06 de agosto de 2011.PERNAMBUCO: DE MEADOS AO FIM DO SÉCULO XIX RESUMO: HERISSON BARBOSA PEREIRA Palmeira dos Índios. .

no geral se referindo ao subjugamento da população provinciana por parte dos grandes proprietários de terra. Rio Grande do Norte. Pedro Francisco (Visconde de Camaragibe). Em 2 de abril de 1848. política e economicamente. Um pequeno grupo controlava a maior parte das terras onde. Paraíba. Então. O Visconde de Camaragibe era chefe do Partido Conservador na Província de Pernambuco. foi exonerado. redator da revista O Progresso. Francisco (Visconde de Suassuna) e Antônio Francisco (Visconde de Albuquerque). fosse qual fosse a corrente que dominasse a política no Império em Pernambuco. o longo período de decadência do açúcar agravava a situação da Província. Os três irmãos Cavalcante. A Província de Pernambuco despontava nesta época como uma das mais importantes do Império. praticava -se a agricultura voltada para a exploração. A situação remontava à época do Brasil colônia. que circulou entre 1846 e 1848. Chinchorro da Gama foi nomeado para a presidência da Província em 1845. . e sua administração foi assinalada pelo desmonte da estrutura política herdada do período dos Cavalca nti. Já o Visconde de Albuquerque era líder dos liberais. Porém. Alagoas e Sergipe. sem conseguir conter as agitações que se alastravam. Mantinha uma posição dominante em relação às vizinhas Ceará. tendo ao seu lado o Visconde de Suassuna. filhos do coronel Suassuna. Esta situação era denunciada por Antônio Pedro de Figueiredo. da Conspiração Suassuna e participant e da Revolução Pernambucana de 1817. aguçando as tensões sociais e raciais.Pernambuco: de meados ao fim do século XIX. A região era dominada pela família Cavalcanti. cinco outros presidentes se sucederam. No período de quase sete meses. os Cavalcanti estariam no comando. preferencialmente.

mas. de baixo pa ra cima”. . o inverso.Praieira: Amaro Quintas “não um manifesto de cima para baixo.