You are on page 1of 112

CADERNO DE ATIVIDADES

Fátima Cerqueira Magro Fernando Fidalgo Pedro Louçano

MATEMÁTICA 7º . ANO

NOVA O Ã Ç I D E

De acordo com Metas Curriculares

e Novo Programa de 2013

ÍNDICE

UNIDADE 1

Atividades

Página

Números
Resumir Praticar
1. Multiplicação e divisão de números racionais relativos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 16, 19, 20, 21 2. Propriedades da adição e multiplicação de números racionais relativos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 3. Potências de base racional e expoente natural 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 20 4. Quadrados perfeitos e raiz quadrada 22, 23, 24, 25, 26, 28, 29, 31, 33, 35 5. Cubos perfeitos e raiz cúbica 22, 23, 24, 26, 32, 34 4 8

Testar

14

UNIDADE 2

Funções
Resumir Praticar
1. Referencial cartesiano 2.1 Correspondências e funções 2.2 Modos de representar correspondências 2.3 Análise de algumas correspondências 3. Funções 4. Operações com funções 5. Função afim 6. Proporcionalidade direta como função 7. Interpretação de gráficos 1 1, 8, 9, 25 1, 7, 31 2, 3, 15, 17, 18, 19 4 5, 14, 20, 25, 30 6, 7, 9, 11, 13, 21, 29, 30, 31, 33 10, 13, 16, 21, 22, 26, 27, 28 34 16 18

Testar

UNIDADE 3

Sequências e regularidades
Resumir Praticar
1. Sequências 1.1 Gráfico de uma sequência numérica 2. Sucessões 1, 2, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 12, 13 3, 4, 8 44 36 38

Testar

UNIDADE 4

Figuras geométricas
Resumir Praticar
1. Demonstrações 2. Linha poligonal e polígono 3. Ângulos internos e externos de um polígono 4.1 Algumas propriedades dos paralelogramos 4.2 Áreas de alguns quadriláteros 19, 30, 32 1, 2, 3 6, 11, 13, 17, 21, 22, 26, 28 4, 5, 8, 9, 10, 11, 12, 14, 15, 16, 18, 20, 23, 30 26, 27, 29, 32 58 46 48

Testar

16. 35. 38 102 104 106 108 110 Testar Provas globais Prova global 1 Prova global 2 Prova global 3 Soluções disponíveis em: www.1 Média e moda 1. 24. 25. 23. 31. Figuras semelhantes 7.pt . Classificação de equações 19. 34 2. 33 8. 14. 28. Equações equivalentes 19 4. 7 2. 22. 4. 3. 13. 4. 21. 3. Homotetias 12. 18 20. 29. 12. 20. 13 2. Decomposição de um triângulo 5. 33. 32. 8. 21. 16. 12. 7. 7.pi7. 21 22.2 Mediana 3. 15. 31. 6. 23. 14. 22. Incomensuráveis 15. 18. 9. 30. 31. 14. 38 8. 19. 5. 36. 12. 24. 9. 5. Equações lineares a uma incógnita 2. Segmentos de reta comensuráveis 3. 6. 18. 17. 32. 32 72 74 Testar 84 UNIDADE 7 Figuras semelhantes Resumir Praticar 1. Princípios de equivalência de equações 2. 4. Perímetros e áreas de figuras semelhantes 13. 19. 11.asa. 23. 3. 10. 29 30. 20. 4. 26 6. 15. Como dividir um segmento de reta? 11. 17. 30. 10. 26. 37 12. 7. 34. 26. 9. 15. 10. Semelhança de polígonos 9. 6. Resolução de problemas com equações 5. 28 22 4. Semelhança de triângulos 1 (Testar) 86 88 8. 28. Círculos semelhantes 10. 37. Comparação entre segmentos de reta 2. 24. 12. 27. 4. 11. 21. 22 3. 15. Noção de equação 6. 27. 20. 7. 27. Adição de termos semelhantes 25 5. Segmentos de reta proporcionais 4. 29. 9. Teorema de Tales 6. 13. 6.UNIDADE 5 Atividades Página Tratamento de dados Resumir Praticar 1. 13. 29. 27. 19. 25. Determinação de distâncias aplicando semelhanças 14. 11. 25. 12. 16. 11 70 60 62 Testar UNIDADE 6 Equações Resumir Praticar 1. 31. 6 (Testar) 1. 33 7. 9. Raiz ou solução de uma equação 1. 20. 26. 10. 11. 17. 8. 8. 3.

Exemplo: 2 2 ¥ (–5) = – 3 3 ( ) ¥5=– ( ) 2 ¥5 3 O produto de dois quaisquer números racionais é o número racional cujo valor absoluto é igual ao produto dos valores absolutos dos fatores. ou seja.Unidade 1 Números Resumir Multiplicação e divisão de números racionais relativos Para multiplicar números racionais positivos representados por frações. sendo o sinal deste produto positivo se os fatores tiverem o mesmo sinal e negativo no caso contrário. multiplicam-se os numeradores e os denominadores das frações. –(q + r) = (–q) + (–r). Exemplo: – ( ) ( ) 2 2 +3 = – 5 5 + (–3) O simétrico da diferença entre dois números racionais é igual à soma dos simétricos. Exemplos: 2 1 1. –(q – r) = (–q) + r. basta multiplicar o dividendo pelo inverso do divisor. Exemplo: 3 2 3 11 3 ¥ 11 33 : = ¥ = = 7 11 7 2 7 ¥ 2 14 Operações com números racionais relativos O simétrico da soma de dois números racionais é igual à soma dos simétricos. n ¥ (–q) = (–q) ¥ n = –(n ¥ q). Exemplo: – 4– ( ) 7 5 = (–4) + 7 5 Para quaisquer números racionais q e n. para quaisquer q e r números racionais. Exemplo: 2 11 2 ¥ 11 22 ¥ = = 5 3 5 ¥ 3 15 Para dividir números racionais representados por frações. 5 ¥ – ( ) 2 7 =– 10 7 . ou seja. para quaisquer q e r números racionais. – ¥ – 3 5 4 ( ) = 2 15 2.

Exemplos: 1. 0 : 1.8 = 0 3. –11 : 11 2 = – 11 ¥ = –2 2 11 ( ) O quociente entre zero e um qualquer número racional diferente de zero. r –r r –8 8 8 = =– 5 –5 5 O quociente entre um número racional e um número racional diferente de zero é o número racional cujo valor absoluto é igual ao quociente entre os valores absolutos. sendo o sinal desse quociente positivo se os números tiverem o mesmo sinal e negativo no caso contrário. Exemplo: –q q q = =– . Exemplos: 1 1 1 5 1. é igual a zero. b e c: a + (b + c) = (a + b) + c 2 2 – ) (3 5 Exemplo: 2 1 1 2 + = + – + 5 5 5 3 ( 7 ) = 15 Existência de elemento neutro Sendo a um qualquer número racional: a+0=0+a=a Exemplo: 11 11 11 +0=0+ = 5 5 5 5 . : = ¥5= 3 5 3 3 () 2. 0 : – ( ) 6 7 =0 Quadro-resumo Multiplicação (+) × (+) = (+) (+) × (–) = (–) (–) × (+) = (–) (–) × (–) = (+) (+) : (+) = (+) (+) : (–) = (–) (–) : (+) = (–) (–) : (–) = (+) Divisão 0 : (+) = 0 0 : (–) = 0 (–) : 0 é impossível (+) : 0 é impossível Propriedades da adição e da multiplicação de números racionais Para quaisquer números racionais a e b: a+b=b+a Exemplo: 2 3+ – 5 2 15 13 +3=– + = ( ) = (– 2 5 5 5 5) Propriedade comutativa Propriedades da adição Propriedade associativa Para quaisquer números racionais a. 0 : 5 =0 3 4.Para quaisquer números racionais q e r. 0 : (–3) = 0 2.

b e c: a ¥ (b + c) = a ¥ b + a ¥ c 1 3 7 + = ¥ 2 2 5 3 7 = + = 4 10 ( ) 1 3 1 7 ¥ + ¥ = 2 2 2 5 15 14 29 + = 20 20 20 Exemplo: Propriedade distributiva em relação à subtração Para quaisquer números racionais a. a ≠ 0 • an : bn = (a : b)n. • an ¥ am = an + m • an ¥ bn = (a ¥ b)n n m n – m •a :a =a . b ≠ 0 Quadro-resumo: positiva (+) base negativa (–) par ímpar Expoente sinal da potência par ímpar + + + – 6 . n > m. o seu 1 inverso é igual a a 2 2 é1: – 7 7 7 7 ( 2 )=– 2 Exemplo: Propriedade distributiva em relação à adição Para quaisquer números racionais a. b e c: a ¥ (b – c) = a ¥ b – a ¥ c 1 1 3 1 3 7 7 – = ¥ + ¥ – ¥ 2 2 2 2 2 5 5 3 7 15 14 1 = – = – = 4 10 20 20 20 ( ) ( )= Potências Sejam a e b números racionais e m e n números naturais. b e c: a ¥ (b ¥ c) = (a ¥ b) ¥ c Sendo a um qualquer número racional: a¥1=1¥a=a Sendo a um qualquer número racional: a¥0=0¥a=a Exemplo: Propriedade comutativa (– 3 7) ( 2 –3 ¥ 7 2 2 3 ¥ = ¥ – 5 5 7 Exemplo: 6 ( ) = – 35 Propriedade associativa ) 4 2 4 ¥ = –3 ¥ ¥ 5 7 5 Exemplo: 2 2 2 ¥1=1¥ = 5 5 5 Exemplo: ( ) = – 24 35 Existência de elemento neutro Existência de elemento absorvente Propriedades da multiplicação Existência de elemento inverso 3 3 – ¥0=0¥ – 7 7 Exemplo: O inverso de – =1¥ – ( )=0 ( )= Sendo a ≠ 0 um qualquer número racional.Unidade 1 Números Resumir Para quaisquer números racionais a e b: a¥b=b¥a Para quaisquer números racionais a.

16 1 42 12 (4 ¥ 1)2 42 ¥ = ¥ = = 9 4 32 22 (3 ¥ 2)2 62 2. 3√∫–∫q = –3√∫q. Exemplo: 3√∫6∫4 = 4.Quadrados perfeitos e raízes quadradas Chama-se quadrado perfeito a um número que é quadrado de um número inteiro positivo. m ¥ n e . m ¥ n e . Exemplos: 1. 1 8 1 27 13 33 (1 ¥ 3)3 33 : = ¥ = ¥ = = 343 27 343 8 73 23 (7 ¥ 2)3 143 • Sejam q e r dois quocientes ou simétricos de quocientes de cubos perfeitos. √∫ q r √∫r 3 3 √∫64 = √∫6∫4 27 3 √∫2∫7 3 • Sejam q e r dois quocientes ou simétricos de quocientes de cubos. Exemplo: 25 é um quadrado perfeito porque 25 = 52. 16 1 42 12 42 22 (4 ¥ 2)2 82 : = : = ¥ = = 9 4 32 22 32 12 (3 ¥ 1)2 32 • Sejam q e r dois números racionais positivos. Então. Exemplo: 27 é um cubo perfeito porque 27 = 33. também são n quocientes de cubos perfeitos. Exemplo: 3√∫–∫8 = –3√∫8 7 . Exemplo: √∫q = . também são quocientes de quadran dos perfeitos. Então. 8 1 23 13 (2 ¥ 1)3 23 ¥ = 3¥ 3= = 27 125 3 5 (3 ¥ 5)3 153 2. Então. √∫ q r √∫r √∫49 = √∫4∫9 25 √∫2∫5 Cubos perfeitos e raízes cúbicas Chama-se cubo perfeito a um número que é cubo de um número inteiro positivo. 3√∫q∫ ∫¥∫ r ∫ = 3√∫q ¥ 3√∫r. Então. Exemplo: √∫3∫6 = √∫4∫ ¥ ∫ ∫ ∫9 = √∫4 ¥ √∫9 • Sejam q e r dois números racionais positivos com r ≠ 0. m • Sejam m e n quocientes(ou simétricos de quocientes) de cubos perfeitos. Exemplo: √∫6∫4 = 8. √∫q∫ ∫¥∫ r ∫ = √∫q ¥ √∫r. porque 43 = 64. A raiz cúbica de um número a é um número b tal que b3 = b ¥ b ¥ b = a e representa-se por 3√∫a. n ≠ 0. n ≠ 0. Então. Então. 3 Exemplo: 3 √∫q = . m • Sejam m e n quocientes de quadrados perfeitos. para r ≠ 0. A raiz quadrada de um número a (não negativo) é um número b (não negativo) tal que b2 = b ¥ b = a e representa-se por √∫a ou 2 √∫a. Exemplo: 3√∫8∫ ∫¥∫ 2 ∫ ∫7 = 3√∫8 ¥ 3√∫2∫7 • Sejam q e r dois quocientes ou simétricos de quocientes de cubos perfeitos. porque 82 = 64. Exemplos: 1. Então.

8 2.6 2.3 –4 2 1 3 +8 –0.3 = ___________________ = ______________________ 3 8 – = _________ 5 10 – – ) _________________________________ 3 __________________________________________ Completa o esquema sabendo que em cada retângulo se escreve o produto dos dois números que estão imediatamente por baixo dele.2 – 5 4 = _________________ = _________________ 2.10 20 3 ¥ – = _______________ 7 9 5 + 2 ¥ (–0.3 2.2 2. 2. Igualdade Propriedade (–7) ¥ – 2 9 ¥ 7 5 5 5 = ¥ (–7) 2 2 2 7 ¥ 9 ¥ (–3) 5 (–2) ¥ – 8 ( ) ( )( ( ( )) ( ) ¥ (–3) = – 4 6 + – 5 11 = (–2) ¥ – 4 5 + (–2) ¥ – ) ( ) 6 11 .7) = ____________ 7 + –7 + 4 3 ) = _______ ( )( ) ( )( ) ( )( ) ( ) ( )( – 5 3 ¥ – 3 4 + – 6 3 ¥ – 8 7 5 2 2 3 ¥ + (+5) ¥ +4 – 2 (–2) ¥ – 1 5 5 3 + 2 4 = _________________________ = _________________________ ¥ 0. –0.5 2.9 (–3) ¥ + (+2) ¥ + – – ( ) ( ) ( )( ) ( ) ( ) ( 4 5 7 2 –0.7 0 –12 0 2 Calcula o valor de cada uma das seguintes expressões numéricas. identificando a propriedade da multiplicação que permite escrever cada uma das igualdades.4 2.1 2. × + 4 3 +2 –2 –2 3 5 –1 : +4 + 8 5 +2 –0.6 –2 –1 –2 1 3 4 Completa a tabela.Unidade 1 Números Praticar 1 Completa as duas tabelas seguintes.7 2.

2 9. Uma potência de base negativa e expoente _________________________ é um número positivo. 9 . a propriedade distributiva da multiplicação.2 – ¥ – + 6 7 2 ( ) 3 5 3 7 5. em cada caso. Uma potência de base negativa e expoente _________________________ é um número negativo.4 – 3 2 2 ¥ –22 – 5 7 + (–1)7 + 7 2 ) 6 Completa os espaços com um número inteiro de forma a tornar verdadeiras as igualdades.1 9. 9. Um número que é quadrado de um número inteiro diz-se um _________________________.3 9.6 – 15 : _____ = +15 3 ( ) ( ) 30 = +1 7 _____ : – ( 1 3 – 6 5 ) = –2 15 + 3 ¥ _____ = –36 2 _____ : (–14 ¥ (–1)) = –3 7 Completa a tabela. Um número que é cubo de um número inteiro positivo diz-se um _________________________.2 6. indicando.6 Uma potência de base positiva é sempre um número _________________________.1 2 3 ¥ – +5 3 5 ( ) 8 5 5.3 6.4 9.5) × (–1)200 2 (–2)2 –16 : (–4) × – l l l l l l l l (–3)2 – (22 × 3) – 22 5 16 5 2 –16 × (–1) – 13 ( ) 1 5 ( ) ( ) – : – 8 5 2 9 Completa cada uma das seguintes frases de modo a obteres afirmações verdadeiras.5 Calcula o valor de cada uma das seguintes expressões numéricas.1 6. utilizando.5 –3 ¥ _____ = – _____ : – – 9 7 6. sempre que possível. utiliza os termos: ímpar/positivo/quadrado perfeito/par/ cubo perfeito/zero. Uma potência de base zero e expoente diferente de zero é sempre _________________________.5 c ¥ b ¥ (–4) = a : c = –2b (a : b) ¥ c = – 3 2 30 7 8 Faz corresponder cada expressão da coluna da esquerda a uma expressão da coluna da direita.3 – – + + (–4) ¥ – – 2 3 5 3 ( ) ( ) ( ) ( 5. Para isso. os valores de a. a b c Expressão a ¥ b = 1. 6. b e c que tornam as igualdades verdadeiras.5 9.4 6. de modo que cada uma das expressões fique associada a outra com o mesmo valor. (–2)2 + (–1)5 9 : (–1. 5.

4 > – 1 2 [B] (–1)207 = –207 [C] –120 = +1 [D] (–7)4 = –74 16 Escreve em linguagem matemática e calcula: 16. [B] sempre negativa. 25 11 Escreve 64 como uma potência de base 2. Explica como procedeste. [D] negativa se o expoente for um número par. 14 Considera as potências ax e ay. 12 Uma potência de expoente ímpar e base positiva é sempre: (Escolhe a opção correta. 4 16.) a [A] a3 [B] a [C] 1 [D] 0 15 Qual das afirmações seguintes é verdadeira? [A] –1. 7 16.Unidade 1 Números Praticar 10 Escreve 64 como uma potência de expoente 2.3 o triplo do quadrado de – 16. então y é igual a: (Escolhe a opção correta. 2 16.) [A] sempre positiva. [C] positiva se o expoente for um número par. 5 4 5 .2 o produto da soma de + 3 5 com – pelo triplo de –7. sendo a um número inteiro positivo. 5 2 5 com o dobro do seu simétrico.5 o quadrado da soma de – 10 .1 a soma de –2 com o dobro de – 3 . ax Se x – y = 3 .) [A] negativa [B] positiva [C] maior do que 1 [D] menor do que 1 13 Uma potência de base negativa é: (Escolhe a opção correta. de expoente inteiro. Explica como procedeste.4 a soma do cubo de – 1 7 com o quadrado de + .

–2 e +2. –1.1 20.3 x+y+w x¥y+w x2 –(y – w)2 21 Dentro de um saco estão quatro cartões de igual textura e formato.17 A expressão – [A] – 3 2 2 ( ) ( ) ( ) 3 4 – 2 5 4 5 2 2 é igual a: (Escolhe a opção correta. o Pedro tinha mais hipóteses de obter um produto positivo do que um produto negativo. Obteve –5.1 Sem olhar.5 2 2 [C] – 23 10 [D] + 23 10 18 Utiliza um dos símbolos >.y=– – – 3 2 5 3 das seguintes expressões. Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 20 Sabendo que x = – – 2 5 22 2 + .2 Calcula cada um dos números referidos na alínea anterior no caso de a = 3.1 18. Em cada um deles está escrito um dos números +1. e somou os números neles escritos. 21. < ou = para completar os espaços. ( ) ( ) 2 e w = –3 ¥ – ( 1 5 – . na experiência descrita na alínea anterior.2 21. 19.1 Mostra que o simétrico de a – 1 é 1 – a.4 ( ) – 2 3 3 _____ – ( ) 2 3 2 1. um de cada saco.) [B] – – – ( ) ( ) 3 2 + – 4 5 18. o Pedro retirou dois cartões. e multiplicou os números neles escritos. 18. um de cada saco. 19. a Ana retirou dois cartões. Que números estavam escritos nos cartões? Da mesma forma. determina o valor de cada uma 5 2 ) 20.2 20. Qual o valor máximo que o Pedro pode ter obtido? Explica o teu raciocínio. 21. A Carlota afirmou que.3 11 .3 18. mas todos com o número –3 escrito.5 _____ – ( ) 3 5 5 18.6 030 _____ – ( ) 7 2 301 (–1)4002 _____ (+1)25 –33 _____ (–3)3 –34 _____ (–3)4 19 Considera um número racional a.2 18. tornando as afirmações verdadeiras. Num outro saco estão também quatro cartões de igual textura e formato. Concordas com a Carlota? Explica o teu ponto de vista.

Escolhe a opção correta. apresentando. 25 [B] As afirmações C e D são verdadeiras. 36 é um quadrado perfeito. 9 é um cubo perfeito. D. Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 28 Calcula o valor exato de cada uma das seguintes expressões numéricas. 28.5 ( ) (√∫3)2 + 3√∫6∫4 – (3√∫5)3 (√∫8∫1) ¥ (–√∫∫1∫0∫0 – 3√∫1∫2∫5) –3 + √∫3∫6 : 3√∫2∫7 + (–5) ¥ 3 √∫ 3 24 12 .) [A] 250 cm3 [B] 1000 cm3 [C] 10 cm3 [D] 20 cm3 27 Dado um número racional q. [A] As afirmações A e B são verdadeiras.) [A] 6 cm [B] 9 cm [C] 24 cm [D] 36 cm 26 Qual é o volume de um cubo cuja aresta tem o dobro do comprimento da aresta de um cubo com 125 cm3 de volume? (Escolhe a opção correta. A raiz cúbica de 64 é 4. C. a √∫a 3 √∫a (√∫a)2 (3√∫a)3 64 3 5 24 Considera as seguintes afirmações. 22.4 28.2 22.2 28. 3 √∫8 = 3 porque 33 = _____ .1 22. sempre que necessário.3 23 √∫8∫1 = _____ porque 92 = _____ .Unidade 1 Números Praticar 22 Completa os espaços em branco. Qual é o perímetro de um quadrado com 36 cm2 de área? (Escolhe a opção correta.3 28. A. os valores arredondados às décimas.1 [( ) ( )] – 3 5 ¥ 2 3 2 4 ¥ –3 + 7 5 : 7 –4 28. = _____ porque _____3 = _____ Completa a tabela. 3 √∫_∫_∫_∫_∫_ 22. mostra que 5 ¥ (–q) = –(5 ¥ q). [C] As afirmações A e D são verdadeiras. [D] Nenhuma das opções anteriores.4 √∫_∫_∫_∫_∫_ = 7 porque 72 = _____ . B. A raiz quadrada de cinco é vinte e cinco.

determina o valor de √∫ .1 Determina o comprimento do lado do quadrado maior. indica outros quatro números cuja raiz cúbica também seja maior que 3 e menor que 4. 35.2 Determina a área do quadrado do lado [BD]. 30 Sabe-se que 3 < 3√∫62 ∫ < 4. D C B A 35. tal como ilustra a figura. q ≠ 0. Na perfumaria. 31 Sabendo que √∫p 25 = . Sabe-se que o quadrado menor tem 121 cm2 de área e que o quadrado maior tem 144 cm2. √∫ p q √∫q 36 32 Mostra que se p e q são cubos perfeitos não nulos. Sem utilizar a calculadora.2 Que relação existe entre o quadrado de 34 A Joana comprou um perfume para oferecer ao João Nuno no dia dos namorados. Explica como procedeste. determina o comprimento total da fita utilizada no embrulho. 7 () 5 7 2 . Sabe-se ainda que C–B = B–A. 13 . então p também é um cubo perfeito. 5 e o quadrado do seu simétrico? 7 33. Explica o teu raciocínio. Explica o teu raciocínio. Apresenta o resultado sob a forma de fração. q 33 Considera o número racional 33.1 Calcula 5 . 35 Na figura ao lado estão representados três quadrados. para embrulhar o perfume.29 Indica dois quadrados perfeitos cuja soma seja um quadrado perfeito e dois cuja soma não seja um quadrado perfeito. Sabendo que a caixa utilizada tem 2197 cm3 de volume. e que para fazer o laço foram utilizados 30 cm. utilizaram uma caixa com a forma de um cubo.

determina o perímetro da figura.1 2 3 5 [ ( )] ( 1 2 3 ) 3. Potência Sinal (–9)2 ( ) + 27 9 24 (–35)457 (+2. 7 5 6 (–3)2 ¥ – ¥ – + 3.4 √∫( ∫ )∫ (∫ ∫ ) ∫ √∫∫ ∫ (∫ √∫∫ ) – 3 2 ¥ – 2 3 27 – 64 3 3 2 3 4 Observa a figura. 14 . apresentando um contraexemplo. Sabendo que cada um deles tem 36 mm2 de área.2 [ ( –5 ¥ –2 + )] ( ) : – 5 2 3.3 0456 + (–1)789 ¥ – 3 ( √∫ ) + 3 125 32 + (+1)178 ¥ – + √∫3∫6 27 4 ( ) 3.Unidade 1 Números Testar 1 “O produto de dois números inteiros é sempre um número inteiro positivo. completa a tabela indicando o sinal de cada uma das potências. a figura pode ser decomposta em 6 quadrados.” Prova que a afirmação anterior é falsa. Como podes observar.4)223 3 Determina o valor de cada uma das seguintes expressões. 2 Sem efetuar cálculos.

determina U–T. e um quadrado. R S U T O polígono anterior pode ser decomposto em dois triângulos geometricamente iguais.5 Seja p um número racional. utilizando a definição de produto de dois números racionais. tal como mostra a figura seguinte. 4 5 igual a – ¥ . 6 Escreve √∫ 25 na forma de dízima. 3 4 7 Calcula. Mostra que 2 ¥ (–p) = –(2 ¥ p). [RR’S’S]. 3 7 ( ) ()( ) 4 3 ¥ – 5 7 e verifica que é Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 8 Observa o polígono [RSTU ]. [RR’U ] e [SS’T ]. 15 . R R S S U R’ R’ S’ S’ T Sabendo que U–R’ = 4 cm e que a área do quadrado [RR’S’S] é igual a 16 cm2.

quadrante Eixo das ordenadas o 1. y) abcissa ordenada Coordenadas cartesianas Funções Uma função é uma correspondência entre dois conjuntos. a função fará corresponder um e um só elemento do conjunto de chegada: a imagem desse objeto. O conjunto das imagens chama-se contradomínio da função. o conjunto de partida designa-se por domínio da função e representa-se por D. Numa correspondência que é função. e representa-se por C. gráficos cartesianos ou expressões analíticas: f(x) = 2x Número de pernas Altura Elefante Gato Aranha Polvo Homem Veículo 4 8 2 Tempo Número de rodas 2 3 4 Bicicleta Triciclo Automóvel 16 . ou D’. A cada objeto. quadrante A origem do referencial tem coordenadas (0. o 4. o conjunto de partida e o conjunto de chegada. a cada elemento do conjunto de partida corresponde um e um só elemento do conjunto de chegada.Unidade 2 Funções Resumir Referencial cartesiano Um referencial cartesiano é composto por dois eixos habitualmente perpendiculares entre si.D. tabelas. cada um deles com uma orientação indicada por uma seta representada numa extremidade e por uma graduação. Este é formado por uma abcissa e por uma ordenada. Os elementos deste conjunto chamam-se objetos ou originais. Numa função. Cada ponto do gráfico fica definido por um par ordenado (coordenadas cartesianas). 0). habitualmente igual em ambos. x. Para representar uma função podem utilizar-se diagramas sagitais. A imagem de x representa-se por f(x). quadrante Origem do referencial x Eixo das abcissas o quadrante 3. (x. y o 2.

a uma função linear de coeficiente a = f(1). à soma e à diferença dos coeficientes das funções dadas. para todo o racional x. a soma e a diferença de funções afins são funções afins de coeficientes da variável e termos independentes respetivamente iguais ao produto pela constante. (a – b)(x) = a(x) – b(x) • O produto de funções numéricas com o mesmo domínio é uma função de mesmo domínio tal que a imagem de cada x ∈A é o produto das imagens. for constante e y3 não nula. Uma função numérica de variável numérica para a qual existe um número racional a tal que f(x) = ax. todos os pontos estão sobre uma reta que passa pela origem do referencial. Uma função afim é a soma de uma função linear com uma função constante. (a + b)(x) = a(x) + b(x) • A diferença entre funções numéricas com o mesmo domínio é uma função com o mesmo domínio tal que a imagem de cada x ∈A é a diferença das imagens. y1 f(x) k ¥ x Para x não nulo.Uma dada função f: A → B diz-se uma função numérica quando B é um conjunto de números e uma função de variável numérica quando A é um conjunto de números. Ao valor dessa razão dá-se o nome de constante de proporcionay1 = kx1 lidade direta. f(x) = ax + b diz-se a forma canónica da função afim. à soma e à diferença dos coeficientes das funções dadas. com x ∈A e y = f(x). designa-se por variável dependente. x x x1 x2 x3 x Uma função f de proporcionalidade direta é igual. O produto de uma função linear por uma função constante é uma função linear cujo coeficiente é igual ao produto pela constante do coeficiente da função linear. x designa-se por variável independente e y. onde a é o coeficiente da função linear e b o valor da constante. = = k diz-se a constante de proporcionalidade direta. 17 . Operações com funções • A soma de funções numéricas com o mesmo domínio é uma função com o mesmo domínio tal que a imagem de cada x ∈A é a soma das imagens. O gráfico de uma função f: A → B é o conjunto dos pares ordenados (x. diz-se uma função constante. y2 = kx2 y2 Qualquer função com uma expressão algébrica do tipo y = k ¥ x ou. O produto por uma função constante. tomados pela mesma ordem. (a ¥ b)(x) = a(x) ¥ b(x) Função afim Uma função numérica de variável numérica para a qual existe um número racional b tal que f(x) = b. para todo o racional x. diz-se uma função de proporcionalidade direta. f(x) = k ¥ x. A soma e a diferença de funções lineares são funções lineares de coeficientes iguais. f(x) = ax diz-se a forma canónica da função linear e a diz-se o coeficiente da função. k ≠ 0. diz-se uma função linear. de forma y3 = kx3 equivalente. respetivamente. no seu domínio. Proporcionalidade direta As grandezas X e Y são diretamente proporcionais se a razão entre os valoy res correspondentes das duas. porque depende de x. y). Num gráfico de proporcionalidade direta. a diz-se o coeficiente de x e b o termo independente.

Unidade 2 Funções Praticar 1 Indica quais das seguintes correspondências são funções. Correspondência 1 A 0 1 2 y 1 1 2 4 3 2 1 1 – 2 –1 1 2 B –2 –1 0 1 2 Justificação É função Não é função Correspondência 2 Justificação É função 3 4x Não é função Correspondência 3 x –2 –2 –2 –2 y y 4 0 1 35 É função Não é função Justificação Correspondência 4 Justificação É função x Não é função Correspondência 5 C 3 7 9 E –2 4 5 8 D –2 4 5 8 F 3 Justificação É função Não é função Correspondência 6 Justificação É função 7 9 Não é função Correspondência 7 y Justificação É função x Não é função 18 . Justifica a tua resposta.

a função i: A → B é definida pela expressão i(x) = 3x. –1. 0. Identifica o domínio. 1. o conjunto de chegada e o gráfico de f. 4 Considera os seguintes referenciais cartesianos. x f(x) g(x) (f + g)x) 1 2 3 4 19 . por forma a obteres igualdades verdadeiras. 3. 2} e B = {–6. 4. os gráficos das funções f e g. A a b c f B 3 1 4 7 Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 3 Dados os conjuntos A = {–2. respetivamente. 3. 6}. y 4 3 2 1 0 x y 4 3 2 1 0 x 1 2 3 4 1 2 3 4 4. 0. onde se representaram.1 Determina o contradomínio de i. 3. (f + g)(2) = f(2) + g(__) = ___ + ___ = ___ 4.1 Indica o domínio de f e de g.2 Determina o gráfico de i.2 Identifica o contradomínio de cada uma das funções.4 Preenche a tabela e indica o contradomínio da função f + g. 4. –3. o contradomínio.3 Completa com números.2 Considera a função f: A → B definida pelo diagrama ao lado.

y 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 f g h i j 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 x 6 Comenta cada uma das afirmações seguintes.Unidade 2 Funções Praticar 4. O comprimento de um lado de um triângulo equilátero é diretamente proporcional ao seu perímetro. A. O comprimento do raio de um círculo é diretamente proporcional à sua área.6 Identifica o domínio e determina o contradomínio de cada uma das seguintes funções.5 Representa num referencial cartesiano o gráfico da função f + g. B. C. a) f – g b) f ¥ g c) f 2 Adaptado de Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 5 Quais dos seguintes gráficos representam uma função linear? Justifica a tua resposta. 20 . 4. O comprimento do raio de um círculo é diretamente proporcional ao seu perímetro.

r.2 a área do quadrado. durante três dias. 8. Sendo x o preço do artigo sem desconto e f(x) o preço do artigo com desconto. A. O número P de horas que falta para terminar o workshop é dado pela fórmula P(n) = 50 – 5n.3 8. l.1 7.4 8. A. 21 . 7.3 Quantas sessões terá o workshop? Se já se tivessem realizado quatro sessões.7 A Matilde inscreveu-se num workshop de dança.1 Qual é o valor do desconto de um frigorífico que custava 650 €? 8.2 7. Este workshop de 50 h decorre às terças-feiras e cada sessão tem uma duração de 5 horas. 8. 9 Indica uma expressão algébrica que defina: 9. Assim.2 Sendo x o preço do artigo sem desconto e g(x) o valor do desconto. sendo n o número de sessões já realizadas. quantas horas faltariam para terminar o workshop? Quantas sessões é que já se teriam realizado se apenas faltassem 10 horas para terminar o workshop? 8 Uma loja de eletrodomésticos está em liquidação de stock.5 Determina o preço final a pagar por um MP3 cujo preço de venda inicial é 180 €. todos os artigos expostos têm um desconto de 70%. em função do comprimento do seu lado. Justifica que as funções f e g são funções de proporcionalidade direta e indica as respetivas constantes de proporcionalidade. escreve uma expressão algébrica para a função f.1 9. em função do comprimento do seu raio. a área do círculo. escreve uma expressão algébrica para a função g.

Fernando. 12 O Sr.60 1.15 €/kg 12. Fernando (em euros).) [A] Número de horas de estudo e nota obtida no exame. Peso (kg) Valor recebido (€) 0 2 0. Qual das seguintes interpretações pode resultar da observação do gráfico? [A] O Jorge ganha 20 € por cada hora de trabalho. y 8 7 6 5 4 3 2 1 0 10 20 30 40 50 60 70 80 x Adaptado de Texas Assessment of Knowledge and Skills (Primavera de 2006) 11 Quais das seguintes variáveis são diretamente proporcionais? (Escolhe a(s) opção(ões) correta(s). Fernando recebeu 30 €.1 A tabela seguinte relaciona a quantidade de batatas vendidas.3 Se alguém comprar três sacos de 20 kg. PREÇO ESPECIAL 0. são necessários 2 professores.Unidade 2 Funções Praticar 10 Observa o gráfico ao lado. [C] A altura de uma pessoa e o seu peso. 12. com a quantia recebida pelo Sr. o Sr. a Filipa paga 1 €. quanto terá que pagar? Apresenta todos os cálculos que efetuares. [D] O número de pães e o preço a pagar por eles. [B] O peso das laranjas e o preço a pagar por elas. em quilogramas. Quantos quilogramas de batatas vendeu? 22 .4 Na última venda que realizou. [B] Por cada 10 rebuçados. Escreve uma expressão algébrica de h. Fernando produz e vende batatas. em euros. [D] Um atleta corre a uma velocidade constante de 4 km por hora.2 Seja h a função que à quantidade de batatas vendidas (em quilogramas) associa o valor a receber pelo Sr. [C] Por cada 10 alunos presentes. 12. Completa-a.5 12.

Completa a tabela seguinte. em euros. I II III IV No gráfico ao lado. justificando. III e IV. Ponto Retângulo D Altura B C A Base A B C D 14 Os pais do Gonçalo foram passar uns dias a Évora e ficaram instalados num hotel mesmo no centro da cidade. por noite. cada ponto A. nesse hotel.1 45 € 90 € 135 € 180 € Desenha o gráfico da função representada pela tabela. [A] y = 45x [C] y = 90x [B] y = 5x [D] y = 1 x 2 23 . B. fazendo corresponder cada ponto a cada retângulo. Preço a pagar (€) 200 150 100 50 0 1 2 3 4 5 Números de noites 14. II.13 Considera os quatro retângulos seguintes. qual das seguintes expressões define a expressão analítica da função representada pela tabela. Número de noites (x) Preço a pagar.2 Indica. Na tabela que se segue estão registados os preços. a pagar. em euros (y) Évora 1 2 3 4 14. C e D é definido pela base e pela altura dos retângulos I.

desde o mês de janeiro (mês 0) até ao mês de junho (mês 5).4 + 3 M 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 o Adaptado de Prova de Aferição de Matemática. quantos centímetros cresceu o cabelo do Vítor? Assinala a expressão que representa o comprimento do cabelo do Vítor. o Vítor.4 2 5. 15. registando todos os meses a sua medida.4 C – Comprimento do cabelo (cm) O João foi cortar o cabelo no mesmo dia do Vítor. por h. decidiu estudar o crescimento do seu cabelo. do objeto 2? Qual é o objeto que. depois de ter vindo do barbeiro.3 15. supondo que cresce 1.2 Completa: a) h(3) = _______ b) h(_______) = 1 15. x h(x) 0 4 2 3 3 5 4 0 5 1 15. (M) – Mês (C) – Comprimento do cabelo Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho 0 1 4.4 M [C] C = 1. 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 janeiro 1 2 3 M – Mês 4 5 março maio fevereiro abril junho 16.2 16.3 Em cada mês. por h.1 Indica o domínio e o contradomínio de h.2 4 8. [A] C = 1.5 cm em cada mês. tem imagem 0? C – Comprimento do cabelo (cm) 16 Em janeiro. com apenas 2 cm. Constrói o gráfico que representa o crescimento do cabelo do João desde janeiro até maio. O gráfico seguinte representa o crescimento do cabelo do Vítor.1 Completa a tabela de acordo com os dados representados no gráfico.8 3 7. 3.6 5 16.4 M [B] C = 3 + 1. em cada um dos primeiros seis meses. mas o seu cabelo ficou mais curto. Ciclo.Unidade 2 Funções Praticar 15 Considera a função h.4 Qual é a imagem. representada pela tabela. 2004 [D] C = 3 M 16. 1 2 3 abril 4 maio janeiro fevereiro março (M) – Mês 24 .

(4. definida por g(x) = 2x – 1. 17. – { } e conjunto de chegada Q.17 Considera o gráfico de uma função g definido por Gg = {(1. Representa a função g por um diagrama de setas.4 Determina uma expressão algébrica que defina o valor de g(x) para qualquer x no domínio de g. supondo que o contradomínio coincide com o conjunto de chegada. 3). 17. 18 Considera a função g de domínio A = 18.1 17. 2 2 2 Determina o contradomínio de g. 0. (3.2 Identifica o domínio e o contradomínio de g. Representa por um diagrama de setas um possível exemplo de g. 6).1 1 3 . 11). 17. . 9).3 Supõe que o contradomínio de g não coincide com o conjunto de chegada. 25 . (2.2 Representa o gráfico da função f num referencial cartesiano. (5. 13)}. 18.

81 2. o comprimento da diagonal do ecrã de um televisor é indicado em polegadas.Unidade 2 Funções Praticar 19 Na figura está representado o gráfico de uma função g num referencial cartesiano.68 cm de diagonal.08 3. 19.3 20.2 Qual das quatro igualdades que se seguem permite calcular a diagonal do ecrã de um televisor.3 19.5 3 Centímetro g Dia on al 21. 20 Para cada uma das funções.2 Indica o domínio de g.5 2 Polegada 2. em centímetros (c).27 p [B] c = p [C] c = 2. dado o seu comprimento em polegadas (p)? 1 1 [A] c = 1. podes ver a relação aproximada existente entre esta unidade de comprimento e o centímetro. Qual dos dois comprou o televisor com maior diagonal? Explica o teu raciocínio.62 6.27 2.5 1 1.2 f(x) = 2 – (x + 1) + x g(x) = 1 – 3x + (4x – 2) – 1 h(x) = 2x – (3x – 1) + 3 2 20.89 7. 1. a Adaptado de Exame Nacional de Matemática do Ensino Básico. chamada. A Marta também comprou um.” 1 2 3 4 5 Indica se é verdadeira ou falsa afirmação: “2 é a imagem de um único objeto”.4 i(x) = 2x2 – (2x2 + 1) – x 21 Por vezes.1 20. linear ou constante. Completa as igualdades: a) g(3) = ____ 19.27 0 0 0.1 19. 2007 26 .4 b) g(__) = 4 y 4 3 2 1 0 x Completa com um número de forma a obteres uma afirmação verdadeira: “____________ é o objeto cuja imagem é 0. No gráfico que se segue. definidas em cada uma das seguintes alíneas. 8.35 5. apresentando a respetiva forma canónica. mas com 40 polegadas de diagonal.54 1.1 21. 20.54 O Gonçalo comprou um televisor com 106. indica se se trata de uma função afim.54 p [D] c = p 1. de Q em Q.

quantos livros foram vendidos nesse ano? 22.1 22. Marques estuda as vendas do ano anterior e regista a informação que obtém através de um gráfico. que terminou com a tendência de descida que se observava há alguns meses.6 23 No seu telemóvel. Marques é alfarrabista. 24 Na bilheteira de um circo. No final de cada ano. Ajuda o Marco. para quem quiser. por minuto. que será afixada na bilheteira do circo.3 A Eliana comprou cinco bilhetes. Em que mês isso aconteceu? No total. Explica o teu raciocínio. Não sabe se deve aderir a uma promoção em que. pode ligar.4 22. em substituição do cartaz informativo. o Marco tem atualmente um tarifário em que cada chamada custa 0. sem restrições de tempo. 22.18 €. independente da rede para que ligue.5 Em que mês foram vendidos mais livros? Em que mês foram vendidos menos livros? Quantos livros foram vendidos em outubro? 3000 2500 2000 1500 1000 500 0 Em dois dos meses foram vendidos o mesmo número de livros. estava afixado o seguinte cartaz informativo: 24.2 22. O Marco está em dúvida. em vez da habitual tabela de preços. Número de bilhetes comprados (n) Preço a pagar (P) 1 2 3 4 … n 27 … Ja Fe nei ve ro re M iro ar ço Ab r M il a Ju i o nh Ju o A lho Se gos te to m Ou bro No tub v ro De emb ze ro m br o Meses do Ano .2 24. o Sr.Número de livros vendidos 22 O Sr. Quanto pagou? A Sofia pagou 9 €.1 24. pagando 50 € mensais. Quais foram esses meses? A determinada altura houve um grande crescimento nas vendas. Quantos bilhetes comprou? Completa a seguinte tabela. determinando o número de minutos de conversação a partir do qual o seu tarifário atual deixa de ser vantajoso. O gráfico ao lado é referente às vendas do ano passado.3 22.

por unidade de tempo. até o recipiente ficar cheio.Unidade 2 Funções Praticar 25 Representa graficamente cada uma das funções f e g definidas por: 25. com o tempo que decorre desde o início do seu enchimento? Explica. é constante. Qual dos seguintes gráficos poderá traduzir a variação da altura da água.1 f(x) = 3x 25. altura Gráfico A Altura Gráfico B Altura Gráfico C Altura Gráfico D Altura Tempo Tempo Tempo Tempo o Exame Nacional de Matemática. inicialmente vazio. numa pequena composição.2 g(x) = x + 1 26 Imagina que um recipiente com a forma da pirâmide. 2007 28 . 3. se vai encher com água. Ciclo. no recipiente. A quantidade de água que sai da torneira. a razão por que não escolheste nenhum dos outros três gráficos.

foi necessário encher. [D] A Teresa aumentou exatamente 20 kg. o Adaptado de Prova de Aferição de Matemática. indica o gráfico que pode representar a variação da altura da água em função do tempo decorrido desde o instante em que se abriu a torneira. entre os 5 e os 10 anos de idade.27 Na realização de uma determinada experiência. com água. [C] A Teresa aumentou mais do que 15 kg e menos do que 20 kg. 0 0 5 10 Idade (anos) 15 20 [A] A Teresa aumentou mais do que 10 kg e menos do que 15 kg. 3. três recipientes de diferentes formas. Todos os recipientes se encontravam completamente vazios e. 2003 29 . utilizou-se uma torneira que debitava água de forma constante. Os seguintes gráficos permitem calcular a evolução dos pesos de ambos. para os encher. [A] Recipiente 1 Altura [B] Altura [C] Altura Tempo Tempo Tempo [A] Recipiente 2 Altura [B] Altura [C] Altura Tempo Tempo Tempo [A] Recipiente 3 Altura [B] Altura [C] Altura Tempo Tempo Tempo 28 O Paulo e a Teresa são dois irmãos gémeos de 20 anos de idade. Peso (kg) 80 70 60 50 40 30 20 10 Paulo Teresa 28. [B] A Teresa aumentou exatamente 15 kg.2 Observa o gráfico e assinala a afirmação correta sobre o aumento de peso da Teresa. Para cada um dos recipientes.1 Com que idade o Paulo e a Teresa pesavam o mesmo? 28. Ciclo. desde o nascimento até hoje.

Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 30 . Dr(m) 80 40 0 0 100 200 v (km/h) De acordo com o gráfico. responde às seguintes questões.2 A que velocidade seguiria um automóvel que percorreu 45 m desde o instante em que o condutor viu um obstáculo até que iniciou a travagem? 29.3 A distância de reação é diretamente proporcional à velocidade a que um automóvel circula.1 Qual é a distância que um automóvel percorre quando se desloca a uma velocidade de 100 km/h. desde o instante em que o condutor vê um obstáculo até que inicia a travagem? 29. Quanto menor for a distância de reação. que relaciona a velocidade (v) a que um automóvel circula e a distância de reação (Dr). Existe uma fórmula. O gráfico dessa relação está representado na figura seguinte. seja f a função definida em Q por f(x) = bx e g a função constante igual a k. aceite internacionalmente. Durante o tempo de reação. o automóvel continua a circular à mesma velocidade e percorre uma distância a que se chama distância de reação (Dr).Unidade 2 Funções Praticar 29 O intervalo de tempo que decorre entre o momento em que o condutor de um automóvel vê um obstáculo na estrada e o momento em que carrega no travão denomina-se tempo de reação. [A] Dr = [C] Dr = 100 v 30 3 v 100 [B] Dr = [D] Dr = 100 v 3 30 v 100 Projeto 1000 itens 30 Dados dois números racionais b e k. 29. Prova que a função g ¥ f é linear e identifica o respetivo coeficiente. Indica qual das seguintes expressões relaciona a distância de reação (Dr) com a velocidade a que um automóvel circula (v). mais depressa se imobiliza o automóvel.

a) Completa as expressões seguintes. Nessa altura. t. dada a sua extraordinária manobrabilidade. faz corresponder a altura do avião. registou-se o seguinte: f – Tempo decorrido (segundos) d – Distância percorrida (metros) 0 0 2 1056 4 2112 6 3168 31. Tempo decorrido (segundos) Altura do avião (metros) 31. tempo 31. registaram as diferentes alturas a que o avião se encontrava. decorrido desde o instante em que o avião iniciou as manobras necessárias à descolagem. i. Força Aérea Portuguesa. t segundos após ter iniciado o seu movimento. consultado em junho de 2009 Um caça F-16 da Força Aérea Portuguesa encontrava-se a fazer testes no espaço aéreo do Alentejo. indicando o seu significado no contexto da situação. determina a velocidade atingida pelo avião. demoraria o avião a percorrer 4500 km? Técnicos especializados. Alguns desses registos encontram-se na tabela seguinte. A determinada altura. é um dos melhores aviões da atualidade para o combate aéreo e também para o ataque ao solo.1 Sabendo que velocidade = distância . A(___________) = 1000 Significado: ________________________________________________________________ b) Comenta a afirmação: “A função A é uma função de proporcionalidade direta”. quantos quilómetros percorreria? Mantendo a velocidade constante. em horas.3 31. avançadas características aerodinâmicas e elevada capacidade de suportar acelerações até 9G. quanto tempo. avião de combate supersónico. o avião atingiu certa velocidade. que se manteve constante por alguns segundos.4 0 0 10 0 20 100 40 1000 Seja A a função que ao tempo. que estudavam a hipótese de melhorar a descolagem do avião. 31 . A(20) = ___________ Significado: ________________________________________________________________ ii.31 O F-16 Fighting Falcon.2 Se o avião mantivesse a mesma velocidade durante três minutos.

4 cm.4 cm de comprimento e cujo perímetro é 20.2 De que polígono regular se trata? Escreve uma expressão algébrica que represente a função que a cada valor do comprimento do lado associa o perímetro deste polígono regular. 32.1 33. t – Tempo (segundos) f – Tamanho (em kB) 2. em kB por segundo (kB/s). 32 . e estabelecem-se as seguintes equivalências entre as diversas unidades de medida: Gigabyte (GB) Megabyte (MB) Kilobyte (kB) Byte (B) 0. assinala a igualdade verdadeira. Indica o resultado com uma casa decimal. toma-se um valor aproximado.2 Quantos segundos demora o modem da Bárbara a transferir um ficheiro de 1000 kB? Apresenta todos os cálculos que efetuares e explica a tua resposta.3 Cada 1024 bytes correspondem a 1 kB (Kilobyte). [A] 1 kB = 106 bytes [C] 1 GB = 106 bytes [B] 1 MB = 106 bytes [D] 1 byte = 106 MB Adaptado de Prova de Aferição de Matemática – A 33 Considera um polígono regular cujo lado tem 3.001 1 1000 1 000 000 Tendo em conta as equivalências da tabela.5 72 100 288 25 720 60 1728 105 3024 32.3 Representa graficamente essa função.Unidade 2 Funções Praticar 32 O tempo que um modem leva a transferir um ficheiro via internet depende do tamanho do ficheiro e da velocidade de transferência do modem. 32. normalmente. A tabela seguinte indica o tempo que o modem da Bárbara demora a transferir alguns ficheiros. Explica o teu raciocínio. mas. considerando 1 kB = 1000 bytes.1 Calcula a velocidade de transferência do modem. 33. 33.

34. 33 .4 Observa agora o gráfico no qual estão representadas as relações entre o comprimento do lado e o perímetro de quatro polígonos regulares. o Rui tem de chamar um táxi. 34. Qual dos dois táxis deve chamar? Justifica a tua resposta.1 Quanto paga um consumidor que faça uma viagem de 20 km no táxi A? Explica o teu raciocínio. Um táxi B não cobra bandeirada mas cobra 1.33. d) À medida que o valor da constante de proporcionalidade aumenta o que acontece ao gráfico de uma função do tipo y = kx? Retirado de Brochura de Apoio ao NPMEB – Sequências e Funções 34 Um táxi A cobra 2 € de bandeirada e 0. Para se deslocar para o emprego.3 O carro do Rui avariou. 4 2 0 1 2 3 4 5 c) Indica a constante de proporcionalidade referente a cada uma das quatro situações. no vidro do seu táxi. Essa tabela está representada de seguida.1 € por quilómetro percorrido. 18 16 14 12 10 8 6 d() c() b() a() b) Indica uma expressão algébrica que represente cada uma das funções de proporcionalidade direta representadas. a) Indica a que polígono regular corresponde cada uma das funções representadas graficamente na figura.2 O dono do táxi B pretende colar uma tabela informativa dos preços que pratica.78 € por quilómetro percorrido. Número de quilómetros percorridos Preço a pagar (€) 1 1. Completa-a.1 2 11 49.5 34.

por g.Unidade 2 Funções Testar 1 Qual das seguintes correspondências não define uma função? [A] y [B] y [C] y [D] y x x x x 2 Observa a representação gráfica da função g. C(v). e o preço de marcado. é dada.85v. em euros.1 Se um determinado artigo estiver marcado com o preço de 4. Qual a imagem. também em euros. A quantia a pagar por cada artigo marcado originalmente com o preço v.2 Podemos afirmar que o preço a pagar. pela expressão C(v) = 0.1 2.2 2. v.5 € e lhe for aplicado o desconto. qual é o preço a pagar? 3.3 2. do objeto –1? Qual é o objeto que.3 Qual é a percentagem de desconto aplicada a cada artigo? 3.4 Indica o domínio e o contradomínio da função g. por g. 34 . y 2 1 0 –2 –1 –1 0 1 2 3 x 2. 3.4 Comenta a afirmação: “O desconto e o preço marcado são grandezas diretamente proporcionais”. são grandezas diretamente proporcionais? Justifica. tem imagem 2? Completa as seguintes expressões: a) g(3) = _______ b) g(_______) = 1 3 Numa papelaria todos os artigos escolares estão em promoção. 3.

em relação ao chão.3 Que valor recebe a Sofia por cada hora de trabalho? Se a Sofia. [A] Altura [B] Altura Tempo Tempo [C] Altura [D] Altura Tempo Tempo 5. 4. até cair ao chão.4 A Sofia é veterinária e vai estagiar. trabalhar cinco horas. em horas. desde o momento em que o Álvaro o lança pela primeira vez. quantas horas por dia trabalhará a Sofia? Comenta a afirmação: “A quantia a receber pela Sofia é diretamente proporcional ao número de horas que trabalhará”. e a quantia a receber pela Sofia. numa breve composição. o fio quebra-se e o ioiô cai no chão. depois de combinar com o gerente da clínica o seu horário de trabalho. Quando o lança pela terceira vez. em euros.1 4. 5.1 Indica qual o gráfico que pode representar a variação da altura do ioiô. No gráfico seguinte pode observar-se a correspondência entre o tempo de trabalho.2 Explica. Em média. Adaptado de Prova de Aferição de Matemática – B 35 .4 5 O Álvaro tem o seu ioiô na mão e lança-o. pelos sete dias em que vai estagiar na referida clínica. a razão pela qual consideras errado cada um dos outros três gráficos. num determinado dia. durante sete dias. na clínica Miau-Miau. fez uns cálculos e verificou que. receberá um total de 315 €. Quantia a receber (€) y 40 30 20 10 0 2 4 6 8 x Tempo de trabalho (h) 4. quanto receberá nesse dia? A Sofia.2 4.

… o termo 1. ou termo de ordem 4 o termo 5. 51. Essas expressões são equivalentes. 41. 21. ou termo de ordem 5 o termo. 51. depois de simplificadas. desde que se conheça a sua ordem. são expressões que. 36 . Termo geral: 10n + 1 11. 31. cada termo obtém-se adicionando Lei de formação: Com exceção do 1. 31. pelo que dois números seguidos dizem-se termos consecutivos.Unidade 3 Sequências e regularidades Resumir Sequências numéricas Numa sequência numérica. pois permite determinar qualquer termo da sequência. termo da sequência. 31. ou seja. 41. ou não. 11. que pode ser traduzida por uma expressão algébrica. ou termo de ordem 3 o termo 4. Cada termo obtém-se a partir da lei de formação da sequência. 41. Essa expressão designa-se por termo geral. Os termos de uma sequência relacionam-se segundo uma regra. 51. ou termo de ordem 1 o termo 2. 21. O termo geral de uma sequência é muito útil. 11. ou termo de ordem 2 o termo 3. … Termo geral: 11 + (n – 1) ¥ 10 … 11 + (n – 1) ¥ 10 = 11 + 10n – 10 = 10n + 1 → 11 + (n – 1) ¥ 10 é equivalente a 10n + 1. 10 unidades ao termo anterior. … → Termo geral: 10n + 1 Modos distintos de analisar a sequência podem conduzir a expressões diferentes para a representação do termo geral. O termo geral também permite verificar se um número é. cada número tem o nome de termo. 21. são iguais.

obtendo-se assim a representação gráfica da sequência. Assim. u6 o 7. Sucessões 3 5 7 9 11 13 15 17 … o termo 2. termo u7 o termo 8. 37 . termo u5 o termo 6. (a. u4 o 5. b) Termo Ordem do termo Estes pares ordenados de números podem ser representados num referencial cartesiano. correspondente à sequência de termo geral 2n + 1. em que a é a ordem do termo e b é o próprio termo da sequência. termo u3 o termo 4. como na representação da figura. Repara que. termo u1 o 3. da definição de gráfico. b). u8 Uma sequência numérica infinita diz-se uma sucessão.Gráfico de uma sequência numérica O gráfico de uma sequência numérica é constituído pelo conjunto dos pares ordenados (a. a representação gráfica é um conjunto de pontos isolados. uma sucessão é uma função cujo domínio é o conjunto dos números naturais. u2 o 1.

2 Determina o décimo quinto termo da sucessão. .1 Determina os quatro primeiros termos da sucessão e representa-os graficamente. Explica o teu raciocínio. 3. … Sequência 2: 11. Sequência 1: 7. Sequência 1: _________________________ Sequência 2: _________________________ Sequência 3: _________________________ 1.3 Indica um possível termo geral para cada uma das sequências. Explica o teu raciocínio. 21.3 Verifica se 78 é termo da sucessão. 8.2 Indica o termo de ordem 100 de cada uma das sequências.1 Indica os próximos três termos de cada uma das sequências. . 3. … 2 3 4 5 Sequência 3: . 2. . 38 . Sequência 1: _________________________ Sequência 2: _________________________ Sequência 3: _________________________ 1. 3. … 3 5 7 9 1. 5. Sequência 1: _________________________ Sequência 2: _________________________ Sequência 3: _________________________ 2 O termo geral de uma sequência finita é 3n + 2. Quantos termos tem a sequência? 3 Considera a sucessão (an) de termo geral an = 4n – 1. 14. O último termo dessa sequência é 17.Unidade 3 Sequências e regularidades Praticar 1 Considera as seguintes sequências numéricas e supõe que se mantém a regularidade entre termos consecutivos. 28.

I. 9. an: _________________________________________________________________ bn: _________________________________________________________________ cn: _________________________________________________________________ 4.1 Quantos triângulos equiláteros são necessários para formar uma figura com 20 unidades de perímetro? Explica o teu raciocínio.. 7. 31.1 4. 5.1 Para cada uma das sucessões. 186 e 211 são termos da sucessão e. Determina o termo de ordem n desta nova sequência. os cinco primeiros termos. 19. 5 Observa a sequência de figuras.. 39 . caso o sejam. agora. 6. II. Para cada uma delas.2 Considera. determina. Verifica se os números 22. apenas a sucessão (an). 14. cujos termos gerais são: an = 3n + 6 n bn = n+1 cn = n2 + 1 4. agora. a partir do seu termo geral.. . 11.. indica a ordem que corresponde a cada um. 15. b) o vigésimo termo.2 Descobre uma regra que permita determinar o perímetro de uma qualquer figura desta sequência. 6.4 Considera as sucessões. c) o termo de ordem n. a sequência em que cada termo resulta da soma dos termos de igual ordem das duas sequências da alínea anterior.2 Considera. 5. 6 Considera as seguintes sequências. indica: a) o primeiro termo. 144. Figura 1 Figura 2 Figura 3 Cada uma das figuras apresentadas é formada por triângulos equiláteros com 1 unidade de medida de comprimento de lado. 19. Apresenta todos os cálculos ou esquemas que efetuares. .

.6 40 Calcula a área do retângulo que limita a figura 19. 7.a figura? Explica o teu raciocínio. Número da figura Número de palitos 1 7 2 12 3 17 7. 7. 7. Para construir uma figura desta sequência foram necessários 122 palitos.4 Descobre uma regra que permita determinar o número de palitos de uma qualquer figura. (considera 1 palito como unidade de medida de comprimento).Unidade 3 Sequências e regularidades Praticar 7 Observa a sequência de figuras. Qual é o número da figura? Explica o teu raciocínio. Figura 1 Figura 2 Figura 3 A tabela seguinte refere-se a figuras da mesma sequência.3 7.5 Figura 1 Figura 2 Figura 3 Descobre uma regra que permita determinar a área de cada um desses retângulos. 7.1 Representa as figuras 4 e 5 desta sequência e indica o número de palitos que as constituem. Considera agora os retângulos que limitam as figuras da sequência anterior.2 Por quantos palitos é formada a 40.

Considera a sucessão (an) do número de pontos de cada figura. 9 Observa a sequência de figuras. Escreve uma expressão que permita determinar o número de quadrados amarelos de uma figura de qualquer ordem.4 Determina o termo geral da sucessão (bn) do número de segmentos de ligação de uma figura de qualquer ordem. c) Determina o número de pontos da figura 5. a) Determina o termo geral da sucessão. Figura 1 Figura 2 Figura 3 A tabela seguinte refere-se a figuras da mesma sequência. b) Calcula a5 e interpreta o resultado no contexto do problema.8 Considera as três primeiras figuras de uma sequência.3 Completa a tabela.1 9. 8.2 9. 41 . d) Existirá alguma figura com 90 pontos? Justifica a tua resposta. Descreve o padrão que observas. Figura 1 Figura 2 Figura 3 Figura 4 9.1 8. Escreve uma expressão que permita determinar o número de quadrados total de uma figura de qualquer ordem.2 8. Número da figura Número de pontos Número de segmentos de ligação 1 5 5 2 8 9 3 11 13 4 5 8.3 Escreve uma expressão que permita determinar o número de quadrados brancos de uma figura de qualquer ordem.

c) o número de faces do modelo de uma torre com n lados. 11 O irmão do João pintou a seguinte sequência de desenhos em papel quadriculado. Uma das zonas que visitou foi a Praça de Espanha.1 O modelo apresentado respeita a Fórmula de Euler? (Fórmula de Euler: Vértices + Faces = Arestas + 2) 10.4 Averigua se a Fórmula de Euler se verifica no modelo de uma torre de n lados. a Catarina foi a Barcelona.Unidade 3 Sequências e regularidades Praticar 10 Durante as férias de Natal. 10. onde se encontram duas magníficas torres. 10. … Figura 1 Figura 2 Figura 3 Quantas quadrículas pintadas tem o décimo desenho? Explica o teu raciocínio. arestas e faces de um modelo de uma torre de 5 lados.2 Determina o número de vértices. as torres da Praça de Espanha têm a forma de uma pirâmide quadrangular no topo de um prisma quadrangular. Tal como a figura sugere.3 Descobre uma expressão que permita calcular: a) o número de vértices do modelo de uma torre com n lados. formando uma torre de quatro lados. b) o número de arestas do modelo de uma torre com n lados. Barcelona 10. De seguida apresenta-se um modelo das referidas torres. Adaptado de Olimpíadas Portuguesas da Matemática – Pré-Olimpíadas 42 .

conhecidas as suas dimensões. Adaptado de Principles and Standards. no momento em que se encontravam na sala 10 meninos? Explica o teu raciocínio. no total. Escreve uma expressão algébrica que permita determinar o número de abraços dados por um qualquer número de colegas. tal como sugere a figura seguinte. todos os colegas de turma da Margarida se cumprimentaram com um abraço. Descreve um método para encontrar o número de caramelos de qualquer caixa. 3×5 2×2 2×4 As dimensões de cada uma das caixas dizem-nos o número de colunas e de linhas de chocolates que cada caixa possui.1 13.5 43 . Número de colegas Esquema Número de abraços 2 3 4 5 13.3 Quantos abraços se tinham dado. Quantos abraços deu cada colega? E no esquema constituído por cinco colegas? 13. Cada um cumprimentou cada colega uma só vez. foram dados 55 abraços? 13.2 Completa a tabela anterior.4 13. sabendo que. 1 3 6 Observa com atenção o esquema constituído por quatro colegas. Quantos colegas tem a Margarida na sua turma. diagramas ou expressões. 2000 13 De regresso ao Colégio. As caixas são organizadas da seguinte forma: cada caramelo é colocado no centro de cada conjunto de quatro chocolates. NCTM. A tabela seguinte esquematiza parte da situação descrita. depois das férias do Natal.12 O Superchocolate é uma caixa de doces constituída por chocolates e caramelos. Exemplifica e justifica o teu método através de palavras.

I. Sabendo que a lei de formação dos restantes termos da referida sequência é subtrair seis ao termo anterior e dividir por três. 35. I. 3. 1.2 Indica um possível termo geral para cada uma das sequências. 25. 26. a jogada? que pontuação iria obter na 10. . 17.2 Admitindo que a sequência foi gerada por uma das expressões indicadas na alínea anterior e se a Joana continuasse a jogar e as pontuações continuassem a seguir este mesmo modelo. I. 24.1 2 3 4 5 . 15.Unidade 3 Sequências e regularidades Testar 1 Observa as sequências e supõe que se mantém a regularidade entre termos consecutivos. . Explica o teu raciocínio através de palavras. cálculos ou diagramas. . 20.1 Verifica se alguma das expressões seguintes permite gerar esta sequência de números. [A] 95 – 30n [B] 5n + 60 2n – 1 [C] 55 – 10n [D] 5 + 60 n 3. II. II. determina o seu quarto termo. Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 44 . 20. 2 Considera uma sequência em que o primeiro termo é 126.… 4 9 16 25 Indica os próximos três termos de cada uma das sequências. 22. 3 Considera a seguinte sequência de pontuações obtidas pela Joana nas primeiras seis vezes em que jogou um determinado jogo: 65. … II. 1.

Apresenta todos os cálculos ou esquemas que efetuares. 5 De seguida apresentam-se as primeiras figuras de uma sequência. Figura 1 Figura 2 Figura 3 5. Qual é o número da figura? Explica o teu raciocínio. indica a ordem que corresponde cada um. determina.2 Escreve uma expressão que permita determinar o número de pontos de uma figura de qualquer ordem.2 Considera. 5. 72 e 222 são termos da sequência e. a partir do seu termo geral.4 Considera as sequências: Sequência 1: 5n – 3 1 Sequência 2: + 1 n 4.3 45 . agora. em caso afirmativo. Para construir uma figura desta sequência foram necessários 128 pontos.1 Para cada uma das anteriores sequências. Sequência 1: _________________________________________________________________ Sequência 2: _________________________________________________________________ 4. 5.1 a figura. apenas a sequência 1. os cinco primeiros termos. Encontra o número de pontos da 20. Explica o teu raciocínio. Verifica se os números 33.

Unidade 4

Figuras geométricas

Resumir
Ângulos internos e externos de um polígono
Cada ângulo externo de um polígono convexo é adjacente a um ângulo interno e é suplementar de um ângulo interno. A soma das amplitudes dos ângulos internos de um polígono convexo com n lados é dada pela expressão (n – 2) x 180o. A soma das amplitudes dos ângulos externos de um polígono convexo é 360o.
D C ângulo interno A ângulo externo

B

Quadriláteros
Quadriláteros

Não trapézios: Quadrilátero sem lados paralelos.

Trapézios: Quadrilátero com lados paralelos.

Retângulo: Paralelogramo com quatro ângulos retos.

Paralelogramos: Quadrilátero com dois pares de lados paralelos.

Trapézio não paralelogramo: Quadrilátero com um único par de lados paralelos.

Quadrado: Trapézio isósceles: Paralelogramo com quatro lados geometricamente iguais e quatro ângulos retos. Losango: Trapézio em que os lados opostos não paralelos são geometricamente iguais. Trapézio retângulo: Trapézio em que um dos lados opostos não paralelos é perpendicular às bases. Trapézio escaleno: Trapézio em que os lados opostos não paralelos não são geometricamente iguais.

Paralelogramo com quatro lados geometricamente iguais. Paralelogramo obliquângulo: Paralelogramo sem ângulos retos.

Num paralelogramo: • os ângulos opostos são geometricamente iguais; • os ângulos consecutivos são suplementares; • os lados opostos são geometricamente iguais; • as diagonais bissetam-se e dividem o paralelogramo em quatro triângulos geometricamente iguais dois a dois. 46
a A D d E b B c C

Num losango, as diagonais bissetam-se e são perpendiculares.
B

A

E

C

D

Num retângulo, as diagonais bissetam-se e são geometricamente iguais.
A D

B

C

Num quadrado, as diagonais bissetam-se, são perpendiculares e são geometricamente iguais.
A D

B

C

Num trapézio, ângulos adjacentes a um dos lados opostos não paralelos são suplementares. Num trapézio isósceles, ângulos adjacentes à mesma base são geometricamente iguais e a suas diagonais são geometricamente iguais.
B C

A

D

Área do paralelogramo = base × altura
altura base

Área do papagaio = d ¥ D 2
d d – diagonal menor D – diagonal maior

D

Área do trapézio = b + B ¥ h 2
b h B b – base menor B – base maior h – altura

47

Unidade 4

Figuras geométricas

Praticar
1 Desenha três linhas poligonais.

2

Desenha um pentágono e traça as suas diagonais.

3

De entre as seguintes figuras, indica, justificando, as que são polígonos. A B C D

48

2 4. trapézio retângulo. estão representados dois dos lados dos quadriláteros referidos.3 4. retângulo não quadrado. Desenha os dois lados em falta.4 4.1 4. na grelha seguinte. losango não quadrado.2 Losango 5.8 quadrado.7 4. 5.4 Quadrado 49 .5 4. quadrilátero não trapézio. papagaio. 5 Em cada uma das seguintes alíneas. paralelogramo obliquângulo. um: 4. trapézio isósceles.3 Paralelogramo obliquângulo 5.6 4.1 Retângulo 5.4 Desenha.

6 7 Determina o perímetro e a área do seguinte paralelogramo.2 6.Unidade 4 Figuras geométricas Praticar 6 Em cada uma das seguintes situações.5 6. 6.4 6. paralelogramo. determina a amplitude do ângulo x.1 6. papagaio. utilizando os termos trapézio. quadrado e losango. 8 Completa o esquema.3 6. 50 .

θ B Sabendo que O–A = 3 cm. 10 Na figura estão representados dois pontos. Explica o teu raciocínio. 11.2 ∠a. 12 De entre os quadriláteros seguintes. [D] Todos os losangos são quadrados. indica o comprimento de [AC].1 Quantos quadrados se podem desenhar de modo que A e B sejam dois dos seus vértices? A 10. [B] Todos os papagaios são losangos.9 Qual das afirmações seguintes é verdadeira? [A] Todos os losangos são papagaios. [C] Todos os retângulos são quadrados. A e B. B 10. ∠q. Assinala-o. ∠e. apenas um não é sempre um paralelogramo.1 Indica a amplitude do: D 27o α β O ε A C a) b) c) d) 11. [A] Quadrado [C] Losango [B] Retângulo [D] Papagaio 51 .3 Quantos quadrados se podem desenhar de modo que o segmento de reta AB seja uma das suas diagonais? 11 Na figura seguinte está representado um losango.2 Quantos quadrados se podem desenhar de modo que A e B sejam dois vértices consecutivos? 10. ∠b.

utilizando os mesmos dois triângulos retângulos? 52 . Será que a tua resposta é única? Justifica. C 60o 150o 45o A E B D 13. 13. 1 cm2 A B Sabe-se que [AB] é um dos lados de um paralelogramo obliquângulo com 21 cm2 de área.1 14. 16 Uitlizando os triângulos [ABC] e [DEF]. construiu-se um papagaio. Explica o teu raciocínio. 14 Considera o segmento de reta [AB]. Assinala-a. 14. [D] Todos os retângulos são paralelogramos. [A] Todos os quadrados são paralelogramos. 15 Apenas uma das afirmações seguintes é falsa. [B] Todos os triângulos são polígonos. na figura. [C] Todos os trapézios são retângulos. como o que podes observar na figura seguinte.2 Desenha.1 Determina a amplitude do ∠ε. A B D F C E Que outros quadriláteros é possível construir. o paralelogramo referido.Unidade 4 Figuras geométricas Praticar 13 Na figura está representado o triângulo [ABC] e o trapézio retângulo [ABDE]. representado de seguida.2 Classifica o triângulo [ABC] quanto à amplitude dos seus ângulos e quanto ao comprimento dos seus lados.

F C 29o D B G 19 Na figura ao lado pode observar-se o triângulo [AGF] e o quadrado [ABCD]. B A C 18.3 Classifica o triângulo [AGF] quanto à amplitude dos seus ângulos e quanto ao comprimento dos seus lados.1 Prova que ∠AGF e ∠DCF são geometricamente iguais. 19.2 Determina a amplitude do ∠β. assinala na figura o quarto vértice do losango referido na alínea anterior.1 B 99o 150o 30o A 51o C 17.1 18.17 Em cada uma das seguintes situações. 53 .2 A D B 42 o 50o 66o C C 31o 60o E D 17. Explica o teu raciocínio. Utilizando material de desenho. 19.2 Prova que A. 17. Explica o teu raciocínio. Justifica. A 19. B e C podem ser vértices consecutivos de um losango. determina a amplitude dos ângulos α e β.3 A B 18 Na figura seguinte está representada uma circunferência de centro A.

Sabendo que a resposta da Sandra está correta. As diagonais de um paralelogramo [ABCD] intersetam-se no ponto X. 54 .) 21 Na figura está representado um triângulo equilátero [ABC]. Sabendo que BD (Sugestão: começa por fazer um esboço do paralelogramo. de entre os quadriláteros apresentados. 63o B E C 23 Num teste de Matemática. De seguida. Explica o teu raciocínio. Explica o teu raciocínio. apenas se pode garantir que [ABCD] é um losango. Explica o teu raciocínio.1 O Filipe acha que [ABCD] é um quadrado. [ABCD] é um retângulo. com as informações fornecidas. formula uma possível questão para o teste. determina a amplitude do ∠XCD. A C D 51o 22. 20. era pedido aos alunos que riscassem. Qual dos dois achas que tem razão? Justifica a tua opinião. D–C = 2 cm e E–C = 3 cm.1 Classifica o triângulo [AED] quanto à amplitude dos seus ângulos e quanto ao comprimento dos seus lados. Sabe-se que BX 20. A Catarina não concorda e afirma que. B 84o x A 22 Na figura.Unidade 4 Figuras geométricas Praticar 20 ˆA = 90o.2 Determina a área do trapézio [ADCE]. Determina a amplitude do ângulo x. os que não verificavam determinada característica. Explica o teu raciocínio. apresenta-se a resposta da Sandra a esta questão. 22.2 ˆA = 60o. sabendo que A–D = 4 cm.

[ABCD] e [BCFE]. Adaptado de Brochura de Apoio ao NPMEB – Triângulos e quadriláteros 25 A figura ao lado é composta por dois paralelogramos obliquângulos.2 A afirmação “A largura do rio na zona do ponto A é igual ao comprimento do segmento de reta CD” é verdadeira ou falsa? Justifica.24 Um agrimensor romano (cerca de 180 d. E e F estivessem sobre a mesma reta. Começou por traçar uma reta AB ao longo da margem onde se encontrava. A I B J C 67o 26. Explica o teu raciocínio. Colocou uma estaca no ponto E. representado de seguida. 24. De A fixou um ponto F na outra margem. Tendo em conta os comprimentos assinalados. Num ponto C tirou uma perpendicular CG a AB. D 26.1 Sabendo que I e J são os pontos médios dos lados [AB] e [BC]. C.) usou triângulos geometricamente iguais para determinar a largura de um rio numa zona do seu leito. determina a amplitude do ângulo ε. Sabe-se que A–C = 3 cm e B–D = 5 cm. Finalmente. determina a área da figura. 55 .3 Determina a área do trapézio [AIJC].1 O agrimensor concluiu que os triângulos [ECD] e [EAF] são geometricamente iguais. ponto médio de [AC]. 5 cm 3 cm A D 2. Apresenta todos os cálculos que efetuares. sendo AF perpendicular a AC. respetivamente.5 cm E F B C 26 Considera o losango [ABCD]. Esta conclusão é correta? Porquê? B Rio C D G E F A 24. 26.2 Determina a área do losango [ABCD]. descobriu um ponto D a partir do qual observou os pontos E e F de modo que D.

Considera um papagaio [ABCD] em que A–B = A–D e B–C = C–D. • [EFGD] é um paralelogramo obliquângulo. 29 Prova que a área de um papagaio. ε e δ. em unidades quadradas. uma sua decomposição em dois triângulos e um quadrilátero. na figura 2. D A C 28o 139o 42o 79o B Figura 1 Figura 2 27o 18o Determina a amplitude dos ângulos α. Designando o ponto de interseção das diagonais por E. 28 Na figura 1 está representado o quadrilátero [ABCD] e. • [HKJI] é um paralelogramo obliquângulo. β. Explica o teu raciocínio. Determina a área da figura colorida a verde. escreve uma expressão que permita determinar a área de cada um dos triângulos [ACD] e [ACB]. 9 cm A E 1 cm F H 1 cm K B C D G I J 6 cm Sabe-se que: • [ABCD] é um retângulo. 2. Apresenta todos os cálculos que efetuares.Unidade 4 Figuras geométricas Praticar 27 Observa a figura. Completa as seguintes igualdades com medidas de comprimento de segmentos de reta: A[ACD] + A[ACB] = ___ ¥ E–D ___ ¥ E–B ___ ¥ (E–D + E–B) ___ ¥ ___ + = = 2 2 2 2 D A E C B 56 . é igual ao semiproduto das diagonais percorrendo os seguintes passos: 1.

1 Prova que [AEBF] é um losango. F 31 A e B são dois pontos situados em duas ilhotas fluviais. coincide com o centro do quadrado menor. sobrepõem-se tal como mostra a figura ao lado. marcam-se os pontos G e F que resultam da interseção das retas BE e AE com a reta r.30 Na figura estão representadas duas circunferências com o mesmo raio. [ABCD] e [EFGH]. respetivamente. à nossa escolha. Pretende determinar-se a distância entre A e B. • Utiliza a prova anterior para justificar que a área do polígono [IEJC] é a quarta parte da área do quadrado menor.2 Classifica o triângulo [AEB] quanto ao comprimento dos seus lados. Porquê? Rio A B E C D G F r Retirado de Brochura de Apoio ao NPMEB – Triângulos e quadriláteros 32 Dois quadrados. A E B 30. Fixa-se uma estaca em terra num certo ponto C colinear com A e B. que se designa por E. Fixa-se outra estaca em D de modo que AC ⊥ CD. Traça-se uma reta r perpendicular a CD e que passa por D. Então. 30. prova que a área do polígono [IEJC] é a quarta parte da área do quadrado menor. Finalmente. Sabendo que um dos vértices do quadrado maior. uma de centro A e outra de centro B. • Prova que os triângulos [EIC] e [EJD] são geometricamente iguais. [GF] representa a distância entre as ilhotas. E. B A D E J H I C G F 57 . Sugestão: Percorre as seguintes etapas. Toma-se o ponto médio do segmento de reta [CD]. • Traça as diagonais do quadrado menor.

pelo número correspondente: 1.2 1. B e E estão alinhados. A 108o B 27o E 45o C D 45o 2.5 os trapézios não paralelogramos. os quadrados. 2 Na figura seguinte estão representados os triângulos [ABC] e [BED]. os paralelogramos.1 Prova que os triângulos [ABC] e [BED] são geometricamente iguais. que A–C = B–D e que C–B = D–E. os losangos não quadrados. os retângulos.2 Determina a amplitude do ângulo ε.3 1.Unidade 4 Figuras geométricas Testar 1 Observa os quadriláteros. Explica o teu raciocínio. 2. 2 1 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Indica.1 1. 58 . Sabe-se que A.4 1.

Explica o teu raciocínio. Determina a amplitude dos ângulos α e β. Com esta construção. C e E também estão sobre uma mesma reta e A–C = C–E. é possível concluir que a distância entre as árvores é igual ao comprimento do segmento de reta [DE]? Justifica a tua resposta. [B] Num paralelogramo. 5 Qual das seguintes afirmações é falsa? [A] Num paralelogramo.1 Justifica que os triângulos [ACD] e [BCD] são geometricamente iguais. colocou-se uma estaca num ponto C e outra num ponto D de modo que os pontos B. os ângulos opostos são congruentes. B A C E D Retirado de Brochura de Apoio ao NPMEB – Triângulos e quadriláteros 59 . F C 110o 28 o 51o D A B 4 Considera um paralelogramo [ABCD]. as diagonais bissetam-se. 6 Justifica que os quadrados são os paralelogramos que têm as diagonais perpendiculares e iguais.3 Sabendo que dois ângulos consecutivos de um paralelogramo são suplementares e que os ângulos opostos são geometricamente iguais. Para tal. tal que as diagonais [AC] e [BD] têm o mesmo comprimento. 7 Pretende calcular-se a distância entre duas árvores situadas à beira de um lago nos pontos A e B. 4. [C] Num paralelogramo. verifica que o paralelogramo [ABCD] é um retângulo. 4. as diagonais são sempre congruentes. C e D estão sobre a mesma reta e C–D = B–C. os lados opostos são congruentes.3 Observa a figura. [D] Num paralelogramo.2 Justifica que os ângulos ∠ADC e ∠BCD são geometricamente iguais. 4. Colocou-se uma outra estaca em E tal que A.

os dados recolhidos podem ser representados por um gráfico. não é possível recolher dados de todos os elementos da população.75% 43. ou seja. está-se perante um recenseamento (ou censo). Por vezes. Exemplos: 1. escolhe-se uma amostra. Se a amostra for bem escolhida. Quando se recolhem dados referentes a uma amostra da população trata-se uma sondagem. do estudo estatístico podem resultar conclusões válidas para toda a população. Depois de organizados.50% Higiene pessoal Autoclismo 18.25% Outros 2. analisar e interpretar dados. A frequência relativa é o valor que se obtém dividindo a frequência absoluta pelo número total de observações.Unidade 5 Tratamento de dados Resumir Estatística A Estatística é um ramo da Matemática que se dedica a recolher. Gráfico circular Consumo de água 12. Para organizar os dados pode recorrer-se a uma tabela de frequências. A frequência absoluta é o número de vezes que se observa um determinado acontecimento. Quando se recolhem dados de todos os elementos da população. Gráfico de barras Profissões desejadas pelos alunos Número 8 de alunos 7 6 5 4 3 2 1 0 Médico Astronauta Professor Comerciante Futebolista Profissões 60 . Quando isso acontece. Ao conjunto de todos os elementos que são alvo de um estudo estatístico dá-se o nome de população. uma parte da população.75% Comida e bebida Roupa 6. organizar.

5 8 Mediana de um conjunto de dados Depois de ordenado o conjunto de dados. 8. que se representa por x lores observados pelo número total de observações. 8 e 10. 7. Exemplos: 1. Mediana: 4 5 6 Me = 7 8 8 10 12 7+8 = 7. • se o número de dados do conjunto for par. Conjunto de dados: 5. Gráfico de linha Crescimento demográfico nas últimas décadas População 7 (mil milhões) 6 5 4 3 2 1 0 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 Anos 4. 6. 12. é o valor que se obtém dividindo a soma dos vaA média de um conjunto de dados. 7. 8. 5 + 6 + 4 + 8 + 12 + 7 + 8 + 10 – x= = 7. 6.5 2 61 . 12. podem verificar-se duas situações: • se o número de dados do conjunto for ímpar. 6. 7 e 8. a mediana (Me) é a média dos dois valores centrais do conjunto de dados. 4. 4. a mediana (Me) é o valor central desse conjunto de dados. Conjunto de dados: 5. 8 e 10.3. 8. Mediana: 4 5 6 7 8 8 12 Me = 7 2. 12. 4. Diagrama de caule-e-folhas 5 6 7 8 9 caule 1 6 6 2 0 8 4 3 6 3 folhas 3 8 9 1 9 7 3 6 6 6 7 1 4 3 Medidas de localização Média de um conjunto de dados –. Exemplo: Conjunto de dados: 5.

constrói um diagrama de caule-e-folhas.5 Qual é a percentagem de marcas de cereais que têm entre 21 e 33 gramas de carboidratos na constituição dos seus cereais? 62 . Carboidratos existentes em diferentes marcas de cereais (gramas) 16 37 41 43 15 18 37 32 39 35 31 20 41 22 37 15 37 28 16 33 17 27 17 27 26 1.1 Determina o número de marcas de cereais que foram alvo do estudo estatístico. 21 gramas de carboidratos na constituição dos seus cereais? 1. A tabela seguinte resultou de um estudo estatístico e revela a quantidade de carboidratos existente em determinadas marcas de cereais. no máximo.2 Com os dados da tabela.3 Quantas marcas de cereais têm mais de 33 gramas de carboidratos na constituição dos seus cereais? 1. 1.Unidade 5 Tratamento de dados Praticar 1 Os carboidratos são um composto orgânico indispensável para o metabolismo energético. 1.4 Qual é a percentagem de marcas de cereais que têm.

6. 4. 10 3. 6. 2. 7.5 O Dinis. determina a idade do Dinis. Pais. Explica o teu raciocínio. 25 anos de idade. avós. 5. 3. a mediana e a moda das idades dos familiares da Patrícia.2 Determina a mediana de cada um dos seguintes conjuntos de valores. apenas se pôde juntar à família depois da consoada. 2. com a sua chegada. pelo menos. 5. 2. 3. 8. 2. 3. 7. a média de idades mudou para 30 anos. Sabendo que.1 2. 2. 4. 4. 3. 63 .2 6.1 76 12 68 12 37 25 22 16 34 20 33 35 Constrói um diagrama de caule-e-folhas. 3. 3. 3 A família da Patrícia reuniu-se na noite de consoada para celebrar o Natal. 3.3 Qual das medidas de localização referidas na alínea anterior é a mais adequada para representar o conjunto de dados? Explica o teu raciocínio. De seguida apresentam-se as idades dos familiares da Patrícia. 2. 3. 6. primo da Patrícia.2 Determina a média. tios. primos e irmãos encontram nesta festividade um momento raro de confraternização. 2. Explica o teu raciocínio.4 Indica a percentagem de familiares da Patrícia que têm.

2 48 9. em anos.6 26. 64 .2 Consegues detetar algum período bastante conturbado da vida política portuguesa? Justifica.4 4.8 21.7(b) 4. 9.5 84 297. As idades.2 188.1 Indica os Presidentes que estiveram durante mais e menos tempo na Presidência da República.7 31.2 (a) Cavaco Silva iniciou o seu mandato a 09/03/2006. 5. (b) Inclui os dois mandatos de Bernardino Machado. Presidentes 2006 1996-2006 1986-1996 1976-1986 1974-1976 1974-1974 1958-1974 1951-1958 1926-1951 1926-1926 1926-1926 1925-1926 1923-1925 1919-1923 1918-1919 1917-1918 1915-1915 1915-1915 1911-1915 – Cavaco Silva – Jorge Sampaio – Mário Soares – Ramalho Eanes – Costa Gomes – António Spínola – Américo Tomas – Craveiro Lopes – Óscar Carmona – Gomes da Costa – Mendes Cabeçadas – Bernardino Machado – Teixeira Gomes – António José de Almeida – Canto e Castro – Sidónio Pais – Bernardino Machado – Teófilo Braga – Manuel de Arriaga Presidentes Cavaco Silva Jorge Sampaio Mário Soares Ramalho Eanes Costa Gomes António Spínola Américo Tomas Craveiro Lopes Óscar Carmona Gomes da Costa Mendes Cabeçadas Teixeira Gomes António José de Almeida Canto e Castro Sidónio Pais Bernardino Machado Teófilo Braga Manuel de Arriaga Tempo (aproximado em meses) 47(a) 120 120 115.2 45. e o período de tempo durante o qual presidiram a esse cargo.4 0.Unidade 5 Tratamento de dados Praticar 4 O casal Silva tem quatro filhos. 8 e 4 e a do rapaz é 10. das raparigas são 18. Nesta contagem do tempo considerámos as datas 09/03/2006 a 09/02/2010. ano.3 0. dos quais três são raparigas. 5.6 11. desde a sua implantação. 12/04/2013 5 As tabelas seguintes mostram os sucessivos Presidentes da República Portuguesa. Qual é a mediana das idades dos quatro filhos do casal Silva? o Adaptado de Teste Intermédio de Matemática.

6. Os resultados que obteve estão representados no gráfico de barras seguinte. Número de mensagens que os colegas do Sérgio enviaram num dia Número de alunos 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Número de mensagens 6. 6. 65 .4 Determina a média e mediana do conjunto de dados.6 O Sérgio realizou um inquérito para saber o número de mensagens escritas que os colegas de turma enviaram num determinado dia.1 Organiza os dados numa tabela de frequências absolutas e relativas.3 Indica a percentagem de colegas do Sérgio que enviou mais de cinco mensagens nesse dia.2 Quantos colegas tem o Sérgio na sua turma? 6.

qual é o valor de a? 66 . Tendo em conta as medidas estatísticas que conheces. indica as que terão sido utilizadas pelo governo e as que terão sido utilizadas pela oposição.Unidade 5 Tratamento de dados Praticar 7 Os gráficos seguintes mostram a mesma informação.1 Qual foi o gráfico apresentado pelo governo? E qual foi usado pela oposição? 7. 2 8 9 8 3 4 a 7 Sabendo que a mediana é 6. apresentam uma imagem diferente. Adaptado de Brochura de Apoio ao NPMEB – OTD 8 Considera o conjunto de dados seguinte. No entanto. Explica a tua escolha. Supõe que um desses gráficos foi apresentado pelo governo de um determinado país e o outro pela oposição. tanto o governo como os diferentes partidos da oposição fizeram uso de outras ferramentas estatísticas.2 Para defenderem as suas posições. Gráfico I Desemprego entre 2000 e 2003 Números de desempregados (em milhares) 250 200 150 100 60 0 2000 2001 2002 2003 2004 Gráfico II Desemprego entre 2000 e 2003 Números de desempregados (em milhares) 230 220 210 200 190 180 170 160 150 2000 2001 2002 2003 2004 Anos Anos 7.

Comprova a tua tese determinando os valores das medidas de tendência central referidas. o que podes esperar relativamente aos valores da média e da mediana? Explica o teu raciocínio. No entanto. Adaptado de Análise de Dados. por cada 100 gramas de queijo. 9. é um alimento rico em cálcio. Na tabela seguinte apresentam-se. ᭿ – Alimento intermediário: consumir com moderação.2 Como podes observar. é um alimento muito calórico e a maior parte das vezes rico em gordura. 9. Ministério da Educação – DGDIC 67 .1 Representa essa informação através de um diagrama de caule-e-folhas. Atendendo a este facto. Considera os dados respeitantes à quantidade de gordura. proveniente do leite. a quantidade de gordura e o número de calorias.9 O queijo. já que. as representações anteriores revelam um determinado tipo de enviesamento. de um modo geral. Alimento (100 g) ᭿ Queijo Brie ᭡ Queijo Camembert ᭡ Queijo da Ilha ᭡ Queijo da Serra curado ᭡ Queijo da Serra fresco ᭡ Queijo de Azeitão ᭡ Queijo de Évora ᭡ Queijo de Serpa ᭡ Queijo de Tomar ᭹ Queijo flamengo 20% ᭿ Queijo flamengo 30% ᭡ Queijo flamengo 45% ᭿ Queijo fresco ᭡ Queijo Gorgonzola ᭿ Queijo Gruyère ᭡ Queijo Parmesão ᭡ Queijo Roquefort ᭡ Queijo Suíço Gordura (g) 20 23 26 32 27 25 34 26 27 8 14 23 21 37 20 28 32 29 Calorias 263 313 357 385 327 309 412 330 305 185 246 315 265 407 315 401 371 357 ᭹ – Alimento com baixo teor em gordura mas podendo ter um elevado conteúdo em calorias. por cada 100 gramas. para vários tipos de queijo. ᭡ – Alimento rico em gordura: comer pontualmente ou moderar o seu consumo. é necessário não abusar.

9.5 2 2.2 Qual seria a média de pessoas atendidas se na quinta-feira tivesse atendido 40 pessoas? E a mediana? Mostra como chegaste à tua resposta.) [A] 2. Com base nesse registo. registou-se o número de horas semanais na disciplina de Matemática de cada turma do ensino profissional. 11. ano.1 Determina a média e a mediana das pessoas atendidas pela mãe da Ana durante essa semana. Num agrupamento de escolas.2 [B] 2. o número de horas semanais na disciplina de Matemática varia de acordo com os cursos e com os anos de escolaridade.5 3 Número de horas semanais Qual é o número médio de horas semanais na disciplina de Matemática das turmas dos cursos do ensino profissional deste agrupamento? (Escolhe a opção correta.3 [C] 22 [D] 23 o Adaptado de Teste Intermédio de Matemática. 12/04/2013 11 A Ana registou o número de pessoas que a sua mãe atendeu na papelaria durante uma semana e registou os dados na tabela seguinte. Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado 30 24 31 28 42 21 11. 68 .Unidade 5 Tratamento de dados Praticar 10 No ensino profissional. Número de horas semanais de Matemática Número de turmas 13 15 10 8 4 1 1. elaborou-se o seguinte gráfico.

Desporto Número de alunos Andebol Futebol Basquetebol Voleibol Hóquei 10 8 1 13. apresenta. Sabe-se que a turma tem 27 alunos. que a Marta foi ao cinema só uma vez e a colega Ana foi oito vezes.2 Com os dados da alínea anterior constrói um gráfico de barras e indica a moda do desporto preferido dos alunos da turma da Helena.12 Na turma da Marta fizeram um estudo acerca do número de idas ao cinema dos alunos durante o primeiro período e concluíram que a mediana era quatro.2 Sabendo que a média do conjunto de dados é 3. um possível conjunto de dados correspondente a este estudo. sabendo que a turma tem 24 alunos e que 12. 12. 69 .5% preferem andebol. 13.1 Qual o número mínimo e máximo de alunos que foi ao cinema: a) mais do que quatro vezes? b) menos do que quatro vezes? 12. justificando. Adaptado de Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 13 A Helena elaborou a seguinte tabela com o desporto preferido de todos os alunos da sua turma.1 Completa a tabela.

220. 270. da carga da bateria de 10 modelos diferentes de telemóveis. ano na disciplina de Matemática.Unidade 5 Tratamento de dados Testar 1 o Na tabela seguinte. 270. 180.2 Admite que a mediana das classificações dos alunos da turma é 13 valores. 440. O número de alunos que tiveram classificação de 10 valores e o número de alunos que tiveram classificação de 12 valores estão representados pela letra a. em horas.1 Determina a média das classificações dos alunos que tiveram classificação superior a 12 valores. estão as classificações dos alunos de uma turma do 10. ano – 29/02/2012 2 O seguinte conjunto de dados representa a duração. 8. 300. 190. 70 .) [A] 3 [B] 4 [C] 5 [D] 6 o Adaptado de Teste Intermédio de Matemática. Apresenta os cálculos que efetuaste. 1. 400. 240 Determina a média e a mediana do conjunto de dados. Classificações (em valores) Número de alunos 9 2 10 a 12 a 14 5 15 3 18 2 1. Qual é o valor de a? (Escolhe a opção correta. 360.

2 Comenta a afirmação: “A maioria dos alunos prefere andar de bicicleta”.1 Quantos alunos responderam jogar computador? Justifica. A) 16 14 12 10 8 6 4 2 0 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Número de faltas Número de alunos Determina a mediana do conjunto de dados e o número médio de faltas. turma A. 71 . Ocupação preferida nos tempos livres 31% 29% Ler Andar bicicleta Jogar no computador 4. Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 4 A Joana pretende saber o que os alunos da sua escola preferem fazer nos tempos livres. o Faltas no mês de setembro (7. durante o mês de setembro.3 Observa atentamente o gráfico de barras relativo às faltas dos alunos do 7 o . ano. 4. No gráfico está representado o estudo ilustrativo das respostas dadas por 200 alunos.

x – 3 = 5 – 2x o o membro 2. em que c é um número diferente de zero. f(x) g(x) Cada um dos membros da equação pode ser constituído por uma ou mais parcelas. Equações com o mesmo conjunto-solução dizem-se equivalentes (⇔). ax = c . x – 3 = 5 – 2x Termos com incógnita (x. Cada uma dessas partes diz-se um membro da equação: a que fica à esquerda do sinal é o primeiro membro. Regra prática da adição: numa equação. podemos mudar um termo de um membro para outro desde que se lhe troque o sinal: x+a=b⇔x=b–a Regra da multiplicação: Se se multiplicar ou dividir ambos os membros da equação por um número. diferente de zero. –2x) Termos independentes (–3. b e ax = b ⇔ a b x = . 5) Termos semelhantes são termos que têm a mesma parte literal. ax = b ⇔ c . obtém-se uma equação equivalente à inicial. simplesmente. membro 1. g(x). Os valores da incógnita que transformam a equação numa igualdade verdadeira dizem-se as soluções ou raízes dessa equação. que se designam por termos da equação. e a que fica à direita é o segundo membro. Regra da adição: Se se adicionar (ou subtrair) a ambos os membros da equação um mesmo número. chama-se equação com uma incógnita x a uma expressão da forma f(x) = g(x). Os termos que contêm incógnita denominam-se termos com incógnita. Os termos sem incógnita chamam-se termos independentes. f(x). obtém-se uma equação equivalente à inicial. c c 72 . Uma equação tem sempre duas partes separadas pelo sinal de igualdade (=).Unidade 6 Equações Resumir Dadas duas funções f e g. a equação designa-se por equação linear com uma incógnita ou. Quando as funções f e g que constituem a equação f(x) = g(x) forem funções afins. equação linear.

← Simplificar. agrupar os termos semelhantes (termos com incógnita no primeiro membro e termos independentes no segundo membro). Quando uma equação tem mais do que uma solução diz-se possível e indeterminada.De acordo com as regras anteriores. Uma equação que não admite solução diz-se impossível. o 5. C. ← Adicionar em ambos os membros o termo +12. escolher uma letra (incógnita) que represente o número que é pedido. tornando a fração irredutível. 1. escrever uma equação que traduza o problema. Principais passos na resolução de uma equação o desembaraçar de parênteses. ← Simplificar ambos os membros. aplicar a regra da multiplicação e simplificar para obter o conjunto-solução. o 3. aplicando a propriedade distributiva. = {0} ⇔x=0 Classificação de equações Uma equação que admite uma e uma só solução diz-se possível e determinada. distinguindo o que é dado do que é pedido. Principais passos na resolução de um problema o ler atentamente o enunciado. Exemplo: 2(x – 6) = –12 ⇔ ⇔ 2x – 12 = –12 ⇔ ⇔ 2x – 12 + 12 = – 12 + 12 ⇔ ⇔ 2x = 0 ⇔ ⇔x= 0 ⇔ 2 ← Desembaraçar de parênteses. adicionando os termos semelhantes. verificar se a solução da equação também é solução do problema. reduzir os termos semelhantes. pode definir-se uma sequência de procedimentos que permitem chegar rapidamente à solução de uma equação. resolver a equação. o 4. o 2. apresentar a resposta ao problema. o 6. o 3. ← Dividir ambos os membros por 2.S. 73 . o 4. 1. o 2.

11 2(a – 6) – (a – 4) = 3 2.8 x + 6 = 2x – 12 2.2 2x – 6 = – 10 1.1 x + 6 = 10 2. se algum dos números do conjunto A = {–2.9 –(v – 4) = v – 10 2. 23} é solução da equação: 1.10 –(3 – c) = 0 2. 0.7 t + 3t = 3t – 12 2.12 2(c + 3) = –3c + 4 74 .6 12a – 3 = a + 6 2. 2.1 2x = 10 1.4 4u = 16 2.Unidade 6 Equações Praticar 1 Averigua.5 2b – 20 = 10 2.3 2y – 4 = 12 2.2 2a = 12 2. sem a resolveres.3 –(x – 7) = x + 3 2 Resolve cada uma das seguintes equações.

[A] 2(1 – x) = 16 – (2 – x) [C] x – 4 = x + 4 [B] –4(x – 8) = –8 [D] 21 – 4x = 5 Adaptado de Prova de Aferição de Matemática – D 4 Liga cada uma das equações à sua solução. obteve a solução –4.18 –n – 5(–n – 4) = –(8n – 1) 2. a Joana.15 4(n – 2) – 4(n + 2) = n 2.20 –11d + 9(–d + 3) = d – 7 3 Na aula de Matemática. Assinala a equação que a Joana resolveu.14 4(x – 1) – 3(x – 6) = 0 2.13 –(k – 6) = –3k + 12 2.16 –3n + 3(n – 4) – (n – 1) = 0 2.17 2(x – 3) – 4 = x + 5 2. 2(x – 6) = 12 –x – 4 = –16 + x –(x – 3) = +6 4(x – 3) = 2(x – 4) – (x – 1) –(5 – x) = –(2x – 6) + 3 l l l l l l l l l l –3 + 5 3 +12 +6 + 14 3 75 . depois de ter resolvido corretamente uma equação.2.19 7y – 2(–y – 9) = – 8(–4y – 7) 2.

a Maria a e a Leonor têm 41 pares de brincos.Unidade 6 Equações Praticar 5 A soma de três números pares consecutivos é 66.3 Em conjunto. Quantos pares de brincos tem cada uma delas? 7 Num jardim zoológico.2 Quantos pares de brincos tem a Maria se: a) a Leonor tem 12 pares de brincos? b) a Leonor tem 4m + 3 pares de brincos? 6. 6. Quais são esses números? 6 A Maria e a Leonor adoram brincos. 76 . determina quantas bananas come cada animal. Sabe-se que a Maria tem mais quinze pares de brincos do que a Leonor.1 Quantos pares de brincos tem a Leonor se: a) a Maria tem 54 pares de brincos? b) a Maria tem 3x pares de brincos? 6. dois chimpanzés. Sabendo que o Gervásio come o dobro das bananas do Fialho. o cacho de bananas da figura vai ser utilizado para alimentar o Gervásio e o Fialho.

Em que número pensou o Ricardo? 11 Quando nasceu a sua filha. marcou um total de 50 golos. Quantos golos marcou o Paulo? 9 Os polígonos seguintes são todos regulares. somou-lhe 10 e obteve o triplo do número em que pensou.1 (2x – 6) cm (x + 6) cm 9. 9. tem o triplo da idade dela. O Toni marcou o quádruplo dos golos do Paulo.2 2x cm (x + 4) cm 9. Atualmente.8 Num torneio de matraquilhos.3 (2x + 12) cm –(–x – 30) cm 9. a Margarida tinha 28 anos. Qual é a idade atual da sua filha? 77 . a equipa vencedora. multiplicou-o por 8.4 (3x – 10) cm (x + 8) cm 10 O Ricardo pensou num número. constituída pelo Paulo e pelo Toni. Determina o perímetro de cada um deles.

determina quanto gasta esta família mensalmente em alimentação.Unidade 6 Equações Praticar 12 O gráfico seguinte mostra os gastos mensais de uma família.3 Sabendo que esta família gasta cerca de 200 € mensais em vestuário. 12. Sabendo que há mais 6 automóveis do modelo B do que do modelo A. Sabendo que o número de moedas de 1 € é o dobro do número de moedas de 0.50 €.1 Escreve uma equação que permita determinar o valor de x.2 Resolve a equação que escreveste na alínea anterior. 78 .1 Escreve uma equação que permita determinar a amplitude do ângulo ABC. 12. em moedas de 1 € e de 0. 14 A Filomena tem na sua carteira 7.5 €. que custa 26 000 € e Modelo B. 13 Num stand de automóveis de uma conhecida marca estão expostos 26 automóveis de dois modelos diferentes: Modelo A. que custa 19 500 €. 15 Observa o tirângulo. determina quanto dinheiro receberá o stand se vender todos os automóveis.2 Resolve a equação e classifica o triângulo quanto à amplitude dos ângulos e quanto ao comprimento dos lados. B A 102o 49o C 15. determina quantas moedas de 1 € tem a Filomena na sua carteira. Gastos mensais x% 15% 45% Renda da casa Alimentação Vestuário 29% Outros 12. 15.50 €.

) [A] –13 é solução da equação. Esses livros eram todos de dois autores portugueses: José Saramago e Vergílio Ferreira.2 20. O Cândido. b) o 2. o membro dessa equação. 19 Considera a equação 8(–a +2) + 12a = 3 + 4. Na alínea anterior escreveste uma equação. 18 Na figura estão representados um quadrado e um triângulo equilátero.16 A Leonor adora ler! No ano passado. do Tiago e do Cândido é 43 anos. [B] a equação é impossível porque a solução é negativa. [C] a equação 2a – 2 = 9 – a + 2 não é equivalente à dada. Indica: o membro dessa equação. 3(x + 2) 5x – 12 Determina x de modo que os dois polígonos tenham o mesmo perímetro. [D] a equação é possível indeterminada. 79 . Pode-se afirmar que: (Escolhe a opção correta. determina o número de livros lidos de cada autor. tio do Tiago. Sabendo que a soma das idades do Pedro.1 Traduz para linguagem matemática: “A soma do triplo de um número com quinze é igual à diferença entre cinquenta e cinco e esse número”. Sabendo que a Leonor leu mais dois livros de José Saramago do que de Vergílio Ferreira.1. 20 20. 20. começando por equacionar o problema. tem o dobro da idade do Pedro. Vergílio Ferreira José Saramago 17 O Tiago é mais velho que o Pedro três anos. determina a idade do Pedro. a Leonor leu 12 livros.3 Resolve e classifica a equação obtida em 20. a) os termos do 1.

sabendo que a figura ao lado tem 76 cm de perímetro. Embarcaram 39 pessoas. daí surgiu uma embarcação única. Hoje. Determina quantos eram os portugueses. além de o enfeitarem. e à medida que eles deslizam para o meio do rio. podemos ver alguns barcos rabelos que. calma e incomparável. fazem as suas viagens pelo Douro e despertam a curiosidade e admiração de todos quando os veem passar. 80 . Quando entramos nos barcos rabelos. temos a sensação que nos encontramos num paraíso natural. Estes barcos levam as pessoas a percorrer um caminho inesquecível e a admirar uma paisagem deslumbrante. 22 Observa a figura ao lado.) [A] r = 51 [C] r = 52 [B] r = 64 [D] r = 38 (2r – 50)o (r + 37)o (r – 11)o 23 Determina o valor de a. Pode afirmar-se que: (Escolhe a opção correta. de três nacionalidades diferentes: os portugueses eram o triplo dos espanhóis. o barco rabelo. por sua vez. 2 a+6 a a+6 24 Observa os dois polígonos seguintes. especialmente adaptado a este rio acidentado. Porto Retirado de site promocional a cruzeiros do Douro Uma das empresas turísticas que opera no rio Douro é proprietária do barco “Rabelo Douro”.Unidade 6 Equações Praticar 21 No passado havia a necessidade de transportar o vinho do Porto para Vila Nova de Gaia. este barco partiu do cais de Vila Nova de Gaia para um curto passeio panorâmico. Ontem de manhã. Polígono A Polígono B 3 cm (2x + 6) cm 6 cm Sabendo que o polígono B tem o dobro da área do polígono A. determina o seu perímetro. que. eram o triplo dos italianos.

se: a) todos os convidados consumirem duas bebidas. a Luísa e o Vasco resolveram a mesma equação.1 Se cada convidado consumir uma bebida. Na tabela seguinte apresenta-se a resolução de cada um deles. explicando os erros que os outros dois alunos cometeram. no restaurante. onde apenas uma está totalmente correta. 81 . o Adaptado de Prova de Aferição do 3. mas chegaram a soluções diferentes. Todos os amigos do Francisco foram convidados..25 O José. Dada a ocasião.. Ciclo do Ensino Básico – E 26 O Francisco faz treze anos e os seus pais organizaram-lhe uma festa-surpresa. é 5n + 2n. b) dois dos convidados não consumirem bebidas e todos os outros consumirem apenas uma. a expressão que representa o valor a pagar pelos pais do Francisco. José Luísa Vasco 2(x – 7) = x + 4 ⇔ 2x – 7 = x + 4 ⇔ 2x – x = 4 + 7 ⇔ x = 11 2(x – 7) = x + 4 ⇔ 2x – 14 = x + 4 ⇔ 2x – x = 4 + 14 ⇔ x = 18 2(x – 7) = x + 4 ⇔ 2x – 14 = x + 4 ⇔ 2x + x = 4 – 14 ⇔ 3x = –10 ⇔x=– 10 3 Qual dos alunos resolveu a equação corretamente? Justifica a tua resposta. na aula de Matemática.2 Escreve uma expressão que represente o valor a pagar pelos pais do Francisco. a gerência do restaurante fez um orçamento especial. O que representa a variável n na expressão? 26. mas ainda ninguém confirmou a sua presença. Orc¸amento: Comida e Sobremesas sem restric¸o˜es 5 € por pessoa Bebidas a` parte 2 € por bebida O aniversariante e seus pais na˜o pagam! Muitos parabe´ns A gereˆncia 26. no seu restaurante preferido.

o Paulo gosta de se divertir tentando colocar uma balança de pratos em equilíbrio. consideraram a hipótese de que todos os amigos do Francisco vinham à festa. Determina a percentagem de camisas com defeito produzidas na empresa nesses três dias. tendo verificado que a diferença entre o número de camisas sem defeito e o número de camisas com defeito era 2800. Determina quanto pesa cada frasco de detergente. o Renato tem o triplo da idade do André. Quando não está ninguém na loja. Ontem de tarde. b) forem 11 os convidados e todos consumirem duas bebidas.3 Determina o valor a pagar pelos pais do Francisco se: a) forem 10 os convidados e todos consumirem uma bebida. analisou detalhadamente todas as camisas produzidas na empresa na segunda. 82 . Que idade tem o Renato? 28 A mãe do Paulo tem um minimercado. Com base nestes pressupostos.Unidade 6 Equações Praticar 26. Daqui a 5 anos. o Paulo conseguiu equilibrar a balança três vezes. a diferença entre as suas idades será 6 anos. Na semana passada. o encarregado de confeção decidiu efetuar um controlo de qualidade à produção. 29 Uma empresa de confeção tem uma produção diária de 1000 camisas. Explica o teu raciocínio. Quantos amigos tem o Francisco? 27 Hoje.4 Os pais do Francisco tentaram fazer uma estimativa do valor que teriam que pagar. terça e quarta-feiras. 26. Para isso. chegaram à conclusão que iam pagar 80 €. Para isso. que metade deles bebia uma bebida e que a outra metade bebia duas.

determinando as coordenadas dos pontos A.1 32. Brochura de Apoio ao NPMEB – Equações 83 . ˆB = BC ˆA. 32. 33.2 a figura da sequência? Explica como obtiveste a resposta. 33. Quantas setas tem? Desenha a 6. Figura 1 Figura 2 Figura 3 33. numa delas. representado ao lado. apresentam-se duas equações na incógnita x.3 Determina o termo geral da sequência.5 Existe alguma figura que tenha 2429 setas? Justifica a resposta. 33. sendo que.1 a figura da sequência. Consegues descobrir as coordenadas dos três pontos?”. 32 Em cada uma das seguintes alíneas. 33.2 x + 4 = 12 e 2x – k = 5 2(x – 16) = k e 2x – (x + 12) = 18 – x 33 Observa a seguinte sequência.4 Utiliza uma equação para calcular o termo da sequência que tem 1738 setas. B (5x – 5) cm (x + 3) cm (x + 1) cm A (3x) cm C 31 O João escreveu as coordenadas de três pontos: A(2(c – 6).30 Considera o triângulo [ACB]. Ajuda o Pedro. B(2c – 6. B e C. b + 12). Sabendo que as equações são equivalentes. c – 5). C(4. um número foi substituído por k. 3b – 10) e lançou o seguinte desafio ao seu colega Pedro: “O ponto A tem a mesma abcissa que o ponto C que. determina o perímetro e Sabendo que CA a área do triângulo [ABC]. tem a mesma ordenada que o ponto B. por sua vez. Qual é a quantidade total de setas da 121. determina em cada caso o valor de k.

1 2. Em que número pensou o Anabela? 84 . multiplicou a soma por 2 e obteve o quádruplo do número em que pensou.3 Inventa um problema que possa ser traduzido pela equação anterior. Verifica.2 Indica o primeiro membro da equação. 3 A Anabela pensou num número.1 2(x – 6) = 2x + 4 1. 1. sem a resolveres.Unidade 6 Equações Testar 1 Resolve e classifica as seguintes equações.4 –(–x – 6) –2x = –x 2 Considera a equação 2x – 12 = –(x + 6). 2. somou-lhe 10.2 –(–x + 12) = 2(x – 6) – x 1. se 3 é solução da equação. 2. 2.4 Prova que a equação considerada é equivalente à equação 2x – 12 = –4x.3 3x – 17 = –(–2x + 10) 1.

basta que me dês 12 dos teus”. na incógnita x.4 O Manuel. Prova que. Quantos cromos tem o André? 6 Observa os dois polígonos seguintes. 7 Considera a equação 3x + k = kx – 8. determina quanto pagará o Manuel. para ficarmos com o mesmo número. Sabendo que cada quilograma de cebolas custa 1. a pedido da sua mãe. Polígono A Polígono B 2 cm (x + 6) cm 4 cm Comenta a afirmação: “Os dois polígonos não têm o mesmo perímetro”. que têm a mesma área. contudo.3 €. a equação nunca será possível indeterminada. Na figura seguinte está a representada a pesagem das cebolas que o Manuel pretende comprar. 5 O André disse ao Afonso: “Tu tens o dobro dos meus cromos. 85 . independentemente do valor de k. foi ao supermercado comprar cebolas.

tomando o outro para unidade. A razão constante entre os comprimentos dos lados correspondentes de figuras semelhantes chama-se razão de semelhança (r > 0). Recíproco do Teorema de Tales Se duas retas determinam em duas retas concorrentes segmentos de reta correspondentes proporcionais. os ângulos correspondentes são geometricamente iguais e a razão entre os comprimentos de segmentos correspondentes é constante. r>1 Razão de semelhança (r > 0) r<1 r=1 Ampliação Redução Isometria Para construir figuras semelhantes podem utilizar-se diferentes métodos. Duas figuras dizem-se semelhantes se tiverem a mesma forma. Teorema de Tales Duas retas paralelas determinam em duas retas concorrentes segmentos de reta correspondentes proporcionais. ou. sendo comum utilizar-se as letras r ou k para a simbolizar.Unidade 7 Figuras semelhantes Resumir Dois segmentos de reta dizem-se comensuráveis quando (e apenas quando) existe uma unidade de comprimento tal que a medida de ambos é expressa por números inteiros. se verifica uma ampliação Duas figuras dizem-se semelhantes se: são geometricamente iguais se verifica uma redução Em figuras semelhantes. Por exemplo: Método da quadrícula Método da homotetia Pantógrafo O B’ A’ C’ A C D’ B D 86 . quando (e apenas quando) um deles pode ser medido através de um número racional. de forma equivalente. então essas duas retas são paralelas.

• Dados dois triângulos semelhantes. F C 3 2 6 4 F C C 2 F 4 A 3 B D D–F 6 = =2 A–C 3 F–E 4 = =2 C–B 2 D–E 6 = =2 A–B 3 6 E A B D ˆB = DF ˆE AC ˆA = FE ˆD CB E A 3 B D F–E 4 = =2 C–B 2 D–E 6 = =2 A–B 3 ˆA = FE ˆD CB 6 E Pelo critério AA. Dois triângulos são semelhantes se têm dois ângulos geometricamente iguais. 87 . o triângulo [ABC] é semelhante ao triângulo [DEF]. o quociente entre os respetivos perímetros é igual à razão de semelhança.8 Ângulos correspondentes ˆ =E ˆ A ˆ =F ˆ B ˆ =G ˆ C ˆ =H ˆ D Lados correspondentes [AB] Æ [EF] [BC] Æ [FG] [CD] Æ [GH] [DA] Æ [HE] A 45 F 135o 4 135o G 2. o quociente entre as respetivas áreas é igual ao quadrado da razão de semelhança.8 45o E 45o 8 H [ABCD] ~ [EFGH] ↓ é semelhante a… Triângulos semelhantes Para verificar se dois triângulos são semelhantes não é necessário comparar os três lados e os três ângulos dos dois triângulos. o triângulo [ABC] é semelhante ao triângulo [DEF]. Basta utilizar um dos seguintes critérios. Critérios de semelhança Critério lado-lado-lado (LLL) Critério ângulo-ângulo (AA) Critério lado-ângulo-lado (LAL) Dois triângulos são semelhantes se têm os três lados proporcionais.4 135o o 2 135o 4 C 1. Perímetros e áreas de figuras semelhantes • Dados dois triângulos semelhantes. Pelo critério LAL. Pelo critério LLL. Exemplo: B 1. o triângulo [ABC] é semelhante ao triângulo [DEF].4 45 o Notação D 2.Polígonos semelhantes Dois polígonos são semelhantes se e só se os ângulos correspondentes são congruentes e os comprimentos dos lados correspondentes são proporcionais. Dois triângulos são semelhantes se têm dois lados proporcionais e os ângulos por eles formados geometricamente iguais.

Qual? A. identifica. [A] [B] [C] [D] 2 Na grelha de triângulos equiláteros estão representados vários triângulos.Unidade 7 Figuras semelhantes Praticar 1 Observa a figura. B. Tendo em conta unicamente a medida do comprimento dos lados. em cada caso. 88 Os triângulos A e C são geometricamente iguais. justificando. Apenas uma de entre as quatro afirmações seguintes é falsa. O triângulo A é uma ampliação do triângulo B. C. . a razão de semelhança. O triângulo C é uma redução do triângulo A. os pares de triângulos semelhantes e indica. Os triângulos B e C são geometricamente iguais. D. Quais das seguintes figuras são semelhantes à anterior? Justifica. 1 5 6 2 3 4 Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 3 Observa a figura.

5. B A 4. utilizando a respetiva razão de semelhança.5 Razão de semelhança: 3 Utilizando o quadriculado seguinte. indica se a razão de semelhança é superior ou inferior a 1.4 No esquema seguinte. Desenha. Com o auxílio de uma régua graduada. no mesmo esquema.4 5 Observa as seguintes figuras. 4. 89 . Justifica a tua resposta. uma redução de A de razão 0. determina a razão de semelhança.3 4.1 4. constrói uma figura semelhante a cada uma das anteriores. Razão de semelhança: 1 Razão de semelhança: 0.2 Como se chama o método utilizado para efetuar a ampliação? Sem efetuar qualquer medição. B é uma ampliação de A.

8 Assinala. de entre as afirmações seguintes. C. Duas figuras com a mesma forma dizem-se geometricamente iguais. justificando. B. se são verdadeiras ou falsas as seguintes afirmações. 90 . A.3 Figura 1 Razão de semelhança: _____ Figura 2 7 Indica. D. Todos os hexágonos são semelhantes.Unidade 7 Figuras semelhantes Praticar 6 Em cada uma das seguintes situações apresentam-se duas figuras semelhantes. 6.1 Figura 1 Figura 2 Razão de semelhança: _____ 6. Todos os quadriláteros são semelhantes. E. B. Duas figuras geometricamente iguais são semelhantes. Duas figuras semelhantes são geometricamente iguais. F. Dois quadriláteros não podem ser semelhantes. C. a única que é verdadeira. Todos os triângulos retângulos são semelhantes. A. Para cada uma delas. Todos os círculos são semelhantes.2 Razão de semelhança: _____ Figura 2 Figura 1 6. indica a razão de semelhança da figura 1 para a figura 2. Todos os triângulos são semelhantes.

3 2 cm 74o 3 cm 4 cm 74o 6 cm 91 .1 Apenas uma de entre as quatro afirmações seguintes é verdadeira. R1 R2 R4 R3 R5 R6 9.9 Observa os retângulos. 9. [B] Os retângulos R1 e R6 são semelhantes. numa semelhança de razão 2 . [D] Entre os retângulos representados não há dois que sejam semelhantes.2 56o 34o 10. 3 10 Prova que os pares de triângulos seguintes são semelhantes. 10. [C] Os retângulos R2 e R6 são semelhantes. constrói um retângulo semelhante a R5.1 4 2 2 1 3 6 10.2 No quadriculado seguinte. Qual? [A] Todos os retângulos representados são semelhantes.

respetivamente. utilizando o Teorema de Tales: – E–D DF E–F D–F E–D D–F E–F D–F = e = pelo que = e = – E–P … E–Q … BA … B–C … 11. Determina o valor exato do comprimento do segmento de reta [AC]. respondendo às seguintes questões.2 cm A C D 1 cm E F 12.1 No triângulo [DEF] marca dois pontos P e Q que pertencem.3 Determina o valor exato do comprimento do segmento de reta [EF]. 12.4 cm 2.6 De acordo com o critério LLL de semelhança de triângulos. 92 . Justifica que [PQ] é paralelo a [DF] 11. Acerca dos dois triângulos [ABC] e [DEF] representados.1 12. B 5 cm 4. 11.3 11.Unidade 7 Figuras semelhantes Praticar 11 ˆC = DE ˆF e que E–D = E–F .5 Completa as igualdades seguintes. 11. sabe-se que AB B–A B–C B B C D F A Prova que os triângulos [ABC] e [DEF] são semelhantes. 11.2 Completa a afirmação: “O triângulo [DEF] é uma _______________ do triângulo [ABC]”. completa a proporção = com comprimentos de lados do … … triângulo [PEQ].2 Justifica que os triângulos [ABC] e [DEF] são geometricamente iguais.4 – E–D EF Atendendo à alínea anterior. o que podes conclui? Adaptado de Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 12 Na figura seguinte encontram-se representados dois triângulos semelhantes. aos lados [ED] e [EF] e tais que E–P = B–A e E–Q = B–C.

5 cm 1 cm 4 cm 3 cm 61o 2 cm 80o 14.13 Observa os triângulos [ABC] e [DEF]. 15 Observa a figura e determina o comprimento de [AC]. 14. D A 7. A 4c DE // AC m D 4 cm C E 6c m B 93 . representados de seguida. Explica o teu raciocínio.1 Prova que os triângulos são semelhantes.2 Determina a amplitude do ângulo ϕ. 2 cm 1. 14 Observa os dois triângulos representados de seguida.5 6 4 5 B 3 C E y F Qual é o valor de y que garante que os triângulos são semelhantes? Explica o teu raciocínio.

A 2.4 Calcula o quociente entre as áreas do segundo e do primeiro quadrado. 16.” Adaptado de Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 17 Observa os seguintes polígonos.2 17.2 Indica a razão da semelhança que transforma o primeiro quadrado no segundo.Unidade 7 Figuras semelhantes Praticar 16 Considera um quadrado de lado a e um quadrado de lado b.3 17.6 cm G C Sabendo que [ABCD] é semelhante a [EFGH]. 16.4 94 a razão de semelhança da redução.1 Justifica que os dois quadrados são semelhantes. ou seja. sendo a e b números racionais. a b 16. . 16. o comprimento do segmento FG. a razão de semelhança da ampliação. a amplitude do ângulo β. a.5 Completa a afirmação: “Dois quadrados são sempre semelhantes sendo a razão entre as áreas igual ao _________________________ da razão de semelhança.3 Escreve uma expressão da área do segundo quadrado utilizando a medida do lado do primeiro.5 cm 1.1 17.5 cm B D F H E 4. 16. determina: 17.

8 cm C B P1 A E A’ E’ D 1.15 cm 2. justificando. 18. por uma semelhança que transforma um ponto C num ponto C’.3 Sabendo que a área do polígono P2 é igual a 14. B. 18. C. 95 .2 Sabendo que o perímetro do polígono P1 é igual a 7. determina o perímetro do polígono P2 e a medida de A’–B’ e de C’–D’. C’ 2.18 Na figura estão representados dois pentágonos semelhantes.1 Indica a razão de semelhança que transforma P1 em P2. responde às seguintes perguntas. Adaptado de Caderno de Apoio às Metas Curriculares do Ensino Básico 19 Observa os seguintes pares de polígonos e indica.3 cm P2 D’ B’ 3 cm Tendo em conta os dados da figura e que C–D = A–B. A. se são semelhantes.65 cm.7 cm2 determina a área do polígono P1. 18.

completa a construção do triângulo [DEF]. 96 . a partir do ponto D.3 21. a partir do ponto E. representado de seguida. Sabendo que o lado [DE]. 2 Completa a afirmação: “As respostas às três alíneas anteriores levam-me a admitir que _____________________________”. 21 Na figura seguinte estão representados o triângulo [ABC] e os pontos D. uma redução de razão 1 .2 21. representado de seguida. é o lado correspondente ao lado [AB]. uma redução de razão Utilizando o método da homotetia. 2 1 . constrói. constrói. E e F. a partir do ponto F.Unidade 7 Figuras semelhantes Praticar 20 Observa o triângulo [ABC]. B A C O triângulo [ABC] é uma redução de um triângulo [DEF]. 2 1 . B D F A C E 21. constrói. uma redução de razão Utilizando o método da homotetia.1 21.4 Utilizando o método da homotetia. D E Nota: A utilização de uma régua e de um transferidor é essencial à resolução desta questão.

determina a sua área. 6 cm 23. C ? cm H 4 cm Círculo 2 Círculo 1 Sabendo que Área do círculo 1 = 25. A área do pentágono resultante é 18 m2 superior à área do pentágono original. Área do círculo 2 23 O retângulo representado de seguida tem 24 cm2 de área. 97 .22 Observa os dois círculos seguintes. A D 10 m B C Sabendo que o canteiro está representado à escala. determina a razão de semelhança.1 Determina a área do retângulo que se obtém numa ampliação de razão 7 do retângulo da figura. determina o raio do círculo 1. 23.2 1 Determina o perímetro do retângulo que se obtém numa redução. 25 Um pentágono foi ampliado. de razão do retângulo da fi2 gura. 24 O Paulo é jardineiro. Sabendo que o pentágono original tem 6 m2 de área. O retângulo seguinte representa o canteiro onde o Paulo costuma plantar rosas.

27. com atenção. Comenta a afirmação do Filipe. explicando o teu raciocínio. O Filipe. 2). observando os dois triângulos. 4) e C(-2. A 4 cm 117o 7. afirmou: “Mesmo não conhecendo as dimensões dos triângulos tenho a certeza que os triângulos são semelhantes”.2 Unindo os pontos A. Prova que os dois triângulos são semelhantes. que passa no ponto de coordenadas (5. obtém-se um polígono. Explica detalhadamente como procedeste.4 Indica a amplitude do ângulo β. interseta o polígono [ABC] num segmento de reta.3 28.2 Calcula a área do triângulo [ABC].3 Determina a área do triângulo [DEF]. A 60o 60o 60o C B João Carlos 27 Observa. os triângulos [ABC] e [DEF]. 28.1 27. 28.1 Assinala no referencial os pontos A(-2.Unidade 7 Figuras semelhantes Praticar 26 O professor de Matemática pediu aos seus alunos que construissem um triângulo no seu caderno. x 6 5 4 3 2 1 –5 –4 –3 –2 –1 0 –1 –2 –3 –4 –5 1 2 3 4 5x 98 . A reta paralela ao eixo das abcissas. 28 Considera o referencial ao lado. 28. representados de seguida. 27. B(2. Determina o comprimento desse segmento de reta. 4). de razão 2. 1). B e C.4 Constrói uma ampliação do polígono [ABC]. Classifica-o quanto ao comprimento dos seus lados e quanto à amplitude dos seus ângulos. construída a partir do vértice A.2 cm F 3.6 cm 34o 34o 2 cm D B 4 cm C E 27. Na figura seguinte encontram-se representados os triângulos construídos pelo João e pelo Carlos.

Spring 2004. Grade 8. prova que os triângulos são semelhantes. r 90o 60o 90 o 30o a c 30o b s 60o t Qual das seguintes proporções se verifica para este par de triângulos? [A] a c = s t [B] a b = s t [C] a c = s r [D] a s = s b Adaptado de Virginia Standards of Learning Assessments. A E C B C–B C–A 1 Sabendo que = = . X e Y. 99 . por um plano paralelo à sua base. 3 4 C 2 Y 5 X Tendo em conta as dimensões apresentadas na figura. C. Core1 30 Na figura seguinte estão representados os triângulos [ABC] e [CDE]. foi cortado em duas partes. C–E C–D 2 D 31 Um cone.29 Os dois triângulos representados de seguida são semelhantes. que se encontram expressas em centímetros. determina a altura do cone X.

syllabus D 34 Sabendo que.Unidade 7 Figuras semelhantes Praticar 32 Observa com atenção a figura. X e Z. prova que os triângulos [ABE] e [CDE] são semelhantes. [AC]. Sabe-se que os pontos W. estão alinhados. • EF//AC.2 – = 25 m.1 F cm 7. 33 De modo a poder determinar a distância entre dois pontos.4 cm de perímetro. Sabendo que VW Adaptado de University of Cambridge International Examinations.2 32. W 25 160 Y X V 40 Z Rio ˆX = ZY ˆX = 90o. 32. Determina o perímetro do triângulo [ABC]. e um segmento de reta. • o ponto E encontra-se a igual distância de A e de D. 32. 33. October/November 2007. A E B D C 100 . nas duas margens do rio foram efetuadas diversas medições.6 A 5 cm E D Prova que os triângulos [EFD] e [ABC] são semelhantes. e que WV 33. uma das suas diaB C gonais. bem como os pontos V. Y e Z. Sabe-se que: • o paralelogramo [ABCD] tem 34. as retas AB e CD são paralelas. • o ponto F encontra-se a igual distância de D e de C. [EF]. calcula YZ – . VX – = 40 m e XY – = 160 m. X e Y. na figura ao lado.1 Mostra que os triângulos [VWX] e [YZX] são semelhantes.3 Determina a razão entre as áreas dos triângulos [EDF] e [ADC]. na qual se está representado o paralelogramo [ABCD].

que tem 2 m de altura.1 Explica porque é que os triângulos [ABC] e [CDA] são semelhantes. determina a altura de cada uma das outras três barras. October/November 2005. AC – = 6 cm e CD – = 9 cm. BC – = 7 cm. Sabendo que a rampa assenta no chão a 8 m da base da barra maior.35 Comenta a afirmação: “Um triângulo retângulo pode ser semelhante a um triângulo isósceles. 37 Observa a figura ao lado. 38 ˆB = CD ˆA.2 37. José utilizou uma rampa. Sabendo que AB Adaptado de University of Cambridge International Examinations. 90o B 45o C 4 cm E D 37. calcula AD – . 2m 8m Para que a rampa não cedesse com o peso do pipo. tal como mostra a figura ao lado. AB//DC e AC 38. José colocou quatro barras de suporte. mas nunca poderá ser semelhante a um triângulo equilátero”. o Sr. de4 termina a área do triângulo [DEF]. Na figura. 37. Para carregar o pipo no seu camião. igualmente espaçadas.4 5 Sabendo que o triângulo [DEF] se obtém do triângulo [ABC] numa ampliação de razão .1 Prova que o triângulo [ABC] é isósceles. o Sr. José pretende transportar um pipo de vinho.2 – = 4 cm. Prova que os triângulos [ABC] e [DEF] são semelhantes.3 Determina a área do triângulo [ABC]. A F 37. A D B C 38. syllabus D 101 . 36 O Sr.

2 Justifica que as diagonais [AC] e [A’C’] estão na mesma proporção que os pares de lados correspondentes nos dois polígonos. 2. justifica que as diagonais [BD] e [B’D’] estão na mesma proporção que os pares de lados correspondentes nos dois polígonos.1 D 2 Completa os espaços em branco.1 Tendo em conta as condições expressas na figura. 3.1 2. de razão 2.2 2. Determina duas homotetias que transformem [AB] em [CD] e.8 74o 81o C 4 3. mostra que os triângulos [ABC] e [A’B’C’] são semelhantes.4 D’ 3. sendo o ponto O o centro da homotetia. Termina a construção do André. A C B 2.5 4. as figuras dizem-se geometricamente iguais. 4 O André estava a construir uma ampliação do polígono [JLKI].3 Utilizando um raciocínio análogo ao efetuado nas alíneas anteriores. Se B é uma ampliação de A em que se triplicaram todos os comprimentos. indica a respetiva razão de semelhança. B 2 A 72o 81o 133o B’ 1. então a razão de semelhança de A para B é __________________. O I J L K J’ 102 .5 D 1. 3. mas não a conseguiu terminar. de modo a obteres afirmações verdadeiras.3 Duas figuras dizem-se semelhantes quando têm a mesma __________________. Quando a razão de semelhança entre duas figuras é __________________.Unidade 7 Figuras semelhantes Testar 1 Considera os segmentos de reta paralelos [AB] e [CD]. Prova que os dois polígonos são semelhantes respondendo às seguintes questões. 3 Considera os quadriláteros [ABCD] e [A’B’C’D’] representados na figura em que se indicam as medidas dos comprimentos dos respetivos lados bem como as medidas de amplitude dos ângulos.4 Conclui das alíneas anteriores que os quadriláteros são semelhantes. 3.6 1.2 74o C’ 72o A’ 133o 3 2. para cada uma delas.

5

Considera um segmento de reta [AB] com 4 cm de comprimento. 5.1 Efetuou-se uma redução do segmento de reta [AB]. O segmento de reta obtido tem 0,8 cm de comprimento. Qual dos seguintes valores é igual à razão de semelhança desta redução? [A] 0,2 5.2 [B] 0,3 [C] 0,4 [D] 0,5

Na figura abaixo, está desenhado o segmento de reta [AB], numa malha quadriculada em que a unidade de comprimento é um centímetro.

A

B 1 cm

de área. Existem vários triângulos com 6 Recorrendo a material de desenho e de medição, constrói, a lápis, nesta malha, um desses triângulos, em que um dos lados é o segmento de reta [AB]. Apresenta todos os cálculos que efetuares. 5.3 O triângulo que construíste na alínea anterior obteve-se de um triângulo [XYZ], numa ampliação de razão 3. Determina a área do triângulo [XYZ].

cm2

o Adaptado de Exame Nacional de Matemática, 3. Ciclo do Ensino Básico, 2007

6

Para determinar a distância entre dois pontos A e B, utilizou-se o seguinte esquema.

A

B

C D

Rio E BD//AE

6.1

Prova que os triângulos [ACE] e [BCD] são semelhantes.

6.2

– = 10 m, CD – = 4 m e DE – = 6 m, determina a distância entre os pontos A e B. Sabendo que BC

103

Provas globais

De seguida apresenta-se um conjunto de 3 provas globais, com o objetivo de te prepararem o ano de escolaridade. para a prova que irás realizar no final do 9. As provas são precedidas de 3 tabelas com a identificação do conteúdo trabalhado em cada exercício, para uma mais fácil identificação da matéria em avaliação.

104

Grelhas de conteúdos
Prova global 1
Unidade Números Funções Sequências e regularidades Figuras geométricas Tratamento de dados Equações Figuras semelhantes 1.1 1.2 2.1 2.2 2.3 3. 4. 5.1a) 5.1b) 5.2 6.1 6.2 6.3 6.4a) 6.4b)

X X X X X X X X X X X X X X X X

Prova global 2
Unidade Números Funções Sequências e regularidades Figuras geométricas Tratamento de dados Equações Figuras semelhantes 1.1 1.2a) 1.2b) 1.2c) 2.1 2.2 2.3 3.1 3.2 3.3 4.1 4.2 4.3

X X X X X X X X X X X X X

Prova global 3
Unidade Números Funções Sequências e regularidades Figuras geométricas Tratamento de dados Equações Figuras semelhantes 1.1 1.2 1.3a) 1.3b) 1.3c) 2.1 2.2 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5 3.6a) 3.6b)

X X X X X X
105

X

X

X

X X X

X

X

Numas filas à sua frente.2 Nessa sessão foram vendidos bilhetes para todas as filas. A temperatura. para a segunda 5 e para a terceira 8. pode ser dada.2 Qual foi. da sala. com C expresso em graus Celsius e t expresso em horas. A Anabela sentou-se no lugar assinalado com a letra A. Esta sala é composta por várias filas. em graus Celsius. aproximadamente. sabendo que o Ivanildo se encontra distanciado dele 6 m. o Exame Nacional de Matemática do Ensino Básico. C.Prova global 1 1 Numa pequena Vila do interior do país.1 Qual era a temperatura na sala. abriu uma sala de cinema que apresenta. 2008 – 1. 2 Na passada quinta-feira.1 Se a regularidade se tivesse mantido.3 No final do filme. Explica o teu raciocínio. Explica o teu raciocínio. para a primeira fila foram vendidos apenas 2 bilhetes. em graus Celsius? Explica como chegaste à tua resposta. o aumento da temperatura por hora. a temperatura na sala era de 24 graus Celsius. que se encontravam a 5 m um do outro. Determina a largura do ecrã. t horas após a avaria e até ao final do filme. cinema português. 2. 9. Supondo que a regularidade anterior se manteve. 2. todas com 23 lugares. pela expressão C = 21 + 2t. sendo que a última ficou completa. Numa determinada sessão.a chamada 3 A figura ao lado representa a sala de cinema. ano. uma hora após a avaria? 2. exclusivamente. na sala. determina quantas filas tem o cinema. o aparelho de ar condicionado da sala teve uma avaria durante a exibição de um filme. sentaram-se o Ivanildo (I) e o Janício (J). quantos bilhetes teriam sido vendidos para a sexta fila? 1. 1. a uma distância de 10 m do ecrã. Ecrã I J A 106 . Há quanto tempo tinha ocorrido a avaria? Apresenta o resultado em minutos.

a) DC ˆC. Quanto se vai gastar nesta operação? Explica o teu raciocínio. A–B = 3. 107 . e todas as paredes. ˆD = 72o.4 Tal como a figura da questão anterior sugere.2 Determina a área do logótipo. 6 Para a escolha do melhor logótipo realizou-se um concurso em que participaram adolescentes e adultos. • EC • B–C = 7 dm. Adolescentes Feminino Masculino 9 18 Adultos 21 32 6.3 Quantos adultos participaram no concurso? Quantas pessoas do sexo masculino participaram no concurso? Com base na informação da tabela completa o gráfico de barras seguinte. b) adultos. b) AD 5. E–D = 3 dm.2 6. Sabe-se que a sala tem 225 m2 de área e um pé-direito (distância do pavimento ao teto) constante e igual a 15 m. 5.1 6. A D Sabe-se que: Português Cinema B C E • [ABCD] é um paralelogramo. O logótipo vencedor foi o seguinte.1 Determina: ˆB. C–E = 1 dm. 5 A direção da empresa responsável pela sala de cinema abriu um concurso para escolha do melhor logótipo para a empresa. • [DCE] é um triângulo retângulo escaleno. Pretende-se forrar o teto. distribuídos de acordo com a tabela seguinte. com um material que melhora o isolamento acústico da sala e que custa 125 €/m2. Participantes no concurso do melhor logótipo 60 50 40 Número de 30 participantes 20 10 0 Feminino Masculino Sexo 6.16 dm. a sala tem a forma de um quadrado.4 Indica a percentagem de participantes: a) do sexo feminino.

no qual se pode ver a disposição das macieiras e das coníferas para um número qualquer (n) de filas de macieiras. 2.3 108 . n=1 X X X X l X X X X X X X X X n=2 X X X X l X X l l X X X X X l n=3 X X X X X X X X X X X X X l l X X l l l X X l l l X X X X X X X l n=4 X X X X X X X X X X X X X X X X X l l l X X l l l l X X l l l l X X l l l l X X X X X X X X X l X = conífera l = macieira 1. diversas frutas. a) Indica uma expressão algébrica que permita determinar o número de macieiras de uma qualquer figura desta sequência.1 Completa a tabela. para as proteger do vento. completa a tabela ao lado: 2. etc. o Ezequiel utiliza um pesticida que não tem efeitos nocivos para o meio ambiente. Este pesticida é vendido em sacos de 10 kg. Esta situação está ilustrada no diagrama seguinte. c) Haverá alguma figura com 98 macieiras? Porquê? Adaptado de Pisa 2000 2 Para combater o bicho da fruta. Para as plantar. b) Indica uma expressão algébrica que permita determinar o número de coníferas de uma qualquer figura desta sequência.2 Seja h a função que ao número de sacos comprados. n. n 1 2 3 4 5 Números de macieiras 1 4 Números de coníferas 8 1.Prova global 2 1 O Ezequiel comprou recentemente um terreno agrícola onde cultiva vários produtos: cebola.1 Na semana passada o Ezequiel comprou 12 0 12 7 Número de sacos sacos e pagou 180 €. batata. 2. utiliza um padrão quadrangular e. planta coníferas à volta do pomar.2 Seja n o número de filas de macieiras. O Ezequiel destinou uma grande parte do terreno à plantação de macieiras. Com base nesta infor180 45 Preço (€) mação. Escreve uma expressão algébrica de h. Este mês. o Ezequiel gastou 150 € na compra de pesticida. Quantos quilogramas comprou? Explica o teu raciocínio. associa o valor a pagar pelo Ezequiel.

O número de cabazes de legumes vendidos em cada um dos 15 primeiros dias deste mês foi: 10.3 Os cabazes que não são vendidos são colocados numa enorme arca frigorífica com a forma de um cubo. O Ezequiel pretende forrar o chão dessa arca com um material antiderrapante que custa 15 €/m2.1 Determina a amplitude dos ângulos α.2 Uma cliente comprou dois cabazes de legumes.3 Na figura apresenta-se um esquema do terreno comprado pelo Ezequiel. 14. qual dos seguintes diagramas corresponde à informação dada. 0 1 6 7 7 8 8 9 0 0 2 4 4 5 7 7 8 0 1 6 7 7 7 8 8 9 0 0 2 4 4 5 7 8 4. justificando. 18. 9.2 Determina a área destinada às macieiras. Sabendo que a cliente pagou 18. 4 O Ezequiel tem um minimercado onde coloca à venda cabazes de legumes variados. Explica o teu raciocínio. 14.3 Prova que os triângulos [GOE] e [HCF] são semelhantes.7 € e que o pacote de arroz custa mais dez cêntimos do que a lata de ananás. 17. 7 4. três latas de ananás em calda e dois pacotes de arroz. 109 . 3. D A 60 cm Limoeiros E Macieiras F 40 cm 80 cm G B Pereiras 27o O Pessegueiros H 140 cm Legumes C 3. 10. determina o preço de cada pacote de arroz. 7. determina quanto terá de gastar o Ezequiel. independentemente do peso e da constituição. é vendido a 7 €. Explica o teu raciocínio. 7. 4. 8. β e ε. 15. 8. Explica o teu raciocínio. 3. 12.1 Indica. 6. Cada um desses cabazes. Sabendo que a arca tem 27 000 dm3 de volume.

que cada uma dessas pessoas demora a fazer o percurso casa-fábrica. Determina quantos homens contratou a fábrica. 1. explicando o teu raciocínio. 1. Determina FB A E F D Fumeiro Montalegrense B C 110 . A fábrica contratou mais trinta mulheres do que homens. com 22 500 m2 de área e com a forma de um quadrado. A vedação foi feita com painéis metálicos retangulares com 2 m de altura e 3 m de comprimento. A Câmara Municipal desta vila achou que a construção desta fábrica seria importante porque criaria centenas de novos postos de trabalho. ação importante no combate à desertificação do interior do País. acompanhado do seguinte texto: “Sabendo que [BCE] é um triângulo equilátero e que [ABCD] é um quadrado. enquanto se delicia com o nosso maravilhoso fumeiro”. que as pessoas demoram a fazer o percurso casa-fábrica. 2. num total de 68 pessoas. em minutos. Assim. em todas as encomendas que enviava era colocado um rótulo igual ao da figura. Assim. Determina o número mínimo de painéis que foram necessários. c) Elabora um gráfico de barras com a informação da tabela. decidiram oferecer à referida empresa um campo. onde a fábrica pudesse ser edificada. explicando o teu raciocínio.3 Das 68 pessoas contratadas. lançou uma campanha publicitária que relacionava os produtos com Geometria.1 ˆE.2 1. apenas 25 não moram em Montalegre. em minutos.1 Antes de começar a construção.Prova global 3 1 Uma grande empresa nacional decidiu construir uma fábrica de enchidos perto de Montalegre. Os resultados obtidos encontram-se na tabela seguinte: Tempo (minutos) Número de funcionários 5 5 10 7 15 8 20 3 25 2 a) Indica a moda. Depois de construída a fábrica. nos arredores da vila. foi necessário vedar o terreno. 2 O Diogo foi contratado para gerir a fábrica de enchidos e. A fábrica fez um estudo acerca do tempo. foi preciso contratar pessoas. b) Determina a média do tempo. de imediato. Explica o teu raciocínio. descubra a amplitude do ∠FBE.

Assim. quando viu o rótulo pela primeira vez. afirmou: “Os triângulos CFD e BEF são semelhantes”. em graus Celsius.1 Indica a temperatura do folar no instante em que é retirado do forno. associou-se com uma pastelaria que produz o folar utilizando os enchidos fornecidos pela fábrica. 3. a temperatura do folar tende a igualar a temperatura ambiente.5 Com o decorrer do tempo. cujo gráfico se apresenta ao lado. Indica. permite determinar a temperatura do folar. a) Completa a seguinte tabela. a fábrica e a pastelaria decidiram parar a produção conjunta numa altura em que vendiam 153 folares por semana. mais oito do que na semana anterior. justificando. a temperatura ambiente. a fábrica decidiu apostar num novo produto: o famoso “Folar de Montalegre”. Concordas com o Filipe? Porquê? 3 Em abril do ano passado. venderam-se 113 folares e.2. 111 .4 Quanto tempo é necessário para que o folar atinja os 30 oC? 3. t minutos após ter sido retirado do forno.2 O Filipe. 3. 3. Número de semanas Número de folares vendidos 1 113 2 3 4 … … n b) Por divergências orçamentais. Quantas semanas durou a parceria entre a fábrica e a pastelaria? Explica o teu raciocínio.3 Determina T(12) e interpreta o resultado obtido no contexto do problema. Admite que a função T.2 Qual é a temperatura do folar dois minutos após ter sido retirado do forno? 3. em cada uma das semanas seguintes. 90 80 70 Temperatura (oC) 60 50 40 30 20 10 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 Tempo (minutos) 3. Na primeira semana.6 As vendas do folar decorreram a bom ritmo.