Pintor e gravador veneziano, Giovanni Antonio Canal (1697-1768), conhecido como Canaletto,  foi considerado o maior pintor

paisagista do século XVIII. Estudou em Roma e, de volta a Veneza, dedicou-se a pintar aspectos pitorescos da cidade. Entre 1746 e 1755 morou em Londres, onde a sua obra alcançou muita popularidade, ficando cada vez mais acurada nos detalhes topográficos,  com uma técnica mais leve e mais precisa, características essas notadas na maior parte dos seus trabalhos posteriores.  Em 1755 o artista retornou permanentemente a Veneza. Os seus últimos anos não foram tão notáveis artisticamente. Foi eleito membro da Academia de Veneza em 1763. A sua admissão foi primeiramente rejeitada porque os académicos não consideravam  a pintura de paisagens como uma expressão artística de relevo. 

Londres - A Ponte de Westminster do lado Norte no Dia de Lord Mayor - 1746

As primeiras pinturas de Canaletto são as da campagna romana, anteriores a 1722. A partir dessa data a sua pintura versa, principalmente, sobre Veneza, os seus canais, igrejas e pontes. "A Praça de São Marcos" (National Gallery of Art, Washington, DC), "Vista DC), do grande canal", "Escola da caridade", "A festa de San Rocco" (National (National Gallery, Londres) estão Londres) entre os quadros mais característicos dessa época.
Roma – O Arco de Constantino - 1742

O Grande Canal do Campo S. Vio visto de Bacino

Empregando grandes constrastes de luz e sombra, Canaletto reproduz, com técnica admirável, detalhes arquitectónicos de Veneza, Roma e Londres. As suas paisagens, executadas com rigorosa precisão, são animadas pela riqueza cromática.

Vista de um Rio em Pádua - 1742

Depois do seu primeiro sucesso numa mostra, Canaletto fez vários trabalhos para um patrono, Stefano Conti, mas foram os coleccionadores ingleses que dominaram o mercado para as suas pinturas. De acordo com os costumes da época, para jovens da aristocracia inglesa era considerado de boa educação ir à Itália visitar Roma, Florença e Veneza, o que implicava a compra de refinados souvenirs. Canaletto supriu essa demanda com os seus souvenirs. quadros. O seu primeiro contacto foi com um irlandês, Owen McSwuiney, mas o mais importante foi Joseph Smith, um inglês residente em Veneza como Cônsul Britânico, que, consta, o incentivou a abordar outros aspectos de Veneza e de Roma que agradassem ao mercado de arte inglês. Smith reuniu uma preciosa colecção de trabalhos de Canaletto, posteriormente vendidos ao Rei George III e a outros nobres ingleses.

Vista das Ilhas de San Michele, San Cristoforo e Murano vistas de Foundamenta Nuove - 1726

Praça de S. Marcos com a Basílica - 1730

Veneza – Capricho de Os Cavalos de S. Marcos na Piazzetta - 1743

Veneza –O Regresso de Bucintoro a Molo no Dia da Ascensão - 1730

Os “Old Horse Guards and Banqueting Hall”, do Parque St James - 1749

A Frente Leste do Castelo Warwick - 1752

Londres – O Tamisa e a Cidade - 1746-47

Ranelagh, Interior da Rotunda - 1754

Fundo musical: Barcarolle ( da Ópera Os Contos de Hoffmann )   Offenbach, Jacques ( 1819-1880)

Pesquisa : Mario Capelluto e Ida Aranha  Aranha 

Formatação: Anabela de Araújo
http://www.saber.cultural.nom.br/meus_slides/pps.html