You are on page 1of 4
qistatvo 94 tte Laie 8) planar Pr Ae ouaseocia €8 F 3 bsseseh CAMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL DEPUTADO DISTRITAL MILTON BARBOSA - PSDB PL 22/2007 PROJETO DE LEI N° (Do Senhor Deputado MILTON BARBOSA) Determina a instalagio de banheiros ¢ bebedouros nas agéncias banedrias do Distrito Federal. Art. 1° Ficam as agéncias bancérias do Distrito Federal obrigadas a instalar banheiros e bebedouros para uso publico. Parigrafo inico. Os banheiros de que trata 0 caput deveriio ser de fécil acesso, adaptados aos portadores de necessidades especiais, e ficarfio abertos durante todo 0 perfodo do expediente bancério. Art. 2° Fica estabelecido 0 prazo de cento e vinte dias, a contar da publicagio desta Lei, para que as agéncias promovam as adaptagées necessdrias ao cumprimento do que determina o artigo 1°. Art. 3° O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita 0 infrator as seguintes sangdes: Dre 1077-0 PROTOCOLO LEGISLATIVO \ 2b No_242 ao Fis, NO_QL <1 1 —adverténcia, com prazo de trinta dias para regularizar a situacdo; TI- multa didria de cinco mil reais, em caso de reincidéncia, com prazo de trinta dias para regularizar a situagao; III - suspensio do Alvard de Funcionamento. Art. 4° Esta Lei entra em vigor na data de sua publicagao. Art. 5° Revogam-se as disposigdes em contritio. JUSTIFICACAO As agéncias bancérias, ao contrario de outras instituigdes de atendimento ao piiblico, nfio dispdem de sanitarios para uso de seus clientes. E constrangedor precisar utilizar os banheiros que se localizam na parte intema das agéncias bancérias, de uso privativo dos funciondrios. Quando isso ocorre, o cliente & acompanhado por um funciondrio da agéncia que o aguarda para conduzi-lo de volta a drea de atendimento. Tal fato, embora nfo chame a ateng&io da maioria das pessoas, é uma clara demonstrago de falta de respeito pelo consumidor, que nao dispée de um minimo de conforto quando necessita utilizar os servigos bancérios. ‘Apesar de a “lei das filas” (Lei n° 2.547/2000) determinar o atendimento no prazo maximo de trinta minutos, a espera, muitas vezes, 6 bem superior a esse tempo. Assim, se o cliente precisar utilizar o banheiro, teré que optar entre sair da agéncia ou solicitar a um funciondrio autorizagao para utilizar o banheiro da agéncia, situag&o que consideramos inaceitivel. PROTOCOLO LEGISLATIVO PL _no_Q9d_j0F Fis. N°_O. Nao é justo se afirmar que brasileiro gosta de fila, que entra nela mesmo sem. saber porque, ete. O consumidor brasileiro gosta de sim ¢ de respeito e consideracao. Os servigos bancérios foram das atividades mais rentaveis nos Ultimos anos, com lucros bem superiores aqueles obtidos pelo setor produtivo, Se Iucram para administrar 0 dinheiro dos clientes, nfo podem gastar um pouquinho para thes proporcionar mais conforto? Nas legislaturas anteriores foram apresentadas proposigdes semelhantes, mas nenhuma delas prosperou. A mais recente, de autoria do nobre Deputado Jodo de Deus, encontra-se sobrestada e nfo poderd ter sua tramitagdo retomada na forma regimental, tendo em vista 0 fato de o autor nao fazer parte da atual legislatura, Quanto @ constitucionalidade da presente proposicao, ressaltamos que ndio procede a argumentaso costumeira dos bancos, no sentido de que os municipios e 0 Distrito Federal ndo tém competéncia para legislar sobre agéncias bancérias. Segundo a Febraban (Federago Brasileira de Bancos), o funcionamento das agéncias bancdrias deve ser regulado por lei complementar federal, conforme determina o artigo 192 da Constituigo, e no por lei municipal. Entretanto, 0 Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu que o municipio tem_autonomia para legislar sobre a instalaco de equipamentos para_propiciar conforto ¢ seguranca aos clientes das agéncias bancérias, como_bebedouros_e Ss. A decisio € do ministro Celso de Mello, no julgamento de um Recurso Extraordindrio (RE 251542) interposto pela prefeitura municipal de Sorocaba (SP) contra decistio do Tribunal de Justiga de Sto Paulo, que havia sido favorvel & Febraban, Segundo o ministro Celso de Mello, 0 artigo 30, inciso I, da Constituigao Federal, ¢ a jurisprudéncia do Supremo asseguram a autonomia municipal para a elaboragdo de leis de abrangéncia local destinadas a garantir melhor atendimento conforto aos usuarios de servigos bancétios. PROTOCOLO LEGISLATIVO PL_Ne_ 24g / OF