Mecânica dos Solos I

Mecânica dos Solos 1
Aula 1

Origem e Formação dos Solos
2º semestre/2012 semestre/2012

Mecânica dos Solos I

Bibliografia
• CAPUTO, H. P. Mecânica dos Solos e suas Aplicações. Volumes 1 (1996), 2 (1995) e 3 (1994). Editora: LTC. • PINTO, C. S. Curso Básico de Mecânica dos Solos. 3ª edição. Editora Oficina de Textos, 2006. • CRAIG, R. F. Mecânica dos Solos. 7ª edição. Editora LTC, 2007. • DAS, B. M. Fundamentos de Engenharia Geotécnica. 1ª edição. Editora Thomson, 2006. • FIORI, A. P.; CARMIGNANI, L. Fundamentos de Mecânica dos Solos e das Rochas - Aplicação na estabilidade de taludes. 2ª edição. Editora Oficina de Textos, 2009.

Mecânica dos Solos I

Bibliografia
• MASSAD, F. Obras de Terra - Curso Básico de Geotecnia. 1ª edição. Editora Oficina de Textos, 2003. • QUEIROZ, R. C. Geologia e Geotecnia Básica para Engenharia Civil. 1ª edição. Editora Rima, 2009. • SCHNAID, F. Ensaios de Campo - e suas aplicações à Engenharia de Fundações. 1ª edição. Editora Oficina de Textos, 2000. • US NAVY. Construção Civil: teoria e prática - Administração e Organização, Mecânica dos Solos. Volume 1. Editora Hemus, 2005.

Mecânica dos Solos I

Assuntos da Disciplina
1. Origem e Formação dos Solos. 2. Estrutura dos Solos e Índices Físicos. 3. Granulometria. 4. Plasticidade e consistência. 5. Classificação de Solos. 6. Compactação de Solos. 7. Noções de ensaios de laboratório e de campo

25/09 – matéria 1º bimestre Oficial 2. com justificativa) Exame final.18/12 – matéria toda (para quem ficou com nota entre 4 e 6) Avaliações parciais durante todo o semestre .04/12 – matéria 1º e 2º bimestre (2ª chamada 11/12 para quem perdeu uma Oficial.Mecânica dos Solos I Avaliações Oficial 1.

cor dos solos 6. Identificação visual e táctil 7. Fatores controladores na formação dos solos 4. Atividade prática . A mecânica dos solos na engenharia civil 2.Aula Introdutória Mecânica dos Solos I 1. Conceituação de solo 3. Tipos de solo quanto à origem 5. Tamanho e forma dos grãos.

ou voam.. A mecânica dos solos na engenharia civil Virtualmente toda a estrutura é suportada por solo ou rocha. R. Aquelas que não estão ou flutuam. 1995) Edifício Real Class – desabamento no estado do Pará (http://portalcastanhal.jpg) .files. L. (Handy.wordpress.Mecânica dos Solos I 1.com/2011/03/realclass. ou caem.

Mecânica dos Solos I .

Mecânica dos Solos I .

c.Mecânica dos Solos I Uso do solo como material de construção em épocas primitivas. mas sim integradas num complexo arquitetônico de vastas dimensões. com a utilização de pedras de calcário. . • Pirâmides de Egito – Primitivamente não se constituíam em estruturas isoladas. – Construídas a cerca de 2700 a.

– nas regiões mais ocidentais.. granito ou tijolos no aparelho das muralhas. – Diferentes materiais e condições de projeto – Construída com blocos de pedras de calcário. os muros foram construídos com vários elementos.. • Muralha da China – Diversas muralhas. . de desertos onde os materiais são mais escassos. construídas ao longo de dois milênios.Mecânica dos Solos I Uso do solo como material de construção em épocas primitivas. tendo início próximo de 220 a. – Em outras regiões. entre os quais galhos de plantas enfeixados.c.

• Povoado de Taos. – Ainda é habitado por descendentes dos índios Taos. http://www.br/ConteudoGet.Mecânica dos Solos I Uso do solo como material de construção em épocas primitivas.habitare.aspx?CD_CONTEUDO=262 .org. no México – Entre as construções mais antigas construídas com uso do solo.

html . http://www. • Barragens de terra – As barragens para contenção de cheias construídas na China. podem ser citadas como exemplos dessa interação do homem com o solo.Mecânica dos Solos I Uso do solo como material de construção em épocas primitivas.madalenaweb.com/p/barragem-umari.

ex. Galileu Galilei com um trabalho sobre comportamento sobre maciços granulares.Mecânica dos Solos I Histórico da evolução da engenharia geotécnica • Século 17 – predominavam a experiência anterior e o empirismo. – Primeiros tratamentos matemáticos. p. . • Século 18 – Destaque para Coulomb que introduziu o princípio básico da resistência ao cisalhamento dos solos e teorias para o estudo da estabilidade de muros de arrimo.

– Boussinesq apresenta a solução matemática para o acréscimo de tensões no interior de um maciço homogêneo.Mecânica dos Solos I Histórico da evolução da engenharia geotécnica • Século 19 – Alexandre Collin. . em 1846. considerada pontual atuando sobre a superfície do maciço. que é utilizada na determinação do coeficiente de permeabilidade do solo. isotrópico e com comportamento elástico. devido a uma carga vertical. – Darcy apresenta a lei de escoamento de água em um meio poroso. relata observações de campo sobre movimento de terra de uma forma geral e sobre estabilidade de barragens de terra. – Rankine aplica as equações de equilíbrio interno ao estudo de estabilidade de um maciço de terra homogêneo e indefinido.

– Em 1913 cria-se na Suécia a "Comissão Geotécnica das Estradas de Ferro". responsável pela investigação dos problemas surgido nas construções de estradas. em 1908. apresenta estudos sobre a plasticidade do solo tendo como objetivo sua classificação. – O nome dado à comissão introduz o termo GEOTECNIA na literatura internacional. em 1914.Mecânica dos Solos I Histórico da evolução da engenharia geotécnica • Século 20 – Atterberg. utiliza critério de envoltória de ruptura. . – Mohr.

– Em 1936 foi realizado o 1º Congresso Internacional de Mecânica dos Solos e Engenharia de Fundações. Estados Unidos. sendo também criada a Associação Internacional de Mecânica dos Solos e Engenharia de Fundações. Nesse livro Terzaghi organiza os conhecimentos disponíveis até aquela época e propõem outros. . em 1925. ligada à Engenharia Civil. podendo-se dizer que nessa data nasce a Mecânica dos Solos como uma ciência aplicada.Mecânica dos Solos I Histórico da evolução da engenharia geotécnica • Século 20 – Karl Terzaghi. publica o livro "A Mecânica dos Maciços de Terra Baseada na Física do Solo. na Universidade de Harvard.

quer como suporte. quer como material de construção.Mecânica dos Solos I Histórico da evolução da engenharia geotécnica Geotecnia Mecânica dos Solos Mecânica das Rochas Geologia de engenharia Objetivo da geotecnia: estudar as propriedades físicas e mecânicas dos solos e rochas e suas aplicações em obras de Engenharia Civil. .

Solo Aço .Mecânica dos Solos I 2. trifásico • Comportamento não linear – curva tensão deformação não é uma reta. Conceituação de solo • Material heterogêneo.

Mecânica dos Solos I 2. o que influencia seu comportamento. Conceituação de solo • Anisotrópico – propriedades mudam de acordo com a direção considerada. • Material conservativo – guarda o que lhe aconteceu em sua memória. .

Conceituação de solo Aço e maioria dos materiais de construção são considerados homogêneos.Mecânica dos Solos I 2. isotrópicos e com comportamento linear • Engenheiros civis e geotécnicos devem ter em mente: – Complexidade dos solos – Limitações dos modelos matemáticos e teorias – Necessidade de um banco de dados de casos similares ao estudado. – Importância do conhecimento da Mecânica dos Solos – Importância de ensaios de laboratório e campo para determinação das propriedades do solo .

picareta. e que perde totalmente toda a resistência quando em contato prolongado com água. etc.sem necessidade de explosivos. escavadeira. possuidora de vida microbiana Vargas (1977) define o solo como todo material da crosta terrestre que não oferece resistência intransponível à escavação mecânica.2. podendo ser escavado através de pá. Conceituação de solo Solo é: Mecânica dos Solos I Para Geologia: produto do intemperismo físico e químico das rochas Para Eng. . Civil: material escavável que perde sua resistência em contato com a água Para Agronomia: terra arável.

Mecânica dos Solos I 2. Conceituação de solo • Quais as propriedades do solo de interesse para a engenharia? – Resistência – Compressibilidade – Permeabilidade .

Mecânica dos Solos I 3. mantendo a mineralogia da rocha de origem pelos seguintes agentes: • • • • Alívio de tensões Variação de temperatura Ação de raízes vegetais Crescimento de cristais estranhos à rocha – Químico: através da presença de água e variação de temperatura a rocha sofre processos químicos que transformam seus minerais primários em secundários. . Fatores Controladores na formação dos Solos • Intemperismo – Físico: provoca fragmentação e desintegração da rocha.

já os feldspatos e minerais ferromagnesianos presentes em algumas rochas originam solos argilosos. • • • • Clima Relevo Organismos vegetais e animais Tempo de atuação dos diversos fatores . Fatores Controladores na formação dos Solos • Rocha de Origem – Rochas compostas por minerais silicáticos como o quartzo dão origem a solos de granulometria arenosa.Mecânica dos Solos I 3.

Tipos de solos quanto a origem .Mecânica dos Solos I 4.

Tipos de solos quanto a origem • Transportado Perfil típico de um solo transportado Perfil típico de um solo transportado .Mecânica dos Solos I 4.

Mecânica dos Solos I 4. Tipos de solos quanto a origem • Residual SOLO LATERÍTICO SOLO SAPROLÍTICO OU SAPROLITO Perfil típico de um solo residual Perfil típico de um solo transportado .

Tipos de solos quanto a origem • Residual .Mecânica dos Solos I 4.

Mecânica dos Solos I 4. Tipos de solos quanto a origem • Transportado Tálus que rompeu após 2003 .

Tipos de solos quanto a origem • Residual .Mecânica dos Solos I 4.

Tipos de solos quanto a origem • Formação dos solos segundo a Pedologia .Mecânica dos Solos I 4.

Mecânica dos Solos I 5. cor dos solos • Tamanho . Tamanho e forma dos grãos.

Tamanho e forma dos grãos.Mecânica dos Solos I 5. cor dos solos • Forma .

. amarela e alguns tons de marrom em geral indicam produtos de um intemperismo químico. Tamanho e forma dos grãos. cor dos solos • Cor – A cor de um solo é o resultado das cores dos minerais predominantes que o constituem e deve ser referida à condição do solo seco. sílica ou caulinita. – Cores mais claras indicam a presença de minerais tais como gipsita. enquanto que tonalidades mais claras do amarelo e marrom indicam óxido de ferro hidratado. – o vermelho escuro indica a presença de óxido de ferro não hidratado (hematita). – A cor vermelha. por exemplo. – As cores mais escuras como cinza e preto podem indicar solos orgânicos.Mecânica dos Solos I 5.

Mecânica dos Solos I 6. • São observadas as características de fácil reconhecimento do solo. Identificação visual e táctil • Identificação visual e táctil do solo é realizada no momento da retirada de amostras em campo. . Não devem ser utilizadas isoladamente para fins de projeto. através da observação e testes simples de campo. Importante: As características são anotadas e confirmadas posteriormente por ensaios de laboratório ou de campo.

pouco úmido. vermelho. amarelo. muito úmido. com exceção da classificação em função do tamanho dos grãos e suas proporções. que pode ser feita. lixo ou detritos diversos. – Estado de umidade natural do solo: seco. . denominada de classificação granulométrica. – Odores – Minerais reconhecíveis a olho nu. de forma qualitativa. etc.Mecânica dos Solos I 6. preto. – Granulometria: todas as constatações citadas anteriormente podem ser feitas sem equipamentos. Identificação visual e táctil • Anotar e identificar basicamente: – Se há presença de matéria estranha ao solo: matéria orgânica como raízes. através de vários testes visuais e tácteis de simples execução. marron. conchas. – Cor do solo: cinza.

Mecânica dos Solos I 6. . denominado torrão. Identificação visual e táctil • Teste de solo seco – Um agregado de solo seco. – Os solos arenosos apresentam resistência nula. que são menos coesos que as argilas. apresentam uma média resistência. – As argilas apresentam grande resistência. devido à coesão. – Os siltes. pode apresentar resistência quando se tenta desfazer com os dedos.

mesmo com pequenas quantidades de argila e silte. . nem chegam a formar torrões quando secas.Mecânica dos Solos I 6. Identificação visual e táctil • Teste de desagregação do solo submerso – Coloca-se um torrão em um recipiente com água. – Enquanto que a das argilas é lenta. sem deixa-lo totalmente imerso. – As areias grossas. – A desagregação dos solos siltosos e arenosos é rápida.

Mecânica dos Solos I 6. podem ficar várias horas em suspensão. os siltes podem se depositar entre 15 a 60 minutos e as argilas. de tão pequenas que são. Identificação visual e táctil • Teste de dispersão em água – Com a ajuda de um almofariz e mão de gral destorroar a amostra do solo para desagregá-lo por completo. muitas vezes precisam de defloculante para separação das partículas floculadas. – Como indicação considerar que as areias assentam suas partículas entre 30 e 60 segundos. – Em uma proveta com água colocar uma pequena quantidade de solo desagregado. – Deixar em repouso e observar o tempo de deposição das partículas. . agitar para provocar uma dispersão homogênea do solo na água. Os solos finos.

Identificação visual e táctil • Teste visual e táctil – Com material seco pode-se observar que as areias são ásperas ao tacto. A distinção entre um silte grosso e uma areia fina é muito difícil a não ser com a ajuda de outros testes. – O silte é menos áspero que a areia. As argilas quando secas dão uma sensação ao tacto de farinha (ou talco). apresentam partículas visíveis a olho nu e. – Misturando-se uma pequena quantidade de água com solo e manuseando-o cuidadosamente poderemos observar que as areias apresentam as mesmas observações que quando secas.Mecânica dos Solos I 6. apresentam uma sensação escorregadia como pasta de sabão. os minerais podem ser reconhecíveis e identificáveis. quando trabalhadas entre os dedos. – As argilas. mas ainda perceptível ao tacto. . muitas vezes.

– Os siltes apresentam uma certa plasticidade. – As argilas são mais moldáveis que os siltes. sem apresentar fissuras. neste teste. são plásticas. – Alguns tipos de solo tem esta propriedade. plástica quanto mais amoldável for. – Os solos arenosos praticamente não apresentam nenhuma plasticidade. Identificação visual e táctil • Teste de plasticidade – Podemos definir plasticidade como a propriedade que alguns materiais apresentam de sofrerem deformações contínuas sem variações apreciáveis de volume e sem que ocorra ruptura. Uma massa de solo úmido pode ser considerada. ou seja. .Mecânica dos Solos I 6.

Identificação visual e táctil • Teste de sujar as mãos – Faz-se uma pasta de solo e água. – Solo siltoso só se limpa depois de ter ficado sob a água corrente por bastante tempo.Mecânica dos Solos I 6. porque as partículas finas ficam impregnadas na pele sendo necessária uma fricção vigorosa para a limpeza total. sendo necessária às vezes uma leve fricção para a completa retirada das partículas. – Solo argiloso caracteriza-se pela dificuldade de se desprender da mão. esfrega-se na palma da mão e em seguida colocá-la sob água corrente: – Solo arenoso lava-se facilmente. . ou seja. os grãos de areia desprendem-se rapidamente da palma da mão.

Belo Horizonte. M. Mecânica dos Solos I . ETG. G. PINTO. Editora Oficina de Textos. PARIZZI. Referências Bibliográficas • • • • MANTILLA. Curso Básico de Mecânica dos Solos. 2006.Notas de Aula. M.. Fundamentos de Engenharia Geotécnica. DAS.N. Thomson Editora. 123 p. MG. J. Notas de aula e fotos de acrevo pessoal desta autora. B. 561 p.R. (2007).Mecânica dos Solos I 8. (2001). . Escola de Engenharia. 3ª edição. SOBREIRA. C. S. UFMG.