(P-010

)
BATALHA NO SETOR VEGA
Autor
K. H. SCHEER
Tradução
Maria M. Würth Teieira
Digitalização
V!T"R!O
Revisão
ARL!N#O$SAN
Terceira Potência conheceu um período de paz após a ameaçadora invasão de seres
extraterrenos, rechaçada por Perr Rhodan com o auxílio da t!cnica arc"nida e dos
extraordin#rios poderes de seu corpo de mutantes$ A Terceira Potência representa a mais
poderosa nação terrestre, a despeito de sua reduzida dimensão territorial$
%al#xia, a supermoderna cidade dotada de uma imensa &ase espacial, e de amplos
complexos industriais operados 'uase 'ue exclusivamente por ro&"s, ! o monumento mais
impressionante da nova civilização$
(as, de repente, %al#xia ! colocada em estado de alarma$ A &ordo da %ood )ope, a
nave auxiliar do destruído cruzador cósmico dos arc"nidas, Perr Rhodan decola em
direção ao sistema planet#rio de *ega, na distante constelação de +ira$
% % % % % % % % % % Per&'(a)e(& Pri(*i+ai&, % % % % % % % % % %
Perr- Rh'.a( — Chefe da Terceira Potência.
Re)i(a/. Be// — Ministro da segurança da Terceira Potência.
Ge(era/ Le&/e- P'0(.er — Chefe da Força Espacial dos Estados Unidos.
#r. 1ra(2 Ha))ar. — Ministro da saúde da Terceira Potência e fundador da Clínica
Arcnida.
H'3er G. A.a3& — Ministro das finanças da Terceira Potência! e diretor da "eneral
Cosrnic Co#pan$.
C'r'(e/ 1re-t — Chefe da Força de Caça Espacial da Terceira Potência.
Ma4'r #eri()h'0&e — Co#andante do %
o
"rupo de Caça Espacial da Terceira Potência.
Ma4'r N-&&e( — Co#andante do &
o
"rupo de Caça Espacial da Terceira Potência.
Ca+it5' K/ei( — Agente de segurança da Terceira Potência.
Te(e(te Li Shai-t0() — 'ficial de ligaç(o da Terceira Potência co# o )er*iço )ecreto
da Federaç(o Asi+tica.
Th'ra e Cre&t — Arcnidas! respecti*a#ente! co#andante da na*e arcnida destruída! e
cientista,chefe da raça.
Bett- T'06r- — Telepatia e telecin-sia.
7'h( Mar&ha// — Telepatia e superc-re.ro.
Ta2' Ka20ta — Teleportaç(o.
W0ri0 Se()0 — *is(o raio,/.
Ra/6 Marte( — parapsicologia e e0opersonificaç(o.
A//a( #. Mer*a(t — Chefe do Conselho 1nternacional de 2efesa.
Mare*ha/ Gre)'r Petr'(&2i — Chefe da 2efesa A-rea e Espacial 'riental.
K'&&e/'8 — Chefe do )er*iço )ecreto 'riental.
Th'rt — Chefe supre#o dos ferrnios e do siste#a 3ega.
Cha2t'r — Ferrnio resgatado no espaço por 4hodan e seu int-rprete.
L'&&'& — Cientista,chefe ferrnio.
Cre2-Or( — Al#irante,chefe dos t5psidas
Ga/9ia — Cidade da Terra! capital da Terceira Potência.
G''. H'+e — 6a*e co# 7ue 4hodan *ia8a para 3ega. E0,na*e au0iliar do cru9ador
arcnida destruído na :ua.
Perr'/ — 'ita*o planeta de 3ega! ha.itado pelos ferrnios.
R'60& — 6ono planeta de 3ega! co# a capital Chuguinor.
T:+&i.a& — 4aça oriunda do siste#a 'rion,2elta! a estrela dupla. 2escendentes de
r-pteis! s(o inteligentes! alta#ente ci*ili9ados! por-# cru-is e
insensí*eis.
1err;(i'& — 4aça se#elhante ; hu#ana. 1nteligentes e a*ançados! tê# pele a9ul e
po*oara# os planetas do siste#a 3ega.
E# o.ediência ; estridente *o9 de co#ando! du9entos .raços #ec<nicos erguera# no
ar seu fulgor #et+lico. Ce# fu9is de raios apontara# as .ocas para o c-u se# nu*ens do
deserto de "o.i. Ce# soldados,ro.s de aço perfilara#,se e# total i#o.ilidade! por-#
co# as entranhas eletrnicas e# silenciosa e in*isí*el ati*idade.
— 6osso *isitante ser+ rece.ido co# as de*idas honras= — disse o coronel Fre$t!
co# u# olhar irnico para o oficial 7ue co#anda*a os guerreiros de #etal.
' capit(o >lein pigarreou discreta#ente. )e#icerrando os olhos! e0a#inou a
aerona*e rec-#,pousada.
— U# tanto fa#iliar! n(o lhe parece? — co#entou. — 3ocê oficia a ceri#nia!
coronel?
4ígido co#o u# .oneco! Fre$t! chefe da Força de Caça Espacial da Terceira
Potência! enca#inhou,se para o a*i(o. ' le#e do gigantesco .o#.ardeiro a 8ato ostenta*a
a insígnia da Força Espacial dos Estados Unidos. Fre$t aguardou 8unto ; escada rolante.
6a estreita porta de dese#.ar7ue desenhou,se u# *ulto alto e i#ponente. E#
silêncio! o general :esle$ Pounder! chefe da Força Espacial a#ericana! olhou e# torno.
Por instantes! seu olhar se dete*e so.re a for#aç(o i#pec+*el das #+7uinas de lutar.
Correspondeu co# displicência ; continência do capit(o >lein. )ua atenç(o esta*a *oltada
para as #ano.ras tonitruantes dos aparelhos! #al e #al *isí*eis no c-u a9ul a consider+*el
altura. Esta*a,se no #ês de #aio e o rel5gio #arca*a pouco #ais de tre9e horas. ' calor
era opressi*o.
U#a s-rie de estrondosos tro*@es indicou 7ue a es7uadrilha! ru#ando para o espaço
c5s#ico! ro#pera a .arreira do so#. Por-# os #inúsculos pontinhos prateados
desaparecera# do ca#po *isual #uito antes 7ue as ondas de so# alcançasse# o solo.
— U# .elo espet+culo= — elogiou Pounder! i#pressionado. — Co#o *ai! Fre$t?
Fa9 te#po 7ue n(o nos *e#os! n(o -?
Co#ent+rio 5.*io! para disfarçar o constrangi#ento. Ta#.-# para Pounder o
#o#ento do reencontro era u# tanto depri#ente.
— )i#! cerca de três anos! general — confir#ou Fre$t! e*asi*a#ente. — ' senhor
tinha #e en*iado ; :ua! nu# foguete do tipo ,tardust. A #iss(o resultou t(o desastrosa
7uanto a aterrissage# no nosso sat-lite. E se Perr$ 4hodan n(o nos ti*esse resgatado co#
a na*e esf-rica! o senhor teria #ais três no#es de pilotos de pro*as e# sua lista de .ai0as.
Pounder! o .ai0o e corpulento chefe da Força Espacial! repri#iu a custo sua
conhecida irrita.ilidade.
— )orte sua... — constatou e# to# seco. — E e# conse7Aência disso! o senhor te#
usado nos últi#os três anos a farda da Terceira Potência. Mas at- 7ue o unifor#e - .onito.
U# tanto ut5pico! tal*e9... 3e8o 7ue foi pro#o*ido.
' coronel Fre$t preferiu n(o dar resposta. Pounder *inha *isitar a Terceira Potência
e# car+ter oficialB portanto! n(o ha*ia sentido algu# e# discutir co# seu antigo superior
hier+r7uico.
— ' carro est+ a sua espera! general= — disse! para des*iar o assunto. — ' chefe
ainda n(o regressou. En*iou,nos u#a #ensage# h+ #eia hora. Encontra,se nas
pro0i#idades de Marte! testando u# caça espacial.
' general Pounder engoliu igual#ente a7uela pílula. Co# 7ue naturalidade seu e0,
su.ordinado fala*a de proe9as ainda inconce.í*eis para ho#ens co#uns=
— 6as pro0i#idades de Marte! ora *e8a#= — #ur#urou Pounder. — Co#o soa#
i#portantes suas pala*ras! coronel= ' senhor foi longe... certa#ente #uito #ais longe do
7ue lhe seria possí*el na Força Espacial. E isto a7ui progrediu! n(o -?
Cheio de ad#iraç(o! o general lançou u# de#orado olhar aos distantes edifícios e#
for#a de torre da no*a cidade. Fica*a# ao norte! perto do lago "oshun. Perr$ 4hodan
dera ; capital da Terceira Potência o no#e de "al+0ia.
A últi#a *isita de Pounder data*a de três anos! 7uando as instalaç@es n(o passa*a#
de construç@es pro*is5rias. E agora a7uilo= )5 os dois aeroportos constituiria# #oti*o de
orgulho para 7ual7uer naç(o. E a .ase espacial ultrapassa*a 7ual7uer e#preendi#ento
8a#ais criado por #(os hu#anas.
— Plane8a#os para o futuro — respondeu Fre$t! e# to# neutro. — ' territ5rio 7ue
ad7uiri#os da Federaç(o Asi+tica a.range 7uarenta #il 7uil#etros 7uadrados. E "al+0ia
conta! segundo o últi#o censo! du9entos e trinta #il ha.itantes. Pronto para e#.arcar!
general? 6osso pessoal se encarregar+ do a*i(o.
Co# u# ligeiro olhar para o enor#e .o#.ardeiro! acrescentou co# u#a ponta de
ironiaC
— Carreta #eio pri#iti*a essa= 3ocês ainda e#prega# os anti7uados propulsores
at#icos?
— Foi este tipo de propuls(o 7ue o le*ou ; :ua! Fre$t= Fa9 #es#o 7uest(o de #e
#ostrar o 7uanto esta#os atrasados! n(o? Mas con*-# n(o es7uecer 7ue tanto o senhor
co#o Perr$ 4hodan rece.era# sua for#aç(o na Força Espacial. )e eu n(o ti*esse en*iado
4hodan ; :ua! ele 8a#ais encontraria os arcnidas. D assi# 7ue se cha#a# os
e0traterrenos! n(o?
— E0ata#ente! general= — confir#ou Fre$t.
— E este progresso todo s5 foi possí*el co# a cola.oraç(o dos c-re.ros espaciais —
disse Pounder! co# u# riso sarc+stico. — 4hodan te*e #uita sorte e# con7uistar,lhes a
confiança. Foi o 7ue lhe per#itiu criar a Terceira Potência. Mas dei0e#os o assunto de
lado. Eue tal - 4hodan co#o chefe de Estado?
— 4efere,se ao senhor Presidente! general?
4esfolegando indignado! Pounder e0plodiuC
— Fre$t! para #i#! seu presidente continuar+ sendo se#pre o #a8or 4hodan= '
recruta 7ue treinei pessoal#ente e designei para o pri#eiro *o tripulado ; :ua... E dê,lhe
este recado na pri#eira ocasi(o=
— Ele n(o es7ueceu! general= — respondeu Fre$t! rindo. — E! aparte nossas
diferenças! afir#o,lhe 7ue - u# pra9er re*ê,lo entre n5s. Pretende negociar co# o chefe
so.re o forneci#ento de pulsopropulsores?
' general dete*e seus passos. 2a distante .ase espacial *inha no*a#ente o rugido
a*assalador. )ilhuetas fulgurantes ganhara# o espaço! i#pelidas por 7uase i#perceptí*eis
flu0os de i#pulsos. Pounder aguardou a di#inuiç(o da infernal .arulheira.
— ' es7uadr(o de 2eringhouse — e0plicou Fre$t. — Fti#o ele#ento este rapa9... '
senhor sou.e escolher seus ho#ens! general! se# dú*ida=
— 6atural#ente= E foi por isso 7ue 4hodan fe9 de *ocês seus oficiais. Para #i#! foi
u#a perda la#ent+*el. Co#o sa.e de #eus planos?
Fre$t n(o estranhou a .rusca #udança de ru#o da con*ersa! ne# a e0press(o se*era
do rosto do general.
— ' chefe #e falou disso. )e #e per#ite u# palpite! acho inútil insistir na o.tenç(o
de propulsores co#pletos. A Terceira Potência reser*a,se o pri*il-gio de construir na*es
espaciais #ais *elo9es do 7ue a lu9. )ugiro 7ue desista do intento. Mas tenho autori9aç(o
para #ostrar,lhe nossos no*os estaleiros oficiais! caso este8a interessado. 6or#al#ente
est(o interditados para *isitantes. Por-# guarda#os afeto todo especial ao nosso antigo
co#andante...
Pounder afastou,se se# u#a pala*ra. ' sorriso do ho#e# #ais 8o*e# o atingira e#
cheio. Ainda calado! to#ou lugar no tur.o,carro a.erto. )eus olhos se *oltara# para a
cintilante cúpula energ-tica *isí*el do aeroporto. Ali+s! o e0tenso do#o de de9
7uil#etros de di<#etro n(o podia dei0ar de ser notado.
Fre$t aco#odou co# algu#a dificuldade o corpo co#prido ao lado do general. Este
esta.eleceu in*oluntaria#ente u#a co#paraç(oC Fre$t e Perr$ 4hodan poderia# ser
ir#(os. A#.os altos e #agros! co# as di#inutas rugas no canto dos olhos re*elando
per#anente disposiç(o para rir. E ha*ia# rece.ido for#aç(o idêntica! nu#a escola tida
co#u#ente por dura e i#plac+*el.
Pounder sentiu,se in*adido por u#a onda de orgulho. A7ueles 8o*ens tinha# criado
u#a instituiç(o 7ue pro#etia re*olucionar toda a orde# at- ent(o esta.elecida no #undo.
Co# u# .re*e aceno para >lein! Fre$t co#entouC
— Ele fe9 parte outrora do ser*iço secreto da 'TA6! so. as ordens de Allan 2.
Mercant. 1nacredit+*el! n(o?
Co# u# suspiro! o coronel continuouC
— A raça hu#ana parece estar criando 8uí9o de*agarinho. Ainda posso recordar o
#o#ento e# 7ue dei orde# para lançar as três .o#.as de hidrogênio. 6a ocasi(o e# 7ue
destruí#os o cru9ador arcnida... 6ossa *elha :ua entrou e# e.uliç(o e# alguns pontos.
Mas #uita coisa #udou depois disso. A hu#anidade parece ter co#preendido! afinal.
— Co#preendido? — repetiu o general. — Eu diria 7ue ficou con*encida. )e algu#
doido conseguisse eli#inar su#aria#ente a Terceira Potência! o #undo se tornaria u#
hospício da noite para o dia= As naç@es desencadearia# u#a luta #ortal pela posse de seus
conheci#entos t-cnico,científicos. G-o interesse de nossa autoconservação lamentamos
ser o&rigados . adoção de rigorosas medidas preventivas.H 6(o - assi# 7ue se
e0pressaria# os diplo#atas?
' pessi#is#o do general! aparente#ente aca.ou co# o .o# hu#or de Fre$t. '
chefe da Força de Caça Espacial #ostrou rugas de preocupaç(o.
— 6(o con8ure os de#nios! general= — disse! pensati*o. — A7uela cúpula
energ-tica foi al*e8ada por #ais de seis #il pro8-teis de fa.ricaç(o terrena por se#anas
inteiras! se# o #enor resultado. Apenas u# poder superior ser+ capa9 de nos destruir e n(o
e0iste na face da Terra ningu-# co# capacidade para isso. Todos n5s te#os 7ue aceitar
co#o fato irrefut+*el a e0istência de seres e0traterrestres alta#ente ci*ili9ados. E se n(o
nos acautelar#os! 7ual7uer dia nossa pr5pria so.re*i*ência estar+ e# 8ogo. D #ais do 7ue
hora de adotar e #anter atitudes racionais. A id-ia de Perr$ 4hodan - esta.elecer u#
go*erno terrestre central! co# representantes de todas as naç@es do #undo. A 7uest(o da
cota de participaç(o de cada u#a pode ser resol*ida #ais tardeB acho 7ue n(o ser+ difícil
chegar a u# entendi#ento.
— 1#pratic+*el= — afir#ou Pounder! seca#ente. — Fre$t! *ocê pode ser u# .o#
#ilitar e u# astronauta e0cepcional! #as n(o entende coisa algu#a de assuntos desta
esp-cie. Eue - a7uilo ali?
GT#tica de evasãoH! disse Fre$t para si #es#o. E te*e a desagrad+*el sensaç(o de
7ue o general lhe oculta*a algo da #aior i#port<ncia.
2irigiu o olhar para os pr-dios do co#ple0o industrial do 7ual se apro0i#a*a#. U#a
s-rie de hangares e torres! i#aculada#ente li#pos! se# traço da fu#aça ou fulige#
pro*ocadoras de poluiç(o a#.iental. E! no entanto! a produç(o era superior ; de 7ual7uer
f+.rica do #undo.
— As seç@es de aca.a#ento final — disse Fre$t! co# naturalidade. — E os estaleiros
oficiais da Terceira Potência para fa.ricaç(o de na*es espaciais. Tudo criado do nada e#
pouco #ais de três anos.
— Co#ple0os industriais aca.ados e# apenas três anos? — du*idou Pounder. —
Produç(o dos foguetes! estandes de testes! linhas de #ontage# final? Fre$t! 7ual7uer
#ortal co#u# le*aria três anos s5 para lançar os funda#entos de u#a o.ra t(o gigantesca=
— Coloca#os de9 #il ro.s especiali9ados e# aç(o — e0plicou Fre$t! co# u#
sorriso le*e#ente arrogante. — Al-# disso! e#prega#os #+7uinas 7ue e0ecutara# o
tra.alho de aplaina#ento co# a a8uda de ca#pos antigra*itacionais de alta intensidade.
Co# recursos co#uns! a tarefa le*aria pelo #enos *inte anos= D difícil conce.er a
#agnitude dos recursos arcnidas.
Pounder desistiu. Era inútil discutir co# pessoas 7ue argu#enta*a# co# conceitos
super,hu#anos e utili9a*a# #+7uinas e0traterrenas.
' *eículo parou diante da linha *er#elha. A poucos passos erguia,se a parede de
inconce.í*el energia! #al e #al *isí*el de t(o perto.
— U# ca#po estrutural e# cinco di#ens@es — e0plicou Fre$t! sorrindo.
— Co# 7ue# posso #e entender aí dentro? — indagou Pounder! ignorando o
esclareci#ento dado por Fre$t.
Espiou para a +rea co.erta pela cúpula energ-tica. Era f-rtil e *içosa! co# alguns
poucos edifícios esparsos. Mas estes era# gigantescos. ' pal+cio do go*erno da Terceira
Potência representa*a u#a co#.inaç(o har#oniosa de ele#entos ar7uitetnicos arcnidas
e terrestres. Todo .ranco! o .elo pr-dio se destaca*a entre os de#ais.
— )ua e0celência! o #inistro da segurança! lhe conceder+ audiência — o.ser*ou
Fre$t! esforçando,se por disfarçar a ironia. — Pois o senhor #inistro! ou se8a! o capit(o
4eginald Iell! #anifestou e0tre#a si#patia diante de sua *isita i#inente.
— Iell= — ge#eu o general. — Essa n(o= A7uele paler#a 7ue ria ; toa e nunca
conseguia #anter a disciplina= Euantos esforços #e custou i#pedir sua degradaç(o ao
posto de tenente= E est+ disposto a #e conceder audiência... Pois .e#! *+ di9er ao seu
#inistro 7ue tal*e9 eu o reconheça co#o representante da Terceira Potência... caso ele
consiga fa9er u#a continência #ais ou #enos correta=
J J J
Ko#er ". Ada#s apareceu no teleco#! ocupando co# seu rosto de testa larga 7uase
toda a tela colorida e tridi#ensional. ' legend+rio diretor da %eneral /osmic /ompan!
deno#inada a.re*iada#ente "CC! cha#a*a da distante 6o*a 1or7ue.
— Ah! o chefe ainda est+ *ia8ando? Eue pena= — a *o9 de Ada#s soa*a i#pessoal e
fria no alto,falante. — Escute! Iell! n(o #e agrada a id-ia de sa.er 7ue *ocê est+ so9inho
co# Pounder. 6(o le*e a #al #eus escrúpulos! por-# considero,#e u# .o# psic5logo.
Pounder - u# gênio #ilitar! fato 7ue e# si n(o constitui risco #aior. Mas! al-# disso! -
u# ho#e# e0traordin+rio! a 7ue# *ocê de*e gratid(o! respeito e consideraç(o! #es#o
7ue recuse ad#iti,lo. Acho 7ue *ocê n(o te# condiç@es para enfrentar o general. Espere
pelo chefe=
' ho#e# .ai0o e atarracado! tra8ando o unifor#e *erde,p+lido da Terceira Potência!
disfarçou o constrangi#ento co# u# sorriso. 4eginald Iell n(o se sentia de fato ; altura
da situaç(o. :+ e# 6o*a 1or7ue seus olhos a9uis #uito claros aparecia# co#o p+lidas
#anchas lu#inosas na tela.
— 3ou aceitar sua sugest(o! Ada#s= — disse Iell! acenando co# a ca.eça. — Mas
pode #e pr a par de suas intenç@es? A *isita do general n(o foi iniciati*a sua?
— Certa#enteB por-# eu ignora*a 7ue Perr$ 4hodan estaria ausente! e# *o de
e0periência. Iell! ganhe te#po co# o general= Aguarde pelo #enos at- 7ue eu chegue ao
deserto de "o.i. 6(o lhe reconheço co#petência para condu9ir negociaç@es delicadas
co#o essas= Pounder e#.rulharia *ocê co# a #aior facilidade.
— Acho 7ue est+ certo! Ada#s. Afinal! n(o - ; toa 7ue *ocê - o nosso #inistro das
finanças! n(o -? — respondeu Iell! sorrindo. — Minha *ontade se resu#e e# a.raçar o
*elho ferra.r+s e .ater u# papo a#istoso. Fa9e# .e# 7uatro anos 7ue n(o o *e8o... 3ocê
pode *ir i#ediata#ente?
— Meio difícil... — respondeu Ada#s! indeciso. — Encontro,#e e# negociaç@es
co# u#a co#panhia de #ineraç(o latino,a#ericana. 3ocês 7uere# co.re .arato! n(o -?
Iell le*ou os dedos inconsciente#ente ; cintilante insígnia de seu posto! no .olso
superior es7uerdo. Curioso! no ínti#o tinha a in7uietante sensaç(o de 7ue as con*ersaç@es
co# Pounder 8+ esta*a# fadadas ao fracasso antes #es#o de tere# co#eçado.
— )i#! confesso 7ue #e sinto e# des*antage# diante do *elho= — disse! co#
inusitada gra*idade. — E#ocional#ente! co#preende?... "osto de#ais dele. ' general
co#eu fogo por nossa causa. E foi ele 7ue nos e7uipou co# todo o conheci#ento de 7ue
ho8e fa9e#os uso. La#ais tería#os chegado ; :ua se n(o fosse o total apoio de Pounder.
:argue tudo e corra para c+! Ada#s= Acho 7ue o representante do poder econ#ico
nú#ero u# do #undo pode se dar ao lu0o de adiar u#a conferência.
Ko#er ". Ada#s! o #utante de #e#5ria fotogr+fica! tido co#o #aior gênio
financeiro de todos os te#pos! dei0ou *er u# pouco de calor hu#ano e# seu sorriso. Pena
do ar #eio desa#parado de Iell! tal*e9...
— Ie#! cha#ei *ocê para co#.inar#os tudo direitinho. 6(o 7uere#os co#eter
erros! n(o -? 3ou pro*idenciar #inha partida i#ediata. Mais algu#a coisa?
' rosto de Ada#s #udou de e0press(o ao perce.er a repentina tens(o de seu
interlocutor. Ao #es#o te#po! o 5ti#o siste#a de so# fe9 ou*ir u# ui*o estridente. Iell
transfor#ou,se instantanea#ente no ho#e# dos ner*os de aço. Algo de inesperado de*ia
ter ocorrido e# "al+0ia.
— Iell= — gritou Ada#s! alar#ado. — Eue foi 7ue aconteceu?
— Pode cancelar a *iage#! por en7uanto! Ada#s. Espere no*o co#unicado. Esta#os
so. alar#a. Trans#iss(o encerrada=
Ada#s *iu a i#age# se des*anecer na tela cnca*a do teleco#. Per#aneceu i#5*el
e# sua cadeira. ' ga.inete no topo do gigantesco arranha,c-u lhe pareceu de repente nu e
desolado. ' ui*o das sirenas continua*a. Chega*a ligeira#ente atenuado ; grande
#etr5pole! por-# seu i#pacto n(o foi #enor do 7ue o causado no pal+cio do go*erno da
Terceira Potência.
Ko#er ". Ada#s n(o era ho#e# de se dei0ar descontrolar por .arulhentas
#anifestaç@es de aparelha#ento acústico. Principal#ente na7uele dia! 7uando a 8o*e#
Terceira Potência! so. a direç(o do e0,#a8or e piloto de pro*as da Força Espacial dos
Estados Unidos! Perr$ 4hodan! era o ei0o econ#ico! político e #ilitar do planeta Terra.
' fato de a7uele conglo#erado de poderes ser fruto da inteligência superior e capacidade
de produç(o de u#a raça c5s#ica! alheia ; Terra! era de #enor i#port<ncia. ' #ais
surpreendente no caso era *er reconhecida co#o potência #undial u#a pe7uena naç(o
perdida no coraç(o do continente asi+ticoB n(o se# algu#as dificuldades iniciais! - claro.
U#a *e9 esta.elecida a so.erania da Terceira Potência! a %eneral /osmic /ompan
encontrara .ases s5lidas para se desen*ol*er. Ada#s esta*a e# *ias de re*olucionar toda a
econo#ia #undial co# os produtos e t-cnicas arcnidas. )egundo o c#puto #ais
recente! o capital social da "CC se ele*ara a du9entos .ilh@es de d5laresB e esta*a
i#inente o lança#ento de no*as su.scriç@es no #ontante de #ais setenta .ilh@es. )e#
dú*ida! a instituiç(o criada por Ko#er ". Ada#s era s5lida e econo#ica#ente est+*el.
6ada! at- ent(o! le*ara este ho#e# a perder a cal#a e a serenidade! ne# se7uer por
u#a fraç(o de segundo. Portanto! era .astante estranho *ê,lo trê#ulo e de olhos
arregalados! atento para o la#ento das sirenas. Mo#entos ap5s chegou a confir#aç(o
5tica. :u9es *ioletas pisca*a# ininterrupta#ente. Aos poucos! a tonalidade alar#ante
predo#inou so.re a ilu#inaç(o natural na peça se#i,o.scurecida.
Ko#er ". Ada#s so.ressaltou,se! co#o 7ue despertando de u# pesadelo.
— 6(o= — #ur#urou! co# os l+.ios co#pri#idos nu# esgar de angústia. — 1sso
n(o= Meu 2eus! tudo! #enos isso=
— Para tr+s co# esse carro= — gritou o 8o*e# oficial de guarda. — 6(o *ê 7ue a
passage# est+ i#pedida? Ande= 4ecue pelos #enos uns trinta #etros=
' rapa9 sua*a e# .icas. Ap5s o cessar do fren-tico la#ento das sirenas! o territ5rio
da Terceira Potência parecia ter *irado casa de loucos. Para cú#ulo da confus(o! aca.ara
de chegar a coluna de transportes da Mong5lia! co# seu carrega#ento de #+7uinas. E o
tenente encarregado do posto na fronteira era i#potente para prestar au0ílio aos
pertur.ados asi+ticos. Pois o c-re.ro,ro. positrnico dos arcnidas assu#ira a direç(o
dos aconteci#entos.
A #+7uina era ine0or+*el. Acionada ao pri#eiro sinal de alar#a! dei0a*a aos
hu#anos o pra9o de apenas dois #inutos e0atos para se pore# e# segurança. 2epois a
cerca de energia foi erguida! estendendo,se ao longo de toda a fronteira. U#a .arreira
lu#inosa e fla#e8ante de energia pura i#pedia a passage# do 7ue 7uer 7ue fosse. E era
irre#edia*el#ente #ortal. Ta#.-# n(o era aconselh+*el so.re*oar o intrincado
entrelaçado de linhas e espirais energ-ticasB acoplado a inú#eros locali9adores! o c-re.ro,
ro. n(o hesitaria u# s5 instante e# a.ater o in*asor alado co# u#a .ateria de canh@es de
raios. Afinal! o alerta geral fora a#pla#ente difundido! a fi# de e*itar ocorrências desta
esp-cie.
' tenente recolheu,se apressada#ente a sua casa#ata de concreto! dentro da cerca
energ-tica. 's enor#es soldados,ro.s — pesadas #+7uinas portando ar#as nos .raços
articulados e pro*idos de #ini,#ecanis#os at#icos nos corpos #et+licos — recusa*a#
h+ 7uatro #inutos 7ual7uer orde# hu#ana. Era# co#andados agora pelo c-re.ro
eletrnico.
Mo#entos ap5s chegou o co#unicado auto#+tico a todos os postos de fronteira e
estaç@es de controleC
A/erta *'3 +ri'ri.a.e 1 e3 e6eit'.
6ingu-# poderia dei0ar o territ5rio da Terceira Potência e! #uito #enos! entrar nele.
A i#ensa cúpula energ-tica! locali9ada no centro geo#-trico dos 7uarenta #il
7uil#etros 7uadrados de +rea da naç(o! intensificou seu .rilho. ' fulgor intenso e
ofuscante feria os olhos. Tinha,se a i#press(o de *er surgir de repente u# sol artificial.
2a .ase espacial! agora in*isí*el! os no*os caças da Força de Caça Espacial se
pro8etara#! rugindo! para o alto. ' general Pounder! cu8o carro cru9ara os li#ites no
últi#o instante! segundos antes da .arreira energ-tica entrar e# funciona#ento! *iu,se de
repente a.andonado. Apenas u# soldado,ro. #onta*a guarda ao *eículo. P+lido e
consternado! o general n(o o.tinha resposta ;s suas in7uietas perguntas. Todo #undo
parecia ignorar sua presença ou es7uecê,la de todo.
' coronel Fre$t desaparecera co# u#a sonora praga. Correndo pro*a*el#ente! para
seu posto de co#ando nas cercanias da .ase espacial...
Pounder n(o *iu outra soluç(o a n(o ser ar#ar,se de paciência e esperar. Algu-#
aca.aria por dar,lhe atenç(o. 2esconhecendo o funciona#ento de u# c-re.ro,ro.
positrnico! n(o podia sa.er 7ue este 8+ registrara sua presença. 6(o era e# *(o 7ue o
soldado,ro. to#ara posiç(o 8unto ao carro do general.
Assi# 7ue o c-re.ro,ro. arcnida *erificou 7ue o general era inofensi*o e 7ue se
trata*a de pessoa de*ida#ente anunciada! en*iou u#a inaudí*el orde# radiofnica ao
guerreiro #ec<nico. Co# u# so.ressalto! Pounder sentiu o carro arrancar .rusca#ente e
ru#ar e# alta *elocidade para o pal+cio do go*erno.
:+! deparou co# u# oficial do ser*iço de segurança ; sua espera. Ap5s ligeira
hesitaç(o! Pounder reconheceu o ho#e# sorridente e atencioso. :i )hai,tung ganhara as
#anchetes #undiais três anos atr+s. 'cupa*a agora o posto de ele#ento de ligaç(o co# o
)er*iço )ecreto da Federaç(o Asi+tica.
:e*ando a #(o ao 7uepe! Pounder pensou consigo #es#oC GMais u# *elho
conhecido! ora *e8a=H...
— Eueira aguardar na recepç(o! por fa*or= — foi,lhe dito. — Espero 7ue
co#preenda a indisponi.ilidade #o#ent<nea de 7ual7uer dos dirigentes.
— Eual a ra9(o do alar#a? — indagou o general! seca#ente. — Pode #e e0plicar o
7ue est+ acontecendo?
— Fui destacado especial#ente para infor#+,lo! general. Eueira entrar! por
o.s-7uio. 6(o se dei0e i#pressionar pela atitude a#eaçadora dos ro.sB fa9 parte do
siste#a de alar#a. 6(o h+ perigo algu#B eles s(o controlados auto#atica#ente. Por a7ui!
general=...
Pounder inspecionou co# o olhar o a#plo recinto co#posto de *idros! #aterial
sint-tico e efeitos lu#inosos. Ta#.-# a7ui a #o*i#entaç(o era fe.ril. Perce.eu ao fundo
os *(os fulgurantes dos fa.ulosos ele*adores antigra*itacionais. Tanto na construç(o!
co#o nos aca.a#entos e nas instalaç@es! e*idencia*a,se a aplicaç(o de t-cnicas
supera*ançadas.
G2e*e# ter gasto uns cento e *inte #ilh@es de d5lares nissoH! calculou o general!
ha.ituado a fa9er a*aliaç@es da7uela esp-cie.
— Iell n(o tardar+ a *ir cu#pri#ent+,lo! general. )ua inesperada presença aca.ou
sendo pro*idencial. Fui encarregado de lhe prestar as infor#aç@es preli#inares. D
pro*+*el 7ue lhe solicite#os! e# *ista das circunst<ncias! a con*ocaç(o urgente da
Co#iss(o de )egurança Mundial! e# car+ter de e#ergência priorit+ria. Tal*e9 e# Pe7ui#!
por sua locali9aç(o centrali9ada. Ter+ 7ue to#ar decis@es #uito r+pidas. 6ossos #eios de
co#unicaç(o est(o ao seu dispor.
A e#oç(o e#.arga*a a *o9 de Pounder.
— Co#preendo! tenente= A situaç(o est+ preta outra *e9! n(o? Ainda recordo a crise
anterior! h+ três anos! 7uando seres e0traterrenos se introdu9ira# sorrateira#ente nos
corpos e #entes de nossos #ais destacados cientistas e políticos! su.8ugando,os por
co#pleto. 's ser*iços de segurança 8+ fora# infor#ados?
— )i#. ' c5digo preesta.elecido foi e#itido auto#atica#ente. 6(o perde#os te#po
a7ui! general... Ainda n(o dispo#os de infor#aç@es precisas. 6ossa estaç(o de o.ser*aç(o
e# Plut(o apenas nos trans#itiu os dados registrados pelos sensores de defor#aç(o da
estrutura espacial.
— Tenente! *ocê te# diante de si u# ho#e# de .oa pa9! 7ue se pergunta de *e9 e#
7uando co# 7ue direito se intitula chefe da Força Espacial dos Estados Unidos —
o.ser*ou Pounder! sarc+stico. — 3oa#os e# foguetes o.soletos! en7uanto *ocês usa#
na*es espaciais #ais *elo9es do 7ue a lu9. Eue dia.o *e# a ser u# sensor de defor#aç(o
da estrutura espacial?
:i )hai,tung sorriu. :+ fora re.oa*a u# rugido infernal. Foi crescendo de for#a
alar#ante! at- se e0tinguir gradual#ente! ; #edida 7ue as ondas sonoras se dissipa*a# no
ar. Pounder conhecia .e# o fen#eno #as n(o co# tal intensidade.
— D a "ood Kope decolando so. o co#ando dos dois arcnidas — e0plicou o agente
chinês! co# displicência. — A na*e au0iliar do cru9ador arcnida destruído na :ua!
le#.ra?
— 6a*e au0iliar= — suspirou o general. — Tenente! para #i#! u#a na*e espacial
esf-rica co# sessenta #etros de di<#etro representa u# *erdadeiro colosso! entendeu? E o
7ue - u# sensor de defor#aç(o da estrutura espacial?
— U# aparelho de detecç(o arcnida! para locali9ar e #edir direta#ente alteraç@es
7uadridi#ensionais da estrutura espacial no cos#o nor#al. ' instru#ento #ede des*ios
de gra*itaç(o. E co#o a gra*itaç(o - u#a for#a de energia do hiperespaço! os sensores
funciona# forçosa#ente a *elocidades superiores ; da lu9. Euando e#ite# sinal! sa.e#os
7ue e# algu# ponto situado nu# raio de cerca de cin7Aenta anos,lu9 a estrutura cur*a do
espaço foi a.alada! ro#pida por forças poderosas. Por e0periência! sa.e#os 7ue isso s5
pode ser ocasionado pelo hipersalto de u#a na*e #ais *elo9 do 7ue a lu9C a deno#inada
transiç(o. E 7uando o fato se d+ a u#a dist<ncia t(o pr50i#a! a Central de 2efesa da
Terceira Potência to#a pro*idências i#ediatas. Pois a coisa pode ser conosco! general=
Pounder #urchou! se# ter entendido u#a s5 pala*ra da e0plicaç(o.
— Est+ .e#! tenente= Pode poupar seu lati#. 6(o passo de u# ho#e# das ca*ernas
diante dos conheci#entos científicos de 4hodan e *ocê. )e#pre lhe dei apoio totalB
pri#eiro! 7uando deso.edeceu ;s #inhas ordensB depois ;s custas de #inha consciência de
#ilitarB #ais tarde co# a sanç(o oficial do #eu go*erno. Pode ir! eu espero... 2e*e ter
o.rigaç@es a cu#prir. )5 n(o es7ueça 7ue dei0ou u# ho#e# desar*orado sentado a7ui.
— "eneral! todos estes conheci#entos ser(o a#pla#ente di*ulgados no dia e# 7ue a
hu#anidade chegar a u#a *erdadeira co#unh(o espiritual. 6(o h+ dú*ida de 7ue cresce
dia a dia a garantia de u#a pa9 #undial per#anente e duradouraB #as! por en7uanto! para
a pr5pria consolidaç(o deste o.8eti*o! - preciso 7ue o poder se concentre e0clusi*a#ente
nas #(os de Perr$ 4hodan. ' 7ue lhe acarreta a o.rigaç(o de proteger tanto o seu #undo
7uanto o nosso. Medite so.re o 7ue eu disse! general! por fa*or. 's chefes dos três grandes
ser*iços secretos de*e# chegar dentro de u#a hora! no #+0i#o. E agora! peço per#iss(o
para #e retirar. Tenho efeti*a#ente o.rigaç@es a cu#prir.
:i afastou,se apressado. Pertur.ado e preocupado co# o 7ue ou*ira! Pounder fi0ou o
olhar ausente so.re o #ostrador do rel5gio.
Por-#! ps,se de p- rapida#ente ao a*istar a 8o*e#. Conhecia,a .e#B #as! da fr+gil
#enina de rosto p+lido e olhos ardentes! apenas ou*ira falar.
— Co#o est+? — indagou ele! #ecanica#ente! en7uanto procura*a sondar os
#isteriosos olhos infantis.
4ecapitulou #ental#ente o 7ue sa.ia so.re a7uela #enina. )e# dú*ida! Iett$
Toufr$ fa9ia parte do legend+rio E0-rcito de Mutantes da Terceira Potência.
Pounder engoliu e# seco! i#pressionado co# o incrí*el da situaç(o. Por-# sa.ia 7ue
o pai de Iett$ tra.alhara nu# la.orat5rio nuclear! tendo sofrido alteraç@es e# seu gen. 6a
filha! estas alteraç@es n(o se #anifestara# so. a for#a de defor#idade física! #as
resultara# nu#a capacidade #ental e0traordin+ria! #uito aci#a da de 7ual7uer ser
hu#ano co#u#. Pounder ignora*a as 7ualidades específicas da inteligência da #enina!
#as decidiu le*ar o caso ao chefe do )er*iço )ecreto 'cidental. 6(o lhe agrada*a a id-ia
de *er Perr$ 4hodan dar guarida a tais #onstruosidadesB #uito #enos a de 7ue as
su.#etia a treina#ento especial.
)o.ressaltou,se ao *er Iett$ se afastar a.rupta#ente. Chegando 8unto ao cintilante
ca#po energ-tico dos ele*adores antigra*itacionais! a #enina #ur#urouC
— ' senhor n(o de*ia pensar isso! general=
As pala*ras cru9ara# o *asto recinto co#o u# sussurro tra9ido pela .risa.
Pounder dei0ou,se cair de *olta na cadeira. Perce.era estar diante de u#a telepata
espont<nea! u# ser para o 7ual n(o e0istia# pensa#entos secretos e pri*ados. ' general
sentiu u# arrepio percorrer,lhe a espinha.
J J J
U# *ulto corria alucinado pelo negru#e do espaço. ' sil*o agudo dos pulso,
propulsores tra.alhando no #+0i#o de sua capacidade parecia passar inteira#ente
desperce.ido para o ho#e# i#5*el! sentado diante dos controles.
's pensa#entos de Perr$ 4hodan! no entanto! fer*ilha*a#. Cru9ou a 5r.ita lunar a
toda a *elocidade. 6a frente do pe7ueno caça espacial .rilha*a 8+ a Terra. 's 8atos de
re*ers(o de ca#po cuspia# para a frente u#a torrente de partículas! e# sentido contr+rio ;
direç(o do *o. E# conse7Aência! o pe7ueno aparelho e# for#a de torpedo era freado!
co# u#a desaceleraç(o da orde# de 7uinhentos 7uil#etros por segundo.
4hodan *erificou #ais u#a *e9 os dados do aparelho auto#+tico de apro0i#aç(o. M
altura da 5r.ita dos sat-lites! o caça de*eria estar na *elocidade apropriada para a
aterrissage#. Pontinhos lu#inosos dança*a# na tela do hipersensor! 7ue tra.alha*a co#
*elocidade superior ; da lu9. 6o alto,falante audiofnico espoca*a# pala*ras esparsas. '
7ue se pro8eta*a para o espaço! ali ; sua frente! era o.ra construída por #(os hu#anas!
assi# co#o era# hu#anos os ocupantes das e0íguas ca.inas pressuri9adas.
' rosto de u# rapa9 surgiu na pe7uena tela do teleco#. )orrindo e acenando co# a
ca.eça! ele infor#ouC
— 2eringhouse para Co#eta %C segundo grupo decolando a fi# de to#ar posiç(o de
alerta. Algu#a orde#! chefe?
4hodan pu0ou o #icrofone articulado para diante da .oca. M frente de seu caça! a
Terra e#ergia do *a9io espacial co#o u#a gigantesca .ola de inflar. A*ista*a,se
nitida#ente as A#-ricas e u# e0tenso trecho do 'ceano Pacífico. ' litoral europeu
en*ol*ia,se lenta#ente nas so#.ras crescentes da noite.
— 6enhu#aB ao #enos por en7uanto. 6ada de e0plicaç@es co#pridas! por fa*or.
4ece.i o a*iso. ' alar#a foi desencadeado?
— Confor#e progra#ado. A7uilo l+ e#.ai0o *irou u# inferno=
4hodan cortou a co#unicaç(o.
's caças so. o co#ando de 2eringhouse prosseguira# e# sua alucinante corrida
para o espaço! en7uanto 4hodan inicia*a a pri#eira 5r.ita de frenage#. Ap5s u#a *olta
co#pleta e# torno do glo.o terrestre! ele #ergulhou nas ca#adas superiores da at#osfera!
co# os anteparos t-r#icos fla#e8ando. 's gases incandescentes das #assas de ar
*iolenta#ente deslocadas precipita*a#,se estourando no *+cuo criado pelo aparelho e#
7ueda. Parecia u# #eteoro consu#indo,se e# fogo! na at#osfera cada *e9 #ais espessa.
Era a t-cnica de aterrissage# de apro0i#aç(o r+pida dos arcnidas. Ca.ia a
pro8etores especiais! e#.utidos nos anteparos t-r#icos! a tarefa de ioni9ar as renitentes
#ol-culas gasosas! a fi# de e0puls+,las da tra8et5ria do aparelho 7ue se precipita*a e#
direç(o ao solo.
Ta#.-# a7uilo constituía u# processo a*ançado! 7ue #es#o u# ho#e#
co#petente co#o o general Pounder n(o i#agina*a ne# e# sonhos. Perr$ 4hodan *alia,
se dele co# a tran7Aila naturalidade do iniciado. Por força do h+.ito! #al perce.ia a
*iolenta tur.ulência produ9ida na at#osfera agora #ais densa.
)eus pensa#entos se concentra*a# inteira#ente no alar#a. U#a situaç(o aguardada
co# lúcida ansiedade tinha se concreti9ado! afinal=
6o entanto! 4hodan ainda ignora*a os detalhes essenciais. Mas! co#o o c-re.ro,ro.
positrnico ha*ia desencadeado o alar#a! era de supor 7ue a posiç(o gal+ctica do planeta
Terra corria risco i#ediato.
A posiç(o gal+ctica= 2urante os últi#os três anos! toda a preocupaç(o de 4hodan
ha*ia girado e# torno deste ponto. Pois h+ três anos! pouco ap5s a criaç(o da Terceira
Potência! seres e0traterrenos ha*ia# conseguido pr p- na Terra pela pri#eira *e9.
2e.elado o perigo! se#anas! #eses e anos decorrera# se# ocorrências dignas de #enç(o!
a n(o ser 7ue se considerasse fora do co#u# a fe.ril ati*idade de construç(o desen*ol*ida
na +rea territorial da Terceira Potência.
4hodan fora .rindado co# u#a tr-gua de três anos. E neste espaço de te#po o e0,
#a8or e piloto de pro*as da Força Espacial dos Estados Unidos conseguira pelo #enos
esta.ili9ar definiti*a#ente a *acilante pa9 #undial e congregar as naç@es #ais poderosas
da Terra nu#a coali9(o de defesa.
Mas tudo a7uilo seria ilus5rio caso a Terra fosse no*a#ente desco.erta= ' 7ue
ocorreria caso as indu.ita*el#ente e0istentes inteligências e0traterrenas tentasse#
alcançar a p+tria dos ho#ens — co# ar#as de poderio infinita#ente superior — a fi# de
esta.elecer,se nela! ou desencadear u# ata7ue de surpresa? ' alar#a declarado tinha
*indo confir#ar os te#ores recnditos de 4hodan.
' litoral norte da )i.-ria surgiu ; *ista. 's sensores indica*a# 7ue o caça esta*a
sendo detectado por di*ersas estaç@es de radar. Eue diferença fa9ia? ' pessoal l+ e#.ai0o
sa.ia #uito .e# 7ue# era o suposto #aluco 7ue se precipita*a do espaço pilotando u#
aparelho aparente#ente desgo*ernado.
4hodan a*ista*a agora a Mong5lia. Euando co#eçou a aparecer nas telas a cercadura
lu#inosa e# torno da +rea territorial da Terceira Potência! 4hodan recordou o desesperado
pouso de e#ergência feito ali três anos antes. Ele regressa*a da :ua! onde fora o pri#eiro
ho#e# a pisar! tra9endo consigo os dois arcnidas. E a presença dos seres e0traterrenos -
7ue o tinha le*ado a descer nu# ponto isolado do glo.o.
A7uilo ha*ia sido o co#eço de tudo. )eguira#,se gra*es e profundos
desentendi#entos co# as naç@es #ais poderosas da TerraB atacara# seguida e
i#piedosa#ente o no*o poder e# for#aç(o! at- *erificar a total i#potência diante da
tecnologia e ar#as de defesa dos e0traterrenos. ' ter#o arcnidas passou a ser assunto de
#anchetes #undiais. Agora reconhecia,se de .o# grado os .enefícios prestados ;
hu#anidade pela raça interestelar. Por outro lado! e0istia o ponder+*el fato de 7ue a *inda
acidental dos arcnidas ; Terra au#entara #uito o risco de esta ser desco.erta por outros
seres c5s#icos.
Pro*a*el#ente o planeta Terra continuaria sendo u# corpo celeste desconhecido por
anos e anos se o cru9ador arcnida! destruído por #(os hu#anas! n(o ti*esse irradiado
pedidos de socorro. 's sinais se espalhara# pelo cos#o. E dali e# diante aca.ara,se a
doce ilus(o da hu#anidade de ser única no uni*erso.
4hodan forneceu o c5digo apropriado! para 7ue o c-re.ro,ro. lhe per#itisse
passage#B o caça passou a ser pilotado pela estaç(o de controle re#oto e# terra. Perr$
4hodan ficou li*re para entregar,se ;s suas cogitaç@es. Perce.ia co# nitide9 7ue a
hu#anidade se encontra*a diante de u# repentino despertar! 7ue encerra*a u# terrí*el
potencial de perigo. E os ho#ens teria# 7ue ad#itir a e0istência positi*a de outros seres
dotados de inteligência! tal*e9 superior ; deles pr5prios. E o pior! pouco ou nada tinha#
para opor,se a eles...
A face do ho#e# alto e #agro! confinado na apertada ca.ina pressuri9ada do caça!
denota*a profunda preocupaç(o. Pois co#preendia 7ue ca.eria a ele e aos dois arcnidas
so.re*i*entes to#are# #edidas para a segurança da Terra.
A na*e pousou sua*e#ente. ' pe7ueno reator de alto rendi#ento! por tr+s da
.lindage# anti,radiaç(o na ca.ina do piloto! foi desligado. E# conse7Aência! cessou
igual#ente a ati*idade do poderoso con*ersor de energia! e do aparelha#ento au0iliar!
se# os 7uais 8a#ais seria possí*el controlar o tre#endo potencial de força li.erado.
' coronel Fre$t esta*a a postos para rece.er o co#andante 7ue regressa*a. )ua
saudaç(o foi curta e .re*e! en7uanto fita*a 4hodan co# e0pectati*a. E#purrando para tr+s
o capacete! 4hodan aceitou o cigarro oferecido. 6os olhos cin9entos .rilha*a #al contida
tens(o.
Por-# nada e# sua aparência e0terna denota*a 7ue h+ #enos de u#a hora se
encontra*a nas pro0i#idades de Marte! testando u# no*o caça espacial. Era o i#passí*el
co#andante de se#pre! o ho#e# se# ner*os. Possuía! pelo #enos! e0traordin+ria
capacidade de negar a e0istência de se#elhantes contingências físicas.
— A "ood Kope decolou co# Thora e Crest! chefe= — infor#ou Fre$t
laconica#ente. — 2eringhouse e 6$ssen est(o no espaço! co# 7uarenta e cinco aparelhos
cada u#. Conser*ei o terceiro es7uadr(o e# terra! e# rigorosa prontid(o. Apto para
le*antar *o e# cin7Aenta segundos! se for preciso. ' general Pounder chegou pouco
antes do alar#a. Est+ aguardando no pal+cio do go*erno. Posso fa9er u#a pergunta! chefe=
Eue se passa= C+ e#.ai0o! n5s...
— Iell n(o deu u# pio! n(o -? — interro#peu 4hodan. — A #i# n(o adianta
perguntar. 6(o tenho a #enor id-ia. Mas fi7ue de olhos a.ertos! est+ .e#? Meu
aparelho?...
Fre$t ficou *endo o helic5ptero se afastar co# u#a e0press(o de profunda
in7uietaç(o. E# flagrante contraste co# as a*ançadas instalaç@es na +rea da Terceira
Potência! o helic5ptero era produto terrestre co#u#. :+ longe! a cintilante cúpula
energ-tica desfe9,se por u# .re*e segundo! ad#itindo a entrada do aparelho. Mas tornou a
erguer,se outra *e9 co# o #es#o .rilho contra o c-u a9ul do deserto de "o.i.
4hodan pousou no heliporto do pal+cio do go*erno! situado no topo do edifício.
4ece.eu co# u# sorriso irnico as honras #ilitares prestadas pelos ro.s de guarda.
)e#pre lhe parecera fútil so.recarregar os co#ple0os c-re.ros dos guerreiros #ecani9ados
co# a7uela progra#aç(o sup-rflua.
Al-# dos ro.s! s5 u#a pessoa ha*ia co#parecido para rece.ê,lo. 4hodan
dispensa*a as ceri#nias de estilo. ' ho#e# de ca.elos negros e rosto fino en*erga*a
igual#ente o unifor#e da Terceira Potência. Por-#! o elegante #acac(o n(o tra9ia
insígnias de postoB apenas no .olso es7uerdo superior lu9ia u# sí#.olo estranho. 'lhando
de perto! *ia,se 7ue era u# c-re.ro cercado por .rilhante aur-ola.
' #utante Lohn Marshall procurou o olhar de 4hodan. Adi*inha*a intuiti*a#ente o
7ue ia na ca.eça do presidente. E pareceu,lhe 7ue 4hodan retarda*a proposital#ente a
entrada na Central de Co#ando do pal+cio.
— 'l+! Marshall= Co#o *ai indo a leitura de pensa#entos?
— Mal! no 7ue toca ao senhor! chefe= — constatou o #utante. — ' senhor est+
sendo aguardado. Iell est+ u#a pilha de ner*os. 2entro de 7uin9e #inutos chega o pessoal
dos ser*iços secretos. Eue fa9e#os co# eles?
)e# u#a pala*ra! 4hodan entrou no ca#po cintilante dos ele*adores
antigra*itacionais. :i.ertos de peso! flutuara# sua*e#ente para .ai0o.
Marshall procura*a antecipar #ental#ente a pro*+*el atitude de 4hodan na7uela
e#ergência. E# contraste co# a fren-tica agitaç(o reinante no pal+cio do go*erno!
4hodan era a cal#a personificada. Marshall sondou cautelosa#ente as ondas cere.rais de
seu aco#panhante! ainda #etido e# seu tra8e espacial e co# os ca.elos louro,escuros
e#pastados de suor.
— 2esista! Marshall= — disse a *o9 gra*e. — D co#o dar contra u#a parede...
Chegou a sondar o general Pounder?
Marshall fe9 u#a careta! co# os olhos .rilhando de indignaç(o.
— Ele nos to#a por #onstros= — res#ungou. — K+ gente 7ue se recusa a
co#preender 7ue o 7ue eles cha#a# de #onstros resultou de pes7uisas #onstruosas! das
forças nucleares 7ue 8ogara# contra n5s...
— Mas fora isso! Pounder - legal! n(o -? — respondeu 4hodan! sorrindo. — Escute!
Lohn! *ocê n(o de*ia le*ar a s-rio essas alus@es a #onstros e coisas se#elhantes. Procure
pensar de preferência na i#press(o 7ue seus dotes super,hu#anos causa# e# *i*entes
co#uns. Pois eu...
)uas pala*ras fora# a.afadas pelo rugido de u#a na*e espacial e# processo de
aterrissage#. 4hodan saltou do ele*ador no pa*i#ento seguinte.
— U-! a "ood Kope est+ *oltando?
— Era o recado 7ue eu tinha para lhe dar. Thora acha #ais con*eniente! por
en7uanto! dei0ar a na*e a.rigada so. a cúpula energ-tica. Iell .lo7ueia o c-re.roB n(o
consegui sa.er o 7ue ele pensa a respeito disso tudo. 6e# ao #enos sei o 7ue est+ se
passando=
As linhas angulosas do rosto contraído de preocupaç(o sua*i9ara#,se nu#
#o#ent<neo sorriso.
— Eue falta de consideraç(o de Iell! n(o acha? Muito .e#! Marshall! chegou o
#o#ento= 3ocê perce.eu 7ue eu procura*a ganhar te#po! n(o?
4hodan fitou a pesada porta .lindada de aço arcnida 7ue constituía a única entrada
para a Central de Co#ando do pal+cio. 2ois enor#es soldados,ro.s #onta*a# guarda
diante dela! co# as cara.inas energ-ticas engatilhadas! prontas para disparar seus raios
#ortais.
' telepata sorriuB claro 7ue tinha perce.ido.
— 3a#os l+= E peça a 2eus para 7ue saia#os disso inc5lu#es ta#.-# desta *e9=
Por en7uanto! a Terra - fraca de#ais para enfrentar ata7ues de algu#a poderosa naç(o
gal+ctica. 6ossos di#inutos caças espaciais n(o *aleria# nada diante de u#a frota de
*erdade. 3enha=
A atitude dela era fria! controlada e arrogante. Mas ningu-# podia ter certe9a de 7ue
do#ina*a efeti*a#ente seus ner*os. Thora! a e0,co#andante do cru9ador espacial e#
#iss(o de pes7uisa! forçado a pousar na :ua e posterior#ente destruído por o.ra hu#ana!
torna*a a to#ar consciência de sua condiç(o de arcnida. 4ígida e ereta! sua atitude
denota*a #ais tens(o do 7ue propria#ente dignidade. E# silêncio! ela o.ser*a*a a agitada
#o*i#entaç(o de pessoas dentro da Central de Co#ando.
4hodan acha*a #elhor n(o instalar a7uela Central de Co#ando! o ponto *ital da
Terceira Potência! no su.solo. Pois no caso de a cúpula energ-tica falhar! fosse 7ual fosse
a causa! at- os #ais s5lidos a.rigos su.terr<neos seria# inúteis.
' .elo rosto de Thora! 7ue n(o per#itia adi*inhar sua *erdadeira idade!
asse#elha*a,se a u#a #+scara se# e0press(o. L+ tinha apresentado suas e0igências. Agora
ca.ia a Perr$ 4hodan definir,se! #ostrando at- onde esta*a disposto a satisfa9ê,las.
Thora n(o se sentia ; *ontade entre a7uelas pessoas afo.adas! ocupadas e entregues a
acaloradas discuss@es. 2escendente direta da dinastia reinante do 1#p-rio Arcnida! ela
dera a entender por #ais de u#a *e9 7ue considera*a a raça hu#ana inferior e
su.desen*ol*ida.
)eu olhar dirigiu,se para o fundador e dirigente da #ininaç(o terrestre cha#ada
Terceira Potência. U# tra*o de a#argura repu0ou in*oluntaria#ente os l+.ios .e#
for#ados. Perr$ 4hodan era! se# dú*ida! u# ser hu#ano e0cepcional. E depois de ha*er
a.sor*ido! atra*-s da aprendi9age# hipn5tica! todos os conheci#entos da raça arcnida!
tinha ad7uirido status super,hu#ano. 6ada #ais conseguiria surpreendê,lo.
Mas ne# por isso 8ustifica*a,se sua atual so.er.aB de*ia le#.rar,se co# #ais
fre7Aência de 7ue de*ia toda a7uela capacidade e conheci#ento aos arcnidas. Era a
opini(o de Thora! pelo #enos. 1rrita*a,a u# pouco *er co# 7ue grandiosa e
i#pressionante naturalidade 4hodan fa9ia uso dos conceitos fornecidos por u#a cultura
superior! cultura 7ue os ho#ens! três anos atr+s! ne# e# sonhos i#agina*a# e0istir.
E! no entanto! 4hodan #anusea*a forças ele#entares e pro8etos ousados co# u#a
segurança incrí*el! fa9endo at- a #ulher arcnida perder o flego. E ela tirara a falsa
conclus(o de 7ue 4hodan era a única pessoa #erecedora de atenç(o no #eio dos 7uase
7uatro .ilh@es de ha.itantes da Terra.
U#a ira profunda transpareceu na testa fran9ida 7uando Thora perce.eu o pressuroso
entusias#o de seu conselheiro científico e co#panheiro de raça. Crest! o líder dos
cientistas arcnidas e representante da grande9a intelectual do "rande 1#p-rio! parecia
estar inteira#ente su.8ugado ; *ontade de 4hodan. Era surpreendente *er o 7uanto esse
ho#e# do#ina*a o #elhor c-re.ro do planeta Nrcon.
Thora continua*a a se #anter ; parte! na e0pectati*a! a.sorta e# seu estranho
senti#ento de a#or,5dio pelo ho#e# 7ue lhe desperta*a incontida ad#iraç(o! #as a
7ue# n(o fa9ia concess(o algu#a. Ao lado de u#a ili#itada indignaç(o! tur.ilhona*a#
e# sua #ente pensa#entos sua*es e ternos.
6as telas cnca*as do c-re.ro,ro. positrnico pisca*a# e .rilha*a# as f5r#ulas
dos c+lculos finais. 4hodan #anipula*a os controles co# incrí*el dese#.araço!
do#inando u#a #+7uina cu8a perfeiç(o #ec<nica 8a#ais de*eria ad#itir ordens hu#anas.
E! no entanto! ela o.edecia a 4hodan.
— 4uptura estrutural 6
o
%%O= — anunciou a *o9 rouca de u# ho#e# atarracado! de
o#.ros largos.
Thora estre#eceu. 4eginald Iell! e0,capit(o da Força Espacial dos Estados Unidos e
pioneiro lunar! de#onstra*a seu propalado sangue,frio diante de e#ergência. Mas era
preciso conhecê,lo .e# para adi*inhar a f-rrea cal#a 7ue ia por tr+s da face 9o#.eteira.
— Mais u# salto! a cent-si#a d-ci#a nona transiç(o... — disse Iell! ele*ando a *o9
aci#a do 9unido dos aparelhos. — D o 7uanto .asta= Para 7ue continuar escutando as
#ensagens? E agora?...
)eu olhar ia de Perr$ 4hodan para Crest! nu# incessante *ai*-#. )a.ia 7ue as
opini@es dos dois ho#ens di*ergia#.
— 1nsiste nisso! Crest? — perguntou 4hodan! erguendo,se da cadeira girat5ria.
' arcnida de#onstra*a sinais de e0citaç(o. 'corrência inco#u# na #aneira de ser!
e# geral ponderada e cordata! do ser e0traterreno. 4hodan sentia 7ue a Terceira Potência
do planeta Terra se encontra*a e# *ias de entrar nu#a no*a fase. Portanto! acrescentou ;
sua perguntaC
— Parece,#e 7ue aca.a de iniciar,se a segunda etapa de nosso e#preendi#ento.
Medite so.re isso. As infor#aç@es trans#itidas por nossas estaç@es,ro.s e# Plut(o
indica# co# clare9a 7ue as rupturas registradas pelos sensores estruturais ocorrera# no
setor do sol 3ega. Foi constatado igual#ente 7ue inú#eras astrona*es! *indas do
hiperespaço! e0ecutara# ali sua reentrada no uni*erso nor#al. )ignificando 7ue seres
desconhecidos est(o e0plorando ati*a#ente o siste#a planet+rio 7ue de*e e0istir e# torno
de 3ega. Conser*e,se lúcido! Crest= Pre9o #uito sua inteligência e toler<ncia e o au0ílio
7ue prestou ; Terra e aos ho#ens te# sido inesti#+*el.
— Pois ent(o n(o lhe custaria nada atender u#a *e9 a u# pedido nosso= —
interro#peu Thora! do lugar onde esta*a.
Kaggard e Manoli! os dois #-dicos! se entreolhara#. ' cenho fran9ido de Kaggard
re*ela*a s-ria preocupaç(oC Thora esta*a criando pro.le#as=
— 6(o nos foi possí*el at- agora atender os pedidos 7ue #e fi9era# — respondeu
4hodan! seca#ente. — A posiç(o gal+ctica da Terra precisa ser #antida e# segredo! custe
o 7ue custar. L+ #e .astou o incidente co# in*asores e0traterrenos h+ três anos passados.
Crest! est+ redonda#ente enganado co# suas suposiç@es=
— Pois continuo pedindo e i#plorando u#a e0pediç(o i#ediata ao setor do sol
3ega= — insistiu Crest. — Meus c+lculos pro*a#! se# so#.ra de dú*idaC o #undo 7ue
tenho procurado t(o desesperada#ente se encontra entre os planetas do siste#a 3ega=
Perr$! pelo #enos u#a *e9! aceda aos #eus dese8os= Fa9 7uase 7uatro anos! na #edida
terrena do te#po! 7ue fo#os forçados a descer na :ua. Coisa 7ue n(o fa9ia parte dos
nossos planos. Eu *i# para este setor re#oto da gal+0ia e# .usca de u# planeta cu8os
ha.itantes conhece# o segredo da conser*aç(o .iol5gica das c-lulas. ' 7ue 7uer di9erC a
*ida eterna.
— Mas o senhor ainda ne# pode afir#ar co# certe9a 7ue 3ega possui planetas= —
o.8etou 4eginald Iell. — )eus c+lculos pode# estar corretos. Mas e daí? Para #i# n(o -
#oti*o suficiente para algu-# se 8ogar na7uele caldeir(o de .ru0as. As na*es 7ue
e#ergira# l+ do hiperespaço n(o a#eaça# a Terra por en7uanto! #es#o 7ue o c-re.ro
positrnico tenha al*itrado a possi.ilidade da Terra ter sido desco.erta. Por ra9@es 5.*ias!
n(o creio 7ue se8a o caso.
4hodan persistia e# seu in7uietante #utis#o. :+ e#.ai0o! no *asto sal(o de
conferências! aguarda*a# os chefes dos ser*iços secretos e os delegados das naç@es
terrestres. ' alar#e fora de <#.ito #undial. E agora a7uela surpresa=
— Mas trata,se de na*es arcnidas! cu8os co#andantes *ê# igual#ente co# a
#iss(o de procurar o #undo da *ida eterna! tenho certe9a= — tei#ou Crest.
A i#passi.ilidade de 4hodan parecia transtorn+,lo profunda#ente.
6o*a#ente a resposta foi dada por IellC
— Por 7ue tenta iludir,se a si pr5prio! Crest? Todos n5s sa.e#os 7ue a outrora
poderosa e ati*a raça dos arcnidas degenera a olhos *istos. ' declínio #ental 8+ era t(o
acentuado h+ 7uatro anos 7ue a tarefa de e7uipar seu cru9ador de pes7uisa custou esforços
inauditos. A tur#a 7ue surgiu do hiperespaço l+ e# 3ega n(o te# nada a *er co# seus
patrícios! os arcnidas. Confie e# #eu instinto. 4ecuso decolar co# a "ood Kope nu#
*o #ais r+pido do 7ue a lu9. Assi# co#o detecta#os e locali9a#os co# e0atid(o os
a.alos da estrutura espacial! os desconhecidos nos perce.er(o por sua *e9. Co# o 7ue
delataría#os a posiç(o de nosso siste#a solar. Eue dia.o! afinal eu sou o #inistro da
segurança! n(o -?
Iell ergueu,se da poltrona de controle. Aci#a dele cintila*a# as telas dos hiper,
sensores! funcionando e# *elocidade superior ; da lu9. ' #a8or 6$ssen! co#andante do &
o
"rupo de Caça Espacial! co#unica*a n(o ha*er *estígio de o.8etos estranhos no <#.ito do
siste#a solar.
— 3iu? — e0cla#ou Iell! carrancudo! co# os p+lidos olhos a9uis cheios de
ani#osidade. — Crest! ningu-# *ai #e forçar a sacrificar a "ood Kope= 's sensores
estruturais e# Plut(o registrara# at- agora cento e *inte e duas transiç@es. Todas na
*i9inhança i#ediata de 3ega= Pretende #es#o 8ogar nossa única espaçona*e grande no
#eio da7uele caos? )eria re#atada loucura=
— )ua opini(o n(o - a decisi*a! Iell= — e0cla#ou Thora! acre#ente! en7uanto
assu#ia u#a postura ainda #ais rígida. Por-# o rosto denota*a intensa co#oç(o.
G0ma &ela mulher1H constatou 4hodan. 6(o pela pri#eira *e9B 8+ se ha.ituara a
reconhecer a .ele9a da arcnida! e seu c-re.ro apenas confir#a*a auto#atica#ente o fato!
co#o coisa rotineira. Ficou o.ser*ando Thora co# os olhos se#icerrados.
Ela e#udeceu no #eio da frase ao *er o estranho sorriso de 4hodan. A face contraída
n(o escondia #ais o ner*osis#o.
— Prossiga#os= — encora8ou 4hodan. — Eue #ais precisa ser dito?
Iell cerrou os poderosos punhos.
— Eu nada tenho a di9er= — recla#ou! irritado. — Perr$ - 7ue - o chefe. )ei 7ue n(o
#e suporta! ThoraB #as .e# 7ue poderia pensar u# pouco na nossa na*e. E a única #ais
r+pida do 7ue a lu9 disponí*el no #o#ento. A sorte ainda nos protegeu desta *e9! est+
claro? Euando escutei o pri#eiro sinal de alar#a da estaç(o e# Plut(o! i#aginei *er surgir
so.re a Terra u#a frota atacante. Prefiro pecar por e0cesso de cautela! o 7ue n(o pode
pre8udicar ne# a Ku#anidade! ne# a *ocês! arcnidas. 2entro de apro0i#ada#ente u#
ano! nossos estaleiros ter(o concluído a construç(o das no*as na*es e ent(o podere#os
fa9er outros planos. 3ou erguer as #(os para os c-us se nos dei0are# e# pa9 at- l+.
Atual#ente n(o dispo#os ainda de ar#as para enfrentar inteligências c5s#icas. E
8usta#ente nestas circunst<ncias *ocê insiste e# fa9er o 7ue *ínha#os e*itando nos
últi#os três anos! por #edida de segurançaC u# hipersalto espacial. E e# direç(o de 3ega!
ainda por ci#a! onde aca.a de aparecer u#a nu#erosa frota espacial=
4hodan pigarreou.
Lohn Marshall sorriu 9o#.eteiro. ' coronel Fre$t! chefe da Força de Caça Espacial!
7ue chegara #o#entos antes! di*ertia,se co# a elo7Aente arenga de Iell.
— 3ocê #e recusa toda e 7ual7uer oportunidade! Perr$= — 7uei0ou,se o arcnida!
co# *o9 #agoada. — 2urante três anos te# se oposto at- a *iagens curtas! no raio de
cin7Aenta anos,lu9.
— E0ato. )e#pre fui o.rigado a refrear #inha pr5pria curiosidade a .e# da
segurança da Terra. Poderia# nos locali9ar. )a.e #uito .e# 7ue nenhu#a concentraç(o
de energia incipiente - t(o f+cil de locali9ar 7uanto u#a distorç(o da estrutura
gra*itacional.
— L+ espera#os .astante= Continuo a afir#ar 7ue as na*es surgidas no siste#a 3ega
pro*ê# de Nrcon! #inha p+tria. Lusta#ente por causa da degeneraç(o 7ue se alastra cada
*e9 #ais! so#os o.rigados a tentar prolongar a *ida útil das #entes ainda s(s!
su.#etendo,as a u# processo artificial de re8u*enesci#ento. ' Conselho Central de Nrcon
de*e ter feito u# esforço supre#o a fi# de possi.ilitar ainda no últi#o #o#ento a
desco.erta do planeta da preser*aç(o celular.
— E0i8o a partida i#ediata= — #anifestou,se no*a#ente Thora. — Estou certa de
poder entrar e# contato co# #eu po*o no siste#a 3ega. Trans#iti#os a *ocê tudo 7ue
sa.e#os atra*-s da hipnoinstruç(o! portanto n(o precisa #ais de n5s! 4hodan. Faço,lhe
presente da "ood Kope. :e*e adiante seu plano de ele*ar sua t(o a#ada Ku#anidade a u#
poder gal+tico! da for#a 7ue achar #elhor. Mas pri#eiro ser+ preciso do#ar os seres
pri#iti*os de sua raça! do#inados pelo instinto. Meios para isso n(o lhe falta#. Portanto!
repito #inha e0igênciaC 7uero decolar e ser condu9ida para 3ega=
— Eue id-ia a.surda= — gritou Iell! furioso. — )er+ preciso lhe di9er clara#ente
7ue a alti*a raça arcnida chegou ao fi#? )into #uito! por-# - te#po de 7ue algu-# lhe
a.ra os olhos! Thora. Ainda guardo nitida#ente na #e#5ria a e0press(o passi*a e
sonolenta dos rostos dos tripulantes de seu cru9ador ani7uilado. 3ocê e Crest pode# se dar
por satisfeitos! ainda conser*a# a #ente ilesa. Pois use#,na para pensar e n(o para
ali#entar fantasias irreais=
As pala*ras era# duras! de u#a fran7ue9a 7uase .rutal. 4hodan aguardou o resultado
delas.
Thora tre#ia de indignaç(o. Crest pareceu des#oronar interior#ente. A.alado!
dei0ou,se cair no pri#eiro assento 7ue encontrou. 6a Central de Co#ando o silêncio era
opressi*o. Apenas o .erreiro incessante do radio,trans#issor gal+tico se fa9ia ou*ir da
peça *i9inha.
— Coronel Fre$t=
A *o9 de 4hodan era seca e i#pessoal. )o.ressaltando,se! Fre$t assu#iu
in*oluntaria#ente a posiç(o de sentido.
Iell fitou o co#andante co# os olhos arregalados. Conhecia .e# a7uela e0press(o.
4hodan era o tipo hu#ano classificado pelos psic5logos da Força Espacial co#o de
adaptaç(o instant<nea. E o hipnotreina#ento rece.ido dos arcnidas intensificara ainda
#ais essa capacidade.
Perr$ 4hodan era agora o co#andante se*ero e intransigente 7ue n(o ad#itia
contradiç@es.
— Ms ordens= — respondeu Fre$t! engolindo e# seco.
— Mande o #a8or 2eringhouse aterrissar i#ediata#ente= 6$ssen fica e# 5r.ita
lunar co# seu grupo. '.rigado= Capit(o >lein?
' segundo ho#e# se perfilou diante do co#andante. 's olhos cin9a,n-*oa deste n(o
encora8a*a# perguntas. 4hodan n(o tinha consciência de 7ue do#ina*a os presentes co#
o poder de sua *ontade! forçando,os inconsciente#ente a aceitar suas sugest@es.
— Colocar e# prontid(o u# es7uadr(o de e#ergência. Cin7Aenta ho#ens .asta#.
Assu#a o co#ando. )intoni9e igual#ente ce# guerreiros,ro.s para fre7Aência
indi*idual. 2ecola#os dentro de cinco horas! e0ata#ente. '.rigado=
2ois ho#ens a.alados dei0ara# o recinto.
Crest ergueu,se lenta#enteB o rosto ao #es#o te#po 8o*e# e idoso refletia profunda
e#oç(o.
— Muito o.rigado= — falou! co# *o9 e#.argada. — Encontrar+ todo o apoio
i#agin+*el no siste#a 3ega. Tal*e9 eu possa conseguir at- 7ue lhe ceda# u# cru9ador
espacial real#ente capa9 de enfrentar .atalhas. ' "rande 1#p-rio proteger+ a Terra e#
toda e 7ual7uer circunst<ncia. La#ais es7uecere#os o 7ue fe9 por n5s. Eu=...
Mas Crest calou diante do olhar do ho#e# #agro! de estatura ele*ada. Pois leu no
fundo dos olhos claros u# re#oto indício de piedade! a#eni9ando a anterior e0press(o
autorit+ria.
— Crest! la#ento ter 7ue di9er isso! #as n(o *ai encontrar u#a s5 na*e arcnida no
siste#a 3ega= 6(o se iluda= A ansiedade enche sua #ente de sonhos. A raça arcnida n(o
possui #ais condiç@es para desencadear u# ata7ue #aciço desta esp-cie. :e#.re,se de
7ue locali9a#os #ais de cento e *inte espaçona*es e# transiç(o. 1sso n(o - gente sua=
' corpulento #inistro da defesa se adiantou.
— E0ata#ente o 7ue penso= Mas por 7ue insiste e# decolar! Perr$! se - 7ue #e
per#ite a pergunta? 2e acordo co# as o.ser*aç@es feitas! o ata7ue n(o se dirige contra
n5s. Por 7ue atrair a atenç(o dos desconhecidos! ho#e#? Por 7uê! 4hodan? D #ais do 7ue
e*idente 7ue a aç(o deles se concentra e# torno do sol gigante. )er+ 7ue refrea#os ; toa
nossa i#paciência por *os interestalares nestes três últi#os anos? Parece 7ue todo #undo
ficou .iruta de repente por a7ui=
— )e eu fosse ditador! *ocê estaria frito agora! Iell= — #ur#urou 4hodan! co# seu
fa#oso sorriso enig#+tico .rincando no canto dos l+.ios. — 6unca lhe ocorreu 7ue
poderia estar enganado?
— Enganado! eu? — replicou Iell! atnito.
— )i#! isso #es#o. A "ood Kope decola dentro de cinco horas= E0clusi*a#ente no
interesse da Terra! e# #iss(o de reconheci#ento. Pensa 7ue *ou per#anecer de .raços
cru9ados diante de u#a in*as(o e0traterrena a apenas *inte e sete anos,lu9 da7ui? E trata,
se efeti*a#ente de u#a in*as(o= 6egociantes ou pes7uisadores nunca se apresentaria#
assi# e# #assa! co# na*es e*idente#ente poderosas. E #ais u#a coisa=...
Perr$ 4hodan olhou e# torno co# ar se*ero.
— ...#ais u#a coisa! senhores! 7ue passou desperce.ida de todosC algu-#! l+ longe
no espaço gal+tico! co#eteu u# pe7ueno erro de c+lculo. Esta in*as(o tinha por o.8eto real
a Terra! e n(o 3ega. 's cha#ados de socorro e#itidos da :ua pelo cru9ador arcnida
fora# registrados co# u#a falha infinitesi#al. 'ra! le*ando e# conta as dist<ncias
gal+cticas! u# des*io #íni#o na na*egaç(o hiperespacial resulta e# errar o al*o *isado
por *inte e sete anos,lu9. D por isso 7ue *a#os dar u#a olhada nos aconteci#entos.
)enhores! a segunda etapa est+ se iniciando. 'u a segunda crise! se preferire#. Marshall!
anuncie,#e aos delegados no sal(o=
4hodan colocou o 7uepe na ca.eça! fe9 u#a r+pida continência e enca#inhou,se para
a porta .lindada. ' tenso silêncio pro*ocado por suas últi#as pala*ras foi ro#pido por
u#a risada sarc+stica.
4eginald Iell postou,se co# ar de desafio diante dos co#plicados aparelhos de
detecç(o.
— 3ere#os 7ue# est+ co# a ra9(o! co#andante. Mas! se co# esta doidice atrair#os
seres estranhos para a Terra! eu #e per#itirei a li.erdade de ta0ar de irrespons+*el o
ilustre #a8or Perr$ 4hodan! dirigente da Terceira Potência. E! co# sua licença!
co#andante! se algu# su.ordinado #eu co#etesse erro de tal #onta! eu o #andaria
su.#eter ; corte #arcial! so. a acusaç(o de co#pro#eter deli.erada#ente a segurança
#undial.
Fir#ando as #(os so.re o encosto de u#a das poltronas! o 2r. Manoli aguardou
fre#ente a reaç(o de 4hodan. 3oltando,se lenta#ente! ele declarou e# to# sua*e!
aco#panhado de u#a olhar enig#+ticoC
— Eu ta#.-# faria o #es#o! Iell=
A porta de aço fechou,se co# u# .a7ue surdo. 's .raços #et+licos dos guerreiros,
ro.s de fa.ricaç(o arcnida a.ai0ara# i#ediata#ente as ar#as apresentadas e#
continência. ' chefe se retirara.
— Io# psic5logo - 7ue *ocê n(o -= — co#entou o 2r. Kaggard! #inistro da saúde
da Terceira Potência desde sua criaç(o e fundador da reno#ada Clínica Arcnida.
' corpulento gigante to#ou o ru#o da porta .lindada. Eric Manoli! e0,#-dico de
.ordo da )tardust aco#panhou,o se# co#ent+rios. 4eginald Iell seguiu,os co# u# olhar
so#.rio. 2epois fitou os dois arcnidas.
E co#preendeu! nu# relance! por 7ue 4hodan desistira de sua contínua oposiç(o
contra *iagens espaciais #ais r+pidas do 7ue a lu9C por7ue fora o.rigado a ceder.
As circunst<ncias n(o per#itia# #ais a recusa de u# *o interestelar. Pois a
possi.ilidade de transfor#ar Thora e Crest e# ferrenhos ini#igos da Ku#anidade era
#uito #ais arriscada do 7ue a e*entual desco.erta da Terra por seres estranhos.
Al-# disso! ha*ia desconhecidos operando relati*a#ente perto dali...
J J J
' ruído dos potentes pulsopropulsores e# funciona#ento fa9ia pensar no rufar de
i#ensos ta#.ores acionados por gigantes in*isí*eis. 4ugindo! a "ood Kope se ergueu no
ar.
)eu local de pouso fica*a de.ai0o da grande cúpula energ-tica. Assi# 7ue a
cur*atura do p5lo superior da esfera co# sessenta #etros de di<#etro a#eaçou tocar a
radiosa co.ertura! o c-re.ro,ro. positrnico reagiu! co# a precis(o de u# #ecanis#o
despro*ido de ner*os. ' ca#po energ-tico entrou e# colapso! dei0ando passar a na*e.
Por-#! segundos ap5s! *oltou a *er,se a intensa lu#inosidade produ9ida pela
inco#preensí*el força desconhecida. Co# o reergui#ento do anteparo protetor e#udeceu
igual#ente o tonitruante rugido do aparelho e# ascens(o. )egundos ap5s! ele su#iu no
c-u do deserto. 4hodan acelera*a co# *alores 7ue le*aria# ; incandescência! por efeito da
fricç(o do ar! 7ual7uer outro *eículo.
' general Pounder refreou a custo seus senti#entos. Para o ho#e# ha.ituado ;
ati*idade espacial! constituía espet+culo grandioso *er a gigantesca na*e pro8etar,se para o
alto co# ta#anha facilidade. 2iante da7uilo! os foguetes usados pela Força Espacial dos
Estados Unidos parecia# lerdos e pesadosB ineficientes co# seu pri#iti*o siste#a de
propuls(o nuclear. E n(o s5 os a#ericanos=
Ta#.-# o #arechal "regor PetronsPi! chefe da 2efesa A-rea e Espacial 'riental!
n(o conseguia disfarçar a e#oç(o nos traços p-treos do rosto. 's olhares dos dois altos
oficiais se cru9ara#.
Pounder disseC
— Eue - feito de nosso orgulho? U#a for#iguinha pisada por p- gigante n(o poderia
se sentir #ais indefesa e insignificante...
' #arechal preferiu n(o responder. )ua atitude era significati*a. 6(o ha*ia #ais
lugar para di*ergências e ini#i9ades #al disfarçadas. Pelo #enos a7uilo Perr$ 4hodan
conseguira o.ter co# o si#ples fato de criar sua Terceira Potência.
' ho#e# .ai0o e fran9ino! aureolado co# u#a coroa de ca.elos dourados! sorriu
co# .ene*olência. 6ingu-# diria 7ue se trata*a do chefe todo,poderoso de u# ser*iço
secreto deno#inado Conselho 1nternacional de 2efesa.
Allan 2. Mercant a*ançou alguns passos. A conferência,rel<#pago reali9ada por
4hodan causara tre#endo i#pacto. Mercant consultou o rel5gio. )ua *o9 era cal#a e
a#+*el co#o se#preC
— 3a#os! ca*alheiros? 'u algu-# ainda du*ida da e0istência de raças alta#ente
desen*ol*idas al-# da nossa? E# caso negati*o! rogo,lhes 7ue co#uni7ue# aos
respecti*os go*ernos o resultado de nossas con*ersaç@es. Estarei e# Qashington durante
os pr50i#os dias. 3ia8a#os 8untos! general?
Pounder concordou co# u# aceno.
— E o 7ue acontecer+ caso o *o de 4hodan aca.e e# insucesso? — indagou u#a
*o9.
Pertencia a >osselo*! o chefe do )er*iço )ecreto 'riental.
Mercant en0ugou o suor da testa co# as costas da #(o.
— 6este caso! s5 nos restaria fa9er *otos pela n(o,desco.erta da Terra. )enhores! -
i#prescindí*el alertar nossos go*ernos para o fato de 7ue n(o esta#os #ais s5s= E seria
#ais do 7ue oportuno renunciar de u#a *e9 por todas a 7ual7uer preconceito ainda
e0istente contra a unidade uni*ersal. A Ku#anidade n(o pode apresentar,se desunida
diante de e*entuais in*asores c5s#icos.
' grupo se desfe9.
— Faço *otos pelo ê0ito da e0pediç(o= — #ur#urou PetronsPi. — )e os dados
registrados pelos locali9adores fore# corretos! 4hodan *ai se #eter nu# *erdadeiro
inferno. Eual - a capacidade de reaç(o da "ood Kope?
— Tudo depende das ar#as possuídas pelos ad*ers+rios desconhecidos=
— Ie#! aguarde#os= — respondeu PetronsPi. — 3ou preparar o alar#a at#ico e#
#inha +rea de co#ando. Pois gostaria de estar ra9oa*el#ente preparado caso seres
estranhos co#ece# a se interessar por n5s.
A densa floresta de 3ênus ainda re*er.era*a co# o eco da estrondosa decolage# da
"ood Kope! por-# a na*e 8+ desaparecera no tur.ilh(o con*ulso 7ue sua ascens(o
pro*ocara na co.ertura de nu*ens do segundo planeta do siste#a solar. As #assas de ar
*iolenta#ente deslocadas e co#pri#idas ha*ia# sido a7uecidas at- 7uase a
incandescênciaB u#a fai0a lu#inosa re*ela*a o ru#o to#ado pela na*e! 7ue decolara
*ertical#ente! ap5s *encer a dist<ncia Terra—3ênus e# cerca de 7uarenta #inutos.
Para Perr$ 4hodan! a escala e# 3ênus n(o passa*a de u# .re*e pouso co# a
finalidade de colher infor#aç@es. Por-# estas infor#aç@es era# de *ital i#port<ncia. D
7ue o c-re.ro,ro.! relati*a#ente pe7ueno! e0istente na +rea terrestre da Terceira Potência
n(o continha dados so.re o pro*+*el siste#a planet+rio do sol 3egaB portanto! 4hodan
ali#enta*a a *aga esperança de encontrar algo no co#putador gigante de 3ênus. '
#onstro #ec<nico,positrnico! construído por cientistas arcnidas na re#ota era de sua
e0pans(o gal+ctica! fornecera de fato os dados 7ue Perr$ 4hodan precisa*a.
' #ais difícil fora con*encer Thora e Crest da necessidade do pouso pr-*io e#
3ênus. Mas! por tr+s do sorriso a#+*el! a e0igência de 4hodan era e0plícitaC s5 arriscaria a
transiç(o para 3ega! a apenas *inte e sete anos,lu9 de dist<ncia dali! se pudesse o.ter
pri#eiro dados reais e concretos so.re a fa#ília planet+ria da estrela gigante.
Thora a Crest encerrara#,se e# tei#oso #utis#o. A situaç(o a .ordo da "ood Kope
.eira*a perigosa#ente os li#ites de u#a s-ria desa*ença. E 4hodan perce.ia a
necessidade urgente de chegar a u#a soluç(o #ediadora.
A consulta ao gigante positrnico! #il *e9es #ais eficiente do 7ue o c-re.ro retirado
da "ood Kope e instalado na Terra! resultou positi*a. 4eal#ente! as na*es arcnidas
tinha# e0plorado as *i9inhanças do )iste#a solar h+ cerca de de9 #il anos! e# contage#
terrena de te#po! por ocasi(o das e0pediç@es #igrat5rias ent(o efetuadas. A fortale9a e#
3ênus fora construída co# a finalidade de ser*ir co#o u#a esp-cie de refúgio c5s#ico
para situaç@es de e#ergência.
6a ocasi(o! os atual#ente degenerados arcnidas de*ia# encontrar,se ainda e#
plena posse de sua capacidade #ental e criati*a. 6ada #ais natural! portanto! do 7ue
acu#ular infor#aç@es acerca do ar#a#ento *i9inho ; Terra.
Perr$ 4hodan contara co# isso. Mas! para Thora e Crest! era u#a inesperada
surpresa. Co#o o c-re.ro,ro. do cru9ador de pes7uisa destruído n(o continha tais dados
e# seu .anco de #e#5ria! os dois arcnidas ha*ia# concluído 7ue o co#putador gigante
de 3ênus nada sa.eria ta#.-# acerca do siste#a planet+rio de 3ega.
4hodan *iu,se o.rigado! a contragosto! a cha#ar a atenç(o do cientista Crest para u#
engano fre7Aente#ente co#etido por sua raçaC o ar7ui*o positrnico central do distante
planeta Nrcon n(o era t(o co#pleto 7uanto os arcnidas 8ulga*a#. Aca.a*a# de ter u#a
pro*a positi*a disso. 2e onde se poderia concluir 7ue #uitas das e0pediç@es feitas pelos
arcnidas a #undos afastados 8a#ais ha*ia# sido re*eladas e registradas. Fato 7ue Crest
costu#a*a negar co# *ee#ência.
Pro*ido co# infor#aç@es essenciais! 4hodan le*antou *o de 3ênus! #as agora co#
seu ru#o .e# traçado.
J J J
6a ca.ina de co#ando da na*e esf-rica #al se ou*ia o ronco surdo dos propulsores
tra.alhando e# carga #+0i#a. Carga #+0i#aB isso significa*a a e0puls(o! ; *elocidade
e0ata da lu9! de u# 8ato de partículas coerentes! co#pactadas por u# ca#po energ-tico
gerado e# espaço hiperestrutural.
Perr$ 4hodan e os arcnidas deno#ina*a# o processo onda de corpúsculos! noç(o
7ue pro*ocara *erdadeira sensaç(o nos #eios científicos terrestres. A tecnologia arcnida
parecia estar fero9#ente e#penhada e# in*alidar as teorias pre*alentes na Terra! e e#
tornar realidade i#possi.ilidades científicas. A 8ulgar pela últi#a aula de 4hodan na
#undial#ente fa#osa Acade#ia Espacial! seria preciso es7uecer a #aior parte do 7ue os
ho#ens tinha# aprendido at- ent(o caso 7uisesse# enfronhar,se nos conheci#entos
arcnidas. 'u ent(o refor#ular por co#pleto a #aneira de *er as coisas.
Pulsopropuls(o e onda de corpúsculos era# conceitos e0plic+*eis apenas atra*-s da
#ate#+tica pentadi#ensional.
A "ood Kope acelerou na ra9(o aparente#ente alucinante de 7uinhentos 7uil#etros
por segundo! o 7ue! e# teoria! lhe per#itiria alcançar *elocidade igual ; da lu9 e# de9
#inutos.
Ta#.-# a7ui se aplica o princípio clara#ente esta.elecido para a *elocidade
relati*ística! de acordo co# a si#ples relaç(o linear de 7ue a *elocidade - igual a te#po
*e9es aceleraç(o constante.
Para o o.ser*ador na Terra! no entanto! ap5s de9 #inutos de aceleraç(o constante! a
na*e teria alcançado apenas u#a *elocidade correspondente a RST da lu9.
Para 4hodan se torna*a# aplic+*eis os conceitos #ais ele#entares da contraç(o
relati*ística proporcional do te#po. )o. o ponto de *ista dos conheci#entos hu#anos! as
e7uaç@es en*ol*idas era# .astante co#ple0asB por-#! arcnidas do ní*el de Crest
costu#a*a# fa9er os c+lculos #ental#ente.
' do#ínio de u#a na*e interestelar acarreta inú#eros pro.le#as. A despeito de sua
e0cepcional capacidade científica!! 4hodan e 4eginald Iell se defrontaria# co#
o.st+culos insuper+*eis n(o fosse o hipnotreina#ento rece.ido dos arcnidas. 4hodan
pilota*a co# #(o fir#e e <ni#o tran7Ailo a na*e! e# seu *ertiginoso *o pelo siste#a
solar. 's controles 7uase total#ente auto#ati9ados per#itia# 7ue a "ood Kope fosse
controlada por u#a s5 pessoa e# caso de necessidade! desde 7ue esta esti*esse
fa#iliari9ada co# a t-cnica arcnida.
Crest e Thora aguarda*a# a transiç(o i#inente co# a indiferente cal#a pro*inda do
h+.ito. 4hodan e Iell! no entanto! n(o escondia# seu ner*osis#o! apesar de tere# sido
de*ida#ente preparados para a e0periência. E as coisas corria# .e# de#ais=... 's
c+lculos necess+rios para o *enci#ento de u# trecho espacial correspondente a! *inte e
sete anos,lu9 8+ esta*a# sendo feitos! co# 3ega por o.8eti*o final. Co#pilando os dados
.+sicos fornecidos pelos locali9adores — a dist<ncia do al*o! a #assa da na*e e os ca#pos
gra*itacionais pre*alentes — o co#putador galaton+utico calculou a ta0a de i#puls(o!
conceito co#pleta#ente inco#preensí*el para pessoas co#uns! e 7ue os arcnidas
deno#ina*a# hiper*elocidade de fuga uni*ersal.
4hodan sa.ia #uito .e# 7ue o ro#pi#ento da .arreira da lu9 n(o podia ser ne#
conce.ido ne# e0plicado co# a #ate#+tica terrena. Portanto *iu,se o.rigado a relegar ao
es7ueci#ento toda sua .agage# de aprendi9ado tradicional e guiar,se apenas pelos
preceitos da ciência arcnida. Era suficiente para pro*ocar tanto nele co#o e# Iell
profundos conflitos e#ocionais. Ka*ia# passado por todas as e0periências possí*eis e
i#agin+*eis! o 7ue n(o os i#pedia! por-# de se sentir agora co#o o ho#e# pr-,hist5rico
diante de seu pri#eiro contato co# o fogoC sa.ia# co#o us+,lo! por-# ainda ignora*a#
7ue ele podia igual#ente ferir e #atar.
' ruído dos 7uatro pulsopropulsores sincroni9ados intensificou,se! le#.rando
tro*oada roncando ao longe. Euanto #ais a "ood Kope se apro0i#a*a da *elocidade e0ata
da lu9! tanto #ais acelerado se torna*a o tra.alho das #+7uinas de fa.ricaç(o e0traterrena.
A 5r.ita terrestre ficara para tr+s. A na*e afasta*a,se do )ol! a fi# de iniciar o salto
hiperespacial ainda no <#.ito do siste#a solar. Euando o ponteiro do *elocí#etro chegou
a u#a fraç(o centesi#al da #arca 7ue indica*a a *elocidade da lu9 e os sinais acústicos do
piloto auto#+tico principal cla#ara# por e#pu0o adicional! 4hodan soltou as #(os dos
controles e girou e# sua poltrona.
Apenas os líderes da redu9ida tripulaç(o se encontra*a# reunidos na ca.ina de
co#ando. 6as nu#erosas telas de o.ser*aç(o e0terna cintila*a# s5is re#otos! #uitos dos
7uais de*ia# possuir siste#as planet+rios.
U# r+pido to7ue no co#utador e0tinguiu as lu9es piscantes no painel do hiper,
controle. Thora olhou para 4hodan intrigada! perguntando e# to# in7uietoC
— Por 7ue suspendeu a aceleraç(o! 4hodan?
' co#andante ergueu,se lenta#ente de seu assento. Iell ficou na e0pectati*a. Algo
esta*a errado.
— ' e0celente hipnotreina#ento 7ue rece.i #e gra*ou fir#e#ente na #e#5ria 7ue
n(o - aconselh+*el iniciar u# hipersalto de dentro de u# siste#a planet+rio — e0plicou
4hodan! pausada#ente. — 3a#os prosseguir e# 7ueda li*re at- atingir a 5r.ita de Lúpiter!
e# *elocidade u# por cento a.ai0o da lu9. Prefiro n(o pro*ocar indese8+*eis distúr.ios no
ca#po #agn-tico da Terra. Euere# *ir co#igo at- a cantina?
Iell ligou os hipersensores! para detecç(o i#ediata de 7ual7uer corpo estranho!
conectando,os co# os pro8etores dos anteparos de defesa. 2epois seguiu 4hodan. ' piloto
auto#+tico inteira#ente positrnico #erecia total confiança! #ais do 7ue 7ual7uer ser
hu#ano.
Lohn Marshall! o #utante dotado de 7ualidades telep+ticas! sondou de longe os dois
arcnidas. 6(o conseguindo penetrar nas #entes .lo7ueadas! *irou,se para pedir au0ilio ;
#enina #agra! de olhos i#ensos.
Iett$ Toufr$ .rindou,o co# u# ligeiro sorriso 7ue! no entanto! n(o tinha nada de
infantil. Co# u# #o*i#ento de o#.ros! deu a entender 7ue ta#.-# ela n(o conseguia
captar o conteúdo #ental dos e0traterrenos! apesar de seus dons sere# #ais fortes do 7ue
os de Marshall.
TaPo >aPuta! o di#inuto 8aponês 7ue ainda h+ pouco esti*era de p- ao lado de Iell!
desapareceu de repente. ' 8o*e# co# o espantoso do# da teleportaç(o preferira #ais u#a
*e9 o ca#inho #ais curto. Era parte de sua constante pr+tica e treina#ento.
Al-# de Marshall! Iett$ e do fran9ino 8aponês! encontra*a#,se a .ordo duas pessoas
7ue Iell antes da decolage# conhecia apenas de no#e. 4hodan #andara dois caças
espaciais ultra,r+pidos ir .usc+,los e# 3ênus! onde a#.os concluía# seu curso de
especiali9aç(o.
2i9ia,se 7ue Quriu )engu! o 8aponês gordo e troncudo! era capa9 de en0ergar atra*-s
de corpos s5lidos usando e0clusi*a#ente sua força #ental. Mineiro de profiss(o! se#pre
#ara*ilhara seus co#panheiros co# sua infalí*el precogniç<o da produti*idade de tal ou
7ual no*a galeria de car*(o a.erta. ' Corpo de Iusca de Mutantes da Terceira Potência
fora desco.rir )engu no Lap(o.
4alf Marten! nascido igual#ente no Lap(o! filho de u# co#erciante ale#(o e #(e
nati*a! possuía dotes ainda #ais espantosos. Ta#.-# ele pertencia ; geraç(o *inda ao
#undo pouco ap5s a e0plos(o at#ica so.re Kiroshi#a. ' alto e es.elto 8o*e# era capa9
de a.olir te#poraria#ente a pr5pria identidade! assu#indo parapsicologica#ente a de
outra pessoa. 3ia por seus olhos e ou*ia por seus ou*idos! se# 7ue a *íti#a encontrasse
#eio de e0i#ir,se dessa in*as(o. Capacidade 7ue poderia e0plicar o e0traordin+rio ê0ito
de 4alf Marten no #undo dos neg5cios.
TaPo >aPuta! cu8a #era presença pro*oca*a acessos de irrita.ilidade e# 4eginald
Iell! possuía o do# da teleportaç(o. )e# 7ual7uer artifício! transporta*a seu corpo para
outro local e# 7uest(o de segundos.
Iett$! a #enina! era dupla#ente e0cepcional. Al-# de seus poderosos dons
telep+ticos! era capa9 de e0ecutar a telecin-siaC usar seu poder #ental para #o*er o.8etos
se# toc+,los co# as #(os.
Estranhos tripulantes a7ueles cinco #utantes= Para os arcnidas! cu8a cultura #ais
adiantada ad#itia tais fen#enos! o grupo ainda era considerado toler+*el. Mas os
tripulantes hu#anos co#uns considera*a#,nos *erdadeiras #onstruosidades. Claro 7ue
8a#ais algu-# e0pressa*a esta opini(o e# *o9 alta! e*ita*a# at- pensar nisso! por-# era a
#aneira de *er 7ue predo#ina*a entre os de#ais #e#.ros da tripulaç(o.
6a espaçosa cantina da e0,na*e au0iliar do cru9ador arcnida! adaptada ;s
necessidades hu#anas! for#ou,se u#a nítida .arreira de separaç(o entre os #utantes e os
cin7Aenta ho#ens da tropa de cho7ue destacada para a #iss(o. Apenas olhares carregados
de respeito! ad#iraç(o incontida! desconfiança e curiosidade *oa*a# de u# lado para
outro. ' E0-rcito de Mutantes! unidade especial da Terceira Potência! constituía poderoso
fator de segurança. Era co#preensí*el 7ue os cin7Aenta integrantes da tropa de cho7ue se
sentisse# inferiori9ados! a despeito de sua for#aç(o categori9ada.
4hodan tinha plena consciência de n(o poder har#oni9ar e# u#a s5 geraç(o o cis#a
profundo entre pessoas nor#ais e #utantes. Portanto contenta*a,se e# o.ter u# con*í*io
ra9oa*el#ente toler+*el entre os dois grupos.
4eina*a na cantina u# cli#a feito de e0tre#a tens(o! e0cita#ento e confor#ada
resignaç(o. Esta pro*inha principal#ente de 4eginald Iell! 7ue *ia suas en-rgicas
o.8eç@es ; e0pediç(o interestelar sere# co#pleta#ente ignoradas.
4hodan foi .re*e. ' i#paciente olhar para o rel5gio denotou 7ue n(o esta*a disposto
a perder te#po co# argu#entos proli0os.
— Assi# 7ue chegar#os ; 5r.ita de Lúpiter! parti#os para o pri#eiro salto
hiperespacial 8a#ais reali9ado por ho#ens= — anunciou! cal#a#ente. 6o entanto! seu
ner*osis#o ínti#o era aparente. — Peço,lhes encarecida#ente 7ue o.edeça# ; risca ;s
instruç@es dadas. 's doutores Kaggard e Manoli se encarregar(o da assistência #-dica
assi# 7ue e#ergir#os no hiperespaço. A ocorrência de danos físicos - pouco pro*+*elB a
#ente ta#.-# n(o ser+ afetada. )e o processo fosse perigoso! a raça arcnida teria sido
e0tinta de9 #il anos atr+s. Mantenha# o #aior rela0a#ento possí*el durante a transiç(o. A
des#ateriali9aç(o - ine*it+*el durante o fen#eno de passage# para o hiperespaço
pentadi#ensional. 6ossos organis#os sofrer(o u#a passageira soluç(o de continuidade!
pois n(o pode# su.sistir no estado presente nu# plano supernatural. Mas pode# estar
certos de 7ue! por ocasi(o do regresso ; di#ens(o 7uadridi#ensional de nosso #undo
nor#al! cada 7ual encontrar+ no*a#ente seu apêndice no lugar e0ato deter#inado pela
#(e,nature9a. Mais u#a o.ser*aç(o...
4hodan percorreu a atenta audiência co# u# olhar i#perscrut+*el.
— ' c-re.ro,ro. de 3ênus forneceu,#e dados e0atos so.re o sol 3ega. 2e acordo
co# ele! a estrela conta*a h+ de9 #il anos! te#po terrestre! co# 7uarenta e dois planetas.
Fato nada surpreendente! e# *ista de suas di#ens@es gigantescas. U#a e0pediç(o
arcnida andou e0plorando a +rea na -poca #encionada! colhendo infor#aç@es detalhadas.
3ida inteligente s5 foi constatada no oita*o planeta! deno#inado Ferrol. Consta 7ue os
ferrnios tê# aparência hu#anaB pelo #enos possue# dois .raços! duas pernas! u#a s5
ca.eça e anda# eretos. Euando os arcnidas *isitara# Ferrol! os nati*os aca.a*a# de
desco.rir a p5l*ora. ' 7ue nos per#ite dedu9ir 7ue atual#ente! de9 #il anos ap5s!
possua# ar#as nucleares! ou este8a# capacitados para *iagens interestelares. Pode#os
deparar co# u#a raça alta#ente desen*ol*idaB ou co# u# #onte de detrito planet+rio!
girando deserto e solit+rio e# torno de seu sol! inteira#ente arrasado pela radioati*idade.
)e8a co#o for! este8a# preparados para surpresas e #antenha# a cal#a. 4eco#endo u#a
hora de sono para 7ue# conseguir ador#ecer. )eria 5ti#o passar pela transiç(o e# estado
de sonolência.
4hodan despediu,se co# u#a .re*e saudaç(o e *oltou ; ca.ina de co#ando. '
capit(o >lein dispensou os ho#ens. ' #a8or 2eringhouse! respons+*el pelos dois caças
arcnido,terrestres tra9idos a .ordo! decidiu ir inspecionar seus aparelhos.
Ao acionar a porta .lindada 7ue da*a acesso ao hangar dos a*i@es! ele #ur#urou
consigo #es#oC
— )ei l+! a coisa n(o #e cheira .e#=
Iell ali#enta*a dú*idas se#elhantes.
2ispensando o ele*ador antigra*itacional! su.iu resfolegando pela escada espiral de
e#ergência.
Entrando na central de co#ando repleta de instru#entos 7ue ainda lhe aturdia# os
pensa#entos! Iell perce.eu u# ligeiro clar(o ; sua frente. 2o nada e#ergiu u# *ulto
hu#ano 7ue! e# fraç(o de segundos! se #ateriali9ou na fr+gil e ine7uí*oca silhueta do
8aponês >aPuta. A face infantil e co#penetrada #ostra*a u# a#+*el sorrisoC
— Es7ueceu seu 7uepe! capit(o= — disse ele. — A7ui est+=
Contando #ental#ente at- três! Iell desferiu u# soco na direç(o do risonho 8o*e#.
Mas co#o este *oltara a tornar,se in*isí*el! n(o ha*ia o 7ue acertar e o golpe se perdeu no
ar.
Iell enca#inhou,se para o assento do co,piloto. 4hodan rece.eu,o co# e0press(o
i#passí*elB #as as #inúsculas rugas nos cantos dos olhos re*ela*a# *ontade de rir.
— 's #utantes tê# orde# para treinar seus e0cepcionais poderes se#pre e onde
pudere#= — co#entou! ironica#ente.
Iell fi0ou o olhar so.re as telas fronteiras! se# dar resposta. Marte! o planeta
*er#elho! aparecia no 7uadrante direito superior da tela de esti.ordo. A "ood Kope
cru9a*a e# *elocidade #+0i#a.
Thora! a esguia arcnida! ocupa*a o assento diante do co#putador galaton+utico. )ua
e0press(o era enig#+tica.
— Co#o se sente? — indagou 4hodan.
— Fti#a! o.rigada= Perr$! *ocê se parece co# u# ca#po energ-tico inst+*el! pronto
a entrar e# colapso a 7ual7uer #o#ento.
)e# responder! 4hodan #antinha o olhar fi0o para a frente. E# algu# lugar das
profunde9as do espaço de*ia estar o ponto cu8as coordenadas esta*a# sendo le*antadas
pelo co#putador. Era essencial 7ue o hipersalto se processasse e0ata#ente na fraç(o de
segundo deter#inada.
Thora lançou u# olhar suplicante para Crest. 6(o sa.ia por 7ue se sentia de repente
t(o depri#ida.
A transiç(o se processou co# a rapide9 de u# rel<#pago. Fuga9 de#ais para ser
perce.ida pela consciência. Mal ressoou nos ou*idos o re.oar estrondoso dos con*ersores
do ca#po estrutural! acionados espontanea#ente! as telas refletira# lu9 *ioleta e tudo se
transfor#ou de repente.
A ca.ina de co#ando parecia o olho incandescente de u# gigante #itol5gicoB o
aparelha#ento foi se dissol*endo e# n-*oa e desapareceu.
A incipiente sensaç(o de dor era aguda e lancinante. Cessou ao atingir o auge! co#o
se o siste#a ner*oso ti*esse se desligado espontanea#ente.
2entro do ca#po estrutural erigido co# toda a energia disponí*el! a fi# de e0cluir
por co#pleto a entrada de 7ual7uer força 7uadridi#ensional! a "ood Kope transfor#ou,se
nu# corpo incapa9 de continuar #antendo sua esta.ilidade. A física a*ançada dos
arcnidas da*a ao fen#eno o no#e de efeito de su.li#aç(o. Ao #es#o te#po! as ondas
corpusculares 7ue aciona*a# os pulsopropulsores con*ertia#,se e# unidades energ-ticas
pentadi#ensionais! u#a *e9 7ue ta#.-# n(o conseguia# conser*ar as características
nor#ais dentro do ca#po de a.sorç(o esf-rico. Porta*a#,se co#o +gua diante de u#a
fonte t-r#ica intensaC era forçada a *apori9ar,se! por n(o poder continuar e# estado
lí7uido no a#.iente #odificado.
4hodan tentara passar pela transiç(o e# estado consciente. Por-# n(o ha*ia
e*idente#ente diferença entre c-re.ros arcnidas e hu#anos neste particular. )eu últi#o
pensa#ento! antes de penetrar no hiperespaço! foi para a futura re#ateriali9aç(o. Afinal!
transfor#ar #at-ria e# energia era si#plesB por-# nunca se conseguira o.ter su.st<ncia
física de energia pura! fosse 7ual fosse seu estado ou constituiç(o.
Toda*ia! no caso de u#a transiç(o! o efeito ocorria forçosa#ente! s5 7ue a
re#ateriali9aç(o consistia apenas na re*ers(o e0ata ao estado de orige#.
' processo todo durou pou7uíssi#o. ' anterior conceito relati*ista de te#po perdera
toda a *alidade. Anos podia# *aler por segundos! e *ice,*ersa. A so#.ria cor *er#elha
ainda predo#ina*a no a#.iente 7uando a dor e0cruciante *oltou! aliada a aguda sensaç(o
de desintegraç(o. Mas os contornos dos o.8etos era# no*a#ente *isí*eis na ca.ina de
co#ando.
' regresso ao uni*erso nor#al foi espont<neo! se# 7ual7uer est+gio inter#edi+rio. A
*is(o clareou! os sentidos reto#ara# o funciona#ento nor#al! co#o se nunca o ti*esse#
interro#pido.
Apenas as i#agens captadas pelas telas era# radical#ente diferentes. 6os *ídeos
frontais .rilha*a de for#a deslu#.rante u#a i#ensa estrela! 7ue! de for#a algu#a!
poderia ser confundida co# o sol terrestre. Era grande e 7uente de#ais para isso! al-# de
irradiar lu9 #ais clara.
Perr$ 4hodan foi arrancado do estado se#iconsciente pelo 9u#.ido do siste#a de
alar#a. U# ge#ido de dor aca.ou de acord+,lo. Ao seu lado! u#a *o9 preocupada di9iaC
— Parada dura! n(o - chefe? Tudo e# orde# agora?
4hodan *iu,se diante de TaPo >aPuta. ' #utante capa9 de teleportaç(o acha*a,se de
p- diante do painel de controle aparentando total indiferença.
— )en(o...= — suspirou o co#andante. — Co#o - 7ue *ocê?...
— 'ra! estou #ais do 7ue fa#iliari9ado co# o processo. 4e#ateriali9aç@es s(o
se#pre iguais! 7uer se8a# pro*ocadas por forças físicas ou psí7uicas. Co# o te#po a
gente se acostu#a! pode crer. ' alar#a! co#andante= 's locali9adores detectara# algo.
4hodan n(o se preocupou co# as irritadas e0cla#aç@es de seu co,piloto! 7ue
le*anta*a ca#.aleante do assento. Co# a face contraída de dor! Iell apalpou os #e#.ros!
u# por u#. Mas o sinal de alar#a seguinte fe9 co# 7ue ele ficasse instantanea#ente
alerta. Ta#.-# Crest e Thora da*a# sinais de *ida. 2as *+rias seç@es da na*e chega*a#
co#unicados di9endo 7ue esta*a tudo .e#. Kaggard e Manoli confir#ara# o .o# estado
da tripulaç(o.
' alar#a fora ati*ado pelos sensores estruturais da pr5pria na*eB tinha# detectado
*iolentas defor#aç@es na estrutura do espaço. 's sinais continuara# a #anifestar,se por
alguns #o#entosB depois fora# rareando! at- 7ue a últi#a l<#pada se e0tinguiu.
4hodan fitou os co#panheiros e# silêncio. Esta*a# todos presentes e! ao 7ue
parecia! se# ter sofrido o #enor dano. A atitude de Thora denota*a tal superioridade e
condescendência 7ue 4hodan n(o ousou e0pressar a pergunta 7ue lhe 7uei#a*a os l+.ios.
Iell! no entanto! n(o se do#ina*a t(o .e#. 3acilando! e co# a *ista tur*a!
apro0i#ou,se das telas! indagandoC
— Chega#os inteiros? 1sso ai - 3ega?
)o.er.a#ente! a arcnida respondeuC
— Eue acha? As hipertransiç@es de nossas na*es se#pre se processa# co# a.soluto
ê0ito=
— )alta#os por ci#a de *inte e sete anos,lu9? — Iell engoliu e# seco! prague8ando
.ai0inho. )e# #ais co#ent+rios! *oltou ; sua poltrona! e ps,se a recolher as infor#aç@es
7ue ia# sendo fornecidas! nu#a fita! pelo painel de controle. )i#! tudo corria #uito .e#.
U# aconteci#ento in-dito e espetacular para a tripulaç(o hu#ana decorrera co# a
precis(o de u# #ecanis#o de rel5gio .e# a8ustado. E ningu-# parecia i#pressionar,se
co# isso! #uito #enos os arcnidas.
Crest postara,se! fre#ente! diante dos calculadores dos sensores estruturais. '
resultado dos c+lculos! inteira#ente auto#+ticos! indica*a a apro0i#aç(o do pri#eiro
planeta. ' fato era confir#ado pelos hiper*elo9es locali9adoresB seus i#pulsos se
pro8eta*a# na dianteira da "ood Kope! sendo refletidos co# a #es#a incalcul+*el
rapide9.
6as telas co#eçara# a .rilhar inú#eros pontinhos *erdes. Era# eles 7ue
desperta*a# o ardoroso interesse do cientista arcnida.
— 6ossas na*es= — #ur#urou Crest! co#o*ido. — E u#a frota inteira= 3e8a as
indicaç@es dos sensores estruturais! 4hodanC #ais de cin7Aenta delas e#ergira# 7uase
si#ultanea#ente do hiperespaço.
— Euando! e0ata#ente? — indagou 4hodan! co# fria i#passi.ilidade.
— Ie# ao #es#o te#po 7ue n5s.
— Fti#o= — e0cla#ou 4hodan. — Portanto n(o de*e# ter detectado o a.alo
estrutural 7ue pro*oca#os co# nossa apariç(o. Coincidência .en-fica! n(o?
— )eria con*eniente proceder a u# reconheci#ento #útuo — inter*eio Thora!
e0citada. — 6(o sinto disposiç(o para prolongar as .uscas. Mande calcular o curso para o
oita*o planeta! por fa*or. "aranto 7ue dare#os co# nossas na*es de pes7uisa l+.
— D! tal*e9 tenha ra9(o! Thora... — respondeu 4hodan co# *o9 pausada.
2epois le*antou a *o9! ordenando energica#enteC
— Iell! todos e# prontid(o de co#.ate= 2ê alar#a geral. Thora! encarrregue,se dos
locali9adores. Iell! *ocê fica co# o co#ando do centro de ar#a#ento=
Iell n(o fe9 co#ent+rios. ' .rilho dos olhos de aço do chefe lhe di9ia o suficiente.
As ca#painhas de alar#a se fi9era# ou*ir e# todas as dependências da na*e.
Entreolhando,se alar#ados! os ho#ens fi9era# seus preparati*os.
2eringhouse anunciou pelo interco# 7ue os dois caças esta*a# prontos para a
#ano.ra de ata7ue.
— 3ocê enlou7ueceu? — gritou Thora! co# os olhos *er#elhos fla#e8ando de ira.
Ereta! diante do ho#e# alto e #agro! tre#ia de 5dio.
— Tal*e9 si#! tal*e9 n(o... — replicou 4hodan co# a #aior tran7Ailidade. — Mas
n(o sou louco .astante para #e precipitar -.rio de alegria nu# siste#a planet+rio
desconhecido. L+ lhes disse #ais de u#a *e9 7ue n(o creio na e0istência de na*es
arcnidas. Eueira ocupar sua posiç(o de co#.ate! por o.s-7uio.
Furiosa! Thora o.edeceu! so. o olhar indiferente de 4hodan.
— Capit(o >lein= Cuide da orientaç(o... — ordenou 4hodan! tran7Ailo. — Quriu
)engu! #antenha,se atento. Atra*essare#os o siste#a 3ega e# cerca de oito horas. )(o
7uarenta e dois planetas! co# dist<ncias fa.ulosas entre u# e outro. '.rigado! - tudo=
Ao reto#ar seu lugar de piloto! os reatores do circuito e0terno co#eçara# a
funcionar ruidosa#ente. E# torno do re*esti#ento da na*e foi,se for#ando! ap5s .re*es
la#pe8os lu#inosos! o anteparo protetor de unidades energ-ticas e0tradi#ensionais.
)eguiu,se o ca#po repulsor de corpos #aterial#ente est+*eis. Co# isso! a "ood Kope
#unira,se dos recursos defensi*os #ais a*ançados da tecnologia arcnida.
's pontinhos *erdes continua*a# a lu9ir nas telas dos sensores. 2istantes ainda! a
#ais de três horas,lu9! 7ue a "ood Kope percorreria co# sua *elocidade nor#al.
— E0i8o u#a transiç(o de curta dist<ncia= — gritou Thora.
4hodan n(o lhe respondeu. Thora calou,se! por-# era e*idente 7ue n(o se
confor#a*a. Ao fundo da ca.ina! os cinco #utantes for#a*a# u# grupo unido e 7uieto.
Iett$ Toufr$ e Lohn Marshall capta*a# sensaç@es e pensa#entos 7ue nenhu# #ortal
co#u# perce.eria.
Mo#entos ap5s! a #enina #ur#urou! .ai0inhoC
— 'uço al#as chorando= Te# gente #orrendo. Muitos #ortos. ' espaço est+ repleto
de la#entos e soluços. 2esespero! dor! #orte=
's olhos profundos esta*a# dilatados! *astos co#o o espaço c5s#ico. Iell fitou,a!
i#pressionado. 6as telas dos detectores da na*e interestelar os pontos *erdes se
#ultiplica*a#. 4hodan ordenou alar#a total! o siste#a positrnico de #ira entrou e#
funciona#ento. 6o *ídeo! 3ega .rilha*a co#o o olho cicl5pico de u# deus a#eaçador.
:+ adiante! nas profunde9as do siste#a planet+rio da grande estrela! sucedia algo
ainda n(o de todo co#preensí*el...
J J J
' grito ecoou surda#ente na ca.ina de co#ando. 6ingu-# ha*ia contado co# o 7ue
esta*a acontecendo e os fatos tinha# chegado de surpresa! precipitando,se so.re eles co#o
u#a +gil fera dando o .ote.
A gigantesca 3ega! principal estrela da constelaç(o da :ira! refletia,se nos *ídeos
co#o u#a i#ensa .olha de sa.(o iridescente. U# sol de proporç@es *erdadeira#ente
a*anta8adas.
Co# isso! a tripulaç(o tardou a discernir os longín7uos raios lu#inosos! finos co#o
fios de ca.elo! e o rela#pe8ar contínuo de #inúsculas e0plos@es. Apenas as telas
a#plificadoras! co# sua #agnitude de foco! aca.ara# re*elando a ocorrência de u#
tre#endo conflito nas i#ediaç@es da 5r.ita do d-ci#o 7uarto planeta.
Cinco #inutos ap5s a detecç(o positi*a! os hiper*elo9es sensores de locali9aç(o se
fi9era# ou*ir. )eu estridente cla#or ainda prosseguia. ' e7uipa#ento alta#ente sensí*el!
7ue reagia ; presença de descargas energ-ticas! n(o fora instalado e# *(o. Mas era tarde
de#ais! pois a "ood Kope seguia co# a #es#a *elocidade! 7uase igual ; da lu9. Portanto
seria i#possí*el des*iar das na*es surgidas de #aneira t(o inesperada! ou es7ui*ar,se de
passar atra*-s de suas confusas tra8et5rias.
's propulsores gê#eos de esti.ordo rugira# nu#a furiosa e0i.iç(o de força. U#
des*io #íni#o de ru#o .astaria! na7uela *elocidade alucinante! para arrancar a "ood
Kope da +rea i#ediata de perigo. Mas os a#ortecedores de in-rcia protestara#
guinchando! o.rigados a dissipar a energia 7ue 4hodan canali9ara! #o#entos atr+s! para
os pro8etores dos anteparos de defesa.
A seta lu#inosa 7ue se lança*a contra a "ood Kope n(o podia estar se #o*endo co#
a *elocidade da lu9. Pois se esti*esse! os *ideosc5pios s5 captaria# sua i#age# no
#o#ento do i#pacto. Por-# ela *inha co# rapide9 suficiente para arrancar e0cla#aç@es
de susto dos ho#ens na ca.ina de controle. Conhecia# o cintilante fen#enoB por tr+s de
seu aspecto inofensi*o se escondia a #orte.
4hodan acionou no*a#ente o reostato dos propulsores de esti.ordo. Por-# era
i#possí*el forçar u#a #udança de ru#o acentuado na7uela altura. Ta#.-# a t-cnica
arcnida tinha as suas li#itaç@es e continua*a aceitando o princípio de 7ue u# corpo
*oando ; *elocidade da lu9 n(o pode ser detido e# instantes. E as #ano.ras de
es7ui*a#ento n(o podia# ser e0ecutadas a.rupta#ente! ne# e# <ngulo reto. ' #+0i#o
7ue se podia conseguir era u#a defle0(o cur*a! co# u# arco de pelo #enos dois #ilh@es
de 7uil#etros. Afinal! #assa e# #o*i#ento era #assa e# #o*i#ento e nada podia ser
feito a respeito.
6o entanto! a #ano.ra forçada! 7ue su.#etia o #aterial da na*e a u#a rigorosa
pro*a de resistência! .astou para arrancar a esfera da 9ona perigosa no #o#ento crucial. A
seta lu#inosa! for#ada por u# fogo energ-tico concentrado de alta intensidade! passou a
u# escasso 7uil#etro da na*e des*iada! perdendo,se no *a9io do espaço interplanet+rio.
— Iela recepç(o= — recla#ou 4hodan! furioso.
Muito p+lida! Thora encarou o co#andante! cu8os traços se contraía# de
preocupaç(o. A seguir! aconteceu o 7ue era ine*it+*el diante da7uele aglo#erado de
na*es.
's pontinhos anterior#ente a*istados aparecia# agora nos *ideosc5pios co#o
corpos *olu#osos! agrupados no espaço e# fileiras densas e traçando na escurid(o
profunda do cos#o u#a filigrana #ulticolorida.
A e0cla#aç(o de angústia *iera de Crest. Co# os olhos fi0os nas telas! fita*a
estarrecido as na*es 7ue aparecia# nitida#ente. Era# de dois tipos di*ersos. >lein
focali9a*a 8usta#ente u#a delas no locali9ador de curta dist<ncia. Trata*a,se de u#a das
unidades o*5ides! presentes na +rea conflagrada e# nítida superioridade nu#-rica. '
propulsor traseiro desta na*e e0pulsa*a 8atos de lu9 e0tre#a#ente intensa! cu8o .rilho
ofuscante feria os olhos.
Por-# a 7uantidade delas n(o i#pedia 7ue fosse# rapida#ente di9i#adas pelas
na*es ad*ers+rias. ' espaço interplanet+rio de 3ega enchia,se de catastr5ficas e0plos@es
nucleares! so. o efeito das 7uais as na*es o*5ides se desintegra*a# e# nú#ero crescente.
Parecia# co#pleta#ente indefesas! o 7ue se poderia atri.uir e# pri#eiro lugar ;
*olu#osidade e0cessi*a.
's co#putadores 8+ ha*ia# re*elado a 4hodan 7ue as na*es desconhecidas possuía#
redu9ida ta0a de aceleraç(o. Co# isso! suas #ano.ras era# penosa#ente lentas. E ia#,se
transfor#ando e# .o#.as! u#a a u#a! so. o i#pacto das setas lu#inosas.
— Elas n(o tê# anteparos protetores= — gritou >lein! e0citado. — 6e# siste#a
detector de energia! chefe= 6(o passa# de tartarugas! n(o tê# chance algu#a=
4hodan atenta*a para suas ousadas #ano.ras de es7ui*a#ento. Caso a "ood Kope
prosseguisse no ru#o atual! #ergulharia ine*ita*el#ente no grosso da confus(o.
Crest dei0ou escapar no*a e0cla#aç(o.
6o *ídeo #ais a#plo da popa surgiu outro tipo de na*e. E# contraste co# as
rotundas e pesadas for#as antes a*istadas! estas apresenta*a# o aspecto de u# longo e
delgado cilindro. 6o #eio deste destaca*a,se u# forte a.aula#ento central. Co#o se
algu-# ti*esse atra*essado u#a castanha co# u# l+pis! dei0ando,a espetada e0ata#ente
no #eio.
— 2epressa= Au#ente a defle0(o= — gritou Crest! fora de si. )ua ha.itual
co#postura desaparecera agora. 6a7uele instante! o s+.io arcnida n(o era #ais do 7ue
u# trê#ulo fei0e de ner*os.
A resposta de 4hodan era dispens+*el. Co# os propulsores soltando fogo! a "ood
Kope procura*a e*itar o centro da .atalha! por-# continua*a sendo al*e8ada. Ka*ia u#a
7uantidade e0cessi*a das #isteriosas e desconhecidas na*es espalhadas nu# e0tenso setor
espacial de 3ega. Mais u#a *e9 perce.era#! no últi#o instante! a seta lu#inosa! 7uase t(o
r+pida co#o a lu9. ' siste#a de detecç(o positrnico entrou e# aç(o auto#atica#ente!
por-# os propulsores recusa*a# fornecer e#pu0o #ais poderoso. L+ esta*a# funcionando
co# carga #+0i#a.
A seta atingiu a "ood Kope e# cheio. E ela saltou fora de seu curso! rodopiando!
co#o u#a .ola chutada co# *iolência. 6o a#plo *ideosc5pio e0terno .rilhou u#a
descarga lu#inosa de fulgor ofuscanteB u# tre#endo estouro aco#panhou o fen#eno
lu#inoso. ' corpo da na*e! feito de aço arcnida! ps,se a re*er.erar co#o u# sino! e#
conse7Aência das *i.raç@es resultantes do i#pacto.
' i#aterial dedo de fogo continuou sua tra8et5ria pelo espaço. :+ longe! u#a das
na*es cilíndricas se afasta*a *elo9#ente. Fora de sua cúpula ar#ada 7ue partira o tiro.
's tripulantes da ca.ina de co#ando *ira# 4hodan rir. 6(o podia# ou*ir a risada!
pois o eco tro*e8ante produ9ido pelo tiro 7uase fatal ainda re.oa*a pelo recinto.
Crest continua*a de p- diante das telas. A +rea conflagrada foi ficando para tr+s. As
na*es espaciais! fiel#ente retratadas h+ pouco! *oltara# a assu#ir a for#a de pontinhos
lu#inosos. E# troca! a relati*a#ente pe7uena na*e esf-rica dos arcnidas dei0ou de ser
al*e8ada.
Muito atr+s da "ood Kope! as na*es o*5ides continua*a# a e0plodir. )eu nú#ero se
redu9ia #ais e #ais! principal#ente por7ue no*as for#aç@es ini#igas aca.a*a# de
e#ergir do hiperespaço.
A últi#a situaç(o crítica surgiu 7uando atra*essara# co# *elocidade alucinante u#a
#assa de g+s incandescente. )egundos antes! u#a das na*es o*5ides e0plodira no local!
atingida pelo ini#igo. 's anteparos protetores e0ternos ui*ara# no*a#ente seu protesto!
#as a "ood Kope conseguiu passar inc5lu#e. M frente dela .rilha*a o d-ci#o 7uarto
planeta de u# siste#a solar nunca i#aginado. Parecia tratar,se de u#a i#ensa esfera
gasosa! se#elhante a Lúpiter. 4hodan desligou os propulsores de esti.ordoB a cessaç(o do
.arulhento ronco do #otor foi .e#,*inda e a na*e dirigiu,se e# 7ueda li*re para o ainda
distante planeta.
— "randes recursos - 7ue eles n(o possue#= — co#entou 4eginald Iell! co# a
irritante cal#a de u# ho#e# 7ue nada consegue a.alar. — )er+ 7ue considera# a7uela
.eliscadinha ar#a energ-tica? Eue# te# co#ent+rios a fa9er?
Iell olhou de esguelha para 4hodan! 7ue se le*anta*a do lugar do piloto.
3agarosa#ente! apro0i#ou,se dos dois arcnidas. Crest es.oçou u# gesto de recuo diante
do sorriso se#idisfarçado do co#andante. Mas logo 4hodan reassu#iu o ar se*ero do
infle0í*el piloto de pro*as 7ue n(o ad#itia situaç@es a#.íguas.
— Esta*a 7uerendo di9er 7ual7uer coisa antes de ser#os atingidos — disse 4hodan.
— ' 7ue era?
' aspecto de Crest era la#ent+*el. P+lido e desfeito! afundara nu#a poltrona.
— Eu esta*a enganado= — #ur#urou o grande cientista! co# *o9 e#.argada. —
Co#eti real#ente u# erro= Perdoe,#e=
— U# erro? 'ra! isso n(o - no*idade 7ue a.ale o #undo. ' 7ue ia di9er no
#o#ento do ata7ue?
's olhos *er#elhos de Crest suplica*a#C sua pertur.aç(o era e*idente.
— A7uelas na*es cilíndricas! co# o .o8o central... eu as conheço= Eual7uer arcnida
as conhece. 6(o pode ha*er dú*ida. )5 u#a raça e# toda a gal+0ia e#prega esse siste#a
e0traordinaria#ente inco#u# de aerona*es.
— E de onde *ê# eles?
Crest *acilou. ' 2r. Kaggard condu9iu,o de *olta ; sua poltrona. 2ali! o s+.io
arcnida e0plicou! a.aladoC
— 6(o - Nrcon! - claro. A raça dos t5psidas pro*-# de u# tronco reptílico. )(o
alta#ente inteligentes! ati*os e cru-is. 6(o tê# nada de hu#anos= 2o#ina# três pe7uenos
siste#as solares. )eu #undo principal - Topsid. E# relaç(o ; Terra! o siste#a fica a cerca
de oitocentos e 7uin9e anos,lu9! no setor de Frion. ' planeta Topsid gra*ita e# torno de
'rion,2elta! a estrela dupla. U#a te# lu9 .rancaB a da outra - ro0a. 6(o posso i#aginar o
7ue - 7ue os t5psidas procura# a7ui. Foi a pri#eira raça colonial 7ue se su.le*ou contra o
poder do "rande 1#p-rio. K+ uns #il anos! e# te#po terrestre! en*ia#os algu#as
e0pediç@es puniti*as contra eles.
4hodan deu u#a curta risada.
— K+ #il anos= — repetiu! suspirando. — 'ra! #eu caro= E ainda 7ueria #e
con*encer de 7ue seu po*o conseguiu reunir energia suficiente para organi9ar u#a
poderosa e0pediç(o de pes7uisa= Ali+s! eu posso re*elar,lhe o 7ue esses su8eitos
procura*a#.
— 65s? — indagou o capit(o >lein! in7uieto.
— E0ata#ente= E n5s! patetas! lhes fi9e#os o fa*or de nos colocar direta#ente na
#ira de seus canh@es energ-ticos= Esta#os ;s *oltas co# u#a poderosa naç(o gal+ctica e
a Terra te# desesperada#ente pouco co# 7ue se opor a ela. 6(o adianta a.orrecer,se!
Thora= )eu fa#oso "rande 1#p-rio encontra,se e# derrocada. D te#po dos arcnidas
to#are# conheci#ento do 7ue se passa na periferia da gal+0ia. Ainda 8ulga con*eniente
cha#ar algu#a da7uelas na*es pelo r+dio? D e*idente 7ue os t5psidas conhece#
na*egaç(o interestelar. Tal*e9 lhe ofereça# u#a carona para Nrcon! caso se disponha# a
reconhecer sua posiç(o de descendente dos so.eranos arcnidas.
As pala*ras era# ofensi*as. A única reaç(o dos dois arcnidas foi a de a.ai0ar as
ca.eças. 4hodan afastou,se! #as foi detido pela pergunta de CrestC
— Mas a 7ue# pertence# a7uelas na*es pesadonas? 3iu co# 7ue facilidade se
dei0a*a# ani7uilar?
— Claro= 6(o passa*a# de u# re.anho de #ansas e tran7Ailas o*elhas diante dos
fero9es agressores. 4epresenta*a# e0ata#ente o papel 7ue nos tocaria! e# escala #ais
a#pla! caso os t5psidas resol*esse# in*adir o siste#a solar. Iell! 7uer fa9er o fa*or de
tirar os dedos dos controles das ar#as? )e u# s5 de n5s perder a ca.eça agora! tere#os
a7uele .ando de lagarti0as pululando so.re a Terra a#anh(. 6(o desco.rira#! por
en7uanto! seu pe7ueno enganoB e n(o dar(o por ele en7uanto os nati*os de 3ega
continuare# a reagir de #aneira se#elhante ; 7ue faría#os n5s pr5prios. Mas os coitados
s5 pode# se defender! ser(o ine0ora*el#ente *encidos. 2e*e se tratar dos seres
inteligentes 7ue ha.ita# Ferrol! o planeta de 3ega desco.erto h+ de9 #il anos por u#a
*iage# de e0ploraç(o arcnida. 's seres! ent(o pri#iti*os! e*oluíra# para espaçonautas
capa9es. E est(o sendo forçados a engolir o angu preparado para n5s.
4hodan calou,se. A "ood Kope dispara*a pelo espaço se# ser #olestada. ' ca#po
de .atalha tinha ficado longe.
— E agora? — indagou 4eginald Iell. — )u#i#os do cen+rio? E! e# caso
afir#ati*o! co#o?
4hodan sentou,se pensati*o e# sua poltrona de co#ando.
— )i#! no interesse da Terra! te#os 7ue desaparecerB por-#! discreta#ente. 3a#os
atra*essar o siste#a de 3ega e# *elocidade ligeira#ente inferior ; da lu9. 2epois tere#os
7ue arriscar u# hipersalto espacial. Tudo indica 7ue a distorç(o estrutural n(o ser+
perce.ida no #eio do caos reinante. Te# algu#a coisa a di9er! Crest?
' arcnida sacudiu negati*a#ente a ca.eça. 4hodan deu início ; progra#aç(o.
6o*a#ente os propulsores de esti.ordo da "ood Kope entrara# e# aç(o! rugindo. A
#ano.ra de retorno consu#iria u# consider+*el espaço de te#po! pois 4hodan n(o
pensa*a e# desacelerar at- 9ero! para depois ru#ar e# sentido oposto.
As ordens se sucedera#! .re*es e concisas. 6o p5lo superior da na*e esf-rica! o
#a8or 2eringhouse saiu! res#ungando! da carlinga de seu caça. Ka*ia contado o te#po
todo co# u#a e#ocionante e0pediç(o puniti*a.
Três #inutos ap5s! os sensores indicara# a pro0i#idade de o.8etos ; frente da na*e.
2estroços 8unca*a# o tra8eto a ser percorrido. Era e*idente 7ue! recente#ente! hou*era
*iolenta .atalha nas pro0i#idades do d-ci#o 7uarto planeta.
— 1nteressante= — co#entou Iell. — )er+ 7ue h+ so.re*i*entes? )uponho 7ue esses
tais de ferrnios conhece# tra8es espaciais... Ie# 7ue podería#os tentar con*ersar co#
u# deles.
4hodan le*ou alguns #o#entos para responder! a.sor*ido por u# pe7ueno a8uste
nos controles. Todos os 7uatro propulsores da "ood Kope co#eçara# a rugirB desta *e9!
por-#! co# os 8atos e# re*ers(o.
Crest estre#eceu. Mal a7uele ho#e# esguio tinha aca.ado de declarar 7ue
precisa*a# afastar,se do siste#a 3ega o #ais depressa possí*el! ele recorria a toda a
potência da na*e para u#a #ano.ra de frenage#. 4hodan era i#pre*isí*el! u#a pessoa
feno#enal. 'correu a Crest 7ue e# todo o "rande 1#p-rio n(o e0istia #ais ningu-#
capa9 de to#ar decis@es co# tanta rapide9.
— Ar#a#ento e# prontid(o= — ordenou 4hodan! e# *o9 rouca. — )a.e 7ue a id-ia
n(o - #+! Iell?
— Parece 7ue - .e# f+cil fa9ê,lo #udar de opini(o! n(o -! Perr$? — disse Thora!
ironica#ente. — D s5 dar u# palpite e *ocê fa9 e0ata#ente o contr+rio do 7ue pretendia
antes.
4ara#ente se *ia 4hodan sorrir t(o 9o#.eteiro. A face de Thora tingiu,se de ru.ro
so. o olhar do co#andante.
— K+ u# ligeiro engano — corrigiu ele! #ansa#ente. — 6(o foi a sugest(o de Iell
7ue #e fe9 #udar de id-ia e si# as infor#aç@es #ais recentes dos co#putadores
positrnicos. 'lhe para estes diagra#as= 's co#pridos canudos dos t5psidas n(o pode#
co#parar,se co# a "ood Kope e# #at-ria de aceleraç(o. Antes 7ue consiga# atingir a
*elocidade da lu9! te#os de9 oportunidades de su#ir no hiperespaço. As na*es o*5ides
dos ferrnios s(o ainda #ais *agarosas. ' c-re.ro do co#putador deter#inou a nature9a
da propuls(o 7ue e#prega#C geradores de f5tons ultraconcentrados. 6(o se pode esperar
nenhu# rendi#ento espetacular de propulsores desta esp-cie. Portanto! *a#os e0a#inar
de perto o 7ue flutua aí na nossa frente! no *+cuo.
— 2estroços se# conta= — #ur#urou o 2r. Manoli. — 'lhe= 's locali9adores
responde# de todas as direç@es. 2e*e ha*er! de fato! so.re*i*entes.
Iett$ Toufr$ olhou para 4hodan co# u# sorriso tí#ido. Conseguira ler parte de seus
pensa#entos. 4hodan fi9era a "ood Kope parar n(o por7ue a sa.ia superior ;s na*es
ini#igas. Pensa*a ta#.-# nos seres *i*os tal*e9 e0istentes na7uela +rea *i9inha do
d-ci#o 7uarto planeta! perdidos e a.andonados no *a9io.
A ta0a de desaceleraç(o era agora de 7uinhentos 7uil#etros por segundo. 6o hangar
dos pe7uenos caças de .ordo! o #a8or 2eringhouse torna*a a espre#er a ele*ada estatura
na apertada carlinga pressuri9ada. 's ho#ens da tropa de cho7ue fechara# a cúpula
transparente so.re sua ca.eça.
A #ano.ra n(o fora nada f+cil! *isto 7ue tinha 7ue ser e0ecutada so. a intensa
atraç(o gra*itacional de u# planeta gigante. ' nú#ero 7uator9e de*ia ter três *e9es o
di<#etro de Lúpiter. ' pr5prio Crest de#onstrou surpresa diante das di#ens@es enor#es
da7uele #undo.
's destroços do 7ue ha*ia# sido na*es espaciais 8+ inicia*a# a lenta e ine*it+*el
descida para a superfície do planeta! atraídos pela gra*idade! antes 7ue 4hodan
conseguisse posicionar a "ood Kope e# ru#o e *elocidade ade7uados para a operaç(o de
sal*a#ento. Iuscas prolongadas no *a9io resultara# no resgate de u# so.re*i*ente. U#!
apenas...
Ap5s tra9er a criatura para .ordo co# os 8atos de sucç(o! atra*-s da escotilha
estan7ue! *erificara# 7ue se encontra*a se#i#orta por asfi0ia. Al-# disso! o corpo do
estranho esta*a co.erto de 7uei#aduras! causadas e*idente#ente pela radiaç(o ultra*ioleta
da i#ensa 3ega.
' po.re ser se #anti*era trê#ulo e inti#idado nu# canto! at- 7ue as atenç@es dos
doutores Kaggard e Manoli lhe pro*ara# 7ue ningu-# atentaria contra a sua *ida.
Trata*a,se! efeti*a#ente! de u# ferrnio. 2escendente dos 7ue u#a e0pediç(o de
pes7uisa arcnida locali9ara h+ de9 #il anos. L+ ha*ia# ultrapassado a idade da p5l*ora!
e*idente#ente. Por-# 4hodan achou 7ue a raça poderia ter a*ançado #ais na7ueles de9
#il anos. A hu#anidade ha*ia precisado de apenas 7uinhentos para chegar da ar#a de
fogo ao pri#eiro foguete,sat-lite. Aplicando padr(o se#elhante! os ferrnios de*eria#
conhecer h+ s-culos as *iagens interestelares.
Mas seus siste#as de propuls(o tinha# se detido no ponto #+0i#o per#itido pelos
princípios adotados. U#a e*oluç(o #aior re7uereria conceitos inteira#ente di*ersos.
2onde era possí*el dedu9ir 7ue os ferrnios era# incapa9es! por nature9a! de
raciocinar e# ter#os de 7uinta di#ens(oB portanto! criar u# siste#a #ate#+tico
correspondente n(o ca.ia e# sua capacidade #ental. E se# essa #ate#+tica e# ní*el
superior! condicionada pelo poder do raciocínio a.strato! as *iagens #ais r+pidas do 7ue a
lu9 era# irreali9+*eis. E# conse7Aência! os ferrnios continua*a# a fa9er uso de seus
propulsores 7u<nticos! e0traordinaria#ente eficientes! e 7ue lhes per#itia# alcançar
facil#ente a *elocidade da lu9.
Por outro lado! tinha# desen*ol*ido u#a tecnologia fa.ulosa#ente e0ata no ca#po
da #icro#ec<nica. 4hodan e#itiu asso.ios de ad#iraç(o ao e0a#inar superficial#ente
alguns pedaços dos destroços tra9idos para .ordo.
2e u#a #aneira geral! era preciso reconhecer 7ue os ferrnios era# #uito superiores
aos ho#ens e# todos os sentidos. La#ais a Ku#anidade ha*ia alcançado u# est+gio t(o
a*ançado. Por-# ferrnio algu# podia #edir,se co# a t-cnica superior dos arcnidas.
Assi# 7ue o ferrnio foi e#.arcado e 7uando seus processos #entais co#eçara# a
e#ergir da letargia da e0aust(o total! 4hodan co#unicara pelo interco# a toda a
tripulaç(oC
— Ele est+ *oltando a si. 's #utantes *(o lançar as pri#eiras .ases para a
co#unicaç(o! por #eio da telepatia. 'rdeno 7ue ningu-# se refira ao planeta Terra. 6(o
es7ueça# 7ue a locali9aç(o de nosso #undo de*e per#anecer e# a.soluto segredo. Muita
atenç(o neste particular! portanto= Para 7ual7uer ser *i*ente! se8a 7ual for seu no#e ou
aparência! n5s so#os arcnidas= A "ood Kope - pro*a e*idente dessa afir#aç(o. Al-#
disso! a aparência física co# os arcnidas nos fa*orece. 4is7ue# da #e#5ria! por
en7uanto! o fato de ser#os terrestres. Es7ueça# at- onde fica a Terra= D tudo=
A orde# era clara e e0plícita. Co# u#a sensaç(o de a#argura! os dois arcnidas
perce.era# 7ue 4hodan se preocupa*a apenas co# seu #undo e co# a Ku#anidade. A
atitude poderia passar por egoísta. Mas a pr5pria Thora foi o.rigada a ad#itir! a
contragosto! 7ue a ca#uflage# era a.soluta#ente necess+ria. Para ela! o sú.ito
apareci#ento da raça reptílica fora u# golpe se*ero.
' instru#ento especial! de funciona#ento total#ente positrnico! era #ais u#a das
#ara*ilhas da t-cnica arcnida. Era o tradutor auto#+tico. Assi# 7ue registrou e
classificou os pri#eiros sons da língua ferrnia! a co#unicaç(o se processou co#
facilidade.
Fa9ia três horas 7ue o ferrnio tinha sido recolhido. Iett$ Toufr$ e Lohn Marshall
anota*a# telepatica#ente u#a s-rie de dados 7ue era# fornecidos ; #+7uina tradutora.
Assi# a tarefa era relati*a#ente si#ples.
Crest e Thora! *alendo,se do pri*il-gio de possuir #e#5ria fotogr+fica! 8+
co#eça*a# a falar aos poucos a língua ferrnia. En7uanto isso! a "ood Kope continua*a a
descre*er a a#pla 5r.ita e# torno do d-ci#o 7uarto planeta.
Perr$ 4hodan #antinha,se ; parte do grupo e#penhado na con*ersaç(o! apesar de
ser al*o constante dos olhares do estranho. Este parecia ter perce.ido 7ue era a7uele
ho#e# alto e #agro 7ue# da*a as ordens.
4hodan e0a#inou,o atenta#ente. ' ferrnio era de estatura relati*a#ente .ai0a!
por-# ro.usto e de #úsculos poderosos. Ferrol! seu planeta nati*o! possuía u#a gra*idade
de %!U g. Portanto! o corpo atarracado n(o era de surpreender.
Iraços e pernas era# do tipo hu#an5ideB assi# co#o a ca.eça e a espessa ca.eleira.
's olhos era# #iúdos e afundados por tr+s de u#a fronte forte#ente a.aulada. A .oca era
surpreendente#ente pe7uena. A diferença #ais flagrante co# a raça hu#ana residia na cor
da pele! de u# a9ul p+lido! o 7ue contrasta*a co# os ca.elos cor de fogo. Enfi#! n(o se
trata*a de nenhu# #onstro. 2e*ia ha*er! forçosa#ente! diferenças anat#icas! por-# era
#ais difícil deter#inar o fato de i#ediato.
Atento ao so# das pala*ras 7ue n(o co#preendia! 4hodan tenta*a analisar u#a
sensaç(o indefiní*el 7ue crescia dentro dele. 6ada de concreto e perceptí*elB apenas u#a
*aga e distante noç(o de perigo i#inente.
Lohn Marshall acercou,se da poltrona do co#andante. ' olhar do ferrnio o seguiu.
Euando 4hodan se *oltou! o estranho e#pertigou,se! le*ando a #(o direita ao peito.
4hodan acenou co# a ca.eça. ' tra8e espacial do ferrnio era de e0celente 7ualidade! t(o
.e# aca.ado nos detalhes 7ue per#itia a*aliar co# precis(o a adiantada t-cnica 7ue o
produ9ira. Para 4hodan! era u# tanto #elanc5lico constatar o 7uanto a Ku#anidade esta*a
atrasada e# relaç(o ;7ueles seres. 6(o o.stante! o ferrnio sal*o de#onstra*a clara#ente
sua con*icç(o de encontrar,se diante de gente infinita#ente superior ao seu po*o.
— Eue h+? — indagou 4hodan. — Pro.le#as? A e0press(o de seu rosto n(o #e
agrada.
' telepata #ostrou u# sorriso contrariado.
— Crest est+ enchendo o espírito do estranho co# relatos fa.ulosos e #ira.olantes
acerca do poderio do "rande 1#p-rio= — 7uei0ou,se Marshall.
— )ei disso. Foi orde# #inha. Eue #ais?
— 'rde# sua? Essa n(o= Ta#.-# deu orde# para contornar todas as 7uest@es
i#portantes e ficar perguntando insistente#ente so.re o tal #undo da *ida eterna? K+
aspectos 7ue #e parece# #uito #ais #erecedores de atenç(o no #o#ento.
— Ele n(o desiste! n(o -? — #ur#urou 4hodan. — A co#unicaç(o funciona?
— Mara*ilhosa#ente .e#. A #+7uina - feno#enal e Crest 8+ for#ou u#
*oca.ul+rio .astante a#plo.
— 3antage# da #e#5ria fotogr+fica... Eue di9 o ferrnio so.re a .atalha?
Lohn Marshall lançou u# olhar ao desconhecido. Kaggard aca.a*a de ad#inistrar,lhe
a segunda in8eç(o! 7ue o ferrnio suportou cal#a#ente.
— Cha#a,se ChaPtor e co#anda*a u#a pe7uena na*e! destruída h+ cerca de *inte e
7uatro horas. A7ui! diante do d-ci#o 7uarto planeta! fica*a a pri#eira linha de defesa. A
segunda est+ sendo dispersada no #o#ento presente. A terceira fica e# torno do planeta
principal! o oita*o. ChaPtor infor#ou 7ue as na*es ini#igas surgira# h+ u#a se#ana! de
surpresa. ' p<nico to#ou conta de Ferrol. A frota espacial dos ferrnios est+ sendo
total#ente ani7uilada. ' ferrnio i#plora frenetica#ente por a8uda! .aseando,se no
ili#itado e0agero das pala*ras de Crest. Chefe! isso n(o #e parece direito=
Marshall #ordeu os l+.ios. Parecia estar #uito pertur.ado.
— Eue #ais possue# os ferrnios? — perguntou 4hodan.
— Muito pouco. 6(o tê# a #enor noç(o de *iagens interestelares. 2aí o i#enso
respeito 7ue nos de*ota#. Para ChaPtor! *ocê - u# personage# #iraculoso. 6(o possue#
anteparos protetores de esp-cie algu#a. Euando u#a de suas na*es - atingida pelos raios
energ-ticos! est+ perdida. 2isp@e# de u#a frota espacial #uito nu#erosa! por-# for#ada
e# sua #aioria por na*es co#erciais! e7uipadas co# ar#as de pe7ueno cali.re. 6(o
conhece# ar#as energ-ticas. E#prega# principal#ente pro8-teis,foguete dotados de
ca.eçotes at#icos 7ue e0plode# por i#pactoB e s(o espetacular#ente eficientes.
3alera#,lhes .rilhantes *it5rias no co#eço da luta. Crest di9 7ue os in*asores t5psidas
tê# ar#as defensi*as *erdadeira#ente despre9í*eis. )eus anteparos protetores n(o *ale#
nada. ChaPtor confir#ou isso. Mas os t5psidas aprendera# gradual#ente a es7ui*ar,se dos
foguetes at#icos. Estes alcança# #al e #al VST da *elocidade da lu9! e de#ora# a
atingir o al*o. )a.endo disso! os t5psidas to#a# #edidas pre*enti*as a te#po. Acerta#!
ta#.-#! os pro8-teis ferrnios e# *o co# seus raios energ-ticos! fa9endo,os e0plodir
#uito antes de chegar ao destino. Chefe! n5s de*ía#os...
4hodan interro#peu,o co# u# gesto da #(o.
— U# #o#ento! Lohn= Co#o - 7ue os ferrnios possue# u#a frota espacial t(o
*asta? E0iste# outros seres inteligentes por a7ui?
— )5 su.desen*ol*idos. 's ferrnios po*oara#! al-# de seu #undo principal! s5 os
planetas sete e no*e. E# especial este últi#o. 4espira# o0igênio! por-# e# te#peratura
superior ; 7ue n5s esta#os ha.ituados. ' oita*o de*e ser .astante 7uente! #as
suportaría#os *i*er no nono. ' Ferrnio pede para ser dei0ado ali. ' planeta se cha#a
4ofus.
4hodan agradeceu. 'u*ira o suficiente. 'lhou para Iell! pensati*oB este se reclina*a
co# aparente indiferença na poltrona ao lado.
— E ent(o? Eue lhe parece?
— "rato por indagar #inha opini(o= — res#ungou Iell! co# sarcas#o na *o9. —
Foi,se nosso plano de su#ir se# #ais ne# #enos! perce.e! Perr$? En7uanto as coisas n(o
esti*ere# e# orde# por a7ui! a Terra corre perigo. Eue representa# os insignificantes
*inte e sete anos,lu9 para os t5psidas? Acho #elhor e0plorar u# pouco esta 9ona!
principal#ente para conhecer os pontos fracos do ad*ers+rio. Creio 7ue pode#os chegar a
u# entendi#ento satisfat5rio co# os ferrnios. E pro*eitoso ao #es#o te#po... Possue#
u#a s-rie de coisinhas de 7ue a Ku#anidade poderia fa9er .o# uso. "ostei de seus
#-todos de produç(o e fa.ricaç(oB t-cnica e aca.a#ento de pri#eira. 6(o custa e0a#in+,
los #ais de perto. 2ificil#ente correre#os algu# risco. A "ood Kope so.repu8a as na*es
t5psidas tanto e# *elocidade co#o e# poder ofensi*o. E ainda nos resta o recurso de
#ergulhar no hiperespaço a 7ual7uer instante! se for preciso.
4hodan ergueu,se co# ar #editati*o.
— D! seu #iolo ainda funciona... Era e0ata#ente o 7ue eu tenciona*a fa9er. :ocali9e
o oita*o planeta e forneça os dados ao co#putador positrnico. 6(o 7uero perder te#po.
1nco#oda,#e sa.er 7ue o *erdadeiro o.8eti*o dos t5psidas era a Terra. 3a#os olhar esses
caras de perto. 2ê as ordens necess+rias.
Mo#entos ap5s! 4hodan esta*a diante do estranho. ChaPtor do.rou hu#ilde#ente
u# 8oelho. 2epois ps,se a falar apressada#ente. ' tradutor auto#+tico da*a a *ers(o e#
linguage# hu#ana.
Crest interro#peu! e0citadoC
— Constatei a e0istência de algu#as contradiç@es surpreendentes nesta gente=
Possue# trans#issores de #at-ria! coisa 7ue s5 - possí*el #ediante o conheci#ento da
#ate#+tica pentadi#ensional. 6o entanto! os ferrnios n(o tê# a #enor capacidade para
construir tais aparelhos! 7ue transporta# corpos des#ateriali9ados co# a *elocidade da
lu9. ' 7ue - indício e*idente da e0istência de u#a raça superior entre eles= ChaPtor falou
7ual7uer coisa so.re contato co# entes superiores e# -poca #uito re#ota. Perr$! *ocê
precisa ir at- o planeta principal dos ferrnios= Estou con*encido de 7ue o #undo da *ida
eterna se encontra no siste#a 3ega. D de l+ 7ue procede# esses trans#issores de #at-ria!
tenho certe9a=
— Ie# 7ue eles #e interessaria#= — disse 4hodan! seca#ente.
— ' ca*alo de .atalha de se#pre! n(o -! Perr$? Tudo pelo .e# da Ku#anidade... —
interro#peu Thora co# sarcas#o.
4hodan *oltou,se para ChaPtor! cu8a atitude era 7uase solene. )entia u#a i#press(o
estranha. K+ 7uatro anos! ele pr5prio era .e# #ais ignorante do 7ue a7uele co#andante
espacial ferrnio. 6a7uela ocasi(o! 4hodan seria nitida#ente o inferior. 's olhos
*er#elhos de Thora 9o#.a*a#. Parecia adi*inhar o 7ue ia pela #ente do co#andante.
— 3ou condu9i,lo ao nono planeta de seu siste#a — disse 4hodan no #icrofone da
#+7uina de tradu9ir. — Pode pro*idenciar 7ue suas pr5prias na*es n(o nos ata7ue#?
ChaPtor aguardou a traduç(o. 2epois a face achatada irradiou alegria. 6o*a#ente
repetiu a e#.araçosa genufle0(o.
— 2ist<ncia para o oita*o cerca de on9e horas,lu9= — infor#ou Iell.
ChaPtor confir#ou a indicaç(o! fa9endo uso de sí#.olos 8+ conhecidos pelo tradutor.
' ferrnio olha*a #ara*ilhado para o pe7ueno aparelho. Pouco a pouco era le*ado a
considerar a7ueles ho#ens co#o deuses. 2epois sua resposta chegou. )i#! ele poderia
trans#itir o c5digo ade7uado! caso lhe fornecesse# u# trans#issor.
— Pu0a! e agora? — e0cla#ou >lein. — Eue ser+ 7ue esses caras usa# para
trans#itir?
— Mostre,lhe o funciona#ento dos aparelhos terrestres! te#os alguns deles
instalados na na*e. Tal*e9 ele sai.a co#o usar a onda curta nor#al. "aranto 7ue n(o
conhece# o siste#a de hipertrans#iss(o.
Três horas #ais tarde! segundo o rel5gio de .ordo! o aprendi9ado ter#inara. ChaPtor
n(o te*e! aparente#ente! dificuldade e# entender o funciona#ento do r+dio terreno.
Iett$ Toufr$! a #enina telepata,! co#unicou a 4hodan! co# u# sorriso
disfarçada#ente 9o#.eteiroC
— ChaPtor se pergunta e# 7ue #onte de li0o *ocês poderia# ter recolhido esse
tra#.olho pri#iti*o.
Thora e0plodiu nu#a sonora gargalhada. 4hodan fitou o estranho co# ar atnito!
en7uanto Iell prague8a*a entre dentesC
— Eue dia.o= D o #ais #oderno! a*ançado e co#ple0o trans#issor 8a#ais
construído na Terra= E o su8eito *e# #e di9er 7ue - u# tra#.olho pri#iti*o=
' capit(o >lein disfarçou u# sorriso! en7uanto 4hodan! respirando fundo! procura*a
u#a saída diplo#+tica.
— Iett$! diga,lhe 7ue ad7uiri#os o aparelho de u#a tri.o sel*age# nu# #undo
re#oto! apenas por curiosidade. 6ossa intenç(o era e0i.i,lo nu# #useu.
' 2outor Kaggard esta*a achando a7uilo tudo engraçadíssi#o.
ChaPtor to#ou conheci#ento da resposta de 4hodan! o 7ue o relegou no*a#ente ;
anterior posiç(o de inferioridade.
— Pílula a#arga essa= — disse 4hodan. — 2outor! pare co# essas risadas=
Poderia# nos denunciar... E *ocê! Thora! n(o #e *enha de no*o co# a perp-tua acusaç(o
de 7ue sería#os uns ignorantes se# sua preciosa t-cnica arcnida. Co# o te#po isso
satura! entendeu?
4hodan ligou o siste#a de radioco#unicaç(o interna e postou,se diante do *ídeo.
— Atenç(o= 2o co#andante a toda a tripulaç(oC largada para u#a curta transiç(o de
cerca de on9e horas,lu9. Eue nos le*ar+ ; +rea espacial entre o oita*o e o nono planeta
deste siste#a. Manter rigorosa prontid(o de co#.ate e n(o dar i#port<ncia e0cessi*a ;
ligeira sensaç(o de dor. D possí*el 7ue nos precipite#os .e# no #eio de u#a *iolenta
.atalha. Fogo li*re para todas as ar#as. Mostre# o 7ue *ale#os. Ma8or 2eringhouse! de
prontid(o para ata7ue! 8unto co# o capit(o >lein. 3ou e8et+,los no espaço assi# 7ue
chegar#os. A8uste# os locali9adores de contato dos caças aos sensores da "ood Kope!
para podere# nos reencontrar. E# caso de e#ergência! aterrisse# e# 4ofus! o nono
planeta. ChaPtor anunciar+ nossa chegada. 3er(o u#a cidade i#ensa na 9ona e7uatorial! a
única do planeta! 7ue - u#a esp-cie de colnia dos ferrnios. Fi#=
2e9 #inutos depois! a na*e alcança*a a *elocidade e0ata da lu9. ' enor#e #undo
nú#ero 7uator9e ficou para tr+s. 6(o ha*ia u# s5 ad*ers+rio ; *ista. ' espaço
interplanet+rio do siste#a 3ega parecia ter sido total#ente e*acuado.
)e horas atr+s tinha# acreditado estar no #eio de u#a acirrada .atalha espacial!
agora se defronta*a# co# u# *erdadeiro inferno.
's ener*antes sinais dos detectores era# ininterruptos. ' espaço todo esta*a repleto
de na*es. Mas n(o se trata*a e*idente#ente de u#a co#petiç(o pacífica entre duas
culturas de igual ní*el de ci*ili9aç(o. E a na*e su.ita#ente surgida foi rece.ida co# u#
chu*eiro de cintilantes raios energ-ticos. Antes #es#o 7ue 4hodan superasse a dor da
transiç(o! a "ood Kope 8+ se encontra*a so. fogo cru9ado.
6os *ídeos .rilha*a o nono planeta do siste#a 3ega. Pelo #enos a transiç(o de curta
dist<ncia funcionara co# a #ais a.soluta precis(o. Mas .e# 7ue 4hodan teria preferido
e#ergir no hiperespaço a alguns #ilh@es de 7uil#etros dali. Mas tal*e9 isso n(o *iesse
alterar .asica#ente a situaç(o! pois a fero9 .atalha se desenrolara pratica#ente nu# plano.
6o entanto! as na*es esta*a# espalhadas por u#a +rea de alguns #ilh@es de 7uil#etros
7uadrados.
Antes 7ue o eco dos gritos de co#ando de 4hodan se apagasse! Iell 8+ a.ria fogo
contra o ini#igo. Por entre o estrondoso tro*e8ar dos raios energ-ticos acertando seus
al*os! os torretes ar#ados da "ood Kope entrara# e# aç(o. A #ira era controlada
auto#atica#ente. Todo o tra.alho de Iell era conferir as coordenadas fornecidas pelos
locali9adores e calcar .ot@es. Mais u#a de#onstraç(o da eficiência da tecnologia
arcnida.
Usando a força total dos propulsores! 4hodan arrancara a na*e da +rea i#ediata do
fogo cru9ado dos a9ulados raios energ-ticos. Mais u#a *e9 o superdi#ensionado anteparo
de defesa pro*ou ser i#une a ar#as rotineiras! 7ue n(o conseguia# ne# ro#pê,lo! ne#
neutrali9+,lo. Apenas as furiosas descargas n(o podia# ser e*itadas.
Al-# do intenso efeito t-r#ico! a *iolenta repercuss(o se trans#itia ao casco e0terno
da na*e.
Pelo 8eito! os t5psidas n(o possuía# ar#a#ento teledirigido #ais *elo9 do 7ue a lu9!
pois o ca#po de repuls(o #ec<nico,gra*itacional da "ood Kope ainda n(o fora o.rigado a
entrar e# aç(o. 'u ent(o o ini#igo preferia lutar e0clusi*a#ente co# seus canh@es
energ-ticos. Euando o cla#or estridente do últi#o i#pacto di#inuiu! ou*ia,se o pipocar
das ar#as arcnidas. 6este ponto! pelo #enos a "ood Kope esta*a #uito #elhor pro*ida
do 7ue *+rias na*es t5psidas so#adas. Co#o na*e au0iliar de u# cru9ador de pes7uisa
se#pre e0posto a riscos! o e7uipa#ento de defesa era suficiente#ente a#plo para
satisfa9er at- o #ais e0igente artilheiro.
Lohn Marshall to#a*a conta dos detectoresB Euando a pri#eira linha das na*es
cilíndricas atacantes ficou para tr+s da "ood Kope! e os tiros de perseguiç(o n(o
conseguia# #ais e#parelhar co# a na*e #ais r+pida do 7ue a lu9! Marshall anunciou o
apareci#ento de no*as unidades. Por-# esta*a# #ais espalhadas. Al-# disso! tra*a*a#
luta co# u# infind+*el en0a#e de na*es o*5ides! no #eio das 7uais as e0plos@es se
sucedia# se# parar.
— Corrigir a #ira= — gritou 4hodan no #inúsculo #icrofone do radiotrans#issor
e#.utido no capacete. L+ n(o ha*ia condiç@es para a co#unicaç(o nor#al diante da
ensurdecedora .arulheira reinante. — Te#os 7ue forçar passage# a 7ual7uer custo! sen(o
nunca nos li*rare#os desse inferno= Thora! dê u#a #(o9inha a Iell. Acione as .o#.as
gra*itacionais. 3e8a#os do 7ue elas s(o capa9es.
Iell espiou rapida#ente para a sua es7uerda! onde a #ulher arcnida assu#ia o
co#ando dos #anipuladores de controle.
G2om&as de gravidadeH! pensou ele! co# u# ligeiro arrepio. GA mais poderosa arma
criada pelos arc"nidas.H
6a realidade! n(o se trata*a de .o#.as na acepç(o usual do ter#o. Ao #enos Iell
acha*a i#pr5prio dar o no#e de .o#.a a u# ca#po e# espiral de energia esta.ili9ada!
pro8etada co# a *elocidade da lu9. Ca#pos 7ue era# 7uanta energ-ticos
e0tradi#ensionais! co# a e0traordin+ria capacidade de dissol*er #at-ria co#u#!
arrancando,a da estrutura cur*a do espaço.
:u9es *er#elhas .rilhara# na tela de #ira de Iell. ' locali9ador auto#+tico
detectara três al*os. Euando apertou os .ot@es! os três pulsocanh@es a.rira# fogo
si#ultanea#ente! sacudindo co# *iolência a na*e de ponta a ponta! por efeito da força de
recuo dos tiros. Fai0as ro0as de energia se lançara# pela perp-tua escurid(o do espaço!
co# a *elocidade e0ata da lu9. 6(o dei0a*a# ao ad*ers+rio te#po para perce.ê,las. Antes
7ue 7ual7uer instru#ento chegasse a acusar seu .rilho! elas atingia# o al*o *isado.
' ini#igo ainda se encontra*a a cerca de dois #ilh@es de 7uil#etros de dist<ncia.
Precisa#ente sete segundos ap5s o disparo! *iu,se u# rela#pe8ar por entre as densas
fileiras das na*es t5psidas. 's i#pactos fora# registrados pelos hipersensores antes 7ue o
.rilho ofuscante das e0plos@es se tornasse *isí*el! sete segundos #ais tarde.
Lohn Marshall #ane8a*a agora os pesados pro8etores neutrnicos. )eu efeito s5 se
torna*a aparente 7uando se *ia a na*e ini#iga perder o ru#o e *agar desar*orada no
espaço! por falta de #(os nos controles. Pois os ultraconcentrados raios neutrnicos
afeta*a# apenas a *ida org<nica.
Thora lançou duas .o#.as gra*itacionais. A tripulaç(o aco#panhou co# o olhar o
tra8eto das tre#elu9entes espirais! afundando nas tre*as. 2uas unidades ini#igas
desintegrara#,se por entre ofuscantes e0plos@es.
4hodan nunca *ira a .ela e estranha #ulher e# tal estado. A.soluta#ente i#5*el! ela
se li#ita*a a tocar co# as pontas dos dedos os .ot@es de controle das terrí*eis ar#as.
Apenas nos olhos transparecia o fogo interior 7ue a consu#ia. )ua educaç(o infle0í*el
*inha ; tona na7uele #o#ento e ela agia de acordo co# a #+0i#a funda#ental da dinastia
arcnida so.eranaC 7ue# 7uer 7ue se oponha ao poder do "rande 1#p-rio de*e perecer.
— Eles de*e# ter perce.ido agora co# 7ue# lida#= — #ur#urou ela! co# *o9 fria
e i#pessoal. — Ca.eças ocas= 3ou aca.ar co# eles antes 7ue consiga# fugir=
4hodan gritou no*a s-rie de ordens. A tra8et5ria e# arco iniciada n(o podia ser
alterada. A "ood Kope ia ter 7ue passar .e# no #eio das fileiras cada *e9 #ais densas do
ad*ers+rio! a toda a *elocidade.
— 2eringhouse= Aprontar para e8eç(o= — .errou ele no radiofone. — A.ra u#a
.recha nas fileiras! depois cu.ra nosso flanco. Fi7ue perto de n5s! entendido?
2eringhouse confir#ou a orde# rece.ida. La#ais i#aginara possí*eis os
aconteci#entos 7ue presencia*a. En7uanto a "ood Kope e# pleno *o #antinha o fogo e
o decrescente .o#.ardeio energ-tico do ini#igo total#ente confuso era neutrali9ado pelos
anteparos de defesa! os dois caças co# 2eringhouse e >lein chispara# para fora dos tu.os
de lança#ento. L+ lançados co# a *elocidade da na*e,#(e! ainda le*a*a# a *antage# da
#o.ilidade #aior. Afastara#,se da "ood Kope e# <ngulo agudo e segundos ap5s os
canh@es fi0os da popa despe8ara# fogo. Trata*a,se de pulso,canh@es de grosso cali.re!
ocupando co# seu *olu#e a #aior parte do espaço dos pe7uenos a*i@es. A apenas dois
segundos,lu9 das na*es t5psidas! a#.os os caças acertara# nos al*os pela pri#eira *e9.
2epois a "ood Kope e#parelhou co# eles e o grupo cru9ou *elo9#ente atra*-s de
nu*ens de fogo! 7ue instantes atr+s ha*ia# sido pesadas astrona*es.
Ta#.-# desta *e9 precisara# apenas de alguns instantes para atra*essar as cerradas
filas ini#igas. Todas as ar#as concentra*a# o fogo so.re a +rea 7ue aca.a*a# de cru9ar.
A tripulaç(o sentiu,se in*adida por incontrol+*el sensaç(o de euforia! incre#entada pelo
e0citado ferrnio! 7ue sauda*a cada tiro co# estridentes .erros de alegria ou apoio.
4hodan sa.ia dos riscos i#plícitos contidos na7uela sensaç(o de superconfidência. A
situaç(o poderia sofrer u#a sú.ita re*ira*olta. ' #utante TaPo >aPuta de*ia ter lido seu
pensa#ento. Arrancou o ferrnio de seu lugar diante das telas! e#purrando,o para diante
do e7uipa#ento tele,radiofnico pronto para funcionar. 4hodan #ane8a*a os controles
co# gestos r+pidos e en-rgicos. 's 7uatro propulsores e# plena aç(o au#enta*a# ainda
#ais o fragor da fant+stica .atalha.
— 2iga a ele 7ue en*ie sua #ensage#= — gritou 4hodan para Iett$ Toufr$. —
2epressa= As na*es dos ferrnios co#eça# a apontar na nossa frente. Meu 2eus! co#o
s(o lerdas= 3ou desacelerar=
En7uanto a "ood Kope redu9ia sua *elocidade igual ; da lu9 co# o #+0i#o poder
de repuls(o! disponí*el! ChaPtor co#eçou a falar rapida#ente no #icrofone. Ainda n(o era
certo 7ue o captasse# i#ediata#ente. 2e*ido ; desaceleraç(o! produ9ia,se u# fen#eno
curiosoC os raios energ-ticos das na*es t5psidas! apesar de #enos *elo9es do 7ue a lu9!
ganha*a# terreno agora. Apro0i#a*a#,se #ais e #ais da na*e e# processo de
desaceleraç(o constante.
1#possí*el pensar e# #ano.ras de es7ui*a#ento durante o processo de frenage#.
Portanto! 4hodan rece.eu co# est5ica tran7Ailidade os dois i#pactos — o ho#e#
despro*ido de ner*os! o co#andante 7ue o.ser*a*a co# cal#a f-rrea e n(o perdia u# s5
detalhe.
A na*e reco#eçou a *i.rar. Apesar da #aior a.ertura do foco do raio! de*ido ;
dist<ncia percorrida! o i#pacto foi tre#endo. Mas o destruti*o efeito t-r#ico n(o chegou a
alcançar o casco da na*e. ' pessoal da central de força co#unicou u#a so.recarga
passageira nos di*ersos reatores de corrente. ' hiperca#po de alta tens(o de*ora*a i#ensa
7uantidade de energia! 7ue ne# o aparelha#ento arcnida esta*a e# condiç@es de
fornecer.
— 6(o e0agere= — ge#eu Crest. — :e#.re,se de 7ue te# e# #(os u#a si#ples
na*e au0iliar e n(o u# cru9ador e7uipado co# #+7uinas poderosas=
4hodan te*e 7ue rir. Crest tinha conceitos #uito peculiares so.re potência e
capacidade destruti*a.
6o rastro da "ood Kope reina*a a #aior .al.úrdia. Thora acionara ta#.-# os
canh@es desintegradores! capa9es de des#anchar total#ente 7ual7uer estrutura cristalina.
's incans+*eis aparelhos positrnicos acusa*a# fiel#ente os resultados o.tidos.
— Passa#os= — anunciou Iell! co# *o9 neutra. Mas tinha o corpo todo .anhado e#
suor. — 's anteparos defensi*os deles n(o resiste# a u#a s5 de nossas ar#as.
— '.ti*e#os contato= — gritou TaPo >aPuta! agitando as #(os! e0citado. —
ChaPtor conseguiu se co#unicar= ' pessoal dele 8+ nos perce.eu. Te#os per#iss(o para
atra*essar as linhas dos ferrnios 7uando for preciso.
4hodan *irou,se. 6a a#pla tela do *ideofone *ia,se o rosto sorridente de u#
Ferrnio idoso. U# oficial superior! o.*ia#ente. Apontando para o painel de controle!
ChaPtor despe8ou no*a torrente de pala*ras no #icrofone. ' so# das pala*ras se perdia
por entre o fragor das ar#as e# aç(o e do rugido dos #otores. Apenas os dois telepatas se
encontra*a# e# condiç@es de inteirar,se do conteúdo #ental do ner*oso ferrnio.
Iett$ alinha*ou u#a e0plicaç(o atra*-s do fone de seu capacete.
— A7uele - o co#andante da frota ferrnia. Co#unicou nossa apariç(o ao 7uartel,
general no nono planeta. ChaPtor est+ co#.inando u# c5digo suple#entar! *+lido
especial#ente para n5s... Espere= ' co#andante est+ fa9endo u# pedido insistenteC 7uer
7ue continue#os a prestar,lhe a8uda na .atalha. Perr$! ele di9 7ue est+ disposto a passar,
lhe o co#ando geral=
4hodan n(o conseguiu repri#ir u#a praga. ' alucinante í#peto da "ood Kope
dificil#ente poderia ser contido antes de chegar ;s linhas das na*es o*5ides. 's
propulsores 8+ so.recarregados n(o se prestaria# de #aneira algu#a a u#a desaceleraç(o
superior aos 7uinhentos 7uil#etros por segundo 7ue *inha fa9endo.
— 2iga a ele 7ue se defenda= — ordenou 4hodan. — 3ou atacar o ini#igo pelos
flancos e do alto. E #ande ChaPtor dar o recado de 7ue - i#pratic+*el organi9ar u#a
frente de defesa eficiente co# u#a única na*e. 6ossa atuaç(o ter+ 7ue redu9ir,se a ata7ues
de pro*ocaç(o! #ais n(o pode#os fa9er.
Concreti9ara,se! pois! o dile#a se#pre presente no su.consciente de 4hodan. '
o.ser*ador neutro! *indo apenas para a*aliar a situaç(o! aca.ara se tornando participante
ati*o de aconteci#entos 7ue! por en7uanto! n(o representa*a# risco i#inente para a
Ku#anidade. Por-# força*a# 4hodan a to#ar #edidas pre*enti*as! rechaçando os
agressores t5psidas.
Eles n(o era# hu#anos. Euando se co#penetrou desse fato! sua pr5pria condiç(o de
ho#e# torna*a ine*it+*el sua inter*enç(o no conflito. Pela pri#eira *e9 na sua e0istência
concordou co# a #+0i#a arcnida de 7ue entes n(o,hu#anos s5 poderia# ser tolerados
e# circunst<ncias #uito e0cepcionais. Pois regia#,se por u#a -tica #uito di*ersa!
ali#entando conceitos e0istenciais incri*el#ente estranhos. )e aparecia# co# #+s
intenç@es! n(o ha*ia outra alternati*a a n(o ser a guerra de e0ter#ínio.
A "ood Kope encontra*a,se a apenas alguns segundos,lu9 das oscilantes linhas
ferrnias 7uando ecoou o cla#oroso so# de alar#e e#itido pelos hipersensores. Lunto
co# o .erreiro dos alto,falantes! a tre#enda 9oeira se transfor#a*a e# algo 7uase
palp+*el. 2epois os alto,falantes e#udecera# de repente! assi# co#o as indicaç@es
lu#inosas da tela dos instru#entos.
Algo de proporç@es #onstruosas de*ia ter a.alado a cur*atura estrutural do uni*erso
nor#al nas i#ediaç@es. ' anteparo protetor da "ood Kope foi percorrido por cintilante
lu#inescência. Por segundos! o ca#po energ-tico entrou e# co#pleto colapso. 's reatores
de corrente girara# e# seco! se# carga algu#a. 2escargas coruscantes salta*a#
inter#itente#ente dos fusí*eis dos con*ersores de energia. 's supersensí*eis sensores
estruturais se fundira#. ' odor acre e penetrante in*adiu a ca.ina de co#ando.
Co#preendendo intuiti*a#ente o acontecido! 4hodan deu orde# para a colocaç(o dos
capacetes pressuri9ados. As esferas transparentes fora# encai0adas nos aros #agn-ticos
dos tra8es espaciais. Auto#atica#ente entrara# e# funciona#ento os siste#as *itais de
forneci#ento de ar condicionado! o0igênio e radioco#unicaç(o.
4edu9ida a u#a *elocidade correspondente a apenas &WT da da lu9! a "ood Kope
*iu,se de repente no #eio de u#a descarga energ-tica de inacredit+*el intensidade.
Cha#as a9uis en*ol*era# o casco e0terno de aço. Todo o poder ofensi*o at- ent(o
desen*ol*ido pelas na*es in*asoras torna*a,se insignificante diante da7uela força tit<nica.
' grito de pa*or foi ou*ido por todos. Alastrando,se por inter#-dio dos alto,falantes
e#.utidos nos capacetes! acendeu nos c-re.ros hu#anos u#a centelha de p<nico. 4hodan
*iu Crest correr para o painel do hiperco#unicador. Antes 7ue as oscilaç@es da na*e se
esta.ili9asse#! o cientista arcnida co#eçou a falar diante das telas trans#issoras
ilu#inadas.
At- ent(o 4hodan esti*era entregue ; tarefa de #anter a "ood Kope #ais ou #enos
so. controle. 2eu! ent(o! co# o #onstruoso *ulto de #etal e energia 7ue e#ergia do
hiperespaço! a cerca de cin7Aenta 7uil#etros de dist<ncia dali.
— 6(o= — ge#eu ele. 2epois .errouC — Thora! isso -...?
— U#a na*e de guerra arcnida= — co#pletou ela! afo.ada. — 2a classe i#perial! o
últi#o #odelo desen*ol*ido pelo 1#p-rio. Conheço .e# o tipo. Eu poderia con7uistar u#
siste#a solar inteiro co# ela. Perr$! nossa gente est+ chegando= Crest! trans#ita o c5digo
de reconheci#ento. :+ e# Nrcon de*e# ter perce.ido o 7ue ocorre e# 3ega. 3e8a s5!
Perr$= U# gigante in*encí*el! e7uipado co# #agníficas ar#as. 2e*e ter u# di<#etro
#íni#o de oitocentos #etros! segundo os padr@es terrestres. Eu...= ' 7ue est+ fa9endo?
As 8untas dos dedos crispados de 4hodan se a.atera# so.re o reostato 7ue
co#anda*a os 7uatro propulsores principais. :u9es de controle piscantes indica*a# u#a
re*ers(o de cento e oitenta graus nos ca#pos de força dos 8atos. Mal aca.ara a #ano.ra de
frenage#! a na*e reto#ou i#pulso co# o #+0i#o de *elocidade. ' rosto de 4hodan
esta*a contraído. 4eginald Iell foi o pri#eiro a co#preender. )eu grito rouco de alerta se
trans#itiu atra*-s do interco#. Apenas os dois arcnidas continua*a# radiantes. Mas
#o#entos depois Crest caiu e# si e afastou,se do hiperco#unicador! profunda#ente
pertur.ado.
— Contato nulo= — 7uei0ou,se ele. — Mas o co#putador central da na*e de guerra
de*eria ter identificado i#ediata#ente o c5digo dado. 6(o co#preendo o 7ue...=
— Ainda n(o perce.eu 7ue na7uela na*e n(o h+ u# s5 arcnida? — gritou 4hodan!
e0altado.
— Ela est+ dando *olta e a.re fogo contra as linhas ferrnias= — anunciou a *o9 do
#utante 4alf Marten 7ue esta*a to#ando conta dos detectores.
4hodan n(o podia fa9er #ais do 7ue 8+ fi9era. ' gigante espacial! produto #+0i#o da
t-cnica arcnida! n(o perdia terreno para a "ood Kope e# fuga. Apesar de suas
i#pressionantes di#ens@es! conseguia u#a ta0a de aceleraç(o idêntica. Euando o raio
*ioleta se pro8etou da gigantesca esfera! era tarde de#ais para des*iar. 2isparado co# a
*elocidade e0ata da lu9! percepç(o e i#pacto do raio fora# si#ult<neos na relati*a#ente
#inúscula na*e au0iliar do e0,cru9ador arcnida. ' artilheiro da na*e de guerra n(o lhe
concedera a #enor chance.
A potente fai0a energ-tica! ultraconcentrada! #edia .e# 7uarenta #etros de
di<#etro. Caso ti*esse atingido a "ood Kope e# cheio! esta se transfor#aria
instantanea#ente nu#a nu*e# gasosa. Por-# a na*e resistiu ao tre#endo i#pacto
produ9ido pelo tiro de rasp(o. 2escargas fla#e8antes e0plodira# ruidosa#ente nos
anteparos de defesaB o ca#po energ-tico des#oronou! i#potente para opor,se a forças t(o
poderosas. 4edu9ida agora a u#a si#ples partícula de p5! a esfera espacial *irou 8oguete
indefeso de u#a tre#enda onda energ-tica! desferida pelo gigante *oador se# #aiores
preocupaç@es! apenas de passage#! para apro*eitar a situaç(o.
4hodan ainda chegou a perce.er 7ue 7uase toda a #a7uinaria da "ood Kope tinha
dei0ado de funcionar. ' .a7ue *iolento de co#portas de segurança fechando,se
auto#atica#ente pro*a*a 7ue #es#o o tiro de rasp(o pro*ocara tre#endos estragos.
Antes de ser arrancado de seu assento diante dos controles! ainda escutou o incipiente
9u#.ido da re*ers(o dos ca#pos de força. Processo auto#+tico! cu8a finalidade era
canali9ar! e# caso de cat+strofe! a energia disponí*el para os a#ortecedores de in-rcia. )e
isso n(o ti*esse acontecido! n(o ha*eria #ais *ida na na*e *iolenta#ente arrancada de seu
ru#o por u#a força e0traordin+ria.
' #a8or 2eringhouse! cu8o *elo9 caça se ha*ia apro0i#ado at- u#a dist<ncia de
cerca de dois 7uil#etros da "ood Kope e# *irtude da #ano.ra de frenage# desta! *iu
7ue a na*e esf-rica roda*a desar*orada pelo espaço! co#o u#a .ola chutada co#
*iolência.
)5 2eringhouse se encontra*a e# posiç(o de *erificar 7ue o terrí*el raio energ-tico
tocara apenas a cur*atura do p5lo inferior da na*e. 6o entanto! ele esta*a incandescente. '
aço arcnida derretera co#o #anteiga ao sol ardente do deserto. Cintilantes *apores
#et+licos se desprendia# ainda da parte inferior da esfera. A "ood Kope arrasta*a
consigo pelo espaço u#a e0tensa cauda lu#inosa! co#o se fosse u# co#eta.
A lu#inescência dos anteparos defensi*os se e0tinguira. A única a*aria *isí*el agora
era o p5lo inferior e# .rasa.
2eringhouse cha#ou desesperada#ente 4hodan e os outros tripulantes a .ordo da
"ood Kope! por-# n(o o.te*e resposta algu#a. )5 lhe resta*a aco#panhar a po.re na*e
ferida e# sua tra8et5ria de fuga forçada. Muito adiante o supergigante esf-rico desli9a*a
pela escurid(o do espaço! co# os torretes ar#ados espalhando destruiç(o. Esta*a
transfor#ando as se#i,organi9adas linhas ferrnias nu# confuso a#ontoado de *ultos
fugiti*os! do#inados pelo p<nico total. ' nú#ero das na*es o*5ides redu9ia,se
acelerada#ente so. o i#pacto dos tre#endos golpes desferidos por u# atacante de poder
ofensi*o infinita#ente superior.
Era u# golpe fatal para os ferrnios. P+lido e desfeito! 2eringhouse tinha os olhos
fi0os nas telas de seu caça. A "ood Kope corria e# direç(o do nono planeta! co# a a*aria
#ortal e# seu casco .rilhante#ente ru.ra.
— Acho 7ue eles so.re*i*era# ao tiro= — disse de repente u#a *o9 no alto,falante
do teleco#unicador de .ordo do caça. Era o capit(o >lein! no segundo aparelho. —
Aguarde#os! est+ .e#? Foi apenas u# tiro de rasp(o. )e for preciso! posso tentar engatar
no canal de lança#ento superior. Eles *oa# apenas co# VST da *elocidade da lu9.
— Tiro de rasp(o?= — e0cla#ou 2eringhouse! co# u# riso sarc+stico. — 2e onde
ser+ 7ue surgiu o dia.o da7uele #onstro espacial? Apareceu de repente... Ande!
acer7ue#o,nos deles. 3(o direto para o planeta no*e=
4edu9ida a dois propulsores e# funciona#ento prec+rio! a "ood Kope precisou de
oito horas para co#pletar a *iage#. Poderia ter desen*ol*ido *elocidade #aior caso os
neutrali9adores de in-rcia esti*esse# funcionandoB #as esta*a# seria#ente a*ariados. E
co# eles fora de aç(o! a desaceleraç(o tinha 7ue se li#itar ; capacidade de a.sorç(o dos
pro8etores! cu8o funciona#ento era inter#itente.
A penetraç(o na densa at#osfera do nono planeta asse#elhou,se a u# #ergulho do
alto na +gua. 4hodan *iu,se o.rigado a su.#eter a tripulaç(o a u#a desaceleraç(o de
gra*idade e0tre#a#ente se*era! pois as forças de in-rcia geradas n(o podia# #ais ser
a.sor*idas. Ta#.-# ti*era 7ue ligar rapida#ente a carga #+0i#a de retropropuls(o! pois
ao pri#eiro contato co# as #ol-culas de ar dei0ara# de funcionar os pro8etores de
ca#pos de a.sorç(o.
Portanto a na*e au0iliar se precipitou atra*-s das #assas de ar cada *e9 #ais densas
co#o u# #eteoro e# .rasa. Caso os aparelhos antigra*itacionais ti*esse# recusado
igual#ente funcionar! a "ood Kope se espatifaria contra o solo do planeta. 6o entanto!
co# a na*e 7uase despro*ida de peso! foi possí*el e7uili.r+,la ainda! se .e# 7ue a
aterrissage# n(o fosse das #ais sua*es.
Todas as instalaç@es da #etade inferior da na*e ha*ia# sido destruídas. )eria
i#pratic+*el fa9er reparos durante a #orosa operaç(o de frenage#B al-# da ele*ada
te#peratura reinante na 9ona a*ariada! surgira nela u#a #ortal radiaç(o ga#a.
6u#a fraç(o de segundo! a "ood Kope fora transfor#ada nu# destroço indefeso. L+
n(o ha*ia condiç@es para pensar e# *os #ais r+pidos do 7ue a lu9. 's hipercon*ersores!
essenciais para a for#aç(o dos ca#pos estruturais de defesa! ha*ia# sido total#ente
destruídos. ' grupo de reparos! protegido por tra8es espaciais! s5 encontrou #ontinhos de
#etal fundido por ocasi(o da *istoria feita posterior#ente. 's de#ais aparelhos poderia#
ser consertados! #as a7uele e7uipa#ento essencial esta*a definiti*a#ente perdido.
Antes de #ergulhar na at#osfera! so. a orientaç(o de ChaPtor! Perr$ 4hodan to#ara
consciência do irre*ersí*el fato de 7ue se tornara prisioneiro do siste#a 3ega.
Ap5s a descida no espaçoporto da cidade principal do nono planeta! fora# rece.idos
co# .astante frie9a pelos oficiais ferrnios. Estes li#itara#,se a pro*idenciar a retirada da
na*e se*era#ente a*ariada da pista de aterrissage# desprotegida. Agora a "ood Kope
repousa*a nu# hangar su.terr<neo! estalando e# todas as 8untas en7uanto se processa*a
gradual#ente o resfria#ento da #assa supera7uecida. ' recinto n(o apresenta*a nada de
e0traordin+rioB e# 7ual7uer ponto da Terra se encontraria u# se#elhante.
>lein e 2eringhouse tinha# aterrissado se# #aiores pro.le#as. 4hodan en*iara,os
no*a#ente ao espaço! a fi# de prestar apoio ; frota ferrnia e# sua precipitada retirada e
escolt+,la at- a *olta ao oita*o planeta. A7uela pe7uena cola.oraç(o e# prol da defesa
co#u# lhe parecera i#prescindí*el.
Euando 2eringhouse anunciou pelo hiperr+dio 7ue a gigantesca na*e aparecida de
surpresa se 8untara ;s fileiras dos t5psidas! u# sorriso frio surgiu nos l+.ios de 4hodan.
2ali e# diante! pouco falou. Encontra*a#,se nu# #undo alheio! entre seres estranhos!
7ue parecia# encarar o desastre ocorrido co# a "ood Kope co# senti#entos
contradit5rios.
A an+lise psicol5gica da situaç(o efetuada pelo 2r. Kaggard fora 7uase
desnecess+ria. Mes#o se# ela! 4hodan sa.ia 7ue o *i*o entusias#o inicial da tripulaç(o
por ele! e a confiança no poder ofensi*o da "ood Kope tinha# di#inuído
considera*el#ente.
ChaPtor! o ferrnio resgatado do *+cuo! ocupa*a passi*a#ente u#a poltrona na
ca.ina de controle. Iell e u#a e7uipe de t-cnicos tenta*a# recuperar pelo #enos a
aparelhage# de controle #ais i#portante. Crest parecia ter des#oronado interior#enteB
#atinha,se nu# canto! silencioso e ap+tico. Thora! ainda #ais suscetí*el do 7ue o s+.io
arcnida! de.atia,se contra u# incipiente colapso ner*oso.
's #utantes circula*a#! procurando a*aliar as circunst<ncias. 4alf Marten! o ho#e#
dotado das 7ualidades #ais peculiares e# todo o grupo! ronda*a ( sua #aneira! por perto e
por longeC h+ #ais de u#a hora n(o se #o*ia da poltrona! rígido e hirto co#o se esti*esse
e# transe. Periodica#ente relata*a! e# *o9 i#pessoal! o 7ue o.ser*ara atra*-s dos olhos
de algu# chefe ferrnio! ou o 7ue escutara pelos ou*idos dele. Pelo 7ue infor#a*a! os
ha.itantes do planeta n(o nutria# intenç@es #al-*olas contra os *isitantes hu#anos. '
senti#ento predo#inante era de profunda desilus(o! diante do sú.ito fi# das esperanças
despertadas pelo apareci#ento da espaçona*e terrena. 's telepatas confir#ara# as
o.ser*aç@es de 4alf Marten.
2iante disso. 4hodan deu orde# para recolher os guerreiros,ro.s! prontos para
entrar e# aç(o! ao co#parti#ento de carga da na*e. 4eginald Iell e#ergiu da estreita
portinhola das escadas de e#ergência. 's ele*adores antigra*itacionais 8+ n(o
funciona*a#. 4es#ungando .ai0inho! ele se dese#.araçou do pesado tra8e protetor e
estendeu a #(o para u# cigarro. Entre#entes! as pessoas presentes na ca.ina de co#ando
tinha# ad7uirido a i#press(o de 7ue 4hodan se transfor#ara de repente nu# calado
sonhador. Fa9ia horas 7ue n(o pronuncia*a u#a s5 pala*ra.
Mas ergueu a ca.eça co# a chegada de Iell. 3agarosa#ente ele se le*antou do
assento 7ue ocupa*a. 's olhares dos dois ho#ens se cru9ara#.
— E agora?
As pala*ras ficara# no ar! carregadas de in7uietaç(o.
Iell deu de o#.ros. Es#agou o cigarro rec-#,aceso so. a sola do sapato.
— Fi# da linha para n5s= — declarou! se# o #enor traço de e#oç(o no rosto. —
A7uele raio energ-tico da superna*e aca.ou co# a "ood Kope. Co#eço a co#preender
agora as contínuas alus@es de Crest! classificando nosso *eículo de na*e au0iliar. 6(o
passa*a de porcaria diante de u#a na*e de guerra autêntica! apesar de nos 8ulgar#os
possuidores de u#a ar#a poderosa.
— Foi suficiente para re*idar o ata7ue das na*es t5psidas=
— Certo! #as faría#os feio diante de u# cru9ador arcnida. E 7uando se topa de
cara co# u#a superna*e 7ue lança raios energ-ticos de di<#etro 7uase superior ao da
"ood Kope! ent(o...
Iell interro#peu,se! co# u#a risada seca. 2epois concluiuC
— Pois -! 7ue #ais posso di9er? Esta#os encalacrados. Foi 7uase u# #ilagre
conseguir#os aterrissar #ais ou #enos inteiros. 's pulsopropulsores precisa# de
co#pleta re*is(o. 3iagens interestelares est(o fora de cogitaç(o. E co#o os ferrnios
desconhece# os princípios en*ol*idos no siste#a! nosso destino - ficar e# 3ega at- o fi#
de nossos dias. E# resu#oC a pior cala#idade 8a#ais sofrida at- ho8e pela Terceira
Potência. A central de força pode ser reparada. Portanto podere#os pelo #enos notificar a
Terra. 2a7ui por diante! *ai depender do coronel Fre$t #antê,la forte e unida. )e a sorte
nos fa*orecer de #aneira e0traordin+ria! nosso pessoal tal*e9 *enha nos .uscar da7ui a uns
dois anos! 7uando concluíre# a construç(o das no*as espaçona*es.
— A id-ia - sedutora! #as i#pro*+*el — corrigiu 4hodan! fria#ente. — :e#.re,se
de 7ue as no*as na*es 8a#ais le*antar(o *o se# nossos conheci#entos especiali9ados.
— 1ntensa co#oç(o e# +rea pr50i#a= — a*isou Iett$ Toufr$! a telepata. 2e olhos
fechados! ela continuou a di9erC — "rande consternaç(o entre os ferrnios. Pensa#entos
confusos se cru9ando. U# alto dignit+rio a.andonou seu po*o.
— Marten! tente introdu9ir,se na #ente de u# ferrnio .e# infor#ado. 2e
preferência u# dos 7ue se encontra# no local 7ue Iett$ estuda. A8ude,o! #enina=
Marshall! entre no circuito ta#.-#.
Entre 4hodan e Iell surgiu u#a aura lu#inosa! 7ue deu lugar ao apareci#ento do
teleportador TaPo >aPuta. ' fr+gil rosto infantil #ostra*a e*identes sinais de cansaço.
2esde a aterrissage# o rapa9 esti*era constante#ente e# #o*i#ento.
— Caos e# todo o planeta= — anunciou ele. — Mas parece 7ue os t5psidas
desistira# de u# ata7ue diretoB colocara# apenas algu#as na*es de o.ser*aç(o e# 5r.itas
.e# afastadas. ' planeta - 8o*e#! o cli#a terrestre! o po*oa#ento escasso. K+ oceanos!
#ontanhas e planícies #uito se#elhantes ;s da Terra. Esta cidade se cha#a Chuguinor! a
única concentraç(o populacional #ais densa do planeta! 7ue le*a o no#e de 4ofus. D a7ui
7ue fica o espaçoporto principal! s5 7ue n(o *i #uitas na*es ferrnias. 2e*e# estar todas
no espaço. Apenas u#a ou outra unidade a*ariada ficou e# terra. 6o*as ordens! chefe?
— 2escanse u# pouco! TaPo — #ur#urou 4hodan! a.sorto. — 3ocê parece
fatigado. Por en7uanto pouco nos interessa o aspecto da paisage#. Este planeta n(o de*e
diferir #uito de de9 #il outros da #es#a esp-cie. 1nteressante... aos poucos co#eço a
raciocinar e# ter#os c5s#icos. — 4hodan riu! depois acrescentou! co# u# sorrisoC —
6ada de esforços desnecess+rios agora! TaPo= E# .re*e *ou ter 7ue destac+,lo para u#a
#iss(o .e# difícil.
Alertado pelo to# da *o9 de 4hodan! Iell fitou,o! intrigado. 2epois co#entouC
— 3ocê anda tra#ando algu#a coisa! n(o -?
' hipertrans#issor tra9ia u#a #ensage# do #a8or 2eringhouse! cu8a.face se tornou
*isí*el na tela. Foi u# .o# prete0to para poupar 4hodan de responder.
— Esta#os perto do planeta principal — infor#ou 2eringhouse. — A derradeira
linha de defesa dos ferrnios est+ sendo destroçada. A.ate#os sete na*es t5psidas! #as
agora a grandona anda olhando para o nosso lado. Parece n(o estar gostando de nossa
interferência. Eue faço! chefe? ' gigante *e# e# #inha direç(o. Estou co# ele na #ira.
Ataco?
—3ocê ficou louco? — gritou 4hodan.
— Trate - de dar o fora! e depressa! ou*iu? Co# toda a potência das #+7uinas=
T+tica de es7ui*a#ento e cuidado para n(o se dei0ar espetar pelas setas de fogo do
gigante. Ainda *ou precisar de *ocê! rapa9= 3olte i#ediata#ente=
— Chefe! os ferrnios n(o *(o gostar= Cada caça nosso *ale por ce# das na*es
o*5ides. Por incrí*el 7ue pareça! aca.a#os sendo a espinha dorsal da frota ferrnia.
— Caia fora! 8+ disse= >lein ta#.-#= )e a na*e de guerra n(o for no encalço de
*ocês! pode# *oltar para a luta. Mas por en7uanto to#e# dist<ncia. Eue tal a cena e#
torno do oita*o planeta?
— 's t5psidas co#eça# a aterrissar. )e# lançar grandes ata7ues. Contenta#,se co#
o .o#.ardeio de locais deter#inadosB centros #ilitares! pro*a*el#ente. Est(o poupando
as cidades. Posso contar nos dedos as e0plos@es nucleares l+ e#.ai0o. E ne# s(o das
grandes.
4hodan desligou! co#entandoC
— Ie# 7ue acertei 7uando preferi n(o pousar e# Ferrol. A7uilo *irou u# inferno.
As lagarti0as *(o aterrissar! instalar,se na +rea e dar início ; con7uista dos planetas,
colnias *i9inhos. Por en7uanto esta#os seguros a7ui. Eue te# ele?
4hodan perce.era 7ue ChaPtor dialoga*a diante do *ideofone co#u# co# u#
co#panheiro de raça.
Iell prestou atenç(o. Crest #antinha,se na #es#a atitude de ap+tica resignaç(o!
desinteressado do 7ue acontecia.
6ingu-# aguarda*a no*idades na7uele #o#ento. 2eringhouse anunciou
alegre#ente 7ue a na*e gigante se desinteressara de *e9 pelos caças! aprestando,se! pelo
8eito! para aterrissar no oita*o planeta.
— 6(o ganha#os e# *elocidade! #as so#os #ais +geis do 7ue ela — continuou a
infor#ar 2eringhouse.
— Crest=
' cha#ado foi t(o en-rgico 7ue o arcnida se ergueu nu# pulo. 3iu,se diante de u#
ho#e# de e0press(o dura e decidida.
— Antes 7ue torne a #ergulhar no*a#ente na letargia! 7uero u#a curta infor#aç(o.
Te# certe9a de 7ue a na*e gigante - u# *aso de guerra de sua raça?
— Claro= Eue outra espaçona*e seria capa9 de nos derrotar?
— D pouco pro*+*el 7ue arcnidas participe# de u#a in*as(o pro#o*ida por seres
n(o,hu#anos. Portanto! a na*e de*e ter tripulaç(o t5psida. )a.e #e di9er co#o - 7ue esses
indi*íduos conseguira# se apoderar de u#a das na*es #ais poderosas da frota i#perial?
Crest deu de o#.ros! desani#ado! se# encontrar resposta. Thora fita*a co# olhar
ausente a parede #ais pr50i#a.
— E0iste# duas possi.ilidades — continuou 4hodan. — 'u a na*e foi entregue aos
t5psidas por oficiais arcnidas decadentes! indiferentes ao destino de sua raça! ou foi
si#ples#ente capturada pelo ini#igo. ' 7ue n(o seria de ad#irar! diante da inigual+*el
passi*idade e apatia de seu po*o. E# 7ual7uer dos casos! por-#! pergunto,#e co#o - 7ue
os t5psidas consegue# #ane8ar t(o .e# o co#ple0o aparelha#ento de u#a espaçona*e de
guerra arcnida. Tal*e9 as duas hip5teses se8a# *+lidasC arcnidas cati*os passara# seus
conheci#entos aos t5psidas.
— 1sto - u# insulto= — protestou Thora.
— Apenas repetiç(o do 7ue ocorreu conosco. 3ocês esta*a# e# situaç(o difícil e
co#partilhara# sua ciência conosco. )5 7ue caíra# nas #(os de seres hu#anos e n(o de
t5psidas. 6isto reside a diferença. Thora! peço 7ue inicie i#ediata#ente o treina#ento dos
#eus ho#ens=
Ela ergueu a ca.eça! surpresa. 4hodan enca#inhou,se para o ferrnio! 7ue
prosseguia e# sua ani#ada palestra diante do *ideofone. 6a tela! al-# do rosto de seu
interlocutor! *ia,se u# *asto recinto a.o.adado.
— Eue treina#ento? — indagou a arcnida! co# e*idente inco#preens(o. '
interesse de Crest parecia despertar! se .e# 7ue sua testa se enrugasse de preocupaç(o.
Iell sorriu. Conhecia a fundo seu e0,capit(o. Para ele! a pala*ra i#possí*el n(o e0istia.
— Perdi sete ho#ens na .atalha. Portanto *ocê! 7ue 8+ co#andou u# cru9ador de
guerra *ai se encarregar de instruir os 7uarenta e três so.re*i*entes no #ane8o dos
principais instru#entos de u#a superna*e .-lica. 'u ela pode ser controlada por u# s5
ho#e#?
— 6unca= )eria# i#prescindí*eis pelo #enos tre9entos ho#ens especial#ente
treinados! apesar da auto#ati9aç(o 7uase total. Perr$! *ocê enlou7ueceu= 6(o pode...
— Posso e n(o *ai de#orar #uito= — interro#peu 4hodan! seca#ente. — 'u acha
7ue pretendo passar o resto de #eus dias nu# planeta de 3ega? As na*es ferrnias n(o
ultrapassa# a *elocidade da lu9B portanto n(o #e interessa#. E 8a#ais entendere#os o
funciona#ento da7ueles tra#.olhos t5psidas. :ogo! s5 nos resta a opç(o de pensar na
superna*e arcnida! pelo #enos seu #ane8o nos de*e ser #ais fa#iliar. 3a#os a.ocanhar
o naco #aior! entendeu? 1nicie o treina#ento i#ediata#ente. '.rigado=
' chefe falara. 's presentes trocara# olhares significati*os. 's dois arcnidas ainda
n(o ha*ia# se recuperado da surpresa. Por fi#! Thora #ur#urouC
— L+ lhe ocorreu 7ue a na*e de guerra est+ aterrissando no oita*o planeta?
4hodan sorriu de le*e.
— Estou co#eçando a #e preocupar co# este aspecto do pro.le#a — disse!
#ansa#ente. — L+ olhou para esta tela? '.ser*e a7ueles i#ensos aparelhos e# for#ato
de coluna ligados a potentes ca.os de força. 2e*e estar le#.rada de 7ue Crest se referiu a
algo se#elhante a trans#issores de #at-ria! co# os 7uais os ferrnios poderia# transladar
7ual7uer esp-cie de #at-ria. Pois .e#! o 7ue cintila na7ueles ca#pos energ-ticos .e#
pode ser *ida org<nica=
' 9u#.ido surdo pro*eniente dos alto,falantes cha#ou,lhe a atenç(o. ChaPtor
aponta*a e0citado para a tela! gritando algu#as pala*ras para Iett$ Toufr$. Ela tradu9iu
se# de#oraC
— 3e8o na #ente dele 7ue pensa nu#a pessoa alta#ente colocada. Est+ se
definindo... 2+ ao dignit+rio o no#e de Thort. 6(o - u# no#e pr5prio! e si# u# título.
Assi# co#o rei ou i#perador. 6(o! n(o - .e# isso... ' Thort - o )enhor! o
go*ernante.
— Est(o a.andonando o .arco 7ue soço.ra — #ur#urou 4hodan! se#icerrando os
olhos. — Chega# #ulheres e crianças! ta#.-#. Portanto! a fa#ília go*ernante e*acua a
p+tria a#eaçada para *ir refugiar,se a7ui. As coisas est(o ficando interessantes. Eue foi?
ChaPtor dirigia,se a 4hodan! nu#a arenga ner*osa. Iett$ captou o sentido das
pala*ras lendo a #ente do ferrnio.
— ' Thort 7uer conferenciar co# *ocê! i#ediata#ente. ' co#andante da frota
ferrnia fe9 u# relato co#pleto h+ algu#as horas. ' Thort est+ perfeita#ente a par de
nossa atuaç(o. )a.e igual#ente 7ue fo#os al*e8ados. 6(o *ai ter 7ue perder te#po e#
e0plicaç@es.
4hodan engoliu e# secoB depois pigarreou. Iell foi #enos reticente. 4espirando
fundo! opinouC
— Pu0a! se o chef(o e# pessoa se digna pisar nu# trans#issor s5 para falar co#
*ocê! esta#os feitos= Essa gente - .e# superior ao gênero hu#ano. Caso consiga#os u#
entendi#ento co# o Thort! o futuro pode ser risonho. 65s...
— E# pri#eiro lugar! te#os 7ue *oltar para a Terra — interro#peu 4hodan! co#
sarcas#o. — 6o #o#ento! precisa#os #anter a aparência de superioridade. Ali+s! n(o
nos resta outra alternati*aB te#os 7ue poupar o coitado de u#a tre#enda desilus(o. Parece
7ue n5s e a "ood Kope representa#os o recurso derradeiro para a sal*aç(o deles. Al-#
disso... — 4hodan fe9 u#a pausa para pensar! e continuouC — ...al-# disso! - #uito f+cil
negociar co# opri#idos e refugiados. Costu#a# ser acessí*eis a argu#entos l5gicos.
Prefiro tratar co# o Thort a7ui na ca.ina de co#ando. Eu #e sentiria inseguro de#ais l+
fora. Iell! ligue a #+7uina de tradu9ir. Precisa#os aprender o idio#a ferrnio. Crest pode
nos dar u#a #(o co# u# .re*e hipnotreina#ento. A #e#5ria do aparelho 8+ possui u#
.o# esto7ue de *oc+.ulos.
4hodan fitou ChaPtor 7ue fre#ia de re*erente antecipaç(o. E*idente#ente este seria
o pri#eiro encontro de sua *ida co# o Thort.
— 3a#os co# cal#a! Perr$= — o.ser*ou Iell. — Afinal! o ho#e# do#ina todo u#
siste#a planet+rio=
4hodan apro0i#ou,se do tradutor auto#+tico. ChaPtor seguiu,o! e#ocionado.
— Iett$! diga 7ue o co#andante desta espaçona*e solicita a *isita do Thort! u#a *e9
7ue s5 a7ui poder(o ser superadas as dificuldades de co#unicaç(oB o aparelho destinado a
isso n(o - port+til.
A telepata trans#itiu o recado a ChaPtor! atra*-s da #+7uinaB i#ediata#ente! o
ferrnio repetiu a #ensage# no teleco#! e# seu pr5prio idio#a. A confir#aç(o le*ou
apenas alguns segundosC si#! o Thort *iria. 6a tela do *ídeo surgiu u# ferrnio de #eia,
idade.
— D :ossos! o #ais e#inente cientista ferrnio — infor#ou Iett$.
4hodan #ur#urou algu#as pala*ras no #inúsculo trans#issor e# seu pulso. 6o
co#parti#ento de carga da na*e! os guerreiros,ro. despertara#. Co# passos pesados!
#as surpreendente#ente r+pidos! #archara# pela a#pla ra#pa de descarga para o ar li*re.
— 6(o faça .o.agens= — cochichou Iell! preocupado. — Para 7ue isso?
— Para i#pressionar! #ais nada= — respondeu 4hodan. — Marshall! seu unifor#e -
.astante decorati*o. )a.e .errar?
— Co#o u# touro! chefe! se for preciso.
— Pois ent(o! poste,se no alto da ra#pa e co#ande os ro.s. Euero ceri#nias
#ilitares e# grande estilo! apesar de ach+,las ridículas h+ alguns dias. ' Thort de*e ser
rece.ido co# todas as honras.
' #utante desapareceu.
— )er+ 7ue *ai dar certo? — indagou Thora! ner*osa. — ' 7ue *ai di9er ao Thort?
6(o se es7ueça de 7ue lida co# u#a raça superior#ente ci*ili9ada.
— )ei disso= — concordou 4hodan! co# fran7ue9a. — 's conheci#entos deles s(o
superiores aos dos ho#ens! e0ceto n5s #es#os. Peço,lhe 7ue n(o #e contradiga en7uanto
falo co# eles. Para os ferrnios! so#os todos arcnidas! *indo de u# planeta a trinta e
7uatro #il anos,lu9 da7ui...
— Co#o 7uiser — disse ela! ironica#ente.
4hodan a8ustou seu unifor#e. 's dois guerreiros,ro.s de p- na ca.ina de co#ando
rece.era# instruç@es especiais. As lu9es de controle dos poderosos geradores de pulsos se
acendera#. As #+7uinas esta*a# prontas para funcionar.
— Tudo de*e ter a aparência de estar e# perfeita orde# — disse 4hodan. — Iell! o
tradutor auto#+tico est+ ligado? '.rigado= Iett$! sonde o conteúdo #ental do go*ernante
ferrnio. "ostaria de sa.er o 7ue se oculta por tr+s de seus gestos e pala*ras.
A #enina a7uiesceu! co# u# le*e sorriso lhe .rincando nos l+.ios.
2o lado de fora ou*iu,se u# .rado sonoroC
— A,pre,sen,taaar ar#as= 4eal#ente! Marshall .erra*a co#o se 7uisesse alertar o
#undo inteiro contra u# ata7ue inesperado.
)eguiu,se u# ru#or surdo. 's .raços ar#ados dos ro.s perfilados ha*ia# se
erguido si#ultanea#ente! atendendo ; orde# dada.
' ferrnio idoso estacou. 's oficiais de sua co#iti*a de#onstra*a# profunda
ad#iraç(o. A figura de Marshall surgiu nas telas. E# rígida posiç(o de sentido! prestando
u#a continência 7ue arrancaria lou*ores at- do general Pounder! caso esti*esse presente.
' Thort agradeceu! co# as #(os estendidas para a frente. Era u# .elo 7uadro.
— )enhores= 6(o es7ueça# por u# s5 instante 7ue representa#os o gênero hu#ano.
Porte#,se co# ur.anidade! #as co# dignidade. E*ite# dar a i#press(o de se sentire#
superiores. Iell! *ocê se encarrega das for#alidades de recepç(o e introduç(o.
— E co#o *ocê 7uer 7ue eu o apresente? — ge#eu Iell! transpirando ner*osa#ente.
— Co#o presidente da Terceira Potência! idêntica co# o "rande 1#p-rio. Para o
Thort! o título de presidente *ale tanto co#o 7ual7uer outro. 2e*e ach+,lo t(o estranho
7uanto a deno#inaç(o Thort - para n5s. Aí *e# ele=
— Pretensioso= — #ur#urou Thora. Mas Crest sorriu! co#preensi*o. ' e#inente
s+.io arcnida adi*inhara as intenç@es de 4hodan.
Este postou,se i#5*el ao lado do aparelho tradutor. Euando a saudaç(o de Iell! e#
idio#a ferrnio! ecoou atra*-s do alto,falante! o Thort rece.eu o segundo cho7ue de
surpresa. E*idente#ente atnito! fitou a e0traordin+ria #+7uina. 4hodan sorriu,lhe co#
cordialidade. )ua saudaç(o foi respeitosa! por-# ligeira#ente #ais condescendente do 7ue
a de Iell.
2epois os dois representantes de culturas t(o di*ersas se *ira# frente a frente. '
Thort! idoso! .ai0o e aca.runhadoB Perr$ 4hodan! alto! es.elto! senhor de si da ca.eça aos
p-s.
— )e8a .e#,*indo! )enhor. To#e lugar! por fa*or.
's dois guerreiros,ro.s postara#,se silenciosa#ente ao lado do co#andante! co#
as .ocas de suas ar#as apontando para o alto. Ap5s e0a#in+,los de#orada#ente! o
go*ernante ferrnio dei0ou,se cair nu#a das poltronas. 4hodan e0pressou ainda algu#as
frases de cortesia! por #eio do aparelho auto#+tico.
' Thort aguardou a traduç(o. )ua resposta foi .re*e e surpreendente. Parecia
co#preender o 7ue se oculta*a por tr+s da7uelas de#onstraç@es e aceita*a plena#ente as
i#plicaç@es nelas contidas. Tinha consciência de estar diante de u# ser total#ente
estranho! confor#e ocorria igual#ente co# 4hodan. Mas sa.ia 7ue os hu#anos tinha#
corrido e# socorro dos ferrnios durante a luta.
— )ua espaçona*e est+ seria#ente a*ariada — di9ia o aparelho! tradu9indo as
pala*ras do Thort. — E o senhor sa.e 7ue! se# sua a8uda! n5s estare#os perdidos.
Portanto! e# 7ue posso a8ud+,lo? Meu i#p-rio est+ ; sua disposiç(o. A na*e pode ser
reparada?
Pala*ras claras e e0plícitas! 7ue n(o causara# estranhe9a a 4hodan. ' Thort n(o era
u# fraco e si# u# pensador lúcido. A resposta ainda #ais .re*e e sucinta correspondia ao
car+ter de 4hodan. A situaç(o e0igia a #ais a.soluta fran7ue9a.
Mas antes 7ue 4hodan pudesse responder! o hiperr+dio trou0e a notícia de 7ue a
i#ensa na*e esf-rica tinha aterrissado no oita*o planeta. ' #a8or 2eringhouse aguarda*a
no*as ordens. 4hodan #andou,o prosseguir na #iss(o de o.ser*aç(o! pedindo ao #es#o
te#po 7ue procurasse o.ter .oas telefotos da na*e. 2epois desligou.
— Era# os pilotos da7uelas na*es #inúsculas? — indagou u# dos altos oficiais!
e0citado. 4hodan confir#ou.
— Mas co#o - 7ue consegue# co#unicar,se co# tal rapide9?
— 2ist<ncia n(o te# significaç(o para n5s. Assi# co#o *ia8a#os co# *elocidade
superior ; da lu9! do#ina#os a co#unicaç(o audio*isual hiperr+pida.
Ao ser di*ulgada a traduç(o! o oficial ferrnio olhou e# torno! triunfante.
Aparente#ente 8+ fi9era afir#aç@es na7uele sentido antes! deparando co# a incredulidade
de seus colegas. 4hodan .e# podia i#aginar o 7ue se passa*a no ínti#o da7uela gente.
2ali por diante! os oficiais ferrnios guardara# respeitoso silêncio. Apenas os olhos
atentos do Thort e0a#ina*a# tudo co# a #aior atenç(o.
— Co# sua licença! posso sa.er se chegou at- a7ui por #eio de u# trans#issor de
#at-ria? — perguntou 4hodan.
Perce.eu u#a reaç(o estranha no regente de pele a9ul.
— Claro= Fui forçado a dei0ar o oita*o #undo. Eue sa.e so.re os trans#issores?
Conhece o princípio 7ue os fa9 funcionar? D o #aior segredo do uni*erso=
— 6e# tanto= — replicou 4hodan! sua*e#ente! por-# se# acrescentar #ais
nenhu# co#ent+rio. A pertur.aç(o do Thort 8+ era suficiente. — 'ferece,#e sua
assistência! senhor. )i#! #inha na*e n(o te# #ais condiç@es de *o. 6(o pode ser
reparada co# os recursos de 7ue disp@e. ' tiro da espaçona*e .-lica 7ue surgiu t(o
inesperada#ente foi fatal.
— Euer di9er 7ue sou o.rigado a renunciar ao seu au0ílio?
4hodan *iu a face a9ul entristecer,se. 6os olhos #ortiços refletia,se o desespero.
— 2e #aneira nenhu#a. )eria necess+rio apenas 7ue #e cedesse sua estaç(o
trans#issora de #at-ria. Aca.ei de sa.er 7ue a na*e gigante pousou no oita*o planeta.
Preciso de u#a oportunidade para ir at- l+ e os trans#issores resol*er(o este pro.le#a.
Caso n(o possa utili9+,lo para transportar #eus ho#ens! serei o.rigado a recorrer ;
alternati*a #ais tra.alhosa de usar #eus dois caças.
' Thort parecia asso#.rado. Por-# concordou i#ediata#ente. 6o entanto! ainda
ali#enta*a u#a dú*idaC
— Eue pretende fa9er l+? ' planeta est+ ocupado pelos ini#igos.
— 3ou apoderar,#e da na*e de guerra= 2epois disso fare#os no*os planos.
4hodan sorria.
— Confor#e 8+ disse! esta pe7uena na*e 8+ n(o #e ser*e. Era apropriada para a curta
e0pediç(o e0plorat5ria 7ue e#preendía#os. Caso eu ti*esse sa.ido 7ue se processa*a u#a
in*as(o por a7ui! teria *indo co# u#a frota inteira. :a#ento...
Iell do#ina*a,se a custo. 's ferrnios fa9ia# perguntas e0citadas. 4hodan e0plicou
detalhada#ente 7ue# era# os t5psidas! de onde *inha# e 7ual era sua nature9a. ' Thort
pro#eteu toda a assistência possí*el. 4hodan rece.eu per#iss(o para usar os
trans#issores. 2epois *eio a pergunta e#.araçosaC
— 3ai ser capa9 de #ane8ar a na*e gigante?
— Trata,se de u# *aso de guerra de #eu po*o! senhor= — disse 4hodan!
tran7Aila#ente. A reaç(o foi *iolenta. 's oficiais i#o.ili9ara#,se e# respeitoso silêncio.
Apenas o Thort n(o se alterou. )a.ia raciocinar.
— Mas n(o tripulado por gente de sua raça! n(o - *erdade?
— Claro 7ue n(o. 6(o i#agino co#o foi parar nas #(os dos t5psidas. Portanto!
necessito urgente#ente de u# t5psida *i*o! custe o 7ue custar. E0iste# prisioneiros?
6(o! os ferrnios n(o tinha# conseguido capturar u# s5 t5psida *i*o. 6o entanto!
u# oficial #ais 8o*e# infor#ou ter *isto u# .ote sal*a,*idas t5psida destacar,se de u#a
das na*es a.atidas. Ka*ia descido na regi(o do p5lo norte do planeta. 's soldados
ferrnios destacados para aprisionar a tripulaç(o n(o conseguia# apro0i#ar,se pois era#
repelidos co# ar#as desconhecidas.
4hodan n(o hesitou u# #o#ento.
— )enhor! #ande le*ar dois de #eus ho#ens ao local! o #ais r+pido possí*el e dê
orde# de retirada ;s suas pr5prias tropas. Preciso da7ueles su8eitos *i*os=
— Eles possue# ar#as terrí*eis= — o.8etou :ossos! o cientista ferrnio.
— As nossas s(o #elhores. To#e as pro*idências necess+rias! )enhor! e ponha ;
disposiç(o de #eu pessoal sua aerona*e #ais *elo9! ou u#a pe7uena na*e espacial. 6(o
pode#os perder te#po.
En7uanto o Thort agia! 4hodan ps,se a e0a#inar co# atenç(o os #e#.ros
presentes de sua tripulaç(o. Por fi# decidiuC
— TaPo >aPuta e Iett$! apronte#,se. E7uipe#,se co# psicorradiadores e
con*ença# a7ueles t5psidas a sair de suas tocas co#o #eninos o.edientes. Aguardo a7ui.
Euero de preferência os oficiais. 2e*e ha*er alguns entre eles. TaPo! se for preciso! salte
para a retaguarda dos t5psidas. E procure# *oltar inteiros=
's #utantes aprontara#,se. ' 8aponês sorria! Iett$ era a cal#a personificada.
— Co#o? D co# estas pessoas 7ue pretende do#inar u#a tripulaç(o forte#ente
ar#ada?= — e0cla#ou o Thort! co# o rosto a9ul se tingindo de so#.ras escuras. Pela
pri#eira *e9 4hodan o *ia descontrolado.
— )(o #ais do 7ue suficientes. 2ispo#os de poderes 7ue o senhor desconhece. '
transporte est+ pronto?
TaPo retirou,se! piscando u# olho. ' Thort tornou a sentar,se! calado.
— 1sso ultrapassa #inha co#preens(o — #ur#urou ele no #icrofone do aparelho de
traduç(o. — Eue# s(o *ocês? 2e onde *ê#? 1nfunde# te#or co# suas capacidades
aparente#ente ili#itadas...
4hodan forneceu as e0plicaç@es necess+rias! por-# se# aludir ; Terra. Para os
ferrnios! eles era# e continuaria# a passar por arcnidas. As pala*ras de 4hodan fora#
aceitas se# a #enor so#.ra de dú*ida.
Ele procurou apro*eitar o período de espera. "radual#ente esta.eleceu u# e0celente
relaciona#ento co# o Thort! cu8o cargo n(o era heredit+rio! confor#e depreendeu da
con*ersa. Ap5s sua #orte! u# no*o Thort seria eleito entre os ho#ens #ais capa9es do
reino. 1ntrigas políticas parecia# ser coisa desconhecida. 4hodan entre*ia u# futuro
.rilhante para a7uela raça #as perce.ia 7ue falta*a algo indefiní*el para concreti9+,lo.
2uas horas #ais tarde! segundo o rel5gio de .ordo! TaPo #anifestou,se por #eio do
#icrotrans#issor 7ue le*ara.
— Consegui#os! chefe= Cinco t5psidas *i*os! sendo 7ue dois deles s(o oficiais. Foi
.rincadeira. Iett$ locali9ou,os e eu saltei para perto deles. 4eagira# logo aos
psicorradiadores. 2entro de #eia hora estare#os de *olta. A aerona*e - .e# *elo9.
— 3a#os *er o 7ue acontecer+ agora — disse 4hodan! e# to# neutro.
' Thort estre#eceu. 2e repente *ia a7uele ho#e# co# outros olhos. Toda a
ur.anidade desaparecera. Co# u# sorriso apenas perceptí*el! o go*ernante o.ser*ouC
— Co#eço a co#preender 7ue n(o passo de u# insignificante funcion+rio de
pro*íncia diante de sua ele*ada posiç(o. 2isponha de #i#! #as s5 lhe peço 7ue a8ude #eu
po*o.
6unca e# toda a sua *ida 4hodan sentira t(o e#.araçosa co#oç(o. Iell #ordeu os
l+.ios e o 2r. Kaggard #al disfarça*a o constrangi#ento.
— )e h+ #es#o oficiais t5psidas entre os prisioneiros! de*e# falar o idio#a
intercos#o! conhecido e# todos os siste#as do "rande 1#p-rio — disse Crest. — Todo
oficial t5psida - o.rigado a conhecê,lo.
Mo#entos ap5s! os prisioneiros fora# introdu9idos! co#pleta#ente su.#issos ;
*ontade do #utante >aPuta. ' profundo efeito p5s,hipn5tico do raio psí7uico fa9ia dos
estranhos o.edientes aut#atos.
Co# u#a e0cla#aç(o de susto! o Thort ergueu,se da poltrona. 6unca *ira u#
t5psida de perto e os ferrnios ignora*a# a nature9a de seus agressores.
1nstinti*a#ente! os oficiais le*ara# as #(os ;s suas ar#as. Era# pistolas de raios!
alta#ente eficientesC seu funciona#ento .asea*a,se e# 7uanta lu#inosos de alta
concentraç(o. As passi*as criaturas 7ue penetra*a# na ca.ina de co#ando *ira#,se diante
de u#a .ateria de .ocais finos co#o agulhas! at- 7ue 4hodan disse! co# u# suspiro
ner*osoC
— Por fa*or! .ai0e# essas ar#as= Poderia# precipitar u# acidente. )eus ho#ens
est(o preocupados! senhor. 2iga,lhes 7ue eu #e responsa.ili9o por sua segurança.
' Thort trans#itiu as ordens necess+rias. As pe7uenas pistolas de raios fora#
recolocadas nos respecti*os coldres.
' interrogat5rio foi reali9ado na ca.ina de co#ando se#idestruída. 's doutores
Kaggard e Manoli ausentara#,se .re*e#ente! a fi# de ire# .uscar algu# instru#ental
#-dico na enfer#aria de .ordo.
6(o ha*ia a #enor dú*idaB a7ueles seres nada tinha# de hu#anos= Perce.ia,se
clara#ente 7ue descendia# de r-pteis. 4hodan e0a#inou,os de ci#a a .ai0o. 3estia#
unifor#es 8ustos! 7ue acentua*a# ainda #ais as linhas dos corpos altos e delgados.
— TaPo! #ande o da es7uerda tirar a roupa. E depressinha= Marshall! sonde as
#entes desses indi*íduos.
TaPo dirigiu o foco do psicoirradiador! e# le7ue .e# a.erto! para o t5psida colocado
; es7uerda do grupo. Co# gestos +geis! ele co#eçou a despir as peças da farda. 4hodan
#ordeu os l+.ios! a fi# de n(o dei0ar escapar u# ge#ido! confor#e sucedia co# o
regente ferrnio. Pela pri#eira *e9 lhes era re*elada a *erdadeira nature9a dos t5psidas. 's
dois #-dicos! 7ue aca.a*a# de retornar! co#ple#entaria# as o.ser*aç@es.
— Meu 2eus= — suspirou o 2r. Kaggard! co# a face congestionada. — Por isso eu
n(o espera*a=
— 2iga,lhe 7ue pode tornar a *estir,se — ordenou 4hodan! co# *o9 rouca. — Iell=
Thora e Iett$ pode# *oltar ; ca.ina. ' caso est+ resol*ido. TaPo! regule o radiador para
.loco,hipnose. Trans#ita orde# per#anente para respondere# co# a *erdade ;s nossas
perguntas.
En7uanto TaPo regula*a o aparelho! 4hodan lançou u# últi#o olhar perscrutador aos
estranhos indi*íduos. Apesar de possuíre# dois .raços! duas pernas e andare# eretos! n(o
era# hu#an5ides. 4espira*a# igual#ente o0igênio! por-# co# isso aca.a*a a
se#elhança co# seres hu#anos. A pele esca#osa! #arro#,escura! 8+ constituía pro*a
insofis#+*el. Ta#.-# a constituiç(o org<nica de*ia ser radical#ente diferente e 4hodan
ne# se arrisca*a a con8eturar so.re seu siste#a #eta.5lico.
's cr<nios achatados e cal*os era# nitida#ente de r-pteis! co# l+.ios finos co#o
l<#inas de faca e enor#es olhos protu.erantes! de surpreendente #o.ilidade. A intensa
lu#inosidade de 3ega de*ia ser,lhes .astante desconfort+*el.
)ua grande inteligência n(o oculta*a o fato de possuíre# car+ter frio e desu#ano!
co# conceitos radical#ente di*ersos so.re toler<ncia! -tica e #oral. Co#pai0(o e piedade
era# senti#entos ine0istentes neles. 6o entanto! tinha# suas pr5prias regras de conduta!
7ue aos olhos dos ho#ens era# estranhas e at- ridículas. )5 co# a #aior cautela se
poderia tratar co# a7ueles reptil5ides pro*idos de seis dedos nos #e#.ros. Confor#e
Crest 8+ o.ser*ara anterior#ente! 7ual7uer acordo ou tratado feito co# eles n(o
conser*a*a a *alidade por #uito te#po.
4hodan co#eçou a interrogar u# dos oficiais. ' prisioneiro respondeu e# fluente
intercos#o! o 7ue dissipou 7ual7uer dú*ida por *entura ainda e0istente 7uanto ; sua real
identidade. Ap5s algu#as perguntas rotineiras! 4hodan foi ao <#ago do pro.le#aC
— 2eclara 7ue sua na*e foi a.atida por u# pe7ueno *eículo arcnida nas
pro0i#idades do nono planeta. ' senhor era o co#andante. Portanto! de*e sa.er de onde
*eio a7uela na*e gigante arcnida! do tipo 1#p-rio! de #odo t(o inesperado. Co#o - 7ue
foi parar nas #(os dos t5psidas? Eue# s(o seus tripulantes? K+ arcnidas a .ordo?
— Fora# #ortos= — e0plicou o oficial! e# to# #on5tono.
's enor#es olhos #ortiços parecia# n(o en0ergar! so. a influência constante do
psicoirradiador.
— Captura#os a na*e de guerra no planeta Topsid 111. Ela desceu l+ para se
rea.astecer co# +gua pot+*el. A tripulaç(o dor#ia. 2o#ina#os as sentinelas co# g+s. 's
arcnidas fora# forçados a nos treinar. A7uela na*e representa o sustent+culo de nossa
frota espacial.
As e0plicaç@es *inha# aos arrancos! interro#pidas por nu#erosas perguntas.
4hodan deu,se por satisfeitoB guardas ferrnios le*ara# os prisioneiros.
— Ie# 7ue gostaria de sa.er o 7ue os le*ou a atacar o siste#a 3ega. Mas esse
su8eito parece n(o ter a #enor id-ia. ' al#irante,chefe dos t5psidas - 7ue de*e sa.er.
Co#o se cha#a?
— CreP,'rn — infor#ou o cientista arcnida. — 6o#e .astante conhecidoB o
ho#e# est+ e# *ias de tornar,se u#a personalidade i#portante no reino t5psida. )eria
.o# ficar de olho nele.
Assi# 7ue os t5psidas saíra#! 4hodan entrou i#ediata#ente e# contato radiofnico
co# o #a8or 2eringhouse. 's dois caças 8+ ru#a*a# para o nono planeta.
' Thort aco#panha*a atenta#ente o di+logo.
— Cal#a e# toda a frente — infor#ou 2eringhouse. — A na*e de guerra pousou
nu# i#enso espaçoporto. A in*as(o encontra resistência 7uase nula. E# terra tra*a#,se
*iolentas lutas! #as os ferrnios est(o e# des*antage#. 6o setor do espaço e# 7ue #e
encontro! n(o h+ so#.ra de na*es ini#igas. Concentrara#,se e0clusi*a#ente so.re o
#undo principal. Cerca de cento e cin7Aenta unidades da frota ferrnia! entre na*es
grandes e pe7uenas! regressa# conosco. 6(o pode#os acelerar #uito! sen(o fica# para
tr+s. Portanto! ainda te#os u# .o# te#po de *iage#. Esta#os e0austos.
2eringhouse esperou a resposta de 4hodan! 7ue n(o tardouC
— 6(o espere pelas outras na*es. Acelere o #ais 7ue puder e *enha logo. 's caças
est(o intactos?
— 2e ponta a ponta. Apenas >lein te# uns arranh@es na pintura e0terna! escapou por
pouco de u# tiro energ-tico.
' sorriso de 2eringhouse ilu#ina*a sua face co.erta de sardas. Acenou alegre#ente
para o Thort! 7uando este se #ostrou na tela do caça. 4hodan sorriu i#percepti*el#ente e
desligou.
— Meus ho#ens est(o prontos! senhor= — disse ele ao Thort. — Ficar,lhe,ia #uito
grato se pro*idenciasse a fi# de 7ue se8a# instruídos no uso dos trans#issores.
' Thort respondeuC
— 3ou ter 7ue dei0+,los agora. Mas logo contar(o co# a assistência do engenheiro,
chefe de u#a fortale9a secreta do deserto. Trata,se de fortificaç@es su.terr<neas!
construídas na -poca e# 7ue os di*ersos grupos de #inha raça ainda *i*ia# desunidos. Eu
reco#endaria o transporte da na*e a*ariada para esse local. 's trans#issores da7ui ter(o
7ue ser inati*ados! pois est(o ligados direta#ente ao #eu pal+cio. Meus ho#ens n(o
conseguir(o defendê,lo por #uito te#po! o 7ue poderia ocasionar u#a utili9aç(o
indese8+*el dos trans#issores. Portanto! e# hip5tese algu#a *ocês poderia# usar os
da7ui. A fortale9a no deserto possui e7uipa#ento si#ilar! plena#ente utili9+*el. 3ou
to#ar as pro*idências necess+rias i#ediata#ente.
Co# isso! o senhor supre#o de u# siste#a planet+rio inteiro se retirou.
— Ie#! este caso est+ resol*ido= — e0cla#ou 4hodan. — Crest! calcule onda e
direç(o para u# hipercha#ado ; Terra. 3ou ditar a #ensage# ao codificador. Euero 7ue
se8a en*iada e# fre7Aência #uito alta! co# condensaç(o #+0i#a. E #ande repeti,la *+rias
*e9es! pois o coronel Fre$t n(o poder+ acusar o rece.i#ento de #odo algu# so. risco de
ser#os locali9ados. Te#os 7ue en*i+,la ao acaso! esperando 7ue se8a de*ida#ente
captada. Capriche nos c+lculos! Crest=
Para a "ood Kope inicia*a,se u# período de repouso. Euando 4hodan se
enca#inhou para sua ca.ina foi interpelado por Iell! 7ue parecia fatigado.
— 6(o acha .o# a gente se interessar de perto por esses trans#issores de #at-ria!
chefe? Estou *indo do la.orat5rio de controle dos ditos cu8os. 's troços s(o enor#es e!
pelo 8eito! funciona# co# *elocidade superior ; da lu9. A Ku#anidade poderia fa9er .o#
uso deles...
4hodan esforçou,se por sorrir. Iell se#icerrou os olhos! resignado! ao escutar o le*e
suspiro do co#andante.
— Meu caro! at- *ocê dar pela coisa! eu 8+ agi. Por 7ue acha 7ue insisti tanto e# usar
as #+7uinas? Pois! e# caso de e#ergência! podería#os *oar para o oita*o planeta nos
caças! espre#endo 7uatro pessoas e# cada u#! n(o - *erdade? Mas - hora de dor#ir=
Euando *ocê tornar a *er 3ega surgir no fir#a#ento a#anh(! co# todo o seu esplendor!
ter+ co# 7ue se ocupar.
4hodan desapareceu. 4eginald Iell afastou,se! res#ungando! e# direç(o ; sua
pr5pria ca.ina.
6(o! 4hodan n(o era ho#e# de dei0ar passar desperce.ida 7ual7uer coisa 7ue! e#
últi#a inst<ncia! pudesse .eneficiar a Ku#anidade. Por-# #es#o u# ho#e# louca#ente
te#er+rio co#o Iell era forçado a confessar 7ue n(o seria tarefa f+cil apoderar,se da na*e
gigante arcnida. Mas tinha# 7ue tentar= Antes de 7ual7uer outro e#preendi#ento! era
preciso garantir a retaguarda.
A noite caía so.re o nono planeta de 3ega. ' espaço esta*a t(o *a9io co#o se 8a#ais
hou*esse e0istido u#a frota t5psida. )5 se *ia as estrelas! e elas era# eternas.
JJJ
A %ood )ope não passa de um destroço incapaz de
voltar ao sistema solar$ Perr Rhodan est# consciente
disso$ (as sa&e 'ue os tópsidas possuem uma
espaçonave 'ue corresponderia aos planos 'ue tem em
mente$
Portanto, Rhodan conce&e algo incrivelmente
arro3ado e ataca de surpresa com seus mutantes$
A próxima aventura de Perr Rhodan intitula4se
M<TANTES EM A=>O$