You are on page 1of 4
PROTOCOLO LEGISLATIVO (PL we 282 jeF Fis, NO_Z. Camara Legislativa do Distrito Federa! Gabinete Parlamentar do Deputado Peco Passos pL PROJETO DE LEI N° ae DE 2007 (Do Senhor Deputado PEDRO PASSOS - PMDB) se Protocolo Legislative pare registra @, om CMESCTNAT: CAF @ CCT Wkly _...Dispée sobre a criagéo do Parque inden 2 Ge Uso Maltiplo de Ceilandia sul te dh Ragassania da Pn e da outras providéncias. A CAMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL decreta: Art. 1° Fica criado o Parque de Uso Miltiplo de Ceilandia Sul, localizado na Regido Administrativa Ix, entre a DF-225 e o cérrego Taguatinga, na divisa com a Regido Administrativa de Samambaia - RA XII, entre as quadras QNM 9 (Ceilandia Sul) e QNN 26 (Guariroba) . Parégrafo tnico. A poligonal definitiva do Parque de Uso Maltiplo de Ceilandia Sul seraé estabelecida pelo Poder Executivo, em comum acordo com representantes da comunidade da Ceilandia Sul, Guariroba e Setor P Sul. Art. 2° 0 Parque de Uso Miltiplo de Ceilandia sul tem por objetivos: I - conservar Areas verdes, nativas, exéticas ou restauradas, de grande beleza cénica, existentes na regiao; II - proteger e recuperar recursos hidricos, edaficos e genéticos; III - promover a recuperacdo de areas degradadas e a sua vegetagdo com espécies nativas e exéticas; Iv - incentivar atividades de pesquisa, estudos e onitoramento ambiental; REO) PROTOCOLO LEGISLATIVO hw zfe jp 7 Fis. Nc, Camara Legislativa do Distrito Federal Gabinete Parlamentar do Deputado Pedro Passos Vv - estimular o desenvolvimento da educacdéo ambiental e das atividades de recreagéo e lazer em contato harménico com a natureza. Art. 3° Sera constituido o Conselho do Parque de Uso Maltiplo de Ceilandia Sul, composto paritariamente por representantes do Poder Piblico e da sociedade civil organizada. Art. 4° 0 Parque de Uso Miltiplo de Ceilandia Sul sera gerido pela Admini tracéo Regional da Ceilandia, em conjunto com as associacées de moradores das quadras lindeiras, sob a orientacdo técnica do orgéo gestor do meio ambiente do Poder Executivo. Art. 5° No prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados da publicacéo desta Lei, o Poder Executivo definiré o levantamento topogréfico e o Plano de Manejo do Parque de Uso Maltiplo de Ceilandia sul. $ 1° 0 Plano de Manejo do Parque de Uso Multiplo de Ceilandia sul disciplinara o zoneamento, o uso e a ocupacao da d4rea, discriminando, no minimo, as zonas de conservacdo, de recuperacgaéo e de atividades mUltiplas. § 2° 0 Plano de Manejo sera submetido a apreciacdo do érgéo gestor meio ambiente do Poder Executivo e aprovado pelo Conselho Gestor. Art. 6° Esta Lei entra em vigor na data de sua publicagao. Art. 7° Revogam-se as disposicées em contrario. ‘SAIN- Parque Rurl-GLOF -Gabinela 21 -BrasiOF- CEP 70086800 Tol MBA7I2- Fax B68219_\ a ISLATIVO PROTOCOL LEGISLATIVO N°_ 752 A a one Fis. Camara Legislativa do Distrito Federal SNe GabinetoPalamentar do Deputado Pedro Passos JUSTIFICACAO A proposta de criagéo do Parque de Uso Méltiplo da Ceiladndia Sul 5 reivindicagéo antiga da comunidade. 0 Parque tem como principal objetivo A preservacaéo de recursos naturais da Ceilandia Sul e da Guariroba, e de uma 4rea de valor ambiental considerdvel, sendo que sua criacdo propiciaré para uma afetiva protecdo da regiao, favorecendo inclusive a recuperacdéo do local, o que € necessario tendo em vista o desmatamento de mata ja realizado. A criacéo do Parque vista também o desenvolvimento de atividades de educagéo ambiental e pesquisa ecolégica, com vista ndo sé a recuperacdo da area, mas mesmo a melhoria da qualidade de vida da comunidade. A protecéo da Area por um instrumento legal poderé garantir a xrecuperacgéo do equilibrio ecolégico do ecossistema ali representado, as condigdes ideais do solo para absorcdo de aguas pluviais, e a preservacdo dos recursos hidricos ¢ demais componentes. © Parque é um equipamento perfeitamente integrado 4 Area urbana na qual se insere e atende plenamente 4s expectativas da comunidade, o que facilitara a sua preservacdo. Vale destacar que a Ceilandia ainda nao possui unidades de conserva para desenvolvimento de atividades de lazer, educagdo ambiental, entre outras. Do ponto de vista legal, a proposicéo esta amplamente amparada pelo que dispde o art. 58, IX, da Lei Organica do Distrito Federal, que trata das atribuicées da Camara Legislativa, especialmente sobre as seguintes matérias de competéncia do Distrito Federal. =| ‘SAN Page Ra CLGF-Goinen sia F- CEP TRS W0-Ta SORT Fex HERDS”