CS-10

ES

Central digital electrónica de regulación para instalaciones solares
Instrucciones de Instalación, Montaje y Funcionamiento para el INSTALADOR Y USUARIO

PT

Central digital electrónica de regulação para instalações solares
Instruções de Instalação, Montagem e Funcionamento para o INSTALADOR e UTILIZADOR

4 Pôr em funcionamento (exemplo INSTALAÇÃO 2) 5.1 Esquemas de ligação eléctrica 2.3 Características principais 1.23 13 .2 Modo de programação básica 4. INSTALAÇÃO 2.14 pag.1 Descrição geral 1. MONTAGEM 3. ANOMALIAS pag.19 pag.19 pag.4 Advertências na montagem 4.14 pag.1 Modo de indicação 4.2 Esquemas de instalação 3. DESCRIÇÃO E CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS 1.2 Forma de fornecimento 1.1 Montagem da central 3.23 pag. FUNCIONAMENTO 4.PT 1. COMPONENTES OPCIONAIS 6.3 Modo de programação avançada 4.4 Resistência óhmica das sondas 2.

3 A IP40 conforme a Norma DIN EN 60 529. um circuito solar com dois acumuladores (com válvula de três vias ou circuladores). Transmissor de impulsos para medição de caudal no circuito primário solar. PT 1000 1 K W 0. Transmissor de impulsos para detecção de caudal no circuito de recirculação AQS Com depósito acumulador de dupla serpentina é necessario a ligação da sonda F3 para o controlo da caldeira de apoio. 5VA 0ºC 50ºC.GND Bornes Controlo de uma instalação para produção de AQS mediante energia solar com depósito acumulador de dupla serpentina e apoio de caldeira a gás ou gasóleo. Sonda de temperatura de retorno para determinação da energia produzida. . -20ºC 60ºC 250V 2 (2) A 6.1. assim como a possibilidade de se ligar a um contador de impulsos para a contabilização da energia ou para a detecção do fluxo no circuito de recirculação. Nesta instalação o valor do parâmetro 54 será de A2=4 SONDAS Descrição Sonda de temperatura dos colectores solares. INSTALAÇÃO 2. Ligar o borne 16 ou 19 â régua GND A ligação eléctrica das sondas e dos sinais é descrita na alínea 2. Sonda de temperatura da zona da serpentina solar do acumulador. O número da instalação deve ser programado no parâmetro 22 (ver a alínea 4. 2.4 Resistência ómhica das sondas Temperatura em °C -20 -10 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 14 Controlo de uma instalação para produção de AQS mediante energia solar com depósito acumulador de uma serpentina e apoio de caldeira mista instantânea ou acumulador eléctrico. garantindo o aproveitamento máximo da energia solar recebida. Ligar neutro en 1 e na régua N.2 Esquemas de instalação Seguidamente descrevem-se os diferentes tipos de instalações (circuitos) seleccionáveis. 2.GND Impuls 22 . incluindo a posição e bornes de ligação das sondas e dos sinais. um circuito solar com dois acumuladores em cascata e um acumulador solar com estratificação.1 Descrição geral Central para a regulação e controlo de uma instalação de produção de Água Quente Sanitária (AQS) por acumulação. Sonda de temperatura da zona superior do acumulador solar. II conforme a Norma DIN EN 60 730 > 10 horas.GND 20 .3 Modo de programação avançada) INSTALAÇÃO 1 P 54 (A2=4) 1. Incorpora a função anti-legionela (através de uma caldeira de apoio). através de colectores solares.GND F1 (F2) (F3) F4 15 . A central permite a regulação de um circuito solar com uma ou duas filas de captadores.DESCRIÇÃO E CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS 1.GND 18 .3 Características principais Tensão e frequência de alimentação Consumo máximo Temperatura ambiente admissível em funcionamento Temperatura ambiente admissível de armazenamento Poder de cor te dos relés Intensidade máxima no borne L1' Tipo de protecção Classe de protecção Reserva do relógio Resistência das sondas 230V 10% 50Hz.1 Esquemas de ligação eléctrica 1. Resistência em Ω w 922 961 1000 1039 1078 1118 1155 1194 1232 1270 1309 1347 1385 1422 1460 (Impuls) 22 .2% a 0ºC 1.GND 17 .2 em função dos diferentes circuitos seleccionáveis.2 Forma de fornecimento Num só volume contendo: CS-10 1 x central CS-10 4 x sondas KLF 1000 (PT 1000 de 1k W ) Ligar a fase en 2 e realizar as pontes 2-3 e 3-10 indicados no esquema.

( ) = opcional SONDAS Impuls A1 Intercambiador placas Filtro Controlo de uma instalação de aquecimento de piscinas através de energia solar. Transmissor de impulsos para a detecção de fluxo no circuito de recirculação de AQS. zona 2.GND (F2) F4 Impuls 17 .GND 20 .RELÉS Bornes A1 A2 A3 6-N 5-N 9-N Descrição Circulador do circuito primário solar.GND 17 .GND F4 Impuls 20 . F1 SONDAS F2 Bornes F1 15 . (F3) Bornes 15 . zona 1. 15 .GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares.GND 22 . Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar. Circulador de recirculação AQS/ Sistema de apoio do caldeira A ligação da sonda F3 é necessária para o controlo da caldeira de apoio. INSTALAÇÃO 2 F1 A3 Impuls F2 (F3) INSTALAÇÃO 1 A3 F4 A1 A2 Impuls A1 F4 Controlo de uma instalação de produção de AQS através de energia solar com 2 zonas de captação (cada uma com o seu próprio circulador) e um depósito acumulador de dupla serpentina. Sonda da temperatura dos colectores solares da zona 2. Sonda da temperatura da zona da serpentina da caldeira no acumulador. 18 . Circulador do circuito primário solar.GND 22 .GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares zona 1. Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar. Sonda de temperatura da zona da serpentina solar no acumulador. A2 A3 5-N 9-N A1 Bornes 6-N RELÉS Descrição Circulador do circuito primário solar.GND (Impuls) 22 .GND RELÉS Bornes A1 A1 6-N 6-N Descrição Circulador do circuito primário solar. Circulador do circuito da piscina. Circulador de recirculação AQS. Sonda de temperatura da piscina. Sistema apoio caldeira. Sonda da temperatura de retorno para a determinação da produção de energia.

GND F4 20. ( )= opcional SONDAS Bornes F1 F2 15 . Sonda de temperatura da zona da serpentina solar no acumulador AQS (1).GND 17 .INSTALAÇÃO 3 F1 INSTALAÇÃO 4 F1 A3 A3 Impuls Impuls 2 D (F3) A3 1 F 2 D (F3) A3 1 F A2 ON OFF Impuls A1 F2 F2 F4 F4 A1 A2 Impuls Controlo de uma instalação de produção de AQS (1) e de um segundo acumulador para aquecimento.GND (F3) 18 .GND F4 20 . (F3) 18 . Sonda da temperatura da zona da serpentina da caldeira no acumulador AQS (1). Transmissor de impulsos para a detecção de fluxo no circuito de recirculação de AQS. Transmissor de impulsos para a detecção de fluxo no circuito de recirculação de AQS. aquecimento de piscina ou AQS adicional (2) através de energia solar. Controlo de uma instalação de produção de AQS (1) e de um segundo acumulador para aquecimento. Sonda da temperatura da zona da serpentina da caldeira no acumulador AQS (1). Sonda da temperatura do acumulador (2). ( )= opcional SONDAS Bornes F1 F2 15 .GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares.GND RELÉS Bornes A1 A2 A3 6-N 5-N 9-N Descrição Circulador do circuito primário solar.GND Impuls 22 . A ligação da sonda F3 é necessária para o controlo da caldeira de apoio. com a distribuição a cada depósito através de uma válvula de 3 vias. Circulador de recirculação AQS/ Sistema de apoio da caldeira A1 A2 A3 Bornes 6-N 5-N 9-N RELÉS Descrição Circulador do acumulador de AQS (1). Sonda de temperatura da zona da serpentina solar no acumulador AQS (1). Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar. Sonda da temperatura do acumulador (2). Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar. Válvula de 3 vias. Também se efectua o controlo de apoio de caldeira no depósito acumulador de AQS (1).GND 17 . Também se efectua o controlo de apoio de caldeira no depósito acumulador de AQS (1).GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares. Circulador do acumulador (2).GND (Impuls) 22 .GND (Impuls) 22 . 16 . aquecimento de piscina ou AQS adicional (2) através de energia solar.GND Impuls 22 . Circulador de recirculação AQS/ Sistema de apoio da caldeira A ligação da sonda F3 é necessária para o controlo da caldeira de apoio. com a distribuição a cada depósito através de dois circuladores.

A2 Sistema apoio caldeira. Sonda de temperatura da zona superior do acumulador solar. 9-N Sistema de apoio da caldeira. Transmissor de impulsos para a detecção de fluxo no circuito de recirculação de AQS.GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares.GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares. F2 17 . 17 . Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar. ( )= opcional SONDAS Bornes F1 15 . Controlo de uma instalação de produção de aquecimento e/ou AQS através de energia solar com depósitos acumuladores independentes para o préaquecimento solar e o apoio de caldeira.GND 21 . Sonda de temperatura da zona superior do acumulador de apoio.GND (Impuls) 22 . Sonda de temperatura do retorno para determinação de produção de energia.GND 22 .GND 20 .GND 20 . A ligação da sonda F3 é necessária para o controlo da caldeira de apoio. 5-N Válvula de 3 vias.GND 22 .GND RELÉS RELÉS Bornes Bornes A1 A2 A3 6-N 5-N 9-N Descrição A1 Circulador do circuito primário solar.GND 21 . Descrição A ligação da sonda F5 é necessária para o controlo da caldeira de apoio. Sonda da temperatura da zona superior do acumulador. Sonda de temperatura de retorno para determinação de produção de energia ou zona inferior do acumulador de apoio. Sonda de temperatura do retorno do sistema de aquecimento. A3 Circulador de recirculação AQS. Transmissor de impulsos para a detecção de fluxo no circuito de recirculação de AQS.GND (Impuls) 22 . Sonda de temperatura da zona da serpentina solar do acumulador.INSTALAÇÃO 5 INSTALAÇÃO 6 F1 A3 Impuls (F3) A3 F A1 F5 A2 OFF ON F4 (F2) Impuls Controlo de uma instalação de produção de AQS mediante energia solar com depósitos acumuladores independentes para o pré-aquecimento solar e apoio de caldeira. 6-N Circulador do primário solar. ( )= opcional SONDAS Bornes F1 15 . Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar.GND (F2) 17 .GND (F3) F4 (F5) Impuls 18 .GND (F3) F4 F5 Impuls 18 . Sonda de temperatura da zona da serpentina solar do acumulador.

Sonda da temperatura do acumulador de sobre-produção (2).GND 22 . (F2) 17 .GND RELÉS RELÉS Bornes A1 A2 A3 6-N 5-N 9-N Descrição Circulador do primário solar Circulador de recirculação entre depósitos acumuladores Sistema de apoio da caldeira A1 A2 A3 Bornes 6-N 5-N 9-N Descrição Circulador do primário solar e circulador do acumulador. Válvula de 3 vias da zona superior. Sonda de temperatura da zona da serpentina solar no acumulador de dupla serpentina.GND 17 . Sonda de temperatura de retorno para determinação da produção de energia.GND F3 18 .GND F4 20 . Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar.GND 21 . com estratificação.GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares. Sonda da temperatura da zona superior do acumulador. Válvula de 3 vias da zona inferior.GND Descrição Sonda da temperatura dos colectores solares. 18 . Sonda de temperatura do acumulador na zona central. ( )= opcional SONDAS Bornes F1 15 .GND 20 . Controlo de uma instalação de produção de AQS através de energia solar com pemutador de placas e depósito acumulador de grande capacidade. Sonda de temperatura da zona inferior do acumulador.INSTALAÇÃO 7 F1 INSTALAÇÃO 8 F1 A3 Impuls F3 2 F A3 A1 1 F F3 F5 A3 A2 F4 A1 (F2) Impuls A1 F2 A2 F4 Impuls Controlo de uma instalação de produção de AQS através de energia solar com depósito acumulador de dupla serpentina com apoio de caldeira (1) e depósito acumulador de sobre-produção (2) ( )= opcional SONDAS Bornes F1 F2 15 . Transmissor de impulsos para a medição do caudal do circuito solar.GND Impuls 22 .GND (Impuls) 22 . Sonda da temperatura da zona da serpentina da caldeira no acumulador de dupla serpentina.GND F3 F4 F5 Impuls 18. Transmissor de impulsos para a detecção de fluxo no circuito de recirculação de AQS.

Contador total da produção de energia solar (em kW) Indicação do parâmetro e valor de ajuste. Contador da produção de energia solar diária (em kW). Símbolo Ecrã OFF F1 Desligado Descrição Temperatura nos colectores solares.. F3 F4 5 F5 4.Seleciona e modifica um valor de ajuste C.Seleciona uma função . FUNCIONAMENTO 4. apertando através do orifício lateral sobre as patilhas que fixam a parte frontal.1 Montagem da central Separar a parte frontal da base de fixação. : ON. Sonda temperatura F5 (depende da configuração da instalação). OK: Selecionar ou guardar um parâmetro.Botão de ajuste .Selector rotativo Através do selector rotativo visualiza-se no ecrã o estado de alguns elementos da instalação. das sondas e dos componentes da instalação efectuam-se na parte posterior da central.. das sondas e da alimentação de componentes devem estar separados e isolados para evitar interferências que possam causar um funcionamento anómalo do equipamento. C1 C2 01 A B. ligando-os pelos bornes através das réguas de ligações identificadas.Botão OK / Modo Manual / RESET = Modo manual: se premir o botão mais de 1 segundo. MONTAGEM 3. Fixar a base na parede através dos orifícios incluídos para o efeito. : Manual. Efectuar as ligações eléctricas conforme o tipo de instalação seleccionado. 2 F2 3. B C No modo indicação. Perfurar os passa-cabos necessários para a saída dos cabos eléctricos e das sondas.2 Advertências na montagem A ligação à rede. Premindo de novo pode-se desactivar antes do tempo indicado.. RESET: Mantendo o botão pressionado.1 Modo de indicação Corresponde ao funcionamento básico da central na qual se pode aceder à visualização (sem modificação) dos diferentes parâmetros da instalação.3. Todos os valores valores configurados pelo utilizador são eliminados. F Se o indicador de produção total C2 ultrapassar os 10 MW aparece a seta indicando que a produção se expressa em MW. Nome A B C D Descrição Nome do valor da sonda visualizada no ecrã Visualização do valor seleccionado Dia da semana (1-7: Segunda a Domingo) Indicador da ligação do circulador (a seta indica se o circulador A1/A2/A3 está ON) Indicador de funcionamento: E : OFF. Temperatura da sonda F2 (conforme o tipo de instalação) Temperatura da zona da ser pentina da caldeira no depósito acumulador. ao aplicar a tensão de alimentação. Os cabos tipo BUS. Temperatura da zona da ser pentina solar no depósito acumulador. 19 . que são fornecidas. são activadas todas as bombas ou válvulas durante 30 minutos. a informação visualizada no ecrã é a seguinte: A. recuperam-se os valores de ajuste configurados de fábrica.

Os parâmetros 01 a 11 situam-se no nível de programação básica e não necessitam da introdução de código de acesso.2 Modo de programação básica Acesso ao modo de PROGRAMAÇÃO (P)05 – Tempo de ligação de arranque do circulador Esta função assegura a medição por parte da sonda do colector.00 AJUSTE DE FÁBRICA 10.00 0.00 .00 0. à hora indicada antilegionela é ativada se durante a semana não sido atingido no acumulador a temperatura definida no P53. (P)10 – Recirculação OFF À hora indicada termina o período de recirculação de AQS.00 05.00 1 (segundafeira) 0 0 07.1 Descrição dos parâmetros do modo de programação básica (P)01 – Ajuste da hora Ajuste da hora actual (P)02 – Ajuste do dia Ajuste do dia da semana (1…7) (P)03 – Produção de energia diária Pressionando OK durante 2 s. e 62. Para determinar o valor real deve juntar-se o valor da energia diária ao valor indicado.24.4.24.00 05.00 21.00 0. No funcionamento normal o valor passa para 0000 ao fim de 24 h de funcionamento.00 21.24.00 . PARÂMETRO 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 DENOMINAÇÃO Ajuste da hora Ajuste do dia Produção de energia diária Produção de energia total Tempo de ligação de arranque do circulador Tempo de corte do arranque do circulador Início do período de apoio Fim do período de apoio Recirculação ON Recirculação OFF Tempo de ligação da função antilegionella INTERVALO DE AJUSTE 0. (P)09 – Recirculação ON À hora indicada o período de recirculação. Os tempos de funcionamento do circulador serão definidos conforme os parâmetros (P) 60.24.00 .00 4. o valor de produção de energia diária passa para 0000.00 . Á hora seleccionada. a central inicia o período de funcionamento.00 0. Pode desactivar-se esta função fazendo os (P) 05 e 06 igual a “___“ ou o (P) 60 igual a 0. SELECCIONAR PARÂMETRO AJUSTAR VALOR VALIDAR VALOR 20 . se a temperatura do depósito se situar abaixo do valor ajustado em (P)47 (ajuste da temperatura do depósito) mais o de (P) 33 (histerese de funcionamento do gerador). através do arranque do circulador. acede-se à programação dos diferentes parâmetros ajustáveis da instalação.24. da temperatura actual do mesmo.00 .00 . o sistema gerador de apoio de aquecimento ao depósito entrará em funcionamento. (P)11 Tempo de ligação da função antilegionella No sábado. activa-se conforme os ajustes do (P) 54.24. PROCURAR PARÂMETRO SELECCIONAR PARÂMETRO AJUSTAR VALOR VALIDAR VALOR INTRODUÇÃO DO CÓDIGO DE ACESSO (PARA CADA DÍGITO) 4.2. (P)06 – Tempo de corte do arranque do circulador À hora indicada pára o período de verificação da temperatura do colector.00 22. o valor de produção de energia total passa para 0000.00 1-7 Visualização ou reset Visualização ou reset 00.24.00 0. (P)04 – Produção de energia total O valor actualiza-se às 24 h. do circuito de AQS. No modo de programação. O gerador de apoio desliga-se quando a temperatura do depósito ultrapassar o valor ajustado em (P)47.24. 61.00 0. Pressionando OK durante 2 s.3 Modo de programação avançada Acesso ao modo de PROGRAMAÇÃO AVANÇADA Os (P) 20 a 79 situam-se no nível de programação avançada e necessitam da introdução do código de acesso. (P)07 – Início do período de apoio A partir da hora seleccionada.00 . (P)08 – Fim do período de apoio A partir da hora seleccionada o período de aquecimento de apoio do depósito desactiva-se através do sistema de apoio.00 01.00 .

(P)31 – Diferencial de temperatura de OFF (depósito 1) O circulador A1 desliga-se quando a diferença de temperatura F1-F4 for menor que o valor indicado.5 min (-5 ºC) . ((P) 20 a 79) (P)21 – Alteração do código de acesso Alteração do código de acesso inicialmente programado de fábrica.180 ºC 80º C . Velocidade máxima do circulador A1 Diferencial da temperatura de activação A1 Diferencial da temperatura do depósito 1 Histerese da temperatura do depósito 1 Diferencial da temperatura do depósito 2 Histerese da temperatura do depósito 2. (P)23 – Valor da velocidade actual do circulador A1 Visualiza-se o regime da velocidade actual do circulador A1 em %. (P)32 – Diferencial de temperatura de ON (depósito 2) NÃO SE APLICA AOS CIRCUITOS HIDRÁULICOS 1 E 5 Quando a diferença de temperatura entre os sensores indicados excede o valor ajustado. (P)28 – Diferencial da temperatura de activação A1 Só é válido quando (P)24 está ajustado em 0 (modo automático).0 (OFF) 0. O circulador activa-se de novo quando a diferença de temperatura F1-F4 superar o valor ajustado em (P)30. Se esta diferença for menor. Quando a diferença de temperatura entre o colector 1 e o depósito for maior ou igual à seleccionada.30 K 1 K .90 K 50 ºC . (P)30 – Diferencial de temperatura de ON (depósito 1) Quando a diferença de temperatura entre os sensores F1 e F4 exceder o valor ajustado. o circulador irá trabalhar a uma velocidade mais reduzida.90 ºC 10 ºC .100 0 . (P)24 – Modo de ajuste da velocidade do circulador A1 Podem seleccionar-se dois modos de ajuste do circulador A1: 0 – Modo automático (a velocidade é detectada e ajustada automaticamente) 1 – Modo manual (a velocidade pré-fixada conforme (P) 25) (P)25 – Velocidade programada para o circulador A1 Só é válido quando (P)24 está ajustado em 1 (modo manual).130 ºC 10 ºC . CIRCUITO HIDRÁLICO 3 Activação do circulador A1 pela diferença entre os sensores F1 e F2.30 K 1 K .20 min 40 ºC 130 ºC 110 ºC 10 K 40 ºC 60 ºC 85. activa-se a alimentação do depósito mediante o circulador ou válvula indicados de seguida: CIRCUITO HIDRÁLICO 2 Activação do circulador A2 pela diferença entre os sensores F2 e F4.100 0.08 Só visualização em % 0-1 30 .59 s 10 min .100 % 30 .PARÂMETRO 20 21 22 23 24 25 26 27 28 DENOMINAÇÃO Introdução do código de acesso Alteração do código de acesso Selecção da instalação Valor da velocidade actual do circulador A1 Modo de ajuste da velocidade do circulador A1 Velocidade programada para o circulador A1 Velocidade mínima do circulador A1. o circulador A1 irá operar a 100% da velocidade. (P)22 – Selecção da instalação Neste parâmetro deve seleccionar-se o tipo de instalação.9999 1 .0 ºC 10 K ---.10 min 1 min .70 ºC A2:00-A2:09 A3:00-A3:09 1 min . Selecciona-se a velocidade máxima do circulador A1 em modo automático. activa-se o circulador A1.1 Descrição dos parâmetros do modo de programação avançada (P)20 – Introdução de código de acesso Introdução dos quatro dígitos do código de acesso à área de programação avançada.70 % 0-1 0 (OFF) 30 min 1 min ---.1 1:99 . (P)26 – Velocidade mínima do circulador A1 Só é válido quando (P)24 está ajustado em 0 (modo automático). Temperatura de activação do circulador do colector Temperatura máxima do colector Temperatura de protecção do colector Temperatura de activação de arrefecimento do depósito Ajuste da temperatura do depósito Temperatura máxima de acumulação 1 Temperatura máxima de acumulação 2 Tolerância durante a produção solar Função anti-legionela INTERVALO DE AJUSTE 0000 .100 % 30 . A velocidade do circulador A1 ficará fixa no valor ajustado neste parâmetro.60 min 1 min .5 K Proteccão anticongelamento 0.30 K 7K 2K 7K 2K 40 42 45 46 47 50 51 52 53 (-20 ºC) .180 ºC 0 K .(OFF) A2:05 A3:02 1 min 5 min 54 55 56 Função recirculação A2 / A3 Tempo de ligação A2 / A3 Templo de bloqueio para voltar a ligar A2 / A3 60 61 62 63 Duração do arranque Pausa de arranque Tempo de medição para aumentos de 0.99:1 0 .1 0 (ml /impulso) 50 : 50 0.100 0 .9999 0000 . (P)27 – Velocidade máxima do circulador A1 Só é válido quando (P)24 está ajustado em 0 (modo automático).30 K 1 K .(90 ºC) 80º C .30 K 10 ºC .2 s . Selecciona-se a velocidade mínima do circulador A1 tendo em conta que este possa funcionar de forma segura à velocidade seleccionada.3.90 K AJUSTE DE FÁBRICA 0000 0000 5 4. 0 100 % 30 % 100 % 35 K 30 31 32 33 1 K .100 % 10 . 21 . conforme os 8 tipos disponíveis na alínea 2.2 ESQUEMAS DE INSTALALÇÃO.(5 ºC) 0 .130 ºC 0 K . A válvula A2 abre-se para o depósito 2.0 (OFF) 40 % 0 PROCURAR PARÂMETRO SELECCIONAR PARÂMETRO AJUSTAR VALOR VALIDAR VALOR CIRCUITO HIDRÁLICO 7 Activação do circulador A2 pela diferença entre os sensores F3 e F2. CIRCUITO HIDRÁLICO 4 Activação do circulador A2 pela diferença entre os sensores F1 e F2. CIRCUITO HIDRÁLICO 6 Activação da válvula A2 pela diferença entre os sensores F4 e F5.(OFF) 70 71 72 75 76 78 79 Coeficiente de impulsos Unidades caudal/impulso Distribuição de caudal para 2 colectores Caudal fixo do colector 1 Caudal fixo do colector 2 Percentagem de mistura Tipo de anti-congelante 1.

fixada no (P) 42 e reactiva-se quando esta se situar 10K abaixo do fixado neste parâmetro. fazendo ultrapassar os limites da temperatura do depósito fixados nos (P)50 ou 51. este só entrará de novo em funcionamento uma vez passado o tempo programado neste parâmetro. 5 = Função de apoio ao depósito 2. Actua quando se activa a função antilegionela. (P)70 – Coeficiente de impulsos SÓ SE APLICA QUANDO O CIRCUITO SOLAR DISPUSER DE UM TRANSMISSOR DE IMPULSOS Ajustar o valor do coeficiente de impulso do caudalímetro ligado conforme a informação do fabricante.5K No tempo programado para este parâmetro verifica-se a evolução da temperatura do colector depois de um arranque do circulador. Sonda de referência F3. O relé A2/A3 desliga-se se a temperatura descer 2 K (histérese). (P)42 – Temperatura máxima do colector Por segurança o circulador desactiva-se quando as temperaturas são superiores ao limite ajustado neste parâmetro. Esta função protege o colector solar contra a sobretemperatura e o estancamento. (P)60 – Duração do arranque Corresponde ao tempo de funcionamento do circulador do circuito solar num arranque do mesmo. O circulador volta a activar-se quando a temperatura se situar 10 K abaixo deste limite. (P)53 – Função anti-legionela Se a temperatura do depósito não atingiu o valor fixado durante a última semana. . Os componentes ficarão reactivados quando a temperatura do depósito 2 se situar 5 K abaixo deste valor. A função de apoio ao depósito mediante A2/A3 estará activa apenas dentro do tempo programado em (P)7 e (P)8. O gerador desactiva-se quando a temperatura do depósito atingir o valor ajustado em (P)47 – a tolerância ajustada neste parâmetro. 22 (P)54 – Função recirculação A2 / A3 0 = OFF 1 = O circulador de recirculação A3 funciona de forma contínua dentro dos tempos programados em (P) 9 e 10. Para a instalação 2. (P)55 – Tempo de ligação A2 / A3 Ajuste do tempo de ligação do circulador de recirculação A3 após a detecção de um impulso. (P)52 – Tolerância durante a produção solar Este parâmetro só se activa se o valor de(P)54 (recirculação A3) estiver fixo no valor 3. 9 (SÓ SE APLICA À INSTALAÇÃO 2) = Função de controlo do Unitermo no campo de colectores com sonda de referência F2.00 e as 6. Caso se produza um aumento da temperatura de 0. (P)75 – Caudal fixo do colector 1 SÓ SE APLICA QUANDO O CIRCUITO SOLAR NÃO DISPUSER DE UM TRANSMISSOR DE IMPULSOS Deve introduzir-se o valor do caudal do circuito 1 dos colectores em l/min. 3 = Circulador de circulação antilegionela. Se durante este período. 51. a saída selecionada comuta a função de apoio até que se alcance a temperatura nominal. (P)33 – Diferencial de temperatura de OFF (depósito 2) Quando a diferença de temperatura entre os sensores indicados em (P)32 é menor que o valor ajustado desactiva-se a alimentação do depósito mediante o circulador ou válvula correspondente. (P)47 – Ajuste da temperatura do depósito CIRCUITO HIDRÁULICO 5 O gerador A2 activa-se quando a temperatura do sensor F5 se situar 5 K abaixo do valor ajustado e desactiva-se quando a temperatura atingir o valor da temperatura fixado. o sistema activará no Sábado à hora programada no (P)11 o aquecimento do depósito através de um gerador de calor externo até que atinja esta temperatura no sensor F4. atua no campo de colectores com sonda da referência F1.00 h até à temperatura máxima fixada nos valores de (P)50. Os componentes ficarão reactivados quando a temperatura do depósito 1 se situar 5 K abaixo deste valor. (P)62 – Tempo de medição para aumentos de 0. O arrefecimento terá lugar só quando a temperatura do depósito ultrapassar a temperatura do colector no valor fixado neste parâmetro +3K (histerese). (P)56 – Templo de bloqueio para voltar a ligar A2 / A3 Caso o circulador de recirculação se ligue. O relé A2/A3 activa-se logo que a temperatura dos colectores supere o limite fixado em (P)45. com o objectivo de que a central possa contabilizar a produção de energia da instalação. (P)45 – Temperatura de protecção do colector Este parâmetro protege o colector face a possíveis sobreaquecimentos e activa-se quando o ajuste do valor de (P)42 (temperatura máxima do colector) for superior ao ajuste do valor de (P) 45. Esta função é interrompida quando for ultrapassada a temperatura máxima do colector. para o caso do funcionamento simultâneo dos circuladores de ambos os circuitos. (P)50 – Temperatura máxima de acumulação 1 O circulador correspondente pára o funcionamento ou a válvula de 3 vias abre para o segundo depósito quando a temperatura do depósito 1 ultrapassar o limite fixado. este entra em funcionamento durante o tempo programado em (P)60. então o depósito pode ser arrefecido automaticamente durante a noite entre a 1. (P)63 Protecção anticongelamento Se a temperatura dos colectores descer abaixo do valor fixado. Esta desliga-se logo que a temperatura dos colectores aumente 2 K (histérese). A função desactiva-se se a temperatura não puder ser atingida em 3 horas ou se for atingida a temperatura máxima do depósito em F3. (P)61 – Pausa de arranque Se o circulador do circuito solar não funcionou durante o tempo programado neste parâmetro. o circulador arranca de novo. RESTANTES CIRCUITOS O gerador A3 activa-se quando a temperatura do sensor F3 se situar 5 K + o valor de (P)52 (tolerância) abaixo do valor ajustado e desactiva-se quando a temperatura atingir o valor fixado para a temperatura. 2 = O circulador de recirculação A3 funciona dentro dos tempos programados em (P) 9 e 10. então o depósito aquece até à sua temperatura máxima (95ºC) para arrefecer o colector.5K. mas só por detecção de impulsos. 4 = Função de apoio ao depósito acumulador 1. 8 = Função de controlo do Unitermo. Deve introduzir-se a relação de caudais dos dois circuitos de colectores. a válvula A3 activa-se por diferença temperatura entre os sensores F1 e F3. O ajuste 0 implica a desactivação desta função. Se a temperatura dos sensores F1 e F2 ultrapassarem o limite fixado e a temperatura do depósito for inferior a 92ºC. activa-se a bomba de colectores.CIRCUITO HIDRÁLICO 8 Activação da válvula A2 por diferença temperatura entre os sensores F1 e F5. O gerador activa-se se a temperatura do depósito se situar abaixo do valor ajustado em (P) 47 -(a tolerância ajustada neste parâmetro + 5 K). Sonda de referência F5. (P)46 – Temperatura de activação do arrefecimento do depósito Caso a função de protecção do depósito se tenha activado durante o dia. (P)40 – Temperatura de activação do circulador do colector O circulador do colector entra em funcionamento quando a temperatura do mesmo ultrapassar o valor ajustado mais a histerese. a temperatura do depósito baixa 5 K abaixo do valor programado em (P)47 (para o caso de produção solar. (P)71 – Unidades caudal/impulso SÓ SE APLICA QUANDO O CIRCUITO SOLAR DISPUSER DE UM TRANSMISSOR DE IMPULSOS 0=ml/impulso 1= l/impulso (P)72 – Distribuição de caudal para 2 colectores SÓ SE APLICA À INSTALAÇÃO 2. em 5 K + (P)52). (P)51 – Temperatura máxima de acumulação 2 O circulador correspondente pára o funcionamento quando a temperatura do depósito 2 ultrapassar o limite fixado.

6. COMPONENTES OPCIONAIS Características do transmissor de impulsos para a contabilização da energia: . Código E 71 E 72 E 73 E 79 E 81 E 128 Elemento F1 F3 F4 F2 CS-10 F5 Anomalia Sonda defeituosa ou mal ligada. ajustar os valores de (P)72. Aceder ao (P)22 e programar o número de instalação 2. ajustar os valores de (P) 70 e 71 conforme a informação fornecida pelo fabricante do transmissor. Caso a instalação integre um circulador de recirculação AQS (A3). ao nível básico. Sonda defeituosa ou mal ligada. Aceder ao (P)01 e ajustar a hora. com o objectivo de que a central possa contabilizar a produção de energia da instalação. Caso a instalação não inclua um transmissor de impulsos no circuito solar e caso se pretenda determinar a produção de energia. 5.Saída electrónica: contactos dourados ou “colector aberto” . Ligar os sinais conforme o indicado no esquema referido. MARCA CE A central CS-10 está conforme as Directivas Europeias 89/336/CEE de Compatibilidade Electromagnética e 73/23/CEE de Baixa Tensão. 8. 7. 6. 4. Aceder ao (P)02 e ajustar o dia. deverá rever-se o ajuste do valor de (P)54 (ajuste de fábrica no valor 2. 4. 75 e 76 relativos aos caudais circulantes pelo circuito de captadores.Sair do modo de programação e seleccionar o modo de funcionamento pretendido. Caso a instalação inclua um transmissor de impulsos (no circuito solar ou no de recirculação de AQS). SÓ SE APLICA QUANDO O CIRCUITO SOLAR NÃO DISPUSER DE UM TRANSMISSOR DE IMPULSOS Deve introduzir-se o valor do caudal do circuito 2 dos colectores em l/min.(P)76 – Caudal fixo do colector 2 SÓ SE APLICA À INSTALAÇÃO 2. 1 = Etileno glicol.Entrada CS10: tensão 0/5 V. 1. Atenção: Características e prestações susceptíveis de variação sem aviso prévio. 2.Resistência interna 10 K Ω 23 . 10. Aceder ao (P)20 e introduzir o código de acesso (ajuste de fábrica 0000). (P)78 – Percentagem de mistura Neste parâmetro ajusta-se a percentagem de mistura de anti-congelante/ água do líquido utilizado no circuito solar. (P)79 – Tipo de anti-congelante Neste parâmetro pode seleccionar-se o tipo de anti-congelante utilizado no circuito solar conforme: 0 = Propileno glicol. Uma vez corrigida a anomalia de funcionamento é necessário cortar a tensão à central e voltar a alimentá-la electricamente. São opcionais as sondas F2 (medição da temperatura de retorno caso se pretenda determinar a produção de energia) e F3 (sonda de temperatura da zona de serpentina da caldeira no acumulador). ANOMALIAS Em caso de anomalia o ecrã mostra o código de anomalia correspondente segundo a tabela seguinte. Sonda defeituosa ou mal ligada. Colocar as sondas conforme o indicado no esquema da INSTALAÇÃO 2. 3. São opcionais a ligação do A3 (circulador de recirculação AQS) e o transmissor de impulsos (caso se pretenda determinar a produção de energia ou fazer funcionar o circulador de recirculação AQS com base na detecção do fluxo). Sonda defeituosa ou mal ligada. correspondente à função de recirculação activa dentro do tempo programado em (P)07 e 08. Erro nos valores programados de funcionamento Sonda defeituosa o mal ligada.4 Entrada em funcionamento (exemplo INSTALAÇÃO 2) Seguidamente descreve-se a entrada em funcionamento. 5. frequência máx.) . mas só por detecção de impulsos). aplicado à INSTALAÇÃO 2. 9. 200Hz (1 impulso/100ml. A central efectuará a regulação do sistema conforme os parâmetros ajustados.

L. S. 9 08908 L’Hospitalet de Llobregat T.Baxi Calefacción. S.L. 93 263 4633 www. L’Hospitalet de Llobregat 2009 .U. 93 263 0009 TF.es Barcelona N-6113-5-0110-CE © Baxi Calefacción..baxi.U. Salvador Espriu.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful