Inovação e Revoluções Industriais: uma apresentação das mudanças tecnológicas determinantes nos séculos XVIII e XIX

Ricardo Dathein* As Revoluções Industriais não podem ser explicadas somente pelas invenções ou descobertas de novas máquinas, fontes de ener ia, materiais ou m!todos, por exemplo" #o entanto, estes são fatores fundamentais no desenvolvimento da economia nos $ltimos dois s!culos e meio" Antes %á existiam máquinas, como as da imprensa e os moinhos hidráulicos" &ontudo, a difusão das máquinas, chamada de maquinismo, caracteri'a e diferencia este per(odo em relação aos anteriores" ) ob%etivo do presente texto, neste sentido, ! apresentar as principais invenções e descobertas que, ao serem aplicadas * economia, eraram a +rimeira e a ,e unda Revoluções Industriais" #as Revoluções Industriais dos s!culos -.III e -I- ocorreu a ampliação da substituição da ener ia humana e animal pela inanimada, com efici/ncia multiplicada0 a aceleração da troca da capacidade humana por instrumentos mec1nicos0 e a descoberta e2ou melhoria de m!todos de obtenção e elaboração de mat!rias primas" .ários fatores atuaram incentivando as inovações" +or exemplo, a importação de tecidos da 3ndia e da &hina pela In laterra demonstra uma influ/ncia do com!rcio sobre o desenvolvimento da ind$stria no $ltimo pa(s, principalmente a partir do momento em que houve reserva de mercado e substituição de importações" Ao mesmo tempo, um importante mercado interno, com uma relativamente rande urbani'ação e mercantili'ação, estimulou a produção de bens de consumo de massa 4como t/xteis5 na In laterra" +or outro lado, as mudanças que ocorriam foram indu'indo, pelo aparecimento de necessidades práticas, novas inovações" ) primeiro exemplo de maquinismo ! o da ind$stria t/xtil do al odão na In laterra" 6ouve, na d!cada de 789:, aperfeiçoamentos no tear de tecer, permitindo mais rapide' e a elaboração de peças mais lar as" ;ste desenvolvimento levou a um desequil(brio entre a elaboração dos fios e dos tecidos, ficando o primeiro relativamente lento" Desta forma, tornou<se necessário o desenvolvimento da máquina de fiar" ;m 78=> houve a invenção de uma máquina chamada ?spinnin <%enn@?, e em 78=8 de outra chamada ?Aater<frame? 4datas prováveis5, o que permitiu um rande avanço da fiação, com
*

+rofessor Ad%unto da B&;2CBRD," ;<mailE ricardo"datheinFufr s"br

stas inovações tamb!m rande aumento de 7 Hassa de carbono obtida pela destilação do carvão e usada como combust(vel para remover o oxi /nio do min!rio de ferro. por!m. ficaram instaladas na beira de rios que tivessem ou que permitissem a construção de quedas dMá ua" . p" JJ8<K. o n$mero de teares mec1nicos na In laterra subiu de J. com processos de branqueamento e tintura" Depois desta primeira etapa continuaram a ocorrer avanços sucessivos. utili'ando ener ia hidráulica" &om isto a t!cnica passou a ter um caráter econGmico. 7I=K. por exemplo. o que tendia a erar falta deste combust(vel dada a tend/ncia * extinção das matas" +ara o uso de carvão mineral existiam problemas t!cnicos" #o entanto.stes desenvolvimentos levaram a que ocorressem dificuldades com a tecela em. posteriormente aos primeiros desenvolvimentos da ind$stria t/xtil do al odão. tendo sido inventado o tear mec1nico em 78K>" .m 788I houve uma nova melhoria na fiação. %á existia uma fábrica com =:: operários em Hanchester 4Hantoux. as máquinas manuais continuaram a ser usadas por lon o tempo 4Hantoux. neste per(odo. p" J:=<7:5" A fábrica provocou uma rande concentração das atividades. com o uso do %ato de ar quente 47KJI5 e com o uso do martelo a vapor 47K9I5 46obsbaAm. mudanças tecnolO icas importantes na ind$stria de lã" Inovações revolucionárias ocorreram tamb!m na ind$stria do ferro" Csava<se carvão de madeira para a elaboração do metal. p" JL:5" #o entanto. na ind$stria t/xtil" ) n$mero de novas patentes. como a invenção da estamparia 4que antes era feita manualmente5 e pro ressos na qu(mica. at! 7K9K um quarto da ener ia ainda era de fonte hidráulica 46obsbaAm.L mil em 7K79 para J>: mil em 7K>: 4Nandes. permitindo maior qualidade e rapide' 4d!cada de 78K:5.m 78I9 %á havia fábricas com a nova máquina. 7I=K. J9L. 7I=Ia5" . que antes eram feitas de forma esparsa" . apesar de não revolucionários. J9=<85" 6ouve tamb!m. como os salários ca(ram muito.m 78K:. 7IJK. dada sua depend/ncia da ener ia hidráulica. subiu de 9I entre 7K:: e 7KJ: para 7>= na d!cada de 7KL: na ind$stria do al odão 46obsbaAm. que ficou atrasada em relação * fiação" Hais uma ve' as necessidades práticas provocaram o desenvolvimento da t!cnica. 7IJK. com a invenção de uma máquina chamada ?mule?" . estas fábricas. por exemplo. 7I=Ia5" . provocando um produtividade e queda de preços 4Hantoux. outros desenvolvimentos.ucederam<se tamb!m. p" ==0 Nandes. mas como as exi /ncias não eram randes. p" >K<I5" Boi adotada a ener ia a vapor. 7IJK. transformando<o em ferro metálico" . com os processos de pudla em 4descarboni'ação5 e laminação. isto foi resolvido e importantes pro ressos adicionais foram feitos com a fundição com coque7 4in(cio dos anos 78::5.J mais rapide' e qualidade" A ?Aater<frame? foi aplicada em fábricas. 7I=7. p" >=5" Ao mesmo tempo.

e em 78KK o metal foi utili'ado na fabricação de condutos de á ua" A mais importante utili'ação do ferro nesta !poca. a produção de ferro fundido na Drã<Pretanha passou de =K mil toneladas em 78KK para 7JK mil em 78I= e J>: mil em 7K:L 4Hantoux. 7IJK. em 78IK.ste processo teve in(cio em 78::. em 788>. tendo triplicado a produção de ferro e carvão entre 7K9: e 7K>: 46obsbaAm. dessa forma.m 78=L Qames Ratt inventou uma máquina a vapor com menores problemas de perda de ener ia em relação *s bombas anteriores e que poderia tamb!m erar movimento circular. al!m de ter tamb!m proposto posteriormente várias aplicações para sua máquina" )s pro ressos da metalur ia. por outro lado.9 poupavam combust(vel e metal. como nas máquinas para for%ar pre os e fabricar parafusos e na produção de va ões e trilhos para o transporte de carvão e min!rios nas minas" Boi necessária tamb!m uma maior precisão nas máquinas. decorrentes de invenções mec1nicas. 7I=K.m 78KL a ener ia do vapor foi utili'ada como meio de tração. ao contrário. não estimulavam muito as ind$strias de bens de capital 4carvão. p" 9:=<7:5" #o entanto. ferro e aço5" As transformações na ind$stria metal$r ica mais a intensa urbani'ação foram os fatores que.m 78K>. e permitiram o sur imento e o desenvolvimento da ind$stria do ferro" rande Boram sur indo tamb!m desenvolvimentos no uso do ferro. no entanto. por outro lado. tendo a primeira ponte deste metal sido constru(da em 788I" #o ano de 78K8 foi constru(do o primeiro barco de ferro. com a construção de um modelo de locomotiva movida a vapor" Dessa forma. onde elas prOprias foram aplicadas como máquinas motri'es em 78K7" #esta mesma fábrica foi utili'ado pela primeira ve'. a máquina a vapor %á havia sido utili'ada para acionar foles de alto<fornos" . foi na máquina a vapor. estimularam fortemente o crescimento do setor de bens de capital" )utro desenvolvimento fundamental foi o da máquina a vapor" A força motri' da á ua tornou<se insuficiente e tinha o inconveniente de impor a locali'ação das ind$strias" Inicialmente a máquina a vapor foi usada como bomba para extrair á ua das minas e para elevar a á ua para reservatOrios. foi somente com a estrada<de<ferro que houve o maior avanço na ind$stria do ferro. construindo<se. p" =85" As transformações da ind$stria t/xtil 4de bens de consumo5. criou<se uma máquina a vapor mOvel em contraposição *s anteriores. tendo permitido o sur imento desta ener ia" Dessa forma. permitiram a maior precisão que ela requeria" Ratt e um empresário associado instalaram uma fábrica para produ'ir estas máquinas. que eram fixas" . o ás de carvão para iluminação" Antes. uma fábrica t/xtil usou plenamente a ener ia a vapor. tendo antes ocorrido o uso do vapor como força auxiliar da máquina hidráulica" )utra aplicação importante foi em uma máquina para cunhar moedas com . quedas dMá ua artificiais para erar ener ia hidráulica" . que passaram a ser usadas para fabricar outras máquinas" As obras de en enharia tamb!m principiaram a utili'ar o ferro. com vários melhoramentos posteriores" .

as fábricas podiam finalmente sair dos vales *s mar ens dos rios e aproximar<se dos mercados" A força do vapor passou a ser utili'ada nas minas.L precisão e automaticamente. a produção mundial de carvão passou de 7> milhões de toneladas em 7K:: para 79J milhões em 7K=: e 8:7 milhões em 7I:: 4&ipolla. p" 7:=5" A partir da $ltima metade do s!culo -I. .> milhão eram fixos e :. 7I=Ia5" 6obsbaAm 47I=K. a construção de barcos a vela ainda foi de K7: mil toneladas. em 7KLL. pois as minas utili'avam o transporte sobre trilhos" +rimeiramente estes eram de madeira e os va ões eram puxados por cavalos" . mas este foi propriamente inventado nos .5" Hais tarde. foi inventada a turbina a vapor. sendo que. neste ano. a capacidade das máquinas a vapor era de 7. p" >L5" ) carvão foi utili'ado para erar calor.nquanto a +rimeira baseou<se na ener ia a vapor do carvão e no ferro. 7K. na metalur ia e nos transportes. p" =>5 observa que o carvão ?inventou? a estrada<de<ferro. por exemplo" A máquina a vapor exi ia como fonte de ener ia o carvão. apesar de que aquelas %á existiam desde 7K9=" .> milhões em 7K8: e ==.e unda baseou<se na eletricidade e no aço.apor em 7K::. :. em 7KL:.: milhões em 7K>:. foram utili'adas rodas de madeira como tração. a . ocorrendo importantes desenvolvimentos na qu(mica. 7IJK.m 788: %á havia trilhos de ferro privativos e em 7K:L a ener ia do vapor foi aplicada em uma locomotiva.8 milhão de &.m 7KJ7 foi utili'ado o primeiro barco a vapor com casco de ferro.e unda Revolução Industrial" . L.JI milhão em 7K>: 4destes. erando muito mais pot/ncia" Dessa forma.pode<se di'er que houve uma . =J mil nos anos 7K=: e 7:J mil da d!cada se uinte 46obsbaAm. fa'endo a via em de Nondres a +aris. o n$mero de milhas constru(das foi de J: mil na d!cada de 7KL:.8I milhão eram mOveis5" +ara o mundo. lu' e pot/ncia para o transporte e a ind$stria.7 milhões em 7KI= 4Nandes. tendo passado a J7: mil em 7K7> e 7. ao mesmo tempo. 7I=K. 7I8L. cap" I. a construção de barcos a vapor foi de 9 mil toneladas por ano na d!cada de 7K9: e che ou a K7 mil em 7K>>" #o entanto. possibilitou o aumento de produção e produtividade nas minas e no transporte" Dessa maneira. mas somente em 7KJ> começaram a ampliar<se os caminhos<de<ferro" 6ouve um rande boom de construção na In laterra entre 7K9: e 7K>:" +ara o mundo. com a supressão quase total da mão<de<obra 4Hantoux. tendo somente na d!cada de 7KK: ocorrido a ultrapassa em da produção dos barcos a vapor sobre os a vela 46obsbaAm. p" L75" #a Drã< Pretanha. 7I=I. LJ mil na d!cada de 7K>:. sendo que somente em 7K=: as h!lices estabeleceram<se plenamente sobre as rodas.CA entre 7K:8 e 7K79" +rimeiramente.ena 46enderson. principalmente" #a Drã<Pretanha a ener ia instalada proveniente do vapor era de 7: mil &avalos<. p" 7:=5" 6ouve experimentos com barcos a vapor %á em 78K:. via rio . nas tecela ens. 7I=K.

por outro lado. houve um rande aumento de escala das empresas. por exemplo 4Nandes.CA. via processos de concentração e centrali'ação de capital. principalmente e em primeiro lu ar nos . p" 7:8 e 7=95" A qu(mica não havia assumido papel de destaque at! então. 7I=K. na construção naval e nos armamentos.e assumiu papel fundamental na ind$stria" +ara a sua produção. 7I=Ia5. al!m de processos automati'ados e a correia transportadora" &oncomitantemente.houve importantes descobertas que formaram as bases das ind$strias de plásticos e farmac/utica. tinturas. as ind$strias. na se unda metade do s!culo -I.e unda Revolução Industrial possui várias caracter(sticas que a diferenciam da +rimeira" Cma delas foi o papel assumido pela ci/ncia e pelos laboratOrios de pesquisa. o que erou um rande crescimento na produção do aço" #a Drã<Pretanha. como com a Pa@er. enquanto na d!cada de 7K=: houve o desenvolvimento da fornalha tipo . que utili'ava temperaturas mais altas e poupava combust(vel e na d!cada de 7K8: foi inventado o aço básico. da Alemanha" ) desenvolvimento da eletricidade. em 7K>= houve a invenção do conversor Pressemer. e a flexibilidade. e tamb!m permitiram randes desenvolvimentos das ind$strias de adubos. por exemplo.stas inovações causaram uma queda de preço de cerca de K:S a I:S entre 7K=: e 7KI>. a produção passou de LI mil toneladas em 7K>: para 7. de in(cio e em eral.LL milhão em 7KK:" +or outro lado. foram introdu'idos vários novos elementos na metalur ia. podendo ser erando uma economia amplamente . por exemplo. como o tun st/nio. para atender *s necessidades da ind$stria t/xtil" #o entanto. levando a uma intensa substituição do ferro pelo aço nas ferrovias.ur iu tamb!m uma produção em massa de bens padroni'ados e a or ani'ação ou administração cient(fica do trabalho. o aço. cimento. o cromo e o n(quel 46obsbaAm. enquanto sua plena reali'ação ocorreu apenas no s!culo --" A . de menor custo" . como a transmissibilidade. com desenvolvimentos aplicados * ind$stria el!trica e qu(mica. que poupava trabalho e material e era mais rápido. sem perda de muita ener ia. mudou radicalmente não sO a economia. 7I=K. p" 7=:<>5" Cm novo material. explosivos. não substitu(ram plenamente as anti as. tendo somente começado a se destacar.stas inovações. mas a vida cotidiana de toda a população" . criou<se um mercado de massas. o man an/s. com anhos de produtividade sendo repassados aos salários" +or fim. por exemplo" Cma caracter(stica importante do desenvolvimento da qu(mica foi o intenso uso da ci/ncia e de laboratOrios onde trabalhavam cientistas profissionais" )s departamentos de qu(mica de universidades passaram a colaborar com ind$strias. oli opoli'ada 46obsbaAm.iemens<Hartin.sta ener ia possui muitas vanta ens.> nas comunicações e com o uso do petrOleo" . papel. tendo havido desenvolvimentos. por exemplo" . desenvolveu<se no s!culo -I. placas foto ráficas e fibras artificiais.

olta. a ind$stria el!trica. que podiam a ora utili'ar a mesma fonte eradora de ener ia das randes e pa ar de acordo com o seu consumo" As descobertas no 1mbito da eletricidade atravessaram o s!culo -I-" . mas depois os saltos dMá ua voltaram a recuperar seu papelE em 7KI> entrou em funcionamento a primeira rande hidroel!trica. diminuindo o uso de eixos e correias de transmissão" A facilidade de transmissão deu * ener ia el!trica um caráter onipresente e colocou<a ao alcance de uma parcela muito mais ampla da população. o que tornaria poss(vel o uso da eletricidade como ener ia para a ind$stria. 7I=I. a indução eletroma n!tica" . exi iu a produção e distribuição centrali'ada. que permite converter ener ia mec1nica em el!trica" #o entanto. e mesmo dentro desta a transmissão consome muita ener ia" A ener ia el!trica permitiu que os motores fossem acoplados aos instrumentos. calor e som" A ener ia a vapor exi e que os eradores este%am situados na prOpria fábrica. a iluminação e o transporte" . por exemplo. pondo pela primeira ve' em uso a eletricidade. e em 7KI7 de 78I Um at! BranUfurt 4Nandes. este uso lo o foi ultrapassado em volume pela utili'ação de eletricidade nos transportes 4trem el!trico5. lu'. diversificada e dispersa. rodas hidráulicas ou turbinas. Barada@ desenvolveu o d(namo. 7I=Ia0 6enderson. de >= Um at! +aris. na ind$stria eletroqu(mica e na metalur ia 4fornos el!tricos5" A rande demanda. dado seu baixo custo" Bacilitou tamb!m o desenvolvimento de pequenas ind$strias. e tendo a or ani'ação do tráfe o de trens como primeira utili'ação . 7I=Ia5" +rimeiramente foram constru(das plantas de eração via carvão. Pudapeste e Poston na d!cada de 7KI:" #a d!cada de 7KK: foram desenvolvidos tamb!m alternadores.m 7KK7 sur iu a primeira central p$blica de ener ia na In laterra" . por!m foi seu uso na iluminação que precipitou a produção de eletricidade em rande escala" #o entanto. p" >85" Dessa forma. permitindo a criação do trem el!trico e a construção. 7I8L. p" >95" ) desenvolvimento da ener ia el!trica levou tamb!m a randes pro ressos nas comunicações" ) tel! rafo eletroma n!tico desenvolveu<se em 7K9829K.= facilmente convertida em movimento. isolantes e medidores. transformadores e novos motores el!tricos. eração e distribuição" A primeira utili'ação da ener ia el!trica foi nas comunicações. de forma experimental. dos metrGs de Nondres. por exemplo 4Nandes.m 7KK> foi transmitida eletricidade. de material. e lo o apOs foram fabricados cabos para transmissão a lon a dist1ncia. em 7KJ: foi descoberto o eletroma netismo e em 7K97. com a vanta em da economia de escala" . sur iu uma nova ind$stria. nas cataratas de #iá ara 4&ipolla.m 7K:: houve o desenvolvimento da bateria qu(mica de . somente nas d!cadas de 7K=: e 7K8: desenvolveram<se eradores práticos para utili'ação comercial" )s d(namos foram acoplados a máquinas a vapor.m 7K8K28I Tdison inventou a l1mpada de filamento e em 7KK: foi desenvolvida a tração el!trica.m 7K9J.

e o tipo de ener ia utili'ada depende das disponibilidades de cada pa(s em termos de reservas de carvão e capacidade hidroel!trica. 7I8L. que foi em m!dia de :. o petrOleo permite alimentação mec1nica e limpa.J bilhões em 7I8:. desenvolveu as bases para a refinação do petrOleo" .7 bilhões em 7I::.stes motores tamb!m foram utili'ados em barcos nesta !poca 4&ipolla. 7I88.m 7K>I %á havia extração de petrOleo a J7: metros de profundidade nos . cerca de IKS desta ener ia provinha do carvão0 em 7I:: este total era de IJS0 em 7I>:.m 7K=: o en enheiro franc/s Nenoir patenteou o motor a asolina. tendo sur ido tamb!m motores a ás" .ntretanto. p" >L5" . de >8S0 e em 7I=:. resultando em maior capacidade de car a" Al!m disto. tendo crescido neste per(odo de 77: anos a uma taxa m!dia anual de 9. e em 7K== foi inau urado o cabo entre a In laterra e os . p" 895" Dessa forma. bem maior que o crescimento da população. 7I=Ia5" . o fato ! que este manteve sua he emonia por muito tempo.> bilhões em 7I=: e >9. 99.IS ao ano entre 7K>: e 7I8:" . por exemplo" A produção mundial de ener ia inanimada passou de 7. 7I=Ia5" +or fim. qu(mico escoc/s. com controle automático" ) custo do carvão ainda era menor. p" >J5" ) uso do petrOleo apresenta in$meras vanta ens sobre o carvão.8 importante" .7 bilhão de He aAatts<hora em 7K=: para =. e em 7KK> Daimler e Pen' criaram o automOvel. contra 99S proveniente do petrOleo" . sur iu uma nova e revolucionaria fonte de ener iaE o petrOleo" #a d!cada de 7K>: Qames Voun . de L9S.stados Cnidos" ) telefone foi desenvolvido em 7K8= e o tel! rafo sem fio em 7KI>" As ondas de rádio. 7I8L.m 7K=:. sur iram os motores a combustão interna" . por outro lado. uma ve' que o carvão continuou com baixo preço.m 7K>I a produção foi de J mil barris e em 7K8L %á havia che ado a 77 milhões de barris 46obsbaAm. a substituição do carvão pelo petrOleo ocorreu primeiramente nas marinhas. por exemplo. enquanto nas ferrovias e na ind$stria ocorreu mais lentamente" )s motores el!trico e de combustão interna tendiam a deslocar o motor a vapor" .=S.CA" De outra parte. foram descobertas em 7KK9 4Nandes. J7S do ás natural e apenas JS de fonte hidroel!trica 4&ipolla. mas o petrOleo barateou rapidamente com o uso de novas t!cnicas de refino e de transporte e com descobertas de novos poços 4Nandes. tendo sido o primeiro carro popular constru(do em 7KIL" . como o fato de que produ' duas ve'es mais trabalho por unidade de peso e ocupa a metade do espaço" Isto.= bilhões em 7I>:.m 7K8= #" )tto desenvolveu o motor a quatro tempos. tem<se que J8S da ener ia proveio do carvão. permite economia de espaço e mão<de<obra.omente na d!cada de 7I=: ! que a ener ia do petrOleo superou a proveniente do carvãoE em 7I8:. L=S do petrOleo. J:. no caso de navios.m 7K>7 foi inau urado o primeiro cabo submarino de comunicações 4&anal da Hancha5.

. 7I8I" 6)P.ric Q" 47IK=5" $ ra dos Impérios: %'&.uropa ocidental.ão +auloE 6C&IX. 7I88" 6. &arlo H" 47I8L5" História con!mica da "opulação #undial" Rio de QaneiroE Wahar. 7IIL" HA#X)C-.+.esacorrentadoE transformação tecnolO ica e desenvolvimento industrial na .)%*%+" Rio de QaneiroE +a' e Xerra.K . sd" HAR-. . 7IK9" 6)P.ric Q" 47I=K5" ..&.erbo e .PARH.#D.ric Q" 47I=75" $ J:::" ra das Revoluções: %&'*)%'+'" Rio de QaneiroE +a' e Xerra.R. %untamente com as mudanças nos processos de trabalho e com o sur imento da rande empresa oli opolista.)#. 7II8" 6)P.PARH.olume I" .d" da C. Rilliam )" 47I=I5" $ Revolução Industrial: %&'()%*%+" ." Rio de QaneiroE +a' e Xerra. +aul 47IJK5" $ Revolução Industrial no 1éculo XVIII" ..a Revolução Industrial Inglesa ao Imperialismo" Rio de QaneiroE Borense<Cniversitária. David .ão +auloE . 6)P. 7IKK" NA#D. David .ric Q" 47I885" $ ra do -apital: %'+')%'&.PARH. 7I8I" NA#D.PARH. novos materiais e novos processos tecnolO icos formaram a base t!cnica que. moldaram a ind$stria e a civili'ação do s!culo --" Bibliografia: &I+)NNA. 7IK92L" . . desde 78>: at! a nossa !poca" Rio de QaneiroE #ova Bronteira.." 47I=Ib5" "rometeu ." 47I=Ia5" "rogreso /ecnologico 0 Revolucion Industrial" HadridE .stas novas fontes de ener ia.ão +auloE Abril &ultural. Yarl 47K=85" 2 -apital" ..ditorial Xecnos. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful