P. 1
A BÍBLIA DO CARRO - (Tudo sobre seu automóvel)-1

A BÍBLIA DO CARRO - (Tudo sobre seu automóvel)-1

3.5

|Views: 10,360|Likes:
Published by castelo
aqui podemos entender um pouco mais como trabalha o nosso carro
aqui podemos entender um pouco mais como trabalha o nosso carro

More info:

Published by: castelo on Nov 09, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/22/2014

pdf

text

original

Uma bateria de automóvel gera 6 ou 12 volts. Contudo, é necessária uma voltagem
milhares de vezes superior para se obter a faísca que inflama a mistura de gasolina
e ar. È a bobina que transforma a corrente de baixa voltagem da bateria em
corrente de alta voltagem necessária para as velas. A bobina de um automóvel de
tipo médio fornece as velas uma corrente com tensões até 50.000 volts.
A bobina funciona segundo o principio de que, quando a corrente elétrica passa
num enrolamento de fios, gera-se um campo magnético e, inversamente, quando
se interrompe um campo magnético, gera-se eletricidade em qualquer enrolamento
de fio dentro das linhas de força do campo magnético.

72

A voltagem original será aumentada se houver dois enrolamentos de fio, possuindo
um deles mais espiras do que o outro. Os dois enrolamentos da bobina rodeiam um
núcleo de ferro macio que concentra o campo magnético. O enrolamento primário é
constituído por algumas centenas de espirais de fio relativamente grosso. Este
enrolamento constitui a parte de baixa voltagem e recebe a corrente vinda da
bateria.
O enrolamento secundário é constituído por milhares de espiras de fio fino (cerca
de 2000 mts.). Este enrolamento constitui a parte de alta voltagem e fornece a
corrente às velas. Quando se roda a chave de ignição, a corrente elétrica vinda da
bateria atinge um dos terminais da bobina, atravessa o enrolamento primário e sai
pelo outro terminal do mesmo enrolamento para os platinados do distribuidor.
Se os platinados estiverem fechados, a corrente passará por eles, transformando o
enrolamento primário e o núcleo num eletroímã que, como tal, gerará um campo
magnético. Nesse caso, a corrente completa o seu circuito através da carroceria do
automóvel, voltando à bateria.

73

Ao abrirem-se os platinados, a correntes deixa de passar para o primário da bobina
e interrompe-se o campo magnético que atravessa os milhares de espiras do

74

enrolamento secundário. A corrente de alta tensão passa do enrolamento
secundário para as velas através do distribuidor e retorna das velas para a bobina
através da carroceria.

Num sistema de bobina de ignição a corrente de baixa voltagem passa da bateria
para o condensador e os platinados através do enrolamento primário. O circuito
completa-se com o retorno da corrente através do motor e da carroceria. A
corrente de alta tensão, gerada na bobina, passa para as velas através do
distribuidor.

75

Quando se interrompe o campo magnético, induz-se uma voltagem no enrolamento
primário, suficientemente elevada para formar um arco voltaico entre os contatos
dos platinados. Como, em conseqüência, os contatos queimar-se-iam rapidamente,
acrescenta-se ao circuito um condensador para suprimir o arco. O condensador
esta alojado dentro do distribuidor e ligado, em paralelo, ao contato dos platinados
O condensador não pode ser atravessado pela corrente, já que é formado por duas
placas metálicas separadas por um isolador atuando, contudo, como depósito de
energia elétrica que, de outro modo, iria provocar a formação do arco quando da
separação dos contatos dos platinados.
Esta energia é descarregada no primário da bobina, produzindo um efeito de
inversão que acelera a interrupção do campo magnético aumentando, deste modo,
a voltagem no enrolamento secundário.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->