P. 1
Rezar os Salmos Hoje

Rezar os Salmos Hoje

|Views: 826|Likes:
Published by lumensana
A finalidade deste Livrinho Eletrônico não é tornar conhecidas algumas oraçãos antigas. Os salmos são para nós orações perenes, válidas também hoje. Neles encontramos as mesmas alegrias e tristezas, angústias e apreensões, certezas e dúvidas. Todas as experiências mais profundas da história dos homens encontram neles forte ressonância. Ao rezar os salmos entramos no grande movimento acionado por Deus no coração dos homens, em busca da Paz. “A Paz é tudo que desejo!” (Sl 120).(LEC)
A finalidade deste Livrinho Eletrônico não é tornar conhecidas algumas oraçãos antigas. Os salmos são para nós orações perenes, válidas também hoje. Neles encontramos as mesmas alegrias e tristezas, angústias e apreensões, certezas e dúvidas. Todas as experiências mais profundas da história dos homens encontram neles forte ressonância. Ao rezar os salmos entramos no grande movimento acionado por Deus no coração dos homens, em busca da Paz. “A Paz é tudo que desejo!” (Sl 120).(LEC)

More info:

Published by: lumensana on Dec 13, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/26/2013

pdf

text

original

O engano das riquezas

Ouvi isto, povos todos!
Prestai atenção, habitantes do mundo,
humildes e grandes,
ricos e pobres indistintamente!
Minha boca propõe a sabedoria
e as intuições que meu coração cismou.
Darei atenção ao provérbio

e proporei meu enigma ao som da harpa.
Por que temer nos dias de infortúnio,
quando me cerca a malícia dos embusteiros
e dos que, na confiança de sua fortuna,
se gloriam das grandes riquezas?
O homem não pode resgatar ninguém,
nem pagar a Deus a própria redenção;
tão alto preço tem o resgate de uma vida,
que se deve desistir dele para sempre,
a fim de que se possa viver perpetuamente
sem jamais ver o fosso.
Eis o que se vê: sábios morrem,
perecem do mesmo modo como o insensato e o louco,
deixando para outros os seus bens.
Pensavam eles que suas casas fossem eternas,
suas moradas, de geração em geração,
eles, que tinham dado seu próprio nome à terra.
O homem apegado à riqueza não subsiste por uma noite,
é semelhante aos animais de abate.
O destino dos que nela se fiam
e se gabam de seu futuro é este:
são arrebanhados para o abismo
pela morte, seu pastor,
e logo, ao amanhecer, sobre eles triunfam os justos.
Sua aparência é desfigurada pelo abismo,
longe de sua habitação cá em cima.
Mas Deus me resgatará do abismo,
sim, ele me arrebatará.
Não te exasperes, se um homem, enriquecendo,
aumenta a opulência de sua casa!
ao morrer, nada levará consigo,
e sua opulência não baixará com ele.
Ainda que, em vida, ele se tenha vangloriado:
“Eles te aplaudem pelo sucesso que tiveste”,
reunir-se-á à geração dos ancestrais,
que nunca mais verão a luz.
O homem que, apegado à riqueza, não reflete
é semelhante aos animais de abate.

Comentário

Sl 49. Salmo sapiencial, que medita sobre a sorte de ricos e pobres, opressores e
oprimidos, à luz de seu destino, a morte. O salmo apresenta o fato da morte, à qual
se encaminham todos os homens; questiona o sentido dos bens terrenos, da
prosperidade e do bem-estar em relação ao fim último do homem; e expõe a
doutrina da retribuição das ações humanas. A solução do enigma da condição
humana se vislumbra no v. 16, no qual refulge a esperança de vida e recompensa
futura para o justo, embora sem especificar-se o sentido de tal recompensa. A
meditação desse salmo, quando acompanhada de atitudes concretas em relação a
Deus e ao próximo, levará à experiência religiosa da salvação. O pensamento da
morte nos preserva da presunção e nos dá maior consciência da relatividade do
nosso esforço.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->