Poços artesanais 1.docx

http://www.abas.org/educacao.

php Educação
Poços para captação de água DEFINIÇÕES
POÇO TUBULAR PROFUNDO
Obra de engenharia geológica de acesso a água subterrânea, executada com Sonda Perfuratriz mediante perfuração vertical com diâmetro de 4” a 36” e profundidade de até 2000 metros, para captação de água.

POÇO RASO, CISTERNA, CACIMBA OU AMAZONAS
Poços de grandes diâmetros (1 metro ou mais), escavados manualmente e revestidos com tijolos ou anéis de concreto. Captam o lençol freático e possuem geralmente profundidades na ordem de até 20 metros TIPOS DE POÇOS: A Figura abaixo representa esquematicamente os tipos de Poços existentes para a captação das Águas Subterrâneas:
   

Cacimba, poço raso, cisterna ou poço amazonas. Construídos manualmente. Não carece de licenciamento ou autorização governamental dos órgãos gestores. Poço perfurado em rochas consolidadas ou cristalinas. Também conhecido como semi – artesiano. Poço perfurado em rochas inconsolidadas e consolidadas. Pode ser chamado de Poço Misto e também semi – artesiano. Poço no Aqüífero Guarani. Poço perfurado em rochas consolidadas e inconsolidadas, com grandes diâmetros (até 36”) e profundidades (até 1.500 metros). Também chamado de artesiano, jorrante ou não. Poço Sedimentar, perfurado em rochas geralmente inconsolidadas. Pode ser chamado também de semi – artesiano.

engenheiros.abas. prestadores de serviços. para dirimir dúvidas. Sede: Rua Dr. receber denúncias e sugestões. Cândido Espinheira. Congregam empresas fabricantes de equipamentos e materiais. até colaborar com estudos de planejamento. termos de referências e formulações de editais que objetivem a contratação de Poços Tubulares Profundos e serviços correlatos. que podem apoiar a sociedade civil nessas atividades.São Paulo . desenvolvimento de técnicas e tecnologias. divulgação.org QUALIFICAÇÃO DAS EMPRESAS COM ATIVIDADES EM HIDROGEOLOGIA E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS CREDENCIAMENTO DA ABAS COM SELO DE QUALIDADE A ABAS instituiu um Sistema de Credenciamento para as empresas de Perfuração e de outras atividades no setor de Hidrogeologia. dentro do escopo das águas subterrâneas: utilização racional e sustentada. fomentar a utilização de aqüíferos de forma racional. além de estudantes. Normas e Entidades Profissionais e Técnicas – Científicas: ABAS – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS A ABAS é uma entidade Técnica – Científica sem fins lucrativos que tem como seus objetivos. pesquisadores. administradores e técnicos de nível médio. perfuradores de poços. sondadores. elevação da qualidade dos serviços prestados pelas empresas associadas. através de: gestão integrada. .CONTRATATAÇÃO DE UM POÇO TUBULAR PROFUNDO Recomendações. grandes consumidores de água e profissionais multidisciplinares. universidades.SP Tel/Fax: +55 11 3871-3626 info@abas. 560. consultores. elevação do nível técnico dos associados. 32 . cj. geólogos. professores. Desde questões do dia a dia. observação das normas técnicas e licenças ambientais. institutos e órgãos de pesquisa e gestão de recursos hídricos. A ABAS dispõe também de um Conselho e vários Comitês Técnicos.org .05004-000 .www.

tornando-se um referencial para futuras contratações. no INSS. Atesta ainda as idoneidades administrativas. recebendo um CERTIFICADO e um SELO DE QUALIDADE. no FGTS e em outros órgãos necessários a sua atuação.br SISTEMA CONFEA/CREA O CONFEA .O credenciamento junto a ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas é uma certificação de empresas quanto suas condições de atuar tecnicamente e dentro dos preceitos estabelecidos pelas Normas da ABNT.Conselho Regional de Engenharia. tecnólogos dessas modalidades.194 de 1966 e se constitui em instância máxima referente ao regulamento do exercício desses profissionais. buscando-se assim a proteção dos usuários contratantes.org. Qualquer empresa pode vir a ser credenciada nas diversas categorias. engenheiros de minas e técnicos de mineração. Em São Paulo dentre as Câmaras setoriais. já que analisa seus registros e certificações no CREA. ABNT .or. perfuração de poços e mineração. A qualificação tem como uma de suas metas informar e orientar os consumidores públicos e privados sobre a diferenciação entre as empresas.br – atendimento. e pelas suas complexidades.Associação Brasileira de Normas Técnicas Órgão responsável pela normatização técnica no país.Fax: (11) 3767-3650 www. jurídicas e financeiras das empresas.br . pela empresas na área de hidrogeologia.6o andar – Pinheiros . as Normas Brasileiras que contemplam as Águas Subterrâneas e os Poços Tubulares Profundos: NBR 12212 . pelos tipos de atividades.Conselho Federal de Engenharia. Arquitetura e Agronomia é regido pela Lei 5. atua a CAGE – Câmara de Geologia e Minas. geólogos.“Dispõe sobre tubos de PVC para poços tubulares profundos” NBR – 13895/1997 – Poços de Monitoramento.SP Fone: 11 – 3034-0855 – geominas@creasp. CAGE – Câmara de Geologia e Minas Avenida Brigadeiro Faria Lima no . num total de centenas de títulos profissionais.abnt. Avenida Paulista 726 – 10o andar São Paulo – SP Fone: (11) 3253-4641 . Em cada estado está representado pelo CREA .org.sp@abnt.São Paulo . Representa também os geógrafos. técnicos industriais e agrícolas e suas especializações. aprovou e publicou dentro da CB02 – Comitê Brasileiro de Construção Civil.Projeto de poço tubular profundo para captação de água subterrânea NBR 12244 . Arquitetura e Agronomia. estando em vigor. meteorologistas.Construção de poço tubular profundo para captação de água subterrânea NBR 13604/13605/13606/130607/13608. responsável além do controle profissional dos geólogos.

requerem antes de suas construções as seguintes ações: 1 – Licença de Perfuração junto ao órgão estadual gestor dos recursos hídricos Para se perfurar e operar poços tubulares profundos no estado de São Paulo. Correlação entre o descritivo dos serviços propostos e os efetivamente realizados. Durante os trabalhos de perfuração   Acompanhamento dos serviços. Selo de qualidade ABAS. Relatório Técnico  Dispor de todas as informações conforme modelo sugerido na Fig 12. Após Fechamento do contrato   Recolhimento de ART junto ao CREA. avaliando o projeto. Nos casos dos chamados “POÇOS TUBULARES PROFUNDOS”. Relação de Equipamentos Relação de Pessoal Técnico Projeto Técnico executivo especificando diâmetros de perfuração. Obtenção de Licença de Perfuração junto ao órgão gestor estadual. . CONSTRUÇÃO E INSTALAÇÃO COMO CONTRATAR UMA EMPRESA DE PERFURAÇÃO DE POÇOS RECOMENDAÇÕES Na proposta         Registro ou visto no CREA-SP Responsável Técnico: geólogo ou engenheiro de minas. que instituiu Normas para disciplinar o uso dos recursos hídricos no Estado. Atestado de Capacidade Técnica acervado pelo CREA. necessária à obtenção de outorga junto ao DAEE. e posteriormente o direito de uso do recurso hídrico protegendo o usuário de possíveis conflitos quanto a futuros usos do recurso. conforme Portaria 717 de 12/12/06. também conhecidos por ARTESIANOS ou SEMI – ARTESIANOS.ROTEIRO PARA A CONTRATAÇÃO. Atestados de idoneidades: administrativas. jurídicas e financeiras. que concede a autorização para perfurar o poço. litologias atravessadas e eventuais acréscimos de preço em profundidade. como são obras de engenharia geológica.

: (0. 100 16200-028 .17) 227-2108 E-mail: btg@daee. Estados Unidos.sp. onde se pode obter informações e encaminhar processos de outorga: Diretoria da Bacia do Alto Tietê e Baixada Santista .BAT Rua Boa Vista.. 25 Taubaté – SP – CEP: 12010-510 Tel.br Diretoria da Bacia do Turvo-Grande – BTG Av. 150 . 1400 – Cidade Nova São José do Rio Preto – SP – CEP: 15085360 Tel. no caso do Estado de São Paulo. analise físico química e bacteriológica da água. estudos e detalhes das obras acompanhados da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica).17) 227-2108 Fax: (0.Birigüi – SP Tel. com fluxograma de utilização da água. hidrogeologia.sp.gov. Relatório final de execução do poço.BBT Rua Silvares. no caso de captação de água subterrânea..br Diretoria da Bacia do Baixo Tietê . Protocolo/cópia do ARF (Atestado de Regularidade Florestal) emitido pelo DEPRN e da Licença de Instalação ou Funcionamento da CETESB. conforme o caso.18) 642-3502 E-mail: bbt@daee.br Diretoria da Bacia do Pardo-Grande – BPG Rua Olinda.Capital . Estudos de viabilidade (EVI) e cronograma de implantação no caso de empreendimentos. O DAEE.sp. geologia.. do usuário.12) 233-2099 Fax: (0. mapa topográfico e RAE – relatório de avaliação de eficiência.gov.. O que é necessário para a Outorga do Direito de Uso dos Recursos Hídricos:        Formulários de requerimento segundo o tipo de uso Informações do empreendimento.br Diretoria da Bacia do Paraíba e Litoral Norte .CEP 01014-000 Tels.: (0.BPB Largo Santa Luzia. Comprovante de pagamento dos emolumentos.sp.18) 642-3655 Fax: (0.: (0.Bloco 5 . e relatório de avaliação de eficiência (RAE) do uso das águas. através do sistema de administração descentralizada possui os seguintes endereços no estado.: (0. Otávio Pinto César.gov.12) 233-7116 E-mail: bpb@daee. dados construtivos do poço. 988 -Piracicaba – SP – CEP: 13416-500 Tel.: (0.: (0.19) 3434-5111 E-mail: bmt@daee.gov. quantidades e período de exploração.10º andar São Paulo ... documentos de posse ou cessão de uso da terra..gov. 170 .16) 623-3940 E-mail: bpg@daee..8534 E-mail: bat@daee..19) 3434-5111 Fax: (0..16) 623-3940 Fax: (0.Santa Terezinha Ribeirão Preto – SP – CEP: 14025-150 Tel.sp..3293.br . Projetos.br Diretoria da Bacia do Médio Tietê – BMT Av.sp.gov.A licença para a perfuração e a operação de poços tubulares profundos deve ser executada por geólogo.11) 3293 8535 . sendo constituída por: informações cadastrais.

possua um responsável técnico: geólogo ou engenheiro de minas e tenha o selo da ABAS – Associação Brasileira de Águas Subterrâneas. Fig 11 . coleta e análises d’água. a vazão necessária ou esperada.Diretoria da Bacia do Ribeira e Litoral Sul – BRB Rua Félix Aby Azar.. Estas precauções visam a assegurar a realização de um serviço dentro das normas.gov. cimentações e desinfecção.sp. que será fiscalizado pelas entidades competentes e gozará de todas as garantias construtivas.13) 3821-3244 Fax: (0.br 2 – Elaboração de Projeto Técnico Construtivo do Poço Deve-se levar em consideração. a geologia do local. teste de bombeamento. laje de proteção sanitária.Esquema sem escala de 3 tipos de poços tubulares profundos: 1 – poço em rocha cristalina 2 – poço em sedimento com filtros 3 – poço misto Relatório Final do Poço .: (0.13) 3821-4442 / 3821. por empresa que: esteja registrada no CREA. Deve conter os tipos de rochas previstos a serem perfurados. 3 – Locação do Ponto de Perfuração A escolha do local de perfuração de um Poço Tubular Profundo deve ser precedida de um estudo a ser realizado por um hidrogeólogo.Construção do Poço Tubular Profundo A construção deve ser executada dentro das normas da ABNT. especificações dos materiais a serem empregados durante a perfuração e aqueles a serem aplicados em definitivo no poço e os serviços de completação tais como: desenvolvimento. 4 . diâmetros de perfuração. 442 – Centro Registro – SP – CEP: 11900-000 Tel. a qualidade físico-química da água e a distancia entre a profundidade prevista de captação (nível dinâmico do poço) e o ponto de recepção dessa água (reservatório). Este procedimento busca a maximização do resultado..4730 E-mail: brb@daee.

A ser fornecido pela empresa executora do poço. geologia. Descrição Litológica . Identificação do Poço Proprietário: Município: Profundidade: 65. Perfil Geológico De (m) A (m) Litologia Coordenada Cota: Empresa Construtora: Estado: Nível Estático: 3.Descrição De: Volume: m3 De à m 8. Cimentação 6.60 m 2. Características Técnicas Perfuração De (m) A (m) Início: ø (pol) Sistema Término: Máquina (m) De (m) Revestimento A (m) ø (pol) Tipo Filtros De (m) A (m) ø (pol) Tipo ab(mm) 5. Perfil Geoelétrico Tipo De (m) A (m) ------- 4. Pré-Filtro: Tipo De: Volume: m3 7. devendo conter: dados construtivos. Teste de Bombeamento Definitivo Tipo de teste: Início: Hora: Término: Hora: . 1. analise da água e dados para o dimensionamento do equipamento de bombeamento. completação. teste de vazão.

Parâmetros Unidades VMP (Valores máximos permitidos) límpido Não objetável Até 15.m) s/Q (m. Análise físico química da água 14 – Planilhas do Teste de Vazão Assinatura do Responsável Técnico com nº do CREA Fig 12 . da bomba (m) ø Tubos (pol) Equipamento Recomendado: 11. Desinfecção 12.Q + b.Modelo Sintético de Relatório Técnico Final de um Poço Parâmetros para Ensaios Físico químicos e organolépticos. Condições de Exploração Alternativas Q (m3/h) ND (m) Perdas de Carga: b= s (m) Q/s (m3/h. Observações Hidrogeológicas s = a.00 Até 5.5 Até 1000 ASPECTO ODOR COR TURBIDEZ pH SÓLIDOS TOTAIS DISSOLVIDOS ALCALINIDADE DE UH NTU mg/L mg CaCO3/L 0.Rebaixamento Etapa Duração NE (m) ND (m) Q(m3/h) (h) Tipo de Aqüífero: a= 9.0 .Q2 10. m3/h) Vazão Específica (Q/S) (m3/hm) Período (h/dia) Prof.00 Entre 6 e 9. Acabamento / Laje de Proteção Hipoclorito: 13.

0 mg Fe/L Até 0.1 mg CO2/L mg l/L Até 2.5 mg N/L Até 1. .0 mg N/L Até 10.HIDROXIDOS ALCALINIDADE DE CARBONATOS ALCALINIDADE DE BICARBONATOS DUREZA DE CARBONATOS DUREZA DE NÃO CARBONATOS DUREZA TOTAL OXIGÊNIO CONSUMIDO NITROGÊNIO AMONIACAL NITRITO NITRATO FERRO CLORETOS FLUOR MANGANES GÁS CARBONICO CLORO RESIDUAL LIVRE SÍLICA CONDUTIVIDADE SULFATO mg CaCO3/L Até 125 mg CaCO3/L Até 250 mg CaCO3/L mg CaCO3/L mg CaCO3/L Até 500 mg O2/L Até 3.5 mg NH3/L Até 1.Modelo Analise Físico Química e Bacteriológica da ÁGUA– NTA 60 / Para poços cuja água seja potável exige-se o cumprimento da Portaria 518/04 do Ministério da Saúde.5 mg Mn/l Até 0.30 mg Cl/L Até 250 mg F/L Até 1.5 mg SiO2/L μS/cm a 25°C mg SO4/L Até 250 Parâmetros para Ensaios Microbiológicos BACTÉRIA Unidades VMP Bactérias do grupo coliforme Bactérias do grupo coliforme – fecal Bactérias Heterotróficas (Valores máximos permitidos) UFC / 100 ml Ausência UFC / 100 ml Ausência UFC / ml 500 Fig 13 . EQUIPAMENTOS E MATERIAIS PARA O BOMBEAMENTO DO POÇO.

ventosa. saída lateral e válvula de retenção. PVC ou até mesmo de mangueiras flexíveis.Quadro Elétrico de Comando e Proteção . curva. por onde sai à água bombeada. . para possibilitar a medição dos níveis d’agua no poço.Eletro bomba submersível usualmente dotada de motores trifásico de 220/380/440 volts. Normalmente em material de aço galvanizado: tubo. união.Cabo Elétrico: condutor elétrico que interliga a bomba no interior do poço ao quadro. Montado na superfície e conectada à rede adutora. . o mesmo poderá ter definido o equipamento adequado para sua exploração: . Giampá e Valter Galdiano Gonçales.Tubulação Edutora: Geralmente de aço galvanizado. . conectando a bomba até o cavalete na superfície.DH Perfurações. de autoria de Carlos Eduardo Q. “Quando da instalação da bomba no poço deve ser aplicado concomitantemente um tubulação de pelo menos ½” até as proximidades da bomba. Texto e ilustrações extraídos da cartilha sobre Perfuração de Poços da ABAS FIESP .Cavalete.Tubulação para medição do nível d’água.Após a conclusão do Poço e dispondo de todas as informações construtivas e também das características físico – química e bacteriológica e interpretada sua condição de exploração ideal. . . registro gaveta.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful