RESUMO LIÇÃO 7 (15/05/2011

)
I – INTRODUÇÃO:
• Hoje estudaremos os dons que FAZEM algo; são os DONS DE PODER, ou seja,
PODER PARA REE!ER, OPERAR O" REA#$ZAR A#%O SO!RENA&"RA#'
São eles( DOM DA F), AS OPERA*+ES DE M$#A%RES e DONS DE "RAS'
II - O DOM DA FÉ:
• ,A- . ) um dom do Es/0r1to /ara que o 2rente /ossa REE!ER m1lagres'
• ,!- 3 Dom da 45 5 a2red1tar que o 1m/oss06el de a2onte2er j7 a2onte2eu'
• ,- 3 Aqueles que /ossuem o dom da 45 2reem em Deus de tal mane1ra, que o Sen8or
8onra a /ala6ra dos Seus ser6os 2omo se 4osse Sua e a 2um/re, m1lagrosamente'
• ,D- 3 O dom da 45 5 uma dota9ão so:renatural /elo Es/0r1to Santo, med1ante a qual,
aqu1lo que o 8omem de2lara ou deseja, ou a1nda o que Deus 4ala, a2a:ar7 se 2um/r1ndo,
de qualquer mane1ra'
• ;amos aos e<em/los :0:l12os /ara mel8or es2lare21mento(
• ,=>- 3 Dn ?(=?3?@ . Nem as 1ns1nua9Aes en21umadas dos 2aldeus, nem as terr06e1s
amea9as do re1 Na:u2odonoBor amedrontaram os trCs jo6ens' Possu0am o dom da 45,
/o1s REE!ERAM o m1lagre'
• ,D>- 3 Dn E(=E3D? . Al5m do Dom da F5 ,/o1s Dan1el REE!E" o m1lagre-, notemos
que aqu1 tam:5m 8ou6e a atua9ão do Dom de D1s2ern1mento de Es/0r1tos ,6' DD-'
• om/aremos as duas /assagens :0:l12as a21ma 21tadas 2om H: ==(?D3?F'
• ,?>- 3 GB =H(=I3=J . Sansão tam:5m REE!E" o m1lagre' Por ma1s emaran8ada que
esteja nossa s1tua9ão, o /oder de Deus nos /ode l1:ertar' E 1sso não 5 tudoK No lugar
onde al2an9armos a 61tLr1a, :rotar7 aquela 4onte de 7gua que 5 al1mentada do trono de
Deus e a alma e<aur1da /elo es4or9o, :e:er7 e se rean1mar7' Sen8or, d73nos o Dom da
F5 e le6a3nos a :e:er desta 4onteK
• ,F>- 3 At =D(=3=D . Re/aremos que, al5m do Dom da F5 ,/o1s Pedro REE!E" o
m1lagre-, 8ou6e tam:5m o Dom de D1s2ern1mento de Es/0r1tos ,6s' J3==-' A s1tua9ão
/are21a 1m/oss06el' &1ago 4ora morto' Herodes mant1n8a Pedro na /r1são, 61g1ado /or
deBesse1s soldados ,quatro quaternos-' Mesmo sa:endo que naquela no1te 1r1a morrer,
Pedro dorm1a tranqu1lamente ,6'E-' Ou seja, t1n8a 2erteBa de que Deus dar1a l16ramento'
"m gru/o em ora9ão 5 ma1s 4orte do que as ma1s 4ortes /re2au9Aes do /oder 8umano'
• ,H>- 3 At DM(D=3DE . ;emos em o/era9ão o Dom da F5, /o1s Paulo t1n8a 2erteBa da
61tLr1a em me1o a um tem/oral, ou seja, ele REE!E" o m1lagre' Re/aremos, tam:5m,
que 8ou6e man14esta9Aes do Dom da Pala6ra da Sa:edor1a ,6s' DD, DF, DE . 4atos que
1r1am a2onte2er- e o Dom de D1s2ern1mento de Es/0r1tos ,6' D?-'
• ,E>- 3 At DI(=3E . ;emos aqu1 o Dom da F5, /o1s Paulo t1n8a 2erteBa da 61tLr1a, de/o1s
de mord1do /or uma 60:ora' Ele REE!E" o m1lagre'
• ,M>- 3 $ Rs =M(D3E . El1as REE!E" o m1lagre, /ossu1ndo taman8a 45 /ara o seu
sustento so:renatural' Deus 2u1dou da su:s1stCn21a de El1as, res/onsa:1l1Bando3se /elos
su/r1mentos ne2ess7r1os'
• ,I>- 3 %n =H(=3E; =M(=H3DD; =I(J3=E; D=(=3I 3 Nas2er1a um 41l8o de um 2asal em que o
8omem tem =@@ anos e a mul8er J@ anosN A:raão 2reu e ass1m 4o1' Ele REE!E" o
m1lagre'
• %n DD(=3=J 3 Poder1a algu5m matar um 41l8o e de/o1s 6oltar /ara 2asa 2om este 41l8o
616oN A:raão 2reu e ass1m 4o1' Ele REE!E" o m1lagre'
III - O DOM DE OPERAÇÃO DE MILAGRES:
• ,A- . &am:5m 5 denom1nado de DOM DE OPERA*OO DE MARA;$#HAS, DOM
DE OPERA*+ES M$#A%ROSAS ou DOM DE PODERES M$#A%ROSOS'
• ,!- . ) um dom do Es/0r1to Santo, dado ao ser6o de Deus /ara que este /ossa
OPERAR M$#A%RES'
• ,- 3 ) uma 1nter6en9ão so:renatural no 2urso usual da natureBa; uma sus/ensão
tem/or7r1a da ordem 2ostume1ra, med1ante o /oder do Es/0r1to de Deus'
• ;amos aos e<em/los :0:l12os /ara uma mel8or 2om/reensão(
• ,=>- 3 Gs =@(=D3=F . Gosu5 OPERO" um m1lagre na natureBa' Deus 4aB grandes
m1lagres que os 8omens da 21Cn21a mal 2om/reendem ,#2 =(?M-' A /ala6ra 8e:ra12a
PDAMAMQ não s1gn1412a sL PDE&)M3&EQ, mas tam:5m PS$#EN$A3&EQ,
PAA!AQ, PPRRAQ' Gosu5 orou /ed1ndo um m1lagre e Deus atendeu a sua ora9ão' O
2rente não de6e 8es1tar em orar /ara que o Sen8or o/ere mara61l8as em seu 4a6or' O
/o6o de Deus 616e num mundo 8ost1l e mal1gno, en4rentando grandes desa41os e
d1412uldades' Ss 6eBes, 87 ne2ess1dade do Dom de O/era9ão de M1lagres /ara o
2um/r1mento do /lano e /ro/Ls1to de Deus na 61da do 2rente'
• ,D>- . $$ Rs D@(I3== . $sa0as OPERO" um m1lagre na natureBa' Não sa:emos
e<atamente 2omo a som:ra re2uou deB graus no relLg1o do sol' O que est7 2laro 5 que
ass1m a2onte2eu, med1ante o grande /oder de Deus'
• ;ejamos outros dema1s e<em/los, de6endo sem/re ser o:ser6ado que os ser6os do
Sen8or OPERA;AM O M$#A%RE, o que 2ara2ter1Ba a atua9ão do Dom de O/era9ão
de M1lagres(
• Sansão 3 GB =F(H3E; =H(=F3=H; =E(DH3?@;
• El1as 3 $ Rs =M(=D3=E; =I(F=3FE; $$ Rs D(E3I;
• El1seu . $$ Rs D(=D3=H; ?(=F3D@; F(=3M;
• Mo1s5s 3 E< M(=@, D@3D=; I(H3E, =E3=M, D@3DF; J(I3=@, DD3DE; =@(=D3=H; DD3D?; =F(=?3
=F, D=3DD; =M(=3M;
• Gesus 3 Go D(=3==; E(H3=F; J(E3M'
IV - DONS DE URAS:
• ,A- 3 No grego or1g1nal, 2ada 6eB que esse dom de /oder 5 men21onado, tanto a
e</ressão PDONSQ quanto a e</ressão P"RASQ 412am no /lural( DONS DE "RAS'
Não e<1ste, /ortanto, Po dom da 2uraQ; Pdons de 2uraQ; Pdom de 2urarQ; et2'
• ,!- 3 O /ro/Ls1to do Dons de uras 5 #$!ER&AR OS ENFERMOS E DES&R"$R AS
O!RAS DO D$A!O NO ORPO H"MANO'
• ,- 3 Os dons de 2uras são dados /or Deus 61sando a 2ura so:renatural da
en4erm1dade, sem me1os natura1s de qualquer or1gem ,At =@(?I; #2 E(E3==; At I(E3M;
DI(I3=@-'
• Não se de6e entender que quem /ossu1 esse dom ten8a /oder de 2urar a todos; de6e
dar3se lugar T so:eran1a de Deus e T at1tude e 2ond19ão es/1r1tual do en4ermo'
• O /rL/r1o r1sto 4o1 l1m1tado em Sua 2a/a21dade de o/erar m1lagres /or 2ausa da
1n2redul1dade do /o6o 3 Mt =?(HI'
• $ &m H(D?; $$ &m F(D@ 3 Paulo não 2urou nem a &1mLteo, nem a &rL41mo'
V – A RESSURREIÇÃO DE MORTOS :
• $ Rs =M(=M3DF; $$ Rs F(=I3?M; #2 M(==3=M; I(FJ3HE; Go ==(??3FH; At J(?E3F?; At D@(M3
=D
• No 2aso do m1lagre da ressurre19ão de mortos, OS &RUS DONS EN&RAM EM
OPERA*OO ONG"N&AMEN&E( O DOM DA F); O DOM DE OPERA*OO DE
M$#A%RES e OS DONS DE "RAS'
• Em /r1me1ro lugar, 5 ne2ess7r1o o DOM DA F) PARA HAMAR O ESPVR$&O DA
PESSOA DE ;O#&A, DEPO$S DE &ER DE$WADO O ORPO;
• Em segundo lugar, 5 ne2ess7r1o o DOM DE OPERA*OO DE M$#A%RES /ara
ressus21tar a /essoa;
• Em ter2e1ro lugar 5 ne2ess7r1o os DONS DE "RAS, /orquanto, de outra 4orma, a
/essoa não 2urada 6oltar1a, 1med1atamente, a morrer' Por e<em/lo( #7Baro esta6a
en4ermo' Xuando Gesus o ressus21tou, o mesmo 6oltou T 61da 2om/letamente 2urado de
sua en4erm1dade ,Go =D(=3D-'
VI – ONSIDERAÇ!ES FINAIS:
• Dentre as 1nsond76e1s r1queBas es/1r1tua1s que Deus 2olo2a T d1s/os19ão da Sua $greja
na terra, desta2am3se os dons do Es/0r1to Santo, a/resentados /elo a/Lstolo Paulo 2omo
agentes de /oder e de 61tLr1a a 8a:1l1tarem a $greja /ara o 2um/r1mento da sua m1ssão
no mundo' Por 1sso, 2omo de2larou FranY M' !oZd, estud1oso da doutr1na /ente2ostal,
que Pa menos que os dons do Es/0r1to Santo sejam 2laramente de41n1dos e
2u1dadosamente 2lass1412ados em /r1me1ro lugar, seu /ro/Ls1to não ser7 entend1do e
/odem ser mal usados, a glLr1a do Sen8or /ode ser rou:ada e a $greja /ode de1<ar de
re2e:er grandes :ene4021os que esses dons de6em traBerQ

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful