You are on page 1of 2

MANIFESTO

1. Como é possível aplicar a Lei 2/2008 da Avaliação do Desempenho, nos


prazos indicados e com a falta de regulamentação e orientação pela tutela,
tal como é citado na referida legislação?

2. Como é possível conciliar,estudar e aplicar em simultâneo as recentes leis


recentemente publicadas

Lei n.º 3/2008 de 18 de Janeiro – Estatuto do aluno,

Decreto-Lei nº 3/2008 de 7 de Janeiro (Ensino Especial)

3. Como é possível estar continuamente a efectuar concursos de Contratação


de escola e agora ainda mais com o fim das “cíclicas”?

4. Como é possível a injustiça criada com o “caldeirão” do código de


recrutamento 530? E como é difícil colocar professores com um máximo de
11H00, em algo chamado Técnicos Especializados, quando os únicos
candidatos, quando os há, são jovens recém formados. As empresas não
libertam os seus técnicos, para o ensino diurno, durante o seu horário
laboral.

5. Como é possível, em simultâneo fazer a apologia da Formação Profissional,


a nível Secundário, e simultaneamente não aproveitar imensos docentes com
alta preparação pedagógica e técnica que só leccionam Educação
tecnológica no Ensino básico?

6. Como é possível que com os “pseudo Departamentos”, que foram


exclusivamente criados para o concurso de Professores titulares, sejam
agora extensíveis à Avaliação do Desempenho?

Um Bom exemplo: o Departamento de Construção Civil é composto por docentes dos


antigos 3º grupo e 12º E. Todos com formação na área. Agora estão todos no código
530, juntamente com os de Mecânica, metade de Electrotecnia/Electrónica (os que não
pertencem ao 540), Secretariado, Cerâmica, etc. Ma a curiosidade maior…os tais do
antigo 12º E, para efeitos dos concursos a titulares e agora para a Avaliação do
Desempenho estão nas “Expressões” e os restantes (do 3º grupo) estão na “Matemáticas
e Ciências Experimentais”. Onde está a lógica e o rigor dos avaliadores?
7. Como é possível de uma maneira séria apreciar a nova proposta em
discussão do “Regime Jurídico de Autonomia e Gestão” em simultâneo com
tudo o que nos tem sido solicitado nos últimos tempos e em particular com a
aplicação da “Avaliação do Desempenho”?

8. Como é possível e em simultâneo com tudo isto que nos peçam para
actualizar o Regulamento Interno, relativamente a todas as leis que vão
saindo? E o mesmo com o Projecto Educativo e o Plano de Actividades?

Assim os 12 Departamentos reais desta Escola, agrupando aproximadamente


240 professores, metade dos quais no chamado Departamento de
“Matemáticas e Ciências Experimentais”, solicitam a suspensão imediata dos
prazos estabelecidos para a aplicação do Decreto 2/2008. Que até lá o
Ministério da Educação pondere, reveja muitas das situações como algumas
das atrás citadas.

Que o Ministério da Educação reveja situações concretas que essas sim


afectam os alunos (outro exemplo: antigamente o “Crédito da Escola”, estava
relacionado com o nº de alunos. Agora está com a redução ao abrigo do
Estatuto, ou seja nesta escola há 16H00, para um universo de praticamente
1500 alunos. Foi uma inversão completa e errada do sistema.