Curso de Agronomia – Meteorologia e Climatologia. Prof.

Danilo Cesar

O CLIMA: ELEMENTOS E FATORES

O CLIMA: ELEMENTOS E FATORES.
Relações entre os elementos e fatores do Clima

Clima
Temperatura do Ar Umidade do Ar Pressão Atmosférica

Elementos

Fatores

- Latitude e Altitude, - Dist. da superficie de Terras e Água, - Correntes oceanicas, - Evaporação, – Precipitação, - Ventos.

UMIDADE RELATIVA - É a umidade verificada entre a pressão de vapor de água na atmosfera e a saturação da pressão de vapor na mesma temperatura. É expressado em percentagem.

UMIDADE do AR
Representada pelo vapor d’água no ar. Esta presença de vapor d’água pode ser descrita quantitativamente de várias maneiras:
• Pressão de vapor, parte da pressão atmosférica total devida ao seu conteúdo de vapor d’água e é diretamente proporcional à concentração de vapor no ar.

Umidade absoluta, massa de vapor de água (g) por unidade de volume (m³)

Razão de mistura e a é a massa de vapor d’água (g) por unidade de massa de ar seco (Kg)

Umidade relativa. É a quantidade de vapor de água contida num volume de ar ou máxima quantidade que poderia conter na mesma temperatura, em (%).

Psicrômetro

Psicrômetro automático

•  TEMPERATURA AMBIENTE: -30º ~ 100ºC - BULBO ÚMIDO: 0º ~ 80ºC - PONTO DE ORVALHO: -30º ~ 100ºC - UMIDADE RELATIVA: 0 ~ 100%RH

PRESSÃO ATMOSFÉRICA
O ar exerce uma força sobre as superfícies com as quais tem contato, devido ao contínuo bombardeamento das moléculas que compõem o ar contra tais superfícies. A pressão do ar é uma medida de tal força por unidade de área.

pressão atmosférica em uma dada posição é usualmente definida como o peso por unidade de área da coluna de ar acima desta posição. No nível do mar uma coluna padrão de ar com base de 1 cm2 pesa um pouco mais que 1 kg.

• Barômetro de mercúrio

• Pressão e circulação na superfície em janeiro

• Pressão e circulação na superfície em julho

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA E DO VAPOR D’ÁGUA A temperatura é uma medida da energia cinética média das moléculas. Se a temperatura do ar sobe, suas moléculas apresentam maior movimento. Se o ar for aquecido num recipiente fechado, sua pressão sobre as paredes internas aumentará, à medida que moléculas com mais energia bombardearem as paredes com mais força. A densidade do ar não se alterará. A atmosfera, contudo, não é confinada, de modo que o ar é livre para expandir-se ou contrair-se. A sua densidade, portanto, é variável. Quando o ar é aquecido, o espaçamento entre moléculas aumenta e a densidade diminui, acarretando queda de pressão, pois para volumes iguais o ar quente é mais leve que o ar frio. A maior presença de vapor d’água no ar diminui a densidade do ar porque o peso molecular da água (18,016 kg/mol) é menor que o peso molecular médio do ar (28,97 kg/mol). Portanto, em iguais temperaturas e volumes, uma massa de ar mais úmida exerce menos pressão que uma massa de ar mais seca.

• O gradiente horizontal de pressão é a força geradora do vento. Quando o ar começa a se mover, a força de Coriolis, o atrito e eventualmente a força centrífuga começam a agir, mas somente para modificar o movimento, não para produzi-lo.

• Força de Coriolis devida ao movimento relativo ao longo de um círculo de latitude.

Esquema mostrando o vento gradiente que representa um balanço entre a força de gradiente de pressão, a força de Coriolis e a força centrífuga.

PINO N° VELOCIDADE (M/S)

1 0

2 2

3 4

4 6

5 8

6 11

7 14

8 20

Catavento tipo Wild

Anemômetro de canecas Anemógrafo universal

Levantamento orográfico ocorre quando terreno inclinado, como montanhas, age como barreira ao fluxo de ar e força o ar a subir

BALANÇÃO HÍDRICO - balanço das entradas e saídas de água dos vários reservatórios globais. Em cada ano, sobre os continentes a precipitação total excede a evapotranspiração. Nos oceanos, a evaporação anual excede a precipitação. (em Km³)

05/07/2007 Fonte:INPE/CPTEC

Trabalho de pesquisa: grupo 3 alunos (1ponto)
- Data da entrega: 2ºAv.bimestral (manuscrito). FOTOPERIODISMO a. Conceito b. Formação c. Como afeta as atividades agrícolas d. Utilização Agronômica do Fotoperiodismo e. Exemplos práticos (práticas agrícolas) f. Referências Bibliográficas QUEBRA-VENTOS a. Conceito b. Utilização Agronômica dos QV c. Como fazer um QV d. Tipos de Espécies de QV e. Vantagens e Desvantagens do uso agronômico dos QV f. Exemplo prático de utilização de QV g. Referências Bibliográficas ZONEAMENTO AGROCLIMATICO a. Conceito b. Como é feito o zoneamento agroclimático c. Instituições brasileiras que trabalham com zoneamento agroclimático d. Utilização agronômica dos zoneamentos agroclimáticos e. Exemplos práticos de utilização f. Referências Bibliográficas

Fim

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful