VII - ESTUDO DE ALGUMAS ESTRUTURAS ISOSTÁTICAS

7.A Vigas Gerber
Viga Gerber é uma viga sobre mais de dois apoios e dotada de
articulações internas de modo a torna-la isostática. O número de articulações
internas é igual ao número de apoios menos dois:
G=a-2
7.A.1 Modo de rotular a estrutura
1. Coloca-se duas rótulas no 3°, 5°, 7°, etc., tramos ou vãos ímpares e
uma rótula no 1° e no último tramos caso estes sejam de ordem ímpar.

2. Coloca-se duas rótulas nos vãos de tramos de ordem par e uma
rótula no último tramo, se este conjunto for de ordem par.

7.A.2 Exemplos:
Torne a Estrutura hiperestática abaixo uma viga Gerber e trace o diagrama de
esforço cortante da estrutura gerada.

Primeira solução

Segunda solução

Calcular e traçar o diagrama de momento fletor para a viga Gerber.

Reações de apoio
Estrutura I
ΣFX = 0 → He = Hf = 0KN
ΣFV = 0 → (10.10)/2 = 50KN
Estrutura II
ΣFX = 0 → Hb = He = 0KN
ΣFV = 0 → Va + Vb = 50 + 20.7 + 10.3 = 220KN
ΣMA = 0 → -Vb.7 + 20.7.7.1/2 + 10.3(3/2+7) + 50(7+3) = 0
Vb = 177,8571KN
Va = 42,1423KN
Momento fletor
Estrutura I ( 0 < x1 < 7)

Estrutura I ( 0 < x2 < 3)

Estrutura II (0 < x3 < 10)

MS1 = -[ - 42,1429x1 + 20x1(x1/2)]
x = 0 ------ MS1 = 0KNm
x = 3,5 --- MS1 = 25KNm
x = 7 ----- Ms1 = -195KNm
Mmáx = (VA/q) x1 = 44,40KNm
MS2 = +[-50x2 - 10x2(x2/2)]
x = 0 ------ MS2 = 0KNm
x = 1,5 --- MS2 = - 86,25KNm
x = 3,0 --- MS2= - 195KNm
MS3 = -[-50x3 + 10x3(x3/2)]
x = 0 ----- MS3 = 0KNm
x = 5 ----- MS3 = +125KNm

x = 10 ---- MS3 = 0KNm
Diagrama de Momento Fletor

     

     



      




  
      




  
      




      

                  



  
    

Defina o tipo de apoio (rotulado fixo ou móvel) torne a estrutura uma viga Gerber,
e forneça o diagrama dos esforços internos solicitantes aparentemente de acordo
com o carregamento na estrutura abaixo dada.

  
  
     
  
  
     
 
  
     

 
  
     

  
  
     

Primeira solução:      Segunda solução      .

B. passarelas sobre ruas.tais como a alvenaria.                                                                         Aplicações: 1.B . angar. etc. tais como silos. tendo os apoios vinculados de tal modo que expressem movimento de translação.1 Definições É uma estrutura cujo eixo é uma curva. 2.7. utilizada em arcos romanos. Por razões meramente construtivas (de forma). 3. Quando se deseja vencer grandes vãos sem apoio intermediário como por exemplo: pontes e coberturas.ARCO TRIARTICULADO 7.                                                                                . Quando se deseja utilizar materiais que resistam somente a compressão.

Coeficiente de audácia: é a relação entre o vão e o grau de abatimento. Flecha: é a distância vertical que vai do fecho a linha de nascença e é perpendicular a linha do horizonte.                                    .Corda de um arco: é a distância entre dois apoios. Triarticulado nas pontes As cargas se transmitem aos arcos através de tabuleiros ( estrado da ponte). Grau de abatimento: é a relação entre a flecha e o vão. através dos montantes (pilares) ou através dos tirantes (pendurais). Vão: é a projeção horizontal da corda.

ΣFY = 0 → VA + VB = q(l1 + l2) + P1 + P2 VA + VB = q(l1 + l2) + ΣPn 3.Xn + q(l1 + l2)². ΣMG =0 → -VA.1/2 = 0 4.Xn) + q(l1/2)² + HA f cosα = 0 VA.HB.1/2 = 0 Igualando a equação 3 temos VA = VA ΣMG =0 na viga substituição ΣMG =0 → -VA. ΣMB =0 → -VA(l1 + l2) + ΣPn(l1 + l2) .Xn) .l1 + ΣPn(l1 .7.cosα = 0 HA = .ΣPn(l1 .MG f.cosa                                .B.2 Roteiro de cálculo Para o arco 1. ΣFX = 0 → HA.Xn] + q(l1 + l2)².l1 .l1 + ΣPn(l1 .Xn) + q(l1/2)² Se substituirmos esta equação na equação 4 temos: MG + HA.f.cosα HA = HB 2.cosα .HA f cosα = 0 Para a viga de substituição: ΣMB =0 → -VA(l1 + l2) + ΣPn[(l1 + l2) .

66667 41° 11' 09" 5 5 0.16667 51° 20' 25" .9063 -4.625 6.5 2.16667 07° 07' 30" G 7.250 3.5tf H' = Ha = Hb = Mg/(f.625 1.875 0.6667.x + 1.125 4.5.B.x + 1.7.7.66667 53° 58' 21" 3 3 1.25.4.5) = 7.375 6.0312 0.3 Exemplos 1) Traçar o diagrama de momento fletor.500 -4.375 3.875 ϕ = arc tg y' y (m) M (tfm) A 0 1.875 Seção X y'=-0.x/2 + 18.00000 61° 55' 39" 1 1 1.125 7.15 = 65 ΣMa = 0 → -Vb.250 -3.00000 20° 33' 22" 7 7 0.5 1.5 + 4.5 0.000 7.00000 00° 00' 00" 2.03125m Reações ΣFy = 0 → Va + Vb = 5 + 4.750 -2.125x² + 1.16667 58° 23' 33" 2 2 1.875x              Flecha f = y(7.x + 4.15 + 5.16667 32° 00' 19" 6 6 0.32.50000 48° 21' 59" 4 4 0.03125 = 18.750 -3.cosα) = [32.y] Tabela dy/dx = y'= -0.15 + 15/2 = 0 Va = Vb = 32.875 5.5 .5.7.x.5.7.500 -4.000 -1.666667tf Como a estrutura é simétrica MAG = MBG = -[ .5/2]/7.000 0.25.250 -4.7. trecho AG para o arco triarticulado cuja equação do eixo da estrutura triarticulada é y = -0.

                   .Diagrama de momento fletor                                                      2) Calcule e trace o diagrama de momento fletor do trecho AG para o triarticulado abaixo.17.x² + 2x para 0<x<11.76470588m. cuja equação do eixo da estrutura triarticulada é: y = -0.

9412 3 4 5 5.882352941m ΣMa = 0 → -Vb.76/2) Ms1 = -[-246.765/4)] dy/dx = y'= -0.1/2 40(11.0000 -14.765/2) .34x + 2 2 1.235y] Ms2=-[-246.25.70523 -15.x2.28 5.8824 y'= -0.11.882] = 138.66 1.35294 -19.5000 -26.2 + 30.00000 -21.235294KN 0<x<(11.76/4)<x<(11.85294 0 .875 X 0 1 2 2.882 = [813.75 5.765/2 = 5.47 5.17.83 3.1487887/5.Flecha f = 11.47.x + 1.x1 + 30.765/2)².471(11.32 4.30 0 Diagrama de momento fletor                                   M (tfm) 0.477.765/4)]/5.32 1 0.765 + 40 + 60 + 40 = 0 Va = Vb = 246.30(11.x1.x² + 2x 0 1.8824 ϕ = arc tg y' 63° 26' 05" 82 58° 56' 05" 41 52° 51' 11" 93 45° 00' 00" 44° 25' 16" 59 32° 37' 09" 28 16° 41' 57" 28 00° 00' 00" Y=-0.x1/2 + 138.64 0.cosα) = [ 246.23y+40(x2 -11.98 0.41176 4.x2+30.85294 -26.x2/2+138.765/4) (11.4705882 KN H' = Ha = Hb = Mg/(f.

.

20.4 Mf (KNm) 0 -67.                         Flecha f = 10m ΣFy = 0 → Va + Vb = 20.10(10+5) = 0 Va = 275KN Vb = 375 KN H' = Ha = Hb = Mg/(f.4 7.50 -180 .5 + 40.625 -157.6 1.2.375 5.6 4.x + 2 Seção 0 1 2 2. cuja equação do eixo da estrutura triarticulada é: y = -0.5 1.3) Calcule e trace o diagrama de momento fletor do trecho AG para o triarticulado abaixo.4 1.9 3.5] /10 cos 0° = 175KN MAG = -[ -275.10 .x + 2 2 1.100.5 -120 -140.5 3 4 5 6 x 0 1 2 2.5 3 4 5 6 y'= -0.x/2 + 175y] dy/dx = y'= -0.2.10.5 -180 -187.cosα) = [ 275.2 1.8 ϕ = arc tg y' 63° 43' 49" 60° 94' 54" 57° 99' 46" 56° 30' 99" 54° 46' 23" 50° 19' 44" 45° 00' 00" 38° 65' 98" y 0 1.5 8.x + 20.20 +50.10 6.x² + 2x para 0<x<20m.0 0.8 1.10 = 600KN ΣMa = 0 → -Vb.10 + 40.x.10.10 + 20.

1 9.625 -120 -67.0 30° 96' 38" 26° 56' 51" 21° 80' 14" 11° 30' 99" 00° 00' 00" Diagrama de momento fletor                                                   -157.4 0.7 7.6 0.9 10.5 8 9 10 7 7.6 9.50 0 .5 0.5 8 9 10 0.375 9.2 0 9.50 -140.

10.50 cos0° = 77. c) Esforço normal da seção S2.15x Momento fletor MAG = -[ -275.50m ΣFy = 0 → Va + Vb = 20.10 + 20.10.031 2.778y] x1 0 1 2 2.10 .0.0075x² com 0<x<10.0075.0.10.10 + 50.4) Calcular e traçar os diagramas do triarticulado AGB cuja equação do arco é y1 = y2 = 3x .1/2 + 50.625 69° 14' 55" 78.10² = 22. b) Esforço cortante do trecho BG.5 3 y = 3x .1/2] /22.x + 20.0.777778KN dy/dx = y'= 3 .x.0.10 = 700KN ΣMa = 0 → -Vb. flecha para x = 10m para os trechos abaixo: a) Momento fletor trecho AG.0.13 .                        f = y1 = y2 = 3.x/2 + 77.0075x² 0 y'= 3 .20 + 20.cosα) = -[ -275.10(10+10/2) = 0 Va = 275KN Vb = 425 KN H' = Ha = Hb = Mg/(f.10.15x 3 ϕ = arc tg y' 71° 56' 50" Mf (KNm) 0 7.

25 2.50 ϕ = arc tg y' 56° 30' 99" Q (KN) -106.15x 1.35 18.125 10.13 22.0.10 13.77.778.0075x² 22.281 1.10 18.0.80 2.5 8 9 10 13.50 56° 30' 99" 0 Diagrama de momento fletor                Esforço cortante Q = +[(425 .senϕ] x2 10 9 8 7.125 2.50 y'= 3 .281 1.40 66° 03' 75" 67° 38' 01" 0 .50x)cosϕ .25 66° 03' 75" 104.875 61° 92' 75" -45.50 1.4 5 6 7 7.875 61° 92' 75" 78.5 7 6 5 4 3 y = 3x .

5 2 1 0 7.92308 .11 0 3 71° 56' 50" 60.4) sen0.031 2.2.778.6076KN .77.77.625 69° 14' 55" 34.778.384616] = -237.cos0.x)senϕ .cosϕ] N = +[(-425 + 50.61 Diagrama de esforço cortante                         Esforço normal N = +[(-425 + 50.

832548.142.cosα) = [(439.57" H' = Ha = Hb = Mg/(f.471 -10.x .40(x-7)] Tabela x eq.x ϕ = arc tg y' Y = y .427452KN Vb = 439.12) .345.142 + 30.(30.x.x.854354.113491494° = 345.4.cos6.9.142 + 50.142 + 30.142/2 = 0 Va = 464.05x² + 10 para o intervalo de -14.30.5) Calcule e trace o diagrama de momento fletor do trecho BG do triarticulado cuja equação do eixo da estrutura é y = -0. e calcular o esforço cortante na seção S1.554 . y MS1 12 2.345. O valor da flecha é 8.12.(40.12/2)]/ 18.x .832548.x/2 .142.y.142) = 6.26.y1 0 2.19.80 x y1=2.832548.x/2 .142+12)= 904.854354 KN dy/dx = y'= -0.26.832548 KN α = arctg (2.y.                      ΣFy = 0 → Va + Vb = 50 + 30 + 40 + 30(14.4853.142<x< 12.142 + 40.4853m.854354.cosα] 7<x<12 Ms2 = [439.8/26.26KN ΣMa = 0 → -Vb.1x Equações do momento fletor 0<x<7 Ms1 = [439.5) .113491494° = 6°06' 48.8/26.cosα .30.80 50° 11' 40" 0 M (KNm) -7.26.

866 23.sen(ϕ-α)] Q = -[(464.042 6.x .427 .95 10.866 8.801 0.699 -9.345.728 1.328 8.00 5.621 1.sen(33.050 1.(14.699 7.071 8.50)cos33.157 2.000 Equação do esforço cortante Q = -[(464.478 2.75 1 2 3 4 5 6 7 2.142-6.471 4.                                                                                              Diagrama do momento fletor                  .345.854.0 7 8 9 10 11 12 2.713 8.264 2.0238 .95 6.30.257 2.371 2.943 1.113)] Q = 1.414 3.427 .5) .552 9.95 5.247 -3.20 9.552 6.782 -0.514 26° 33' 54" 21° 48' 05" 16° 41' 57" 11° 18' 36" 05° 42' 38" 00° 00' 00" 6.836 1.20 8.428 5.11 10 9 8 7 6 5 MS2 5 4 3 2 1 0 3.55 9.247 3.485 39.692 2.585 2.050 47° 43' 35" 45° 00' 00" 41° 59' 14" 38° 39' 35" 34° 59' 31" 30° 57' 50" 26° 33' 54" 1.023-6.256 7.80 9.854.55 8.116 15.75 9.428 2.50)cosϕ .27989942KN.80 7.285 6.533 21.30.004 39.

5 8.6 1.x/2 + 100.2 1. trecho AG.6 dy/dx = y' 2.10 + 50 + 20.1000.10/2 + 50.20 + 10.1000.10 = 350KN ΣMa = 0 → -Vb.10 + 20.cosα) = -[-150. para o triarticulado dado cuja equação do eixo da estrutura é y = -0.10.10 + 10.x² + 2x no intervalo de 0<x<20.4 9.0 0.x.6 0.x + 10.10.9 3. Fecho para x = 10m com flecha = 10m.4 ϕ = arc tg y' 63° 26' 06" 60° 56' 43" 57° 59' 41" 54° 27' 44" 50° 11' 40" 45° 00' 00" 38° 39' 35" 30° 57' 50" 21° 48' 05" Mf (KNm) 0 -45 -80 -105 -120 -125 -120 -105 -80 .4 7.150.8 1.0 1.y] X 0 1 2 3 4 5 6 7 8 y = -0.cos 0° = 100KN dy/dx = y'= -0.1 9.10.8 0.6 5.4 1.x² + 2x 0 1.2x + 2 MAG = -[ .6) Calcular e traçar o diagrama de momento fletor.(10+10/2) = 0 Va = 150KN Vb = 200KN Força sobre a linha de imposta H' = Ha = Hb = Mg/(f.1 6.                                                 Reações pela viga substituição ΣFy = 0 → Va + Vb = 10.10/2]/ 10.

2 0.9 10.0 11° 18' 36" 00° 00' 00" -45 0 .0 0.9 10 9.

sendo dado l1.Definição Qual a forma de um triarticulado (equação) de modo que MS seja nulo.         . f.Diagrama de Momento Fletor                                                                                                        7.LINHAS DE PRESSÃO 7.C . α e o carregamento.C.1 . l2.

Y = y +y1 .

sendo Ms = momento da viga de substituição na seção MS = Ms .α) .H'sen(φ .tgα = Qs H'cosα Qs = (tgφ .H'cosα ]cosφ .H'sen(φ .(senα/cosα)] . .H'cosα substituindo esta equação em II temos QS = [(tgφ .y1) = Qs → dY .H y cosα como para linha de pressão MS = 0 para qualquer seção. Cálculo do esforço normal NS = [(H' senα + Qs)² + (H'cosα )²]½ como em triarticulado só existe compressão então será (-) negativo. H'cosα cosφ .H' senα cosφ . dizemos que a sua forma é a da linha de pressão desse carregamento.α) QS = H' senφ cosα . como hipótese temos MS = 0 logo 0 = Ms .α) QS = 0 portanto não existe diagrama de esforço cortante.y1 substituímos na derivada temos dx Hcosα d(Y .tgα ).H' senα cosφ = H'sen(φ .α) QS = H'sen(φ .H'sen (φ -2) → equação II derivando a equação I em função de x temos dy = Qs como y = Y .H' y cosα y = ( Ms) → equação I Hcosα Cálculo do esforço cortante Qs = Qs cos φ .α) QS = [(senφ/cosφ).H' sen(φ . tgφ = H' senα + Qs H'cosα Conclusão: quando um triarticulado AGB para um certo carregamento estiver submetido a esforços normais.tgα ).α) como H' senφ cosα .dy1 = Qs dx H'cosα dx dx H'cosα dY = tgφ (interpolação geométrica da derivada) dx dy1 = tgα ( equação da reta y = ax + b) dx tgφ .H'sen(φ .

               Viga substituição ΣFy = 0 → Va + Vb = 2 + 2.8776 x =6 → 7.000 .28077650t H'.5t α = arc tg 2/14 = 8.2 + 2. 7 + 2.130102357 H'= Mg/(f.7. Determinar analiticamente as linhas de pressão e desenhar o triarticulado.cos8.5102 x =7 → 8.cosα) + x.130102357 = 9.5 + 4.tgα] 0<x<2 Y = -[(-15.7(7/2+7)= 0 Va =15. cosα = 9.C.3741 2<x<7 Y =-[(-15.000 x =2 → 3.5/9.5/2]/ 8.2)/9.Vb + 2.5 .x] (AC) x =0 → 0.18750 Linha de Pressão Trecho Y = [(Msubst/H'.5 + 2(x-2) + 2(x-2)(x/2 .1875) + 2/14.7 = 40 ΣMa = 0 → -14.5(5/2+2) + 4.x] (CG) x =4 → 5.5.cosα) = -[-15.5t Vb = 24.1875) + 2/14.5 + 2.2 Exemplos: 1) Construir um triarticulado "AGB" para suportar as cargas segundo as linhas de pressão.

0m                                .1875) + 2/14.0.7<x<14 (GB) Y =-[(-15. apresentando valores para as abcissas 0. e 6.000                                                                                                                  2)                                                                     Calcule e trace os diagramas dos esforços intenos solicitantes para o trecho de A até P1.4490 x =14 → 0.x] x =9 → 7.8912 x =11 → 6.5 + 2(x-2) + 225(x-2-5/2) + 4(x-7)(x/2-7)/9.0408 x =13 → 2. 3.

333.85067.tgα] 0<x<6 Y = -[(-245.666 → 7.333 → 5.222.x)senϕ + 219.cos(ϕ-α) x = 0 → -362.6.5288077 = 219.528807) + 0.850677 KN Linha de Pressão Trecho Y = y + y1 = [(Msubst/H'.cos12.31421324 x = 0 → -233.222.3369 x = 6 → 4.333 → 5.6666 6<x<9 Y = -[{-245.6.09238606 x = 0 → -272.cos12.944 → ϕ = 53.333 H'= [-30.6.[(245 .333 + 1.222 →6.5288077 f = (3+4) .7494 x = 1 → -39.448 + 0.528807} (CD) 0.x/2/219.9829313 → ϕ = 50.75172559 x = 0 → -293.(x-3)+40(x-6)+ /219.cos12.68279 + 1.x] (AC) x =0 → 0 + 0 → 0 x =2 → 2.333 + 1.6]/4.6.999 →6.78853 x = 11 → 4.856.856.Vb + 30.12 + 30.30.68279 x = 10 → 4.222.44982 + 2.0000 Esforços internos solicitantes para linha de pressão Momento fletor Mf = 0KNm para qualquer seção Esforço cortante Q = 0KN para qualquer seção Esforço normal N = .68279 + 1.6 + 30.6/2 + 40.x.x+30.cos12.6/2 + 245.448 x =4 → 3.444 → 2.0912426 → ϕ = 52 3012377 x = 0 → -315.6 + 5039 + 40.36341602 + .68279 9<x<12 Y=-[{-245.cosα) + x.56308+ 2.Viga substituição ΣFy = 0 → Va + Vb = 40 + 50 + 40 + 30.4054 → ϕ =43.888 → 4.x] x = 6 → 4.7270479 → ϕ = 49.003 + 0.6 = 490 ΣMa = 0 → -18.x + 30.12tgα = 4.15 = 0 Va = Vb = 245KN α = arc tg 4/18 = 12.5288}+0.x] x = 9 → 4.3333 + 2.856.6666 x = 9 → 4.x+180(x-3)+40(x-6)+50(x(DG) 9)/219.444 →6.447507→ ϕ = 47.999 →6.89426 x = 12 → 4.

10. 15 e30 com traçado do diagrama. 4. 6.5. apresentando valores para abcissas 0. trecho BG. 3. e 12. portanto solicita-se: a) as linhas de pressão analiticamente.Diagrama de Esforço Normal                                       3) Pretende-se construir uma estrutura triarticulada "AGB" para suportar o carregamento apresentado na figura. e com valores para abcissas 0. 8. segundo as linhas de pressão das mesmas.                           . b) esforços internos solicitantes para o trecho de B até a carga P2.

3333 + 2.5288077 = 243.528807° .12 + 50.222.377 + 0.0000 Esforços internos solicitantes para linha de pressão Momento fletor Mf = 0KNm para qualquer seção Esforço cortante Q = 0KN para qualquer seção Esforço normal Ns1 = + [.05825 x = 12 → 4.666 → 3.6521 x =6 → 4.49052 .333 → 5.6667 → 7.12 + 40 + 50 = 450 ΣMa = 0 → -18.584 + 0.0430 x =4 → 2.0430 3<x<6 (CD) Y = [(188.222.0290 x =8 → 4.8478 x =5 → 3.000 → 6.6666KN Vb = 188.cos12.12/2 + 40.6666.49052 KN Linha de Pressão Trecho Y = y + y1 = [(Msubst/H'.cosα) + x.243.959 + 0.888 → 3.188.49052cos(ϕ-α)] α = 12.333.5288077) + 0.Vb + 30.cosα) = .990 x = 11 → 4.x] x =0 → 0 + 0 → 0 x =1 → 0.40(x-6) .5288077) + 0.3333KN α = arc tg 4/18 = 12.12tgα = 4.444 → 2.0145 x =2 → 1.444 →7.Viga substituição ΣFy = 0 → Va + Vb = 30.5288077 f = (3+4) .377 + 0.7961 x = 10 → 4.x . cos2.333 → 5.4751 x = 9 → 4.333.6.222 → 1.x] x =6 → 4.555 → 6. cos2.777 → 6.1229 + 1.4735 + 1.{30(x-6)(x-6)/2} / 243.02908 x =3 → 2.15 = 0 Va =261.769 + 2.768+ 2.333m H'= Mg/(f.4562 6<x<12 (DG) Y = [(188. cos2.6/2]/4.49052 .49052 .12.1229 + 1.792 + 0.x/243.222.50(x-3) .333.4562 x =7 → 4.111 → 4.6979 + 1.6 + 30.50(x-3)/243.x] x =3 → 2.5288077) + 0.tgα] 0<x<3 (BC) Y = [(188.6138+ 2.333senϕ .540 + 1.x .[-261.666 → 3.333.222 → 6.

41417° ϕ-α = 32. .ϕ = arc tg 3. Caracterizar analiticamente as linhas de pressão.043/3 = 45.60418 KN (constante para qualquer trecho) Diagrama de Esforço Normal                                                                          4) Pretende-se construir um sistema triarticulado "AGB" para suportar as cargas conforme a figura abaixo segundo as linhas de pressão das mesmas.338.885371° Ns1 = .

x² + 0.cosα] + x.x.333.0.4.x .5 .cosα} + 5.0.Vb +1.667t H'= Mg/(f.5 .333.5 .x + 8 + 5.4583.x/ 4.40.x .333.40.x + 8(x-4) / 4.x .4583.667.x Y = 0.x/2 / 4.8.4/2] / 3.x/4 + 0.1253.333.8747.333t Vb = 2.333.333.0.[ {-5.x .1.0.5 Y = [2.cosα) = .cosα} + 5.x + 13.125.5 Y = .8.5.[-5.333.x² /4] + 5.125.667.333.40.x² + 5.4583.          ΣFy = 0 → Va + Vb = 8 ΣMa = 0 → -12.2.4583.5 .125x .4583.tgα Y = 2.x.40t Trecho AD Trecho DB Pela esquerda Trecho DB Pela direita Y = .cosα = 4.0.x.x Y = -0.[ {-5.x Y = 1.x + 32/ 4 ] + 5.4583.tgα Y = [ 5.x + 0.4 .0.x + 5.x = 1.8/2 = 0 Va =5.667.5 .5 .x + 1.x Y = -0.tgα Y = [ 5.x Y = 1.

[ -225.773663 3.cosα) = .x.1 = 135 KN Linha de Pressão Y = y + y1 = y + 0 = y = Ms1/ H'.1/2 .9.1/2 = 225KN H'= Mg/(f.2/3.x/2.                  Viga substituição ΣFy = 0 → Va = Vb = 10. cosα = .225.1/2.5) Calcule a linha de pressão do triarticulado abaixo conforme dados apresentados.18 + 2(30.x + 10.9.555555 5.9.0 1.x/2 + 30/9.9 + 10.x.958848 6.559670 5.9.0 .x/2 + (30-30/9.9] / 6.x] / 135 cos 0° x 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Y=y 0.1/2).144033 5.x.777777 4.522633 2.x).2/3.[30.818930 5.

6 = 32000kgf ΣMa = 0 → -12.[ .000 x =7 → 4. determinando analiticamente as linhas de pressão.x + 3000.6 + 2000 + 2000.tgα] 0<x<3 (AC) Y=x =0 x =1 x =2 x =3 [ .6.x + 3000.688 .18000.792 → 5.                      ΣFy = 0 → Va + Vb = 3000.x.6.6.x + 3000.6/2 + 2000.218 → 4.cosα) = [18000.18000.052 → 5.6 .125 → 4.6.3000.21875 3<x<6 (CG) Y=x =3 x =4 x =5 x =6 [ .71875 → 3.6/2 .(x-6)²] /9600 x =6 → 5.1/2.(6/2+6) = 0 Va =18000khf Vb = 14000kgf H'= Mg/(f.3 + 3000.x/2]/9600 →0 → 1.(x-3) + 2000(x-3) + 2000.6) Construir um triarticulado "AGB" para suportar as cargas segundo as linhas de pressão das mesmas.Vb + 2000.000 6<x<12 (GB) Y = .cosα) + x.3] / 5 = 9600kgf Linha de Pressão Trecho Y = y + y1 = [(Msubst/H'.x/2 + 2000(x-3)] /9600 → 4.18000.x.2000.

1671 x = 9 → 3.Caracterizar analiticamente as linhas de pressão das mesmas.354 x = 12 → 0.x =8 → 4.438 x = 10 → 2. .500 x = 11 → 1.000                                     7) Pretende-se construir um triarticulado " AGB " para suportar as cargas conforme a figura segundo as linhas de pressão das mesmas.

125 2.x H'= Mg/(f.25 5.126.333.50 .500 y1 0 0.333 2.x/2] / 44.245 x 12 11 10 9 8 7 y 3.x .125.00 7.5 Y 6.4 .458 0.x² + 1.666 3.666KN Vb = 53.042 5.833 2.(4+4) = 0 Va =26.10.75 7.cos24°37' 25" = 44KN 0<x<4 (AC) 4<x<8 (BC) x 0 1 2 3 4 5 6 y = -[ .333 Y 0 0.167 1.x = 0.667 4.000 2.x.666.         Viga substituição ΣFy = 0 → Va + Vb = 10.x] / 44.75 6.8.666.4.500 6.45833.62356479 f = 7 .666 1.208 3.10.5/12.125 4.Vb + 10.583 5.208 0 y1 3.5/12 = 24.208 3.4.9167 1.00 6.8 = 3.tgα .x y= -[ 53.375 1.250 3.cosα = 0.875 2.745 Y 0 1.292 2.333KN α = arc tg 5.500 5.375 4.3.cosα = -0.333 2.cosα) = [53.33.333m y1 = 5.1/2] / .541 3.8 = 80KN ΣMa = 0 → -12.333.

1 Definição Conjunto de barras rotuladas nas extremidades de tal forma que constituem triângulos.D . No NÓ M =0 separado da peça) Q≠0 N≠0 Na BARRA M = 0 (salvo quando solicitado calcula-se Q=0 N≠0     Dado: r = número de reações b = número de barras n = número de rótulas Quando r + b < 2n . .TRELIÇAS 7. número de incógnitas é igual ao número de equações a treliça é isostática. Quando r + b = 2n . número de incógnitas é menor que o número de equações a treliça é hipostática.D.7. Quando r + b > 2n . as cargas só agem nos nós deste sistema. número de incógnitas é maior que o número de equações a treliça é hiperestática.

mas não internamente. .3 Resolução de treliças 7. devemos observar o seguinte: a) As seções devem interceptar três barras não paralelas e nem concorrentes entre si. Pode ser feito graficamente e concluído analiticamente.1 Método de Ritter Também chamado de método das seções.D.D.2 Método dos nós Sempre percorre o nó no sentido horário.2 Lei de formação das treliças   Analisando a estrutura A e B observamos que ambas possuem a mesma quantidade de barras e externamente apresentam-se isostáticas. . introduzindo esforços incógnitos. por não obedecerem a lei de formação das treliças. c) Admite-se sempre o esforço incógnito como sendo de tração (afastando-se do nó) pois assim o resultado já será verdadeiro 7. 7.D. Suponhamos que queremos determinar esforços em determinadas barras.Determinar os esforços nas barras fazendo seções que as cortem.7.3. VB.D.3. HA e HB pelas leis da estática. segue os seguintes passos: Determinar as reações de apoio VA. b) As seções não precisam ser retas. mas tem que ser contínuas.

10 .10.4 Exemplos 1) Obter para a treliça os esforços nas barras indicadas: A.2.7.3. informando se de tração ou compressão. Identifica-se estes espaços com letra maiúscula.2= 0 G = 0.D.2.8 .sen30 ° e uma força horizontal de 5.6 + 2.2 .2 + (1+2).4 .6 .senβ. todo espaço é limitado por esforços ou barras.15.0 + 2. portanto não age sobre a tesoura. ΣMa = 0 → -(1+2). 7. agirá ainda além de Ra mais uma força vertical de 5. C.2.8 =0 Ra = 15tf Rb = 15tf Obs: Sobre o pilar A.D. G.cosβ.4 . e: F.G.2. D.                                          Método de Ritter Reações ΣFY = 0 → Ra+Rb = 1+2+2+2+2+2+2+2+1+2+2+10 = 30.12 .G.1 .00tf Obs: A força de 5tf com α = 30° está aplicada sobre a rótula. I. H.3 Método de Maxwell Cremona Pela notação de Bow.4 + Rb.2.2 .00tf Seção S2 . B.2.sen30° Seções Seção S1 ΣM = 0 → (1+2).4 + 2.2 .

D.2 .6 + 2.4 + 2.cosβ .2 .15.15.A cosβ.944271910tf ( tração)   + H.A.8 + 2.sen45  + 2.C.F.senβ.944271910tf (tração)   Seção S2 ΣFy= 0 → Seção S2    ΣM = 0 →       Seção S5 ΣMp = 0 → ΣFy = 0 →          1 + 2 + 2 + 2 .cosβ.2.15.2 .15 .ΣM = 0 → β = arctg1/2 Seção S3 ΣM f= 0 → (1+2).senβ H = .472135953tf (compressão) (2+1).4+ 2.2 .4 + 2.4 + 2.944271910tf (compressão)   Seção S1 ΣM a= 0 →   =0 (1+2).D.senβ.D.2 - R.4  + 2.236067977tf (compressão)          .15.senβ   (2+1).2  .8tf (compressão)             .G.I = 0 I = .senβ = 0 1 + 2 + 2 .2 + B.2 = 0 B = 0.3137085tf    (tração)            (2+1).2 .6 °=0          c = 11.2 .R.4 .2 .R.0 = 0 F = -8.6 + 2.cosβ.2 .senβ.00tf Seção S4 ΣM e= 0 → (2+1).1 =0         R = 8.senβ.4 + 2.cosβ.2 .0 A = 8.0 + F.2 = 0 D = -4.

não age sobre a estrutura. só no apoio.OBS: A força de 5tf aplicada no apoio rotulado fixo. Por Maxwel Cremona .

F. C< D. informando se de tração ou compressão. H.                                                  Solução pelo processo gráfico de Maxwel Cremona.2) Obter para a treliça os esforços nas barras indicadas: A.       . E. I. G. B.

6 + sen30° .2 .2.4 .senα.5.1 .sen30° .6 .50480947tf ( tração) Seção S1 ΣMc = 0 → -[-15.6 + 1.0 + 5.2.49229270tf (compressão) Seção S3 ΣMb = 0 → -[1.8 .6 + 5.6 +5.B] =0 B = 23.8 + 1.5.2 + 2.31.10 =0 Rb = 13tf ΣMb = 0 → -Ra.12040507tf (compressão) Seção S2 ΣMl = 0 → .2 + H.sen30°.6 + 1.6 + 2.2 + 5.cosα.G.cos30° .0 + 16Ra .4 + 2.10 .8 + 2.10 + 2.4 + 2.2 .6 + 2.G.14 .15.cosα.sen30°.5.2 + 2.cos 30° = 4.0 + 5sen30° .cos30°.16 .1] = 0 G = .D.0 .5tf Seção S1 ΣMg = 0 → -[-15.sen30°.6 + 2.10 + 5.16 + 1.2.sen30°.2 + 5.6 .senα.91179159tf (tração) .2.2] = 0 D = -21.2 + 5.1 .2 + 1.2] = 0 H = 29. 0 = 0 Ra = 15.cos30°.14 + 2.0 + 5.senβ. 16 + 5. 3 + 2.16 + 2.cosβ. 2.4 .6 + 2.1 + 5.5.5.[ -15.12 + 2.D.1 .1.2 .2.H.5.12 .8 + 2.2 + 5.2.4 + 2.Método de Ritter ΣFx = 0 → Hb = 5.8 + 5.2.33012702tf ΣMa= 0 → .

senβ. bc.1 – H. ih.999960570tf                                                                                                      3) Determine os esforços normais atuantes na treliça abaixo.cosβ.2 + 5. hd. ik. Por Cremona: ac. gh. somente nas barras indicadas.3.Seção S4 ΣMb = 0 → -[ -15.2 + H.cos30°.4 + 5.5. dc.4 + 2.                                                 . ea.2 + F. Pelo método dos nós: fe. Pelo método de Ritter: fi.4 + 1.7 ] = 0 F = . hg.sen30°.

3 .6667kgf (compressão) ea = 9.6500kgf (compressão) Pelo Método dos Nós ΣFy = 0 → Va + Vb = 8000 + 8000 = 16000 ΣMa = 0 → 2000.sen (arc tg 3/4) .4. E. G.hg.0.8000 = 0 fi = -8000kgf (compressão) ΣFx = 0 → -ik = 0 ik = 0kgf ΣMd = 0 → -2000.4 .4 + 4000.6 + 8000. F.3333kgf (tração) Pelo método de Maxwel Cremona bc = -9000kgf (compressão) ca = 6000kgf (tração gh = -6500kgf (compressão) hd = -7333.6kgf (tração) SEQUÊNCIA: NÓ: B. C.4.3 .hi.Pelo Método de Ritter ΣFy = 0 → -fi .3 .(-2500).4 = 0 hg = .sen9arc tg3/4) = 0 hi = -2500kgf (compressão) ΣMg = 0 → -8000. . D. A.8 = 0 Va = 9000kgf Vb = 7000kgf fe = -11.Vb.3kgf (compressão) dc = 4166.

po.4 .666KN (compressão) ΣMi = 0 → 10.ag.6. qr. Por Cremona: fq. op. somente nas barras indicadas.2.43° = 0 ag = 52.26. Pelo método de Ritter: go.4 + 20.2 = 0 ap = . ra.sen 63.4 + ap. mk.3.666.666.2 .2 .666.17493KN ( tração) ΣMd = 0 → 10.6 + 20. lj.6.2 .6 .6.sen45° = 0 Pelo .4) Determinar os esforços normais atuantes na treliça abaixo. pa.                                                               Método de Ritter ΣMb = 0 → 10. Pelo método dos nós: il.4 + 20.4 + 20.

666KN (compressão) .81423KN (tração) qr = 22.666KN (tração) lj = -13.712362KN (tração) Pelo Método dos Nós il = 16.333KN (compressão) mk = -13.po = 37.360662KN (compressão) ra = 6.45357KN (tração) sa = 6.333 KN (compressão) Por Maxwel Cremona es = 7.666KN (compressão) fq = 29.

5) Determinar os esforços normais atuantes na treliça abaixo. xy. Pelo método dos nós: dz.                                                                 . za. Por Cremona: ex. Pelo método de Ritter: ip. po. ya. seção S3*-. somente nas barras indicadas. oa seção S1.

0 .355Kn (compressão) .2.2.2.(34.5 + 30.5 + 20.5 .2.Reações ΣFy = 0 → Va + Vb = 10 + 20 + 20 + 12 + 15 + 30.0 .5 .160KN (tração) Pelo Método dos Nós mf = 25KN (tração) hm = -35.Vb + 20.(34.5 = 0 Va = 34.5.0 + kj.sen45°.2.sen45° .5 = 0 ja = 45.213.20.2.sen45° = 96.21.213KN ΣFx = 0 → Ha = 30.5 = 0 ek = -28.5 .712.712Kn (compressão) ΣMa = 0 → ja.0 + 21.356.0 + 34.ek.5) + 10.12.213.0 + 20.5 + (10+15).(-28.569KN (tração) ΣMc = 0 → ja.356+10).2.213KN ΣMa = 0 → -10.8566KN Pelo Método de Ritter ΣMd = 0 → ek.356 + 10).cos45° = 21.7.0 + ja.5 .213.0 -kj.21.0 + kj.356KN Vb = 61.2.5 = 0 kj = 6.

Por Maxwel Cremona .