You are on page 1of 3

Blut und Boden

O homem tende a dignificar o lugar onde nasce ou vive. Essa no uma caracterstica apenas do nacionalismo, ufanismo ou romantismo, sempre colocamos o nosso lar ( que chamamos terra ou solo) como a nossa essncia comportamental. O homem nasce patriota. O !eich no criou o nacionalismo, nem mesmo fomentou uma alma patriota na "lemanha, mas usou com toda a efic#cia o orgulho patri$tico e a heran%a filogentica para impressionar, cativar, entusiasmar todo um povo. Blut no representaria apenas o sangue, a heran%a ancestral, o comportamento grupal, mas tam&m a cultura e o pr$prio modo de ser do povo alemo, aliando a isso o destino hist$rico, e Boden representava alm do solo, a necessidade de espa%o vital, os dois se completavam numa unio hist$rico' mtica, o futuro da na%o no estava apenas na for%a militar, mas no tra&alho e no (ol). Essa tam&m no uma pr#tica nova, muitas seitas religiosas e no religiosas aliam o tra&alho * terra com certos grupos. " pr#tica da coloni+a%o e tra&alho com a terra tinha o o&,etivo de reunificar a nature+a com o pr$prio povo. -este complemento a na%o estaria protegida e passaria o legado material e espiritual *s pr$.imas gera%/es. " o&ra 0 " comunidade agricultora como fonte de

vida da ra%a n$rdica, de !ichard 1alter 2arr( o&ra que poucos tiveram acesso naquela poca e tam&m ho,e), foi um catalisador importante para essa conclama%o do governo na+ista em unir o povo e a p#tria numa coisa s$. 3as qual era o o&,etivo de um lema to simples e antigo4 " "lemanha um pas que sempre preservou suas reservas naturais, suas florestas, riachos e montanhas. " unio que o povo alemo (...)