You are on page 1of 23

01 Atelier de Costura Básico

UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
ÍNDICE
UNIDADE 1 – Costura a mão
Introduzir conceito e técnicas de costura manual.

1.1. Apresentação de materiais e ferramentas de costura
1.2. Pontos manuais (Alinhavos, chuleios, bainhas, e botões)

UNIDADE II – Máquinas e equipamentos
Apresentar as máquinas e equipamentos utilizadas na costura.
2.1 – Apresentação e funcionamento de máquinas de costura reta e overloque (Funcionamento, tipos de
agulha, passar linha, encher bobinas)
2.3 – Introdução à costura e controle da máquina (costura em gráficos de papel sem linha)
2.4 – Técnicas de costura (costura em gráficos de tecido)
UNIDADE III – Tipos e técnicas de costura
Executar costuras mais elaboradas.
3.1. Tipos de costura à máquina
3.2. Tipos de decotes;
3.3. Tipos de bolsos;
3.4 Tipos de mangas
3.5 Tipos de golas
3.6 Tipos de casas, botões e zíper

UNIDADE IV - Construção de peças
Introduzir o corte e montagem de peças.
4.1. Como cortar uma peça (preparação do tecido, posicionamento do molde);
4.2. Montagem e costura de uma peça;
EXERCÍCIO 1
02 Atelier de Costura Básico
EXERCÍCIO 2
03 Atelier de Costura Básico
EXERCÍCIO 3
04 Atelier de Costura Básico
EXERCÍCIO 4
05 Atelier de Costura Básico
EXERCÍCIO 5
06 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Manipulação de máquinas e equipamentos
Procedimentos iniciais
Para começar a costurar você precisa antes preparar a máquina para que o seu trabalho seja
bem sucedido. Você deve ajustar a tensão da linha, regular o tamanho do ponto, verificar se a
agulha é adequada ao tecido, escolher uma linha compatível com a composição do tecido e
enfiá-la corretamente, não esquecendo de encher a bobina
Observe se os seus hábitos ao costurar estão corretos, pois os bons hábitos fazem com que os
trabalhos se tornem mais fáceis e mais profissionais.
1. A postura correta lhe permitirá executar o trabalho confortavelmente e bem feito. Sente-se
bem à frente da máquina e não apeie as costas no encosto da cadeira, e sim, incline-o
levemente para frente;
2. Coloque os dois pés bem apoiados no chão, se o motor for controlado com o pé, repouse um
dos pés sobre este um pouco à frente;
3. Coloque o tecido à esquerda da agulha e a borda da costura à direita. Assim será mais fácil
movimentar a peça enquanto executa a s costuras;
4. Não apeie o braço sobre o tecido, pois isso o prenderá. Guie as costuras com as duas mãos
segurando o tecido com as pontas dos dedos;
5. Comprima gradativamente o motor até obter uma velocidade regular e constante da
máquina. Não costure muito depressa, principalmente nos detalhes menores da peça;
6. Nunca puxe o tecido ao costurar, na tentativa de fazê-lo deslizar. Deixe que o impelente
impulsione o tecido, pois esta é a função dele. Você deve apenas direcionar o tecido enquanto
costura.
07 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Manipulação de máquinas e equipamentos
Como fazer uma costura
1. Levante a barra da agulha até o ponto mais alto, virando o volante em sua direção;
2. Coloque a linha da agulha e da bobina sob o pé calcador, puxando-as para trás;
3. Coloque o tecido sob o pé calcador, da maneira correta;
4. Introduza a agulha no tecido, onde o primeiro ponto deve ser iniciado. Abaixe o pé calcador;
5. Costure com uma velocidade lenta e constante;
6. Quando atingir o fim da costura, vire o volante e levante a barra da agulha até o seu ponto
máximo;
7. Levante o pé calcador e retire o tecido, puxando-o para trás e para a esquerda e corte as
linhas;
8. As costuras devem ser feitas a mesma distância da margem do tecido, do início ao fim. Na
chapa da agulha, em muitas máquinas há uma linha guia que serve de referencial para manter
as costuras retas;
9. Quando precisar arrematar a costura, dê alguns pontos e aperte o botão ou a alavanca de
retrocesso, prosseguindo a costura até normalmente. Quando terminar, utilize novamente o
retrocesso no final da costura;
Como fazer costuras curvas
As costuras curvas devem ser feitas lentamente e o tecido deve ser cuidadosamente guiado
para que os pontos fiquem a igual distância da margem, ao longo de toda a costura. Para
conseguir um maior controle, use um ponto mais curto.
08 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Manipulação de máquinas e equipamentos
Redução do volume das costuras
1. Conforme a sua localização ou forma, algumas costuras, para ficarem perfeitas, exigem algo
mais que a simples passagem a ferro.
2. Quando as margens das costuras estiverem muito largas, pode-se aparar estas margens
para reduzir o volume excessivo. Isso é feito principalmente se o tecido for muito encorpado.
3. Costuras feitas em ângulos que serão virados, como no caso das pontas das golas, devem
ter suas margens aparadas para diminuir o volume e dar a forma desejada.(Figura 1)
4. Para dar forma a costuras curvas, recorre-se à técnica de dar piques, que são pequenos
cortes feitos com a tesoura, perpendicularmente à costura, para evitar que esta repuxe.
(Figura 2)
Como fazer costura com cantos
1. Costure até o canto;
2. Com a agulha ainda enfiada, levante o pé calcador, e vire o tecido em volta da agulha;
3. Abaixe o pé calcador e continue a costurar;
4. Para que os cantos da costure fiquem perfeitos, utilize um ponto menor.
Figura 1
Figura 2
09 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Tipos de costuras manuais
Alinhavos
Escolha uma agulha que seja adequada ao tecido. Para fazer os pontos a seguir, prefira
agulhas mais finas – curtas para pontos pequenos, e mais longas para alinhavos.
Costure com linha relativamente curta, de 45 a 60 cm para costuras definitivas. Para os
alinhavos, pode ser usada uma linha maior. A linha só deverá ser dobrada para pregar botões e
colchetes.
Para alinhavar e fazer marcações, utiliza-se linhas de cores claras, que façam um certo
contraste no tecido. As linhas muito escuras podem deixar marcas no tecido.
Para os alinhavos, pode ser usada uma linha maior. A linha só deverá ser dobrada para pregar
botões e colchetes. Para alinhavar e fazer marcações, utiliza-se linhas de cores claras, que
façam um certo contraste no tecido. As linhas muito escuras podem deixar marcas no tecido. A
seguir, estão os mais utilizados pontos à mão.
Alinhavo Corrente - é utilizado para unir provisoriamente duas ou mais camadas de tecido,
sendo o mais comum. (Figura 1)
Alinhavo Diagonal - este tipo segura melhor que o corrente. È utilizado para prender forros,
entretelas ou enchimentos. (Figura 2)
Figura 1
Figura 2
10 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Pontos de bainha
Para fazer bainhas viradas, dobre na altura desejada, marque e pregue os alfinetes
perpendicularmente à dobra, passando um alinhavo, não esquecendo de que a bainha deve ter
uma altura uniforme. Passe a bainha a ferro e costure com um dos pontos de bainha. A seguir,
estão os pontos mais utilizados para fazer bainhas à mão. De acordo com o tecido, deve-se
escolher o ponto que mais se aplica ao resultado desejado para a peça.
Espinha de peixe - este ponto semelhante ao zig-zag é indicado para bainhas mais pesadas.
(Figura 1)
Ponto invisível - este ponto é simples e rápido, executado por dentro, indicado para tecidos
leves. (Figura 2)
Ponto clássico - é bastante prático, porém menos resistente, indicado para peças delicadas.
(Figura 3)
Figura 1
Figura 2
Figura 3
Tipos de costuras manuais
11 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Costuras Abertas
Borda rebatida com costura reta - na boda da margem de costura, faça uma dobra e passe a
ferro. Costure ao longo da dobra. Este acabamento é indicado para tecidos leves e de peso
médio, em peças que não levam forro. (Figura 1)
Borda debruada com viés - Apare as bordas da costura e envolva com viés dobrado
descentrado de modo que a parte mais larga fique por baixo. Costure pelo lado de cima, junto
à beirada do viés. O acabamento em viés é indicado para as costuras de uma peça média ou
pesada que não seja forrada.(Figura 2)
Figura 1
Figura 2
Tipos de costuras à máquina
12 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Costuras Fechadas
Costura Francesa - costure o tecido avesso com avesso a 10 mm da borda e apare as bordas,
tirando o excesso. Abra a costura a ferro. Dobre direito contra direito, de modo que a costura
fique na dobra e passe novamente o ferro. A seguir, costure deste lado, de modo que a margem
do outro lado fique embutida. Este tipo de costura é indicado para tecidos transparentes nos
quais as costuras são visíveis do lado de exterior da peça. (Figura 1)
Sobrecostura - colocando avesso contra avesso, costure as partes do tecido. Abra a costura a
ferro, assentando-a em seguida para um dos lados. Apare a margem da costura que fica por
baixo, deixando-a com a metade da largura da outra margem. Em seguida faça uma dobra na
borda da margem maior e passe o ferro. Costure sobre esta dobra. Esta costura é muito
resistente. É mais utilizada em roupas esportivas. (Figura 2)
Figura 1
Figura 2
Tipos de costuras à máquina
13 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Costuras Fechadas
Debruada em si mesma - Faça a costura simples. Apare uma das margens da costura,
deixando-a com a metade da largura da outra. Faça uma dobra na margem maior de modo que
a margem menos fique embutida na primeira. Passe esta dobra a ferro. Costure sobre a dobra o
mais próximo possível da borda. Esta costura dispensa qualquer acabamento e dá melhor
resultado em tecidos leves que não desfiem facilmente.(Figura 1)
Com overloc - uma os dois lados do tecido com uma costura à máquina com margem de 1 cm,
fazendo em seguida o acabamento da borda com a máquina overloc.(Figura 2)
Figura 1
Figura 2
Tipos de costuras à máquina
14 Atelier de Costura Básico
UNIDADE I - INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONFECÇÃO
Bainhas feitas à máquina
As bainhas à máquina são mais práticas e rápidas, proporcionando também muita resistência.
Por outro lado podem não cair tão bem em uma peça mais social, por dar um aspecto mais
informal à roupa. Abaixo estão apenas alguns dos tipos de bainhas feitas à máquina. Além
destes, também há bainhas coladas, reforçadas, debruadas, etc. Para saber mais, você pode
consultar um dos livros da bibliografia indicada.
Bainha simples - esta bainha é a mais comum. Basta virar a borda do tecido duas vezes de
maneira uniforme (Figura 1), alinhavar ou alfinetar (Figura 2), passar a ferro e costurar com
costura reta. (Figura 3)

Bainha de lenço - é uma bainha delicada e estreita. Dobre a bainha duas vezes, o mais estreito
possível. Alinhave e passe a ferro. Passe uma costura reta. Há pés calcadores especiais para
auxiliar neste tipo de bainha.(Figura 4)
Figura 1 Figura 2
Figura 4
Figura 4
Tipos de costuras à máquina
15 Atelier de Costura Básico
Tipos de costura
Tipos de Bolsos
- Bolso faca
- Bolso americano
- Bolso embutido
- Bolso embutido com vista
- Bolso chapado
Tipos de decotes
- Decote redondo (1 ponto)
- Decote em V
- Decote quadrado
Tipos de Golas
- Gola esporte
- Gola colarinho
- Gola bebê
Tipos de Mangas
- Manga básica
- Manga princesa
- Manga bufante
Tipos de Abotoamentos
- Botão de furo com casa à máquina
- Botão de pé com casa de rolotê
- Pressão
Tipos de Zíper
- Zíper comum
- Zíper invisível
- Zíper com braguilha
Tipos de operações de costura
16 Atelier de Costura Básico
Características dos tecidos
Malha
É uma superfície têxtil, formada pela interpenetração de laçadas ou malhas que se apoiam
lateral e verticalmente, provenientes de um ou mais fios. Algumas malhas são bastante
elásticas, dando um efeito colado ao corpo. Os principais tipos de malha são:
Malha de trama - são tecidos de malha obtidos a partir do entrelaçamento de um único fio,
podendo resultar num tecido aberto ou circular. Pode distinguir-se pela forma como se desfia:
pode desfiar-se puxando o fio a partir da fileira superior, no sentido contrário ao da formação da
malha. Deste modo, é possível desfiar completamente estas malhas. (Figura 1)
Malha de urdume - são tecidos de malha obtidos a partir de um ou mais conjuntos de fios,
colocados lado a lado, à semelhança dos fios de urdume da tecelagem plana. Os tecidos de
malha são caracterizados pelo entrelaçar dos fios têxteis, sendo esses sempre no mesmo
sentido, ou todos na trama (horizontal) ou todos no urdume. Processo realizado com a ajuda de
agulhas.(Figura 2)
UNIDADE II - CONFECÇÃO DE PRODUTOS DE MODA
Figura 1
Figura 2
17 Atelier de Costura Básico
Características dos tecidos
Tecido Plano
São resultantes do entrelaçamento de dois conjuntos de fios que se cruzam em ângulo reto. Os
fios dispostos no sentido horizontal são chamados de fios de "trama" e os fios dispostos no
sentido vertical são chamados de "urdume".
Urdume: fio vertical, paralelo á ourela, possui menos elasticidade. A roupa cortada no sentido
do urdume é dita “cortada no fio”. Este sentido dá à roupa um aspecto menos volumoso.
Trama: sentido horizontal, perpendicular à ourela, possui mais elasticidade. Raramente se
corta uma roupa na trama, com exceção dos tecidos que possuem barra neste sentido.
Viés: sentido diagonal em relação à ourela, possui mais elasticidade que a trama. Uma peça
cortada no sentido do viés tem o caimento mais suave.
Composição
A composição de um tecido se refere ao tipo de fibras que compõe os seus fios. Um tecido
pode ser puro, ou seja, ter apenas um tipo de fibra, ou misto, com mais de um tipo de fibra.
Sempre que se compra um tecido, importante anotar a sua composição para colocar essa
informação na ficha técnica. A composição encontra-se na etiqueta fixada ou pendente na
lateral da peça de tecido.
Exemplos de composição:
UNIDADE II - CONFECÇÃO DE PRODUTOS DE MODA
Sentidos do tecido
Composição na
lateral da peça
Etiqueta de
composição
18 Atelier de Costura Básico
Preparação do tecido
Quando compramos um tecido geralmente os vendedores rasgam o mesmo puxando por uma
das pontas e isso faz com que as beiradas fiquem desiguais. O tecido também pode ter sofrido
alguma distorção na fábrica, de modo que a trama e o urdume não estejam perfeitamente
perpendiculares. Neste caso, é preciso fazer o alinhamento dos fios.
1. Coloque o tecido sobre uma superfície plana e dobre, juntando as ourelas. Se o tecido ficar
enrugado, precisa ser acertado seguindo os passos seguintes.
2. Puxe o tecido no viés em todo o seu comprimento, até que fique alinhado;
3. Passe a ferro o tecido antes de cortar.
É muito importante tomar todos estes cuidados para corrigir as distorções do tecido antes de
cortá-lo, porém, devemos ter conhecimento de que nem sempre é possível fazer tais
correções. Alguns tecidos como os que possuem acabamento à prova d’água, vinco
permanente ou forro colado, não permitem que seja feito este realinhamento da trama.
No caso de tecidos que têm a tendência para encolher ou quando se tem a intenção de fazer
uma peça com dois ou mais tecidos diferentes, é aconselhável molhar estes tecidos e deixá-los
secar à sombra antes de cortar. Quando o tecido estiver muito enrugado é importante passar a
ferro, para que não ocorra qualquer alteração do molde.
UNIDADE II - CONFECÇÃO DE PRODUTOS DE MODA
19 Atelier de Costura Básico
A compra do tecido
Ao comprar um tecido verifique os critérios abaixo:
Estrutura: deve ser firme, sem fios soltos ou rompidos, de uma espessura uniforme.
Fios: os fios da trama devem ser perpendiculares às ourelas. Caso contrário, o tecido está
desalinhado.
Cor: deve ser uniforme e firme. No caso de tecido estampado, verifique se há falhas na
estampa.
Sempre ao comprar um tecido, verifique a sua composição e anote-a para saber como
manuseá-lo durante a confecção da peça e como passar e lavar a peça já pronta e o mais
importante, a composição é um item indispensável na ficha técnica e na etiqueta de
composição da peça.
Como reconhecer o direito do tecido
Sempre devemos identificar o direito do tecido antes de cortar uma peça, pois o risco deve ser
feito sempre pelo avesso. Nos tecidos que são enrolados em peça ou tubos, o direito está
sempre para dentro e você deve observar isso quando estiver comprando. Outras formas de
identificação são:
Os tecidos macios são mais brilhantes do lado direito;
Nos tecidos com textura, esta apresenta mais definição do lado direito e no lado avesso pode-
se observar irregularidades como bolinhas ou linhas soltas;
Tecidos com textura no estilo brocado são mais macios do lado direito e tem fios levantados do
lado avesso;
Nos tecidos estampados as cores são mais vivas do lado direito;
Geralmente a ourela dos tecidos é mais macia do lado direito;
Muitas malhas quando esticadas, enrolam as suas bordas para o lado direito;
Existem tecidos que o lado direito e o avesso são muito semelhantes, neste caso, escolha um
dos lados para ser o direito e marque o avesso com giz, para não confundir.
UNIDADE II - CONFECÇÃO DE PRODUTOS DE MODA
20 Atelier de Costura Básico
Planejamento de produção - Risco e corte
Esta etapa é uma das mais delicadas na confecção de uma peça de vestuário, pois se deve
proceder minuciosamente no risco e no corte das partes do molde, para que estas realmente se
encaixem na montagem. Quando o molde é mal cortado, dificilmente a peça cairá bem e seria
muito complicado fazer correções.
Como utilizar as peças do molde
1. Reúna todas as partes necessárias ao modelo;
2.Verifique quantas vezes deverá cortar cada peça;
3. No corte manual, prenda as peças do molde ao tecido com alfinetes . No corte industrial
utilizamos grampos.
Como prender o molde ao tecido
1. No corte manual, comece a prender os alfinetes sempre partindo da dobra do tecido,
passando depois para os cantos e depois para as bordas;
2. Os alfinetes devem ser pregados diagonalmente nos cantos e perpendicularmente às
beiradas, com as pontas para fora do molde;
3. Utilize apenas os alfinetes necessários, exceto em tecidos maleáveis e escorregadios;
4. Para cortar manualmente, estude a posição de todas as peças do molde antes mesmo de
riscar. Se utilizar o sistema audaces, confira se o encaixe tem o melhor aproveitamento.
5. Depois que fizer o risco, siga-o rigorosamente.
Processos de marcação
A marcação consiste em transferir as indicações do molde para o tecido. Deve-se marcar as
linhas de costura, as pences, os pontos de encontro, as partes que serão dobradas, etc. No
corte manual as marcações podem ser feitas com carbono e carretilha, ou giz.
Para marcar com carretilha e papel carbono, coloque o papel carbono sobre o avesso do tecido
e por cima deste o molde correspondente. Em seguida passe a carretilha seguindo todas as
marcações contidas no molde, para reproduzi-las no tecido. Este processo de marcação é
aconselhável para tecidos lisos e opacos.
Para marcar com giz, uma o tecido à parte do molde correspondente, em seguida, espete
alfinetes por cima de cada marcação. Faça as marcações com o giz seguindo o caminho dos
alfinetes. Este método é aconselhável para tecidos mais delicados ou multicoloridos, onde a
UNIDADE II - CONFECÇÃO DE PRODUTOS DE MODA
21 Atelier de Costura Básico
Planejamento de produção - Risco e corte
Como cortar
Antes de cortar certifique-se se é necessário dobrar o tecido. Em caso afirmativo, isto deve ser
feito com o máximo de precisão, unindo as ourelas perfeitamente, prendendo-as com alfinetes.
Verifique também se há alguma falha de fabricação no tecido, para não cortar uma das partes
do molde neste local. Lembre-se de sempre dobrar o tecido unindo direito com direito.
Para cortar o tecido perfeitamente, mantenha o tecido bem esticado sobre uma superfície lisa
adequada para o corte e siga as orientações listadas a seguir:
Corte Manual:
1. Utilize uma tesoura adequada para este fim. Verifique sempre se as lâminas estão bem
afiadas, para que estas não “mastiguem” o tecido. Tenha cuidado para não prender os alfinetes
entre as lâminas da tesoura, ao cortar, pois isso prejudica as mesmas;
2. Durante o corte segure o molde com uma das mãos, para que este não saia do lugar;
3. Não levante o tecido da superfície em que ele se encontra enquanto estiver cortando;
4. Corte junto às margens do molde, com golpes longos e firmes nas partes mais retas e golpes
curtos nas partes curvas e nos cantos;
5. Deixe a tesoura deslizar livremente, tendo o cuidado para não cortar o molde, pois além de
danificá-lo, poderá haver uma alteração na margem de costura.
Corte Industrial:
Atenção para tecidos com elastano: Descansar o tecido em fralda por pelo menos 36 horas
antes do enfesto. O corte, costura e a lavagem, devem ser feitos imediatamente após o
descanso determinado e no menor tempo possível. Isto evitará que o fio de Lycra® escape nas
costuras.
1.Preparar o enfesto com rolos da mesma remessa e em ordem cronológica.
2. Nunca misturar lotes e nuances diferentes.
Obs.: na fábrica o tecido é separado por nuances que tem as mesmas características e,
misturá-los, pode causar diferença de tonalidade na peça.
UNIDADE II - CONFECÇÃO DE PRODUTOS DE MODA
22 Atelier de Costura Básico
Planejamento de produção - Risco e corte
3. Evitar tensões excessivas ao desenrolar o tecido.
4. Não ultrapassar 40 folhas no enfesto (aproximadamente 15cm de altura).
5. Para obter um corte de precisão, observar se a faca está bem afiada.
6. Não deixar de utilizar as guias de corte.
7. Observar marcações na ourela do tecido que indicam defeitos que devem ser retirados no
corte.
8. No corte, todas as partes da peça devem ser marcadas para evitar a possibilidade de trocas
no fechamento, principalmente nas partes menores. A troca das partes em uma peça pode
ocasionar diferença de tonalidade nas peças.Em tecidos com Lycra®, cortar bolsos em viés
pleno (45º).
Como passar a ferro
No processo de montagem de uma peça de vestuário, é muito importante passar a ferro à
medida que se costura. Pode ser uma coisa dispensável, porém, isto irá garantir o bom
caimento da peça e evitará qualquer defeito de montagem. Para isso, deve-se ter alguns
cuidados:
1. Sempre faça um teste com um retalho do tecido antes de passar a peça;
2. Retire alfinetes e alinhavos antes de passar a ferro, pois os alfinetes estragam o tecido e a
chapa do ferro e os alinhavos podem deixar marcas. Se necessitar passar a peça o com
alinhavo, use linha bem fina e alinhavos diagonais;
3. Passe sempre pelo lado avesso;
4. Use um pano de passar entre o ferro e o tecido a ser passado. O tipo de pano de passar irá
depender do tipo de tecido a ser passado. Os únicos tecidos que dispensam este cuidado são o
algodão puro e o linho;
5. Faça o mínimo de pressão no ferro e acompanhe o sentido do fio do tecido ao passá-lo;
6. Os detalhes que devem sempre ser passados a ferro são: costuras, pences, pregas, bolsos,
golas, mangas, acabamentos de decotes, etc. Ou seja, deve-se passar a peça praticamente
em todas as operações de montagem.
UNIDADE II - CONFECÇÃO DE PRODUTOS DE MODA
23 Atelier de Costura Básico