You are on page 1of 1

O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E A QUESTÃO REGIONAL

A atividade econômica refere-se ao abastecimento de bens e serviços necessários para satisfazer às necessidades humanas, tanto individuais quanto coletivas. E a Economia Pol tica, no sentido mais amplo da palavra, ! a ci"ncia das leis que re#em a produç$o e o interc%mbio dos meios materiais da vida na sociedade humana. Produç$o e troca s$o duas funç&es distintas. A produç$o pode desenvolver-se sem a troca, mas esta pressup&e, sempre, necessariamente a produç$o, pelo pr'prio fato de que o que se trocam s$o os produtos. (ada uma destas funç&es sociais sofre a influ"ncia de um #rande n)mero de fenômenos e*teriores, sendo que essa influ"ncia ! subordinada, em #rande parte, a leis pr'prias e espec ficas +E,-E./, 0121, p. 0324. 5á #rande dificuldade na conceituaç$o da re#i$o, pois, al!m dos espaços f sicos, ambientais, culturais, econômicos e pol ticos, para se identificar uma re#i$o ! preciso conhecer sua hist'ria. 6 estudo do espaço está presente nos mais diversos ramos do conhecimento cient fico e apresenta caracter sticas pr'prias em cada um deles. 5á por e*emplo, dois e*tremos do estudo do espaço7 os matemáticos, que constituem con8untos de relaç&es definidas por coordenadas abstratas, e os #e'#rafos, com uma concepç$o concreta de espaço definido por clima e relevo +9:E:;A< /A,=6/, 3>034. Pensar o espaço re#ionalizado em uma perspectiva hist'rica si#nifica discutir os seus usos e a partir de contribuiç&es, n$o somente da 5ist'ria, mas tamb!m das várias ci"ncias sociais, com destaque para a -eo#rafia e a Economia7 As condiç&es sob as quais os homens produzem e trocam o que foi produzido variam muito para cada pa s e, dentro de cada pa s, de #eraç$o para #eraç$o. Por isso, a Economia Pol tica n$o pode ser a mesma para todos os pa ses nem para todas as !pocas hist'ricas. ?esde o arco e a flecha, passando pelo machado de pedra do selva#em, com os seus atos de troca, rar ssima e e*cepcional, at! a máquina a vapor de mil cavalos de força, os teares mec%nicos, as estradas de ferro e o @anco de :n#laterra, e*iste um verdadeiro abismo. 6s habitantes da =erra do Ao#o n$o conhecem a produç$o em #rande escala, assim como n$o conhecem o com!rcio mundial, nem tampouco as letras de c%mbio que circulam a descoberto e os inesperados craques de bolsa +E,-E./, 0121, p. 0324. As pessoas vivem, residem e trabalham em lu#ares espec ficos, por!m suas atribuiç&es e viv"ncias s$o e*perimentadas em lu#ares m)ltiplos, mediante as possibilidades constitu das com as redes de informaç&es.