You are on page 1of 80

Universidade Guarulhos

Associação Paulista de Educação e Cultura









PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO





Curso de Administração










Guarulhos Centro – São Paulo
2010

SUMÁRIO

1. Apresentação da IES...................................................................................5
1.1. Nome e base legal da mantenedora............................................. 5
1.2. Nome e base legal da IES.............................................................5
1.3. Missão e Visão da IES...................................................................5
1.4. Dados sócio-econômicos de Guarulhos........................................6
1.5. Breve histórico da IES...................................................................7

2. Caracterização do Curso.............................................................................9
2.1. Breve histórico do curso: sua criação e trajetória............................9

3. Organização Didático Pedagógica............................................................11
3.1. Articulação do Curso com o PDI e as Diretrizes Curriculares
Nacionais.......................................................................................11

3.1.1. Implementação das políticas institucionais constantes no
PDI, no âmbito do curso....................................................12

3.1.2. Coerência do PPC e do currículo com as Diretrizes
Curriculares Nacionais......................................................13

3.1.3. Funcionamento de instância(s) de deliberação e discussão
de questões inerentes ao desenvolvimento e qualificação
do curso...........................................................................15

3.2. Objetivos do Curso........................................................................16
3.2.1. Objetivos Gerais...............................................................16
3.2.2. Objetivos Específicos........................................................17
3.3. Procedimentos de ensino-aprendizagem e sua coerência com a
concepção do curso.......................................................................17

3.4. Perfil do Egresso...........................................................................18
3.4.1. Competências...................................................................20
3.4.2. Habilidades.......................................................................20
3.4.3. Atitudes.............................................................................20
3.5. Coerência do PPC com o perfil profissional do egresso...............20
3.6. Currículo........................................................................................20
3.6.1. Matriz curricular................................................................22

3.6.2. Ementário e Bibliografia (Básica e Complementar)............25
3.7. Coerência do currículo com os objetivos do curso..........................57
3.8. Inter-relação das disciplinas na concepção e execução do
currículo...........................................................................................59

3.9. Recursos materiais específicos do curso e sua adequação com a
proposta curricular...........................................................................63

3.9.1. Laboratórios......................................................................63
3.9.2. Instalações específicas....................................................64
3.9.3. Equipamentos...................................................................65
3.9.4. Materiais...........................................................................65
3.10. Procedimentos de avaliação dos processos de ensino e
aprendizagem e sua coerência com a concepção do curso............65

3.11. Atividades acadêmicas articuladas à formação do aluno................66
3.11.1. Prática profissional e/ou estágio supervisionado.............66
3.11.1.1. Estágio supervisionado obrigatório...............67
3.11.1.2 Estágio supervisionado não obrigatório........67
3.11.2. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)..........................67
3.11.3. Iniciação Científica (IC)....................................................68
3.11.4. Atividade de Extensão.....................................................68
3.11.5. Atividades complementares e de enriquecimento
curricuar..........................................................................69


3.12. Procedimentos de Avaliação...........................................................71
3.12.1. Auto-avaliação do curso..................................................71
3.12.2. Avaliação externa (ENADE).............................................72

4. Corpo Docente, Corpo Discente e Corpo Técnico-Administrativo..............72
4.1. Direção (Coordenação) do Curso...................................................72
4.1.1. Experiência profissional acadêmica e não acadêmica.......73
4.1.2. Atuação do Diretor.............................................................73
4.1.2.1 Participação do coordenador e dos Docentes ou
colegiado ..........................................................................73

4.2. Corpo Docente...............................................................................75

4

4.2.1. Professores vinculados ao curso.......................................75
4.2.2. Critérios de admissão e de progressão na carreira...........76


4.3. Corpo Discente..................................................................................77
4.3.1. Perfil do discente.................................................................77
4.3.2. Ações institucionais para atendimento ao
aluno....................................................................................77

4.3.3. Ações do curso para atendimento ao aluno........................78
4.4. Corpo Técnico-administrativo...........................................................79.

5. Instalações Físicas.....................................................................................79
5.1. Espaços físicos utilizados no desenvolvimento do curso.................79
5.2. Ambientes e laboratórios necessários para o desenvolvimento da
proposta do curso..............................................................................80

5.3. Livros, Periódicos, Bases de dados, Revistas e Multimídia..............80









5

1. Apresentação da IES

1.1. Nome e Base Legal da Mantenedora

Mantenedora Associação Paulista de Educação e Cultura
Endereço Rua Dr. Gabriel dos Santos, 30 – sala 106 – Santa Cecília-
SP
CNPJ 49094048/0001-03
Registro no Cartório Registro nº 12.728, 1º Cartório de Registro de Títulos e
Documentos da Comarca de Guarulhos, em 26 de janeiro de
1970.
Atos Legais Última alteração: Registro nº 573196 – regsitro de Títulos e
Documentos e Cível de Pessoa Jurídica de São Paulo

1.2. Nome e Base Legal da IES

Mantida Universidade Guarulhos
Endereço Pc. Tereza Cristina, nº 88, Centro Guarulhos / SP
CEP: 07023-070
Atos Legais Reconhecida pela Portaria MEC Nº 857, de 10/12/1986
Data da Publicação
no DOU
11/12/1986

1.3. Missão e Visão da IES

MISSÃO DA UnG

Promover o desenvolvimento sustentável por meio do ensino, da pesquisa e da
extensão, fundamentados nos valores acadêmicos e humanistas, focados na
formação de lideranças, no empreendedorismo e na empregabilidade.




6

VISÃO DA UnG

Ser uma Universidade reconhecida nacional e internacionalmente pela sua inserção
social, comprometida com o desenvolvimento regional e socialmente responsável.

1.4. Dados sócio-econômicos de Guarulhos

Síntese das Informações
Pessoas residentes 1.236.192 habitantes
Estabelecimentos de Saúde – Total 210 estabelecimentos
Estabelecimentos de Saúde SUS 94 estabelecimentos
Número de Matrículas no Ensino Fundamental em 2007 212.424
Número de Matrículas no Ensino Médio em 2007 49.350
Número de Docentes no Ensino Fundamental em 2007 8.237
Número de Docentes no Ensino Médio em 2007 3.256
Número de Instituições de Ensino Superior 7 *
PIB a Preço de mercado corrente em 2005 21.615.314
Instituições Financeiras em 2007: Número de agências 100
Estrutura Empresarial em 2005:
Indústrias extrativas: Número de unidades locais.................
Indústrias de transformação: Número de unidades locais.....
Produção e distribuição de eletricidade, gás e água:
Número de unidades locais ..................................................
Construção: Número de unidades locais...............................

25
3.811

11
657

Fonte: IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (http://www.ibge.gov.br/
cidadesat/topwindow.htm?1)
*Fonte: INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais
(http://www.educacaosuperior.inep.gov.br/funcional/lista_ies.asp)
)








7

1.5. Breve histórico da IES

A Associação Paulista de Educação e Cultura, mantenedora da Universidade
Guarulhos, surgiu em meio à reforma universitária no final da década de 60 a partir
de um grupo de professores movidos pelo anseio de atender à crescente demanda
de ensino superior pela sociedade.
Em 1970, o Conselho Federal de Educação autorizou os primeiros cursos da
Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Farias Brito, todos voltados para a
capacitação de docentes, em consonância com a vocação de seus fundadores e
com as necessidades regionais. Sua gradual e sólida expansão nos anos
subsequentes permitiu seu reconhecimento como instituição de ensino de qualidade
no cenário nacional de educação superior, culminando com o seu reconhecimento
como Universidade pelo Ministério da Educação em 1986.
A consolidação do ensino nas diversas áreas tornou a Universidade
Guarulhos (UnG) uma das maiores Universidades do país, possibilitando a criação e
o fortalecimento de diversos cursos de pós-graduação lato sensu e a aprovação dos
programas de mestrado acadêmico a partir de 2002.
A Universidade Guarulhos conta hoje, para atender e formar seus 20 mil
alunos, com mais de dois mil docentes e funcionários, três campi e quatro unidades,
89 laboratórios, seis clínicas (Enfermagem, Odontologia, Psicologia, Fonoaudiologia,
Nutrição e Fisioterapia), Hospital Veterinário, Laboratório de Análises Clínicas,
Escritório de Assistência Jurídica, mais de 50 cursos entre graduação convencional,
tecnológica e seqüenciais, 53 opções de cursos de especialização (lato sensu), 3
programas de mestrado recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de
Pessoal de Nível Superior (Capes): Análise Geoambiental, Odontologia e
Enfermagem e um programa de doutorado em Odontologia, além de parcerias com
instituições de ensino e pesquisa do Brasil e do Exterior.

A Universidade Guarulhos possui os seguintes Campi:

• Campus Guarulhos

Unidade Sede
Pc. Tereza Cristina, nº 88, Centro

8

Guarulhos / SP CEP: 07023-070

Unidade Dutra
Av. Anton Philips, nº 1, Vila Hermínia
Guarulhos / SP CEP: 07030-010
• Campus Itaquaquecetuba
Av. Uberaba, esquina com Rua Araxá
Itaquaquecetuba / SP CEP: 08573-070

• Campus São Paulo
Unidade Jabaquara
Av. Lino de Almeida Pires, nº 846, Jabaquara (a 400m do metrô)
São Paulo / SP CEP: 01231-010

Unidade Centro/Shopping Light
Rua Xavier de Toledo, nº 23, 4º andar
São Paulo / SP CEP: 01048-100

9

2. Caracterização do Curso

Nome do curso Administração
Habilitação Administrador de Empresas
Título conferido Bacharel em Administração
Modalidade Presencial
Local de funcionamento Campus Guarulhos – Unidade Centro
Atos legais de funcionamento Autorizado pela Resolução 05/1986 – CONSUN,
iniciado no ano de 1987 e reconhecido pela
Portaria Ministerial 67/1991.
Integralização Mínimo: 4 anos
Máximo: 8 anos
Regime acadêmico Semestral
Turno de funcionamento ( X ) Matutino
( ) Vespertino
( X ) Noturno
Número de vagas 60 por turma

2.1. Breve histórico do curso: sua criação e trajetória
O Curso de Administração, integrado à área de Ciências Sociais Aplicadas, foi
autorizado pela Resolução 05/1986 – CONSUN, iniciado no ano de 1987 e
reconhecido pela Portaria Ministerial 67/1991.
Cabe ressaltar que, de acordo com o Parecer CES 134/2003 de 4/6/2003,
homologado em 9/9/2003, que aprovou as Diretrizes Curriculares Nacionais para o
curso de Administração, a formação do Administrador tem por objetivo capacitar o
profissional com habilidades, competências e atitudes necessárias para o exercício
da profissão.
Atendendo o novo perfil profissional estabelecido pelo mercado e pelas políticas
sociais, o atual projeto contempla as habilidades, competências e atitudes
desejadas, além de permitir a otimização de tempo, garantindo a oferta de
conteúdos mais atualizados e a inclusão de novas áreas do saber.

10

Os novos enfoques teóricos e de produção tecnológica no campo da administração
passaram a exigir novos perfis profissionais.
Para tanto, o curso enfoca uma formação generalista, através de uma organização
curricular cujo eixo norteador ergue-se na relação teoria-prática. Essa estrutura
curricular é fruto de discussões em Colegiado e é definida segundo os princípios da:

• Formação técnica mesclando o caráter humanístico às prerrogativas das
atividades inerentes ao administrador;

• Formação voltada também às Ciências Humanas;

• Inserção de atividades interdisciplinares, permitindo a visão sistêmica da Ciência
da Administração e a busca de soluções efetivas para problemas relativos a
realidade social e ao mercado de trabalho contemporâneo;

• Organização de conteúdos através da composição de diferentes formas
didáticas, enfocando aulas práticas e atividades de extensão, principalmente ao
que se refere à melhoria da qualidade de vida.
Assim o curso se baseia no propósito de atendimento à construção da Ciência da
Administração que o constitui e, ao mesmo tempo, fundamenta o perfil profissional a
ser formado, na relação com as oportunidades concretas do mercado de trabalho,
na atual conjuntura social, política e cultural.
Esta conjuntura requer profissionais competentes, críticos e criativos, na perspectiva
de formação do capital intelectual, capaz de criar ou redescobrir caminhos na área
de Administração que respondem às demandas colocadas pela sociedade
globalizada.

11

3. Organização Didático Pedagógico
3.1. Articulação do Curso com PDI e as Diretrizes Curriculares Nacionais
Preconiza o PDI da UnG em 6.1 (Objetivos e Metas da Dimensão Ensino) “Oferecer
cursos de nível superior que capacitem os alunos como cidadãos e como
profissionais, aprimorando o seu desempenho acadêmico para atender às
necessidades e exigências da sociedade” Assim ao reconhecermos este objetivo
maior do PDI, mister se torna considerar os novos enfoques teóricos e de produção
tecnológica no campo da administração que passaram a exigir novos perfis
profissionais.
Para tanto, o curso enfoca uma formação generalista, através de uma organização
curricular cujo eixo norteador ergue-se na relação teoria-prática. Essa estrutura
curricular é fruto de discussões em Colegiado e é definida segundo os princípios da:
• Formação técnica mesclando o caráter humanístico às prerrogativas das
atividades inerentes ao administrador;
• Formação voltada também às Ciências Humanas;
• Inserção de atividades interdisciplinares, permitindo a visão sistêmica da Ciência
da Administração e a busca de soluções efetivas para problemas relativos à
realidade social e ao mercado de trabalho contemporâneo;
• Organização de conteúdos através da composição de diferentes formas
didáticas, enfocando aulas práticas e atividades de extensão, principalmente ao
que se refere à melhoria da qualidade de vida.
Assim o curso se baseia no propósito de atendimento à construção da Ciência da
Administração que o constitui e, ao mesmo tempo, fundamenta o perfil profissional a
ser formado, a partir e na relação com as oportunidades concretas do mercado de
trabalho, da atual conjuntura social, política e cultural.
Esta conjuntura requer profissionais competentes, críticos e criativos, na perspectiva
de formação do capital intelectual, capaz de criar ou redescobrir caminhos na área
de Administração que respondem às demandas colocadas pela sociedade
globalizada.
As Diretrizes Curriculares Nacionais definem princípios, fundamentos,
condições e procedimentos importantes para os egressos no desenvolvimento, na

12

avaliação e no aperfeiçoamento dos projetos pedagógicos. Nesse sentido, definem o
perfil do egresso com formação generalista, humanista e crítica, capacitado a atuar,
em diversas áreas do conhecimento de forma a colaborar com a melhoria da
qualidade de vida, pautado em princípios éticos, com reflexão sobre a realidade
econômica, política , social e cultural.
O projeto pedagógico ora proposto, em completa consonância com as
diretrizes curriculares, inclui em seu bojo uma proposta de formação generalista.
Trabalha em suas disciplinas conteúdos necessários ao desenvolvimento das
competências e das habilidades gerais e específicas descritas nas diretrizes
curriculares, possibilitando ainda práticas pedagógicas voltadas à formação crítica,
reflexiva, humanista e ética.
A prova disto se dá pela grande variedade de oportunidades que o Curso
oferece para uma formação profissional adequada ao mercado, como vivência nos
laboratórios, experiências em unidades de estágios, participação em Congressos
anuais, visitas técnicas organizados pelo Curso, acesso à biblioteca e aos meios
eletrônicos, participação nas Semanas Culturais nas Jornadas Científicas, realização
anual da Feira INOVA etc. Estas ações juntamente com as Atividades
Complementares, colaboram para enriquecimento da formação profissional
As atividades complementares integram o processo de formação do aluno,
tendo por objetivo a busca do conhecimento, o desenvolvimento do raciocínio, de
habilidades e de competências necessárias ao futuro desenvolvimento profissional,
a interdisciplinaridade, o incentivo à participação em eventos científicos, de pesquisa
e extensão, em áreas relacionadas ao longo do curso de graduação em
Administração.

3.1.1 Implementação das políticas institucionais constantes no PDI, no âmbito do
curso
DIRETRIZES DA POLÍTICA DE ENSINO

Apoiado no PDI da UnG, o qual em seu capítulo 9 seção 9.1.1 – Diretrizes da
Política de Ensino, concebe a Diretriz primeira “Consolidar a construção do ensino
na Universidade com base no conhecimento contextualizado, tendo como

13

referenciais as diretrizes curriculares nacionais, as legislações profissionais
pertinentes e as demandas do mercado de trabalho.” Estas diretrizes
norteadoras foram levadas ao PPC do curso de Administração.
O curso de Administração foi construído com base no conhecimento
contextualizado, tendo por referência as diretrizes curriculares nacionais; as
legislações pertinentes à profissão do administrador e as exigências do mercado de
trabalho. Para tanto, o curso contempla a formação de generalistas, sólida formação
cultural, identidade dos currículos através do cumprimento dos projetos pedagógicos
e da adoção de até 20% da carga horária especifica na forma de Atividades
Complementares.
O desenvolvimento do curso fortalece a articulação da teoria com a prática, por meio
de disciplinas transversais e de projetos como feira INOVA, semana cultural, o
estágio supervisionado que também propicia a articulação da pesquisa, individual ou
coletiva, na busca do reconhecimento de conhecimentos, habilidades e
competências adquiridas dentro e fora do ambiente universitário.
O sistema de avaliação utilizado pelo curso prevê avaliações continuadas em prol do
rendimento de aprendizado, progredindo gradativamente para a avaliação integral
do desenvolvimento de habilidades e competências, capacitando o aluno para
atuação no mercado de trabalho. Nesse processo de avaliação continuada também
se privilegia em algumas disciplinas a participação dos alunos em programas
sociais.

3.1.2. Coerência do PPC e do currículo com as Diretrizes Curriculares Nacionais
O curso oferece, em todos os seus semestres, disciplinas com conteúdos
básicos articuladores, oriundos dos eixos que o norteiam, de forma a construir um
currículo essencial a formação de um cidadão compromissado com a realidade.
O currículo tem uma base comum e uma parte diversificada para atender às
expectativas dos alunos e as imposições regionais e nacionais. As matérias são
classificadas como ciclo de Formação Básica e Instrumental; Formação Profissional;
Estudos Quantitativos e suas Tecnologias; Formação Complementar e Estágio.
As matérias de formação básica incluem as de formação geral e as ciências

14

sociais. São orientadas de forma a estimular a capacidade crítica para ler e
interpretar trabalhos científicos, participar de seminários e discussões de casos
empresariais e “questões-problema”. A formação científica básica é aprofundada e
sólida. Esta formação permite que se vislumbre o futuro, com um raciocínio lógico e
análise crítica. O profissional assim formado cuidará de seu crescimento pessoal,
buscando novas habilidades.
A formação social ou humanística e ética é adquirida não apenas por meio
das disciplinas de cunho social, mas também pelo conteúdo programático das
demais disciplinas, uma vez que todos os professores estão engajados no processo
educacional, que obviamente inclui estes aspectos. Desta maneira, consciência
social, humanismo, ética, prevenção e cidadania são abordagens distribuídas em
todas as disciplinas, por ser de responsabilidade de todos os educadores (ação
sinérgica). Nestas situações de relação interpessoal, o acadêmico é estimulado a
criar um grau de consciência de forma a não permitir que os valores ético-morais e
bioéticos sejam substituídos por outros valores. Durante o curso, em todas as
etapas, o colega, o professor e o funcionário devem ser vistos como seres humanos,
com respeito à individualidade, a direitos e a um relacionamento interpessoal
adequado. Esta formação visa à racionalização do trabalho e à delegação de
funções para que o acadêmico adquira a consciência de que será um gestor, com
capacidade para transmitir conhecimentos, disseminando o saber e trabalhando em
equipe profissional.
A formação pré-profissionalizante não dá ênfase somente à tecnologia
sofisticada, mas também à realidade de atuação do profissional, com espírito crítico,
criativo e aberto para a eventual absorção de novas técnicas. O ensino técnico
objetiva competências e destrezas necessárias ao exercício profissional.
A formação profissionalizante possibilita o trabalho adequado em todas as
áreas da administração conseguida através de uma seqüência de experiências de
aprendizagem bem organizada, as quais culminam com o oferecimento de vivência
em clínica e hospitais, onde será requerida a competência geral, os Estágios
Supervisionados.
A iniciação à pesquisa do aluno do Curso de administração far-se-á ao longo
do curso, culminando, ao final deste, com um Trabalho de Conclusão do Curso
integrado ao estágio Supervisionado decorrente, especialmente, das experiências
propiciadas pelas atividades propostas.

15

O currículo propicia, de forma funcional, a aprendizagem de conteúdos e
habilidades específicas, bem como fornece condições favoráveis à aplicação e
integração dos conhecimentos propostos. Além disso, o currículo é constituído por
um delineamento nuclear dos conteúdos do curso, sendo adaptado às condições da
realidade social, cultural, econômica e política da comunidade.

3.1.3. Funcionamento de instância(s) de deliberação e discussão de questões
inerentes ao desenvolvimento e qualificação do curso.
A estrutura acadêmico-administrativa da Universidade Guarulhos é composta
por órgãos colegiados, executivos e suplementares.

I. Órgãos da Administração Superior:
a) Conselho Universitário – CONSUN (órgão superior deliberativo, normativo e
de instância final para todos os assuntos acadêmicos)
b) Reitoria

II. Órgãos da Administração Acadêmica:
a) Colegiado de Curso
b) Diretoria de Curso
c) Núcleo Docente Estruturante (NDE)

O Colegiado de Curso é constituído:

a) Pelo Diretor de Curso, que o preside;
b) Pelos professores em exercício no Curso;
c) Um representante discente.

Conforme a Resolução Consun n
o.
28/2010, de 06 de outubro de 2010, que
homologa o Regulamento do Núcleo Docente Estruturante (NDE) da Universidade
Guarulhos e em consonância com o Parecer da Comissão Nacional de Avaliação da
Educação Superior (CONAES) Nº 04, de 17 de junho de 2010, o Núcleo Docente
Estruturante (NDE) deve ser constituído ser constituído pelo Diretor do Curso e, por,
no mínimo, 4 (quatro) professores pertencentes ao corpo docente do curso; ter pelo
menos 60% de seus membros com titulação acadêmica obtida em programas de

16

pós graduação stricto sensu e ter todos os membros em regime de trabalho de
tempo parcial ou integral, sendo pelo menos 20% em tempo integral. São atribuições
do Núcleo Docente Estruturante, atuar no processo de concepção, consolidação e
contínua atualização do projeto pedagógico do curso; contribuir para a consolidação
do perfil profissional do egresso do curso; zelar pela integração curricular
interdisciplinar entre as diferentes atividades de ensino constantes no currículo;
indicar formas de incentivo ao desenvolvimento de linhas de pesquisa e extensão,
oriundas de necessidades da graduação, de exigências do mercado de trabalho e
afinadas com as políticas públicas relativas à área de conhecimento do curso e zelar
pelo cumprimento das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de
Graduação.
O curso de Administração da UnG conta com um NDE constituído pelos professores
:
PROFESSOR
ADILSON DE OLIVEIRA
DENISE DE FATIMA ALONSO
GUNTER WILHELM UHLMANN
MADALENA OLIVEIRA LIMA
OSMILDO SOBRAL DOS SANTOS


3.2. Objetivos do Curso
Consoante com o preconizado nos instrumentos norteadores (PDI – PPC) tem
o curso de Administração da UnG por objetivo :
3.2.1. Objetivos Gerais
Estimular o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo;
Formar profissionais aptos para sua inserção em diferentes setores do
mercado de trabalho, preparados para o desenvolvimento da sociedade brasileira e
colaborar na sua formação contínua;

17

Incentivar a pesquisa, visando ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia
e da criação e difusão da cultura;
Estimular o desejo de atualização permanente, tendo em vista que a
formação não se esgota na graduação;
Prestar serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma
relação de reciprocidade.

3.2.2. Objetivos Específicos
1. Estimular o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo;
2. Formar profissionais aptos para sua inserção em diferentes setores do mercado
de trabalho, preparados para o desenvolvimento da sociedade brasileira e
colaborar na sua formação contínua

3. Promover uma educação formadora, capaz de mobilizar e gerar atitudes, valores
e saberes próprios de um espírito critico e de uma vida profissional provedora de
responsabilidades.

4. Estimular o desejo de atualização permanente, tendo em vista que a formação
não se esgota na graduação;
5. Fornecer recursos para promover trabalhos interdisciplinares, possibilitando a
comunicação e a articulação entre as diversas áreas do conhecimento.

3.3 Procedimentos de ensino-aprendizagem e sua coerência com a concepção do
curso
O curso de administração concebe a metodologia de ensino de tal sorte a
refletir os princípios preconizados pelo PPI da UnG, em três momentos. A saber:
A metodologia de ensino das disciplinas que compõe a grade do curso – concebida
de tal sorte a contemplar a interdisciplinaridade – busca um continuo dialogo entre a
teoria e a sua aplicação em situações reais do cotidiano empresarial. Acrescenta-se

18

o fato de a primeira avaliação (Bimestre 1) ser de cunho continuo composta de
diversas avaliações, trabalhos.geralmente levados a efeito após uma aula teórica.
Disciplinas, tais como Empreendedorismo e Jogos de Empresas, com conteúdos
ascendentes e transversais cuja característica básica é a integração dos saberes
com uso do pensamento sistêmico inserindo-se, assim, de maneira atuante na
sociedade. Partem de situações problema ( simulação do mundo empresarial) e
preconizam a busca de soluções pelos discentes, orientados pelos respectivos
docentes.
Disciplinas de estimulo à pesquisa e busca de aplicações tais como “Tópicos
Avançados” com a elaboração e apresentação/defesa para banca simulada de um
artigo científico; Estagio Supervisionado (concomitante TCC) com o fechamento de
praticamente todas as disciplinas do curso.
3.4 Perfil do Egresso
O Administrador formado por esta Instituição deve estar apto a compreender as
questões científicas, técnicas, sociais, políticas, culturais e econômicas da produção.
Deve estar apto a atuar profissionalmente nas organizações, gerenciar, tomar
decisões, trabalhar em equipe, de trabalhar de forma empreendedora, com
responsabilidade social, com senso de justiça e ética, além de ter postura
humanística. Deve ter consciência da necessidade da flexibilidade intelectual e de
rápida adaptação diante das constantes mudanças exigidas pelo mundo globalizado.
E, fundamentalmente, deverá ter consciência da necessidade do contínuo
aperfeiçoamento profissional e do desenvolvimento da autoconfiança, elementos
indispensáveis ao sucesso profissional tais como:
• Sólida formação teórica e prática, no afã de poderem atender as exigências
do competitivo mercado de trabalho;
• Interesse no auto-aperfeiçoamento contínuo, como forma de garantir a
qualidade dos serviços prestados;
• Entenderem a cidadania, como condição basilar para a construção de uma
sociedade justa, democrática e responsável;

19

• Demonstrarem iniciativa e criatividade na solução de problemas individuais e
coletivos;
• Curiosidade intelectual e interesse pela investigação científica e tecnológica;
• Capacidade de disseminar, difundir e/ou utilizar o conhecimento relevante
para a comunidade pensada como um todo;
• Internalização de valores de responsabilidade social, justiça e ética
profissional.
• Formação humanística e visão global, habilitando-os a compreenderem o
meio social, político, econômico e cultural onde estão inseridos e a tomarem
decisões em um mundo diversificado e interdependente;
• Formação técnica e científica para atuarem na gestão das organizações, além
de desenvolverem atividades específicas da prática profissional;
• Expressão e comunicação com o seu grupo, superiores hierárquicos ou
subordinados, de cooperação, trabalho em equipe, diálogo, exercício da
negociação e de comunicação interpessoal;
• Raciocínio lógico, crítico e analítico para operar com valores e formulações
matemáticas, para estabelecerem relações formais e causais entre
fenômenos e para expressarem de modo crítico e criativo diante dos
diferentes contextos organizacionais e sociais.
3.4.1 Competências
• reconhecer e definir problemas, equacionar soluções, pensar
estrategicamente, introduzir modificações no processo de trabalho, atuar
preventivamente, transferir e generalizar conhecimentos;
• auto-planejar-se, auto-organizar-se, estabelecer métodos próprios, gerenciar
seu tempo e espaço de trabalho;
• utilizar todos os conhecimentos nas diversas situações encontradas no
mundo do trabalho, isto é, a capacidade de transferir conhecimentos da vida
cotidiana para o ambiente de trabalho e vice-versa;

20

• reconhecer fenômenos para expressarem sua opinião de modo crítico e
criativo diante dos diferentes contextos organizacionais e sociais.

3.4.2 Habilidades
Investir na formação do aluno significa desenvolver estratégias educacionais
amplas, capazes de contemplar temas relacionados ao desenvolvimento de
características consideradas empreendedoras, tais como necessidades de auto-
realização e auto-estima, capacidade de inovação e de construir uma sólida rede de
relacionamentos, ao mesmo tempo em que identificar oportunidades e avaliar riscos
deverão estar inseridas neste profissional para que o mesmo venha a ter condição
de identificar quais são os fatores responsáveis pela alavancagem ou não de
iniciativas empreendedoras dentro e fora do organismo empresarial.
3.4.3 Atitudes
Espera-se do aluno uma visão inovadora, uma postura criativa baseada em
iniciativas, engrandecidas com um poder de negociação baseado em liderança e
trabalho em equipe
3.5 Coerência do PPC com o perfil profissional do egresso
As Diretrizes Curriculares Nacionais definem princípios, fundamentos,
condições e procedimentos da formação acadêmica de egressos importantes no
desenvolvimento, na avaliação e no aperfeiçoamento dos projetos pedagógicos.
Nesse sentido, definem o perfil do egresso com formação generalista, humanista e
crítica, capacitado a atuar, em todas as áreas de conhecimento de forma a colaborar
com a melhoria da qualidade de vida, pautado em princípios éticos, com reflexão
sobre a realidade econômica, política, social e cultural.
A distribuição da carga horária destinada ao exercício das atividades
complementares é institucional, fazendo parte do projeto pedagógico de cada curso.

21

3.6 Currículo
A elaboração dos conteúdos das disciplinas básicas e profissionais da matriz
curricular do presente Projeto Pedagógico se fez a partir de uma reflexão
direcionada a uma visão generalista, porém com uma formação que habilite a
atuação nas diferentes áreas previstas em legislação.
Assim, definiu-se o perfil do profissional desejado, os objetivos do curso,
situando um perfil dos docentes e discentes, caracterizando a construção da
coerência do currículo com a fundamentação teórico-metodológica do curso.
Na caracterização do perfil do docente reafirmou-se a ação professor no
processo educativo apontando para um aspecto fundamental que é o compromisso
profissional, definido pela ousadia de mudar, pela vontade de conhecer o novo e
pela decisão de sair do conservadorismo, identificando sua função na melhoria da
qualidade de ensino.
Foram também valorizados, durante o processo, pontos como os avanços
científicos e tecnológicos das Ciências, as profundas transformações da sociedade e
do mercado, além das Diretrizes Curriculares Nacionais aprovadas pelo MEC.
Buscou-se, dessa forma, a demanda de um profissional com um novo perfil
de qualificação, tendo como importante aliado o comprometimento social vinculado à
formação acadêmica.
O curso tem como preocupação realizar um currículo voltado para o
atendimento do perfil definido para o profissional, sem perder de vista o mercado de
trabalho com as tendências da administração na sociedade contemporânea.
Nesse sentido, no cotidiano das atividades acadêmicas, busca-se
sucessivamente a compreensão do profissional como uma ciência social. Assim,
esta ciência pode possibilitar ao homem o alcance de suas metas prioritárias
enquanto cidadão e a construção do perfil do profissional delimitado pelo curso.
Na realização dessa função, algumas estratégias educativas são viabilizadas
como mecanismos que podem assegurar o desenvolvimento das habilidades e
atitudes profissionais necessárias à atuação da administração e à formação
acadêmica do estudante desta área, destacando-se:
a) coordenação, sistematização e orientação das atividades curriculares e
extracurriculares, buscando a articulação de todo o currículo pleno, como elemento
indicador da materialização do perfil profissional que se pretende formar;

22

b) priorização do ensino e aprendizagem da administração, objetivando para o
alunado uma base sólida de conhecimentos científicos, administrativos e filosóficos
com vistas à construção da consciência social e profissional como fatores
importantes da cidadania;
c) consideração nas suas atividades de ensino, pesquisa e extensão da realidade,
sem perder de vista as questões referentes à saúde em geral e suas características
como Instituição acadêmica;
d) adoção da metodologia do planejamento participativo para favorecer a tomada de
decisões necessárias;
e) proposição e prática de um sistema de avaliação permanente para diagnosticar os
avanços e recuos como possibilidade de melhoria qualitativa das atividades
acadêmicas;
f) busca da inter-relação entre a dinâmica do curso e o cotidiano da saúde como
elemento fortalecedor das relações curso / sociedade;
g) revisão permanente e atualização dos conteúdos programáticos e metodologias,
tendo em vista o progresso da ciência, as expectativas dos alunos e as exigências
da sociedade, integralizando teoria e prática, Instituição e sociedade.
3.6.1 Matriz curricular
De acordo com as diretrizes institucionais para a integralização das cargas
horárias dos cursos de graduação mantidos pela Universidade Guarulhos, a
organização e o cômputo das atividades acadêmicas do curso ocorrem em horas-
aula de 50 (cinqüenta) minutos, sendo a carga horária semestral das disciplinas
destinadas à atividade discente efetiva calculada com base em módulos de 1 (uma)
hora-aula semanal com duração de 20 (vinte) semanas letivas por semestre.
Para cada componente curricular, de acordo as suas especificidades, o
desenvolvimento das atividades formativas do curso pode contar com atividades
teóricas e práticas, sendo estas dos tipos laboratorial e não laboratorial, que podem
se apresentar nas seguintes formas:
a) atividades práticas laboratoriais – dizem respeito às atividades realizadas em
laboratórios, clínicas, campo de atuação profissional concreto, entre outros
espaços equivalentes;
b) atividades práticas não laboratoriais – aquelas que envolvam a aplicação e a
ressignificação de conceitos teóricos estudados e a articulação destes conceitos

23

com o campo de atuação profissional, que se efetivam por meio de estudos de
caso, elaboração de instrumentos de coleta de dados e a aplicação dos mesmos,
elaboração de projetos de intervenção, organização de seminários, realização de
debates, entre outras atividades afins.
As informações sobre a composição da carga horária e a distribuição desta
entre atividades teóricas e práticas de cada componente curricular, indicado na
matriz a seguir, são apresentadas no formulário incorporado a este Projeto como
Anexo 4.
Currículo Pleno do Curso de ADMINISTRAÇÃO
1°SEMESTRE 2°SEMESTRE
DISCIPLINA CH DISCIPLINA CH
Comunicação em Gestão 80 Contabilidade II 80
Contabilidade I 80 Informática aplicada a gestão 80
Economia 80 Matemática Financeira 80
Introdução a Administração. 80 Microeconomia 80
Matemática Básica 80 Teoria Geral da Administração 80
TOTAL 400 TOTAL 400
3°SEMESTRE 4°SEMESTRE
DISCIPLINA CH DISCIPLINA CH
Administração de Materiais e Logística 80 Administração Financeira e Orçamentária I 80
Estatística 80 Direito I 80
Gestão de custos 80 Elaboração e Analise de Projetos 80
Marketing 80 Gestão de Produção e Operações. 80
Organização, Sistemas e Métodos 80 Psicologia e gestão de Pessoas 80
TOTAL 400 TOTAL 400
5°SEMESTRE 6°SEMESTRE
DISCIPLINA CH DISCIPLINA CH
Administração de Recursos Humanos 80 Ações Mercadológicas 80
Administração Financeira e Orçamentária II 80 Atividades Complementares II 40
Atividades Complementares I 40 Empreendedorismo 80
Direito II 80 Filosofia e Ética Profissional 80
Metodologia Cientifica em Gestão 40 Jogos de Empresa 80
Pesquisa de Mercado 80 Planejamento Estratégico 80
TOTAL 400 TOTAL 440
7°SEMESTRE 8°SEMESTRE
DISCIPLINAS CH DISCIPLINAS CH
Administração de Sistemas da Informação 80 Consultoria Empresarial 80
Auditoria Operacional 80 Estagio Supervisionado em Administração II 180
Critérios de Custeio e Formação do Preço 80 Gestão Ambiental e da Qualidade 80
Economia Brasileira e Internacional 80 Gestão e Sociedade 80
Estagio Supervisionado em Administração I 180 Tópicos Avançados em administração 80
Plano de Negócios 80 Tecnologia da Informação e suas Ferramentas 80
TOTAL 580 TOTAL 580
Disciplinas Optativas Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) (optativa) 60

24

Currículo Pleno do Curso de ADMINISTRAÇÃO

Total da Grade Curricular: 3160 horas/aula
Total da Grade Curricular: 3520 horas/aula com Estágio
Total da Grade Curricular: 3600 horas/aula com Estágio e Atividades Complementares
Total da Grade Curricular: 3660 horas/aula com Estágio + LIBRAS (optativa)

Quadro em Horas – Relógio
Total da Grade Curricular: 2634 horas
Total da Grade Curricular: 2934 horas com Estágio
Total da Grade Curricular: 3000 horas com Estágio e Atividades Complementares
Total da Grade Curricular: 3050 horas com Estágio + LIBRAS (optativa)


25

3.6.2 Ementário e Bibliografia (Básica e Complementar)
1º Semestre
Disciplina Comunicação e Gestão
Conteúdo
(ementa)
O componente curricular favorece a articulação entre as
referências teóricas estudadas para a ampliação de
conhecimentos gerais da língua materna, tendo em vista uma
maior capacidade de comunicação e expressão, e permitindo
a elaboração de textos de diversos gêneros, de forma clara,
objetiva e coerente, respeitadas as normas gramaticais
vigentes.
Aplicar as tecnologias de comunicação e da informação na
escola, no trabalho e em outros contextos relevantes da vida.
COSTA, Amanda Fincatti Serrano. A aplicação pragmática
das preposições em língua portuguesa. Guarulhos:
Universidade Guarulhos, 2006.
SILVA, Rodrigo Florêncio da. A descrição da letra inicial
maiúscula. Guarulhos, SP : Universidade Guarulhos, 2007.

Bibliografia
Básica
OLIVEIRA, Maria Rita de Moraes. A dialetica da função
morfologica adjetiva. Guarulhos, SP: Universidade
Guarulhos, 2007.
INFANTE, Ulisses. Do texto ao texto. São Paulo: Scipione,
2008.
FARACO: MOURA. Gramática: fonética, morfologia, sintaxe e
estilística. São Paulo: Ática, 2007.
GERONE, Lis. Gestão de grupos comunitários: as bases da
comunicação ecológica. São Paulo: Saraiva, 2010
KUNSCH, Margarida Maria Krohling.
Comunicação organizacional. Vol. 2 . São Paulo: Saraiva
2008
Bibliografia
Complementar
KRANZ, Garry. Comunicação. São Paulo: Ática, 2008
1º Semestre
Disciplina Contabilidade I
Conteúdo(ementa) Esta disciplina tem como abordagem principal: identificar e
interpretar os elementos que compõem o patrimônio da
organização. Contextualizar os atos e fatos nas mutações
patrimoniais. Identificar e interpretar as contas e o plano de
contas, Elaborarem partidas contábeis, de conformidade com
a natureza da operação Extrair dos registros contábeis
informações para estruturar o livro diário, livro razão e
balancete de verificação. Aplicar os conceitos de contas
patrimoniais e de resultado. Sintetizar as informações
contábeis e elaborar a demonstração do resultado e o balanço
patrimonial

IUDÍCIBUS, Sérgio. Equipe de Professores da FEA/USP.
Contabilidade introdutória, 10. ed. São Paulo: Atlas 2008

26

MARION, José Carlos. Contabilidade básica, 6. ed.
São Paulo: Atlas, 2008.
Bibliografia
Básica
RIBEIRO, Osni Moura Ribeiro. Contabilidade fácil básica,
23. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.
AMARAL, Altimar Vieira do. A contabilidade publica e a lei
de responsabilidade fiscal. São Paulo: 2002.
FAVERO, Hamilton Luiz; LONARDI, Mário; SOUSA, Clóvis de;
TAKURA, Nassakazu. Contabilidade teoria e prática. 2. ed.
São Paulo: Saraiva, 2008.
DURMACHEV,J, A contabilidade moderna. São Paulo:
Atlas, 2007.
AMARAL, Altimar Vieira do, A contabilidade publica e a lei
de responsabilidade Fiscal. São Paulo: Atlas, 2008.
Bibliografia
Complementar
PAULANI, Leda Maria. A nova contabilidade social. São
Paulo: Saraiva, 2001.

1º Semestre
Disciplina Economia
Conteúdo
(ementa)
A abordagem central desta disciplina pretende fornecer ao
aluno uma visão dos conceitos fundamentais da economia e
do papel da economia no contexto mais amplo das ciências
sociais, seu objeto, seus métodos e aplicação na gestão
pública e privada.
VASCONCELLLOS, M.A.S. Economia: micro e macro: teoria
e exercícios, glossário com 300 principais conceitos
econômicos. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2009.
PINDYCK, R.S.;RUBINFELD, D.L. Microeconomia. São
Paulo: Pearson Prentice Hall, 1994.

Bibliografia
Básica
ROSSETI, José Paschoal. Introdução a economia. São
Paulo: Atlas, 2008
PASSOS, Carlos Roberto Martins; e NOGAMI, Otto.
Princípios de economia. 5 ed. São Paulo: Pioneira Thomson
Learning, 2005.
MENDES, Judas Tadeu Grassi. Economia: fundamentos e
aplicações. São Paulo: Prentice Hall, 2008.
VASCONCELLOS, Marco Antonio S.; GARCIA, Manuel E.
Fundamentos de economia, 3. ed. São Paulo: Saraiva,
2008.
NOGAMI, Otto; PASSOS, Carlos Roberto Martins. Princípios
de economia, 5 ed. São Paulo: Thonson Pioneira, 2006.
Bibliografia
Complementar
VASCONCELLOS, Marco Antonio S. Economia micro e
macro, 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.


27

1º Semestre
Disciplina Introdução a Administração.
Conteúdo
(ementa)
Procura-se delinear uma panorâmica do pensamento
moderno em Administração e das perspectivas de tendências
futuras nos Estudos Organizacionais, abordando: a
Administração na Sociedade Moderna, o Desenvolvimento
Organizacional, a evolução dos Conceitos relacionados ao
Homem, à Organização e ao Meio Ambiente. Apresentam-se
os conceitos de cultura organizacional e poder nas
organizações, e da aprendizagem organizacional. Discutem-
se reengenharia e redesenho de processos; organização e
administração virtual; administração participativa e
autogestão.
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da
administração. 7ª Ed. Rio de Janeiro: Elsevier Campus,
2004.
DRUCKER, Peter. Administrando em tempos de grandes
mudanças. São Paulo: Pioneira, 2005.

Bibliografia
Básica
MAXIMIANO, Antonio C. A. Introdução à administração. 7.
ed. São Paulo: Atlas, 2007.
BERNARDES, Cyro; MARCONDES, Reynaldo C. Teoria
geral da administração. São Paulo: Saraiva, 2003.
CHIAVENATO, Idalberto. Uma abordagem introdutória. Rio
de Janeiro: Elsevier, 2005.
FILHO, Sergio Perussi; FILHO, Edmundo Escrivão. Teorias
de administração: Introdução ao estudo do trabalho do
administrador 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2008.
KWASNICKA, Eunice Laçava. Introdução a
administração.6. ed.São Paulo: Atlas, 2007.
Bibliografia
Complementar
OLIVEIRA, Djalma de Pinho. Rebouças de introdução a
administração: Teoria e Pratica. 1. ed. São Paulo: Atlas,
2007.


1º Semestre
Disciplina Matemática Básica
Conteúdo(ementa) Na Matemática Básica visaremos à formação do cidadão,
procurando relacioná-la com o cotidiano. Iremos apresentar
nessa disciplina noções básicas, que devem ser patrimônio de
todos os alunos e servir de lastro para a compreensão dos
conteúdos subseqüentes que envolvam o conhecimento
matemático. Assim exploraremos o estudo das operações no
conjunto dos reais, razões, proporções, sistemas do 1º grau,
porcentagem, regra de três simples e composta, bem como o
conceito de funções (com ênfase na composição da função

28

custo e função receita): do 1º grau, do 2º grau, exponencial e
logarítmica; Progressões Aritméticas e Geométricas (para a
compreensão das fórmulas de Matemática Financeira
relacionadas à PMT); Noções de Limites e Derivadas
enfocando as aplicações na economia. Os textos e as
contextualizações dos muitos problemas e exercícios não se
limitam aos cálculos, mas possibilitam a reflexão e o
entendimento dos aspectos que norteiam as várias aplicações
da matemática.
IEZZI, Gelson; MURAKAMI, Carlos. Fundamentos de
matemática elementar: conjuntos funções. 7. ed. São Paulo:
Atual, 2009.
SILVA, S. Medeiros. Matemática para os cursos de
economia: administração e ciências contábeis. São Paulo:
Atlas, 2006.

Bibliografia
Básica
MORETIN, Pedro A. HAZZAN, Samuel. BUSSAB, Wilton de
O. Cálculo funções de uma e várias variáveis. S. Paulo:
Saraiva 1999.
HARIKI, Seiji. ABDOUNUR, Oscar J. Matemática aplicada.
São Paulo: Saraiva 2008.
COELHO, Flávio Ulhoa. Curso básico de cálculo. São
Paulo: Saraiva 2001.
PASQUALE, Silvana Fonseca Del Ponte. A descalcula, sob
o enfoque psicopedagógico, 5. ed. São Paulo: Saraiva,
2005.
SILVA, Sebastião Medeiros. Matemática básica para cursos
superiores. São Paulo: Atlas, 2006.
Bibliografia
Complementar
ABRÃO, Mariângela; Silva, Fernando César Marra.
Matemática básica para decisões administrativas. 2. ed.
São Paulo: Atlas, 2008.

2º Semestre
Disciplina Contabilidade II
Conteúdo
(ementa)
Demonstrações de resultados, Balanço Patrimonial impostos
sobre as operações de compra e venda de mercadorias
(ICMS, PIS e COFINS), impostos sobre a prestação de
serviços, inventário permanente, custo de aquisição das
mercadorias, métodos aplicados aos inventários permanentes,
descontos de duplicatas, demonstrações financeiras ou
contábeis, depreciação, Amortização e Exaustão – cálculo e
contabilização Apuração de Resultado Completa. Balanço
Patrimonial. Fluxo de Caixa e a. Demonstração do Resultado
de Exercício. de acordo com a lei 11638.

Bibliografia
IUDÍCIBUS, Sérgio: Equipe de Professores da FEA/USP.
Contabilidade introdutória. 10. ed., São Paulo: Atlas, 2003.

29

MARION, José Carlos. Contabilidade básica, 6. ed.
São Paulo: Atlas, 1998.
Básica
RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade geral fácil. 24. ed. São
Paulo: Saraiva, 2003.
NEVES, Silvério das; VICONTI, Paulo Eduardo V.
Contabilidade básica. 6. ed. São Paulo: Frase, 2006.
LEITE, Hélio de Paula. Contabilidade para administradores.
4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
RIBEIRO, Osni Moura. A Contabilidade avançada. 5. ed.
São Paulo: Saraiva, 2009.
MARION, Jose Carlos. Contabilidade empresarial. 15. ed.
São Paulo: Atlas, 2009.
Bibliografia
Complementar
FERREIRA, Ricardo J. / Ferreira. Contabilidade básica.7. ed.
São Paulo: Atlas, 2009.
FERRARI, Ed Luiz: IMPETUS. Contabilidade geral. 10. ed.
São Paulo: Atlas, 2009.

2º Semestre
Disciplina Informática Aplicada a Gestão
Conteúdo
(ementa)
A disciplina de Informática aplicada à Administração visa
difundir o conhecimento do aluno em áreas amplas da
informática deixando-o apto a operar softwares de edição de
texto, planilhas eletrônicas e apresentações em slides
gerando documentações empresariais que serão
fundamentais em sua atuação no ramo administrativo.
Apresentação, objetivos e Introdução ao estudo da
informática. Conceitos gerais. Ambientes operacionais.
Redes. Redes Wireless. Memória. O software. O ambiente
Windows. Os computadores nos negócios, aplicações
verticais, aplicações para produtividade pessoal. A Informática
para grupos de trabalho. O valor e o custo da informação.
Abordagem integrada. Como as empresas usam os
computadores. Sistemas Numéricos, Representação de
dados. Meios de comunicação. Comunicação por redes.
Telecomunicação por modem. O que é um sistema
operacional. Categorias de sistemas operacionais. Editores de
texto. Planilhas eletrônicas
SILVA, M. G. Informática: Terminologia Básica - Windows
Xp, Word Xp, Excel Xp, Access Xp, Power Point Xp. São
Paulo: Erica, 2008.
FRYE, C. Microsoft office excel 2008: Passo a Passo. São
Paulo: Bookman, 2008.

Bibliografia
Básica
COX, J. / Preppernau, J. Microsoft Office Word 2007: Passo
a Passo. São Paulo: Artmed, 2008.
Bibliografia
Complementar
CORNACHIONE Jr, E. B. Informática aplicada às áreas de
contabilidade: Administração e Economia. 3. ed. São Paulo:
Atlas, 2008.

30

SILVA, Mario Gomes. Informática: terminologia básica. São
Paulo: Érica, 2008.
RONCONI, Luciana Moreira. Access2007. São Paulo:
SENAC, 2008.
CORNACHIONE Jr; BRUNO Edgard. Informática aplicada às
áreas de contabilidade: Administração e Economia. 3. ed. São Paulo,
2007.
VELLOSO, Fernando de Castro. Informática: conceitos
básicos. 7. ed. São Paulo: Campus, 2004.


2º Semestre
Disciplina Matemática Financeira
Conteúdo
(ementa)
A disciplina Matemática Financeira será trabalhada por meio
de análise de problemas que envolvam situações práticas da
Economia, visando uma contribuição direta do ensino de
matemática financeira para a formação do Administrador de
Empresas. Assim exploraremos o estudo de: porcentagem,
operações com mercadorias e serviços, operações
financeiras, juro simples e composto, desconto simples e
composto, série de pagamentos e empréstimo, taxas
equivalentes e sistemas de amortização. Os textos e as
contextualizações dos muitos problemas e exercícios
possibilitam a reflexão e o entendimento dos aspectos que
norteiam a economia.
CRESPO, Antônio Arnot. Matemática comercial e
financeira. São Paulo: Saraiva 2009.
BRANCO, Anísio Costa Castelo. Matemática financeira
aplicada. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

Bibliografia
Básica
MARTHIAS, Washington Franco; GOMES, José Maria.
Matemática Financeira. São Paulo: Atlas, 2008.
HAZZAN, Samuel; POMPEO, José Nicolau. Matemática
elementar: Financeira. São Paulo: Saraiva 2008.
FARIA, Rogério Gomes. Matemática Comercial e
Financeira. São Paulo: Makron Books, 2007.
ZENTGRAF, Roberto. Matemática financeira objetiva. São
Paulo: Campus, 2007.
ZENTGRAF, Roberto; GIAMBIAGI, Fabio. O Futuro e hoje:
Educação. São Paulo: Campus, 2007.
Bibliografia
Complementar
ZENTGRAF, Roberto. O guia pratico de finanças. São
Paulo: Campus, 2007.


31

2º Semestre
Disciplina Microeconomia
Conteúdo
(ementa)
A abordagem central desta disciplina pretende fornecer ao
aluno uma visão do comportamento das unidades econômicas
básicas (consumidores e produtores), discutindo suas
interações no mercado de concorrência, mercados não-
competitivos, situações de falhas de mercado e
comportamento estratégico.
PASSOS, Carlos Roberto Martins; NOGAMI, Otto. Princípios
de economia. 5. ed. São Paulo: Pioneira Thompson Learning,
2005.
VASCONCELLLOS, M.A.S. Economia micro e macro: teoria
e exercícios, glossário com 300 principais conceitos
econômicos. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
Bibliografia
Básica
PINDYCK, R.S; RUBINFELD, D.L. Microeconomia. São
Paulo: Pearson Prentice Hall, 1994.
MENDES, Judas Tadeu Grassi. Economia: fundamentos e
aplicações. São Paulo: Prentice Hall, 2008.
Bibliografia
Complementar
ROSSETI, José Paschoal. Introdução a economia. São
Paulo: Atlas, 2008.
BESANKO, David, Braeutigam. Microeconomia: Uma
abordagem completa. São Paulo: LTC, 2009.
VASCONCELLOS, Marco Antonio S; GARCIA, Manuel E.
Fundamentos de economia. 3. ed. 2008.
FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil, São Paulo:
Atlas, 2008.

2º Semestre
Disciplina Teoria Geral da Administração
Conteúdo
(ementa)
Delinear um panorama do pensamento moderno em
Administração e das perspectivas de tendências futuras nos
Estudos Organizacionais. Desenvolver o conhecimento a
partir das teorias da administração relacionando conceitos
históricos a realidade atual de mercado, política, economia,
cultura, social e ambiental.
Confronto entre o pensamento organizacional tradicional e
uma abordagem contemporânea.
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da
administração. 7. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier-Campus,
2004.
DRUCKER, Peter. Administrando em tempos de grandes
mudanças. São Paulo: Pioneira, 2006.

Bibliografia
Básica
MAXIMIANO, Antonio C. A. Introdução à administração. 7.
ed. São Paulo: Atlas, 2008

32

BERNARDES, Cyro; MARCONDES, Reynaldo C. Teoria
geral da administração. São Paulo: Saraiva, 2009.
CHIAVENATO, Idalberto Administração geral e pública:
série provas e concursos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier-
Campus, 2008.
HITT, Michael A.; IRELAND, R. Duane; HOSKISSON, Robert
E. Administração estratégica. 2. ed. São Paulo: 2006.
CHIAVENATO, Idalberto. Uma abordagem introdutória. Rio
de Janeiro: Elsevier Campus, 2005.
Bibliografia
Complementar
FILHO, Sergio Perussi; FILHO, Edmundo Escrivão . Teorias
de administração: introdução ao estudo do trabalho do
administrador. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

3º Semestre
Disciplina Administração de Materiais e Logística
Conteúdo
(ementa)
Origem, conceito e evolução da Administração de Materiais
para Logística. Responsabilidades e atribuições
departamentais. Objetivos e conflitos, descrição das funções,
tipos de organizações. Classificação de materiais, gráfico
Dente de serra. Controle de estoques. Curva ABC.
Determinação de estoque mínimo, máximo e de segurança.
Avaliação dos estoques. PEPS, UEPS e Custo Médio.
Inventário (Preparação para o inventário, Contagem física do
estoque, Inventário geral, Inventário rotativo, Acurácia dos
estoques. Controle de sistemas e variações. Metodologia do
planejamento (Planejamento de materiais pelo PCP –
definição, sistemas e operacionalização). Conceito sobre
condomínio industrial e consórcio modular. MRPI e MRPII,
ERP. SCM - Supply Chain Management.
Logística integrada. Diferença entre logística e Supply Chain
Management, Logística e a influencia da distribuição e
transporte.
DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais: uma
abordagem logística. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
MARTINS, Petrônio Garcia; ALT, Paulo Renato Campos.
Administração de materiais e recursos patrimoniais. 2. ed.
São Paulo: Saraiva, 2009.

Bibliografia
Básica
BALLOU, Ronald H. Logística empresarial: Tradução Hugo
T.Y.Yoshizaki. 14.ed. São Paulo: Atlas, 2010.
Bibliografia
Complementar
DIAS, Marco Aurelio Pereira. Administração de Materiais:
princípios, conceitos e gestão. 6. ed.São Paulo: 2009.
HITT, Michael A; IRELAND, R. Duane; HOSKISSON, Robert
E. Administração estratégica. 2. ed.São Paulo: Saraiva,
2007.

33

CARRETONI, Enio. Administração de materiais: uma
abordagem estrutural. São Paulo: Alínea e Átomo, 2009.
FRANCISCHINI, Paulino G. Administração de materiais e
do patrimônio. São Paulo: Pioneira, 2004.

GONÇALVES, Paulo Sérgio. Administração de Materiais. 2.
ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.


3º Semestre
Disciplina Estatística
Conteúdo(ementa) A referida disciplina será trabalhada visando à abordagem de
conteúdos que possibilitem ao aluno coletar, organizar e
analisar quaisquer tipos de dados passíveis de uma
abordagem matemática. Assim exploraremos o estudo de:
Séries estatísticas, medidas de tendência central, medidas
separatrizes, medidas de dispersão, assimetria e curtose,
probabilidades, curva normal/reduzida, teste de correlação de
Pearson e regressão linear aplicando as principais técnicas
estatísticas que possibilitem a reflexão e o entendimento dos
aspectos que norteiam a Estatística no cotidiano do
Administrador de Empresas.
LEVIN , Jack. Estatística aplicada às ciências humanas.
São Paulo: HARBRA, 2004.
BUSSAB, Wilton de O; MORETTIN, Pedro A. Estatística
Básica. São Paulo: Saraiva, 2010.

Bibliografia
Básica
SILVA, Medeiros da. Estatística para os cursos de
economia, administração e ciências contábeis. São Paulo:
Atlas, 2006.
ANDERSON, David R. Estatística aplicada à administração
e economia. São Paulo: Pioneira, 2002.
GIRÓLAMO, Mônica Koehler Sant’ana. Estatística:
resumão , parâmetros, variáveis, intervalos, proporções .São
Paulo: BF & A. 2008.
CARVALHO, Sérgio; CAMPOS, Weber. Estatística básica
simplificada: teorias mais de 200 questões. São Paulo:
Campus, 2008.
LAPPONI, Juan Carlos; CAMPUS. Estatística usando excel.
4 ed. São Paulo: Saraiva, 2007.
Bibliografia
Complementar
CRESPO, Antonio Arnot. Estatística fácil. São Paulo:
Saraiva, 2009.


34

3º Semestre
Disciplina Gestão de Custos
Conteúdo
(ementa)
Esta disciplina deverá ter como pontos norteadores: A
Classificação dos custos direto, indireto e integral, Custo fixo,
variável e misto, Distinção entre custos e despesas, Sistemas
de Custeio Custo por absorção e custo ABC. Ponto de
Equilíbrio – econômico, financeiro e contábil
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 9. Ed. São
Paulo: Atlas, 2008.
MEGLIORINI, Evandir. Custos. São Paulo: Makron Books,
2005.

Bibliografia
Básica
LEONE, George S. G. Curso de Contabilidade de Custos.
2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.
DUTRA, René Gomes. Custos uma abordagem prática. 5.
ed. São Paulo, Atlas, 1995.
Bibliografia
Complementar
NAKAGAWA, Massayuki, ABC: Custeio baseado e
atividades. 12 ed., São Paulo: Atlas, 2007.
COSTA, Reinaldo Pacheco da; JÚNIOR, Abraão Freires.
Preços, orçamentos e custos industriais: fundamentos da gestão de
custos e de Preços Industriais. São Paulo: Campus, 2007.
SILVA, Carlos Alberto dos Santos; ALFREDO Augusto
Gonçalves Pinto; LIMEIRA, André Luis Fernandes; COELHO,
Fabiano Simões. Gestão de custos: série gestão financeira,
controladoria e auditoria 2. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
SOUZA, Luiz Eurico de; KULPA, Luciana, Dubois, Alexy.
Gestão de custos e formação de preços. 3. ed. São Paulo:
Atlas, 2009.

3º Semestre
Disciplina Marketing
Conteúdo
(ementa)
A disciplina visa aprofundar conhecimentos específicos em
composto de marketing (preço, produto, promoção e ponto).
Analisar os critérios de segmentação de mercado. Conhecer e
discutir quais fatores afetam o comportamento do consumidor.
O processo de decisão de compra e os tipos de
comportamento de compra. Obter noções básicas sobre: ciclo
de vida do produto, planejamento de marketing, análise
SWOT, matriz BCG, marketing estratégico, marketing de
relacionamento, CRM, marketing digital, endomarketing,
marketing social e marketing ambiental.
KOTLER, Philip e Kevin Lane Keller. Administração de
marketing. São Paulo: Prentice Hall, 2009.
HONORATO, G. Conhecendo o marketing. São Paulo:
Manole, 2004.

Bibliografia
Básica
BERKOWITZ, et al. Marketing. Volumes 1 e 2. Rio de
Janeiro: LTC, 2003.

35

KOTLER,P. Administração de marketing: análise,
planejamento, implementação e controle. São Paulo: Atlas,
2008.
TORRES, Claudio / NOVATEC.
A bíblia do marketing digital. São Paulo: Saraiva, 2009.
OUTROS; Silva, Helton Haddad / FGV.
Planejamento estratégico de marketing: série marketing.
São Paulo: Saraiva 2002.
TELLES, Renato; CROCCO, Luciano; Rocha, Thelma;
STREHLAU, Vivian Iara; GIOIA, Ricardo M. / SARAIVA.
Fundamentos de marketing: conceitos Básicos, Vol. 1. 2.
ed. São Paulo: Col. De Marketing, 2010.
Bibliografia
Complementar
LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Administração de marketing:
conceitos, planejamento e aplicações à realidade brasileira.
São Paulo: Atlas, 2010

3º Semestre
Disciplina Organização, Sistemas e Métodos
Conteúdo
(ementa)
A questão da readaptação, cultura e crescimento
organizacional. Deterioração organizacional. A transformação
de O&M para OS&M. As atribuições básicas do analista de
OS&M. Instrumentos e metodologias organizacionais.
Estratégias de atuação nos estudos de OS&M. Os
instrumentos de levantamento de informações. Análise de
rotinas e de fluxograma. Análise e desenho de formulário. Os
novos paradigmas organizacionais. Mudança organizacional.
BALLESTERO, Maria Esmeraldo Alvarez. Manual de
organização, sistemas e métodos. 3. ed. São Paulo: Atlas,
2002.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Sistemas,
organização e métodos uma abordagem gerencial. 18. ed.
São Paulo: Atlas, 2009.

Bibliografia
Básica
D”ASCENÇÃO, Luiz Carlos M. Organização, sistemas e
métodos: Analise, redesenho e informatização de processos
administrativos. São Paulo: Atlas, 2007.
ARAÚJO, Luis César G. de. Organização, sistemas e
métodos e as tecnologias de gestão organizacional,
arquitetura organizacional, benchmarking, empowerment,
gestão pela qualidade total e reengenharia . 4. ed. São
Paulo: Atlas, 2009.
Cruz, Tadeu, Sistemas, organização e métodos. 3 ed. São
Paulo: Atlas, 2002.
Bibliografia
Complementar
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de / ATLAS,
Sistemas, organização & métodos: uma abordagem
gerencial. 18. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

36

CARREIRA, Dorival. Organização sistemas e métodos. 2.
ed.São Paulo: Saraiva, 2009.
SIMCSIK, Tibor. O.S. M: organização, sistemas e métodos.
São Paulo: Futura, 2002.

4º Semestre
Disciplina Administração Financeira e Orçamentária I
Conteúdo
(ementa)
Habilidades e competências: Para um bom aproveitamento
das aulas de Administração Financeira, o discente deve ter
assimilado os conceitos essenciais das disciplinas de
Contabilidade e de Matemática Financeira.
Abordagem central da disciplina: As funções do administrador
financeiro, o ambiente operacional da empresa,
demonstrações financeiras e o fluxo de caixa, o valor do
dinheiro no tempo, progressões, juros simples e compostos,
anuidade, amortizações, obrigações, seguros, inflação e
câmbio, índice de lucratividade, taxa média, grau de
alavancagem operacional e grau de alavancagem financeira,
estrutura financeira das empresas, decisões de investimento a
longo, curto e médio prazo.
GITMAN, Lawrence. Princípios de administração
financeira. 10. ed. São Paulo: Pearson Education, 2005.
LEMES, Antônio Barbosa Júnior et al. Administração
financeira. 1. ed. São Paulo: Campus, 2005.

Bibliografia
Básica
BRIGHAM; GAPENSKI; EHRHARDT. Administração
financeira. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2001.
BRIGHAM; HOUSTON. Fundamentos da moderna
administração financeira. 1. ed. Rio de Janeiro: Campus,
1999.
SALIMENO, Carlos Roberto. Administração estratégica
financeira e orçamentária. São Paulo: STS, 2009.
HOJI, Masakazu. Administração financeira e
orçamentária. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
JÚNIOR, Vicenzo Papariello. Administração financeira e
orçamentária. São Paulo: Método, 2009.
Bibliografia
Complementar
HUMMEL, P.R.V. Análise e decisão sobre investimentos e
financiamentos. São Paulo: Atlas, 1995.

4º Semestre
Disciplina Direito I
Conteúdo
(ementa)
A disciplina de Direito I abrange os principais aspectos do
Direito Público, no que diz respeito à atuação do profissional
de Administração de Empresas, abrangendo o estudo da
Organização do Estado, aspectos relacionados aos princípios
e poderes aplicáveis à Administração Pública, sua estrutura,

37

regras atinentes a formalização dos procedimentos licitatórios
e celebração dos contratos administrativos e, ainda, a
intervenção do Estado no domínio econômico. A disciplina
alberga, ainda, o estudo dos principais aspectos do sistema
tributário nacional, no que diz respeito aos princípios
tributários, espécies de tributos e classificação dos impostos,
constituição e extinção do crédito tributário, e, a administração
tributária. Por fim, a disciplina aborda as relações do Estado
face ao direito ambiental e do consumidor.
MACHADO, Hugo de Brito. Curso de direito tributário. 29.
ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2008.
MARTINS; Sérgio Pinto Martins. Instituições de direito
público e privado. 7. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2008.

Bibliografia
Básica
MILARÉ, Edis; FUHRERM Maximilianus Cláudio Américo.
Manual de direito público e privado. 9. ed. São Paulo:
Editora Revista dos Tribunais, 1996.
MEDAUAR, Odete. Direito administrativo em evolução. 2.
ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2003.
PAULO, Vicente; ALEXANDRINO, Marcelo. Método: Direito
administrativo descomplicado - Série Jurídica – 18. ed. 2010.
ROSA, Marcio Fernando Elias. Direito administrativo:
Parte1. 11. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.
COELHO, Fabio Ulhoa. Manual de direito comercial:
Direito de empresa. 22. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.
Bibliografia
Complementar
NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Iniciação ao direito do
trabalho. 29. ed. São Paulo: LTR, 2009.

4º Semestre
Disciplina Elaboração e Análise de Projetos
Conteúdo
(ementa)
Projeto, uma visão de conjunto. Introdução ao estudo de
projetos. Identificação de oportunidade. Avaliação de risco.
Planejamento. Organizar e detalhar a empresa. Gestação e
crescimento da empresa. Estudo de mercado, tamanho e
localização. Elaboração de uma proposta de projeto.
Gerenciamento de projetos.
WOILER, S. et al. Projetos planejamento, elaboração e
análise. São Paulo: Atlas, 2008.
LEWIS, James P. Como gerenciar projetos com eficácia. Rio
de Janeiro: Campus, 2003.

Bibliografia
Básica
MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Administração de
projetos: como transformar idéias em resultados. São Paulo:
Atlas, 2009.
Bibliografia BUARQUE, C. Avaliação econômica de projetos. Rio de
Janeiro: Campus, 1984.

38

MARTINS, Washington Franco; WOILER, Sansão.
Projetos: planejamento, elaboração e análise. 2. ed. São
Paulo: Atlas, 2008.
CAVALCANTI, Marly; PLANTULLO, Vicente Lentini.
Análise e elaboração de projetos de investimento de
capital: sob uma nova ótica. São Paulo: Atlas, 2005.
VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de
pesquisa em administração. ed. 12. São Paulo: Atlas, 2010.
Complementar
CLELAND, David I. Gerencia de projetos. Rio de Janeiro:
Reichmann & Affonso, 2002.


4º Semestre
Disciplina Gestão da Produção e Operações
Conteúdo
(ementa)
Administração industrial. Evolução e estratégia da Gestão da
Produção e Operação. Manufatura, serviços e seus fluxos.
Gestão de processos de produção, produtos e serviços.
Qualidade, produtividade e competitividade. Organização da
área de PPCP. Planejamento da capacidade, Planejamento
Agregado e Balanceamento de linha. Técnicas de redução de
setup. PERT/CPM – conceito e aplicabilidade. Estudo do
layout industrial: arranjo físico de instalações. Sistemas
Flexíveis de Fabricação. Projeto modular: células de produção
e conceito sobre Condomínio industrial e consórcio modular
na visão da produção. O JIT e o Kanban na produção.
Desenvolvimento de produtos: estilo dos produtos. Sistema de
Operações com outras funções da empresa. Redes para
operação produtiva. Técnicas de análise de localização
industrial: localização da empresa.
SLACK, Nigel et al. Administração da produção. 2. Ed. São
Paulo: Atlas, 2009.
CORRÊA, H.; CORRÊA, C. Administração de produção e
operações: manufatura e serviços, uma abordagem
estratégica. São Paulo: Atlas, 2004.

Bibliografia
Básica
MOREIRA, Daniel A. Administração da produção e
operações. São Paulo: Pioneira Thompson Learning, 2008.
PERONIO, Martins. Administração da produção. 2 ed. São
Paulo: Saraiva, 2006
ROHA, Duílio Reis da. Gestão da produção e operações.
São Paulo: Ciência Moderna, 2009.
MELLO, Carlos Henrique Pereira. Sistema de gestão da
qualidade para operações de produção e serviços. São
Paulo: Atlas, 2008.
Bibliografia
Complementar
BALLESTERO, Maria Esmeralda Alvarez. Gestão da
qualidade, produção e operações. São Paulo: Atlas, 2010.

39

MARTINS, P; LAUGENI, F. Administração da produção.
São Paulo: Pioneira, 2006.

4º Semestre
Disciplina Psicologia e Gestão de Pessoas
Conteúdo
(ementa)
A Psicologia para Administradores visa o conhecimento dos
comportamentos humanos nas organizações diferenciação
das personalidades e seus reflexos no processo grupal.
Conhecimento do processo grupal. Conhecimento do
processo motivacional e o gerenciamento de conflito. As
mudanças nas relações do homem com o trabalho.
Motivação. Personalidade. Grupos sociais. Liderança e Poder.
Papéis e Valores. Administração na sociedade pós –
moderna. Os caminhos da psicologia moderna. Teorias e
sistemas utilizados pela psicologia para administradores.
Aspectos Operacionais, Problemas de aprendizagem,
multimeios de comunicação. Os grupos, interação, estrutura,
coesão, normas, metas comuns, elementos
DAVIDOFF, Linda L. Introdução à psicologia. São Paulo:
Pearson, 2009.
ROBBINS, S.P. Comportamento organizacional. São Paulo:
Prentice Hall, 2008.

Bibliografia
Básica
KANAANE, Roberto. Comportamento humano nas
organizações: o homem rumo ao século XXI. São Paulo:
Atlas, 2008.
WEITEN, Wayne. Introdução à psicologia. São Paulo:
Pioneira, 2002.
RIBEIRO, Marcelo Afonso.
Psicologia e gestão de pessoas. São Paulo: Vetor, 2005
FURTADO, Odair; BOCK, Ana Mercês Bahia; TEIXEIRA,
Maria de Lourdes Trassi. Psicologias: uma introdução ao
estudo de psicologia conforme a nova ortografia. São Paulo:
Atlas, 2006.
CAMPOS, Dinah Martins de Souza. Psicologia e
desenvolvimento humano. São Paulo: Vozes, 2010.
Bibliografia
Complementar
MUCHINSKY,P.M. Psicologia organizacional. São
Paulo:Thomson, 2004.

5º Semestre
Disciplina Administração de Recursos Humanos
Conteúdo
(ementa)
Visão global da gestão de recursos humanos direcionado ao
atendimento do planejamento estratégico organizacional.
Análise dos principais enfoques e problemas de recursos
humanos. Estratégias de remuneração, recrutamento e
seleção de pessoal. Gestão Participativa. Aspectos

40

motivacionais. Clima Organizacional. Qualidade de vida no
trabalho. Treinamento e desenvolvimento. Segurança e saúde
do trabalho. Plano de Carreira e Avaliação de desempenho.
Folha de Pagamento e Direitos e Deveres do Trabalhador.
Tendências da gestão de recursos humanos.
CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas. 3.ed. São
Paulo: Campus, 2008.
LACOMBE, F.J.M. Recursos humanos: princípios e
tendências. São Paulo: Saraiva, 2005.

Bibliografia
Básica
CHIAVENATO, Idalberto. Recursos humanos. 8. ed. São
Paulo: Atlas, 2004.
MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos
humanos, do operacional ao estratégico. 17.ed, São Paulo:
Futura, 2007.
MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos
humanos. 13. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
CHIAVENATO, Idalberto. Iniciação a administração de
recursos humanos. 4.ed. São Paulo. Manole, 2009.
BOHLANDER, George; SHERMAN, Arthur; SNELL, Scott A.
Administração de recursos humanos. 14. ed. São Paulo.
Atlas, 2010.
Bibliografia
Complementar
GOLEMAN, Daniel. Inteligência emocional: a teoria
revolucionária que refine o que é ser inteligente. 76. ed. Rio
de Janeiro: Objetiva, 1995.

5º Semestre
Disciplina Administração Financeira e Orçamentária II
Conteúdo
(ementa)
Finanças de empresas, análise de demonstrações contábeis,
Grau de alavancagem operacional (GAO), Grau de
alavancagem financeira (GAF), Grau de alavancagem total
(GAT), Ponto de equilíbrio operacional, financeiro e total,
Noções de risco (Modelo CAPM). Administração de capital de
giro. Administração dos recursos permanentes e investimento
de capital. Custo de capital, estrutura de capital e dividendos.
GITMAN, Laurence J. Princípios de administração
financeira. São Paulo: Pearson Education, 2005.
HOJI, Masakazu. Administração financeira e orçamentária:
matemática financeira aplicada, estratégias financeiras,
orçamento empresarial. São Paulo: Atlas, 2009.

Bibliografia
Básica
SANVICENTE, Antonio Zoratto. Administração financeira.
3. ed. São Paulo: Atlas, 1997.
MARTINS, Eliseu. Finanças das empresas sob condições
inflacionarias. São Paulo: Atlas, 1993.
Bibliografia
Complementar
PORCARO, Jorge; LOPES, Reynaldo. Afo Cespe:
administração financeira e orçamentária para concursos do
Cespe.São Paulo: Juspodivm, 2010.

41

ASSAF NETO, Alexandre; LIMA, Fabiano Guasti. Curso de
administração financeira. São Paulo: Atlas, 2009.
JÚNIOR, Vicenzo Papariello. Administração financeira e
orçamentária. CESPE. Série. São Paulo: Método, 2008.
BREALEY, Richard. A. Princípios de finanças empresariais.
Portugal: McGraw-Hill, 1992.

5º Semestre
Disciplina Atividades Complementares I
Conteúdo
(ementa)
Apresentar e acompanhar as práticas acadêmicas
apresentadas sob múltiplos formatos que visam a
complementar e sintonizar o currículo pedagógico em
vigência; a ampliar os horizontes do conhecimento e de sua
prática para além da aula; a favorecer o relacionamento entre
grupos e a convivência com as diferenças sociais; a favorecer
a tomada de iniciativa dos alunos e a propiciar a inter e
transdisciplinaridade no currículo, dentro e entre os
semestres.
CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas, 3ed, São
Paulo: Campus, 2008.
LACOMBE, F.J.M. Recursos Humanos: princípios e
tendências. São Paulo: Saraiva, 2005.

Bibliografia
Básica
GITMAN, Laurence J. Princípios de Administração
Financeira. São Paulo : Pearson Education, 2005.
MARTINS; Sérgio Pinto Martins. Instituições de Direito
Público e Privado. 8ª edição, São Paulo: Editora Atlas, 2008.
MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria
Lakatos. Fundamentos da Metodologia Científica. São
Paulo: Atlas, 2009.
KOTLER, P. Administração de Marketing: Análise,
Planejamento, Implementação e Controle. São Paulo, SP
Pearson Education, 2009.
MATTAR, F. N. Pesquisa de Marketing. São Paulo: Atlas,
2009.
Bibliografia
Complementar
ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução a metodologia
do trabalho científico: elaboração de trabalhos na
graduação. São Paulo: Atlas, 2010.

5º Semestre
Disciplina Direito II
Conteúdo
(ementa)
A disciplina de Direito II enfoca aspectos do Direito Privado no
que diz respeito à atuação do profissional de Administração
de Empresas. Inicia pelo estudo dos aspectos básicos da
teoria dos negócios jurídicos, tratam de temas relacionados ao

42

chamado Direito de Empresa, notadamente da atividade
empresarial, sociedades, títulos de crédito, falência e
recuperação de empresa. A disciplina contempla, ainda, o
estudo de aspectos da atividade empresarial e as relações de
consumo e, por fim, sobre temas acerca das relações de
emprego, dentre eles contrato de trabalho, direitos sociais,
direitos coletivos do trabalho e meio ambiente do trabalho.
REIS, Henrique Marcello dos REIS; PASCONDOS, Claudia
Nunes. Direito para administradores. Volumes I e II. São
Paulo: Editora Pioneira; Thomson Learning, 2003.
MILARÉ, Edis; FUHRERM Maximilianus Cláudio Américo.
Manual de direito público e privado. 9. ed. São Paulo:
Editora Revista dos Tribunais, 1996.

Bibliografia
Básica
MARTINS; Sérgio Pinto Martins. Instituições de direito
público e privado. 8. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2008.
COELHO, Fábio Ulhoa. Manual de direito comercial. 16. ed.
São Paulo: Saraiva, 2005.
ROSA, Marcio Fernando Elias. Direito administrativo:
sinopses jurídicas. 11. ed.São Paulo: Saraiva, 2010.
PAULO, Vicente; ALEXANDRINO, Marcelo. Método: direito
administrativo descomplicado, Série Jurídica. 18. ed. 2010.
GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil: parte geral.
Vol.1.17.ed.São Paulo: Saraiva, 2010.
Bibliografia
Complementar
ALEXANDRE, Ricardo. Direito tributário. 4. ed. São Paulo:
Método, 2010.

5º Semestre
Disciplina Metodologia Científica em Gestão
Conteúdo
(ementa)
A disciplina Metodologia Científica, resgata a iniciativa
pedagógica do educando, visa estruturar a habilidade e a
competência da prática produtiva acadêmica, através da
ordenação lógica do raciocínio, fundadas nas normas
científicas. Desenvolver o processo e compreensão dos
pressupostos teóricos da investigação científica, possibilitar a
escolha e a formação do tema de pesquisa. Distinção entre
tipos de pesquisa científica. Planejamento do trabalho de
investigação, e coleta de informações. Uso das informações
bibliográficas. Uso das informações estatísticas. Manuseio de
dados. Redação e divulgação. Projeto de pesquisa
experimental e não experimental. Relatório de pesquisa
baseado nas normas da ABNT. Pesquisa qualitativa e
quantitativa. Desenvolver percepção crítica por meio da
análise e compreensão de textos de variadas naturezas a fim
de tornar-se leitor e produtor de trabalhos científicos.

43

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria
Lakatos. Fundamentos da metodologia científica. São
Paulo: Atlas, 2009.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa.
São Paulo: Atlas, 2008.

Bibliografia
Básica
SEVERINO, Antonio J. Metodologia do Trabalho Científico.
23. ed. São Paulo: Cortez, 2010.
ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução a metodologia
do trabalho científico: elaboração de trabalhos na
graduação. São Paulo: Atlas, 2010.
LAKATOS, Eva. Marconi Maria de Andrade. Metodologia
cientifica: 5. ed. São Paulo: Atlas, 2007.
SAMPIERI, Roberto Hernández. Metodologia da pesquisa:
3. ed.São Paulo:Mcgraw-hill Interamericana, 2009.
SILVA, Antonio Carlos Ribeiro da. Metodologia da pesquisa
aplicada à contabilidade. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
Bibliografia
Complementar
RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa
cientifica. Petrópolis: Vozes, 2008.

5º Semestre
Disciplina Pesquisa de Mercado
Conteúdo
(ementa)
Esta disciplina visa aprofundar conhecimentos específicos nos
seguintes temas: conceitos e componentes de um sistema de
informação; problemas e objetivos da pesquisa de marketing;
tipos de pesquisa; fontes de dados primários e secundários;
abordagens de pesquisa; instrumentos de pesquisa; planos de
amostragem; coleta e análise dos dados; apresentação dos
resultados; características de uma boa pesquisa de marketing;
o uso da pesquisa de marketing pela administração; planos de
amostragem; métodos de amostragem probabilística e não
probabilística; grupos de foco; teste de mercado e projetos
experimentais.
MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação
aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2001.
AAKER, D. A. Pesquisa de marketing. São Paulo: Atlas,
2004.

Bibliografia
Básica
SAMARA, B. S. Pesquisa de marketing: conceitos e
metodologia. São Paulo: Prentice Hall, 2004.
KOTLER, P. Administração de marketing: análise,
planejamento, Implementação e controle. São Paulo:
Pearson Education, 2009.
PINHEIRO, Roberto Meireles; CASTRO, Guilherme Caldas
de; SILVA, Helder Haddad; NUNES, José Mauro Gonçalves.
Comportamento do consumidor e pesquisa de mercado:
série marketing. São Paulo: FGV, 2008.
Bibliografia
Complementar
HAGUE, Paul. Faça sua própria pesquisa de mercado. São
Paulo: Atlas, 2010.

44

RUTTER, Marina. Pesquisa de mercado. São Paulo: Ática,
2009
MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing. São Paulo: Atlas,
2009.

6º Semestre
Disciplina Ações Mercadológicas
Conteúdo
(ementa)
A disciplina apresenta as estratégias mercadológicas
aplicadas à gestão de produtos/serviços e desenvolvimento e
lançamento de novos produtos/serviços. Aborda as
estratégias de posicionamento e manutenção desse
posicionamento nos mercados-alvo. São definidos os vários
níveis de abrangência do conceito de produto, e os conceitos
de linhas e mix de produtos. Abordam-se a construção de
marca, o uso da pesquisa de marketing, o desenho físico dos
produtos ou dos processos em serviços, o emprego dos
instrumentos de divulgação e a elaboração do plano de
marketing para o produto consolidando esses processos.
Identificar a segmentação de mercado como ferramenta de
posicionamento competitivo, como estratégia de atuação
mercadológica, abordando a mensuração de mercados
consumidores e industriais, bem como análise da demanda e
mensuração de oferta.
KOTLER, P. Administração de marketing: análise,
planejamento, implementação e controle. São Paulo: Atlas,
2008.
LÃS CASAS, Alexandre. Marketing de varejo. 3 ed. São
Paulo: Atlas, 2009.

Bibliografia
Básica
COBRA, M. Administração de marketing no Brasil. São
Paulo: Atlas, 2003.
KOTLER, Philip. Marketing: como criar, conquistar e dominar
mercados. 11. ed. São Paulo : Futura, 2002.
VAZ, Conrado Adolpho. Google marketing: o guia definitivo
de marketing digital. 3 ed. São Paulo: Novatec, 2009.
AJZENTAL, Alberto. História do pensamento em marketing:
Evolução e Perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2010.
OUTROS; SILVA, Helton Haddad. Planejamento estratégico
de marketing: série marketing. São Paulo: FGV, 2009.
Bibliografia
Complementar
GRACIOSO, Francisco. Marketing estratégico: planejamento
estratégico orientado para o mercado. 6. ed. São Paulo: Atlas,
2005.

6º Semestre
Disciplina Atividades Complementares II
Conteúdo Apresentar e acompanhar as práticas acadêmicas apresentadas

45

(ementa) sob múltiplos formatos que visam a complementar e sintonizar o
currículo pedagógico em vigência; a ampliar os horizontes do
conhecimento e de sua prática para além da aula; a favorecer o
relacionamento entre grupos e a convivência com as diferenças
sociais; a favorecer a tomada de iniciativa dos alunos e a propiciar
a inter e transdisciplinaridade no currículo, dentro e entre os
semestres.
MARTINS; Sérgio Pinto Martins. Instituições de Direito Público
e Privado. 8ª edição, São Paulo: Editora Atlas, 2008.
MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria Lakatos.
Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: Atlas,
2009.

Bibliografia
Básica
KOTLER, P. Administração de Marketing: Análise,
Planejamento, Implementação e Controle. São Paulo, SP Pearson
Education, 2009.
MATTAR, F. N. Pesquisa de Marketing. São Paulo: Atlas, 2009.
ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução a metodologia do
trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação.
São Paulo: Atlas, 2010.
MARTINS; Sérgio Pinto Martins. Instituições de Direito Público
e Privado. 8ª edição, São Paulo: Editora Atlas, 2008.
MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria Lakatos.
Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: Atlas,
2009.
Bibliografia
Complementar
KOTLER, P. Administração de Marketing: Análise,
Planejamento, Implementação e Controle. São Paulo, SP
Pearson Education, 2009.

6º Semestre
Disciplina Empreendedorismo
Conteúdo
(ementa)
Formação de administradores, profissionais, lideres e
empreendedores, situando- o no contexto de globalização,
nas relações homem e empresa, refletindo conceitos
inovadores, generalistas, em suas mais diversas áreas de
atuação e aplicabilidade.
CASAROTO, Filho, N. Elaboração de projetos
empresariais: análise estratégica, estudo de viabilidade e
plano de negócio. São Paulo: Atlas, 2009.
DRUCKER, Peter F. Inovação e espírito empreendedor
(entrepreneurship): prática e princípios São Paulo: Pioneira
Thomson Learning, 2003.

Bibliografia
Básica
DORNELLAS, J.C. A. Empreendedorismo: Transformando
idéias em negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2008.
HASHIMOTO, Marcos. Espírito empreendedor nas
organizações. São Paulo: Saraiva, 2006.
Bibliografia
Complementar
DORNELAS, Jose Carlos Assis. Empreendedorismo:
transformando idéias em negócios: São Paulo: Campus, 2009.

46

CHIAVENATO, Idalberto. Empreendedorismo: dando asas
ao espírito empreendedor. 3. ed. São Paulo. Saraiva, 2010.
SABBAG, Paulo Yazigi. Gerenciamento de projetos e
empreendedorismo: São Paulo: Saraiva, 2007.
DOLABELA F. O segredo de Luísa: uma idéia, uma paixão e
um plano de negócios: como nasce o empreendedor e se cria
uma empresa. Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

6º Semestre
Disciplina Filosofia e Ética
Conteúdo
(ementa)
A disciplina de Filosofia e Ética busca uma reflexão acerca da
natureza e objeto de estudos filosóficos e éticos relacionados
à Ciência da Administração. Fundamenta o suporte básico da
organização, direção, controle e planejamento na realização
de ações reflexivas.
Na História da Filosofia vinculada à Teoria da Administração
enfatiza a questão do conhecimento, da reflexão cognitiva, e
da epistemologia a partir de temas e casos éticos.
Os Pré-Socráticos, Sócrates, Platão, Aristóteles, Filosofia
Medieval, Filosofia Moderna, Filosofia Contemporânea. Ética
e Responsabilidade Social, Valores Morais, Código de Ética
Empresarial, Código de Ética Profissional. Do Senso Comum
ao Conhecimento Científico.
MARCONDES, Danilo. Iniciação à história da filosofia. Rio
de Janeiro: Zahar, 2006.
MATTAR, João. Filosofia e ética na administração. São
Paulo: Saraiva 2007.

Bibliografia
Básica
ASHLEY, Adele Queiroz. Ética e responsabilidade social
nos negócios. São Paulo: Saraiva, 2008.
SROUR, Robert Henry. Ética empresarial : a gestão da
reputação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.
NETO, João Augusto Mattar. Filosofia e ética na
administração. 2. ed.São Paulo: 2008.
NALINI, Jose Renato. Filosofia e ética jurídica. São Paulo:
RT, 2010.
PIZZI, Jovino; Pires, Cecilia. Desafios éticos e políticos da
cidadania: Ensaios de ética e Filosofia II. São Paulo:
UNIJUI, 2010.
Bibliografia
Complementar
CHAUI, Marilena. Introdução à história da filosofia. São
Paulo: Cia das Letras, 2002.






47

6º Semestre
Disciplina Jogos de Empresas
Conteúdo
(ementa)
Criação de uma situação, apoiada em competências,
entender e trabalhar com os discentes durante o
desenvolvimento do projeto a idéia que a transdiciplinaridade
faz emergir do confronto das disciplinas e geram novos dados
que se articulam entre si e que oferecem uma nova visão da
natureza e da realidade.
DOHME, Vania. O valor educacional dos Jogos: dicas para
empresas e instituições de educação. São Paulo: Vozes,
2010.
JALOWITZKI, Marise. Jogos e técnicas vivenciais nas
empresas: Dinâmica de grupo. São Paulo: MADRAS, 2010.

Bibliografia
Básica
GOLDSTEIN, Mauricio; READ, Philip. Jogos políticos nas
empresas. São Paulo: Elsevier – Campus, 2010.
ROBERTO, Luperini. Dinâmicas e jogos na empresa:
instrumento e práticas de treinamento. São Paulo:
Vozes, 2010.
PAULO, Vicente. Jogos de empresas: São Paulo: MAKRON
BOOKS, 2010.
GRAMIGNA, Maria Rita. Jogos de empresas. 2. ed.
São Paulo. Pearson Educacion, 2007.
JALOWITZKI, Marise. Jogos e técnicas Vivenciais nas
Empresas. São Paulo: MADRAS, 2009.
Bibliografia
Complementar
GRAMIGNA, Maria Rita. Jogos de empresas e técnicas
Vivenciais. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2010.

6º Semestre
Disciplina Planejamento Estratégico
Conteúdo
(ementa)
Compreender e avaliar os impactos da globalização na
formulação do planejamento estratégico organizacional.
Assumir uma visão crítica da administração estratégica e sua
elaboração a partir das diversas escolas do pensamento
estratégico. Relacionar teoria e prática na aplicação do
conhecimento multidisciplinar no planejamento. Estar apto a
construir o processo da administração estratégica: análise do
ambiente, estabelecimento da diretriz organizacional,
formulação estratégica, implementação de estratégias,
controle e avaliação estratégica.
HAMEL, Gary. Competindo pelo futuro: estratégia inovadora
para obter o controle. Rio de Janeiro: Campus, 2004.
PORTER, Michael E. Estratégia competitiva. Rio de Janeiro:
Campus, 2004

Bibliografia
Básica
OLIVEIRA, Djalma P. R. Planejamento estratégico:
conceitos, metodologia e práticas. São Paulo: Atlas, 2008

48

DRUCKER, P. Administrando em tempos de grandes
mudanças. São Paulo: Pioneira, 2006
BORN, Roger. Desvendando o planejamento estratégico.
São Paulo: SULINA, 2010.
PEREIRA, Maurício Fernandes. Planejamento estratégico:
teorias, modelos e processos. São Paulo: Atlas, 2010.
ALMEIDA, Martinho Isnard R. Manual de planejamento
estratégico. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
Bibliografia
Complementar
MELLO, José Carlos M. F. Negociação baseada em
estratégia. São Paulo: Atlas, 2003.

7º Semestre
Disciplina Administração de Sistemas de Informação
Conteúdo
(ementa)
Analisar os impactos da aplicação da Tecnologia da
Informação nos processos organizacionais, os processos de
desenvolvimento e aquisição de Sistemas de Informação, os
fenômenos dos sistemas integrados e o alinhamento entre o
Planejamento Estratégico e o Planejamento Estratégico de
T.I.
CORTES, P. L. Administração de Sistemas de Informação.
1. ed. São Paulo: Saraiva, 2008.
O.BRIEN, James. Administração dos sistemas de
informação: uma introdução. 13. ed. São Paulo: McGraw-
Hill, 2007.

Bibliografia
Básica
OLIVEIRA, D.P.R. Sistemas de informações gerenciais:
estratégicas, táticas e operacionais. 12. ed. São Paulo:
Atlas, 2008.
ROSINI, A.M. Administração de sistemas de informação e
a gestão do conhecimento. São Paulo: Pioneira Thomson
Learning, 2006.
MELO, Ivo Soares. Administração de Sistemas de
Informação. São Paulo: Thomson Pioneira, 2009.
SILVA, Aridio; RIBEIRO, J. Araujo; RODRIGUES, Luis.
Sistemas de informação na administração pública. Rio de
Janeiro: Revan,2008.
MEIRELES, Manuel; SORDI, Jose Osvaldo de
Administração de sistemas de informação: uma
abordagem interativa. São Paulo: Saraiva, 2009
Complementar
STAIR, R.M. e REYNOLDS, G.W. Princípios de sistemas de
informação: uma abordagem gerencial. 6. ed. Rio de Janeiro:
Cengage Learning, 2006.




49

7º Semestre
Disciplina Auditoria Operacional
Conteúdo
(ementa)
A auditoria operacional é uma técnica ou atividade nova que
presta consultoria ao staf de uma organização, estabelecendo
as recomendações necessárias para melhorar o processo de
tomada de decisões. Procuram avaliar, baseada nos critérios
ou parâmetros de eficiência, eficácia e economia, o processo
de tomada de decisões e seu efeito para atingir as metas e
objetivos da organização. Em resumo, a Auditoria operacional
pretende avaliar os resultados obtidos pela gestão no que
tange a eficiência, eficácia e economia na consecução dos
objetivos planejados
GIL, Antonio de Loureiro. Auditoria operacional e de gestão
5. ed. São Paulo: Atlas, 2002
ARAUJO, Inaldo da Paixão, Introdução a auditoria
operacional. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2004

Bibliografia
Básica
ATTIE, Willian. Auditoria conceitos e aplicações, 2. Ed. São
Paulo: Atlas, 1995.
ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti. Auditoria: um curso moderno
e completo. 6. Ed. São Paulo: Saraiva, 2003.
SOUZA, Benedito Felipe de; PEREIRA, Anisio Candido.
Auditoria contábil: abordagem pratica e operacional. São
Paulo: Atlas, 2008
Bibliografia
Complementar
CREPALDI, Silvio Aparecido. Auditoria contábil: teoria e
prática. 5. ed, São Paulo: Atlas, 2009.

7º Semestre
Disciplina Critérios de Custeio e Formação do Preço
Conteúdo
(ementa)
Desenvolver no discente a visão da determinação dos custos
dos produtos e serviços, além dos esforços para reduzi-los.
Conhecer as alternativas estratégicas para fixação de preços
para novos produtos e serviços. Planejar e implementar as
estratégias de adequação de preço (descontos, abatimentos,
etc.). Identificar as políticas de preços resultantes de custos,
de segmentação, de perfis baseados no consumidor, de
promoções, de percepção de valor, de variáveis geográficas
locais e internacionais. Utilização de critérios para tomada de
decisão empresarial para tornar a empresa mais competitiva.
MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 9. ed. São
Paulo: Atlas, 2008
MEGLIORINI, Evandir. Custos. São Paulo: Makron Books,
2005

Bibliografia
Básica
LEONE, George S. G. Curso de contabilidade de custos.
2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.
Bibliografia DUTRA, René Gomes. Custos Uma abordagem prática. 5.
Ed. São Paulo: Atlas, 2001.

50

MARTINS, Eliseu; ROCHA, Welington. Métodos de custeio
comparados: custos e margens analisados sob diferentes
perspectivas. São Paulo:atlas,2007.
CARNEIRO, Daniel Zanetti Marques. Custeio da seguridade
social: aspectos constitucionais e contribuições
especificas.São Paulo:Atlas,2002.
KAPLAN, Robert; ANDERSON, Steven. Custeio baseado em
atividades e tempo: Rio de Janeiro:Campus,2008.
Complementar
NAKAGAWA, Massayuki. ABC: custeio baseado em
atividades. 12. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

7º Semestre
Disciplina Economia Brasileira e Internacional
Conteúdo
(ementa)
A abordagem central desta disciplina pretende fornecer ao
aluno uma visão crítico analítico do cenário econômico global.
Destacando as interações da economia brasileira como
mercado emergente e outras economias mundiais.
FRIDMAN, Silvia. Barreiras não tarifarias e barreiras
técnicas às exportações brasileiras de medicamentos
para os países da ALADI. São Paulo: Febrafarma, 2008.
DRUCKER, Peter F. As novas realidades: no governo e na
política, na economia e nas empresas, na sociedade e na
visão do mundo. São Paulo: Pioneira, 2003.

Bibliografia
Básica
MARCOVICH, Jaques. Cooperação internacional e
estratégia e gestão. São Paulo: Editora da Universidade de
São Paulo, 1994.
LACERDA, Antônio Corrêa [et al.].Economia brasileira. 3ª
Ed. São Paulo: Saraiva, 2008.
MARQUES, Rosa Maria; FERREIRA Mariana Ribeiro Jansen.
O Brasil sob a nova ordem: a economia contemporânea.
São Paulo, 2007
GIAMBIAGi, Fabio; CASTRO, Lavinia Barros de.Economia
brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Campus, 2008
Bibliografia
Complementar
LANZANA, Antonio Evaristo Teixeira. Economia brasileira:
fundamentos e atualidade. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 2009.


7º Semestre
Disciplina Estágio Supervisionado em Administração I
Conteúdo
(ementa)
A Disciplina Estágio Supervisionado, enquanto disciplina
concatenadora de habilidades e competências, pressupõe o
domínio pelo aluno daquelas, auferidas ao longo do curso, ou
seja as pertinentes à Administração Geral.
A disciplina procura enfatizar e estimular as ações de

51

operações mentais de caráter cognitivo, que associadas ao
conhecimento e experiências geram Habilidades do SABER –
FAZER, em situações organizacionais que envolvem a
administração geral de qualquer organização, via orientação -
acompanhamento individual
MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria
Lakatos. Fundamentos da Metodologia Científica. São
Paulo: Atlas, 2009.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa São
Paulo : Atlas, 2008

Bibliografia
Básica
SEVERINO, Antonio J. Metodologia do Trabalho Científico.
23ed., São Paulo: Cortez, 2010.
OLIVEIRA, Djalma P. R. Planejamento Estratégico:
conceitos, metodologia e práticas. São Paulo: Atlas, 2008
LANZANA, Antonio Evaristo Teixeira. Economia brasileira:
fundamentos e atualidade. 3ª ed.,São Paulo: Atlas, 2009.
OLIVEIRA, D.P.R. Sistemas de informações gerenciais:
estratégicas, táticas e operacionais. 12ª Ed., São Paulo:
Atlas, 2008.
SALIM, C.S. [et al.], Construindo planos de negócios :
todos os passos necessários para planejar e desenvolver
negócios de sucesso, 3 ed. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier,
2005.
Bibliografia
Complementar
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças, Sistemas,
organização e métodos, uma abordagem gerencial, 2008.

7º Semestre
Disciplina Plano de Negócios
Conteúdo
(ementa)
O plano de negócios mostra na pratica a viabilidade ou não do
projeto.
O a aluno coloca em pratica um planejamento geral para o
início do negócio, a analisa, o estrutura, expõe suas principais
idéias, as opções existentes para o empreendedor e a
avaliação para a decisão de viabilidade de uma empresa.
Existe uma exigência do plano de negócio em praticamente
todas as operações de crédito de médio a grande porte e na
busca de grandes financiamentos e parcerias.
HINGSTON, Peter. Como abrir e administrar seu próprio
negócio. São Paulo: PubliFolha, 2001.
DOLABELA F. O segredo de Luísa: uma idéia, uma paixão e
um plano de negócios. Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

Bibliografia
Básica
SALIM, C.S. [et al.], Construindo planos de negócios: todos
os passos necessários para planejar e desenvolver negócios
de sucesso. 3 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

52

CASAROTO FILHO, N. Elaboração de projetos
empresariais, análise estratégica, estudo de viabilidade e
plano de negócio. São Paulo: Atlas, 2009.
DORNELAS, Jose Carlos Assis; ZACHARAKIS, Andrew;
TIMMONS, Jeffry A. Planos de negocio que dão certo. Rio
de janeiro: Campus, 2006.
CARVALHO, Zenaide. Como abrir sua empresa: da idéia ao
lucro. Santa Catarina: 2007
Bibliografia
Complementar
CECCONELLO, Antonio Renato; AJZENTAL, Alberto. A
Construção do plano de negócio. São Paulo: Saraiva 2007.
.
8º Semestre
Disciplina
Consultoria Empresarial
Conteúdo
(ementa)
Desenvolver projetos de Consultoria, elaborar e
aprimorar estratégias e práticas como forma de gerar
vantagem competitiva e ampliar a rentabilidade dos negócios
de seus clientes. Mostrar aos docentes práticas voltadas a
resultados, gerar melhoria contínua, mensurada pelo alcançar
dos objetivos empresariais.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Sistemas,
organização e métodos: uma abordagem gerencial. São
Paulo: Atlas, 2008.
PARREIRA, Francisco Eduardo. Consultores e clientes. São
Paulo: Érica, 1997.

Bibliografia
Básica
ARAUJO, Giovanni Moraes. Elementos do sistema de
gestão de segurança, meio ambiente e saúde ocupacional
SMS: porque as coisas continuam dando errado?. Rio de
Janeiro: Gerenciamento Verde Consultoria, 2004.
DRUCKER, Peter Ferdinand. A administração na próxima
sociedade. São Paulo: Nobel, 2002.
OLIVEIRA, Djalma de P. R. De. Manual de consultoria
empresarial. 9.ed.São Paulo: Saraiva,2010
GUTTMANN, Erik; CROCCO, Luciano. Consultoria
empresarial. 2. Ed. São Paulo: Saraiva, 2010.
BERTI, Anelio. Manual prático de consultoria:diagnostico e
analise empresarial. Curitiba: Juruá, 2009.
Bibliografia
Complementar
SEBRAE. Comece certo. 2. ed, São Paulo: SEBRAE, 2005.





53

8º Semestre
Disciplina Estágio Supervisionado em Administração II
Conteúdo
(ementa)
A Disciplina Estágio Supervisionado, enquanto disciplina
concatenadora de habilidades e competências, pressupõe o
domínio pelo aluno daquelas, auferidas ao longo do curso, ou
seja, as pertinentes à Administração Geral.
A disciplina procura enfatizar e estimular as ações de
operações mentais de caráter cognitivo, que associadas ao
conhecimento e experiências geram Habilidades do SABER –
FAZER, em situações organizacionais que envolvem a
administração geral de qualquer organização, via orientação -
acompanhamento individual.
MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria
Lakatos. Fundamentos da Metodologia Científica. São
Paulo: Atlas, 2009.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa
São Paulo : Atlas, 2008

Bibliografia
Básica
SEVERINO, Antonio J. Metodologia do Trabalho Científico.
23ed., São Paulo: Cortez, 2010.
OLIVEIRA, Djalma P. R. Planejamento Estratégico:
conceitos, metodologia e práticas. São Paulo: Atlas, 2008
LANZANA, Antonio Evaristo Teixeira. Economia brasileira:
fundamentos e atualidade. 3ª ed.,São Paulo: Atlas, 2009.
OLIVEIRA, D.P.R. Sistemas de informações gerenciais:
estratégicas, táticas e operacionais. 12ª Ed., São Paulo:
Atlas, 2008.
SALIM, C.S. [et al.], Construindo planos de negócios :
todos os passos necessários para planejar e desenvolver
negócios de sucesso, 3 ed. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier,
2005.
Bibliografia
Complementar
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças, Sistemas,
organização e métodos, uma abordagem gerencial, 2008.

8º Semestre
Disciplina Gestão Ambiental e da Qualidade
Conteúdo
(ementa)
Instrumentos de gestão e suas implementações. Base legal e
institucional para a gestão ambiental. Crescimento econômico
e políticas de recursos ambientais. Aplicações de
instrumentos econômicos. Valoração ambiental nos estudos
de alternativas e de viabilidade. Sistemas de gestão ambiental
e suas alternativas.
Empresas e meio-ambiente. Eliminação de desperdícios.
Incentivos nacionais e internacionais para gestão ambiental.
Tendências na gestão ambiental. Introdução ao Sistema de
Gestão Ambiental (SGA) - Série ISO 14000/04. Planejamento

54

do processo de implantação de SGA.
Metodologia para Tecnologias Limpas. Minimização de
resíduos e competitividade. Propostas de sistematização.
Análise de ciclo de vida (ACV). Novos conceitos de tecnologia
limpa. Síntese de Processos Limpos.
HARRINGTON, H. James. A Implementação da ISO 14000:
Como atualizar o SGA com eficácia. São Paulo: Atlas, 2001.
Bibliografia
Básica
ASSOCIAÇÃO BRASILIERA DE NORMAS TÉCNICAS, NBR
Normas ISO 14001. Sistema de gestão ambiental: requisitos
com orientação para uso. Rio de Janeiro: Associação
Brasileira de Normas Técnicas, 1996
ASSOCIAÇÃO BRASILIERA DE NORMAS TÉCNICAS, NBR
Normas ISO 14004. Sistema de gestão ambiental: diretrizes
gerais sobre princípios sistemas e técnicas de apoio. Rio de
Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas, 1996.
MOURA. Luiz Antonio Abdala.Qualidade e gestão
ambiental.5 ed.São Paulo: Juarez de Oliveira.2008.
BARBIERI, José Carlos. Gestão ambiental empresarial:
conceitos modelos e instrumentos.2.ed.São Paulo:
Saraiva,2007.
PHILIPPI Jr., Arlindo; ROMÉRO, Marcelo de Andrade;
BRUNA, Gilda Collet. Curso de gestão ambiental . Barueri:
MANOLE, 2004.
Bibliografia
Complementar
ASSOCIAÇÃO BRASILIERA DE NORMAS TÉCNICAS, NBR
Normas ISO 14040. Gestão ambiental: avaliação do ciclo de
vida: princípios e estruturas. Rio de Janeiro: Associação
Brasileira de Normas Técnicas, 1996

8º Semestre
Disciplina Gestão e Sociedade
Conteúdo
(ementa)
A Sociologia como ciência. Conceitos Sociológicos fundamentais.
Organização do trabalho. Sociologia Sistêmica, Descritiva,
Comparada, Diferencial, Aplicada Geral e Teórica. Métodos e
Técnicas da Sociologia. História da Sociologia. Objeto da
Sociologia. Processos Sociais, Status e Papel. Grupos Sociais,
Cultura e Sociedade. Estrutura e Organização Social, Instituições
Sociais e Mudança Social. Globalização e Neoliberalismo,
Movimentos Sociais, Etnias: abordagem antropológica histórica.
Diversidade e a questão das minorias. A participação do
afrodescendente no desenvolvimento brasileiro.
VILA NOVA, Sebastião. introdução à sociologia: São Paulo: Atlas,
2004.
WEFFORT, Francisco. (Org.) Os Clássicos da política: Vol. 1 e 2, São
Paulo: Ática, 1989.

Bibliografia
Básica
OLIVEIRA, Silvio. Sociologia das organizações: São Paulo: Pioneira,
1999.

55

ASHLEY, Patrícia Almeida Ética e responsabilidade social nos
negócios: São Paulo: Saraiva, 2003.
CAVALCANTI, Marcos. Gestão de empresas na sociedade do
conhecimento: Rio de Janeiro: Campus, , 2001.
POLIZELLI, Demerval L.; OZAKI ADALTON, M.
Sociedade da Informação: os desafios da era da colaboração e
da gestão do conhecimento. São Paulo: Saraiva 2007.
DIAS, Jean Carlos. Gestão das sociedades anônimas:aspectos
jurídicos da responsabilidade dos administradores
.Curitiba:Juruá,2008.
Bibliografia
Complementar
JÚNIOR, Vilson Caetano de Souza. (org) Uma Dívida, muitas
dívidas: Os afro-brasileiros querem receber. São Paulo:
Atabaque, 1998.

8º Semestre
Disciplina Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS)
Conteúdo
(ementa)
Aspectos historicos da surdez e da modalidade gestual-visual
de fala. Abordagens Educacionais: Oralismo, bilingüismo e
LIBRAS. Alfabeto manual e datilografia. Configurações de
mãos e Orientação viso - espacial com sinais relacionados a
atividades de vida diária permitindo um espaço de interações
vinculares entre surdos e ouvintes.
QUADROS, R.M.Educação de Surdos: a aquisição da
linguagem . Porto Alegre: Artmed, 2008.
SOUZA, Regina Maria de. Que palavra que te falta?
lingüística e educação: considerações epistemológicas a
partir da surdez, São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Bibliografia
Básica
STROBEL, K As Imagens do outro sobre a cultura surda.
Florianopolis : UFSC, 2008
SALLES (org). Bilinguismo e Surdez : questões Linguisticas e
educacionais.Goiania : Canone Editorial, 2007
SKLIAR, C. Atualidade da educação bilíngue para surdos
processos e projetos pedagógicos: interfaces entre
pedagogia e linguística. 3 ed. Porto Alegre: Mediação, 2009..
CHEVRIE,M A linguagem da criança : aspectos normais e
patológicos Porto Alegre, RS : Artmed, 2005
HAGUIARA-C,N. A musicalidade do surdo.São
Paulo,Plexus,2003
Bibliografia
Complementar
SÁ,N,R,L.Cultura ,Poder e Educação de Surdos Manaus :
EDUA:COMPED:INEP, 2002


8º Semestre
Disciplina Tecnologia da Informação e suas Ferramentas

56

Conteúdo
(ementa)
Estudar os modelos de gestão da Informação e a evolução do
conhecimento humano a partir da informação, abordando
fundamentos da Gestão do Conhecimento. Apresentar uma
visão geral dos Sistemas Analíticos: MIS, DSS, EIS e o
modelo contemporâneo legitimado como B.I (Business
Intelligence), com suas tecnologias e métodos, como: Data
Warehouse, Data Mart, Ferramentas de ETL (Extração
Transformação e Carga), Ferramentas OLAP e Modelos de
Dados Multidimensionais. Confrontar conceitos de Sistemas
Gerenciais versus teorias da decisão e metodologias como o
BSC – Balanced Scorecard.
LAUDON, K. C.; LAUDON, J.P. Sistemas de Informações
Gerenciais. 3.ed.São Paulo: Pearson – Prentice Hall, 2007.
TURBAN; et al. Business intelligence : um enfoque gerencial
para a inteligência do negócio. Porto Alegre: Artmed, 2009.

Bibliografia
Básica
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Sistemas de
informações gerenciais.:12. ed.. São Paulo: Editora Atlas,
2008.
CRUZ. Tadeu. Sistemas de informações gerenciais:
tecnologias da informação e a empresa do século:
XXI. São Paulo: Atlas, 2009.
KENSKi, Vani Moreira. Educação e tecnologias: O Novo
Ritmo da Informação. Campinas: Papirus, 2007.
ALBERTIN, Rosa Maria de Moura; ALBERTIN, Alberto Luiz.
Estratégias de governança de tecnologia de informação:
Rio de Janeiro: Campus, 2008.
BATISTA, Emerson de O. Sistemas de Informação: O Uso
Consciente da Tecnologia para o Gerenciamento. São Paulo:
Saraiva, 2009.
Bibliografia
Complementar
WEILL, Peter; ROSS, Jeanne W. Governança de TI .
tecnologia da Informação: São Paulo: M. Books, 2009

8º Semestre
Disciplina Tópicos Avançados em Administração
Conteúdo
(ementa)
Esta disciplina tem como meta a elaboração de um artigo
levando em consideração as novas técnicas de
gerenciamento de organismos empresariais em todas as suas
ramificações.
MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria
Lakatos. Fundamentos da Metodologia Científica. São
Paulo: Atlas, 2009.
LAUDON, K. C.; LAUDON, J.P. Sistemas de Informações
Gerencial, Pearson – Prentice Hall, São Paulo, 2007.

Bibliografia
Básica
ASHLEY, Patrícia Almeida Ética e Responsabilidade Social nos
Negócios. São Paulo: Saraiva, 2003.
Bibliografia OLIVEIRA, Djalma P. R. Planejamento Estratégico:
conceitos, metodologia e práticas. São Paulo: Atlas, 2008

57

SALIM, C.S. [et al.], Construindo planos de negócios :
todos os passos necessários para planejar e desenvolver
negócios de sucesso, 3 ed. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier,
2005.
CASAROTO FILHO, N. Elaboração de projetos
empresariais, análise estratégica, estudo de viabilidade e
plano de negócio. São Paulo: Atlas, 2009.
HAMEL, Gary. Competindo pelo futuro: estratégia
inovadora para obter o controle. Rio de Janeiro: Campus,
2004
Complementar
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças, Sistemas,
organização e métodos, uma abordagem gerencial, 2008.


3.7 Coerência do currículo com os objetivos do curso
O curso oferece, em todos os seus semestres, disciplinas com conteúdos
básicos articuladores, oriundos dos eixos que o norteiam, de forma a construir um
currículo essencial a formação de um cidadão compromissado com a realidade.
O currículo procura desta forma atender aos quesitos da empregabilidade,
preconizada em nosso PDI, da formação humanística e sólida formação em
disciplinas técnicas para a construção do profissional propriamente dito.
Todas articuladas de tal sorte a que se possa obter o continuo dialogo entre a
prática e o seu embasamento teórico.

58


Distribuição de Acordo com as Diretrizes Curriculares
MATÉRIAS DISCIPLINAS HORAS/aula
Formação básica
Comunicação em Gestão
Matemática Básica
Informática Aplicada a Gestão
240
Formação Profissional
Contabilidade I
Economia
Introdução à Administração
Contabilidade II
Matemática Financeira
Microeconomia
Teoria Geral da Administração
Administração de Materiais e Logística
Estatística
Gestão de Custos
Marketing
Organização, Sistemas e Métodos
Administração Financeira e Orçamentária I
Direito I
Elaboração e Análise de Projetos
Gestão de Produção e Operações
Psicologia e Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos
Administração Financeira e Orçamentária II
Atividades Complementares I
Direito II
Metodologia Científica em Gestão
Pesquisa de Mercado
Ações Mercadológicas
Atividades Complementares II
Empreendedorismo
Filosofia e Ética Profissional
Jogos de Empresas
Planejamento Estratégico
Administração de Sistemas da Informação
Auditoria Operacional
Critérios de Custeio e Formação do Preço
Economia Brasileira e Internacional
Estagio Supervisionado em Administração
Plano de Negócios
Consultoria Empresarial
Estagio Supervisionado em Administração II
Gestão Ambiental e da Qualidade
Gestão e Sociedade
Tecnologia da Informação e suas
Ferramentas
Tópicos Avançados em Administração
3360
Formação Opcional

Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS)

60


59

3.8 Inter-relação das disciplinas na concepção e execução do currículo

Quadro comparativo Objetivos Gerais x Disciplinas
Administração
Estimular o
desenvolvime
nto do espírito
científico e do
pensamento
reflexivo;
Formar
profissionais
aptos para sua
inserção em
diferentes
setores do
mercado de
trabalho,
preparados
para o
desenvolviment
o da sociedade
brasileira e
colaborar na
sua formação
contínua;
Incentivar a
pesquisa,
visando ao
desenvolviment
o da ciência e
da tecnologia e
da criação e
difusão da
cultura;
Estimular o
desejo de
atualização
permanente,
tendo em vista
que a formação
não se esgota
na graduação;
Prestar
serviços
especializados
à comunidade
e estabelecer
com esta uma
relação de
reciprocidade.
Comunicação em
Gestão
Contribui
Contabilidade.I Atende Atende
Economia Contribui Atende Contribui Atende
Introdução a
Administração
Contribui Atende Contribui Atende
Matemática
Básica
Atende
Contabilidade II Atende Atende
Informática
Aplicada a
Gestão
Contribui Atende Contribui
Matemática
Financeira
Atende
Microeconomia Contribui Atende Contribui Atende
Teoria Geral da
Administração
Contribui Atende Contribui Atende
Administração de
materiais e
logística
Contribui Atende Contribui
Estatística Atende Contribui Atende
Gestão de
Custos
Atende Atende
Marketing Contribui Contribui Atende Atende

60

Organização
Sistemas e
Métodos
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração
Financeira e
Orçamentária I
Atende Atende
Direito I Contribui
Elaboração e
analise de
projetos I
Atende Atende Contribui Contribui
Gestão de
Produção e
Operações
Atende Contribui Atende Contribui
Psicologia e
Gestão de
Pessoas
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração de
Recursos
Humanos
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração
Financeira e
Orçamentária II
Atende Atende
Atividades
complementares I
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Direito II Contribui
Metodologia
Cientifica em
Gestão
Atende Atende Atende Atende
Pesquisa de
mercado
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Ações
Mercadológicas
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Empreendedoris
mo
Atende Contribui Contribui
Atividades
complementares
II
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Filosofia e ética
profissional
Atende Atende Atende Atende
Jogos de
Empresa
Atende Atende Contribui Contribui
Planejamento
estratégico
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração de
sistemas de
Informação
Atende Atende Contribui Contribui Contribui
Auditoria
Operacional
Contribui Contribui Atende
Critérios de Atende Atende Contribui Contribui Contribui

61

custeio e
formação de
preço
Economia
Brasileira e
Internacional
Contribui Atende Contribui Atende
Estagio
Supervisionado
Em
Administração I
Atende Atende Atende Atende Atende
Plano de
Negócios
Atende Atende Contribui Contribui Contribui
Consultoria
Empresarial
Atende Atende Atende Contribui
Estagio
Supervisionado
em
Administração II
Atende Atende Atende Atende Atende
Gestão ambiental
e da qualidade
Contribui Contribui Atende Atende
Gestão e
Sociedade
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Tecnologia da
Informação e
suas
Ferramentas
Atende Atende Contribui Contribui Contribui
Tópicos
Avançados em
Administração
Atende Atende Atende Contribui

Quadro comparativo Objetivos Específicos x Disciplinas
Administração
Estimular o
desenvolvime
nto do espírito
científico e do
pensamento
reflexivo;
Formar
profissionais
aptos para sua
inserção em
diferentes
setores do
mercado de
trabalho,
preparados
para o
desenvolviment
o da sociedade
brasileira e
colaborar na
sua formação
contínua;
Promover uma
educação
formadora,
capaz de
mobilizar e
gerar atitudes,
valores e
saberes
próprios de um
espírito critico
e de uma vida
profissional
provedora de
responsabilida
des.

Estimular o
desejo de
atualização
permanente,
tendo em vista
que a formação
não se esgota
na graduação;
Fornecer
recursos para
promover
trabalhos
interdisciplinare
s,
possibilitando a
comunicação e
a articulação
entre as
diversas áreas
do
conhecimento..

62

Comunicação em
Gestão
Contribui
Contabilidade.I Atende Contribui Atende
IEconomia Contribui Atende Contribui Atende Atende
Introdução a
Administração
Contribui Atende Contribui Atende Atende
Matemática
Básica
Atende Contribui Contribui
Contabilidade II Atende Contribui Contribui Atende
Informática
Aplicada a
Gestão
Contribui Atende Atende Contribui
Matemática
Financeira
Atende Contribui Contribui
Microeconomia Contribui Atende Contribui Atende
Teoria Geral da
Administração
Contribui Atende Contribui Atende
Administração de
materiais e
logística
Contribui Atende Contribui
Estatística Atende Contribui Contribui Atende
Gestão de
Custos
Atende Atende
Marketing Contribui Contribui Contribui Atende Atende
Organização
Sistemas e
Métodos
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração
Financeira e
Orçamentária I
Atende Contribui Atende
Direito I Contribui Contribui Contribui
Elaboração e
analise de
projetos I
Atende Atende Contribui Contribui Atende
Gestão de
Produção e
Operações
Atende Contribui Atende Contribui
Psicologia e
Gestão de
Pessoas
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração de
Recursos
Humanos I
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração
Financeira e
Orçamentária II
Atende Contribui Atende
Atividades Atende Atende Contribui Atende Contribui

63

complementares I
Direito II Contribui Contribui Contribui
Metodologia
Cientifica em
Gestão
Atende Atende Atende Atende Atende
Pesquisa de
mercado
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Ações
Mercadológicas
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Empreendedoris
mo
Atende Contribui Atende Atende Contribui
Filosofia e ética
profissional
Atende Atende Atende Atende Atende
Jogos de
Empresa
Atende Atende Contribui Contribui Atende
Planejamento
estratégico
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Administração de
sistemas de
Informação
Atende Atende Contribui Contribui Contribui
Auditoria
Operacional
Atende Contribui Contribui Atende
Critérios de
custeio e
formação de
preço
Atende Atende Contribui Contribui Contribui
Economia
Brasileira e
Internacional
Contribui Atende Contribui Atende
Estagio
Supervisionado
Em
Administração
Atende Atende Atende Atende Atende
Plano de
Negócios
Atende Atende Contribui Contribui Contribui
Consultoria
Empresarial
Atende Atende Atende Contribui Contribui
Estagio
Supervisionado
em
Administração II
Atende Atende Atende Atende Atende
Gestão ambiental
e da qualidade
Contribui Contribui Contribui Atende Atende
Gestão e
Sociedade
Atende Atende Contribui Atende Contribui
Tecnologia da
Informação e
suas
Ferramentas
Atende Atende Contribui Contribui Contribui

64

Tópicos
Avançados em
Administração
Atende Atende Atende Contribui Atende

3.9 Recursos materiais específicos do curso e sua adequação com a proposta
curricular
O curso dispõe de recursos materiais específicos em quantidade e qualidade
adequada ao pleno funcionamento acadêmico. A Universidade dispõe de
laboratórios diversos, no caso especifico da Administração, laboratórios de
informática com equipamentos e Software apropriado ao fim precípuo. A Biblioteca
conta com espaços para estudos e para convivência; mobiliários, equipamentos e
instalações adequadas nas salas de aula. Dessa forma, há plena coerência e
compatibilidade dos recursos materiais para a realização da proposta pedagógica do
curso.
3.9.1 Laboratórios
A Universidade Guarulhos, Campus Centro dispõe, atualmente, de 15 laboratórios
de informática contando com um total de 400 máquinas que estão disponíveis para
todos os cursos. Destes laboratórios, 10 são utilizados preferencialmente para as
aulas do curso de Ciência da Computação.
Todos os laboratórios estão interligados em rede, onde são ministradas aulas de
Editores de texto, planilhas, banco de dados, linguagens de programação, internet,
softwares gráficos, entre outros. Dispõem-se também de leitores e gravadores de
cd´s e dvd´s em todos os laboratórios, bem como de projetores que são utilizados
conforme as necessidades dos professores e alunos.
3.9.2 Instalações específicas
A sala da direção do Curso de Graduação em Administração localiza-se no Prédio E
, 6º andar, na Unidade Centro de Guarulhos. Possui equipamentos próprios de
informática tais como computadores, impressora, sistema de telefonia, salas com
mobiliário adequado para os coordenadores e sala de atendimento aos alunos. Os
sistemas de dados estão interligados à internet além de sistema próprio da

65

Universidade possibilitando um fácil relacionamento com professores, alunos,
administração e atendimento à comunidade.

Os professores do curso compartilham na Unidade Centro/Shopping Light da mesma
sala dos professores dos demais cursos do campus, com microcomputadores novos
com acesso à internet e instalações adequadas ao atendimento das necessidades
docentes.

3.9.3 Equipamentos
Nos laboratórios de informática acima citados, está à disposição dos alunos e
professores do curso de Administração um equipamento moderno e constantemente
atualizado para satisfazer a necessidade de nosso aluno estudar em condições o
mais próximas possível do que encontrará em sua vida profissional. Para atingir
este fim, nossos laboratórios estão equipados com máquinas com máquinas
consideradas equipamento de ponta e que têm manutenção e atualização (software
e hardware) constante. Segue lista completa dos laboratórios no Anexo 01.

3.9.4 Materiais
Por se tratar de um curso de Administração de Empresas, o conjunto das disciplinas
ministradas não utiliza materiais específicos.
Procedimentos de avaliação dos processos de ensino e aprendizagem e sua O
sistema de avaliação do processo ensino e aprendizagem fundamentam-se numa
avaliação continuada.


3.10 Procedimentos de avaliação dos processos de ensino e aprendizagem

O sistema de avaliação do processo ensino e aprendizagem fundamentam-se numa
avaliação continuada.


66

• Sistema de avaliação contínua:

Por meio de duas notas bimestrais, B1 continuada e a B2 institucional em período
definido pelo calendário acadêmico. A nota B1 é o resultado de informações obtidas
de diferentes instrumentos, tais como: provas teóricas e práticas, seminários,
trabalhos individuais e/ou em grupo. Os alunos que por algum motivo se ausentem
da B2. o direito de requerer, junto à secretaria geral, prova substitutiva. Será
considerado aprovado o aluno que obtiver a média de aproveitamento semestral
igual ou superior a 7,0 (sete), desde que não ultrapasse o limite de 25% de faltas no
semestre letivo. O aluno que numa disciplina obtiver média semestral inferior a 4,0
(quatro), será reprovado nesta disciplina, independentemente do número de faltas.
Os alunos com média semestral entre 4,0 (quatro) e 6,5 (seis e meio) terão direito a
realizar Exame Final, no qual deverão obter, no mínimo, nota necessária para
obtenção de média final igual a 5,0 (cinco).

• Sistema de avaliação única:
Neste sistema, serão aplicados diferentes instrumentos de avaliação, respeitando as
características de cada disciplina cujos resultados serão apresentados por meio de
uma única nota semestral cuja média mínima, para efeito de aprovação é 7,0 (sete),
respeitados os percentuais de freqüência.

3.11 Atividades acadêmicas articuladas à formação do aluno
3.11.1 Prática profissional e/ou estágio supervisionado
O Estágio Supervisionado, requisito legal para obtenção do grau objeto do curso,
constitui-se dentro das atividades curriculares, em um campo privilegiado para o
exercício de prática profissional supervisionada e para a análise desta pratica à luz
dos conteúdos teóricos inseridos no programa do curso.
Entende-se por Estágio o tempo de prática profissional supervisionada durante o
qual aluno desenvolve atividades que o habilitam para o exercício profissional. Na
UnG, entendemos que o “Estágio” deve ser valorizado, constituir elemento de
referencia do aluno, freqüentemente um ou melhor “o” diferencial deste no disputado

67

mercado de trabalho. Assim o sendo, reunimos o Trabalho de Conclusão, o
tradicional “TCC” , teórico, à práxis representada pelo Estagio, constituindo, assim,
elemento único desenvolvido ao longo dos dois últimos semestres do curso..
Considera–se como Estágio “as atividades de aprendizagem social, cultural e
profissional desenvolvidas pela participação do estudante em situações reais da vida
e do trabalho de seu meio, realizadas na comunidade em geral e junto a pessoas
jurídicas de direito público ou privado, empresas que atuam na área do curso, sob
responsabilidade e coordenação da instituição de ensino.” (Art. 2º do Decreto nº
87.497/82, que regulamentou a Lei nº 6.494/77). Portanto, deverá o estagio ser
levado a efeito obrigatoriamente em organizações regularmente constituídas ou em
atividades que envolvam aspectos concernentes à Administração na própria
Universidade. Na segunda hipótese haverá a necessidade de um professor da
mesma responsabilizar-se pelo estágio, atestando, formalmente ao seu término, o
período (carga horária), atividades e sua aquiescência à apresentação do projeto
elaborado ao professor coordenador do estágio.
3.11.1.1. Estágio supervisionado obrigatório
O UnG entendeu, no sentido de uma efetiva transdisciplinariedade (Morin), que a
unificação do tradicional TCC, muitas vezes uma mera reprodução de textos, com o
também tradicional “Estágio Supervisionado” ofereceria melhores condições de o
aluno poder aplicar e demonstrar os saberes ao longo dos quatro anos do curso
conquistados. Assim o sendo, procurou-se aliar ao Estágio (a prática – práxis) o
aspecto teórico (A sedimentação), ou seja, o porque daquele determinado problema
ou fenômeno.
3.11.1.2. Estágio supervisionado não obrigatório
A presente Modalidade, não obrigatória em termos das exigências acadêmicas do
curso, portanto, não obrigatório, é gerenciado pela Central de Estágios da UnG.
3.11.2. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)
O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é entendido como um trabalho científico
que visa à articulação dos conhecimentos construídos ao longo da formação
acadêmica dos alunos, sendo, para muitos, a sua primeira experiência de realização

68

de uma pesquisa. Feito sob a supervisão de um professor/orientador, o TCC pode
ser um trabalho teórico, documental ou de campo que segue a estrutura e a
apresentação de um trabalho acadêmico conforme as normas ABNT ou Vancouver.
Conforme já apresentado, concebe o projeto pedagógico do curso de Administração
o TCC realizado concomitantemente com o estagio supervisionado, aliando desta
maneira a práxis com os ensinamentos teóricos oferecidos ao longo curso.
3.11.3. Iniciação Científica (IC)
O Programa de Iniciação Científica da Universidade Guarulhos (PIC-UnG) teve início
formal em 1999, passando, a partir de agosto de 2004, a ser designado Programa
Institucional de Bolsas de Iniciação Científica da Universidade Guarulhos - PIBIC-
UnG.

O PIBIC – UNG visa a propiciar condições objetivas de fomento às atividades de
Iniciação Científica (IC) junto aos cursos de graduação e sequenciais, buscando
consolidar a cultura de pesquisa na Instituição. As atividades de iniciação científica
são pesquisas desenvolvidas por alunos sob orientação de docentes-pesquisadores,
conforme as diretrizes e normas de apresentação de trabalhos acadêmicos.

Em 2006, o programa obteve a concessão de bolsas do Conselho Nacional de
Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e passou, assim, a ter três grupos
de projetos de Iniciação Científica: (1) projetos voluntários, sem a concessão de
bolsas de estudos, (2) o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica da
Universidade Guarulhos – PIBIC, com a concessão de bolsas da própria
universidade e (3) o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – PIBIC-CNPq.
3.11.4. Atividades de Extensão
O Art. 207 da Constituição Federal declara que as universidades têm autonomia
didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial e que
obedecem ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. O
Inciso VII do Art. 43 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) afirma
que as Instituições de Ensino Superior têm a finalidade de “promover a extensão,

69

aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios
resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na
instituição”.

Conforme a Secretaria de Ensino Superior (SESU) do Ministério da Educação, a
extensão universitária é entendida como prática acadêmica de interligação entre a
Universidade, nas suas atividades de ensino e de pesquisa, e as demandas da
população, possibilitando, assim, a formação do profissional cidadão. Ela se firma,
cada vez mais, junto à sociedade, como espaço de produção do conhecimento
significativo para a superação das desigualdades sociais existentes. São, portanto, o
ensino e a pesquisa articulados de forma indissociável que viabilizam a relação
transformadora entre a Universidade e a Sociedade.

Dessa forma, para a SESU, a Extensão apresenta-se como instância de mediação
entre as Instituições de Educação Superior e a sociedade e promove a oportunidade
de troca de saberes, levando à produção do conhecimento “resultante do confronto
com a realidade nacional, a democratização do conhecimento acadêmico e a
participação efetiva da comunidade na atuação da universidade”.


3.11.5. Atividades complementares e de enriquecimento curricular

As Atividades Complementares (ACs) se caracterizam como práticas acadêmicas
apresentadas sob múltiplos formatos que visam a complementar e sintonizar o
currículo pedagógico em vigência; a ampliar os horizontes do conhecimento e de
sua prática para além da aula; a favorecer o relacionamento entre grupos e a
convivência com as diferenças sociais; a favorecer a tomada de iniciativa dos alunos
e a propiciar a inter e transdisciplinaridade no currículo, dentro e entre os semestres.

Com absoluta interação com o professor da disciplina ou Coordenador designado
para esse fim, as Atividades Complementares são comprovadas pelos alunos
através de relatórios, declarações, atestados ou certificados emitidos pela entidade
promotora (se fora dos campi da UnG) ou convalidadas no registro acadêmico do
aluno (se no âmbito interno) com apresentação de relatórios. (vide anexo 2)

70

O Programa de Enriquecimento Curricular- PEC da Universidade Guarulhos tem por
finalidade propiciar aos discentes e colaboradores oportunidade de ampliar
conhecimentos nas mais diferentes áreas do saber. É constituído por projetos
institucionais que foram criados isoladamente, em tempos diferentes e que
atualmente atendem discentes e docentes nas diversas unidades da UnG com os
seguintes objetivos:
a. Promover a ampliação de conhecimentos por meio da constante atualização
do processo formativo;
b. Possibilitar o exercício da reflexão em grupos heterogêneos quanto à
formação básica e complementar;
c. Oportunizar, por meio de fóruns, palestras, colóquios, oficinas, espaço para a
interlocução e discussão de diferentes temas relativos ao conhecimento
humano.



71

3.12 Procedimentos de Avaliação
O procedimento de avaliação é realizado pela Comissão Própria de Avaliação (CPA)
e pelo ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes).

3.12.1 Auto-avaliação do curso

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) instituída em 22 de março de 2004,
considerando o previsto no artigo 14 da Lei n. 10 861, de 14 de abril de 2004, surgiu
em função da exigência de acompanhamento constante das atividades didático-
pedagógicas desenvolvidas na Universidade Guarulhos e da necessidade de
assegurar o patamar de qualidade das ações institucionais voltadas ao ensino,
pesquisa e extensão.
Dessa forma, a CPA, da Universidade Guarulhos, considera a importância de um
processo de avaliação sistêmico, que considere todas as atividades, suas
intersecções e seus relacionamentos, cujo resultado gere elementos norteadores
para a tomada de decisão nos órgãos gestores.
A CPA não tem como propósito apontar falhas, mas sim retratar o perfil de docentes
e discentes bem como seu nível de satisfação para subsidiar discussões sobre
propostas de mudanças dentro de um contexto de implementação de medidas que
dessem respostas às oportunidades de melhorias levantadas, bem como reforçar
aspectos que demonstraram performance positiva.
O trabalho da CPA pauta-se na premissa que avaliar uma instituição em sua
totalidade significa construir uma nova realidade conceitual que permita identificar as
relações e inter-relações existentes na Universidade enquanto instituição,
organização e sistema.
No âmbito do curso de Administração são analisadas, em e pelo seu colegiado, as
avaliações de satisfação globais elaboradas pela CPA, no sentido de promover a
devida homeostase dos procedimentos, planos de ensino e até mesmo do próprio
PPC.



72

3.12.2 Avaliação externa (ENADE)
A Portaria nº 107 de 22 de julho de 2004 afirma que o Exame Nacional de
Desempenho de Estudantes (ENADE) é parte integrante do Sistema Nacional de
Avaliação da Educação Superior (SINAES) e objetiva verificar o rendimento dos
alunos dos cursos de graduação com relação aos conteúdos programáticos
previstos nas Diretrizes Curriculares Nacionais, o desenvolvimento de habilidades e
competências necessárias à formação geral e profissional dos educandos e o seu
nível de atualização com relação à realidade do Brasil e do mundo.
Vale ressaltar que o curso de Administração esta atento aos procedimentos de
avaliação externa, como o ENADE, e seus resultados servem de base norteadora
para possíveis alterações no PPC e nas formas de avaliação dentro do processo
ensino-aprendizagem. Para tanto:
- Propõe atividades que contemplam os conteúdos de conhecimento geral e
específicos solicitados;
- Acompanha os boletins oficiais de desempenho;
- Discute os resultados do curso em reuniões de Colegiado e retorna as apreciações
para o corpo discente.
- Propõe sugestões para melhorar desempenhos futuros.
Os resultados obtidos são discutidos nas reuniões de colegiado do curso, nas
reuniões com representantes de classe, nas equipes de professores por campo de
conhecimento.
4.0 Corpo Docente, Discente e Tecnico-Administrativo
4.1. Direção/Coordenação do Curso

Formação acadêmica Administrador
Titulação Mestre em Administração de Empresas
Regime de trabalho Tempo integral 40 horas semanais.
Dedicação do Diretor à
administração e à condução do
curso (em horas/semanais)
26 dedicados a coordenação de curso
14 horas dedicados a atividades pedagógicas em
sala de aula.

Formação acadêmica Contador (Ciências Contábeis)

73

Titulação Mestre em Administração
Regime de trabalho Tempo integral 40 horas semanais.
Dedicação do Diretor- Adjunto à
administração e à condução do
curso (em horas/semanais)
32 dedicados a coordenação de curso
08 horas dedicados a atividades pedagógicas em
sala de aula.


4.1.1. Experiência profissional acadêmica e não acadêmica
Diretor: Possui graduação em Administração - Faculdades Integradas de Guarulhos
(1979) e mestrado em Administração pela Universidade Guarulhos (1999),
Doutorado (incompleto) em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e MBA em Gestão
de Instituições de Ensino (UnG). Atualmente é colaborador do Instituto Siegen,
Diretor de Curso e Professor Titular da Universidade Guarulhos. Tem experiência na
área de Administração, com ênfase em Organização e Sistemas de Informação,
atuando principalmente nos seguintes temas: sistemas de informação,
administração, modelos de gestão, complexidade e organização.

Diretor Adjunto: Possui graduação em Contabilidade com enfoque em controladoria,
pós-graduada em Auditoria e Controladoria (Lato Censo), mestre em administração,
licenciatura plena (nas áreas de Administração/ Gestão/ Contabilidade Carreira de
16 anos desenvolvida na área de Contabilidade e administração de Empresas.

4.1.2. Atuação do Diretor
4.1.2.1. Participação do coordenador e dos docentes em colegiados de curso

O Diretor de Curso se reúne com seu colegiado, formado pelos docentes do curso,
no mínimo duas vezes no semestre, no início para atividades de planejamento e ao
fim deste para avaliação dos trabalhos. Os relatórios da Comissão Própria de
Avaliação – CPA fornecem muitos subsídios que norteiam as discussões no
colegiado e dão diretrizes para uma constante revisão dos Projetos Pedagógicos.

74


Com a finalidade de garantir os objetivos propostos pela Instituição em seu Projeto
Desenvolvimento Institucional (PDI), a Universidade Guarulhos estabelece uma
política institucional capaz de viabilizar diretrizes e ações compatíveis com
mecanismos de Recrutamento e Seleção que envolve a valorização do corpo
docente instituindo exigências para contratação e fixando patamares aceitáveis de
desempenho em consonância com seus objetivos pedagógicos.

A Universidade Guarulhos estabelece sua política de qualificação focada na
formação de lideranças, no empreendedorismo e na empregabilidade.

Este trinômio está baseado nos Objetivos Permanentes da Universidade, que
promovem a formação do ser humano, propiciando base humanística e capacitação
profissional, através de programas e atividades diferenciadas na tentativa de buscar
a integração das pessoas na Instituição, crescimentos individual e profissional.

Essas ações fazem parte de um Plano Institucional que abrange professores por
meio de programas específicos e de atividades conjuntas centradas numa visão
integradora, global, sistêmica e cooperativa,” MBI” gestão de ensino superior que
procura garantir a eficiência de seu pessoal e, promover a consecução dos
objetivos propostos pela Instituição e pelo Projeto Pedagógico.

É objetivo desse programa a melhoria da qualidade de ensino integrado através do
aprimoramento e aperfeiçoamento do corpo docente e tem as seguintes metas:
- Manutenção da possibilidade de afastamento do corpo docente para participação
de atividades de capacitação e atualização profissional;
- Aumento percentual de docentes com título de mestre e doutor;
- Realização de convênios e intercâmbios com universidades brasileiras e
empresas, objetivando desenvolver atividades de ensino, pesquisa e extensão;
- Aumento do incentivo à participação de treinamentos, seminários e congressos;
- Aumento de docentes em regime integral, com dedicação envolvida em atividades
de pesquisa e extensão.



75

4.2. Corpo Docente
4.2.1. Professores vinculados ao curso
O curso de Administração conta com 71 professores que atuam nas atividades de
ensino, atividades complementares e administrativas (diretoria).
Todos trabalham de maneira articulada com a diretoria do curso favorecendo o
desenvolvimento acadêmico e o crescimento do curso.
Nome
Adilson de Oliveira
Ana Gloria Slechticius
Andre Scatolin Malaco
Antonio Candido Carneiro de Azambuja Neto
Arquidamea Maria Carracci Cardoso
Bradamante Polimeno
Carlos Roberto Asakava
Carmen Silva de Moraes
Cesar Magalhães Borges
Claudia Aparecida Rosario dos Santos
Denise de Araujo Rossi
Denise de Fatima Alonso
Dejanira Pinheiro
Djalma Gonçalves
Edgar Pacheco
Edson Bastos Marinelli
Eugênia Cordeiro Curvêlo
Everson Rocco
Fabiana Patti Rodrigues
Fabio Pereira de Andrade
Fernando Malva
Fernando Augusto Moutinho Junior
Francisco de Paulo Bellino
Giseli Passador Lombardi
Günter Wilhelm Uhlmann
Hebe de Camargo Bernardo
Ivan Peres Soares
João Carlos do Prado Rocha
João Carlos Pereira Ortiz
João Luiz Becegato
Jorge Aniz
José Marcos de Oliveira Carvalho
José Martinez Neto
Julio Cesar Freschi

76

Juracy Liceras de Britto
Leandro Pires
Lidiane de Oliveira Souza
Ligia Pinheiro da Silva
Lislei Rosa De Freitas Uhlmann
Luis da Silva Campos
Madalena Oliveira Lima
Maisa Alves dos Santos
Marcelo Prudêncio de Lima
Marco Aurelio Sanches Fittipaldi
Maria Cristina Rodrigues Bazan
Marilda Palermo Pereira Caruso
Mario Sergio Signori
Marly Manetti
Miguel Inácio da Silva
Monica Bernardo Schettini Marques
Nabor Alves Monteiro
Osmildo Sobral dos Santos
Osvaldo Jose Da Silva
Patricia Alves De Amorim Percinoto
Paulo Alexandre de Souza
Regina Maria Pinna
Roberto Dias de Moura
Rodolfo Vieira da Silva
Rosana Aparecida Valderano de Lima
Roseli Rocha Vaz da Silva
Rosemeire Araujo dos Santos Condini
Sandra Regina da Silva Poça
Silmara Guerra Ferraz da Fonseca
Solange Rodrigues Martins Camargo dos Santos
Vanderlei Maciel de Arruda
Vanderlei Ribeiro dos Santos
Wesley César Mariano Silva
Wil Robson Rodrigues da Silva
Wilson Francisco Julio
Wilton Arruda
Wilton Carlos Rentero

4.2.2. Critérios de admissão e de progressão na carreira
Na Universidade Guarulhos, a admissão de professores se faz,
exclusivamente, no regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), mediante
processo seletivo estipulado pela Reitoria. Os atos referentes ao ingresso ou à

77

dispensa dos integrantes da Carreira do Magistério são da competência da
Mantenedora, após aprovação da Reitoria.
A progressão de carreira é feita no sentido vertical e no horizontal. A
progressão vertical é a passagem de uma categoria para outra em decorrência de
titulação e de experiência no magistério superior e obedece ao número de vagas
estipulado para cada categoria pela Entidade Mantenedora. O processo de
progressão de carreira é realizado anualmente por meio da divulgação de edital
público no mês de dezembro.
4.3. Corpo Discente
4.3.1. Perfil do discente
Perfil do discente, da área de Humanas referente ao Curso de Administração,
ao entrar na instituição está descriminado conforme dados da Comissão Própria de
Avaliação - CPA (Anexo 2).
4.3.2. Ações institucionais para atendimento ao aluno

A Universidade Guarulhos, por meio do seu Núcleo de Apoio
Acadêmico e Psicossocial, propicia aos discentes acolhimento nas mais diferentes
situações, oferecendo um ambiente de estudo e de trabalho que enfatiza a atenção
com a valorização da dignidade e do valor do ser humano e do desenvolvimento do
potencial de cada pessoa.
Um dos principais objetivos da UnG é incentivar que alunos,
professores e todas as pessoas envolvidas no trabalho na Universidade, pautem
suas ações pelo respeito à individualidade e à dimensão social de cada ser humano,
sua liberdade e autonomia, enfim, ações que ajudem as pessoas na definição de
sua identidade e com ela, na descoberta de suas vocações no plano pessoal e
coletivo.
No sentido da realização de tais ideais instituiu-se, entre outras
atividades, desde o ano de 2005, os Programas de Atendimento aos Alunos, aos
Docentes e ao pessoal Técnico-Administrativo – PROAL, PROAD e PROACTA,
berço institucional do Núcleo de Apoio Acadêmico e Psicossocial - NAAPS da UnG.

78




4.3.3. Ações do curso para atendimento ao aluno
No início do semestre letivo são propostas as atividades que serão desenvolvidas
para atendimento do aluno em reuniões de colegiado de curso. As propostas
definidas são levadas aos alunos na primeira semana letiva através da diretoria de
curso. Estas atividades estão previstas nas funções desempenhadas pelo diretor e
seu corpo docente. As ações determinadas em reunião de colegiado de curso
colocam:
1º - o primeiro passo de atendimento ao aluno é o próprio professor que em sala de
aula pode esclarecer dúvidas e orientar os alunos à uma procura específica.
2º - o segundo passo de atendimento ao aluno é o corpo técnico que está
diretamente vivenciando as atividades acadêmicas do nosso aluno.
3º - o terceiro passo é a direção de curso que disponibiliza horário de atendimento
específico para os alunos do período matutino e noturno e nesse período realiza
atividades de gestão e orientação em questões pedagógicas, administrativas e até
mesmo pessoais.
Nestas atividades também está incluída as reuniões bimestrais com os
representantes de classe que são membros eletivos do colegiado de curso. Nestas
reuniões são feitas colocações tanto pela direção do curso como pelos
representantes, sempre no intuito de melhorar e aprimorar o andamento das
atividades pedagógicas e administrativas do curso.

79

4.4. Corpo Técnico-administrativo
O corpo técnico-administrativo do Curso Superior de Graduação em Administração
da Universidade Guarulhos tem formação adequada e é constituído por um
profissional, Janya Ferreira João de Deus, qualificada para as funções exercidas e
que recebe orientações em reuniões dos Diretores sempre visando assegurar o
atendimento das necessidades dos alunos do curso.

Este colaborador presta serviços em geral, representando o Curso de Administração
junto a setores como: Secretaria e Tesouraria, Laboratórios de Informática, Diretoria
do Curso e Bibliotecas.

O horário de trabalho deste funcionário é flexível e, portanto, atende às
necessidades de nossos alunos de forma satisfatória visto que, este atendimento, é
complementado pela atuação do diretor do curso, adjunto e coordenação.

A Universidade Guarulhos está estruturada para dar suporte administrativo a toda a
sua operação de ensino. Há um corpo-técnico-administrativo adequado e preparado
para suas respectivas funções lotados na Secretaria Geral, Biblioteca Geral e
Suporte de Informática.


5. Instalações Físicas
5.1. Espaços físicos utilizados no desenvolvimento do curso
Para que sejam ministradas as aulas do curso de Administração, apenas dois
ambientes são necessários: a sala de aula padrão e o laboratório de informática.
Salas de aula padrão, modernas e bem organizadas, a UnG oferece em abundância.
Oferece para o professor equipamentos de áudio-visual que se locomovem até estas
salas, tornando o ambiente ainda mais propício para o trabalho docente.
Os laboratórios de informática são essenciais para a prática docente e, dada a sua
importância, serão mencionados em seção específica a seguir.

80

5.2. Ambientes e laboratórios necessários para o desenvolvimento da proposta do
curso
Além de atividades individuais e grupais de pesquisa e estudos, o laboratório de
informática é utilizado durante todas as atividades práticas previstas nas ementas
das disciplinas descritas neste documento podem ser realizadas nos laboratórios
existentes na Universidade Guarulhos, pois todos são equipados visando atingir as
finalidades previstas para cada disciplina.
5.3. Livros, Periódicos, Bases de dados, Revistas e Multimídia
As informações globais sobre o acervo da biblioteca encontram-se em
relatório apenso (Anexo 03), que apresenta uma descrição do acervo de livros e de
periódicos por área do conhecimento, do acervo digital com acesso eletrônico à
base de dados de periódicos e à biblioteca digital de teses e dissertações.

Consta desse relatório, também, informações sobre a área física da
biblioteca, os recursos humanos, as políticas de informatização e de
desenvolvimento de coleções, bem como as formas de sua operacionalização.
Aborda, ainda, serviços e produtos disponíveis aos usuários, programas de apoio à
normalização técnica, intercâmbio bibliográfico e de acessibilidade, além do
Regulamento Interno.