You are on page 1of 1

Profª.

Gizeli Gondim
www.gizeli.tk

LÍNGUA PORTUGUESA – UFMS INVERNO/2009

Leia o texto que segue, escrito por Josué Machado e publicado na revista
Língua Portuguesa, edição 43. Em seguida, responda às cinco próximas Analise esta tira, extraída do sítio http://educacao.uol.com.br/album/tiras. Em
questões. seguida, responda às três próximas questões.

Teriam sido nossos ancestrais primatas os inventores da mais antiga


profissão do mundo?

O jornal publicou curiosa notícia com o título:

CHIMPANZÉ FÊMEA TROCA CARNE POR SEXO. O que significa "trocar"?


Dar uma coisa por outra, permutar. Convém relevar a deselegante cacofonia
caca do "trocacarne" e ficar no significado. O título diz que a pobre fêmea
oferece carne por um pouco de carinho e amor, pois não? Vai-se, porém, ao
texto:

"Cientistas descobriram que trocar carne por sexo faz parte da vida social de
06. Com relação aos dois primeiros quadrinhos da tira, percebe-se que:
um grupo de chimpanzés selvagens na Floresta Taï, na Costa do Marfim. A
(001) na segunda fala do personagem, deveria haver uma vírgula após o verbo
venezuelana Cristina Gomes, do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva,
comprar.
em Leipzig, Alemanha, explica que as fêmeas de chimpanzé, com dificuldades (002) de acordo com o personagem, a reforma ortográfica tem gerado
para conseguir carne sem ajuda, recorrem a essa forma primitiva de
descontentamentos.
prostituição para aumentar a sua ingestão de calorias sem o risco associado à
(004) na primeira fala do personagem, há um fenômeno de aliteração.
caça. No estudo, da revista PLoS One, os cientistas explicam que, apesar de a (008) para o personagem, o estudo diário resolveria todos os seus problemas
promiscuidade ser uma característica tanto dos machos quanto das fêmeas de
de língua.
chimpanzé, eles conseguem copular mais se aceitarem compartilhar a carne
(016) o personagem utiliza adequadamente o padrão culto do português do
com o sexo oposto".
Brasil.
Desmentido 07. Com relação ao último quadrinho da tira, é correto afirmar que
Pronto. O texto desmente o título. O redator não atentou para o sentido do
(001) o cachorro ficou incomodado ao ter ouvido um excessivo número de
verbo "trocar". Não são as fêmeas que oferecem carne por sexo. Oferecem
construções com gerúndio.
sexo por carne. Não é o mesmo. Menos mal será que o título anuncie, com (002) O cachorro propõe a extinção do gerúndio.
cacófato e tudo: CHIMPANZÉ MACHO TROCA CARNE POR SEXO, se houver
(004) O cachorro sugere ajustes no uso do gerúndio.
a certeza de que a iniciativa é dele. O que se quis foi realçar os vestígios de
(008) A frase dita pelo cachorro apresenta traços de ironia.
prostituição primitiva. Melhor seria, com rigor e sem cacófato: CHIMPANZÉ
(016) A frase dita pelo cachorro gerou certa ambiguidade na tira.
FÊMEA TROCA SEXO POR CARNE. Ainda mais se há certeza de que as
macacas é que se oferecem. Duvidoso, considerando a essência exploradora 08. Com relação ao “gerundismo”, é correto afirmar que
dos machos. Provavelmente os safados, conhecedores da fragilidade delas, é
(001) é um dos principais problemas da ortografia do português brasileiro.
que têm a aleivosa iniciativa. Sabem que elas são mais sujeitas aos riscos da
(002) denota aspectos do padrão do uso da língua portuguesa.
caça e tiram proveito. Coisa terrível. O título e as macaquices machas. (004) acontece devido a uma influência direta da língua inglesa no português.
(008) denota o uso coloquial da variante brasileira da língua portuguesa.
01. Com base no título do texto, é correto afirmar que (016) caracteriza-se como um fenômeno sintático.
(001) o autor sugere a possibilidade de os primatas serem os precursores da
prostituição.
Leia o excerto abaixo, extraído da obra “Os Subterrâneos da Liberdade: Agonia
(002) O autor afirma que os nossos ancestrais primatas foram os responsáveis da Noite”, de Jorge Amado, e responda à questão seguinte.
pela promiscuidade humana.
(004) O autor do texto considera a prostituição uma profissão.
Avô, mesmo que a gente morra, é melhor morrer de repetição na mão, brigando
(008) O autor do texto afirma que os nossos ancestrais primatas foram os com o coronel, que morrer em cima da terra, debaixo de relho, sem reagir.
grandes arautos da prostituição.
Mesmo que seja pra morrer nós deve dividir essas terras, tomar elas pra gente.
(016) O autor criou um título cuja ambiguidade foi intencional. Mesmo que seja um dia só que a gente tenha elas, paga a pena de morrer.
02. Com base na opinião do autor do texto, é correto afirmar que
09. Levando-se em conta a variação linguística, assinale a(s) proposição(ões)
(001) a falta de coesão é o principal problema do texto do jornal. correta(s) a respeito da linguagem do texto lido.
(002) o verbo “trocar” não é um verbo polissêmico.
(001) Trata-se de uma variante coloquial.
(004) a adequação do título do texto do jornal acabaria com o problema da
(002) Trata-se de uma variante popular.
cacofonia nele existente. (004) O texto apresenta construções típicas dos dialetos populares e, por isso,
(008) as informações expressas pelo texto do jornal não são claras.
não previstas no sistema linguístico do português.
(016) o título do texto do jornal deveria ser: "Chimpanzé fêmea troca sexo por (008) O uso das expressões “nós deve” e “a gente tenha elas” podem ocorrer
carne".
em situações informais.
(016) O texto é um exemplo característico de variantes inovadoras.
03. No texto, a palavra cacofonia deve ser entendida como
(001) união não harmônica de sons diversos.
10. Analise as seguintes orações e, a seguir, assinale a(s) proposição(ões)
(002) sons que causam ambiguidade na oralidade.
correta(s).
(004) sequência de sons com lexias idênticas. I. Até ele, que é o melhor da turma, não quis participar do torneio de xadrez.
(008) recorrência de sons desagradáveis aos ouvidos.
II. Se tudo der certo, voltarei hoje mesmo.
(016) sons estridentes e diversos. III. Ele só pensava numa coisa, que não cederia.
04. A expressão “aleivosa iniciativa” poderia ser substituída no texto, sem
(001) Em I, as vírgulas foram utilizadas para separar a oração adjetiva
alteração de sentido, pela(s) seguinte(s) expressão(ões): explicativa da oração principal.
(001) pérfida iniciativa.
(002) Em I, as vírgulas foram utilizadas para separar a oração adjetiva restritiva
(002) incongruente iniciativa.
da oração principal.
(004) intempestiva iniciativa. (004) Em II, o uso da vírgula é obrigatório porque a oração subordinada
(008) cética iniciativa.
adverbial está anteposta à oração principal.
(016) sarcástica iniciativa. (008) Em II, mesmo a oração subordinada adverbial estando anteposta à
principal, o uso da vírgula é facultativo.
05. Com relação à expressão “macaquices machas”, utilizada pelo autor do
(016) Em III, a vírgula foi utilizada para separar a oração subordinada
texto, é correto afirmar que substantiva apositiva da oração principal.
(001) constitui uma unidade originada a partir de um processo metonímico.
(002) a palavra “macha” foi usada no sentido figurado.
GABARITO: 1. 005 (001+004); 2. 028 (004+008+016); 3. 009 (001+008); 4. 001
(004) a expressão é constituída por dois adjetivos. (001); 5. 010 (002+008); 6. 006 (002+004); 7. 013 (001+004+008); 8. 024
(008) refere-se à "essência exploradora dos machos".
(008+016); 9. 010 (002+008); 10. 021 (001+004+016)
(016) constitui uma hipérbole.