UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Instituto de Letras – Departamento de Linguística, Teoria Literária e Filologia
Disciplina: LET03878 – I ntrodução à Linguística Histórica – Turma C – 2011/2
Profª. Dra. Valéria Monaretto
ALUNA: Laura Campos de Borba








Trabalho sobre Mudança Linguística
Variável Analisada: ps/s em início de palavra no
espanhol do Chile






Porto Alegre, 06 de dezembro de 2011.
1. INTRODUÇÃO E DESCRIÇÃO DA VARIÁVEL
Diatopicamente, o espanhol está bastante difundido no globo. É a língua oficial
de 20 países (Chile, Uruguai, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru, Venezuela, Colômbia,
Equador, Porto Rico, El Salvador, Cuba, Honduras, República Dominicana, México,
Guatemala, Panamá, Costa Rica, Nicarágua e Espanha), e há um país que o tem como
segunda língua (Estados Unidos).
Dada a condição de instabilidade das línguas, é natural que ocorram formas
variantes. No caso do espanhol, devido à sua ampla distribuição, a categoria mais
comum de variantes são as variantes diatópicas, nas quais um mesmo significado pode
ser manifestado através de significantes distintos de acordo com o país e até de acordo
com as diversas regiões dentro de um mesmo país. Isso não significa que não existam
outras categorias de variação. Farias (2009a, p. 75), por exemplo, cita, conforme uma
concepção diassistêmica da linguagem, as categorias de variação que podem existir em
uma língua: diacrônica (onde a variação ocorre num eixo temporal), diatópica (já
explicada anteriormente), diastrática (variação de acordo com o extrato sócio-cultural;
inclui as gírias, por exemplo) e diafásica (variação conforme as diferentes situações de
fala, como familiar, coloquial, literária, poética, etc). Neste trabalho, apresentarei um
exemplo mais geral: uma variável de caráter fonológico que é comum a todos os países
de fala hispana.
No espanhol, as palavras iniciadas pelo segmento consonantal -ps- possuem duas
formas variantes de manifestação, cuja presença é possível verificar tanto na fala como
na escrita. Essas formas variantes são -ps-/-s- (na escrita) e [ps]/[s] (na fala). Conforme
será apresentado a seguir, essa variável não está relacionada a uma palavra específica,
mas sim a todas as palavras que iniciam com o segmento -ps- (na escrita)/[ps] (na fala),
como psicología, psiquiatría, entre tantas outras que citaremos.
Alguns dicionários, como o dicionário Señas (2008), voltado para aprendizes
brasileiros de espanhol como língua estrangeira, registram na transcrição fonética dos
verbetes apenas uma das variantes (no caso do dicionário citado, foi incluída apenas a
variante [s]). Ou seja, a orientação proposta pelo dicionário é que, na fala, utilize-se a
variante iniciada por [s]. Em contrapartida, o dicionário contém lematizadas tanto as
variantes iniciadas por -s- como as variantes iniciadas por -ps-, apresentando no verbete
o significado da palavra e uma remissão à outra forma variante correspondente. Ou seja,
o dicionário propõe uma orientação para a escrita (a de que pode-se usar indistintamente
as variantes -ps- e -s-) diferente da orientação para a fala (a de que use-se a variante [s]).
Outros dicionários, como o Diccionario de la Real Academia Española (DRAE,
2001), voltado para falantes nativos de língua espanhola e responsável pela orientação
quanto ao uso da língua, contêm lematizada a maioria das variantes iniciada por -s- e
realizam uma remissão às variantes correspondentes iniciadas por -ps-. Ou seja, o
dicionário considera válidas as duas formas variantes da variável -ps-/-s-; através da
remissão às formas correspondentes à variante -ps-, o dicionário indica que essa é a
forma canônica utilizada no espanhol.

2. PROJEÇÃO HISTÓRICA DA VARIÁVEL E POSSÍVEIS CAUSAS
No tópico anterior, foi possível perceber que não há um consenso sobre a
orientação de como utilizar as variantes da variável -ps-/-s- (na escrita) e [ps]/[s] (na
fala). Há orientações de uso diferentes na fala e na escrita presentes até dentro de um
mesmo dicionário, e ainda as orientações de uso dessas variantes diferem de dicionário
para dicionário. Diante disso, pode-se afirmar que essa variável trata-se de um caso de
variação estável.
Não é possível tomar conhecimento a respeito dos fatores que condicionam essa
variação. Resta apenas a construção de hipóteses sobre a causa desse fenômeno.
Uma primeira hipótese, de caráter linguístico, é a de que, sendo o [p] uma
oclusiva surda, acompanhada de [s], uma fricativa também surda, os falantes do
espanhol, de uma forma mais geral, tenham efetuado o apagamento de [p] na fala
buscando uma simplificação da pronúncia. Esse apagamento iniciaria na fala e teria se
projetado sobre a escrita, dando origem à variável ps/s na fala e na escrita.
Uma segunda hipótese, de caráter social, é a de que, diante da primeira hipótese
a respeito do apagamento de [p] na fala, falantes do espanhol que não fossem
escolarizados, ou que tivessem uma escolarização incompleta, ouviriam a variante com
-s- e a reproduziriam na fala. Devido à tendência de projetar a fala sobre a escrita sem
nem sempre observar a ortografia oficial, falantes que tivessem uma escolarização
incompleta poderiam projetar a variação da fala [ps]/[s] na escrita, de maneira a
construir a variável na escrita -ps-/-s- e difundi-la.

3. METODOLOGIA
3.1 Objeto de análise
Para uma análise da variação na fala, ao tratar-se de uma língua estrangeira,
como é o espanhol, seria necessário um contato direto com alguns falantes nativos.
Devido a tal feito ser inviável para mim no momento, já que conheço diretamente
apenas um falante nativo do espanhol, escolhi analisar o fenômeno da variação a partir
de um corpus escrito do espanhol.
Conforme citado no tópico 1, o espanhol é uma língua amplamente difundida no
globo; sendo assim, seria difícil (além de trabalhoso) verificar um caso de variação a
partir de cada um dos países onde o espanhol se faz presente como língua oficial ou
como segunda língua. Diante disso, fiz um recorte e limitei a pesquisa da variação ps/s
na escrita para um país apenas, escolhido aleatoriamente. Esse país é o Chile. Realizei
também uma segunda limitação da pesquisa, em relação à origem dos registros escritos
do corpus. Escolhi o meio jornalístico, por sua ampla difusão e circulação.
3.2 Descrição da amostra
O corpus que serviu de fonte para a pesquisa é o Corpus de referencia del
español actual (CREA, 2010), disponível on-line no site da Real Academia Espanhola.
Esse corpus possui mais de 160 milhões de registros do espanhol, dos quais 90%
provêm de livros, revistas, jornais (fontes escritas) e 10% provêm de transcrições de
programas de televisão e rádio, em sua maior parte (fontes orais). No CREA (2010),
além da consulta normal (abrangente), é possível realizar uma busca refinada, cujos
critérios de seleção são: autor; obra; cronológico (intervalo de tempo das publicações
dos registros); meio (livros, jornais, revistas, miscelânea, oral); Geográfico
(direcionamento da pesquisa para que apareçam resultados de somente um dos países de
fala hispana); tema (pesquisa por assunto, como ecologia, tecnologia, entre outros).
Em minha pesquisa, utilizei dois desses filtros disponíveis: meio (jornais) e
geográfico (Chile). Foram escolhidos quatro pares de variantes: 1. psicología/sicología;
2. psicólogo/sicólogo; 3. psiquiatra/siquiatra e 4. psicológico/sicológico.
3.3 Descrição dos dados
Visando um melhor acompanhamento dos resultados, separarei os mesmos de
acordo com seus pares para, ao final, no tópico 3.4, efetuar as conclusões gerais. As
ocorrências registradas no CREA (2010) podem ser encontradas nos Anexos (tópico 5).
A respeito do primeiro par de variantes (psicología/sicología), os resultados da
busca foram os seguintes: há seis registros de psicología, dos quais cinco são do jornal
Diario El Sur e um é do jornal El Mercurio; e há quatro de sicología, dos quais dois são
do jornal La Época (que circulou até 1998) e dois são do jornal El Mercurio.
A respeito do segundo par de variantes (psicólogo/sicólogo), os resultados da
busca foram os seguintes: há quatro registros de psicólogo, dos quais dois são do jornal
Consorcio Periodístico de Chile e dois são do jornal El Mercurio; e há três registros de
sicólogo, dos quais um é do jornal Consorcio Periodístico de Chile e dois são do jornal
El Mercurio.
A respeito do terceiro par de variantes (psiquiatra/siquiatra), os resultados da
busca foram os seguintes: há sete ocorrências de psiquiatra, das quais cinco são do
jornal El Mercurio, uma é do jornal Consorcio Periodístico de Chile e uma é do jornal
La Segunda; e há seis ocorrências de siquiatra, das quais duas são do jornal El
Mercurio, duas são do extinto jornal La Época, uma é do Consorcio Periodístico de
Chile e uma é do La Segunda.
A respeito do quarto par de variantes (psicológico/sicológico), os resultados da
busca foram os seguintes: há uma ocorrência de psicológico, do jornal El Mercurio; e há
treze ocorrências de sicológico, das quais sete são do extinto jornal La Época, três são
do jornal Consorcio Periodístico de Chile, duas são do jornal El Mercurio e uma é do
jornal Diario El Sur.


Quanto aos jornais, os que têm maior relevância quantitativa nos resultados das
buscas são o Consorcio Periodístico de Chile e o El Mercurio. O primeiro é uma grande
empresa que produz jornais tais como La Hora e La Quarta (jornais populares), La
Tercera (um dos jornais de maior circulação do Chile, de caráter mais geral e não
popular) e Pulso (jornal voltado para a área econômica). O segundo é uma sociedade
anônima (El Mercurio Sociedad Anónima Periodística) que produz versões do El
Mercurio em várias regiões do Chile, sob o mesmo nome ou sob outros nomes, como
La Estrella de Iquique. A rede de jornais El Mercurio está entre as redes de maior
circulação no Chile, juntamente com a rede de jornais Consorcio Periodístico de Chile,
e produz jornais de caráter mais geral, não popular e sem inclinação a alguma área
específica, como política ou economia.
Não considerei como relevante os jornais La Época e Diario El Sur porque não
foi possível localizar versões on-line dos mesmos e, assim, verificar o público-alvo a
quem esses jornais de dirigiam (no caso do La Época, até 1998).
É importante salientar que os registros do CREA (2010) são do período de 1975
a 2004; logo, não serão encontrados resultados posteriores a esse intervalo temporal.
3.4 Resultados e conclusões
Devido ao caráter do objeto sobre o qual recaiu a pesquisa, não é possível
comprovar empiricamente as hipóteses formuladas no tópico 2. Diante dos dados
obtidos, a única afirmação que se pode fazer é a de que as variantes estão com
concorrência na escrita e que elas ocorrem indistintamente tanto nos jornais gerais de
caráter não popular como nos jornais populares. Além disso, é curioso o fato de que
formas variantes, como psicólogo e sicólogo tenham, na mesma rede de jornais o
mesmo número de ocorrências (no caso, há ocorrências no jornal El Mercurio e em uma
de suas versões, o jornal La Estrella de Iquique). Isso indica que ambas as formas são
utilizadas indistintamente por essa rede de jornais, salientando o caráter de variação
estável dessa variável.



4. Referências bibliográficas e fontes utilizadas
CREA. Real Academia Española. Corpus de referencia del español actual. 2010.
Disponível em: < http://corpus.rae.es/creanet.html>. 04/12/2011.
DRAE. Real Academia Española. Diccionario de la Real Academia Española. 2001.
Disponível em: <http://buscon.rae.es/draeI/>. 04/12/2011.
FARIAS, V. S. Desenho de um dicionário escolar de língua portuguesa. Porto Alegre:
Instituto de Letras, UFRGS, 2009. [Dissertação de Mestrado].
SEÑAS. Universidad de Alcalá de Henares, Señas: diccionario para la enseñanza de la
lengua española para brasileños. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

5. Anexos
Resultados para PSICOLOGÍA:
1 psicología 2003 PRENSA
El Mercurio, 09/04/2003 : El género tuvo su primer seminario CHILE
04.Medios de comunicación El Mercurio S.A.P. (Santiago de Chile),
2003
2 psicología 2002 PRENSA
El Sur, 10/10/2002 : Uso de psicología CHILE
02.Psicología Diario El Sur, S.A. (Concepción), 2002
3 psicología 2002 PRENSA
El Sur, 10/10/2002 : Uso de psicología CHILE
02.Psicología Diario El Sur, S.A. (Concepción), 2002
4 psicología 2002 PRENSA
El Sur, 10/10/2002 : Uso de psicología CHILE
02.Psicología Diario El Sur, S.A. (Concepción), 2002
5 psicología 2002 PRENSA
El Sur, 10/10/2002 : Uso de psicología CHILE
02.Psicología Diario El Sur, S.A. (Concepción), 2002
6 psicología 2002 PRENSA
El Sur, 10/10/2002 : Uso de psicología CHILE
02.Psicología Diario El Sur, S.A. (Concepción), 2002

Resultados para SICOLOGÍA:

1 sicología 1997 PRENSA
La Época, 26/06/1997 : Patricio Yáñez: CHILE
05.Deportes (Santiago), 1997
2 sicología 1996 PRENSA
La Época, 27/06/1996 : Maltrato infantil CHILE
02.Testimonios varios (Santiago), 1996
3 sicología 2004 PRENSA
La Estrella de Iquique, nº 12.516, 16/03/2004 : CHILE
02.Educación El Mercurio, S.A.P. (Iquique), 2004
4 sicología 2004 PRENSA
La Estrella de Iquique, nº 12.516, 16/03/2004 : CHILE
02.Educación El Mercurio, S.A.P. (Iquique), 2004

Resultados para PSICÓLOGO:
1 psicólogo 2004 PRENSA
La Tercera, 26/11/2004 : Aliados y confidentes CHILE
02.Psicología Consorcio Periodístico de Chile, S.A.
(Santiago de Chile), 2004
2 psicólogo 2004 PRENSA
La Cuarta. El Diario Popular, 13/02/2004 : Tanos piden exorc CHILE
03.Iglesia Consorcio Periodístico de Chile
(Santiago de Chile), 2004
3 psicólogo 2004 PRENSA
La Estrella de Iquique, nº 12.516, 16/03/2004 : CHILE
02.Educación El Mercurio, S.A.P. (Iquique), 2004
4 psicólogo 2004 PRENSA
La Estrella de Iquique, nº 12.516, 16/03/2004 : CHILE
02.Educación El Mercurio, S.A.P. (Iquique), 2004

Resultados para SICÓLOGO:
1 sicólogo 2004 PRENSA
La Tercera, 26/11/2004 : Una disconformidad con su imagen co CHILE
02.Erotismo, Sexología Consorcio Periodístico de Chile, S.A.
(Santiago de Chile), 2004
2 sicólogo 2004 PRENSA
El Mercurio, 04/11/2004 : RALLY-RAID: CHILE
05.Deportes El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004
3 sicólogo 2004 PRENSA
El Mercurio, 04/11/2004 : No me saquen la foooo... CHILE
05.Actualidad El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004

Resultados para PSIQUIATRA:
1 psiquiatra 2004 PRENSA
Por fin viernes. Suplemento de La Segunda, 12/03/2004 : Dest CHILE
04.Teatro La Segunda S.A.P. (Santiago de Chile),
2004
2 psiquiatra 2004 PRENSA
El Mercurio, 06/02/2004 : Antidepresivos: CHILE
06.Medicina El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004
3 psiquiatra 2004 PRENSA
El Mercurio, 06/02/2004 : Antidepresivos: CHILE
06.Medicina El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004
4 psiquiatra 2004 PRENSA
El Mercurio, 06/02/2004 : Antidepresivos: CHILE
06.Medicina El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004
5 psiquiatra 2003 PRENSA
El Mercurio, 09/04/2003 : Comerse las uñas: CHILE
02.Psicología El Mercurio S.A.P. (Santiago de Chile),
2003
6 psiquiatra 2003 PRENSA
El Mercurio, 09/04/2003 : Comerse las uñas: CHILE
02.Psicología El Mercurio S.A.P. (Santiago de Chile),
2003
7 psiquiatra 2004 PRENSA
La Cuarta. El Diario Popular, 13/02/2004 : Tanos piden exorc CHILE
03.Iglesia Consorcio Periodístico de Chile
(Santiago de Chile), 2004

Resultados para SIQUIATRA:
1 siquiatra 2004 PRENSA
La Tercera, 26/11/2004 : Una disconformidad con su imagen co CHILE
02.Erotismo, Sexología Consorcio Periodístico de Chile, S.A.
(Santiago de Chile), 2004
2 siquiatra 2004 PRENSA
Por fin viernes. Suplemento de La Segunda, 12/03/2004 : Sino CHILE
04.Cine y vídeo La Segunda S.A.P. (Santiago de Chile),
2004
3 siquiatra 2004 PRENSA
El Mercurio, 16/07/2004 : Drogas y alcohol: CHILE
05.Actualidad El Mercurio S.A.P (Santiago de Chile),
2004
4 siquiatra 2004 PRENSA
El Mercurio, 06/02/2004 : Director: CHILE
04.Cine y vídeo El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004
5 siquiatra 1997 PRENSA
La Época, 11/07/1997 : Fiscal de EE.UU. declarará en causa e CHILE
05.Actualidad (Santiago), 1997
6 siquiatra 1996 PRENSA
La Época, 27/06/1996 : Maltrato infantil CHILE
02.Testimonios varios (Santiago), 1996

Resultados para PSICOLÓGICO:
1 psicológico 2003 PRENSA
El Mercurio, 09/04/2003 : Comerse las uñas: CHILE
02.Psicología El Mercurio S.A.P. (Santiago de Chile),
2003

Resultados para SICOLÓGICO:
1 sicológico 2004 PRENSA
La Tercera, 26/11/2004 : Según un informe elaborado por el I CHILE
01.Estadísticas Consorcio Periodístico de Chile, S.A.
(Santiago de Chile), 2004
2 sicológico 2004 PRENSA
La Tercera, 26/11/2004 : Víctor Astudillo Vega, 39, mató a s CHILE
02.Mujer Consorcio Periodístico de Chile, S.A.
(Santiago de Chile), 2004
3 sicológico 2004 PRENSA
El Mercurio, 04/11/2004 : Pediatría: CHILE
06.Salud El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004
4 sicológico 2004 PRENSA
El Mercurio, 06/02/2004 : Viña del Mar: CHILE
03.Justicia, legislación El Mercurio, S.A.P. (Santiago de
Chile), 2004
5 sicológico 1998 PRENSA
La Época, 19/01/1998 : Estévez: "No se entiende la falta de CHILE
03.Política (Santiago), 1998
6 sicológico 1997 PRENSA
La Época, 03/10/1997 : Justicia castrense espera el certific CHILE
03.Justicia, legislación (Santiago), 1997
7 sicológico 1997 PRENSA
La Época, 05/06/1997 : Organismo fiscal se hizo parte en pro CHILE
03.Justicia, legislación (Santiago), 1997
8 sicológico 1997 PRENSA
La Época, 05/06/1997 : Al referirse sobre las cábalas que in CHILE
05.Deportes (Santiago), 1997
9 sicológico 1997 PRENSA
La Época, 16/03/1997 : Este próximo viernes 21 la institució CHILE
03.Ejército, ciencia militar (Santiago), 1997
10 sicológico 1997 PRENSA
La Época, 16/03/1997 : Este próximo viernes 21 la institució CHILE
03.Ejército, ciencia militar (Santiago), 1997
11 sicológico 1996 PRENSA
La Época, 22/07/1996 : Correo Electrónico a La Epoca CHILE
02.Testimonios varios (Santiago), 1996
12 sicológico 2004 PRENSA
La Cuarta. El Diario Popular, 13/02/2004 : Horóscopo CHILE
02.Astrología y ciencias ocult Consorcio Periodístico de Chile
(Santiago de Chile), 2004
13 sicológico 2002 PRENSA
El Sur, 10/10/2002 : Turismo rural CHILE
05.Turismo Diario El Sur, S.A. (Concepción), 2002