You are on page 1of 3

1) Finados Diferenciado

Para atender às famílias de forma humanizada e fixar a data também


pela atenção e conforto, o Grupo Primaveras inova na programação.
"Preparamos uma celebração para proporcionar harmonia e conforto
à dor da perda", afirma Gisela Adissi, administradora do Grupo, que
mantém, em Guarulhos, dois cemitérios, Funerária e o
primeiro crematório particular da Grande São Paulo. No dia, haverá
saxofonista tocando ao ar livre, apresentações de coral e os
Trovadores Urbanos. Haverá a palestra “Conversando sobre a dor da
perda”, com psicólogas especializadas em luto, oficina infantil com
trabalhos manuais e atividades e missa em dois horários. Haverá
padre e psicólogos o dia inteiro no cemitério para atendimentos
individuais, se necessário.

2) Iniciativa inédita leva Psicologia ao Cemitério - O


empresário Jayme Adissi foi bem-sucedido ao investir na
relação do setor funerário com a psicologia para melhorar a
qualidade do serviço

Tendo em vista o fato de que o cerimonial tem interferência no


processo de luto, o Grupo Primaveras implementou uma assistência
diferenciada para a cerimônia de despedida. A preocupação em
oferecer conforto aos consumidores gerou a elaboração de um
programa de apoio a enlutados e treinamento aos funcionários,
elaborado por psicólogas especializadas em luto. O Projeto de Apoio
ao Enlutado conta ainda com a atuação das psicólogas para a criação
de textos de apoio direcionados a lidar com a perda e, todo mês, é
realizada uma palestra dirigida àqueles que contabilizam um mês ou
um ano da morte de um parente.

3) Inovações do Crematório: turismo em cemitérios e caixão


que sobe

O primeiro crematório particular da Grande São Paulo apresenta


detalhes inovadores, resultado também do “turismo a negócios” que
o empresário Jayme Adissi freqüentemente realiza. Quando viaja, o
empresário costuma visitar cemitérios de lugares diferentes para se
inteirar do que está sendo utilizado em outras partes do mundo. Com
base em 30 anos de atuação na área, Jayme inovou ao elaborar uma
estrutura para o caixão de modo que ele subisse, remetendo à
ascensão aos céus. A arquitetura do Crematório Metropolitano
Primaveras é diferenciada, com cenário que remete a paisagens
celestiais criado pelo professor de cenografia da Universidade de São
Paulo (USP), Cyro Del Nero.
4) Curiosidades:

Algumas observações do empresário Jayme José Adissi, um dos


principais “experts” brasileiros no tema morte. Tem experiência de
mais de 30 anos de atuação na área, além de presidir a Associação
dos Cemitérios do Brasil (Acembra) e do Sindicato dos Cemitérios
Particulares do Brasil (Sincep).

- Se tiver algum “desesperado” no velório é porque devia algo ao


morto. Uma palavra, uma atenção, algo que deveria ter feito e não
fez.

- Famílias de sangue latino são as que mais exteriorizam as emoções;


japoneses são os mais contidos.

- Não são lendas as histórias de famílias que conhecem “a outra” ou a


outra família do morto durante o velório ou sepultamento.

- Há reações inexplicáveis das pessoas em relação ao tema. O


cemitério Primaveras, por exemplo, onde estão enterrados os
integrantes do grupo Mamonas Assassinas, já recebeu inúmeras
cartas endereçadas aos artistas.

- O perfil do consumidor também mudou. Antigamente, apenas


estrangeiros e pessoas mais velhas se preocupavam com a compra
de jazigos etc. Agora, os mais jovens e brasileiros também estão
mais previdentes.

- Cemitérios modernos já oferecem serviços jamais imaginados para


o momento da despedida, como transmissão de cerimônias via
Internet, gravação em fita de vídeo, serviço de fotografia, kit velório
etc.

Sobre o Primaveras

O Primaveras é um grupo de empresas que oferece solução completa


para o caso de morte, como Funerária, Velório, Sepultamento em
Cemitério Parque (jardim) e cremação. Há também o Plano Vida, um
plano de auxílio funeral que funciona como prestação de serviços.
Tem sede em Guarulhos. É dirigido por Jayme José Adissi, presidente
da Associação dos Cemitérios do Brasil (Acembra) e do Sindicato dos
Cemitérios Particulares do Brasil (Sincep). Nos negócios, Adissi conta
com o apoio da família. As filhas Gisela, Letícia, e a esposa Dora
também trabalham no Grupo, com atuações diversas.