You are on page 1of 3

Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães

Data: 17/05/13
Alunos (as): Daniel, Emily, Joyssy, Micaelly, Renan e Thaís
Série: 1° Turma: C Turno: Matutino
Prof.ª: Helieneidy Disciplina: História

Antigo Egito
O Egito antigo localizava-se ao
nordeste da África e às margens do rio
Nilo. Limita-se ao norte com o Mar
mediterrâneo; ao sul Sudão; a leste
com o Mar Vermelho e a oeste com o
deserto da Líbia.
Os antigos egípcios dividiram sua terra
em duas partes, o Alto Egito e o Baixo Egito. Alto e Baixo não se referem a
norte e sul; esses termos relacionam-se ao curso do Nilo e a elevação da terra.
O Alto Egito é a região sul e tem esse nome porque está mais perto da
nascente do Nilo, ou rio acima, e, portanto, em terreno mais alto. O Baixo Egito
consiste basicamente na região do delta do Nilo e leva esse nome porque está
mais distante da nascente, ou rio abaixo. Essa área também está mais próxima
do nível do mar do que o Alto Egito.
A característica geográfica dominante do antigo Egito era um vasto deserto
dividido pelo Nilo. O rio entalhava uma faixa fértil em toda a extensão do
território, e a maioria dos antigos egípcios vivia ao longo dele.
Organização Política
No Antigo Império - o faraó centralizava em suas mãos todos os poderes,
porém não era tão arbitrário. Julgava-se filho de Rá, o Deus do Sol.

No Médio Império – o faraó governava mais como um ser humano e seu poder
não era tão absoluto.

No Novo Império - a monarquia absoluta era sustentada pelo militarismo. O
poder era centralizado. Os monarcas eram considerados apenas
representantes do faraó. O faraó era venerado como um deus recebia os títulos
como o “Filho de Hórus”, e o “Filho de Rá”. Exercia as funções supremas de
Sacerdote, Juiz e Chefe Militar. Era Senhor de todos os homens e era dono de
todas as terras, ao pronunciar o nome do faraó, os egípcios deveriam dizer:
“que floresçam nele a vida e a saúde”. Os governadores cuidavam da
administração da manutenção da Ordem nas províncias.
Organização Econômica
A economia baseava-se na agricultura e na pecuária. Eram cultivados cereais,
como a cevada e o trigo, legumes e abundantes árvores frutíferas. Eram
criados porcos, cabras, bois e mais tarde cavalos. Com o papiro, que era
encontrado nas margens do Nilo, fabricavam-se papel, cordas, cestas,
sandálias e esteiras. Os egípcios eram “mestres” na arte de tecer, portanto a
tecelagem era bem desenvolvida. A caça e a pesca eram largamente
praticadas.
O estado egípcio era proprietário dos meios de produção, incluindo terras e
instrumentos de trabalho. Os camponeses recebiam terras para o cultivo, mas
pagavam tributos para usá-las, a forma de pagamento era na forma de
produtos ou de trabalho.
Organização Social
A sociedade egípcia era hierárquica e de limitada mobilidade social. No alto da
pirâmide, estava o faraó, que era considerado um deus vivo, depois vinham
os sacerdotes, os nobres, escribas, comerciantes, soldados, os artesãos, os
trabalhadores comuns, os camponeses, que eram a maioria da população, e os
escravos.
Os camponeses tinham as piores condições, pois tinham uma dura fiscalização
dos administradores. Os escravos egípcios eram frutos da captura nas guerras,
do comércio, dos filhos dos escravos e como forma de tributos das regiões
dominadas.
Quanto ao tratamento que lhes eram dados, variava muito. Os escravos
domésticos, os artesões e os artistas recebiam um tratamento melhor do que
os dados aos escravos que trabalhavam nas minas e pedreiras.
A mulher egípcia, comparada com a mulher das civilizações antigas, tinha uma
boa situação. Tinha personalidade jurídica, podia adquirir propriedade, legar
bens e fazer testamentos. Os egípcios valorizavam a família, daí o respeito e
consideração por suas mães.
No casamento dos egípcios predominava a monogamia (ter uma mulher
apenas), já o faraó tinha várias esposas, inclusive era comum haver
a prática de endogamia (casar com alguém da sua família, como uma irmã, por
exemplo).
Religião
Os egípcios eram politeístas (acreditavam em vários deuses). De acordo com
este povo, os deuses possuíam poderes específicos e atuavam na vida das
pessoas. Havia também deuses que possuíam o corpo formado por parte
humana e parte de animal sagrado. Os egípcios antigos faziam rituais e
oferendas aos deuses. Era uma forma de conseguirem agradar aos deuses,
conseguindo ajuda em suas vidas. No Egito Antigo existiam diversos templos,
que eram construídos em homenagem aos deuses. Ada cidade possuía um
deus protetor.
Outra característica importante da religião egípcia era a crença na vida após a
morte. De acordo com esta crença, o morto era julgado no Tribunal de Osíris. O
coração era pesado e, de acordo com o que havia feito em vida, receberia um
julgamento. Para os bons havia uma espécie de paraíso, para os negativos,
Ammut devoraria o coração.
Legado Cultural
Tendo-se voltado para a vida coletiva e religiosa, as construções egípcias são
marcadas pela grandiosidade dos templos e dos túmulos. Os templos de
Carnac e Luxor nos dão mostras de como a arte e a religião estavam
interligadas. A solidez, a grandiosidade e os artifícios procurando exaltar o
volume são as características mais salientes dessas obras. Estátuas de deuses
e faraós acompanham essas dimensões, com decorações esculpidas e
pintadas descrevendo episódios ligados às figuras representadas. A pintura
egípcia prendeu-se principalmente a temas da Natureza e da vida cotidiana,
sendo muitas vezes acompanhada de hieróglifos explicativos. A invenção da
escrita propiciou o desenvolvimento da literatura. A escrita ideográfica, nascida
no Egito, iria evoluir para o alfabeto fonético com os fenícios.
As ciências exatas também tiveram oportunidade de expansão, uma vez que
as necessidades de ordem prática forçaram o desenvolvimento da Astronomia
e da Matemática. A mumificação constituiu uma técnica de grande importância
na civilização do Egito antigo. Os métodos, até hoje pouco conhecidos,
produziram resultados notáveis, que se podem ver em museus de diversas
partes do mundo.
Atualidade
O Egito hoje tem população de 84 milhões de pessoas, sendo o Egito o
segundo país mais populoso da África. O árabe é a língua oficial. A área total
do país é de 1 001 450 km², mais ou menos o tamanho do estado brasileiro do
Mato Grosso.
A economia do país é baseada principalmente na agricultura, exportações de
petróleo e turismo. A distribuição de renda do país é um dos principais
obstáculos da economia do país, pois a população sofre com os altos preços
de produtos básicos, já já que seu padrão de vida e poder aquisitivo
permanecem relativamente estagnados.
O porder legislativo é exercido pela Assembleia Popular. O Egito é também
conhecido pela violação dos direitos humanos, incluindo tortura, detenções
arbitrárias e julgamentos perante tribunais militares e de segurança dos Estado.
As mulheres e as minorias religiosas também sofrem com a falta de um
Estatuto justo.