You are on page 1of 2

Cantiga triste de pastoreio

Pe. Zezinho, scj

&

#### #### #### #### #### ####

F #7

# c

Tu plan - tas - te_a ju - ven - tu - de E

..

j . j # .
F #7

No can - tei - ro do Se - nhor

No pen -

&

sas - te na_in - quie - tu - de B B7 E

j .

. # j
F #/E D #m


Fos-te_em G #m

Dos ir - mos mais no-vos do Se - nhor

&


bo - ra se - me - an - do C #m F#

E plan - tan-do_ao teu re - dor B


1

. # j

Ju-ven - tu - de foi mur B

. j ..
B
2

&

14

j # # n j
chan - do B F#

F #7

Es-pe - ran-do_al-gu-mas go - tas de_a - mor

Ao vol - tar

Um

&

18


cus - ta mui-to F#


pou - co

jo - vem

Um F #7


B To Coda 1

F#

pou - co de mui - to_a - mor

Um

&

22

#
jo - vem cus-ta mui-to pou-co F# B

Um

pou - co de mui-to_a - mor

D.C. al Coda

27 #### & #

mor

Um

..

repete e fade

pou - co de mui - to_a - mor

Um

..

Cantiga triste de pastoreio

Ao voltar esperanoso Pro canteiro do Senhor Viste um quadro doloroso O canteiro sem nenhuma flor Com mil lgrimas sentidas Foste ento recomear O jardim voltou vida E saste pelo mundo a cantar

A quem serve o mundo jovem Um recado eu quero dar! As palavras no resolvem Gente jovem quer amor No prossigas semeando Se no voltas pra regar Juventude vai mirrando Quando a gente no tem tempo de amar Nunca voltes esperando Encontrar jardins em flor Se te foste relegando Os canteiros do Senhor Recomea com ternura O trabalho de regar Nascero mil flores puras E depois comigo podes cantar