P. 1
Rio movimento - a dança brasileira

Rio movimento - a dança brasileira

|Views: 7|Likes:
Published by Mariana Santos

More info:

Published by: Mariana Santos on Jan 30, 2014
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/30/2014

pdf

text

original

Publicação Oficial do SPDRJ • Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado do Rio de Janeiro • Julho/Agosto Ano IX Nº 30

rj.com.b w.spd w w

r - sindicato@sp drj.co m.b r

MEmÓRIA DA DANÇA BRASILEIRA
O REGASTE DA HISToRIA DA DANÇA No BRASIL A PARTIR DoS DEPoImENToS DE SEUS CoNSTRUToRES.

ENTÃO, VOCÊ ACHA QUe PODe DANÇAR?
POR ALAN ReZeNDe

O X DA QUESTÃO
POR ANTONIO COSTa

A VISITa DE ALICIa ALONSO

Eduardo Macedo

Carlos Augusto Kalil. cada vez mais.Local: Escola Municipal Montero Lobato . Como hoje não se pode pensar em cultura de forma estanque. representando as diferentes regiões e realidades brasileiras. mas principalmente fortalecer as ações de capacitação e profissionalização.Centro . grupos contempôraneos. e a troca que deste encontro ocorreu proporcionou um enorme ganho de dados e informações. no espaço da fortificação.Local: Rua Buenos Aires 69.br / e-mail: sindicato@spdrj. Expediente Comercial RIO moviment o Edit Gráfica/Diagramação David Amiel www. Interessantíssimo encontro.com. na implantação das Delegacias Regionais.. Jandira Feghali.br EDITORIAL Julho / Agosto 2009 ** 1B b!88 N Rapidinhas o dia 8 de agosto aconteceu aqui no Rio.30h Dr. a entrada é franca. Sônia Machado e Caio Nunes Sapateado Americano: Adriana Salomão e Marcela Castilho NOVA IGUAÇU • Delegada: Joyce Berçot. e o espetáculo pode acontecer no auditório Santa Bárbara ou ao ar livre .Diretora Secretária do SPDRJ Dança do Ventre no Forte de Copacabana INTERDANÇAS No FoRTE Sempre nos segundos sábados de cada mês. 583 salas 2206 e 2207 Centro Publicações Oficiais do SPDRJ Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado do Rio de Janeiro CNPJ nº. no Memorial Getulio Vargas. hip-hop. uma feliz iniciativa em prol do desenvolvimento de uma política pública mais dinâmica e democrática. 3ª .Rua Luiz de Lima s/nº . espalhando assim seu raio de ação. instituição presidida pela nossa Secretária de Cultura. e estabelecendo uma rede que flua por todo o Estado. (21) 2224-5913 Site: www.spdrj. Nas falas seguintes. 4ª e 5ª das 9 às 11h CARDIoLoGISTA • 3ª das 15 às 17h / 5ª das 9h às 12h ATENDIMENTo JURÍDIco TRABALHISTA Dr.neo-clássico.287. Compareceram Secretários de vários estados e alguns acompanhados de seus respectivos Secretários Municipais e gestores da área de cultura de diferentes setores. é bastante enriquecedor o gestor de dança se inteirar das ações realizadas por outras áreas culturais. Denise Acquarone. Cada mês uma modalidade de dança apresenta seu trabalho. possibilitando maior intercambio entre os Municípios.e sem uma rede estabelecida e espalhada esta informação é nula ou quase nula. Secretario de Cultura da cidade de São Paulo. dança flamenca. diluindo e atenuando o cenário de poucas possibilidades encontrado no interior. 2ª à 5ª feira de 9h às 11. apresenta um espetáculo diferente de Dança no Forte Copacabana. com inauguração prevista para Novembro.br Newton Quintanilha SPDRJ • Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado do RJ Endereço: Avenida Presidente Vargas. PETROPÓLIS • Delegada: Neiva Voigt . Ressaltamos que a Delegacia atende não só a cidade em que se encontra mas também as localidades próximas. Este mês.30h às 11h (022) 9831-8178 Convênios • Atendimento Gratuito aos Associados do SPDRJ Federação dos Trabalhadores em Empresas de Difusão Cultural e Artística do Rio de Janeiro ODoNToLoGIA • 2ª. Terezinha Mara 3ª feira de 15h às 17h 5ª feira de 9h às 12h NOVOS teLefOneS: (21) 3553-6162/3553-6163.2 RIO movimento | www. do ventre. Cada vez mais se entende que não há como planejar sem informação. foram ouvidas experiências variadas e ricas.br LOURDES BRAGA • Presidente DENISE ACQUARONE • Diretora Secretária JeaNete GUeNKa: Diretora Tesoureira ELIaNa CamINada: Diretora Comunicação Social . no processo de interiorização pelo Estado. tivemos uma excelente esplanação sobre sua política de ocupação dos espaços públicos e a implantação do programa de bibliotecas. mais um encontro do Fórum de Secretarias e Gestores de Cultura. na cidade de Campos dos Goytacazes.davidamiel.O aTENDIMENTO É GRaTUITO E EXTENSIvO À DEPENDENTES.com.spdrj. Comissão Artística Delegacias Regionais MODaLIDaDES PROFISSIONaIS cOm SEUS COmISSÁRIOS: Presidente da Comissão: Denise Acquarone Ballet Clássico: Eliana Caminada e Teresa Petsold Danças Folclóricas: Natacha Sussekind e Samra Sanches Danças de Salão: Stelinha Cardoso e Conceição da Bahia Flamenco e Dança Espanhola: Ricardo Samel e Antônio Costa Dança de Rua: Michell Baes e Du Neves Jazz: Cristina Lima.614/0001-52 Colaboradores: Drª Denise A.: 27. Pensando desta forma o SPDRJ tem enfocado seus esforços.: (21) 2531-7541 / FAX.Plantão: Terças-feiras das 13:00 às17:00. a Resumo Projetos Culturais.spdrj.Pavilhão C (Ponto de Referência ao lado da Vila Olímpica Tel: (21) 8638-9533 . Na fala do Sr. de salão e outros já estiveram no Forte. O projeto inicio-se em 2008 e agora no segundo ano já tem um público cativo que comparece ao evento. carlos. via Ministério do Trabalho.com. Sra. dentre outras iniciativas. O atendimento ao profissional da Dança não se restringe a parte burocrática de documentação. mas sim de maneira integrada.13 às 16h CLINIcA GERAL • 2ª. É OBRIGaTÓRIO aPRESENTaR a REQUISIÇÃO FORNECIDa PELO SPDRJ QUE SÓ ESTaRÁ DISPONÍvEL PaRa OS aSSOCIaDOS EM DIa COM a aNUIDaDE. Os grupos interessados em participar podem entrar em contato com o SPDRJ. mais uma começou a ser implantada. 4ª e 5ª . Salgado de Almeida | Paulo Melgaço | Alan Rezende Eduardo Macedo Antonio | Costa e Ricardo Sanel Rio de Janeiro-RJ Tel.Petrópolis Tel: (24) 2242-8646 e (024) 9263-6255 Nova Friburgo • Delegada: Iane Rocha . 3ª .com.com ADMINISTRAÇÃO / CRIAÇÃO www.Local: Praça Getúlio Vargas nº89 – centro Plantão: Terças Feiras – 9.Sala da coordenação .

Resgatar biografias é resgatar a memória artística e cultural de um povo. pesquisador e professor de História da Dança.Lydia Costallat e Lorna Kay. Maryla Gremo e Vaslav Veltchek – As décadas de 1930. e a diretora do Corpo de seu Histórico Nacional.br 3 MEmÓRIA DA DANÇA BRASILEIRA O REGASTE DA HISToRIA DA DANÇA No BRASIL A PARTIR DoS DEPoIMENToS DE SEUS CoNSTRUToRES. A 2ª mesa vinculadas ao Sindicato dos Profissionais de Dança do Estado abordará o surgimento e desenvolvimento das diversas linguagens da dança do Rio de Janeiro (SPDRJ ). e assim.com. No entanto. Baile do Trianon. cidade. já que terei de disponibilizar uma sala para a implantação dessa delegacia. As temporadas dirigidas por Leonid Massine – O desenvolvimento individual da carreira de cada depoente. C SecretÁrIO receBe cOMItIVa SIndIcaL dOS PrOfISSIOnaIS de danÇa sindicato tenha sido dada a Clélia Serrano. acompanhada de sua secretária. Helenita Sá Earp e Juan Carlo Berardi. e fico feliz que a indicação do Por Paulo Melgaço e Lourdes Braga. estiveram reunidas com o secretário MuOs depoimentos da 1ª mesa ocorrerão no dia 16 de setembro (4ª feira) as nicipal de Cultura e presidente da Fundação Teatro Municipal 14hs. contando com a valiosa colaboração do professor Paulo Melgaço. diferentes aspectos e pontos de vista. Diversos nomes brasileiros tiveram suas memórias perpetuadas em livros e depoimentos em vídeo. A primeira abordará os seguintes eixos – Os Precursores da Dança no Brasil: Maria Olenewa. concretizar esta parceria. No Brasil o trabalho de regaste da memória da dança tem acontecido. Helga Loreida. enquanto diversos nomes se repetem em vários livros. Lurdes no Rio de Janeiro e contará com as presenças de Gilberto de Assis. na Praça XV – Centro do Rio. que é um braço do sindicato. outros simplesmente não são citados e outros nem lembrados por Paulo Ourives são. o corpo de baile do Theatro Municipal foi criado ha 73 anos. e Orávio mostrou-se honrado em poder colaborar com Temos certeza que trata-se de um momento histórico para a dança o sindicato. sionais e estudantes. Denise Acquarone. Srª Rosa Maria Araújo. no mesmo local. 1940 e 1950. apresentou o projeto “ Memória da Dança Brasileira” ao Museu da Imagem e do Som . e Vernon. A história deve ser contada e recontada por todos que vivenciaram. o resgate da história não pode ser restrito a bailarinos principais.. Foram armadas duas mesas temáticas. Márcia Cristina Lisboa. Assim acontece com a história da dança brasileira. ex-bailarinas do Corpo Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro em reunião para depoimento do "Memória glória de nossa arte e cultura. brasileira e contamos com a presença de um número significativo de profis.Trianon. Yuco Lindberg. Essas memórias precisam ser de da Dança Brasileira". Nesta mesa contaremos com os depoimentos Com o propósito de interiorizar e criar delegacias de trabalho de Lydia Costallat. e a entrada é gratuita. que fica ao lado do Mu. Na oportunidade a presidente da entidade solicitou o apoio do A coordenação das mesas ficará a cargo de Célia Costa. Uma história é composta de diferentes nuances. Arlete Saraiva . Vilma Braga. diretora técnica do secretário para a instalação de uma delegacia do sindicato na FMIS e a pesquisa e pauta foram efetuadas por Aline Soares.Vou tomar uma decisão nas próximas horas. que embora recente é muito rica em fatos e nuances construídos por muitas pessoas: a Escola Estadual de Dança Maria Olenewa possui 82 anos. Orávio de Campos Soares.Julho / Agosto 2009 RIO m o v i m e n t o | www. Cada fato.há muito vem pensando uma forma de documentar fatos acontecidos no decorrer da construção da dança em nosso país. Porém. . É reconstruir a história a partir de relatos orais de quem a vivenciou. de Clélia Serrano.. cada acontecimento pode ser visto e narrado de diversas formas pelas pessoas que o vivenciaram. através de sua presidente . Existe uma série de fatos que estão guardados nas memórias e arquivos particulares de diversos bailarinos brasileiros que vivenciaram anos de Da direita para a esquerda:Helga Loreida... a presidente da entidade. no Auditório do Museu da Imagem e do Som.spdrj. onhecer a história é conhecer histórias. resgatadas e tornadas publicas para que as novas gerações possam ter acesso e conhecimento de nossas histórias. São as historias de vida e histórias particulares que compõem os caminhos e descaminhos da história. E a 2ª mesa acontecerá no dia 17 de setembro 'as 14 hs. Lorna kay . histórias de quem construiu e lutou pela realização desta história. O Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado do Rio de Janeiro.que após várias reuniões aceitou.

Diga-se de passagem. os setores ou linguagens que são mais bem aquinhoados. quanto na estadual Reconheço no esforço dos atuais gestores. acabam por receber recursos que se mostram ainda exíguos diante das necessidades reais. é também potencialmente salvadora na medida em que por ser vital.Ações Públicas que dêm perspectiva profissional e social aos artistas da Dança.ainda que contra a vontade. Esta questão. para mim se alicerça em alguns paradoxos que vivemos no nosso dia a dia de artistas da Dança. tem a capacidade de reunir num só objetivo todos os gêneros de Dança. Uma grande parte dos que querem dar alguma perspectiva para o seu trabalho tiveram que passar a entender de leis de incentivo. ações que me parecem honestas e bem intencionadas mas seja pela falta de recursos.Este é um fenômeno que acontece há décadas. não encontramos a mesma profissionalização que nos é exigida. para servir à propósitos que infelizmente nem sempre são os da Dança..estas ações acabam . quanto na estadual. Por esta questão ser estrutural. Não há uma política pública de Dança. a partir dos anos 80.spdrj. seja pela precariedade dos equipamentos culturais . Pergunto. vejamos. . Não acho que estas medidas em si.com. no estímulo e na divulgação da Dança. Quem perde com isso? Acredito que todos. seja inteligente . Particularmente.br Julho / Agosto 2009 O X DA QUESTÃO M ais um ano se passa e vejo instaladas as novas gestões da área da Cultura.4 RIO movimento | www. o mercado formal de cultura ( leia-se esfera pública ) tem exigido dos artistas que eles se capacitem cada vez mais como empresários. favorecendo determinados setores ou linguagens. não há um pensamento estratégico no fomento. esta assimetria desapareceria ? A simples injeção de mais dinheiro na área da Dança. os bombeiros correndo atrás do incêndio. ruins ou injustas. Pelos resultados que observo.conseqüente e mais justo. RESOLVERIa a aSSIMETRIa Na DISTRIBUIÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS PaRa O MERCaDO Da DaNÇa ? que os demais. Senão é assim. na esperança de prestar uma contribuição à discussão sobre o aperfeiçoamento do modelo de gestão cultural. Há sim. o quadro estrutural continua o mesmo e é esta constatação que me leva a escrever este artigo.entre tantas outras coisas. ainda que momentaneamente dotados de melhores recursos A SIMPLES INJEÇÃO DE MaIS DINHEIRO Na ÁREa Da DaNÇa. tanto na área municipal. é que quando olhamos para os setores responsáveis por distribuir os recursos públicos. porque no meu entender há uma questão central que necessita ser encarada de frente se houver a intenção de se criar um modelo de gestão cultural pública da Dança que Antonio Costa e Raquel Coimbra. que estes setores ou linguagens. Observamos a falta de critério. A justificativa apresentada para isto é a profissionalização do setor. projetos digitais. O que acho que é incoerente. se eu tivesse um interlocutor. tanto na esfera municipal. uma politização da Dança. ele me perguntaria o que eu entenderia por uma política de Dança ? Modestamente eu diria. gestão orçamentária. a falta de organização e objetivos sempre pontuais e não estruturais. tanto gestores como geridos. Pois bem. Ou seja. ao mesmo tempo em que é devastadora sobre o ponto de vista da desorganização do setor. até os mais aquinhoados. Somos sempre. Qual é . creio até que são necessárias. variando apenas. resolveria a assimetria na distribuição dos recursos públicos para o mercado da Dança ? Parece-me que não. acredito que neste momento. A pergunta que faço é: Considerando que fosse um simples problema de gestão ou de recursos financeiros.

Acredito que deveria haver um esforço de convencimento junto à Mídia jornalística em reinserir a função do crítico de Dança . englobando o princípio da Diversidade e da Clientela. grande dançarina de flamenco. aquela comunidade viu no seu imaginário a possibilidade de eles também dançarem Flamenco e a partir daí. Não estou falando de paternalismo. paradigma no cenário cultural brasileitemplando com sua presença ro. não me chegou nenhum aluno. UMa POLITIZaÇÃO mação do seu públiDa DaNÇa. membro revolução tecnológica da In. entra. possam usufruir de todo o seu potencial. PaRa SERVIR co. possam fazer com que o profissional competente e dedicado e a sociedade. Por exemplo. Dar acesso da cultura às pessoas. aproveitava o tempo para coreografar.associado do CID-UNESCO e formática. o órgão público ou instituição da área cultural que tiver a coragem de pensar e implementar.. Não existe uma estrutura para desenvolver o que surge a partir da apresentação dos projetos. mas de recursos e instâncias públicas que de forma inteligente. tem de projetar o seu trabalho baseado em mecanismos públicos? Acredito que nenhuma. se há apoio para uma Cia que trabalha com Dança Afro tradicional. os não contemplados não tem nem a oportunidade de dialogar com a banca ou alguma comissão sobre os aspectos positivos ou negativos do seu trabalho. foi causada por uma mu. mas me intrigava o fato de que nas pequenas apresentações que eu fiz para divulgar o curso. estará criando À PROPÓSITOS QUE uma estrutura que INFELIZMENTE NEM SEMPRE não será personalista SÃO OS Da DaNÇa. o usuário final. na espanha. Quase que ao mesmo tempo. Um modelo de descontinuidade. além de subsídio financeiro para o seu comparecimento. Ou seja.. Que este sistema tivesse a preocupação de estabelecer graus e formas de acesso. O trabalho é julgado única e exclusivamente pelo que ele é. que acre- . realidades sócioeconômicas completamente diferentes em um mesmo julgamento. Amanhã. da forma como é feito. e que aperfeiçoada e ampliada com o tempo. uma mudança de paradigmas. os mais variados feito neste sentido. Por que.. Simplesmente contemplado ou não contemplado. não é apenas levar espetáculos e aulas á elas. O edital. projetos são perdidos ou nem lidos e que quando os resultados são distribuídos. com a de Dança Flamenca. rá o trabalho que desde sempre Finalizando..br sos não é apenas dinheiro. Ou seja. coreógrafo ou professor de Dança que inicie a sua carreira.o quel envolve Diretor Suplente do SPDRJ. o curso teve várias adesões e foi um sucesso. De uma coisa. juros diferenciados. de estruturar-se um sistema que entendesse que um bailarino coreógrafo ou Cia de Dança em início de carreira é diferente de um bailarino.spdrj. para o bem ou para o mal. Diria que esse sistema deveria contemplar a Diversidade e entendo por diversidade tanto os vários gêneros de Dança. burocráticos. não estabelece um processo de uma experiência crítica. transformação do seu comportamento. Entendo uma Política Pública de Dança firmada em três princípios. conto uma breve passagem de uma experiência minha como professor. ninguém vem fazer a minha aula se gostam tanto assim ? A resposta é que eles adoravam a Dança Flamenca. as dote de novos recursos.com. mas informação. estará saindo na frente. em repartições desorganizadas em que por vezes. o edital tem um valor simbólico de quase loteria. até porque contemporaneamente o diálogo entre elas é muito intenso. È necessário permanência e para ilustrar isso. Iniciei uma turma de Flamenco em uma instituição localizada na Zona Norte do Rio e durante três meses. não pelo potencial que ele apresenta. Gostaria que houvesse uma preocupação concomitante a de se obter mais recursos. acho que esse sistema deveria pensar na sua clientela. mas não se viam dançando-a. quanto às diversas propostas em cada gênero. Uma política Pública de Dança deve pensar estrategicamente em desenvolver todos os gêneros de dança..Antonio Costa. Quando digo recur- RIO m o v i m e n t o | www. aquelas que têm menos visibilidade ou tradição devem ter o devido apoio para se localizarem no espaço cultural. eu tenho certeza. atualmente é dança estrutural . bailarino trial.ampliar o número deles nos jornais e estimulá-los para que tivessem uma atuação mais eclética. Diversidade e Clientela. prioriza determinado segmento ou diretriz de ação e aquilo que vinha sendo feito fica extinto ou paralisado até que outro gestor público simpático às demandas agora reprimidas. crítica e técnica. membro da comissão artística Foi assim na Revolução Indus.Julho / Agosto 2009 a perspectiva que um bailarino. Toda mudança fazemos e continuaremos a faque o ser humano experimen. até que estivessem consolidados. Eu cumpria meu horário.do SPDRJ. com o costumeiro cobertor curto do orçamento e em função das convicções pessoais. Podemos continuar assim ou honestamente reunirmos esforços em torno de um modelo de produção de Dança.zer com prazer e dedicação. Diretor. Então.FUNJOR mercado de dança. Finalmente. ainda que modesto. Financiamento. deve haver também apoio para uma Cia que trabalha dança Afro enquanto pesquisa e experimentação. foi assim recentemente e coreógrafo da Tordesillas Cia no final do século XX.Portanto é necessário uma presença e um diálogo com a platéia. gerará um novo Eva Yerbabuena. eu colocaria um subitem chamado a crítica especializada em Dança.. E só depois que algumas senhoras começaram o curso é que. a platéia ou o aluno. diabos. baseado na contemplação do financiamento da atividade. con- 5 dito não nos levará a grandes avanços . na abrangência da sua diversidade e na forHÁ SIM.cresceu influenciada pela cultura cigana de granada. A nossa velha política de editais é um bom exemplo disso. trabalhos.. outro gestor. auto-sustentável. um novo modelo de produção de dança. só nos restagêneros de dança. Acredito também que a política pública de Dança deve configurar a atividade de dança pela sua especificidade e.isto se não nos levar a retrocessos. tou.. em que determinado trabalho possa ser aperfeiçoado. portanto deve dialogar com setores financeiros públicos no sentido do financiamento diferenciado do setor. São editais confusos. que gerou uma substancial ou a loteria. a platéia era lotada e os aplausos eram muitos e várias pessoas vinham falar comigo e me cumprimentar e eu me perguntava. Podemos continuar conselheiro cultural da Fundacom esta maneira de operar no ção José Ricardo . coreógrafo ou Cia de Dança já consolidado. provendo em cada patamar recursos mínimos adequados ao desenvolvimento destes profissionais.. Os editais colocam de forma indistinta pessoas. inteligente e um pouco mais justo. Acredito que se algo não for e suas análise.

que passou o telefone para Alicia. Alicia Alonso. Expliquei a ela que ele não morava mais naquele grande apartamento na Glória que ela conheceu anos atrás. Recebemos em casa uma das maiores estrelas da dança mundial. sua secretária e seu maquiador. ela está cega. não pudemos comparecer no Citibank Hall naquele único dia em que o Ballet de Cuba se apresentou. . queria sempre saber se íamos tirar foto. desde os seus 86 anos. Alicia deixou um rastro de arte. fotografava ou simplesmente admirava aquela figura lendária. Compramos flores e preparamos máquina fotográfica e filmadora. que ele administra. Fiquei extasiado depois que ela saiu. Ela disse que não. que fazia questão de visitar o Nilson onde ele estivesse. A apresentação foi no domingo. Tudo nela se move.br Julho / Agosto 2009 A VISITa DE ALICIa ALONSO A Diva da Dança Mundial. irradiando uma energia que eu nunca tinha sentido antes numa pessoa. seja no Brasil. para virar a cabeça pro lado certo. zona Norte do Rio. Disse umas três vezes que dia 27 de agosto o planeta Marte vai estar grande. Perguntou quando vai poder levar sua companhia pra dançar Theatro Municipal do Rio. acho que é isso. sua secretária. e que possui um belo quadro de Nilson Penna. É algo inexplicável. Nilson conta que sua Giselle era impressionante. no canecão. como um filho que ele não teve. Alicia chegou aqui em casa em alto estilo. Ele então apertou minha mão e disse que eu tinha bom gosto. O curioso é que quando conheci Nilson Penna. seja em Cuba. Sou seu administrador e responsável pelo seu bem estar. No dia doze de maio deste ano. pensei.Seu pedido é uma ordem. sentada no sofá da sala. Esta convivência já me deu vários momentos inusitados. E assim foi a visita de uma lenda viva no nosso apartamento.spdrj. mas as duas maiores bailarinas na minha opinião eram Alicia Alonso e Maya Plisetskaya. Nilson foi convidado e sentamos na mesma mesa de Pedro Simón. . Foi uma emoção muito grande. a lendária Alicia Alonso. Uma pena. Liguei pro hotel e falei com Belkis. juntamente com Eloísa Viggiani. Respondi que muitas. esta lista de pessoas importantes que conheci por estar junto ao Nilson. que ele estava morando em Vila Isabel. junto com seu esposo. de estar perto artistas importantes nas artes cênicas brasileiras. e na segunda recebi um telefonema de uma bailarina dizendo que Alicia mandou um recado que queria ver o Nilson. Poderíamos então marcar um local para eles se encontrarem. e a visita? Bom. representando muito bem a arte brasileira. pois para quem ainda não sabe. Mas. Alicia sempre esteve presente nas nossas conversas.6 RIO movimento | www. pois da última vez que eles estiveram aqui. livros sobre H A visita de uma lenda viva no nosso apartamento sua carreira e principalmente recordações de momentos vividos com a diva. do tamanho da lua. Salve Alicia. e Nilson mais uma vez proporcionou um momento especial na minha vida. teve um brilho especial. Ela ficava atenta ao que estava acontecendo. Pedro Simón deu dois livros de presente pro Nilson e pediu seu currículo para adicionar ao Museu de La Danza.com. Alicia tem algo de especial que exala de seus poros. ele me perguntou logo quais eram as bailarinas que eu admirava. o Tito. esposo de Alicia. Salve Nilson. Não sabia se filmava. Ela disse então que queria visitar o Nilson. Ele tem várias fotos autografadas por ela. tudo nela tem dança. e desde então nos tornamos grandes amigos. e ela respondeu que gosta de astrologia e tem muitos amigos entendidos no assunto. Nilson Penna e Eduardo Macedo. Eduardo Macedo – Bailarino e coreógrafo á sete anos que moro com Nilson Penna. obviamente. No outro dia fui buscá-la. Perguntei como ela sabia disso.

mas com meia-ponta bem alta e muito swing! Viva a dança!Dance a vida! Alan Rezende é bailarino. Lenny. Forella. tais como. mas com humildade. Ministra cursos e participa de eventos e festivais pelo Brasil e exterior. Mia Michaels. sobrevivendo de poucas iniciativas interessantes. em NYC) para comprovar isto: Max Stones. no entanto era a única saída para um julgamento possível em uma noite tão híbrida e confusa. Todos sabem (assim espera-se) que para se desestruturar “algo”. Vamos parar de brincar de “dançar jazz” e encarar o problema com seriedade: sem preconceitos. É como assistir um filme brasileiro dublado em “hebraico”. são alguns dos que exaltam o JAZZ numa nova “roupagem”. são acessíveis e apresentam uma dança vigorosa. buscar uma “contemporaneidade” (não que essas técnicas também não o sejam) do que um professor que estrutura-se no “ hoje em dia” vir a “prender-se” naqueles estilos. O único ponto realmente favorável e menos diluído foi a presença das coreografias de estilo musical. interpretações em geral. que por não saberem disso. por que então essa verdadeira “pane” no cuidado com essa modalidade? È preciso voltar o olhar com seriedade para o assunto. além de uma dança profissional pulsante. está “perdido”. está como um “náufrago segurando em uma tábua em alto mar”. diferente daquele que já vem de outras gerações (tradicional). coreógrafo e professor. É um caminho natural. 80). depois a sensação de “se estar perdido” e logo em seguida a procura pelo “se encontrar”. transpomos essa situação para o estado do Rio de Janeiro. do tipo “salve-se quem puder”. Ora o JAZZ se renovou. entusiasmo ou arrogância. É hora de entrar em cena de verdade. Atua nas áreas do cinema. ganhou mais “espaço”. menos Jazz (independente de ser mais “atual” ou mais tradicional). O juízo do gosto imperou . trazendo consigo o clima proposto. especialmente porque ele esbarra num questionamento que também provém das diferenças de gerações e seus pensamentos (assunto mais que datado). vivíssimo. ou então optem pelo estilo “Livre”. além do bom acabamento e cuidado na indumentária.Julho / Agosto 2009 RIO m o v i m e n t o | www. e a profissionalização deve ser também mais estruturada e pesquisada. trilha mal aproveitada. È claro que houve momentos bonitos (graças a Deus) e que o resultado (ver no site) foi corretíssimo e sensato. Oliver Steele.br 7 ENTÃO. Programas de TV como “So you think you can dance” ( nome bem sugestivo ao tema e título desse artigo) dos EUA. O que aconteceu naquela noite foi uma exibição de trabalhos “confusos”. medo. cidade turística. como que se “apertando” o botão direito do mouse utilizando a função “Copiar/ Colar”. mas está vivo. ainda que sem um mercado e política decentes (isso é um outro assunto). Sem comparações e obviamente pieguismo e nostalgia. Até mesmo o balé (Clássico) sofreu certa modificação. Fazendo-se um parâmetro geral da noite. coerência e criatividade. equivocadas. teatro e televisão. sem esquecer-se de sua raiz tradicional e peculiar. seja na forma de ensinar seja no seu praticar. primeiro precisamos identificar sua estrutura. Por que não se cria então uma categoria para esse Alguns momentos de Alan Rezende estilo assim como existem nos outros países para os estilos de “Lyrical Jazz” em suas competições? Pelo visto os “musicais” vem chegando de “salto alto” nos festivais. e é ai que está fundada a discussão. falha essa. pôde-se perceber uma tendência muito aguda para com o nosso “procurado” JAZZ: os praticantes (coreógrafos e bailarinos) não têm referências a cerca do estilo e se perdem completamente num turbilhão de informações mal difundidas. os que se propõem ao estudo do mesmo. sedutora. coreografias sem pesquisa e pouco criativas. com forte estudo técnico em dança e escolas tradicionais. Alguns nomes estão ai (quer dizer. pode-se dizer que se dançou de tudo. mesmo que influenciado ou categorizado por diferentes sujeitos. Agora. “Analisando” a tão comentada “Noite do Jazz” do Festival de Joinvile de 2009. não poderiam chegar ao segundo e tampouco ao terceiro estágios de sua real situação. VOCÊ ACHA QUe PODe DANÇAR? sim. O estilo jazz. Quando uma criança quer fazer dança ela escolhe ou balé (se ela é mais “calminha”) ou jazz (se é mais “agitada”). O jazz está ai. Falar do Jazz. mudou de cara. é mais fácil um professor que tenha estruturado suas aulas nas técnicas e estilos do jazz tradicional (década de 70. Atua nas áreas de cinema. haja visto que o resultado é assustador.com. estilos de Luigi. assim como acontece com todas as modalidades da dança. é uma tarefa das mais difíceis hoje em dia. forte vigência “mercadológica” do momento que aparece cheia de personalidade e transparência. mais liberdade e independência. onde se instalou a “problemática” vigente. e mesmo esse “estado” (que poderia atingir um bom resultado) não resulta numa criação legível e realmente fundada. teatro e televisão. ainda é uma modalidade que sustenta as escolas. Ora quando alguém se perde passa-se por três estágios aonde primeiro vem o momento da constatação desta situação.spdrj. ”proteger-se-iam” dessa forma. O processo de profissionalização também é preocupante e a falta de estudo vem conjugada com o mesmo. Uma a resenh para o JAZZ Muito se tem questionado á respeito de “por onde anda o JAZZ”. O que acontece com os grupos e professores da cidade? Ninguém mais faz aulas de Jazz? Ou ninguém sabe mais o que é? Se essas forem as opções então não mandem suas inscrições para os festivais. Um professor de Jazz contemporâneo (de hoje em dia) segue um caminho movido pelo período atual com todas as suas influências e chuva de informações “Youtibianas”. propriamente dito. ou seja. criativa e plausível: adivinha como se chama essa modalidade? É preciso um cuidado maior com o estudo das crianças e adolescentes.

mas nossa política é de que todos atuem de forma efetiva no processo de desenvolvimento de nossa Entidade. O intervalo intejornadas é de 11(onze) horas consecutivas. salvo na condição de aprendiz. ou não sendo este possível.br Julho / Agosto 2009 SPDRJ. Ingressou no Corpo de Baile deste teatro. Suplência de Tesouraria: Manoel Dionísio--. onde trabalhou sob a direção de Tatiana Leskova. Ricardo Samel . Liceu de Artes e Ofícios.11 e 12 de agosto. com atuação no Jazz dance. interior de SP . com certificado expedido pelo Centro de Ciências Socias da UERJ. empresa.TrIÊNIO 2009/ 2012 Nos dias 10. Presidente: Lourdes Braga--. PortaBandeira e Porta-Estandarte do Rj.Formada pela Escola de Danças do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. foram realizadas as eleições para a direção do Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado do Rio de Janeiro para o triênio 2009/2012. Lúmini de Dança. Como professora. dançou de conjunto 'a primeiros papéis. sua maior referência profissional. Por vários anos ministrou aulas na Escola Estadual de Danças Maria Olenewa. no mínimo.Estudou particularmente com Tatiana Leskova e Eric Valdo.Cia. Helba Nogueira e Dalal Aschar.Formação em Dança Afro. devendo a assistência ser gratuita. que é uma política orientadora do Ministério da Cultura para todos os gestores de dança. o empregado poderá considerar rescindido o Contrato e pleitear indenização. surgindo a partir daí o Grupo Rio ballet. 6. Grajaú Country Club e Escola de Dança Spinelli. de Dança Palácio das Artes (BH). independente dos cargos conquistados. Nossos associados puderam votar nas urnas situadas na Delegacia Regional de Nova Iguaçu.de Ballet da Cidade de Niterói. Formada pela Escola de Danças do Theatro Municipal do Rj. na Empresa Lurescan Bar e Restaurante Ltda. Salgado Almeida Advogada Trabalhista do SPDRJ 3. nos últimos 6 (seis) meses imediatamente anteriores a data de dispensa e que possuir um intervalo entre um benefício e outro de.Secretária: Denise Acquarone--. ig. proibidos por lei. 5. formada pela Escola Municipal de Bailados de SP . respectivamente sob adireção de Leda Yuqui e Edmundo Carijó. a partir dos 14 (quatorze) anos. Em 1981 ingressou na Cia. Atualmente é bailarina da Cia. Denise A. de Dança. Estudou com Edmundo Carijó.br/samelflamenco ∂ LEMBRETES JURÍDICOS 1. com Lourdes Recio (2008). Cia. na Casa de Espetáculos Cabaret Brasil e no Conservatório Brasileiro de Dança. Atualmente ocupa o cargo de Assistente Artístico no Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Escreveu "História da Dança . tivemos como novidade as urnas itinerantes. O pagamento do salário deverá ser efetuado contra recibo. Os dirigentes sindicais são compostos por membros efetivos e suplentes. Não excedendo de seis horas a jornada de trabalho. A partir desta edição apresentaremos os membros da diretoria que estarão 'a frente do SPDRJ nos próximos três anos. tornando-se coordenadora. a seu rogo. Suplência da Secretária: Antônio Costa--. do Instituto Cervantes e da Fundação Cultural Cassiano Ricardo onde se realiza o encontro. que comprovar ter trabalhado para o empregador. tanto ao empregado quanto ao empregador.Brasileira com Mercedes Baptista. Suplência de Comunicação e Benefícios: Christina Lima--Sindicalizada desde 1985. Iniciou seus estudos de ballet e dança moderna no Centro de Dança Rio e no Sttudio Lourdes Bastos. Contra os menores de 18 anos não corre nenhum prazo prescricional quanto aos créditos trabalhistas resultantes da relação de trabalho. Ceme Jambay e Mariana Muniz. Teve como uma de suas mestras Toshie Kobayashi. principalmente no interior de nosso estado.Diretor. A homologação da rescisão do contrato de trabalho é obrigatória. que passou a ser denominada de Centro de Dança Johnny Franklin.com. Ao final do evento sempre apresentam o espetáculo “Simplemente Flamenco” com os convidados estrangeiros e elenco nacional. É proibido qualquer trabalho a menores de 16 (dezesseis) anos de idade. o cante e o toque: as três almas do Flamenco” moderado por Karla Dunder. No Theatro Municipal. 9. A Direção e Produção do evento é por conta da Escola e Produções em Danças Ana Guerrero & Talita Sánchez. Somente terá direito ao seguro-desemprego. além da urna em nossa sede. quando o empregado tiver mais de um ano de serviço na empresa. Iniciou a carreira de professora na Academia Johnny Franklin.Enfatizaremos o mergulho no processo de formação e capacitação profissional. Paralelamente dançou e coreografou para o Ballet Officina do Rio de Janeiro.Cursos de Flamenco com Arnaldo Triana. trabalhou no Centro de Artes Calouste Gulbenkian. assinado pelo empregado e em se tratando de analfabeto. de Dança. mediante sua impressão digital .spdrj.Foi bailarina da Cia. É fraudulenta a terceirização que tem como alvo atividade-fim da 2. Presidente. Três biografias para a série " Memória dos Artistas do Theatro Municipal. do cantaor cordobez Pedro Obregón e do guitarrista paulista Flávio Rodrigues que há 9   anos vive na Espanha trabalhando com os mais renomados artista do Flamenco atual. Este ano o Festival em sua 8ª edição. Em 1986 ingressou no Ballet da Cidade de São Paulo.http://blig. Artha de Dança e Sylvio Dufrayer Cia. será obrigatório um intervalo de 15 (quinze) minutos quando a duração ultrapassar 4 (quatro) horas .Evolução Cultural".8 RIO movimento | www. É proibida a cobrança de qualquer taxa pela assistência na Rescisão Contratual. Quando forem exigidos serviços superiores às suas forças. Após seu falecimento assumiu a direção da academia. 8. Junto ao Festival acontece o Mercadof Flamenco com stands de lojistas nacionais totalmente voltado para a moda e acessórios de flamenco além de mostra cinematográfica e debate com os astros convidados no tema:”O baile. fato que é previsto em nosso Estatuto. coordenador e professor da Escola de Mestre -Sala. . Trabalhou na Victor Navarro Cia.com.Pós-graduada em Didática da Dança Infanto-Juvenil. O evento tem parceria da Prefeitura local. Membro associado do CID-UNESCO e conselheiro cultural da Fundação José Ricardo (FUNJOR). 7. contrários aos bons costumes. acontece anualmente o FESTIVAL INTERNACIONAL DE FLAMENCO que reúne profissionais e amantes do Flamenco de todo o Brasil e artistas renomados da Espanha. tendo o Brasil como convidado de honra. Idealizador e realizador da "Mostra Lydia Costallat". contou com a presença nada mais nada menos do que a premiadíssima bailaora madrileña Concha Jareño. ou alheios ao contrato. Desde 1986 é assistente de coreografia de Ala e de Comissão de Frente nas Escola de Samba do Rj.Shows na 7ª Feira Internacional na França (2006). Diretora-Tesoureira: Marieldis Simas--. O Sindicato continuará lutando por um melhor reconhecimento e maior visibilidade de nossa categoria. Curso de Técnica Flamenca em Sevilha(Espanha). Foi bailarina do Ballet Officina do Rio de Janeiro e da Cia. 4. O pleito transcorreu sem nenhuma anormalidade e. Participou do 1º Curso de Formação de Jurados para o Carnaval. No período de 27 a 30 de agosto estive marcando presença lá apreciando e fazendo cursos. Suplência da Presidência: Eliana Caminada--.Alberto Turina e Vera Alejandro. Diretora de Comunicação e Benefícios: Jeanette Guenka--Paulista. 10. 16 (dezesseis meses). entre inúmeras outras publicações. fatos já vêm sido observados no decorrer dos últimos anos. Iniciada na dança pelas mãos do grande e eterno mestre Nino Giovanetti. Diretora. (Casa de show Plataforma). sob a direção de Edmundo Carijó. Lourdes Braga. por vários anos ministrou aulas para crianças e adultos. assinadas pela coreógrafa Regina Sauer FESTIVAL INTERNACIONAL DE FLAMENCO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Na cidade de São José dos Campos. bailarino e coreógrafo. de Dança. Dra. o trabalhador que for dispensado sem justa causa. de Ballet Leda Iuqui e do Ballet officina do Rio de Janeiro. Folder sobre Tatiana Leskova para SP .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->