DICAS PARA CONCURSOS

Guilherme Baptista de Siqueira - “Homerzinho”

Introdução 2.Aprendendo a estudar.Resolvendo questões: Truques . 5.Área Fiscal: Bibliografia 6.Escolhendo novas bibliografias 7.1.Resolvendo questões: Velocidade 8.Por que resolvi ser concurseiro 3.Como decidi que concurso eu prestaria 4.

acho que essa habilidade me ajudou muito a diminuir o tempo da minha jornada. mas como eu teria que estagiar pra me formar resolvi me inscrever em alguns processos seletivos. Me formei em Engenharia Elétrica (Ênfase em sistemas eletrônicos) pela universidade de São Paulo. Quanto mais lia o fórum. Sou mais conhecido nesse fórum como "Homerzinho". caem em quase todos os certames. Fui sacaneado por outro estagiário. AFRF.Introdução: Um pequeno Background Meu nome é Guilherme Baptista de Siqueira. Por que resolvi ser concurseiro Do terceiro pro quarto ano de faculdade. consegui um estágio na Microsoft. que estava meio enrolado. inicialmente foi contra a ideia. Quando entrei no fórum me assustei. O cara se apropriou de um trabalho meu. mais ficava maravilhado com o mundo dos concursos. Saí de lá por querer começar a estudar logo pros certames e pra terminar meu TCC. Meu pai. Matemática Financeira e Estatística. estudando-as você desenvolve um raciocínio analítico que acaba ajudando em todas as matérias. embora a maioria das matérias do concurso em que fui aprovado sejam da área de humanas. meus amigos de lá me ajudaram a "desmascarar"o sujeito e ele acabou não sendo efetivado. sempre tive uma certa facilidade com matérias exatas. Depois de um tempo. Ou seja. No final dessa triagem dos processos seletivos. Perca seu preconceito com os números e dê uma atenção especial a matérias como Raciocínio Lógico. Isso me deixou extremamente puto. Mesmo que elas não valham tantos pontos no seu concurso. é minha primeira dica: seja bom em exatas. Essa. Por fim. E. na área de vendas. isso me desanimou bastante. essas matérias são verdadeiras "matérias curinga" pra área fiscal. Falou que eu estava "jogando fora" minha faculdade. Depois de um tempo falando com ele e por ele ver que eu ficava muito chateado com . Além disso. hehe. Eu não conseguia entender nem as postagens sobre métodos de estudo (HBC. Como todo engenheiro. aprendi os principais termos e comecei a me animar com essa ideia de concurso. Todas as pessoas que conheci lá eram sensacionais. Eu não tinha muita vontade de estagiar naquela época. Por incrível que pareça. portanto. AFTM eram siglas gregas pra mim). Por sorte. Só que bastou um cara ser maldoso pra me desanimar totalmente com a iniciativa privada. a maioria dos meus amigos da faculdade começou a estagiar. Depois desse "evento" comecei a procurar sobre concursos públicos e cheguei ao FC. decidi me demitir da MS. Só que esse episódio abriu meus olhos quanto às podridões do mundo corporativo.

Os estudos pra faculdade e pra escola (como já disse o Meirelles) são muito diferentes dos estudos pra concurso. Esses três motivos se mostraram bem razoáveis ao longo dos meus estudos. não era bem esse o caso. Então. e achei que isso me daria uma pequena vantagem. Também contei com o apoio da minha namorada. era "conhecido" na época. Aprendendo a estudar: Uma introdução. Talvez. Nesse meio tempo. o ciclo de gestão ou o legislativo. Embora. . Isso significava. Hoje considero ele um grande amigo. pareça que eu sabia bem estudar. Como eu não tinha formação jurídica. se você está iniciando e precisa escolher uma área. acabei fazendo ela virar a casaca e virar concurseira também. b) Cumprindo o edital de um grande concurso fiscal como o do AFRF ou o do ICMS/RJ eu teria uma formação concursística muito "eclética". Ela achou uma boa desde o começo. ainda haviam algumas matérias com continhas. Deve ter respondido umas 30 vezes às mesmas perguntas. Na verdade. realmente. No final. para mim. do contrário não teria chances. Hoje em dia é muito fácil conseguir material pra qualquer concurso que você quiser. E tudo isso pra ganhar uma caixa de cerveja quando eu passasse! Pelo que ele me falou e pelas informações que colhi no fórum. o mais "fraco" seja o terceiro. na prática. c) Parecia a área mais fácil de se obter material. O cara me tirava todas as dúvidas com relação ao "como estudar". os concursos eram uma ótima escolha. pode levá-los em conta. Como decidi que concurso eu prestaria Depois de me familiarizar com os termos do fórum e. A maioria dos concurseiros que eu conhecia pessoalmente estudava pra essa área. percebi que tinha que escolher uma só área pra focar. Dessa forma. optei pela área fiscal principalmente pelos seguintes motivos: a) Mesmo tendo muitas matérias humanas.umas coisas do mercado ele percebeu que. como diz o Meirelles. que se eu quisesse mudar a área não precisaria de uma guinada absurda. pelo meu histórico. me parecia bem mais fácil de achar companheiros e conseguir ajuda se precisasse. falei com um conhecido meu que era servidor do TCU e ex-politécnico. afiar um pouco do machado. minhas opções eram basicamente a área fiscal.

Em linhas gerais ele diz que a maioria das matérias dos concursos não são absurdamente difíceis. Tem uma passagem dele reflete bem a maioria das matérias pra concurso. DEVE. e o que eu considero a diferença fundamental. vai ter que saber isso também. percebi que precisaria aprender a estudar para concursos. Em alguns casos. Se não me engano. mais de 20 matérias. d) (Opcional) As colunas do Meirelles e do Deme no site que ele escreve. por exemplo. Se você quer ser aprovado. entendê-las é fácil. quando o li. c) A entrevista do Deme pro ponto em 2005. os materiais que eu recomendei cobrem quase 100% do assunto preparação. pelo menos uma vez. Se você quer passar. Sempre que minha memória colaborar. não posso recomendá-lo o suficiente. é só me mandar um e-mail e eu adiciono os créditos o mais rápido possível. Ele comenta sobre isso no manual. recomendar não expressa bem o que sinto sobre esses materiais. b) Aula zero do Gustavo Barchet que tem disponível em alguns sites. Aprendendo a estudar: Compilação das estratégias que usei. eu darei os devidos créditos a quem expôs a ideia. como para AFRF. Esse livro contém tudo que o manual do Alex tem e adiciona MUITA COISA. Como.Alex Meirelles. caso eu tenha esquecido de você. Enfim. mas vou repassá-las bem rapidamente e focar nos erros que as pessoas cometem ao colocá-las em prática. são muito mais matérias. foi lendo o manual do concurseiro do Alex que aprendi isso. Recomendo os seguintes materiais para isso (Aliás. Vou expor algumas das técnicas que esse pessoal já comentou nos materiais acima. Além disso. vou escrever esse pequeno manual com uma abordagem um pouco diferente. Como provavelmente esquecerei de alguém. na minha opinião. além de gratuito. Não será necessário ler mais nada em termos de preparação se você não quiser. Eu dei sorte de perceber isso logo. o problema é guardar tanta coisa e por tanto tempo. Esse material. De forma alguma acho que serei "original" com esse texto. já sabia da maioria das coisas e mesmo assim aproveitei DEMAIS a leitura. e enfatiza mais ainda no livro. Sério.): a) Como estudar para concursos . As estratégias que usei (supondo que a escolha do material já tivesse sido feita) foram as seguintes: . você precisa RETER A MATÉRIA POR MUITO TEMPO. lê-los. você terá um machado bem afiado. depois de ler esse material acima. Também vou tentar adicionar algo que eu acho que não li nos materiais que vi.No concurso. Normalmente. explica muito bem como você deve escolher um livro e a importância de resolver questões da banca. No fim. Eu.

Eu fazia isso. quando eu ia reler. Se surgir algum imprevisto. grifava o mais importante e depois relia só os grifos. Às vezes. os ciclos não viram uma bola-de-neve (como seria o caso de um horário fixo por dia). um possível ciclo seria o seguinte: A.tratando-se de ato não definitivamente julgado: Depois.a)Ciclos um pouco adaptados Acho que todos conhecem a ideia dos ciclos que foi criada (ou. Por exemplo. só lendo essas palavras e tentando extrair sentido delas. quando seja expressamente interpretativa. Enfim. na minha cabeça. repetiria tudo novamente. estudando a esmo.2h D. acabava fazendo o que os especialistas chamam de Active Recall. Depois de um tempo.em qualquer caso. grifava só palavras. mas tentava economizar o máximo possível nas grifadas. me forçava a ler somente as partes amarelas. II . largue esse manual e faça isso agora. Assim que você fecha uma parte razoável da teoria. Eu acabava forçando a . pelo menos. Você terá a certeza que não está deixando de lado alguma matéria. com matérias novas e outro à tarde. Como eu tinha o dia inteiro pra estudar. Embora tenha adotado algumas modificações. Isto é. a matéria sai completamente do ciclo da manhã e fica só no ciclo da tarde. ele sugeriu que eu fizesse dois ciclos. você põe a aquela parte no ciclo das revisões. Eu gostei muito dos ciclos. Quando terminasse a 1h de D. C e D pra estudar pra um concurso qualquer. Um exemplo de como eu grifava: A lei aplica-se a ato ou fato pretérito: I .1h30 B. ao começar o ciclo você estudaria 1h30 da A. a ideia do ciclo permite que você estude sempre que tiver um tempo livre. eu não lia os textos de forma totalmente passiva. Além disso. quando você esgotar a teoria. todas essas ideias já foram amplamente discutidas no livro do Meirelles.1h De acordo com a ideia do Meirelles. logo em seguida 2h da B e assim por diante. é passar as matérias pro ciclo da tarde. Sem um sistema desse tipo. sugeridas pelo meu amigo do TCU (Marcel). B. com revisões e exercícios. b)Grifar e reler rapidamente Essa “técnica” eu li numa entrevista do Deme. E.2h C. popularizada) pelo Alex. Ele disse que lia. Um eu "rodaria" pela manhã. excluída a aplicação de penalidade à infração dos dispositivos interpretados. O objetivo. você fica perdido. Se você não o leu. A vantagem do ciclo é evidente. se você tem as matérias A. Basicamente a ideia é fazer um ciclo fixo de matérias que vão sendo repetidas até você adicionar alguma nova ou alterá-lo.

Refaça os exercícios que errou em outros dias. acabava aprendendo a ser rápido (mais sobre isso nos próximos capitúlos. ficava rápido de ler. Vejam se conseguem adaptá-la à sua forma de estudos. As matérias de concurso. o grosso mesmo. Provavelmente terão um bom ganho c)Revisões e o SRS Tenho certeza que muita gente já leu algo sobre isso mas não conhecia pelo nome. Os programas em geral tem um filtro pra selecionar só os que você errou. Sempre que eu errava alguma. Eu fazia umas dez só pra selar o fim do capitúlo. fazia de 150 a 200 de uma matéria. Uma das formas mais simples de revisar o conteúdo é fazendo exercícios. ele bate muito na tecla das revisões. Demorava horas pra resumir um capitúlo.memória. mas eu tenho que repetir: CANSE DE FAZER EXERCÍCIOS. Muita gente já enfatizou a importância disso. eu conseguia acelerar bastante a leitura. Como eu grifava muito pouca coisa. Quando eu cansava de estudar. não são difíceis de aprender. Essa tática de grifar pouco e reler rapidamente é muito interessante. E ele esta CERTÍSSIMO. procurava o começo do enunciado no google. No livro do Alex Meirelles. Eu não usei nenhum material de questões comentadas. sobre o SRS. gastaria o dia inteiro no superprovas. mas eu cheguei a “ler” os Descomplicados umas três ou quatro vezes usando esse método. pois sei que muita gente vai me perguntar. vai terminar o quinto capitúlo sem lembrar de nada do primeiro. Como eu estabelecia uma meta alta de exercícios. já que só lia algumas palavras e precisava extrair sentido pra elas.Eu achei algumas dicas e truques pra facilitar o método. Mas tem que fazer MUITOS exercícios. sempre que eu ia começar uma maratona de exercícios. Se você não revisar. Depois que você se acostuma. pulando algumas partes que eu lembrava corretamente. vou falar um pouco mais sobre os resumos. eu não precisava fazer resumos. E. Do contrário. mas. hehe). SRS . Certamente alguém vai achar que é mentira. Às vezes. Mas eu fazia muitos mesmo. fazia alguns dias depois. eu batia o olho em algum título ou subtitúlo e tentava falar pra mim mesmo o que havia na seção. Isso garantia que eu não esqueceria o mais importante. O livro do Meirelles é um bom material sobre o assunto (a parte de revisões). ou seja. já dava uma boa pulada. ia fazer execícios no SUPERPROVAS. Ainda nessa parte de exercícios. O problema é decorar. Além de ter essa vantagem da leitura “ativa”. Recomendo também que você não faça muitas questões logo após acabar um capitúlo. fazia primeiro os que já tinha errado alguma vez. Eu tentei fazê-los no começo. Agora. o que eu errei. Numa “rodada”. Mesmo tendo bastante tempo pra estudar. você acaba lendo muito rápido. Geralmente já existia a resolução em algum lugar. Se eu lembrasse grande parte corretamente. em geral. tenho outra dica interessante. Finalizando essa parte. Me aproveitando disso. sentia que o estudo não ia pra frente. mas não tive sucesso. Alguns livros mencionam o sistema. Conseguia ler muitas páginas de um capitúlo rapidamente.

mas efetivo é o que aprendemos com o Alex. A+7. O bom dos softwares é que. dessa vez sem a resposta. O problema desse método é que você precisa ser bem organizado com sua agenda pra saber que dia você tem que rever que capitúlo/seção/matéria. 3)Você responde mentalmente e depois clica em ver resposta. eu só adicionava o título da parte da matéria que eu tinha lido naquele dia. sendo que o espaçamento é calculado pela dificuldade que você tem com a matéria. Com intervalos sempre mais espaçados. Área fiscal: Bibliografia Eu não gosto muito de falar sobre bibliografia. O problema é que eu gastava muito tempo fazendo os flashcards. vou . nos dias seguintes. eu abria o superprovas e fazia umas 50 questões sobre o assunto. mostra o cartão pra você de novo. quando o software mostrasse pra mim aquele flashcard. Por exemplo “Controle de constitucionalidade”. 5)Conforme sua resposta. Depois. Há alguns algoritmos que facilitam o método. Os programas funcionam da seguinte forma: 1)Você cria um flashcard de uma matéria (geralmente com uma pergunta sobre a matéria) e adiciona ao banco de dados. o programa agenda a próxima exibição do flashcard. Os defensores do método advogam que a única maneira de decorar algo é repetir esse algo até a exaustão. o flashcard só vai aparecer daqui um tempo maior do que apareceria se você foi mal. Pra automatizar o processo (caso você seja desorganizado como eu). Daí tive uma ideia que implementei só depois do edital e que eu achei ótima.significa Spaced Repetition System. bem simples. além de automatizar o processo. de acordo com o seu desempenho (de péssimo a perfeito). Se você leu a matéria no dia A. Um. mas como todo mundo vai perguntar. Se você foi bem. quando ele perguntava meu desempenho. Daí. Os dois principais programas que achei pra fazer o SRS foram o Anki e o Supermemo. A+30 e depois a cada dois ou três meses. eu marcava de acordo com minha nota nesse “simulado. 2)O programa. ele calcula o espaçamento de forma mais otimizada. Quando eu comecei a usar o programa fiquei maravilhado. você pode usar alguns softwares (inclusive open source e gratuitos). revise no dia A+1. O primeiro é gratuito e pode ser baixado em qualquer site de downloads. 4)O programa oferece várias opções pra você marcar. Ao invés de fazer os flashcards com perguntas e respostas.

fui bem na matéria só com o livro do Paludo e exercícios. Queria ser prático. Direito Tributário – Ricardo Alexandre. O curso foi muito bom. Em pouco tempo as bibliografias se desatualizam. Administração Pública – Não achei nenhum material que me satisfizesse completamente. Discursiva – Fiz um curso com a professora Carla do escrita nas entrelinhas e comecei outro com a professora Monique. acho que esse é o ideal. amiga da professora Fátima. Se alguém quiser discutir essa ideia. Pra FCC foi suficiente. Legislação Tributária – Curso do canal em PDF. pra essas três matérias. é questão de decorar as fórmulas e os algoritmos pra resolver os exercícios. sem mais delongas (hehe). aprendi tudo que devia aprender. mas provavelmente não vai ficar nada profissional. Direito Penal – Fiz o curso do Estratégia em PDF com o Renan Araújo. eu tenho uma ideia pra facilitar a escolha da bibliografia. Um colega tinha impresso e eu dei uma boa olhada no material. Só revisei as fórmulas e fiz milhares de exercícios. Acabei largando os dois no meio. segue a bibliografia que usei: Português – Só fiz o curso da professora Fátima. Achei a matéria bem complexa. Eu não gosto do assunto pois essa parte só vai servir pra quem está lendo esse texto atualmente. o curso foi mais aprofundado do que a prova exigiu. Em breve vou tentar implementá-la. Sem comentários também. Enfim. O problema é que as bancas às vezes cobram umas teses de mestrado e doutorado de uns autores meio desconhecidos. Os professores REALMENTE sabem do que falam.colocar aqui os livros que usei. Se quiserem comprar um curso. Esse livro dispensa comentários. usei um material da faculdade pra ver os conceitos e depois fiz muitos exercícios. Daí fica difícil até ir pela lógica. No fim. No final. Administrativo – Direito Administrativo Descomplicado. decorei um esqueleto de redação e adaptei na hora. Igualzinho Civil. . No final. MF. mas fui bem só com ele. Sem comentários. No final. então não sou muito bom pra opinar aqui. Direito tributário esquematizado. Não porque fossem ruins. A ideia seria implantar um Rating System como há no site da amazon americana. Constitucional – Direito Constitucional Descomplicado. Em estatística. no final. Direito Civil – Lei seca e milhares de exercícios. Estatística e Raciocínio Lógico – RL e MF eu já sabia grande parte. Só reclamei um pouquinho de alguns atrasos mas. Usei o livro do Agustinho Paludo e achei muito bom. Fiz todos da FCC que estavam disponíveis no SUPERPROVAS. Uma recomendação que vale aqui é o RL para Desesperados. Inclusive. Mas voltado apenas pra obras de concurso. me mande um e-mail. Mais ou menos como a teoria das máscaras que o Nelson Sartori inventou. mas porque estavam me tomando muito tempo. Direito Comercial – Lei seca e milhares de exercícios. Livro sensacional.

Auditoria – Livro do Davi Barreto. Não tem outra opção. Informática – Só exercícios. Se não me engano foi na aula 0 de direito adminstrativo que ele deu uma vez no ponto. mas a prova do ISS fugiu um pouco do esperado. Gostei muito do Ed.Economia – Héber Carvalho. Contabilidade – Ed Luiz Ferrari e muitos exercícios. No final. No final acabei deixando um pouco de lado (mas cumpri o programa). Contabilidade Pública – Peguei emprestado um caderno/apostila de uma amiga que fez um presencial e fiz muitos exercícios. Escolhendo novas bibliografias Vou dizer agora como escolher os livros/cursos das matérias. 2)Escolher um assunto qualquer da matéria. Finanças Públicas – Héber Carvalho. sim. Eu vi uma parte dessa dica pela primeira vez num texto do Gustavo Barchet. Já tinha um bom conhecimento da matéria. ter lido uma boa parte do livro Contabilidade Avançada facilitada me ajudou muito pois a banca cobrou muito CPC. chutei a que foi anulada e acertei. Fechei a prova (Dei sorte de ter acertado as 20. Depois adaptei um pouco pras minhas necessidades. O “algoritmo” que eu usei pra escolher materiais: 1)Ver o livro mais recomendado na seção correspondente do fórum (Geralmente é o que tem mais páginas de comentários). Cabe um comentário aqui: Quando o edital saiu. A matéria seria dividida com Contabilidade e com Finanças Públicas em 20 questões. Esse tipo de dica é mais legal pois é “atemporal”. Talvez pra quem esteja começando. Além disso. minha primeira reação foi alocar muitas horas pra essa matéria. Ah. Ex: Controle de constitucionalidade. Não valia a pena ficar muito bom nela. mas tem gente que acha ele complicado. perguntei bastante pelos fórums. valha a pena achar algum livro introdutório pro contato inicial. 3)Selecionar umas 30 ou 40 questões do assunto . hehe). Comprei também o livro do Ed de exercícios. Essa matéria é bem lógica.

o cara ia ter menos chance de cair em pegadinhas do que eu. Mesmo que a banca do seu concurso não cobre velocidade. 6) [Importante] Tentar descobrir se a editora disponibiliza atualizações.5 minutos por questão nas matérias de humanas e 4 nas de exatas. Comprar um livro por ano acaba saindo muito custoso. no mínimo. Não se esquecendo do outro mandamento canônico para concursos: UM LIVRO POR MATÉRIA. 5)Ver se o resultado foi bom. Se você treinar muito a resolução de questões. Sem nem eliminar nada. Não adianta nada fazer 90% de 20 questões levando três horas pra respondê-las. Acho que o ideal é levar. se prepare pra comprar o material. Resolvendo questões: Velocidade Agora chegou a hora que a maioria devia estar esperando. Recomendo que tentem adotar esse estilo. Simplesmente vou dizer tudo o que fiz pra conseguir resolver a P1 do ISS-SP com tempo de sobra. Nas questões de direito. Segunda dica: Planeje sua resolução. 1. só se for de exercícios. muita gente deve ter deixado algumas questões pra responder depois. Se.4)Dar uma olhada no capitúlo relativo a matéria e procurar todas as respostas para as questões que você selecionou (Você pode pegar o livro emprestado com algum amigo ou levar questões impressas na livraria. Outro livro. no máximo. Nessa P1 do ISS. prefiro começar pelas humanas. Não vai ter um raciocínio que vai te salvar. por um lado. é interessante saber ser rápido. Cronometre as resoluções. é muito provável que ele não tenha tido chance de rever a questão e teve que marcá-la diretamente no gabarito. vai ganhar mais tempo pra revisar as questões. Primeira dica: Preste atenção no seu tempo de resolução de questões. por exemplo). Estabeleça um tempo máximo por questão. Acho que muita gente ignora isso. Já adianto que provavelmente não vou dizer nada muito supreendente. O concurseiro tem que ter em mente que não pode casar com a questão. e você ainda perde os grifos (O que é impensável. Particularmente. Se não der pra resolver. elimine as absurdas e chute logo. Um grande disperdício de tempo). Muitos podem achar essa meta impossível mas eu afirmo que não é. Você. ou você sabe ou você não sabe. certamente chegará nessa nível. Se foi e você gostou de como o autor escreve. por outro. . mas é muito importante.

Também é interessante fazer metas de questões resolvidas por tempo de prova. (A) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. Isso. qual alternativa você marcaria? Poxa. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. economiza tempo. mas vejam se não vale a pena. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída na legislação tributária. No ISS. (C) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. Você podia pensar que não tinha como saber. Resolvi que gastaria. no máximo. evita o nervosismo de não dar tempo de passar pro gabarito e evita erros sequenciais. Daí fui pra português com calma e na hora e meia que me sobrou. (D) unicamente moeda corrente. Aquele que você pula uma e erra as próximas dez. Terceira dica: Comece lendo a questão pelas respostas. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. Se ficar entre duas escolha logo uma sem ficar pestanejando. pois o enunciado podia pedir a . na minha opinião. constitua ou não sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. começaria a ler mais rapidamente e chutar as que pareciam certas sem muito peso na consciência.Tendo isso em mente. Mesmo que eu tenha que chutar algumas. No final. Outra coisa que eu planejei no dia anterior foi resolver as questões e já marcar direto no gabarito. Eu tento me ver livre das matérias humanas pra poder gastar o tempo que eu quiser fazendo cálculos. fiquei lá brigando com as questões de exatas. Prestava bastante atenção pra ver se tava colocando a bolinha no lugar certo e pronto. eu decidi começar por tributário (isso no dia anterior). constitua ou não sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. eu sempre começo pelas humanas. 45 minutos na prova de tributário. comece a acelerar. resolvi mais rápido que isso. dava pra marcar C tranquilamente. Vejam essa questão da prova do ISS (retirei o enunciado) que mostra a vantagem desse método. sei que muitos vão discordar. (E) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. (B) unicamente moeda corrente. Enfim. Resolva as coisas sem checar duas vezes. Coloque essas metas de tempo pra todas as matérias. A cada questão resolvida eu marcava. Se não tivesse o enunciado nessa questão. etc. Caso passe do estabelecido. Caso passasse desse tempo. E me forço a terminar a prova antes de ir pra de exatas.

(C) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. Se precisasse chutas sem ler o enunciado por estar com muita pressa. Então já dá pra colocar a alternativa C como resposta. é preciso que. A alternativa C é cópia do CTN. (D) unicamente moeda corrente. A questão é que temos duas claramente erradas. tenha como objeto (A) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. Geralmente então procuro os erros nas outras alternativas. agora com enunciado: Para que uma prestação pecuniária compulsória possa ser conceituada como tributo. além de ser cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada. Daí. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. (E) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. Pra ser mais rápido ainda. constitua ou não sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. (C) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída na legislação tributária. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. Claro que não dá pra fazer isso em todas as questões mas quando a questão é literal. dava pra marcar essa. constitua ou não sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. eu risco a alternativa na primeira palavra errada. Se eu achei duas erradas. (A) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. Comparem isso com o total de palavras da questão abaixo. (B) unicamente moeda corrente. (B) unicamente moeda corrente. Segue a palavra em que eu parei de ler a alternativa. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. Só uma pequena análise: Dava pra matar a questão lendo 37 palavras. você lê o enunciado e confirma sua resposta certa. muitas vezes conseguimos aplicar a técnica. constitua ou não sanção de ato ilícito e esteja instituída em lei. constitua ou não sanção de ato ilícito e esteja instituída . (D) unicamente moeda corrente. se tiver tempo de sobra. já sei que tenho que achar a certa.alternativa errada.

Já não dava pra responder? Sim. como as decorrentes de comoção interna ou calamidade pública. Quarta dica: Se as respostas só não adiantarem. incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente. b) a realização de despesas ou a assunção de obrigações diretas que excedam os créditos orçamentários ou adicionais. depende de lei complementar: a) a fixação de metas e prioridades da administração pública. direta ou indiretamente. detenha a maioria do capital social com direito a voto. Claro. A única alternativa que depende de lei complementar é a E. não constitua sanção de ato ilícito e esteja instituída na legislação tributária. só lia o finalzinho do enunciado pra confirmar a resposta. direta ou indiretamente. como eu disse. como as decorrentes de comoção interna ou calamidade pública. que você não precisa fazer isso toda hora. claro que dava. e) estabelecimento de normas de gestão financeira e patrimonial da administração direta e indireta bem como condições para a instituição e funcionamento de fundos. c) a abertura de crédito extraordinário para atender despesas imprevisíveis e urgentes. leia o último período do enunciado. c) a abertura de crédito extraordinário para atender despesas imprevisíveis e urgentes. d) orçamento de investimento das empresas em que a União. d) orçamento de investimento das empresas em que a União. . Tem muito risco de cair numa pegadinha. Então eu fazia isso e ficava bem de olho na alternativa que eu achava que seria o gabarito. depende de lei complementar: a) a fixação de metas e prioridades da administração pública. pelo pouco tempo que teríamos de prova. detenha a maioria do capital social com direito a voto. (E) moeda corrente ou valor que nela possa ser expresso. b) a realização de despesas ou a assunção de obrigações diretas que excedam os créditos orçamentários ou adicionais.em lei. incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente. A questão é que eu sabia que tinha que correr no ISS. Daí. também. Segue a questão completa (FCC/2012/ISS-SP) De acordo com previsão da Constituição da República em matéria orçamentária.

Em balanço de pagamentos. verá que o ganho de tempo é muito grande. Mas se você se educar a resolver questões assim e fizer muitas delas. Pode parecer que você não vai economizar muito tempo só por pular algumas palavras. Resolvendo questões: Truques Nessa parte vou dar algumas dicas e direcionar quem está lendo pra materiais que facilitam a resolução de questões.e) estabelecimento de normas de gestão financeira e patrimonial da administração direta e indireta bem como condições para a instituição e funcionamento de fundos. Então. Digital Root. 1+5+0 = 6. As dicas servem principalmente pra matemática. checando suas respostas: Quanto vale 49 x 37 a) 1813 b) 1814 c) 1815 2937190 ? . Somar só os últimos digitos dos números: 1)Quanto vale 123341 + 1231245 + a) 4 291 776 b) 4 291 777 c) 4 291 778 d) 4 291 779 Notem que você não precisa fazer a conta inteira pra achar a resposta. dá pra resolver muitas questões só somando os últimos digitos. É normal. antes do concurso. Esse medo some se você fizer muitas questões usando o método em casa. Essa dica é muito útil quando se trata de economia. Vou dar exemplos simples e que eu mesmo inventei pra facilitar o entendimento. Muita gente vai ter medo da técnica. Se você somar só os últimos digitos dos números já vai dar pra marcar. a resposta só pode ser A.

é sim. mesmo assim.d) 1816 Pra tirar a Digital Root de um número. eu sempre prefiro multiplicar. no fundo. a resposta só pode ser A. Fazendo a digital root das alternativas a) 1+8+1+3 = 13 => 1+3 = 4 b) 1+8+1+4 = 14 => 1+4 = 5 c) 1+8+1+5 = 15 => 1+5 = 6 d) 1+8+1+6 = 16 => 1+6 = 7 Como há a propriedade enunciada acima. vale a pena aprendê-la. Tem questões de matemática financeira que dá pra matar ou eliminar várias alternativa usando só essa técnica. acreditem. Trocando divisões por multiplicações: Quanto vale 65880 dividido por 135 a) 500 b) 488 c) 219 d) 300 Ao invés de fazer a divisão. Eu prefiro multiplicar quase todas as alternativas do que dividir. basta somar seus digitos até ficar com só um número: D(49) => 4+9 = 13 => 1+3 = 4 D(37) =>3+7 = 10 => 1+0 = 1 A propriedade interessante dessa operação é que a resposta certa da multiplicação tem a mesma digital root do que a multiplicação da digitais root’s iniciais. Você troca divisões e multiplicações complexas por contas simples. A técnica não funciona quando temos números quebrados mas. Esse método pode não parecer tão vantajoso mas. vai . Pode parecer estranho mas se você parar pra pensar.

11 . 21312312 x R: 234435432 De novo. Matemática Vedic: Não sei se essa dica vale muito a pena. chegamos na alternativa B como a correta.1³. por exemplo dava pra usar a técnica. o número teria dois zeros no final. então eu pegaria as alternativas e multiplicaria por 135. você carrega um pro algarismo a esquerda. Quando tinha que multiplicar por 1. mas essa técnica do 11 eu usei muitas vezes em MF. até o fim. mas elas facilitam bastante. Tentem resolvê-lo. Se fosse uma dessas duas. Eu sei algumas poucas.ter que testar várias multiplicações pra conseguir dividir. E assim por diante. Daí repete o último. Vou dar um exemplo de uma técnica simples que eu sei e que ajuda bastante. procure sobre as técnicas Vedic. parece complicado mas é bem simples. Dá pra eliminar a A e a D de cara. basta repetir o primeiro número e ir somando o algarismo com o seguinte. voltando ao problema inicial. Não sei se chega a valer a pena aprender muita matemática Vedic. segue um mais fácil 345 x 11 Repete o primeiro: 3 O segundo algarismo do resultado é o primeiro algarismo somado com o segundo: 3+4 = 7 O terceiro algarismo do resultado é o segundo algarismo somado com o terceiro: 4+5 = 9 O último algarismo do resultado é a repetição do último: 5 Resposta: 3795 Se a soma de algum der maior que dez. Nesse caso. Agora. Antes de resolver o exemplo inicial. mas quando você estiver em casa sem vontade de fazer nada e bater aquela vontade de aprender matemática. Testando a B e a C. Como multiplicar qualquer número por 11? 21312312 x 11 Pra resolver.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful