P. 1
Apostila de Conhecimentos Bancarios da Vestcon

Apostila de Conhecimentos Bancarios da Vestcon

4.9

|Views: 10,117|Likes:
Published by Nilson_

More info:

Published by: Nilson_ on Apr 01, 2008
Copyright:Public Domain

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/14/2011

pdf

text

original

PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS – CRÉDITO RURAL

O crédito rural no Brasil é uma operação bastante regulada e, notoriamente,
cheia de subsídios governamentais. Representa importante operação ativa
realizada pelo Banco do Brasil, sendo que tal instituição é o principal agente do
Governo Federal neste segmento.

As fontes de recursos do Crédito Rural

O crédito rural pode ser concedido com recursos de 2 categorias:
a)controlados: assim considerados da exigibilidade de recursos
obrigatórios, das Operações Oficiais de Crédito sob supervisão do
Ministério da Fazenda; da poupança rural, do Fundo de Amparo ao
Trabalhador (FAT) e do Fundo de Investimento Extramercado (outro
fundo administrado pelo Governo Federal), quando aplicados em
operações subvencionadas pela União sob a forma de equalização de
encargos financeiros, além de outros que vierem a ser especificados pelo
Conselho Monetário Nacional;
b)não controlados, assim considerados os da exigibilidade e livres da
poupança rural, de fundos, programas e linhas específicas, de recursos
livres.

As aplicações em crédito rural

A instituição financeira deve consignar no instrumento de crédito a fonte dos
recursos utilizados no financiamento, observada a classificação do parágrafo
anterior, registrando a denominação do fundo, programa ou linha específica, se
for o caso. Os financiamentos ao amparo de recursos controlados do crédito
rural podem ser concedidos diretamente a produtores rurais ou repassados por
suas cooperativas.

A legislação específica do segmento determina a aplicação obrigatória em
crédito rural de uma parcela de recursos captados pelas instituições
financeiras. As normas existentes detalham como é calculada esta parcela e
quais instituições estão sujeitas ao cumprimento de tal obrigatoriedade.
Geralmente, nesta modalidade, as operações de crédito rural realizadas pelas
instituições financeiras têm taxas subsidiadas.

De igual modo, uma parcela dos recursos livres de uma instituição financeira
(e recebem este nome pois a instituição financeira pode aplicar livremente)
pode ser aplicada no crédito rural, desde que as taxas destas operações

observem as taxas das operações bancárias comuns. Isto quer dizer que
operações de crédito rural contratadas com recursos livres não são
subsidiadas.

As linhas de Crédito Rural

As principais linhas de crédito rural podem ser resumidas em 3 grandes
grupos:

EXERCÍCIOS

1. (BB/2003) As despesas a que está sujeito o crédito rural incluem:
a)remuneração financeira.
b)custo de prestação de serviços.
c)imposto sobre a prestação de serviços (ISS).
d)sanções pecuniárias.
e)fiança bancária.

Os Créditos de
Custeio

Destinam-se ao custeio das
despesas normais da
atividade, como por exemplo,
do ciclo produtivo de lavouras
periódicas, da entressafra de
lavouras permanentes, de
exploração pecuária e do
beneficiamento

ou
industrialização de produtos
agropecuários

Os Créditos de Investimentos

São utilizados para o
financiamento de investimentos
fixos, semi-fixos. São exemplos
de investimento fixos a
construção, reforma ou
ampliação de benfeitorias e
instalações permanentes e a
aquisição de máquinas e
equipamentos de provável vida
útil superior a 5 anos. São
exemplos de investimentos
semi-fixos a aquisição de
animais de pequeno, médio e
grande porte para criação,
recriação, engorda ou serviço e
a aquisição de veículos, tratores
colheitadeiras, implementos,
embarcações e aeronaves que
necessariamente devem ser
utilizas na atividade
agropecuária.

Os Créditos de
Comercialização

Têm o objetivo de assegurar
ao produtor rural ou às suas
cooperativas os recursos
necessários

à
comercialização de seus
produtos no mercado,
compreendendo a pré-
comercialização, o desconto,
os adiantamentos a
cooperados por parte de
cooperativas na fase imediata
à colheita da produção própria
ou de cooperados.

Resposta: Os item a, b e d são verdadeiros.

2. (BASA/2001) Carlos, embora não seja produtor rural, solicitou e obteve
recursos dentro do sistema de crédito rural, como pessoa física, para pesquisa
e produção de sêmen para inseminação artificial. Na operação, teve, entre
outras, despesas com o IOF e com o custo de prestação de serviços.Nessa
situação hipotética, configurou-se
a)respeito às normas vigentes, uma vez que a natureza da pesquisa
empreendida por Carlos está inserida no setor rural.
b)agressão às normas vigentes, pois Carlos, não sendo produtor rural, não
pode receber recursos do crédito rural.
c)agressão às normas vigentes, pois o crédito rural não ampara atividades
de pesquisa ou de produção de sêmen para inseminação artificial.
d)agressão às normas vigentes, pois Carlos, como pessoa física, não pode
receber recursos do crédito rural.
e)agressão às normas vigentes, pois não incide o IOF nas operações do
crédito rural.

Resposta: Os itens , e são verdadeiros.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->