O nascimento de Durga Quando Mahi Asura surgiu, conta-se que realizou uma grande disciplina espiritual que resultou

em ganhos de força invencíveis. Armado de um poder terrível, ele empenhou em combater alguns dos seres celestiais em numa batalha para testar as suas proezas e saiu facilmente vitorioso. Para a Mahi Asura que agora ele tinha uma oportunidade para estabelecer bases de operaç es em todas as partes das esferas celestiais. !m seguida, ele liderou o restante dos dem"nios numa guerra conta as forças celestiais e derrotou um e#$rcito conduzido por %ndra. Mahi Asura conquistou, um por um, o controle de trabalhos previamente realizados pelos seres celestiais, obtendo o governo da &ua e o controle dos oito ponto cardeais. 'orçado a fugir, os seres celestiais acabaram se escondendo no plano terrestre, onde se disfarçaram de ascetas e eremitas e desapareceram nas multid es da humanidade. (ecretamente, para que n)o pudesse ser descoberta pelas forças demoníacas, uma delegaç)o de trinta seres celestiais levou o caso deles, em primeiro lugar, a *ishnu. %ndra tomou a palavra+ ,- compassivo, reverenciado por todos, precisamos de sua a.uda/. %ndra tinha grande respeito por *ishnu, que cumprira bem suas promessas, em mais de uma ocasi)o, a.udando %ndra em seu trabalho como chefe dos seres celestiais. 0utro se celestial. *aruna, prosseguiu+ ,!sse Mahi Asura adquiriu grande poder de algum lugar. !le n)o $ mais um su.eito desagrad1vel com maneiras perversas e apetites insaci1veis. !videntemente, ele tem alguma coisa mais/. *ishnu indagou+ ,Algu$m aqui tem mais informaç es 2/ 3e início, os seres celestiais ficaram em sil4ncio. !nt)o, &a5shmi falou+ ,Muito tempo atr1s, quando o universo era t)o .ovem que a e#pans)o ainda n)o havia começado, eu encontrei um dem"nio que apresenta uma not1vel semelhança com esse Mahi Asura/. ,Quando o encontrei pela primeira vez, ele era apenas um desordeiro comum, que me implorou que eu o dei#asse viver. !u n)o pude recusar. 3e uma certa forma, eu temo ser de algum modo respons1vel pelo atual estado das coisas/. ,3e maneira alguma, 6 *6s, a mais r$gia/ 7 disse %ndra 7 e continuou+ ,(ua natureza compassiva em grau supremo n)o permitiria que voc4 agisse de outra forma. Al$m disso, como voc4 poderia saber que, de algum modo, ele ganharia um tal poder 2/ &a5shmi responde+ ,(ua f$ em mim $ nobre e comovente. !u posso dizer isto com a autoridade de que 8ara9ana me investiu. !sta crise ser1 superada e voc4 prevalecer1. :abe a voc4 determinar como ela ser1 consumada/. ,;ma vez que o (enhor (hiva $ sempre imparcial em tais assuntos, eu sugiro que n6s o procuremos/, disse *ishnu. ,!nquanto consci4ncia quintessencial de tudo, ele certamente ser1 capaz de nos aconselhar corretamente/. <odos os seres celestiais prontamente concordaram e, sem nenhuma demora, montaram nos seus respectivos veículos e se dirigiram para o Monte =ailas, no >imalaia, onde (hiva e Parvati moravam. :hegando l1 em apenas alguns minutos,

!. 3epois de e#posta a quest)o.1 vista neste . !les empregaram o (Hara 7 o princípio governante do som. !u avaliei v1rios esforços e distribui recompensa imparcialmente. imediatamente. !u n)o ve. ficou satisfeito/. Brahma disse+ . (hiva falou+ .uda-los2/.'oi um favor. sem saber qual $ o melhor meio de priv1-lo desse poder ou de neutraliz1-lo. em qualquer lugar do cosmo..que $ a natureza feminina das coisas que fornece todo poder. Mas n)o estamos certos de onde ele conseguiu isso ou como. 86s pedidos o seu conselho/. de qualquer modo. . <alvez isso pudesse proporcionar uma chave. Brahma se fez presente. foi assim que FG dos seres celestiais mais poderosos e influentes criaram uma imensa cerim"nia do fogo para recuperarem seus lugares legítimos no cosmos. mas. .86s precisamos realizar a mais poderosa cerim"nia do fogo . D ela que tece o tecido desta criaç)o em todos os níveis. !les praticaram o (Haha 7 o poder de invocaç)o e de sEplica para os mantras. assim como com o conhecimento profundo da natureza dos rituais sagrados para todos os poderes. Portanto.Mahi Asura completou uma das disciplinas espirituais mais 1rduas que eu . e#clamou %ndra. Mahi Asura achou isso il1rio.eu darei a voc4s alguma assist4ncia.. como posso a.1 vi.ando a mesa com uma ampla variedade de ch1s e doces.eles ficaram admirados ao ver Parvati arran. percebeu . (hiva ergueu o quei#o e com profunda ressonCncia entoou+ . *ishnu. D parte do pr6prio tecido das leis que governam o cosmo. $ para !la que n6s devemos dirigir a nossa sEplica/. (eu poder foi uma recompensa/ @. . *ishnu falou por todos. !les invocaram o (Hadha 7 o princípio governante do poder dos mantras.8)o obstante/. sempre em comunh)o com &a5shmi.o nenhum de voc4s praticando grandes disciplinas espirituais. <odos voc4s sabem que qualquer um que pratique tais disciplinas e austeridades ganhar1 grande poder por interm$dio do meu favor. tanto o denso como o sutil. 3esse modo. !les recorreram a todos os princípios relacionados com a energia e com o som. prosseguiu Brahma. estamos indecisos. disse (hiva. .Me digam. Poderia ter sido igualmente um de voc4s.niverso/. *oltando-se para o seu interior por um segundo.8ada sabemos que Mahi Asura acumulou um estoque significativo de poder espiritual.0m (at :hid !5am Brahma/ e.$ Brahma que voc4s devem procurar/. Por isso. . n)o me culpem pelo atual estado das coisas. compassivamente. . Mas n)o foi/. 0 favor que dei a Mahi Asura foi o de que ningu$m a n)o ser uma mulher poderia derrota-loi. !les empenharam o *ishat5are 7 o princípio das observCncias dos sacrifícios.A e prosseguiu+ . recebido de uma fonte muito poderosa em conseq?4ncia de uma monumental disciplina espiritual que ele completou.

3%I.%(<AIAM 0 P03!I 80( I!%80( !<DI%:0( NK . maravilhosa.IJA. P0I 'A*0I. sem demonstras sequer a mínima obstruç)o em sua capacidade de desfechar em sua presença um golpe violento com a pata ou para arrancar um grande pedaço do inimigo com os dentes. !M 80((A 3%'Q:%& (%<. com cada um dos seres celestiais adicionando alguma coisa de sua pr6pria ess4ncia ao fogo. 8)o obstante. Quando sorria.(<AM!8<! :08Q. Q. !u n)o sou esposa de nenhum de voc4s. chefe das milícias celestes. 8o Mar5ande9a Purana se diz que o total investido de poderes nela precisa de centenas de paginas apenas para ser descrito nos termos mais simples. dessa combinaç)o.:onta-se que durante muitos dias e noites o fogo se enfureceu. !u n)o pertencerei a ningu$m.A830 !(<%*!I PI08<A PAIA A BA<A&>A N .! %8P.. por combinaç)o dos seus esforços con. (!PA M%(!I%:0I3%0(A :080(:0. 8-( >08IAM0( A (.3%*%80 '!M%8%80. 0lhando ao seu redor para os seres celestiais reunidos. embora suas feiç es tamb$m encerrassem o brilho inconfundível de um apetite voraz pela batalha. saibam que eu sou completamente independente. at$ que. 3! :A3A . 0 poder de (hiva estava em seu rosto. rishis e munis ofereceram preces de sEplica. 3!(3! Q. e todas se misturavam e combinavam. %83IA. !nt)o. (AB!830 Q. a forma se tornou consciente e descobriu seu pr6prio poder. %ndra prosseguiu+ . :>AM. Pensar que eu sou um instrumento dos seus comandos seria o mais grave dos erros/. (!IM 3%'%:%& 3! (!I *%(<A Q. . %mediatamente. . os seres celestiais continuavam com seus mantras trove. uma forma feminina emergiu das chamas que saltavam. os s1bios.ogadas no fogo enfurecido. o poder de Brahma irrompeu em seus p$s. um tigre apareceu sob a figura. pedindo a ela por proteç)o contra os dem"nios que haviam dominado o reino et$rico. !la era.A :APA:%3A3! PAIA %&.%(!I ! Q.3!-80( A 3!II0<AI 0( 3!MT8%0( Q.ALR0.83%.. ela falou pela primeira vez+ . A MA%( P03!I0(A 3! <03A(.IJA+ K. uma radiancia luminosa e cativante emanava dela.!. ela apresentava uma imagem de contrastes poderosos. !M (.! *0:O *A% A083! Q.3!*%.!mbora eu tenha sido criada pelos poderes de voc4s.untos.ada de energia.A *08<A3!. o poder de *ishnu se dirigiu para os seus muitos braços.M 3! 8-( 3! A&J.ALR0 !S%(<!8<!. 3a boca de cada um dos FG seres celestiais emergiu uma grande ra.antes. '08<! 3! <030 P03!I. e todos os outros seres celestiais foram representados como poder nas outras partes 3ela. (orrindo beatificamente e brandindo armas de destruiç)o em suas numerosas m)os.A PI!(!8M !8<I! 8-( ! 80( 0'!I!:!M0( :0M0 (!. Agora que seu magnifico poder fora despertado e tomara forma. AP..IJA. e as poderosas ervas de Parvati eram . 0 tigre a sustentava facilmente em suas costas.( 3!*0<0(. balançando sua cabeça maciça para tr1s e para frente.MA MA8!%IA.3.'ALA80( *%<0I%0(0(. *0:O :08>!:! A <!IIQ*!& (%<. linda e terrível de se contemplar.! *0:O !M!IJ%.! AJ! :08'0IM! A (. a um s6 tempo. em atitude mística suplica a 3. 3.

Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de sono 0nidra2. poder do pr prio /is+nu. ela tamb$m sabia. e presumiram que sairiam vitoriosos novamente.!.!IIA. P0. Eis aqui alguma de suas qualidades ine!-"eis. !la retornou ent)o aos celestiais que a louvaram vigorosamente. que com !req. &uitas saudações ' !onte da !elicidade. eles viram uma luz intensa no c$u. Saudações a Ela que é a energia primordial do cosmo e o princípio que o sustenta. Saudações e mais saudações. Eu !aço min+as re"er(ncias mais pro!undas e o!ereço min+a +omenagem interior ao Grande Feminino que condu$ o seu reban+o atra"és do oceano das tribulações. Ela é a !onte de toda criati"idade.ni"erso. Quando %ndra pergunta a 3urga a respeito dos detalhes.:oncordando com um curto e r1pido movimento de cabeça dirigido aos seres presentes.! (R0 (!MPI! 0( M!(M0( !M Q. montada em seu tigre. se apro#imou mais. 3!*% MA>A<MWAM "Saudações ao Grande Feminino. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de consci(ncia in!inita 0c+etene1a2. #dorações para Ela que é a !onte de todas as b(nçãos. 8)o apenas para a batalha. (uspeitando de alguma forma de contra-ataque dos seres celestiais. # pr pria consorte da consci(ncia. 0 que os seres celestiais sabiam. n s a saudamos muitas e muitas "e$es. Ela é também o in!ort)nio dos arrogantes bem como a *eusa da Fortuna para os seus de"otos. mas para toda força que anima a consci4ncia. por meio de um hino. U noite. que +abita em todos os seres.!I DP0:A. graça e encanto. . # ela n s nos cur"amos "e$es e mais "e$es. A diversidade de atributos com que esse hino se refere a 3urga-:hamundi transmite o que os seres celestiais entendiam a respeito da e#tens)o do poder dessa 3eusa. #dorações a Ela que é terrí"el e eterna. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de intelig(ncia 0budd+i2. que é a morada de todas as bençãos. !les haviam triunfado sobre esses poderes antes. Saudações a Ela que pode ser terrí"el quando !or necess-rio. Ela é a originadora de tudo e a ess(ncia de tudo.(ncia aparece num pro!undo a$ul espiritual. ela $ louvada como o Jrande 'eminino. ela a quem eles chamaram de 3urga ou :hamundi. 8enhuma e#plicaç)o adicional foi necess1ria. Ela é a prosperidade. Assim que 3urga. . N s o!erecemos adoração com a mais pro!unda de"oção. mas que é gentil por nature$a e sustenta o .PAI!% A *0:O( 0( 3!<A&>!( 3A J. os dem"nios rapidamente se reuniram para a batalha. MA((A:I! D MA((A:I! NK A vit6ria de 3urga foi consumada com uma desenvoltura raramente vista nos conflitos mortais.MA *!V Q. Saudações ao Grande Feminino. decolou rumo ao c$u a procura dos dem"nios. os dem"nios reconheceram os v1rios poderes dos seres celestiais que a compunham. Ela é a resplandecente que sustenta o cosmo com uma !orma sua"i$ante da %u$ com o seu !rescor. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de !ome 03s+ud+i2. quando os dem"nios estavam se deitando para dormir. eu o!ereço canções de lou"or. sucesso e todas as !ormas de rique$a. # ela. !la lhe responde+ K.A&Q.

Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de contentamento 0tusti2. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de &ãe 0&atri2. Saudações ao Grande Feminino.NO FUTURO. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de bele$a 03anti2. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de !é 0s+radd+a2. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de g(nio 05ati2. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de ilusão 0b+ranti2.IJA. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma mem ria 0smritti2. XXYZXA . Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de pa$ 0s+anti2. <homas Ashle9-'errand. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma ati"idade 0"ritti2.! % (O)* " . !NTO!" O "!U "%NTR% ! +'NO ! !U ('R!' #%R% (!N)!R %$U!&! $U! ! O#. 6 Grande Feminino reside em todos os seres sob a !orma de consci(ncia e permeia todas as partes do . Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de modéstia 0la5a2." 3. 0( MA8<IA( 3A !8!IJ%A '!M%8%8A. @(>A=<%. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de sede 0t+ris+na2. Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de compai4ão 0da1a2. !"#R! $U! O "%& ! TORN%R #OD!RO O % #ONTO D! DO"'N%R (O)* . Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de perdão 03s+anti2. agradecida com a devoç)o de %83IA e dos demais seres celestes.ni"erso. "pairou sobre os carvões ardentes do que havia sido uma grande fogueira" e. finalmente ela disse+ ". Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de poder 0s+a3ti2.Eu me cur"o ao Grande Feminino que +abita em todos os seres sob a !orma de re!le4ão 0c+a1a2. 7 P!8(AM!8<0 7 pgs. #dorações a Ela "e$es e mais "e$es.. Eu me cur"o repetida "e$es 's regras de todos os elementos e sentidos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful