You are on page 1of 4

A mecânica dos fluidos é constantemente usada tanto nas atividades diárias como

em projeção de sistemas de engenharia modernas, tais elas como, aeronaves supersônicas
até simples aspiradores de pó. Sistemas de canalização residencial de água fria, gás natural e
esgoto de uma cidade são projetados primariamente através de base na mecânica dos
fluidos. O coração humano também é um exemplo de uso da mecânica dos fluidos. (YUNUS,
2006)
Podemos perceber na história que a necessidade de produção, fornecimento e
distribuição de água, combinados com a possibilidade de exploração do seu potencial em
realizar trabalho mecânico foram, provavelmente, o grande estímulo para a compreensão da
dinâmica dos fluidos e de suas características a partir do momento em que o homem se
organizou em sociedade. (PLAUSKA, 2013)
Os aquedutos romanos, alguns dos quais ainda estão em uso, são os melhores
exemplos conhecidos. Entretanto, talvez o exemplo de engenharia mais impressionante do
ponto de vista técnico foi construído na cidade helenística de Pergamon, atual Turquia. Lá,
entre 283 e 133 AC, eles construíram uma serie de tubulações de chumbo e argila
pressurizadas, com até 45 km de comprimento e que operavam com pressão maior que 1,7
MPa (180m de altura de carga). (YUNUS, 2006)
Durante a idade media houve pouco avanço, mas com persistência, na aplicação de
maquinaria hidráulica. Foram aperfeiçoados formas de drenagem de água de minas e
moinhos movidos a água e vento. Foi o inicio de trabalhos significativos feitos sem a força de
homens ou animais. (YUNUS, 2006)
Leonardo Da Vinci formulou a equação da conservação da massa em escoamento
permanente unidimensional e após a época de da Vinci, graças às exigências nos planos de
urbanização das cidades e do desenvolvimento marítimo, o acúmulo de conhecimento sobre
fluxo de águas e do movimento dos corpos sólidos em meios fluidos na Europa, rapidamente
ganha forma devido às contribuições excepcionais de Galileu Galilei , de Simon Stevin, de
Evangelista Torricelli , de Edmé Mariotte estavam entre os primeiros a aplicar o método
cientifico aos fluidos quando investigaram as distribuições de pressão hidrostática e o
vácuo. Esse trabalho foi integrado e refinado pelo brilhante matemático Blaise Pascal. O
monge italiano, Benedetto Castelli foi a primeira pessoa a publicar um enunciado do
principio de continuidade para fluidos. Alem de formular suas equações do movimento para
sólidos, Isaac Newton aplicou suas leis para fluidos e explorou a inércia e resistência dos
fluidos, jatos e viscosidade. Tal esforço foi ampliado por Daniel Bernoulli e Leonhard Euler.
Juntos, o trabalho deles definiu as equações de energia e momento. O tratado clássico de
Bernoulli, Hidrodynamic, pode ser considerado o primeiro texto sobre mecânica dos fluidos.
Jean D’Alembert desenvolveu a idéia de componentes da velocidade e aceleração, uma
expressão diferencial para a continuidade e seu paradoxo de resistência nula para
movimento em regime permanente. (YUNUS, 2006)
Avanços fundamentais de vários países chegavam durante o século XIX. O médico
Jean Poiseuille na França mediu com precisão o escoamento em tubos capilares de fluidos
múltiplos, enquanto Gotthilf Hagen definia a diferença entre escoamento laminar e
turbulento em tubulações na Alemanha. Iniciou-se a unificação entre hidrodinâmica teórica
e hidráulica experimental na Inglaterra Osborne Reynolds continuou esse trabalho e
publicou o clássico experimento em tubo que mostrou a importância adimensional número
de Reynolds. De modo similar Navier e Stokes acrescentaram termos viscosos newtonianos
às equações de movimento as equações resultantes eram difíceis de analisar para
escoamentos arbitrários. William Froude e seu filho Robert desenvolveram leis para teste de
modelos físicos. (WHITE, 2011)
No começo do século XX houve dois desenvolvimentos monumentais. Primeiro os
autodidatas Santos Dunont e os irmãos Wright por meio da aplicação da teoria e
experimentação determinada aperfeiçoaram o aeroplano. As equações de Navier-Stokes
eram pouco usadas até essa época porque eram difíceis de resolver. Num artigo pioneiro
Ludwig Prandtl demonstrou os escoamentos dos fluidos pode ser dividida em uma camada
próxima das paredes, a camada limite, onde os efeitos do atrito são significativos e uma
camada externa onde tais efeitos são desprezíveis e as equações simplificadas de Euler e
Bernoulli são aplicáveis. Neste período as teorias existentes eram adequadas às tarefas
requeridas e as propriedades e parâmetros dos fluidos estavam bem definidos. Isso
suportou a imensa expansão dos setores de aeronáutica, químico, industrial e recursos
hidráulicos, cada um dos quais levou a mecânica dos fluidos para novas direções. Com o
desenvolvimento do computador digital e a capacidade de resolver problemas grandes e
complexos. (YUNUS, 2006)
Uma vez que 75% da terra esta coberta por água e 100% por ar, a finalidade da mecânica
dos fluidos é grande e faz parte da rotina de todos os seres vivos. Todos os problemas de
transporte envolvem movimento de fluidos, com especialidades bem desenvolvidas em
aerodinâmica de aeronaves e foguetes e em hidrodinâmica de navios e submarinos.
























Referencias

DARRIGOL, O. Hydrodynamics and hydraulics. In: HEILBRON, J. L.
(Ed.). The Oxford Companion to the History of Modern Science. Oxford:
Oxford University Press, 2003. p. 389–391.

DARRIGOL, O. Worlds of Flow: A History of Hydrodynamics from the
Bernoullis to Prandtl. Oxford: Oxford University Press, 2005.
YUNUS A., ÇENGEL; JOHN M., CIMBALA. Mecânica dos Fluidos: fundamentos e aplicações.
São Paulo 2006.
PLAUSKA, G. C. de. Experimento e aprendizagem: Uma aula introdutória à mecânica dos
fluidos. Dissertação (Monografia final de Mestrado do Curso de Física) – Instituto de Física –
UFRJ, Rio de Janeiro – RJ, Janeiro 2013.
WHITE, FRANK M. Mecânica dos Fluidos. 6 ed. São Paulo 2011.