Análise de Sistemas

Elétricos de Potência 1
Representação em PU
UNIVERSIDADE FEDERAL
DE JUIZ DE FORA
P r o f . F l á v i o Va n d e r s o n Go me s
E - m a i l : f l a v i o . g o m e s @ u f j f . e d u . b r
E N E 0 0 5 - P e r í o d o 2 0 1 2 - 3
1. Visão Geral do Sistema Elétrico de Potência;
2. Representação dos Sistemas Elétricos de Potência;
3. Revisão de Circitos !ri"#sicos E$ili%rados e
&ese$ili%rados;
'. Revisão de Representação (por nidade) *P+,;
-. Componentes Simétricas;
.. Representação /atricial da !opolo0ia de Redes *1%arra2
3%arra,;
4. C#lclo de Crto5circito Simétrico e 6ssimétrico;
Ementa 7ase
An. de Sist. Elét. de Potência 1 - UFJF
2
8ntrodção
Sistema em Valor Percental o Por +nidade *o P+,
é ma "orma de expressar as 0rande9as elétricas em m
circito de "orma normalizada2 com %ase em valores pré5
determinados.
E:emplo;
Para ma potência %ase i0al a 1<</V6
+ma potência de =</V6 ter# valor de <2=<p o =<>
*=80MVA/100MVA,
Vanta0ens;
Simpli"icação dos c#lclos *?ormali9ação,
/el@or sensi%ilidade entre 0rande9as
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
3
Valores em P+
Em 6n#lise de Redes2 os valores percentais o P+ são
determinados a partir das duas relações físicas a se0ir;
6ssim2 das 0rande9as são escol@idas como valores %ases e
as otras das são calcladas em relação as %ases adotadas.
Por convenção são escol@idas a tensão e a potência.
Em SEP as %ases 0eralmente são os valores nominais.
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
4
I V S
I Z V
⋅ =
⋅ =
Impedância
Corrente
Tensão
Potência
Valores 7ase
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
5
base
base
base
V
S
I =
Corrente base:
base
base
base
base
base
S
V
I
V
Z
2
= =
Impedância base:
base base
S e V
C#lclo das Grande9as em P+
!ensão em P+;
Potência em P+;
8mpedAncia em P+;
Corrente em P+;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
6
) ( V pu
V
V
v
base
− =
) ( VA pu
S
S
s
base
− =
) ( Ω − ⋅ = = pu
V
S
Z
Z
Z
z
base
base
base
2
) ( A pu
S
V
I
I
I
i
base
base
base
− ⋅ = =
Sistema P+ com 0rande9as "asoriais
SeBa a tensão "asorial em Volt;
Em P+;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
7
m r
V j V V V . + = ∠ = θ
&
base
m
base
r
base
pu
V
V
j
V
V
V
V
V . + = ∠ = θ
&
Sistema P+ com 0rande9as "asorias
6 potência %ase adota é sempre a potência aparente2
Então;
C%s;
E se "osse adotado ma %ase para o P e otra para o DE
&i0amos $e deseBamos calclar;
!erFamos;
Portanto2 somente a potência aparente é sada como %ase.
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
8
pu pu
base base base
pu
Q j P
S
Q
j
S
P
S
S
S . . + = + = ∠ = θ
&
2 2
Q P S + =
2 2
2 2
base base base
Q P
Q P
S
S
s
+
+
= =
2 2
2 2
q p
Q
Q
P
P
base base
+ =








+









Sistema P+ com 0rande9as "asorias
Portanto;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
9
) (
) (
VA
VA
S
S
S
base
pu
=
) (
) (
VA
W
S
P
P
base
pu
=
) (
) (
VA
VAr
S
Q
Q
base
pu
=
base base
pu
Z
Z
Z
Z
Z = =
&
base
pu
Z
R
R =
base
pu
Z
X
X =
E:ercFcio '.<.1
SeBa m sistema do tipo 0erador5lin@a5car0a.
Calclar2 em P+2 o circito e$ivalente e a tensão
necess#ria para o 0erador manter a tensão na car0a
em 2<<V.
Sa%e5se $e a car0a a%sorve 1<< GV6 com "pH<2=
indtivo e $e a impedAncia da lin@a é *<2<2'IB
<2<=,J.
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
10
Solção; E:ercFcio '.<.1
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
11
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
12
Solção; E:ercFcio '.<.1
E:ercFcio pK 6lno
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
13
SeBa m sistema do tipo 0erador5lin@a5car0a. 6 tensão no
0erador é 22< VK.< L9. 6 car0a é de impedância constante
e a%sorve 1< GM2 com "ator de potência <24 indtivo $ando
alimentada por tensão de 2<< V. 6 impedAncia da lin@a é 122=
I B<2=< o@ms.
Calcle;
*a, 6 tensão na car0a;
*%, 6 potência "ornecida pelo 0erador.
6dote; !ensão %ase H 2<< V e Potência %ase H 1< GV6
&icas de Solção; E:ercFcio pK 6lno
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
14
&icas de Solção; E:ercFcio pK 6lno
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
15
Como continuar?
- Calcular a corrente fornecida pelo gerador;
- Calcular a tensão na carga;
/danças de 7ase
?ormalmente os parAmetros de m e$ipamento
estão com %ase di"erente da adotada no sistema2 o
$e re$er mdança de %ase.
/dança de 7ase de !ensão;
/dança de 7ase de Potência;
/dança de 7ase de Corrente;
/dança de 7ase de 8mpedAncia.
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
16
/dança de 7ase de !ensão
6 mdança de %ase de potência é "eita de "orma an#lo0a
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
17
0
0
base
pu
V
V
v = 0 0 1 1
. .
base pu base pu
V v V v =
Valor PU base antiga (Tensão)
Relação entre as bases
1
1
base
pu
V
V
v =
Mudança de Base
1 1
.
base pu
V v V =
0 0
.
base pu
V v V =
1
0
0 1
.
base
base
pu pu
V
V
v v =
Valor PU base nova (Tensão)
/dança de 7ase de Corrente
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
18
0
0
base
pu
I
I
i =
0 0
.
base pu
I i I =
1
1
1
base
base
base
V
S
I =
Valor PU base antiga (corrente)
Valor PU base nova (corrente)
Relação entre as bases
1
1
base
pu
I
I
i =
1 1
.
base pu
I i I =
0 0 1 1
. .
base pu base pu
I i I i =
0
0
0
base
base
base
V
S
I =
0
0
0
1
1
1
. .
base
base
pu
base
base
pu
V
S
i
V
S
i =
0
1
1
0
0 1
. .
base
base
base
base
pu pu
V
V
S
S
i i =
Mudança de Base
/dança de 7ase de 8mpedAncia
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
19
0
0
base
pu
Z
Z
z =
0 0
.
base pu
Z z Z =
1
2 1
1
) (
base
base
base
S
V
Z =
Valor PU base antiga
Valor PU base nova
Relação entre as bases
1
1
base
pu
Z
Z
z =
1 1
.
base pu
Z z Z =
0 0 1 1
. .
base pu base pu
Z z Z z =
0
2 0
0
) (
base
base
base
S
V
Z =
0
2 0
0
1
2 1
1
) (
.
) (
.
base
base
pu
base
base
pu
S
V
z
S
V
z =
0
1
2 1
2 0
0 1
.
) (
) (
.
base
base
base
base
pu pu
S
S
V
V
z z =
Mudança de Base
Circito P+ de Sistema !ri"#sico
SeBa m sistema tri"#sico simétrico e$ili%rado com
car0a e$ili%rada;
6dotando como %ase;
!ensão de "ase e Potência /ono"#sica;
Então;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
20
fase fase fase
I Z V . =
fase fase fase
I V S . =
fase
S S . 3
3
=
φ
linha linha fase
I V S .
3
1
=
fase
base
fase
base
S V e
fase
base
fase
base
fase
base
V
S
I =
fase
base
fase
base
fase
base
fase
base
fase
base
S
V
I
V
Z
2
= =
Circito P+ de Sistema !ri"#sico
Considerando o sistema em 1 e adotando como %ase;
!ensão de Nin@a e Potência !ri"#sica;
Sa%endo $e;
Portanto;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
21
φ 3
e
base
linha
base
S V
fase
base base
fase
base
linha
base
S S V V . 3 e . 3
3
= =
φ
fase
base
fase
base
fase
base
fase
base
fase
base
linha
base
base
linha
base
I
V
S
V
S
V
S
I = = = =
. 3 . 3
. 3
. 3

( )
fase
base
fase
base
fase
base
fase
base
fase
base
base
linha
base
linha
base base
linha
base
linha
base
linha
base
base
Z
S
V
S
V
S
V
V S
V
I
V
Z
= = = =
= = =
2
2
3
2
3
. 3
. 3
3
3 3
φ
φ
80aldade de valores P+ *"ase : lin@a,
Conse$Oentemente2 em valores em P+;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
22
fase
pu
fase
base
fase
fase
base
fase
linha
base
linha
linha
pu
V
V
V
V
V
V
V
V = = = =
. 3
. 3

3
3
3
3.

3.
fase fase
pu pu fase
base base fase base fase
S S S
S S
S S S
ϕ
ϕ
ϕ
= = = =
fase
pu
fase
base
fase
linha
base
linha
linha
pu
I
I
I
I
I
I = = =
pu
fase
base base
pu
Z
Z
Z
Z
Z
Z = = =
Circito P+ de Sistema !ri"#sico
Escol@a de %ase em SEP;
!ensão de Pase e Potência /ono"#sica *de Pase,2 o
!ensão de Nin@a e Potência !ri"#sica.
6 relação em P+;
?ote $e a relação de i0aldade acima sQ di9 respeito ao
mdulo das !ariá!eis. Portanto2 para car0a em 1 a relação
de An0lo entre a tensão de "ase e de lin@a possi ma rotação
de 3<R. E:emplo com se$Oência direta;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
23
fase
pu
linha
pu
V V =
fase
pu pu
S S =
φ 3 fase
pu
linha
pu
I I =
pu pu
Z Z =
0
30 ∠ =
fase
pu
linha
pu
V V
& &
80aldade de valores P+
C%serve $e as i0aldades são v#lidas para cada vari#vel em P+
na sa prQpria %ase. E:emplo;
!ermos da direita
!ensão de Pase e Potência /ono"#sica como 7ases.
!ermos da es$erda
!ensão de Nin@a e Potência !ri"#sica como 7ases.
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
24
fase
pu
linha
pu
V V =
fase
pu pu
S S =
φ 3 fase
pu
linha
pu
I I =
pu pu
Z Z =
E:ercFcio '.<.2
!rês impedAncias de Su < 6u o@ms são conectadas
em delta e alimentadas por ma tensão de 22< V.
Calcle as correntes de "ase2 de lin@a e a potência
comple:a a%sorvida do sistema tili9ando p..
Resolva considerando como valores %ase os dois 0rpos;
*a, !ensão de Pase e Potência /ono"#sica *6r%itre 1 GV6,
*%, !ensão de Nin@a e Potência !ri"#sica.
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
25
E:ercFcio '.<.3
+m Gerador !ri"#sico Simétrico alimenta por meio de ma
lin@a ma car0a tri"#sica e$ili%rada em 1. Sa%endo;
8mpedAncia da Nin@a; *<2<- I B <21-, J;
!ensão de Nin@a na Car0a; 22<V2 .<L9;
Potência 6%sorvida pela car0a; .<GM com PPH<2.< indtivo.
Calcle sando P+;
*a, Circito ni"ilar em P+;
*%, !ensão no 0erador;
*c, C taman@o do %anco de capacitor *em 1, para $e o PP na %arra de
car0a seBa nit#rio2 mantendo5se a tensão de car0a em 22<V.
*d, Para a condição do pro%lema acima2 $al a nova tensão do
0eradorE
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
26
Circito em P+ de m !rans"ormador
C trans"ormador possi ma relação de tensão entre
os terminais prim#rios e secnd#rios.
Portanto a tensão %ase adotada no circito onde est#
conectado o enrolamento prim#rio do tra"o di"ere da
tensão %ase do circito secnd#rio.
E:ceto se a relação do tra"o "or de 1;1
&ados ?ominais de m !rans"ormador;
Potência ?ominal 6parente */V62 GV62 V6,
!ensão ?ominal do Enrolamento de 6lta !ensão *GV2 V,
!ensão ?ominal do Enrolamento de 7ai:a !ensão *GV2 V,
8mpedAncia E$ivalente o de Crto5Circito *> 2 P+,
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
27
Circito E$ivalente de m !rans"ormador
Considerando o tra"o ideal com a relação;
tem5se;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
28
S
P
S
P
N
N
V
V
=
P
S
S
P
N
N
I
I
=
2








=
S
P
S
P
N
N
Z
Z
S
P
S
P
V
V
N
N

Valores V5P+ em Circito com !ra"o
SeBa m tra"o ideal com relação de trans"ormação ?1;?2
SeBa V
%ase
a tensão %ase no prim#rio
e VS
%ase
a tensão %ase no secnd#rio.
Pa9endo;
Sa%emos $e; lo0o;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
29
pu. em secundária tensão
, pu em primário ao aplicada tensão
'
2
2
1
1
= =
= =
base
base
V
V
v
V
V
v
2
1
2
1
N
N
V
V
=
1
2
1 2
N
N
V V =
Como $eremos $e a relação de espiras2 em p2 seBa 1;1
donde
Valores V5P+ em Circito com !ra"o
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
30
2 1
v v =
'
1
'
1
2
1
'
2
2
1
1
1
. .
1
. .
base NA
NB
base base
base
V V
V
V
V N
N
V
V
V
v
V
V
v
= = =
=
'
'
1
1
1
. .
base
base
NB
NA
base NA
NB
base
V
V
V
V
V V
V
V
V
V
=
=
Valores V65P+ em Circito com !ra"o
Sa%emos $e em m tra"o ideal a potência $e entra
no prim#rio é a mesma $e sai no secnd#rio.
Então;
C seBa;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
31
) pu (
(VA)
2 1
2 1
s s
S S
=
=
base base
base
base
base
base
S S
S
S
S s
S s
S
S
'

'
1
' .
.
2
1
2
1
=
= ∴ =
Para termos em pu potências iguais no primário e no
secundário as bases deverão ser iguais.
Valores 65P+ em Circito com !ra"o
Em m tra"o ideal a relação das correntes é;
6s correntes %ase são;
Portanto as correntes em P+ são;
C seBa2 em P+;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
32
1
2
1
2
2
1
V
V
N
N
I
I
= =
2
1
1
2
1
1 2
V
V
I
N
N
I I ⋅ = ⋅ =
base
base
base
V
S
I =
2
1
2
1
'
'
'
V
V
I
V
V
V
S
V
S
I
base
base
base
base
base
base
⋅ = ⋅ = =
base
I
I
i
1
1
=
( )
( )
1
1
2 1
2 1 1
'
2
2
i
I
I
V V I
V V I
I
I
i
base base base
= = = =
2 1
i i =
Valores J5P+ em Circito com !ra"o
Relação das impedAncias trans"ormador;
8mpedAncias 7ase;
8mpedAncias em P+;
C seBa2 em P+;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
33
2
1
2








=
NA
NB
V
V
Z
Z
base
base
base
S
V
Z
2
=
2 2
2
'
2 '
'








=








= =
NA
NB
base
NA
NB
base
base
base
base
base
V
V
Z
V
V
S
V
S
V
Z
2
1 2








=
NA
NB
V
V
Z Z
2
1
1
1
base
base
base
V
S
Z
Z
Z
z = =
( )
( )
1
2
1
2
2
1
'
2
2
z
V
S
Z
V V Z
V V Z
Z
Z
z
base
base
NA NB base
NA NB
base
= = = =
2 1
z z =
Representação de !ra"o 8deal em P+
Em P+ o tra"o passa a ser m trans"ormador com
relação 1;1
C seBa;
Cnde os valores %ase são dados por;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
34
2 1
z z =
2 1
i i =
2 1
v v =
base base
V
N
N
V
1
2
' =
base base
S S = '
2 1
s s =
Representação de !ra"os Reais em P+
Em 0rande9as reais;
Em P+;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
35
Representação de !ra"os Reais em P+
Geralmente;
C ramo ma0neti9ante é despre9ado;
6s impedAncias série são concentradas.
6ssim2 o trans"ormador real em P+ se torna;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
36
/dança de 7ase da 8mpedAncia do !ra"o
?ormalmente2 a impedAncia série do tra"o é dado em
valor percental o P+ em "nção de ses valores
nominais.
C pro%lema é $e 0eralmente a potência e tensTes
nominais do e$ipamento di"erem das adotadas pelo
sistema
?este caso e:i0e5se m mdança de %ase de
8mpedAncia;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
37
equip
sistema
sistema
equip
equip
base
Nominal
base
Nominal
pu pu
S
S
V
V
Z Z
2








=
Rede com !rans"ormadores
?ma rede com v#rios nFveis de tensão de"inidos
pelos trans"ormadores e:istentes2 necessita5se da
adoção de v#rias %ases para atender os nFveis de
tensão do sistema.
6s %ases deverão ser corretamente escol@idas para $e2 em
P+2 os tra"os ten@am relação 1;1
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
38
Rede com !rans"ormadores
1. Escol@er ma potência %ase para todo o sistema;
2. Esta%elecer os trec@os delimitados pelos tra"os;
3. Escol@er a tensão %ase para m determinado trec@o;
'. 6 partir desta tensão %ase calclar se$Oencialmente a tensão %ase dos
trec@os adBacentes respeitando5se a relação de trans"ormação do tra"o
de li0ação dos trec@os;
-. Calclar a corrente e a impedAncia %ase de cada trec@o;
.. Calclar as impedAncias em P+ dos componentes de rede;
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
39
2 2
:
T
S
T
P
V V
1 1
:
T
S
T
P
V V
Definida
V V
base
= ' '
1
1
'. ' '
T
S
T
p
base base
V
V
V V =
2
2
'.
T
S
T
p
base base
V
V
V V =
Trecho A Trecho C Trecho B
40
E:emplo; Rede com !rans"ormadores
41
E:emplo; Rede com !rans"ormadores
42
E:emplo; Rede com !rans"ormadores
E:ercFcio '.<.' *p.. tra"o mono"#sico,
+m 0erador mono"#sico alimenta2 por meio de ma lin@a2
m trans"ormador2 o $al alimenta2 por otra lin@a2 ma
car0a.
6 impedAncia da lin@a $e li0a o 0erador ao tra"o; *2IB',J;
6 impedAncia de lin@a $e li0a o tra"o U car0a; *2V< I BV4<, J;
6 potência a%sorvida pela car0a; 1/V62 "ator de potência <2=
indtivo;
6 tensão aplicada U car0a; 2<<GV;
Cs dados de c@apa do trans"ormador; 132= W 22<GV; 12-/V6;
re$H3> e :e$H=>.
&eterminar o circito e$ivalente em P+2 a tensão e a
corrente em todos os pontos do circito em P+ e em valores
reais .
An. de Sist. Elét. de Potência 1 (4.0)
43
!rans"ormador de 3 enrolamentos
44
-
45
Z
p
=
1
2
Z
ps
+Z
pt
− Z
st
Z
s
=
1
2
Z
ps
+ Z
st
− Z
pt
Z
t
=
1
2
Z
pt
+ Z
st
− Z
ps
!rans"ormador de 3 enrolamentos
46
Exemplo: Um transformador de 3 enrolamentos possui os seguintes valores de
impedância:
Z
ps
= 0.07 pu nas bases do primário
Z
pt
= 0.09 pu nas bases do primário
Z
st
= 0.06 pu nas bases do terciário
Potência nominal: 10/10/7,5 MVA
Tensões nominais: 66/13.2/2.3 kV
Colocar o trafo na base de 10 MVA
Z
st
= Z
st
nom
.
N
busc
no¡u
N
busc
nom
= u,u6.
1u
7,S
= u,u8pu
Z
ps
= 0.07 pu
Z
pt
= 0.09 pu nas bases mesmas bases
Z
st
= 0.08 pu
!rans"ormador de 3 enrolamentos
47
Z
p
=
1
2
Z
ps
+ Z
pt
− Z
st
=
1
2
u,u7 +u,u9 − u,u8 = u,u4 pu
Z
s
=
1
2
Z
ps
+ Z
st
− Z
pt
=
1
2
u,u7 + u,u8 −u,u9 = u,uS pu
Z
t
=
1
2
Z
pt
+ Z
st
− Z
ps
=
1
2
u,u9 + u,u8 − u,u7 = u,uS pu
Z
ps
= 0.07 pu
Z
pt
= 0.09 pu nas bases mesmas bases
Z
st
= 0.08 pu
!rans"ormador de 3 enrolamentos