Do Latim PANTOMIMUS, do Latim PANTOMIMOS, “ator”, literalmente “aquele que imita

tudo”, formada por PAN, “todos”, mais MIMOS, “imitador”, de MIMESTHAI, “imitar,
arremedar”.


PANTOMIMA


A língua portuguesa é rica em todos os detalhes. Como também uma das mais difíceis, visto
que por se tratar de um país continental as diferentes regiões brasileiras possuem o seu
vernacular. É notório que a cultura brasileira segue a mesma dinâmica da língua, hoje é tão
comum vermos pequenos dicionários com as palavras mais usadas na região. São palavras
usadas no dia a dia, mas não podem ser inseridas na escrita da língua portuguesa, senão
mataremos a mesma. No dicionário Cearês, temos uma infinidade delas. Por curiosidade nas
nossas pesquisas deparamo-nos com a palavra pantomima, que nos chamou a atenção. De
bom alvitre achamos de bom proveito dissecá-la. Pantomima é um teatro gestual que faz o
menor uso possível de palavras e maior uso de gestos.

É a arte de narrar com o corpo. É uma modalidade cênica que se diferencia da expressão
corporal e da dança, basicamente é a arte objetiva da mímica, é um excelente artifício para
comediantes, cômicos, shows, atores, bailarinos, enfim, os intérpretes. Nesta modalidade, os
pantomímicos precisam buscar a forma perfeita, a estética da linha do corpo, pois através do
gesto tudo será dito, uma boa pantomima está na habilidade adquirida pelo pantomímico em
se transfigurar no ato da interpretação, passando para a platéia a mensagem de Jesus Cristo.


É uma das artes que exige o máximo do artista para que este receba o máximo de retorno do
público, ou seja, a atenção da platéia para que a Palavra seja passada devidamente. Os
grandes atores e atrizes trabalham com a pantomima, mas não é uma técnica fácil. E por não
ser mímica a arte da pantomima exige certo conhecimento dos profissionais.

Ela está presente na música, na escultura, na pintura, balé e na linguagem do surdo-mudo,
também na dublagem, nas emoções, na dança, no amor, na tristeza, no ódio e também na
alegria. A mímica tem uma conotação em sua formação literária, pois é um substantivo que
vem do adjetivo mímico ou vice-versa. A arte de fazer acompanhar de gestos precisos e
adequados a idéia ou sentimento que se exprime; gesticulações, línguas de sinais utilizada na
Europa em especial na Espanha leva o nome de pantomima. Dizem alguns estudiosos sobre o
assunto que mímica e movimento, por isso não pode ser pantomima, mas há que diga que
mímica é se deslocar ao Golfo Pérsico, ao Oriente Médio, e sair com vida, ou sem mímica. Já a
pantomima é ter noção do por que e quais as verdadeiras nuanças, motivos, que levaram os
soldados ao Oriente Médio, e também toda aquela parafernália que acontece por lá.


Pantomima é a arte da mímica, do movimento corporal que conta, objetivamente os porquês de uma
história, e por mais que seja difícil e trabalhoso introduzir a pantomima em um grupo de dramaturgos,
Jesus nos capacita, Ele sabe o quanto a pantomima costuma impressionar e chamar a atenção da
platéia, muitas vezes esta técnica é mais utilizada do que a dramaturgia, por ser de fácil assimilação, por
chamar a atenção, por ser praticamente universal.

Pantomima é a síntese dos pensamentos e dos sentimentos. Por isso, é que também no Brasil, a
pantomima, como todas as Grandes Artes, é pouco conhecida. Mas isso é outro assunto. “Chama-se
analfabetismo.” Estar com a mente ligada, atenta e concentrada na Palavra que se almeja passar ao
público é de extrema importância a fim de transformar a palavra em pantomima utilizando a imaginação.
Como a pantomima é extremamente dependente do espaço onde será ministrada, não é porque temos
uma pronta que não há nada a ser acrescentado e modificado, sempre há o processo de adaptação ao
elenco, ao espaço e ao objetivo, portanto, a imaginação do diretor é fundamental nesta modalidade.
Jesus o grande Mestre fazia isso com muita destreza e facilidade. Um dos estudiosos na pantomima é
Ricardo Bandeira.

Ele é um verdadeiro artista, clínico geral em diretoria de arte, diretor de atores e atrizes, figurinista,
produtor roteirista entre outros. Nas entrelinhas pairou uma dúvida se a pantomima é mímica ou não, mas
segundo aqueles que lidam com a arte dizem que sim, pois mímica também é movimento. Se observarem
a linguagem dos surdos-mudos existe até um movimento exagerado das mãos. É um assunto muito bom,
mas um pouco polêmico.



Como sempre afirmo em minhas conotações o site Wikipédia é um dos melhores do mundo e lá vocês
poderão encontrar todas as nuanças sobre a pantomima, desde a sua origem, finalidade, importância, e
quais os povos que mais usam e que tipos de profissionais fazem uso dessa cultura. Será que o cinema
mudo faz parte da pantomima? Em Chaplin, Buster Keaton e Jaques Tati, encontramos a pantomima
cinematográfica com sua gramática e técnica próprias da época. Na dança, temos também o balé-
pantomima, que procura contar objetivamente uma história. Pantomima não são códigos nem idiomas que
necessitamos aprender, mas apesar do cinema ser mudo existe o movimento contrariando o pensamento
daqueles que defendem que a pantomima não é movimento. Deixando no ar uma indagação
perguntamos aos leitores o que acham da pantomima? Existe a linha ferrenha que defende determinados
atributos para qualificarmos a pantomima, tampouco é, através de gestos, expressões corporal e facial,
tradução, imitação de palavras ou frases. A pantomima não imita nada. Cria.



A pantomima não tem sinonímia, portanto não pode ser sofista. Também não tem o direito, como certas
palavras, livros e artes, de ser ambígua, incompreensível, subjetiva, complicada. A pantomima tem por lei
a objetividade, sem ser didática e chata. Então a pantomima é quadrada? Não. Nem redonda ou
retangular. É espiral e infinitamente dialética. Faz o espectador lembrar que tem cérebro. Que raciocina
mesmo quando ri. Até quando sonha. Também quando chora. Com certeza não detalhes ou definições
que variam de estudiosos para estudiosos e se prestarmos bem a atenção uma discussão natural acerca
do significado da palavra campeia as linhas desta matéria. Se você tiveram uma definição mais plausível
aceitamos de coração. Fiquem com Deus.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful