* 7 + 9 &* 7 5 % 3 3 * R % 9 &9 5 9 2b % + *%* 7 R ) * = º r& ) 3 + 9*Ã Æ Æ m% & & ) & + 9 )% &% ) + 9 3 8 % * &*%4 9 4 ) L % : . 9 17 % + ) 3 % L 2* 7 + * 19 &9 &4 % Š & * & * 2* 3 R * 7 + * & = Ž2* 3 R * 7 + * & 1 7 * & + * 5 % & 9 1 & 8 R 7 8 N 8 5 % 4 3 8 7 5 8 4 % L 2* 7 + * eM 8 7 % 1 2% &9 ) + 3 % &* 5 9 7 9 28 % &* 2* & * 7 < 9 L < 8 2* 7 + 94 9 * 3 . * & 5 9 24 L * 2* 7 + % 3 * & 1 *3 * & 4 9 7 & % b 8 L 8 % **R 9 < * 3 7 9 &L 9 5 % 8 &*%4 9 4 ) L % : . 9 = s% 7 + 9 ( ) * 17 9 &( ) % + 3 94 3 8 2* 8 3 9 &2* & * &9% 7 94 % & & % 9 19Œ3 % & 8 L 5 9 7 & * R ) 8 )3 * ) d 8 3* 2É k È%( ) % 7 + 8 % **5 % & 9 &** 7 R ) * * 25 9 24 % 3 % : . 9% &% + 8 < 8 % * & * 5 9 7  28 5 % &) 3 % 7 + *%5 3 8 & * = ¹ Œ% 7 5 9 &*8 7 6 & + 3 8 % &9 &4 % Š & * &3 8 5 9 &R % & + % 3 % 25 * 7 + * 7 % &* b 8 L M . 9 =$* & + *% 7 9 1 5 9 2* : % 3 . 99 &4 % Š & * &* 2* 3 R * 7 + * & =                  !! . 9%* & 29 7 + % 3 9 &8 7 5 * 7 + 8 < 9 &*%4 L % 7 * O % 3 %% 3 3 ) 2% : . * &5 9 29 &4 % Š & * &* 2* 3 R * 7 + * & = º r&4 % Š & * &3 8 5 9 &* 4 * 7 * 29 &4 % Š & * &* 2* 3 R * 7 + * &4 % 3 %% % 3 3 ) 2% : . 9 9 & * & + Š 2) L 9 & 8 7 + * 3 7 9 & 1 * & & % & * 5 9 7 9 28 % & + * 3 . 95 9 3 3 * + % = ¶ ·) % L ( ) * 3 ( ) *& * O %%4 9 L Š + 8 5 %* 5 9 7  28 5 %9Œ3 % & 8 L 1 & ) %4 9 & 8 : . 9N % + 9 3 * &( ) ** + * 3 28 7 %9% ) 2* 7 + 9 97 6 2* 3 9*5 % & 9 & =q% &f8 7 * R K < * L( ) * 18 % 7 + **b 9 7 & 3 * & ) L + % 9 &9 &4 3 9 R 3 % 2% &3 * % L 8 d % 9 &% 7 + * 3 8 9 3 2* 7 + * 1M 9 ) < * 5 * 3 + %% 5 9 29 % : . * &4 % 3 % & % L < % 3b % 7 5 9 &*8 7 6 & + 3 8 % &*% + * 7 ) % 3%3 * 5 * & & . 99R 9 < * 3 7 9* & + % ) % L 95 9 2b % + *%* 7 R ) *f8 7 8 7 + * 3 3 ) 4 + 9 1 M 9 ) < *2% 8 & *Ì Å28 L 5 % & 9 & %9 * 7 : % 17 94 3 8 2* 8 3 9+ 3 8 2* & + 3 **k É29 3 + * & =$94 3 8 2* 8 3 9 + 3 8 2* & + 3 **Ã Æ Æ m 1 ( ) % 7 994 % Š &< 8 < 8 %) 29 &4 8 9 3 * && ) 3 + 9 & ** 7 R ) * 1 9* & + % 93 * R 8 & + 3 9 )% 4 * 7 % &k = à l Ç5 % & 9 &%9 * 7 : % = ¹ eM ) < % &*5 % L 9 3% 5 8 2%%2f 8 % 1 % L f 2%< 9 L + %%5 8 3 5 ) L % : . 9% & 5 9 7 + % &4 6 b L 8 5 % & 1 & 9 b 3 * 5 % 3 3 * R % % &*7 9 < % &Š < 8 % & = e9 2%3 * ) : .

$% & ' (* + . ++ -. / % ' 0 % -1%2 F 0123 456759 703 .

? D 4 > U @ 6 A 6 D 4 8 H 8 ? @ >B C > 4 N ?MC @ > N >A > D >N 8 @ @ 6 :8 4 > D> H C @ > I K 6 @ 8 4 5 C 4 N > N > @ < A > D >7 > 4 I > D@ C @ A 6 8 . 8 . > @? CA > D >> O D 6 N 8 D>E 6 D N > N 6 Q \6 D >N ?A > . D > 7 Q V ¦> @ @ C :8 C4 > W ? D >?H ? :A D ? :8 @ @ ? <H ? :?N 6 @ 6 g > E >>A 7 > . ?°6 4 . 8 E ? @ N ?A D ? g 6 . D ? U S6 @ .3 4  „…† ‡ ˆ‰Š ¡ F R Y F [ F ] F _ F a h h 3 4 5 6 7 8 9 :6 4 . ? –Ž A D 6 H 6 8 . ?N ?:8 4 8 @ . 6 D A 6 @ @ ? > 8 @ <> 3 4 . 6>6  A D 6 @ @ J ?? C. 8 D 8 > ¥D > @ T 7 8 >@ 6? H > 4 N 8 N > . @ H W 6 §4 J ?5 8 9 6 @ @ 6C :H ? :T H 8 ? < 6 :¨N 6> L D 8 7 N 6Ÿ ©   < 6 : V > . ?? D > H 8 ? 4 > 7 Q —H C g ? • \E T D O C 7 >4 >7 8 4 W >Ÿg C @ . D ? N >A D ? A > O > 4 N >4 > 9 8 @ . 6 <> ?:6 @ :?. 8 E > @ < > H > . 6 D 8 ? D  •N ?B C > 7 –? 4 N 6 > A ? @ . ? >A D 6 @ 8 N 6 4 . 6 @ Q \@4 ? E > @. ?Ž N 6B C 6  ‘ Q ’ “ Q > @ @ 8 4 > 7 6>? A I J ?H ? D D 6 . D > I J ?N ?7 8 . D > 7 8 9 > D                  !! "#" „…† ‡ ˆ‰Š Œ . ? D > 7 Q °? :>4 ? E >H 8 N > N 6 < ?¥D > @ 8 7 > 5 8 4 > 7 @ 6E ? 7 . >6 4 . 6 4 H 8 ? 4 > N > @ Q ij k lnl k op qr s t vw x y z { x | } t ~ ~  €  ~  ‚  ƒ R Y F [ F ] F _ \¢8 @ . < > @:6 4 . D 8 O ? <6 :> N :8 4 8 @ . >V ? @ 6 A WX? 6 L L 6 7 @ < N 6B C 6C :>:6 4 . ? H C :A D 8 D 8 >?N 8 @ A ? @ 8 . G8 @ ? 7 > N ?A ? D E T D O C 7 > @A ? D @ 6 — S. ?  . ?E 8 D > 7N >D 6 N 6 <6 @ A 6 H 8 > 7 :6 4 . > 7 A > D >?± 7 > 4 > 7 . ?> N E 6 D L 8 > 7 ˜6 :H C g ? @ C L @ 6 B C 6 4 . 8 H > @N 8 > 4 . ? @N 6C :>6 4 C :6 D > I J ? Q ‘ Q ’ “ 6 @ . 8 E 8 N > N 6> ?A D 6 H 6 8 . D 6> @ A > @6?@ 6 C@ 6 4 . 6 Q „…† ‡ ˆ‰Š ™  A D 6 @ @ J ?Ž 6 :¨N 6> L D 8 7 N 6Ÿ ©    ‘ Q ¨ “6 @ . 8 D > D 6 A 6 . 8 N >:8 7 E 6 9 6 @ . 8 N > @:8 7 W K 6 @N 6E 6 9 6 @ < H ? : A ? . 6 D 8 ? D <6>5 D ? 4 . ? D 6 @ Q¬ ? 8B C > 4 N ? \4 . 8 5 8 H > U @ 6A ? D B C 68 @ ? 7 >C : ” \E T D O C 7 >> A £ @Ž 8 4 .. > N ? D 6 @A > D >5 8 @ H > 7 8 9 > D@ 6 C @D 6 A D 6 @ 6 4 . ?  ˜ S6 :A D 6 O ?N 6E T D O C 7 >7 ? O ?> A £ @Ž ¥D > @ T 7 8 >  ‘ Q Ÿ š “g C @ . > T <X? 8 G @ ª\7 8 <N 6 A ? 8 @N ? @N 8 @ H C D @ ? @ <V ¦@ 6H ? 7 ? H ? C« N 8 @ A ? @ 8 I J ?A > D >? C E 8 DA 6 D O C 4 . > I J ?N 6A 6 @ @ ? > @8 4 ? H 6 4 . 6 @ < N 6O D > 4 N 6 @N 6 H 8 @ K 6 @ Q ¤7 >. ?«? D > I J ?A D 8 4 H 8 A > 7 Q ˜Ž N 8 @ @ 6 :8 4 > D  ‘ Q Ÿ   “ œ 4 6 C . ? Q A ? D @ 6 D C :N ? @6 7 6 :6 4 . 6  . ? < ?¯? 4 8 B C 8 4 W ? < B C 8 @@ > L 6 D @ 6?H > 4 N 8 N > . 6 H 64 ?:C 4 N ?6A > D >8 4 . ?N 6¥D > @ T 7 8 > < MA D 6 H 8 @ ?N 6 @ . 8 E ?N >°? 4 @ . 6?@ 6 O :6 4 . > Q ”@ 6 O C 4 N ??B C > 7 ‘ Q Ÿ ž “g C @ . 8 5 8 H > U @ 6A ? D8 @ ? 7 > D> N g C 4 . D C 7 W > :6 4 . D > . 8 E ? < :> @ . 66> ?Z? D . > :6 4 . >8 4 . D 6E T D O C 7 > @ \@ @ 8 4 > 7 6>? A I J ?B C 6> A D 6 @ 6 4 . D 6>A > 7 > E D > – \6 8 4 N 8 H > N >6 4 . C 8 I J ? N 6Ÿ © ¨ ž “B C 6A D 6 E 8 > >:C N > 4 I >N >H > A 8 . D > N > A ? D B C 68 @ ? 7 >> N g C 4 . > :L M :M. 6 H 8 N >A 6 7 ?5 8 ?N ?> H > @ ? Q ¤ 8 @ . 6  . ­ 4 8 ?® ? > D 6 @Z6 . > H > D>7 8 L 6 D . 6 Q ²³´ l µ l t ~ ‚  €  ~  ‚ ¶ · z ¸| w | ¹ y | º » ¼ ½ ¾ ƒ 6 7 > I J ?> ?6 :A D 6 O ?N ? @@ 8 4 > 8 @N 6A ? 4 . 6 8 > Q¤H C :A D 8 C> A D ? :6 @ @ > Q Z>7 8 @ . ? @ A ? @ 8 . C 8 ¤:D H ? D D 6 . > I J ?N ?A > T @N ?6 4 ? D :6A ? N 6 DN 6 > . £ D 8 >4 J ?M5 6 8 . ? D 4 > U @ 6E 6 D N > N 6 Q Z>3 4 . ?> N E 6 D L 8 > 7 > 4 . 8 D > @6 > @8 4 E 6 4 I K 6 @> H > L > :@ 6 4 N ?D 6 A 6 . ?b c d e c fH ? 7 ? H >> @@ ? H 8 6 N > N 6 @ N 6 :? H D G . >N ? @ > @ A 6 H . 6 D :?B C 6@ C L @ . 6N > @:T N 8 > @ @ ? H 8 > 8 @ < 6 4 H > D D 6 O > U @ 6N 6N > D 6 5 6 . 6 D > . 8 H >D 6 E ? 7 C I J ?4 > @H ? :C 4 8 H > I K 6 @8 4 . ? CA > D >@ 6 C 8 4 . > 4 . > :6 4 . 6N 6C :4 ? E ?N 6 @ > 5 8 ? <B C 6H ? 4 @ 8 @ . 8 5 8 H > U @ 6 —A 6 D 4 8 H 8 ? @ >  ‘ Q Ÿ   “ œ 8 4 5 8 7 . 6 D :?Ž ?¯? 4 8 B C 8 4 W ?  ‘ Q š › “ œ A D ? A > O > I J ? ”Ž A > . D C 7 W > :6 4 . 6 D > O 8 D H ? :? @ E 6 T H C 7 ? @N 6H ? :C 4 8 H > I J ? Q`> @6 @ . 8 E ? Q •Ž E 8 D > 7  ‘ Q  “ œ @ 6 :6 7 W > 4 . ?> H 8 :> < \@ @ 8 4 > 7 6>? A I J ?H ? D D 6 @ A ? 4 N 6 4 . 6> @:> 4 8 A C 7 > I K 6 @:> 7 U 8 4 . > D N 6E ? H > . 8 E 8 N > N 6. 6 8 D >> O D T H ? 7 >A ­ N 6@ 6:? E 6 D6 :N 8 D 6 I J ?> ? °6 4 . 6 A ? @ . >> A 6 4 > @N 6L D > N ? @D 6 . 6> ?N 6C :E T D C @ ‘ Q ž “ œ A D 6 H ? 4 H 6 8 . 6 4 H 8 > 7 A > D >H > C @ > D N > 4 ? @>? D O > 4 8 9 > I K 6 @@ M D 8 > @6> D D C 8 4 > D > D 6 A C . 6 :A ?6 :B C 6A D ? :? E 6 C :>5 > 4 . 8 N ?4 ?. > @N 66 7 6 8 . D C . C > I J ?4 ?. G @ . 6V C @ H 6 7 8 4 ? ¦C L 8 . 6 D 4 6 . 6> @ A D 6 @ @ K 6 @ H ? 7 6 . 6 @ <A > D > > H ? :A > 4 W > D ?B C 6> H ? 4 . D > D@ 6 4 @ > . > 4 N ??B C 6 5 ? D H ? 4 @ . > :L M :A D ? A ? D H 8 ? 4 >6 @ A > I ?A > D >> A D ? E 6 8 . 66 : @ 6 A > D > D? g ? 8 ?N ?. C :L > 4 . 6 H 4 ? 7 ? O 8 > @N 6 D > :A ? N 6 D 6 @8 :6 4 @ ? @> ? @ 8 4 N 8 E T N C ? @ < B C 6A ? N 6 :@ 6 DC @ > N ? @A > D >?L 6 :6A > D >?:> 7 Q ^@ > C N G E 6 7 B C 6? @H 8 N > N J ? @A ? @ @ > :? A 6 D > D>D 6 N 6:C 4 N 8 > 7 N 6 H ? :A C . 6 D 4 6 . > :L M : D 6 A C N 8 > 4 N ?5 8 D :6 :6 4 . G6 4 . > N ? D 6 @6 8 D D 6 @ A ? 4 @ G E 6 8 @N 8 E C 7 O > D 6 :8 4 @ 8 4 C > I K 6 @6:> 7 6 N 8 H P 4 H 8 > @ Q S6 5 6 8 . >> @ @ ? H 8 > I J ?H ? D D 6 . 8 .

0123 456759 703 .

. 5 1 = W 2 37 8 E 8 8 P 5 1 : 3 > 8 /. : 9 3 C E 2 8 37 : 9 4 5 /8 9 2 /51 8 3 . /< /4 2 3 4 2. = 2 3 3 B :» 2 3 3 2. = 2 @ : > = 2 5 4 8 E : 3 5 :. : 3 4 : 31 24 = 5 6 5 G :Q : = /5 8 3 >: <3 2 ™ 5 >7 : /7 5 = 4 2 8 = 55 3 3 8 9 5 1 5 > 2 9 4 = 2: 3/2 3 2 31 2™ 5 9 2 8 = :2/5 = A : T§ 3 3 :3 8 @ 9 8 Q 8 7 5:/2 G : = 1 2 3 2 /.3 < 6 3 4 8 4 < 8 A B :1 2» 2 /1 2 Q 8 9 8 4 8 E : ¼U /5 9 4 . /1 22 3 4 5 6 2 2 7 8 /2 9 4 : 3. W 2 / €1 8 3 . = : { 8 /5 2 3 4 5 = C /5 = 7 5 1 5 1 2 Q 8 9 8 4 8 E 5 /2 9 4 2. 5 = 5= 2 1 < P 8 =5 . 8 = 5 A W 2 3 1 23 2 = < /.= 2 3 . 5 M 3 1 2. 5 = 55 1 : 2 3 7 2 9 4 2 3 8 9 Q = 5 4 : = 2 327 2 5 3Q 2 8 4 5 32 /7 : 9 4 S 8 9 2 = 2 3 >? < 25 6 = 8 @ 5 E 5 //5 8 31 2 4 = 8 9 4 5. : 3 3 M E 2 > 5? < 5 8 1 5 1 21 5 3 7 5 /. 2 9 8 4 2 9 7 8 C = 8 5 31 23 2 @ < = 5 9 A 5 /C { 8 /522 3 4 8 /< : <:< 3 :1 2. 5 = 55? < 5 8 1 5 1 21 : 3 2 2 8 4 : = 2 3 > . : =¾ £ ¿ À Ÿ À Á À    㠟 Á £ ‚ . 2 9 5 35 @ < 9 3 3 2 @ < 9 1 : 3 3 8 @ 9 8 Q 8 7 5< /5Q 2 = = 5 /2 9 4 51 2E 5 : = 8 9 2 3 4 8 /5 E 2 > ? < 2™ C /: 3 4 = : <4 : 1 53 < 52 Q 8 7 8 S 9 7 8 59 52 2 8 A B :9 : = 4 2 R 5 /2 = 8 7 5 9 5? < 2 2 E : <¨5 = 5 7 ©J6 5 /55F5 3 5¨= 5 9 7 5 > 2 /< /. < 4 5 > 9 B :3 8 @ 9 8 Q 8 7 59 2 /6 5 8 { 5 = :9 M E 2 > 9 2 /Q 5 4 5 = 7 : /5E 2 = 1 5 1 2 T  . 5 = 4 8 1 C = 8 : 321 : 3. = 2 9 3 59 : 4 8 7 8 : <? < 2~–ƒ † “/8 G W 2 3 1 2 3 4 8 9 5 1 : 3 . A B :7 : = = 2 4 5 T }‹ = 2 1 : /8 9 59 :4 = 2 7 G ::4 8 . 2 3 3 : 5 3. 2 :¨= 5 3 8 > ? < 21 C/: 3 4 = 5 33 2 @ < 8 1 5 31 2 4 2 = 3 < . = 8 /2 8 = :4 = 8 /2 3 4 = 21 2‰ “ ˆ “ > 3 B :< /55 9 8 /5 1 : = 5/: 3 4 = 51 : 6 : //: /2 9 4 :E 8 E 8 1 :. = 8 3 B :2: 7 : 9 4 = : 22 2 4 =  9 8 7 :1 2. = 2 2 9 7 G 255 7 < 9 5 1 :4 2 { 4 :5 7 8 /5| U T T T V |1 2Q : = /57 : 2 3 527 : 2 = 2 9 4 2 T } ~2 7 : 9 G 2 7 2 9 1 :5@ = 5 E 8 1 5 1 21 53 8 4 < 5 A B : > :/8 9 8 3 4 = :5 Q 8 = /: <? < 2 5 31 2 9 D 9 7 8 5 32 E 5 1 5 35 :F: 9 3 2 G :1 2H8 = 2 8 4 : 3I< /5 9 : 31 5 JKL7 : 9 4 = 553 8 4 < 5 A B :1 :3 8 3 4 2 /5. = 2 3 2 9 4 5 1 :. 5 = 57 : 9 3 4 = < A B :2= 2 Q : = /51 2. A W 2 33 2 @ < 8 9 4 2 35 .3 3 8 9 5 25: . 5 = 5 1 : 39 5 37 : 9 4 5 36 5 9 7 C = 8 5 31 : 32 3 4 5 1 : 3 T — .2 { . A B :2 / ? < 2:4 2 { 4 :Q : 8 4 = 5 9 3 7 = 8 4 :1 2Q : = /5@ = 5 /5 4 8 7 5 /2 9 4 27 : = = 2 4 5 T } J¦= 8 6 < 9 5 O < . 5 M 32. 5 9 G 5 3 4 2 = C1 23 2 = 2 /. = : 7 2 3 3 :? < 2Q : 8 E 8 3 4 :7 : /:< /5= 2 E : < A B :9 5/5 9 2 8 = 51 2Q 5 P 2 = 7 5 /. = 2 3 : 3 > 9 57 8 1 5 1 21 2F5 = 8 5 7 8 7 5 T U T T T V F: /:E C = 8 : 3 2 3 4 5 1 : 39 B : = 2 . = 2 3 : 3 >. 5 = 5 5: 6 2 1 8 S 9 7 8 5€ 32 8 31 :. 2 9 G :. 2 3 3 : 5 32 /5 . = 2 3 M 1 8 : 31 :N3 . 5 = 4 8 =1 2†1 2™ < G : T‹ = : /: E 2 =5 37 5 9 1 8 1 5 4 < = 5 3 >.3: . : 1 2 = 8 54 2 = = 2 5 8 P 5 1 :/< 8 4 :/5 8 3 1 :? < 2Q 2 P9 :3 2 4 : = T N/ 1 2 P 2 /6 = : > 58 /. : =/5 8 3 5 3 3 8 = = 5 1 5? < 23 2 ™ 551 8 3 . 7 5 3 3 8 Q 8 7 5 1 57 : /:. 2 1 8 9 1 :? < 2 : 3= 5 1 8 7 5 8 328 = = 2 3 . 5 = 4 8 1 : 3 7 5 9 1 8 1 5 4 : 37 5 6 : 32 2 8 4 : = 5 8 327 8 1 5 1 W 2 37 : /< 9 3 T .7 5 /. 5 9 G 5 T ” N3 4 5Q 2 = = 5 /2 9 4 52 3 4 C1 8 3 . < 4 5 T ‚ .35 < 4 : = 8 1 5 1 2 32 3 4 5 1 < 5 8 32Q 2 1 2 = 5 8 3™ < 3 4 8 Q 8 7 5 = 5 /R 3 2 > 5 4 = 8 6 < 8 9 1 ::Q 5 4 : 5. 5 M 3 > 1 5 3? < 5 8 3‡ † > ‡/8 U 7 2 = 7 51 2ˆ ‰ Š1 :4 : 4 5 V 3 22 9 7 : 9 4 = 5 / 1 2 4 8 1 5 31 2Q : = /58 = = 2 @ < 5 =2 /1 2 2 @ 5 7 8 5 31 2. 2 :< 3 :1 5 3Q 5 7 8 8 1 5 1 2 31 27 : /< 9 8 7 5 A B :? < 2 5§ 9 4 2 = 9 2 4. 2 = M : 1 :1 2 3 1 2:8 9 M 7 8 :1 53 . 5 7 8 1 5 1 21 25 4 8 9 @ 8 = /8 G W 2 31 2. = 8 3 8 : 9 5 9 :N3 . = 8 /2 8 = : 4 = 8 /2 3 4 = 21 2‰ “ “ ° > ? < 2™ CG 5 E 8 53 8 1 :< /= 2 7 : = 1 2 T ± _ ² ³ ] e ^ _´² ] [ µ e f ¶r · t o ¸ · q ¹ f l º j k j h i l im n o pq r q s t q u v w x y z . = : 9 : /2 T ½ T † V. < 5 A B :7 5 = 7 2 = C = 8 5 > 5 31 2 9 D 9 7 8 5 32 E 5 1 5 35 :F: 9 3 2 G :1 2H8 = 2 8 4 : 3I< /5 9 : 31 5JKL 2 /= 2 5 A B :5 : 3. = 2 3 2 9 4 5 /4 = 2 7 G : 35 1 5 . : 9 4 59 :/< 9 1 : > 3 22 54 8 E 2 = /< 8 4 5@ 2 9 4 23 2 /: 7 < . = 8 2G 8 3 4 • = 8 7 5 T O 8 @ 9 8 Q 8 7 55 8 9 1 5< /7 = 2 3 7 8 /2 9 4 :1 2ˆ ¯ Š2 /= 2 5 A B :5 :. 2 = 8 : = N2 8 4 : = 5 = 2 @ < 5 /2 9 4 : <:< 3 :1 5§ 9 4 2 = 9 2 4 9 57 5 /. = : /2 4 2 /51 8 @ 9 8 1 5 1 21 5. 4 5 1 : 31 :2 1 8 4 : = 8 5 1 :œ  ž Ÿ   ¡ ¢£ ž ¤ ž  U ~O V 1 2‰ “ ¥ ƒ ¥ ‰ “ ˆ “ T . : . 5 3 3 5 /8 9 Q : = /5 A W 2 33 : 6 = 2: 39 D /2 = : 31 21 2 4 2 9 4 : 321 2E 5 @ 5 3 1 8 3 . 2 9 1 S 9 7 8 5 39 5 38 7 8 4 5 A W 2 3 >2 9 4 = 5 E 2 3 5 /6 8 2 9 4 5 8 32Q 5 G 5 31 2. = 2 3 5 39 : . = 8 3 W 2 3 > 7 : 9 3 4 = < 8 <. < 5 A B : 7 5 = 7 2 = C = 8 5 T ‚ J? < 5 1 = :@ 2 = 5 9 B :. :4 2 { 4 < 5 9 5 = = 5 4 8 E : T  . : 9 M E 2 8 3 > 53 8 4 < 5 A B :1 2 E 23 2 = /5 8 3@ = 5 E 2 T XZ[ \ ] ^ _^ `a b c ] d e _ f h i j k j h i l im n o pq r q s t q u v w x y z . /57 : = = 2 A B :@ = 5 /5 4 8 7 5 1 :. 2 = : 4 5 1 : 32 8 9 3 5 < 6 = 2 3 > ? < 27 : /. 2 = /8 4 8 9 1 :5.3 4  #$% & '() + . = : 7 2 3 3 :1 2 9 4 = :1 2. 2 8 4 :1 54 8 . 5 = 4 8 1 : 3 >7 5 9 1 8 1 5 4 : 32 2 2 8 4 : = 2 3 T I5 E 2 = C51 8 Q M 7 8 21 2 3 5 Q 8 5 1 : = 5: 6 = 8 @ 5 A B :1 2/5 9 4 2 = 4 : 1 ::. 5 9 G 52 2 8 4 : = 5 > . = • . 2 9 5 8 33 < . 2 = M : 1 : ¼U 1 2† ‡ „ > …/8 . 5 = 5. 5 M 3 T  J@ : E 2 = 9 :Q 2 1 2 = 5 -7 : 9 7 2 1 2 <5 : 32 3 4 5 1 : 3= 2 7 < = 3 : 3.. 2 9 5 35 4 2 = 9 5 4 8 E 5 3€. 5 = 4 M 7 < 5» 3 2 ¼2 /5 /6 5 35 3: 7 : = = S 9 7 8 5 3 > 9 5 38 9 G 5 3ˆ2‰ > . 5 A B : T J39 D /2 = : 31 :2 /. M = 8 4 :O 5 9 4 :/2 9 7 8 : 9 5 /1 2 P 2 9 5 31 2 7 5 3 : 31 2E 8 : 5 A B :1 5 3@ 5 = 5 9 4 8 5 3Q < 9 1 5 /2 9 4 5 8 327 : 9 7 2 9 4 = 5 /R 3 29 : = 2 5 4 :1 24 : = 4 < = 5 39 :7 2 9 4 = :3 : 7 8 : 2 1 < 7 5 4 8 E :.2 2 8 A B :1 2 ‰ “ ˆ “3 2 = C4 5 /6 . M = 8 4 :O 5 9 4 : 2 9 E 2 = @ : 9 G 5 /:. : 9 M E 2 57 < 3 4 :/M 9 8 /:.7 5 . = 2 3 M 1 8 : 3 2 3 4 5 E 5 /. : 3 8 A B :1 2. 2 = 5 1 :2 /1 2 Q 8 9 8 4 8 E :? < 5 ? < 2 = = 2 3 ? < M 7 8 :1 27 : 9 3 2 ? < S 9 7 8 5 1 57 = 8 3 22 7 : 9  /8 7 5@ : 6 5 T˜ : 8< /4 : 4 5 -1 2† ‡ „ > …/8 -9 : E : 3 . = : ™ 2 4 : T               . = • . 5 = 52 3 3 2. = : . 8 /. A B :2 /? < 2:4 = 2 7 G :5 . = 8 : 3 7 5 9 1 8 1 5 4 : 3 T #$% & '() ª « ¬ ­ « ® #$% & '() š KB :3 27 : 9 3 2 @ < 28 /5 @ 8 9 5 =< /59 5 A B :Q : = 4 2 > : <? < 2 4 2 9 G 55 3 . 5 = 55 7 : 9 3 4 = < A B :1 2. 5 @ 5 9 1 51 27 5 9 1 8 1 5 4 : 3 5. : 3 4 : 3 ¼U ½ T „ R ° V T ""    !! ./2 G : = T ICƒ „ … > †/8 . = 8 : 3 1 : 7 < /2 9 4 : 3 : Q 8 7 8 5 8 3 > 9 :2 9 4 5 9 4 : > 7 : 9 Q 8 = /5 /? < 25 L9 8 B :. = : 9 : /21 2 /: 9 3 4 = 5 4 8 E :» § 3 3 : ¼U » 7 5 = 4 2 8 = 55 3 3 8 9 5 1 5 ¼U ½ T ° V T ½ T ˆ “ V = 2 4 : /5:5 9 4 2 7 2 1 2 9 4 2» 4 : 4 5 — . 2 :@ : E 2 = 9 :Q 2 1 2 = 5 . 5 = 5:< 3 :5 1 2 ? < 5 1 :1 5 39 : E 5 3 4 2 7 9 : : @ 8 5 32 /Q 5 E : = 1 51 2 /: 7 = 5 7 8 5 T —‹ 2 5 37 5 = 5 7 4 2 = M 3 4 8 7 5 31 5§ 9 4 2 = 9 2 4 >7 < ™ 5Q 8 3 7 5 8 P 5 A B :2 Q 2 4 8 E 5.8 9 Q : = /5 A B :7 : 9 3 4 5 E 51 2< /= 2 5 4 • = 8 :1 5F5 8 { 5N7 : 9  /8 7 5 ˜ 2 1 2 = 5 T.3 3 8 9 5 25: . = 8 3 8 : 9 5 -4 2 /< /Œ  Ž    ‘1 2 ˆ „ “/8 E 5 @ 5 3 T ” J3 . = 8 /2 8 = : < @ 5 =< /51 2 7 8 3 B :1 : 37 : /5 9 1 : 3. 2 = M : 1 : T ½ T ¯ V= 2 4 : /5:5 9 4 2 7 2 1 2 9 4 2 ” J. : . : M 7 8 5 T‹ 2 5 3 2 3 4 8 /5 4 8 E 5 3: Q 8 7 8 5 8 3 >:3 8 3 4 2 /5. 5 9 G 52 2 8 4 : = 5 -? < 23 25 . : : @ 8 521 5 32 3 4 = < 4 < = 5 31 :4 2 { 4 :5 7 8 /5 > 5 3 3 8 9 5 25 : .

0123 456759 703 .

0 ? 4Q R M R S p q9 @ . < 9 . T 0 . 084 : = 9 ? 0 9 1 0 . < 0 . 09 . @ 7 . < @ ? : 0 7 9 .. 4 7 6 4 89 1 : 4 . . = @ 84 . 9 ] ? 4V : 9 2 0 . T 0> 4 . = 9 A 3 4 .? 4< : 4 = > 0 . [5 6 40. 9 @ . 0 . ] . < 4 899 ? 8@ . < : 9 .z : 7 T 0 .= : @ 9 . X 0 A X @ ? 0 . < 0. 4 Y @ = @ Z : @ 0 . 7 4 . = @ 9? 49 A < 9 ]= 0 80= > 9 89 ? 09 6 84 . ? 01 : 0 7 : 4 . X 9 ? @ : 9 89 . ? 91 9 : 9. @ .40 .? 49 r 9 :6 89Y 0 : 89? 4 A 4 7 9 A @ r 9 2 T 0? 0? @ .5 6 9 . ? 04 ? @ < 0 : @ 9 A ? 0B C D E F GI CJD F K L G? 4M N O P O Q R M R S -. 9 0. 9 A > 9 . . 9 = @ 0 . @ . @ < 9 84 89 1 4 A 9 : 1 9 : 99X @ 0 A \ . < 4 : .4 . < 9 : . 1 4 : 04? 9 .= 0 89 . < @ 894 89 A < 9 S s aT 0Y 9 A < 9 84 .? 0= : @ 84 ] 6 81 0 X 0= 0 899 6 < 0 4 . 0? 01 9 W . 0 ].5 6 4= 0 . . S e -= : 4 ? @ < 9 80 . 9 ? 9 1 < 9 ? 0 . = @ 9 494 A @ 8@ .4 81 0 : = 9 A > 9 ? 0 .3 4  -.? 4Y 6 . > 4 @ : 0. 4 : 4 @ 95 6 44 = 0 9? 0 . @ = 9? 0_ 0 7 0. < 0 . < 0: 4 9 A^ _ Z ? 4 . < 9 ? 00` ab cd S e a0f A < @ 80< : @ 84 . . @ . ? 40 . 9 A 490 1 2 T 0= 6 _ 0< 4 w < 0= 0 : : 4 . < 9 8@ . 0[6 891 4 .? 45 6 401 9 W . ]9 V 9 < @ ? 0 ]1 0 : 5 6 4. 6 _ 04. 4 : X 9 } . .4 Y 6 .^ @ .4 X 9 7 9 V 6 .@ A 4 7 9 A @ ? 9 ? 4 . 7 4? 0? 4 .? 9_ 0 7 9 < @ . 0 1 2 3 4 . 9 ? @ 9 . < 4 : . f 84 : 0? 41 0 A @ = @ 9 @ . < : 9 X 4 .7 9 . 7 4 .= 0 8< : 9 V 9 A > 0 S -. 7 6 4 . @ .? 4: 4 ? 9 2 T 00 Y @ = @ 9 A S U a0 . 0V : 6 < 089 @ . T 0< \ 8? 4X 4 : 01 9 @ 4 8= 9 . d4 8< 0 ? 001 9 W . 1 0 .= 0 Y : 4 . 0 < W = @ 91 9 : 90 . 9 A 490 1 2 T 04 85 6 40 . < : 9 < @ X 0 S ` . 45 6 4? 4 . 4 81 4 . ? 0. ? 0 . < : 9 8]6 8 84 A > 0 :? 4 . 9 S s ~@ . ? 4 80 .? 41 0 . < 9 8< : 4 = > 0 . V @ .? 41 0 .9 . > 0 4 . @ X 4? 49 A < 0 . 9 A Z : @ 08[ ? @ 0? 45 6 4 84 . < 4 S U -V 0 9. 01 : 0 ? 6 < 0@ . 4 . 2 9 .? 01 0 ? 4 :1 f V A @ = 09 0= 9 . 0 X 0 . 9 = 0 . < @ Y @ = 9. < 0 . T 0. 9 @ . . 6 9X 4 r ]9 . = @ 84 . = @ 9? 9 . W 5 6 4 @ . < 09 . 0 y: 9 . < \ . = @ 9. 9 = @ 0 . . < 9< 4 . 1 9 : 980 . @ Y @ = 91 4 : . 4 A > 9 89A 4 7 9 A @ r 9 2 T 0 ] = 0 809X @ 0 A \ . = A 6 .. < T 089 @ . = @ 9? 9 j4 1 f V A @ = 9@ ? 4 . < 0? 9 . Z : @ 0 . 80 = 0 8: 4 8[ ? @ 0 . 9 S p |V .7 9 .5 6 480 . = @ 0 . V 4 . = 0 . {= 0 : : 6 1 2 T 05 6 4= 0 . 4 : X 0 . @ = 0 . < 4? 9 . 3 4 . 2 T 0{V 9 . 0 . . T 0Y 9 A < 9 84 1 @ . 2 9 . 0 . < 4 . < 9 81 : 0 1 0 . 4 . 0 ]0 . 4. < 4? 4 : 4 . ]< : 9 1 9 = 4 @ : 0 . . 80 1 4 : W 0 ? 0? 4Q R R N ]= 0 8 0X 9 A 0 :8[ ? @ 0. 9 : = 0 < : Z Y @ = 0@ . < @ < 6 @ 2 3 4 .5 6 9 . ? 4 9 05 6 41 : 4 = 4 @ < 6 9 8 9 . 4 5 6 @ 1 9 84 . .= 9 .= 0 : : 4 < 9 84 . ? 04 A 9 . ] A @ 7 9 ? 0 . . ? \ . Sb 0 :.4 . 9 :86 @ < 01 9 : 91 4 : = 4 V 4 :5 6 4 ] = 0 889 @ . T 0< 4 86 89Y 0 . < 9 2 3 4 . @ . < 4: 4 ? 6 r @ ? 0 . . ] 9 < @ .7 4 .= 9 2 9 } . T 04 81 : 4 7 9 ? 0 . < 40 = 6 1 9 ? 94A 0 . < 97 : 0 . 5 6 @ .4 . ? 00 . . 9 A S                  !! "#" $%& ' ()* uv $%& ' ()* . < Z X 4 A0. 4.@ . < : 9 : 9X 6 A .1 9 : 9Y 9 r 4 : 4 8X @ .5 6 401 0 ? 4 :? 0? @ .? 4_ 0 7 0 . .Q8@ A > 3 4 . T 0@ 81 4 : 84 Z X 4 @ . @ . 9 2 T 0Y W . = @ ? 9 ? 4 . 0 9 . ? 0? 4 jkh l Q ] m g1 9 : 9jkl M n ] h R S oZ1 : 4 X @ . 0 = @ 9 A 484 . > 4 @ : 0? 0. 0_ 0 7 0. 01 4 .5 6 4. ? @ ? 9 7 4 8S t |. z ? @ 0 . 1 4 = < @ X 9? 4 7 4 : 9 2 T 0? 4: @ 5 6 4 r 9 ] = : 4 .0 1 2 3 4 . . < 6 9 2 T 0. 4 = : 4 < Z : @ 0. < 0? 4P ] g h i4 8: 4 A 9 2 T 09 0 84 .N R ] 5 6 9 . < 4< : 9 V 9 A > 9 ..4 A 4 < : x . = 0 . = 0 A 9 : ? 9 . 5 6 4? 4 .= : 6 r 9 ? 0 . ? 0. @ = 0 .1 4 . < 0? 0_ 0 7 0 .{= 0 .= 0 .? 4 1 9 : 4 = 4 : S -. < : 9 85 6 49= : x . @ Y @ = 9 < @ X 9 84 . 0 : 89 . @ ? \ . < : 0 A 9 84 A 4 ] A 9 X 9 7 4 8? 4 ? @ . 4 6 . < 44 81 : 4 7 9 ? 9 ]1 : 0 ? 6 r @ . 4 : 9 V @ A @ ? 9 ? 4? 0 .. ]. _ 9 6 8= : 4 . ? 0. . 9= 9 . < : 9? 0 4 . 7 0 . @ = 9 S-A [ 8? @ . 6 9Y 9 8W A @ 9 S t aT 0[1 : 4 = @ .? 9b : 4 . < 6 ? 0 . < [ = . 0 = 6 1 9 ? 9 . 9 A 9 . @ . @ 7 . 6 . ? 0 ] 0 . 4 7 6 4 89 1 : 4 . 0 _ 4 . ? 09 . < 4 .< 4 .9 7 4 . < 6 ? 0 . 6 9 A . 5 6 4. @ A [: 4 1 A 4 < 9? 44 w 4 81 A 0 . 4 . T 0< 4 8A @ 8@ < 4 . 9? 0 . 4 . < : 4 ] > 0 6 X 49 6 84 . < Z4 . > 4 @ : 04= 0 0 1 < 9 2 T 0? 49 6 < 0 : @ ? 9 ? 4 .

.

0123 456759 7 .

  v " ! A ! " & % % * %  A + !i ) ! A . %  ! . v/ 0 . + ! A $( % + ! %  !   ! * %  % !Y+  (.!  ! * % + . (! " .+  Y & . . &  !& ! $A  + .t  ! ( ) A&  A % +  + !+ !!  )  / .+    A " ! &  / # !  ) & . & $  % s  / 0 . 2 Ì x( i . % " &  1 !   # !  '  A % \ Ð ' "  (` X () .  % / 0 .+ ! Y % % + .!  )  / . + . %  t ) . ! & Ï * % ! * .0 .  .  ' + % 1 ! &  % Y % *  + . ! & Ï * % !* . " ! () . Õ Ô : 55P . Y .+ .% !  " % . &.(.) .+ ! (( + . % " @ " % * . &  + 1 % +  . \ . A 1 % (! " .+ .! (!. 23  &  + ! 1 % +   ( & *  / # !  ' !45 6 7 8: . X *A . ) . (." ! ¼ " .  2  ²³´ µ ¶·¸ Ò »  %  A !. ! ( ((.h& % ! " ! ' ! ' * . (! (p¾ ¿ 2 Á t à Â)  & .  2x )  / .! * . *(! " . + % $ % . (! (.: . Y . *  (! " .i !   ! ¿ 2 À t Á  & ! ) & !  ! "  (1 %  0 . = > 5 = ? 8 = ' . O ? 5> 8 P 88 =Q R . '!  " * . 2 ½ ». Z) . ! & Ï * % !* .(. A [ " % *  ' 1 ! & +  + ! ( " ! (@ " % *   0 .  . " ! * !p) ! & (% " ! (!. Y % A f  . $ &  ( " % *  A + . p¾ % " & ." ! ¼ " . (!)  &  " ! + Y . ' ( A&  A % +  + !+ !" ! () . + g& X * % !+ .) & . (.) & !  ! & 1  & % * .) . 1 . % * . '+ !  + !!Y .Y %  A + . * %  A! ) . & ( / # !  ) & .+   % + ! %   ' ! ( _ 1 . ' ( ) & !  ! & 1  & %  & ! A  / # !  % $ % Y % *  " % 1  ! * . + !  ! 1 . (." . % + ! i " X * % *  p¾ ¿ 2 Ë Â"  (` X (% () ! + !! '. ' ! $ ! + &  + ) ! A % + ! % + ! %  " ! ( ' !X) A !  !  A % s  / 0 . & . % + !i (+ . 2 ½ h+ !  A .& ! ) & !  ! "  (\ ! &  / * A @   % * + . = ? S . ) / 0 .  X *A .  W e & 1 ! A \ .+ . & z !  2 { { & ²³´ µ ¶·¸ º |} ~  €  ƒ „ ~ … † ‡ˆ ‰ Š ‹ ŒŽ Œ  ‰ Œ‘ ’ “ Ž ” ‹ ’ • ‡– — ˜|} ~  €  ƒ „ ~ … †™ š› œ ‡  ‡ žŒ  ‰Œ‘ ’ “ Ž ” ‹ ’ • ‡ Ÿ   ¡ ~  ¢  ˜ £ ¤¥ ~ ¦ § ¨ ~ }~ † ©… € › ~ † ª ¥‡ «¬­ ®™ ¯ ¤ ~ }~ ¥€ ~ ° ±… †  ‡ BCDEFBG HFDI CJLMJG BCJ ²³´ µ ¶·¸ Î »  %  A !. ` & % (! " . (" &   Y . ¿ 2 È Â '.+ ! ¼ ) & !   0 . 2 ½ . & & ! ' + ! ) ." ! ¼ " .& !   * % (! " . .  + !  * .+  Y & .i . ) . " . + . 2  +  ! (. '  A  & $  (! " . *  & % ! & & ." ! ¼ " . '+ !  + !! ! v   +  ( 1 [ & $A + ! ) .1 @ A % + . p¾ ¿ 2 Å Ñ Â) & . Ö ? 5 ) & !  ! & 1  & % * .  %  % + !) .$ &  ( " % *  A+ .) A  .$ &  ( " % *  A + . (%  &." ! ¼ " . ! $+ .i (  p¾ ¿ 2 À  % () ! + !! ' ! (A$  & + . " &  1 !   0 .& !    A " * . X. +s (% + ! % + !*  )  &   i $ &  + !  " &   Y . & & ! " & !  ) ! % " .\( %  (. &  / 0 .+  ! ¼ ) & !   # !  . ) / 0 . (. " ! ¼ " . & ( ¾ 1 ! & `  A 1 % . '  ! () & ! v+ % *  &* .0 . (! " .  '+ . %  A+ !) .  r!   * % (! " . & (! % .+ ! 1 !& ! ) ! " % & 2 É »! ¼ ) & !   0 .+ !  A .+ .( & *  + ) ! A . \ %  " f & % * .+ !$ &  + !  " &   Y . ! & Ï * % !* . +s % + ) ! A * .+ ." & .!  " &"& $ &  ( " % *  A+ .  % / 0 . & ( / # !  2 Ì 3 . .) & ! + . A/ 0 .+ ! " % $  * & ! /   ! +  1  ( . Y % A f  . " ! % &  X " % *  !. " & @ & % . (!  (.+ % Y .+ &  * % . ) .  ` ! &! ! $&  / +  / 0 . '1 ! (. ) / 0 .)  & * .* . p% " & . Z !   !*   .+ ." ! ¼ " .) ! & [ .+ !i + .  A % +  + !* .! 1 [ & $A ¾ ¿ 2 À  '  ! v   + .+ 1 [ & $A + ! ) .+   & !  ) .  . 2 »  %  A !. i 1 ! A \ . & ( / # !  p ¾ ¿ 2 Ê Â Z) .!  )  / . A [ " % * + . & ( / 0 . & & ! "  '+ ! * . Ö 8 = × Ô Ø.! $  " % 1 + !i(( + .h& % ! " ! p¾       .) & .+ ." ! () .!  ! * % (! " ." ! ¼ " . & % ! "  & $(! "  / 0 .  p¾ ¿ 2 Å À t Å Á  . * .T8U W V! 1 % + ! " !!1 % 1 ! (." ! ¼ " .bcd '& ! A " . & & ! / 0 . * + . & & ! / 0 ." ! ¼ " . " . *  (! " .+    )   ' A % \ Å À '    %  A  (+  * % "  / # ! + !( + . ` & % (! " .* .\ .+ .$ &  ( " % *  A + ." ! ¼ " . p¾ ! (.  + ! ! (! A \  " ! . 2 Ì h . ) / 0 . & + .+  % + ! %   p¾ A  *" ! * .  % " % 1 + !( + . & ' (   `  " % "% / 0 .+ . * .  ¿ 2 Å Å Â 2 i 1 ! A \ . * ! ) / 0 . .  Z. ' ) .  p ¿ 2 Å Á t Å Ã Â '.& ! " . & & ! " & !  ) ! % " . .  2 u." . & "  " .* .& !  ) ! * " % 1 . / # !  + ! !  )  / ." ! ¼ " . " . " ! & % .! " & !.* .t  ! ( ) A&  A % +  + !+ !!  )  / .  % / 0 . ]) ! A .* . A  & %  & ! $ &  $ &  ( " % *  %  2 Í . " A ¿ 2 Å t Ë Â ) ! A % + ! % + !$ &  + !  i (. '& ! !  * & % " * . ` & % $  " f & % & ! " % &  + + 1 [ & $A ! ! $!. Z( ) .  !" ! () . & & ! / 0 . ' & ! " % &  + + * . " / 0 . ( + ." & . p¾ ¿ 2 Å Æ Â 2 Ç » & $(! "  / 0 . * ! % " .<.!1 [ & $A ¾ ¿ 2 À  '  ! v " % A % s  + . + ! & %  ! & ( & *  + ) . !" ! () .!+  + . % + !i \( %  (. A \ % (! " .  & $(! " . & & ! / 0 . ' % + ! % + !!  )  / .  ' +  % * ! & " ! s   ' . & & ! " & !  ) ! % " . (! A   ' * & [ " % * ! + %   . " ! % &   p¾ ¿ 2 à  ' !& ! (! " ! Ä1 %  0 . =: .) & . p¾ ¿ 2 Ê Â   .  %  A+ !) .A$  &+ !) . & & ! / 0 .+ " X * % *  p¾ !) & . !   * % (! " .!  ! * % + .  & $(! " . v ! p¾ * . Y % A f  .\ . (." & %  + . * % i X ) . A f $ % * !.* . ! * .! ¼ ) & !   0 . &  (t  !% +  + !  W y (!  %  " ! ( " % s  +   23 .i !  " * . p ¾ ¿ 2 Ñ Â ' ) & !  ! & 1  & ! A  / # ! + ! % $ % Y % *  / 0 . p¾ ¿ 2 Ë Æ Â ' & ! (! t  ! ' .! $ ! + & !X ' . ) ! A " X * % *  2 Í d Y ! & ! t  ! !  % + ! % + !i  %  " ! ( p¾ ¿ 2 Ë Å Â! " ! "   & $(! "  / 0 . ! & Ï * % ! (* . Y ." & . v ! '  + . +  " X * % *  ' * . 2 ¿ 2 Ð t Å Æ Â É ») & ! ) . Y+  " &   Y .( + . (%  & . ()  \ !   ! ^  A  & $  (! " . % * . !" ! () . A \ % (! " . .bbd 0 . ) .+ . v/ 0 . p 2 Ç A % \ È ' & ! A  / # ! + !& ! $ Ï * % ! " & !i  ! (! A \  " ! p! i  * .A  + .+ .i  . (.! * . ( + + !* .  "   2 N. i  + .+ .! p ! v `  " % "[ + . ) ! & [ . * + .  W q i + !  * . +s (% + ! % !! ¼ ) A % *  Y % & ( / 0 .. &  %  %  + !)  & Ï " !  !  '  ! () & ! v+ % *  & * . + ! ) .  p¾ ¿ 2 Å Å Â!. * ! ) / 0 .  . " . " ! ¼ " . X *A . ` & % $  " f & % . '! ¼ ) & !   0 .+  & $(! "  / 0 . (! " ." & ! * \ . r!   * % (! " . ! & Ï * % ! " & !. \ . p 2X ) ." & 1 [ & $A  2 Ç A % \ Á '  %  A + !+ . " .   !  " # !  ! $% & '( & ! ')  & *  +  ( '. % + !i \( %  (.  ' + .+ .! ( ( i ) A  .   ! (Y ! % " . & . Y+   +   .+ !% + ! %  % " & . (! ( j k l m k n o+ . (%  (  W w ) !  "  " [  " % *  * . " . ` ! & "  a .  ' (A " % ) A % *  + . " ! * !' . &Ó Q R Ô 6 5Q R .Y  A " + ! " ! / 0 .$ &  ( " % *  A+ .* . + !  ! 1 . .!  ) [ & % " . " ! & (. % " @ " % * . (! " . . '  ! & % .i * . !& ! $A  + . @ 1 ! %  ' " X  (. + % $ % . '. &%   .  "   )  &   !  " &"&  A % $[  " % *  + . p 2 É »%  ! & / 0 .  2 ¿ 2 Å Ñ Â ) & !  ! & 1  & %  Í »& ! " % &  + + 1 [ & $A ! ! ! $!i u. " ! () . & ( / # !  + " X * % * !"  (` X ( + !$ &  + ! + !  * . bcd a'* . A 1 % (! " . + g& X * % !+ ." ! ¼ " .) ! A . & & ! / 0 . & & ! / 0 .i ! * . + . + .  ) A&  A % s  + .

1 / 9 82 4 9 1 H > 84 1 E3 2 ³ -. 1 / ¯ 4 2 1 E4 1 3 3 -82 . 1 / ¯ 4 2 1 • — @  ™ ž › E-9 2 D 4 1 6 1 : 7 -. . 2I 1 / 8-3 7 3 9 2 8? 9 7 D @ A8 2 G.5 7 3 9 -. 2 / . 23 2 / / 2 3 1 6 5 7 . 1 /82 7 1. S = 6 7 D 3 E / 2 3 . / 2 9 2 4 3 0 1. 1 . 1 87 4 . 2 / 3 . 1 / 7 1. 6 2 5 . 7 82 4 3 M 2 3. 3 3 7 1 4 6 E . 18> 4 . 29 7 9 > . 4 1 3 11 82 7 18= 7 2 4 9 227 4 3 > 3 9 2 4 9 ? 5 2 6 @ A2 3 3 2. 33 > 3 8= 7 : > 7 . / 2 5 JC M 2 32 85 ? / 7 1 34 N 5 2 7 3F > 24 0 12 4 I 1 D 8. . 2 / 4 1 £ . . / -D / 7 / 9 2 D 4 1 6 1 : 7 @ ¦ *3D 1 4 9 2 D 7 82 4 9 1 3. / . / > . / 1 81 5 2 /C M 2 3D 1 4 9 > 4 . / 1 = 6 2 8-3 B. 1. D 4 7 D -21D 1 4 H 2 D 7 82 4 9 1 3 7 3 9 2 89 7 G . 2F > 22 3 3 / 2 9 2 4 3 0 1. 2D 1 4 H 2 D 7 82 4 9 1 3 E : 2 / 6 82 4 9 2F > 4 9 7 I 7 D . E 9 > . 1 7 31H 1 82 8. 2 3 1 D 7 1 8= 7 2 4 9 6D 1 / . 2. 2/ 2 : / 3. 6 -2 3 9 / 9 . 1/ 2 6 @ < R L7 8.” . 2 — @ ˜ ˜ › . 2 D 9 7 5 E 7 3 9 1. 2 / 3 . 7 / 2 D 7 1 4 8 1D 1 8. 2 3 E . 1 H 1 82 8E 83 I 1 7 6 . 29 . 1 / 9 7 5 ED . 1 87 4 ? ™ 6 1. -8> . -/ D 7 1 4 6 7 . / 2 9 / 3” 8= 7 : > 7 . 1H 1 82 8> 8” 2 3 D / 5 1 – 81 . 2H = 7 9 /1 8> 4 . /3. 1D 7 . 2-. 29 . 33 . 25 7 5 2 /1 3D 1 4 9 2 D 7 82 4 9 1 3 E1 H 1 82 8 2 3 9 = 2 6 2 D 2” > 8D 1 4 ³ > 4 9 1. 2 @ UV W W X Y Y[\]^ _ _ X ` aX b X ` \cd f g h i j k hl j m n o g \p q r s t k u v wx y z { x z x | | } w~ \{ { €  ‚ aƒ „ ƒ ~ _ ƒ … † X W ‡ \    ! " # "" $% &  $  '  $¬­ ®9 2 D 4 1 6 1 : 7 -. 2 D 9 7 5 -D 7 2 4 9 N I 7 D -D . 2> 8D 1 4 ³ > 4 9 1. 1 / 9 82 4 9 1 E F > 2 E . 1 3 @ L. 1 / 3 > -5 2 G E3 B. 2 4 9 7 I 7 D / > 84 1 5 181 . . 182 / D . 1 /2 4 5 1 6 5 2 /I 9 1 / 2 3 2H ? = 7 9 1 3D > 6 9 > / 7 3 @ Q 2/ 2 6 82 4 9 2F > 2 / 2 81 38> . 2/ 2 : / 3. -. 1 ’ 1 322 4 7 : 83 E 2. 2 6 -9 . 1 / F > 2 < µ . 2I 1 / 8-. 1 4 3 = 7 6 7 . -F > 4 . 2D 1 4 H 2 D 7 82 4 9 1 3 E : 2 / 6 82 4 9 2 P 82 F > 4 9 7 I 7 D .1F > 219 / 4 3 I 1 / 8-4 12 3 D / 5 181 . 2 3 . 2 7 -D 2 4 9 / 6. 1D 1 4 9 2 8. 1 K D 1 4 9 2 8. J 4 D 7 -2: 2D 1 81 F > 6 F > 2 / 3 2 / . / 2 D 7 3 1/ 9 7 D > 6 / > 8-8. / . 1. / ? 9 7 D 3 5 7 : 2 4 9 2 3 27 . / D 7 1 E3D 7 . 2 4 31 < D 1 8. 2 I 9 1 / 2 3D 1 4 D 9 2 4 . 1 .D 1 4 3 7 . . E . 1D 1 4 3 9 7 9 > 2 8> 8-. / -9 1 .6 : 1 . /D 1 8. 11F > 22 6 2I G3 BI G. 1 ’ 1 3 22 4 7 : 83 •– 8> 4 . 2 / 4 19 2 8 -. D 4 7 D E3 2 ³ -. 2 4 1 3 12. / -7 4 9 2 / . . -82 3 8-84 2 7 / -F > 2 — @ Ÿ ™ « › EF > 4 . 4 C -. 2D 7 5 7 6 7 G C 0 1 E 9 2 81 3 . 1 < ´ . 1 87 4 . 2 6 1. 2/ 2 : / 3. 2 . 1. 2 / 4 1 •– — @ ˜ « › @ œ ®±7 3 9 B / 7 -. 1 6 N 9 7 D 3 . 7 I N D 7 6 E F > 22 4 D 1 4 9 / -/ 2 3 7 3 9 J 4 D 7 -. 1 3 E F > 25 6 2 8. / 2 9 / 1 / 2 6 @   ®. 1 A3 9 . 1 @ ¤ °1 8 11 = ³ 2 9 7 5 1. 1 ED 1 6 H J ™ 6 1 E5 7 5 2 /4 1 82 7 1. 4 C -. 1H ?> 8-D 1 4 I 6 > J 4 D 7 -. 2 / . 2. 23 2 /1 = 9 7 . 29 . 1 ³ / 1 8> 4 . 1 3 •– — @ ¥ ™ ¡ › . 8£ 9 / 4 3 I 1 / 81 > ™ 3 24 -6 7 4 : > : 2 8. 1 / 9 82 4 9 1 3. 2I G 2 /. 3 3 7 1 4 6 E 7 3 9 1. 7 4 -2-7 4 9 7 87 . / 0 1. . D 4 7 D -2. 2 3 E . 1 3 3 N 5 2 6. 2 4 9 2 34 32 3 I 2 / 3. 1 7 4 9 2 / . 2 3 E-5 7 . 1 . 2 6 -C 0 1 . 7 I 2 / 2 4 D 7 . ?D 1 4 9 -. D 4 7 D @ O32 6 24 0 13 2. 2 6 -/ D 7 1 4 6 7 . 1 87 4 ? ™ 6 1. 1> 3 -” > 8 3D 7 J 4 D 7 3 E3/ 9 2 32-. 1 / D > 3 32 ’ 9 2 / 7 1 / 2 3 • — @ ˜ « ™ ˜ ¥ › @ – ˆ‰Š ‹ ŒŽ ¼ ˆ‰Š ‹ ŒŽ » 0123 456759 7 . 19 2 ’ 9 1 @ “ ®13 29 / 4 3 I 1 / 8/ ” 4 -6 7 4 : > : 2 8. 6 2 4 82 4 9 2 . 1 3 < T 5 D 1 4 9 2 D 7 82 4 9 1 3 E1 H 1 82 8 81 . 2 4 33 2 4 3 7 = 7 6 7 G C 0 1. 1 / D > 3 32 ’ 9 2 / 7 1 / 2 3 E 1H 1 82 8. 1 E D 1 87 4 5 2 3 9 7 82 4 9 1 3 E . : 7 F > 2.   ! " # "" $% &  $  '  $() < K P < R < T *.. 18> 4 . 2 6 1 3D 1 4 9 2 D 7 82 4 9 1 3 @ p ¶ · ¸w ¹ º ¹ ¶ · ¸€  ‚ aƒ „ ƒ ~ _ ƒ … † X W ‡ \ ®3 3 7 4 6 2-1 . / 2 3 3 --9 2 3 2 E-7 . 2 4 3-/ D 7 1 4 6 7 . 2 . C 0 1F > 22 ’ . . 1 / 82 7 1. 7 C 0 1> 4 7 5 2 / 3 6 @°1 813 7 3 9 2 8> 4 7 5 2 / 3 6 E -±7 3 9 B / 7 -² . G. 1 6 N 9 7 D •– D 1 4 ³ > 4 9 1. 1 6 N 9 7 D -² . 1 87 4 /4 0 1. . 1. . 2 3 2 4 5 1 6 5 7 82 4 9 12 85 7 : 1 /. 3 3 1 > -. -> 83 7 3 9 2 8E ” . F > 2. -D 1 9 7 . -82 3 8-84 2 7 / -F > 23D 7 J 4 D 7 3 E 3 / 9 2 32-. 0 1 @O> . 2D 1 4 H 2 D 7 82 4 9 1 3 •– — @ ¥ › . 2D 1 8. 12. -82 3 8-. . D 7 9 C 0 1 26 9 2 / 4 9 7 5 3F > 2 5 7 = 7 6 7 G 2 8-8> .

/ C 0 12 4 9 / 21” 3 7 3 9 2 8-> 4 7 5 2 / 3 6 •– — @ ž ™ Ÿ › 21” D 1 4 ³ > 4 9 1 . 1D 1 83/ 2 6 C M 2 3. 2I 9 1 / 2 3D 1 4 D 9 2 4 . 1 3 7 C 0 1½  E2 8” . 19 2 ’ 9 1 E “ -2 ’ . 1 3 7 C 0 1½  EF > 2. 28> . 1 3 •– — @ Ÿ2¡ ›/ 2 82 9 2 8¢   3. 2 D 9 7 5 82 4 9 2 E 4 3 6 7 4 H 3 ˜ ¨2 ˜  @ — @ Ÿ › @ – ¤ ª6 7 4 H -˜ š E-/ 2 . / 1 = 6 2 8•– ’ . -82 3 8-84 2 7 / •– D 1 8. 19 2 / 81” I 9 1 / 2 3 •– 82 3 8-7 . 2 •– — @ « ™ ¥ › 215 1 D ? = > 6 1” . 1 / 9 82 4 9 1 •– — @  ›. 2. 2D 1 2 3 0 1D 1 4 3 9 / > N . 2 ¤ 4 -6 7 4 H -¡ E/ 2 I 2 / 2 ™ 3 29 4 9 1-” 6 : 1 •– — @ ¥ ›F > 4 9 1-” O> . 11> 3 1. 2 9 . 2 7 £ . 3C M 2 3 2 3 9 / 9 . 4 1 3 1182 7 18= 7 2 4 9 2 •– — @ ˜ ™ š › @ ¤ -” 3 2 4 3 7 = 7 6 7 G C 0 1. 7 D / -D 1 / / 2 C 0 12-D 1 2 / J 4 D 7 -. / 2 3 3 0 1” . . 7 D F > 2 3 2 — @ ¥ › @ D 1 8. 2/ 2 : / 3 •– — @  › @ –   *3 . 2 D 9 7 5 82 4 9 2 E-” > 8 — @ ¥ › 2-” 9 . — @ ž ™ Ÿ › @ ” D 1 4 I 6 > J 4 D 7 -. / 2 3 3 0 1” . 4 C -. 2 D 1 4 H 2 D 7 82 4 9 1 3 • – — @ ¥ › @ — @ š › @ “ 4 -6 7 4 H - E / 2 I 2 / 2 ™ 3 2-” 2 3 3 2. / ” / D 7 1 4 6 7 . 2” 8> . C 0 1D 1 / / 2 9 @ ª3/ 2 6 C M 2 3. 34 -. / 2 ³ > . 1D 7 . / 2 5 J •– — @ « › E / 2 I 2 / 2 ™ 3 2-” 8> . 1 87 4 ? ™ 6 1 • – — @ ˜ ˜ › 2 2 8 ” 19 / 4 3 I 1 / 8•   4 -6 7 4 H -« E 3 2 : > 4 . 1 / 9 82 4 9 1 3 •– 9 / 9 -. 3” . 2 / 4 . S = 6 7 D 3 •– — @ ˜ š › @ . 2D 1 2 3 0 12D 1 2 / J 4 D 7 -. 2I 9 1 / ” . / 1 : / 2 3 3 0 19 2 ’ 9 > 6 E1 1 . 1 / 82 7 1 • @ — @ ˜  ™ ˜ ž › E . 2 4 9 2 3 •– — @ ˜ ˜ ›¦ ® D 1 / / 2 3 .D > 3 -. / ? 9 7 D 35 7 : 2 4 9 2 3 •– ˆ‰Š ‹ ŒŽ © ˆ‰Š ‹ ŒŽ  °1 4 3 7 . 27 4 3 9 / > 82 4 9 1 E/ 2 3 . : 7 D 3. 2 7 -. / --8> . 1 3 7 C 0 1 " 2 . / 1 81 C 0 1. 2 / 2 : / 3 . 4 C -. / 2 D 2 . E 3 2 8 F > 4 9 1-” . 32 3 9 / > 9 > / 36 7 4 : > N 3 9 7 D 34 19 2 ’ 9 1 E 3 3 7 4 6 2. 1 / 2 6 . . / 2 . 1 6 N 9 7 D 3. 6 2 82 4 9 1 3. / 2 . 1 . / 9 2. ‘2D 1 / . : 7 • – — @ ˜ « › / 2 I 2 / 2 8™ 3 2-” 8> 4 . 4 1 3 1182 7 18= 7 2 4 9 2 •– — @ ˜ ™ š ›215 1 D ? = > 6 1 — @ š › 2 3 9 0 12 8/ 2 6 C 0 1. 4 C -. 1 4 . -. 1 / 82 7 1. 2D 1 8. / 1 4 1 82 3 2 8” . / --2 ’ . 1 / 9 82 4 9 1 • œ ®2 9 / 7 = > 2 8 -7 . / 2 . 2D 1 8. 2 7 -. 19 2 ’ 9 1 @        . 2 4 9 2 3 •– — @ ˜ ˜ ›D 1 4 3 9 7 9 > 7> 8— @ § ™ ˜ ¨ › @ D 1 4 . 1 7 3D 1 8. 0 1 •– — @ ¥ ›4 0 1I G. / 1 4 1 82% &  E — @ Ÿ ›2 3 9 = 2 6 2 D 2> 8“ ®2 ’ . 1 • E / 2 3 . D 4 7 D • 2 ” I 1 / 83 7 3 9 2 8? 9 7 D • E 7 4 . / 2 3 3 0 1” . 4 C -. 2” C M 2 3D 1 4 9 > 4 . 2D 1 8. 2 3 2 / 3 > = 3 9 7 9 > N . 2 ¢ . 23 7 4 1 4 N 87 @ ” 7 4 3 > 3 9 2 4 9 ? 5 2 6 •– œ -7 . 1 3D 1 4 9 2 D 7 82 4 9 1 3 •– ¦ 4 -6 7 4 H -˜  E/ 2 I 2 / 2 ™ 3 29 4 9 1-” C M 2 3D 1 4 9 > 4 . -1 D 1 / / J 4 D 7 E / 2 I 2 / 2 ™ 3 2-” 8. 2 6 •– — @ ˜ Ÿ › œ 2 8” F > 2. 6 -2 3 9 / 9 . 1 / 9 82 4 9 1 @ ¦ -. 7 C 0 1. 2 9 7 C 0 1. / 2 3 3 0 1” . > 31 D 1 / / J 4 D 7 3. D 4 7 D •– — @ ˜ Ÿ › @ D 1 4 ³ > 4 9 1.

. 8 3 4 / . 8 O 1 ¡ ¢ = 3 4 / . 1 A = @ 9 093 49 3 3 47 01A 4 . 3 1K ˜ I  a œ – @ 9 093 49 3 3 4 —` 6 7 4 3 4 C 4 3 @ 9 8 3 ? / 7 1 9 0. : 1 04 8 ? 4 =3 DO 1 : 4 / T: 1 8 ? 1 E 4 8 38 1F 7 3 @ 1C 401 . 04 . 6 7 4 @ . < 9 I 1@ 9 0> 4 ? . 04 8 ? 9 3C 9 3A 7 @ / 9 3E 4 / 1 C 9 3 = 8 14 Y > 1 8 3 < 9C 93 . < 94 = > 1 / ? . 9> 9 3 . ? 9 I U / . Y 4 09 3F 4 0@ A 1 / 9 \8 < 93 4C . @ 7 A 1 / 04 8 ? 4 = 3 4 7 3· B C 9 ? 4 Y ? 9 I > / 9 C 7 ? 9 3 ? 4 @ 8 9 A D E . @ 1 04 8 ? 41 @ 4 . A / 4 1 A 04 8 ? 4> / 4 @ . M6 7 493 7 @ 4 3 3 94 3 ? TE 1 / 1 8 ? .. 3 @ 7 ? 41 6 7 . A . > 9 ? 4 8 ? 44– 9 > 4 / 1 ª & « ( " ¨ «  " ¤ $"$  ¬ #  ¦ ¤ ¦ ­ « ® ¤ " I 3 9 F9 / ? 4 3/ 4 3 ? / . 907 C 1 / – 1 M —> 1 / 1ª " »  ¨I 9 / . ? 98 9 3C . 3 @ 7 ? 4 —` ˜ I ¡ ¢ a B X / 4 1 . 04 8 ? 9. 3 01 = 11 A 4 E 9 / . . / 9 = 9E 9 : 4 / 8 98 < 9K7 01 E 4 8 ? 4 L > 8 . : 94@ 9 / / 4 3 > 9 8 C 4 1% & $ ³ ¦ " §  #  $` I I I a I 3 7 > / 4 09C 1: . A . C 18 1 ? 7 / 4 M 1W A . A @ 9 09E . C 9 I À= > 1 / 1 . 8 O 1™ ¢ = > / 4 3 4 / : 1 2 3 41@ 9 4 / R 8 @ . 3. 9 3 ŒŽ  ‘’ ” / 9 F A 4 01 3@ 9 04 3 3 40. C 904 C . ¾ 4 3 —` ˜ I  2 Ÿ a I œ C 11 A ? 1C 4– @ 9 8 3 4 8 3 98 13 9 @ . E 1 8 ? 4 1 C 9 / 04 @ . C 14 0: 1 A 9 /3 7 > / 4 09 —` ˜ I › 2  a> 9 / # ¤ ¥ ¤ ( "¦ " §  # • C 1@ 9 8 . E . 4 C 1 C 4 —` L J9 8 3 4 6 7 4 8 ? 4 04 8 ? 4 =1@ 9 0> 4 ? . . : R 8 @ . 9 39 791 7 04 8 ? 9C 4š W = W W 4 ¼I B Z . ? 9C 9 E .3 3 . : . < 9> / 9 > 9 / @ . ? 4 2 3 4 = > / 9 > 9 3 . / 01 2 3 46 7 41. @ 1 ? .1 ž W W = W W W 4W ¼I W W = W ¼4¼I 8 4 @ 4 3 3 . 4 C 1 C 4 3 9 F / 4 1 C 4 3 4 8 : 9 A : . < 9C 9 3> / 4 . C 9 K 6 7 4 4 A 4 / 4 1 A 04 8 ? 4 3 7 > ¾ 4 6 7 4 9 E . : 9% &  I > / 9 C 7 ? . < 9C 4 – 9 7 —` ˜ I ™ ¸ a = 1 8 ? 4 3C 9¿ A ? . C 1 / . C 1 3 1 3 / 4 A 1 . / > 1 / 1> / 9 3 > 4 / 1 / I ¼. < 913 4 E 7 . : . 18 1– E / 1 8 C 4 M 1C 9 3 8 9 3 3 9 3 / 4 @ 7 / 3 9 3 8 1 ? 7 / 1 . @ 16 7 4 = 8 9 9 / 4 3 ? / . C 4 . : 9 I[4 . E . 36 7 4> / 4 @ . C 1 C 4 I $  ´ " I        0123 456759 7 . < 9 = 9 3 3 47 3 1 C 9 º 31C 4 3 : 1 8 ? 1 E 4 03 4 / . 3A 9 8 E 9> 4 / H 9 C 9C 1O .> / 4 8 C 4 09 3 1> 4 8 3 1 / 9Â/ 1 3 . ? . ? 7 . Y 9 = / 4 A 1 ? . : R 8 @ . C 1 C 4 — º 01 3 = > 1 / 1 3 4 > / 4 3 4 / : 1 / 1 @ 9 / / 4 . 8 E 7 K 03 1 F 41 9@ 4 / ? 9 @ 9 09 @ 7 ? 7 @ 1 /9 E . E .@ 9 4 / R 8 @ . 3> 1 / 113 9 F / 4 : . ? 1 C 9 =8 4 03 4 0> / 4> 9 / 01 1 A 9 /4 Y > A . 18 1 33 9 @ . : H C 7 9 4 C 9 @ 9 8 ^ 7 8 ? 9 C 1 8 9 3 3 1 3 9 @ . 3 = O 7 01 8 9 3 $ & ! #  ¨ I ˜ I ¡ 2 Õ a I 4 @ 7 A ? 7 / 1 . 0. 1 001 8 ? . : . 1 8 . 1 —` 9/ 4 @ 9 8 O 4 @ . . ? 4 8 3 1 F 1 . C 9 I bc d e f g h cjk l l d c e mno p q r s r t u vox r p u o y v y o mz { |} d l c e d c l | B ~ m c €  k ‚ ƒ k ‚ k „ c …f ‚ ƒ m ‚ ƒ …m † e ‡ˆ ‚ ƒ … k „ k  l k ‰ Š c € ‹ m P0. E 1 8 ? 4 B S . : . 4 I . 8 1 A 419 > . C 1 C 46 7 1 8 C 93 4 7 3/ 4 3 7 A ? 1 C 9 39 / 4 0C . : . . . 1? 4 Y ? 7 1 A 1 93 4. C 9> 4 A 1E / 1 8 C 4 M 1C 9 3 8 9 3 3 9 3/ 4 @ 7 / 3 9 38 1 ? 7 / 1 . @ 1 A C 9? 4 Y ? 93 4 / . / 1 B V 3 9 @ . 8 E 7 H 3 ? . > 9 ? 4 8 ? 44F 4 8 4 : 9 A 4 8 ? 4 I ½ 4 E 7 8 C 9 = 9E 9 : 4 / 8 99 > 4 / 13 9 F9 / ? 4 3 . : . C 1 C 41 M> 1 / ? 4C 47 01: . @ 1 3 . 8 : 4 3 ? . /> 1 / 1 œ – 3 DO 1 : 4 / T —` ˜ I ™ › a > 9 / $ ¯  ¤ $  ¤ # ° I > / 9 3 > 4 / 1 / — ` ˜ I Ÿ 2 ± a I ž – 1 ? . ? . < 96 7 43 43 4 E 7 41 9 3C 9 . / ( "1 8 ? 4 3 . • – . 04 8 ? 94 @ 9 8 G 0. 3 ? / . C 1 3 1 9 ŒŽ‘’ µµ 3 43 7 F 3 ? . ¾ 4 3 4 8 ? / 49 31 / E 7 04 8 ? 9 33 4 = 4 0A 7 E 1 / C 4 07 8 C 9C 9 0. C 1 C 4C 4 @ 1 C 1 . < 94> / 9 C 7 ? . : 9 3 1 94 0> / 4 E 9C 1 3 4 3 ? / 7 ? 7 / 1 3 A . 09? 4 / 09C 14 8 7 04 / 1 . @ . 8 1 C 1> 4 A 1@ 9 / / . 3 3 9 = ž – P0.. : 9 I @ 1 > . ? 9C 9E . < 913 4 E 7 . 4 8 ? 1 C 9> 4 A 1@ 9 9 > 4 / 1 . 34C 94 8 / . @ 1 A = 7 4901 . 3> 1 / 113 9 F / 4 : . 04 8 3 ¾ 4 3 \8 . 3 — ` ˜ I © a> 9 /š C š – 7 8 C 1 04 8 ? 1 . E 1 8 ? 4 ºK> 9 3 3 H : 4 A6 7 49 3@ 7 ? 7 @ ¾ 4 33 4 ^ 1 0 8 @ 9 8 3 . 0> 9 / ? 1 8 ? 4 3C . E 1 8 ? 4 4 Y . . < 9 = 9 3 3 4 7 3 1 C 9 @ 9 A 4 ? . : 9C 19 / 1 . @ 9C 9> 1 H 3 I W . @ 9 7 8 C 1 04 8 ? 1 . 4 8 ? 1 A 04 8 ? 43 4 E 7 / 1 =  _ _ 01  ! " # "" $% &  $  '  $* ** Á 3 9 @ . 9 / 9@ 9 8 4 @ ? . 3 2 > 9 8 ? 9 3 = 8 1 . 8 9 : 1 . 1 AC 90. 1C 14 3 > K @ . C 4 9 A 9 E .   ! " # "" $% &  $  '  $( )"* + ŒŽ  ‘’ µ¶ 7 A E 7 49 3 . < 96 7 413 4 E 7 4? 4 0: 1 A 9 / 4 Y > A . 3 @ 7 / 3 96 7 41 > / 4 3 4 8 ? 4N3 9 @ . 4 C 1 C 4 I ŒŽ  ‘’ £ Äk e Å ƒ €Æ f ƒ mÇu t v q È ov y r É Êo p u y r mz { |Ër É É o u r ÌÉ v Í u s u o q x o ÎÏ Ð Ñ Ò Ñ Ó Ô Ï Ôˆ ‚ ƒ …k „ k  l k ‰ Š c € ‹ m . 39> 4 / H 9 C 93 . / 01 2 3 4 —` ˜ I ™ a 1 C 9 / 04 @ . / 4 . 1 8 ? 414 A 4 : 1 . / 4 . ? 1 C 1 04 8 ? 4 = W ¹1 C 4 – > / 9 C 7 ? . 9 8 1 04 8 ? 9C 91 7 ? 9 / 8 1 QC . 4 C 1 C 49 3@ 7 3 ? 9 3   – 8 < 93 4C . C 13 9 @ . 1 H / E 7 A 1A 9 E 9C 4 > 9 . < 9C 46 7 44 3 ? 13 4 ^ 11 0F . / 9 = 8 < 9 O T @ 9 8 3 4 8 3 9 8 1 3 9 @ . < 9E / 1 01 ? . < 9 I E 1 8 O 18 9 : 1 34. 4 C 1 C 4 = ¼ P: B V 04 A . 4O 7 01 8 1 I P0. 4 C 1 C 49 3 @ 7 3 ? 9 3/ 4 1 . . 8 C . 9 3 = 1• W = W W 4W ¼I / 4 C 7 . E 1 8 ? 44 Y . . 1 8 ? 414 A 4 : 1 . 3 < 9C 4W B S C ¼ ½ 4 / .: ˜ I ¸ aK9 F / . 9 3@ . 3 IÃT : T / . @ 9 3 4 3 ? . 09 3 IU 1 / 113 9 @ . C 1 C 44 = C 4 3 3 1 9 / 01 = @ 9 8 ? / . 4 C 1 C 43 9 F / 41C . 8 ? T ? . < 9C 4– 6 7 49E . . C 11 ? / T 3C 11 @ 7 07 A 1 . 1C 4@ 9 8 C . 3 @ 7 / 3 96 7 41 > / 4 3 4 8 ? 4N3 9 @ . 1 A 04 8 ? 401 . 04 8 ? 9C 46 7 49E 9 : 4 / 8 98 < 9K9 8 . M 1 C 9 34A 4 E H ? . C 9 — ` ˜ I ™ ¢ 2 ™ ™ a K 9 • – 4 / . 1 001 8 ? . < 9@ 9 / / 4 3 > 9 8 C 4 8 ? 4N4 3 ? / 7 ? 7 / 1A . 4 / 4 8 ? 497 3 9C 4 – 6 7 1 8 C 9 —` ˜ I ™  a9 7C 4$  = 4 03 4 7A 7 E 1 / = > 9 . ? 4 2 3 4 —` ˜ I Ÿ a @ 1 / 4 @ 4 09 3C 47 0C . E 1 ? D / . 3 ? 4 01 œ W = W W W 4¼I > / 9 C 7 ? . 3 ? 4 8 ? 4 3 IP7 ? / 9> / 9 F A 4 014 3 3 4 8 @ . 3 ? 4 4 6 7 4 š – K4 / . 34C 401 8 4 . 1C 9 31 / E 7 04 8 ? 9 38 9? 4 Y ? 9 = K. 04 8 ? 9C 9? 4 Y ? 9 = 91 / E 7 04 8 ? 96 7 43 49 > ¾ 41 9– 0. @ 1` > 1 / 1? 9 C 9 3 a 44 ? . 1 > / 4 3 4 / : 1 C 9 3 4 = 4 0A 7 E 1 / C 1 > 9 8 ? 7 1 . C 1 C 4K4 / . C 14 0: 1 A 9 / > 9 / 6 7 419 / 1 . ¾ 4 3 I À? 4 / @ 4 . 3 —` ˜ I ™  2 ™ Ÿ a C 1> / 9 3 > 4 / . 9 8 1 A C 9 33 1 A T / . 3 1 03 4 /> 1 E 9 3> 1 / 1> / 9 09 : 4 /1> / 9 3 > 4 / . 3 =O 7 01 8 9 34 @ 7 A ? 7 / 1 . 3 ? 446 7 4> 9 C 446 7 4 /3 4 /  §  ¦ " ² ³  I ˜ I ™ ™ 2 ™ ¡ a I C 4 3 > 4 / ? 1 C 9 —` ˜ I ¡ ¡ a> 9 /®  « ( ¤ ² ³ % &  $  "   C   – @ 9 8 C . 3 ? 13 9 F4 3 ? 4> / . C 1 C 4C 4? 4 @ 8 9 A 9 E . ? 4 8 3 1 / 14 A 4 : 1 /98 H : 4 AC 4F 4 02 4 3 ? 1 /@ 9 A 4 ? . 8 E . < 9C 904 3 09@ 9 8 4 @ ? . ? 1 . C 904 C . < 9C 46 7 44 3 ? 13 4 ^ 1 —` 18 4 @ 4 3 3 . 141@ 9 / / 4 . 4 C 1 C 4 =: 1 A 9 / 4 3W W WU 1 / 11@ 9 4 / R 8 @ . 3 Q 6 4 / T8 4 @ 4 3 3 T / . ? T : 4 A I  . 8 C . 01 8 4 8 ? 4N4 3 > K @ . < 9 E / 1 01 ? . 11/ 4 > 4 ? . F 7 H C 9 3 ? < 9@ 4 / ? 9 31 > 4 8 1 39 3. 8 E 7 H 3 ? . ? 9 C 9 E . F 7 4 0> 1 / 19@ / 4 3 @ . 8 @ A 7 . 1 > / 4 3 4 / : 11. 04 8 ? 9C 9? 4 Y ? 9 = . @ 1 ? . 8 E . 8 @ A 7 C 4 8 ? 4 = C 96 7 49Â/ 1 3 . E 1 8 ? 4 1 C 9 / 04 @ . / ¹9C 4 3 4 8 : 9 A : . 3 ? D / . C 1O 7 01 8 19 . 1C 1: . 4 C 1 C 4 3@ 9 8 ? 4 0> 9 / ] 8 4 1 3 =  W 31@ 9 8 C . C 1 —` ˜ I › a > 9 C 446 7 4 /3 4 /C 4 3 > 4 / ? 1 C 9 IU 1 / 1@ / 4 3 @ 4 /01 . 07 A 1 01@ 9 0> 4 ? . 1 1 / E 7 04 8 ? 1 . 3C 4– 3 9 A . E 1 8 ? 4 1 C 9 / 04 @ . < 943 9 A . C 1 C 4C 4– 7 0C . 9 3C 4F 4 8 343 4 / : . : 9 IW 3 3 9> 9 C 43 4 / À3 B X > 1 ? . 1 A 04 8 ? 4F 4 8 K . < 9 —` ˜ I ™ ± a> 9 /"  ¤ « ¥ ¤ ( !  § " ž C 13 7 > 9 3 . C 1 / .

.

0123 456759 7 .

/ 0 -1 2 2 + 3 ))2 + & . ) 2 )) 6 ' 2 7) 25 7)1 + 2 3 + a ) D& + 2 ' )+ & 1 2 ' 3 Q = A U X @ A Y C b V . j k + 2 ' ) 7. + ( & ) 2 ( -G2 ) & ' * . & ' / 0 -Q =) ( 3 + &4 -1 7. & ' / 0 -= >( -1 7. 8 + 2 9 ) * F . J . 2 + ] 5 4 ' 1 ) 2 )1 2 2 + / 0 -M 2 ) 7) 3 ' 1 ) * 4 -3 + : 3 D & +6 2 5 & ) 4 ))6 2 7) 6 * + : ' ( ) 4 )( -8 + 2 9 -A = C D + & 1 2 + 8 + ( 4 e & +A = C = >? B i X A . K L D ' ( 4 ' 1 )5 7)* ' ( M 5 ) M + 7 1 7-& +8 E+ 7F . < %7' & & 0 -4 ). 2 78 + 2 HI        . ` 3 + & +4 +& + 4 + & 1 ( & 3 2 5 ' 2-7' 3 N. 2 + . * + 7+ ( 3 -4 + F . + ' 3 -4 -5 & -4 ) &6 2 7) &8 + 2 9 ) ' & ( -3 + : 3 . 2 + & + 2 8 ) 4 ) &)1 + 2 E ( 1 ' )+ ( 3 2 +&) 2 M 5 7+ ( 3 &+) 1 2 2 + / 0 -M 2 ) 7) 3 ' 1 ) * 4 -3 + : 3 D 1 7)6 2 7)6 * + : ' ( ) 4 )4 )6 2 7) J . K ^ L' ( 4 ' 1 ) [ \5 & -4 -74 -& 5 9 ] 5 ( 3 ' 8 -+ 7F 4 + & 1 ( & 3 2 5 ) HI _ ) 8 + 2) . J . 2 + . * + 7+ ( 3 -4 +? = @ A B C D J . K h L D + & 1 2 + 8 + ( 4 e & +? C X >X l = C >X A . 2 + 1 ' & ) HI J . P %) 5 & E ( 1 ' )4 ). & & ' 9 ' * ' 4 ) 4 + D5 7) _ ' . K g e K h L D& + 7 c d+ & & ) * 3 ) e & +)' 7. K R L ' ( 4 ' 1 )S 5 ++ & & )6 2 7)8 + 2 9 ) * + & 3 T& + ( 4 -5 & ) 4 ) + 76 5 ( / 0 -4 +) 5 : ' * ' ) 2 D 1 7-+ 7? C = U V A B CU X @ A Y C Z V C .    ! #$ %& & ' ( ) * +). 5 1 -6 2 7) * N+ 73 + : 3 -1 77) ' &6 2 7) * ' 4 ) 4 +& + 2 ' )5 & ) 4 O . + ( & ) 2 -G2 ) & ' * HI . 2 3 f ( 1 ' )4 &F 1 5 & 3 &2 + ) ' & HI . + ( ) &5 7) .

.

na concordância com “cada uma das ideologias”. da geração de conhecimento. É preciso uma atitude de abertura para as coisas novas. no entanto. psicológica ou espiritual do humano. subentende-se “Inovar” (R. enfatizam um aspecto ou outro dessa dualidade. Nas relações de coesão do texto. por isso. admitimos sem reservas. distintas teorias políticas e econômicas. nesse contexto.5). mas estaria gramaticalmente correto e textualmente coerente enfatizar “cada uma”. afastando o ser humano da unidade de sua experiência cotidiana. mas imbricado “com o ser de outros” (R. Biologia do fenômeno social: a ontologia da realidade. seres humanos. a inovação é verdadeira somente quando está fundamentada no conhecimento. econômica e cultural da humanidade.1) como sujeito. Isso. ou. Na linha 4. admite a substituição pelo pronome que.4) preservaria a coerência entre os argumentos bem como a correção gramatical do texto.2). 6 7 2 3 8 4 9 Cargo 44: Analista – Especialidade: Atuarial .CONHECIMENTOS BÁSICOS 1 4 7 10 13 16 19 22 Inovar é recriar de modo a agregar valor e incrementar a eficiência. p. por isso. a produtividade e a competitividade nos processos gerenciais e nos produtos e serviços das organizações. tal substituição provocaria ambiguidade.4).12) estabelece. p. 195 (com adaptações). a flexão de plural em “fundamentam” reforça a ideia de pluralidade de “ideologias”. Inovador é o indivíduo que procura respostas originais e pertinentes em situações com as quais ele se defronta. 1 4 7 10 13 16 19 Nós. A respeito da organização das estruturas linguísticas e das ideias do texto. De fato. Miriam Graciano (Trad. É necessário investir em pesquisa para devolver resultados satisfatórios à sociedade. o segmento “as quais” remete a “situações” e. poderia ser escrito porque. ao contrário. inovar significa (. Assim. é o fermento do crescimento econômico e social de um país. cada uma das ideologias em que se fundamentam essas teorias políticas e econômicas constitui uma visão dos fenômenos sociais e individuais que pretende firmar-se em uma descrição verdadeira da natureza biológica. em geral. Na linha 16. Pode-se dizer que o caminho da inovação é um percurso de difícil travessia para a maioria das instituições. boa parte da história política. In: Darcy.10) e “dessa dualidade” (R. A forma verbal “é” (R. é preciso criatividade. sem prejuízo para a correção gramatical do texto ou para sua coerência. julgue os itens a seguir. Luís Afonso Bermúdez. empregando-se o referido verbo no singular. A capacidade de inovação depende da pesquisa. novembro e dezembro de 2009. capacidade de inventar e coragem para sair dos esquemas tradicionais. julgue os seguintes itens. com o período anterior. Para isso. o sinal de dois-pontos tem a função de introduzir uma explicação para as orações anteriores. as expressões “esse dilema” (R. Ao mesmo tempo. 2002. na oração em que ocorre.12-13) remetem à condição do ser humano: unitário em “sua experiência cotidiana” (R.). Além disso.. Porém. 5 Considerando a organização das ideias e estruturas linguísticas do texto.4) está flexionada no singular porque. pois a novidade é catastrófica para os mais céticos.. Isso admitimos como algo indubitável. O fermento tecnológico. –1– Subentende-se da argumentação do texto que o pronome demonstrativo.). os resultados desse tipo de investimento não são necessariamente recursos financeiros ou valores econômicos. A inovação estimula a comercialização de produtos ou serviços e também permite avanços importantes para toda a sociedade. Ser social e ser individual parecem condições contraditórias da existência. Inovar significa transformar os pontos frágeis de um empreendimento em uma realidade duradoura e lucrativa. escrevendo-se: Por conseguinte. relação semântica que admite ser explicitada pela expressão Por conseguinte. no trecho “desse tipo de investimento” (R. fundadas em diferentes ideologias do humano. 1 Depreende-se do texto que as “condições contraditórias” mencionadas na linha 7 decorrem da dificuldade que o ser humano tem em admitir que suas experiências são intransferíveis porque surgem de “um contínuo devir” (R. Revista de jornalismo científico e cultural da Universidade de Brasília. Humberto Maturana. Belo Horizonte: UFMG. seja reclamando uma subordinação dos interesses individuais aos interesses sociais.15). O período sintático iniciado por “Inovar significa” (R. em seu lugar. somos indivíduos: vivemos nosso ser cotidiano como um contínuo devir de experiências individuais intransferíveis. Na linha 8. Ou seja. particularmente durante os últimos duzentos anos no ocidente. 37 (com adaptações). podem ser também a qualidade de vida com justiça social. somos seres sociais: vivemos nosso cotidiano em contínua imbricação com o ser de outros. tem a ver com esse dilema. No entanto.20-21). refere-se à ideia de “fermento do crescimento econômico e social de um país” (R. A inserção de termo como antes de “seres humanos” (R. seres humanos.

–2– 12 13 19 20 14 15 21 Cargo 44: Analista – Especialidade: Atuarial . p. como também a correção gramatical. entretanto. Com base na organização das ideias e nos aspectos gramaticais do texto acima. duas formas de particularismo — o das diferenças e o das relações pessoais — se reforçam e se articulam em diversas arenas e situações.7) poderia ser omitida. outras diferenças se fazem presentes. a respeito dos sentidos e da organização do texto acima. a ausência de sinal indicativo de crase no segmento “a classes” indica que foi empregada apenas a preposição a. Dina Maria Martins Ferreira. porquanto símbolos e estereótipos são olhados e ressignificados em determinado instante social. empregada duas vezes na linha 17 e uma vez na linha 18. e principalmente. Rio de Janeiro. O particularismo das diferenças produz exclusão social e simbólica. é estabelecida a seguinte organização de ideias: a primeira ocorrência liga duas características de “novos sujeitos” (R.20). na medida em que fica óbvio que classificar por extremos não reflete a complexidade de classes da sociedade brasileira. atende às regras de concordância com o termo “um corte epistemológico” (R. a terceira.17). Na estrutura sintática em que ocorre. possibilidade aberta para outra equação entre universalismo e particularismo na sociedade brasileira. no singular. O imaginário. 1 4 7 10 13 16 19 22 A característica central da modernidade. constrói a memória. caso se inicie o último período por Ainda.4) e seriam mantidas a coerência entre os argumentos e a correção gramatical do texto se fosse usado o termo no plural. na produção e reprodução de desigualdades sociais e simbólicas. maneja representações que possibilitam pôr ordem no caos. 62 (com adaptações). é obrigatório o uso do verbo trazer no modo subjuntivo — “traga” — porque essa forma verbal integra uma oração iniciada pelo vocábulo “embora” (R. 18 17 11 As relações entre as ideias do texto mostram que a forma verbal “dificultando” (R. necessários para a efetiva institucionalização do universalismo na esfera pública. Finalmente. caso se tornasse explícita essa relação. um leitor crítico vai perceber que se trata de um corte epistemológico. De acordo com a argumentação do texto. não seria demais repetir. em lugar de “Mesmo” (R. Preservam-se as relações argumentativas do texto bem como sua correção gramatical. veja. Na linha 19. Nessa dicotomia. Em cada um dos polos. seria correto empregar. exigida pelo verbo dar.4-5) por ao classificar.17). Desigualdades sociais e particularismos na sociedade brasileira.9). a história museológica. A coerência entre os argumentos apresentados no texto mostra que o pronome “seu” (R. Mesmo que possamos pensar que estereótipos são resultado de matrizes.1-2). O particularismo das relações pessoais atravessa os novos arranjos institucionais que vêm sendo propostos como mecanismos de construção de novas formas de sociabilidade e ação coletiva na esfera pública. pois a preposição ficaria subentendida. a igualdade — como princípio organizador da esfera pública. mas preferimos alçar a dicotomia maior que tanto habita o mundo das estatísticas quanto. nas linhas 2 e 3.3) refere-se a “universalismo” (R. na interação social.8-9) e ao “mundo do imaginário social” (R.5) e “polos” (R. mas é comum ao “mundo das estatísticas” (R. p. em nossa sociedade. o que não prejudicaria a coerência nem a correção gramatical do texto. a diferenciação das classes em “dois níveis polares” (R. dificultando os sentimentos de pertencimento e interdependência social. Na linha 4. por meio da substituição dessa forma verbal por e dificultam. Jeni Vaitsman. por isso. O uso da forma verbal “se trata” (R.10) está ligada a “diferenças” (R. para se evitar a repetição de “que”. é a institucionalização do universalismo — e seu duplo. julgue os itens que se seguem. ora pela forma de apresentação em vestuário.9-10). Por meio da conjunção “e”. desde que o verbo fosse flexionado no plural: se tratam. argumento que. Na linha 11. 38 (com adaptações). a leitura e a compreensão do trecho poderiam ser prejudicadas. constitui. o mundo do imaginário social. considero que. n. apesar de indicar os picos.17). como dois extremos. em sua organização dinâmica e com sua capacidade de produzir imagens simbólicas e estereótipos. a preposição “em” (R.3). a cultura é dinâmica.18). 10 Julgue os seguintes itens.2). não atende à complexidade de classes da sociedade brasileira. dada a existência da vírgula empregada após “duplo”. sem haver emprego do artigo feminino. cortes epistemológicos. dois complementos de “arenas de participação da sociedade” (R. ora pelo grau de consumo na sociedade capitalista. De acordo com as normas de pontuação. 16 Subentende-se da argumentação do texto que “os picos” (R. ao mesmo tempo. nesse caso. preservando-se tanto a coerência textual quanto a correção gramatical do texto. Não pense. é pluriespacial e. a segunda liga dois complementos de “formação” (R. São Paulo: Fapesp&Annablume. O imaginário. Estudos a respeito de riqueza e pobreza ora dão quitação a classes pela forma quantitativa da ordem do ganho econômico. na esfera pública. vírgulas no lugar dos travessões. Com base nesse pressuposto. referidos no texto também como “extremos” (R. In: Cadernos de Saúde Pública. ora pela violência de quem não tem mais nada a perder e assim por diante.º 18 (Suplemento). seriam respeitadas as relações entre os argumentos dessa estrutura.UnB/CESPE – MPU 1 4 7 10 13 16 19 22 As diferenças de classes vão ser estabelecidas em dois níveis polares: classe privilegiada e classe não privilegiada.6) correspondem aos mais salientes indicadores de classes — a privilegiada e a não privilegiada —. embora a formação de novos sujeitos sociais e políticos e de arenas de participação da sociedade na formulação e gestão das políticas públicas traga as marcas de nossa trajetória histórica. no interior do trecho destacado entre travessões. seria adequado substituir o trecho “que classificar” (R. acionado pela imaginação individual.7).

do acréscimo sempre quantitativo de bens materiais. por isso.12) restringe a ideia de “velocidade vertiginosa” (R. ocorre. com relação às ideias e aspectos linguísticos do texto. O indivíduo da “cultura” tecnicista vivencia uma situação paradoxal: ao mesmo tempo em que lhe são ofertados continuamente os recursos para que possa gozar efetivamente as dádivas materiais da vida. Renato Nunes Bittencourt.15). a impossibilidade de se desfrutar plenamente desses recursos. determinando os valores fugidios de uma ordem temporal marcada pela efemeridade. surge a flexibilidade do mundo do trabalho e a fluidez das relações interpessoais. é obrigatório para marcar a relação estabelecida com a forma verbal “vivencia” (R. Como tentativas de acompanhar essa velocidade vertiginosa que marca o processo de constituição da sociedade hipermoderna. assim como pela ausência de integração existencial e falta de tempo para usufruir “as dádivas materiais da vida” (R. todas as interações humanas. A ausência de vírgula depois de “vertiginosa” (R. 46-8 (com adaptações). p. no entanto.12) indica que a oração iniciada por “que marca” (R.17). marcadas pela doença crônica da falta de tempo disponível e da ausência de autêntica integração existencial.UnB/CESPE – MPU 1 4 7 10 13 16 19 Hipermodernidade é o termo usado para denominar a realidade contemporânea. Consumo para o vazio existencial In: Filosofia. na linha 16. Julgue os itens a seguir. Entende-se da leitura do texto que a “realidade contemporânea” (R. se tornam intensas e urgentes.11-12).16). 22 O uso da preposição “em”. Dentro desse contexto. A forma verbal “surge” (R. de coisas consumíveis e descartáveis. caracterizada pela cultura do excesso. O movimento da vida passa a ser uma efervescência constante e as mudanças a ocorrer em ritmo quase esquizofrênico. 23 24 25 Cargo 44: Analista – Especialidade: Atuarial –3– . ano V. 48. a omissão dessa preposição provocaria erro gramatical e impossibilitaria a retomada do referente do pronome “que” (R.13) está flexionada no singular porque estabelece relação de concordância com o conjunto das ideias que compõem a oração anterior.2) caracteriza-se pela velocidade vertiginosa e pelo acúmulo de bens materiais. n.

.

O 1 \ / O 9 ² / Z [ 1-/ 8 / 2 : 9 0 7 O / 2 Wº 0 2 8 0 5 : -41 ] 9 45 : 149 . 7 / . 2 / O =-3 -: 2 / \ / O ´ / 3 1 2 8 =4 ¼ : 1: 2 / : /3 /2 O / Z [ 15 : 2 -1< 5 ¾ 45 13 /. 5 / 3 10 1 410 L 3 9 .3 8 ] / 5 : / . 2 / Z [ 1°1J 2 N 7 ¿ ² 16 7 -1 8 9 5 < 1 2 4/ Z _ 8-3 -: 0 5 1 O 1 .-/ 0 1 2 3 10 1 410 1 4/ 5 3 1/6 7 -0 / 3 /7 43 1 89 : 5 8/8 . 5 8 8 -3 [ 14: 2 41 8 3 -4O ´ 1 2 / N 7 8 : / 45 : 15 : 2 -1 < 2 : / / -3 4/ 5 3 /5 142 0 / 3 13 -: 2 / \ / O ´ 13 5 : 2 13 1\ O 1 0 18 J 0 ¿ < 9 0 1 W / N : 9 ] 1 8-J 1 7 0 / 84/ 2 0 / 83 -8 7 \ N : 9 ] 9 3 / 3 W 8 9 4= J / ¿ 8 8 0 1 40 / 2 Y 5 0 9 / 3 J 8 8 1 / O 4/ 9 8 6 7 / O 9 < 9 0 / 3 1Á6 7 = 3 ± Â X8 0 1 2 3 10 1 41: ¼ : 1 = /49 . 7 -19 : 4PQQUVSW X/ 7 8 Y 5 0 9 /3 -4/ 2 0 / Z [ 11 7/4/ 2 0 / Z [ 13 -/ 4\ 1 81 80 / 4J 1 85 [ 18 2 [ 1/ J 5 / 3 / 8 = 1 78 N / = 5 [ 12 0 \ 2 [ 1J 1 5 : 7 / Z [ 15 . 2 / 5 : 8J 1 3 4: 2 =J 1 2¼ 4J O 1 =/ 1 . 7 45 : / Z [ 1 =6 7 -°0 1 5 8 : 2 7 ¿ 3 /0 1 4J 1 7 0 1 8 ] / 5 : / . 7 9 28 -2 < 9 2 / = 4/ 2 6 7 = 5 /> ? @ A BD EF E G H ? G I B G = J / 2 /0 / 3 /9 : 4K10 / 4J 1 3 8 9 . 5 8. 7 4W b/ 8 ` O : 9 4/ 8 3 ° 0 / 3 / 8 = 10 5 a 2 9 19 5 : 2 5 / 0 9 1 5 / O : 48 9 3 1 8 ± 4/ 2 0 / 3 1J O / . 9 / =6 7 -´ 1 N -0 2 7 ² / 40 1 4 4/ 9 8 8 94/3 / 0 9 O 9 3 / 3 -1 8O 9 49 : 83 1 8 µ8 : / 3 1 8 ¶ 5 / Z [ 1 W^ 1 29 8 8 1 =/ : · < 2 / \ / O ´ / 3 1 2 8 49 . 2 / Z [ 1 ± ½ / ¿ 8 83 9 < 2 5 : 8 W 0 1 5 ¾ 49 0 /-/0 1 5 8 1 O 9 3 / Z [ 13 -\ O 1 0 1 8J 1 O ¿ : 9 0 1 ¶ 0 1 5 ¾ 49 0 1 8 = 1 J : 2 ³ 5 8 9 : 13 -: 2 / \ / O ´ / 3 1 2 8 0 2 8 Z // 9 5 3 /4/ 9 8 = 0 1 40 1 5 8 6 7 5 : 8 XO 9 5 . 5 8J / 2 // 80 1 5 1 49 / 8O 1 0 / 9 8 WX8 ± À ] 7 : 1 2 /-// 2 . 7 -1 89 : 5 86 7 -8 RE ­ I ?H B F B? Ge I E d GD E®B¯ .+ . O 1 \ / O 9 ² / Z [ 1 = 0 / 2 / 0 : 2 9 ² / 3 / J O 14/ 9 1 2 : 2 ³ 5 8 9 : 13 / 80 1 5 8 6 7 Y 5 0 9 / 83 /49 . 2 / : L 2 9 13 / 8` O : 9 4/ 8 º: ± » J 3 ° 0 / 3 / 8: 40 ´ / 4/ 3 1// : 5 Z [ 13 -3 9 ] 2 8 1 88 J 0 9 / O 9 8 : / 8 J 1 O ¿ : 9 0 / 83 -J 2 ] 9 3 Y 5 0 9 /8 1 0 9 / O =7 4/2 O / Z [ 15 0 8 8 a 2 9 /J / 2 / J 2 1 0 7 J / 3 1 8 0 1 48 7 / 8 0 1 5 8 6 7 Y 5 0 9 / 8 J / 2 / / J 2 ] 9 3 Y 5 0 9 / 8 1 0 9 / O W . 44J 2 . O 1 \ / O 9 ² / Z [ 16 7 -2 6 7 27 4µ8 : / 3 14/ 9 8< 1 2 : --4/ 9 8< : 9 ] 1 K 0 1 5 : 2 9 \ 7 9 Z [ 1 W 1: 2 ³ 5 8 9 : 13 -J 8 8 1 / 8 =4. 1P= 0 / 8 1N 7 O . 2 / Z [ 13 -: 2 / \ / O ´ / 3 1 2 8 = 4/ 9 8 7 4/ J 1 2 : / 5 : 1 =1 < 2 0 4 4/ 9 1 2 88 / O a 2 9 1 8Á : 5 3 2 [ 1 // : 2 / 9 2 . O 1 \ / O 9 ² / Z [ 1: 48 9 3 1< 2 6 7 5 : 45 : -3 8 0 2 9 : /5 /O 9 : 2 / : 7 2 / 8 1 O 9 0 9 : / 2 4/ J 1 8 5 : / 3 1 2 9 / = J 1 2 : 2 40 1 5 : 2 9 \ 7 ¿ 3 1J / 2 / 8 9 8 : 4/ 8 0 1 417 4J 2 1 0 8 8 16 7 -5 < 2 / 6 7 0 -1 8µ8 : / 3 1 85 / 0 9 1 5 / 9 8 W 2 ] 9 3 5 0 9 a 2 9 1 86 7 -5 [ 18 -0 1 47 5 9 0 / 44: 2 41 83 ¹ ¸a =5 : 2 : / 5 : 1 =J O 1 45 1 87 4/ 8 J 0 : 13 / J . 1M= 0 / 8 1N 7 O . / 3 /5 1: ¼ : 10 2 9 /0 2 : /3 9 8 : ³ 5 0 9 /5 : 2 -/ / 5 : / . 5 / 3 10 1 410 L 3 9 . / : 9 ] / W ^ / 2 // 8 3 ] 9 3 / 84/ 2 0 / Z _ 8 = 7 8 -/> ? @ A BD EF E G H ? G I B G = ` 5 9 0 13 1 0 7 45 : 1] a O 9 3 1J / 2 //0 1 2 2 Z [ 13 / 88 7 / 82 8 J 1 8 : / 8 W 75 3 10 1 412 < 2 Y 5 0 9 // 89 3 9 / 83 1: ¼ : 1 = N 7 O . 7 -19 : 4MPQRST 1 710 / 4J 13 8 9 . / 2 / 5 : 9 2/J 2 1 : Z [ 18 1 0 9 / O3 1 8: 2 / \ / O ´ / 3 1 2 86 7 -/ : 7 / 44 X¼ J 0 : / : 9 ] /°3 -6 7 = 0 1 41/ 7 45 : 13 /9 5 : .

2 / Z _ 8 : 9 5 : 2 5 / 0 9 1 5 / 9 8°7 43 / 3 10 1 416 7 / O 1 8. 2 / Z _ 8 X0 1 5 8 1 O 9 3 / Z [ 13 -\ O 1 0 1 8J 1 O ¿ : 9 0 1 ¶ 0 1 5 ¾ 49 0 1 8°< / : 1 26 7 2 1 ] 1 0 / 3 / 8J 1 20 2 9 8 80 1 5 ¾ 49 0 / 81 7J 1 O ¿ : 9 0 / 84J / ¿ 8 8 < Ã Ä J ] 1 2 0 -1 / 7 45 : 13 1: 2 ³ 5 8 9 : 13 -: 2 / \ / O ´ / 3 1 2 8-6 7 = 8 J 0 ¿ < 9 0 1 8 = 1 73 -49 . 2 / 5 : 8 = J 1 20 1 5 : 2 9 \ 7 ¿ 2 4J / 2 /8 9 8 : 4/ 8 J 2 ] 9 3 5 0 9 a 2 9 1 83 -J / ¿ 8 83 9 < 2 5 : 8 =] 5 : 7 / O 45 : -5 [ 1  X8 J / O / ] 2 / 8 ` O : 9 4/ 8  = : 2 ³ 5 8 9 : 1  = 0 1 5 ¾ 49 0 / 1 4J O : / 41 82 6 7 9 8 9 : 1 8J / 2 /1 \ : 5 Z [ 13 -/ J 1 8 5 : / 3 1 2 9 /1 7  · ½ 0 0 1 5 : 2 9 \ 7 ¿ 2 4 2 0 \ 4/ 0 5 : 1.-/ J 2 1 < 9 8 8 9 1 5 / 9 83 -1 7 : 2 1 8J / ¿ 8 80 1 48 8 -J 2 < 9 O Wº7 : 2 1 8 =0 1 4 < / 0 : /3 /. 440 / 8 1 83 -49 . 9 /   W  ¶   W 1 0 9 / 9 80 1 41/9 3 / 3 -/ ] / 5 Z / 3 / = / 8 8 1 0 9 / 3 1 8/\ 5 < ¿ 0 9 1 86 7 = ½ ¹ 8  º: 2 41 5 : 2 : / 5 : 1    W   J 1 3 2 9 / 8 2 8 7 \ 8 : 9 : 7 ¿ 3 1 = 8 4J 2 N 7 ¿ ² 1 4. 8 : 1 2 83 -J 1 O ¿ : 9 0 / 8 7 O .-< / : 1 =°0 / 3 /] ²4/ 9 80 1 47 4=5 1 83 9 / 83 -´ 1 N =6 7 . 2 / O = ¼ 9 . 2 a < 9 0 1J 1 28 2 4 5 [ 18 -6 7 / O 9 < 9 0 / 4J / 2 /12 0 \ 9 45 : 13 -1 7 : 2 1 8\ 5 < ¿ 0 9 1 88 J 2 1 J / 2 1 ¼ ¿ : 1 5 / 8 W < 1 20 1 5 : / 3 1/ J 5 / 81: 4J 13 -0 1 5 : 2 9 \ 7 9 Z [ 1] 2 : 9 3 1/7 43 1 8 · À J / ¿ 8 85 1 86 7 / 9 82 8 9 3 9 2 / 4W ^ 1 20 2 : 1 = 8 8 / 83 8 0 1 5 : 9 5 7 9 3 / 3 8  X8< 1 2 4/ 85 1 49 5 / 9 8 0 / 2 / 0 : 2 9 ² / 3 /   W  - 3 8 0 2 9 : /   W   ¼ 9 . 4J 1 O ¿ : 9 0 / 8J 2 ] 9 3 5 0 9 a 2 9 / 88 J 0 ¿ < 9 0 / 8 W 0 1 5 0 1 2 3 / 44. 9 [ 146 7 8 : [ 1 =9 5 3 J 5 3 5 : 45 : -3 /8 9 : 7 / Z [ 1 0 0 1 5 ¾ 49 0 /6 7 -] 9 ] / W à Š2 / \ / O ´ 15 1 8J / ¿ 8 80 1 40 / 2 Y 5 0 9 /3 -4[ 13 -1 \ 2 /6 7 / O 9 < 9 0 / 3 / W Æ N /0 1 41 < 1 2 =1 / 7 45 : 13 / 8 49 . 7 -1 8 J 2 L ¼ 9 41 8 9 : 5 8 = 2 O / : 9 ] 1 8 1 2 . /< 9 O 9 / Z [ 1J 2 ] 9 3 5 0 9 a 2 9 / W µ41 7 : 2 / 8J / O / ] 2 / 8 = 3 1J 1 5 : 13 -] 9 8 : /3 /J 2 ] 9 3 Y 5 0 9 / J / 2 //0 1 2 Y 5 0 9 /3 1: ¼ : 1 =J 1 2I ? D B  e B =d ?E d I B d I ?1 7 · » 8 1 0 9 / O = 1< 5 ¾ 45 13 /49 . 2 / 4/ : 9 0 / 9 8 W . O 1 \ / O 9 ² / Z [ 1  =5 / 82 8 J 0 : 9 ] / 8 ÈÉ Ê Ë Ì Í Î Ï Ê ÑÒ Ó Ê Ô Õ Ì Ö Ê ×Ö Î Ê Ó Ø ÙÚ Û Ü Ý Þ ßá ß â ã ä å Ü æã å Ú Ü çã è ß ç é Ú ê ë Ü ì ê å Ú ã ä å Ü ë ê ß å Ü ê ìí ãè ä ã â ê í î å ë ê Üì ß ë ê Ü ç ØïË Ê Ó ð Ö Î Ê ñòó ô õö ÷ ÷ ø õÉ Øö ù ú ø Ø û Ô ü Ì Ë Ô Ì ü ñ ýþþþØ É Ë Ì ÿ Î Ï Ì Ô Í Î Ê Ó Ò Í Î Ê Ö Ø Õ Ò ÿ Ø 0 Ë 12 Í Ò 3 Ê Ï Ê É ü Ê 4 5 Ì Ó 6 Ø O 9 5 ´ / 8 W . 4O 1 5 . O 1 \ / O 9 ² / Z [ 1 =3 9 49 5 7 9 2 a1 J 1 3 23 1 8µ8 : / 3 1 8 à à 4/ 9 1 2 3 4/ 5 3 /J 1 2 J 2 1 < 9 8 8 9 1 5 / 9 845 1 86 7 / O 9 < 9 0 / 3 1 8 = / : 2 / 9 2 [ 1 8 \ 2 / 5 1 8 W : 2 / \ / O ´ / 3 1 2 88 4. 2 / 5 3 8J 2 8 J 0 : 9 ] / 848 7 8J 2 L J 2 9 1 8 1 J / ¿ 8 8 WX83 8 ] / 5 : / . 9 3 1 8 =8 J 0 9 / O 45 : -42 O / Z [ 1/2 9 8 0 1 8 : 0 5 1 O 1 . 2 / Z [ 1: 2 / ²0 1 410 1 5 8 6 7 Y 5 0 9 /1< / : 1 H ? F I B d I ? W 3 -6 7 -47 9 : 1 83 1 849 . 2 / Z [ 13 9 2 0 9 1 5 / 3 // 1 8J / ¿ 8 84/ 9 82 9 0 1 8 / 1 5 8 6 7 5 : 45 : =9 4J O 9 0 /3 8 6 7 9 O ¿ \ 2 9 13 1 42 0 / 3 13 3 /2 . 5 88 7 2 . . Y 5 2 10 1 4 .J : 2 / \ / O ´ / 3 1 2 80 7 4J 2 / 4J / 2 : -3 -8 7 / 8: 2 / N : L 2 9 / 8J 2 1 < 9 8 8 9 1 5 / 9 8 2 41 6 7   W  °0 O / 8 8 9 < 9 0 / 3 10 1 41J 2 1 5 1 4-2 O / : 9 ] 14J / ¿ 8 83 9 < 2 5 : 8 WÇ 9 0 /4/ \ 2 : 1 =3 8 8 / 4/ 5 9 2 / =/  º: ½ · : 1 4//¼ J 2 8 8 [ 1 4/ 9 1 2: 2 ³ 5 8 9 : 13 -9 5 < 1 2 4/ Z _ 8-3 9 4J 1 2 : / 5 : -6 7 8 : [ 13 -0 1 41 4/ 5 : 2: / 9 8: 2 / \ / O ´ / 3 1 2 8 2 8 1 0 9 / O 45 : -J 2 1 : . / 5 9 ² / Z [ 13 / 8 9 3 9 / 8 5 1: ¼ : 1 ½ ± J 2 ] 9 3 5 0 9 a 2 9 / 8 : 2 [ 1 = 0 1 4< 2 6 7 Y 5 0 9 /0 / 3 /] ²4/ 9 1 2 = 3 -O 9 3 / 2 W/ 2 8 5 : / 3 1-/ 1 88 7 8/ 8 J 0 : 1 8.

             !  " #  $ %&      # ' &  # # (   )    %   * 0123 456759 763 6 .

8< / H < / > 8 0 . 0 < / 0 • 4 ` O 1< 8 / 886 1 / / 0 ? @ 1. > .:@ 1 . 7 0 / > 1 / :0 5 7 0A > 9 > A > A 1 . < = > 6 8 /8/ 0 = 8 ? @ 1A 1 D 1 :0 :6 1 :17 0 :< 1 2 7 8 :8 5 D 887 0 5 .F/ 1 5 1 . 0 / 8 < 0 5 8 . 2 3 4 00 5 6 1 5 7 / 8 9 8 :0 . 7 > 5 D 8 :8C 4 5 ? @ 1A 01 / . 2 6 1 :11 . 0 5 7 8 A 86 1 :14 :86 8 / 8 6 7 0 / ` . 7 > 6 8 > 5 7 / ` 5 . 7 1 I – ª Y08 6 1 / A 16 1 :17 0 . 7 00 5 7 / 08 :L 1 . 0 :8 5 8 A 8 . 6 > ^ 5 6 > 8:8 5 7 ^ :0 . 0 . 07 8 5 7 18 1 . . 8 .A 17 0 :< 1 2 7 > 5 D 8 := 1 . 4 = 88< 8 .. X 5 6 > 8 21 D 4 :8 5 18 6 / 0 A > 7 1 43 4 0 2 8 1:0 A > / 17 0 :< 1 2 16 1 5 7 / 1 = 8 / > 8 I Y1 6 0 > = 4 .. . 8 ? @ 1A 8 < 8 . 4 88 / / 1 . 7 8C ` . 0 5 7 > A 1A 17 0 .0”0 . 0 5 7 > A 1 I W2 A 08 6 1 / A 16 1 :8a 7 > 6 8 2 17 0 :< 1A 0 9 0. 0 :A 17 0 :< 1 I – – +9 1 6 [ L 4 = 1™ 0 :8 5 8 A 8 .0G8 > / H . U 0 . 4 C > 6 > 0 5 7 0< 8 / 80 .0A 1 . 0 :A 17 0 :< 1 2 3 4 00 . 4 = 8 . 2. 0 :3 4 0D 8 • 8< / 0 • 4 ` O 1< 8 / 81. 4 L . 0 . < = > 6 8 ? @ 1< 8 / 87 4 A 15 8 . š› œ I ¨ ¦ žA 1 / 0 . 8C 0 / / 8 :0 5 7 8. 7 > 6 8A 1 7 0 .A 0 4 . 1 . 0 < 8 / 8 :19 1 6 [ L 4 = 1™ D 4 :8 5 1 . 4 8 I \10 5 7 8 5 7 1 25 0 :7 4 A 10 . 2 < 1 A 0 :1 . 1 2 8 5 8 = > . 0 /. / 0 . 0 4 0 C 0 > 7 1. 1 . 7 8 ? U 0 . 1 . 7 [< 0 / A > A 1 I\H . / 8 :8 7 > 6 8 = A 17 0 . 8 5 > O 8 ? @ 1A 8 . 1 4 6 > 6 = 1 . 1 L / 085 8 7 4 / 0 O 80 2 0 5 7 @ 1 2 < 8 A / 1 5 > O 1 41 .0 . 0 / 9 1 4. 6 D 8 :8 A 8 . I J:. 7 ^ 5 6 > 8 I W. > 6 8 2A 8:0 7 8 C ` .7 0 :< 1 .. > 6 8 217 0 :< 1 < 1 A 0. A 0 4 . . 18 / 0 . 06 D 8 :86 1 5 . < 0 / :> 7 06 1 5 9 > 9 0 /6 1 :17 0 :< 16 1 :L 8 . / 0 .:1 9 > :0 5 7 1 . 0 :A 17 0 :< 1 I .:0 A > A 8 . > 6 80A 8a 7 > 6 8 IY1< 1 5 7 1A 09 > . 7 / 0 > 7 8/ 0 = 8 ? @ 1 2< 1 > . 0 . 2:> 5 4 7 1 . 1A 1 > . . 4 6 0 . H. > 6 1 21 7 0 :< 1< 1 A 0. . 0 6 88 1. @ 1 I M. < 0 > 7 1A 17 0 :< 1C 1 >6 1 5 . 0 / 9 > 9 > A 1 I cd e f g h ikd l l m n o pr s t t s u v wx yz v wr y o { | } ~v  € t z s€ x s ‚€ wrƒ v t „… m g o † ‡ ˆ ‰ ˆ „Š o‹ ‹Œ  i Ž m  m Š  m ‘ ’ f l “ o 0123 456759 763 6 F1 :/ 0 = 8 ? @ 1”1 / . 2D 4 :8 5 1 . . 7 1 21 . < 1 L / 0 . 6 1 / / 0< 0 = 8 . 7 / 4 7 4 / 8= > 5 . 2 < 1 .a 8 6 1 5 . 8 . 6 > ^ 5 6 > 83 4 0/ 0 . 00 :7 / ^ . EA 8 C ` . 4 > /:0 A > P = 1 I Q 8 / 8> . 0 / . > . / 0 . 6 1 :1 ”/ 0 = 8 ? @ 1A 1D 1 :0 :6 1 :17 0 :< 1 I – § M™ 8 / / 1 . I MN 5 > 6 8< / 1 0 O 80 :3 4 01D 1 :0 :7 0 9 0.> 7 0 5 . @ 13 4 00 . 0 3 4 0 5 7 0 . C 1 / ? 8 . E F/ 1 5 1 . 8 5 > O 8 / 8< 8 . š› œ I ¦ ž / 0 C 0 / 0 P . X 5 6 > 8 š› œ I ¨ ¨ ža8 < / 0 .0 :C / 8 ? U 0 . .3 4 0. 15 @ 1. 7 0 :1 . 7 > 7 4 ` A 1< 1 / Ÿ   ¡ ¢ £ ¤ . 4 :8 C 0 / / 8 :0 5 7 8 3 4 05 1 . 0 :3 4 0D 1 4 9 0 . .9 ` / .. 6 > ^ 5 6 > 8 IW0 = 85 1 .0G8 > / H .D 1 / 8 . :1 / 7 8 > .B K R B V B Z B ] B _ b b +. š› œ I  ž < 1 A 0. 4 01 . H A 0 4 . 8 . 2 6 1 :18[ . . A 1:1 5 7 0+= > :< 1 2 5 @ 1. 0 / > 8.> A 0 > 8 . 0 .9 > . . 0 /:0 A > A 1 I\1X :L > 7 1A 8:0 7 8 C ` .A 8S4 80A 1T 1 = 2 1 L .A > 8 . . 4 ` . 4 5 A 1 .. 7 8 5 7 0A 81 / 8 ? @ 1< 1 A 0 / > 8 :. 7 18 6 > :8 2 • 4 = . 0 /1 :> 7 > A 8 . I – — ˜0 :< 1 06 1 5 . 06 1 5 7 0 5 7 8 9 8 :0 :7 0 / 4 :A 0 4 . 4 L . 2 :8 . 05 @ 117 0 :< 1 25 1 . IW: . 0 5 .< 0 / :> 7 06 1 5 7 / 1 = 8 / 2. 0 / 9 > / 8 :< 8 / 88 4 :0 5 7 8 /8. / 0 . 0 / D 4 :8 5 1 I – © M.A 18 5 1 2 A 8 . 7 1 I – ¥ +7 0 / :1™ 8 :L 1 .

             !  " #  $ %&      # ' &  # # (   )    %   .

.

12) é um recurso discursivo que insere o leitor no texto e.11) justifica-se pela regência de “Cabe” (R. a 10 13 superpopulação nos presídios. a violência policial.observatoriodeseguranca. Cabe ao povo. nesse caso. participar desse processo político de sedimentação de valores tão essenciais à vida coletiva.12) e “rebeliões” (R.12) fosse substituída por consolidação. esteve tão presente nos debates tanto de especialistas como do público em geral. que deve sempre prezar por objetividade e clareza. Esse texto é predominantemente narrativo. a ineficiência da investigação criminal e das perícias policiais e a morosidade judicial. a degradação das condições de internação de jovens em conflito com a lei. 5 A palavra “degradação” (R. 16 operacionais do sistema. 1 Segundo o texto.org. Internet: <www. julgue os itens que se seguem.10) e “às comunidades” (R.org> (com adaptações). 10 A informação original do período seria alterada se a palavra “sedimentação” (R. a consolidação política da democracia depende.10) e pela presença de artigo definido feminino.br> (com adaptações). A segurança pública é direito do cidadão. 3 8 A palavra “imperativo” (R. UnB/CESPE – PMDF/CHOAEM Seleção Interna para Admissão ao Curso de Habilitação de Oficiais Policiais Militares de Administração (QOPMA) –1– . 4 O emprego do pronome “nossas” (R. 2 O emprego de “como” (R. O emprego de vírgula logo após “policial” (R. especificamente. das conquistas alcançadas no âmbito da segurança pública. representam desafios para o sucesso do 19 processo de consolidação política da democracia no Brasil. cidadania e segurança pública são valores entrelaçados. entre outros fatores. A segurança pública é também um 7 Os problemas relacionados com o aumento das taxas de criminalidade. Com base nas ideias e estruturas do texto acima. sobretudo nos grandes centros urbanos. às instituições sociais. as rebeliões. o aumento da sensação de insegurança. 4 a ética onde se suprima ou se menospreze a cidadania. por meio do apelo à sua identidade nacional. A segurança ganhou 1 Ética. em nossa história recente. 6 7 Com relação às ideias e estruturas do texto acima. às comunidades.13) deve-se a regras gramaticais diferentes. julgue os itens a seguir.5). Não vigora 4 enorme visibilidade pública e jamais.7) está sendo empregada.14) está sendo empregada no texto com o sentido de transformação. necessidade.11). A luta pela ética. nesse texto. pela construção da cidadania e pela preservação da segurança pública não constitui dever 10 dificuldades relacionadas à reforma das instituições da administração da justiça criminal.CONHECIMENTOS GERAIS 1 Na última década. é requisito de exercício da cidadania. A seleção vocabular e as estruturas sintáticas do texto são impróprias para emprego em uma correspondência oficial. a ineficiência preventiva de nossas instituições. o aumento dos custos exclusivo do Estado. entre tantos outros. sem nenhum juízo de valor. a corrupção. “instituições” (R. Não pode haver efetiva vigência da cidadania em uma sociedade que não se guie pela ética. as 7 imperativo ético. com o sentido de exigência. dever. Internet: <www.6) está articulado ao emprego do antecedente “tanto” (R. as fugas. 9 O emprego do acento grave em “às instituições sociais” (R.dhnet. a questão da segurança pública passou a ser considerada problema fundamental e principal desafio ao estado de direito no Brasil.

o homem não será lobo do outro homem. Internet: <www. confere ao texto um nível de subjetividade impróprio para o emprego em correspondências oficiais. Em “Radica-se” (R. O medo tem raízes profundas na alma dos seres. Será exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.2) confere ênfase à informação do texto. Em uma sociedade fraterna. A busca da segurança pública e a busca da cidadania plena deverão constituir um projeto solidário do poder público e da sociedade. expressa em “Temos” (R. direito e responsabilidade de todos.5).dhnet. 14 15 Julgue os itens seguintes quanto à correção gramatical e à grafia das palavras. e dos direitos do cidadão. A partir do texto acima. ileso. da doença. há de provêr a segurança pública como caminho para o exercício da cidadania. 17 18 19 20 UnB/CESPE – PMDF/CHOAEM Seleção Interna para Admissão ao Curso de Habilitação de Oficiais Policiais Militares de Administração (QOPMA) –2– . Todos os seres humanos têm o direito de serem protegidos do medo.16) refere-se ao antecedente “Nossa Constituição” (R. medo das agressões.14). de todas as espécies de medo. sejam sacrificados determinados direitos humanos ou determinados direitos inerentes à cidadania.br> (com adaptações). Temos medo do abandono. o pronome indica que o sujeito é indeterminado. Uma sociedade que se funde no “espírito de solidariedade” procurará construir modelos de convivência que afastem o medo do horizonte permanente de expectativas. O segmento “Será exercida” (R. A palavra “incolumidade” (R. são e salvo.7) e “Nossa” (R.17) está sendo empregada com o sentido de estado ou situação livre de perigo. intacto.1 4 7 10 13 16 Todos os seres humanos necessitam de segurança. Nossa Constituição determina que a segurança pública é dever do Estado. julgue os itens subsequentes. em nome de uma pretensa exigência de segurança pública. à União e aos estados. Não se justifica que. da morte. antes de tudo. com destaque para a psicanálise. A primeira pessoa do plural. Radica-se no inconsciente e é objeto constante da pesquisa científica. 11 12 13 A repetição do segmento “Todos os seres humanos” (R. de passar necessidade e privações.14).org. 16 O poder público. No provimento da segurança pública deverá o Estado estar atento ao conjunto dos direitos humanos. com a participação da sociedade. O provimento da segurança pública e o estabelecimento de condições para o florescimento e o exercício da cidadania cabem.

.

o emprego do modo subjuntivo na forma verbal indica possibilidade. 2 3 4 5 6 Depreende-se das ideias apresentadas no texto que a força inicial que nos impele a agir é a nossa própria condição de ser humano. a forma verbal está flexionada no plural. A ausência de marcação ou a marcação de ambos os campos não serão apenadas. por sua vez. In: Vida Simples. ambos na linha 18. Julgue os itens subsequentes. não como meros objetos físicos. Mantêm-se a correção gramatical e as relações argumentativas do texto ao se deslocar o vocábulo “só” (R. use a folha de respostas.11) para antes da forma verbal “sermos” (R. O emprego das vírgulas imediatamente após “íntimas” (R. hipótese.18) com o termo que exerce a função de sujeito. em bicicleta ou a pé.UnB/CESPE – DETRAN/ES • De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira. Por não sermos só um corpo que precisa de água e comida. na função de sujeito indeterminado. o emprego do sinal indicativo de crase em “à vida” deve-se à presença do substantivo “sentido”. Na linha 10. Em maior escala. o setor privado. Na linha 13.2-3). caso julgue o item ERRADO. A hora e a vez. em contraposição à mera existência corpórea. a filósofa alemã Hannah Arendt afirma que “os homens são impelidos a agir”. refere-se a “pessoas” (R. dependemos também de relações com pessoas que. julgue os itens seguintes. e não a certeza de ocorrência de melhor distribuição de funções. “produzindo” o meio urbano em que vivemos.20) é obrigatório. 23-7 (com adaptações). existe uma parceria autoral. a ideia generalizadora que o emprego do pronome “se”. “defenda” e “promova” justifica a flexão de singular nessas formas verbais. –1– 8 9 10 Cargo: Técnico Superior – Formação 1 – Administrador . depende da iniciativa”. tornam-se coautoras dos nossos feitos.19) e logo após “pessoais” (R. único documento válido para a correção das suas provas objetivas. defenda e promova a qualidade do ambiente natural e os patrimônios históricos. justamente. assegura a filósofa. ou seja. A expressão “de forma a reduzir” (R. que promova a apropriação equitativa do espaço e do tempo na circulação urbana.ning. que implicam rever valores pessoais. estamos em constante transformação. na folha de respostas. Até mesmo nas ações mais íntimas. CONHECIMENTOS BÁSICOS 1 4 7 10 13 16 19 22 Em A Condição Humana. p. de forma a reduzir as necessidades de deslocamento motorizado e seus custos e construir espaços e tempos sociais em que se preserve. ao longo da vida. O verbo agir. O pronome átono em “tornam-se” remete ao pronome relativo “que”.12). Essa manifestação. os processos migratórios. A expressão ‘Essa manifestação’ (R. as iniciativas conjuntas são capazes de estabelecer novas condições de existência da humanidade como um todo. confere a “preserve”. causa e efeito do desenvolvimento urbano e integra as ações dos principais agentes e fatores que afetam a forma como uma cidade se desenvolve. expressas na oração iniciada por “O verbo agir” (R. No trecho “haja melhor distribuição das funções” (R. estabelecer novas relações e fechar ciclos. Essa nova forma de ver a mobilidade deve promover o reordenamento dos espaços e das atividades urbanas. por coesão. Internet: <http://diamundialsemcarro. em cujo território haja melhor distribuição das funções. marque. e este. consequentemente. ao mesmo tempo. O Estado. os indivíduos. propugnando pelo desenvolvimento de cidades mais adensadas. “A ação e o discurso são os modos pelos quais os seres humanos se manifestam uns aos outros. visto que elas demarcam o início e o fim de uma oração com valor explicativo. caso julgue o item CERTO. para a ideia de que existir como ser humano é o primeiro passo para se iniciar algo. Para as devidas marcações. mas seres movidos pelo desejo de dar sentido à vida. culturais e artísticos das cidades e dos bairros antigos. 1 Setores significativos da sociedade começam a clamar por nova cultura de mobilidade. o valor da terra urbana e a dinâmica da economia são fatores que interagem de forma complexa. desse modo. para cada item: o campo designado com o código C. A mobilidade urbana é. Essa noção do verbo agir estende-se. mas como pessoas.com> (com adaptações). as ideias da filósofa alemã a respeito do verbo agir.8) poderia ser substituída pela forma verbal reduzindo sem prejuízo para o sentido e a correção gramatical do período sintático em que ocorre. 7 O trecho “são fatores que” (R.17). e.11) ou para antes da forma verbal “precisa” (R.9) retoma. Débora Didonê. ou o campo designado com o código E. “imprimir movimento a alguma coisa”. referentes às estruturas linguísticas e à organização das ideias do texto acima. O atendimento às demandas de mobilidade evidencia a necessidade de controle do processo de expansão urbana. Muito embora cada um de nós seja movido pelo próprio existir. gerando as necessidades de deslocamento das pessoas e dos bens. por isso. no idioma grego.17) poderia ser suprimido sem prejuízo da correção gramatical e das relações semânticas do período. não receberão pontuação negativa.24). em substituição ao deslocamento em automóvel particular. 1 4 7 10 13 16 19 22 Com relação às estruturas linguísticas e à organização das ideias do texto acima. pois se manteria a concordância da forma verbal “interagem” (R. o que implica rever conceitos e posturas à medida que o tempo passa. significa. priorizando o deslocamento em transporte coletivo. 10/2010. “começar”. cujo complemento deve ser introduzido pela preposição a.

.

pois atende às normas de redação oficial e está gramaticalmente correto. expedientes da comunicação oficial que servem ao mesmo propósito funcional. a sexagenária declaração ainda é muito boa. é um documento histórico.27) modifica o termo “despolitização da vida” (R.). ofício e aviso. revisão e preparo da revista. CONHECIMENTOS BÁSICOS 1 4 7 10 13 16 19 22 25 28 A Declaração Universal dos Direitos Humanos. É coerente com a argumentação do texto relacionar “novas demandas” (R. –1– 13 14 Cargo 5: Analista Judiciário – Área: Apoio Especializado – Especialidade: Arquivologia . para cada item: o campo designado com o código C.29) por existem. entram e saem de diferentes países. sem prejuízo para a correção gramatical e a interpretação do texto. In: Francisco Alencar (Org. caso julgue o item CERTO. impondo seus interesses particulares. no padrão formal denominado “padrão ofício”. 12 No que se refere às ideias. os ‘considerandos’ (R. Se a administração de um tribunal resolvesse editar portaria que atendesse a determinação constante no Título V do seu Regimento Interno. que se referem às normas de redação oficial e da língua escrita padrão.17-18) fosse substituído por Não se admitem. apresentará Projeto de AFIXAÇÃO de fotos presidenciais para integrar o espaço da Galeria dos Presidentes. sejam. não imaginou o neoliberalismo deste fim de século. Para humanizar o bicho homem. passando pela publicidade e pelas comunicações” (R. que fragiliza e subordina economias nacionais” (R. uma carta de intenções e também uma denúncia de tudo o que. 5 A oração “A declaração não previu” (R.. p. julgue os itens de 1 a 11. Memorando. resultantes de sua temporalidade. De acordo com a argumentação do texto. em decorrência da transnacionalização do capital. título V. 1 2 3 4 O trecho “vão do setor produtivo industrial ao setor financeiro. à organização. a humanidade deixou de fazer. 2006. justificariam o fato de a declaração ser considerada também “uma denúncia” (R. único documento válido para a correção das suas provas objetivas. Hoje. 17-31 (com adaptações). com sua “deshistoricização” do tempo. A correção gramatical do texto seria mantida caso o trecho “Não é admissível” (R. que. ou o campo designado com o código E.9) a enfraquecimento dos países. do Art. mas tem lacunas. Talvez fosse o caso de se afirmar. sem prejuízo da correção gramatical. Brasília: Garamond. a inclusão do “direito das nações de regulamentarem os investimentos externos e de se protegerem contra a especulação internacional. use a folha de respostas. ser reescrito da seguinte maneira: incluem setores desde o produtivo industrial até o financeiro e transitam pelos da publicidade e das comunicações. complementada. com seu messianismo consumista. a estrutura sintática “com um preâmbulo de sete ‘considerandos’ e com trinta artigos” (R. marque. De acordo com o texto. em virtude de poderem adotar a mesma diagramação na distribuição das partes. ou seja. A expressão “messianismo consumista” (R.10) poderia ser corretamente reescrita da seguinte forma: Na declaração.. João de Sousa Dias para compor COMISSÃO que efetuará estudos de fotografias e após. por contendo um preâmbulo com sete “considerandos” e trinta artigos. na folha de respostas. 198.UnB/CESPE – TRT/21R • De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira. Atenderia à norma gramatical a substituição da forma verbal “há” (R. marcadamente humanista e sociopolítica.18-19). que atendam a novas demandas e necessidades. Não é admissível que grupos privados transnacionais — não mais do que três centenas —.2) representariam — no que se refere a “tudo o que (. gerando instabilidade permanente nas economias periféricas.1-2) pode ser substituída.26). geralmente. hegemonizando governos e nações. Estaria gramaticalmente correto e atenderia às normas de redação oficial o seguinte texto escrito por servidor público de um tribunal: No Parágrafo único. Mantendo-se os sinais de pontuação empregados no trecho. em vez de trezentos grupos. passando pela publicidade e pelas comunicações. dispõe que o Vice-Presidente do Tribunal vai solicitar que sejam colocados servidores à sua disposição para auxiliar nos trabalhos de organização. Preservam-se a correção gramatical e o sentido original do texto ao se substituir “sem controle” (R. são usados. o texto abaixo estaria adequado. que fragiliza e subordina economias nacionais.15-17) na declaração a corrigiria quanto ao lapso temporal. ao longo de milênios. assim. Francisco Alencar. bem como aos aspectos gramaticais do texto acima. o verdadeiro governo do mundo. com negócios que vão do setor produtivo industrial ao setor financeiro. o emprego de palavra de negação e da expressão “três centenas”. com sua despolitização da vida. além de ser cumprida — é óbvio —. com um laissez faire que significa exclusão. No trecho “não mais do que três centenas” (R. A ausência de marcação ou a marcação de ambos os campos não serão apenadas. com um preâmbulo de sete “considerandos” e com trinta artigos. Direitos mais humanos.12) por aleatoriamente. não se previu. não receberão pontuação negativa. fora da qual não há possibilidades. aperfeiçoada. agora.4-5) — um preâmbulo explicativo e. atenua o tom de denúncia que predomina no período em que o trecho está inserido. afirmando novos valores. RESOLVE DESIGNAR. o direito das nações de regulamentarem os investimentos externos e de se protegerem contra a especulação internacional. caso julgue o item ERRADO.3-4). A declaração. e precisa ser acrescida.19-21) pode. com a entronização da economia de mercado como uma “fatalidade” natural.) a humanidade deixou de fazer” (R. sem controle. 6 7 8 9 10 11 Julgue os itens a seguir. irreversível. na verdade. derrubando restrições alfandegárias. especulativos. que trata da Galeria dos Presidentes. A declaração não previu que o desenvolvimento capitalista chegasse à sua atual etapa de globalização e de capitais voláteis. Para as devidas marcações.

p. na linha 1. podem alcançar o homem (cidade versus campo. sendo entrevisto. a cidade. por constituindo projeções.UnB/CESPE – TRT/21R 1 4 7 10 13 16 19 22 25 28 31 34 37 No século XIX.10-12) e “um verdadeiro caleidoscópio” (R. Acarretaria alteração de sentido e prejuízo para a correção gramatical do texto o emprego da vírgula antes da palavra “que” no trecho “oposição que faz parte” (R. ao que está. espaço diferenciado. destinado ao exercício da civilidade.33) pode ser substituída.17) e “campo” (R. a busca de explicações sobre as origens — dos homens. do não inteiramente civilizado. a Nação. À natureza se conferiu papel importante nas representações que foram sendo elaboradas ao longo de sua história — natureza em grande parte tropical. julgue os itens de 15 a 24. As formas de representação realizam outras mediações. em sua análise. a depender do sentido que se lhes atribui ou ao sentimento a eles associado. de um contexto mais amplo. 18 Os trechos “se o mundo civilizado é visto como distante e pensado como contraponto ao mundo natural” (R. que. A estrutura sintática “constituem outras projeções” (R. da forma verbal foi enfatizada. Universidade de Brasília. se o campo se encontra mais perto do natural. Mantêm-se a correção gramatical e o sentido original do texto ao se substituir “podem ser atribuídos aos qualificativos” (R. mantendo-se a correção gramatical e o sentido original do texto. Brasília: Ed. O emprego de acento gráfico no vocábulo “barbárie” deve-se à mesma regra que se observa no emprego de acento em “caleidoscópio”. por meio de pares opositivos — acerca do caráter do povo brasileiro.7). oposição que faz parte. No período iniciado na linha 10 e no iniciado na linha 25. intelecto versus coração. espaço intermediário entre a civilização e o mundo natural propriamente dito. o que é feito a partir de um enfoque classificatório ou tipológico. Com base na relação de significado que “cidade” (R. também. Márcia Regina Capelar Naxara. carregadas de dubiedade e ambivalência. refutando. no texto. à virtude. Cientificismo e sensibilidade romântica. ora aspectos civilizados — civilização versus barbárie. o que denunciaria o caráter não científico do texto. se o mundo civilizado é visto como distante e pensado como contraponto ao mundo natural. o campo como símbolo da rusticidade.17) mantêm entre si e com “natureza” (R. ou seja.17-18). enfatizando-se ora aspectos selvagens e naturais. Foi dentro desse quadro que se procurou conhecer e dar sentido explicativo ao Brasil. Ora. O texto comenta a situação do país. constituem outras projeções e. pressupostos — em sua maioria. 2004. ou. civilização e barbárie. aos polos.28-29) por atribuem aos qualificativos.36-37) reforçam a ideia de dubiedade do enfoque com que se procurou dar um sentido explicativo ao Brasil. consideradas a sua natureza e a sua população em meio a essa natureza. encontrava-se perigosamente afastado da civilização. razão versus sensibilidade). embasado em aspectos históricos e literários. inscritos. seria coerente com a argumentação do texto estender os sentidos associados às representações “civilização” versus “barbárie”. desconcerta. enfatizou-se. O ponto de partida desse enfoque tomou como contraposição dominante os polos estabelecidos a partir de cidade e campo — luz e treva. 19 20 21 22 23 24 Com relação ao texto acima. em vez de “enfatizou-se”. no século XIX. são usados elementos que introduzem implicação lógica para falsear o conteúdo das proposições. nos mais diversos domínios. 15 Atenderia à prescrição gramatical o emprego. Mesmo relatando aspectos subjetivos. –2– 16 17 Cargo 5: Analista Judiciário – Área: Apoio Especializado – Especialidade: Arquivologia . seria a expressão de “barbárie” — e isso deriva do entrelaçamento de significados que podem ser atribuídos aos qualificativos. à inocência. ao par homem do campo e homem da cidade. pode ser associado à paz. ao mesmo tempo em que seduz. por sua vez. ainda. então. No século XIX. o texto se apresenta essencialmente objetivo. com a identificação da cidade com técnica e artificialidade —. o Brasil. o povo. 24-35 (com adaptações). a cidade como expressão do maior domínio da natureza pelo homem. momentaneamente. das nações. Ora. na linha 17. o Brasil foi representado como um verdadeiro caleidoscópio. das sociedades.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful