You are on page 1of 129

!!

"

#$ % $& ' $
(& (

SOLIDWORKS
BÁSICO
SOLIDWORKS
BÁSICO

Salvador
2006
Copyright 2006 por SENAI-DR BA. Todos os direitos reservados.

Área Tecnológica de Desenvolvimento de Produtos Industriais

Núcleo de Engenharia de Produtos

Elaboração: Eduardo de Farias Vianna Filho

Revisão Técnica: Hildebrando Santos Pinto

Revisão Pedagógica: Nilzete Alves de Castro

Normalização: Sueli Madalena Costa Negri

Catalogação na fonte (Núcleo de Informação Tecnológica – NIT)


_________________________________________________

SENAI DR/BA – Solidworks básico. Salvador, 2006.


122 p.il. (Rev.04)

1. Solidworks – Modelagem I. Título

CDD 005.3
_________________________________________________

SENAI - CIMATEC
Av. Orlando Gomes, 1845 - Piatã
Salvador – Bahia – Brasil
CEP 41650-010
Tel.: (71) 462-9500
Fax. (71) 462-9599
http://www.cimatec.fieb.org.br
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 4
1.1 Breve histórico 4

1.2 O que é o Solidworks? 5


1.2.1 Módulos básicos 5
1.2.2 Modelagem 3D (Part) 5
1.2.3 Montagem (Assembly) 5
1.2.4 Desenho (Drawing) 6
1.2.5 Conceitos gerais 6

2 MÉTODO GERAL PARA MODELAGEM 3D 6

3 EXPLORANDO A INTERFACE GRÁFICA 7


3.1 Barras de Ferramentas 9
3.1.1 Barra de Ferramenta Standard 10
3.1.2 Barra de Ferramenta de Visualização – Auxilia no modo de visualização da part. 10
3.1.3 Barra de Ferramentas de Sketch – Auxilia na criação de sketchs. 11
3.1.4 Barra de Ferramenta de Features – Auxilia na criação de características da part. 12

4 MODELAGEM DE COMPONENTES EM 3D (PART) 14


4.1 Exercício Prático: Modelamento de um Mancal 14

4.2 Exercício Prático: Modelamento de um Bloco de Guia 35

4.3 Exercício Prático: Modelamento do Corpo de Embalagem Plástica 45

4.4 Exercício Prático: Modelamento da Tampa da Embalagem Plástica 56

4.5 Exercício Prático: Modelamento da Caneca 59

4.6 Exercício Prático: Modelamento da uma Chave de Fenda 70

4.7 Exercício Prático: Modelamento da uma Roda Dentada 81

5 MONTAGEM DE COMPONENTES EM 3D (ASSEMBLY). 88


5.1 Exercício Prático: Montagem da Embalagem Plástica 88

5.2 Exercício Prático: Montagem de um Rolamento 100

6 DESENHO 2D DE COMPONENTES EM 3D (DRAWING). 109


6.1 Exercício Prático: Geração de Desenho 2D do Mancal. 109

7 REFERÊNCIAS 127
Apresentação

Com o objetivo de apoiar e proporcionar a melhoria contínua do padrão de qualidade


e produtividade da indústria, o SENAI-BA desenvolve programas de educação
profissional e superior, além de prestar serviços técnicos e tecnológicos. Essas
atividades, com conteúdos tecnológicos são direcionadas para indústrias nos
diversos segmentos, através de programas de educação profissional, consultorias e
informação tecnológica, para profissionais da área industrial ou para pessoas que
desejam profissionalizar-se visando inserir-se no mercado de trabalho.

Este material didático foi preparado para funcionar como instrumento de consulta.
Possui informações que são aplicáveis de forma prática no dia-a-dia do profissional,
e apresenta uma linguagem simples e de fácil assimilação. É um meio que
possibilita, de forma eficiente, o aperfeiçoamento do aluno através do estudo do
conteúdo apresentado no módulo.
1 Introdução

1.1 Breve histórico

A origem dos sistemas CAD remonta dos primórdios dos sistemas de computação
gráfica ao desenvolvimento dos sistemas de computação gráfica interativa. Dois
projetos destes sistemas foram desenvolvidos no Massachusetts Institute of
Technology (MIT) e em Suthernland (1963).

Durante este mesmo período, surgiram de modo coincidente o NC (Numerical


Control) e o APT (Automatically Programmed Tool).

No início, os sistemas CAD eram apenas editores gráfico com alguns símbolos. As
entidades geométricas eram limitadas a linhas, arcos circulares e combinações
destes dois. O desenvolvimento de curvas livres e superfícies (como Bezier e B-
Spline) permitiram a utilização dos sistemas CAD em projetos com curvas e
superfícies complexas. Os sistemas CAD 3D permitiram ao projetista trabalhar com a
terceira dimensão.

O modelo tridimensional (modelo é uma abstração dos dados em um computador,


também são conhecidos como protótipos virtuais) possui informação suficiente para
a geração do programa da ferramenta de corte NC. Possibilitou-se o
desenvolvimento de sistemas CAD/CAM sob este conceito, tornara-se popular entre
os anos 1970 e 1980.

Os anos 1970 corresponderam ao início de uma nova era para os sistemas CAD, a
partir da invenção da modelagem sólida tridimensional. No início, os modelos
tridimensionais eram representados em wireframe, constituindo-se de um modelo de
linhas. Esta representação era ambígua, pois um mesmo modelo poderia representar
várias peças distintas. Informações como volume do produto não podiam ser obtidas.

Modelos sólidos contêm informações completas, por isto estes podem ser utilizados
desde a geração de desenhos bidimensionais a análises de engenharia.
Modeladores sólidos como PADL-1 e PADL-2 (Voelcker e Requicha, 1977),
Synthavision, BUILD-1 e BUILD-2 (Braid, 1973), COMPACT, EUCLID, GLIDE, dentre
outros, foram desenvolvidos nos anos 1970. Enfim, muitos sistemas comerciais e
acadêmicos foram desenvolvidos.

Somente nos anos 1980, os modeladores sólidos foram incorporados em ambientes


de projeto. Nos anos 90 a implementação do CAD em computadores pessoais
possibilitou a massificação de seu uso (CHANG, 1998).

Atualmente, temos uma grande variedade desses softwares no mercado, com


diferentes aplicações. Podemos citar: Solidworks, AutoCAD, Microestation, Solid
Edge, I-deas, Catia, etc.. Devido à facilidade de operação, baixo preço, eficiência do

4
modelamento e abrangência na aplicação, o Solidworks vem estabelecendo um novo
paradigma no mercado de CAD e projetos baiano.

1.2 O que é o Solidworks?

O Solidworks é uma ferramenta computacional de projetos, que permite acelerar o


processo de desenvolvimento de produtos. Trata-se de um CAD tridimensional para
construção de peças, montagens e geração de desenhos bidimensionais de maneira
integrada. Isto significa que os três tipos de arquivo que são gerados pelo software
podem ser relacionados, e se mudarmos qualquer característica da peça,
automaticamente os arquivos associados a esta mudarão. Isso possibilita uma
velocidade maior no processo de criação, desenvolvimento de produtos e
modelamento 3D de quaisquer componentes

1.2.1 Módulos básicos

O Solidworks apresenta três módulos básicos: modelagem 3D, montagem e desenho


2D. Cada um deles tem diferentes funções, comandos e possibilidades, e gera tipos
de arquivos (extensões) diferentes. Suas principais funcionalidades são descritas a
seguir.

1.2.2 Modelagem 3D (Part)

• Desenhar perfil. (Sketch)


• Adicionar características às peças (Features).
• Criar planos e eixos de referência (Reference Geometry).
• Adicionar restrições geométricas (Add Relations).
• Construir árvore de projeto (Design tree).
• Criar configurações de peças.
• Criar tabelas de projeto (Design Tables).
• Criar equações (Equations).
• Verificar propriedades de seção e de materiais (Proprierties).

1.2.3 Montagem (Assembly)

• Inserir componentes na montagem.


• Inserir “sub-assembly”.
• Criar configurações.
• Criar características de montagem (Assembly Feature).
• Editar peças.
• Segurar/mover/saltar (Drag and Drop) peças.
• Rotacionar peças em torno de um ponto.
• Esconder/exibir peças.
• Suprimir/liberar peças
• Adicionar restrições (matting).
• Adicionar seqüência de restrições.

5
• Verificar propriedades geométricas.
• Verificar interseções.
• Criar vistas explodidas.

1.2.4 Desenho (Drawing)

• Editar formato de folha.


• Criar formatos de folha customizados.
• Inserir novos desenhos.
• Preparar novos desenhos utilizando padrões.
• Editar desenhos.
• Inserir nomes, seções, detalhes, cortes e vistas auxiliares.
• Importar dimensões do modelo.
• Movendo e apagando dimensões.

1.2.5 Conceitos gerais

Um modelo sólido inclui informações geométricas dos elementos e informações


topológicas que relacionam os elementos geométricos entre si (Ex: modo de uma
face interceptar a outra face através de uma aresta).

O Solidworks também realiza modelamento 3D de superfícies no espaço, mas esse


tema não será abordado nesse curso.

O SolidWorks é totalmente associativo, pois um sólido criado está associado a


modelos de montagem e de desenhos. Mudanças nos modelos atualizam
automaticamente montagens e desenhos a ele associados (e vice-versa).

O objeto modelado é feito por operações matemáticas no espaço (Design by


Features), Essas Features são elementos que formam o modelo sólido. Podem ser
gerados a partir de um sketch (desenho bidimensional sobre um plano ou superfície
plana) em operações como rotação ou extrusão, ou podem ser criados utilizando a
geometria do modelo sólido como os filetes e os chanfros.

O modelo sólido possui o histórico de modelagem (design tree), deve conter


dimensões e restrições (relações de paralelismo e concentricidade) nele
armazenadas. Isto permite associar dimensões, reeditar a seqüência de operações
ou modificar os tipos de restrições criadas.

2 Método Geral para Modelagem 3D

O primeiro passo para boa modelagem é o planejamento. Define-se a intenção de


projeto a partir dos requisitos do produto. No caso específico do Solidworks,
devemos primeiramente definir um plano de criação inicial. Neste plano definido
previamente será feito um desenho 2D (sketch) que servirá de perfil para a operação
geométrica (feature) que será feita para obter-se um componente 3D. A primeira

6
característica do modelo é considerada a “base”, ou seja, todas as outras
características serão adicionadas ou subtraídas de seu volume inicial.

3 Explorando a Interface Gráfica

A figura 1 ilustra a tela inicial do Solidworks após o programa ser inicializado.

Figura 1

Barra de Ferramenta Standard - Esta é a única barra que aparece ao abrir o


programa. Conforme podemos observar na figura 2, ela aparece apenas com quatro
ícones disponíveis o de novo documento, o de abrir um documento existente, o de
filtro e o de ajuda. Os demais botões da barra de ferramenta serão disponibilizados
quando abrirmos um documento novo ou um já existente. Esta e outras barras de
ferramentas serão melhor apresentadas em uma etapa posterior.

Figura 2

No caso de optarmos por abrir um documento já existente o programa abrirá uma


caixa de diálogo, conforme a figura 3.

7
Figura 3

Note que esta caixa de diálogo é exatamente igual a qualquer outra do pacote office
da microsoft, com a vantagem de podermos visualizar a peça que estamos querendo
abrir. Caso optemos por começar um novo modelamento devemos selecionar o
botão de novo documento. Assim o programa nos disponibiliza uma outra caixa de
diálogo, mostrada a seguir na figura 4.

Figura 4

8
Esta caixa de diálogo apresenta três opções. A primeira delas Part, nos permite fazer
o modelamento de um único componente, já a segunda opção, Assembly, nos
permite fazer a montagem de dois ou mais componentes, e a terceira e última opção,
Drawing, nos permite compor desenhos técnicos em 2D para a documentação
técnica do que foi modelado e/ou montado previamente.

De posse destas informações iniciais vamos dar continuidade à exploração da


interface gráfica. Para tanto, vamos conhecer um pouco mais das demais barras de
ferramentas existentes no Solidworks. Observemos a figura 5 abaixo. Nela podemos
distinguir os vários tipos de barra de ferramenta, a área de trabalho e a árvore de
criação do modelo.

Ferramentas de
Visualização

Árvore de
Criação

Features
Ferramentas de
Sketch

Figura 5

Obs: para salvar um arquivo no solidworks o procedimento é o mesmo adotado por


qualquer software da Microsoft, basta clicar no ícone e salvar numa pasta
desejada. Assim como já foi dito anteriormente, podemos observar na figura anterior
que a barra de ferramentas Standard apresenta outros ícones disponíveis, além do
salvar. Vamos descobrir quais são eles.

3.1 Barras de Ferramentas

A seguir, vamos apresentar os comandos mais usuais do solidworks no


modelamento de peças. Nesta breve apresentação dos comandos serão mostrados
os ícones, o nome da função e um descritivo do que o comando é capaz de fazer. Os

9
demais comandos de modelamento, montagem e geração de desenhos 2D que não
aparecem aqui serão apresentados oportunamente quando se fizer necessário.

3.1.1 Barra de Ferramenta Standard

Cria um desenho 2D a partir do modelo 3D exposto


Make Drawing
na tela
Cria uma montagem a partir do modelo 3D exposto
Make Assembly
na tela
Print Imprime um documento

Print Preview Vvisualiza a impressão de um documento

Undo Desfazer

Redo Refazer

Sketch Abertura de Sketch

Rebuild Reconstrói a peça, montagem ou desenho

Edit Color Editor de cores

Edit Texture Editor de Texturas

Tools Ferramentas matemáticas

3.1.2 Barra de Ferramenta de Visualização – Auxilia no modo de visualização


da part.

Previous View Retorna para a vista anterior


Coloca todo o modelo dentro da janela de
Zoom Window
trabalho
Amplia a visualização em uma área
Zoom to Area
selecionada.
Aumenta ou diminui o zoom conforme
Zoom in/out
movimento do mouse.

10
Zoon to Selection Amplia a entidade selecionada

Rotate View Rotaciona a peça.

Pan View Movimenta a peça


Standard views Vistas a 90º
Mostra todas as arestas do modelo apenas em
Wireframe
linhas
Hidden lines visibles Mostra as linhas invisíveis da peça

Hidden lines removed Esconde as linhas invisíveis da peça


Mostra o modelo colorido sem as linhas das
Shaded
arestas
Mostra o modelo colorido com as linhas das
Shaded with edges
arestas
Section view Mostra uma seção do modelo
Shadows in Shaded
Mostra sombra do modelo colorido
mode

3.1.3 Barra de Ferramentas de Sketch – Auxilia na criação de sketchs.

Selection Ícone utilizado para seleção


Sketch Ícone utilizado para abrir/fechar sketch
Utilizado para colocar dimensões lineares e
Smart Dimensions
angulares
Add Relations Adiciona relações geométricas
Display/Delete
Visualiza e apaga as relações existentes
Relations
Line Cria linhas para construção do sketch

Elipse Cria elipses para construção do sketch

Rectangle Cria retângulos para construção do sketch

Polygon Cria polígonos para construção do sketch

Circle Cria círculos para construção do sketch

11
Center point arc Cria um arco a partir de um ponto central
Tangent arc Cria uma tangente a partir de uma linha
3 Point arc Cria um arco a partir de três pontos
Sketch Fillet Cria um filete tangente entre duas entidades
Center Line Cria uma linha de centro ou de construção

Spline Cria splines para construção do sketch

Point Cria pontos para construção do sketch


Cria entidades espelhadas a partir de sketchs
Mirror
pré-existentes
Converte arestas do modelo em entidades
Convert Entities
editáveis
Cria linhas paralelas a partir de outras pré-
Off-Set Entities
existentes
Extend Entities Estende as linhas existentes

Trim Entities Corta os excessos de linhas


Circular Sketch Step
Cria cópias radiais de sketchs
and Repeat
Construction
Transforma entidades em linhas de construção
Geometry
Linear Sketch Step
Cria cópias lineares de sketchs
and Repeat
Copy or move entities Copia ou move entidades

3D Sketch Cria sketchs em 3D

3.1.4 Barra de Ferramenta de Features – Auxilia na criação de características


da part.

Extruded Boss/Base Adiciona material linearmente

Extruded Cut Retira material linearmente

Revolved Boss/Base Adiciona material Radialmente

12
Revolved Cut Retira material Radialmente

Sweep Boss/Base Faz uma seção percorrer um caminho

Lofted Boss/Base Adiciona material entre dois ou mais perfis

Fillet Cria arredondamentos entre faces e/ou arestas

Chanfer Cria um chanfro entre faces e/ou arestas

Rib Cria nervuras estruturais nas peças

Shell Cria cascas de Sólidos

Draft Cria ângulos de saída nas peças


Cria furos padronizados conforme normas
Hole Wizard
existentes
Cria cópias lineares de features, em 1 ou 2
Linear Pattern
direções
Cria cópias radiais de features, a partir de um
Circular Pattern
eixo
Cria cópias espelhadas a partir de um plano de
Mirror Feature
referencia
Cria referencias geométricas tais como planos,
Rreference Geometry
eixos
Curves Comandos de curvas

De posse destas informações sobre os comandos mais usados podemos partir para
o primeiro exercício.

13
4 Modelagem de Componentes em 3D (Part)

4.1 Exercício Prático: Modelamento de um Mancal

O mancal ilustrado na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

As seguintes competências serão adquiridas pelo estudante ao término da lição:

• Escolha do plano inicial de modelagem;


• Ferramentas de desenho do perfil (sketch);
• Adição de relações geométricas (add relations) em um desenho;
• Estado (status) de um desenho;
• Criação de base feature;
• Adição de extrude boss/cut;
• Adição de mirror feature;
• Modificação do modelo através de sua árvore de criação.

14
Com o Solidworks aberto, vá até a barra de ferramentas Standard e click no botão de
criar um novo documento do software, conforme figura 6 a seguir:

Figura 6

Feito isso, aparecerá a seguinte janela (Figura 7):

Figura 7

Para abrir uma nova peça basta selecionar part e depois confirmar no botão OK.

O primeiro passo para uma boa modelagem é o planejamento do modelo a ser


criado. Isso permite pré-determinar a seqüência de modelagem adotada, os tipos de
restrições geométricas envolvidas e as características a serem inseridas no modelo.
No programa solidworks, o passo inicial da modelagem é a escolha do plano de
criação. Assim, para o modelamento do mancal devemos selecionar o Plane 1
conforme figura 8, a seguir.

15
Figura 8

Ainda com o plane1 selecionado devemos abrir o Sketch. ...

Feito isso, devemos trazer o plano de criação para a visualização normal. Abrindo
a lista de Standard Views, devemos devemos selecionar a opção de normal to
conforme figura 9, a seguir.

Figura 9

Com o plano em visualização normal, podemos dar inicio ao modelamento da peça


propriamente dito. A partir da barra de ferramentas de sketch, devemos selecionar
o ícone de linhas (line)....

16
Nesta fase o importante é construir um esboço da seção desejada. Entretanto, este
esboço deve ser proporcional. Ou seja, não devemos criar a seção já nas medidas
corretas, mas usando o bom senso podemos desenhar algo muito parecido com a
realidade.

Para garantirmos o tamanho correto da seção usaremos em uma etapa posterior as


chamadas restrições geométricas.

Para criarmos linhas no Solidworks, devemos fazer uma analogia com uma caneta e
papel. Para riscarmos um papel devemos apoiar a caneta e então efetuar o risco,
aqui no software acontece da mesma forma. Com o ícone de linha ativado, devemos
clicar com o botão esquerdo num ponto desejado e mantendo o botão esquerdo
acionado arrastar até um segundo ponto, só então podemos soltar o botão do
mouse. Assim, podemos criar o seguinte esboço (Figura 10):

Figura 10

Note que procurei manter a origem dentro do esboço. Isto foi feito apenas para
facilitar a etapa posterior, que é a parametrização da seção. Apenas para fecharmos
a seção devemos utilizar duas ferramentas muito úteis em construção de sketches,
chamadas de extend e Trim:

Inicialmente, vamos utilizar o extend, para fechar o modelo. Para tanto, basta
selecionar o ícone e encostar na linha que se deseja estender e então confirmar com
o botão esquerdo do mouse. Conforme figura 11.

Figura 11

17
Agora com o auxilio do Trim devemos cortar o excesso de linha. O processo é
semelhante ao anterior, basta selecionar o ícone, encostar na parte que deseja
cortar e confirmar como botão esquerdo do mouse. Conforme figura 12.

Figura 12

Para a etapa de parametrização devemos utilizar os ícones de Smart dimensions e


Add relations:

Inicialmente, vamos utilizar o Add relations, para, como o próprio nome sugere,
adicionar relações geométricas entre as linhas. Assim, clicando no referido ícone, e
posteriormente nas duas linhas horizontais no meio da peça, conforme figura 13,
teremos a seguinte imagem:

Figura 13

Nesta janela à esquerda devemos selecionar as relações Horizontal, Collinear e


Equal. Feito isso devemos confirmar no botão verde no topo da janela. Assim,
ficaremos com a seguinte imagem (Figura 14):

Figura 14

18
Da mesma forma devemos aplicar relações às duas linhas inclinadas. Entretanto,
nelas devemos aplicar apenas a relação de igualdade (Equal).

Colocadas estas relações geométricas, devemos adicionar cotas à seção. Para isso
devemos clicar no ícone “smart dimensions”. Para colocar dimensões basta clicar
numa linha, depois na outra e clicar novamente para confirmar a operação, conforme
figura 15.

Figura 15

Após confirmarmos a operação aparecerá uma janela, na qual podemos inserir o


valor desejado da cota. Para concluir a operação basta confirmar no botão verde ou
apertar o “enter”. Devemos prosseguir colocando as cotas até obter o seguinte
(figura 16):

Figura 16

19
OBS.: Para colocarmos as cotas em ângulo o procedimento é o mesmo adotado
anteriormente.
Para finalizarmos esta etapa da modelagem do mancal, devemos realizar um
Extruded Boss/Base no valor de 80,00mm. Ver figura 17.

Figura 17

E após entrar com o valor de 80,00mm, podemos confirmar no botão verde no topo
da janela. Obtendo assim, o seguinte resultado.

20
Concluída esta etapa podemos dar continuidade ao modelamento. Da mesma forma
anterior, devemos selecionar um plano de criação. Assim, escolhemos como plano
de criação o plano lateral do mancal, conforme indica a figura 18.

Figura 18

Com o plano de criação selecionado podemos abrir o sketch...

.... colocar em vista normal....

...e utilizando o comando chamado “Convert Entities”....

Para usá-lo devemos pré-selecionar as arestas e depois clicar no ícone, conforme


figura 19.

21
Figura 19

Usaremos agora outro comando chamado “off-set entities”.....

Ao clicar no ícone do off-set aparecerá uma janela do lado esquerdo da tela,


conforme figura 30.

Figura 20

22
Assim, partindo das linhas existentes em nosso modelo vamos criar duas paralelas.
Uma paralela à linha vertical distante 30,00mm, para a esquerda, conforme figura 21.
OBS: Caso seja necessário podemos marcar o
“reverse direction” para que a linha paralela fique
conforme a figura.

Figura 21

Para concluir a operação devemos confirmar no botão verde no topo da janela ou


apertar o enter. Da mesma forma acionando novamente o comando de off-set
devemos criar outra paralela, desta vez paralela à linha horizontal distante 12,00mm,
para cima, conforme figura 22.

Figura 22

Após confirmarmos as duas operações de off-set, devemos ter na tela o seguinte


(Figura 23):

Figura 23

Novamente usando a ferramenta de Extend, devemos fechar o modelo para obter o


seguinte resultado:

23
Agora, vamos usar pela segunda vez a ferramenta Trim para cortar os excessos, a
fim de obter o seguinte resultado:

Dando continuidade ao modelamento vamos utilizar uma nova ferramenta de sketch,


o circle....

Esta ferramenta permite a criação de círculos. O processo de criação de círculos é


semelhante ao processo de criação de linhas, a única diferença é que o ponto inicial
é o centro da circunferência, e o ponto final é relativo ao raio que se deseja criar.
Assim, utilizando o comando de criação de círculos vamos criar dois círculos de
tamanhos diferentes soltos no espaço, conforme figura 24.

Figura 24

24
Novamente utilizando o Add relations vamos adicionar relações aos círculos no
intuito de deixar o sketch parametrizado. Assim, devemos atribuir a relação de
concentricidade entre os dois círculos. Para tanto, devemos selecionar os dois
contornos dos círculos, selecionar a relação de concentricidade e confirmar no
botão verde no topo da janela ou apertar o botão enter, conforme figura 25.

Figura 25

Agora vamos atribuir outras relações. Ainda com o comando de Add relations
acionado devemos selecionar a linha horizontal de cima e o ponto central dos
círculos, respectivamente. Na janela das relações devemos selecionar a relação de
midpoint e confirmar no botão verde ou no enter, conforme figura 26.

Figura 26

Ainda adicionando relações vamos selecionar a linha vertical direita e o contorno do


circulo maior, respectivamente. Na janela das relações devemos selecionar a relação
de tangência e confirmar no botão verde, ou apertar o enter, conforme figura 27.

25
Figura 27
Para finalizar a parametrização devemos cotar o circulo menor com um diâmetro de
15,00mm. Para tanto, vamos utilizar o comando Smart Dimensions. Figura 28.

Figura 28

Devemos cortar os excessos com o auxilio do Trim, até obter o seguinte resultado:

Como no solidworks não pode haver dualidade de seções devemos transformar a


linha horizontal de cima em uma linha de construção. Para tanto, basta selecionar a
referida linha e na janela da esquerda marcar a opção de For Construction...

26
Podemos Extrudar a seção em 10,00mm para dentro da peça, conforme figura 29.

Devemos utilizar o
reverse direction,
se necessário

Figura 29

Para concluir a operação devemos confirmar no botão verde ou no enter.

27
No próximo passo será apresentado uma nova ferramenta chamada Mirror, que em
inglês significa espelho, assim, esta ferramenta nos permite fazer cópias espelhadas
a partir de um plano de referência.

Para realizarmos esta operação devemos clicar no ícone de Mirror. Feito isso
aparecerá a seguinte janela (Figura 30).

Figura 30

Nesta janela à esquerda devemos entrar com as seguintes informações: O plano de


referência e o que nós queremos espelhar. Para selecionarmos qual o plano de

28
referência basta passar com o mouse por cima dos planos básicos da árvore de
criação. Feito isso, podemos concluir que o Plane3 é o mais adequado para a
operação. Para selecioná-lo basta clicar nele com o mouse, conforme figura 31.

Figura 31
Note que no momento da seleção do plano, automaticamente o campo de seleção se
deslocou para baixo perguntando qual a Feature que nós queremos espelhar. Como
resposta a esta pergunta devemos clicar no Extrude 2 da arvora de criação,
conforme figura 32.

Figura 32

Para concluir a operação devemos confirmar no botão verde ou no enter. O próximo


passo será a construção de um furo no mancal. Para tanto, devemos selecionar o
plano de criação e nele abrir o sketch, conforme figura 33.

29
Figura 33

Colocando em visualização normal, devemos criar duas linhas e dois círculos


conforme figura 34.

Figura 34

Para efeito de parametrização, vamos adicionar as seguintes relações, conforme


as figuras 35, 36, 37 e 38 a seguir:

30
Igualdade entre os círculos

Figura 35

Tangência entre linha e círculo

Figura 36

Tangência entre linha e círculo

Figura 37

31
Tangência entre linha e círculo

Figura 38

Dando prosseguimento à parametrização, com o auxilio da função Smart


Dimensions vamos adicionar as seguintes cotas:

Mais uma vez vamos utilizar a função Add relations para concluir a parametrização.
Assim teremos a seguinte relação, conforme a figura 39.

32
Verticalidade entre os centros
dos círculos e a origem

OBS: No programa solidworks o eixo


Confirmar no botão do “x” é sempre a horizontal.
verde ou no enter

Figura 39

Concluindo o sketch devemos apenas cortar os excessos, com o auxilio da


ferramenta Trim, até obter o seguinte resultado:

Para finalizarmos o modelamento vamos utilizar uma ferramenta semelhante ao


Extruded Boss/Base, chamada de Cut-Extruded,

33
Clicando no ícone aparecerá a seguinte janela, conforme figura 40.

Abrindo o menu de opções devemos


selecionar a opção through all e
confirmar no botão verde ou enter.

Figura 40

Feito isso, obteremos como resultado final de nossa modelagem o seguinte:

Arquivo Salvar Mancal

34
4.2 Exercício Prático: Modelamento de um Bloco de Guia

O bloco de guia ilustrado na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Consolidação das ferramentas de desenho


• Consolidação das ferramentas de adição de relações
• Estratégias de modelamento
• Alteração do modelo a partir da árvore de criação (design tree)

35
Com o Solidworks aberto, o passo inicial deste exercício é escolher o plano de
trabalho, neste caso Plane1, na árvore de criação e abrir o sketch .....

.....ainda com o plane 1 selecionado colocar em visualização normal.....

... com o plano em vista normal podemos começar a desenhar o sketch inicial.
Assim, utilizando as ferramentas de retângulo e de cotas devemos obter o seguinte
resultado:

Para finalizarmos esta etapa do modelamento devemos adicionar material ao sketch


com o auxílio da ferramenta Extruded Boss/Base, conforme figura 41.

36
Figura 41

A segunda etapa deste modelamento é selecionar o plano de topo da peça e nele


abrir o sketch para desenhar um outro retângulo menor conforme ilustra a figura
42, abaixo.

Figura 42

Com o auxílio do Extruded-cut vamos retirar material da peça, conforme figura 43.

37
Figura 43

O próximo passo é semelhante ao anterior. Vamos novamente selecionar o plano de


topo da peça e repetindo anteriormente, abrir o sketch para desta vez desenhar
quatro círculos, conforme figura 44.

Obs: Utilize o add relations para adicionar as relações necessárias.

Figura 44

Assim, o resultado final deste modelamento é:

38
Arquivo Salvar Bloco de Guia

Uma outra maneira de modelar este Bloco de Guia seria desenhar todos os sketchs
de uma só vez. Para tanto, deveríamos selecionar o Plane 1, Abrir o Sketch, colocar
em visualização normal e desenhar a seguinte seção (ver figura 45).

Figura 45

Para finalizarmos este modelamento devemos utilizar a ferramenta de Extruded


Boss/Base e nela entrar com o valor de 30,00mm.

39
O resultado foi o mesmo do modelo anterior, não foi? Entretanto, isso só é possível
porque todas as características do modelo se encontravam em um mesmo plano.

Podemos tirar como lição deste exercício que, dependendo da complexidade do


modelo, podemos criar o máximo de características possíveis dentro de uma mesma
operação. Neste caso em especial, conseguimos reduzir de três operações para
apenas uma.

Qual a vantagem disso? O número e o tipo de operações realizadas é que definem o


peso do arquivo, ou seja, um modelo com uma árvore pequena é mais leve em se
tratando de peso de arquivo, o que da mais agilidade ao software para processar as
informações.

Voltando no primeiro modelo deste exercício, vamos aprender agora como alterar um
modelo a partir da árvore de criação.

Com o modelo na tela devemos clicar com o botão direito do mouse na primeira
Feature da árvore de criação. Feito isso aparecerá uma caixa de diálogo com
algumas opções. (Ver figura 46)

Figura 46

40
Dentre estas opções vamos escolher Edit Feature. Para tanto, basta clicar em cima
da opção com o botão esquerdo do mouse. Assim, aparecerá a seguinte imagem
ilustrada na figura 47.

Figura 47

Aqui o que acontece é semelhante à volta no tempo. O software permite que


alteremos uma operação passada, assim podemos, por exemplo, alterar o tamanho
da extrusão de 30,00mm para 50,00mm. Feito isso, para confirmarmos a alteração
devemos clicar no botão verde no canto direito da tela, conforme imagem 48.

Figura 48

Da mesma forma que podemos alterar a feature, podemos também editar o desenho
base de cada uma das operações. Assim, vamos alterar o sketch, da feature número
dois, conforme imagem 49.

41
Figura 49

Clicando com o botão esquerdo do mouse na opção Edit Sketch, aparecerá a


seguinte imagem (ver figura 50).

Figura 50

A cota no valor de 70,00mm deve ser alterara para 50,00mm, enquanto que a cota
de 35,00mm (referente a centralização da cota de 70,00mm) deve ser alterada para

42
25,00mm, a fim de manter o furo centralizado na peça. Feito essas alterações o
resultado final esta representado na figura a seguir.

Apenas para efeito didático vamos aprender como adicionar o comando de Draft.
Para tanto, devemos selecionar o ícone...

... na janela a esquerda devemos indicar qual o plano neutro e quais as faces
receberão o comando de draft com angulação de 15º, conforme figura 51.

Figura 51

43
Para criar chanfros, devemos selecionar o ícone...

....selecionar a aresta na qual será aplicada a operação, o tipo de chanfro, e o valor e


confirmar no botão verde, conforme ilustra a figura 52.

Figura 52
Confirmando no botão verde temos:

44
4.3 Exercício Prático: Modelamento do Corpo de Embalagem Plástica

O corpo da embalagem plástica ilustrado na figura abaixo é o objeto de estudo desta


lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Utilização da Ferramenta de Sketch de Elipses


• Utilização da Ferramenta de Sketch Convert Entities
• Criação de Planos Auxiliares;
• Utilização da Ferramenta Loft
• Utilização da Ferramenta Fillet
• Utilização da Ferramenta Shell

45
Selecionar Plane1 na árvore de criação e abrir o sketch.....

.....ainda com o Plane1 selecionado colocar em visualização normal, ......

A partir deste ponto vamos começar a modelagem da part propriamente dita. Para
tanto devemos seguir os passos abaixo relacionados. Desenhar uma Elipse
conforme figura 78 e 79. Para desenhar uma elipse é necessário que selecionemos o
ícone ...

Feito isso, devemos clicar na Origem e mantendo o botão esquerdo do mouse


acionado, deslocá-lo até uma posição afastada da origem no sentido esquerdo,
conforme figura 53.

Figura 53

46
Em seguida, clicando no ponto mais alto do circulo imaginário criado e mantendo o
botão esquerdo do mouse acionado devemos aproximá-lo da origem, para
concluirmos a criação do sketch da elipse, conforme figura 54.

Figura 54

O passo seguinte é a parametrização do sketch inicial. Para tanto, vamos


adicionar cotas e relações entre as entidades criadas. Assim, conforme as figuras
55, 56 e 57, vamos restringir a part.

Com o auxílio do ícone de cotas...

...vamos adicionar a primeira cota no sketch, conforme figura 80. Para criarmos esta
cota devemos clicar nos dois pontos horizontais, e entrar com o valor de 80,00mm.

Figura 55

De forma similar, vamos adicionar a outra cota, desta vez no sentido vertical
devemos clicar nos dois outros pontos da elipse, e entrar com um valor de 35,00mm,
conforme figura 56.

47
Figura 56

Como último passo da parametrização do sketch devemos criar uma relação de


horizontalidade entre um dos pontos horizontais e a origem. Para tanto, devemos
selecionar o ícone de adição de relação (add relation), conforme figura abaixo.

Dentro do comando add relation devemos selecionar o ponto escolhido e a origem,


conforme figura 57.

Pontos selecionados

Figura 57

Assim, o programa automaticamente disponibilizará uma grade de opções de relação


no qual deve ser escolhida a opção de horizontalidade conforme figura 58.

48
Depois de selecionar a opção
Horizontal confirmar neste botão

Lista de opções

Figura 58
Feito isso podemos fazer a extrusão do sketch, para tanto, devemos selecionar o
ícone de Extruded Boss/Base....

Após clicarmos no ícone de extrusão devemos entrar com o valor de 150,00mm e


confirmar a operação no botão Ok, conforme figura 59.

Botão OK

Valor de 150,00mm

Figura 59

49
Para o próximo passo devemos selecionar o plano formado pela face oposta a
origem e abrir o sketch conforme figura 60.

Figura 60

Feito isso, devemos selecionar o contorno da elipse formada por esta face e
ativar o comando Off-set na barra de sketch tools. Ver figura 61.

Figura 61

Com o comando ativado vamos fazer um off-set de 2,00mm para dentro conforme
figura 62, e confirmar no botão ok.

Valor de 2,00mm

Figura 62

50
Feito isso podemos extrudar este sketch em 3,00mm, conforme figura 63, e
confirmar no botão ok.

Figura 63

Para este terceiro passo devemos inicialmente criar um plano auxiliar, com um off-
set de 15,00mm a partir do último plano criado.

Para criarmos este plano auxiliar, devemos selecionar a face que nos servira de
referencia, e deixando-a pré-selecionada, devemos seguir os seguintes passos (Ver
figura 64):
Insert Reference geometry Plane

Figura 64

51
Assim, o programa disponibilizará um formulário, no qual vamos entrar com o valor
do off-set de 15,00mm, para o lado de fora da peça, e então confirmar no botão ok.
Ver figura 65.

Confirmar no botão ok

Valor de 15,00mm

Figura 65

Selecionar o plano criado e nele abrir o sketch, para o próximo passo. Ainda com o
novo plano selecionado colocar em visualização normal.

A partir da origem, criar um círculo de diâmetro 25,00mm, conforme figura 66.

Figura 66

Feito isso vamos fechar o sketch. O próximo passo é uma operação de loft.
Portanto, para esta operação vamos utilizar este sketch que foi criado a pouco, e o
contorno da elipse menor criada anteriormente.

Clicar no ícone do loft, e selecionar o sketch e o contorno da elipse conforme figura


67.
OBS: Na hora de selecionar as seções
tente manter uma linha imaginaria
uniforme, ou seja, pegue pontos mais ou
menos alinhados para evitar distorções
na peça.

52
Confirmar no botão ok

Figura 67

Selecionar o novo plano formado pela operação de loft, abrir o sketch, selecionar o
contorno circular, converter em entidade e extrudar de 20,00mm. Figuras 68, 69 e
70.

Abrir sketch

Selecionar o plano

Figura 68

53
Figura 69

Confirma no botão ok

Valor de 20,00mm

Figura 70

O próximo passo será a adição de fillets conforme figura 71.

Valor de 3,00mm

Valor de 5,00mm

Figura 71
54
O próximo e último passo será a operação de shell. Ela transformará a peça em uma
casca com uma espessura de 1,00mm.

Assim, devemos selecionar o ícone da operação de Shell e entrar com o valor da


espessura da parede de 1,00mm. Ver figura 72.

OBS: Devemos selecionar a face


conforme mostra a figura 72.

Valor de 1,00mm

Figura 72

Salvar com o nome de Corpo!

55
4.4 Exercício Prático: Modelamento da Tampa da Embalagem Plástica

A tampa da embalagem plástica ilustrada na figura abaixo é o objeto


de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Utilização da Ferramenta de Sketch de Elipses


• Utilização da Ferramenta Dome
• Utilização da Ferramenta Shell

56
Para criarmos esta nova peça é necessário que criemos um novo arquivo. Para
tanto, devemos selecionar o ícone de um novo arquivo na barra de ferramenta
Standard e na próxima janela selecionar Part e confirmar.

Novamente devemos selecionar Plane1 na árvore de criação, abrir o sketch e


colocá-lo em visualização normal. Feito isso, vamos desenhar e parametrizar o
seguinte sketch, a partir da origem, conforme figura 73.

Figura 73

Feito isso, vamos extrudar o sketch de 10,00mm, conforme figura 74.

Confirmar no botão ok

Figura 74

57
O próximo passo é a criação de um Dome, para tanto, devemos seguir os seguintes
passos:

Insert Features Dome

Quando o comando estiver acionado devemos selecionar a face oposta à origem,


acionar o botão de eliptical dome e entrar com o valor de 30,00mm. Ver figura 75.

Confirmar no botão ok

Ativar este comando


Figura 75

Para finalizar a peça devemos aplicar um shell de 1,00mm de espessura de parede


e salvar o arquivo com o nome de TAMPA. Imagem da peça concluída.

Tanto o Corpo da embalagem plástica quanto a tampa serão utilizadas


posteriormente na etapa de estudo de Assembly.

58
4.5 Exercício Prático: Modelamento da Caneca

A caneca ilustrada na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Criação de Sólidos Simétricos em Relação a um Eixo;


• Comandos Boss/Base Revolve (Cut);
• Comandos Boss/Base Sweep (Cut);
• Comando Shell;
• Criação de Fillet.

59
Com o programa aberto, para iniciarmos um modelamento devemos selecionar o
plano de trabalho. Assim sendo vamos realizar os seguintes passos:

Selecionar o Plane1 Abrir o Sketch Colocar em visualização normal.

Feito isso podemos desenhar a seguinte seção, conforme figura 76

. origem
Figura 76
Note que as ferramentas de desenho utilizadas para gerar esta seção foram apenas
o retângulo e o círculo. Entretanto, observe que o retângulo teve como ponto inicial a
Origem e os círculos foram estrategicamente posicionados para favorecer a etapa
posterior que é a parametrização. A figura 77, a seguir, mostra o primeiro passo da
parametrização da seção. Nele vamos apenas inserir as cotas referentes à seção.

Figura 77

60
O próximo passo para a parametrização será a adição de relações geométricas,
conforme figura 78.

Figura 78

Colocadas estas duas restrições, apenas para efeito didático, vamos cortar os dois
excessos de linhas, com o auxilio da ferramenta Trim, conforme ilustra a figura 79.

Figura 79

61
Dando prosseguimento na construção da seção, vamos adicionar uma relação de
tangência entre os círculos de Ø8,00mm e Ø10,00mm e o círculo de Ø20,00mm,
conforme mostrado na figura 80, a seguir.

Figura 80

Feito isso, devemos mais uma vez, cortar os excessos de linhas, com o auxilio da
ferramenta Trim, conforme ilustra a figura 81.

Figura 81

Como o intuito deste exercício é realizar a feature Revolved Boss/Base, devemos


obrigatoriamente criar uma linha de centro que servirá de eixo de giração para a
operação de revolução. Assim, para criarmos este eixo devemos selecionar o ícone
de centerline,...

62
....e criar uma linha que passa na origem, conforme ilustra a figura 82, a seguir.

Figura 82

Depois de colocada a linha de centro podemos realizar a operação de Revolved


Boss/Base. Para tanto, basta clicar no ícone da operação.....

....e confirmar no botão verde, ou pressionar o enter, conforme figura 83.

Figura 83

63
O próximo passo na modelagem da caneca é a adição do shell de 2,00mm de
espessura de parede. Ver figura 84.

Figura 84

Para criarmos a alça da caneca vamos utilizar uma nova operação, chamada de
sweep.

Para criarmos esta operação precisamos obrigatoriamente de uma seção e um


caminho. Assim, vamos inicialmente definir a seção. Para tanto, devemos abrir o
sketch no Plane1 e desenhar conforme indicado na figura 85.

Note que foi colocada uma relação de


verticalidade entre o ponto central do
círculo e a origem.

Depois de concluído este passo devemos


fechar o sketch no mesmo botão que
utilizamos para abrí-lo.

Figura 85

Para definirmos o caminho, devemos abrir o sketch, num plano normal ao plano
utilizado para a criação da seção. Portanto, vamos abrir o sketch no Plane 3,
conforme indica a figura 86.

64
Neste plano vamos desenhar o caminho para
realizarmos a feature Sweep.

Assim, partindo do ponto central do circulo vamos


desenhar o seguinte perfil, conforme figura 87.

Note que apenas o ponto inicial é importante. Os


demais pontos podemos parametrizar posteriormente.

Figura 86

Figura 87

Para parametrizarmos este perfil, vamos adicionar uma relação de verticalidade


entre dois pontos conforme indica a figura 88.

65
Figura 88

Devemos agora adicionar Sketchs fillets ...

...conforme indica a figura 89, a seguir.

66
Figura 89
Dando continuidade a parametrização, vamos adicionar as seguintes cotas (ver
figura 90).

Figura 90

67
De maneira semelhante, vamos fechar o sketch e clicar no ícone de sweep. Assim,
conforme ilustra a figura 91, devemos indicar qual é a seção e qual é o caminho e
confirmar no botão Ok.

Figura 91

Para finalizarmos este exercício, devemos abrir um sketch no plano formado pela
seção do sweep, conforme indica a figura 92.

Figura 92

Feito isso devemos converter em entidade os dois contornos dos círculos, conforme
indica a figura 93.

68
Figura 93

Devemos agora, clicar no ícone de Extruded-cut, selecionar a opção de Up to


Surface, clicar na face interna da caneca e confirmar no botão verde, conforme
figura.

Salvar o arquivo com o nome de caneca!

69
4.6 Exercício Prático: Modelamento da uma Chave de Fenda

A Chave de fenda ilustrada na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Criação de Sólidos de Geometria Complexa;


• Criação de Planos de Referência;
• Comandos Loft Boss/Base;
• Comando Dome Boss;

70
Neste exercício, o primeiro passo para a modelagem é a criação de planos de
referência. Para tanto, devemos utilizar à mesma metodologia adotada no exercício
nº 3. Apenas relembrando, para a criação de planos de referencia devemos

Insert Reference Geometry Plane

Assim, inicialmente, vamos criar os seguintes planos.

Plane4 – com off-set de 3,00mm em relação ao Plane2


Plane5 – com off-set de 5,00mm em relação ao Plane4
Plane6 – com off-set de 10,00mm em relação ao plane5.

Podemos ver o resultado desta operação na figura 94 a seguir.

Figura 94

De posse destes planos de referencia, vamos dar inicio ao modelamento da chave


de fenda. Para tanto, devemos abrir o sketch no plane2, e nele desenhar a seção
mostrada na figura 95.

Obs: É obrigatório que a seção desenhada esteja parametrizada pela origem

Figura 95

Feito isso devemos fechar o sketch. A segunda seção será desenhada no Plane 4, e
deverá apresentar o perfil mostrado na figura 96, a seguir.

Figura 96

71
Novamente, depois de concluída a construção do sketch, devemos fechá-lo. A
terceira seção será construída no Plane5, e deverá apresentar o perfil mostrado na
figura 97, abaixo.

Figura 97

Mais uma vez, devemos fechar o sketch depois de construída a seção. A quarta e
última seção desta fase inicial, será construída no Plane 6 com o seguinte perfil ( ver
figura 98).

Figura 98

72
Para a construção do Loft, devemos também fechar este sketch. Assim, colocando
em uma vista isométrica, devemos selecionar o ícone de Loft e conforme figura.....

...selecionar os três perfis, na ordem do


menor para o maior, tentando manter
uma linha imaginária continua......

.... e podemos confirmar no botão

Para a criação do segundo Loft, devemos abrir um sketch no plano criado pela
operação anterior, converter em entidades as arestas deste plano e fechar o sketch,
conforme figura 99.

Figura 99

73
Feito isso podemos realizar o segundo Loft, conforme figura 100.

Selecionado os dois perfis podemos


confirmar no botão verde.

Figura 100

No próximo passo devemos abrir o sketch no plano formado por esta última
operação, converter em entidade o contorno e extrudar de 100,00mm a seção,
conforme figura.....

74
Agora devemos criar mais três planos de referência a partir do plano criado nesta
última operação de extrusão.

Assim, seguindo os passos anteriores devemos criar:

Plane7 – com off-set de 10,00mm em relação ao último plano criado


Plane8 – com off-set de 60,00mm em relação ao Plane7
Plane9 – com off-set de 10,00mm em relação ao plane8.

75
No plano de topo da peça vamos abrir o sketch, desenhar o perfil e fechar o
sketch conforme ilustra a figura 101.

Figura 101

No plane 7 devemos criar um círculo de Ø15,00mm, conforme indica a figura 102.


Para tanto, devemos abrir o sketch, desenhar o perfil e fechar o sketch.

Figura 102

Já no plane 8, devemos abrir o sketch, selecionar o perfil da figura 101 converter


em entidade, e fechar o sketch, conforme figura 103.

Obs. Quando tentarmos converter o perfil em entidade ele abrirá uma caixa de
diálogo. Para resolver isso basta selecionar a opção de Closed Contour e confirmar
em ok.

76
Figura 103

No último plano criado, Plane 9, devemos, exatamente como já foi feito


anteriormente, abrir o sketch, desenhar o perfil e fechar o sketch, conforme figura
104.

Figura 104

Assim ao final destes passos, em sua tela deve estar aparecendo a imagem,
mostrada na figura 105.

Figura 105

77
Devemos ativar o comando de Loft e selecionar os perfis sempre em uma seqüência,
ou de baixo pra cima ou de cima pra baixo. O mais importante é manter um único
sentido da operação. (ver figura 106)

Ao final da operação
devemos confirmar no
botão verde

Figura 106

Obs: Note que procurei manter uma linha imaginária constante, isso garante uma
uniformidade da operação.
O próximo passo na construção da chave de fenda é o acabamento da parte de cima
dela. Para tanto, vamos utilizar novamente a Ferramenta de Dome. Ver figura 107.
Insert Features Dome

78
Confirmar no
botão ok
Deve estar
desmarcado

Figura 107

A última operação da construção desta Chave de Fenda, será a aplicação de um


fillet de 2,00mm de raio, conforme ilustra a figura 108, a seguir.

Confirmar no
botão ok

Figura 108

79
O resultado final deste modelamento pode ser visto na figura abaixo.

Salvar o arquivo com o nome de chave de fenda!

80
4.7 Exercício Prático: Modelamento da uma Roda Dentada

A Roda Dentada ilustrada na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Criação de Cópias de Features Parametrizadas


• Comando Circular Pattern

81
Para este exercício, vamos abrir o sketch no Plane 1, e desenhar o seguinte perfil,
sempre partindo da origem. Ver figura 109.

Figura 109

Devemos agora cortar os excessos até obter como resultado a imagem ilustrada na
figura 110.

Figura 110

82
Para finalizarmos este perfil, devemos adicionar fillets conforme indica a figura 111.

Figura 111

O próximo passo será a operação de Extruded Boss/Base, em Midplane, no valor


de 30,00mm, conforme figura 112.

83
Figura 112
A próxima operação é um Circular Pattern. Esta operação realiza cópias radialmente
parametrizadas. Assim, para podermos utilizá-la, devemos clicar no ícone de Circular
pattern...

.... selecionar o eixo de referência (figura 113)...

Figura 113

84
.....selecionar a feature que vai ser copiada (figura 114).....

Figura 114

.... e entrar com os valores (figura 115).....

15 cópias

Selecionar esta caixa

Figura 115

85
..... e para finalizar a operação devemos confirmar no botão OK.

Imagem do estado atual da modelagem.

O próximo passo é a construção do furo do eixo com o rasgo de chaveta. Para tanto
devemos selecionar uma das faces da roda dentada, abrir o sketch e desenhar o
perfil a partir da origem, conforme indica a figura 116.....

Figura 116

.........realizar uma operação de Extruded-Cut, usando a opção Through All.

86
Ao final da lição a Roda Dentada deve ter a seguinte aparência.

Salvar o arquivo com o nome de roda dentada!

87
5 Montagem de Componentes em 3D (Assembly).

5.1 Exercício Prático: Montagem da Embalagem Plástica

A embalagem plástica ilustrada na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Criação de Montagens
• Parametrização das Montagens;
• Manipulação do Modelo com Auxílio das Ferramentas de Movimentação;
• Edição do Modelo Dentro do Ambiente Assembly;
• Verificação da Massa da Peça;

88
Este exercício utilizará como base duas peças anteriormente modeladas nos
exercícios 4.3 e 4.4 desta apostila.

Assim, com o programa aberto, o primeiro passo para a realização de uma


montagem é a abertura de um novo documento e na janela abaixo selecionar a
opção de Assembly, conforme indica a figura 117.

Figura 117

Para abrir uma nova montagem basta selecionar Assembly e depois confirmar no
botão OK. Feito isso, a tela inicial do programa é semelhante ao ambiente de Part.
Entretanto, apresenta algumas diferenças que serão mostradas a seguir, conforme
figura 118.

Diferenças entre os dois


ambientes (Part X Assembly)

Figura 118

89
Inicialmente podemos perceber uma pequena diferença na estrutura da árvore de
criação. No final dela aparece um ícone chamado de Mate, como ilustra a imagem a
seguir.

Mates Visualiza as relações existentes entre as parts

A segunda diferença é a barra de ferramentas de Assembly que será explorada a


seguir.

Barra de Ferramenta de Assembly.

Insert Components Insere componentes pré-existentes


Hide/Show
Mostra ou esconde um componente
Components
Change Supresion
Alterna de suprimido para não suprimido
State
Edit Component Alterna entre os modos de edição de part

Mate Cria relações geométricas entre duas parts

Move Component Movimenta uma part em relação as demais

Rotate Component Rotaciona uma part em relação as demais

Smart Fasteners Adiciona parafusos da biblioteca

Exploded View Cria vistas explodidas da montagem

Interference Detection Detecta interferência entre os componentes

Features Comando auxiliares de Features

Simulation Comandos auxiliares de simulação

Assim, com o ambiente assembly aberto devemos inserir os componentes que farão
parte da montagem. Para tanto, devemos clicar no ícone.....

90
Depois de clicarmos neste ícone abrirá uma caixa de diálogo na parte esquerda da
tela, conforme figura 119.

Aparecerá a seguinte caixa


de diálogo

Devemos clicar
neste botão...

Obs: Nela devemos selecionar o componente desejado,


confirmar no botão abrir, e posicionar o componente na tela

Figura 119

Da mesma forma devemos inserir o componente Tampa no ambiente assembly.


Feito isso, a tela deve estar conforme indica a figura 120.....

Figura 120

91
Caso contrário, devemos utilizar as ferramentas de movimentação relativa entre as
partes para deixar a tela semelhante à anteriormente apresentada.

Note que o primeiro componente inserido apresenta uma letra “F”, antes do nome,
como ilustra a figura 121.

Figura 121

Isto acontece porque o programa sempre fixa o primeiro componente inserido no


assembly, ou seja, esta letra indica que o referido componente está fixado no
espaço.

Para darmos continuidade a parametrização do assembly devemos clicar com o


botão direito do mouse em cima do nome do componente e selecionar a opção
Float, conforme indica a figura 122.
Esta opção de float, como o próprio
nome sugere, serve para deixar a peça
flutuando no espaço.

Em se tratando de solidworks, todos os


ícones citados anteriormente podem ser
encontrados como pop-up do botão
direito do mouse.

Eles são classificados como dispositivos


do tipo switch on/off, ou seja, quando
uma das opções estiver ativada a outra
aparece no pop-up como opção de
mudança. Por exemplo, neste caso que
peça se encontrava fixada no espaço a
opção disponibilizada no pop-up foi o
float, que é exatamente o oposto de Fix.

92
Figura 122
Com as duas peças livres, devemos restringi-las com o auxílio da ferramenta de
Mate. Para tanto, basta clicar no ícone....

E clicando no “mais” antes do nome do componente, selecionar o Plane1 do corpo


da embalagem plástica e o Plane 1 da Assembly, conforme figura 123.

Figura 123

93
Feito isso, podemos adicionar a relação de coincidência entre os planos
selecionados. Devemos proceder da mesma maneira para os demais planos deste
componente, relacionando Plane2 com Plane2 e Plane3 com Plane3, até obter o
resultado ilustrado na figura 124.

Note que agora


as origens estão
coincidentes.

Figura 124
De maneira semelhante, devemos parametrizar a tampa em relação ao corpo da
embalagem plástica. Para tanto, devemos criar uma relação de coincidência entre
os plane2 de cada um dos componentes, conforme figura 125.

Figura 125

O próximo passo na parametrização é a criação de uma relação de coincidência


entre a face inferior da tampa e o plano intermediário do corpo. Ver figura 126.

94
Plano inferior da tampa

Plano intermediário do corpo

Figura 126

A última relação para este modelo será outra coincidência, desta vez entre os
Plane3 dos dois componentes, conforme ilustra a figura 127.

Figura 127

Para confirmar estas operações devemos clicar no botão verde no topo da caixa de
diálogo.

Note que o sinal de menos na frente do nome dos componentes desapareceu,


indicando que as duas peças estão parametrizadas.

O resultado obtido pode ser visto abaixo.

95
Vamos agora alterar um pouco com este modelo a partir do ambiente Assembly.

Para que possamos editar um componente dentro do ambiente Assembly é


necessário selecionarmos o componente no qual se deseja fazer a alteração. Temos
duas maneiras de efetuar esta seleção, ou clicando diretamente na peça, ou
selecionando o ítem a partir da árvore de criação. Para esta etapa do exercício, o
componente escolhido para sofrer alteração foi a Tampa da embalagem plástica.
Assim, com a tampa selecionada devemos clicar no ícone...

Note que o componente corpo ficou transparente. O software age desta forma para
garantir melhor visualização da peça que esta sendo editada durante o processo de
edição. Outra mudança que podemos perceber é que a árvore de criação do
componente que está sendo editado muda de cor, indicando que o componente está
no modo de edição.

Apenas para efeito didático, vamos alterar a altura do Extruded Boss/Base de


20,00mm para 30,00mm. Para tanto, devemos clicar com o botão direito do mouse
em cima desta operação e selecionar a opção de Edit Feature, conforme figura 128.

96
Figura 128

Feito isso aparecerá uma caixa de diálogo no qual devemos alterar o valor de 20,00
para 30,00mm conforme figura 129, e confirmar no botão verde.

Figura 129
Para sair do modo de edição de parts dentro do ambiente assembly, basta clicar
novamente no ícone de edit component. O resultado final pode ser visto na figura
abaixo.

97
Para verificar a massa de uma montagem, devemos realizar os seguintes passos:

Tools Mass Properties

.....conforme a figura 130...

Figura 130

98
Feito isso o programa disponibilizará uma caixa de dialogo com todas as
informações relativas àquela montagem, conforme figura 131.

Figura 131

Caso nosso objeto de estudo seja apenas um dos componentes da montagem,


devemos pré-selecionar o componente desejado antes de acionarmos o comando de
Mass Properties.

Salvar o arquivo com o nome de Montagem 1!

99
5.2 Exercício Prático: Montagem de um Rolamento

O rolamento ilustrado na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Criação de modelos dentro do ambiente Assembly;


• Parametrização das Montagens.

100
O primeiro passo para a realização deste exercício é a modelagem de dois dos três
componentes do rolamento. Assim, com o solidworks aberto, vamos abrir uma nova
part e modelar o anel externo do rolamento.

Selecionando o plane1, e abrindo o sketch nele, devemos desenhar o perfil ilustrado


na figura 132.

Eixo de revolução

Figura 132

Depois de desenhar este perfil, podemos realizar uma operação de Revolved


Boss/Base, conforme indica a figura 133.

Confirmar no
botão verde Figura 133

Salvar o arquivo com o nome de Anel Externo!

101
O próximo passo será a abertura de outro novo arquivo que dará origem ao anel
interno do rolamento.

Selecionando o plane1, e abrindo o sketch nele, devemos desenhar o perfil ilustrado


na figura 134.

Eixo de revolução

Figura 134

Depois de desenhar este perfil, podemos realizar uma operação de Revolved


Boss/Base, conforme indica a figura 135.

Figura 135

102
Salvar o arquivo com o nome de Anel Interno!
De posse destes dois anéis do rolamento, vamos agora abrir mais dois arquivos:
uma nova parte a qual devemos salvar com o nome de Esfera, e uma nova
montagem, a qual devemos salvar com o nome de Rolamento.

Usando o recurso, conforme figura 136...

Figura 136
.... teremos todas as quatro janelas visualizadas na tela, conforme figura 137.

Figura 137

103
Nesta forma de visualização, vamos arrastar cada uma das peças individualmente e
soltar no ambiente Assembly. Para tanto, devemos clicar no nome do componente
anel externo, e mantendo clicado devemos arrastar e soltar na janela cujo nome é
rolamento, conforme figura 138.

Figura 138

Este procedimento deve ser aplicado às demais peças até termos as três partes
dentro do ambiente Assembly, conforme indica a figura 139.

Figura 139

104
Note que temos quatro origens dentro do ambiente Assembly. Isso se deve ao fato
de termos a origem dos três componentes (Anel Externo, Anel Interno e Esfera) e a
origem de referência do Assembly.

Se as três partes estiverem dentro do Assembly podemos fechar as demais janelas


só deixando a do Assembly aberta.

De forma semelhante ao exercício anterior, devemos colocar para flutuar o


primeiro componente inserido no ambiente Assembly.

Feito isso podemos parametrizar a montagem. Com o auxilio do Mate, vamos criar
relações de coincidência entre os planos do Assembly e os planos do Anel Externo,
seguindo a seguinte ordem:

• Plane1 do Assembly coincidente com o Plane1 do Anel externo


• Plane2 do Assembly coincidente com o Plane2 do Anel externo
• Plane3 do Assembly coincidente com o Plane3 do Anel externo

As demais relações devem ser criadas entre os componentes. Assim devemos ter as
seguintes relações:

• Plane1 do Anel externo coincidente com o Plane1 do Anel interno


• Plane2 do Anel externo coincidente com o Plane2 do Anel interno
• Plane3 do Anel externo coincidente com o Plane3 do Anel interno

• Plane1 do Anel externo coincidente com o Plane1 da Esfera


• Plane2 do Anel externo coincidente com o Plane2 da Esfera
• Plane3 do Anel externo coincidente com o Plane3 da Esfera

O resultado final deste processo pode ser visto a seguir.

105
Note que apesar de estarmos parametrizando três componentes apenas dois estão
sendo mostrados. Isso ocorre porque estamos parametrizando os dois componentes
existentes e apenas a árvore de criação da esfera, uma vez que ela ainda não foi
modelada. Para o processo de modelagem da esfera, devemos selecionar o nome
do componente, esfera, e clicar no Edit Component...

No modo de edição da parte, devemos selecionar o Plane 1 da esfera e nele abrir o


sketch. Colocando em visualização normal devemos desenhar o perfil conforme
figura 140.

Eixo de revolução

Figura 140
Realizando a operação de Revolved Boss/Base e saindo do modo de edição teremos
o resultado indicado na figura 141.

Figura 141

106
Para finalizarmos o exercício vamos aprender uma outra função muito útil do
ambiente Assembly, chamada de Component Pattern.

Esta operação nos permite fazer cópias a partir de componentes pré-existentes. Ela
pode ser usada de duas maneiras, linear ou radial.

No caso do rolamento vamos utilizar a maneira radial da operação, para tanto é


necessário ativar os eixos temporários que o programa disponibiliza. Ver figura 142.

Figura 142

Com os eixos visíveis na tela podemos efetuar a operação de Component Pattern.


Para tanto, devemos seguir os passos conforme figura 143.

Figura 143

107
Feito isso, o programa disponibilizará uma caixa de diálogo, na qual deveremos
entrar com alguma informação tais como: Eixo de Referencia, Angularidade, Número
de repetições e qual o componente que será copiado. Ver figura 144.
Qual o Eixo?

Selecionar esta caixa e


entrar com o valor de 30

Componente a ser
Figura 144 copiado

Para finalizar esta montagem basta confirmar no botão verde. Note que no final da
árvore de criação apareceu um ítem chamado de local pattern. Isso ocorre por se
tratar apenas de uma operação que só aparecerá no Assembly, e que não afeta as
demais peças individualmente. O resultado final deste exercício pede ser vista na
figura abaixo.

Salvar o arquivo!

108
6 Desenho 2D de Componentes em 3D (Drawing).

6.1 Exercício Prático: Geração de Desenho 2D do Mancal.

O desenho 2D ilustrado na figura abaixo é o objeto de estudo desta lição.

Competências adquiridas ao término da lição

• Escolha do Formato do Papel;


• Criação de formatos personalizados;
• Criação de vistas e Edição das Propriedades da vista;
• Criação de Cortes e Edição das Propriedades do corte;
• Criação de Detalhes e Edição das Propriedades do Detalhe;
• Colocação de Cotas;
• Criação de Notas de Desenho
• Edição das Propriedades do Desenho.

109
Este exercício utilizará como base a primeira peça modelada neste treinamento, o
mancal.

Assim, com o programa aberto, o primeiro passo para a realização de um desenho


2D é a abertura de um novo documento e na janela abaixo selecionar a opção de
Drawing conforme indica a figura 145.

Figura 145

Para abrir um novo desenho2D basta selecionar Drawing e depois confirmar no


botão OK. Feito isso, aparecerá a primeira diferença. Numa caixa de diálogo o
programa pergunta se o usuário quer utilizar um tipo de folha padronizado ou se
prefere um tipo customizado. Neste exercício vamos utilizar como folha de desenho
um padrão A3 – landscape, conforme indicado na figura 146.

Figura 146

110
Depois de definido o formato podemos clicar no botão Ok. Conforme podemos
perceber na figura 147, a seguir, a área de trabalho mudou, e apareceram novas
barras de ferramentas, que serão exploradas mais detalhadamente, a seguir.

Nova árvore
de Criação

Formato para
Novas barras
desenho 2D
de ferramentas

Figura 147
Vamos explorar as novas barras de ferramentas.
Barra de Ferramenta de Drawing – Auxilia na geração de vistas, cortes e detalhes no
desenho 2D.

Adiciona uma vista ortogonal baseado num


Model View
modelo pré-existente.
Adiciona uma projeção de uma vista
Projected View
existente.
Auxiliary View Adiciona uma vista auxiliar.

Detail View Cria um detalhe de uma vista existente.


Cria uma seção de uma vista através de
Section View
uma linha de corte.
Aligned Section View Cria uma seção angular de uma vista.
Cria as três vistas básicas de um
Standard 3 View
determinado componente.
Broken-out Section Cria uma seção dentro da vista.

111
Barra de Ferramenta de Annotation – como o próprio nome diz, ela cria anotações de
desenho 2D.

Smart Dimensions Cria dimensões entre as entidades.

Note Adiciona notas de desenho.

Balloon Cria balões numerados individualmente.


Cria Balões para todos os componentes da
Smart Balloon
vista.
Cria simbologias de acabamento
Surface Finish
superficial.
Cria Simbologias de tolerâncias
Geometric Tolerance
geométricas.
Datum Feature Cria simbologias de Datum.

Model Items Importa itens do modelo 3D.

Hole Callout Adiciona características dos furos.

Blocks Adiciona bloco (elementos padronizados).

Area Hatch/Fill Adiciona hachuras a perfis fechados.


Adiciona linhas de centro a entidades
Center Mark
circulares.
Adiciona linhas de centro entre duas
Center Line
entidades.
Bill Of Materials (BOM) Lista de materiais.

De posse destas informações


vamos aprender como editar o
formato padrão de desenho.
Para tanto, devemos clicar em
qualquer lugar dentro da folha
de desenho com o botão
direito do mouse e selecionar Feito isso, as linhas
a opção Edit Sheet Format, de contorno do
conforme ilustra a figura 148. padrão aparecerão na
cor azul indicando
que estão no modo de
edição, conforme
Figura 148 figura 149.

112
Figura 149

Estas linhas de contorno nada mais são do que linhas comuns de sketch. Assim,
podemos cortar, estender, apagar, etc, como qualquer outra linha.

Para editarmos a parte escrita basta um duplo clique em cima da palavra que ela se
torna editável. Feita a operação, para sair do modo de edição devemos clicar fora da
caixa.

Para sair do modo de edição devemos proceder da mesma forma anterior,


entretanto, devemos agora selecionar a opção Edit Sheet, conforme figura 150.

Obs. Feito isso,


as linhas de
contorno voltam
para a forma
congelada na cor
cinza.

Figura 150

113
O próximo passo será a criação das vistas básicas do desenho 2D. Para tanto,
devemos abrir o modelo 3D do mancal e com o auxílio da ferramenta Window,
colocar a visualização em Tile Horizontaly, conforme indica a figura 151.

Figura 151

Existem duas opções de criar as três vistas básicas do desenho 2D. A primeira delas
se assemelha a colocação das parts dentro do ambiente Assembly. Assim, basta
selecionar a part pelo nome na árvore de criação, arrastar e soltar dentro do
ambiente Drawing. Na segunda maneira devemos utilizar o ícone...

.... e ainda na visualização Tile Horizontaly, selecionar a part. Qualquer que seja a
estratégia adotada o resultado deverá ser igual ao mostrado na figura 152 a seguir.

Figura 152

114
Feito isso, vamos realizar uma seção na vista de topo do mancal. Para tanto,
devemos criar uma linha que passa pelo centro da peça, como ilustra a figura 153.

Figura 153

Mantendo a linha selecionada devemos clicar no ícone...

..... e posicionar a seção do lado direito da vista, conforme indica a figura 154..

Figura 154

Note que o programa cria uma hachura padronizada. Para alterarmos esta
configuração devemos clicar como botão direito do mouse em cima da hachura e
selecionar Crosshatch Properties, conforme indica a figura 155.

115
Figura 155

Depois de ajustarmos a caixa de diálogo conforme figura acima, podemos confirmar


no botão ok. O resultado pode ser visto na figura abaixo.

O próximo passo no desenvolvimento do desenho 2D, será a colocação das cotas.


Neste passo temos duas alternativas.

A primeira delas será a inserção dos itens do modelo. Para tanto, devemos,
conforme figura 156....

116
Figura 156

Quando a caixa de diálogo estiver igual a da figura podemos confirmar no botão ok.
Perceba que as cotas colocadas nos sketchs do modelo 3D voltaram a aparecer,
conforme mostra a figura 157.

Figura 157

117
Esta ferramenta tenta nos poupar tempo de parametrização. Entretanto, ela não é a
única maneira de criarmos as cotas do desenho. Com o auxílio do ícone de Smart
Dimensions, podemos colocar as cotas individualmente e com maior critério, ou seja,
de maneira que facilite a leitura do desenho 2D.

Desta forma, devemos deixar o desenho da seguinte maneira. Ver figura 158.

Figura 158

A vista indicada com a seta deve ser apagada. Para tanto, devemos deixar
selecionada a caixa em volta da vista e como auxílio do Delete, apagar a vista,
conforme figura 159.

118
Figura 159
No lugar vazio deixado pela vista apagada, vamos inserir uma vista isométrica do
modelo. Assim utilizando o ícone...

.... e selecionando o
mancal, e clicando na
seta azul para o
próximo passo....

... selecionar o tipo de


vista isométrica....

119
... e posicionar no desenho clicando
com o botão esquerdo do mouse. O
resultado final pode ser visto a
seguir.

Apenas para efeito didático, vamos criar um detalhe da peça. Para tanto, devemos
criar um circulo em volta do que estamos querendo detalhar. Conforme ilustra a
figura 160.

120
E com o auxílio do ícone...

Figura 160

Podemos posicionar no desenho o detalhe ampliado da vista, conforme figura 161.

Figura 161

Para completar a criação do detalhe devemos editar as propriedades. Ver figura 162
.

Figura 162

121
Para criarmos as notas de desenho, devemos utilizar o botão direito do mouse e
selecionar a opção Annotations, conforme figura 163.

Note que as Barras de Ferramentas


mostradas anteriormente aparecem
aqui no pop-up do botão direito.

Será interessante que o aluno explore


as funções do pop-up do botão direito,
uma vez que nele se encontram todas
as ferramentas básicas para compor
um desenho 2D, o que facilita muito o
desenvolvimento do trabalho.

Figura 163

Seguindo com o comando de anotações, depois de selecionar Note devemos indicar


o local que será criado a nota e escrever o texto desejado. Assim, conforme a figura
164, devemos entrar com as seguintes notas: Vista de Topo, Elevação, Isométrico.

Figura 164

122
O próximo passo na composição do desenho é a colocação das linhas de centro.
Para tanto, vamos utilizar os ícones de Centermark e Centerline.

No caso do Centermark devemos clicar no ícone e selecionar o contorno do circulo


conforme figura 165.

Figura 165

A centerline, como o próprio nome sugere, é uma linha de centro. Assim, para a
criação da Centerline devemos clicar em duas linhas, conforme indica a figura 166.

Figura 166

123
Para finalizarmos o desenho 2D devemos editar as propriedades do desenho. Para
tanto, devemos selecionar...

.....selecionando a opção de Document Properties, devemos clicar em line font...

124
... podemos alterar o tipo e a espessura das linhas conforme lista abaixo:

• Visible Edges – Solid, Thick2


• Detail Circle – Phanton, Thick
• Section Line – Thin/thick Chain, Thick
• Tangent Line – Solid, Thin
• Detail Border – Phanton, Thick.

Feito isso, podemos confirmar no botão ok.

125
126
7 Referências

1. AKAO, Y. Quality function deployment: integrating customer requirements into product


design. Cambridge: Productivity,1990. 369p.

2. CHANG, Tien-Chien el al. Computer-aided manufacturing. 2 ed. Prentice Hall, 1998.


748p.

3. GROOVER, M. P. Automation, production systems, computer integrated


manufacturing. 2 ed. Prentice Hall, 2000. 856p.

4. LEE, Kunwoo. Principles of CAD/CAE/CAM systems. S.l.p.:Addison Wesley


Longman, 1999.582p.

5. LEPIKSON, H.A., FERNANDES, D. Product differentiation and flexible product as


iIntegrated basis for competitive strategy. In: ISPE/IEE/IFAC INTERNATIONAL
CONFERENCE ON CAD/CAM, ROBOTICS & FACTORIES OF THE FUTURE, 11.
Anais... Colômbia, 1995.

6. PORTER, M. E. Estratégia competitiva. 5 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1991. 362 p.

7. SHEN, H.; CHENG, J. An agent-based collaborative supporting system. In: ADVANCES


IN CONCURRENT ENGINEERING. Anais…

8. SOBOLEWSK, M.; FOX, M. In: ISPE INTERNATIONAL CONFERENCE, 30. Anais...


Toronto, 1996. p. 3-7.

9. SOARES DA CUNHA, F. R. ; LEPIKSON, H. A. Um sistema didático para ensino de


tecnologias integradas da manufatura. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE
ENGENHARIA MECÂNICA. Anais... 2001. 10p.

10. SOARES DA CUNHA, F. R.; LEPIKSON, H. A. Método de desenvolvimento rápido de


produtos baseado na estratégia do tempo. In: ENCONTRO NACIONAL DE
ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Anais... 2001. 10 p.

11. STALK, G.; HOUT, T. M. Competindo contra o tempo. São Paulo: Campus, 1993.
323 p.

12. PRO-TEC. Desenhista de máquinas. São Paulo, 1976.

13. PRO-TEC. Projetista de máquinas. São Paulo, 1976.

14. SOLIDWORKS. Solidworks training manual: parts, assemblies and drawings. 1999.

15. DIN. DIN 13.

127