You are on page 1of 433

A

JANELA DE
OVERTON
GLENN BECK

Com contribuições de Kevin Balfe, Emily Bestler e
Jack Henderson
Tradução Renato ar!ues de "liveira
E d i t o r a # o v o C o n c e i t o
$ % & &
D E D I C A T Ó R I A
' ()* +ara ,avid Barton, -omem !ue sabe !ue
nossos fundadores dei.aram as res+ostas
es+al-adas +or toda +arte, a ol-os vistos/
Es+erança* +ara arcus 0uttrell, -omem !ue nos
mostrou o !ue ) +reciso +ara nunca desistir/
Multibrasil Download - www.multibrasil.net
Caridade* +ara Jon Huntsman, o -omem !ue um
dia !uero ser/ 1oc2 ) um 3i3ante em um mundo
!ue +arece cada ve4 menor/
#unca desistam, nunca entre3uem os +ontos/
Agradecimentos
'3radecimentos es+eciais a todos os
teles+ectadores, ouvintes e leitores, incluindo os
56ntimos5 de 7lenn Beck/ #ão somos racistas nem
somos violentos, s8 não estamos mais em sil2ncio/
'os meus +ais9 : min-a es+osa, T;nia, e aos meus
maravil-osos fil-os, +or seu amor e a+oio
constante, mesmo !uando acordo :s < -oras +ara
trabal-ar em +ro=etos como este/
' C-ris Balfe, Kevin Balfe, >tu Bur3uiere, Joe Kerry,
?at 7ray e a todas as outras +essoas maravil-osas
!ue atuam nos bastidores da R@dio ercury 'rts,
+or nunca rirem das min-as id)ias A+elo menos
não na min-a frenteB/
' Jack Henderson, +or ter colocado o coração
neste +ro=eto, e : sua es+osa, 0orie, +or t2Clo
dei.ado fa4er isso/
' Emily Bestler, uma editora de +rimeira classe e,
mais im+ortante, uma +essoa de +rimeira classe/
"bri3ado +or ter entendido !ual ) realmente o
+ro+8sito deste livro/ E a 0ouise Burke, itc-ell
Dvers, Carolyn Reidy, 0i4 ?erl, 'nt-ony Eiccardi e a
todo mundo da >imon F >c-uster, +or sem+re me
a=udarem a transformar meus son-os em
realidade/
' ?atr6cia Balfe, +or com+artil-ar com todos n8s
seu amor +or livros de sus+ense e mist)rio/ >ei
!ue não sou nen-um ,avid Baldacci ou Robert
?arker, mas es+ero !ue este livro custe a voc2
+reciosas -oras de sono/ ' todos da ?remiere e do
Clear C-annel, incluindo ark ays, Jo-n Ho3an,
C-arlie Ra-illy, ,an Gukelson, Julie Talbott e ,an
etter, !ue a=udaram meu +ro3rama de r@dio a
con!uistar ouvintes como nunca/
' todos os meus ami3os do canal (o. #eHs,
incluindo Ro3er 'iles, Bill >-ine, >u4anne >cott,
Joel C-eatHood, Tiffany >ie3el, Bill "IReilly, #eil
Cavuto, =untamente com meu e.traordin@rio
estafe, !ue me a=udou a com+rar !uase todas as
lousas da @rea da cidade de #ova Gork/
' meu a3ente, 7eor3e Hilt4ki, !ue não 5me.e no
conteJdo5, mas ainda assim adora dar suas
o+iniões a cada +@3ina !ue criamos/
' todos os meus ami3os, +arceiros e cole3as de
trabal-o, !ue me a+oiam tanto no ;mbito +essoal
como na esfera +rofissional, incluindo Krai3
Kitc-in, Brian 7licklic-, att-eH Hilt4ik, Jos- Raffel,
Jon Huntsman, ?ai, ,uane Kard, >teve >c-effer,
,om T-eodore, >cott Baker, Ric-ard ?aul Evans,
7eor3e 0an3e, Russell / Ballard, al)m de 'llen,
Cam, 'my, ary e toda a e!ui+e da Dsdaner/
' todos os !ue foram v6timas do meu transtorno
de déficit de atenção L descul+emCme, eu me
concentrei nesta +@3ina o m@.imo de tem+o !ue
+ude/
Uma Nota do Autor
H@ muitos anos sou fã de livros de sus+ense/
En!uanto os livros de não ficção visam informar, o
ob=etivo da maior +arte dos thrillers de sus+ense )
entreter/ as e.iste uma cate3oria de romances
!ue são ambas as coisas* romances
com+letamente ficcionais, mas cu=os enredos são
calcados em fatos, e foi isso !ue eu me esforcei
+ara fa4er em ' Janela de "verton/
M medida !ue voc2 mer3ul-ar na trama, certas
cenas e +ersona3ens vão +arecer familiares/ Dsso )
intencional, +ois a -ist8ria do livro se +assa
durante um +er6odo da -ist8ria dos Estados Nnidos
muito semel-ante ao !ue estamos vivendo a3ora/
as, embora muitos fatos inseridos no enredo
se=am verdadeiros Ave=a o +osf@cio +ara mais
detal-esB, as situações !ue criei como resultado
desses fatos L =untamente com a maneira como
as coisas estão entrelaçadas e as conclusões !ue
da6 derivam L são inteiramente ficcionais/
1amos torcer +ara !ue continuem assim/
>ei !ue este livro ser@ +ol2mico9 !ual!uer coisa
!ue faça as +essoas +ensarem 3eralmente causa
controv)rsia/ #esse caso, es+ero !ue voc2 se=a
obri3ado não a+enas a +ensar, mas tamb)m a
+es!uisar, ler livros de -ist8ria e fa4er +er3untas
fora da sua 4ona de conforto/ Em Jltima an@lise,
no fim das contas caber@ a cada um de n8s
+rocurarmos nossas +r8+rias verdades/
Embora nem se=a +reciso di4er, sinto a
necessidade de falar mais uma ve4* esta ) uma
obra de ficção/ Como tal, al3uns dos +ersona3ens
deste livro e.+ressam o+iniões das !uais eu não
a+enas discordo, mas :s !uais me o+on-o com
veem2ncia/ Eu as inclu6 no enredo +or!ue essas
o+iniões, 3ostemos delas ou não, fa4em +arte do
atual debate norteCamericano/ D3norar ou fin3ir
!ue o+iniões radicais não e.istem na sociedade )
um 3rande desserviço/ >ilenciar vo4es ou o+iniões
s8 serve +ara =o3@Clas nas sombras e na escuridão,
onde +odem se inflamar, se corrom+er e ficar
ainda mais fortes/
1oc2 tamb)m vai notar !ue as +alavras
re+ublicano e democrata raramente a+arecem no
livro, e, !uando a+arecem, ambas são
mencionadas sob lu4 i3ualmente +ouco lison=eira/
Tamb)m nunca ficamos sabendo !uem ) o
+residente dos EN' nem : !ual +artido ele ou ela
est@ filiado/ (oram decisões conscientes da min-a
+arte, e isso reflete o fato de !ue o !ue est@
acontecendo com o nosso +a6s nada tem a ver
com um +artido +ol6tico ou com uma +essoa
es+ec6fica, mas sim com a rota de destruição !ue
viemos +ercorrendo, a diferentes velocidades,
desde o Jltimo s)culo/ Toda ve4 !ue 3ritamos
5"nde voc2 estava, !uatro anos atr@sO5, 5' cul+a )
do seu +artido, não do meu5 ou 5Eu não votei
neleP5 nos a+ro.imamos mais um +ouco do fim da
'm)rica L ou +elo menos da 'm)rica ima3inada
+elos fundadores da #ação/
En!uanto escrevo esta introdução, semanas antes
do livro ser +osto : venda, =@ sei !ue meus cr6ticos
serão cru)is e im+lac@veis/ Eles vão me acusar de
ser todo ti+o de te8rico da cons+iração !ue forem
ca+a4es de inventar L e vão basear suas
acusações no enredo de um romance !ue muito
+rovavelmente nem se!uer se darão ao trabal-o
de ler/
(eli4mente, não sou nada disso/ #unca fui/ J@ fui
c-amado de todas as coisas detest@veis !ue
e.istem, e a3uento o tranco/ as, !uando tudo
isso tiver +assado e as +essoas ol-arem +ara tr@s,
+ara esse +er6odo da -ist8ria do nosso 3rande
?a6s, s8 -@ uma coisa !ue es+ero !ue todos,
cr6ticos e fãs, di3am a meu res+eito/
Que eu estava errado/
,ivirtamCse com o livro9 es+ero !ue na sua leitura
voc2 +erca as mesmas -oras de sono !ue eu +erdi
+ara cri@Clo/
' liberdade foi +erse3uida no mundo todo9
a ra4ão foi tida como rebelião9
e a escravidão do medo fe4 com !ue os -omens
tivessem
medo de +ensar/
as a nature4a irresist6vel da verdade ) tal !ue
tudo !ue
ela +ede, e tudo o !ue dese=a, ) a liberdade de
a+arecer/
TH"'> ?'D#E,
"s ,ireitos do Homem, &RS&
r!"ogo
Eli C-urc-ill era um falastrão/ ,e+ois !ue ele
começava a falar, não tin-a o -@bito de +arar e
ouvir, mas a3ora um som ao lon3e o tin-a dei.ado
+reocu+ado/ L Es+era um minuto L Eli
murmurou/ Ele anin-ou o bocal do telefone +Jblico
no ombro, ol-ou de relance +ara a estreita e
sulcada estradin-a de terra o=ave !ue tin-a
+ercorrido +ara c-e3ar at) ali, de+ois er3ueu os
ol-os e encarou o lon3o e escuro camin-o na outra
direção/
Em um lu3ar silencioso como a!uele os ouvidos
+odem +re3ar +eças na 3ente/ Ele +odia =urar !ue
-avia escutado um som deslocado, como o
estalido de um talo de 3rama seca sob os +)s de
al3u)m, embora nen-um ser -umano tivesse o
!ue fa4er em um raio de <% !uilTmetros de onde
ele estava, mas Eli não tin-a como saber ao certo/
' lua bril-ava alta e os seus ol-os =@ estavam
acostumados : escuridão/ Ele não via nin3u)m,
mas, com o ti+o de caras com !ue Eli estava
+reocu+ado, nunca se sabe/
Quando recolocou o telefone de volta no ouvido,
uma mensa3em autom@tica avisou !ue a
com+an-ia telefTnica !ueria outro +a3amento
+ara s8 então +ermitir a continuação da li3ação/
Ele +e3ou suas Jltimas seis moedas de $U
centavos de dentro de um rolin-o de +a+el
amassado e enfiou na abertura do orel-ão/
Restavam a+enas tr2s minutos/ Em certo sentido,
era irTnico/ ,e+ois de anos de +lane=amento, ele
tin-a recol-ido e levado consi3o todas as +rovas
de !ue +recisava +ara corroborar sua -ist8ria, mas
não dis+un-a de din-eiro trocado suficiente +ara
cont@Cla +or telefone/
L'inda est@ a6, BeverlyO
L>im/ L " sinal do telefone estava fraco e a
mul-er do outro lado da lin-a +arecia cansada e
im+aciente/ L Com todo o res+eito, >r/ C-urc-ill,
+reciso !ue o sen-or v@ direto ao +onto/
LEu vou, eu vou/ '3ora, onde ) !ue eu estava///
L En!uanto ele fol-eava ra+idamente a +il-a de
fotoc8+ias, uma ra=ada de vento acertou em c-eio
um +ar de fol-as soltas, !ue saiu flutuando noite
afora/
L" sen-or estava falando de din-eiro/
L>im, certo, tudo bem* $,< tril-ões de d8lares, )
disso !ue estamos falando/ >abe !uanto din-eiro )
issoO V uma +il-a de c)dulas de mil d8lares !ue
c-e3aria do n6vel do mar ao es+aço sideral e
voltaria com U% !uilTmetros de fol3a/
LV a !uantia !ue ,on Rumsfeld disse : nação !ue
tin-a sumido, sem e.+licações nem =ustificativas,
no verão de $%%&/ 1oc2 não entendeO >ão $,<
tril-ões de d8lares, uma !uantia tr2s ve4es maior
do !ue toda a moeda em circulação nos EN'/
#in3u)m +erde tanto din-eiro/ Dsso não ) um erro
de contabilidade, ) crime or3ani4ado/
L>r/ C-urc-ill, o sen-or afirmou em sua
mensa3em !ue tin-a al3o a me di4er !ue eu
nunca tin-a ouvido antes/
LEu sei onde eles 3astaram esse din-eiro, ou +elo
menos +arte dele/
Nm breve ru6do de est@tica invadiu a li3ação/
LContinue/
LEu vi o lu3ar, um dos lu3ares onde eles estão se
+re+arando +ara a+rontar al3uma coisa, uma coisa
3rande, +lane=ando, sabeO 'rran=ei um em+re3o
na manutenção/ 'c-avam !ue eu era s8 um
fa.ineiro, mas durante a noite eu e.aminava o
lu3ar/ 1i o !ue eles estão +lane=ando/ Estão
construindo uma estrutura/
Ele conferiu suas anotações +ara se certificar de
!ue estava dando as informações corretas/
L#ão se trata de um +r)dio, mas de uma
estrutura +ol6tica e social/ Eles =@ v2m trabal-ando
nisso fa4 muito tem+o/ ,)cadas/ Quando +userem
abai.o o sistema atual, s8 vai sobrar esse novo
!ue eles estão elaborando/
LEu 3ostaria de me encontrar +essoalmente com
o sen-or/ "nde o sen-or est@ a3oraO
L#ão +osso di4er +or telefone/
LRe+ita, +or favor/ ' li3ação est@ +)ssima/
" vento seco do deserto vin-a so+rando constante
e frio desde !ue ele c-e3ara ali, mas a3ora Eli
+ercebeu !ue a brisa tin-a ficado bem mais fraca,
!uase im+erce+t6vel/
LEles estão me.endo os +au4in-os +ara !ue
da!ui a uma 3eração nin3u)m mais se lembre de
como este +a6s costumava ser/ 'ssim !ue
estiverem +rontos +ara dar a +rimeira +ancada
nos alicerces do sistema, vão fa4er a economia
desmoronar feito um castelo de cartas/ ' m6dia
controlada =@ est@ na mão deles, +rontin-a +ara
iniciar sua cam+an-a de relações +Jblicas/ E eles
estão dando um =eito de dei.ar as +essoas tão
endividadas, alienadas e des+re+aradas !ue vão
+edir socorro ao +rimeiro !ue disser !ue tem as
res+ostas/
L"nde +osso encontr@Clo, >r/ C-urc-illO
L#ão temos tem+o9 a+enas me escute/ Eles vão
a+rontar al3uma coisa, +ara começar o es!uema
todo/ 'ssim como desa+areceram a!ueles $,<
tril-ões de d8lares, sumiram tamb)m && armas
nucleares do arsenal dos EN', e eu vi duas delas/
" lam+e=o de uma lu4 bril-ante e vermel-a na
+arede da cabine telefTnica c-amou a atenção de
Eli/ Ele se virou e dei.ou o telefone cair/
Eli C-urc-ill s8 teve tem+o +ara iniciar uma oração
silenciosa, mas não conse3uiu termin@Cla/ >eu
Jltimo a+elo foi interrom+ido +or um tiro :
!ueimaCrou+a de uma +istola com silenciador, e a
Jltima coisa !ue +assou +or sua cabeça foi uma
bala dundum semiencamisada de +onta oca, <UR/
ARTE U#
5V o +oder !ue im+õe as ordens, domina9 os meios
materiais a+enas obedecem/ "s -omens são como
barro nas mãos do l6der consumado/5
LK"",R"K KD0>"#, E 0eader of en
A06der de HomensB
Ca$%tu"o &
' maior +arte das +essoas +ensa na e.+eri2ncia
em termos de anos, mas, a bem da verdade, o !ue
a define são al3uns momentos decisivos/ Em 3eral
nunca mudamos e +assamos boa +arte da vida na
mesma, at) !ue, de re+ente, crescemos de
maneira sJbita, em momentos decisivos/
Nma ve4 !ue sua vida era muito boa do =eito !ue
estava, #oa- 7ardner tin-a em+re3ado uma boa
dose de esforço em seus +rimeiros $% e +oucos
anos +ara evitar, a todo custo, a c-e3ada desses
momentos decisivos/
#ão !ue ele tivesse sim+lesmente =o3ado fora todo
o seu tem+o/ 0on3e disso/ ?ara começar, #oa-
tin-a +assado uma d)cada inteira construindo o
!ue a maior +arte dos -omens c-amaria de uma
im+ressionante re+utação de sucesso com as
mul-eres/ Bonito, com um bom em+re3o,
educação de +rimeira, endiabradamente
en3raçado e at) mesmo inteli3ente !uando !ueria,
ra4oavelmente em boa forma +ara um t6+ico rato
de escrit8rio, #oa- tin-a todas as le36timas
credenciais +ara criar um +erfil arrasador em sites
de relacionamento/ ,esde seu +rimeiro ano na
Nniversidade de #ova Gork, raramente +assava
so4in-o as noites dos fins de semana9 tudo o !ue
tin-a a fa4er era sim+lesmente dei.ar na +osição
m)dioCalto seu botão de 5dis+onibilidade +ara
com+an-ias femininas noturnas5/
,e+ois de c-e3ar aos $R anos e encarar a
iminente a+ro.imação do terr6vel nJmero <%, #oa-
tin-a começado a +erceber uma coisa sobre o
botão m)dioCalto* +ara dançar um tan3o tem de
-aver duas +essoas/ >e ele tin-a bai.as
e.+ectativas no !ue di4ia res+eito ao =o3o do
amor, as mul-eres !ue ele vin-a con-ecendo e
com !uem sa6a estavam fa4endo a mesma coisa/
'3ora, no seu anivers@rio de $W anos, ainda não
tin-a certe4a da!uilo !ue !ueria em uma mul-er,
mas =@ sabia o !ue não !ueria* 5uma namoradaC
trof)u5, al3u)m s8 +ara e.ibir +ara os ami3os/
,isso =@ estava de saco c-eio/ Talve4, e a+enas
talve4, fosse -ora de +ensar em en3atar um
relacionamento s)rio/
#o meio dessas diva3ações sobre a vida e o amor,
ele viu +ela +rimeira ve4 a mul-er de seus son-os/
#ão -avia nada de remotamente rom;ntico nas
circunst;ncias da situação/ Ela estava em +), na
+onta dos dedos, esticando o braço +ara +re3ar
com tac-in-as, no !uadro de avisos de cortiça da
em+resa, um fol-eto vermel-o, branco e a4ul/ E
ele estava s8 ol-ando, na frente da m@!uina de
sal3adin-os, +aralisado no tem+o entre o se3undo
e o terceiro botão do +ainel de seleção do seu
+etisco da tarde/
?sic8lo3os renomados nos di4em na revista Maxim
!ue as +rimeiras im+ressões mais im+ortantes são
re3istradas nos de4 se3undos iniciais/ ?ode não
+arecer muito tem+o, mas ) uma eternidade
!uando se trata de um -omem encarando um
cole3a de trabal-o do se.o feminino/ ,e+ois de
!uatro se3undos, #oa- =@ tin-a feito tr2s
observações/
Em +rimeiro lu3ar, ela era linda, de uma bele4a
discreta, !ue !uase desafiava o observador a
encontr@Cla/ >e3undo, ela não fa4ia +arte do estafe
+ermanente de funcion@rios, +rovavelmente
estava trabal-ando como tem+or@ria na sala de
e.+edição ou em al3um de+artamento de alta
rotatividade/ Terceiro, mesmo na!uele car3o
modesto, ela não sobreviveria muito tem+o na
,oyle F erc-ant/
,i4em !ue devemos nos vestir +ara o trabal-o !ue
+retendemos ter, e não +ara o trabal-o !ue temos/
Dsso ) es+ecialmente verdadeiro no ramo de
relações +Jblicas e de assessoria de ima3em, em
!ue a a+ar2ncia ) a realidade/ '+arentemente o
trabal-o !ue a!uela 3arota dese=ava ter era de
rece+cionista da >ociedade de ?reservação
Cultural 7rateful ,ead/ as não, não era
e.atamente isso/ Ela não +arecia uma as+irante a
-i++ie retrT/ Era mais do !ue as rou+as, era outra
coisa, era seu +orte, seu =eito, a maneira com !ue
ela se movia, como um es+6rito 3enuinamente
livre/ Era 8bvio !ue ela e.alava uma vibração
atraente, mas não -avia lu3ar +ara a!uele ti+o de
coisa L nem na rou+a nem na atitude L na!uele
mundin-o conservador, em+erti3ado e
convencido, das relações +Jblicas de #ova Gork/
,e+ois de cinco se3undos de observação, outro
detal-e c-amou a atenção de #oa-, o !ue o fe4
+erder com+letamente a noção do tem+o/
" !ue o +e3ou de sur+resa foi uma +alavra, ou,
mais +recisamente, o si3nificado de uma +alavra*
lin-a/ ais +oderosa !ue !ual!uer outro elemento
do design, a lin-a ) a alma de uma obra de arte/ V
a ra4ão +ela !ual um sim+les lo3oti+o ou
lo3omarca +ode valer de4enas de mil-ões de
d8lares +ara uma cor+oração/ V o !ue fa4 com !ue
se acredite !ue determinado carro, +ar de 8culos
escuros ou =a!ueta tem o +oder de transformar
+essoas no !ue elas dese=am ser/
' definição !ue ele tin-a recebido de um ami3o
artista não veio na forma de +alavras, mas de um
desen-o/ '+enas sete +inceladas leves de uma
caneta de feltro em uma +@3ina em branco, diante
de seus ol-os, a+areceu a mais +ura ess2ncia de
uma mul-er/ Embora não tivesse nada de lascivo,
era o desen-o mais sexy !ue #oa- =@ tin-a visto
na vida/
E foi isso !ue o arrebatou/ 'li estava, no !uadro de
avisos, a!uela mesma lin-a delicada e re!uintada,
!ue se estendia lindamente das sand@lias dela at)
a +onta dos dedos/ ?or mais im+rov@vel !ue
+udesse +arecer, na!uele e.ato momento ele
soube !ue tin-a se a+ai.onado/
Ca$%tu"o '
C ?osso a=udar voc2 a6O
' frase inicial de #oa-, não muito sutil, foi
+ontuada +elo barul-o do bombom Tootsie Roll
caindo na bande=a de metal da m@!uina de doces/
Ela fe4 uma +ausa e ol-ou de relance +ara a sala
da em+resa destinada aos intervalos de descanso
e conv6vio dos funcion@rios9 al)m dos dois, o lu3ar
estava totalmente va4io/ Era um ol-ar frio e
indiferente, !ue e.aminou #oa- de cima a bai.o/
>em desviar os ol-os, ela en3anc-ou com a +onta
dos +)s um ban!uin-o, +u.ouCo +ara +erto de si,
subiu nele e retomou a tarefa de afi.ar o fol-eto
no !uadro de avisos de cortiça/ " 3esto dei.ava
claro !ue, se tudo o !ue #oa- tin-a a oferecer
eram al3uns cent6metros a mais de c-ão, ela daria
um =eito de conse3uir viver sem ele/
(eli4mente #oa- era abençoado com uma
ce3ueira +ara a re=eição9 ela tin-a dado um 3elo
nele, isso era evidente, mas não ficou nem um
+ouco abalado/ Em ve4 disso, sorriu, e mesmo de
lon3e ima3inou ter visto uma +ontin-a de deleite
no rosto dela/
'l3uma coisa na!uela mul-er desafiava uma
tradicional 5descrição com+leta do esto!ue com
Jnico ol-ar5/ >em dJvida, todas as mercadorias do
invent@rio estavam no lu3ar certo, mas desta ve4
nen-uma escala de 4ero a de4 seria ca+a4 de dar
conta de analisar detal-adamente todo o material/
Era uma e.+eri2ncia inteiramente nova +ara #oa-/
Embora ele s8 estivesse na +resença dela -avia
menos de um minuto, a alma da!uela mul-er L
mais do !ue seu cor+o L tin-a se insinuado dentro
dos sentidos dele/
'o !ue +arecia, ela usava +ouca ou !uase
nen-uma ma!uia3em9 nada +recisava ser
escondido nem embele4ado/ J8ias sim+les de
+rata, =eans desbotados a+ertados e +u6dos no
limite do +ermitido +elo c8di3o de vestu@rio da
5se.taCfeira casual5 da firma/ Tudo obviamente
escol-ido e usado +ara a a+rovação e.clusiva dela
e de mais nin3u)m/ Nma ma3n6fica massa de
cabelos ruivos +enteados +ara tr@s em um co!ue
banana +reso +or dois l@+is nJmero dois cru4ados/
" estilo +rovavelmente era resultado de a+enas
al3uns se3undos de arrumação, mas não teria
ficado mais ade!uado mesmo se ela tivesse
+assado -oras em um salão de bele4a/
'o lon3o do dia de trabal-o, al3uns fios rebeldes
tin-am esca+ado do confinamento/ Esses cac-os
castan-os emolduravam um rosto lindo, duas
ve4es mais radiante 3raças aos mist)rios !ue
certamente se ocultavam +or tr@s da!ueles ol-os
verdeCclaros/
Ele c-e3ou mais +erto e leu o fol-eto en!uanto ela
afi.ava a Jltima tac-in-a no canto su+erior do
carta4, cu=o leiaute era amador6stico, mas al3u)m
tin-a se dado ao trabal-o de escrever o te.to a
mão, em cali3rafia +ass@vel/ " t6tulo era colado,
uma tira de +er3amin-o esfarra+ado e levemente
c-amuscado !ue +arecia ter sido arrancado do
rascun-o ori3inal da Constituição dos EN'/
Nós, o Povo
>e voc2 ama seu +a6s, mas teme +or seu futuro,
=unteCse a n8s em uma noite de verdade !ue vai
abrir seus ol-osP
Entre os +alestrantes convidados estão*
Earl att-eH T-omas L Candidato à eleição
presidencial dos E! em "#$% e a&tor do 'est(
seller )ivided *e +all
,oyce Mc)evitt - Re+resentante da re3ional de
#ova Gork das li'erty 'ells
"
Ma.or /eneral +rancis N0 1lein - Ex(comandante
da 2N3C4M
5
6aposento&(se em "#789, co(f&ndador
da organi:ação g&ardiansofli'erty0com
&
" nome do 3ru+o fa4 refer2ncia ao 0iberty Bell, o >ino da 0iberdade, locali4ado
na (ilad)lfia, s6mbolo da luta +ela inde+end2ncia norteCamericana/ A#/ do T/B
1&rt ;ilger - Coordenador do gr&po 3ons of the
!merican <evol&tion
Beverly Emerson L )iretor emérito do site
founderskee+ers
)anny ;ailey - 4 homem por tr=s do 4verthro>
6?omada do Poder9, fen@meno do Ao&?&'e, com
mais de BC milhDes de acessosE
Tra3a um ami3o, ven-a fa4er um brinde conosco e
levante sua vo4 +ela liberdadeP
HHH/(oundersKee+ers/com
' data, o -or@rio e o local da reunião vin-am
im+ressos na +arte de bai.o do carta4/
LEste evento ) -o=e : noiteO L #oa- +er3untou/
L?arab)ns, voc2 sabe ler/ L Ela estava mudando
de lu3ar al3uns dos outros avisos e fol-etos, de
modo a dar mais desta!ue +ara seu +r8+rio carta4/
LTalve4 fosse mel-or voc2 ter afi.ado seu carta4
na semana +assada/ 's +essoas fa4em +lanos/
L?ara di4er a verdade L ela o interrom+eu, assim
!ue terminou seu rearran=o do !uadro de avisos
L, isso foi s8 um descar3o de consci2ncia/ #ão
es+ero !ue al3u)m da!ui v@ se interessar/
L#ãoO
L#ão/
L?or !u2O
Ela virou o cor+o9 em cima do ban!uin-o, estava
um +ouco acima do n6vel dos ol-os dele/ 1ista de
+ertin-o, cara a cara, tin-a uma fran!ue4a tão
intri3ante !uanto +erturbadora/
$
>i3la de Nnited >tates 'rmy Dntelli3ence and >ecurity Command, Comando de
>e3urança e Dnteli32ncia do E.)rcito dos Estados Nnidos/ A#/ do T/B
L1oc2 !uer mesmo saberO
L>im, !uero mesmo saber/
LTudo !ue voc2s, relaçõesC+Jblicas, sabem fa4er
) 3an-ar a vida mentindo/ ?ara voc2s a verdade
não +assa de a+enas mais uma -ist8ria/
Ele sentiu um im+ulso autom@tico de elaborar uma
defesa, mas, antes de conse3uir +ronunciar
!ual!uer +alavra, en3oliu em seco/ Em certo
sentido ela estava absolutamente certa/ M bem da
verdade, o !ue ela acabara de di4er, dei.ando de
lado as +alavras evasivas e amb63uas, era a mais
+erfeita tradução !ue um lei3o +oderia dar da
declaração de +rinc6+ios e ob=etivos da em+resa/
?arecia um momento e.celente +ara mudar de
assunto/
Leu nome ) #oa-/
LEu sei/ Eu se+aro a sua corres+ond2ncia/
"s detal-es !ue ela deu a se3uir foram
enumerados em tom ale3re9 ela fe4 um resumo de
tudo o !ue sabia sobre ele, e, en!uanto isso, ia
tocando -abilmente a +onta dos dedos de uma das
mãos, começando +elo +ole3ar*
L#oa- 7ardner, vi3)simo +rimeiro andar, sala
noroeste, nomeado viceC+residente na semana
+assada/ E fil-o de uma/// de um fi3urão/
LNau/ ?or um instante tive medo de como voc2
terminaria a Jltima frase/
L>eu +ai ) o dono deste lu3ar, não )O
LEle ) dono de boa +arte, ac-o/ Ei, +reciso
confessar uma coisa/
L'+osto !ue sim/
L1oc2 ainda não me disse seu nome, e estou
tentando ler seu crac-@, mas me +reocu+a o fato
de !ue voc2 vai ficar com a im+ressão errada do
lu3ar +ara onde estou ol-ando/
L1@ em frente, não sou t6mida/
"s ol-os dele s8 se desviaram duas ve4es, e
mesmo assim a+enas brevemente/ Ele vislumbrou
uma +e!uena tatua3em, desen-ada com
ele3;ncia e malCescondida +elo decote do top !ue
ela estava usando/ Tudo o !ue dava +ara ver era a
+onta de uma da asa aberta, talve4 de um
+@ssaro, talve4 de um an=o/ >obre a +ele macia e
+@lida -avia uma +e!uena cru4 de +rata +resa a
uma delicada correntin-a/
' identificação estava +resa na 3ola 1 do +ulTver,
cu=o caimento era tão +erfeito nela !ue +arecia ter
sido cuidadosamente tricotado na!uela mesma
man-ã/ % crac-@ +ro+riamente dito era uma
sim+les identificação de funcion@rio tem+or@rio,
a+enas um de3rau acima da credencial de
visitante/ Ela estava sorrindo na foto3rafia, mas
era um sorriso de verdade, do ti+o !ue fa4 a 3ente
!uerer se desdobrar e fa4er !ual!uer coisa s8 +ara
v2Clo de novo/
Lolly Ross/
Com um leve to!ue do n8 dos dedos no !uei.o de
#oa-, olly fe4 com !ue ele er3uesse os ol-os/
LDsso ) fascinante e tudo o mais, >r/ 7ardner, mas
+reciso ir cuidar da m@!uina de fran!uia +ostal/
LEs+ere s8 um se3undo/ 1oc2 vai estar nessa
reunião de -o=e : noiteO
LClaro/
LQue bom/ ?or!ue eu vou tentar ir/
Ela ol-ou +ara ele, calmamente/
L?or !u2O
L" !ue voc2 ac-aO >ou um +atriota/
LV mesmoO >ei/
L>im, sou/ Bastante +atriota/
LDsso me fa4 lembrar uma +iada L disse olly/ L
#o) c-e3a em casa/ " #o)
<
da B6blia, sabeO
Ele fa4 !ue sim com a cabeça/
LEntão, #o) c-e3a em casa de+ois de finalmente
ter reunido todos os animais dentro da arca, e a
es+osa dele +er3unta o !ue andou fa4endo a
semana toda/ >abe o !ue ele disse +ara elaO
L#ão, +ode me contar/
olly +assou a mão de leve na boc-ec-a de #oa-,
+u.ou o rosto dele mais +ara +erto e res+ondeuC
l-e* L Ele disse 5Querida, =@ 5catei tudo5/ Ela
desceu, em+urrou o ban!uin-o +ara seu lu3ar de
ori3em, e saiu corredor afora/
Embora 3eralmente #oa- fosse es+irituoso e
tivesse a l6n3ua afiada e sem+re uma res+osta
+ronta, desta ve4 tin-a sido diferente* mesmo
muito de+ois de a +orta ter se fec-ado atr@s de
olly, ele ainda não tin-a conse3uido +ensar em
nada/
CA(TULO )
Conf i denc i al * tcC ccoX X orcon
<
Em in3l2s, #o) ) #oa-, mesmo nome do +ersona3em/ A#/ do T/B
*Constituciona"istas*+ e,tremismo+
mo-imento de mi"%cias e a crescente amea.a
do terrorismo dom/stico
0um1rio E,ecuti-o
Nma ve4 !ue o 3overno continua a ser testado +or
desafios econTmicos, sociais e +ol6ticos sem
+recedentes na -ist8ria do +a6s, a ascensão de
or3ani4ações radicalCreacion@rias/ acom+an-ada
dos +eri3os de uma 5rebelião +atri8tica5, de
virulentas e.+ressões de 8dio e de terrorismo
dom)stico, deve ser recon-ecida como uma
3rande ameaça : se3urança nacional/
Tendo em mente esse +eri3o real e imediato, )
nossa recomendação !ue +lanos de contin32ncia
se=am levados a efeito A+or meio do uso de
informações coletadas em ações e.+lorat8rias
anteriores Y+or e.em+lo, "+s/ REZCW[\ e em
conformidade com H>?,C$%X#>?,CU&B, com os
se3uintes ob=etivos*
&2 Identi3ica.4o
,isci+linar e 3arantir o cum+rimento da lei e
en3a=ar a +o+ulação em um +ro3rama criado com
o intuito de traçar o +erfil, identificar os indiv6duos
e 3ru+os envolvidos em com+ortamentos
sus+eitos* +rotestosXdefesa de causas, distribuição
de literatura subversiva e de incitação eXou a+8ia
manifesto a !uestões !ue são recon-ecidamente
5bandeiras vermel-as5 Asinais de alertaB/
Lilitantes antiaborto ou or3ani4ações +r8Cvida X
5E.)rcito de ,eus5
[
X '32ncias e or3ani4ações de
a+rendi4ado escolar domiciliar
L'ntiCimi3ração X defensores das fronteiras X
alarmistas da N#'
U
X inutemen
]
X 5Tea ?arties5
R
Lil6cias X 'de+tos de reencenações -ist8ricoC
militares X veteranos de 3uerra mar3inali4ados
eXou socialmente e.clu6dos X >obrevivencialistas
L7ru+o ambientalista Eart- (irst YTerra ?rimeiro\ X
(rente de 0ibertação da Terra X 5'nar!uistas
verdes5 X Bancos de sementes
L,efensores da resist2ncia fiscal X ,efensores da
e.tinção do (E, X DR> X "CX (D
W
X anifestantes
contr@rios ao Banco undial
LRet8rica antissemita X Clube de Bilderber3 X
C(R X Comissão Trilateral
S
X 5#ova "rdem undial5
[
5'rmy of 7od A'"7B5 ) uma or3ani4ação terrorista cristã antiaborto !ue
a+rova o uso de força +ara combater a +r@tica do aborto nos EN'/ Y#/ do T/B\
U
Nnião #orteC'mericana A#ort- 'merican Nnion, N'\ ) uma iniciativa
+ro+osta em $%%U +elo +residente norteCamericano 7eor3e K/ Bus- aos
l6deres de 3overnos do ).ico e do Canad@ de criar uma unidade comercial
baseada no modelo euro+eu, em !ue os EstadosCmembro estarão livres de
barreiras alfande3@rias/ A#/ do T/B
]
" inuteman ?ro=ect ) um 3ru+o volunt@rio de mil-ares de civis norteC
americanos !ue se reve4am na +atrul-a e vi3il;ncia armada da fronteira EN'C
).ico, o nome inutemen fa4 alusão a uma mil6cia !ue atuou na 7uerra de
Dnde+end2ncia dos EN'/ Y#/ do T/\
R
" Tea ?arty ) um movimento social e +ol6tico norteCamericano9 suas ideias são
+o+ulistas, ultraconservadoras e de ultradireita/ % nome deriva da (esta do
C-@ de Boston YBoston Tea ?arty\, ação de +rotesto dos colonos in3leses na
'm)rica contra o 3overno brit;nico em &RR<, em !ue foram destru6dos
cai.otes de c-@ +ertencentes : Com+an-ia Brit;nica das ^ndias "rientais/
W
" (E, ) o (ederal Reserve >ystem, o Banco Central dos EN'9 o DR> ADnternal
Revenue >erviceB ) o e!uivalente norteCamericano da Receita (ederal9 "C )
a or3ani4ação undial do Com)rcio Aem in3l2s, Korld Trade "r3ani4ation,
KT"B9 (D ) si3la do (undo onet@rio Dnternacional Aem in3l2s, Dnternational
onetary (und, D(B A#/ do T/B
S
" Clube de Bilderber3 ) uma confer2ncia anual secreta de +ersonalidades do
mundo em+resarial, acad2mico, midi@tico ou +ol6tico Aincluindo c-efes de
Estado, membros de 3overnos e +arlamentos, c-efes de alianças militares,
+residentes de multinacionais, bancos, or3ani4ações financeiras e entidades
LCam+an-as +ol6ticas de +artidos
inde+endentes X >e+aratistas X ,efensores da
soberania dos Estados da federação
L?artido 0ibert@rio X ?artido Constitucionalista X
5ovimento +atriota5 X 'tivistas do direito ao +orte
de armas de fo3o
L5' verdade sobre && de setembro5 X Te8ricos da
cons+iração X #e3adores do Holocausto X
?re3adores do 8dio no r@dio, T1, internet e na
im+rensa escrita
LDdentidade cristã X #acionalistas Brancos X
?artido #a4ista dos EN' X defensores da 5liberdade
de e.+ressão5 em 3eral
'2 C"assi3ica.4o 5 iso"amento 5 "istas de
aten.4o agressi-as
Classificar indiv6duos e 3ru+os identificados com
base nos crit)rios atuali4ados de n6vel de ameaça
do ,e+artamento de >e3urança Dnterna dos
ambientalistasB +ara debater !uestões internacionais 3erais9 o C(R ACouncil on
(orein3 RelationsB ) o Consel-o das Relações E.teriores dos EN'9 a Comissão
Trilateral, criada +elo bilion@rio norteCamericano ,avid Rockefeller em &SR<, )
uma or3ani4ação internacional +rivada !ue con3re3a l6deres de todos os
setores de atividade, re+resentando as tr2s maiores re3iões industriali4adas do
mundo A'm)rica do #orte, Ja+ão e Euro+aB, +ara +romover a
internacionali4ação dos ne38cios e aumentar a com+etitividade 3lobal das
economias/ A#/ do T/B
Contra o abuso de +oder, a Quarta Emenda da Constituição dos EN'
+rote3e os indiv6duos de 5buscas e a+reensões irracionais5 +or +arte do
3overno, e e.i3e mandados =udicialmente autori4ados e a+oiados +or causa
+rov@vel/ A#/ do T/B
' marca de cerve=a leva o nome do +ol6tico norteCamericano >amuel
'dams A&R$$C&W%<B, um dos mitos fundadores do +a6s, 3overnador de
assac-usetts e +rimo de Jo-n 'dams A&R<UC &W$]B, o se3undo +residente dos
EN'/ A#/ do T/B
Benedict 'rnold A&R[&C&W%&B, 3eneral norteCamericano !ue +assou
+ara o lado brit;nico durante a 7uerra da Dnde+end2ncia dos EN' A&RRUC&RW<B9
seu nome tornouCse met@fora de traição/ A#/ do T/B
James adison, Jr/ A&RU&C&W<]B, advo3ado e +ol6tico estadunidense, o
!uarto +residente dos EN', entre &W%S e &W&R/ A#/ do T/B
Estados Nnidos/ Em+re3ar, de maneira a3ressiva,
vi3il;ncia, t@ticas de cum+rimento da lei, +or
e.em+lo* 5bater de +orta em +orta5, lançar mão de
mandados de entrada clandestina ou de entrada
subCre+t6cia A!ue autori4am a +ol6cia a invadir um
local sus+eito sem a +ermissão do +ro+riet@rio ou
do ocu+ante do im8velB, montar +ostos de
controle, cum+rir com ri3or mandados de busca e
a+reensão L e outras medidas e recursos
+reventivos e +unitivos : dis+osição A+or e.em+lo,
elaborar listas de sus+eitos +roibidos de via=ar +or
via a)rea e de fa4er com+rasB, conforme escala
a+ro+riada/
)2 Deten.4o 5 encarceramento 5
interrogat!rio 5 instaura.4o de $rocesso
's +r@ticas e.trale3ais de detenção +reventiva +or
tem+o indeterminado X interro3at8rios +rolon3ados
X encarceramento de inimi3os civis =@ estão
arrai3adas na +erce+ção +Jblica, +elo menos at)
certo +onto e em um 3rau !ue +ode ser revertido
a nosso favor/ " +recedente foi estabelecido e
continua contando com a+oio de uma cobertura de
neutra a +ositiva +or +arte da 3rande m6dia/
Contudo, uma ve4 !ue cidadãos norteCamericanos
de sJbito +assaram a a+arecer nos notici@rios
ocu+ando o lu3ar de terroristas da 'l Qaeda, certo
n6vel de resist2ncia +sicol83ica deve ser +revisto
e/ então, neutrali4ado assim !ue sur3ir/ V o+inião
do comit2 !ue tal reação refle.ivoC+o+ulista ) um
3rande obst@culo ao +ro3resso/ ,e fato, na
aus2ncia de al3um evento catastr8fico e
catalisador Ada am+litude de um ata!ue a ?earl
Harbor X && de setembroB, e.iste a +ossibilidade de
!ue ações ra4o@veis do 3overno nessa @rea cr6tica
se=am recebidas com si3nificativa indi3nação
+Jblica, e at) mesmo com a e!uivocada sim+atia
ativa e a+oio a esses elementos
sediciososXtraiçoeiros e seus ob=etivos calcados no
8dio/
Esta lista ) a+enas uma amostra re+resentativa, e
est@ lon3e de ser e.austiva/ 1er '+2ndice, R, +/
a<$&/
1er '+2ndice #, subseção &%/</
Conti nua
L 'c-o !ue =@ li o suficiente/
'rt-ur Dsaia- 7ardner fec-ou sua c8+ia da
+a+elada dentro da +astaCfic-@rio de seu novo
cliente e +ousouCa cuidadosamente sobre a mesa
da sala de reuniões/ ,e+ois desli4ou a +asta
al3uns cent6metros +ara a frente, at) c-e3ar a um
+onto +reciso, fora do c6rculo das coisas !ue eram
im+ortantes/
#oa- tin-a crescido com um saud@vel medo desse
3esto, mas em anos mais recentes +assara a
a+reciar sua versatilidade/ Como e.+ressão de
+rofunda dece+ção +aterna, o 3esto funcionava
+ara mostrar o desa+ontamento do vel-o, tanto
com as notas do boletim escolar do fil-o !uanto
com um dossi2 !ue va4ara desastrosamente e
tin-a ido estam+ar a +rimeira +@3ina da edição
dominical do =ornal *ashington Post0
,e+ois de soltar um sus+iro leve e cansado, o
vel-o +ermaneceu sentado, com a mesma feição
de estadista vis6vel no retrato !ue +airava no
sa3uão +rinci+al do +r)dio/ '!uela +intura a 8leo
era a maior +ro.imidade !ue maioria de seus mais
de [%% funcion@rios conse3uiria c-e3ar em relação
ao +atriarca da em+resa/ Quando não estava
via=ando, 7ardner ficava trancafiado em sua sala,
!ue tin-a um elevador +rivativo/
LM bem da verdade, >r/ 7ardner, creio !ue seria
ben)fico +ara a e!ui+e e.aminar a !uestão///
LQuem falouO
" +ai de #oa- raramente e.+ressava diretamente
sua raiva/ #ão como antes/ Com a idade, seu
lend@rio mau -umor foi sendo refinado, e nos
Jltimos de4 anos era raro ouviClo levantar a vo4/ "
veneno ainda estava l@, mas tin-a sido destilado e
+urificado at) o +onto em !ue suas v6timas nem
se!uer conse3uiam +erceber a ferroada da
inoculação letal/ ' +er3unta 5Quem falouO5 foi feita
com 3enu6no es+anto e sur+resa, como se o vel-o
estivesse se diri3indo a uma =aula re+leta de ratos
de laborat8rio e de re+ente um dos roedores
tivesse er3uido a +atin-a rosada +ara fa4er uma
+er3unta/
' sala mer3ul-ou em sil2ncio/
L(ui eu L disse um sen-or sentado na outra
e.tremidade da com+rida mesa, +osicionado na
cadeira +rinci+al do lado do cliente/ Nm belo terno,
corte de cabelo recente e conservador, e a3ora um
rubor rosado nas maçãs do rosto/
L0evanteCse/
" -omem er3ueu meio cor+o, abrindo um
sorrisin-o encabulado !ue não durou muito tem+o/
"l-ou ao redor, em busca de a+oio moral dos
outros de sua e!ui+e, mas nin3u)m teve cora3em
de fi.ar seus ol-os/
L#ão era min-a intenção interrom+er o sen-or L
ele se descul+ou com vo4 medrosa/
'rt-ur 7ardner res+ondeu com um leve
movimento +ara cima da mão aberta, 3esto !ue
serviu +ara lembrar o -omem de !ue ele tin-a
recebido a clara instrução de se levantar/
L' fim de tran!uili4ar sua +reocu+ada mente L
disse o +atriarca L, +ermitaCme asse3ur@Clo de
!ue o insi3nificante +roblema !ue o sen-or nos
a+resentou -o=e =@ est@ devidamente resolvido/ '
mat)ria do Post =@ foi defenestrada/ Nma
entusiasmada e!ui+e de es+ecialistas em
com+utação est@ rastreando a fonte do
va4amento9 o memorando, +ro+riamente, dito est@
sendo ne3ado de maneira veemente e +laus6vel
+or seus autores e atribu6do a al3uma burocracia
su+er4elosa do eio "este/ Quem vai levar a cul+a
desta ve4, #oa-O
L' 7uarda #acional de Dllinois/
LDsso mesmo/ Crise evitada/ Tudo devidamente
solucionado antes das &% -oras +or meu fil-o/
#oa- ) um ra+a4 bril-ante, se me +ermitem di4er,
embora eu ten-a certe4a de !ue ele concorda !ue
ainda não -erdou o 3osto do +ai +or san3ue/
esmo assim, ele ) mais do !ue ca+a4 de medir
forças com essa +e!uena dificuldade/
Em meio a um 3ole de caf), #oa- er3ueu seu co+o
em um falso sinal de a3radecimento ao elo3io
enviesado/ ?elo canto do ol-o viu o -omem em +),
do lado do cliente, levantar o +e!ueno dedo
indicador +edindo atenção/
LCom todo o devido res+eito, >r/ 7ardner, +ode
at) ser, mas///
LBastaP
Com vi3or sur+reendente +ara um -omem de R[
anos, 'rt-ur 7ardner er3ueu a +esada +asta da
mesa e =o3ouCa violentamente contra a +arede/ "
-omem do 3overno +arou de falar, arre3alou um
+ouco os ol-os e o resto de seu rosto ficou
sus+enso no meio da s6laba/ "s +a+)is mal tin-am
terminado de esvoaçar +ela sala e um 3ru+o de
esta3i@rios sur3iu das sombras, como se fossem
+e3adores de bolas das !uadras de Kimbledon,
+ara recol-er a ba3unça/
LNm colunista do *all 3treet ,o&rnal uma ve4
escreveu L en!uanto falava, o +ai de #oa- ia
alisando os +un-os da camisa, amarrotados de+ois
do esforço L !ue eu tin-a mais din-eiro !ue ,eus/
#ão +osso afirmar isso/ #ão acredito em ,eus, e,
assim como um nJmero cada ve4 maior das
+rinci+ais economias do mundo, tamb)m =@ não
acredito mais no d8lar/ >omente duas coisas são
sa3radas +ara mim a3ora/ Nma ) o meu tem+o, e
recomendo vivamente a todos os !ue estão a!ui
+resentes !ue não des+erdicem mais um se3undo
se!uer dele/ ' outra ) o meu le3ado/ Ho=e era
min-a intenção dar aos sen-ores a o+ortunidade
de com+artil-ar comi3o +arte disso, mas, +or
causa dessas interru+ções, est@ se tornando !uase
im+oss6vel levar adiante meu dese=o/ '3ora, se
nin3u)m mais tem ob=eções !ue nos desviem da
+auta !ue os sen-ores receberam +or fax, eu
adoraria continuar/
#in3u)m disse uma +alavra/ Ele meneou a cabeça/
L?ois muito bem/ 'o e.aminar o malfadado
documento, bem como o estado de coisas em
termos mais am+los, eu me lembrei de dois
im+ortantes eventos da min-a vida/ % +rimeiro
ocorreu no in6cio de &SWS, !uando uma coali4ão de
-omens de ne38cios me +rocurou com um desafio/
"s antecessores desses em+res@rios tin-am
e.+lorado, ao lon3o de mais ou menos um s)culo
um belo mercado de &%% mil-ões de d8lares, e
esses -omens estavam contentes com o bemC
sucedido ne38cio !ue tin-am -erdado, mas
!ueriam um +ou!uin-o mais/ Talve4 a+enas uma
e.+ansão dom)stica de <_ a U_/ Então vieram
falar comi3o, com o c-a+)u na mão, e
+er3untaram se era +oss6vel obter tal n6vel de
crescimento/ Trou.eram uma +asta, +arecida com
a dos sen-ores, c-eia de temores e +reocu+ações
e seus modestos son-os e es+eranças/
Ele virou o cor+o +ara se diri3ir diretamente ao
-omem !ue ainda estava em +), do outro lado da
sala/
L>r/ ?urcell, não )O (i!uei sabendo !ue o sen-or )
uma estrela em lenta ascensão no nosso +oderoso
,e+artamento de >e3urança Dnterna, ) isso
mesmoO
Nm leve meneio de cabeça, e nada mais/
L'ntes, o sen-or +arecia tão ansioso +ara me
orientar/ Nm !uadro branco est@ ali a3uardando na
+arede, acabou de ser a+a3ado, e tem um
con=unto de canetas coloridas a sua dis+osição/
'credito !ue +ossamos, inclusive, +rovidenciar
uma canetaClaser +ara a=ud@Clo a c-amar a
atenção de todos n8s a!ui +ara suas fascinantes
ilustrações/ Então, o sen-or 3ostaria de condu4ir a
reunião a3ora, ou +ermite !ue eu continueO
Nm mJsculo se enri=eceu na mand6bula de ?urcell,
mas ele não ousou falar/ ,e+ois de al3uns
instantes, fe4 menção de voltar a se sentar, mas
foi interrom+ido +elo mais leve ti!ue da mão do
vel-o/ Era o ti+o de dei.a silenciosa !ue um
adestrador de cães d@ a uma cadela afobada em
sua +rimeira aula sobre o uso da enforcadeira/
L(i!ue em +) s8 mais um momento, >r/ ?urcell/
'=udeCme/ ?er3unteCme o !ue a!ueles -omens
estavam vendendo, e vou mostrarCl-es o camin-o
+ara um mundo inteiramente novo, onde tudo o
!ue os sen-ores !uiserem vai a+arecer diante de
seus ol-os, +ronto +ara a mais abundante col-eita/
" vel-o foi camin-ando at) o outro lado da mesa e
s8 +arou !uando ficou cara a cara com o -omem
em +)/ Com um aceno de cabeça, encora=ou
?urcell*
L1@ em frente, +ode me +er3untar/
Quando ?urcell, +or fim, falou, sua vo4 saiu fraca e
t6mida/
L" !ue eraO
'rt-ur 7ardner dei.ou um sorriso se esboçar no
canto dos ol-os e disse*
L"-, nada de muito valor/ `3ua, s8 isso/
" vel-o +ousou a mão no ombro de ?urcell,
a+ertou com vi3or, e fe4 sinal +ara !ue o
desnorteado -omem retomasse seu lu3ar na
cadeira, o !ue ele obedeceu/
L?eço a todos !ue me +erdoem, nosso cole3a >r/
?urcell teve a 3entile4a de me au.iliar em min-a
demonstração, cu=o +ro+8sito voltaremos a discutir
dentro em breve/ L Conclui 3ardner/
Com um discreto 4umbido, telas de +ro=eção
começaram a descer do teto, cobrindo
3radualmente as +aredes a+aineladas da am+la
sala oval/ 's lu4es foram diminuindo at) a sala
ficar na semiCescuridão/ "uviuCse um cli!ue assim
!ue as telas c-e3aram simultaneamente a sua
+osição/ Tudo o !ue restou foi um c6rculo de
iluminação suave !ue condu4iu 4elosamente o >r/
7ardner at) seu lu3ar/
L1ou di4er aos sen-ores a mesma coisa !ue eu
disse :!ueles vendedores de @3ua en3arrafada
vinte anos atr@s, nesta mesma sala/ >e esta +asta
a!ui ) o limite das suas ambições, então os
sen-ores vieram ao lu3ar errado/ ' 'venida
adison est@ entul-ada dos dois lados de
mascates e +ublicit@rios, e at) mesmo o mais
c-infrim deles ) ca+a4 de conse3uir uma
insi3nific;ncia dessas, e cobrando +reço de
banana/ >e isso for tudo o !ue os sen-ores
!uerem, +odem ir em +a4/ as eles ficaram, e
es+ero !ue os sen-ores façam o mesmo, +ois eu
os condu4i ao lu3ar em !ue eles estão -o=e, com
seus ob=etivos não a+enas reali4ados, tam+ouco
du+licados ou !uadru+licados, mas, na verdade,
multi+licados +or mil/ E +osso fa4er a mesma coisa
+elos sen-ores/
Nma mul-er do 3ru+o do cliente, =ovem e de
a+ar2ncia +edante, er3ueu um +ouco a mão, de
maneira -esitante, como se estivesse se
a+resentando como volunt@ria +ara um solit@rio
ata!ue frontal aos can-ões de #avarone/ Ela s8
falou de+ois de um meneio de cabeça de 7ardner
autori4ando a interru+ção/
L#ão sei ao certo se estamos entendendo o !ue o
sen-or !uer di4er, >r/ 7ardner/ #ossos ob=etivosO
L>eus ob=etivos, sim/ >eu futuro/ " futuro do
3overno +ara o !ual os sen-ores trabal-am/ "u
se=a, o futuro deste +a6s, e a ur32ncia de a3ir em
nome dele/ E isso nos leva a min-a se3unda
-ist8ria, !ue estran-amente continua no tema da
@3ua/
L'l3um tem+o atr@s eu estava +assando min-as
f)rias no >ri 0anka/ Em !ue ano foiO '-, sim, $%%[/
?ouco de+ois do #atal/ Nma camareira veio at) o
meu !uarto e me acordou do son-o mais
maravil-oso/ Ela estava sem fTle3o, a coitadin-a,
e me tra4ia uma mensa3em ur3ente, a not6cia de
um terremoto +erto de >umatra, e !ue
+recis@vamos ir embora o !uanto antes/ Bem, +edi
+ara tra4erem meu caf) da man-ã/ En!uanto
arrumavam min-as malas, alu3uei um -elic8+tero,
nos vestimos +ara a via3em e subimos ao
-eli+orto no tel-ado +ara a3uardar o embar!ue/
Nma onda 3i3ante estava vindo, entendemO "
terremoto tin-a liberado a ener3ia de & bil-ão de
bombas atTmicas sob o oceano e um ts&nami
estava se es+al-ando do e+icentro em todas as
direções/
Ele fe4 uma +ausa +ara bebericar seu c-@ e de+ois
devolveu cuidadosamente a .6cara ao +ires/
L" -elic8+tero lo3o c-e3ou e meu 3ru+o começou
a embarcar/ Era uma man-ã tão linda, tudo
+arecia +erfeito no mundo, e as +essoas
i3noravam com+letamente o !ue estava +or vir/
Eu !uis ficar, e +or isso ficamos/ Havia
adolescentes surfando, fam6lias camin-ando com
cac-orros na areia, andando de barco, soltando
+i+as, crianças com baldes e +@s +rocurando
conc-as/ Eu não conse3uia des+re3ar os ol-os
da!uilo/ Era tudo fascinante demais +ara mim L
as +essoas l@ embai.o não sabiam ou não
com+reendiam !ue al3o im+ens@vel estava a
camin-o +ara destru6Clas/
L,o tel-ado vi as @3uas lentamente se afastarem
da +raia/ 's +essoas tamb)m viram/ ,eve ter sido
uma ilusão, mas +arecia !ue o mar tin-a recuado
!uase at) a lin-a do -ori4onte/ ?ara cada uma
da!uelas +essoas !ue correram em busca de
abri3o em lu3ares mais altos -avia centenas !ue
ficaram, -i+noti4adas, en!uanto seu destino
iminente 3an-ava 6m+eto/
Lais tarde fi!uei sabendo !ue e.istia uma forma
de sistema de alerta !ue tin-a fal-ado, ou !ue os
res+ons@veis +ela se3urança +Jblica -aviam sido
com+lacentes demais e +or isso dei.aram de
res+onder aos telefonemas e alertas +elo r@dio/
as vou di4er o !ue eu ac-o !ue aconteceu/
L' meu ver, a!uelas +essoas ficaram l@ +or!ue
ac-aram !ue as fr@3eis coisas !ue elas tin-am
constru6do durariam +ara sem+re/ Elas ol-aram
+ara o !uebraCmar e confiaram na!ueles muros/
#ada +oderia destruir a!ueles +aredões, +or!ue
nada =amais tin-a conse3uido fa4er isso antes/
as, !uando o mar veio, não foi na forma de uma
onda, foi uma insurreição da +r8+ria nature4a, um
inc-aço das @3uas, firme, im+lac@vel e +aciente,
com+letamente indiferente :s fr@3eis construções
da -umanidade/ E tudo foi varrido do ma+a/
in-as f)rias foram encurtadas, e U% mil +essoas
da!uela re3ião +erderam a vida/
" vel-o encarou todos os +resentes : reunião, um
+or um/
L" banco de investimentos Bear >terns, firma
+ioneira de Kall >treet fundada !uando meu +ai
ainda era moço, e uma em+resa cu=as ações
recentemente vin-am sendo vendidas a &]%
d8lares cada uma, concordaram em ser vendidos
+ara o (ederal Reserve e o J/ R/ or3an a dois
d8lares +or ação/ Esse foi a+enas o começo, meus
ami3os, esse foi o seu terremoto debai.o do
oceano/
LEn!uanto eu e.aminava sua situação -o=e de
man-ã, ocorreuCme o se3uinte* os sen-ores são
e.atamente como a!uelas +essoas na +raia de
Kalutara, não sãoO Estão assistindo a um desastre
crucial e ca+a4 de mudar o mundo, e, mesmo
assim, +or al3uma estran-a ra4ão +arecem
in!uietos e +reocu+ados com o !ue o +ovo norteC
americano +ensaria caso lesse no =ornal sobre o
+;nico +lenamente =ustificado dos sen-ores/ Esse
não ) o +roblema dos sen-ores, obviamente/ #ão
) o !ue eles +odem +ensar acerca dos sen-ores
!ue tira seu sono9 ) o !ue eles +odem muito bem
fa4er com os sen-ores, e com seus su+eriores,
lo3o a+8s a cat@strofe 3lobal !ue est@ em vias de
acontecer/
L"l-a s8 +ara os sen-ores/ Estão em+il-ando
sacos de areia !uando o litoral inteiro est@ +restes
a mudar +ara sem+re/ En!uanto isso, os crimes
!ue os sen-ores temem tanto !ue o +ovo
descubra continuam ocorrendo/ Estamos em meio
ao !ue vai se tornar a calamidade financeira mais
devastadora da -ist8ria da civili4ação ocidental, e
somente nesta semana L +or favor, me corri=am
se meus nJmeros estiverem errados L o
Con3resso e o 3overno se com+rometeram a
re+assar !uase W tril-ões de d8lares +ara as
mesmas instituições !ue en3endraram a crise/ E
em sua infinita sabedoria, os sen-ores colocaram
os ami3os e camaradas deles no comando da
su+ervisão desse su+osto est6mulo econTmico/
Dsso ) um assalto, um crime +er+etrado +or
+essoas !ue deviam evit@Clo/ Dsso =@ foi feito antes,
) claro/ ' ?revid2ncia >ocial foi o maior es!uema
de fraude de todos os tem+os, mas todas as
contas de todos a!ueles anos estão finalmente
+ara vencer, e não e.iste din-eiro suficiente +ara
+a3@Clas/
Nm 3ru+o de +ro=etores di3itais +erto do teto
acordou do stand('y e as telas, circundando a sala
se acenderam com um +anorama ininterru+to de
ima3ens/ Tabelas, 3r@ficos, !uadros, balancetes e
dia3ramas, crono3ramas, flu.o3ramas e
nomo3ramas, nen-um deles e.ibido tem+o
suficiente +ara absorver a atenção, a não ser
cum+rir o +a+el de ser um contin&&m indistinto de
+es!uisa de mercado e serviço de inteli32ncia
atr@s das +alavras do vel-o/
L'o lon3o do Jltimo s)culo os sen-ores
sobrecarre3aram seus infeli4es cidadãos com uma
d6vida de &%% mil bil-ões de d8lares, din-eiro !ue
eles levarão U% 3erações +ara +a3ar, isso se at) l@
ainda -ouver em+re3os/ En!uanto isso, os
sen-ores estão atolados at) o +escoço em duas
3uerras e!uivocadas e cada ve4 mais com+licadas,
sem o menor ind6cio de fim/ >ão mais tril-ões em
d6vidas im+a3@veis/ Em todo o +a6s os bancos
estão falindo/ >omente este ano faliram mais
bancos do !ue em toda a d)cada +assada/ >ua
economia movida a d6vidas est@ entrando em uma
es+iral de !ueda livre, e mesmo assim a +rimeira
reação dos sen-ores foi i3norar as necessidades
dos eleitores e recom+ensar os criminosos/
En!uanto as e.ecuções -i+otec@rias das casas dos
cidadãos estão batendo todos os recordes e o
desem+re3o vem e.+lodindo em todos os estados,
os sen-ores estão ocu+ados fu3indo das auditorias
e nacionali4ando os 3i3antescos +re=u64os das
a+ostas da elite de *all 3treet0 ?elo amor de ,eus,
os sen-ores nacionali4aram a 7eneral otors,
a+enas +ara livrar do a+uro seus ami3os
sindicalistas/ Como sabem, as +ensões dos
sindicatos estão severamente carentes de
recursos, o !ue acrescenta : conta outros &R
bil-ões de d8lares/ E, devo di4er, &R bil-ões !ue os
sen-ores não t2m/
' vo4 de +rata de 'rt-ur 7ardner foi 3an-ando
força at) enc-er com+letamente a sala de
reuniões, +onto a+8s +onto, com a autoridade e a
cad2ncia de um +re3ador levando os fi)is ao
arrebatamento/
L'+enas +ara conse3uir se manter : tona, o
3overno est@ tomando em+restados U bil-ões de
d8lares +or dia, a uma ta.a de =uros cada ve4
maior, de nossos o+ortunistas ami3os asi@ticos/
as isso vai acabar !uando eles +erceberem !ue
as @3uas estão recuando da +raia/ ais cedo ou
mais tarde, ser@ im+oss6vel ne3ar a verdade, o
fato de !ue não -@ como +a3ar essas d6vidas, e
-aver@ +;nico, uma corrida mundial contra o d8lar,
e, 3raças a ações !ue os sen-ores tomaram, os
resultados serão fatais e irrevers6veis/
Dsso não est@ acontecendo a+enas a!ui, ) em toda
+arte/ Carroll Qui3ley e.+licou o +lano em ?ragedy
and hope ATra3)dia e es+erançaB* a Jnica
es+erança de evitar a tra3)dia da 3uerra ) unir as
economias do mundo +ara fomentar a estabilidade
e a +a4 mundial/ E isso foi feito, mas com
conse!u2ncias involunt@rias, ainda !ue +revis6veis/
Em ve4 de se a=udarem mutuamente, os
ban!ueiros internacionais usaram todo o seu
+oder +ara obter 3an-os de curto +ra4o, =o3ando
nas costas do +ovo d6vidas inima3in@veis/ Quando
o barco afundar, estaremos de mãos atadas,
acorrentados uns aos outros +elos +ulsos e
torno4elos, e, assim !ue começar o naufr@3io, a
destruição não vai ocorrer em um es+aço de
meses, mas da noite +ara o dia/ Nma de+ressão,
!ue vai fa4er o inferno da d)cada de &S<% +arecer
o ?ara6so na Terra, assolar@ o +a6s em uma onda
3i3antesca de ru6na e bancarrotas, em uma escala
inima3in@vel/ E, !uando isso acontecer, !uem os
sen-ores ac-am !ue as massas vão +rocurarO
Nma +e!uena dica* as +essoas !ue vão ser
consideradas as cul+adas +ela tra3)dia estão
sentadas ao redor desta mesa/
' sala mer3ul-ou em sil2ncio/ " Jnico som
+erce+t6vel era o 4umbido dos +ro=etores/
L >im, as massas virão atr@s dos sen-ores/ Todos
os sen-ores a!ui sentados/ (oram os sen-ores !ue
constru6ram o sistema e disseram :s massas !ue
tudo ficaria bem/ V das suas mentiras !ue as
+essoas vão se lembrar !uando constatarem !ue o
din-eiro delas vale menos do !ue as +romessas
!ue os sen-ores fi4eram/ V das tra+aças dos
sen-ores !ue elas vão se lembrar !uando
+erceberem !ue o futuro dos fil-os se
desmanc-ou no ar/ E, +odem acreditar no !ue eu
di3o, ) do rosto dos sen-ores !ue as massas vão
se lembrar !uando tomarem consci2ncia de !ue,
em ve4 da a+osentadoria, s8 vão receber <[
semanas de sal@rioCm6nimo/
Como eu sei de tudo issoO >im+les* !uando as
coisas dão errado, sem+re ) +reciso -aver al3u)m
!ue leve a cul+a, um vilão, se +referirem/ Como
di4em +or a6, se não se est@ sentado : mesa +ara
comer, +ode ser encontrado no card@+io/ >e
sa6rem da!ui com a mesma arro3;ncia com !ue
entraram, então, meus ami3os, em breve os
sen-ores serão servidos como o +rato es+ecial do
dia/
Ele fe4 uma nova +ausa +ara encarar sua +lateia,
um semic6rculo de rostos com+reensivelmente
+@lidos e tomados de +;nico, iluminados a+enas
+elas +rovas frias do destino iminente +ro=etadas
nas telas ao redor/
Las nem tudo est@ +erdido L disse o vel-o/
>uas feições se suavi4aram um +ouco, 3raças a
um leve ind6cio de sorriso de !uem sabe o !ue
fala/
L,i3a o !ue +recisamos fa4er L disse a mesma
mul-er !ue tin-a falado antes, e, a =ul3ar +ela
rever2ncia em sua vo4, ela =@ estava em um
est@3io avançado do ritual de batismo na seita de
'rt-ur 7ardner/
Ele andou at) uma +il-a de +astas id2nticas
+osicionadas no canto da mesa/
L' res+osta est@ a!ui dentro/ >ou um
estrate3ista, um -omem de modesto renome
nessa @rea, embora neste caso não ten-a
ver3on-a de admitir !ue estou em +) sobre os
ombros de 3i3antes L KoodroH Kilson, Julian
Hu.ley, Kalter 0i++mann, CloHard e ?iven,
Bernays e Dvy, >aul 'linsky/ ' lista ) lon3a/ Tudo o
!ue fi4 a!ui L abriu uma das +astas L, foi
cristali4ar a visão dos !ue vieram antes de mim,
da!ueles !ue son-aram um nacionalismo
+ro3ressista, novo e sustent@vel, mas !ue =amais
viram seus son-os +lenamente reali4ados/
LNma ve4 !ue ) nossa obri3ação, finalmente
com+letaremos o !ue eles ima3inaram* uma nova
estrutura, !ue vai sobreviver !uando as ru6nas
decadentes dos Estados Nnidos !ue fracassaram,
forem levadas +elas @3uas da tem+estade !ue se
a+ro.ima/ #esse novo arcabouço a nação vai
ressur3ir do entul-o, renascida +ara, +or fim,
ocu+ar seu le36timo e -umilde lu3ar no ;mbito da
comunidade mundial/
#a e.tremidade da mesa, uma mão se er3ueu9 um
dos sen-ores, !ue at) então se limitara a ouvir
tudo em sil2ncio, tin-a uma +er3unta*
L>r/ 7ardner, e !uanto ao +ovoO
L" !ue ) !ue temO " +ovo +erdeu a cora3em de
acreditar/ 'briu mão da sua ca+acidade de +ensar/
's +essoas =@ não conse3uem se!uer formar suas
+r8+rias o+iniões, a+enas absorvem o+iniões,
sentadas com a boca escancarada em frente :
televisão/ "s +ensamentos das +essoas são
fabricados +or 3ente como eu/ " !ue ) !ue tem o
+ovoO H@ $% anos, nesta mesma sala, mostrei a
um +e!ueno 3ru+o de -omens de ne38cios !ue
+adeciam de falta de visão como vender ao +ovo a
subst;ncia mais abundante da face da Terra a um
+reço de4 ve4es maior !ue o da mel-or 3asolina, a
mesma @3ua !ue =orra da torneira da co4in-a, +or
um d)cimo de centavo +or litro/ Dsso +arece
inacredit@vel9 desafia toda l83ica e toda ra4ão/
>eus av8s c-amariam isso de fraude, roubo,
assalto : mão armada, +atifaria/// e com ra4ão,
devo acrescentar/ as a!uela e.+eri2ncia me
mostrou uma coisa* e.iste uma es+ada de dois
3umes +ela !ual ) +oss6vel vender !ual!uer coisa
ao +Jblico, de uma 3arrafa de tr2s d8lares de @3ua
de torneira a uma 3uerra em lar3a escala/
Todas as telas +iscaram simultaneamente,
dei.ando +ara tr@s tr2s +alavras em +reto e
branco, !ue dominaram a sala do c-ão at) o teto*
E>?ER'#a' E E,"
LEstão vendoO >e as +essoas forem sim+lesmente
en3anadas, -@ sem+re a c-ance de um dia
acordarem e se rebelarem contra o crime/ as n8s
não as fa4emos mudar de ideia/ #8s mudamos a
verdade/ ' maior +arte das +essoas sim+lesmente
!uer ser dei.ada em +a49 elas concordam com
tudo e aceitam !ual!uer coisa, desde !ue n8s
cuidemos de manter suas ilusões de liberdade e o
estilo de vida norteCamericano/ #8s alavancamos
suas es+eranças e alimentamos seus medos, e,
de+ois !ue elas acreditam, são nossas +ara
sem+re/ ,e+ois disso, !ual!uer um a!ui +ode
+e3ar essas +essoas +elo can3ote e esfre3ar a
cara delas em uma +rova cient6fica irrefut@vel,
elas +odem ler com os +r8+rios ol-os o r8tulo,
conteJdo tirado do reservat8rio munici+al, e
mesmo assim não adianta* vão sim+lesmente
fa4er !ue sim com a!uela cabeça sonolenta e
de+ois vão +assar ao lado da torneira e com+rar
@3ua na +rateleira do su+ermercado/ V nesse
momento !ue sabemos !ue tudo ) +oss6vel/
L" sen-or a6P L '+ontou +ara o >r/ ?urcell, na
+onta da mesa/
" -omem se encol-eu todo, como se seu cor+o
tivesse acabado de receber a a3uil-oada de um
ferro usado +ara marcar 3ado/
L" sen-or entrou nesta sala +ensando em mim
como um em+re3ado terceiri4ado, acreditando !ue
dominaria os +rocedimentos desta reunião, e, =@
!ue +a3a meu sal@rio, +or direito, devia estar
certo/ ?or !ue então o sen-or me +ermitiu, na
condição de -umilde em+re3ado, sub=u3@Clo,
control@Clo, -umil-@Clo na frente de seus +ares e
subordinadosO
Quando ficou evidente !ue da boca do >r/ ?urcell
seria im+oss6vel sair !ual!uer ti+o de res+osta,
nem mesmo um balbucio, o vel-o continuou/
L,outrinação/ Eu fi4 o sen-or ficar com medo, >r/
?urcell, e, tomado +elo medo, o sen-or aceitou a
min-a verdade, o meu +oder, e abandonou a sua
+r8+ria verdade, o seu +r8+rio +oder/ " +ovo vai
fa4er a mesma coisa/ ,ei.em o +ovo comi3o/ '
desnorteada resist2ncia !ue ainda e.iste vai ser
eliminada com um Jnico e certeiro 3ol+e/ #ão vai
-aver revolução, a+enas um salto adiante, breve e
um tanto !uanto c-ocante, rumo : evolução
social/ 1amos restaurar a ordem natural das
coisas, e de+ois -aver@ a+enas +a4 e aceitação
entre as massas/ L Ele sorriu/ L 'ntes mesmo de
terminarmos, as massas estarão fa4endo fila +ara
+a3ar um im+osto +elo ar !ue elas res+iram/
'rt-ur 7ardner deu al3uns +assos e c-e3ou mais
+erto do 3ru+o na +onta da mesa/
LCada um dos sen-ores +resentes a!ui -o=e foi
convidado +or su3estão min-a/ " +roblema,
+e!ueno, mas s)rio, !ue os sen-ores trou.eram
foi meramente uma +orta de entrada, uma
+remissa +ara essa introdução de -o=e/ '!uele
documento !ue va4ou acabou suscitando uma
conversa !ue tive com seus su+eriores, e deles
com os su+eriores deles, e assim +or diante, sobre
um +lano de ação de 3rande esco+o !ue vem
sendo desenvolvido -@ bastante tem+o e a3ora
a3uarda e.ecução/
LEu disse a eles !ue a -ora ) a3ora, e, no fim das
contas, eles concordaram, com uma condição/ "s
sen-ores, todos os sen-ores a!ui +resentes, serão
+ostos no comando da e.ecução do +lano L serão
os soldados !ue vão combater no terreno, os !ue
de fato estão com as botas no c-ão, +or assim
di4er/ 'ntes !ue essa nova ordem de coisas ven-a
: tona, foi decidido !ue os sen-ores devem, todos,
concordar unanimemente em +rote3er e defender
o !ue vai restar deste +a6s de+ois de sua
transformação/
#a tela atr@s dele a+areceu uma citação, em letras
desen-adas com re!uinte, como se tivessem sido
escritas +ela mão do +r8+rio autor/ #oa- levou
al3uns se3undos, mas +or fim recon-eceu o trec-o
da +eça 5JJlio C)sar5, de >-akes+eare*
F= nos negócios dos homens ondas como as do
marG se aproveitadas, levam(nos às correntes da
fort&naH mas, &ma ve: perdidas, toda a viagem da
vida est= fadada a 'aixios e perigos0
!gora I&e fl&t&amos na maré alta, devemos
aproveitar o c&rso da corrente, o& perderemos
nossa 'oa sorte0
" vel-o observou seus interlocutores en!uanto
liam o te.to, de+ois retomou a +alavra/
L>-akes+eare escreveu isso em uma )+oca de
3randes decisões9 sen-oras e sen-ores, essa -ora
c-e3ou/ Estamos diante de uma encru4il-ada/ "
mundo civili4ado est@ diante de uma encru4il-ada/
Em um dos camin-os, todos os -omens nascem
i3uais* i3uais na +obre4a, i3uais na i3nor;ncia,
i3uais na mis)ria e no sofrimento/ #o outro, a
reali4ação das mais bril-antes es+eranças da
-umanidade, mas não +ara todos os -omens/ Dsso
foi um breve e.+erimento, uma tentativa !ue deu
errado/ ' abund;ncia, a +a4 e a +ros+eridade, a
+r8+ria sobreviv2ncia L essas coisas tão
cobiçadas são reservadas +ara os mais a+tos, os
merecedores, os mais cora=osos de n8s, os mais
s@bios/ "s vision@rios/
' sala ainda estava mer3ul-ada em sil2ncio, e ele
dei.ou !ue assim continuasse +or al3uns
se3undos/
L '3ora L disse 'rt-ur 7ardner com uma vo4 !ue
era +ouco mais !ue um sussurro L, en!uanto a
mar) est@ : nosso favor, ven-am comi3o/ "s
sen-ores ainda +odem se salvar, e, fa4endo isso,
+odem a=udar a construir sobre as cin4as do
mundo vel-o um mundo inteiramente novo/
Ca$%tu"o 6
#oa- +arou no meio do corredor e ficou im8vel +or
al3uns instantes, com a cabeça re+leta de
+ensamentos inacabados e a!uela incTmoda
sensação de verti3em !ue a +essoa sente !uando
se es!uece +ara onde estava indo L e +or !ue
estava indo/
' reunião +rosse3uia, mas a3ora sem ele/ >eu +ai
tin-a solicitado um intervalo e entre3araCl-e um
memorando com uma lista de nJmeros de telefone
e al3umas instruções L uma Jltima tarefa !ue ele
devia cum+rir antes de ir embora +ara a+roveitar o
fim de semana/ '+arentemente era uma lista com
nomes de vips !ue ele devia convidar +ara a
Jltima +arte da reunião, desde !ue a +rimeira
corresse conforme o es+erado/ Evidentemente isso
tin-a acontecido/
' missão de !ue ele tin-a sido incumbido era
estran-a, e um a um os telefonemas foram ficando
ainda mais estran-os/
#ão -avia nomes, a+enas nJmeros/ Cada li3ação
era atendida antes mesmo do se3undo to!ue, não
+or uma em+re3ada ou funcion@rio, mas +or um
assistente +essoal/ Cada um da!ueles nJmeros de
telefone foi atendido de maneira +rofissional
mesmo de+ois do -or@rio de e.+ediente, em uma
noite de se.taCfeira, e, +elo !ue +arecia, isso
+rovavelmente acontecia $[ -oras +or dia/ ?arecia
al3o e.trava3ante, mas talve4 não tão incomum,
levandoCse em conta os c6rculos !ue seu +ai
fre!uentava/
,urante +elo menos !uatro das breves conversas
#oa- +ercebeu aud6veis indicações do uso de um
misturador de fre!u2ncia de vo4 e al3um
dis+ositivo de alteração de vo4/ Todos +areciam
e.tremamente cautelosos no sentido de evitar a
revelação de !ual!uer informação acerca da
identidade da +essoa associada a cada um
da!ueles nJmeros de telefone, mas o Jltimo
nJmero não tin-a sido suficientemente cuidadoso/
#o Jltimo telefonema #oa- ouviu va3amente um
nome sendo +ronunciado ao fundo/ Era um
nJmero de an-attan, c8di3o de @rea $&$, e o
nome !ue ele entreouviu era bastante incomum/
#oa- tamb)m tin-a visto de relance a!uele nome
no =ornal, na!uele mesmo dia/ ' li3ação -avia sido
feita +ara a lin-a +articular do mais +rov@vel
candidato a ocu+ar o car3o de novo secret@rio do
Tesouro dos EN', desde !ue a eleição tivesse o
resultado +revisto/
Esse -omem tamb)m era o atual +residente da
filial novaCior!uina do (ederal Reserve/ #a!uele
momento, ele e cerca de $% outros fi3urões de
stat&s a+arentemente e!uivalente estavam
lar3ando tudo o !ue vin-am fa4endo e se diri3iam
:s +ressas +ara a sala de reuniões em !ue o +ai de
#oa- os a3uardava, na com+an-ia dos outros
+artici+antes !ue l@ =@ estavam/
#oa- camin-ou at) a su6te na e.tremidade
sudeste e se trancou na co4in-a +rivativa usada
+ara +re+arar as refeições do +ai nos dias em !ue
o vel-o estava na cidade/ " lu3ar era inteiramente
revestido de cer;mica, 3ranito +olido e aço
ino.id@vel, mais es+açoso do !ue a maioria dos
escrit8rios e.ecutivos e e!ui+ado sob medida +ara
o co4in-eiro +essoal de 'rt-ur 7ardner/
#oa- 3irou o botão do fo3ão de mesa com forno
de embutir e obedeceu : Jltima instrução da sua
lista de coisas a fa4er* certificarCse, com seus
+r8+rios ol-os, a !ueima da!uele +a+el/
Ca$%tu"o 7
,e+ois de concluir sua tarefa, #oa- retomou sua
+ere3rinação ao lon3o de sa3uões e corredores/
Era dif6cil di4er !uanto tem+o se +assara desde
!ue ele tin-a sido convidado a se retirar do
restante da reunião e recebera as instruções do
+ai/ #a ,oyle F erc-ant não eram +ermitidos
rel83ios, nem nas +aredes nem nos +ulsos/
Essa era uma das muitas +eculiaridades da!uela
firma, e !ue serviam como lembrete de !ue não se
tratava de a+enas um sim+les local de trabal-o/
'o lon3o das d)cadas o escrit8rio tin-a se
metamorfoseado em um diorama de feira de
ci2ncias de acordo com o !ue se +assava no
interior do c)rebro do vel-o* era 3uarnecido de
todas as coisas de !ue ele 3ostava e não tin-a
es+aço al3um +ara as coisas de !ue ele não
3ostava/ Ms ve4es, essas es!uisitices eram fruto de
um im+ulso ou de um arroubo, outras ve4es
sur3iam a+8s lon3as deliberações, mas, de+ois
!ue o rei 'rtur tomava uma decisão, ele =amais,
nunca, em -i+8tese al3uma, mudava de id)ia/ '
resolução acerca da +roibição dos rel83ios tin-a
sido im+lantada +oucos anos antes de #oa-
nascer/
Em &SRW, uma e.ecutiva de contas consultou seu
rel83io de +ulso durante o discurso de acol-ida
+ronunciado +or 'rt-ur 7ardner na festa de #atal
da em+resa/ ' sala ficou em sil2ncio, e, assim !ue
ela er3ueu os ol-os do rel83io, viu no ol-ar do +ai
de #oa- !ue -oras eram* era -ora de +rocurar
outro em+re3o, em outra cidade, em outro ramo
de atividade/ #a se3undaCfeira se3uinte, a re3ra
não escrita dos rel83ios =@ estava em +leno vi3or,
e de maneira +ermanente/ 7raças : benevol2ncia
de >ua 'lte4a, a e.ist2ncia de =anelas continuou
sendo tolerada, mas o acesso a !ual!uer vista do
mundo e.terior +assou a ser limitado
e.clusivamente aos escrit8rios e.ecutivos/
#oa- retomou sua sinuosa camin-ada e dobrou :
direita, ainda sem um destino +reciso/ " lu3ar
estava va4io, não -avia ali uma s8 alma, embora
al3umas +essoas +ossam di4er !ue no universo
das relações +Jblicas e assessoria de ima3em essa
frase se=a sem+re verdadeira/
'!uele corredor, em es+ecial era uma es+)cie de
e.+osição do curr6culo da em+resa, uma 3aleria de
con!uistas e reali4ações emolduradas, do +assado
e do +resente/ Recortes de =ornais e revistas,
comunicados de im+rensa, +ublirre+orta3ens
AanJncios +ublicit@rios em forma de re+orta3emB,
mat)rias +a3as, not6cias +lantadas, +ublicidade
es+al-afatosa c-eia de elo3ios e.a3erados, arti3os
en3en-osos e astuciosas -ist8rias de ca+a !ue
remontavam : d)cada de &SU%, trec-os de v6deos
di3itali4ados e.ibidos em sil2ncio nos monitores de
tela +lana/ Era um salão da fama incom+ar@vel e
sem +aralelos na indJstria das relações +Jblicas e
assessoria de ima3em, e ob=eto de inve=a de todos
os concorrentes/
Contudo, não -avia estantes com trof)us9 ali
nin3u)m =amais veria a ostentação de +r2mios +or
bemCsucedidas cam+an-as de relações +Jblicas/
eu ,eus, isso não, +elo menos não +ara as coisas
s)rias e im+ortantes/ V a +rimeira re3ra, e uma
das Jnicas* o mel-or trabal-o =amais ) se!uer
notado/ >e o +Jblico v2 a mão do mar!ueteiro ou
assessor de ima3em, então ele fracassou/
0o3o na entrada do corredor, as con!uistas
relativamente +e!uenas* brin!uedin-os e
modin-as +assa3eiras !ue ine.+licavelmente
tin-am tomado conta do +a6s, a +restidi3itação
anual dos brin!uedos de #atal 5obri3at8rios5 e
5im+rescind6veis5 Amuitas +essoas =@ tin-am
cometido assassinatos na dis+uta +or uma va3a na
fila +ara conse3uir com+rar al3uns da!ueles
ob=etosB, uma s)rie de 'oy 'ands e 6dolos musicais
adolescentes +r)Cfabricados, a maioria dos !uais
era inca+a4 de cantar uma melodia ou nem se!uer
tocar um instrumento/ Em uma declaração
arro=ada, o +ai de #oa- uma ve4 se van3loriara de
ser ca+a4 de transformar al3uns dos assassinos
mais brutais do s)culo no Jltimo 3rito da moda
entre os +acifistas da contracultura/ E de fato ele
tin-a conse3uido fa4er isso9 ali -avia foto3rafias
de in32nuos estudantes universit@rios, estrelas do
rocJ e 6cones de HollyHood vestindo com or3ul-o
camisetas com ima3ens romanti4adas do
+residente ao e de C-e 7uevara/
#o fim do corredor, uma s)rie de medicamentos
rec)mC desenvolvidos !ue tin-am e.i3ido al3um
esforço de ima3inação na criação de novas
doenças/ Rem)dios não são tão diferentes de
outros +rodutos* ) tudo uma !uestão de criar a
necessidade e a demanda/ >e se ouve falar muito
da s6ndrome da +erna irre!uieta, mais cedo ou
mais tarde, começaCse a ac-ar !ue est@ com a
doença/ Ca(chingE Aa onomato+)ia da cai.a
re3istradora/B ais um trabal-o bem feito/
ais adiante, lo3o de+ois das +ro+a3andas de
ci3arro, -avia uma +e!uena vitrine dedicada a um
dos clientes +referenciais do mundo das relações
+Jblicas* a loteria/ Curiosidade* !uando ainda era
um =ovem incauto, em um dos raros momentos de
conversa durante um =antar da fam6lia 7ardner,
#oa- tin-a inventado o slogan a3ora em e.ibição
na!uela vitrine* 5não d@ +ara 3an-ar se não se
entra no =o3o5/ Tin-a sido a +rimeira ve4 !ue ele
merecera uma +almadin-a nas costas e +alavras
de encora=amento do vel-o* 5Dsso mesmo, 3aroto/
E não d@ +ara voar se voc2 não bater os braços5/
#en-um outro +roduto seria ca+a4 de demonstrar
a ess2ncia do trabal-o deles de maneira tão
+erfeita como a loteria/ "s anJncios e .ingles
+ublicit@rios at) +odiam servir +ara estimular
todos os ot@rios a =o3ar, mas era 3raças aos
tru!ues e tra+aças do +essoal das relações
+Jblicas !ue as +essoas continuavam acreditando
no im+oss6vel, ano a+8s ano/ Nm sim+les c@lculo
matem@tico, feito +or !ual!uer aluno da U
a
s)rie,
=@ bastaria +ara acabar com todo o es!uema
fraudulento* +ara se c-e3ar a uma c-ance de U%_
de 3an-o, o es+erançoso a+ostador teria de
com+rar & mil-ão de bil-etes/ Todo mundo sabe
disso, mas mesmo assim todo mundo continua
son-ando/ 's loterias +e3am o din-eiro de mil-ões
de +essoas e em troca dão a elas a+enas +edaços
de +a+el e dece+ção9 de+ois L e a!ui est@ o
se3redo L, os mar!ueteiros do mundo das
relações +Jblicas conse3uem ludibriar as +essoas
e convenc2Clas a fa4er fila +ara =o3ar de novo/ >e
se conse3ue en3anar as +essoas desse =eito e
ainda dormir tran!uilo : noite, então ) +oss6vel
!ue se ten-a uma lon3a e +romissora carreira +ela
frente/
V obvio !ue cada um da!ueles trunfos
re+resentava uma derrota +ara outra +essoa/ Essa
era sim+lesmente a nature4a do ne38cio9 : bem
da verdade, de todos os ne38cios/ " +r8+rio
conceito de vit8ria e.i3e !ue al3u)m se=a
derrotado, e, :s ve4es, as +essoas +erdem tudo/
Era assim !ue as coisas tin-am de ser/ uita
3ente +assava a vida inteira tentando distin3uir o
certo do errado/
Nm e.em+lo* nos tem+os de faculdade #oa- tin-a
uma ami3a, não muito 6ntima, mas uma dessas
samaritanas e.cessivamente boa4in-as e
sim+@ticas, uma benfeitora es!uerdista e
defensora da nature4a, !ue de+ois de formada
tin-a ido trabal-ar +ara uma or3ani4ação
-umanit@ria na `frica/ ,e tem+os em tem+os ela
mantin-a contato, mas sua Jltima e triston-a
carta era di3na de ser 3uardada em um @lbum de
recortes/ #o fim das contas, ela acabou
descobrindo !ue, de+ois de tantos ban!uetes +ara
arrecadação de din-eiro, s-oHs beneficentes e
telefonemas de a+elo +ara bancos, todos os
mantimentos, rou+as e medicamentos
arrecadados e des+ac-ados +ara a `frica tin-am
sido desviados e vendidos no mercado ne3ro9 ou
+elo 3overno +rovis8rio corru+to ou +elas mil6cias
rebeldes corru+tas, ou +or ambos/ ' maior +arte
dos recursos tin-a sido usada +ara com+rar um
iate 1ikin3 1UW +ara o fil-o de um de+utado/ "
restante do din-eiro foi usado +ara com+rar armas
e munições/ '!uele arsenal, +or sua ve4, foi usado
em uma s)rie de ata!ues 3enocidas !ue tin-am
como alvo os mesmos -omens, mul-eres e
crianças famintas, cu=o sofrimento deveria ser
aliviado +ela a=uda -umanit@ria/
'inda bem =ovem #oa- tin-a e.tra6do dessa
-ist8ria uma lição de moral* ) im+oss6vel consertar
tudo, e talve4 não se=a +oss6vel consertar coisa
al3uma/ Tudo ) 3rande demais e =@ est@ danificado
demais/ Então, não sacuda o barco, 3aroto/
>im+lesmente a3radeça +elas b2nçãos recebidas,
manten-a a cabeça abai.ada e =o3ue com as boas
cartas !ue voc2 teve a sorte de tirar/ Essa
conclusão acabara sendo uma bemCvinda
=ustificativa +ara um ra+a4 !ue abrira mão de seus
+r8+rios altos ideais e fora levado +ela corrente4a
at) se recol-er no +orto se3uro L embora
turbulento L da em+resa do +ai/ Era uma res+osta
confort@vel, desde !ue ele não +ensasse muito nas
+er3untas/
E a frase !ue a!uela mul-er -avia dito -o=e* 5Tudo
o !ue voc2s, relaçõesC+Jblicas, sabem fa4er )
3an-ar a vida mentindo5O
V isso mesmo, meu bem/ "ra, sen-orita virtuosa e
c-eia de si, +ara +arafrasear a en3en-osa res+osta
de um +roeminente cliente da firma, ac-o !ue
tudo de+ende de !ual ) a definição de mentira,
não ) mesmoO E, !uando voc2 estiver consultando
o dicion@rio na letra , volte al3umas +@3inas e
+rocure com seu dedin-o arro3ante a letra 7, na
e.+ressão 3an-ar a vida/ Todos n8s temos de
3an-ar a vida, e, a menos !ue eu este=a
e!uivocado, tanto voc2 como eu somos +a3os com
o mesmo din-eiro su=o/ ' diferença ) !ue um de
n8s não est@ en3anando a si mesmo/
as a3ora ele tin-a c-e3ado a um recanto !ue
e.ibia os eventos realmente 3randiosos e os
verdadeiros donos do +oder* fi3urões do +rimeiro
escalão, fatos +ol6ticos e de outros ti+os, !ue a
em+resa tin-a a=udado a inventar/
'li estavam em e.+osição diversos +residentes
dos EN', uma sucessão +raticamente ininterru+ta
de 3overnos, inclusive o atual, !ue iam recuando
no tem+o at) a administração de Jo-n Kennedy/
Ele se lembrou de ouvir o vel-o falar dos dois
Jnicos teimosos* Jimmy Carter, altivo e arro3ante
demais +ara aceitar esse ti+o de a=uda9 #i.on,
sovina demais/ Re+ublicanos ou democratas,
+ouco im+ortava, +ara os realistas da +ol6tica
moderna, a ideolo3ia era a+enas uma moeda de
troca, um meio +ara atin3ir um fim/
#oa- =@ estava !uase c-e3ando ao fim do corredor
!uando um +e!ueno e des+retensioso estudo de
caso c-amou sua atenção/ #ele -avia +ouca ou
nen-uma informação de descrição, a+enas um
v6deo silencioso/ Era a filma3em de um
de+oimento, +erante o Con3resso, de uma
enfermeira volunt@ria c-amada #ayira- alC>aba-/
Ela era a menina de &U anos cu=a lacrimosa
-ist8ria de rec)mCnascidos sendo arrancados das
incubadoras +or soldados ira!uianos -avia se
tornado um dos mais +oderosos slogans durante
os +re+arativos da 3uerra do 7olfo de &SS&/
Dne3avelmente comovente/ 'ltamente efica4/
Dnteiramente ficcional/
" cliente da!uele v6deo fora uma or3ani4ação
c-amada Cidadãos +ara um KuHait 0ivre, !ue mal
disfarçava sua +osição favor@vel : invasão do
Dra!ue/ ' menina não era enfermeira coisa
nen-uma, mas sim a foto32nica fil-a do
embai.ador do KuHait nos Estados Nnidos/ "
de+oimento tin-a sido escrito, +rodu4ido e diri3ido
+or 'rt-ur Dsaia- 7ardner, o distinto caval-eiro
!ue a+arece sentado atr@s dela/
?or causa de uma leve dor de cabeça, a t2m+ora
de #oa- começou a late=ar, e ele lembrouCse
abru+tamente de onde +retendia ir* o !uadro de
avisos na sala de descanso e conv6vio dos
funcion@rios/ Ele tin-a de anotar o endereço da
reunião da!uele bando de +atriotas fan@ticos
malucos, e de+ois !ueria terminar sua conversa
com uma mul-er linda, mas in32nua, a !uem
talve4 ele +recisasse ensinar uma ou duas
coisin-as/
Ca$%tu"o 8
C '-, d@ um tem+o, cara, o !ue voc2 t@ fa4endo na
?ark 'venueO
'o lon3o dos anos #oa- tin-a confirmado muitas
ve4es !ue de fato e.iste uma coisa c-amada noite
ruim/ Quando essas noites malfadadas c-e3am,
não -@ o !ue fa4er +ara evit@Clas/ " a4ar desaba
sobre n8s, nos atin3e em c-eio feito um trem de
car3a, e, !uando voc2 avista o clarão dos far8is da
desenfreada locomotiva se a+ro.imando, =@ )
tarde demais +ara im+edir o desastre/ " m@.imo
!ue voc2 +ode fa4er ) ficar em +a4 com o destino
e tentar sobreviver : maldição at) o novo dia
aman-ecer/
>e ) !ue -@ um lado bom em tudo isso, as noites
ruins !ue não matam o indiv6duo, :s ve4es o
dei.am um +ouco mais es+erto/ ?or e.em+lo,
#oa- tin-a a+rendido !ue, !uando uma situação
começa a de3rin3olar ladeira abai.o, isso !uase
sem+re se deve a erros de =ul3amento evit@veis,
sem+re envolvendo coisas !ue deveriam ter sido
+revistas, o !ue 3eralmente não ocorre/ Esses
erros, em 3eral, sucedemCse em cadeia/ Nm +iloto
de avião confirmaria o fato, +or e.em+lo, em
relação : !ueda de uma aeronave, =@ !ue tal
!ueda raramente ) resultado de um Jnico erro/
Tudo começa com um e!u6voco 6nfimo e inocente,
!ue leva a outra decisão ruim !ue, +or
conse3uinte, a outro erro/ Quando se v2, est@Cse
no fundo de uma cratera fume3ante, +er3untandoC
se !ue diabos aconteceu/
Tomemos como e.em+lo esta noite* o +rimeiro
erro de #oa- foi o+tar +or fa4er sinal +ara um t@.i
em ve4 de es+erar al3uns minutos +ela limusine
da frota da em+resa/ ,e+ois, assim !ue o carro se
+Ts em movimento, ele afundou a cabeça e
mer3ul-ou em seu smartphone0 inutos de+ois,
!uando er3ueu os ol-os, viu !ue a rua -avia se
transformado em um mar de lu4es de freio
cintilando/ ?or causa do +esado tr@fe3o +r)Cfim de
semana, at) onde a vista alcançava s8 dava +ara
ver uma infinidade de carros, um encostado no
+@raCc-o!ue do outro/ Esse foi seu se3undo erro/
En!uanto os lim+adores de +@raCbrisa esta+eavam
o vidro em um ritmo fora de sincronia com a
batida de al3uma mJsica atonal do "riente )dio
!ue tocava em alto volume no r@dio, o -omem ao
volante começou a desferir um vi3oroso =orro de
+alavrões e insultos em sua l6n3ua nativa/ Ele
+arecia estar +ondo toda a cul+a +ela +ane do
tr;nsito em seu a+arel-o de 7?>, na central de
t@.is, na c-uva, no carro da frente, e em es+ecial
na miniatura de >ão Crist8vão 3rudada no +ainel,
uma estatua4in-a de marfim amarelada/
L"l-a s8, es!uece, se3ue +ara oeste/ L #oa- deu
um +i+arote no vidro embaçado e encarou os
ol-os do ta.ista +elo retrovisor/ L "este L, ele
a+ontou, su+ondo a e.ist2ncia de uma 3rave
barreira lin3u6stica, e começou a falar com clare4a
e.a3erada/ L Tire a 3ente do ?ark 'venue,
atravesse a cidade +elo Kest >ide, de+ois si3a
+elo sul at) a Rua C-ambers/
?ara evitar !ual!uer ti+o de +rotesto, #oa- tirou
de seu maço de din-eiro uma nota de $% d8lares e
+assouCa +ela abertura da divis8ria blindada/
LJ@ estou atrasado/ 1amos embora a3ora, est@
bomO ?) na t@buaP
Essas tr2s Jltimas +alavras foram seu terceiro
erro/
" ta.ista en3atou a r), esterçou o volante at) o
fim, e então o motor roncou/ Dnstintivamente #oa-
se virou +ara ol-ar +ara tr@s, e +or isso foi a lateral
da sua cabeça e não o rosto !ue bateu com toda a
força na divis8ria de vidro !uando o carro deu um
solavanco +ara tr@s/ ila3rosamente o 0e.us
conse3uiu sair ileso do a+erto em !ue estava
metido, talve4 com a+enas um mil6metro de fol3a/
Eles estavam a !uase um !uarteirão de dist;ncia
do cru4amento, +resos em um en3arrafamento do
!ual não -avia absolutamente nen-uma maneira
de sair, mas isso não era em+ecil-o +ara um
-omem de ima3inação automotiva/ Qual!uer !ue
ten-a sido a escola de formação de condutores
!ue a!uele ta.ista ten-a fre!uentado,
a+arentemente a Jnica re3ra !ue ele tin-a
a+rendido era* vale tudo, desde !ue se manten-a
+elo menos duas rodas no asfalto/
#oa- se se3urou no teto e na +orta do carro
!uando o t@.i subiu no meioCfio e avançou em uma
inclinação de $%b, meio na rua, meio na calçada,
costurando entre um carrin-o de cac-orroC!uente,
uma barra!uin-a de amendoins e a fila de
incr)dulos motoristas : es!uerda/ " retrovisor
direito arrancou uma lasca do +onto de Tnibus
!uando o ta.ista en3atou a !uinta marc-a, e o
carro entrou em 4i3ueC4a3ue, feito um rabo de
+ei.e, na Rua $<, 0este/
E foi então !ue ele +isou no freio e +arou
bruscamente/
Nm soldado usando uniforme de camufla3em do
deserto e ca+a de c-uva estava em +) bem em
frente ao carro, com o braço es!uerdo estendido e
a mão es+almada em uma ine!u6voca ordem de
+arar/ #o outro braço estava anin-ado um rifle de
assalto, !ue, embora não estivesse e.atamente
a+ontado +ara o t@.i e seu inocente +assa3eiro,
tamb)m não estava e.atamente a+ontado +ara
nen-um outro lu3ar/ "utros -omens uniformi4ados
sur3iram +or tr@s do +rimeiro e, +or meio de
3estos silenciosos, foram instru6dos a se +osicionar
dos dois lados do ve6culo/
Dmediatamente ficou 8bvio !ue o ta.ista =@ tin-a
visto uma 'lit: antes e =@ -avia +assado +or +ostos
de controle em sua terra natal/ >em -esitar, ele
desli3ou o carro e er3ueu os braços, dei.ando as
mãos onde os -omens armados do lado de fora
+udessem v2Clas/ J@ #oa- não tin-a e.+eri2ncia
anterior !ue +udesse a=ud@Clo nessa -ora/ Tudo o
!ue ele sentiu era !ue o sandu6c-e de pastrami
!uente !ue ele tin-a saboreado no almoço, de
re+ente, estava ameaçando esca+ar +ela sa6da
mais +r8.ima/
,uas violentas +ancadas na =anela, e +elo vidro ele
ouviu uma Jnica +alavra, dita com vo4 r6s+ida/
L(oraP
#oa- dei.ou o 3uardaCc-uva sobre o banco,
res+irou fundo e desceu do carro/
Embora o soldado !ue ele a3ora encarava
+arecesse ter no m@.imo &S anos, sua conduta era
bem mais madura/ #os ol-os dele -avia uma
e.+ressão de comando, 3raças : !ual o rifle e a
baioneta eram com+letamente redundantes/ #ão
era a+enas a calma de aço, era sua +rontidão,
uma certe4a s8lida e in!uebrant@vel de !ue,
acontecesse o !ue acontecesse na!uele encontro,
de um di@lo3o +erfeitamente cort2s a um tiroteio
san3rento, ele e seus -omens ainda estariam em
+) de+ois !ue toda a fumaça se dissi+asse/
L>en-or, +reciso ver al3um documento de
identificação/
's +alavras em si eram 3entis, mas +ronunciadas
com uma efici2ncia !ue dei.ava bem claro !ue a
!uestão não era +ass6vel de debate/
LClaro/
'+esar de seu sincero dese=o de coo+erar +or
al3uns tensos se3undos, a carteira de -abilitação
de #oa- se recusou a sair do com+artimento
trans+arente/ "utro -omem uniformi4ado tin-a se
a+ro.imado, e, de+ois de observar durante al3uns
instantes o esforço, deu um +asso : frente e
se3urou aberta uma sacola +l@stica, com um
im+aciente meneio de cabeça/ #oa- =o3ou sua
carteira dentro do saco e de+ois esva4iou tamb)m
todos os outros bolsos/ ' sacola teve o 46+er
fec-ado e foi entre3ue a outro soldado, !ue correu
at) um fur3ão sem identificação estacionado mais
adiante/
' c-uva, !ue at) então vin-a caindo leve e
es+or@dica, começou a desabar sem tr)3ua L era
como se o a3uaceiro estivesse obedecendo a uma
dei.a, =@ !ue a3ora #oa- estava do lado de fora do
carro, sem a +roteção de um 3uardaCc-uva/
" =ovem soldado +arado diante de #oa- +arecia
não ter notado a n6tida +iora do tem+o/ Ele estava
encarando o rosto de #oa-/ #ão era um ol-ar fi.o
de mac-ão, tentando intimidar um rival, nada do
ti+o/ #ão -avia se!uer um contato mano a mano
+ro+riamente dito/ " soldado sim+lesmente
mantin-a sua atenção im+ass6vel e est8ica no
lu3ar !ue tin-a sido treinado a e.aminar, os ol-os,
onde as intenções tendem a se mostrar +rimeiro/
"uviuCse o ru6do surdo e +rolon3ado de um trovão
+or sobre os sons da cidade/ #ada muito +r8.imo,
a+enas um remoto estrondo de t6m+anos ao lon3e/
#oa- a=eitou o casaco, uma das mãos a3arrando a
3ola/
L E esta c-uva, -einO L ele disse, +ateticamente,
como se +u.ar uma conversa fiada fosse a
maneira +erfeita de lidar com a!uela situação/
#ão -ouve res+osta/ " soldado não moveu um
mJsculo se!uer/
Ele ouviu um ba!ue atr@s de si, : es!uerda/
Quando se virou +ara ol-ar na!uela direção, viu o
ta.ista sendo sub=u3ado com as mãos +resas :s
costas, curvado sobre o ca+T do carro/ Com o
rosto +rensado sobre a lataria, ele começou a
berrar al3um ti+o de a+elo re+etidas ve4es, ao
+asso !ue um se3undo e terceiro soldados
revistavam seus bolsos, e dois outros vascul-avam
o +ortaCmalas e o interior do ve6culo/
#oa- ouviu uma sirene distante, em al3um lu3ar
rumo ao sul, em se3uida mais sirenes, e, +ouco
de+ois, al3umas !uadras acima, uma barul-enta
+rocissão de carros da +ol6cia +assou a toda
velocidade +elo cru4amento rumo : +arte alta da
cidade, se3uida +or uma sucessão de enormes
utilit@rios es+ortivos, todos +retos, Jltimo modelo,
id2nticos/
V claro, ali estava a e.+licação L os dois
candidatos : ?resid2ncia estavam na cidade +ara
um fim de semana de intensa cam+an-a na reta
final +ara as eleições de novembro/ Dsso si3nificava
!ue centenas de +ol6ticos, fi3urões, mandac-uvas
e todo ti+o de +u.aCsaco e +arasitas, de ambos os
+artidos, tamb)m estavam l@/ 'l)m disso, ele
+areceu ter se lembrado de !ue uma reunião de
emer32ncia do 7C$% tin-a sido convocada e estava
sendo reali4ada no centro da cidade, com o
ob=etivo de discutir diversas calamidades !ue
vin-am assolando o setor financeiro/ ?or causa da
conflu2ncia desse e.)rcito de 'on(vivants, a
se3urança -avia sido bastante reforçada9 todos os
+oliciais e evidentemente al3uma divisão das
(orças 'rmadas deviam estar nas ruas,
es!uadrin-ando a cidade : +rocura de eventuais
+roblemas/
"s tem+os tin-am mesmo mudado,
a+arentemente da noite +ara o dia, embora #oa-
=amais tivesse visto al3o tão intenso como a!uilo/
Com ou sem Quarta Emenda, em decorr2ncia de
todos os temores acerca do terrorismo em anos
recentes, a definição de causa +rov@vel +odia ficar
muito va3a/ 's +essoas estavam se acostumando
a isso a3ora9 mesmo um cidadão cum+ridor da lei
+odia facilmente ser +arado e revistado +or ter
tirado uma foto de celular da +onte do Brooklyn ou
do edif6cio Em+ire >tate/ >em falar em outra ra4ão*
estar sentado no banco do +assa3eiro de um t@.i
em alta velocidade !ue tin-a acabado de subir na
calçada +ara desviar de um blo!ueio/
Com a mão livre, o soldado : direita de #oa- tocou
o ca+acete e semicerrou os ol-os, como se
estivesse fa4endo força +ara ouvir uma +rec@ria
comunicação via r@dio, de+ois er3ueu a cabeça e
fe4 sinal +ara !ue #oa- o acom+an-asse at) : van
+ara onde a sacola com seus +ertences tin-a sido
levada/
" ve6culo era do taman-o e do formato de um
fur3ão de em+resa de entre3as, mas, em ve4 de
ser marromCescuro era +reto fosco, com =anelas/
1isto de relance o lo3oti+o na lateral +arecia de
al3um 8r3ão oficial, embora de imediato não
lembrasse nen-uma a32ncia 3overnamental/
,entro da van estava !uente e seco, e seu interior
era malCiluminado +or uma Jnica l;m+ada de
mesa e +or telas de com+utador es+al-adas em
torno de uma bancada central/ " -omem !ue
escoltou #oa- saiu, a +orta desli4ante lateral se
fec-ou com um estrondo e #oa- se viu so4in-o
diante de uma mul-er sentada atr@s de uma
escrivanin-a de metal/
L >enteCse, >r/ 7ardner/
Era uma mul-er +arruda, de [% e +oucos anos e
e.+ressão severa/ >eus cabelos +rematuramente
3risal-os tin-am um corte !ue se assemel-ava a
um aba=ur de motel/ 'l3umas +essoas +arecem =@
ter nascido em uma es+)cie de ins6+ida meiaC
idade, e =amais souberam o !ue ) ser mais =ovem/
'!uela mul-er sentada ali era um e.em+lo
+erfeito disso/ >em adornos, usava um ternin-o
escuro e de estilo ultraconservador9 embora não
fosse um uniforme, -avia nas maneiras dela al3o
!ue su3eria res!u6cios de disci+lina militar/
L?reciso a+enas fa4er al3umas +er3untas, e
de+ois estou certa de !ue o sen-or ser@ liberado
+ara se3uir seu camin-o/
#oa- sentouCse na cadeira de es+aldar reto/
L"l-a s8, eu entendo o blo!ueio de tr;nsito L,
ar3umentou
ele/
L>8 um se3undo/
Ela clicou no botão es!uerdo do mouse e instantes
de+ois a foto de #oa- a+areceu inserida em um
formul@rio eletrTnico em um dos monitores/ 'inda
-avia al3umas lin-as em branco, mas a maior
+arte das informações =@ tin-a sido +reenc-ida/
LEi, es+ere a6 um minuto L ele disse/
L'+enas al3umas +er3untas, tudo bemO V
somente rotina, e ) necess@rio/
Ele +iscou e se recostou na cadeira/
L' sen-ora +oderia me mostrar al3uma
identificaçãoO
LClaro/
Ela sacou uma carteira de couro, abriuCa e
se3urouCa sob a lu4 da lumin@ria +ara !ue ele
+udesse v2Cla/ #ão -avia distintivo al3um, mas o
mesmo brasão dourado desen-ado na lateral da
van estava im+resso em seu cartão, =untamente
com seu nome e a descrição de seu car3o,
Dnvesti3adora de Cam+o >2nior e, então, ele se
lembrou de onde =@ tin-a visto a!uele lo3oti+o/
uitos meses antes a ,oyle F erc-ant tin-a
entrado na concorr2ncia +ara atuar como relações
+Jblicas de uma em+resa internacional
interessada em uma com+leta transformação de
sua ima3em, em ra4ão de 3raves acusações !ue
-aviam +i+ocado nos notici@rios, uma lista cada
ve4 maior !ue ia das usuais ale3ações de lucros
com 3uerra, corru+ção e suborno at) coisas mais
3raves, como estu+ros e assassinatos em s)rie/
#oa- e sua e!ui+e de criação não tin-am 3an-ado
a conta, mas desde então ele +assara a
acom+an-ar na internet os desdobramentos das
-ist8rias +arecidas/
'!uela mul-er, a!uele corte de cabelo e a!uela
van +ertenciam a Talion, a mais bem relacionada
firma de consultoria militar +rivada no arsenal
dom)stico e internacional do 3overno dos EN'/
L"l-a s8, eu sei !uem est@ na cidade -o=e, e sei
!ue toda a @rea est@ em alerta vermel-o ou coisa
!ue o val-a, mas eu era o mero +assa3eiro de um
t@.i com um motorista su+er4eloso, ) s8 isso/ #ão
sei o !ue mais +osso di4er/
L" sen-or con-ece o -omem !ue estava
diri3indoO
L#ão/
L#ão mesmoO
L#ão sei nada sobre ele/ H@ $ mil t@.is nesta
cidade/ (i4 sinal +ara um e ele +arou/
' mul-er ia tomando notas em um teclado sob a
escrivanin-a, com os ol-os fi.os em um dos
monitores/
LE de onde o sen-or estava vindoO
L,o trabal-o/
LE +ara onde o sen-or estava indoO
"s batimentos card6acos dele estavam acelerados9
) a adrenalina !ue fa4 isso, 3ostemos ou não/
'ntes ele estava com medo, mas a3ora estava
ficando irritado/ Ele não res+ondeu de imediato9
es+erou at) !ue ela +ercebesse o intervalo de
sil2ncio e ol-asse +ara ele/ >8 de+ois ele falou*
L?reciso li3ar +ara um advo3adoO
L#ão ve=o motivo +ara o sen-or !uerer fa4er isso/
LEstou sob cust8diaO
LBem///
LEstou sob cust8diaO
L#ão/
LEntão estou livre +ara ir embora/
L#ão sei ao certo se entendo sua relut;ncia em
falar conosco/
L"bri3ado +or tudo/ L #oa- a3radeceu e se
levantou/ L Boa noite/
LV +ara este endereço !ue o sen-or est@ indo
-o=eO
Ela mostrou o carta4 !ue ele tin-a arrancado do
!uadro de avisos, dobrado e enfiado no bolso/
>ua mem8ria evocou o s@bio consel-o ouvido em
al3uma aula do seu +rimeiro e malfadado
semestre no curso de direito da Nniversidade de
#ova Gork* ' +rimeira coisa !ue voc2 di4 a seus
clientes !uando eles li3am da cust8dia, se=am
inocentes, se=am cul+ados, )* 5#ão di3a uma
+alavra* =amais, em momento al3um, converse
com os +oliciais5/ as +ara !ue o bom consel-o
funcione voc2 tem de aceit@Clo/ 'l)m disso, a!uela
mul-er r63ida feito um cad@ver não era +olicial/
L1ou a+enas dar uma +assada l@ +ara encontrar
uma +essoa e de+ois vamos +ara outro lu3ar/
L" !ue sabe sobre este 3ru+o, >r/ 7ardnerO
L'bsolutamente nada/ Como eu disse/
LEles t2m li3ações com a Drmandade 'riana L ela
falou, a3ora manuseando uma +asta sobre a
escrivanin-a L e com a il6cia da Estrela >olit@ria,
o Comit2 #acional de Trabal-o, a Coali4ação +ela
0ei Comum, a (rente de 0ibertação da Terra///
LEs+ere a6 um minuto L #oa- a interrom+eu L, o
Comit2 #acional de Trabal-o ) uma +e!uena
or3ani4ação sem fins lucrativos !ue investi3a e
e.+õe o trabal-o escravo e combate o trabal-o
infantil/ Quer um consel-o, min-a sen-oraO V
mel-or atuali4ar as informações da sua lista de
vi3il;ncia, se não !uiser !ue as +essoas entrem
a!ui na sua bela van e d2 risadas na sua cara/
Como eu disse antes, não sei nada sobre esse
3ru+o, não ten-o ideia do !ue eles fa4em ou com
!uem t2m li3ações/ 1ou a+enas encontrar uma
+essoa l@ e de+ois vamos +ara al3um outro lu3ar/
?ode acreditar, eu não 3ostaria de ter ami3os na
Drmandade 'riana/ L Ele a+ontou +ara a tela do
com+utador/ as +rovavelmente a esta altura
voc2s =@ verificaram meus antecedentes, e =@
sabem disso/
L>abemos !uem o sen-or )/
LCom isso ac-o !ue a sen-ora !uer di4er !ue
sabem !uem ) o meu +ai/
LDsso mesmo/
L uito bem/ Então, a menos !ue a sen-ora ten-a
al3uma outra coisa a me di4er, vou ter de ir
embora a3ora/
Ela assentiu com a cabeça, de+ois fe4 um 3esto
a+ontando +ara a sacola em !ue estavam os
+ertences de #oa-/ Ele +e3ou a sacola de cima da
escrivanin-a, arrancou o fol-eto da mão da mul-er
e saiu sem di4er uma s8 +alavra/
Quando #oa- 3an-ou a rua, viu !ue a c-uva =@
tin-a amainado e mais uma ve4 se transformara
em uma brisa 3elada/ En!uanto camin-ava, ele foi
recolocando no bolso suas coisas/ Quando c-e3ou
: metade do !uarteirão ouviu !ue al3u)m o
c-amava/ 1irou o rosto e viu !ue era o ta.ista, !ue
a esta altura estava sendo arrastado +ara a van
+or dois soldados +elo menos duas ve4es maiores
!ue ele/
"s ol-ares de #oa- e do ta.ista se entrecru4aram/
Era dif6cil entender o !ue ele estava berrando
a3ora, +rovavelmente +alavras !ue ele devia ter
a+rendido de al3um livro de frases e treinado +ara
!uando +recisasse us@Clas em al3uma noite ruim/
'=udeCme, meu ami3o/
Era isso !ue ele estava di4endo e re+etindo
inJmeras ve4es, com +e!uenas variações, como se
a re+etição fosse ca+a4 de fa4er #oa- entender
!ue a!uele -omem estava em s)rios a+uros e
+recisava a+enas !ue al3u)m a+arecesse +ara
atestar seu bom car@ter, de modo !ue assim ele
+udesse sair da!uela confusão e voltar +ara sua
casa e sua fam6lia/
as o !ue #oa- +oderia fa4erO #ão d@ +ara se
envolver em todas as situações infeli4es do
mundo/ #ão era +a+el dele interceder/ 't) onde
ele sabia, a!uele cara era o l6der de uma c)lula
terrorista/ 'l)m disso, =@ estava atrasado +ara o
encontro com uma certa =ovem !ue +recisava de
uma tremenda dose de realidade/
#oa- 3irou o cor+o e continuou camin-ando, e
dei.ou !ue o destino da!uele -omem fosse
desvanecendo at) desa+arecer de ve4 atr@s de si/
(a4er isso não foi tão dif6cil !uanto +oderia ter
sido/
Ca$%tu"o 9
,urante sua camin-ada rumo ao centro da cidade
diversos t@.is va4ios +assaram +or #oa-, mas ele
não tivera cora3em de er3uer o braço e fa4er sinal
c-amando outro/ " en3arrafamento monstro ainda
era um +esadelo !ue tomava conta da cidade
inteira, e, a+esar da c-uvin-a es+or@dica, ir
camin-ando +areceu uma ideia mel-or do !ue se
arriscar a fa4er outra desafortunada corrida de
t@.i/ Em todo caso, mantendo a ininterru+ta
se!u2ncia de decisões ruins da noite, ele decidiu ir
mesmo a +)/
#esta il-a, contanto !ue se camin-e de ol-os
abai.ados e escudos er3uidos, a +asso acelerado e
constante, ) +oss6vel ir a !ual!uer lu3ar em um
tem+o ra4o@vel/ " se3redo ) o foco/ #ão !ue os
novaCior!uinos fi!uem rudes !uando se +õem a
camin-ar/ Eles sim+lesmente !uerem c-e3ar ao
lu3ar aonde estão indo/ Com R% mil +essoas +or
!uilTmetro !uadrado camin-ando no sentido
contr@rio, a Jnica maneira de tentar, c-e3ar no
-or@rio marcado ) evitar o contato fortuito com
descon-ecidos aleat8rios/ Embora, +or mais !ue
se tente, nem sem+re d@ +ara evitar o contato/
Quanto ao ol-ar no rosto da!uele ta.ista, a fic-a
s8 caiu de verdade de+ois !ue #oa- virou de ve4
as costas +ara o su=eito, e, nesse momento,
+areceu !ue era tarde demais +ara voltar/ '3ora =@
tin-a escurecido bastante e ele estava bem lon3e
da!uele lu3ar, +ortanto era mais do !ue -ora da
ima3em da!uele rosto es+erançoso e
deses+erançado ter ficado indistinta e dif6cil de
lembrar9 em ve4 disso, em sua mem8ria a cena
ainda era n6tida e cristalina/
'=udeCme, meu ami3o/
#oa- res+irou fundo e tentou descartar a
lembrança/ Em +rimeiro lu3ar, meu camarada, não
sou seu ami3o/ Em se3undo lu3ar, não era min-a
res+onsabilidade/ Em terceiro lu3ar, não +reciso
de terceiro/ #ão d@ +ara !uerer +Tr todo mundo
debai.o das suas asas/ >e eu começar a +rote3er
e salvar todo mundo, onde isso vai +ararO
Esse ti+o de autoabsolvição +ouco sincera tin-a
funcionado muito bem no +assado, mas a3ora
dei.ou nele uma sensação de va4io, e, +ior ainda,
de cul+a/ Em se3uida, en!uanto se obri3ava a
mudar mentalmente de assunto, ele descobriu !ue
-avia nos recantos de seus +ensamentos coisas
mais sombrias e incTmodas/
" !ue realmente tin-a acontecido na!uela reunião
no escrit8rioO E o !ue +oderia estar acontecendo
l@ a3oraO
" +ai de #oa- constru6ra um im+)rio no ramo das
relações +Jblicas e assessoria de ima3em com
base Jnica e e.clusivamente em sua re+utação de
inveterado a3itador, um francoCatirador im+lac@vel
+ara defender !ual!uer causa desde !ue fosse
muito bem +a3o/ Ele ia a !ual!uer lu3ar onde
-ouvesse uma fortuna a ser 3an-a, e essas
o+ortunidades estavam em todo lu3ar, em )+ocas
boas e ruins, de vacas 3ordas e ma3ras, desde
!ue a +essoa soubesse manter certa fle.ibilidade
moral na -ora de escol-er a lista de clientes/
>ondar o cen@rio, identificar os =o3adores, escol-er
um lado, elaborar um +lano de batal-a e e.ecut@C
lo/ Esse ) o =o3o, e o bom e vel-o 'rt-ur 7ardner
sem+re tin-a =o3ado +ara vencer/ ar!ueteiro de
marca maior, ele sabia como me.er os +au4in-os
+ara suscitar, do nada, um conflito armado de vida
ou morte, e de+ois faturava alto, vendendo armas
de ilusão em massa +ara um dos lados, ou, o !ue
era mais +rov@vel, +ara os dois/
E =@ fa4ia muito tem+o !ue isso tin-a ido al)m da
mera dis+uta CocaCCola vers&s ?e+si/ ,emocratas
+seudoliberais vers&s falsos re+ublicanos
conservadores, sindicatos vers&s +atrões,
ambientalistas de coração +uro vers&s
cor+orações diab8licas, +etr8leo vers&s carvão,
ricos vers&s +obres, fabricação de es!uemas de
+roblema reaçãoCsolução +ara virar o resultado de
eleições, mani+ulação de mercados, estrata3emas
+ara asse3urar o dom6nio da su+erclasse L em
;mbito dom)stico e internacional L, essas eram
as !uestões de ;mbito mundial !ue ele e.+lorava,
verdadeiras ou fabricadas9 do resfriamento 3lobal
da d)cada de &SR% ao a!uecimento 3lobal do dias
de -o=e/ ' discussão certo vers&s errado não era
im+ortante +ara o resultado final, +ortanto não
im+ortava +ara ele/ 7uerra, +a4 e +ol6tica sem+re
tin-am feito +arte do ne38cio, +or!ue era a6 !ue
estava o din-eiro 3rosso/
as a +rinci+al motivação não era a+enas o
din-eiro/ ' bem da verdade, o din-eiro =@ não
contava mais/ 'rt-ur 7ardner +odia torrar <%
mil-ões de d8lares +or semana ao lon3o dos
+r8.imos vinte anos, e mesmo assim não c-e3aria
nem +erto de esva4iar as contas !ue mantin-a em
+ara6sos fiscais/ Com o +assar dos anos, seus
ob=etivos e con!uistas foram ficando cada ve4
mais ambiciosos, at) o +onto em !ue o as+ecto
financeiro ficou de lado/ Ho=e, a+enas o +oder era
ca+a4 de fascinar um -omem como ele/
,istra6do, #oa- acabou indo +arar +erto demais do
meioCfio, erro !ue um +edestre e.+eriente =amais
deve cometer em um dia de c-uva/ Dmediatamente
um Tnibus circular +assou em uma +oça do
taman-o de um la3o, e um =ato de oleosa @3ua de
es3oto levantou voo e dei.ou #oa- enc-arcado na
altura da cintura/ 'ssim !ue o Tnibus se3uiu
via3em, ele viu o rosto de um +un-ado de crianças
encostadas no vidro traseiro, a+ontando,
a+laudindo e dando 3ritos de ale3ria,
absolutamente encantadas +or ter +artici+ado
da!uele ban-o involunt@rio/
?erfeito/
#oa- +arou debai.o de um toldo e fe4 um balanço
de sua situação/ '3ora tin-a c-e3ado ao au3e* da
cabeça aos +)s, não -avia um Jnico cent6metro
!ue não estivesse enso+ado at) os ossos/ Ele
conferiu as +lacas da rua +ara verificar !uanto
tin-a avançado L faltavam a+enas mais al3uns
!uarteirões/
En!uanto camin-ava, #oa- voltou a se lembrar da
reunião com os re+resentantes do 3overno no
escrit8rio/ Talve4 ele estivesse +ensando demais/
'o lon3o dos anos =@ tin-a visto o +ai fa4endo
discursos i3ualmente acalorados, convocando
muitas ve4es seus subordinados : ação,
a+re3oando de tudo, de uma cam+an-a eleitoral
de um candidato a4arão ao Con3resso a uma nova
marca de deter3ente/ (osse uma revolucion@ria
nova o+ção em adoçantes artificiais, fosse a
su+osta transformação fundamental dos Estados
Nnidos da 'm)rica, era sem+re a mesma ladain-a
carnavalesca e o mesmo discurso a+ai.onado, !ue
os clientes adoravam ouvir e !ue o vel-o adorava
fa4er/
Essa e.+licação a+a4i3uou sua mente, +elo menos
na!uele momento/ 'l)m disso, como era mesmo
a!uele vel-o ditadoO 5#ão faça a +er3unta se voc2
não souber a res+osta/5 #oa- certamente não
!ueria saber a res+osta/ Era bem mais f@cil
obedecer :s ordens e descontar os c-e!ues
!uando, sinceramente, não se fa4 ideia das
conse!u2ncias de tais ordens/
,e acordo com o fol-eto, o local dafestin-a dos
re+resentantes dos ideais norteCamericanos
marcada +ara a!uela noite era o >tarsIn >tri+es
>aloon ABar Estrelas e 0istrasB, uma c-armosa e
rJstica es+elunca na re3ião de Tribeca/
'com+an-ando clientes, #oa- =@ tin-a +ercorrido
al3umas ve4es o circuito dos p&'s da re3ião/ "
>tarIn >tri+es era con-ecido como uma es+)cie de
+ra4er +roibido, um +edacin-o de sim+licidade
interiorana no centro da cidade 3rande, com
decoração cafona, 3arçonetes lindas e sim+@ticas,
rocJ sulista tocando em alto e bom som no
.&Je'ox e barris de cerve=a nacional barata/
#o Jltimo !uarteirão !ue faltava +ara c-e3ar ao
bar #oa- ainda alimentava a es+erança de !ue
na!uele evento, fosse l@ o !ue fosse, -averia
+ouca 3ente e o ambiente seria suficientemente
tran!uilo, dandoCl-e a o+ortunidade de encostar a
sen-orita Ross na +arede e levar com ela um bom
+a+o/ 's c-ances de -aver +oucos 3atosC+in3ados
na reunião +areciam boas/ 'final de contas,
!uantos malucos de e.trema direita viveriam
na!uela cidade tão culta, e !uantos deles estariam
dis+ostos a sair sorrateiramente de seus refJ3ios e
esconderi=os subterr;neos em uma fria e 3elada
noite de se.taCfeiraO
Quando dobrou a Jltima es!uina, #oa- descobriu
!ue a de+rimente res+osta +ara essa +er3unta =@
-avia sido dada* absolutamente todos 5os
malucos5 resolveram sair de seus refJ3ios/
Ca$%tu"o :
,a es!uina da Hudson com a Kest BroadHay,
#oa- avistou uma multidão es+arramada na
calçada/ " lu3ar estava abarrotado de +arede a
+arede9 a lu4 !ue se des+e=ava do interior do bar
era diminu6da +elo volume de 3ente em +)
enfileirada l@ dentro +or todos os lados e =unto das
=anelas/
>im+lesmente continue andando L em sua mente
brotou este s@bio consel-o, fruto de seu lado
racional L, a+a3ue da sua mem8ria esta noite
des3raçada e volte +ara casa, +ara a!uela sua
bela ban-eira de -idromassa3em !uentin-a/ Nm
-omem mais sensato talve4 tivesse dado ouvidos
a esse consel-o e a+ostado todas as fic-as na
ideia de dar no +), mas ele foi teimoso e sentiu
!ue estava atrelado a um com+romisso, o !ue
sobre+u=ou !ual!uer +ensamento relacionado :
decisão de ir embora/ ?arar a3ora seria o mesmo
!ue admitir !ue a!uela +enosa via3em tin-a sido
em vão/
Nsando a vitrine escura de uma lo=a como es+el-o,
#oa- conferiu seu visual, enterrou a mão nos
cabelos at) ficarem mais ou menos a+resent@veis,
desamarrotou as rou+as su=as e mol-adas e
atravessou a rua +ara se acotovelar em meio ao
desordenado mar de cai+iras ultraconservadores/
' mJsica ao vivo !ue tocava dentro do bar se
infiltrava atrav)s do burburin-o da multidão/ Havia
tanta 3ente !ue era im+oss6vel andar em lin-a
reta/ ' diversidade da!uele mundar)u de 3ente
era outra coisa sur+reendente* +arecia não -aver
nen-um ti+o de e.clusão claramente definida com
base em crit)rios de raça, classe social ou al3uma
outra divisão cultural alimentada +ela m6dia/ Era
uma miscel;nea total e com+leta, uma mistura de
tudo L 3ente vestindo ternos de tr2s +eças ao
lado de +essoas de camiseta e calça de
moletom,y&ppies batendo +a+o com -i++ies,
ne3ros e brancos, =ovens e vel-os, um c-a+)u de
caub8i a!ui, um corte de cabelo de ]%% d8lares
acol@ L todo mundo conversando =unto,
concordando ou discordando com o mesmo vi3or/
#a im+rensa esse ti+o de reunião era 3eralmente
retratada como reduto e.clusivo de vel-os
brancos, -omens de recursos financeiros limitados
e inteli32ncia mais limitada ainda/
'os trancos e barrancos, de+ois de muitos
em+urrões e solavancos, #oa- conse3uiu +assar
+orta adentro e viu de onde vin-a a mJsica* um
3uitarrista solit@rio estava tocando sobre um +alco
im+rovisado/ >ua a+ar2ncia não combinava com o
+oder de sua vo4 L na rua nin3u)m daria muita
atenção :!uele su=eito, mais um ma3ricela
es+in-ento com barba rala de tr2s dias L mas ele
dominava o +alco como um verdadeiro astro do
rocJ0 Ele estava no meio de uma tradicional
canção folcl8rica dos anos &/S]%, cantando e
tocando com uma intensidade tran!uila !ue
+ermitia a cada nota e a cada verso di4erem
e.atamente o !ue o com+ositor !ueria !ue
dissessem/
#a virada do refrão, o cantor a+ontou +ara a
+lateia, levou os l@bios : 3aita +resa ao su+orte
em volta do +escoço e tocou com tanta ener3ia, ao
mesmo tem+o entusi@stica e melanc8lica, !ue a
multidão er3ueu a vo4 e foi cantando =unto/
>e a coisa desse certo, a mJsica e o clima !ue ele
estava criando seriam uma bela =o3ada de
relações +Jblicas/ >e os inimi3os da!uelas +essoas
estavam tentando +int@Clas como um bando de
bran!ueias !ue s8 !ueriam saber de assistir a
corridas de carro na televisão, com+rar armas,
diri3ir +ica+es enormes e a3ir como reacion@rios
de tend2ncias racistas e violentas, !ue manobra
+oderia ser mel-or do !ue invocar sutilmente o
es+6rito +acifista de artin 0ut-er Kin3 e a-atma
7and-iO #o m6nimo, isso faria seus cr6ticos
es!uerdistas subirem +elas +aredes de tão
irritados/
#oa- se es!uivou de uma bande=a re+leta de
cerve=a BudHeiser9 ao dar um +asso atr@s +ara
+ermitir a +assa3em da 3arçonete, levou um
em+urrão/ Quando se virou a fim de ver com !uem
-avia colidido, ali estava ela, olly Ross, em +)
diante dele/
' +rimeira coisa !ue ele notou foi !ue ela tin-a
mudado o visual/ '3ora estava usando =eans mais
estilosos e um confort@vel e !uente su)ter de
outono9 as un-as estavam rec)mC+intadas e, nos
cabelos -avia uma flor violeta, em ve4 dos l@+is/
?or)m, não eram a+enas as rou+as !ue tin-am
mudado/ ' diferença era sutil, mas +erce+t6vel, e
+rovavelmente se resumia a uma Jnica coisa* ela
se im+ortava com a!uelas +essoas, em contraste
com o 8bvio desd)m !ue demonstrava em relação
:s +essoas do escrit8rio/ Era isso* ela +arecia estar
no lu3ar certo, e o efeito disso saltava aos ol-os/
L"ra, ora L disse ela, dei.andoCo entrever um
leve esboço de sorriso/ L "l-a s8 !uem a+areceu/
L ?ela +rimeira ve4 ele +ercebeu uma leve
cad2ncia sulista nas +alavras dela/
L>im, eu vim/ Eu disse !ue viria/
Ela me.eu na la+ela do casaco dele, fe4 tsc tsc e
balançou ne3ativamente a cabeça/
L" !ue aconteceu com voc2O ?arece !ue foi +ara
a 3uerra/ 1eio a +) na c-uvaO
L#em me +er3unte/
L(i!ue +aradin-o a6 L com um sus+iro de
desa+rovação ela o a=udou a tirar o sobretudo, !ue
dobrou e colocou debai.o do braço/ L 1amos,
estou em uma mesa ao lado do .&Je'ox0 1ou dar
uma ol-ada +or a6, al3u)m deve ter uma camisa
sobrando !ue voc2 +ossa usar/
L#ão, não +recisa se dar ao trabal-o///
as ela =@ tin-a se virado, oferecendoCl-e a mão
+ara !ue ele não se +erdesse/ Ele se3urou a mão
dela e a se3uiu en!uanto ela ia abrindo camin-o
em meio ao em+urraCem+urra da multidão/
0o3o c-e3aram a uma mesin-a redonda +ara dois,
=unto ao +alco, com bancos altos dos dois lados/
Em um bar mais sofisticado, lu3ares assim em
3eral são reservados +ara os vips0
LJ@ volto L ela avisou, e desa+areceu no meio da
barul-enta a3lomeração/
,e+ois de a+resentar mais um cl@ssico do rocJ
norteCamericano, o cantor +Ts um +onto final : sua
a+resentação9 a +lateia res+ondeu a+laudindo com
entusiasmo, urrando, assoviando e batendo os +)s
no c-ão/ 'ssim !ue a ovação +erdeu a força, uma
3arçonete de +assa3em +er3untou a #oa- o !ue
ele !ueria/
L?or al3uma ra4ão L ele disse L, me deu uma
vontade re+entina de tomar uma >amuel 'dams/
Ela anotou o +edido em seu blo!uin-o, mas
+areceu com+letamente al-eia :!uele coment@rio
sarc@stico e nem tão sutil sobre o bar/
olly voltou tra4endo dois co+os de caf) e tr2s
camisas secas, acom+an-ada +or um -omem
enorme e barbudo, usando macacão e bon)/
'+arentemente as rou+as fa4iam +arte da
ba3a3em de al3um forasteiro !ue devia ter vindo
+ara a reunião e estava no bar/ #ão ficou claro
onde ela -avia encontrado o 3randal-ão, mas ele
+arecia ter sa6do direto de uma carroça de feno/
" 3randal-ão moveu o !uei.o na direção de #oa-/
LQuem )O >eu namoradoO
L#ão ) meu namorado L ela res+ondeu, em um
tom de vo4 !ue enfati4ava !ue a ideia era
absurda/ L Este ) #oa- 7ardner, do meu trabal-o/
#oa-, este ) meu ami3o Hollis/
" 3randal-ão estendeu sua musculosa mão direita
L do taman-o de uma luva de beisebol L na
direção de #oa-, !ue fe4 o mesmo/
LBom te con-ecer, Hollis L ele disse, com um
a+erto suficientemente forte a+enas +ara
transmitir sinceridade, sem +ro+or um desafio de
!ueda de braço, como muitos -omens adoram
fa4er !uando são a+resentados a outro -omem/
L" +ra4er ) todo meu L res+ondeu o 3randal-ão,
!ue obviamente a+rendera boas maneiras desde
menino9 a =ul3ar +or seu com+ortamento, trocar
um a+erto de mãos com um com+leto
descon-ecido era um evento a ser tratado com
3rande res+eito/
Em contraste com seu taman-o, a vo4 era
ines+eradamente fina e a3uda/ " efeito 3eral era
mais ou menos como ser a+resentado ao ursin-o
?uff, isso se o ursin-o ?uff fosse um ursão careca,
de+ilado e falante de $,&% metros de altura/
olly tin-a tra4ido tr2s o+ções de camisas
masculinas, incluindo um blusão de moletom da
Nniversidade Kent >tate, uma blusa com ca+u4,
bolsos ras3ados e buracos de traças, e uma
camiseta de duas cores, onde na frente se lia
5su+ostamente i3norante5/ #oa- escol-eu a
camiseta/
L"bri3ado L a3radeceu #oa-, ol-ando ao redor/
L "nde +osso ir me trocarO
L?elo amor de ,eus, ) s8 uma camiseta/ 1oc2
+ode trocar a!ui mesmo, se !uiser/ L Ela inclinou
o cor+o +ara a frente, +ousou os cotovelos sobre a
mesa e o !uei.o sobre a +alma das mãos9 em seu
rosto -avia uma fascinante e.+ressão de
inoc2ncia, !ue não era +ura feito a neve/ L ,uvido
!ue voc2 ten-a al3uma coisa a6 +or bai.o !ue eu e
o Hollis =@ não ten-amos visto/
L'-@P Então voc2 admite !ue eu sou um ser
-umano/
Ela +areceu estudar +rofundamente o rosto de
#oa-, como
se em al3um lu3ar do ol-ar dele +udesse estar
escondida a +eça ca+a4 de solucionar o teimoso
es+aço em branco de um !uebraC Ccabeça/ Dsso
deve ter durado a+enas um ou dois se3undos, mas
+areceu mais tem+o do !ue !ual!uer outro
momento de !ue ele conse3uia se lembrar/
L1eremos L ela disse/
Ca$%tu"o ;
Talve4 +or causa de seu bron4eado brancoC+@lidoC
escrit8rio,
#oa- ten-a +referido trocar de rou+a em um
ambiente mais reservado, embora o ban-eiro
estivesse !uase tão lotado !uanto o bar/ ?airava
no ar um c-eiro de macon-a/ Ele =@ tin-a visto
al3uns macon-eiros barraC+esada no meio da
multidão/ Talve4 eles estivessem ali +ara vincular
a Jnica causa !ue defendiam :s ambições mais
am+las do 3ru+o/
Ele tirou a camisa mol-ada e vestiu a camiseta
em+restada/
Com a calça mol-ada não -avia o !ue fa4er, mas
em todo caso =@ estava começando a secar/ >em a
camisa e sem 3ravata, +elo menos a3ora ele +odia
se misturar um +ouco mel-or :!uela multidão de
brutamontes i3norantes/
Quando voltou +ara o bar, viu !ue o 3randal-ão
tin-a sumido, mas a3ora -avia outro cara
conversando com olly na mesin-a colada ao
+alco/
#oa- +arou =unto a uma +ilastra, em um +onto em
!ue ficava oculto, fora da lin-a de visão dos dois/
Ele não tivera a intenção consciente de ficar ali
+arado, observando olly e o su=eito : dist;ncia/
#ão mesmo/ Dsso teria sido indelicado, +ara não
di4er um +ouco assustador, caso um deles tivesse
ol-ado de relance e +ercebido/ as, : medida !ue
sua breve +ausa foi se estendendo +ara um
minuto ou mais, a +e!uena +reocu+ação !ue
na!uele momento ocu+ava sua mente L o !ue
olly +odia +ensar dele caso o visse es+ionando L
foi sendo dei.ada de lado e dando lu3ar a uma
in!uietação diferente/
"s dois estavam sentados =untin-os, de mãos
dadas, conversando aos sussurros, ol-os fi.os um
no outro, um concluindo os +ensamentos do outro,
ambos rindo, des+reocu+ados/ Havia entre eles
uma intimidade descontra6da, sem nen-uma
sombra de fin3imento, o ti+o de +ro.imidade !ue
muito raramente se v2 entre irmãos, s8 :s ve4es
entre vel-os ami3os, mas !ue ) muito comum
entre duas +essoas a+ai.onadas/
LEssa olly ) uma 3arota le3al, não )O
#oa- teve um sobressalto ao ouvir a!uela vo4 ao
+) do ouvido/ Ele se virou e viu !ue o descomunal
ami3o de olly estava +arado ao lado dele,
tamb)m ol-ando +ara a mesa ao lon3e/
LEu estava a+enas/// 7arota le3al/ Dnteli3ente,
tamb)m/ R@+ida feito uma c-icotada/
'3ora !ue ele tin-a +ronunciado mais al3umas
+alavras, #oa- +ercebeu em alto e bom som seu
sota!ue re3ional/ '!uele cara não era a+enas
ori3in@rio dos '+alac-es9 ele tin-a a a+ar2ncia e a
vo4 de !uem +odia muito bem ter en3olido uma
das montan-as Blue Rid3e/
L>ei l@ L comentou #oa- L, acabei de con-ec2C
la/
L'!uele cara l@ com ela, o nome dele ) ,anny
Bailey/ ' olly me disse !ue at) um tem+o atr@s
eles tin-am um namoro firme, mas não ousei
+er3untar mais nada, al)m disso/
,e nada adiantava fin3ir desinteresse/ "u Hollis
era um e.celente leitor de tem+eramentos, com
uma +erce+ção intuitiva acerca da nature4a
-umana, ou era tão 8bvio !ue #oa- estava
fascinado +or a!uela mul-er !ue nem era +reciso
mais esconder o fato/
LTudo bem, então esse ) o nome dele L disse
#oa-/ L as !uem ) este caraO L '3ora seu
disfarce tin-a ido +ara o es+aço9 olly tin-a
acabado de v2Clo e estava acenando, c-amandoCo
+ara a mesa/
L?ara ser sincero, não sei muita coisa sobre ele L
disse Hollis, e as +alavras !ue ele +ronunciou a
se3uir soaram estran-as vindas da boca de um
-omem 3i3antesco !ue +rovavelmente seria ca+a4
de imobili4ar com um s8 3ol+e at) mesmo um
3orila do 4ool83ico do Bron./ L as ele me
assusta um +ouco/
Quando #oa- voltou +ara a mesa, o casal +u.ou
outro banco e os tr2s se sentaram/
LEntão voc2 deve ser o #oa- L disse ,anny
Bailey/ L ' olly não me contou !uase nada sobre
voc2/
>e a vivacidade em sua vo4 3utural servia +ara
indicar al3uma coisa, era o fato de !ue Bailey se
considerava um su=eito bastante divertido/ Ele
tin-a o ar de al3u)m acostumado a ser visto em
cima de um +alco ou diante das c;meras, e !ue
cuidava do visual +ara esse fim/ Era bonito, mas
de +erto dava +ara ver as coisas !ue sob os
-olofotes não eram +erce+t6veis* ru3as demais
+ara um -omem tão =ovem, cabelos
deses+eradamente es+etados com lu4es
e.a3eradas, o rosto um +ouco ma3ro, ol-os
encovados e secos/ Era o retrato de um su=eito de
<% e muitos anos, se esforçando ao m@.imo +ara
ter a a+ar2ncia de $&/
L#ão estou sur+reso/ ' 3ente mal se con-ece, e
duvido !ue ela 3oste muito do !ue sabe sobre
mim at) a3ora/
Bailey cutucou olly com o ombro*
L" !ue di4 disso, meu bemO
Ela +areceu ter ficado constran3ida, e foi salva da
obri3ação de dar uma res+osta +ela c-e3ada de
uma 3arçonete com uma rodada de bebidas/
L'-, o !ue ) isso, vamos nos animar, 3alera/ Eu
estou brincando +or!ue estou a+ai.onado/ "l-a
s8/ L Bailey en3oliu de um s8 3ole um l6!uido
marrom não identificado, de+ois se3urou o co+o
levantado, em um estran-o brinde/ L 'os novos
ami3os, e talve4 a um novo fã/
#oa- er3ueu sua caneca e bebericou um 3ole da
cerve=a/
L,escul+e, voc2 disse 5um novo fã5O
LV, cara/ L E estendeu a mão +ara se a+resentar
formalmente/ L ,anny Bailey/ L #oa- a+ertou a
mão dele/ Bailey +areceu ficar : es+era de al3um
sinal de !ue #oa- o -avia recon-ecido, mas isso
não aconteceu/ L #ão v@ me di4er !ue não
assistiu ao v6deo/
#oa- +iscou e balançou ne3ativamente a cabeça/
L4verthro>, cara, o v6deo, vai levar : derrocada
com+leta da +orra do im+)rio do mal/ J@ teve <U
mil-ões de visitas no GouTube/ >ou eu/ Estou
+er+le.o, voc2 não viu mesmoO Tem uma +orção
de e(mails sobre mim circulando na internet/
LBom, ac-o então !ue ten-o um filtro de spam
muito eficiente/
?or lon3os instantes o lend@rio ,anny Bailey ficou
com cara de tac-o, como se tivesse sido
esta+eado no rosto com luvas cerimoniais de
duelo/
LCalma, meninos L +ediu olly/
Bailey es+erou a tensão aumentar um +ouco mais,
de+ois sorriu e balançou a cabeça, +e3ou o
co+in-o c-eio na frente de olly e bebeu tudo de
um s8 tra3o e se levantou +ara ir embora/ DnclinouC
se, bei=ou olly na boc-ec-a, sussurrou al3uma
coisa demorada no ouvido dela, de+ois encarou
#oa-/
LBoa sorte, tudo de bom/
L?ara voc2 tamb)m L res+ondeu #oa-/
'ssim !ue Bailey saiu de cena, #oa- se virou +ara
olly, deu uma batidin-a na borda do co+o va4io
dela e +er3untou*
L?osso +a3ar outro +ara voc2O
L#ão, eu não bebo/ (oi +or isso !ue ele fe4 a!uilo9
ele não estava sendo rude/
L'-, não, claro !ue não/ #em um +ouco/
L" ,anny ) um cara bacana, ele s8 est@ vivendo
no +assado deste movimento, eu ac-o/ #ão vou te
falar nada !ue eu =@ não ten-a dito +ara ele/ Ele
não tem filtro, não controla muito as besteiras !ue
di4, e acaba irritando as +essoas +or causa das
coisas erradas, !uando -@ uma +orção de coisas
reais +elas !uais vale a +ena bri3ar/ as não d@
+ara ne3ar !ue ele atrai bastante atenção/
LV s8 min-a o+inião, mas ) bastante abali4ada/
1oc2 deve tomar cuidado com !uem voc2s se
associam/ #as relações +Jblicas temos um ditado
!ue di4 !ue mensa3em ) irrelevante se voc2 não
escol-er o meio certo/ E nem sem+re ) verdade,
sabe, a!uilo de di4er !ue não e.iste +ublicidade
ruim/
L1ou levar isso em consideração/ L Ela deu uma
boa ol-ada nele/ L (ico contente de ver !ue a
camiseta serviu direitin-o/
LV, meu taman-o ) m)dioC3rande prKt(à(porter L
#oa- comentou, colocando sua trou.a de rou+as
mol-adas no a3ora va4io banco entre os dois/ L
ais uma ve4, obri3ado/
Ela res+ondeu com um leve meneio de cabeça/
L(ico feli4 !ue voc2 ten-a vindo/ '3ora L ela se
a+ro.imou al3uns cent6metros L, me conte
al3uma coisa sobre voc2 !ue eu ainda não saiba/
#oa- res+ondeu instintivamente/
L>8 se voc2 fi4er o mesmo/
olly +ensou um +ouco/
LTudo bem/
LCerto/ L Ele mordeu o l@bio, como se estivesse
fa4endo um tremendo esforço +ara +ensar e
escol-er !ual seria sua +rimeira revelação/ L
Ten-o uma -abilidade !uase sobrenatural de di4er
!uando uma +essoa est@ escondendo al3o/
L#ão, não tem/
LTen-o, sim/ En!uanto as outras crianças iam
+ara os acam+amentos de escoteiros, eu ficava
sentado atr@s de um vidro es+el-ado comendo
c-ocolate FIs e observando um mil-ão de
3ru+os de +essoas/ Eu con-eço as +essoas/ L
#oa- deu uma batidin-a na t2m+ora com o
indicador/ L >ou um detector de mentiras
-umano/
L?rove/
#oa- deu uma r@+ida +assada de ol-os +elo bar,
+arou em um -omem e o estudou +or al3uns
se3undos/
LBele4a/ 'tr@s de voc2, sobre seu ombro
es!uerdo, na direção da +orta de sa6da/ Camiseta
a+ertada +ara e.ibir os mJsculos, brinco de +irata
na orel-a, casaco fol3ado e cabelos loiros de
moto!ueiro/ >e=a discreta/
Ela se virou +ara observar, e de+ois seus ol-os
encontraram os de #oa-/
LEle não ) um de voc2s/ >e este cara não for um
es+ião infiltrado, então eu nunca vi um es+ião na
vida/
olly virou a cabeça mais uma ve4/ Quando voltou
a encarar #oa-, não +arecia im+ressionada, mas
sim incomodada e, +or fim, irritada/
LCalma a6 L disse #oa-/ L " !ue voc2 ac-ava,
!ue não ia -aver um ou dois es+iões do lado
inimi3o em um troço como este a!uiO
LDsso não est@ certo/
L'-, es!uece isso/ Então, eu =@ falei +rimeiro,
a3ora me conte al3o sobre voc2/
olly concordou com a cabeça, res+irou fundo,
de+ois ficou em +) em cima do banco e 3ritou
+ara todo mundo no bar ouvir/
LEi, 3aleraP L Ela a+ontou +ara o -omem em
!uestão, !ue a essa altura tin-a se virado +ara
ol-ar +ara ela, como todo mundo/ L Estão
3ostando do s-oHO "l-a s8, temos um Benedict
'rnold na casaP
?elo ol-ar mal)volo no rosto do su=eito, ser
desmascarado +ublicamente era uma das coisas
de !ue ele menos 3ostava em uma noite de se.taC
feira/ >ob um coro cada ve4 mais barul-ento de
vaias e 3ritos, e de+ois de lançar um Jltimo ol-ar
venenoso na direção de olly, ele abru+tamente
+e3ou suas coisas e se encamin-ou +ara a +orta/
olly voltou a se sentar, e soltou um sus+iro
+rofundo e encantador/
L'l3o sobre mim/// dei.eCme ver/ L Ela inclinou o
cor+o +ara a frente, c-e3ando mais +erto de #oa-,
como se estivesse +restes a revelar um se3redo
!ue nin3u)m sabia/
LMs ve4es sou um +ouco im+ulsiva L ela
sussurrou/
Ca$%tu"o &<
,e re+ente a mJsica do .&Je'ox foi sendo
abai.ada at) dar lu3ar ao sil2ncio e uma mul-er
subiu ao +alco/ Ela tin-a mais ou menos <U anos e
uma e.+ressão de confiança calma e radiante nos
ol-os/ ' bele4a -onesta da =uventude ainda
relu4ia, mas fora suavi4ada e amadurecida com os
anos/ Ela es+erou at) !ue o barul-o diminu6sse de
ve4 e de+ois se +Ts diante do microfone/
LQuando ol-o +ara voc2s todos reunidos a!ui, me
lembro do !ue James adison disse sobre seu +a6s
na!uele tem+o* 5' união feli4 destes Estados ) um
+rod63io9 sua Constituição, um mila3re9 seu
e.em+lo ) a es+erança de liberdade +ara o mundo
inteiro5/
' +lat)ia res+ondeu com a+lausos entusi@sticos e
barul-entos/ Com um 3esto, ela +ediu sil2ncio e
continuou/
L?or muitos anos os EN' foram esse e.em+lo,
meus ami3os, e, +rometo a todos, +odemos voltar
a ser/ as -o=e estamos diante de uma ameaça ao
nosso futuro, al3o !ue não se via desde os tem+os
da 7uerra da Dnde+end2ncia/
LH@ centenas de teorias da cons+iração !ue
tentam e.+licar o !ue aconteceu conosco no
Jltimo s)culo/ 1i muitas dessas teorias
re+resentadas a!ui -o=e, nos discursos, nas
+essoas e nos slogans e carta4es es+al-ados +elo
bar/ Todos n8s estamos tentando entender as
mesmas malditas +rovas, mas ten-o medo de !ue,
:s ve4es, s8 se=amos ca+a4es de ver os sintomas,
e não a doença/
L' doença ) a corru+ção, +ura e sim+les/ '
corru+ção ) um v6rus, sem+re +airando nos
corredores e salões do +oder, +ronto +ara infectar
e se es+al-ar entre a!ueles cu=os sistemas
imunol83icos estão com+rometidos +ela 3an;ncia
e ambição ce3as/ >em+re foi assim, e nosso
sistema de 3overno foi criado com uma divisão
entre as tr2s esferas do +oder, todas refreadas +or
um esco+o limitado e +or +rinc6+ios do bomCsenso/
"s documentos de fundação estabeleceram essa
forma de 3overno +ara nos +rote3er da doença
!ue destr8i a liberdade desde a aurora da
civili4ação* a inevit@vel ascensão da tirania, a
+artir da cobiça e da 3ula de uma classe
dominante/
L" inimi3o !ue estamos enfrentando a3ora ) o
mesmo inimi3o !ue sem+re tentou escravi4ar o
+ovo livre/ ' ameaça não ) nova/ ' -ist8ria
-umana ) uma crTnica da luta do +ovo contra a
o+ressão de +oucos/ Esses +oucos estão entre n8s,
a cada 3eração, es+erando a o+ortunidade de dar
um +asso : frente e tomar o +oder/ T-omas
>oHell
&%
definiu claramente a nossa luta* 5'
!uestão mais b@sica não ) o !ue ) o mel-or, mas
!uem decide o !ue ) mel-or5/
L#ão ) +reciso criar uma teoria da cons+iração
+ara e.+licar o !ue est@ acontecendo ao nosso
redor -o=e em dia/ ' classe dominante escreveu e
+ublicou seus +lanos e sua -ist8ria, de maneira
clara e manifesta como a lu4 do dia/
Ela +e3ou e mostrou +ara a +lat)ia um volumoso
livro de ca+a dura/
L" t6tulo deste livro ) ?ragedy and hope0 Tem
!uase &/[%% +@3inas de -ist8ria e dos im+lac@veis
ob=etivos do inimi3o/ >abemos !ue este livro
cont)m a verdade +or!ue não ) uma obra
amalucada de ficção escrita +or um de n8s9 ) um
livro calmo e sensato, um arra4oado de fatos
escrito +or um -istoriador bem informado e
sim+@tico aos ob=etivos da elite do +oder, e um
mentor de +residentes, c-amado Carroll Qui3ley/
Nm -omem atr@s da mul-er esticou o braço e
trocou o 3rosso livro nas mãos dela +or outro, mais
vel-o e mais fino, !ue ela tamb)m mostrou :
+lateia/
&%
#ascido em &S<%, T-omas >oHell ) economista, escritor e comentarista
+ol6tico norteC americano, defensor de +ol6ticas liberais/ A#/ do T/B
L>e esta ) a -ist8ria deles, este a!ui ) um
e.em+lo mais anti3o de seu +lano de ação/ ?he
promise of american life A' ?romessa da 1ida
#orteC'mericanaB, de Herbert Croly, +ublicado em
&S%S, antes do in6cio da 3rande decad2ncia/ >eu
autor defendia o !ue c-amava de #ovo
#acionalismo/ Nm 3overno inc-ado, infind@veis
+ro3ramas de e.+ansão e inumer@veis
de+artamentos, um 5EstadoCbab@5 com +oder de
confisco e =urisdição sobre todos os as+ectos da
nossa vida/ Ele acreditava !ue na nova Era
Dndustrial as +essoas sim+lesmente não seriam
ca+a4es de 3overnar a si mesmas, como os bemC
intencionados, mas e!uivocados fundadores da
nação -aviam ima3inado/
L#o fim, Croly renunciou : +r8+ria obra, !uando
constatou o !ue tin-a a=udado a +Tr seus ideais
em e.ecução/ as seus escritos +ermaneceram
vivos, e influenciaram todas as mudanças
fundamentais en3endradas, +elo !ue ficou
con-ecido como 5movimento +ro3ressista5 na
+rimeira metade do s)culo $%, como o 'to de
Criação do (ederal Reserv, o #eH ,eal
&&
/
Ela colocou o livro de lado e de+ois retomou a
+alavra, com vo4 calma e +onderada/
Las Herbert Croly não era um -omem malvado/
L Essa declaração foi recebida com sil2ncio +ela
multidão, e a mul-er +ermaneceu !uieta +or
al3uns instantes/ L Ele !ueria uma vida mel-or
&&
" #eH ,eal Anovo acordoB foi o nome dado ao enorme +ro3rama de reformas
e obras +Jblicas im+lantado nos EN' entre &S<< e &S<R, sob o 3overno do
+residente (ranklin ,elano Roosevelt, com o ob=etivo de recu+erar e rea!uecer
a economia, livrar o +a6s da 7rande ,e+ressão e resolver o +roblema do
desem+re3o/ A#/ do T/B
+ara o +ovo deste +a6s/ Ele escreveu sobre !uais
eram suas id)ias +ara !ue isso fosse alcançado, e
era livre +ara fa42Clo/ Ho=e os Estados Nnidos estão
re+letos de o+iniões, +lataformas, +ro3ramas de
ação e movimentos !ue diver3em radicalmente
das nossas id)ias9 mesmo entre n8s a!ui -@
diver32ncias/ E ) assim !ue sem+re vai ser/ "
+eri3o vem : tona !uando as boas intenções são
sobre+u=adas e +ervertidas +ela cultura da
corru+ção L !uando a!ueles !ue são eleitos +ara
nos re+resentar começam a a3ir não em nome do
bem comum, mas +ara seu +r8+rio benef6cio/
LHo=e em dia ) a mesma coisa/ 's +essoas !ue,
visando ao benef6cio +essoal, substituem a =ustiça
i3ualit@ria +ela =ustiça social, a liberdade individual
+or um 3overno todoC+oderoso e onisciente,
renunciaram ao 3lorioso +otencial criativo do
indiv6duo norteCamericano, o coração +ulsante
desta nação, em favor de uma sociedade de duas
classes em !ue as elites dominam e todos os !ue
estão abai.o delas são i3uais* -omo3enei4ados,
subordinados, endividados e im+otentes/ V isso
!ue a corru+ção fa4 e vai fa4er, e n8s =@ dei.amos
isso acontecer de maneira desenfreada +or tem+o
demais/
?or um momento #oa- tirou os ol-os da oradora
+ara es!uadrin-ar a multidão9 ) dif6cil +erder
vel-os -@bitos/ Quase todo mundo estava
interessado e ouvindo atentamente, mas -avia
e.ceções/ 'l3uns -omens e mul-eres, cerca de &%
ou &U, estavam es+al-ados +elo bar e +areciam
um +ouco diferentes dos demais/ ' diferença não
estava no modo de vestir, mas em seu
com+ortamento/ Essas +essoas estavam bem mais
interessadas umas nas outras do !ue no !ue
estava acontecendo em cima do +alco/ E +elo
menos metade delas estava fuçando em +e!uenas
c;meras di3itais/
LEi L sussurrou #oa-, dando uma batidin-a na
mesa, +erto do braço de olly/ Ela se limitou a
fa4er ss--, +edindo sil2ncio, e manteve a atenção
na mul-er sob os -olofotes/ Com um Jltimo e
desassosse3ado ol-ar de relance em volta do bar,
#oa- tamb)m fe4 o mesmo/
LH@ <U mil lobistas credenciados em Kas-in3ton,
d/C/ L disse a mul-er, e a +lateia rea3iu com uma
saraivada de vaias e urros/ L Dsso d@ !uase R%
lobistas +ara cada membro do Con3resso/ Juntos
eles 3astaram !uase <,U bil-ões de d8lares no ano
+assado L mais de ],U mil-ões de d8lares +or
con3ressista/ Com esse din-eiro eles com+ram
influ2ncia, não em nome de voc2s, mas +ara
a+rovar e +Tr em +r@tica as +ro+ostas e
+rioridades dos clientes deles* as 3randes
cor+orações, bancos internacionais, os maiores
corretores de Kall >treet, 3overnos estran3eiros,
3i3antes da m6dia, a verdadeira e autoCdesi3nada
classe dominante/ >ão os lobistas !ue redi3em as
leis, os con3ressistas a+enas atuam como +aus
mandados, fantoc-es dessa le3islação corrom+ida,
e de+ois votam de acordo com a vontade da!ueles
!ue me.em os +au4in-os, os titereiros/
L#em todos eles, !ue fi!ue bem claro/ 'inda
e.istem bons -omens e boas mul-eres em
Kas-in3ton, d/C/ L mas muitos deles =@
debandaram +ara o outro lado, o lado +erverso/ 0@
eles abandonam o =uramento !ue +restam ao
assumir o car3o, em troca de +romessas de
fortuna e fama e da 3arantia de reeleição, desde
!ue e.ecutem o =o3o dos mandac-uvas/ Caso
contr@rio, sabem !ue +odem dar adeus : sua
carreira no serviço +Jblico/
LEste +a6s foi fundado como uma Re+Jblica
re+resentativa, mas voc2s =@ não estão mais sendo
re+resentados, estãoO
Nm retumbante não brotou em un6ssono nos
fundos do bar, o !ue dis+arou uma torrente de
3ritos !ue se es+al-ou +or todos os cantos/ Ela
es+erou al3uns minutos at) todos e.travasarem
sua comoção e de+ois, com um 3esto, +ediu
sil2ncio, er3uendo no ar um ma3ro documento/
LEsta ) Constituição dos Estados Nnidos da
'm)rica/ >ão cerca de &U +@3inas im+ressas,
a+enas !uatro fol-as de +er3amin-o !uando foi
ori3inalmente escrita a mão/ '!ui est@/ Est@ tudo
a!ui, a lei su+rema do +a6s, o arcabouço com+leto
do nosso sistema de 3overno/
LE sabem +or !ue ) um te.to tão +e!uenoO
?or!ue o 3overno em si devia ser +e!ueno/ Nm
3overno federal ) fundamental e im+ortante +ara
nosso +a6sO >im/ Ele deve e.istir +ara ser o cerne e
o s6mbolo de nossa unidade e uma bJssola +ara
3uiar nossa =ornada como uma s8 nação unidaO
>im/ as o +ro+8sito ori3inal era !ue o 3overno
fosse +e!ueno/ ?or !u2O ?or!ue n8s, voc2s e eu,
somos o verdadeiro 3overno nesta nossa terra/
Essa ) a verdade es!uecida !ue 3rita nestas
+oucas +@3inas/
L" !ue os fundadores da nação sabiam ) !ue os
3overnos se corrom+em/ ?or isso T-omas Jefferson
nos ensinou !ue a resist2ncia aos tiranos ) a
obedi2ncia a ,eus/ Eles sabiam !ue o mal, assim
como a 3ravidade, ) uma força da nature4a/ '
corru+ção sem+re sur3e/ (eito ervas danin-as em
um =ardim ela se infiltra, finca ra64es, cresce e
toma conta de tudo/ (i!uem alertas, nos
ensinaram/ anten-am o 3overno sob r)deas
curtas, ou este +ara6so de liberdade e
o+ortunidades +ode desa+arecer em uma Jnica
3eração/ E, meus ami3os, fa4 muito tem+o !ue
dei.amos de lado nossa res+onsabilidade/
Es!uecemos nossa obri3ação de manter vi3il;ncia
eterna, e, en!uanto est@vamos dormindo, uma
outra estrutura, corru+ta e cada ve4 maior, estava
sendo er3uida +ara substituir nossos +rinc6+ios
fundantes no e.ato momento em !ue eles ficarem
fracos demais +ara resistir/ E a3ora, ol-amos ao
nosso redor e constatamos !ue o nosso futuro =@
foi roubado de n8s/
LQuando assumem o car3o, nossos
re+resentantes no 3overno +restam um
=uramento, de defender e fortalecer a Constituição
dos EN'/ as +ara muitos deles são a+enas
+alavras va4ias/ Eles =amais se!uer consultam a
sabedoria !ue =uraram +reservar/ Nma ve4
+ronunciado, o =uramento ) lo3o es!uecido, e a
Constituição dos Estados Nnidos nunca mais +assa
+ela cabeça deles/
Ela +ousou o documento sobre uma mesa e +e3ou
um volumoso livro de ca+a a4ulCescura, do
taman-o da lista telefTnica do Brooklyn/
L' Constituição +ode ser dobrada e carre3ada
dentro do bolso da camisa, e aos !ue ainda não
fa4em isso recomendo !ue ten-am sem+re
consi3o um e.em+lar/ as isto a!ui L ela er3ueu
o cal-amaço L ) um volume do c8di3o tribut@rio
federal/ L Ela dei.ou cair o cal-amaço, !ue
desabou a seus +)s com um ba!ue no c-ão do
+alco/ L >ão &/[%% +@3inas, e isto a!ui ) a+enas
um volume9 e.istem estantes c-eias disto a!ui/
>ão ]R mil +@3inas re+letas de re3ras, +enalidades
e crimes dos !uais voc2s são cul+ados at)
+rovarem sua inoc2ncia/ Quando a Receita (ederal
bate : nossa +orta, não e.istem devidos +rocessos
le3ais/
LE sabem +or !ue este c8di3o a!ui ) tão 3rande,
e +or !ue fica maior a cada anoO V a mesma ra4ão
+ela !ual a Receita est@ envolvida com a
le3islação dos se3uros e +lanos de saJde assim
como o Tesouro estava envolvido no cum+rimento
da 0ei >eca/ ?or!ue o +oder de cobrar im+ostos
inclui o +oder de destruir/ Essa não ) a min-a
o+inião, ) a o+inião da >u+rema Corte/
Las nin3u)m +recisa de um =ui4 +ara di4er o !ue
) 8bvio +ara !ual!uer um, +ara !ual!uer um !ue
=@ tentou +reenc-er uma declaração de Dm+osto de
Renda/ % c8di3o tribut@rio não foi feito +ara ser
lido e entendido +elas +essoas/ Ele serve como
defesa +ara a!ueles !ue roubaram de n8s o +oder,
e como uma arma de coerção seletiva a ser usada
contra !ual!uer um de n8s !ue ouse levantar a
vo4 em +rotesto/ ' lei não se a+lica a eles, ) s8
+ara voc2s* neste e.ato momento cerca de &%%
mil funcion@rios federais devem, =untos, !uase &
bil-ão de d8lares em im+ostos atrasados/ Entre
eles est@ o secret@rio do Tesouro/
' multidão rea3iu com uma ruidosa onda de 3ritos
e vaias, e levou bastante tem+o +ara se a!uietar/
Quando +or fim o bul6cio diminuiu, ela retomou o
discurso, mas a3ora com vo4 mais suave/
LTodos n8s a!ui reunidos -o=e não estamos
sim+lesmente lutando contra os im+ostos, os
3astos fora de controle ou as d6vidas
insustent@veis/ Estamos lutando +or al3o bem
mais am+lo* =ustiça i3ualit@ria/ Estamos lutando
+elo fim das e.ceções, das mordomias da!ueles
!ue t2m os nJmeros de telefone das +essoas
certas/ #ão e.iste ra4ão +ara !ue a +essoa !ue
controla a Receita (ederal, o con3ressista !ue
escreve o c8di3o tribut@rio ou o +residente de
em+resa !ue tem ami3os na Casa Branca 3an-e
+asse livre, ao +asso !ue voc2s e eu devemos
+a3ar +elas conse!u2ncias de nossas decisões/
LJo-n 'dams disse certa ve4 !ue somos 5um
3overno feito de leis, não de -omens5/ (açam a
voc2s mesmos a se3uinte +er3unta* Dsso ainda )
verdadeiro -o=e em diaO Ho=e a renda de voc2s, o
nome da fam6lia e os contatos e as +essoas !ue
voc2s con-ecem são mais im+ortantes do !ue
nunca/ >ão essas coisas !ue +odem a=udar al3u)m
a ser bemCsucedido ou asse3urar seu fracasso/
Como esse ti+o de realidade +ode coe.istir em
uma sociedade na !ual todos os -omens são
criados i3uaisO
' res+osta )* não +ode/ ?or isso estamos a!ui/ ?or
isso tamb)m ) im+oss6vel !ue !ual!uer +essoa
-onesta refute nossa mensa3em de =ustiça
i3ualit@ria/ Como eu sei dissoO ?or!ue foi a
mensa3em do ,r/ artin 0ut-er Kin3, Jr/
#oa- notou !ue a atmosfera no bar +arecia ter
mudado desde o momento em !ue a!uela mul-er
subira ao +alco/ #ão era a+enas o fato de !ue
dava +ara ouvir uma a3ul-a caindo no c-ão, era o
clima 3eral do lu3ar/ Ela controlava a multidão,
tin-a todos na +alma da mão/
L'o lon3o da nossa -ist8ria outros recorreram :
viol2ncia +ara alcançar seus ob=etivos, mas )
im+ortante lembrar !ue todos eles fracassaram/
Contudo, o ,r/ Kin3 foi diferente/ Ele instruiu as
+essoas a dobrarem os =oel-os, a lançarem mão
de +alavras e ações +ac6ficas, a +ermanecerem
=untas +ara lutar incansavelmente +or sua causa/
L" ,r/ Kin3 entendeu o !ue todos a!ui devem
entender* a!ueles !ue lutam +ara corri3ir
in=ustiças devem estar dis+ostos a aceitar o
sofrimento, se necess@rio, mas =amais infli3ir
sofrimento/
Todas as atividades normais !ue eram de es+erar
de um bar tin-am sido interrom+idas/ 't) mesmo
as 3arçonetes e os 'armen +areciam
com+letamente concentrados nas +alavras !ue
=orravam do +alco/
L" ,r/ Kin3 disse uma ve4 !ue 5nen-uma mentira
+ode +erdurar +ara sem+re5/ Ele sabia !ue, assim
!ue o +ovo norteC Camericano entendesse a
+rofundidade e a 3ravidade da in=ustiça !ue
estava sendo +er+etrada contra ele, acabaria
escol-endo o lado certo/ Ho=e enfrentamos o
mesmo desafio, e, se tivermos +aci2ncia, +odemos
es+erar o mesmo resultado/
L% +ovo norteCamericano ainda ) bom e =usto/
>abe a diferença entre racismo e o uso do racismo
al-eio +ara benef6cio +r8+rio, 3eralmente +ol6ticoC
eleitoral9 entre viol2ncia e acusações de viol2ncia9
entre 8dio e +atriotismo/ Basta dei.ar !ue as
+essoas +onderem sobre as evid2ncias e +esem
tudo na balança +elo tem+o !ue for necess@rio,
+or!ue, !uando o +ovo der seu veredicto, mais
uma ve4 estar@ do lado certo/
L1oc2s estão com raiva, sei !ue estão, e deviam
mesmo estar L a oradora continuou L, mas a3ora
+reciso +edir a voc2s, e.i3ir de voc2s, !ue
renunciem a !ual!uer coisa !ue su3ira viol2ncia/
'ssim como o ,r/ Kin3, nossa intenção ) eliminar o
mal, e não fa4er o mal, e não +er+etuar o mal/
(alar de !ual!uer forma de viol2ncia ) e.ecutar o
=o3o dos !ue se o+õem a n8s, ) comer na mão
deles/ Eles =@ investiram incont@veis -oras +ara
nos retratar como um bando de racistas violentos
e c-eios de 8dio, e estão a+enas es+erando a
o+ortunidade de insistir nessa -ist8ria, de
confirmar essa ima3em/ #ão vamos dar a eles
essa c-ance/ Em ve4 de Bill 'yers, daremos a eles
Ben=amin (ranklin9 em ve4 de alcolm Z, daremos
a eles Rosa ?arks
&$
/ #o lu3ar de Bin 0aden, 7and-i/
&$
Killiam C-arles 5Bill5 'yers, nascido em &S[[, educador norteCamericano,
con-ecido +or seu ativismo de o+osição : 7uerra do 1ietnã/ Em &S]S foi um
dos fundadores do Keat-er Nnder3round, 3ru+o revolucion@rio comunista !ue
+romoveu ata!ues com bombas a edif6cios +Jblicos9 'l Ha== alik 'lCHaba44,
mais con-ecido como alcolm Z A&S$UC&S]UB, um dos mais c)lebres
defensores dos direitos dos ne3ros nos EN', tendo fundado a "r3ani4ação +ara
a Nnidade 'froC'mericana, de ins+iração socialista9 foi acusado +or muitos de
+ro+a3ar o racismo, a su+remacia ne3ra e a viol2ncia9 Rosa ?arks A&S&<C$%%UB,
costureira ne3ra norteC americana s6mbolo do movimento dos direitos civis dos
ne3ros nos EN'9 3an-ou notoriedade em &SUU ao se recusar a ceder seu lu3ar
no Tnibus a um branco, o !ue serviu de marco na luta antiCse3re3acionista/ A#/
Eles estão muito bem +re+arados +ara usar a
viol2ncia, mas não fa4em id)ia de como usar a
+a4/
L'l)m disso, tudo de !ue +recisamos +ara levar a
mel-or L a mul-er em cima do +alco er3ueu mais
uma ve4 seu e.em+lar im+resso da Constituição
L, todos os escudos e armas contra a tirania e a
o+ressão, mesmo nos Jltimos est@3ios do c;ncer
da corru+ção !ue nos dei.ou doentes, tudo de !ue
+recisamos =@ est@ bem a!ui/ Basta encontrarmos
a força e a sabedoria +ara acordar nossos ami3os
e vi4in-os, tomar de volta nosso +oder e restaurar
o !ue foi es!uecido/ Restaurar/ #ão ada+tar, não
transformar/// restaurar/
L?ermitamCme fa4er uma +er3unta/ uitos de n8s
somos +intados como 5antiC3overnistas5 L mas
!uem ama mais os EN', a!ueles !ue !uerem
restaurar o +a6s ou a!ueles !ue !uerem
transform@CloO
Em !uestão de se3undos, o sil2ncio !ue +or al3um
tem+o +redominara no bar eva+orou/ ,e todos os
cantos vieram 3ritos entusiasmados/ "s
desa=ustados c-e3aram, inclusive, a abai.ar suas
c;meras e virar as costas, como se +or sua
nature4a a!uele material não tivesse utilidade
+ara eles/
L#ão se dei.em en3anar, 5transformação5 )
sim+lesmente uma +alavra bonita +ara di4er !ue
3osta de al3uma coisaP >e não se mora em uma
casa vel-a, !ue al3u)m adora, falaCse em
5restaurar5 essa casa ou em 5transform@Cla5 em
do T/B
uma cansão
&<
O " mesmo vale +ara um carro
anti3o ou um !uadro L as coisas !ue t2m valor
real não são mudadas ou transformadas, elas são
5+reservadas5/
Ela fe4 uma +ausa e +assou os ol-os +elo bar, bem
deva3ar, como se estivesse conversando
+essoalmente com cada um dos +resentes/
L#ão sei !uanto a voc2s, mas acredito !ue ainda
vale : +ena +reservar os Estados Nnidos !ue os
nossos fundadores criaram/ "bri3ada a todos,
,eus os abençoe, e !ue +ossa abençoar a
'm)rica/
' mul-er saiu do +alco +elo outro lado, e uma
canção de Toby Keit- começou a tocar nas cai.as
de som/ En!uanto a+laudia o fim do discurso,
olly ol-ou +ara #oa-/ ,e+ois inclinou o cor+o na
direção dele e, levantando a vo4 +or causa do
barul-o do bar, +er3untou*
LE então, o !ue ac-ouO
#oa- tomou um lon3o e +ensativo 3ole, de+ois
deu de ombros9 en!uanto isso o bar ia se
a!uietando/
&<
cansão ) um termo +e=orativo utili4ado +ara descrever casas de classe
m)dia alta, am+las, im+onentes e constru6das ra+idamente, com t)cnicas
modernas !ue redu4em mão de obra, de forma semel-ante ao modo de
+rodução industrial de comida utili4ado +ela rede de fast(food c,onaldIs/
Nma ve4 !ue essas casas refletem ostentação e são des+rovidas de
inte3ridade ar!uitetTnica, a +alavra +assou a ser s6mbolo da era de
consumismo desenfreado A#/ do T/B
" 'to ?atriota ) uma +ol2mica lei dos EN' a+rovada a+8s os ata!ues
terroristas de && de setembro de $%%& com o ob=etivo de reforçar a se3urança
interna do +a6s e aumentar os +oderes da +ol6cia e das a32ncias encarre3adas
de identificar e combater terroristas/ A#/ do T/B
' ?rimeira Emenda da Constituição dos EN' im+ede o Con3resso de
infrin3ir os direitos fundamentais dos cidadãos* +roibir a liberdade reli3iosa,
limitar a liberdade de e.+ressão e de im+rensa, coibir o direito de livre
associação +ac6fica e limitar o direito de a+resentar +etições ao 3overno com o
intuito de re+arar a3ravos/ A#/ do T/B
L1oc2 !uer um cl&' soda ou um sucoO
L#ão, obri3ada/ % !ue ac-ou do !ue ela disseO
L#ão sei/ 'c-o !ue ela acredita mesmo no !ue
est@ di4endo/
LNau L ela comentou/ L Essas devem ter sido as
+alavras mais neutras !ue eu =@ ouvi um -omem
di4er/ 1oc2 ) mesmo um e.ecutivo de relações
+Jblicas/
L>into muito/ #ão 3osto de falar de +ol6tica/
>em+re ac-ei !ue era +erda de tem+o/
L>e entendi direito, voc2 est@ dis+osto a admitir
!ue a a!uela +essoa !ue estava discursando em
cima do +alco L min-a mãe, ali@s L,
+rovavelmente acredita no !ue est@ di4endo, e
mesmo assim não vale a +ena +erder um se3undo
do seu tem+o +ara se!uer +ensar no assuntoO
LEra sua mãeO
L'+enas res+onda : min-a +er3unta/
L#ão, eu não disse isso/ V com+licado/
L#ão L ela retrucou, curta e 3rossa L, na
verdade, não )/
L>er@ !ue a 3ente +ode mudar de assuntoO >8
+or al3uns minutos/ #ão !uero bri3ar com voc2/
L'3ora =@ ) tarde demais, >r/ 7ardner/
LTudo bem, me escute, então/ Eu sei !ue +essoas
de certa mentalidade +odem começar a odiar o
3overno/
L#8s não odiamos o 3overno/ >omos contra um
3overno sem controle !ue +erdeu de vista os
+rinc6+ios e foi assolado +ela corru+ção/
LTudo bem, ) um bom ar3umento/ Entendo !ue
voc2s este=am c-ateados com o !ue est@ sendo
feito com o +a6s/
L(ico feli4 !ue voc2 entenda isso/
LEu entendo, sim/ 's coisas estão ruins, e vão
ficar bem +iores antes !ue essa crise acabe, mas
isto a!ui L ele a+ontou +ara o bar abarrotado de
3ente L, o !ue voc2s ac-am !ue vão conse3uir
com isto a!uiO
L#8s estamos nos unindo, tomando +osição/
LTomando +osiçãoO Contra o !u2O Contra o =eito
!ue as coisas sem+re foramO ?or!ue isso não vai
mudar/
olly se a=eitou no banco, como se estivesse se
+re+arando +ara uma bri3a, de+ois falou ol-ando
nos ol-os de #oa-/
L?or !ue motivo voc2 veio a!ui, afinalO
Ele sus+irou e afastou um +ouco o cor+o/
L'c-o !ue eu s8 !ueria con-ecer voc2/
LBem, esta reunião inJtil, a!uela mul-er em cima
do +alco, e todas essas outras +essoas sem noção/
Dsso tudo sou eu/ '3ora voc2 =@ me con-ece/
,e+ois de di4er isso, ela +e3ou a bolsa e foi
embora, dei.ando #oa- sentado so4in-o com sua
cerve=a/
Ca$%tu"o &&
#oa- =@ tin-a +erdido a conta de !uantas canecas
de cerve=a -avia tomado, mas seus c@lculos
3iravam em torno de uma m)dia de S%% mililitros
a cada orador !ue era convidado a subir ao +alco/
Ele co3itou a id)ia de travar consi3o mesmo um
=o3o !ue consistia em mandar 3oela abai.o uma
boa dose de cerve=a toda ve4 !ue ouvisse
+alavrões como +ro3ressista, socialista e
3lobali4ação9 mas, se se3uisse essas re3ras ficaria
b2bado em +oucos minutos/ "s discursos eram
todos diferentes, mas os +ontos +rinci+ais eram os
mesmos, com variações m6nimas a+enas em duas
@reas* !uem devia levar a cul+a +elos +roblemas
do +a6s, e !ue ações eles deviam tomar/
#oa- ainda estava sentado so4in-o =unto ao +alco/
,e+ois do fora 3lacial de olly, não -avia ra4ão
+ara ele ficar no bar, mas estava se sentindo
e.austo demais +ara sim+lesmente se levantar e ir
embora/ 'l)m disso, a ideia de tomar um +orre
+arecia o mel-or rem)dio +ara se redimir da!uela
noite mali3na/
' multidão ao redor dele se dis+ersou de+ois de
mais um interlJdio musical/ Ele tin-a a es+erança
de ver uma das 3arçonetes tra4endo mais uma
caneca de cerve=a, mas, em ve4 disso, +ercebeu
!ue a fi3ura familiar de um -omem enorme e
barbudo vin-a camin-ando na direção : mesa/
Hollis L nin3u)m tivera a 3entile4a de informar
!ual era o sobrenome dele L encostou
delicadamente o dedo no banco em frente a #oa-
e então +er3untou com toda a educação se a!uele
lu3ar =@ estava ocu+ado/
L?or favor, fi!ue : vontade L res+ondeu #oa-/
?erto da!uela criatura descomunal de fala mansa,
o banco +arecia uma +eça de mob6lia de uma
casin-a de bonecas, mas mesmo assim Hollis se
sentou sem !ue o banco desmoronasse/ L as
vou di4er a verdade* se voc2 tem a c-ance de
escol-er entre as centenas de +essoas a!ui !ue,
+osso 3arantir, são com+an-ia mel-or do !ue eu,
estou me +er3untando +or !ue motivo voc2
decidiu se sentar a!ui/
' 3arçonete a+areceu e dei.ou outra cerve=a +ara
#oa- e uma 3arrafa de CocaCCola +ara seu novo
cole3a de mesa/ Hollis es+erou e s8 res+ondeu
de+ois !ue a moça saiu de +erto/
LEu não sei/ 1oc2 me +areceu meio triste, ac-o/
?ara =o3ar 3asolina no -umor =@ inflam@vel de
#oa-, o ilustre ,anny Bailey, a atração +rinci+al da
noite, subiu ao +alco ao som de heavy metal e
recebeu uma ovação !ue c-acoal-ou todas as
+rateleiras de vidro atr@s do balcão do bar/
LE a6, #ova GorkP L Bailey berrou, como um astro
do rock de idade avançada dando o +onta+) inicial
de sua turn2 de des+edida/ Ele se3urou o
microfone no ar, a+ontado +ara a +lat)ia, +ara
incitar a ruidosa res+osta da multidão, e não
moveu se!uer um mJsculo +ara acalmar os
;nimos e +edir sil2ncio/ ?elo contr@rio, dei.ou !ue
o clamor se +rolon3asse e s8 de+ois de um lon3o e
ensurdecedor minuto de 3ritaria resolveu falar ao
microfone/
L"bri3ado, de coração/ Eu +oderia ficar a!ui a
noite inteira ouvindo isso/ as !uero ver se essa
3alera ) mesmo das min-as/ Como saber !uando
um +ol6tico est@ mentindoO
LQuando os l@bios dele estão se me.endoP L
res+ondeu a multidão/
LDsso mesmo/ E basta ol-ar os nomes !ue eles
dão :s coisas, es+ecialmente :s leis em !ue eles
votam sem nem ler/ >e eles resolvem c-amar al3o
de 'to ?atriota, +ode a+ostar !ue não vai demorar
muito +ara começarem a usar a lei +ara nos
+erse3uir, n8s !ue somos +atriotas/ >e o nome for
#eutralidade na Rede, vai ser uma coisa usada
+ara neutrali4ar os inimi3os deles/ >e o nome for
,outrina da Justiça, vai servir +ara +Tr
in=ustamente a liberdade de e.+ressão sob o
controle do 3overno e criar um efeito +aralisante
nos nossos direitos da ?rimeira Emenda/ Reforma
das leis de imi3ração, reforma do sistema de
saJde, façaCme o favorP Quando eles disserem a
+alavra 5reforma5, !uero !ue voc2s ouçam a
+alavra 5transformação5/ E a +er3unta se3uinte
!ue voc2s t2m de fa4er )* 5#o !ue eles estão
tentando nos transformarO5/ Em um +a6s mel-or,
mais forte, mais livreO "u em um lu3ar re+leto de
3ente cada ve4 mais f@cil de controlar, mais f@cil
de e.+lorar, f@cil de sub=u3arO
Dsso +rovocou uma reação +ositiva e barul-enta da
multidão, !ue continuou at) Bailey tirar do bolso
uma fol-a de +a+el dobrada e fa4er um 3esto
acalmando a +lat)ia/
LEi, al3u)m a!ui est@ +rocurando em+re3oO "
desem+re3o dis+arou e =@ +assou dos $%_, estou
falando do desem+re3o real, não dos nJmeros
falsos !ue nos mostram nos notici@rios da noite/ E
isso não ) nada* !uase [%_ se voc2 ) um =ovem
ne3ro neste nosso +a6s/ Como +ensei !ue al3uns
de voc2s +udessem estar !uerendo uma nova
carreira, eu trou.e esta o+ortunidade de em+re3o
+ara mostrar a voc2s/
Ele er3ueu a fol-a de +a+el im+ressa em um
;n3ulo em !ue era +oss6vel ler sob os -olofotes/
L'c-ei isto a!ui semana +assada em um site do
3overno/ V um em+re3o muito bom, uma va3a
+ara o !ue eles c-amam de Es+ecialista em
Reeducação e Dnternação/
' reação da multidão foi imediata, furiosa e
barul-enta/
L"ra, calma, vamos dar uma c-ance/ ,e todos os
+resos do mundo, temos $U_ deles bem a!ui,
neste +a6s/ "s EN' t2m a+enas U_ da +o+ulação
do +laneta, então deve -aver um nJmero
des+ro+orcional de +essoas indese=@veis nos
Estados Nnidos, não ac-amO
Nm -omem a+areceu +or tr@s do c6rculo de lu4 do
-olofote tra4endo uma +il-a de +a+)is
3ram+eados/
L"-, es+erem L Bailey continuou, fin3indo uma
reação incrivelmente e.a3erada ao se de+arar
com um novo documento no to+o da +il-a/ L "
!ue ) isto a!uiO 'c-o !ue a 3ente não devia ver
isto/ Dsto a!ui ) o Re3ulamento do E.)rcito $&%C<U,
datado de !uase cinco anos atr@s/ 1amos dar uma
ol-adaO " t6tulo ) 5?ro3rama de Trabal-o de
,etentos Civis5/ Talve4 se=a +ara isso !ue eles
+recisam de es+ecialistas em reeducação de
internação de +resos/
"utra e.+losão de indi3nação da multidão/
L>e3urem a onda a6/ >ão criminosos +eri3osos/
'final de contas, al3u)m tem de +Tr esses caras
na lin-a, certoO Então +or !ue não mandar essa
3ente +ara suar a camisa de 3raça em +risões e
cam+os de trabal-o militaresO Quem não )
criminoso +eri3oso não tem motivo de
+reocu+ação/
Ele fol-eou outro documento/
Las o !ue temos a!uiO Nm memorando de &SRS,
escrito +or um -omem !ue mais tarde se tornou
diretor da (E'
&[
, defendendo a detenção de $&
mil-ões de ne3ros americanos no caso de
desordem civil/ "ra, dei.ei meus nJmeros e.atos
em casa, mas ac-o !ue na!uela )+oca $& mil-ões
era a+ro.imadamente o nJmero total de ne3ros
nos Estados Nnidos/
LE a!ui L ele forçou um +ouco os ol-os +ara ler o
documento no to+o da +il-a L, 5" ?lano UUC$ de
,istJrbios Civis da (orça ')rea dos Estados Nnidos
vai autori4ar e instruir o secret@rio da ,efesa a
usar as (orças 'rmadas dos EN' +ara restaurar a
lei e a ordem em caso de crise5/ >ob esse +lano
3eral, eles fi4eram um e.erc6cio em &SW[ L d@
+ara ver !ue eles t2m senso de -umor L !ue foi
denominado REZCW[/ " +ro+8sito era testar a
efici2ncia dos militares no !ue di4ia res+eito a
encurralar e +render todos os norteCamericanos
desobedientes de suas listas/
Bailey continuou mostrando documento atr@s de
documento/
L5Que listasO5 voc2s +er3untam/ 0istas de todo
ti+o/ ' lista ',EZ do (BD dos anos &S]% L ',EZ )
abreviatura de '3itator Dnde., 6ndice de '3itadores
L estava c-eia de nomes de +eri3osos
intelectuais, l6deres sindicais, +essoas !ue
+rotestaram contra a 7uerra do 1ietnã/ '3ora -@
mais de &,U mil-ões de +essoas na lista de
vi3il;ncia do ,e+artamento de >e3urança Dnterna,
&[
(ederal Emer3ency ana3ement '3ency A'32ncia (ederal de 7erenciamento
de Emer32nciasB, 8r3ão do ,e+artamento de >e3urança Dnterna dos EN' cu=o
ob=etivo ) coordenar as res+ostas a desastres !ue ocorram no +a6s/ A#/ do T/B
cu=a velocidade de crescimento ) de $% mil nomes
+or m2s/
L1oc2 tem uma arma de fo3o re3istradaO >eu
nome est@ em uma listaP (e4 al3uma contribuição
+ara a cam+an-a de um +ol6tico inde+endenteO
Est@ em uma listaP 1isitou meu >e'sitet Est@ em
uma listaP J@ fe4 al3um discurso +ara uma
multidão de +atriotas desordeiros sobre as listas
do 3overnoO Est@ na listaP
Las !uem +recisa de lista !uando eles +odem
monitorar a 3ente !uando bem entenderemO
Todos voc2s =@ ouviram falar do 5'n=o ,i3ital5,
a!uele dis+ositivo !ue +ode ser im+lantado sob a
+ele/ ,i4em !ue ) +ara arma4enar informações
m)dicas e 3arantir a se3urança das crianças e dos
+acientes de 'l4-eimer/
' multidão começou a vaiar e a assoviar/
L"ra, ora/// Talve4 eles este=am sendo -onestos
com a 3ente +ela +rimeira ve4 na vida, mas sabem
de uma coisaO #ão im+ortaP " 5'n=o ,i3ital5 ) s8
um disfarce/ Estamos todos ocu+ados demais nos
+reocu+ando com chips im+lant@veis, en!uanto
fa4emos fila +ara com+rar o novo iPhone ou o mais
recente smartphone0 0eiam as letras miJdas,
+essoalP Eles não +recisam vender novas
tecnolo3ias +ara nos rastrear, estamos doidos +ara
com+rar as vel-asP
L"-, isto a!ui acabou de c-e3ar, 3raças aos
nossos ami3os da internet L um lu3ar em !ue
+elo menos +or en!uanto +odemos rastre@Clos
com a mesma facilidade com !ue eles rastreiam a
3ente/
#oa- sentiu o rosto +e3ar fo3o/ #as mãos de
Bailey -avia a3ora uma c8+ia do memorando
va4ado do 3overno, !ue -avia sido discutido na
reunião da!uela tarde e !ue ele +assara a man-ã
inteira tentando anular/ ' essa altura era al3o
efetivamente inofensivo e irrelevante, e ele tentou
se tran!uili4ar re+etindo isso +ara si mesmo, mas
o ol-ar +resunçoso do su=eito em cima do +alco =@
tin-a começado a dar nos nervos/
L>e voc2 falar al3uma coisa contra o aborto L
Bailey continuou, lendo o memorando L, se for um
veterano de 3uerra, um defensor da >e3unda
Emenda, contra a imi3ração ile3al, se estudou em
casa e não em uma escola, se tiver um adesivo no
vidro do carro com a frase 5C-uck BaldHin
&U
+ara
?residente5 ou, !ue ,eus nos +rote=a, se for
fla3rado de +osse de um e.em+lar da Constituição
dos EN', então, meus bons +atriotas, suas
mamães e +a+ais, vovTs e vov8s, seus 3uardiões
da liberdade serão abordados com e.trema
cautela e armas em +un-o, +or!ue voc2 +ode ser
um terroristaP
" tom 3eral do ;nimo da +lat)ia tin-a ficado
+erce+tivelmente mais acirrado/ #em todo mundo
+arecia sedu4ido +or essa lin-a de ret8rica/ Talve4
faltasse con!uistar uns &%_ da multidão/ as, se
essa minoria ainda não dava sinais de estar +ronta
+ara se3urar toc-as e forcados, faltava +ouco/
Las es+erem um +ouco, es+erem a6/ Então eles
t2m nossos nomes em uma lista, mas isso não
&U
C-arles "badia- 5C-uck5 BaldHin, nascido em &SU$, ) +astor batista e
+ol6tico direitista norteCamericano, candidato do ?artido Constitucionalista :s
eleições +residenciais de $%%W/ A#/ ,o T/B
!uer di4er !ue vão nos +render e nos mandar +ara
cam+os de concentração, certoO Dsso +oderia at)
acontecer se eles tivessem al3uma coisa +ara
botar a cul+a na 3ente, al3um ti+o de 3rande
emer32ncia/ Então !uem decide se e !uando a
3ente est@ nesse ti+o de criseO " Con3resso,
talve4O " mesmo Con3resso ban3uela !ue =amais
c-e3ou a declarar 3uerra a nen-um dos R% +a6ses
+ara onde mandamos nossos =ovens +ara lutar e
morrer desde &S[UO " mesmo Con3resso !ue
se!uer teve +ermissão +ara ler as +rovisões +8sC
orHellianas de continuidade do 3overno em vi3or
desde a d)cada de &SW%O
L#ão, o Con3resso não decide/ L Bailey mostrou
outro documento/ L ' coisa ) muito +ior !ue isso/
,esde a ,iretiva ?residencial nJmero U&, ) oficial/
" +residente decide/ " +residente devidamente
eleito assume o controle da +arada toda, o !ue
eles c-amam na ,iretiva de ,ecisão ?residencial
nJmero ]R de 57overno Constitucional
?ermanente5/ >ob seu comando os EN' se
transformam em 7C?, situação !ue continua
vi3ente at) o benevolente im+erador decidir !ue a
barra =@ est@ lim+a/ ' verdade ) !ue isso +ode
acontecer !uando ele bem entender/ Caso voc2s
não saibam, os +oderes constitu6dos v2m
mantendo este +a6s em estado de cont6nua
emer32ncia nacional desde &S<</
L1oc2s sabiam !ue, se voc2s morarem em um
raio de &]% !uilTmetros de uma @rea litor;nea ou
fronteira, estão no !ue eles c-amam de 5Eona
0ivre Constitucional5, onde a ,eclaração de
,ireitos dos Cidadãos +ode desa+arecer em um
+iscar de ol-osO #ão sou eu !ue estou di4endo, ) a
Nnião #orteC'mericana das 0iberdades Civis/ ,ois
terços de n8s vivem nessa 4ona9 são $%% mil-ões
de cidadãos norteCamericanos/ >abiam !ue -o=e :
noite, a!ui mesmo nesta cidade, nossos bondosos
l6deres desi3naram uma @rea !ue eles c-amam de
5Eona de 0iberdade de E.+ressão5, onde temos
+ermissão de e.ercer livremente nossos direitos
da ?rimeira EmendaO as est@ l@ na +arte alta da
cidade, em um estacionamento cercado +or arame
far+ado, onde nossos 3overnantes e a m6dia não
+recisam ser distra6dos +or a!uilo !ue temos a
di4er/
LBem, sen-oras e sen-ores, eu declaro !ue este
e.ato lu3ar em !ue estou em +) a3ora, e !ue cada
cent6metro !uadrado deste nosso 3rande +a6s, de
um oceano ao outro, de acordo com os direitos
alien@veis e +oderes a mim conferidos +or meu
Criador, são Eonas de 0iberdade de E.+ressão/
#oa- teve de se3urar sua taça da cerve=a,
ameaçada de transbordar +or causa do solavanco
!ue sua mesa recebeu dos farristas9 a multidão,
!ue =@ vin-a a+laudindo e berrando com todas as
forças, estava rea3indo de maneira cada ve4 mais
violenta/ #o +alco, ,anny fe4 um 3esto sinali4ando
!ue !ueria ser ouvido de novo/
L' coisa +arece feia, eu sei !ue +arece/ as
sabem +or !ue vamos derrot@ClosO 1amos derrot@C
los +or!ue assim !ue a verdade vier : tona não vai
-aver como im+edir !ue ela se es+al-e/ Quando as
+essoas acordarem, não terão outra o+ção a não
ser sair das sombras e lutar, e a6 =@ era/ 0embremC
se do !ue disse um 3rande -omem/ ?rimeiro eles
te i3noram, de+ois riem de voc2, de+ois bri3am///
L E então eles te derrotam/
(oi um da!ueles momentos de +esadelo, como
!uando voc2 son-a !ue est@ +elado na sala de
aula/ Quando #oa- +ronunciou a!uelas +alavras,
em vo4 alta, mas de si +ara si, o bar inteiro estava
em sil2ncio absoluto, na e.+ectativa de ouvir o
triunfante final de Bailey/ Contudo, +or causa de
al3um cruel tru!ue de acJstica, o coment@rio
sarc@stico de #oa- +areceu ter c-e3ado a todos os
ouvidos do recinto/
Ca$%tu"o &'
,urante al3uns se3undos !ue +areceram uma
eternidade #oa- alimentou a es+erança de !ue
,anny Bailey não se incomodaria com a
interru+ção, mas na!uela malfadada noite era
im+rov@vel !ue isso acontecesse/ #oa- ol-ou de
relance e viu !ue era o foco das atenções do
-omem em cima do +alco/
L"ra, ora, ora/ L Bailey camin-ou at) a +onta da
+lataforma, de modo a ficar cara a cara com #oa-/
L ?arece !ue temos a!ui um embai.ador mirim
da 50i3a da Hera5
&]
/
#oa- manteve os ol-os fi.os na caneca de cerve=a,
mas Bailey não ia dei.ar a!uilo +assar em branco/
&]
#o ori3inal, Dvy 0ea3ue, termo !ue se refere :s oito mais tradicionais e
+resti3iosas universidades dos EN'* Harvard, ?rinceton, Gale, Columbia,
?ensilv;nia, BroHn, Cornell e ,artmout-/ 0iteralmente, 50i3a da Hera5 fa4
refer2ncia : -era Livy9, !ue recobre os muros das anti3as universidades/ A#/ do
TB
L>uba a!ui, Harvard, não nos dei.e es+erando/ >e
voc2 tem al3uma coisa a di4er, manda ver, mas
desembuc-a de um =eito sim+lificado, +ara !ue
n8s, os cai+iras rJsticos, +ossamos entender, mas
ten-a a cora3em de falar em vo4 alta, +ara todo
mundo ouvir/ ,uvido !ue voc2 ten-a muita coisa a
nos ensinar sobre a Constituição ou sobre os ?ais
(undadores da nação, mas talve4 voc2 +ossa nos
iluminar com um +ouco de sabedoria racista e
comunista de al3um -er8i de verdade/// ti+o C-e
7uevara/
#oa- er3ueu os ol-os, encarou Bailey e recusou/
L#ão, obri3ado/
L'-, mas eu não vou aceitar 5não5 como
res+osta/ L Bailey se virou +ara a multidão/ L E
voc2s da 3alera, vãoO
Nma saraivada de a+lausos furiosos enc-eu o bar,
com +rovocações e insultos/ ?or fim, ficou
im+oss6vel +ermanecer sentado e en3olir a!uilo/
LBele4a L disse #oa-/ Ele terminou a cerve=a,
levantouCse e se +ermitiu aceitar uma a=uda4in-a
+ara subir : +lataforma e ficar sob os -olofotes/
Com um 3esto am+lo dos braços em sinal de
5(i!ue : vontade5 Bailey foi +ara um canto do
+alco/
LQuero começar di4endo L anunciou #oa-,
a=ustando a vo4 +ara e.trair o m@.imo da +ot2ncia
do sistema de som L !ue, em ra4ão do meu
trabal-o, estou em uma +osição +rivile3iada !ue
me +ermite saber !ue a maior +arte do !ue foi
dito a!ui -o=e ) absolutamente verdadeiro/
'o ouvir isso a multidão se acalmou
consideravelmente, o !ue #oa- =@ +revia/
LQuero a+enas confirmar al3umas das
es+eculações de al3uns outros oradores/ " (ederal
Reserve, nosso Banco Central, nada tem de
federal9 voc2s estão certos, ) basicamente uma
instituição financeira +rivada, !ue em+resta
din-eiro e cobra =uros, e sua criação foi o in6cio do
fim do sistema de livre mercado/
L"s Estados Nnidos foram constru6dos +ara
funcionar : base de liberdade individual, isso )
verdade, mas, uma ve4 !ue voc2s dei.aram esses
mani+uladores assumirem as r)deas +or !uase
&%% anos, nosso +a6s a3ora funciona : base de
d6vidas/ " banco de investimentos 7oldman >ac-s
) o motor, e, caso voc2s ainda não ten-am
+ercebido, o +ovo norteCamericano não +assa do
combust6vel/
L" Comit2 dos <%% e.iste/ E o Consel-o das
Relações E.teriores, o Clube de Bilderber3, a
Comissão Trilateral, o Clube de Roma L todos eles
e.istem/ E são todos defensores da 3lobali4ação9
são mais ricos e +oderosos do !ue nossa
ima3inação ) ca+a4 de conceber/ H@ +redadores
entre eles9 são absolutamente cru)is e
im+iedosos, mas =untos mandam em tudo o !ue
acontece no mundo, e.atamente como voc2s
disseram/ >8 !ue essas sociedades e instituições
não t2m nada de secretas/
#ão e.istem cons+irações secretas* elas fa4em o
!ue !uerem de maneira +Jblica e escancarada/
L1e=am s8, o lu3ar em !ue eu trabal-o ) onde
todos os se3redos são revelados, +or!ue, +ara !ue
a 3ente +ossa esconder os seus se3redos, +rimeiro
eles +recisam nos contar tudo/ as ) a6 !ue a
coisa fica interessante/ >abem +or !ue não estou
+reocu+ado em com+artil-ar essas coisas com
voc2sO ?or!ue eles =@ nem t2m mais medo do
+ovo norteCamericano, es+ecialmente de voc2s/
Tudo o !ue eles t2m a fa4er ) manter voc2s
bri3ando uns com os outros, ou esma3ar voc2s
com informações contradit8rias a fim de !ue
fi!uem +reocu+ados e furiosos com cons+irações,
ou -i+noti4ados na frente da T1 e da tela do
com+utador, ou reunidos a!ui, ac-ando !ue estão
contraCatacando9 desse =eito voc2s nunca vão
c-e3ar nem +erto de fa4er al3um estra3o contra
eles/
LH@ mesmo uma #ova "rdem undial a camin-o,
mas isso não ) novidade/ Dsso vem se desen-ando
fa4 muito tem+o, voc2s se dei.am distrair +or
mil-ares de teorias cons+irat8rias, mas no fundo
s8 e.iste uma verdade/ 7eor3e Carlin disse isso de
um =eito mel-or !ue eu* l@ em cima, no to+o, ) um
3rande clube, e voc2s não são s8cios/ Eles det2m
todo o +oder, e voc2s, nen-um/
LTemos sim, +orraP L berrou um -omem no
fundo/
LTudo bem, tudo bem/ 'c-o !ue eu sei o !ue
voc2 est@ tentando di4er/ >e voc2s, +elo menos
conse3uissem reunir um nJmero suficiente de
eleitores +ara fa4er al3uma coisa si3nificativa,
talve4 at) tivessem uma c-ance/ as isso ) f@cil/
1ou mostrar como/
#oa- a+ontou um -omem +articularmente +arrudo
no bar/
LTodo mundo conse3ue ler o !ue est@ escrito na
camiseta da!uele caraO 1oc2s sabem, uma
camiseta !ue +rovavelmente foi costurada em
Ban3lades- +or uma menina de &% anos !ue
trabal-a &] -oras +or dia/ c 3randal-ão, d@ uma
viradin-a a6 +ara todo mundo ler sua camiseta,
isso mesmo, +ode se sentir or3ul-oso/ Est@ escrito
5Born in t-e JeH N>'5
&R
/
L>e ele =@ não ) um es+ião ou um a3ente
+rovocador, então seus inimi3os deveriam
contrat@Clo imediatamente/ Este cara )
e.atamente a ra4ão +ela !ual eu não me +reocu+o
nem um +ouco em contar a voc2s coisas !ue
deveriam ser mantidas em si3ilo* com este cara ao
seu lado, !uem vai acreditar em uma +alavra do
!ue voc2s disseremO Em todos os com6cios e
reuniões !ue voc2s or3ani4arem, se tiverem a
sorte de convencer a im+rensa a cobrir o evento,
ele ) o cara cu=a foto vai sair na +rimeira +@3ina/
>e voc2s !uerem saber +or !ue motivo não
conse3uem a sim+atia dos outros SR_ dos EN', )
+or!ue se dei.am misturar com 3ente como este
cara da camiseta/
LNsar r8tulos tamb)m funciona como um feitiço/
L Ele foi a+ontando +ara outros su=eitos,
nomeando um a um, sem se im+ortar com as
ofensas !ue se se3uiram/ L Temos a!ui um
;irther, um ?r&ther, dois Pa&lites, um ,ohn ;ircher,
um +reeper
"7
, um su+remacista branco, um
&R
'l3o como 5#ascido nos Estados Nnidos Judaicos59 a frase fa4 um trocadil-o
com a sonoridade da e.+ressão 5Born in t-e N>'5 A#ascido nos EN'B/ A#/ do T/B
&W
?r&thers são +essoas li3adas a 3ru+os !ue e.i3em saber a verdade Atr&thB
sobre os ata!ues terroristas de && de setembro9 ;irthers são te8ricos da
cons+iração !ue !uestionam o local de nascimento A'irthB e a le3itimidade da
cidadania de Barack "bama, ale3ando !ue ele nasceu no Qu2nia e não no
Hava6 e !ue sua certidão de nascimento ) uma falsificação9 +ortanto, "bama
não +oderia ter sido eleito +residente dos EN'9 Pa&lites são ade+tos de Ron
macon-eiro !ue ac-a !ue a erva ) solução +ara
tudo, tr2s conservadores e.tremistas, e a!uele ali
) a cere=a do bolo* um ne3ador do Holocausto/
'ssim fica f@cil +Tr todos voc2s =untos no mesmo
saco, +ara !ue nin3u)m em sã consci2ncia !ueira
se =untar a voc2s/ ?or !ue as +essoas fariam issoO
'final, de acordo com a m6dia, voc2s são todos uns
loucos, i3norantes, +aran8icos, incultos,
fomentadores do 8dio, racistas, te8ricos da
cons+iração, aberrações !ue usam c-a+)us de
alum6nio +ara !ue nin3u)m leia o c)rebro de
voc2s/
LE ) desse =eito !ue eles conse3uem afastar
voc2s do verdadeiro estado de coisas, do
+anorama 3eral/ En!uanto isso, essa 3radual
destruição da !ual voc2s falam com tanta
veem2ncia est@ acontecendo bem debai.o do
nari4 de voc2s/ as voc2s ficam a!ui, c-ovendo no
mol-ado, como se isso fosse adiantar al3uma
coisa/
LEm Kas-in3ton nin3u)m res+eita voc2s/ Eles
dão risada de voc2s/ 1oc2s di4em !ue !uerem
uma revoluçãoO ' Constituição !ue a!uela sen-ora
estava se3urando na mão d@ a voc2s o +oder de
se rebelar a cada eleição/ >abiam !ue da!ui a
al3umas semanas todas as cadeiras na C;mara
dos ,e+utados vão ser renovadasO E a
?resid2nciaO E um terço do >enadoO
?aul, candidato re+ublicano nas +rim@rias da eleição +residencial de $%%W, !ue
defendia uma auditoria no (ederal Reserve9 a Jo-n Birc- >ociety ) um 3ru+o
+ol6tico de e.trema direita e anticomunista fundado em &SUW +or Robert K/
Kelc- Jr/ A&WSSC&SWUB9 freepers ) um termo +e=orativo +ara se referir aos
leitores do site (ree Re+ublic, de inclinação conservadora e direitista/ A#/ do T/B
L" 6ndice de a+rovação do >enado 3ira em torno
de &U_/ 1oc2s +odiam virar o feitiço contra o
feiticeiro e mandar toda essa 3ente embora em
um Jnico dia, mas sabem o !ue vai acontecerO '
?resid2ncia vai mudar de mãos, mas a corru+ção
vai acelerar/ ais de S%_ dos con3ressistas L
+essoas !ue a cada dia se afundam mais e mais
no bolso dos lobistas L vão ser reeleitos/
' multidão ouvia atentamente9 a+arentemente
não tin-am certe4a se a!uilo tamb)m era +arte do
s-oH/
LDsto ) tudo !ue eu ten-o a di4er L encerrou
#oa-/ L >e al3u)m !uiser me dar umas +orradas,
vou estar l@ fora es+erando um carro/ ?ara di4er a
verdade, ac-o !ue uma boa bri3a seria a maneira
+erfeita de encerrar as festividades da noite/
Houve uma li3eira e t6mida tentativa de a+lausos e
um 4umC 4um de murmJrios na multidão9 #oa-
desceu do +alco, +e3ou sua trou.a de rou+as
Jmidas, dei.ou al3um din-eiro em cima da mesa e
se encamin-ou +ara a sa6da/ Ele ouviu ,anny
Bailey voltar ao microfone e reiniciar seu discurso,
esforçandoCse ao m@.imo +ara recu+erar a
atenção da +lateia +ara sua mensa3em, fosse l@
ela !ual fosse/
#oa- =@ estava +erto da sa6da !uando sentiu uma
mão tocar seu ombro9 virou o cor+o e viu a mul-er
!ue tin-a subido ao +alco* a mãe de olly/
L1oc2 fe4 um discurso e tanto, e assim de
im+roviso, em cima da -ora L ela comentou/
LV L res+ondeu #oa-/ L Eu ten-o um dom/ "l-a
s8, eu não !uis +arecer desres+eitoso///
L1oc2 não tem de me +edir descul+as/ L Ela
tin-a o rosto am@vel, ol-os inteli3entes e
iluminados com o mesmo bril-o inescrut@vel !ue o
-avia fis3ado de maneira irremedi@vel nos breves
momentos em !ue desfrutara da com+an-ia de
sua fil-a/ L 'c-o !ue temos mais em comum do
!ue voc2 ima3ina/
'tr@s dele Bailey =@ estava no meio de uma
+ar@frase moderna e animada de um batido
discurso de ?atrick Henry
&S
/ ?elo visto, a +lateia =@
tin-a se recu+erado totalmente da dose du+la de
realidade da fala de #oa- e a3ora voltava a ficar
bastante a3itada/ Talve4 fosse cul+a do adiantado
da -ora, do acJmulo de @lcool e fJria, ou da a3ora
8bvia +resença de forasteiros !ue +areciam estar
a3indo em sincronia +ara atiçar as c-amas da
mentalidade da massa, mas o fato ) !ue as coisas
estavam ficando feias/
#oa- +rocurou olly, mas a multidão era tão
com+acta !ue foi im+oss6vel locali4@Cla/ ,ois
-omens tin-am se +osicionado =unto : +orta, com
uma +ostura !ue dava a entender !ue o camin-o
+ara a rua estava +restes a ser blo!ueado/
L1iu sua fil-aO
LJ@ fa4 uns minutos/
L'c-o !ue a 3ente +recisa sair da!ui a3ora/ L
disse #oa-, a3arrando a mul-er +elo braço/
Em uma das +aredes dos fundos do lu3ar -avia um
sinal luminoso indicando a sa6da de inc2ndio, e,
&S
?atrick Henry A&R<]C&RSSB, orador e +ol6tico estadunidense, liderou o
movimento +ela inde+end2ncia da 1ir36nia e foi 3overnador +8sCcolonial do
estado de &RR] a &RRS9 ficou famoso +elo discurso 57ive me liberty or 3ive me
deat-P5 A,2emCme a liberdade ou d2emCme a mortePB/ A#/ do T/B
embora +rovavelmente -ouvesse outras sa6das,
a!uela +arecia a mais f@cil/
" discurso bomb@stico de Bailey e os ocasionais
ru3idos da multidão abafaram todos os outros
+ensamentos de #oa-, e.ceto um* sair dali antes
!ue acontecesse !ual!uer uma das coisas ruins
!ue certamente estavam +restes a acontecer/
L1amos +arar de nos en3anar L disse Bailey/ L
J@ fi4emos de tudo +ara evitar a tem+estade !ue
se a+ro.ima/ #ossas vo4es não foram ouvidas/ "
tem+o de sim+lesmente es+erar +ela mudança e
re4ar +ela +a4 =@ acabou/ >e o nosso 3overno não
res+onde aos nossos a+elos e não fa4 o !ue )
certo, se eles es!ueceram seu =uramento de
defender a Constituição, então s8 nos resta fa4er
um c-amado :s armas e um a+elo : 3raça de
,eus TodoC?oderosoP
LEu +er3unto a voc2s* se não for a3ora, !uandoO
Quando ) !ue ficaremos mais fortesO >emana !ue
vemO 'no !ue vemO >eremos mais fortes !uando
tomarem nossas armasO Quando em cada es!uina
-ouver um +olicial ou um ca+an3a +a3o +elo
3overno +ara fa4er cum+rir o to!ue de recol-erO
#ãoP Eu di3o !ue, se a 3uerra ) inevit@vel, !ue
se=a em nossos termosP
' +orta de sa6da estava +r8.ima, mas #oa-
estacou9 não -avia nem sinal de olly/ Em sua
+enosa camin-ada tentando +assar +ela multidão
!ue abarrotava o lu3ar de +arede a +arede ele
tin-a soltado a mão da mãe dela, !ue a3ora
tamb)m sumira de vista/
L #ão e.iste mais +a4 a ser mantidaP L berrou
Bailey em cima do +alco/ L #ão sei se voc2s
sabem, mas a 3uerra =@ começouP
,escrever os se3undos !ue se se3uiram como
uma manc-a ou n8doa faria com !ue os eventos
!ue se sucederam +arecessem uma mi.8rdia
indistinta, e o !ue aconteceu estava lon3e disso/
"s eventos ocorreram em c;mera lenta, como as
3raciosas filma3ens de 3otas de leite caindo em
uma ti3ela de cereais ou um tiro de rifle
atravessando uma carta de baral-o a $% mil
!uadros +or se3undo/ as o contra+onto dessa
nitide4 visual foi uma com+leta inca+acidade de
a3ir9 #oa- +Tde ver tudo, mas nada +odia fa4er/
Nma +istola cin4a ard8sia a+areceu nas mãos de
um -omem L -omem !ue olly antes descrevera
como um dos membros rec)mCc-e3ados :
or3ani4ação/ ' arma foi sacada e a+ontada na
direção do +alco9 #oa- viu um clarão e ouviu a
+ressão sTnica de um ro=ão ou do estouro de uma
sacola de su+ermercado +erto demais da sua
orel-a, de+ois outro, outro e mais outro, en!uanto
a multidão se afastava :s +ressas do atirador/ "s
sons de +;nico, uma c-uva de estil-aços de vidro
e fa6scas brancas acima do +alco, a +orta dos
fundos sendo escancarada, a entrada violenta e
a+ressada de a3entes de terno +reto, um odor
fedorento feito uma n)voa de mol-o de +imenta e
inseticida, um ruidoso tumulto na e.tremidade do
bar anunciando a im+etuosa entrada de outro
es!uadrão da +ol6cia/
#oa- foi a+an-ado +elo turbil-ão na tentativa de
esca+ar :s ce3as da multidão ao seu redor, e
acabou sendo arrastado +ara o centro do bar/ E l@
estava olly, talve4 a uns seis metros de dist;ncia,
sendo +u.ada +elos cabelos e forçada a se
a=oel-ar, com o braço es!uerdo torcido atr@s das
costas +or um brutamontes do taman-o de um
4a3ueiro de futebol/ #oa- ouviu um 3rito abafado/
Quando se virou, viu o -omem !ue -avia
con-ecido na!uela noite, Hollis era o nome dele,
atordoado e ca6do no c-ão, com os +inos met@licos
de uma arma de eletroCc-o!ue 4umbindo no +eito/
?or tr@s de seu visor escuro, um +olicial todo de
+reto er3ueu o cassetete, +ronto +ara abrir um
buraco no cr;nio do -omem indefeso a seus +)s/
#essa estran-a e lenta +rocissão de n6tidos
instant;neos, ecoou na mente de #oa- um
+ensamento aleat8rio ouvido na!uele mesmo dia/
Em 3eral nunca mudamos e +assamos boa +arte
da vida na mesma, at) !ue de re+ente crescemos
de maneira sJbita, em momentos decisivos/ " !ue
aconteceu a se3uir seria ou um desses terr6veis
momentos decisivos ou o derradeiro erro de uma
noite ruim, o +ior de todos !ue ele =@ -avia
cometido/ #ão im+ortava9 a sorte estava lançada/
>8 +or!ue ele +assava seus dias 3arim+ando na
vasta 4ona cin4enta entre o certo e o errado, isso
não !ueria di4er !ue ele não sabia !ual era a
diferença entre um e outro/
" tem+o retomou seu ritmo +r8+rio, e #oa- sentiu
sua vontade e determinação descon3elarem/
Quando o +orrete +reto balançou no ar, #oa-
esticou o braço e se3urou +elo +ulso o -omem
uniformi4ado, interrom+endo seu 3ol+e com um
a+erto ines+eradamente firme e forte, tonificado
ao lon3o dos anos +or seu +ersonal trainer na
academia/ V verdade o !ue di4em* nunca d@ +ara
saber !uando todas a!uelas barras e fle.ões vão
ser Jteis +ara al3uma coisa/
#ão -ouve luta/ " -omem o encarou9 seus rostos
estavam se+arados +ela dist;ncia de uma mão/
Talve4 o -omem tamb)m estivesse no meio de um
momento decisivo/ ,e in6cio ele +areceu sur+reso,
de+ois incr)dulo, e de+ois, a+esar da
im+ressionante 3ama de armamentos +resos ao
seu cinturão e dos tr2s +oliciais adicionais !ue =@
corriam em seu au.6lio +areceu estar com medo/
Nm momento ) a+enas um momento, e
desa+arece em +iscar de ol-os/ #oa- sentiu o
+rimeiro 3ol+e na nuca, e tal outro/ E de+ois não
sentiu mais nada/
Ca$%tu"o &)
Ele abriu os ol-os e viu !ue ela estava ol-ando
+ara ele/
' am+la variedade de dores !ue o cor+o de #oa-
estava sentindo servia como +rova de !ue, com
certe4a, a!uilo não era uma invenção de sua
ima3inação/ ' cabeça dele estava firmemente
anin-ada no colo de olly, en!uanto a van da
+ol6cia se3uia aos solavancos +elas ruas do centro
da cidade/
Man da +ol6ciaO
L"i L ela disse/
L"i/
' lu4 intensa !ue bril-ava no teto do camburão era
brancoC a4ulada, fluorescente e desa3rad@vel/
Quando ele virou a cabeça, sentiu o cor+o se
contrair de dor +or causa de uma sJbita +ontada
na nuca, como se tivesse levado uma ferroada de
abel-a na medula/ " com+artimento traseiro
estava lotado, al)m da ca+acidade m@.ima,
abarrotado de +essoas de cu=o rosto ele se
lembrava va3amente do bar/ ' maior +arte delas
estava sentada, mas al3uns dos detidos, como o
+r8+rio #oa-, estavam reclinados em diferentes
estados de +enJria f6sica/
#oa- levantou os ol-os +ara olly/
L" !ue aconteceuO
Ela o silenciou colocando a +onta do dedo nos
l@bios dele/ #oa- viu !ue os +ulsos dela estavam
amarrados com al3emas de n@ilon/
" ve6culo deu uma 3uinada brusca e +arou9 as
+ortas du+las se abriram e #oa- foi se+arado de
olly e obri3ado a descer/ esmo antes da
c-e3ada dos camburões, as e!ui+es de =ornalistas
=@ tin-am se +osicionado no local +ara 3ravar e
divul3ar o desfile dos acusados/ 0u4es começaram
a +i+ocar !uando os corres+ondentes de canais
re3ionais e redes nacionais +assaram a fa4er
+er3untas, aos berros, e os o+eradores de c;mera
se acotovelavam tentando ca+tar a cena/ #oa-
mal se a3uentava nas +ernas en!uanto foi sendo
levado em fila =unto com os outros/
'ssim !ue os re+8rteres ficaram +ara tr@s, a
camin-ada at) a entrada da dele3acia foi um
corredor +olon2s de revistas, em+urrões, cutucões
e ordens dadas aos berros, !ue terminou com o
estridente ba!ue da +orta da cela sendo trancada/
' cela em !ue ele foi trancafiado era uma de
v@rias enfileiradas no corredor9 no total, devia
-aver ali <%% +resos/ Todos -omens, ) claro9 as
mul-eres foram levadas +ara outro lu3ar/ ' maior
+arte dos su=eitos +erto dele +arecia ser do 3ru+o
do bar/ 'l3uns outros es+al-ados +ela cela,
obviamente veteranos tarimbados do sistema
+enal, +areciam ter sido detidos +or causa de
delitos banais e cotidianos !ue iam de vadia3em a
+rostituição, bebedeira e arruaça/
' c-e3ada em massa de +essoas detidas no bar
su+erlotou a cela/ Em sua maioria, os -omens
+areciam +er+le.os e mer3ul-aram em um
sil2ncio sorumb@tico, mas al3uns deles eram
a3ressivos* 3ritavam, .in3avam, !ueriam bri3a,
+rovocavam os 3uardas, e.i3iam falar com o
advo3ado, com a mãe ou com al3um outro
salvador !ue l-es dessem ouvidos/
#oa- foi um dos Jltimos a entrar e acabou
es+remido contra as 3rades na frente da cela/ >ua
cabeça ainda estava 4on4a e ele +recisava se
sentar, mas o com+artimento de +resos +arecia o
metrT no -or@rio de +ico das &W -oras, e mal -avia
es+aço +ara me.er o +escoço/
,e+ois ele viu al3o !ue não conse3uiu entender9
devia ter se en3anado/ " -omem dos fundos do
bar, !ue sacou a arma, estava sendo escoltado
+ara uma cela ad=acente/ #ão estava al3emado
nem imobili4ado de forma al3uma/ Estava
sim+lesmente camin-ando com os 3uardas na
direção da sa6da/
L7ardnerP
"uvir seu nome 3ritado +or al3u)m em al3um
lu3ar do corredor trou.e #oa- de volta :
realidade/ 0o3o a+areceu um sar3entoCescrivão
se3urando uma +ranc-eta, acom+an-ado de
outros dois +oliciais/
Ele estendeu o braço entre as 3rades/
L>ou eu/ #oa- 7ardner/
"s tr2s -omens se reuniram em uma rodin-a e
ol-aram +ara #oa-, com+arando seus detal-es
f6sicos : descrição de !ue dis+un-am na
+ranc-eta/ % anel de ouro da escola Riverdale
Country +arece ter sido a +eçaCc-ave +ara a
identificação +ositiva/
" sar3ento confirmou e reconfirmou suas ordens,
fuçou no mol-o de c-aves at) encontrar a certa e
destrancou a cela/ En!uanto #oa- sa6a, um
-omem ensaiou uma t6mida tentativa de
a+roveitar a brec-a e sair =unto, mas foi
vi3orosamente convencido a retomar seu lu3ar em
meio : +e!uena multidão de +resos/
L" !ue est@ acontecendoO L +er3untou #oa-/
L>eu advo3ado est@ a camin-o L res+ondeu o
sar3ento, em um tom de vo4 !ue su3eria uma
+al+@vel re+u3n;ncia +or todo o volJvel
em+reendimento da =uris+rud2ncia dos EN'/
,e+ois de uma breve camin-ada +or um labirinto
de corredores, #oa- se viu sentado em uma saleta
defronte : mesa de uma +essoa !ue ele su+un-a
ser a res+ons@vel +or sua +risão/ " -omem estava
usando rou+as civis, a barba +or fa4er e todo
amarrotado, como se estivesse ou no fim de um
turno du+lo ou acabado de sair da cama, de um
sono +rofundo +ara iniciar um novo turno de
trabal-o/ #ão era o +olicial !ue ele -avia
enfrentado no bar/ '!uele era um rosto de !ue ele
teria se lembrado/
' escrivanin-a estava entul-ada de ar!uivos e li.o
burocr@tico9 o !uadro de avisos era uma ba3unça
de bil-etin-os, memorandos, listas de +lantão e
escalas de serviço, fol-as corridas, foto3rafias
anotadas e uma nada en3raçada caricatura em
fol-a de fa./ ' mensa3em +rinci+al da!uele
es+aço acan-ado abafado era* funcion@rio com
e.cesso de trabal-o, estressado e mal +a3o/
L>r/ 7ardner, o sen-or tem o direito de
+ermanecer em sil2ncio e se recusar a res+onder
:s +er3untas/ EntendeuO
L>im/
LTudo !ue o sen-or disser +oder@ ser usado
contra o sen-or em um tribunal/ EntendeuO
L>im/
L" sen-or tem direito de consultar um advo3ado
antes de falar com a +ol6cia e de ter um advo3ado
+resente durante !ual!uer interro3at8rio, a3ora e
no futuro/ >e não +uder +a3ar um advo3ado, ser@
+rovidenciada assist2ncia =ur6dica, sem custos/
EntendeuO
L>im, entendi/
Luito bem/ L " +olicial ol-ou +ara #oa- +ela
+rimeira ve4/ L 'ntes !ue eu +er3unte se o
sen-or est@ dis+osto a falar comi3o, !uero !ue
entenda outra coisa/ #ão estamos falando de
multa de tr;nsito a!ui/ 'l3u)m vai +ara cadeia
-o=e/
L" sen-or e seus ami3os vão entrar em um
Tnibus com 3uardas armados e vão dar um
+asseio +ara serem fic-ados no Com+le.o de
,etenção de an-attan L !ue a maioria das
+essoas c-ama de Tumba/ 0@ vão tirar fotos de
identificação, ceder amostras de ,#' e de
im+ressões di3itais, e de+ois serão formalmente
acusados, denunciados na Corte de Justiça e
encamin-ados +ara =ul3amento/ 'inda !ue, +ara
ser sincero, como ) noite de se.taCfeira e ouvi
di4er !ue a casa est@ c-eia, talve4 demore at)
domin3o ou se3undaCfeira at) !ue todo mundo
este=a +rontin-o +ara ser levado +erante o =ui4/
L>e o =ui4 não conceder ao sen-or direito a fiança
L e, +ela nature4a das acusações e o clima 3eral
do +a6s, com o envolvimento do ,e+artamento de
>e3urança Dnterna, ten-o s)rias dJvidas !uanto a
isso L, então o sen-or vai entrar em outro Tnibus,
cu=os bancos +ossuem correntes e cu=as =anelas
são +rote3idas +or 3rades, +or!ue vai +ara a Dl-a
de Rikers/
L's acusações contra o sen-or L ele fe4 uma
+ausa +ara a=eitar os 8culos sobre o nari4 L são
incitação : desordem, resist2ncia : +risão e
a3ressão criminosa a um +olicial/ Essa Jltima
+rev2 sentença m6nima de tr2s anos e meio na
+enitenci@ria estadual/ E al3u)m entre os
sen-ores, não sei !uem, vai ser acusado de
a3ressão com arma de fo3o de força letal/ >e esta
+arece mais s)ria do !ue as outras, ) +or!ue )
mesmo/
Ele tomou um 3ole de caf) e a=eitou mais uma ve4
os 8culos/ #oa- ficou com a n6tida im+ressão de
!ue o +olicial =@ tin-a feito a!uele s-oH4in-o uma
ou duas ve4es antes/
L'3ora, a menos !ue al3u)m se a+resente e me
esclareça sobre as circunst;ncias L e com isso
!uero di4er al3u)m como voc2, se me +ermite
c-am@Clo assim L, vou ficar feli4 em dei.ar !ue os
+oliciais +resentes na cena do crime se+arem os
es+ectadores inocentes dos criminosos/
LEntão +odemos conversar a!ui e a3ora ou voc2
+ode +referir ficar +ensando no assunto en!uanto
fa4 novos ami3os entre a +o+ulação carcer@ria da
Tumba/ E, não sei o !ue =@ ouviu sobre o lu3ar,
mas, acredite em mim L ele fe4 um 3esto
a+ontando sua de+rimente sala L, l@ não ) tão
bacana como a!ui/
" +olicial se inclinou +ara a frente, o !ue fe4
ran3er sua vel-a cadeira, e abai.ou a vo4, como
se al3um cole3a +assando +elo corredor +udesse
entreouvir !ue ele estava 5amolecendo5 ou
5+e3ando leve5 com um sus+eito/
LEscute, voc2 me +arece um bom su=eito/ Dsso
não ) o ti+o de coisa +ara um cara como voc2 se
envolver/ as estou de mãos atadas9 temos uma
testemun-a ocular na outra sala !ue afirma !ue
voc2 bateu em um +olicial com um cassetete/ #ão
!uero acreditar nisso, mas voc2 +recisa falar e se
defender, caso contr@rio, não vou +oder te a=udar/
LTen-o certe4a de !ue voc2 sim+lesmente estava
no lu3ar errado na -ora errada, isso d@ +ara
ima3inar, #oa-, mas voc2 tem de conversar
comi3o a3ora/ L Ele abriu a 3aveta, tirou um
+e!ueno 3ravador, c-ecou a tela, a+ertou o play e
colocou em cima do boletim +olicial, entre os dois/
L '3ora !ue =@ avisei voc2 sobre seus direitos,
est@ dis+osto a res+onder a al3umas +er3untasO
'ntes !ue #oa- +udesse res+onder, -ouve tr2s
r@+idas batidas na =anelin-a de vidro da +orta, e o
advo3ado da fam6lia
7ardner, C-arlie #elan, entrou sem es+erar
+ermissão/ Ele +e3ou o 3ravador, desli3ouCo e
enfiou no bolso/ Nm +rotesto do +olicial foi
en3olido em seco antes mesmo !ue +udesse ser
+ronunciado, sufocado +or um 3esto do advo3ado
asse3urando !ue no devido tem+o, o oficial da lei
teria toda a atenção !ue !uisesse/
C-arlie se virou +ara #oa-/
L1oc2 falou al3uma coisaO
L#ão/
L#ada mesmoO
LEu não falei nada, s8 !ue eu tin-a entendido
meus direitos/
LBom 3aroto/ L C-arlie era um desses
su+er+rofissionais da vel-a 3uarda, de cabelos
3risal-os e f) ce3a no +oder da ima3em/ Em todas
as ocasiões e lu3ares, ele sem+re +arecia ter sa6do
das +@3inas da edição es+ecial 5'dvo3ados
Dncr6veis5 da revista /entlemanNs O&arterly0
(eli4mente, ele era tão +ers+ica4 !uanto sua
a+ar2ncia su3eria/
#elan tocou o !uei.o de #oa- e virou a cabeça do
ra+a4 +ara ter uma mel-or noção dos ferimentos
sofridos na +risão/ ,e+ois fec-ou a +orta e se virou
+ara o -omem sentado do outro lado da mesa/
L,etetive///
LHalliday/
L,etetive Halliday, !uero !ue meu cliente se=a
solto imediatamente, e !ue todas as acusações
se=am retiradas, e !uero !ue este re3istro +olicial
v@ +ara a retal-adora de +a+el/
" +olicial bufou, mas a bravata não foi totalmente
convincente/
L' camin-o da!ui li3uei +ara seu ca+itão L disse
C-arlie/ L #este e.ato momento, este e+is8dio
est@ entre n8s !uatro, e ) a6 !ue a -ist8ria vai
morrer/
L'3ora escute a!ui L disse Halliday/ L #ão me
interessa o !ue o sen-or !uer ou +ara !uem li3ou
ou at) aonde !uer !ue a -ist8ria v@/ L " telefone
em cima da mesa começou a tocar, e ele ol-ou
duas ve4es +ara confirmar o nome e o nJmero !ue
a+areceram no identificador de c-amada/
L'c-o mel-or o sen-or atender L recomendou
C-arlie/ L Estaremos do outro lado do corredor, na
sala 7, !uando +recisar de n8s/
' sala 7 era outro cub6culo reservado a
interro3at8rios/ Quando a +orta se fec-ou, C-arlie
fe4 #oa- se sentar, tirou do bolso interno do
casaco uma 3arrafa de @3ua mineral e entre3ou a
ele/
L Como ficou sabendo !ue eu estava a!uiO L
#oa- +er3untou/
" ol-ar do advo3ado deu a entender !ue o =ovem
>r/ 7ardner estava se +reocu+ando com al3o
muito a!u)m da!uilo com !ue devia se +reocu+ar,
dadas as circunst;ncias/
C-arlie começou a teclar nJmeros no celular e
!uando +Ts o telefone no ouvido a+ontou +ara a
3arrafa de @3ua, como se uma -idratação
ade!uada fosse a Jnica coisa substantiva !ue
#oa- +oderia fa4er na!uela altura dos
acontecimentos/
?elo !ue +arecia, a li3ação era +ara um +rocurador
assistente ou o +r8+rio +romotor de =ustiça, mas,
antes !ue #oa- +udesse entender o teor da
conversa, outra coisa c-amou sua atenção na
=anelin-a de vidro da +orta/
0@ fora, em uma @rea comum, -avia uma de4ena
de -omens reunidos, tomando caf) e batendo um
animado +a+o com um +olicial uniformi4ado/ Ele
se levantou e c-e3ou mais +erto do vidro,
tentando acreditar no !ue seus ol-os viam/
#a!uela reunião surreal estavam todos os
arruaceiros, todos os encren!ueiros !ue tin-am
feito !uestão de c-amar a atenção durante os
discursos no bar/ Todos estavam vestidos de
maneira +arecida, as +oucas diferenças se
limitavam aos slogans inflamados nas rou+as e :
escol-a dos acess8rios estilo cai+iraC c-i!ue/
'ntes, +or!ue estavam se+arados e es+al-ados
em meio a um 3ru+o mais am+lo, tin-a sido dif6cil
identific@Clos como coCcons+iradores, mas =untos
da!uele =eito, com a 3uarda bai.a, suas rou+as
eram 8bvias e seus maneirismos inade!uados/
?arecia uma festin-a de atores med6ocres
as+irantes ao +a+el de dubl2 do +ersona3em
50arry, o instalador da T1 a cabo5/
Nm deles corres+ondia e.atamente, at) o Jltimo
detal-e, a uma ima3em !ue #oa- tin-a 3uardado
na mem8ria/ ,esta ve4, ele tin-a certe4a* o
-omem estava usando uma camisa de flanela, um
colete de caçador, uma bandana im+rovisada com
um retal-o da bandeira dos Confederados da
7uerra Civil e um coldre de ombros/
C-arlie encerrou a li3ação e fec-ou o telefone com
um estalo/
LTudo bem L disse C-arlie com um sus+iro/ L
1amos nos sentar e conversar sobre isso/
LC-arlie///
LCorreção/ 1oc2 fica !uieto e me dei.a falar/
"s dois se sentaram/ #oa- o+tou +or uma cadeira
!ue +reservava sua visão da =anela/
L#ão sei o !ue voc2 fe4 ou dei.ou de fa4er, e não
!uero saber/ % !ue im+orta ) a acusação !ue eles
+odem fa4er contra voc2, !ue ) a de ter colocado
as mãos em um +olicial en!uanto ele cum+ria o
dever, o !ue neste estado ) um delito 3rave/ "l-e
+ara mim/ >e voc2 fe4 isso, aos ol-os da lei não
im+orta +or !ue voc2 fe4 isso L autodefesa, calor
do momento, insanidade tem+or@ria, tanto fa4 L,
a condenação ) !uase certa/
L?ois bem, li3uei +ara al3umas +essoas cobrando
al3uns favores, e eles ainda !uerem acusar voc2
de al3uma coisa menos clamorosa, a3ressão
sim+les, conduta desordeira, sei l@/ ,e+ois, li3uei
cobrando outros favores, e tamb)m deu certo/
1oc2 vai sair da!ui -o=e : noite como se isso
nunca tivesse acontecido/
Le escute um se3undo/
L' coisa ) 3rave, #oa-/ E vou di4er outra coisa*
c-e3a, acabou/ Queimei todas as min-as fic-as
-o=e/ '3ora não tem mais essa -ist8ria de voc2
sair da cadeia de 3raça/ 't) se3unda ordem, se
voc2 atravessar a rua fora da fai.a de +edestres,
se =o3ar um +a+el de bala fora da li.eira ou se
ouvir mJsica alto demais e um desses caras ficar
sabendo, =@ era/ ,e -o=e em diante, se voc2 sair da
lin-a abai.o da Rua <[, não vou +oder fa4er muita
coisa +or voc2/
LEu entendo e a3radeço/ '3ora +osso di4er uma
coisaO
C-arlie consultou o rel83io/
L1@ em frente/
LEssa -ist8ria toda foi uma armação/
L?ouco me im+orto/
LEsses caras, bem ali L #oa- a+ontou +ara o
vidro, e C-arlie ol-ou de relance na!uela direção
L, estavam l@ na reunião de -o=e, onde tudo isso
aconteceu, e estavam l@ es+ecificamente +ara
a+rontar al3uma coisa/ Quando se cansaram de
es+erar al3u)m ficar violento, eles mesmos
entraram e causaram o tumulto/
L,ei.eCme ver se entendi/ 1oc2 est@ di4endo !ue
ac-a !ue um +olicial de #ova Gork disfarçado
descarre3ou sua arma em um bar lotado +ara
+rovocar o incidenteO
L>im/
L,e =eito nen-um/ >em c-ance/
LTudo bem, então não era um +olicial/ #ão vi
nen-um distintivo nos -omens !ue c-e3aram
arrebentando o local, talve4 fossem/// não sei,
se3uranças contratados !ue fi4eram o trabal-o
su=o e de+ois nos entre3aram +ara ?ol6cia de #ova
Gork/
L#oa- L disse C-arlie, com vo4 +aciente, mas
firme/ L 'calmeCse/ " !ue !uer !ue ten-a
acontecido, não ) +roblema seu/
LComo voc2 +ode di4er issoO '!uele cara bem ali,
a!uele com o crac-@ de visitante e o coldre
debai.o do colete, foi ele !ue fe4 os dis+aros e
começou tudo issoP ,e+ois a tro+a de c-o!ue
invadiu imediatamente, nin3u)m li3ou +ara
+ol6cia, não -ouve a m6nima demora, eles =@
estavam es+erando na +orta/ E a im+rensa L
todos esses re+8rteres =@ estavam a!ui na frente
da dele3acia9 como ficaram sabendoO
LT@ le3al, então foi uma armação/ E o !ue voc2
ac-a !ue +odemos fa4er sobre isso, voc2 e euO
Quem ) voc2 a3ora, #elson andelaO 1ou dar uma
not6cia de Jltima -ora +ara voc2, fil-o* não e.iste
?a+ai #oel, nem coel-in-o da ?@scoa, nem uma
(ada da Justiça !ue d2 a m6nima +ara o !ue voc2
viu/ ' in=ustiça e.iste neste mundo, e, se voc2 tem
a sorte de viver +rote3ido da +ior +arte dela, a
maior +arte das +essoas não tem/ L Ele deu um
ta+in-a no ombro de #oa-/ L >ua =usta indi3nação
est@ anotada e ar!uivada/ '3ora vamos embora,
comer uma +i44a em al3um lu3ar c-i!ue/
L#ão vou embora/
LComo ) !ue )O
L#ão sem todo mundo !ue foi tra4ido +ara c@
comi3o/
C-arlie não res+ondeu de imediato/
L1oc2 tem certe4a do !ue viuO L ele +er3untou,
+or fim/
L'bsoluta/
LE se eu me.er de novo nesse ves+eiro e sair de
mãos va4iasO H@ uma boa c-ance de arruinar o
acordo !ue eu acabei de fa4er/
LC-arlie, eu ten-o certe4a/
LTudo bem L res+ondeu o advo3ado/ L 1ou dar
uma investi3ada e ver o !ue +osso fa4er/ as vou
lo3o avisando, se=a l@ o !ue eu descobrir, isso vai
e.i3ir mais fic-as do !ue eu ten-o no bolso/ Dsso
!uer di4er !ue vou ter de li3ar +ara o seu +ai/
#ão era uma boa not6cia, mas #oa- res+irou fundo
e meneou a cabeça em sinal de +ermissão/
Ca$%tu"o &6
#oa- manteve a calma en!uanto +ercorria o
Jltimo e lon3o corredor rumo : sa6da do ?rimeiro
,istrito, mas, !uando +or fim +assou +ela +orta e
+isou na calçada, seu coração começou a bater tão
r@+ido e forte !ue !uase dava +ara sentiClo
martelando sob a camiseta em+restada/
' in=ustiça e.iste, dissera C-arlie, fato +elo !ual
seu =ovem cliente a3ora se sentia +rofundamente
a3radecido/ >e +or causa do abuso de +oder, ele
tin-a sido obri3ado a +assar boa +arte da noite na
cadeia, tamb)m foi 3raças a um se3undo abuso de
+oder !ue as autoridades tin-am sido coa3idas a
libert@Clo9 inde+endentemente de como tin-a sido
obtida, ainda assim era liberdade, e talve4 +ela
+rimeira ve4 na vida ele entendeu o si3nificado da
+alavra/
,e acordo com C-arlie, !ue começara a investi3ar
o caso, um 3ru+o de +oliciais tin-a resolvido
corroborar a versão de #oa- acerca dos eventos
da noite* a+arentemente eles não !ueriam tomar
+arte da +risão e acusação in=usta de um 3ru+o
indefeso de cidadãos !ue com+artil-avam as
mesmas ideias/ J@ !ue uma +e!uena rebelião
estava ameaçando eclodir entre os +oliciais e as
forças de se3urança contratadas +ara trabal-ar na
cena do 5crime5, veio um telefonema de al3um
alto escalão e tudo foi imediatamente abafado, de
maneira abru+ta e discreta/
#oa- +arou =unto : rua, sentindoCse
re+entinamente e.austo e cambaleante, e se
encostou a um +oste em busca de esteio/ Ele se
recu+erou sorvendo o ar 3elado da noite, !ue
+assou +or uma fina ada3a de dor !ue a+un-alava
com força o es+aço entre suas costelas/ ,o6a, mas
não -avia nen-um estra3o +ermanente9 ele estava
mac-ucado, mas não destru6do/
Todos os outros tin-am começado a dis+ersar
atr@s dele, consultando os rel83ios, conferindo e
3uardando nos bolsos os +ertences devolvidos
+ela +ol6cia9 todos +areciam totalmente feli4es e
aliviados, sem o menor sinal de cansaço ou
ferimentos/ "s !ue eram de fora da cidade
es!uadrin-avam o -ori4onte urbano : +rocura de
+ontos de refer2ncia, como se tivessem ca6do sem
bJssola de um avião nos confins de Born)u/ as
um a=udou o outro, e não demorou muito +ara !ue
todos se3uissem seu +r8+rio camin-o e fossem
embora a fim de dormir e descansar da aventura
da noite, sãos e salvos, em seus +r8+rios !uartos,
e não em uma cela/
#oa- ficou sur+reso ao constatar !uanto as coisas
l@ fora +areciam diferentes/ Horas antes tudo
+arecia sombrio, tem+estuoso e melanc8lico, mas
a3ora o c)u estava lim+o, e as lu4es suaves da
metr8+ole nos minutos !ue antecediam o
aman-ecer ofuscavam at) mesmo as estrelas
mais bril-antes/
#oa- sentiu !ue al3uma coisa roçou de leve seu
braço, tirandoCo de suas refle.ões/ Quando se
virou +ara ver !uem o -avia tocado, teve de ol-ar
+ara cima/
LEu s8 !ueria di4er obri3ado L a3radeceu Hollis/
>e ainda estivesse com seu bon), ele estaria
a+ertandoCo timidamente entre as mãos/
LEi, não -@ de !u2/
L#ão, não/ L Hollis balançou a cabeça/ L Estou
em d6vida com voc2/
L1ou fa4er um trato com voc2/ e di3a !ue -oras
são, e estamos !uites/
" -omen4arrão ol-ou +ara o c)u e +or al3uns
se3undo +areceu contar o nJmero de cor+os
celestes antes de res+onder/
LEu diria !ue são [-<%, mais ou menos/
LQuatro e meia/ ,evo su+or !ue ) o fuso -or@rio
das ontan-as Roc-osasO
Hollis sorriu, como se um vel-o ami3o tivesse
acabado de contar uma +iada não muito
en3raçada/
L'3ora, boa noite/
LCuideCse/
'l3uns !uarteirões rua acima #oa- avistou um
carro +arado na es!uina/ Ele levantou a mão +ara
o motorista e a ercedes +iscou os far8is e as
setas/
#oa- deu um +asso na direção do carro, mas
+arou ao ouvir vo4es con-ecidas/ Ele se virou e viu
olly e a mãe se des+edindo do Jltimo de seus
com+atriotas/ 's duas tin-am ficado +ara tr@s +ara
se certificar de !ue todos -aviam sido liberados/
Quando avistou #oa- +arado na rua, olly
coc-ic-ou al3o no ouvido da mãe e as duas
camin-aram na direção dele/
L#ão fomos a+resentados de maneira a+ro+riada
L disse a mul-er mais vel-a/ L eu nome )
Beverly Emerson/
L#oa- 7ardner/ L "s dois trocaram um a+erto de
mãos/ L #ão +recisa nem di4er, mas eu 3ostaria
!ue tiv)ssemos nos con-ecido sem toda essa
confusão/ Creio !ue temos de a3radecerCl-e +or
ter defendido todos n8s esta noite/
LDsso me fa4 sentir muito mais nobre do !ue de
fato sou/
L'3radeço muito o !ue voc2 fe4/ L Com o
cotovelo, ela deu um leve cutucão maternal na
fil-a/
LEu tamb)m L disse olly/
Havia al3o dif6cil de descrever na maneira com !ue
ela ol-ava +ara ele9 a e.+ressão nos ol-os dela
não era a de um +edido de descul+as, mas al3o
+arecido/
,e sua +arte, #oa- estava se sentindo cada ve4
mais constran3ido com toda a!uela 3ratidão
des+ro+ositada, como se a Jnica coisa !ue ele
tivesse feito fora colocar o +ai na =o3ada/
L,a +r8.ima ve4 !ue eu falar com meu advo3ado
vou transmitir a ele seus cum+rimentos/ Ele ainda
est@ l@ dentro, lim+ando a ba3unça/
" carro se a+ro.imou lentamente e +arou =unto ao
meioCfio/ Com um cli!ue as +ortas se destravaram/
,adas as circunst;ncias, #oa- teria +referido um
carro menor, mas a central -avia des+ac-ado um
?ullmann >]%% +rateado, ve6culo !uase tão
+om+oso !uanto a limusine esticada do Ri!uin-o/
L?osso oferecer uma carona a voc2s, +ara
!ual!uer lu3arO
L"-, seria fant@stico L disse Beverly/
olly sentouCse de frente +ara ele, ao lado da
mãe/ " interior da!uele carro +odia ser usado
como uma sala de reuniões e local de trabal-o
+ara !uatro +essoas/ >eu conforto e re3alias eram
tão e.a3erados como os de !ual!uer limusine
dedicada ao lu.o +uro e sim+les/ Todas as
su+erf6cies ali eram de couro costurado a mão e de
madeira enverni4ada/ Todos os !uatro bancos,
dis+ostos dois a dois, eram encimados +or +ain)is
relu4entes +rontos +ara +ro+iciar acesso a uma
estonteante 3ama de informações e
entretenimento/ #os consoles e nos descansos dos
assentos -avia telas embutidas sens6veis ao to!ue,
ca+a4es de encomendar !ual!uer necessidade
-umana ima3in@vel/ " ve6culo inteiro era um
monumento ambulante aos confortos da reale4a
em+resarial do ?rimeiro undo/ ?elo +reço
da!uele interior customi4ado era +oss6vel com+rar
uma bela casa em +raticamente !ual!uer lu3ar do
mundo/
LEu nem sem+re ando de carro em tão alto estilo
L #oa- se descul+ou assim !ue o carro se +Ts em
movimento/ L as, s8 +ara voc2s terem uma ideia
das coisas, meu +ai =amais andaria em uma
ercedes/ Ele anda em um aybac- ]$, blindado,
ou a +)/
'contece !ue cada um estava indo +ara um lu3ar
diferente, em direções !uase totalmente o+ostas/
Quando, +elo intercomunicador, o motorista
+er3untou 5?ara ondeO5, #oa- o instruiu a se3uir
+ara o mais +r8.imo dos tr2s destinos, o -otel
C-elsea/ En!uanto isso, as mul-eres ol-avam
embasbacadas +ara tudo o !ue -avia dentro do
carro, e -esitavam em tocar no !ue !uer !ue fosse
+or medo de terem de +a3ar caso !uebrassem
al3o/
L1oc2s vão 3ostar disto L disse #oa-, abrindo
um com+artimento a seu lado/
'tr@s de uma +ortin-a desli4ante -avia uma
+ir;mide de toal-in-as de mão turcas, mantidas
a!uecidas e Jmidas como +ãe4in-os/ #oa- +e3ou
uma +ara cada um, de+ois abriu a sua sobre o
rosto, +ressionando e esfre3ando suavemente o
+anin-o +ara sentir o calor na face/ ?or fim se
recostou e inalou o aroma de frutas c6tricas e
ervas tera+2uticas/ >uas duas com+an-eiras de
via3em fi4eram o mesmo, e lo3o de+ois era
+oss6vel ouvir dentro do carro lon3os sus+iros, os
sons de im+enitente indul32ncia, conforto e al6vio/
Ele sabia e.atamente o !ue elas estavam
sentindo, mas de al3uma maneira conse3uiu
manter sil2ncio sobre o assunto/ ' sensação f6sica
era bastante boa, mas um enorme +eso tamb)m
tin-a sido tirado dos ombros deles, e a3ora a fic-a
estava começando a cair/ ' noite ruim estava
oficialmente terminada, e os tr2s ainda estavam
em +)/
,ando continuidade : sessão de refri3)rio, #oa-
abriu um fri3obar e entre3ou a cada uma um
refri3erante/ " carro =@ tin-a vencido v@rios
!uarteirões e, a+esar dos ocasionais trec-os de
asfalto ruim e dos incessantes barul-os da cidade,
o interior do ve6culo era tão silencioso e firme !ue
seria +oss6vel reali4ar ali uma cirur3ia de 3rande
+orte/
L' olly me disse !ue voc2 ) um redator criativo/
#oa- estava no meio de 3ole e !uase cus+iu o
l6!uido/
L'-, então ) assim !ue ela define meu trabal-oO
L1oc2 trabal-a em um ramo tão interessante L
disse Beverly/ L Como ) um dia t6+ico de trabal-o
seu, se me +ermite +er3untarO
LNm dia t6+ico L ele disse, refletindo/ L 1amos
+e3ar a se.taCfeira, ontem, vamos ver/// #ão +osso
falar com voc2s sobre o !ue fi4 de man-ã,
tamb)m não +osso comentar o !ue fi4 : tarde/
as ao meioCdia escrevi umas coisin-as +ara um
-omem, um senador do oeste !ue est@ em vias de
ser alvo de uma investi3ação de uma comissão de
)tica/
LEle fe4 al3uma coisa erradaO
L'bsolutamente sim/ Ele a=udou um anti3o
assistente a se tornar um lobista não re3istrado,
de+ois +artici+ou de al3umas reuniões de car@ter
sus+eito +ara confirmar o ne38cio, e, en!uanto
isso, manteve durante !uase um ano inteiro um
caso com a es+osa de outro cara/
Leu ,eus/
LV, e todos esses fatos estão li3ados entre si de
um =eito muito +erverso/
LE o !ue voc2 escreveu +ara ele di4erO
L'-, o de sem+re, voc2 =@ ouviu antes9 não -ouve
delito nem m@ ação, as acusações são infundadas,
ele =ura !ue vai coo+erar com as investi3ações e
tem +lena f) na =ustiça, fa4 al3umas cr6ticas :s
motivações de seus acusadores L um te.to curto
e bon4in-o, +or!ue ele est@ morrendo de vontade
de voltar +ara cuidar das necessidades de seus
eleitores/ 'credite, esse ti+o de coisa ) rotina/ 1ai
estar nos =ornais aman-ã : noite9 s8 +or isso +osso
contar +ara voc2s/
#oa- =@ tin-a +assado +or essa conversa
introdut8ria muitas ve4es, +or isso =@ sabia !ual
seria a +r8.ima +er3unta/ Ele =@ a tin-a res+ondido
diversas ve4es, em centenas de co!uet)is e de
+rimeiros encontros, e sua res+osta =@ -avia se
tornado tão autom@tica e tão +l@cida !ue ele nem
se +reocu+ava mais/ " +roblema ) !ue, embora as
+alavras ten-am sido basicamente as mesmas,
Beverly Emerson fe4 a +er3unta de um =eito !ue
nin3u)m =amais fi4era antes/
Las isso não te incomoda, #oa-O
' +er3unta não foi feita em tom de falso es+anto,
nem de arro3ante =ul3amento moral, tam+ouco Ao
!ue era mais comumB de uma tentativa de
arrancar dele um bom consel-o sobre como dei.ar
de lado a +r8+ria consci2ncia em uma carreira
i3ualmente duvidosa/ Em ve4 disso, a +er3unta foi
colocada com 3enu6na com+ai.ão, como se ela =@
soubesse o !ue o coração de #oa- sentia/ ?or
causa disso, não restou a ele alternativa a não ser
res+onder -onestamente/
LToda ve4 !ue cometo o erro de +arar +ara
+ensar de verdade no assuntoO >im, me incomoda
sim, muito/
" carro fe4 sua +rimeira +arada/
L'!ui eu desço L anunciou Beverly/
'ssim !ue o motorista abriu a +orta lateral, ela
abraçou a fil-a e murmurou 5boa noite5, de+ois
deu uma +almadin-a no =oel-o de #oa-/
Leu ami3o, foi uma e.+eri2ncia e tanto/ Es+ero
rever voc2 em breve/
LBoa noite/ Ele er3ueu a 3arrafa de refri3erante/
L Nm brinde a uma noite mais calma da +r8.ima
ve4/
Beverly desceu do carro e olly acom+an-ou a
mãe com os ol-os at) v2Cla desa+arecer em
se3urança dentro do sa3uão do -otel/ " carro se
+Ts em movimento novamente9 o motorista ficou
im8vel e em sil2ncio : es+era de novas instruções/
Ele =@ tin-a sido instru6do, muitas ve4es, !ue em
seu trabal-o a =ornada era tão ou mais im+ortante
!ue o destino final/
L1oc2 est@ muito !uieta/
L'c-o !ue sim L olly admitiu/ Entre os dois
-avia uma tela, !ue olly afastou com o braço/ L
1oc2 tem al3uma mJsica neste carroO L ela
+er3untou/
LClaro/ L #oa- acionou uma tela sens6vel ao
to!ue +erto da +orta e, uma ve4 !ue ele não fa4ia
ideia no !ue ela estava interessada em ouvir,
dei.ou !ue a seleção aleat8ria do carro decidisse/
LHo=e fi4 $W anos L comentou #oa-/ L Quer
di4er, ontem/
L(eli4 anivers@rio/
L"bri3ado/ Quando so+rei a vela do meu bolin-o
fi4 um +edido* meu dese=o era +assar mais tem+o
com voc2 -o=e/
Ela esboçou um sorriso/
L'c-o !ue voc2 devia ter sido mais es+ec6fico/
L1oc2 est@ certa/ Eu devia ter dito* não atr@s das
3rades/
?elos altoCfalantes começou a tocar uma mJsica
suave, uma vo4 e um violão suave/
L#oa-O
LHmmO
LQuero +edir descul+as/
L?or !u2O
L'c-o !ue te =ul3uei mal/
LTalve4 sim, talve4 não/
Ela ol-ou +ela =anela/ #o rosto dela -avia um
arran-ão e um -ematoma, le3ados da bri3a no
bar, mas essas marcas em nada diminu6ram a
bele4a do +erfil !ue ele tin-a ac-ado tão
encantador : +rimeira vista/
L?ara onde estamos indoO L ela +er3untou/
L?ara lu3ar nen-um, a3ora/ Quer ir +ara casaO
Ela balançou a cabeça/
LEstou com fome/
L#ão di3a mais nada/ L #oa- a+ertou o
intercomunicador/ L Eddie, voc2 +ode, +or favor,
nos levar ao 'my Rut-Is, na Rua &%& com a &]O E
li3ue antes, certoO #ão sei se =@ estão abertos/
,i3a ao Robert !ue +recisamos de suco de laran=a
e dois 'l >-ar+tons na calçada/
?ela divis8ria de vidro #oa- viu o motorista
assentir com a cabeça e acionar 'l&etooth0
L" !ue ) um 'l >-ar+tonO
L(ran3o frito com >affles0 1oc2 ) uma 3arota do
sul, certoO
Ela fe4 !ue sim com a cabeça/ L as ac-o !ue o
sul talve4
se=a um +ouco maior do !ue voc2s, novaC
ior!uinos, +ensam/ #unca ouvi falar de fran3o com
Haffles/
LC Então ac-o !ue voc2 vai ter uma sur+resa, não
)O
' camin-o do restaurante, ele ficou sabendo um
+ouco mais sobre a vida dela/ ' fam6lia de olly se
mudava muito de um lu3ar +ara o outro !uando
ela era mais nova, +or causa do trabal-o do +ai,
en3en-eiro da ?ratt F K-itney/ Eles acabaram
indo +arar +erto da Base ')rea 'rnold 'ir, em
anc-ester, Tennessee/ Quando o +ai de olly
morreu em um acidente na f@brica de testes, ela e
a mãe ficaram +or l@/ ' mãe voltou a usar o nome
de solteira e anos de+ois iniciou o 3ru+o +atriota
do !ual as duas fa4iam +arte, o (ounders Ke++ers/
LQuantos anos voc2 tin-a !uando seu +ai
morreuO L !uis saber #oa-/
L#ove/ L Ele deu um sus+iro e balançou a
cabeça/ L Eu tin-a de4 !uando a min-a mãe
morreu/
L>into muito/
LQuer saber de uma coisaO L 1amos mudar de
assunto/ ?ode me +er3untar !ual!uer coisa/
LT@ le3al/ Qual ) a +essoa mais fascinante !ue
voc2 =@ con-eceuO
Ele res+ondeu sem -esitar/
L" +residente Clinton/ (@cil/
LV mesmoO
L,ei.ando de lado a +ol6tica, nunca vi um ser
-umano com tanto carisma/ E voc2 tin-a falado na
!uestão de mentir L a!uele -omem conse3uia
3uardar na cabeça umas $% lorotas, muito bem
elaboradas e todas relacionadas entre si,
im+rovisava tudo de su+etão e fa4ia voc2 acreditar
em cada +alavra, mesmo se voc2 estivesse
se3urando na mão um cal-amaço de +rovas
irrefut@veis contrariando o !ue ele estava di4endo/
' mul-er dele +ode at) ser um +ouco mais
inteli3ente, mas não tem a -abilidade da
+revaricação/ J@ o 'l 7ore, se não se3uisse um
roteiro +re+arado de antemão, seria -orr6vel, um
caso +erdido/ as o ClintonO Ele ) como a!ueles
malabaristas !ue 3iram +ratos no circo* fa4 tudo
+arecer a coisa mais f@cil do mundo/ E obviamente
ele tem uma outra -abilidade* -i+noti4a
com+letamente as mul-eres/
LBom, nunca ac-ei ele tão atraente assim/
L'-, mas ) totalmente diferente !uando uma
+essoa como ele est@ ao seu lado/ #ão ) como na
T1/ >e ele estivesse sentado bem a!ui a3ora, onde
eu estou, =uro !ue voc2 não iria resistir/ Ele não
+recisaria nem fa4er força/ >e voc2 ouviClo citando
a lista telefTnica, vai =urar !ue ele ) "scar Kilde/
>e Clinton ler um conto de fadas +ara voc2,
!uando Ra+un4el atirar +ela =anela as tranças cor
de mel, voc2 =@ estar@ de calcin-a arriada/
L1ou ter de acreditar no !ue voc2 est@ di4endo/
L'3ora !ue voc2 =@ sabe disso, +reciso di4er
tamb)m !ue ele ) um dos fil-os da +uta mais
inescru+ulosos !ue e.istem no mundo, e vai
demorar 3erações +ara a+arecer outro i3ual a ele/
L #oa- ol-ou ra+idamente +ela =anela +ara ver se
=@ estavam +erto do restaurante/
LE voc2O
L" !u2O
LQuem ) a sua +essoa mais fascinanteO
L'-/ L olly +ensou durante al3uns se3undos/ L
' min-a mãe, ac-o/ #ão fre!uento os mesmos
c6rculos !ue voc2, mas sou uma 3rande fã da
inte3ridade/ L Ela tomou um Jltimo 3ole do
refri3erante, recostouCse no banco e +ousou a
3arrafa/ L ?or falar em +ais fascinantes, seu +ai
deve ser um tema interessante, nãoO
LDsso ele )/
LE entãoO
L,ei.eCme +ensar +or onde devo começar/// ele
foi bolsista da R-odes >c-olar, fato !ue +ouca
3ente sabe/ Ele estava estudando antro+olo3ia em
".ford !uando con-eceu um -omem c-amado
EdHard Bernays L sobrin-o e admirador de
>i3mund (reud, se ) !ue isso a=uda a e.+licar em
+arte essa +rofissão es!uisita L, e o >r/ Bernays
+recisava de san3ue novo, al3u)m com as
-abilidades do meu +ai +ara in=etar 3@s no ramo
de atividade !ue ele tin-a inventado d)cadas
antes/
L's relações +Jblicas/
LE.ato/ " +rimeiro trabal-o im+ortante de
Bernays foi a=udar KoodroH Kilson a me.er os
+au4in-os +ara conse3uir fa4er os EN' entrarem
na ?rimeira 7uerra undial/ E o +rimeiro +ro=eto
do meu +ai com ele foi uma 3i3antesca cam+an-a
de +ro+a3anda +ara HoHard Hunt e a CD',
=untamente com a Nnited (ruit Com+any, !uando
=untaram forças +ara derrubar o +residente da
7uatemala, em &SU[/
L#ãoP
L>im, e o resto ) -ist8ria, literalmente/
Ela fran4iu as sobrancel-as/
LQuando +enso em 3ol+e de Estado ima3ino
e.)rcitos e tan!ues nas ruas, não um +un-ado de
carta4es e fol-etos/
L#ão, não, ) muito mais !ue isso L +ol6tica e
3uerra, ) tudo +sicolo3ia social, e talve4 sem+re
ten-a sido/ ,2 s8 uma ol-ada no em+urrão4in-o
das relações +Jblicas !ue fe4 o +ovo norteC
americano a+oiar a 3uerra contra o Dra!ue em
$%%</ #ão foi obra da nossa em+resa, foi do 3ru+o
Rendon em Kas-in3ton, mas eles fi4eram o
mesmo trabal-o !ue n8s fa4emos/ E a 3ente não
a+8ia nem um lado nem outro, a menos !ue nos
+a3uem +ara isso/ >e al3u)m vier falar com a
3ente !uerendo a=uda +ara obter o a+oio da
o+inião +Jblica +ara uma 3uerra, +or e.em+lo, não
+er3untamos se isso ) certo ou errado9 ) a mesma
coisa com a a32ncia de +ublicidade do
c,onaldIs* ela não +er3unta se seu cliente fa4
um -ambJr3uer mel-or !ue o Bur3er Kin3/ as no
nosso caso são a+enas +alavras e ima3ens, isso )
!ue fa4 tudo +arecer tão sim+les/ 's relações
+Jblicas são a en3en-aria cient6fica do consenso/
L#ão sei ao certo se entendi/
L?e3ue o caso de um 3ol+e de Estado fabricado,
como o da 7uatemala/ #8s en3endramos a
derrubada de um +residente democraticamente
eleito, e o su=eito era +o+ular, ia tomar de volta as
terras da Nnited (ruit e devolv2Clas ao +ovo/
Então, ele teve de ser demoni4ado antes de ser
tirado do 3overno/ >e a c-e3ada for sJbita, com
tro+as na rua, o +ovo +oder@ +e3ar armas e
resistir, o !ue não +ode acontecer/ 's +essoas
+recisam ser +acificadas, +or!ue a +rimeira coisa
!ue tem de mudar ) o coração delas/
LNsando nosso +r8+rio +a6s como e.em+lo/ H@ W%
mil-ões de cidadãos com armas de fo3o nos EN',
seria im+oss6vel vencer se todos começassem a
a+ertar o 3atil-o/ #ão d@ +ara tirar a liberdade de
uma +o+ulação livre e bem informada9 as +r8+rias
+essoas t2m de abrir mão dela/
Então, os soldados são a Jltima eta+a, e, se o
trabal-o das relações +Jblicas foi bem feito, os
tan!ues s8 entram em cena !uando o +ovo =@ nem
tem mais vontade de lutar/ Quando os tan!ues
c-e3am, o +ovo saJda os soldados/ '!uele
ne38cio de 5corações e mentes5, sabeO 's +essoas
se submetem a +assar +or revistas, abrem mão de
todos os seus direitos e se es!uecem dos vi4in-os
!ue foram levados embora/ Escute, a menina dos
ol-os da biblioteca de Jose+- 7oebels era um livro
de EdHard Bernays, e nem +reciso falar da efic@cia
com !ue os na4istas usaram a +ro+a3anda e as
relações +Jblicas/ >im, sei !ue ) um e.em+lo
-orr6vel/
L(ico feli4 !ue voc2 ten-a dito isso/
Las desde o in6cio todos a!ueles vel-os caras, o
+ioneiros desse ne38cio e seus ami3os da classe
dominante, se viram como os novos ?ais
(undadores da nação/ V s)rio, eles se viam como
+astores, e as massas, a +lebe, a ral) eram seus
reban-os indefesos/ Es+ecialmente Bernays, ele
acreditava !ue era res+onsabilidade das elites da
sociedade mani+ular o +Jblico em 3eral +ara
tomar decisões !ue as +essoas não eram
suficientemente inteli3entes +ara tomar +or conta
+r8+ria, usando !uais!uer meios !ue fossem
necess@rios/
' ideia vision@ria !ue ele tin-a +ara este +a6s, +ara
o mundo inteiro, na verdade, era um 5EstadoC
bab@5, enorme e benevolente, uma +lutocracia,
em !ue as +essoas seriam mimadas em todos os
as+ectos da vida e receberiam tudo de mão
bei=ada/ Ele mostraria ao +ovo como votar, o !ue
comer, o !ue amar e o !ue odiar, o !ue e !uando
+ensar/ E, !ue ,eus nos livre, meu +ai a+rendeu
direitin-o e levou a s)rio essas lições e as
desenvolveu/ Ele fa4 o !ue fa4 mel-or do !ue
nin3u)m/
Ele +ercebeu !ue tin-a falado e falado sem +arar,
e s8 notou isso +ela e.+ressão va4ia !ue tin-a
tomado conta dos ol-os de olly/ Ela estava
+arecendo uma criança !ue acabou de ficar
sabendo o !ue acontece com os fil-otes re=eitados
+ela mãe/
LEssa conversa foi meio um balde de @3ua fria,
n)O
LT@ le3al/ C-e3a de falar de trabal-o/
" carro estacionou =unto : calçada em frente ao
restaurante, a =anela lateral se abriu, e um -omem
sorridente usando um avental branco se
a+ro.imou tra4endo uma bande=a fume3ante/
L" =ovem >r/ 7ardner/
LBom dia, Robert/ ,escul+e ter tirado voc2 da
cama/
L>em +roblema, sem +roblema, ficarei feli4 em
lançar min-a inconveni2ncia na sua conta/
LTen-o certe4a de !ue voc2 vai fa4er isso, Robert/
Esta ) a olly/ V a nossa +rimeira refeição =untos,
e eu !ueria im+ression@Cla/
" chef +assou +ela =anela as bande=as cobertas,
3arrafas e tal-eres embrul-ados em 3uardana+os/
LBem, olly, se seu novo ami3o não tiver
nen-uma outra !ualidade, +elo menos tem bom
3osto em so&lfood
5P
0
En!uanto o carro cru4ava novamente a cidade, os
dois mais comeram do !ue conversaram/ Como
sem+re, o fran3o com Haffles estava delicioso, e
olly terminou bem antes !ue #oa-/
LComo era sua mãeO L ela +er3untou/
Leu +ai con-eceu min-a mãe em &SRW, e vou
di4er uma coisa* duvido !ue =@ ten-am e.istido
duas +essoas mais diferentes/ '-, isso )
interessante, min-a mãe a+arece na!uele
document@rio sobre Koodstock/
LQue +arteO
Ele +assou a mão na frente dos ol-os/
L#ão sei e.atamente/ ?ara di4er a verdade não
consi3o assistir/ Ela est@ dando uns amassos em
al3um cabeludo e, não ten-o certe4a, ac-o !ue ela
tira a rou+a +ara c;mera em al3um momento/
L#ão tem certe4aO Dsso ) uma coisa de !ue eu me
lembraria claramente/
L"l-a s8, eu blo!ueio isso, ) a min-a mãe, t@O
Então, anos de+ois, no fim da d)cada de &SR%, ela
ainda acreditava nas causas !ue ela defendia, mas
acima de tudo ela amava a vida, sabeO #unca !uis
muita coisa/ Ela tin-a um +e!ueno a+artamento
$%
5Comida de ne3ro5, culin@ria t6+ica do sul dos EN'/ A#/ do T/B
no interior de #ova Gork, e estava trabal-ando
como 3arçonete em um resort l@/
E o meu +ai, o -omem !ue se tornaria meu +ai,
tin-a uma casa 3i3antesca no la3o l@ +erto/ Ele a
viu no restaurante, convidouCa +ara sair, e foi isso/
Ti+o um romanceCrel;m+a3o/ 'c-o !ue ela foi a
!uarta es+osa dele, talve4 a !uinta/ as de+ois
!ue ela morreu, ele nunca mais se casou/
LEntão voc2s tr2s moravam l@O
L#ão, não, meu ,eus do c)u/ Ela não !uis se
mudar +ara a cidade 3rande, e ele, ) claro, era
3rande demais +ara a!uela cidade4in-a/ Então, eu
mal o via, a não ser nas f)rias e nos feriados/ #ão
)ramos o !ue se +ode c-amar de fam6lia
tradicional/ "l-a s8, at) os ] anos eu ac-ava !ue
ele era meu avTP Ele ) bem mais vel-o !ue ela/ L
#oa- ficou desnorteado +or al3uns instantes, e
teve de ol-ar lon3amente +ara as +r8+rias mãos
antes de interrom+er o =orro de lembranças/ L Em
todo caso, ela morreu/ C;ncer no +ulmão, e ac-o
!ue o meu +ai não sabia o !ue fa4er comi3o, então
me trou.e +ara c@/
" interior do carro mer3ul-ou no sil2ncio +or um
ou dois minutos/
LEi/ L ela deu um ta+in-a no =oel-o de #oa-, !ue
er3ueu os ol-os/ L 1oc2 se im+orta se eu me
sentar ao seu ladoO
L#ão, não me im+orto/
"s bancos eram feitos +ara um Jnico ocu+ante,
mas ela mudou de lu3ar, colocou os +ratos de lado
e se encai.ou com facilidade no colo de #oa-, com
um braço atr@s das costas dele, uma mão +ousada
no +eito e a cabeça encostada no ombro dele/
L'c-o !ue vou 3ostar de voc2 L disse olly/
L1oc2 +arece tão sur+resa/
L'c-o !ue estou/
Com um movimento delicado ele a=eitou o braço
em volta dela, -esitante +or medo de arruinar o
momento, mas não +recisava ter se +reocu+ado/
Ela tocou sua mão e se anin-ou ainda mais =unto
dele/
L'c-o !ue eu tamb)m 3osto de voc2 L ele disse/
L as desde =@, fico ima3inando/ E se eu bai.ar a
3uarda e me entre3ar e de+ois voc2 me
mac-ucarO Bom, voc2 viu o !ue eu fi4 com a!ueles
brutamontes l@ no bar/
L'-, não, voc2 vai bater no meu =oel-o com seu
rostoO
LCom o m@.imo de força/
' via3em continuou/ ' conversa entre os dois flu6a
tran!uila, os assuntos e as ideias brotavam a
esmo/ #a rua S% o motorista entrou no Central
?ark e de+ois usou a l@bia +ara convencer um
+olicial a cavalo a dei.ar o carro +assar +or um
blo!ueio no En3ineerds 7ate A?ortão dos
En3en-eirosB/ #a!uele dia e :!uela -ora era
estritamente +roibido o tr@fe3o de ve6culos no
local, mas ) dif6cil di4er 5não5 +ara um autom8vel
como a!uele, es+ecialmente !uando não se tem
certe4a de !uem est@ sentado no banco de tr@s/ "
carro se3uiu lentamente, não a+enas +ara dar aos
atletas de fim de semana e fre!uentadores do
+ar!ue seu direito de ir e vir livremente/ ?or
al3uma ra4ão, o +asseio de carro no +ar!ue
na!uele aman-ecer de s@bado =amais tin-a
+arecido tão e.traordin@rio, e não -avia +ressa
nen-uma em dei.ar a!uele momento +ara tr@s/
L#oa-O
L>im/
Ela se es+re3uiçou, ar!ueando o cor+o contra o
dele, de+ois o ol-ou nos ol-os/
L1oc2 +ode me levar +ara casa 3oraO
LClaro/ "nde voc2 disse !ue morava mesmo,
+erto do ?ar!ue Tom+kins >!uareO
L#ão, eu !uis di4er +ara sua casa/
L"-/ L Ele +iscou/ L T@ bom/
LV !ue eu ainda não me sinto se3ura, de+ois do
!ue aconteceu ontem : noite/
LV com+reens6vel/
LE não estou falando de nada se.ual/
L(ico sur+reso de voc2 ter mencionado isso/ V a
Jltima coisa !ue me +assaria +ela cabeça/
L>ei/
L#ão, na verdade não, mas tudo bem/ Então vai
ser ti+o um +ernoite, ten-o um !uarto sobrando/
L Ele +ressionou o botão do intercomunicador e
+ediu ao motorista !ue os levasse de volta +ara
sua casa, na rua ]R com a Quinta 'venida/
L>ei !ue ) es!uisito falar nisso L disse olly L,
mas ) !ue eu s8 !uero !ue voc2 saiba !ue não
dormiria com al3u)m !ue///
L>8 !uisesse +assar uma noite com voc2/
LDsso/ Eu !uero ser franca/ #ão ) al3o !ue eu
costumo fa4er/
LEntendi/
LE não estou di4endo !ue nunca fi4, ou !ue não
ven-a a !uerer fa4er/ L Ela a=eitou a 3ola dele,
!ue a+arentemente estava torta o tem+o todo, e
mais uma ve4 anin-ou a cabeça no ombro dele/ L
V !ue cometi al3uns erros terr6veis na min-a vida,
e decidi não re+etiClos/
LTudo bem, não +recisa falar mais nada/ 1oc2
não sabe o !ue est@ +erdendo neste caso, mas
tudo bem/
Ca$%tu"o &7
"s dois desceram na es!uina9 en!uanto se
des+edia do motorista, #oa- viu olly em +) na
calçada, ol-ando ao redor como se tivesse
acabado de descer do Jltimo Tnibus vindo do
interior, contem+lando as atrações tur6sticas do
N++er East >ide/
LV ali !ue voc2 moraO L ela +er3untou,
a+ontando com a mão/
L#ão, ali, não/ Est@ vendo a!uelas bandeirasO 'li
) a Embai.ada da (rança/ L Ele se3urou a mão
dela e os dois camin-aram at) o cru4amento/ L E
ali, descendo a rua, fica o useu etro+olitano de
'rte, !ue a 3ente +ode visitar !ual!uer -ora,
!uando voc2 !uiser ficar bo!uiaberta/ J@ ali est@ o
Central ?ark, !ue voc2 =@ viu/ L Ele fe4 com !ue
ela virasse o cor+o e a+ontou +ara o alto da torre
de vidro e alvenaria escura atr@s dela/ L E a!ui,
no vi3)simo terceiro andar, ) onde moro/
Eles entraram e atravessaram o sa3uão todo
adornado a camin-o do elevador/ Quando as
+ortas du+las estavam +restes a se fec-ar, um
braço esticado im+ediu !ue isso acontecesse/ 's
+ortas met@licas se reabriram e sur3iu a fi3ura de
um -omem ma3ro de U% e +oucos anos, usando
moletom a4ul/ " rosto dele estava vermel-o e
afo3ueado +or causa da corrida matinal/ Era um
su=eito bonito e de a+ar2ncia dissoluta, de cabelos
+retos e ralos e um +ar de +enetrantes ol-os
a4uis/ Ele a+ertou o botão corres+ondente ao seu
andar e e.aminou olly de cima a bai.o,
demoradamente, o !ue ela mal conse3uiu i3norar
sem +erder a com+ostura/ Quando o elevador
+arou no andar dese=ado, o su=eito encarou #oa- e
antes de descer fe4 um meneio de cabeça sutil,
um silencioso carimbo masculino de a+rovação,
indicando !ue ambos tin-am em comum o bom
3osto em termos de com+an-ia feminina/
's +ortas se fec-aram novamente, dei.ando os
dois so4in-os/
LEra !uem eu ac-o !ue eraO L olly +er3untou/
LEliot >+it4er/
L" 3overnador de #ova Gork/
LE.C3overnador/ E talve4 voc2 ten-a acabado de
+erceber, se ) !ue =@ não leu sobre isso nos
=ornais/ Ele ) um tarado/
L?ercebi/
LV/ Quando se est@ no +oder, cometemCse
3randes safade4as/ Todos eles t2m tara +or
al3uma coisa/
LEle mora a!uiO
LE isso não ) tudo/ >abe este a+artamento de U
mil-ões de d8lares em !ue a 3ente vai ficarO V do
meu +ai/ % +ai do >+it4er ) dono do +r)dio inteiro/
Leu ,eus/
LV/
LEle renunciou, certoO L olly +er3untou/ L Qual
foi mesmo o motivoO
L?ara resumir, durante uma investi3ação federal,
foi fla3rado em uma 3ravação contratando os
serviços de uma +rostituta !ue 3an-a mais em um
dia do !ue seus cole3as da sala de e.+edição
3an-am em um ano/
LNau/// Ele caiu ra+idin-o/
L#ão se +reocu+e, lo3o, lo3o ele vai voltar +ara a
+ol6tica/ ' mem8ria do +ovo ) bastante curta, e,
como eu disse no bar, l@ em cima, no to+o, ) um
3rande clube/
LE não somos s8cios/ Eu +elo menos sei !ue não
sou/
' cam+ain-a do elevador soou anunciando !ue
eles -aviam c-e3ado ao andar de #oa-9 as +ortas
se abriram, revelando a ele3ante entrada do
a+artamento/
LTalve4 não, mas voc2 não deve desistir antes de
tentar/
'ssim !ue #oa- enfiou a c-ave na fec-adura e os
dois entraram, olly começou a e.+lorar o lu3ar,
maravil-ada com a vista +anor;mica do c-ão ao
teto, correndo de cTmodo em cTmodo feito um
brin!uedo movido a corda/
LQual ) o taman-o deste a+artamentoO L ele a
ouviu +er3untar de al3um lu3ar/
L>8 metade do andar/ >e voc2 est@
im+ressionada com isso, devia ver a cobertura/
LE !uanto custaO
LCinco mil-ões, mais uns ]% mil +or ano de
manutenção/
Ela a+areceu vindo da su6te de -8s+edes,
a+ontando +ara tr@s/
L" c-uveiro na!uele ban-eiro ) maior !ue o meu
!uarto/
L?or falar nisso, vou tomar um ban-o e desabar
na cama/ Eu sinto !ue o c-eiro da cadeia ainda
est@ em mim/
L'-, eu tamb)m/
L1@ em frente/ 0@ tem tudo de !ue voc2 +recisa/
,@ uma fuçada nas 3avetas e voc2 vai ac-ar al3o
+ara vestir/
LBele4a/ L Ela sorriu, com o sorriso !ue ele tin-a
es+erado -oras +ara ver/
LBele4a L ele res+ondeu/ L 1i !ue =@ são R-<%,
mas, mesmo assim, boa noite/
(inalmente lim+o e +ronto +ara dormir, as
vene4ianas fec-adas, #oa- escol-eu um romance
do criadoCmudo e se recostou confortavelmente
em uma +il-a de travesseiros +ara tentar ler at) a
c-e3ada do sono, no +@lido c6rculo de lu4 !ue
irradiava do aba=ur/
#o meio de um ca+6tulo ele ouviu uma leve batida
no corredor, er3ueu os ol-os, de+ois se sentou
direito, com as costas mais retas, !uando viu !ue
olly estava es+iando/
L>ou eu de novo L disse olly/
L"i L ele +ousou o livro ao seu lado, marcando a
+@3ina com o dedo/
LNsei seu telefone, es+ero !ue não se im+orte/
LTudo bem, tudo !ue voc2 !uiser/
LEu estava !uerendo saber not6cias do Bailey/
0embra deleO ,anny Bailey, do barO
L0embro/ #ão !ueria, mas lembro/
L#in3u)m se lembra de t2Clo visto de+ois da
batida da +ol6cia, e ele não estava com a 3ente na
dele3acia/ 0i3uei +ara al3umas +essoas +ara saber
se al3u)m tin-a not6cias dele/
LE nin3u)m tin-a, su+on-o/
Ela balançou a cabeça/
LTen-o certe4a de !ue ele vai a+arecer/ Ele =@ )
bem 3randin-o +ara saber se virar so4in-o/ 1@ l@,
tente descansar um +ouco/ ,e+ois a 3ente tenta
saber dele/
LT@ bom/ L as ela não fe4 se!uer menção de
sair do !uarto/
L?recisa de mais um cobertor ou al3o assimO
L?osso entrarO
LClaro L ele res+ondeu, e ela entrou/ L 1oc2
ac-ou a min-a camisa do time de lacrosse/ (a4
de4 anos !ue estou +rocurando/
L1oc2 =o3ava lacrosse na escolaO L ' mal-a
desbotada era 3rande demais, ) claro, e +or isso
ela tin-a amarrado embai.o, dei.ando uma nes3a
da cintura lisa e reta acima da fronteira norte de
uma sortuda cueca sambaCcanção dele/
LBom, na maior +arte do tem+o eu ficava sentado
no banco de reservas/ L "s cabelos dela estavam
soltos, ainda Jmidos do ban-o9 os cac-os escuros
acariciavam os ombros !uando ela camin-ava/ L
V en3raçado, mas esta camiseta me +arece bem
mel-or do !ue eu me lembrava/
Quando ela c-e3ou : +onta da cama, escalou o
enorme colc-ão Jing(si:e e +ercorreu de =oel-os
toda a e.tensão at) o outro lado, e +or fim se
aconc-e3ou a ele com um li3eiro sus+iro,
com+artil-ando os travesseiros/
L" !ue voc2 est@ lendoO
Ele mostrou brevemente a ca+a e o t6tulo, de+ois
3uardou o livro/
L'c-ei !ue voc2 ia dormir no outro !uarto/
L1oc2 se incomodaO
L#ão, nem um +ouco/ V como a!uela ve4 em !ue
a min-a tia Bet- me levou : lo=a de doces e de+ois
não me dei.ou comer nada/ Eu tamb)m não me
incomodei/
L?osso ir embora se voc2 !uiser/
L#ão, fi!ue, fi!ue/ Estou brincando/ ais ou
menos/ '+enas tente não fa4er nada muito
sensual/
L"bri3ada/ L Ela +assou a mão +elos cabelos e
de+ois se es+re3uiçou novamente, insinuouCse
debai.o das cobertas e se a=eitou ao lado de #oa-,
=o3ando um dos braços em volta do cor+o dele, a
fresca macie4 de seda de suas +ernas nuas
coladas :s dele/
L1iu s8O V =ustamente isso !ue eu +edi +ara voc2
não fa4er/
L>8 estou ficando confort@vel/ L ' vo4 dela =@ era
de sono, e ela tremia um +ouco/
Leus +)s estão frios/
L(aça como !uiser, sen-orita/ 1ou lo3o avisando,
voc2 ditou as re3ras, mas est@ brincando com
fo3o/ Ten-o al3umas re3ras tamb)m/ E a re3ra
nJmero & )* não cutu!ue a onça com vara curta/
LT@ bom, serei boa4in-a/ L Como se estivesse
reunindo todas as Jltimas forças a+8s um lon3o
dia, ela er3ueu o cor+o, +u.ou #oa- +ela 3ola da
camiseta e deuCl-e um bei=in-o na boc-ec-a/
LBoa noite L ela sussurrou/
LBoa noite, olly/
#oa- +e3ou o livro e fe4 o mel-or !ue +Tde +ara
retomar a leitura, mas, !uando +ercebeu !ue =@
tin-a lido e relido o mesmo +ar@3rafo +elo menos
$% ve4es, desistiu e +ousou o livro sobre a
mesin-a de cabeceira/ Em defesa do autor )
+reciso di4er !ue nen-uma combinação de
+alavras em uma +@3ina seria ca+a4 de c-e3ar
aos +)s de todas as reviravoltas da!uele dia,
nen-uma ficção seria ca+a4 de desviar a atenção
da mente dele da!uele estran-o +ersona3em
deitado ao seu lado, bem ali, na vida real/ Ele se
sentia mais do !ue satisfeito de sim+lesmente
ouvir a res+iração suave e constante dela e
observ@Cla mer3ul-ar em um sono +rofundo e
tran!uilo/ Ele não demorou muito tem+o +ara se
=untar a ela e acom+an-@Cla em sua via3em, +ara
onde !uer !ue fosse9 #oa- tin-a começado a
son-ar bem antes mesmo de adormecer/
ARTE DOI0
5" ar3umento de !ue dois +artidos devem
re+resentar ideais e +ol6ticas o+ostas ) uma id)ia
tola/ ?elo contr@rio, os dois +artidos devem ser
!uase id2nticos, de modo !ue o +ovo norteC
americano +ossa, a cada eleição, se livrar dos
canal-as, sem !ue isso leve a uma +rofunda crise
na +ol6tica/ Então seria +oss6vel substituir um
+artido, a cada !uatro anos se necess@rio, +or
outro, !ue não ser@ desonesto, mas vai adotar,
com renovado vi3or, a+ro.imadamente as
mesmas +ol6ticas b@sicas/5
L ?R"(E>>"R C'RR"00 QND70EG, TR'7E,G F H"?E
5' vontade do +ovo não +ode ser subestimada
nem tida como favas contadas9 ela deve ser
criada/5
L HERBERT CR"0G, T-e +romise of american life
Ca$%tu"o &8
>tuart Kearns 3uardou a carteira +reta com sua
identificação assim !ue suas credenciais tin-am
sido suficientemente absorvidas +elo escrivão de
+ol6cia/ " rosto do -omem era ine.+ressivo, mas,
!uando ele er3ueu os ol-os, finalmente -avia
neles uma t2nue e.+ressão de boa vontade/
Kearns +assou +ara as mãos do sar3ento um
envelo+e de +a+el manil-a contendo formul@rios
de autori4ação +ara uma entrevista e documentos
+ara a soltura do +risioneiro em !uestão/ Com
todo cuidado e atenção de um veterano o+er@rio
de lin-a de monta3em, o escrivão recebeu os
+a+)is de maneira brusca e em+urrou tudo +ara
uma +il-a/ ,e+ois disso, com um silencioso
meneio de cabeça o sar3ento instruiu o a3ente
Kearns a entrar e camin-ar at) uma saleta lateral,
onde devia sentarCse e es+erar a ve4, como todo
mundo/
Era a+enas mais um +rivil)3io do distintivo, ele
su+Ts/ "s civis tin-am de ir at) o ,etran +ara
receber a!uele ti+o de tratamento/
Era al3o relacionado ao +oder, insi3nificante mas
sem+re a3ressivo em !ual!uer transação
burocr@tica/ ' cada interação desse ti+o )
estabelecida uma -ierar!uia, um +adrão de
medida baseado no car3o, im+ort;ncia e +osição
social de uma +essoa, e neste caso o (BD fica um
ou dois de3raus abai.o do ,e+artamento de
?ol6cia de #ova Gork/ ?ara ser =usto, talve4 nem
todo mundo do (BD merecesse a!uele violento
desres+eito, a+enas este vel-o e cansado
re+resentante/
" fato de !ue essas +essoas e sua rivalidade
a3ressivaC+assiva fa4iam +arte de sua vida
+rofissional o incomodavam menos do !ue antes/
,e+ois de trinta e um anos batendo a cabeça
contra a +arede, um -omem =@ não deve mais se
sur+reender ao constatar !ue seu c)rebro est@
esma3ado e a +arede ainda continua em +)/ >ua
+rimeira es+osa tin-a dado a mel-or definição
sobre a !uestão9 no dia em !ue foi embora, a
camin-o da +orta ela disse* 5#ão são as outras
+essoas, não ) o seu c-efe nem os inimi3os nem o
mole!ue do su+ermercado/ V voc2/ 1oc2 ) !ue
+ede +or isso, >tuart, e elas sim+lesmente te dão5/
"bri3ado mais uma ve4, meu bem, +or todo o
a+oio/ 1oc2 foi a mel-or de todas/ ' es+osa
nJmero dois nem se!uer se dera ao trabal-o de
dei.ar um bil-ete/
" +e!ueno es+aço em !ue ele estava sentado era
lim+o, mas mofado, sem =anelas e de +aredes
nuas, +intadas em um tom sombrio de be3e9 a
mob6lia era anti3a, manc-ada e desi3ual/ ' riscada
escrivanin-a de madeira datava dos tem+os em
!ue Herman elville tin-a escrito sobre a!uela
+risão, antes ainda da 7uerra Civil/ (osse !ual
fosse o n6vel das acomodações dos -8s+edes
da!uele vasto Com+le.o de ,etenção de
an-attan, a!uela sala de es+era devia ocu+ar um
dos +ontos mais bai.os da escala/
>obre a mesa -avia um +ortaCretratos, ainda
e.ibindo a mesma foto3rafia de uma fam6lia com
!ue sa6ra de f@brica/ >obre+osta ao vidro da!uela
a3ora amarelada ima3em de encenado afeto e
intimidade rural, o a3ente do (BD viu o refle.o de
um -omem ines+eradamente mais vel-o, 3risal-o
e com +a+ada, encarandoCo da su+erf6cie de vidro/
"s anos +assam mesmo/
" sar3ento escrivão da rece+ção bateu e entrou,
de+ois entre3ou a Kearns sua c8+ia dos
formul@rios necess@rios, todos assinados e
autori4ados/
LEstão tra4endo seu -omem a3ora L ele avisou/
L Ele vai estar a!ui da!ui a um minuto/
Letimo/
L1oc2 devia ter me dito L o sar3ento
acrescentou, subitamente bem mais 3entil do !ue
antes/
>tuart Kearns endireitou os 8culos, mas não
er3ueu os ol-os, a3ora concentrados na leitura dos
+a+)is na sua mão/
L "u isso ou devia ter +edido/
" sar3ento sentiu, corretamente, !ue tin-a sido
dis+ensado, e saiu da sala/
' sJbita tomada de consci2ncia do -omem foi sem
dJvida motivada ao constatar !ual era a fonte das
ordens de Kearns, o !ue, +ara ser -onesto, devia
ter ficado evidente a+8s uma r@+ida ol-ada na
+a+elada lacrada !ue ele tra4ia/ Nm +olicial
subalterno de m@ vontade +odia at) ac-ar
en3raçado fa4er um a3ente federal tomar um c-@
de cadeira, mas, !uando as ordens são ori3inadas
do !uartelC3eneral de Junta 'ntiterrorista em
Kas-in3ton, bom, a6 nin3u)m de +atente tão bai.a
!uer ser acusado de ter atra+al-ado a 7uerra ao
Terror/
Ele consultou seu rel83io de +ulso/ >ete e meia da
man-ã de s@bado, e, a =ul3ar +ela barul-eira, a
Tumba estava oficialmente des+ertando/
Esses lu3ares t2m um som caracter6stico/ Entre os
+resos, o barul-o era abafado +ela 3ritaria das
+essoas ao redor, mas de lon3e as vo4es
+erturbadas se mesclavam em um som +arecido
com um vento selva3em L um uivo ecoante !ue
subia dos corredores de celas em certos
momentos do dia e da noite/
En!uanto es+erava, Kearns tirou de dentro da
valise uma +asta e abriuCa sobre a mesa/ Era uma
versão resumida do ar!uivo do (BD sobre o =ovem
!ue ele estava +restes a con-ecer/ " cara era um
frou.o, ele tin-a ouvido di4er, e +or causa de uma
ordem si3ilosa tin-a +assado uma lon3a noite
dentro de uma cela re+leta dos +iores criminosos
!ue o lu3ar tin-a a oferecer, então certamente
estaria ainda mais mole na!uela man-ã/ Com
sorte, assim !ue Kearns +ro+usesse um acordo,
não teria de +erder muito tem+o com ne3ociações/
Era um ar!uivo sur+reendentemente 3rosso +ara
al3u)m !ue =amais tin-a sido +reso +or al3o mais
s)rio do !ue +e!uenas acusações de tr@fico de
narc8ticos/ Coca6na, na maior +arte dos casos,
festin-as re3adas a dro3as9 uma ve4, muitos anos
atr@s, ele tin-a sido +e3o em meio a uma modesta
o+eração de contrabando com um saco de li.o
c-eio de cerve=a cara/ Ele conse3uiu fa4er um
acordo com a +romotoria e foi libertado em troca
de um de+oimento contra seus cJm+lices/ % fato
tin-a sido sublin-ado no ar!uivo/
Nma +ouco esforçada tentativa de suic6dio aos $%
e +oucos anos, a bem da verdade um mero +edido
de a=uda, mas de+ois outra, verdadeira, durante o
cum+rimento de uma +ena de S% dias em uma
+enitenci@ria estadual na 0ouisiana L essa +@3ina
estava marcada com dobras, bem como sua
avaliação +sicol83ica do +er6odo/
Havia ainda al3umas +end2ncias com a Receita
(ederal e outros +roblemin-as com a lei !ue
remontavam a sua adolesc2ncia, mas os re3istros
mais recentes di4iam res+eito a +rovas reunidas
+or meio de mandados =udiciais autori4ando
vi3il;ncia telefTnica em casa e no trabal-o,
transcrições de trec-os de um +ro3rama de
radioamador monitorado e uma lista de v6deos +or
ele +rodu4idos e !ue a3ora circulavam na internet
sob a bandeira de 5cultura +atriota5/ #a +rimeira
solicitação de 3ram+o, -avia sido marcado o item
discurso de 8dio contra terrorismo, mas a Jltima
autori4ação tin-a sido +edida +or tr2s divisões
diferentes, conforme indicavam as abreviaturas na
mar3em* (T'C,C, 7TT,#, 7T',C#* (orçaC
Tarefa 'ntiterrorismo, 7ru+o de Trabal-o
Terrorismo ,om)stico, 7ru+o de Trabal-o de
'rmas de ,estruição em assa/ Essas duas
Jltimas a32ncias eram sediadas no #ovo ).ico/
Com base nesse ar!uivo, e, mais im+ortante, com
base na a3ora lon3a e.+eri2ncia de >tuart Kearns
nesse ramo de investi3ação, o 3overno nunca
-avia +recisado se +reocu+ar muito com a!uele
cara/ Era !uase como se anos atr@s as autoridades
tivessem decidido +rend2Clo, mas nunca souberam
e.atamente como/ Ele não +arecia +eri3oso,
a+enas um falastrão e encren!ueiro/ as, ,eus
sabe, coisas mais estran-as tin-am acontecido/
Ho=e em dia o cabo de 3uerra entre a se3urança
nacional e a liberdade individual estava se
tornando uma batal-a +erdida +ara os defensores
das liberdades civis/ ' coisa foi acontecendo aos
+oucos9 vistas em se+arado, cada +e!uena derrota
da liberdade e da +rivacidade soava como uma
medida de +roteção sensata/ " efeito era
cumulativo/ Ho=e at) mesmo os +ol6ticos mais
liberais estavam defendendo abertamente a ideia
de detenção +reventiva de sus+eitos de
terrorismo* basicamente, a +risão +or tem+o
indeterminado, sem acusações formais ou
=ul3amento, tudo +or causa de coisas !ue no fim
das contas +odiam não +assar de crimes su+ostos/
Em )+ocas mais sim+les a +resunção de inoc2ncia
era uma doutrina admir@vel, embora na +r@tica
tivesse sido no m@.imo a+licada de maneira
desi3ual L era mais um ideal a ser alcançado do
!ue um dos alicerces da =ustiça norteCamericana/
Em anos recentes a o+inião +Jblica cada ve4 mais
a+avorada tin-a a+rovado a sistem@tica
substituição desse conceito sa3rado +or outro,
es+ecialmente !uando se tratava de certos 3ru+os
de +essoas e crimes* na dJvida, +rendam todo
mundo/
?resa +or um cli+e ao ar!uivo, -avia uma
foto3rafia de W . &% do -omem em !uestão, tirada
na noite anterior, !uando ele com+arecera a uma
es+)cie de reunião de e.trema direita/ Ele tin-a se
en3alfin-ado com os +oliciais, e foi nesse
momento !ue >tuart recebeu um telefonema tarde
da noite9 uma +eçaCc-ave de um im+ortante
!uebraCcabeça estava +restes a cair em seu colo/
' es+erança era !ue o su=eito estivesse
interessado em a=udar seu +a6s9 caso não
estivesse, a estrat)3ia alternativa era fa42Clo ficar
suficientemente deses+erado +ara !uerer a=udar a
si +r8+rio/
Tr2s carcereiros se a+ro.imaram da +orta aberta
tra4endo um +risioneiro fortemente al3emado e
a3ril-oado/ Ele mal +odia camin-ar so4in-o, ou +or
causa dos efeitos da fadi3a ou do 8bvio estado
f6sico, uma ve4 !ue fora alvo dos com+an-eiros de
cela durante a noite, ou +or causa de ambos/
"s carcereiros entraram e +useram o +reso
sentado e al3emado : cadeira, =o3aram dentro de
uma das 3avetas do arm@rio de metal uma sacola
com os +ertences dele9 de+ois de um meneio de
cabeça e de +osse da assinatura do novo
res+ons@vel +ela cust8dia do detento, sa6ram sem
di4er uma +alavra/
' cabeça do -omem estava inclinada, seu !uei.o
enterrado no +escoço/ >em os braços da cadeira
mantendoCo em +osição vertical ele
+rovavelmente teria se esborrac-ado de cara no
c-ão/
L,aniel Carroll BaileyO
'o ouvir o som de seu nome ele teve um
sobressalto, como se tivesse sido subitamente
acordado de um +esadelo/ ' al3ema +resa ao
+ulso estalou e esticou !uando ele se encol-eu
todo, como se estivesse es+erando outra botinada
na cabeça/ Ele +arecia em +)ssimo estado, mas,
de+ois de tomar um ban-o, teria condições de
via=ar, e isso era bom +ara o crono3rama/ 'l)m
dos cortes e -ematomas, a falta de sono era o
+rinci+al +roblema, mas isso +oderia ser
com+ensado com o descanso no avião/
L1oc2 ) o meu advo3adoO L +er3untou Bailey/
's +alavras sa6ram !uase inaud6veis e não muito
bem articuladas/ ' mand6bula estava inc-ada, os
ol-os fa4iam força +ara ac-ar o foco9 uma das
orel-as estava com o l8bulo ras3ado, resultado de
uma mordida ou do roubo de um brinco/ 'ntes de
ser tra4ido al3u)m tin-a feito um +)ssimo trabal-o
lim+ando o san3ue ressecado em volta do nari4 e
da boca, mas talve4 fosse necess@rio +assar +or
um e.ame m)dico de verdade antes de se3uirem
+ara o aero+orto/
L#ão, não sou advo3ado/
LQuero meu telefonema/ #ão me dei.aram dar
meu telefonema/
L?ode dar seu telefonema a3ora se !uiser, e
c-amar um advo3ado/ V direito seu/ as, se
decidir se3uir essa lin-a, !uero te dar um aviso/
Estou a!ui em nome de uma alta autoridade9 a
maior de todas/ ?ara di4er a verdade, com seus
antecedentes, as acusações de ontem : noite e
em es+ecial L deu uma batidin-a na +asta a sua
frente L as +rovas de uma investi3ação federal
em andamento, o mel-or !ue um advo3ado vai
conse3uir +ara voc2 ) uma +ena de &U a $% anos
em um lu3ar bem +ior do !ue este a!ui/ Dsso )
fato/ as não +recisa ser assim, ,anny/
0entamente o -omem +areceu recobrar os
sentidos, ou +elo menos uma dose suficiente de
inteli32ncia +ara entender o !ue tin-a diante de si/
LQuem ) voc2O
>tuart Kearns mostrou sua identificação, de+ois
tirou do bolso um cartão e o fe4 desli4ar at) a
outra +onta da escrivanin-a/
L Ten-o oito +alavras +ara voc2, e a+osto !ue
voc2 nunca +ensou !ue ficaria tão feli4 de ouviClas
L o a3ente anunciou/ L >ou do 3overno, e estou
a!ui +ara a=udar/
Ca$%tu"o &9
?elo intercomunicador, veio o anJncio de !ue a
aeronave
tin-a alcançado a altitude de cru4eiro de [[ mil
+)s, e, +ara salientar a not6cia, o aviso luminoso de
#f" (NE acendeu com um tinido discreto/
(oi um belo efeito, mas em um =ato da!uele
taman-o o coC+iloto +oderia ter sim+lesmente
virado o cor+o e dado um berro +ara atuali4ar
+essoalmente os dois solit@rios +assa3eiros acerca
do +ro3resso do vTo/
>tuart Kearns tirou de um dos bolsos do +alet8 um
maço de ,un-ills9 de outro bolso, sacou um
is!ueiro, abai.ou um +ouco sua +oltrona e
acendeu um ci3arro/ ,eu uma boa tra3ada, de+ois
so+rou um fino e branco c6rculo de fumaça, !ue
ficou ol-ando at) !ue se dis+ersasse no teto da
cabine/
L" !ue voc2 est@ fa4endoO
,anny Bailey tin-a acabado de acordar de um
coc-ilo e encarava o ci3arro aceso como se
estivesse +resenciando um assalto a banco/
L'inda se +ode fumar em um vTo fretado/ #este
a!ui, +elo menos/ L Kearns estendeu o maço, deu
um +i+arote !ue fe4 a+arecer a metade de um
ci3arro/ L 1amos, +e3ue um, voc2 sabe !ue !uer/
L?arei fa4 cinco anos/
Lgltima c-ance/ #ão ) todo dia !ue voc2 recebe
autori4ação +ara infrin3ir as re3ras/ L Bailey não
se moveu, então Kearns 3uardou os ci3arros no
bolso/ L Ei, !uantos anos voc2 tem, mesmoO
LTen-o <[/
L#a d)cada em !ue voc2 nasceu um -omem
ainda +odia fumar em !ual!uer voo do +a6s, d@
+ara acreditarO
LEscute, !ual ) mesmo seu nomeO
LKearns/ >tuart Kearns/
LDsso/ '3ente Es+ecial Kearns/ Bom, escuta a!ui,
>tuart, eu estou contente de ter sa6do da cadeia,
mas não me sinto e.atamente livre/
Ele concordou com a cabeça/
LCerto/
LCerto/ Então, sem !uerer ofender, não -@ motivo
+ara voc2 se esforçar fin3indo !ue ) meu ami3o/
Então vamos ficar s8 nos ne38cios/ " !ue voc2
ac-a de curtir seu ci3arro e de+ois me di4er o !ue
+reciso fa4er +ara ir embora +ara casaO
#ão era um +lano muito elaborado9 nem +odia ser
!uando o sucesso de+endia do desem+en-o de
um informante sob coerção/ Em uma missão
secreta, se al3uma coisa +ode dar errado,
3eralmente d@/ Quanto mais direto o +lano,
mel-or/ " ideal ) manter tudo sim+les e se3uro/
" alvo da o+eração eram membros de uma mil6cia
de terceira cate3oria !ue alimentavam o dese=o de
3an-ar renome e.ecutando um ato de terrorismo
dom)stico/ Estavam no mercado em busca de
financiamento, a+oio lo36stico e armamento
+esado/ >e tudo desse certo, a Jnica coisa !ue
conse3uiriam no final era ir +ara a +risão/
,anny Bailey entraria em cena +ara +artici+ar do
+rimeiro encontro +essoal, o !ue daria uma aura
de credibilidade ao es!uema9 no momento, ele era
o mais +r8.imo !ue o movimento clandestino
?atriota tin-a de um +ortaCvo4/ Em ess2ncia,
Bailey bancaria a "+ra- do ,r/ ?-il de Kearns/
' o+eração seria r@+ida, e.i3ido uma lon3a e
cuidadosa +re+aração/
'l3uns anos antes, os caras do setor de Tecnolo3ia
da Dnformação do (BD tin-am colocado no ar o
>e'site HHH/stuartkearns/com/ ' -ist8ria +or tr@s do
site era a se3uinte* um a3ente federal tin-a sido
demitido de+ois de tentar dar com a l6n3ua nos
dentes e revelar al3umas verdades +eri3osas/
'+8s sucessivas ameaças de morte, esse a3ente
e.+ulso tin-a ficado furioso e foi : +Jblico na
internet, em uma tentativa de se +rote3er de
re+res@lias e de continuar sua cru4ada +ara contar
detal-es sobre a intenção de forças mali3nas de
causar um cola+so financeiro 3lobal e criar
condições +ara a ascensão de um 3overno mundial
Jnico/
"s vilões 3lobais mencionados no site eram um
a+an-ado tirado do cat@lo3o mais recente de
todas as +aran8ias e.tremistas* sionistas, fam6lias
reais, o (D e o Banco undial, os Rotsc-ild e
Rockfeller, o Clube de Bilderber3, os maçons, os
membros do Bo-emian 7rove
$&
9 o 1aticano/ Era
um circo, e esse era o +onto/ "s mecanismos de
busca lo3o começaram a a+ontar o site como um
dos $% destinos mais +rocurados de todos os ti+os
de malucos e curiosos/ E o flu.o de visitas ficou
bastante intenso/
,esde a +@3ina de abertura era evidente !ue o
site não era um lu3ar +ara milicianos medrosos, de
sof@/ "s discursos bomb@sticos, te.tos, linJs,
v6deos, documentos, filmes e f8runs de discussão
mantidos +elo e.Ca3ente federal, convertido em
?atriota fict6cio, dei.avam bem claro !ue
acreditava !ue uma insurreição violenta e um
conflito armado eram os Jnicos camin-os +ara
recolocar as coisas nos ei.os nos EN'/
" site e seu conteJdo inflamado formam o !ue, no
=ar3ão da cultura da internet, ) con-ecido como
troll0 #a +esca, trolling, ou +esca de corrico, ) um
ti+o de +escaria de an4ol !ue consiste em lançar a
lin-a en!uanto a embarcação desli4a +elas @3uas,
$&
Bo-emian 7rove, acam+amento locali4ado na Bo-emian 'venue, em onte
Rio, Calif8rnia, +ertencente a um clube +rivado con-ecido como Bo-emian
Club, onde todo ano se reJnem Adurante tr2s semanas de =ul-o\ al3uns dos
-omens mais +oderosos do mundo/ A#/ do T/B
fa4endo os +ei.es saltarem atr@s da isca, !ue, em
decorr2ncia da velocidade de deslocamento, fica :
su+erf6cie9
ou se=a, =o3aCse a lin-a e a es!uece, torcendo +ara
!ue al3o morda a lin-a/
Nma ve4 !ue -@ $%% mil-ões de sites na internet,
nin3u)m es+erava !ue o endereço
HHH/stuartkearns/com se tornasse um nome
im+ortante entre os diversos se3uidores de todos
os ti+os de 3ru+os/ " (BD e muitas outras a32ncias
mantin-am mil-ares de armadil-as semel-antes9
:s ve4es dava certo9 na maioria das ve4es não
dava em nada/
as, então, um dia um troll fis3ou um +ei.e, e,
desde o +rimeiro +u.ão, tudo indicava !ue seria
uma bela +escaria/
Nm novo 3ru+o de discussão -avia se formado em
uma sala de bateC+a+o reservada do site, sob o
t8+ico 5'ção ,ireta5/ "s membros começaram a
discutir a lo36stica do bombardeio da cidade de
"kla-oma, o atentado +er+etrado +or Timot-y
c1ei3- em &SSU, cu=o alvo fora o Edif6cio (ederal
'lfred ?/ urra-9 o !ue tin-a dado certo, o !ue
tin-a dado errado, e as v@rias teorias
cons+irat8rias !ue ainda 3iravam em torno do
evento e seus desdobramentos e conse!u2ncias/
Com al3um incentivo do moderador a discussão
evoluiu L al3uns +lanos !ue teriam mel-orado a
efic@cia dos ata!ues, outros alvos vulner@veis,
-omens, m)todos e materiais/ uita 3ente foi
saindo do f8rum : medida !ue a conversa foi
ficando mais s)ria, mas muitos +ermaneceram/
Esse Jltimo 3ru+o remanescente deu um +asso
adiante e +assou a +Tr em +r@tica tentativas de
bateC+a+os +or vo4 e troca de e(mails
cri+to3rafados9 assim, o !ue tin-a começado como
mera discussão 3an-ou a forma de um +lano
s8lido !ue de fato +odia ser e.ecutado/ ?or fim,
tr2s outros +artici+antes anTnimos ficaram com
medo e desistiram, dei.ando cinco +essoas
+rontas, dis+ostas e ca+a4es de cometer um
3rotesco ato de terrorismo dom)stico/
E a3ora era -ora de fis3@Clas/
L#ão são 3ente min-a L +rotestou Bailey/L1oc2
deve estar brincando comi3o, cara/ #unca mandei
nin3u)m usar viol2ncia/
LEu assisti aos seus v6deos, fil-o, e voc2 tamb)m
não di4 +ara não usarem/
L'-, !ual )/ L Bailey se recostou na cadeira,
balançando a cabeça/ L Eu +reciso e.a3erar um
+ouco s8 +ara tirar as +essoas da letar3ia/ 1oc2s
al3uma ve4 =@ leram a ?rimeira EmendaO 'ntes do
&& de setembro, Tom Clancy escreveu dois livros
sobre como os terroristas +odiam usar aviões
como armas/ 1oc2s o +renderam +or causa dissoO
L#ão, mas !uer saber de uma coisaO ?ode
a+ostar !ue ele foi c-amado +ara res+onder a
al3umas +er3untas/
L#ão sou o cara certo +ara isso/
LBom, ) s8 voc2 !ue eu ten-o/ 1oc2 ) um nome
im+ortante +ara essa 3ente/ Confie em mim, eles
vão acreditar no !ue voc2 disser, ) s8 disso de !ue
n8s +recisamos/ 1oc2 vai l@ e fa4 um afa3o neles,
di3a !ue me con-ece e !ue estou +reocu+ado,
ac-ando !ue -@ al3um a3ente infiltrado entre
eles///
L1oc2 est@ +reocu+ado com a +ossibilidade de
-aver um es+ião entre eles/ Que to!ue sutil/
L"bri3ado L a3radeceu Kearns/ L ,i3aCl-es !ue
+edi +ara voc2 falar comi3o antes de con-ec2Clos
+essoalmente/ 1ai ser le3al, acredite/ >8 essa
+rimeira reunião, e talve4 um contato de+ois/ V s8
isso !ue voc2 tem de fa4er/
L,e+ois eu estou liberado, e voc2 vai me dei.ar
em +a4O
L>e voc2 não se meter em encrencas, não -@
ra4ão +ara ter de lidar comi3o de novo/
L1ou +recisar disso +or escrito/
LE vai ter/ L Kearns a+a3ou o ci3arro no cin4eiro
da +oltrona/ L 1oc2 =@ fe4 al3uma +eça de teatro
na escolaO
L?or !u2O
L'l3umas +essoas ficam nervosas !uando
+recisam mentir, s8 isso/ #ão +reciso de uma
3rande +erformance, mas !uero saber se voc2
a3uenta a +ressão/ #ão v@ amarelar +ara cima de
mim/
L'-, voc2 !uer saber se eu consi3o en3anar um
bando de malfeitores bancando um +ersona3em
de !manhecer violento
55
na sala de estar delesO L
Bailey fe4 !ue sim com a cabeça, tirou os 8culos
escuros, +e3ou uma +asta !ue estava no colo de
Kearns e fuçou na +il-a de +a+)is at) encontrar
$$
Refer2ncia ao filme !manhecer violento 6<ed da>n, diri3ido +or Jo-n illius
em &SW[B, sobre um 3ru+o de estudantes !ue lutam contra a invasão de um
e.)rcito inimi3o em solo norteCamericano9 -@ uma refilma3em +revista +ara
$%&&/ A#/ do T/B
uma s)rie de foto3rafias/ L >entiu falta distoO L
ele !uis saber/
's fotos, datadas de meses antes, mostravam um
-omem vestido em uma convincente
+ersonificação do coronel >anders
$<
, com
cavan-a!ue, terno branco e uma 3ravataC
borboleta +reta/ #a +rimeira foto da +il-a,
a+arecia trocando um a+erto de mãos com um
caval-eiro de a+ar2ncia distinta, debai.o de um
enorme selo das #ações Nnidas/
LV voc2O L +er3untou Kearns/
L>ou eu/ L Bailey a+ontou +ara o -omem em +)
ao seu lado na foto/ L E este a!ui ) o >r/ 'li Treki,
+residente da 'ssembl)ia 7eral da "#N,
recebendo uma visita oficial de Estado do
fundador da Kentucky (ried C-icken, !ue na
ocasião =@ tin-a morrido fa4ia !uase <% anos/ "l-a
s8/ L Ele +e3ou a foto se3uinte/ L Ele me dei.ou
inclusive sentar na cadeira dele e bater o martelo/
L1oc2 fe4 isso !uando, ano +assadoO
LEstas fotos sa6ram no )aily Ne>s na!uela
semana/ (oi um 3ol+e +ublicit@rio +ara o meu ,1,
sobre a corru+ção na "#N, 5'bomi#ações Nnidas5/
Est@ es3otado, mas +osso arran=ar uma c8+ia +ara
voc2/
LComo voc2 +assou +ela se3urançaO
LQue se3urançaO ' se3urança me levou at) o
3abinete do +residente/ L Bailey sorriu/ L Todo
mundo ama o coronel/
LEssa foi boa L disse Kearns/
$<
Harland ,avid >anders, mais con-ecido como coronel >anders A&WS%C&SW%B,
foi o fundador da rede de lanc-onetes Kentucky (ried C-icken AK(C\, A#/ do T/B
L'-, >tuart/ #ão foi a+enas boa/ (oi boa 5+ra
cacete5P
'+esar das circunst;ncias, estava claro +or !ue as
+essoas se sentiam sedu4idas +or ,anny Bailey/
Ele era c-armoso, e tin-a certa suavidade e
doçura !ue atra6am e cativavam todo mundo,
como o talento de um 3rande vendedor !ue, sem
esforço, enrola e convence os com+radores do
+rimeiro ao Jltimo minuto/ #o trabal-o de um
a3ente infiltrado, essa -abilidade era mais valiosa
do !ue +odia +arecer : +rimeira vista/ >e as coisas
começassem a dar errado, :s ve4es era essa
es+erte4a L e não uma arma de fo3o L !ue +odia
tirar o es+ião de uma situação em !ue, do
contr@rio, acabaria morto/
Kearns concordou com a cabeça e +e3ou de volta
a +asta, +ensando !ue devia reservar mais tem+o
+ara e.aminar o ar!uivo de novo com mais calma/
Era n6tido !ue na!uele =ovem -avia mais coisas do
!ue +odiam ver os ol-os/
Ca$%tu"o &:
;acon0
" olfato ) o mais +rimitivo dos cinco sentidos
b@sicos/ ,iferentemente da visão, da audição ou
at) mesmo do tato, um aroma +ode des+ertar
diretamente as emoções mais indomadas, sem as
eta+as intermedi@rias e.i3idas +elas +artes mais
inteli3entes do c)rebro/ 'doraCse ou odeiaCse um
c-eiro9 ) +ara esse ti+o de est6mulo +uro !ue o
nari4 foi +ro=etado/ 'ssim, em meio a todos os
outros +ensamentos mais +rofundos !ue
+ovoavam a mente de #oa- no momento em !ue
ele acordava, o 'acon sobre+u=ava tudo, dis+arava
na frente e era o +rimeiro a cru4ar a lin-a de
c-e3ada/
"utros aromas maravil-osos de comida caseira,
obri3ando #oa- a evocar as mel-ores man-ãs de
sua inf;ncia, vin-am em ondas, flutuando atrav)s
dos cTmodos do a+artamento/ Ele não viu olly,
embora no amontoado de cobertas ao seu lado
ainda fosse evidente um sedutor es+aço em forma
de mul-er/
Ele +u.ou a colc-a e, com os ol-os ainda
semicerrados, ol-ou de relance +ara o rel83io na
+arede o+osta* [-<U, mas não sabia se era a
madru3ada do dia se3uinte ou a tarde do mesmo
dia/ Talve4 demorasse todo o fim de semana +ara
seu rel83io biol83ico voltar ao normal/
Ele vestiu o rou+ão e abriu as cortinas do !uarto/
" tem+o estava nublado e o sol estava bai.o9
então, ainda era s@bado/
L(inalmente acordouO L ele ouviu a vo4 dela,
=unto : +orta/
L>im/ L Quando ele se virou, viu !ue ela =@
estava vestida/ L ?elo visto voc2 encontrou a
lavanderia/
L>a6 e com+rei al3umas coisas/ >ua 3eladeira
estava imaculadamente lim+a e muito va4ia/
LEu sem+re como fora/
LBom, +re+arei uma coisin-a +ara voc2/ L Ela
sorriu/ L Nm caf) da man-ã de anivers@rio
atrasado/ 1en-a comer en!uanto ainda est@
!uente/
"s dois se sentaram =untos : sala iluminada/ Ele se
concentrou na comida, en!uanto ela retomava as
+alavras cru4adas do =ornal 3&nday ?imes0
L1oc2 3osta de =o3os com +alavrasO
LEu adoro/
LBem, se tiver dificuldades e +recisar de a=uda,
me avise/ #ão !ue eu se=a bril-ante, mas, !uando
criança, eu +artici+ava de concursos de soletrar/
LNau/ Que C,(/
LV/ Eu amadureci tarde/
L '!ui tem uma +alavra com+rida/ 5Estudioso,
es+ecialista ou amante de vin-os/5
Ele +ensou +or al3uns momentos/
LConnoisse&r0
Ela contou os !uadradin-os com a +onta do dedo e
balançou ne3ativamente a cabeça/
L#ão d@/ 1oc2 não +recisa de && letras, ) muito/
L1oc2 devia ter me falado isso antes/
L,escul+e/
LTente//// sommelier0
L#ão d@, eu +reciso de sete letras, e esta semana
tem um tru!ue/ Todas as +alavras começam com a
+rimeira letra da +ista/ Então, 5Estudioso,
es+ecialista ou amante de vin-os5/// a +alavra tem
de começar com 5e5/
LEssa teria sido uma informação bastante Jtil,
uns vinte se3undos atr@s/ 1oc2 não est@ me
a=udando a te a=udar, olly/
L>8 estou tentando te dei.ar mais -umilde/
Ele terminou o caf) e +ousou a .6cara/
LV en8filo/
Ela ol-ou +ara ele com e.+ressão c)tica/ Ele
soletrou a +alavra/
LECnC8CfCiClCo/ '!uele !ue 3osta de vin-os/
Ela +reenc-eu os !uadradin-os um a um,
me.endo os l@bios e +ronunciando sem som as
letras, com os ol-os atentos :s +istas das outras
entradas/ #oa- +ensou !ue +odia +assar o dia
inteiro contem+lando a!uela mul-er en!uanto ela
se entretin-a com a!uela atividade sim+les/
LEu teria adivin-ado esta L ela disse bai.in-o/
L1oc2 sabe, se voc2 3osta de =o3os de +alavras,
eu ten-o um em+re3o mel-or +ara voc2 no
escrit8rio/
L(a4 um tem+o !ue eu !ueria conversar com
voc2 sobre uma coisa/ L Ela se levantou e levou o
+rato va4io e os tal-eres +ara a +ia/
LT@ bom/ 1amos conversar/
L#ão vou ficar muito tem+o na cidade/
L?or !u2O
L?or!ue não/ Havia umas coisas !ue eu !ueria
fa4er, a3ora =@ fi4/ Então eu vou embora/
Ele se recostou na cadeira/
LQuando est@ +ensando em ir emboraO
L0o3o/ L ' atitude dela tin-a mudado
abru+tamente, como se estivesse em uma
discussão !ue ela não !ueria +rolon3ar/
L"l-a s8, eu não !uis insinuar nada !uando
mencionei o em+re3o, sei como voc2 se sente em
relação :!uele lu3ar/
L1oc2 não disse nada errado/
LTudo bem/
Ela se manteve ocu+ada +or al3uns minutos na
co4in-a, lavando a louça, re+endurando as
+anelas, arrumando tudo, mas lo3o voltou a se
sentar de frente +ara #oa-, esticou o braço e
se3urou a mão dele/
L'nimeCse L ela +ediu/ L 1@ se arrumar, e me
em+reste um casaco/ 'c-o !ue a 3ente devia sair
+ara uma camin-ada/
Quando ele voltou do !uarto, olly estava
novamente sentada : mesa, e se3urava nas mãos
um !uadro, uma fol-a de +a+el emoldurada/
L" !ue ) isto a!uiO L ela +er3untou/
LEra um e.erc6cio de cali3rafia, da min-a !uinta
s)rie/ L Ele +u.ou uma cadeira e se sentou ao
lado dela/ L 'c-o !ue -o=e em dia nem ensinam
mais isso na escola, ensinamO Cali3rafia/ L Ela
inclinou o !uadro +ara ler mais claramente/ L '
+rofessora +ediu +ara 3ente escrever al3uma
coisa de !ue a 3ente 3ostava, obviamente com a
letra mais bonita e ca+ric-ada !ue a 3ente
conse3uisse fa4er, e este era o +oema favorito do
meu +ai, +elo menos a Jltima +arte/
#a e.tremidade su+erior estava a +rimeira
estrelin-a dourada Aa +rimeira nota 5'5B !ue ele
-avia recebido na nova escola, +erto da nova casa,
no ano em !ue tudo tin-a mudado/ ?ara celebrar a
ocasião, uma de suas bab@s -avia mandado
emoldurar o trabal-o escolar/ Quando ele se
mudou +ara o a+artamento, os -omens da
trans+ortadora -aviam colocado o !uadro sobre
uma mesa no estJdio, mas ele tin-a certe4a de
!ue fa4ia anos !ue não ol-ava com atenção +ara
a!uilo/ E nem era certo di4er !ue se tratava do
+oema favorito do +ai9 estava mais +ara uma
=ustificativa da vida do vel-o em forma de versos/
" +ai tin-a instru6do #oa- a estudar o +oema +ara
!ue sem+re soubesse como as coisas funcionavam
em seu mundo/
#oa- +e3ou a moldura, +assou o dedão +ara tirar
a +oeira do vidro e leu em vo4 alta os versos*
?om'aram então os )e&ses do Mercado e
rec&aram se&s 'r&xos de l='ia s&til0
E mesmo os coraçDes mais cr&éis se tornaram
h&mildes e começaram a acreditar I&e era
verdade I&e nem Q?&do I&e rel&: é o&roQ e I&e
Q)ois e dois são I&atroQ
E os )e&ses dos ca'eçalhos dos cadernos se
erg&eram, cla&dicantes, para explicar mais &ma
ve:0
O&e o f&t&ro ser= como foi o nascimento do
Fomem0
F= apenas I&atro certe:as desde I&e começo& o
progresso social
O&e o Cão retorna ao se& M@mito e a Porca ao se&
RodoH I&e o dedo I&eimado do ?olo retorna,
trKm&lo, ao +ogo0
E depois I&e isso se reali:ar e tiver inScio o
admir=vel m&ndo novo,
O&ando todos os homens serão pagos por existir e
nenh&m homem precisar= pagar por se&s
pecados, !ssim como é certo I&e a Tg&a nos
molha e o +ogo nos I&eima,
4s )e&ses dos Ca'eçalhos dos Cadernos
retornarão com terror e massacre
58
0
$[
" t6tulo do +oema ) 5T-e 3ods of t-e co+ybook -eadin3s59 no tem+o de
Ki+lin3 os estudantes +raticavam cali3rafia usando cadernos de e.erc6cios
es+eciais/ #o to+o da +@3ina desses cadernos -avia +rov)rbios, m@.imas e
ditados em cali3rafia e.em+lar, a ser co+iada +elos alunos/ 's frases eram
con-ecidas como copy'ooJ headings Acabeçal-os de cadernoB/ A#/ do T/B
Quando #oa- terminou de ler, os dois ficaram em
sil2ncio/ Ele +arecia ter ficado um +ouco abalado
ao rever a!uelas +alavras/ olly tamb)m deve ter
sentido a mudança, ela tirou a moldura das mãos
dele e colocouCa sobre a mesa/
LQuem escreveu istoO L ela +er3untou/
LRudyard Ki+lin3, em &S&S/ #ão ) uma de suas
obras mais con-ecidas/ Ele tin-a +erdido o fil-o na
3uerra e tamb)m a fil-a al3uns anos antes, e ac-o
!ue não estava nada feli4 com o rumo das coisas
no mundo/ Estas são a+enas as Jltimas estrofes do
+oema9 ) o !ue cabia na +@3ina/
LCoisa bastante +esada +ara um menino de &%
anos/
LV/ #ão ) 4 livro da selva0
LE o !ue voc2 ac-a !ue o seu +ai !ueria te di4er
com issoO
LEle me disse !ue o si3nificado do +oema era !ue
a -ist8ria sem+re se re+ete, !ue os mesmos erros
são cometidos de novo e de novo, s8 !ue ficam
cada ve4 maiores/ " -omem s@bio ) a!uele !ue
sabe !ue, se não d@ +ara mudar isso, ) mel-or
então tirar o m@.imo de vanta3em das coisas/ as
+ara mim si3nifica outra coisa/
LE o !ue )O
LV um alerta, eu ac-o, sobre o !ue acontece
!uando se es!uece o bomCsenso/ 1oc2 tem de ler
o +oema inteiro +ara entender/ 'c-o !ue !uer
di4er !ue e.iste realmente uma coisa c-amada
verdade, a verdade real e ob=etiva, !ue as +essoas
+odem ver desde !ue ol-em direito e desde !ue
se lembrem de !uem realmente são/ as na maior
+arte do tem+o elas abrem mão disso e +referem
acreditar em todas as mentiras/
L'+osto !ue seu +ai ficaria dece+cionado ao ouvir
isso vindo de seu +r8+rio fil-o/
L>abe de uma coisaO >e um dia tivesse a
cora3em de di4er isso +ara ele, ten-o certe4a de
!ue ficaria, sim/
#o fim das contas sair de casa foi mesmo uma boa
id)ia/ " cor+o de #oa- ainda estava dolorido +or
causa das +ancadas da noite anterior, como as
dores !ue a 3ente s8 sente dias de+ois de sofrer
uma colisão traseira, mas o ar frio da cidade e o
e.erc6cio estavam a=udando a aliviar um +ouco
essas dores residuais/
'o lon3o do camin-o os dois iam conversando um
+ouco, mas na maior +arte do tem+o era um
+asseio silencioso9 contudo, os momentos de
sil2ncio nada tin-am de tensos ou
constran3edores/ Ele se sentia tran!uilo e :
vontade na com+an-ia dela, como se uma
conversa estivesse sem+re em andamento, s8 !ue
+ronunciada de outras formas/ olly camin-ava
bem +erto de #oa-, :s ve4es com ines+erados
3estos de intimidade casual* um braço em volta da
cintura dele +or meio !uarteirão, um dedo
en3anc-ado na fivela do cinto !uando
atravessavam no sinal vermel-o uma rua
movimentada, a +alma da mão levada ao rosto
dele !uando l-e falava al3o ao +) do ouvido de
modo a vencer o barul-o do tr;nsito/
#a Rua [< com a >)tima 'venida, olly aos
+oucos diminuiu o +asso e de+ois +arou bem no
meio do alvoroçado flu.o de +edestres/
's +essoas di4em !ue o +rimeiro bei=o a 3ente
nunca es!uece, mas não era o caso de #oa-/ 's
coisas su+erficiais não t2m em si +eso suficiente
+ara se converterem em lembranças duradouras/
?ara ele o +rimeiro bei=o =@ tin-a desvanecido e
a3ora se confundia com o cent)simo, de+ois de ter
3radualmente se a+a3ado em meio a mir6ades de
rostos, nomes e situações !ue se amal3amavam
em um Jnico evento, a3rad@vel, va3o e coletivo/
Nm +e!ueno estremecimento de emoção, uma
ameaça de embaraço, a!ueles breves e doces
se3undos de afobada descoberta com+artil-ada
com outra +essoa, e uma moment;nea noção do
!ue o futuro imediato +odia oferecer, +or mais
fu3a4 !ue esse momento fosse/
'!uele bei=o não foi assim/
olly ol-ouCo nos ol-os, e o !ue ele viu nela foi um
refle.o +erfeito de um dese=o !ue ele tamb)m
sentia, +or isso não -ouve demora al3uma entre o
convite e a aceitação/ Era uma es+)cie de dese=o
diferente do !ue ele tin-a con-ecido antes, uma
com+reensão de !ue al3o tin-a de ser dito a3ora e
!ue nen-uma l6n3ua, somente a mais anti3a de
todas, seria ca+a4 de e.+ressar/ Ele inclinou o
cor+o na direção dela, fec-ou os ol-os e seus
l@bios tocaram os dela, delicadamente, e de+ois
de novo, com mais ur32ncia/ #oa- sentiu os
braços de olly em volta de seu cor+o, e no
abraço sentiu !ue o cor+o dela ansiava +elo dele9
sentiu dentro de si um n8, uma sensação de fome,
o coração dis+arado9 nas suas costas, sob o calor
do casaco, as mãos 3eladas de olly vascul-avam
sua +ele, a+ertandoCo +ara ainda mais +erto/
Em torno deles, ali em +) na 5es!uina do mundo5,
-avia tanta coisa +ara ver e ouvir* letreiros
luminosos arro=ados, telas 3i3antes, +ain)is
eletrTnicos e.ibindo not6cias, anJncios de
+ro+a3anda, bril-antes maravil-as di3itais
encimando os arran-aCc)us e manc-ando o c)u
noturno9 todas essas coisas desa+areceram,
devolvidas a sua le36tima insi3nific;ncia, triviais
como um cartãoC+ostal/ '!uele lu3ar ficou de fora
do +e!ueno c6rculo no !ual #oa- e olly estavam
e dentro do !ual teriam ficado +ara sem+re/ as
ele sentiu nos l@bios !ue olly a3ora sorria* os
dois foram tra4idos de volta ao lu3ar em !ue
efetivamente estavam +ela vo4 r6s+ida de um
-omem !ue +assou +or eles e os aconsel-ou, com
o sota!ue t6+ico dos moradores do Brooklyn, a
5arran=ar um !uarto5/
Nma leve 3aroa tin-a começado a cair, e descendo
a rua eles encontraram um caf) com dois lu3ares
=unto : =anela, onde +odiam es+erar +assar o
c-uvis!ueiro/ Quando ele voltou do balcão
tra4endo duas canecas, encontrou olly sentada
com um =ornal dobrado9 ela não estava lendo, mas
+arecia +erdida nos +r8+rios +ensamentos/
L#oa-O
LEu =@ estava +reocu+ado, ac-ando !ue voc2
tin-a es!uecido !ue eu estou a!ui/
olly res+irou fundo e +areceu se recom+or/
L?reciso +er3untar uma coisa/
LTudo bem/
L>e n8s contrat@ssemos voc2s, sua firma, o !ue
voc2 nos diria +ara fa4erO
Ele fran4iu a testa/
L1oc2 !uer di4er voc2 e sua mãeO
LV mais do !ue n8s duas, voc2 sabe disso/ uito
mais/
L#ão sei/ L ele res+ondeu/ L Qual ) o ob=etivo
de voc2sO
LQueremos salvar o +a6s/
L'-, t@/ >8 issoO
LV assim !ue a 3ente começa, não )O Com um
ob=etivo claro/
LCerto/
LE entãoO
LTudo bem/ e d2 um minuto +ara +ensar/
olly tin-a ficado e.tremamente s)ria9 a!uilo não
era +a+oCfurado/ En!uanto es+erava, não tirou os
ol-os de #oa-/
L'c-o !ue eu começaria me reunindo com os
diferentes 3ru+os e tentaria fa4er todo mundo se
concentrar nos +ontos de consenso L as coisas
fundamentais/ Nma +lataforma, sabeO 'ssim
ficaria mais f@cil +ara as +essoas entenderem o
!ue voc2s !uerem/ ?ro+on-am al3umas soluções
de verdade/
Le d2 um e.em+lo/
LEu não sei/ Comecem com o c8di3o tribut@rio, =@
!ue a sua mãe fala disso com tanta veem2ncia/ "
!ue me di4 de um con=unto de cortes de 3astos
es+ec6ficos e um im+osto fi.o de &<_ +ara
começarO Redu4am a!uele rid6culo c8di3o
tribut@rio de ]R mil +@3inas +ara cinco ou seis
itens, e mostrem e.atamente !ue efeitos isso vai
ter no com)rcio, no em+re3o, nas d6vidas e no
futuro do +a6s/ E estou falando de im+roviso a!ui,
mas !ue tal uma verdadeira reforma da +ol6tica de
imi3raçãoO " ti+o de +ol6tica !ue receba bem as
+essoas !ue !ueiram vir +ara c@ +elas ra4ões
certas/ #ão ten-am medo de tratar das 3randes
!uestões, e façam as +essoas +erderem o medo/
(alem sobre um futuro mel-or, sabeO #o nosso
ramo a 3ente c-ama isso de discurso de elevador*
como voc2 faria +ara e.+licar suas ideias, +ontos
de vista, soluções e benef6cios +ara uma +essoa
descon-ecida se dis+usesse a+enas do tem+o de
uma via3em de elevador/ Em outras +alavras,
comecem com uma +lataforma/ ?elo menos assim
voc2s +odem começar a falar com uma s8 vo4 de
ve4 em !uando/ 'final voc2s não t2m +oder
+ol6tico/
LE de+oisO
Ele er3ueu as mãos/
LCalma a6/
L#ão/ E de+oisO
L1oc2 +ercebe !ue talve4 este=a me +ondo um
+ouco na berlindaO L #oa- tentou bebericar o
caf), mas se !ueimou/ 'inda estava !uente
demais/ L E, ali@s, o !ue voc2 !uer di4er com
5salvar o +a6s5O >alvar do !u2O
Ela ol-ou +ara ele calmamente/
L1oc2 sabe/
L'-, !ual ), olly/ ?or favor, não me di3a !ue
voc2 ) uma da!uelas +essoas/ Eu sei !ue voc2 não
)/
LEu sei !ue -ouve uma reunião ontem : tarde no
escrit8rio L ela disse, abai.ando a vo4, mas não a
intensidade/ L Eu vi a lista de convidados nos
+edidos de comida/ Eu sei !uem estava l@/ Eu sei
!ue voc2 estava l@/ E eu ac-o !ue sei do !ue se
tratava/
LTudo bem, sim, 3rande sur+resa, -ouve uma
reunião, mas eu não fi!uei na sala o tem+o todo/ E
!uer saber de uma coisaO #em eu sei do !ue se
tratava, como voc2 sabeO
LEntão vamos descobrir/
L" !u2O
L?rove !ue eu estou errada/
L#ão +osso fa4er isso/
L>im, voc2 +ode/ 1amos +ara o escrit8rio a3ora, e
voc2 me mostra !ue eu não ten-o motivos +ara
me +reocu+ar/ >e for esse o caso, ) assunto
encerrado/
L1oc2 não est@ me escutando, eu disse !ue não
+osso/
L1oc2 faria se soubesse !uanto isso ) im+ortante/
L#ão, não faria/ H@ muitas coisas !ue eu faria +or
voc2, mas isso eu não +osso fa4er/
LQuando ) !ue voc2 vai crescer, #oa-O Eu sei
!ue voc2 não ) o seu +ai, mas a +er3unta )* !uem
) voc2O 'c-o !ue voc2 sabia a res+osta !uando
estava na !uinta s)rie, mas a3ora es!ueceu !ue =@
) -ora de ser -omem/
LEu sou -omem, olly, mas não vou arriscar tudo
a troco de nada/
L1oc2 !uer !ue eu v@ emboraO L ' vo4 dela era
firme, e a3ora l@3rimas -aviam brotado em seus
ol-os/ L #unca mais !uer me verO ?or!ue ) isso
!ue sua recusa si3nifica/
'3ora eles estavam começando a c-amar a
atenção das +essoas nas mesas ao lado/
LDsso ) inacreditavelmente in=usto/ 1oc2 ouviu o
!ue acabou de di4erO #ão +osso acreditar !ue
voc2 ten-a me +osto em uma +osição dessas/
as ele =@ a -avia +erdido/ Ela se levantou
en!uanto ele ainda falava, de+ois virou as costas e
saiu +orta afora/
#oa- ficou ol-ando +elo vidro e durante al3uns
se3undos alimentou a es+erança de !ue ela
mudasse de ideia e voltasse +ara seus braços e
tudo fosse +erdoado/ as, assim como se
a+ai.onar +or uma +essoa !ue se acabou de
con-ecer um dia antes, esse ti+o de coisa s8
acontece nos filmes/
Ela o dei.aria ali sentado/ Ela não voltaria/ Quando
ele decidiu o !ue tin-a de fa4er, olly =@ -avia
desa+arecido no mar de turistas de fim de semana
e fre!uentadores de teatros no coração da Times
>!uare/
Ca$%tu"o &;
C 1oc2 deve ter +erdido o =u64o h disse #oa- em
vo4 bai.a, falando consi3o mesmo/
olly estava bem atr@s dele, a+ertando com força
sua mão en!uanto ele a condu4ia +ara os fundos
de uma lo=a c-i!ue, entre e.+ositores, arm@rios,
araras e cabides com saias e blusas de 3rife/
L 1oc2 est@ fa4endo a coisa certa L ela
sussurrou/
Ele tin-a o+tado +or evitar o sa3uão da entrada
+rinci+al do nJmero U%% da Quinta 'venida9 l@
-avia muitas c;meras, sem mencionar o fato de
!ue o balcão da rece+ção re3istraria a visita no
fim de semana/ Nm elevador +rivativo levava ao
con=unto de escrit8rios de 'rt-ur 7ardner no $&
o
andar, e era +or ali !ue os dois estavam entrando/
" elevador em !uestão era ori3inalmente um
ascensor de car3a au.iliar, muito +ouco usado at)
sua lu.uosa conversão !uando a ,oyle F erc-ant
ali estabeleceu seus escrit8rios na d)cada de
&S]%/ as -avia um tru!ue* a entrada t)rrea do
elevador ficava no im8vel ao lado, cu=o in!uilino no
momento era uma lo=a de rou+as de 3rife de v@rios
andares/
"s funcion@rios sabiam !ue ocasionalmente
descon-ecidos muito bem vestidos +odiam ser
vistos entrando e saindo +elas +ortas de vaiv)m
de uso e.clusivo dos funcion@rios nos fundos da
lo=a/ ' ,F +a3ava ao locat@rio uma ta.a mensal
+or essa comodidade, e de ve4 em !uando
e.ecutivos assistentes escoltavam os clientes mais
reclusos da firma atrav)s dessa estran-a rota
+rivativa/ ' ideia de uma entrada semiCsecreta
acrescentava :s visitas : a32ncia uma dose
adicional de intri3a/
,urante o -or@rio normal de e.+ediente nos dias
de semana o +rotocolo era sim+lesmente mostrar
o crac-@ da em+resa e se3uir discretamente +ara
os fundos da lo=a, com o consentimento do 3estor/
Nma ve4 !ue, +ara o+erar o elevador era +reciso
ter um cartão ma3n)tico e uma c-ave restrita, não
-avia a necessidade de nen-um ti+o de verificação
adicional/
Contudo, era noite de s@bado, e #oa- e olly
estavam vestidos mais como estudantes
universit@rios do !ue como e.ecutivos/
Conse!ientemente, os dois foram alvo de um
minucioso escrut6nio !uando +assaram +ela lo=a, e
um dos se3uranças os se3uiu a uma dist;ncia
discreta at) o momento em !ue c-e3aram ao
corredor e entraram no elevador/ 'deus, tentativa
de não c-amar a atenção/
#oa- +assou o cartão e as +ortas se fec-aram,
de+ois inseriu a 3rossa c-ave cil6ndrica e a=ustou o
+ainel do elevador na função li3ar/ #ão -avia lin-a
vertical de botões +ara escol-er o andar9 a!uela
coisa somente subia e descia/ Com um cli!ue dos
rel2s eletroma3n)ticos e um sonoro 4umbido, o
elevador se +Ts em movimento/
#oa- observava em sil2ncio a +arede acima das
+ortas, no local em !ue devia -aver um +ainel
marcando os nJmeros dos andares, !uando olly
se a+ro.imou/
L"bri3ado, #oa-/
L#este momento não estou falando com voc2/
Ela tocou o +eito dele e +ousou a mão sobre seu
ombro/ Ele ol-ouCa nos ol-os/
LEs+ero estar errada/ Quero estar errada/ 1oc2
+recisa saber disso/ '3ora, +or favor, me +erdoe,
+elo menos at) a 3ente sair da!ui/
Ele desviou os ol-os, mas de+ois de al3uns
instantes concordou com a cabeça/
LTudo bem/
>8 -avia uma maneira de =ustificar uma ostensiva
falta de )tica nos ne38cios como a!uela* atribuir
suas ações a uma causa maior/ >e olly estivesse
certa, então uma linda, +or)m, idiossincr@tica
funcion@ria tem+or@ria da sala de e.+edição tin-a
identificado uma 3randiosa e unificada
cons+iração, ca+a4 de esma3ar as liberdades civis,
!ue -avia sido en3endrada na sala de reuniões de
uma a32ncia de relações +Jblicas/ "s benef6cios
dessa descoberta eram obviamente mais
im+ortantes do !ue as conse!u2ncias* +erder a
confiança do +ai, violar a es+artana cl@usula de
si3ilo e confidencialidade de seu contrato de
trabal-o, o !ue acabaria com sua carreira/ 'final
de contas, com o destino do mundo livre em =o3o,
a +ers+ectiva de +erder o em+re3o, ser
deserdado, +rovavelmente +rocessado e acabar na
+risão estava entre as menores +reocu+ações/
>e olly estivesse errada L e a!ui não -avia 5se5,
ela estava errada L, então suas ações estariam
=ustificadas, ela +ediria mil descul+as e =uraria
manter em se3redo a!uele fiasco L e talve4 ainda
-ouvesse uma c-ance de salvar o !ue restava do
fim de semana/
Nma an@lise racional fr@3il e inconsistente, talve4,
mas !ue no momento a=udouCo a evitar um
+ensamento mais +erturbador* de+ois de tudo !ue
ele tin-a visto nas Jltimas $[ -oras, no fundo ele
+recisava saber a verdade, tanto !uanto ela/
" elevador foi diminuindo a velocidade e +or fim
+arou9 as +ortas se abriram/
' sala do vel-o =amais ficava no escuro/ ,ia ou
noite, estava sem+re i3ual* iluminada e
imaculadamente lim+a, com um leve c-eiro de
fumo de cac-imbo, c-@C+reto e +olidor de +rata, e
3uarnecida com todas as re!uintadas e +reciosas
coisas/ ,as obras de arte na +arede aos +edestais
e anti3uidades e +e!uenas coleções de raridades
es+al-adas entre as estantes e +rateleiras de
livros9 +ara onde !uer !ue se ol-asse -avia al3um
ob=eto inestim@vel/ ?ara ele era menos um local de
trabal-o do !ue um tem+lo de meditação
silenciosa e um santu@rio de todas as formas de
felicidade !ue o din-eiro +odia de fato com+rar/
?oucos funcion@rios tin-am a o+ortunidade de +Tr
os +)s na!uelas salas e ver a!uelas +reciosidades,
mas olly s8 +arou diante da visão de uma coisa/
L" !ue ) istoO L ela +er3untou/
Ela estava ol-ando +ara uma escultura de
m@rmore sobre um +edestal em um canto, !ue o
+ai de #oa- encomendara -avia anos/ ' fi3ura
retratava uma estran-a am@l3ama de duas outras
obras de arte, a Est@tua da 0iberdade e o Colosso
de Rodes/ >8 de ol-ar olly teria c-e3ado a essa
conclusão9 o !ue ela !uis +er3untar foi* o !ue
si3nifica istoO
LV como o meu +ai v2 as coisas/// !uer di4er, as
+essoas* sociedades/ ' lei +ode at) servir a al3um
+ro+8sito su+erficial, mas s8 vai at) a6 L disse
#oa-, tocando a lança na mão es!uerda da
est@tua/ L C-e3a uma -ora em !ue a lei +recisa
ser substitu6da +ela força/ V s8 assim !ue as coisas
realmente são feitas/ #o fim das contas, as
+essoas !uerem isso9 elas são como ovel-as,
ficam +erdidas sem a ameaça da força +ara 3ui@C
las/ V isso !ue si3nifica/
Em sil2ncio olly ficou observando a est@tua +or
mais al3uns instantes, como se a estivesse
memori4ando/ ,e+ois res+irou fundo, camin-ou
at) a +orta, es+iou +ara se certificar de !ue não
-avia nin3u)m, virouCse e com um 3esto +ediu a
#oa- !ue a se3uisse/
L1amos acabar lo3o com isso/
Trabal-ar durante os fins de semana era uma das
muitas coisas !ue o +ai de #oa- via com maus
ol-os, o !ue obri3ava muitos dos funcion@rios mais
+romissores a manterem um se3undo escrit8rio
em casa/ Dsso +ermitia !ue cum+rissem as mais de
R% -oras de trabal-o semanais es+eradas ao
mesmo tem+o em !ue +areciam se su=eitar :
+ol6tica da em+resa/ Dsso tamb)m si3nificava !ue,
com sorte, #oa- e olly encontrariam o lu3ar
va4io durante seu ato de es+iona3em/
#o corredor central e ad=acente : sala de reuniões,
eles entraram na cabine @udioCvisual, onde os
ar!uivos da a+resentação estavam arma4enados/
olly ficou ao lado de #oa-, en!uanto ele
encontrava os ar!uivos no com+utador, di3itava as
sen-as e +re+arava a a+resentação +or meio de
um controle remoto/
Quando os dois entraram na sala de reuniões as
lu4es +ro3ramadas =@ tin-am diminu6do e am+las
telas brancas desciam circundando as +aredes/ "s
+ro=etores di3itais 4umbiam en!uanto recebiam as
informações, e lo3o de+ois as telas se acederam
com um slide introdut8rio/
#o começo, #oa- foi clicando e +assando
ra+idamente +or eles9 era a +arte !ue ele =@ tin-a
visto/ >8 fa4ia +ausas !uando olly +edia a ele
!ue +arasse +ara !ue absorvesse o conteJdo de
al3uma tela es+ec6fica/
>em o benef6cio de um +alestrante +ara e.+licar
as coisas, muitos dos slides eram dif6ceis de
entender/ 7r@ficos animados ilustravam v@rias
tend2ncias +ol6ticas e sociais, lin-as cronol83icas
+ontuavam o avanço rumo : con!uista de
ob=etivos não denominados, ma+as com re3iões
assinaladas se e.+andiam ou contra6am +ara
demonstrar mudanças não identificadas ao lon3o
de meses, anos ou d)cadas/
L ?are L +ediu olly/ L 1olte um/
'3ora os dois =@ tin-am avançado bastante e visto
boa +arte da a+resentação, muito al)m do +onto
em !ue #oa- abandonara a reunião, mas +ara ele
nada +arecia +articularmente assustador ou
c-ocante/ Ele +assou voando +or uma tela !ue
olly +ediu +ara rever/ Era uma lista de itens
introdut8ria +ara o 3ru+o de +essoas muito
im+ortantes !ue tin-am c-e3ado +ara +artici+ar
da metade final da reunião/
" t6tulo era 5'rcabouço e (undação* ?ara uma
#ova Constituição5/ #ão -avia nomes
acom+an-ando os t8+icos, a+enas as @reas do
3overno !ue cada novo +artici+ante da reunião
su+ostamente re+resentava*
• (inançasXTesouroX(edXKall >treetXEi.o
Cor+orativo
• Ener3iaXeio 'mbienteX>erviços >ociais
• Trabal-oXTrans+orteXCom)rcioX'ssuntos
Re3ulat8rios
• EducaçãoXControle da
6diaXCleroXC"D#TE0?R" A?ro3rama de
ContraCinteli32nciaB
• (CC
$U
X DnternetXTransição das 6dias ?Jblicas
• Controle e ?reservação da DnfraCestrutura
Cr6tica
• 'dministração de Emer32ncia X Res+osta
R@+ida X Contin32ncias
• Cum+rimento da 0eiX>e3urança Dnterna9
N>#"RTHC"
• AComando do #orte dos EN'BX#"R',
AComando de ,efesa 'eroes+acial da
'm)rica do #orteBX>TR'TC" AComando
Estrat)3ico dos EN'BXContratos
ilitaresX(orças 'liadas
• Continuidade de 7overno
• Cas&s ;elliG Reic-sta3X>usanna-XNnidade
&<lX7ladioX#ort-Hoods
$]
XNR7E#TE/
LQuem estava nessa reunião, voc2 sabeO L
+er3untou olly/
L's +essoas !ue eu vi eram em sua maioria de
al3uma divisão de +lane=amento avançado do
,e+artamento de >e3urança Dnterna9 estrate3istas
militares dom)sticos, do ti+o internacional do
$U
(ederal Communications Commission AComissão (ederal de ComunicaçõesB,
criada em &S<[, ) o 8r3ão re3ulador da @rea de telecomunicações e
radiodifusão dos EN'/ A#/ do T/B
$]
Reic-sta3 ) o +r)dio do ?arlamento (ederal da 'leman-a, em Berlim9 em
&S<<, um m2s a+8s a nomeação de 'dolf Hitler +ara o car3o de c-anceler, o
+r)dio foi incendiado9 a "+eração >usanna- foi uma malfadada ação secreta
israelense reali4ada no E3ito em &SU[, em !ue um 3ru+o de =udeus e36+cios foi
recrutado +ara colocar bombas em alvos in3leses e norteCamericanos no +a6s9
o +lano seria reali4ado +ela ultraCsecreta Nnidade &<&9 7ladio Aem +ortu3u2s,
53l@dio5, um ti+o de es+ada curtaB ) o nome de uma or3ani4ação clandestina
formada +elos serviços de informação italianos e +ela "T'# : )+oca da 7uerra
(ria, +ara evitar uma eventual invasão da Dt@lia +ela Nnião >ovi)tica9 a
"+eração #ort-Hoods foi o codinome de um con=unto de +lanos secretos
elaborados em &S]% +elas mais altas +atentes militares dos EN', com o obC
=etivo e assassinar +essoas e +raticar atos de terrorismo em cidades do +a6s de
modo a iludir a o+inião +Jblica e an3ariar a+oio a uma 3uerra contra Cuba/ A#/
do T/B
?ent@3ono9 em al3um lu3ar a!ui -@ uma +il-a de
crac-@s de mesa com os nomes deles/ #ão sei
!uem veio de+ois, eu s8 tin-a os nJmeros de
telefones/
L1oc2 ainda tem essa listaO
L#ão, não ten-o/ (ui instru6do a !ueim@Cla, e foi o
!ue eu fi4/ L Ele camin-ou at) a tela e a+ontou
+ara o Jltimo item/ L " !ue si3nifica este termoO
eu latim est@ um +ouco enferru=ado/
olly er3ueu os ol-os de suas anotações/ L Cas&s
'elli si3nifica um fato !ue um +a6s considera
suficientemente 3rave +ara declarar 3uerra a
outro9 ou se=a, ) um incidente usado +ara =ustificar
uma 3uerra/ 1amos l@, vamos continuar/
"s slides se3uintes fa4iam cont6nuas refer2ncias a
+@3inas de al3um documento !ue devia ter sido
entre3ue aos +artici+antes da reunião/ >em essas
+@3inas, de +ouco adiantava continuar/
LV isso L disse #oa-/ L 'c-o !ue não tem mais
nada +ara ver/
L'inda não acabou/ #ão c-e3amos ao fim/
Ele manteve o dedo no botão 5'vançar5 e as telas
foram +assando cada ve4 mais ra+idamente/
LEstou di4endo, ol-a s8, são a+enas nJmeros de
+@3inas/
's +aredes ficaram +retas, o !ue fe4 com !ue a
sala mer3ul-asse na !uase com+leta escuridão/
,e+ois as ima3ens voltaram a a+arecer
3radualmente/ Nma a uma as telas foram
circundando a sala com um novo conteJdo, !ue
eles ainda não tin-am visto/ Cada tela contin-a
um dia3rama linear !ue era uma marca re3istrada
dos +lanos estrat)3icos da em+resa/ Esses
dia3ramas eram usados +ara mostrar aos clientes
da firma um es!uema +asso a +asso do !ue fa4er,
como e !uando/
"s t8+icos fa4iam refer2ncia :s disci+linas dos
+artici+antes da reunião* (inanças, Ener3ia,
Trabal-o, Educação, DnfraCestrutura, 6dia,
'dministração de Emer32ncia, Cum+rimento da
0ei e Continuidade de 7overno/
Nma cai.a de di@lo3o a+areceu na tela, e com um
sonoro sus+iro #oa- di3itou sua sen-a/ >e al3u)m
verificasse !uem tin-a acessado os ar!uivos, isso
seria mais um +re3o em seu cai.ão/ Nm cursor
am+ul-eta a+areceu, =untamente com a
mensa3em* ?or favor, es+ere/// Carre3ando
conteJdo de local remoto/
LEsse do>nload vai demorar al3uns minutos/ #8s
mantemos esses conteJdos mais delicados em
local remoto, como +roteção =ustamente contra o
ti+o de coisa !ue a 3ente est@ fa4endo a3ora/
olly tin-a se levantado e a3ora +ercorria a sala
e.aminando os v@rios t8+icos nas telas/ Ela +arou
ao lado de #oa-, a+ontou +ara um ret;n3ulo
formado +or dois colc-etes !ue circundava +arte
da ilustração no slide : sua frente/
L" !ue ) este !uadradoO
LDsto se c-ama ,anela de 4verton0 eu +ai roubou
o conceito de uma 5usina de id)ias5 do eio
"este9 ) uma maneira de descrever o !ue a
o+inião +Jblica est@ dis+osta a aceitar em um
determinado momento em relação a uma !uestão
!ual!uer, +ara !ue se decida !ual ) a mel-or
maneira de mani+ul@Cla a aceitar o !ue se !uer/
LEu não entendi L disse olly/ LEla estava
ol-ando +ara a tela referente : >e3urança
#acional e Cum+rimento da 0ei/ E.ceto +elo t6tulo
e uma lon3a e 3rossa lin-a com um !uadrado
aberto +erto do centro, o slide estava em branco/
L Como isso funcionaO
L's e.tremidades dessa lin-a com+rida L #oa-
se a+ro.imou da tela +ara indicar o +onto de
+artida L re+resentam duas +ossibilidades
e.tremas/ #o final desse es+ectro est@ o
im+ens@vel, e na outra +onta est@ a!uilo !ue
=amais se ima3ina o !ue vai acontecer, s8 !ue ao
contr@rio/ '!ui ) bom demais, ali ) ruim demais/
>e estiv)ssemos falando do 3overno, nesta
e.tremidade estaria o e.cesso de liberdade L !ue
seria a anar!uia L e na outra a ine.ist2ncia da
liberdade, uma tirania com+leta/ Esses +ontos,
entre uma coisa e outra, são est@3ios
intermedi@rios/
olly ainda +arecia um +ouco confusa com o
conceito, e +ediu !ue ele +rosse3uisse/
L1amos +e3ar, +or e.em+lo, a se3urança a)rea/
H@ [% anos as +essoas +odiam c-e3ar ao
aero+orto minutos antes do vTo, eram tratadas
com cortesia e res+eito, não +recisavam
a+resentar documento de identidade, a+enas a
+assa3em, e entravam no avião carre3ando o !ue
!uisessem nos bolsos e malas/ E.istia al3uma
se3urança, mas era !uase invis6vel/ Ho=e isso )
im+ens@vel, certoO E ao !ue +arece nunca mais
voltaremos : situação da!ueles dias/
Ela concordou com a cabeça/
L'3ora, no outro e.tremo do es+ectro, vamos
fa4er os +assa3eiros c-e3arem !uatro -oras antes
+ara ficar na fila de se3urança, não vamos mais
+ermitir nen-uma ba3a3em de mão, vamos im+or
o direito de revistar e des+ir todo mundo, obri3ar
as +essoas a +assarem +or a+arel-os de raios Z9
al)m disso, o +assa3eiro tem de ficar sentado na
+oltrona durante o voo inteiro com um bracelete
no +ulso !ue d@ c-o!ues caso tente se levantar
+ara ir ao ban-eiro L !ue, obviamente, não e.iste
mais/
LEstão mesmo falando em fa4er essas coisas L
ela disse/
LEstamos c-e3ando ao +onto em !ue !uero
c-e3ar/ >e voc2 tivesse de se submeter a tudo isso
!ue eu acabei de mencionar, voc2 desistiria de
via=ar de avião, certoO E se não e.istir se3urança
nen-uma voc2 tamb)m nunca mais +õe os +)s
dentro de um avião/ Então a sua Janela de "verton
fica em al3um lu3ar no meioCtermo, mas meu
ob=etivo ) fa4er voc2 aceitar mais al3umas dessas
ideias radicais, aos +oucos, uma de cada ve4/
L,i3amos !ue aman-ã al3um idiota consi3a
embarcar em um avião com al3um ti+o de
+e!ueno e.+losivo caseiro/ ' coisa vai a+arecer
nos notici@rios durante semanas a fio, mesmo !ue
o cara não ten-a feito estra3o al3um/ 1oc2 fica
a+avorada, e a T1 di4 !ue tudo o !ue temos a
fa4er ) com+rar mais al3umas caras m@!uinas de
raios Z, contratar mais al3umas +essoas Aas
mesmas !ue dei.aram um maluco entrar no aviãoB
e abrir mão de nossa di3nidade nas filas de
se3urança dos aero+ortos, e a6 sim estaremos
se3uros/ Dsso, obviamente, ) uma mentira, mas
tem o efeito dese=ado/
L' =anela se desloca L ela disse/
LCerto/ Colocamos um falso e.tremo nas duas
+ontas +ara !ue as escol-as do meio +areçam
moderadas +or com+aração/ Então, com um
+e!ueno em+urrão4in-o, voc2 +ode ser
convencida a concordar com coisas !ue uma
semana antes voc2 =amais teria aceitado/
Las +or !u2O ?or !ue fariam issoO
L' se3urança a)rea foi s8 um e.em+lo aleat8rio,
mas +osso +ensar em al3umas ra4ões/ >e meu
cliente vende m@!uinas de raios Z, ou tem um
contrato +ara se3uranças e.tras, +ode 3an-ar um
bom din-eiro/ " 3overno fica maior e mais
envolvido na nossa vida, o !ue +ode =ustificar a
cobrança de ta.as e im+ostos mais altos, mais
burocracia, orçamentos maiores9 o 3overno +ode
an3ariar o a+oio +o+ular +ara ações militares, e
assim +or diante/ E !uem sabeO 'l3uns dos nossos
ami3os de ontem : noite +odem di4er !ue tudo fa4
+arte de um +ro3rama +ara condicionar o +ovo
norteCamericano a levantar as mãos e se su=eitar a
!ual!uer +essoa vestindo um uniforme/
LE essa Janela de "verton ) usada o tem+o todoO
L" tem+o todo, +ara onde !uer !ue voc2 ol-e/
#8s =amais des+erdiçamos uma boa crise, e, se
não e.iste crise, ) muito f@cil inventar uma/
L>addam est@ +restes a usar armas nucleares,
então +recisamos invadir o Dra!ue antes !ue ele
ris!ue Cleveland do ma+a/ >e não em+restarmos
R% bil-ões de d8lares +ara a 'D7 -aver@ de+ressão
econTmica e na se3undaCfeira ser@ decretada a 0ei
arcial/ >e não formos todos vacinados, &%% mil
+essoas vão morrer +or causa de uma
su+er+andemia de 3ri+e su6na/ E os +reços do
combust6velO ,e+ois !ue se começa a +a3ar cinco
d8lares +or litro, <,U% +arecem uma verdadeira
+ec-inc-a/ '3ora estão di4endo !ue, se não
a+rovarmos uma lei mundial da ta.a de carbono,
em +ouco tem+o o mundo vai ficar debai.o
dI@3ua,
LE, entenda uma coisa, não estou falando do !ue
) certo ou errado com relação a essas !uestões/
Eu me +reocu+o com o meio ambiente mais do
!ue !ual!uer um, eu !uero ener3ia lim+a, !uero
!ue este +a6s se recu+ere e volte a ser 3rande,
!uero !ue as +essoas recebam suas vacinas e
medicamentos !uando +recisarem/ " !ue estou
di4endo ) !ue, em nome do lucro, o+ortunistas
+odem se infiltrar em nossas es+eranças e medos
e tirar +roveito, e essa ) uma das ferramentas !ue
eles usam/ ' +er3unta a ser feita ) a se3uinte* se
eles t2m motivos le36timos +ara a3ir nesses casos,
então +or !ue tantas mentiras e invencionicesO
L?or!ue assim, mesmo se não conse3uirem nos
fa4er aceitar de uma s8 ve4 as coisas !ue eles
!uerem, ficam contentes de nos deslocar
deva3arin-o um +ouco mais +ara e.tremidade/
LE.atamente/ ?ara di4er a verdade, sem al3um
evento catacl6smico como um ?earl Harbor ou &&
de setembro, ) s8 assim !ue a coisa funciona/
?e!uenos em+urrõe4in-os na direção certa, e,
!uando se v2, =@ andou +ara mais +erto dos
interesses deles/ " !ue eles !uerem ) evolução, e
não revolução/ E !uando eu di3o 5eles5 não estou
falando de nen-uma sociedade secreta/
H@ sem+re al3u)m me.endo os +au4in-os +or tr@s
dessas coisas, e ) f@cil ima3inar !uem )/ V s8
fa4er uma +e!uena +es!uisa +ara ver !uem lucra
mais, basta se3uir a lista do din-eiro e do +oder/
1oc2 sabe !uem era um dos maiores lobistas do
ne38cio das emissões de 3asesO
L" 7reen+eaceO
L#ão, a Enron/ Tem uma +orção de 3ente
+oderosa fa4endo fila +ara lucrar, caso o ne38cio
se=a a+rovado, mas anos atr@s isso tin-a sido
ma!uinado +ela Enron, antes do esc;ndalo
financeiro !ue ocasionou a fal2ncia da em+resa,
+e3ando todo mundo de sur+resa/ " com)rcio de
emissões de carbono ia ser o maior es!uema
desde !ue eles dei.aram a Calif8rnia :s escuras e
fi4eram o Estado ref)m/ Eles =@ tin-am começado
a vender direitos e certificados de emissão de
carbono, ou se=a, a ne3ociar futuros sobre o clima,
se ) !ue d@ +ara acreditar em um troço desses,
mas esse assalto ia ser &/%%% ve4es mais ousado/
#a!uela )+oca, todo mundo ac-ou !ue eles
estavam brincando/
L#em todo mundo, ac-o/
L1oc2 est@ certa/ M bem da verdade, a Enron era
s8 uma distração, como um Bernie adoff
$R
, um
bode e.+iat8rio +ara ser =o3ado aos lobos/ ,e todo
modo, o com)rcio de emissões de carbono se3uiu
em frente/ ' Bolsa do Clima de C-ica3o talve4 se=a
$R
Bernard 0aHrence 5Bernie5 adoff A&S<WB, e.C+residente de uma im+ortante
sociedade de investimento de Kall >treet, foi +reso em $%%W +or fraudes !ue
c-e3aram a ]U bil-ões de d8lares/ A#/ do T/B
o mel-or e.em+lo, em es+ecial +or!ue foi fundada
+or uma lista dos bambambãs do meio ambiente,
ti+o 'l 7ore e o 7oldman >ac-s/ as at) +osso
entender +or !ue nin3u)m d@ a m6nima L o
fundador da Bolsa ac-a !ue ) um mercado de
a+enas &% tril-ões de d8lares +or ano/
olly encarouCo, +er+le.a/
L1oc2 disse &% tril-ões +or anoO
L'-ã/ E o endosso disso ) muito maior,
internacionalmente falando/ Então a!ui vai um
teste r@+ido* !uando se mistura 3an;ncia
cor+orativa com corru+ção +ol6tica e sal+ica
al3uns tril-ões +or cima, !ual ) o resultadoO
LEu não sei/// fascismoO
#oa- balançou ne3ativamente a cabeça/
L" resultado ) o mais novo cliente da ,oyle F
erc-ant/
' am+ul-eta na tela tin-a desa+arecido momentos
antes, substitu6da +or uma cai.a de di@lo3o com
duas o+ções* ?'R'R e ?R">>E7NDR/
L'3ora =@ sei +ara !ue ti+o de coisa eu estou
ol-ando L disse olly/ L Então vamos ver o !ue
vem de+ois/
#oa- clicou o controle remoto, e todas as telas
começaram a mudar/ "s slides at) então
incom+letos foram +reenc-idos com ima3ens,
nJmeros, nomes, le3endas e datas +ara ilustrar os
+lanos de ação de lon3o +ra4o no ;mbito de cada
@rea do 3overno dos EN' e da sociedade norteC
americana como um todo/ 'l3uns desses
+ro3ramas de ação se estendiam +or +oucos anos,
mas outros abarcavam mais de um s)culo/
'o lon3o das lin-as cronol83icas começaram a se
mover +onteiros e indicadores9 te.tos se
formavam e a+a3avam : medida !ue o +onteiro ia
+assando +or eventos si3nificativos da Hist8ria
recente/ arcos de desenvolvimento
re+resentando as diferentes fases iam sur3indo
dentro da Janela de "verton de cada tela,
conforme o ret;n3ulo se movia lentamente da
es!uerda +ara a direita/
Era uma enorme !uantidade de informações
diferentes, volumosas demais +ara serem
absorvidas de uma s8 ve49 era como assistir ao
mesmo tem+o a todos os filmes de um cinema
multi+le./ as, !uando tudo conver3iu +ara o
centro do c6rculo de telas, olly subitamente
se3urou e a+ertou com força a mão de #oa-/ #o
mesmo instante os dois tin-am feito a mesma
descoberta, tin-am tomado consci2ncia da mesma
coisa* não eram +lanos de ação se+arados, era um
Jnico +ro3rama de metas/
'o lon3o da +arte inferior, o avanço firme e
constante do tem+o/ #o meio, o movimento lento
e es+or@dico da Janela de "verton L !ue em 3eral
se movia +ara a frente, mas, :s ve4es, retrocedia,
como se a o+inião +Jblica tivesse se rebelado +or
um breve +er6odo contra a +ressão antes de
entre3ar os +ontos novamente/
#a e.tremidade direita de cada tela estava listado
um ob=etivo final/ 'o e.amin@Clos #oa- +ercebeu
!ue tin-am outra coisa em comum/ Eles não
estavam escritos e a+resentados como se fossem
e.tremos im+ens@veis, mas sim como ob=etivos
reali4@veis em um novo arcabouço, uma estrutura
de comando e de controle unificada e +ronta +ara
ser iniciada no dia do cola+so da vel-a estrutura
e.istente/
• Consolidar todos os recursos de m6dias de
conceitosC c-ave de um novo
internacionalismo
• Reunir e centrali4ar os +oderes nas mãos do
?oder E.ecutivo
• Educação* tirar a 2nfase do indiv6duo,
reforçar a de+end2ncia e o coletivismo, a
=ustiça social e o 5bem comum5
• Estabelecer a 3lobali4ação ben)fica contra o
isolacionismoX soberania* mudança clim@tica,
crises de endividamento, finançasXmoeda,
livreCcom)rcio, imi3ração, comidaX@3uaX
ener3ia, se3urançaXterrorismo, direitos
-umanos vers&s direito de +ro+riedade,
a3enda da "#N $&
• 'ssociar a resist2ncia e a defesa
5constitucional5 a uma visão de mundo
retr83rada e e.tremista* o direito de +osse de
armas de fo3o ) crucial
• >u+rimir o debate e forçar o consenso*
identificar, isolar e vi3iar liderançasXameaçar
de sedição L criminali4ar a dissid2ncia
• E.+andir a base de eleitores male@veis e o
a+oio ao +ro3rama do 3overno, concedendo
direito de voto a detentos, imi3rantes ile3ais
e territ8rios norteCamericanos selecionados,
+or e.em+lo, ?orto Rico/ Transformar em
!uestão de direitos civis/ Rotular os
dissidentes de racistas, L invocar analo3ias
confi@veis, escravidão, na4ismo, se3re3ação,
isolacionismo
• Em+urrar a se3urança nacional +ara o
+rimeiro +lano da consci2ncia +Jblica
• (inali4ar o decl6nio e o abandono do d8lar*
nova moeda internacional de reservas
• >incroni4ar e inte3rar +lenamente o
cum+rimento da lei =unto :s forças estadual e
federal e a tro+as contratadas9 +re+arar
contin32ncias, sistemas e +essoal +ara
+risãoX relocaçãoXdetenção
,e acordo com o +ro3resso mostrado, muitas
dessas iniciativas =@ estavam em vi3or/ " slide
referente a (inanças mostrava uma lin-a
cronol83ica iniciada em &S&<, e a =anela tin-a se
deslocado at) !uase o final/ ' tela Educação
começou em um +onto ainda anterior e tamb)m =@
estava bastante avançada/ "s avanços em uma
das telas, relativa : 1i3il;ncia, >e3urança e
ilitari4ação do Cum+rimento da 0ei, tin-am
acelerado radicalmente desde o && de setembro/
E.iste uma diferença entre sus+eitar de uma coisa
e ter a certe4a de al3o/ #oa- sentiu essa diferença
revirando no estTma3o/ Nma +essoa +ode se
aferrar a uma dJvida insi3nificante e se sentir
confort@vel, +ode continuar ne3ando e se3uir a
vida de maneira des+reocu+ada/ 't) !ue um dia
essa +essoa vai ser encurralada +or uma verdade
!ue não +ode mais ser i3norada/
L "l-a ali L a+ontou olly/
as ele =@ tin-a visto/ En!uanto todos os outros
slides tin-am mostrado avanços e um lento
+ro3resso ao lon3o de seu res+ectivo intervalo de
tem+o, um deles não tin-a se movido se!uer um
mil6metro, como se seu +a+el na!uilo tudo fosse
sim+lesmente ficar +ronto, a +ostos, : es+era de
ativação/ 'o contr@rio dos outros, sua lin-a
cronol83ica não era medida em anos ou d)cadas,
mas em tr2s dias finais/
Tamb)m ao contr@rio dos outros, esse slide não
tin-a Janela de "verton/ Nr3ente era a le3enda na
e.tremidade da lin-a, e +arecia !ue neste caso
não se tratava de uma !uestão de aceitação
+Jblica, não -averia necessidade al3uma de
mobili4ação da o+inião +Jblica/ " !ue !uer !ue
fosse, ele criaria seu +r8+rio consenso/
Cas&s ;elli, di4ia o t8+ico, e a tradução de olly
ainda estava bem fresca na mente de #oa-/
Nm incidente usado +ara =ustificar uma 3uerra/
CA(TULO '<
0@ fora o c)u continuava ameaçador e, +ara
acom+an-ar a fina c-uvin-a !ue ca6a, começou a
so+rar uma brisa cruel/ #esse ti+o de tem+o !uase
todo mundo !ue se arrisca a sair : rua +rocura um
t@.i, +or isso #oa- e olly demoraram al3uns
!uarteirões at) conse3uir um !ue os levasse ao
centro da cidade/
'ssim !ue fec-aram a +orta, o ta.ista se virou e
+er3untou +ara onde !ueriam ir/
LRua S com 'venida B, =unto : Tom+kins >!uare/
L E faça um favor L #oa- acrescentou, +assando
+ara as mãos do ta.ista uma boa 3or=eta +ara
reforçar seu +edido/ L #ão estamos com +ressa,
então +ode ir bem, bem deva3ar, entendeuO
" -omem +e3ou o din-eiro, assentiu com a
cabeça +elo retrovisor, de+ois deu a seta e saiu do
meioCfio com um cuidado e.a3erado, as mãos bem
es+al-adas no volante Ana +osição 5de4 +ara as
duas5B, diri3indo como se um ins+etor da
Comissão de T@.is estivesse observando tudo do
banco de tr@s/
olly ficou sentada no seu canto, colada : =anela e
ol-ando em sil2ncio +ara fora9 mas de+ois de um
minuto ela esticou o braço e alcançou a mão de
#oa-/
L#ão -avia datas na!uelas telas do final L
comentou #oa-/ L #ão -@ nada di4endo se essa
coisa vai acontecer aman-ã, na +r8.ima semana
ou no ano !ue vem/
Ela balançou ne3ativamente a cabeça/
LEst@ acontecendo a3ora/
LComo voc2 sabe dissoO
L?or!ue +osso ver/ ' economia est@ em
fran3al-os, #oa-/ E dessa ve4 não -@ rede de
+roteção/ V +or isso !ue os dois +artidos
a+rovaram correndo essa besteira de lei de
est6mulo/ 's baratas estão todas saindo dos
buracos da madeira +ara +e3arem o !ue ainda
+odem/ V um assalto : mão armada em +lena lu4
do dia, e eles =@ não estão nem a6 se a 3ente v2
isso ou não/ V assim !ue eu sei/
' d6vida nacional mais do !ue dobrou desde $%%%,
e a3ora com esses em+r)stimos +ara salvar
bancos e em+resas falidas, todos esses tril-ões de
d8lares L eles roubaram nosso futuro, bem diante
dos nossos ol-os/ Eles nem se deram ao trabal-o
de fin3ir !ue usaram o din-eiro +ara +a3ar al3uma
coisa real, a maior +arte foi +ara contas offshore0
Eles não a=udaram +essoas de verdade9
sim+lesmente embolsaram a 3rana e cobriram as
+r8+rias d6vidas em !ue eles mesmos se
afundaram com a =o3atina em Kall >treet/ L Ela
ol-ou +ara #oa-/ L 1oc2 me +er3untou como eu
sei !ue isso est@ acontecendo neste momentoO
?or!ue o Jltimo ato de !ual!uer 3overno )
sa!uear seu +r8+rio tesouro/
Ele não conse3uiu +ensar em nada +ara refutar os
ar3umentos dela, +elo menos nada em !ue os dois
conse3uissem acreditar/
L1amos ficar bem L ele disse/
L1amos ficar bemO
L#8s dois/ E ol-a s8, não estou falando de
nen-um com+romisso, ou relacionamento, ou
coisa !ue o val-a, eu sei !ue acabamos de nos
con-ecer, então vamos tirar esse assunto da
discussão e não vamos nos +reocu+ar com isso
a3ora/ >8 estou di4endo !ue eu vou a=udar voc2,
voc2 e sua mãe, sem com+romisso/
LEu não +osso fa4er isso/
L?ense um +ouco/ Eu sei, fica +arecendo uma
es+)cie de +acto com o demTnio/ Eu sinto a
mesma coisa, mas ) mel-or do !ue não ter
alternativa, certoO 'conteça o !ue acontecer, essa
coisa não vai afetar todo mundo da mesma
maneira/ V +rov@vel !ue muita 3ente !ue eu
con-eço nem v@ sentir, e eu estou +re+arado +ara
+assar +or tudo isso, se=a o !ue for/ Então o !ue
estou di4endo ) !ue +odemos dar um =eito de voc2
e a sua mãe ficarem bem/
L 1oc2 est@ errado/ 1oc2 não vai ficar bem/
#in3u)m vai/ >e eles conse3uirem fa4er metade
do !ue vimos na!uelas telas, o din-eiro não vai
servir +ara te +rote3er/ #ada vai/
Ela voltou a concentrar a atenção na =anela, +ara a
noite escura e tem+estuosa do lado de fora/
inutos de+ois, olly se3urou com força a mão de
#oa-, mas não +arecia um 3esto de afeto/ Era
mais o a+erto !ue um +aciente medroso d@ no
braço da cadeira do dentista, ou um 3esto de
coisas não ditas e amor anti3o ao final de um
lon3o adeus/
CA(TULO '&
" t@.i estacionou9 en!uanto #oa- +a3ava a
corrida, olly abriu a +orta e fe4 o convite*
L 1amos subir/ 1en-a ver como vive a outra
metade/
" camin-o at) a entrada começava com um
+ortão de metal =@ na calçada/ ' fec-adura e.i3iu
certo =o3o de cintura +ara abrir/ ?elo visto, estava
mais acostumada a ser arrombada do !ue aberta a
c-ave/ ,e+ois do +ortão -avia um +@tio de
a+ar2ncia sinistra, e a entrada era +rote3ida +or
uma +orta de inc2ndio com fec-adura tri+la !ue se
abria +ara um triste corredor iluminado +or uma
solit@ria l;m+ada incandescente +endurada no
teto/
>e3uida de +erto +or #oa-, olly subiu os tr2s
lances de uma estreita escada de madeira !ue
ran3ia a cada +asso9 os dois evitaram os trec-os
lascados do corrimão e um buraco em um dos
de3raus/ " acesso ao se3undo andar era +rote3ido
+or um cadeado com uma 3rossa corrente/ "
+rimeiro +ensamento !ue ocorreu a #oa- foi !ue a
+orta estava blo!ueada +ara desencora=ar
invasões dos semCteto, mas, considerando as
+rec@rias condições do lu3ar, +rovavelmente
a!uilo servia mais como medida +ara a se3urança
dos eventuais invasores do !ue como +roteção do
im8vel/
Embora as +aredes e =anelas mostrassem sinais de
al3uma manutenção irre3ular e es+or@dica, a
construção era ca8tica e incom+leta9 nen-um dos
consertos +arecia aceit@vel, e o !ue restara da
car+intaria mais anti3a tamb)m dei.ava a dese=ar/
Conforme iam avançando escada acima, #oa- viu
fol-as de com+ensado cobrindo =anelas !uebradas,
e +aredes sem reboco a!ui e ali/ Com+ridas
rac-aduras nas +aredes ainda de +) alertavam
+ara a debilidade do alicerce/ ' escura escadaria
era invadida +or sJbitas correntes de ar,
acom+an-adas do som a3ourento de coisas caindo
e o tinido e o silvo distantes de um vel-o radiador
a va+or/
Quando c-e3aram ao terceiro andar, olly =@
estava com as c-aves na mão e começou a abrir
as diversas fec-aduras da +orta do a+artamento
sem nJmero/
LH@ !uanto tem+o voc2 mora a!uiO
L#ão muito/ L Ela tentou abrir a +orta, e +or
causa da 3uarnição em+errada teve de dar um
tranco com o ombro +ara conse3uir/ L '!ui dentro
) mais bonito/
E ela tin-a ra4ão/ M bem da verdade, de+ois de
+assar +ela soleira #oa- +arecia ter entrado em
um mundo com+letamente diferente/ En!uanto ela
voltava a trancar a +orta, ele deu mais al3uns
+assos +ara dentro e ol-ou ao redor/
"bviamente tin-a sido +reciso um 3rande esforço
+ara transformar a!uele es+aço em uma es+)cie
de esconderi=o inde+endente, bem distante da
cidade l@ fora/ " !ue outrora +rovavelmente -avia
sido um enorme e frio andar industrial a3ora fora
reformado e 3an-ara vida com in3enuidade
sim+les e trabal-o @rduo/ " resultado era uma
@rea am+la e dividida +or divis8rias m8veis,
formando um im+ressionante loft, es+açoso e
bacana/ ,e onde #oa- estava era +oss6vel ver
uma enorme sala multiuso ao lado da entrada,
uma co4in-a e uma lavanderia, e, nos fundos, o
!ue +arecia ser uma s)rie de !uartos de -8s+edes/
olly +endurou as c-aves em um 3anc-o =unto :
+orta/
LQuantas +essoas moram a!uiO
L#ão sei, oito ou de4/ Então não se assuste se
voc2 vir al3u)m/ 's +essoas v2m e vão, nen-um
de n8s vive a!ui de maneira +ermanente/ Temos
lu3ares como este es+al-ados +elo +a6s todo9
assim a 3ente +ode ficar em um local se3uro
!uando tem de via=ar/ 'li ) o meu !uarto, mas
!uase nen-uma destas coisas ) min-a/ L 'inda
falando com ele, olly entrou na co4in-a/ L
>enteCse, vou fa4er c-@ 3elado/ "u voc2 +refere
uma cerve=aO
L" c-@ +arece uma boa id)ia/
L#o lu3ar de onde eu ven-o a 3ente bebe bem
doce/
Landa ver/ Quanto mais doce, mel-or/
Ele foi at) o centro da sala e encontrou uma
+lataforma li3eiramente elevada e circundada +or
biombos =a+oneses de madeira fina e escura e
+ain)is de +a+elCarro4/ 'li -avia estantes de livros,
uma cTmoda, uma escrivanin-a com tam+o
corrediço e uma +enteadeira/ as o es+aço era
dominado +or uma enorme rede de dormir,
coberta +or um nin-o de confort@veis cobertores e
travesseiros, sus+ensa at) a altura da cintura
entre as v@lvulas vermel-as de dois +esados canos
de metal !ue iam do c-ão ao teto/ Esse cTmodo
interior era iluminado +or +e!uenas l;m+adas e
lanternas de +a+el de cor +astel/ " efeito 3eral do
recinto cercado era o de um suave e rela.ante
+ara6so 4en/
Nma r@+ida ol-ada na estante de livros mais
+r8.ima revelou um estran-o sortimento de
material de leitura/ 'l3uns cl@ssicos anti3os e
modernos estavam se+arados em uma estante :
+arte, mas o 3rosso da coleção consistia
+rinci+almente de obras !ue beiravam o
e.c2ntrico, +ara não di4er o +roibido/
'+arentemente não -avia uma ordem cronol83ica
clara9 <ales for radicais ARe3ras +ara radicaisB, de
'linsky, estava ao lado de None dare call it
conspiracy AQue nin3u)m ouse c-amar de
cons+iraçãoB9 lo3o abai.o, ?he 'l&e 'ooJ of the
,ohn ;irch 3ociety A" livro a4ul da >ociedade Jo-n
Birc-B estava ensanduic-ado entre 3teal this 'ooJ
ARoube este livroB, de 'bbie Hoffman, Empire
ADm+)rioB, de "rson >cott Card, e um e.em+lar
tradu4ido de ?he coming ins&rrection A'
insurreição a camin-oB/ #a +arte de bai.o -avia
uma seção inteira devotada a uma s)rie de livros
de uma editora es+eciali4ada, todos de um Jnico
autor c-amado Ra3nar Benson/ #oa- tocou as
lombadas surradas e leu os t6tulos, um a um*
?he modem s&rvival retreat A' moderna retirada
de sobreviv2nciaB/
/&errila g&nsmithing A(abricação de armas de
3uerril-aB
Fomemade grenade la&nchersG constr&cting the
&ltimate ho''y >eapons A0ançadores de 3ranadas
caseiros* construindo a Jltima +alavra em armas
de +assatem+oB/
<agnarNs homemade detonators A,etonadores
caseiros de Ra3narB/
3&rvivalistNs medicine chest ACai.a de +rimeiros
socorros do sobrevivencialistaB/
Rive off the land in the city and co&ntry A1ivendo
da terra na cidade e no cam+oB/
E +or fim um volume de ca+a dura intitulado
sim+lesmente Mantrapping A'rmadil-as +ara
ca+turar -omensB/
LEla tem uns livros e tanto, -einO
(oi somente +or causa da atmosfera tran!uila e da
vo4 li3eiramente familiar atr@s dele !ue #oa- não
teve um sobressalto/ Ele se virou, e l@ estava o
ami3o 3randal-ão de olly !ue ele -avia
con-ecido no bar/ ?elo fato de estar sobre a
+lataforma elevada, a3ora era +oss6vel ol-ar o
3i3ante nos ol-os/
LHollis L disse #oa-, descendo/ L Como ) !ue
não ouvi voc2 se a+ro.imandoO
" -omen4arrão o +resenteou com um abraço
a+ertado e uma +almadin-a e.tra no ombro/
L'c-o !ue ten-o a tend2ncia de andar +or a6 sem
fa4er muito barul-o/
LEntão ac-o !ue vou +endurar uma sineta no seu
+escoço, +ara +rote3er meus nervos/
L'-, !ual )O 1em comi3o, vou te mostrar uma
coisa/
#os fundos do loft -avia mais @reas -abit@veis do
!ue #oa- tin-a ima3inado a +rinc6+io/ 'l3uns
es+aços reservados +ara dormir, outros +ara
trabal-o e reunião/ #o local !ue Hollis indicou
como sendo seu !uarto -avia um catre de lona do
E.)rcito, v@rias mesas de +ro=etos muito bem
or3ani4adas e um enorme arm@rio vermel-o com
rodin-as, +resumivelmente re+leto de
ferramentas/ Todas essas coisas estavam
dis+ostas de tal maneira !ue dava a entender !ue
a +rioridade da!uele -omem durante as noites não
era a+enas dormir/
L" !ue são estas coisasO L +er3untou #oa-/ Nma
das mesas estava forrada de +eças e
e!ui+amentos +ara testar +e!uenos com+onentes
eletrTnicos9 em outra -avia uma +il-a de
e!ui+amentos de comunicações desmontados, e
sobre uma terceira -avia 3rande !uantidade de
material de lim+e4a e as +artes desmontadas de
um assustador rifle +reto e uma +istola/ 'o lado
-avia mais armas vis6veis em um cofre aberto,
mas a atenção de #oa- se concentrou na bancada
mais +r8.ima/
LEstou fa4endo munição L Hollis +e3ou uma
amostra e e.ibiu a +onta cin4enta/ L ' munição )
a+enas esta Jltima +ontin-a no final/ Dsto a!ui )
uma bala dundum semiencamisada de +onta oca /
[[9 tem 3rande +oder de +arada/
Em torno dessa bancada -avia diversos +otes e
cai.in-as, com +8s +retos de v@rias tonalidades e
3raus de moa3em, uma balança de farmac2utico,
uma bande=a de c@+sulas de metal e uma m@!uina
manual !ue +arecia um es+remedor de laran=a
+reso a um tam+o de mesa +or um torno de
bancada/
Las +or !ue diabos voc2 !uer fa4er sua +r8+ria
muniçãoO
Hollis se sentou, +Ts os 8culos, +e3ou os
com+onentes de um cartuc-o inacabado, começou
a trabal-ar nas +eças, e s8 de+ois falou*
L#oa-, voc2 3osta de biscoitosO
L7osto sim, Hollis/ Estamos falando de armas de
fo3o, mas 3osto de biscoitos, sim/
LE de !ual ti+o voc2 3osta maisO L Ele colocou a
c@+sula aberta e rec-eada de +8lvora na +arte
inferior da m@!uina manual, encai.ou uma bala
em cima, a=ustou o mecanismo com a +er6cia de
um arrombador de cofres e de+ois 3irou uma
alavanca at) as duas +artes se unirem, em uma
monta3em firme/ L 1oc2 +refere a!ueles bem
secos e em+oeirados !ue voc2 com+ra dentro de
uma cai.a na lanc-oneteO L Ele removeu o
cartuc-o do mecanismo e o er3ueu +ara !ue #oa-
+udesse contem+lar sua +erfeição/ L "u +refere
um biscoito fres!uin-o e !uentin-o, acabado de
tirar do forno, e !ue a sua namorada assou s8 +ara
voc2O
L'c-o !ue estou entendendo o !ue voc2 !uer
di4er/
L'-, sim, +ara acertar o alvo !ual!uer coisa
serve, ac-o, mas, se eu con-ecer bem o !ue estou
caçando, +osso +re+arar al3o na medida +erfeita,
e a min-a bala vai voar mais reta e acertar com
mais força do !ue !ual!uer coisa !ue eu +ossa
com+rar em uma lo=a/
L#ão entendo muito de armas, mas ac-o dif6cil
acreditar !ue fa4 muita diferença/
LEu diria !ue fa4 toda a diferença/ L ,e+ois de
consultar seu +a!u6metro, Hollis fe4 um a=uste
infinitesimal da +rensa e voltou ao seu trabal-o/ L
Qual!uer dia destes tente sair +ara caçar um alce
com um rifle carre3ado com munição +ara cervos,
e ve=a s8 o !ue acontece/ V a mesma coisa !ue
tentar derrub@Clo com um 3ol+e de =ornal enrolado/
LEntendi/
LV mel-or entender mesmo, #oa-/ #ada como
um alce mac-o ferido correndo atr@s do camarada
em um descam+ado +ara ensinar a um -omem o
valor da munição ade!uada/
#oa- ol-ou +ara a mesa/ Em uma +il-a =unto :
outra e.tremidade -avia uma s)rie de cai.as
acr6licas =@ c-eias de munição +ronta/ L Quantas
destas coisas voc2 conse3ue fa4er em uma -oraO
LCom uma +rensa s8O Eu diria !ue entre RU e
$%%/ L Hollis er3ueu os ol-os acima de seus
8culos e sorriu/ L ,e+ende da min-a motivação/
LE a6, ra+a4es, estão se dando bemO L olly
a+areceu com um co+o de c-@ 3elado +ara Hollis/
L>im, estamos/ " Hollis estava me dando umas
su3estões muitos Jteis +ara a +r8.ima ve4 !ue eu
for atirar em um alce/
Ela afa3ou as costas do ami3o sentado/
L1ou roubar seu novo ami3o um +ou!uin-o, t@
bomO
Havia outras vo4es ali +erto, e olly condu4iu
#oa- +or uma sucessão de +ortas e cTmodos
se+arados +or divis8rias na direção do som/ #o fim
do corredor c-e3aram a um am+lo es+aço com um
3ru+o de -omens e mul-eres sentados ao redor de
uma mesa de reuniões/ #oa- ol-ou de novo e viu
!ue a mesa consistia de um con=unto de cadeiras
de dobrar e !uatro mesas de carteado +resas
umas :s outras/
's +essoas ali dentro estavam ouvindo o discurso
de uma mul-er sentada na cabeceira da mesa,
mas, assim !ue os rec)mCc-e3ados entraram,
todos fi4eram sil2ncio/
L?essoal, este ) #oa- 7ardner9 #oa-, estes são
al3uns dos l6deres re3ionais da (oundersKee+ers/
1oc2 disse !ue era bom com nomes, então vou
testar voc2/
Começando +ela +onta da mesa e se3uindo em
sentido -or@rio, ela foi a+resentando um a um e
informando o +seudTnimo -ist8rico !ue cada um
tin-a assumido ao entrar +ara a or3ani4ação/
L?e3ou tudoO L ela +er3untou/
L1amos ver/ L Ele começou de onde ela tin-a
terminado e se3uiu no sentido contr@rio/ L
?atrick, Et-an, 7eor3e, T-omas, Ben=amin,
>amuel, Jo-n, 'le.ander, James, #at-aniel, outro
Ben=amin L (ranklin ou Rus-, voc2 não disse !ual
L, (rancis, Killiam e >te+-en/
Luito bem/ ,evo isso tudo a ,ale Carne3ie/ L
Todas as +essoas +resentes tin-am nas mãos um
livro aberto, e, +elo !ue #oa- +odia ver, todos os
livros +areciam semel-antes, a não ser +elo
conteJdo vis6vel de cada um/
L" !ue interrom+emosO L +er3untou #oa-/ L
Dsto a!ui ) uma reunião de estrat)3ia, ou al3o
assimO
LHo=e, não L, res+ondeu olly, e com um 3esto
+ediu : +alestrante !ue continuasse de onde tin-a
+arado/ ' mul-er, talve4 de4 anos mais vel-a !ue
#oa-, tin-a sido a+resentada como 5T-omas5/
L5Cuidem bem do es+6rito do nosso +ovo, e
manten-am viva sua atenção/ #ão se=am severos
demais com seus erros, mas re3enerem o +ovo
+or meio do esclarecimento/ >e o +ovo dei.ar de
dar atenção :s coisas +Jblicas, voc2s e eu, o
Con3resso, as assembl)ias, =u64es e 3overnantes
não +assaremos de lobos5/
Essas +alavras eram +arte dos escritos de T-omas
Jefferson9 embora não tivesse recon-ecido a
autoria, #oa- viu o t6tulo do livro aberto nas mãos
de um -omem sentado ao seu lado/ % -omem
se3uia o te.to atentamente, acom+an-ando com a
+onta do dedo as +alavras !ue a oradora tin-a
memori4ado/ ' mul-er declamava com sentimento
e ener3ia, não como al3u)m !ue recita
mecanicamente uma carta centen@ria, mas como
se na!uele momento ela se a+ro+riasse dos
+ensamentos de Jefferson/
L5?arece ser a lei da nossa nature4a 3eral5 L ela
continuou, L 5a des+eito de e.ceções individuais9
a e.+eri2ncia declara !ue o -omem ) o Jnico !ue
devora os de sua +r8+ria es+)cie/ ?ois não +osso
usar termo mais brando +ara as ações dos
3overnos da Euro+a, e +ara a ra+ina 3eral dos
ricos sobre os +obres5/
M mesa -avia uma cadeira va4ia com um da!ueles
livretos : frente/ olly +e3ou o livrin-o L na
verdade um misto de livro, caderno e di@rio L e se
des+ediu das +essoas, !ue =@ se +re+aravam +ara
a declamação da +r8.ima oradora/ Ela +e3ou #oa-
+ela mão e saiu com ele +ara o corredor/
LEles não vão +recisar disto a6O L #oa-
+er3untou/
L#ão, este a!ui ) meu/ L Ela +assou o caderno
+ara as mãos dele/ L as eu não sou como eles,
+ois cada um deles memori4ou tudo de um autor/
J@ eu sei um +ouco de cada um/ Es+ecialmente
T-omas ?aine/
Las o !ue si3nifica tudo issoO L " livreto era
claramente feito : mão, e não im+resso
industrialmente/ ?arecia vel-o, mas bem cuidado,
e na contraca+a -avia um nJmero, su3erindo !ue
fa4ia +arte de uma s)rie/
LV uma das coisas !ue n8s da (ounders Kee+ers
fa4emos/ #8s lembramos/
L1oc2s lembram discursos, cartas, essas coisasO
L#8s lembramos como este +a6s foi fundadoP
#unca se sabe, +ode ser !ue a 3ente +recise fa4er
isso de novo/
LEntão voc2s 3uardam tudo na cabeça/ ?or !u2O
Como 3arantia caso os livros de -ist8ria se=am
!ueimadosO
LJ@ est@ acontecendo, #oa-, se ) !ue voc2 ainda
não +ercebeu/ ' -ist8ria não est@ sendo
!ueimada, mas est@ mudando/ ?er3unte a um
aluno do ensino fundamental o !ue ele sabe sobre
7eor3e Kas-in3ton, e ) mais +rov@vel !ue voc2
ouça uma +orção de mentiras sobre ele, como a
-ist8ria da cere=eira ou !ue ele usava uma
dentadura de madeira, do !ue al3uma coisa !ue
ele ten-a feito +elo +a6s/ ?er3unte a um menino do
ensino m)dio o !ue ele sabe sobre Ronald Rea3an,
e a res+osta vai ser !ue era um ator de filmes de
se3unda cate3oria !ue entrou +ara +ol6tica, ou !ue
ele era o cara !ue estava na ?resid2ncia !uando
7orbac-ev deu fim : 7uerra (ria/ ?er3unte a um
universit@rio sobre o >e3uro >ocial e ele vai di4er
!ue foi al3o criado com o ob=etivo de 3arantir uma
renda e uma a+osentadoria di3na +ara todos os
cidadãos norteCamericanos/ ?er3unte a al3u)m
com menos de <% anos o !ue ele sabe sobre a
>e3unda 7uerra undial, e ele vai citar trec-os do
filme 4 resgate do soldado <yan0 1iu s8O #in3u)m
+recisa reescrever a Hist8ria/ Eles s8 +recisam dar
um =eito de !ue nin3u)m se lembre dela/
Ele fec-ou o livro com cuidado e devolveuCo a ela/
LollyO
L>im/
Landa a6 um +ouco de T-omas ?aine/
Ela se3urou a mão dele, e recitou com vo4 calma,
en!uanto camin-avam +elo corredor/
L5>ão tem+os como esses !ue testam as almas
dos -omens/ % soldado +ouco com+rometido e o
+atriota ocasional vão, nessa crise, evitar servirem
seu +a6s9 mas a!uele !ue se levanta a3ora merece
o amor de -omens e mul-eres/ ' tirania, como o
inferno, não ) facilmente derrubada9 ainda assim,
temos o consolo de !ue !uanto mais duro for o
conflito, mais 3lorioso ser@ o triunfo/5
5Tudo a!uilo !ue ) obtido +or um +reço bai.o
demais merece nossa +ouca estima* ) o alto +reço
!ue d@ a cada coisa seu valor/ ,eus sabe como
atribuir o +reço ade!uado a suas mercadorias, e
de fato seria muito estran-o se um bem tão divino
como a liberdade não custasse tão caro/5
'ssim !ue retornaram ao es+aço de olly, ela deu
a #oa- um co+o de c-@ 3elado e se sentou na
+onta da rede/ Ele se sentou em um sof@ feito de
en3radados, uma armação sim+les e almofadas de
v@rias cores/ " c-@ estava muito doce,
e.atamente como olly -avia avisado, mas estava
bom/
L" Hollis +arece ter ali um +e!ueno arsenal/
Essas armas estão dentro da leiO
L,uas delas estão re3istradas/ " resto est@ a!ui
s8 de +assa3em/ Ele vai a uma e.+osição de
armas no norte do Estado/
LEntão a res+osta ) não, não estão dentro da leiO
L1oc2 sabe como foi dif6cil re3istrar essas duas
armas nesta cidadeO
L?osso ima3inar/
L0evou mais de um ano, e o cara !ue ) dono
delas teve de dei.ar suas im+ressões di3itais na
dele3acia, ser entrevistado e +a3ar uma ta.a de
mil d8lares +ara e.ercer um direito constitucional/
LBemCvinda a #ova Gork/ Quem mora a!ui tem de
aturar um monte de coisa/
LEs+ere a6 um minuto, voc2 não disse !ue teve
aulas de ,ireito na universidadeO 'c-ei !ue l@ eles
falavam um +ouco da >e3unda Emenda/
LEles falaram, sim/ "s es+ecialistas diver3em um
+ouco sobre essa inter+retação/
,e maneira bem cuidadosa, ela recitou o te.to da
lei* 5" direito do +ovo de +ossuir e usar armas não
+oder@ ser im+edido5/ L Dsso me +arece bem
claro/
L1oc2 dei.ou de fora a +arte !ue causa toda a
discussão* 5>endo necess@ria : se3urança de um
Estado livre a e.ist2ncia de uma mil6cia bem
or3ani4ada5/
L#a!uela )+oca a +alavra mil6cia si3nificava outra
coisa, #oa-/ Ben (ranklin começou a +rimeira/ '
mil6cia era todo cidadão +ronto e dis+osto a
+rote3er sua comunidade, !ual!uer !ue fosse a
ameaça/ Era uma coisa natural, como colocar uma
tranca na +orta da frente/
Ho=e a +ol6cia e.iste +ara +rote3er a sociedade,
mas não ) obri3ada a +rote3er voc2 e eu como
indiv6duos/ ' >u+rema Corte =@ dei.ou isso bem
claro al3umas ve4es/ E a +ol6cia certamente não
vai nos +rote3er do 3overno, ,eus nos livre de um
dia +recisarmos disso/ Então, a meu ver, a
>e3unda Emenda sim+lesmente di4 !ue temos o
direito de estar +rontos +ara nos defender e a
nossos vi4in-os se for +reciso/
L(alando nisso, +or !ue voc2 não me fala da sua
estante de livrosO
Ela ol-ou de relance +ara os livros/
L" !ue ) !ue temO
LEu estava dando uma ol-ada nos t6tulos, ) uma
biblioteca bastante subversiva/
L's +essoas usam al3uns desses livros +ara falar
mal de n8s, e al3uns deles foram escritos +elos
nossos inimi3os/ Eu leio tudo +ara saber !uem
est@ contra n8s e +ara saber o !ue falar sobre
eles/ 1oc2 não v2 mal al3um nisso, v2O
LQuem ) esse maluco do Ra3nar BensonO
Ela sorriu/
LEle não ) um maluco/ Esse nome ) um
+seudTnimo, ali@s/ Quase nin3u)m sabe !uem ele
)/ Ele escreve sobre umas coisas muito Jteis/
L?or e.em+lo, como fa4er um lançador de
3ranadas no seu !uartoO
LEsse ) dos tem+os de mercen@rio dele/ ,esde
então ele se acalmou um +ouco/ '3ora ele est@
mais interessado em falar de inde+end2ncia,
+rontidão e autoCsufici2ncia, sabeO ' ale3ria de
viver fora do sistema/
L(alando assim, +arece !ue voc2 con-ece o cara/
Ela refletiu +or al3uns instantes, de+ois c-e3ou
mais +erto dele/
LConse3ue 3uardar um se3redoO
L'c-o !ue -o=e ) o dia errado +ara voc2 me
+er3untar isso/
LV o tio do Hollis L olly sussurrou/ L E adivin-a
!uem assumiu o comando do ne38cio da fam6lia e
at) escreveu al3uns dos livrosO
L" HollisO L ele a+ontou +or cima dos ombros
com o +ole3ar/ L " meu HollisO
Ela fe4 !ue sim com a cabeça, com um leve
sorriso/
L1oc2 não deve =ul3ar uma +essoa +ela
a+ar2ncia/ Ele ) um -omem muito inteli3ente/
LV, o Nnabomber tamb)m era/ " +rimeiro da
classe, ali@s/
L1oc2 fa4 +iadin-as !uando fica nervoso/ Que
3racin-a/
L"bri3ado/
L'3ora termine seu c-@, senão vou ac-ar !ue não
3ostou/
Ele obedeceu, com um Jnico e lon3o 3ole, e
de+ois olly deu uma batidin-a na rede, bem ao
seu lado, indicando !ue !ueria !ue #oa- se
=untasse a ela/
L'-, não/ Eu +assei vinte e oito anos da min-a
vida sem tentar entrar em uma coisa destas/
>enteCse a!ui comi3o voc2/
L'-, !ual )O V f@cil, medroso/
LEu vou cair/
L#ão, não vai/ L Ela estendeu as mãos,
c-amandoCo/ L >8 !uero es!uecer um +ouco disso
tudo, t@ bomO 1em a!ui, a3ora, não me obri3ue a
+edir de novo/
>eria dif6cil di4er não, e ele nem tentou/ Com a
a=uda de olly, ele se sentou ao lado dela na
+rec@ria +onta da rede/
L'3ora es+ere um +ouco/ Tire os +)s do c-ão e
deiteCse, e tente não rolar +ara o outro lado/
Ela se reclinou e #oa- se3uiu as dicas9 durante
al3uns se3undos cambaleantes a situação +arecia
tão inst@vel !uanto uma arriscada via3em de
montan-aCrussa/ ,e+ois de muitas oscilações e
dese!uil6brio, e uma boa !uantidade de risadas, as
coisas foram 3radualmente se assentando e +or
fim os dois se viram confortavelmente
aconc-e3ados na fr@3il estabilidade da rede, em
um leve balanço/
#o !uarto de olly não -avia teto, e bem acima da
cabeça deles, entre as vi3as de aço, al3u)m tin-a
colocado fios de lu4es brancas de #atal, em um
arran=o !ue lembrava uma noite de c)u estrelado/
LEi, olly L ele sussurrou/
L>imO
L" !ue voc2 me di4 de a 3ente ficar assim, deste
=eito, +or um tem+ãoO
Ela o abraçou com mais força/
LBem !ue eu 3ostaria/
Ele =@ tin-a re+arado antes no bracelete de +rata
de olly, mas a3ora a =8ia estava bem mais +erto,
o suficiente +ara !ue ele visse as marcas de uma
frase 3ravada/
L" !ue di4 a6O
Ela a+ro.imou o +ulso dos ol-os dele/
LJ@ ten-o isto fa4 tem+o e ele =@ +assou +or muita
coisa comi3o, e ac-o !ue a3ora est@ at) dif6cil de
ler/
#oa- se3urou a mão dela at) encontrar a dist;ncia
certa e o ;n3ulo ade!uado na fraca lu4 +ara
decifrar as letras/ Quando teve certe4a de !ue
tin-a entendido, leu em vo4 alta*
L5Temos o +oder de começar o mundo de novo5/
LDsso mesmo L concordou ela/
L,e !uem ) essa fraseO J@ ouvi isso antes/
LT-omas ?aine/
Ele anin-ou a cabeça =unto : dela/
Las como ) !ue voc2 ac-a !ue vão conse3uir
fa4er isso, ollyO #ão estou di4endo !ue não
+odem, mas ) !ue não ve=o como/
LTem mais/ L Com a outra mão ela 3irou o
bracelete +ara mostrar a +arte interna, +ois ali
-avia outra inscrição* () Es+erança Caridade
LDsto )/// le3al/
L0e3alO
L?ara falar a verdade, ac-o !ue não entendo L
ale3ou #oa-/ L Quer di4er, entendo as +alavras,
mas isto a6 não ) e.atamente um +lano de
batal-a, )O 1oc2s sabem contra !uem estão
lutandoO
L>im, mas duvido !ue nossos inimi3os saibam/
LEntão me di3a/
LT@ bom/ Nma +er3untin-a +ara voc2* !uem deu
o +rimeiro tiro na 7uerra de Dnde+end2nciaO
LEssa ) uma +er3unta com+licada/ #in3u)m sabe
!uem deu o +rimeiro tiro/
LV essa sua res+osta definitivaO
LV, sim/
Ela se a+oiou sobre um dos cotovelos, +ara +oder
encar@Clo/ L % +rimeiro dis+aro não veio de uma
arma/ (oi um sermão, feito +or Jonat-an ay-eH,
anos antes de 0e.in3ton e Concord
$W
/ #ão foi um
+ol6tico !ue disse 5sem re+resentação não -@
ta.ação5/ (oi um +astor/
L'-/ Então essa ) a +arte da f)/
LV mais !ue isso/ #ossos direitos v2m de um
+oder mais alto, #oa-/ "s -omens não +odem
conced2Clo, e os -omens não +odem tir@Clo/ Essa )
a diferença, ac-o eu, entre o !ue aconteceu na
Revolução (rancesa e o !ue con!uistamos na
nossa/ #8s acredit@vamos !ue t6n-amos a vontade
de ,eus a nosso favor, e eles acreditaram nas
+alavras de 7odHin
$S
/ Nma ) duradoura, a outra
sucumbe : fra!ue4a -umana/
Ele tocou a se3unda +alavra 3ravada no bracelete
de +rata/
LE a es+erançaO
LDsto a!ui !uer di4er !ue acreditamos na +arte
mais +oderosa do es+6rito -umano/ ' es+erança e
a verdade andam =untas9 se tudo o !ue sabemos
for uma mentira, não temos a menor c-ance/
Quando o m)dico di4 a uma +essoa !ue ela est@
doente, o +aciente não +õe a cul+a nele +elo
dia3n8stico/ ' +essoa a3ora sabe a verdade, e
então, +or mais 3rave !ue se=a a doença, ela +ode
fa4er um +lano +ara ficar mel-or/ Dsso ) a
es+erança/ >aber !ue mesmo !uando as coisas
+arecem sombrias, aman-ã ser@ um dia mel-or/
olly a+ontou +ara a Jltima +alavra do bracelete/
$W
Refer2ncia : batal-a de 0e.in3ton e Concord, ocorrida em abril de &RRU, o
+rimeiro 3rande encontro entre forças norteCamericanas e tro+as do Dm+)rio
Brit;nico no in6cio da 3uerra !ue levaria : ,eclaração de Dnde+end2ncia dos
EN' em &RR]/ A#/ do T/B
$S
Killiam 7odHin A&RU]C&W<]B, =ornalista e fil8sofo +ol6tico in3l2s, autor de
2nvestigação acerca da .&stiça polStica, +ublicada em &RS<, refle.ão sobre a
Revolução (rancesa/ A#/ do T/B
LE a caridade ) sim+les/ 'creditamos !ue cabe a
cada um de n8s a=udarmos as +essoas a c-e3ar a
esse aman-ã mel-or/ Ben (ranklin e.+licou meu
bracelete !uando o reitor da Nniversidade Gale
+ediu a ele !ue fi4esse um resumo da reli3ião
norteCamericana/ Ele res+ondeu o se3uinte* 5,eus
e.iste, e e.iste uma vida de+ois desta, e Ele vai
nos =ul3ar +or nossas ações nesta vida e a mel-or
maneira de servir a ,eus ) servir a nossos
semel-antes/ Dsso ) f), es+erança e caridade5/
L?arece uma coisa boa/ L #oa- a=eitou o
travesseiro e voltou a deitar a cabeça/ L ,etesto
ter de di4er isto, mas não ac-o !ue se=a o
bastante/
LTalve4 não se=a al3o !ue voc2 consi3a entender
ra+idamente/ L olly ar3umentou/ L #en-um de
n8s entendeu isso do dia +ara a noite/ Quando
voc2 estiver +ronto, vai entender/
?resa +or uma tac-in-a : +arede -avia uma fol-a
de +a+el branco com um esboço, colocada
+ro+ositalmente em uma +osição em !ue ficava
vis6vel +ara !uem se deitasse na rede/
LQuem desen-ou a!uilo aliO L !uis saber #oa-/
Ela virou o cor+o, esticou o braço +ara +e3ar o
desen-o e de+ois er3ueu a fol-a de +a+el +ara
!ue ambos +udessem ol-ar mais de +erto/
L(ui eu/
Era o desen-o de um +e!ueno c-al) em um vale,
em uma +aisa3em de inverno, =unto a um riac-o e
circundado +or um bos!ue/ "s detal-es do lu3ar
estavam desen-ados cuidadosamente* um
balanço na varanda, um =ardim com cerca bai.a,
uma tril-a de +edras at) os de3raus da frente,
flocos de neve sobre os beirais e +eitoris/ Eram
a+enas lin-as sim+les feitas a l@+is, mas a mão
sens6vel da artista -avia ca+tado lindamente a
cena/
LV muito bonito/ "nde fica este lu3arO
L#a min-a cabeça, ac-o/ L Ela ol-ou +ara #oa-/
L E !uer saber de uma coisaO
LClaro/
LDsto ) tudo o !ue eu !uero, falando s)rio, um
lu3ar4in-o assim/ Dma3ino !ue +ara al3u)m como
voc2 isso me fa4 +arecer uma sim+l8ria/
L#ão, nada disso, me +arece uma boa id)ia/
L>im+lesmente um lu3ar como este +ara dividir
com al3u)m, e a liberdade de viver a nossa vida
l@/ ' +rocura da felicidade, sabeO ?ara cada +essoa
isso si3nifica uma coisa diferente, e ) assim !ue
tem de ser/ as esta ) a min-a busca da
felicidade9 ) com isso !ue eu son-o/
LEs+ero !ue um dia voc2 c-e3ue l@ e reali4e seu
son-o/
LEs+ero !ue todos n8s/
Ele refletiu um +ouco/
L?or !ue voc2 não vai embora a3ora e encontra
este lu3arO
L1oc2 est@ !uerendo di4er* +or !ue eu não vou l@
cuidar da min-a vida, +e3o o !ue ) meu, e !ue
todos os outros se danemO
L#ão foi e.atamente isso !ue eu !uis di4er/
LH@ um c;ncer neste +a6s, #oa-, e n8s dois vimos
o e.ame de raio Z/ >e a 3ente não der um =eito de
im+edir isso, estancar a doença, ela vai se
es+al-ar, não im+orta onde a 3ente se esconda/ E
!uero !ue voc2 saiba de uma coisa/ ?reciso !ue
voc2 saiba de uma coisa/
LTudo bem/
L#ão -@ nada de !ue não abriria mão +ara
defender meu +a6s/ #ão im+orta a dificuldade, não
-@ nada !ue este=a em meu +oder !ue eu não
faria/
LEntendo/ 'dmiro muito isso/
Las não !uero esse +eso sobre os meus ombros/
#ão !uero ter ra4ão/ Eu !ueria !ue as coisas
fossem diferentes/ >e eu +udesse, ficaria a!ui,
assim, como voc2 disse/
LEu 3ostaria de me sentir assim, resoluto, em
relação a al3uma coisa/
inutos silenciosos se +assaram/ En!uanto os dois
estavam deitados ol-ando +ara as imitações de
estrelas, #oa- tentou sem muito sucesso se
lembrar e.atamente do !ue ele +r8+rio vin-a
buscando em todos a!ueles anos, se não era
=ustamente a sim+licidade de estar =unto de
al3u)m/
Então ele notou !ue sua visão foi invadida +or uma
sJbita manc-a, um bril-o fraco e tr2mulo !ue se
formou em torno das fontes de lu49 embora ele
ten-a +iscado +ara afu3entar a sensação, a
estran-a bruma voltou um instante de+ois, desta
ve4 acom+an-ada de um desconforto es!uisito,
como uma onda +assa3eira de verti3em/
LNau/
L" !ue foiO
L#ada/ 'c-o !ue tive uma tontura/
?ouco de+ois de ter se dissi+ado, a sensação
voltou de novo, desta ve4 mais forte, e ele
enri=eceu o cor+o, tentando se livrar do incTmodo/
L1oc2 est@ bemO
L>im, tudo bem/ L #oa- res+ondeu, ofe3ante/
as ele não estava bem/ #os tem+os de
faculdade, -ouve uma ocasião em !ue, de+ois de
uma estJ+ida brincadeira com os ami3os +ara ver
!uem bebia mais Ae mais r@+idoB doses de +onc-e
reforçado, o @lcool tin-a entrado de uma s8 ve4 na
sua corrente san3u6nea/ Ele tin-a sentido uma
terr6vel sensação de desam+aro e im+ot2ncia,
+or!ue, !uando +ercebeu seu erro, não -avia nada
!ue +udesse fa4er +ara im+edir as conse!u2ncias/
L?reciso me levantar L ele disse/ >uas +r8+rias
+alavras demoraram uma eternidade +ara c-e3ar
aos ouvidos, e não +areciam coerentes/ Nma
+al+itação de +;nico estava começando a tomar
conta dele, e neste momento sentiu uma mão
3elada na testa, acalmandoCo/
L(i!ue !uietin-o, a3ora/
as a essa altura era como se !uase todas as suas
ener3ias tivessem sido drenadas, +rimeiro a força,
de+ois a vontade de se mover9 tudo tin-a sido
substitu6do +or uma crescente sensação de
desmaio em c;mera lenta, um desfalecimento na
+onta de um des+en-adeiro/
Quando o !uarto nebuloso começou a 3irar e
desa+arecer, ele viu tr2s -omens descon-ecidos
em +) +erto dele, =ovens vestindo terno e 3ravata/
LHora de ir, olly L disse um deles, com vo4
distante e irreal/
L>8 um minuto L ela res+ondeu/ L e es+erem
l@ embai.o/
E então eles sumiram, e outra fi3ura, mais alta, se
a+ro.imou/
L1oc2 vai ficar com ele, não vai, HollisO
L1ou ficar o m@.imo de tem+o !ue eu +uder/
Ele sentiu os braços dela a+ertando seu cor+o com
mais força, as l@3rimas dela caindo sobre seu
rosto, os l@bios dela =unto ao ouvido dele/ 's tr2s
+alavras sim+les !ue ela murmurou +ouco antes
de #oa- a+a3ar de ve4 ficaram claras na sua
mente mesmo de+ois !ue tudo =@ tin-a sido
en3olido +ela escuridão/
LEu sinto muito/
Ca$%tu"o ''
" a3ente Kearns tin-a se retirado +ara a +e!uena
co4in-a de seu trailer +ara +re+arar o caf) da
man-ã/ ?or isso ,anny Bailey estava sentado
so4in-o na sala de estar, usando um +i=ama
em+restado e sentindo uma terr6vel ressaca de
sono9 =unto com ele -avia um -orroroso 3ato
brancoCsu=o e a r)+lica de uma +e!uena bomba
atTmica/
,obrado em cima do sof@, ele viu o =ornal
dominical de al3uma cidade distante/ Teria sido
le3al dar uma es+iada nas manc-etes, mas o
=ornal estava +erto demais do 3ato +ara ser
retirado dali em se3urança/
LEntão !uer di4er !ue voc2 nunca esteve em
KinnemuccaO L Kearns +er3untou, aos berros,
+ela +orta estreita/
,e novo a!uele +a+oCfurado de merda/
L#ão/ ,@ +ara acreditarO L res+ondeu ,anny/ Ele
estava e.aminando o com+le.o a+arel-o cil6ndrico
sobre sua +esada armação de madeira em cima da
mesin-a de centro/ L Eu não tin-a id)ia do !ue
estava +erdendo/
L>e voc2 ac-a !ue esta cidade4in-a est@ morta,
es+ere at) ver o lu3ar onde a 3ente vai encontrar
os caras -o=e : noite/ 'l3uns anos atr@s o
*ashington Post considerou toda essa +arte de
#evada como o sovaco oficial dos EN'/
LQue +) no saco/ Ei, >tuartO
L>imO
LEu não !uero +arecer um bundaCmole, mas esta
3erin3onça a!ui !ue +arece uma bomba, )
radioativaO
L#ão, não muito/ L Kearns voltou da co4in-a com
o caf) e se sentou em uma +oltrona/ L " nJcleo )
inerte9 isto a6 não +assa de uma 3rande bola de
c-umbo/ ?or bai.o do revestimento tem um +ouco
de ur;nio em+obrecido/ Então, se al3u)m se der
ao trabal-o de c-ecar com um contador 7ei3er, o
+onteiro vai dis+arar/ "l-a s8/
Ele a+ertou o botão de um e!ui+amento amarelo
em cima da mesa e a+ro.imou o bastão do
instrumento a um +ainel de acesso aberto na +arte
da frente da r)+lica/ " medidor do instrumento
vibrou e o r@+ido cli!ue de seu altoCfalante lo3o
deu lu3ar a um 4umbido barul-ento e rascante
!uando a +onta do bastão tocou a cai.a met@lica
de +roteção interna/
Las não ) +eri3osa/
L#ão, mas eu não dei.aria debai.o da min-a
cama/
LV esses caras !ue a 3ente vai ver, os caras !ue
!uerem com+rar este troço, +or !ue ra4ão
acreditariam !ue um civil comum conse3uiu
colocar as mãos em uma arma nuclearO
LTudo bem, bele4a/ 1amos falar disso/ 1oc2 se
lembra, fa4 mais ou menos um ano, da -ist8ria de
um m6ssil !ue desa+areceuO
LClaro !ue eu me lembro/ '!uele lance da Base
de Barksdale/ (i4 uma semana inteira de s-oHs s8
falando sobre isso/ 'l3u)m fe4 uma burrada e
carre3ou o3ivas ativas em um bombardeiro BCU$
na ,akota do #orte/ >a6ram seis o3ivas da base,
mas s8 cinco a+areceram na 0ouisiana/
LDsso mesmo/ '3ora sabemos !ue uma coisa
dessas não +ode acontecer, não +or en3ano/ V
como se o >erviço >ecreto colocasse
5acidentalmente5 o +residente no carro errado e
nin3u)m desse +ela falta dele at) a -ora do
almoço do dia se3uinte/ V im+oss6vel9 -@ muitas
salva3uardas em =o3o/ ' menos, ) claro, !ue se=a
obra de al3u)m infiltrado/
LEntão a min-a +ersonalidade virtual ) um cara
c-eio de cone.ões e contatos 3raças aos meus
anos no (BD/ Cerca de sete anos atr@s eu fi!uei de
saco c-eio do 3overno desonesto, sa6 da reserva e
desa+areci na min-a +r8+ria versão do ?ro3rama
de ?roteção a Testemun-as/ ' -ist8ria !ue eu
inventei ) a de !ue +ara conse3uir esta bomba, eu
fi4 ami4ade, atrav)s do site, com as duas +essoas
certas das e!ui+es encarre3adas dos arsenais,
uma na Base da (orça ')rea de inot, outra na
base de Barksdale/ Elas falsificaram as ordens e
+rovidenciaram o vTo, de+ois me a=udaram a
carre3ar a o3iva em um camin-ão e a tir@Cla de
Barksdale, um dia antes !ue al3u)m se!uer
+ercebesse o sumiço/
LEntão voc2 não est@ tentando di4er !ue
construiu isto a!ui a +artir do 4ero, ti+o no seu
!uintalO
L#ão, claro !ue não, s8 cuidei da monta3em e da
cai.a de +roteção, e conectei al3uns com+onentes
eletrTnicos9 s8 +recisei cuidar desta +arte a!ui/ '
o3iva em si estava intacta/
,anny inclinou o cor+o e +assou a +onta do dedo
ao lon3o de uma das soldas mais lisas/
L,evo tirar o c-a+)u/ ?arece um belo trabal-o,
coisa fina/
LV, +arece sim L concordou Kearns, 3uardando o
contador 7ei3er em uma moc-ila no c-ão =unto ao
sof@ L, se me +ermite di4er/
LE !uanto disso ) verdadeO
LQuanto do !u2 ) verdadeO
L,o !ue voc2 acabou de contar/ ' -ist8ria de
Barksdale/
Kearns não res+ondeu de imediato/ Ele fec-ou o
46+er da
moc-ila no c-ão, e de+ois se sentou na +oltrona,
de cara amarrada/
L" !ue ) isto, +ro3rama =ornal6stico, de re+enteO
L#ão, cara, a 3ente est@ s8 conversando/
L#ão estou a!ui +ara te dar dicas +ara o seu
+r8.imo v6deo cons+irat8rio/
L>8 estou tentando entender direito a sua
-ist8ria/
LT@ le3al/ as o !ue ) ou não ) verdade no !ue
eu acabei de contar não ) a +arte da -ist8ria !ue
voc2 tem de entender direito/
LBele4a, tudo bem, descul+e/ V !ue me +areceu
muito cr6vel/ Dsso tudo ) novidade +ara mim, voc2
sabe, e a3ora de man-ã ainda estou um +ouco
3ro3ue/ (a4 uns vinte anos !ue não durmo +or &$
-oras se3uidas/
" outro -omem continuou a estud@Clo, como se
sentisse !ue talve4 tivesse cometido um desli4e e
a3ora ainda estivesse avaliando a 3ravidade da
3afe/ as, de+ois de al3uns se3undos, ele meneou
a cabeça, +areceu se acalmar um +ouco, +u.ou
+ara +erto de si o relutante e amarrotado 3ato e
afa3ou sua cabeça/
LT@ le3al, tudo bem L disse Kearns/ L e
descul+e/ Eu não !ueria ficar irritado/ 'c-o !ue
com a idade estou ficando um +ouco +aran8ico/ J@
me disseram !ue ten-o uns +roblemas/
LEi, cara, e !uem não tem, certoO
L(alou e disse/
" bi+e do microCondas na co4in-a avisou !ue seu
ciclo de a!uecimento tin-a c-e3ado ao fim/
LEntão, o !ue tem +ara comerO L +er3untou
,anny, esfre3ando as mãos/
" a3ente Kearns voltou da co4in-a tra4endo
torradas e um encrostado +ote de mar3arina, ovos
me.idos e +resunto enlatado/ ' carne estava
es+on=osa e ensebada, os ovos +areciam comida
de 3ente +erdida na floresta, mas com bastante
sal e +imenta at) !ue era uma refeição +ass@vel/
LEu s8 +er3untei o !ue +er3untei +or!ue ac-ava
!ue l@ no !uartelC3eneral voc2s tin-am todo ti+o
de laborat8rios e en3en-eiros +ara construir uma
r)+lica destas +ara uma o+eração secreta/ 1oc2
sabe, +ara !ue al3u)m como voc2 não +recisasse
se dar ao trabal-o de construir uma +or conta
+r8+ria/
LV, eles t2m sim, mas nos Jltimos anos me
acostumei a trabal-ar so4in-o/ Quando se est@ em
uma missão si3ilosa, !uanto menos contato com
outras +essoas, mais se3uro )/ ?o.a vida, estou -@
tanto tem+o so4in-o nesta o+eração !ue, +elo !ue
eu sei, s8 um cara sabe !ue eu ainda estou na
fol-a de +a3amento/
LNau, voc2 deve confiar muito neste cara/
Kearns se abai.ou e tirou um rev8lver do coldre do
torno4elo9 foi um 3esto trivial, como se ele
estivesse tirando uma +edrin-a do sa+ato/ Ele
abriu o tambor da arma, 3irouCo com a +alma da
mão e de+ois, com uma leve sacudida, voltou a
fec-@Clo/ ?or fim +ousou a arma ao lado da mesa e
voltou a se concentrar no +rato, +ara terminar seu
caf) da man-ã/ Era como se a!uilo nada tivesse a
ver com o assunto em !uestão/
LClaro, 3aroto L disse Kearns/ L Eu confio em
todo mundo/
Ca$% tu" o ')
' tarde de domin3o foi dedicada a uma troca de
fi3urin-as entre Kearns e Bailey, !ue re+assaram a
-ist8ria +Jblica um do outro/ >e a id)ia era !ue os
dois +arecessem vel-os con-ecidos, eles não
+oderiam -esitar sobre detal-es 8bvios !ue
eventualmente a+arecessem na conversa/ Então,
antes de carre3arem o fur3ão, deram um
telefonema +ara acertar os Jltimos detal-es da
reunião da!uela noite com os alvos da o+eração
secreta/
Kearns tin-a usado um e!ui+amento eletrTnico
c-amado de 5cai.a laran=a5 +ara falsificar o
nJmero !ue a+areceria no identificador de
c-amadas dos com+radores, de modo !ue a
li3ação +arecesse ter vindo diretamente do
nJmero +articular de ,anny Bailey9
a+arentemente o verdadeiro celular de ,anny
ainda estava enfiado em al3um canto do de+8sito
de evid2ncias criminais em #ova Gork/
" -omem !ue atendeu tin-a ficado devidamente
im+ressionado +or falar com um de seus -er8is
midi@ticos na 3uerra contra a tirania/ ' -ora e o
endereço da reunião foram confirmados e Bailey
endossou >tuart Kearns como um aut2ntico
+atriota, !ue sem dJvida nen-uma +odia dar
conta do recado e entre3ar a mercadoria
+rometida/ 'ntes de encerrar, o -omem do outro
lado da lin-a tin-a +assado o telefone de mão em
mão +ara !ue todos +udessem conversar +or um
momento com a celebridade/
>ob o ol-ar atento de Kearns, ,anny tin-a
encenado bem seu +a+el, mas al3uma coisa
começou a incomod@Clo assim !ue desli3aram o
telefone/ Embora a!ueles -omens =urassem !ue
eram os maiores fãs de ,anny e !ue tin-am visto
todos os v6deos +or ele +rodu4idos e lido cada
+alavra +or ele +ostada na internet,
a+arentemente eles tamb)m tin-am visto, lido e
ouvido coisas !ue ,anny Bailey tin-a certe4a de
nunca ter dito ou feito, como* a Jnica maneira de
reunir e incitar as +essoas +ara a ação seria ras3ar
as cortinas e forçar o inimi3o a dar as caras : lu4
do dia9 os oli3arcas da 3lobali4ação e seus
fantoc-es de Kas-in3ton vin-am evitando a bri3a
-avia mais de sessenta anos, e !ue a3ora seria
-ora de encararem a 3uerra9 as almas dos
(undadores da #ação estavam conclamando os
verdadeiros +atriotas a se a+resentarem e
acertarem as contas com a Re+Jblica9 finalmente,
tin-a c-e3ado a -ora de soar um tiro de can-ão do
s)culo $&, !ue fosse ouvido no mundo inteiro, o
Jltimo to!ue de trombeta anunciando o in6cio da
se3unda Revolução 'mericana/
as, mesmo !ue as +alavras não tivessem sido
e.atamente essas, os sentimentos +areciam
tremendamente familiares/ Talve4 ele tivesse
mesmo dito essas coisas, e era a+enas o conte.to
!ue a3ora as colocava sob uma nova lu4/ 'final de
contas, as coisas +odem soar diferentes !uando
ecoadas +or -omens !ue tin-am decidido divul3ar
sua mensa3em não com um me3afone, mas com
uma bomba de &U !uilotons, ca+a4 de devastar
uma cidade/
CA(TULO '6
"s dois =@ tin-am +ercorrido al3uns !uilTmetros de
um trec-o desolado e sem lua da rodovia
interestadual W%/ ' estrada estava tão escura !ue
o mundo : frente +arecia terminar no raio de
alcance dos far8is, e na =anela de tr@s do carro não
-avia nada a ser visto/
LEi, >tuartO
L(ala/
LEu não faria esse ti+o de coisa se concordasse
com esses criminosos/ #ão sou terrorista, mas não
sou viraCcasaca/
L#ão ac-ei !ue fosse L disse Kearns, com os
ol-os fi.os na estrada/
LComo eu disse antes, eles não são 3ente min-a,
e o !ue eles !uerem fa4er não ) o =eito certo de
mudar o estado das coisas, e eu nunca disse !ue
era/
L'credito em voc2/
?ela +rimeira ve4 um bateC+a+o teria sido bemC
vindo, mas, =@ !ue o motorista não estava muito a
fim de conversa, ,anny teve de se ocu+ar com os
+r8+rios +ensamentos, ouvindo o som da estrada
!ue ia ficando +ara tr@s/
LQue ti+o de telefone ) esteO L +er3untou
,anny/ Ele =@ tin-a re+arado antes no a+arel-o,
!ue estava conectado ao carre3ador =unto ao
console central/ Era 3rande demais +ara ser um
celular/ ?arecia uma versão menor e mais fina de
um >alJie(talJie, mas com um teclado +adrão/
LTelefone via sat)lite L res+ondeu Kearns/ L
(unciona em !ual!uer lu3ar/ ' cobertura do
celular neste lu3ar ) muito +rec@ria/
LDma3inei mesmo/
,e+ois de al3uns minutos Kearns tirou o +) do
acelerador e o fur3ão começou a diminuir a
velocidade9 em se3uida, ele a+a3ou os far8is/
L" !ue voc2 est@ fa4endoO
L'bai.e o vidro, +on-a a cabeça +ara fora e d2
uma ol-ada/
L?or !ue eu ia !uerer fa4er uma coisa dessasO
LConfie em mim/ Quero !ue voc2 ve=a uma coisa/
1oc2 mora na cidade, certoO
L>im, no centro de C-ica3o/ ' min-a vida inteira
morei l@/ L Ele abai.ou o vidro da =anela, enfiou a
cabeça no vento frio e ol-ou +ara cima, conforme
as instruções de Kearns/
LBom, e.istem s8 tr2s coisas +ara ver l@ fora no
meio do nada, mas esta ) uma delas L disse
Kearns/
L"-/// meu/// ,eus///
" ar estava com+letamente l6m+ido, ao !ue
+arecia, do c-ão @rido at) os confins do es+aço
sideral/ ,e -ori4onte a -ori4onte não -avia lu4es
feitas +ela mão -umana +ara obscurecer a vista/
il-ares de estrelas, talve4 de4enas de mil-ares
delas, bril-avam l@ em cima, como =8ias em uma
cJ+ula ne3ra de veludo/ Borrifos de minJsculos
+ontin-os de cores sutis, s8is brancos ful3urantes
em constelações re3ulares adornando os c)us9 a
idade dos astros ) im+oss6vel de se medir em anos
-umanos* eles estão a anosClu4 de dist;ncia, mas
) como se fosse !uase +oss6vel toc@Clos com as
mãos/
,anny recuou a cabeça +ara dentro do carro,
endireitouCse no banco e abai.ou o vidro,
en!uanto Kearns li3ava de novo os far8is e o
a!uecedor +ara es!uentar o interior do fur3ão/
L1aleu, cara, eu estava sentado a!ui +recisando
mesmo de um +ouco de +ers+ectiva/
LDsso a6 meio !ue fa4 o su=eito en.er3ar seu lu3ar,
não )O Lcomentou Kearns/ L V de l@ !ue a 3ente
veio, e ) +ara l@ !ue um dia a 3ente vai voltar/
L>abe de uma coisaO Eu li no seu cartão, mas
a3ora eu entendo +or !ue te c-amam de a3ente
es+ecial/
LBom, fil-o, !uerendo voc2 ou não, vou tomar
isso como um elo3io/
,e+ois de al3uns !uilTmetros, Kearns +e3ou uma
sa6da e lo3o voltou de novo : estrada de terra, !ue
ser+enteou +or a+ro.imadamente um !uilTmetro
entre cercas de arame far+ado at) dar em uma
+ista de cascal-o ainda mais estreita/
LV a!ui/ L avisou Kearns/ L 1oc2 est@ +rontoO
L"+a/ 1amos l@/
' +orta da 3ara3em estava levantada, e do local
em !ue estacionaram o carro, ,anny +Tde ver
claramente os -omens sentados em volta de
mesas de carteado, rodeados +or +il-as de sucata,
+eças de autom8veis e cai.as vermel-as de
ferramentas/ Eles se viraram !uando os far8is
iluminaram a +orta escancarada9 ao recon-ecer o
ve6culo, fi4eram 3estos convidando seus -8s+edes
a entrarem/
Kearns ficou no fur3ão9 ,anny desceu e subiu o
6n3reme trec-o na direção da casa, as mãos
abertas coladas aos flancos do cor+o, em um
esforço +ara !ue todos soubessem !ue não estava
armado/ Evidentemente a!ueles caras não
estavam +reocu+ados com isso/ Eles o
encontraram no meio do camin-o entre a calçada
e a 3ara3em e o cum+rimentaram como um vel-o
ami3o !ue não viam -avia tem+os/
>8 faltava uma coisa/ ,anny e Kearns es+eravam
encontrar cinco -omens na reunião, mas um deles
não estava l@/
Ca$% tu" o '7
#a reunião, o 3ru+o foi direto ao assunto/ ,anny
disse !ue at) ali a coisa tin-a ficado s8 na
conversa, mas a3ora era +ara valer/ >tuart Kearns
tin-a o !ue eles !ueriam, então a Jnica dJvida era
saber se eles tin-am finalmente encontrado os
-omens certos +ara o trabal-o/ >8 -averia uma
c-ance +ara a concreti4ação de um ata!ue !ue
levara anos de +lane=amento, +or isso muita coisa
de+endia da monta3em certa da e!ui+e/
,anny tirou do bolso uma fol-a de +a+el im+ressa,
uma transcrição do di@lo3o mais recente Avia bateC
+a+o virtualB com os !uatro -omens, e os
identificou +elos res+ectivos nomes/ (icou
sabendo !ue o !uinto inte3rante, um cara
c-amado Vlmer, tin-a feito uma via3em
ines+erada +ara Kin3man, 'ri4ona, a fim de tratar
de assuntos relativos ao mesmo es!uema, e s8
estaria de volta de+ois da meiaCnoite de se3undaC
feira/
M +edido de Bailey, cada um deles contou um
+ouco da +r8+ria -ist8ria de vida, usando somente
os +r)Cnomes/ ' Jnica coisa interessante sobre
essa +arte foi a falta de distinção entre as coisas
sensatas e malucas !ue cada um tin-a a di4er/
5eu nome ) Ron, cresci +erto de 0au3-lin e
trabal-ei nas minas de l@ desde a adolesc2ncia/ J@
fui casado, tive dois fil-os lindos, e sei o !ue se
+assa na cabeça da!ueles ban!ueiros sionistas e
da!uela va3abunda da rain-a da Dn3laterra desde
!ue vi o !ue eles fi4eram com a 3ente no && de
setembro5/
"s !uatro ali +resentes se con-eciam -avia anos e
tin-am entrado em contato com o tal Vlmer, o
-omem !ue estava ausente, +elo site de >tuart
Kearns/ Todos eles concordaram !ue Vlmer era um
su=eito s)rio e de absoluta confiança/
Nm deles fe4 +er3untas sobre os -ematomas e
outros res!u6cios da batal-a estam+ados no rosto
de ,anny, o !ue deu a ele a o+ortunidade de
e.+licar !ual era seu +a+el em tudo a!uilo/ Ele
relatou !ue tin-a sido +reso +or +oliciais de+ois de
uma reunião +atri8tica na Cidade de #ova Gork, e,
!uando estava sob cust8dia, os -omens da lei o
es+ancaram at) !uase mat@Clo/ Todo -omem tem
um +onto de ru+tura, e a!uele tin-a sido o dele/
(oi na!uele momento !ue ele soube !ue seria
im+oss6vel -aver solução +ac6fica +ara o conflito9 o
inimi3o tin-a dei.ado isso bem claro/ Então ele
li3ou +ara seu vel-o ami3o >tuart Kearns e +ediu a
ele !ue fosse +a3ar a fiança e livr@Clo da cadeia
+ara !ue +udesse +artici+ar do seu +lano/ '3ora
ele estava ali +ara a=udar no !ue +udesse, e
de+ois, !uando tudo acabasse, divul3aria a
-ist8ria +ara o mundo inteiro/
Quando ,anny deu o sinal, Kearns abriu a +orta e
fe4 um 3esto c-amando os -omens +ara o fur3ão/
'ssim !ue todos se reuniram ao lado do ve6culo,
ele abriu a +orta desli4ante, +endurou uma lu4 no
teto, acendeuCa com um cli!ue e mostrou aos
-omens a arma !ue -avia tra4ido +ara a missão/
En!uanto os -omens ol-avam a bomba com um
misto de admiração e e.+ectativa, Kearns
começou a dar uma aula sobre o dis+ositivo/ "
rendimento da o3iva seria e!uivalente ao da
bomba de Hiros-ima, embora o +adrão de
destruição fosse diferente, +ois a e.+losão
aconteceu ao n6vel do c-ão/ " mecanismo era
sofisticado, mas f@cil de usar, em+re3ando um
detonador suicida com um dis+ositivo de
se3urança +reso a uma unidade +adrão de 7?>
aco+lada ao inv8lucro met@lico/ Com a bomba
armada e escondida no carro, tudo o !ue eles
teriam a fa4er era diri3ir at) o local escol-ido
como alvo/ #ada de c8di3os, nada de besteiras
ti+o James Bond, nada de conta3ens re3ressivas
-ollyHoodianas L era s8 a=ustar e es!uecer/ #o
instante em !ue c-e3asse a !ual!uer local no raio
de S% metros do destino +r)Ca=ustado, o detonador
dis+araria e a e.+losão varreria tudo o !ue
e.istisse no raio de um !uilTmetro, em todas as
direções/
Kearns tirou do bolso duas +e!uenas c-aves,
inseriuCas no +ainel met@lico de controle, 3irouCas
at) ficarem na mesma +osição e a+ertou um botão
vermel-o central em !ue se lia o comando 'R'R2
Nma fileira de minJsculas lu4es amarelas se
iluminou9 de+ois, : medida !ue o dis+ositivo
eletrTnico foi sendo carre3ado com um leve
4umbido, as lu4es começaram a +iscar e a mudar
+ara a cor verde/
" 7?> lo3o encontrou seus sat)lites e o mostrador
se dividiu em duas metades* uma indicando a
+osição em !ue eles estavam e a outra mostrando
o alvo !ue tin-am decidido atacar* o 3abinete do
atual l6der da maioria do >enado, o Tribunal
(ederal 0loyd ,/ 7eor3e, no nJmero <<< do
Bulevar 0as 1e3as, na cidade de 0as 1e3as,
#evada/
CA(TULO '8
' =ul3ar +elas a+ar2ncias, a reunião tin-a sido
cort2s, ami3@vel at), mas o encontro terminou
com uma des+edida in!uieta, e a tensão ainda
estava no ar/
#em Bailey nem Kearns +u.aram conversa at)
terem +ercorrido !uase um !uilTmetro da
acidentada estradin-a de terra, lon3e da!uela
casa e rumo : relativa se3urança da rodovia
interestadual/
Le di4 o !ue -avia de errado l@ L +ediu ,anny/
Luita coisa estava errada/ L ' atenção de
Kearns se dividia entre a estrada e a escuridão no
retrovisor/
" +lano combinado era dei.ar a falsa bomba com
os cinco cole3as cons+iradores em troca de $% mil
d8lares !ue os -omens tin-am concordado em
+a3ar +ara cobrir as des+esas de Kearns/ #o dia
se3uinte eles iriam de carro L oito -oras de
via3em L at) 0as 1e3as +ara mandar +elos ares o
alvo escol-ido/ 0@ c-e3ando, em ve4 de encontrar
a c-ance de mart6rio, dariam de cara com uma
e!ui+e da >K'T e uma tro+a de a3entes federais
!ue estariam : es+era +ara +rend2Clos/ #en-um
da!ueles caras +arecia ser do ti+o !ue se dei.aria
+e3ar com vida9 +or isso, ao mesmo tem+o a (E'
mandaria +ara o local uma e!ui+e de a3entes
antiterror/ Com a @rea evacuada +or al3uns
!uarteirões, -averia menos +robabilidade de !ue
transeuntes ou curiosos inocentes acabassem
atin3idos no tiroteio !ue era +revisto/
as a reunião não tin-a terminado conforme o
es+erado, o !ue +odia si3nificar uma +orção de
coisas L nen-uma delas era o ideal/
#a mel-or das -i+8teses, o +roblema tin-a sido
um inocente malCentendido, !ue sim+lesmente
levaria ao atraso de um dia na e.ecução do +lano9
no +ior dos cen@rios, os terroristas tin-am
desconfiado e deram +ara tr@s, e a3ora estavam
reunidos decidindo o !ue fa4er/ >e fosse este o
caso L e ,anny su+Ts !ue era essa a e.+licação
+ara o ol-ar fi.o do com+an-eiro na estrada L,
dali a +ouco era bem +oss6vel !ue um +ar de far8is
a+arecesse na estrada, em uma fero4 +erse3uição
ao fur3ão/ >e isso acontecesse, era 3rande a
+ossibilidade de !ue ele e o a3ente Kearns
terminassem a noite enterrados =untos em uma
cova rasa/
L1oc2 sabe usar uma armaO L +er3untou Kearns/
L#ão sou nen-um es+ecialista, mas sei me virar/
L>e as coisas ficarem +retas, tem uma +istola a6
no +ortaC luvas/ ' trava de se3urança est@
!uebrada, mas no +rimeiro tiro ela d@ um tranco e
tanto/ ,e+ois do +rimeiro tiro o 3atil-o fica bem
leve/
LEu me viro com a arma/ ?or !ue não me di4 o
!ue est@ acontecendoO
Kearns +e3ou a ram+a de acesso : interestadual
&CW% e começou a ficar visivelmente mais rela.ado
: medida !ue o fur3ão foi 3an-ando velocidade/
L?rimeiro L ele disse L, ainda estamos com a
bomba deles, +or!ue eles não estavam com o
nosso din-eiro/ ?ode ser !ue não ten-am ainda
conse3uido =untar tudo e s8 vão estar com a 3rana
aman-ã, como eles disseram, ou talve4 ten-a sido
um ti+o de teste/
LQue testeO
LEles +odem estar nos testando/ Talve4
!uisessem ver se entre3@vamos a mercadoria
mesmo sem receber o +a3amento/ >e eu e voc2
somos mesmo !uem a 3ente di4 !ue ), eles sabem
!ue não aceitar6amos isso/ as ac-ariam !ue
somos uma du+la de federais tentando armar uma
cilada +ara eles, +ara !ue fossem fla3rados na
+osse de uma +rova do crime/
LEntendi/
LEm se3undo lu3ar, como voc2 descreveria o
n6vel intelectual da!ueles !uatro carasO
L>ei l@/ L ,anny ficou +ensativo durante al3uns
minutos/ L Estão mais +ara um bando de ovel-as
do !ue +ara um +astor/
LCerto, e voc2 sabe !uem do 3ru+o deles se
definiu como o c)rebro da o+eraçãoO
L,ei.eCme adivin-ar L ,anny soltou um sus+iro/
L " cara !ue não estava l@ -o=e/
LE.atamente/ #ão estou di4endo !ue a!ueles
caras !ue a 3ente acabou de con-ecer são
inofensivos, mas são a+enas se3uidores, e esse tal
de Vlmer ) o l6der/ >e estavam mentindo sobre o
+aradeiro dele, então ele +rovavelmente estava l@
em al3um lu3ar de ol-o em n8s, talve4 +ela mira
de um rifle de caça/ E se ele est@ mesmo no
'ri4ona, como eles disseram, eu me +er3unto o
!ue ser@ !ue ele est@ fa4endo l@/
Las então e a3oraO L !uis saber ,anny/ L J@
cum+ri min-a +arteO 1oc2 +ode me liberar a3oraO
L'inda não/ Eu disse a eles +ara me mandarem
um e(mail !uando nosso ami3o Vlmer voltar +ara a
cidade, e a6 vamos marcar outro encontro +ara
aman-ã/ En!uanto isso, eu vou falar com o meu
contato/ 'man-ã a 3ente vai ter de a3ir de
im+roviso/
"s dois se3uiram estrada adiante, e, com o +assar
de al3uns silenciosos minutos, os ol-ares de
Kearns +ara o retrovisor foram ficando menos
fre!uentes, at) !ue ele +or fim concluiu !ue a
ameaça imediata tin-a ficado +ara tr@s/ Kearns
li3ou o r@dio e me.eu no dial at) encontrar uma
estação de cl@ssicos/ Ele se a=eitou no banco,
ouvindo as letras e melodias de mJsicas do
+assado, como se a canção es+ec6fica !ue estava
tocando na!uele momento +udesse ser um sinal
de !ue suas +reocu+ações tin-am c-e3ado ao fim/
Quando c-e3ou o refrão, Kearns começou a cantar
=unto, murmurando em um falsete desafinado/
,anny ol-ou +ara ele/
LEi, >tuartO
L(ala/
L?osso +er3untar uma coisa +essoalO
LClaro/ ?ode +er3untar, mas não +reciso
res+onder/
LNma carreira no (BD dura !uanto tem+o, $%, $U
anosO
LEm 3eral, )/ ?or a6/
LEntão não me leve a mal, mas um -omem da
sua idade =@ não devia estar a+osentadoO
Kearns ol-ou de soslaio +ara ele, abai.ou o
volume do r@dio e de+ois voltou a se concentrar na
direção/
L1oc2 !uer di4er o se3uinte* +or !ue um cara de
]< anos ainda est@ trabal-ando nas ruas, em ve4
de ficar sentado atr@s de uma escrivanin-a
fa4endo trabal-o burocr@tico ou curtindo a
a+osentadoria do 3overnoO
LEu s8 estava curioso/
LV uma lon3a -ist8ria/
LBom L disse ,anny L, temos muita estrada
+ela frente/
Ca$%tu"o '9
#o fim das contas, ,anny descobriu !ue uma
d)cada antes >tuart Kearns ocu+ara um car3o
muito diferente/ Ele tin-a trabal-ado nos escalões
mais altos da luta contra o terrorismo, =unto com
um -omem c-amado Jo-n "I#eill, a3ente !ue ao
lon3o da d)cada de &SS%, era uma das vo4es mais
ativas no !ue di4ia res+eito : +reocu+ação com o
3rave +eri3o re+resentado +or "sama bin 0aden e
a 'l Qaeda/ Contudo, em ve4 de ser +remiado +or
seus alertas, muita 3ente ac-ava !ue os alertas de
"I#eill L e a maneira como ele os fa4ia L -aviam
custado a sua carreira/
Jo-n "I#eill tin-a antevisto uma lament@vel falta
de +re+aro +ara enfrentar a ameaça do terrorismo
de Estado, o+inião !ue ele e.+ressava com todas
as letras e sem rodeios9 mesmo sabendo !ue os
fi3urões l@ de cima não 3ostavam de ouvir as
cr6ticas abertas ao 3overno, em 3eral, e ao (BD, em
+articular, es+ecialmente vindas de um de seus
+r8+rios a3entes/
?or fim, "I#eill caiu de ve4 em des3raça, de+ois de
ser, +reterido em v@rias o+ortunidades de
+romoção e de ser v6tima de al3umas não muito
sutis cam+an-as de difamação9 a+8s trabal-ar
vinte e sete anos no (BD, +ediu demissão e
assumiu a c-efia de se3urança do Korld Trade
Center na Cidade de #ova Gork/ >eu +rimeiro dia
no novo em+re3o foi tr2s semanas antes de
morrer como -er8i em && de setembro de $%%&/
' carreira de Kearns no (BD fora i3ualmente
arruinada +or sua fran!ue4a e sua ami4ade com
"I#eill9 teimosamente tin-a escol-ido enfrentar a
tem+estade em ve4 de +edir as contas/ ?or)m, a
m@!uina burocr@tica =amais se es!uece de seus
desafetos, e ele foi sendo +osto +ara escanteio,
at) !ue nos Jltimos anos fora rele3ado a missões
tão secretas !ue, :s ve4es, se +er3untava se
al3u)m ainda se lembrava de !ue ele era um
a3ente/
L,eva3ar, deva3ar L +ediu ,anny/
Kearns tirou o +) es!uerdo do acelerador e
+er3untou/
L" !ue foiO
Le fa4 um favor e +e3ue a!uela sa6da ali :
direita/
#o to+o da ram+a de acesso, -avia +ouca coisa de
interesse al)m de carta4es de +ro+a3anda de
comida, combust6vel e -os+eda3em/ '-, e um
atraente e c-amativo o&tdoor do Ranc-o das
7atin-as/
L1oc2 deve estar de brincadeira comi3o L disse
Kearns/
L' 3ente teve uma noite dif6cil, e eu 3ostaria de
beber uma cerve=a/
LTen-o cerve=a em casa/
LNma lata de cerve=a em um trailer com outro
cara e uma cerve=a em um bordel de #evada são
duas coisas totalmente diferentes, e neste
momento estou +recisando da se3unda/
,e maneira sur+reendente, Kearns não bri3ou/
>em reclamar, ele se3uiu as +lacas e +ercorreu a
tortuosa rota at) entrar com o carro em uma das
va3as na lateral do estacionamento/
,anny desceu do fur3ão, a=eitou as rou+as
amarfan-adas e ol-ou +ara tr@s/
L1oc2 não vemO
L#ão, ac-o !ue não/ (alsa ou não, não vou dei.ar
uma bomba atTmica no estacionamento de um
bordel de beira de estrada/
LT@ bom, !uem sai +erdendo ) voc2/ 1oc2 +ode
me adiantar &%% +ratas at) o dia do +a3amentoO
L#ão ten-o &%%/ L Kearns abriu a carteira, tirou
uma c)dula e +assouCa +ara as mãos de ,anny
+ela +orta aberta do fur3ão/ L Ten-o $%/
En!uanto es+ero, vou tentar dar um telefonema/
as não demore a noite inteira/ 'man-ã vamos
acordar cedo/
LCom $% d8lares, duvido !ue eu consi3a demorar
mais !ue de4 minutos/
LE sei !ue nem +reciso di4er +ara voc2 tomar
cuidado com o !ue e com !uem voc2 fala L
advertiu Kearns/ L Tome seu drin!ue e volte lo3o/
#ão me faça entrar l@ +ara buscar voc2/
L1olto =@/
0@ dentro, ,anny mal tin-a se sentado no balcão e
feito seu +edido !uando uma das moças mais
atraentes da noite se convidou +ara se sentar ao
lado dele/
L" !ue +osso fa4er +or voc2O L ela +er3untou/
LV uma +er3unta ca+ciosa em um lu3ar destes,
não )O
Ela fran4iu um +ouco a testa e encarouCo mais de
+erto/
LEu con-eço voc2, sen-orO
" 'arman rea+areceu tra4endo uma caneca de
cerve=a, +e3ou a nota de $% e dei.ou sobre o
balcão uma c)dula de de4/
LQual ) seu nomeO L ele +er3untou/
Leu nome ) Tiffany/ L ,e re+ente os ol-os dela
se iluminaram/ L 1oc2 ) a!uele cara da internet,
da!uele v6deo/
L>ou eu, sim L confirmou ,anny, a+ro.imandoC
se mais dela/ L ?reciso !ue voc2 me faça um
favor/
#o camarim dela, nos fundos do bar, ,anny deu :
sua nova ami3a um aut83rafo e sua Jltima c)dula
de de4 d8lares, o !ue +a3ou +elo direito de usar
durante cinco minutos o celular dela/
En!uanto escrevia uma mensa3em de te.to +ara
olly Ross, ,anny começou a +erceber !ue na
verdade tin-a +oucas informações secretas a
transmitir/ Ele sabia o codinome da o+eração com
a !ual tin-a se envolvido9 tin-a visto a +a+elada
!ue o obri3aram a assinar ao ser solto da cadeia/
>abia !uando a o+eração aconteceria/ E sabia !ue
al3uma coisa estava errada e !ue a es+iral
descendente +odia estar a+enas começando/
#o bar, a televisão e.ibia o notici@rio, e na entrada
de le3endas no roda+) da tela, leu !ue o alerta de
ameaça terrorista tin-a mudado +ara a cor laran=a,
o Jltimo n6vel antes do alerta vermel-o, ou
m@.imo/ Talve4 isso estivesse relacionado ao
ne38cio de Kearns, talve4 não/ Tudo o !ue ele
+odia fa4er era tentar manter todo mundo em
movimento e bem lon3e da @rea, e torcer +elo
mel-or/
Ele releu +ela Jltima ve4 o te.to do tor+edo e
a+ertou a tecla Enviar/
m o l l y C
e s + a l - e a n o t 6 c i a C f i ! u e m l o n 3 e d e l a s v e 3 a s n a s e 3 u n d a
o + e r a ç ã o s e c r e t a d o ( B D C j k e . i 3 e n t e k
s e c u i d a
b e i = o s e a b r a ç o s
d b
Ca$% tu" o ':
,e um canto da mente de #oa-, um fra3mento
m6nimo de sua consci2ncia via tudo claramente,
mas essa +arte tin-a desistido de tentar acordar o
restante de seu cor+o/ #oa- ainda estava deitado
onde olly o -avia dei.ado, não e.atamente
dormindo, mas lon3e de estar acordado/
Ele tin-a ouvido um barul-o distante de +isadas e
3ritos abafados vindos de al3um lu3ar da
escuridão a3itada de sua mente/ Esses sons não o
dei.aram alarmado, a+enas se misturaram a seu
son-o ruim/
M medida !ue #oa- foi ficando mais vel-o seus
+esadelos se tornaram menos fre!uentes, mas
eram sem+re i3uais/ #ada de +erse3uições em
c;mera lenta, 4umbis cambaleantes ou ol-os
amarelos es+iando +ela +orta aberta do arm@rio9 o
tema recorrente de seus terrores noturnos não era
tão elaborado/ Em todos os +esadelos ele
sim+lesmente se via +reso, sem+re amarrado a
al3uma coisa o+ressora e inesca+@vel, en!uanto
sua vida ia escoando lentamente/ 1iaCse em um
cai.ão de madeira sendo enterrado vivo, sufocado
sob um travesseiro +ressionado contra seu rosto
+or mãos +oderosas, esma3ado +ela massa de
neve de uma avalanc-e, aterrori4ado e indefeso
+or saber !ue tin-a começado a morrer/
,esta ve4, ele estava sob @3uas +rofundas/ Ele
+odia ver a lu4 do sol bril-ando atrav)s das ondas
l@ em cima, todo o ar de !ue ele +recisava estava
l@, mas lon3e demais/ En!uanto se esforçava
tentando subir, cada braçada s8 servia +ara
im+elir seu cor+o +ara bai.o, at) !ue +or fim
al3um instinto +rimitivo e.i3iu !ue ele res+irasse/
Ele arfou e a @3ua sal3ada invadiu seus +ulmões,
saiu e entrou de novo, !ueimando feito @cido/
Essa era a +arte em !ue ele sabia !ue +recisava
acordar, +ois, se não fi4esse isso, tin-a certe4a de
!ue o son-o o mataria/ as não conse3uia
esca+ar/
Houve um bum, um ru6do bem mais alto do !ue os
sons de antes, e de+ois disso #oa- sentiu !ue
al3u)m o a3arrava +elos ombros e o c-acoal-ava/
Ele lutou contra a +ressão e fe4 força +ara abrir os
ol-os/
Coisas ne3ras estavam raste=ando +elo c-ão e
+elas +aredes, sobre seus braços, sobre o rosto do
-omem a sua frente/ Ele a3itou os braços, +erdeu
o e!uil6brio e desabou no c-ão/ ?essoas +assavam
correndo, de armas em +un-o, 3ritando/ Nma
mul-er mais vel-a se a=oel-ou ao lado dele e abriu
uma bolsa !ue ela mesma tin-a colocado no c-ão/
Ela tocou o rosto de #oa-, disse o nome dele como
se fosse uma +er3unta, e com o +ole3ar abriu um
dos ol-os dele/ Nma lu4 branca e !uente
res+landeceu, tão intensa !ue do6a, e ele tentou se
es!uivar/
LCalma L disse a mul-er, e fe4 um 3esto +ara
uma +essoa atr@s dele/
"utras +essoas se a+ro.imaram, e #oa- sentiu
!ue al3u)m desabotoava sua camisa, sentiu !ue
mãos se moviam sobre ele como se estivessem
revistando seu cor+o : +rocura de al3uma coisa/
,e+ois sentiu muita dor e ouviu o som de al3o se
ras3ando, como se uma tira de fita adesiva tivesse
sido arrancada do seu +eito, +erto do ombro/ Eles
levantaram uma das man3as da camisa de #oa- e
al3o frio e mol-ado foi esfre3ado na veia na dobra
do cotovelo/
L1oc2 vai sentir uma +ontadin-a L disse a
mul-er/
Ele ol-ou e viu uma a3ul-a -i+od)rmica sendo
enfiada em seu braço, mas sentiu a+enas uma
+ressão distante e de+ois um lento 3ote=amento
en!uanto o 2mbolo era +ressionado at) o fim/ '
sala tin-a começado a 3irar lentamente, com ele
no centro/
' m)dica estalou os dedos diante de seu rosto/
L#oa-O ?ode me di4er em !ue ano estamosO
L"nde estouO
LEst@ a salvo/ Qual ) o nome de solteira da sua
mãe, voc2 sabeO L Ela tin-a colocado o
estetosc8+io no +eito dele e sua atenção estava
voltada +ara o mostrador do rel83io de +ulso/
LKilson/ Jaime Kilson/ L Ele sentiu !ue sua
cabeça começava a desanuviar, +or meio de um
3radual e nada natural acesso de consci2ncia,
+rovavelmente resultante da!uela in=eção/ >uas
t2m+oras estavam late=ando, e ele rec-açou as
mãos !ue o a=udaram a se sentar/
LE !ue dia ) -o=eO
LC-e3uei a!ui na noite de s@bado/
"utras +essoas tin-am se reunido a sua volta, e
ele +ercebeu !ue elas se entreol-aram ao ouvir
sua res+osta/
L" !ue aconteceuO ?or !uanto tem+o estive foraO
LHo=e ) se3undaCfeira, !uase meioCdia L a
mul-er res+ondeu/ Ela tirou as luvas, 3uardou as
coisas na sua maleta de m)dica e se virou +ara
uma das +essoas/ L 1ou lev@Clo a3ora/ Tr2s de
voc2s ven-am comi3o, e os demais terminem tudo
a!ui/ ,e+ois d2em o fora/
J@ era se3undaCfeira, !uase meioCdia9 ele tin-a
morrido +ara o mundo durante [% -oras/ #oa- se
esforçou +ara tentar entender a situação,
en!uanto dois -omens o a=udaram a se levantar/
Eles ficaram =unto dele, como se =@ es+erassem
!ue ele fosse desabar imediatamente caso
resolvesse camin-ar +or conta +r8+ria/
L?ara onde estamos indoO L ele +er3untou/
' mul-er ol-ou +ara ele, e sua conduta tin-a
ficado mais fria/ Dsso acontece com al3uns
m)dicos/ 'ssim !ue o +aciente d@ sinais de
mel-ora, eles não v2em mais utilidade em ser
3entis/
L>eu +ai !uer ver voc2 L ela res+ondeu/
Ca$%tu"o ';
Em !ue fuso -or@rio fica #evadaO L ,anny
+er3untou com um 3rito na direção da co4in-a do
trailer/ >eu rel83io, um Role. falsificado, não era
muito f@cil de rea=ustar/ ?or isso, toda ve4 !ue ele
via=ava, evitava ao m@.imo me.er na 3erin3onça/
as, desta ve4, tudo indicava !ue seria um
da!ueles dias em !ue ele +recisaria saber as
-oras/
L Hora do ?ac6fico, i3ual a 0os 'n3eles L o a3ente
Kearns res+ondeu com um berro/ L >ão W-$U/
"s dois tin-am dormido um +ouco al)m da conta e
a3ora estavam se a+ressando +ara +e3ar a
estrada/ ?ara aumentar ainda mais a tensão,
Kearns tin-a dito !ue na noite anterior não
conse3uira falar com seu contato do (BD, e !ue de
man-ã4in-a tin-a recebido um e(mail muito
eni3m@tico de seu novo com+an-eiro de
terrorismo/
" remetente da mensa3em era o -omem !ue não
tin-a dado as caras na reunião, o tal de Vlmer/
Haveria outro encontro na!uela tarde, desta ve4
uma reunião de verdade, +ara valer, !uando a
bomba seria trocada +elo din-eiro e acertariam os
Jltimos detal-es sobre o ata!ue +lane=ado ao
centro de 0as 1e3as/ " encontro estava marcado
+ara as &R -oras da tarde, em al3um lu3ar no
meio do deserto, tão distante da civili4ação !ue as
Jnicas indicações fornecidas +ara c-e3ar eram
nJmeros indicando a latitude e a lon3itude/
,anny era o mais -@bil no com+utador, +or isso
ficou incumbido de visitar o site a+Quest e
+lane=ar uma rota at) o local remoto/ En!uanto
Kearns estava no ban-eiro, ,anny acessou seu
serviço favorito de e(mails anTnimos e des+ac-ou
um te.to r@+ido +ara seu estafe em C-ica3o, com
c8+ia +ara olly e uma lista de seus outros
com+atriotas de confiança*
'+enas +ara Con-ecimento
#ão res+onda nem Encamin-e
'+a3ue ,e+ois de 0er
7rande reunião -o=e, se3unda : tarde, sul de
#evada/ >e não ouvirem not6cias min-as at)
!uarta, ) +or!ue +rovavelmente estou morto,e
estas são as coordenadas +ara voc2s +rocurarem
meu cor+o*
0at <R
o
<SIU[/<U5#
0on3 &&]
o
U]I<&/[W5K
(DQNE 0"#7E de #evada at) se3unda ordem
,b
Bem !ue eu !ueria !ue fosse s8 uma brincadeira/
Quando Kearns saiu do ban-eiro, a mensa3em =@
tin-a sido enviada, o -ist8rico do nave3ador =@
-avia sido a+a3ado e o ma+a =@ estava im+resso/
'ssim !ue a falsa bomba foi carre3ada novamente
no fur3ão, ,anny sentouCse no banco do motorista
e es+erou, a!uecendo as mãos em volta de um
co+o de caf) instant;neo en!uanto o motor do
carro es!uentava/ Tin-am +ela frente uma via3em
de oito -oras, e o resultado final de sua =ornada
era descon-ecido, mas, considerando todos os
fatos, at) !ue ele estava se sentindo
estran-amente calmo/
Nm minuto de+ois, Kearns saiu e se diri3iu ao
ve6culo, mas no meio do camin-o +arou e bateu de
leve na testa, como se !uase tivesse se es!uecido
de al3uma coisa muito im+ortante/ Ele se virou e
voltou correndo +ara a frente do trailer,
destrancou a +orta e se3urouCa aberta durante
cerca de um minuto e meio, c-amando o 3ato com
3estos, at) !ue o bic-ano +or fim a+areceu e saiu
correndo +ara o !uintal de terra batida, Então o
a3ente Kearns se a=oel-ou e com uma man3ueira
enc-eu de @3ua uma calota invertida, de+ois a
colocou cuidadosamente nos de3raus da +orta, em
um lu3ar ao abri3o do sol/
Era al3o !ue !ual!uer +essoa faria, se tivesse um
animal de estimação e soubesse !ue s8 voltaria
+ara casa no dia se3uinte/ Então a ,anny +areceu
e L embora ele não soubesse di4er e.atamente
+or !ue L ac-ava !ue talve4 fosse ficar lon3e de
casa bem mais tem+o !ue isso/
CA(TULO )<
,e+ois !ue o levaram at) o nJmero U%% da Quinta
'venida, os acom+an-antes de #oa- es+eraram
do lado de fora da su6te en!uanto ele tomava um
r@+ido ban-o de c-uveiro e vestia as rou+as
lim+as !ue seu secret@rio tin-a +rovidenciado/ Em
se3uida, a comitiva o acom+an-ou at) a sala mais
reservada do $%
o
andar/
'rt-ur 7ardner estava sentado atr@s de sua mesa
de trabal-o, com a a+ar2ncia de um =ui4, os dedos
com+ridos entrelaçados, reclinado e contem+lando
sua +oltrona de couro favorita/
C-arlie #elan estava em +) =unto : =anela/ Ele
trocou um ol-ar com #oa- e balançou a cabeça de
modo !uase im+erce+t6vel/ C-arlie +arecia ao
mesmo tem+o e.austo e intensamente atento, a
camisa amarrotada desabotoada no colarin-o, as
man3as dobradas, sem 3ravata/ ' e.+ressão em
seu rosto nada tin-a a ver com a ima3em cort2s
!ue o advo3ado mantin-a em +Jblico9 era o ol-ar
de um -omem !ue tin-a sido acordado de um
sono +rofundo +ara a+a3ar um inc2ndio de
3randes +ro+orções/
' m)dica tin-a dado a #oa- um frasco sem r8tulo
!ue contin-a al3uns com+rimidos brancos/ Era
uma variação de bai.a dosa3em do mesmo
medicamento !ue ele tin-a recebido antes, e cu=o
intuito era combater os efeitos +rolon3ados do
adesivo anest)sico !ue ela tin-a arrancado de seu
+eito ao encontr@Clo/
Ele =@ tin-a tomado um dos com+rimidos, o !ue
a=udou um +ouco, mas mesmo com a dro3a ele
ainda estava se sentindo como se tivesse acabado
de sair de uma montan-aCrussa/ Quando #oa- se
sentou na cadeira es+ecialmente reservada +ara
ele defronte : am+la mesa do +ai, o frasco fe4
barul-o no seu bolso/
" c-efe da se3urança da firma, um e.Cmercen@rio
c-amado Karren 0anders, conversou +or al3uns
minutos com seus !uatro subordinados, !ue
tin-am escoltado #oa- de volta ao edif6cio/ #oa-
s8 tin-a travado contato direto com a!uele
-omem em +ou!u6ssimas ocasiões, o !ue bastou
+ara dei.ar nele uma im+ressão duradoura/
0anders era o valentão da escola !ue acabou
arran=ando um em+re3o e.ecutivo onde +odia usar
terno e 3ravata e era +a3o +ara fa4er o !ue ainda
adorava fa4er/ Toda ve4 !ue ele falava +arecia
-aver em sua vo4 al3o escondido nas entrelin-as,
um sorrisin-o afetado e malicioso, como se ele
en.er3asse no interlocutor o desfec-o de uma
+iada !ue s8 e.istia em sua +r8+ria mente/
"bedecendo a um leve 3esto de 'rt-ur 7ardner,
os !uatro ca+an3as se retiraram da sala e o >r/
0anders se +osicionou ao lado da mesa/ Nma ve4
!ue estava na berlinda, diante dos ol-ares de
todos, #oa- sentiu !ue era sua ve4 de di4er
al3uma coisa, mas não sabia ao certo como
começar/
L?ai///
L(ico feli4 de ver !ue voc2 não se feriu L
interrom+eu o vel-o/ Certamente ele não estava
com cara de bons ami3os, mas, a+esar do +esares,
suas +alavras +areciam sinceras/
L,o mesmo =eito !ue o encontramos na noite de
se.ta na dele3acia de +ol6cia L esclareceu C-arlie/
L >eu celular/ Tiraram a bateria, mas al3u)m
colocou de volta e li3ou o telefone, mais ou menos
uma -ora atr@s/
#oa- +ensou um +ouco/
L,escul+emCme, mas eu não entendo/ 1oc2s
rastrearam meu telefoneO Como fi4eram issoO
Com sua -abitual sutile4a, 0anders res+ondeu :
+er3unta/
L' +rimeira coisa foi descobrir !uem va4ou
a!uele documento do 3overno +ara a im+rensa na
semana +assada/
LQuem foiO
LEle foi escaneado e enviado da!ui mesmo/ ,uas
-oras de+ois de ter c-e3ado : sala de e.+edição/
L#ão acredito nisso/
0anders +e3ou uma +asta de +a+elCmanil-a e
colocouCa nas mãos de #oa-/
L1e=a voc2 mesmo/
' +asta não tin-a identificação e os +a+)is dentro
dela, rec)mCc-e3ados da fotoco+iadora, ainda
estavam !uentes/ " +rimeiro documento era a
ca+a de um dossi2, cu=o t6tulo, em ne3rito,
contin-a a+enas um nome* olly Ross/
Ele virou a +@3ina e viu as +istas dei.adas +or
olly ao usar o com+utador do setor de tecnolo3ia
da informação/ 0@ estava a +rova do login dela e
de al3umas tentativas bastante cautelosas de
ocultar as atividades sus+eitas +or meio do uso de
uma m@scara de rede e de um site proxy +ara
com+licar a identificação do usu@rio/ ' mensa3em
em !uestão tin-a sido enviada a uma lista de
destinat@rios de fora do fire>all da em+resa/ E l@
estava o ane.o contendo uma versão di3itali4ada
do memorando outrora secreto do ,e+artamento
de >e3urança Dnterna/
>em sombra de dJvida, ela tin-a feito a!uilo9 sem
sombra de dJvida, ela tin-a tentado esconder o
!ue tin-a feito/
C-arlie trou.e um +ouco de @3ua, !ue #oa-
aceitou +rontamente/ Com as mãos tr2mulas, ele
tentou tirar do bolso mais al3uns com+rimidos,
!ue en3oliu com a @3ua !ue ainda restava no
co+o/
L1@ em frente/ (ica ainda mel-or L su3eriu
0anders/
#a +@3ina se3uinte -avia uma foto3rafia de olly
em al3um ambiente acad2mico, e #oa- demorou
al3uns se3undos +ara recon-ecer todas as coisas
diferentes/ Ela a3ora usava 8culos, de armação
fina e lentes li3eiramente escuras/ "s cabelos
eram mais lon3os e mais claros, !uase loiros/ as
as mudanças iam al)m da a+ar2ncia f6sica/ Havia
nela uma sofisticação, um estilo e uma seriedade
!ue ele ou tin-a dei.ado +assar des+ercebidos ou
ela tin-a escondido muito bem no +ouco tem+o
!ue -aviam +assado =untos/
Em outra foto ela +arecia estar em al3um ti+o de
com6cio9 de um lado estava sua mãe, e do outro o
oni+resente ,anny Bailey, com os braços em volta
da cintura de olly, e os dela em torno dele, como
se estivessem +osando +ara a c;mera/
' foto3rafia se3uinte +arecia mais recente/ olly
estava so4in-a, usando 8culos de aviador, um
bon) virado +ara tr@s, uma bermuda sem bain-a e
um top camuflado/ #as mãos ela se3urava o !ue
+arecia ser um rifle autom@tico com um cartuc-o
de munição, como se fosse o acess8rio mais
comum e natural !ue uma linda mul-er +oderia
e.ibir em uma clara man-ã de verão em um
cam+o de tiro/ ?or al3uma ra4ão ele +ensou na
famosa foto de 0ee Harvey "sHald em seu !uintal,
se3urando em uma das mãos seus =ornais radicais
e na outra a arma do crime, +oucos meses antes
de seu encontro com J(K na ?raça ,ailey/
L?elo !ue a 3ente dedu4iu L disse 0anders L,
esses caras !ueriam =o3ar lama no 3overno,
nossos novos clientes, es+ecificamente, e
identificaram nossa firma como o elo mais fraco da
cadeia de se3urança/ Então mandaram essa
3arota +ara uma a32ncia de em+re3os !ue a
3ente usa, e voc2 +ode ver bem a!ui L ele bateu
em um dos +a+)is na +asta aberta L !ue ela
escreveu um curr6culo !ue dava a entender !ue
ela era +erfeita +ara conse3uir um em+re3o
tem+or@rio a!ui, e usou a l@bia +ara ficar com a
va3a/ ,@ +ara ver !ue essa tal de Ross sabe ser
bastante sedutora/
#oa- sentiu o rosto afo3uearCse/
Las não bastava conse3uir uma va3a na sala de
e.+edição L continuou 0anders/ L Dsso deu a ela
acesso limitado, mas, +ara fa4er o ti+o de estra3o
!ue eles !ueriam fa4er, ela +recisava da a=uda de
al3u)m a!ui de dentro/
L,i3a de uma ve4 o !ue voc2 est@ !uerendo di4er
L interrom+eu #oa-/ L 1oc2 ac-a mesmo !ue eu
!uis a=udar essa 3enteO Eu a con-eci na se.ta, foi
totalmente casual, e de+ois a trou.e a!ui no
s@bado : noite, e isso foi um erro terr6vel e sei !ue
mereço tudo o !ue acontecer comi3o +or causa
disso/ as não fi!ue a6 insinuando !ue eu estava
envolvido nessa -ist8ria/
0anders +e3ou outra +asta de cima da mesa, e,
de+ois de um meneio de cabeça de 'rt-ur,
entre3ouCa a #oa-/
L " !ue estou di4endo ) !ue não -ouve nada de
casual na maneira como voc2 a con-eceu, e isso
tudo começou muito antes da Jltima se.taCfeira/
Quando abriu a nova +asta, #oa- viu !ue a
foto3rafia +resa com um cli+e era uma am+liação
do crac-@ de olly na em+resa/ " crac-@ tra4ia a
mesma foto !ue ele tin-a admirado tanto !uando
falou com olly +ela +rimeira ve4 Ana ocasião ela
estava usando um belo su)ter em seu tom favorito
de a4ulB/ Ela estava linda, ) claro, com um ol-ar
!ue +arecia +reenc-er todos os re!uisitos de sua
lista +essoal de !ualidades femininas/ as, da
+rimeira ve4, ele tin-a dei.ado +assar em branco
uma coisa im+ortante* ela tamb)m +arecia ser
e.tremamente es+erta/
#a +arte direita da +asta, -avia um +un-ado de
+@3inas im+ressas, com informações !ue não
eram sobre olly, mas, +elo visto, +ertenciam a
ela/ Era um con=unto de dados contendo tudo o
!ue al3u)m +odia saber sobre #oa- 7ardner, e
boa +arte do material tin-a sido involuntariamente
fornecida +elo +r8+rio #oa-/ >eu +erfil do
(acebook, o -ist8rico do THitter, as res+ostas a
!uestion@rios de v@rios sites de namoro, os te.tos
+ublicados +or ele em seu 'log +essoal, e at)
mesmo o -ist8rico de seu nave3ador ao lon3o de
al3umas semanas recentes L a maioria das
informações era acess6vel e +Jblica, mas a
obtenção de +arte do dossi2 e.i3ira roubo de
sen-as e certa -abilidade dos hacJers0
Ele sentiu o moment;neo im+ulso de +er3untar de
!ue maneira 0anders tin-a conse3uido reunir
a!uelas informações, su+ostamente do
com+utador de olly, mas então se lembrou de
onde trabal-ava/ #oa- =@ tin-a visto muitas ve4es
a!uele mesmo ti+o de roubo di3ital, ao lon3o de
cam+an-as +ol6ticas su=as e de ações de
es+iona3em cor+orativa/ 's +@3inas tra4iam o
carimbo de re3istros de evid2ncia, como se
tivessem sido fornecidas +elo +rovedor de internet
de olly, 3raças a al3um obscuro conluio com as
autoridades le3ais/ ?or mais frou.as !ue
andassem as atuais leis sobre a +rivacidade, tudo
era sim+lesmente uma !uestão de telefonar +ara a
+essoa certa e +a3ar a costumeira ta.a/
#oa- virou outra +@3ina, e o item se3uinte
acertouCo em c-eio, como um soco na boca do
estTma3o/ Em um +rimeiro momento, =ul3ou
tratarCse de outra foto de olly, +ois essa +arecia
a intenção da!uele con=unto de documentos/
as era uma foto da mãe de #oa-, !ue ele mesmo
tin-a +ostado em seu 'log meses antes, +or
ocasião de al3uma data si3nificativa/ Talve4
tivesse sido no anivers@rio dela, talve4 no
anivers@rio de falecimento, ou sim+lesmente em
uma das muitas noites insones em !ue a saudade
era mais forte !ue o -abitual/ #a foto ela tin-a $%
e +oucos anos, !uase a mesma idade de olly, e
era uma =ovem feli4 e rebelde, com um sorriso de
+artir o coração/ Ela estava usando =eans
desbotados, sand@lias e um su)ter bordado a4ulC
esmalte, com uma flor nos cabelos ne3ros e
cac-eados/
L 1oc2 não teve nem c-ance, #oa- L disse
C-arlie/ L Ela veio a!ui es+ecificamente +ara se
a+ro.imar de voc2 e de+ois tirar vanta3em disso/
Essa tal de Ross sabia tanta coisa sobre voc2 !ue
fe4 sua cabeça, de um =eito !ue voc2 nem teve
como +erceber/ #in3u)m teria +ercebido/ L Ele
+u.ou uma cadeira e se sentou/ L '3ora, +or !ue
voc2 não nos conta tudo o !ue aconteceu com
essa mul-erO ?ode começar do começo/ Estamos
em +leno controle dos danos, então não omita
nen-um detal-e/
Ele contou/ "l-ando +ara tr@s tudo +arecia
dolorosamente claro, mas mesmo assim de ve4 em
!uando o >r/ 0anders interrom+ia o relato +ara
salientar os as+ectos mais sutis da traição, a t6tulo
de +revenção +ara o caso de al3o +assar
des+ercebido +elos dois outros -omens/
Ele tin-a con-ecido olly na sala de descanso e
conv6vio dos funcion@rios L o !ue obviamente foi
ar!uitetado +ara +arecer casual, mas nada tin-a
de aleat8rio/ Ele visitava a m@!uina de
sal3adin-os todo dia +raticamente na mesma
-ora/ " visual dela +arecia ter sido +ensado +ara
atrair a atenção dele e atiçar as +rofunde4as de
seu inconsciente/ E de+ois ela tin-a a3ido com
com+leta indiferença, o !ue s8 serviu +ara a3uçar
o interesse dele e enfeitiç@Clo de imediato/
#a se.taCfeira, de+ois do e.+ediente, ele foi ao
centro da cidade +ara encontrarCser com ela na
reunião9 C-arlie =@ tin-a dado essa informação aos
outros dois -omens/ #oa- levouCa +ara casa e,
en!uanto dormia, ela saiu L foi !uando olly fe4
c8+ias das c-aves, se3undo 0anders, e tamb)m
+arou +ara confidenciar ao +orteiro !ue voltaria
mais tarde com um +un-ado de ami3os +ara fa4er
uma sur+resa a #oa-/
,e+ois #oa- levouCa ao escrit8rio e mostrou a
a+resentação/ 'o fa4er isso +ro+iciou acesso a
documentos confidenciais, !ue na mesma noite ela
voltou com cJm+lices +ara tentar roubar/
?ouco de+ois desse +onto, as lembranças de #oa-
c-e3aram ao fim, obviamente, +or isso 0anders
assumiu o relato e reconstituiu o restante da
-ist8ria/ #o a+artamento de olly, ela
evidentemente tin-a dado al3uma dro3a de curta
duração +ara nocaute@Clo, e de+ois a+licaram um
adesivo de fentanil na es+erança de mant2Clo
inconsciente +or todo o fim de semana/ ' m)dica
tin-a dei.ado bem claro !ue isso era uma coisa
+eri3osa, e !ue mostrava um tremendo
desres+eito +ela saJde de #oa-/
#a noite de s@bado, olly tin-a voltado ao
escrit8rio com tr2s -omens e usara sua
e.+eri2ncia anterior e o cartão de #oa- +ara ter
acesso ao andar/ Tentaram co+iar os ar!uivos
eletrTnicos da sala de reuniões, mas o sistema de
se3urança foi acionado e os servidores travaram
automaticamente antes !ue tudo fosse surru+iado/
" !ue eles tin-am conse3uido roubar era
insi3nificante, e ainda não se sabia ao certo !ual
era a verdadeira e.tensão dos estra3os/
LEles lim+aram a!uele a+artamento onde
encontramos voc2, mas dei.aram +ara tr@s
al3umas +istas* te.tos de literatura subversiva,
al3umas armas e um +un-ado de contrabando/
?rovavelmente c-amariam a +ol6cia com uma
li3ação anTnima/
L?or !ue fariam issoO
L'c-o !ue !ueriam !ue voc2 fosse encontrado
com a!uelas coisas, +ara !ue virasse cJm+lice
nessa -ist8ria toda/ ?ois assim, sabiam !ue
ir6amos !uerer abafar o caso +ara +rote3er voc2 e
+ara !ue isso não se tornasse um caso federal/
>abemos !ue eles voltaram ao seu a+artamento
na!uela noite/ 0o3o vamos saber se +lantaram
al3uma coisa l@, mas a+arentemente não levaram
nada/
' sensação de late=amento na cabeça de #oa-
estava +iorando, e reviver as +rovações +or !ue
ele tin-a +assado no fim de semana não estava
a=udando em nada/
LEntão, o !ue voc2s vão fa4erO L #oa-
+er3untou/
L#ão vamos envolver as autoridades/ L ,e+ois
de muito tem+o em sil2ncio, era a +rimeira ve4
!ue o vel-o abria a boca/ L as =@ -ouve///
re+ercussões/// +ara as +essoas !ue fi4eram isso/ E
-@ muitas mais +or vir/
LV, não se +reocu+e, fil-o, vamos fa4er eles se
arre+enderem L +rometeu 0anders, e deu um
ta+in-a no ombro de #oa-, com muito mais força
!ue o necess@rio se a intenção era a+enas fa4er
um 3esto ami3@vel/ L Ei, +elo menos al3u)m
transou, certoO
#este momento #oa- +ensou !ue nunca antes na
vida tin-a sentido tanta vontade de esmurrar o
rosto de uma +essoa, e nunca tin-a se sentido tão
fisicamente ca+a4 de fa4er isso/ as limitouCse a
ficar sentado, com os ol-os ol-ando o c-ão,
ima3inando como seria bom dar um soco na cara
de 0anders/
LCaval-eiros, +odem me dei.ar a s8s com o meu
fil-oO L +ediu o vel-o/
0anders +e3ou suas coisas e antes de sair +arou
+ara sussurrar al3uma coisa no ouvido de 'rt-ur
7ardner/ C-arlie #elson continuou sentado onde
estava, na cadeira ao lado de #oa-/
L1oc2 tamb)m, C-arlie, +or favor/
LEu 3ostaria de ficar/
" vel-o estava lim+ando e recarre3ando o
cac-imbo, e dei.ou !ue seu sil2ncio res+ondesse
+or ele/ C-arlie se levantou, +ousou a mão no
ombro de #oa- e a+ertou, de+ois saiu da sala e
fec-ou a +orta atr@s de si/
CA(TULO )&
" escrit8rio de 'rt-ur 7ardner tin-a a fama de ser
o lu3ar mais silencioso da il-a de an-attan/ Tin-a
sido +ro=etado +ara ser um ambiente de solidão
ininterru+ta e ine.+u3n@vel, com+letamente livre
de ru6dos e.ternos indese=ados/ 'li dentro não
-avia barul-o da rua ou da cidade, não se ouvia o
cicio dos dutos de ventilação ou do a!uecimento, e
não c-e3avam aos ouvidos de 'rt-ur os ru6dos do
alvoroço das outras salas do andar/
Com+aradas :!uele escrit8rio, as salas de leitura
da Biblioteca de #ova Gork, do outro lado da rua,
eram barul-entas como um motor de Tnibus/ %
lu3ar fa4ia com !ue se mer3ul-asse em um
sil2ncio +rofundo !ue s8 devia e.istir nas es+essas
+aredes de aço de um cofre de banco ou dentro da
cri+ta de um mausol)u/ #a!uela !uietude,
!ual!uer ru6do +arecia e.traordinariamente
e.a3erado e n6tido L o cli!ue do is!ueiro do +ai, o
silvo do tabaco !ueimando no bo=o do cac-imbo, o
cont6nuo ti!ueCta!ue met@lico do rel83io na
+arede sobre a corni=a/
' maioria das +essoas não +ercebia a
+eculiaridade/ #ão era sim+lesmente o fato de !ue
o sil2ncio era im+ortante +ara 'rt-ur 7ardner/
?rovavelmente ele ac-ava !ue os sons !ue ele
+r8+rio fa4ia eram mJsica +ara seus ouvidos/ "
+roblema era o barul-o dos outros seres -umanos
L lembretes da e.ist2ncia deles L9 era isso !ue
ele !ueria evitar/ Em mais de uma ocasião o vel-o
=@ tin-a dito com todas as letras* se um dia sa6sse
de casa e +or al3um mila3re todas as +essoas do
mundo tivessem desa+arecido da face da Terra,
seria a reali4ação de seu maior son-o/ Essa era a
+rova irrefut@vel de !uanto ele adorava ficar
so4in-o/
"s dois ficaram sentados em sil2ncio se+ulcral +or
mais de um minuto, !uando +or fim #oa- reuniu
cora3em +ara falar/
LEu sinto muito, +ai/
L#ão +recisa me +edir descul+as/
L>)rio, me descul+e/
L#ão ) +reciso, eu =@ disse/ L " +ai +ousou o
cac-imbo e se recostou na +oltrona/ L (oi mais
um insulto do !ue um dano a id)ia de !ue
conse3uiram usar voc2 na tentativa de +re=udicar
nossa em+resa e nossos clientes/ J@ ouvimos falar
dessa 3ente, ) claro, mas eles nos +e3aram de
sur+resa, não foiO E, devo di4er L a3ora -avia um
estran-o sorriso em seu rosto L, esse camin-o
!ue resolveram se3uir, a infiltração dessa 3arota
mostra uma dose bem maior de in3enuidade do
!ue eu +odia es+erar, dada a fonte/ ?or mais cruel
!ue ten-a sido/
LEu devia ter +ercebido/
LBesteira/ Homens mais s@bios !ue voc2 tamb)m
sucumbiram, e nas mãos de inimi3os bem menos
ca+a4es/ onarcas, ca+itães de indJstria,
senadores, +residentes, !uase todos/ L Ele +e3ou
o cac-imbo, bateuCo na mesa e retomou o ritual de
lim+@Clo/ L 1amos es!uecer isso, dei.ar isso +ara
tr@s/ Receio !ue ten-amos outras !uestões bem
mais ur3entes a discutir/
#oa- +odia contar nos dedos de uma das mãos o
nJmero de conversas francas e sinceras !ue tin-a
tido com o +ai ao lon3o dos anos, e a3ora tudo
indicava !ue o vel-o estava +restes a iniciar mais
uma, e, +ara di4er a verdade, ele não estava muito
a fim/ ' sensação de c-o!ue estava +assando, ele
se sentia irritado, ma3oado e dolorido, +recisando
deses+eradamente de uma boa refeição e de um
lon3o descanso +ara tentar su+erar toda a!uela
confusão/
L#ão estou &%%_ a3ora, +ai/ >obre o !ue
+recisamos conversarO L #o +assado o +ai =@
tin-a ameaçado se a+osentar v@rias ve4es, mas
a3ora não +arecia !ue esse era o assunto/
L'man-ã vai acontecer uma coisa, #oa-, al3o
!ue ser@ o in6cio de uma mudança bastante
si3nificativa/ "s acontecimentos deste fim de
semana, esse roubo e a subse!iente ameaça de
revelação +Jblica de se3redos serviram a+enas
+ara convencer as +artes envolvidas de !ue ) -ora
de uma correção de rota/
L" !ue vai acontecerO
?or al3uns se3undos o vel-o +areceu ter ficado
sem +alavras, o !ue era muito fora do comum/
LEssa =ovem L olly Ross e o +essoal dela/ 1oc2
entende a diferença !ue e.iste entre a maneira
como eles v2em o mundo e como o mundo
realmente )O
L#este momento não sei se entendo direito/
L>e eles c-e3aram a falar com voc2 então ten-o
certe4a de !ue voc2 entendeu o +onto de vista
distorcido deles/ 7eralmente a )tica or3ul-osa
desse ti+o de 3ente ) a +rimeira coisa !ue sai da
boca deles, ou al3uma variação sobre o tema/ L
's +alavras se3uintes foram ditas em tom de
rever2ncia 4ombeteira/ L 5#8s =ul3amos !ue esta
verdade ) evidente e cabal, !ue todos os -omens
são criados i3uais, e são dotados +or seu Criador
de certos direitos inalien@veis L vida, liberdade5, e
assim +or diante/ V o 3rito de 3uerra dos
modernos +atriotas norteCamericanos, e uma bela
e em+ol3ante maneira de di4er as coisas, devo
admitir/
Las desde muito =ovem acabei com+reendendo
!ue o +r8+rio T-omas Jefferson não +odia ter
acreditado no !ue ele mesmo tin-a escrito em sua
declaração/ #en-um sen-or de escravos +odia,
tam+ouco um -omem da inteli32ncia e do 3rande
con-ecimento da Hist8ria de Jefferson +odia se
=ul3ar i3ual :s massas i3norantes de sua )+oca/
Ele estava se +re+arando +ara lutar contra um
im+)rio, combater o direito divino dos reis, então
invocou descaradamente o Criador a favor de seu
ar3umento/ Ele +ro+Ts !ue ,eus era a fonte
desses direitos inatos do -omem, e !ue, ao
contr@rio da mitolo3ia +o+ular do +er6odo, o TodoC
?oderoso não ficaria do lado da reale4a brit;nica
caso o conflito descambasse +ara a 3uerra/
LQue esses direitos ten-am sido concedidos +or
,eus, isso não era verdade, entende, mas era o
!ue Jefferson +recisava di4er +ara dar : sua
revolução a autoridade moral necess@ria +ara !ue
ela +rosse3uisse/ as ele tamb)m devia estar
consciente de !ue estava botando mais f) no +ovo
comum do !ue o +o+ulac-o merecia/
#oa- estava tentando ima3inar !ual seria a
+oss6vel ur32ncia moral embutida na!uele
assunto, embora não visse alternativa a não ser
ficar ali sentado ouvindo/
L" sen-or ac-a !ue Jefferson estava errado,
então/
L"-, ac-o !ue ele estava certo de tentar/ H@ uma
-ist8ria da!ueles tem+os !ue di4 !ue, no
encerramento da Convenção Constitucional,
al3u)m +er3untou a Ben=amin (ranklin !ue forma
de 3overno seria dada ao +ovo, re+Jblica ou
monar!uia/ 1oc2 se lembra do !ue (ranklin
res+ondeuO
LNma re+Jblica L res+ondeu #oa- L, se voc2
+uder mant2Cla/
" vel-o concordou com a cabeça/
L>im, se +uder mant2Cla/ Nma coisa da!uelas
=amais tin-a sido tentada antes, não na escala !ue
a!ueles -omens estavam +ro+ondo/ (oi um
e.+erimento ousado, de resultado bastante
incerto, e !ue +odia ter funcionado/ as sua
+remissa era tamb)m sua maior fra!ue4a* a de
!ue a 3ente comum dos Estados Nnidos, +ela
+rimeira ve4 entre todos os +ovos da Hist8ria,
seria ca+a4 de se auto3overnar L de manter o
fr@3il +resente !ue tin-a recebido/ E muitas e
muitas ve4es o +ovo deu +rovas de !ue não estava
: altura da tarefa/
L% !ue o sen-or !uer me di4er, +aiO
LQuero +er3untar uma coisa, #oa-/ ?or um
momento dei.e de lado a total incom+et2ncia do
+ovo +ara se auto3overnar/ 1oc2 acredita !ue as
+essoas, os seres -umanos, são essencialmente
boasO Que L como a sua leal ami3a olly Ross
sem dJvida teria nos ensinado L tudo !ue elas
+recisam fa4er ) acordar e abraçar a liberdade, e
assim os mais altos +otenciais da -umanidade
serão reali4adosO
LQuero acreditar nisso/
L#ão +er3untei o !ue voc2 !uer L retrucou o
vel-o, e em sua vo4 -avia uma entonação mais
r6s+ida, +ara dei.ar bem claro !ue ele não
aceitaria evasivas/
LEntão, sim, acredito !ue as +essoas são
essencialmente boas/
L(alar ) f@cil, embora infeli4mente a Hist8ria
+rove o contr@rio/ ,iante do cola+so mundial !ue
est@ em vias de se abater sobre n8s, estaremos
+erdidos se de+ositarmos a nossa f) no dese=o e
na es+erança de !ue as coisas mel-orem/ L Ele
+e3ou um =ornal dobrado +erto de sua mão e
em+urrouCo +ara o outro lado da mesa/ L Esta ) a
ess2ncia da nature4a -umana, abandonada :
+r8+ria sorte/
#oa- +e3ou o =ornal, na e.+ectativa dever uma
re+orta3em sobre al3um 3enoc6dio ou massacre
em al3um +a6s distante, o abuso se.ual de
crianças +or +arte de membros de al3uma
res+eit@vel instituição reli3iosa, ou talve4 uma
retros+ectiva das atrocidades na4istas ou dos
-orrores de cam+os de batal-a/ as seria f@cil
demais condenar um re3ime +oderoso e seus
l6deres e isentar de cul+a seus se3uidores L o
+ovo, !ue obedece :s ordens sem !uestionar ou
!ue assiste em sil2ncio ao +esadelo/
' manc-ete do =ornal di4ia* enina turca, &] anos,
enterrada viva +or ter falado com meninos/
" te.to abai.o e.+licava !ue uma menina tin-a
sido v6tima de um 5assassinato de -onra5, coisa
não muito incomum em diversas culturas,
su+ostamente nas mãos de seu +r8+rio +ai e avT,
!ue a enterraram viva em um 3alin-eiro, no
!uintal atr@s da casa/ E não foi um crime
+assional/ V o ti+o de coisa !ue leva tem+o e e.i3e
muita +onderação e +re+aração/ M bem da
verdade, um consel-o de fam6lia tin-a se reunido e
determinado !ual deveria ser a +unição +ara o
crime +or ter conversado com os ami3os/
#oa- abai.ou o =ornal/
LDsso não !uer di4er !ue a -umanidade inteira
se=a m@/ >em+re -@ e.tremistas L ale3ou #oa-/
LComo voc2 bem sabe, antes de ser mar!ueteiro
eu era antro+8lo3o social, então, com todo o
devido res+eito, +ermitaCme asse3urar !ue esse
ti+o de coisa est@ bem mais +r8.imo de n8s do
!ue voc2 est@ dis+osto a acreditar/ 's +essoas são
feitas da mesma ess2ncia no mundo inteiro/ >e
essa menina tivesse nascido na `frica do >ul, ao
com+letar &] anos ) mais +rov@vel !ue fosse
estu+rada do !ue a+rendesse a ler/ Em nen-um
outro +er6odo da -ist8ria -umana a escravidão, de
uma forma ou de outra, esteve tão difundida no
mundo/ " fato de !ue & mil-ão de n8s ten-amos
evolu6do e dei.ado +ara tr@s os instintos mais
bai.os não me +arece consolo nen-um/
L' coisa est@ +iorando, #oa-, não mel-orando/
>em+re e.istiram a+enas !uatro ti+os de +essoas
no mundo* os vision@rios, !ue escol-em a rota, e
somos muito +oucos9 os 3ananciosos e
corru+t6veis, !ue são Jteis, +or!ue fa4em !ual!uer
coisa em nome do lucro a curto +ra4o9 os
revolucion@rios, um bando de +ensadores
retr83rados e violentos cu=a Jnica missão )
atravancar o camin-o do +ro3resso L vamos
tratar deles da!ui a +ouco9 e as massas, os
lemin3ues !ue mal conse3uem ter a inteli32ncia
suficiente +ara se3uir vivendo :s ce3as, sem
ob=eções, resist2ncia ou +rotesto/
LEles são bem mais numerosos !ue n8s, e se
multi+licam a cada dia/ Quando eu nasci, -avia $
bil-ões de +essoas no mundo9 a3ora esse nJmero
mais do !ue tri+licou, no +er6odo de uma vida/ E
no meio dessa su+er+o+ulação, !ue est@ inc-ando
o mundo al)m do +onto de ru+tura, não -@ muitos
o4art, Einstein, ?ascal, >alk, >-akes+eare ou
7eor3e Kas-in3ton/ >ão uns comilões inJteis e
retardados mentais, !ue estão es3otando a
ca+acidade do +laneta/
LNm bil-ão de +essoas estão morrendo
lentamente de fome/ >8 -o=e vão morrer $% mil
crianças de inanição/ Esse ) o decadente estado
da condição -umana/ E, !uando c-e3arem os
tem+os realmente dif6ceis L !ue não vão demorar
muito L, voc2 +ode multi+licar esses -orrores +or
mil/ #o v@cuo criado +elo medo, +ela i3nor;ncia e
+ela escasse4, ) o mal, e não o bem, !ue +reenc-e
o va4io/
?arecia não -aver sa6da, mas #oa- con-ecia muito
bem o +ai/ Talve4 nem todo mundo 3ostasse, mas
'rt-ur 7ardner sem+re tin-a uma solução/
L" !ue finalmente acabamos entendendo, #oa-,
) !ue as +essoas não conse3uem se controlar
so4in-as/ esmo os indiv6duos mais bril-antes, no
fundo não +assam de b@rbaros/ 'cabamos de
salvar a +ele dos meus ami3os de Kall >treet da
devastação da Jltima bol-a financeira !ue eles
criaram, e 3aranto !ue =@ estão se em+en-ando ao
m@.imo +ara criar outra, mesmo sabendo muito
bem !ue +ode ser fatal/ V como se nossa es+)cie
tivesse um dese=o de morte, um a+etite de
destruição/ E, se !uisermos sobreviver, essas
;nsias devem ser submetidas a um controle/
L" eni3ma -o=e ) o mesmo !ue os (undadores da
#ação tiveram de enfrentar !uando iniciaram seu
e.+erimento/ 's sociedades +recisam de 3overno/
"s 3overnos alçam os -omens ao +oder, e os
-omens !ue buscam o +oder estão +ro+ensos :
corru+ção/ Ela se es+al-a feito uma doença, e
então, corru+ção em cima de corru+ção, mais
cedo ou mais tarde o resultado ) sem+re a tirania/
>em+re foi assim/ E o 3overno dos Estados Nnidos
foi estruturado de maneira en3en-osa e 3enial
+ara manter sob controle essa fra!ue4a da
nature4a -umana/ as isso e.i3ia uma
+artici+ação efetiva e di@ria da +o+ulação9 e.i3ia
!ue o +ovo fosse vi3ilante, e ele não foi9 e.i3ia
!ue o +ovo se com+ortasse como se seu 3overno
fosse seu serviçal, mas o +ovo não fe4 isso/ Em
seu sil2ncio, o +ovo dos EN' foi muito elo!uente/
En!uanto o +ovo dormia, o serviçal tornouCse o
sen-or/
L" e.+erimento norteCamericano fracassou, e
a3ora ) -ora de iniciar um novo e.+erimento/ Nm
Jnico mundo, um s8 3overno L desta ve4 não de
+essoas, mas das +essoas certas* com+etentes,
s@bias e fortes/
" tor+or indu4ido +elos medicamentos ainda
+airava nos ol-os de #oa-, e seu estTma3o tin-a
começado a revirar/ Entre os res!u6cios dos
o+i@ceos rodo+iando em seu c)rebro e as dro3as
!ue ele -avia tomado +ara combater esses efeitos,
#oa- sentia !ue estava começando a +erder o
cabo de 3uerra metab8lico/ Todas a!uelas
+alavras !ue o +ai estava di4endo, todas as coisas
!ue ele tin-a visto na a+resentação, tudo o !ue
ele tin-a a+rendido com olly nas +oucas -oras
em !ue estiveram =untos, e de+ois tudo o !ue ele
descobrira sobre ela L em sua mente -avia +eças
tentando se =untar, fa4er sentido, mas ele não
estava em condições de +ensar direito/
C " sen-or est@ di4endo !ue não -@ es+erança +ara
este +a6sO
C " !ue estou di4endo, #oa-, ) !ue meus clientes
vieram at) mim com um +roblema, e eu dei a eles
uma solução/ 'man-ã de man-ã ela ter@ in6cio/ J@
+assei anos demais assistindo a essa lenta
decad2ncia/ '3ora os res!u6cios do +assado serão
varridos do ma+a de um 3ol+e s8, e antes de
morrer verei a reali4ação do meu son-o/ ' +artir
do caos, sur3irão a ordem, o controle e a
+acificação do es+6rito -umano fracassado/ C-ame
de es+erança, se !uiser/ as vai acontecer de um
=eito ou de outro/ " e.+erimento !ue começa
aman-ã não vai fracassar/
Ca$%tu"o )'
#oa- tin-a +edido licença e saiu cambaleando at)
o ele3ante reservado do ban-eiro +rivativo de
'rt-ur 7ardner/ #oa- sabia !ue ainda não estava
bem, +ois o vTmito +ersistia em intervalos breves/
Ele ainda estava abraçado ao vaso sanit@rio de
+orcelana, sentindoCse e.aurido e im+rest@vel,
como se tivesse acabado de com+letar uma
maratona de [%% fle.ões abdominais/
'ssim !ue teve a certe4a de !ue a n@usea tin-a
+assado, fe4 força +ara se a+oiar sobre os +r8+rios
+)s, camin-ou at) a +ia e abriu a torneira at) a
@3ua ficar bem !uente/ Es+erou a bacia enc-er,
abai.ouCse e lavou o rosto9 dei.ou !ue o calor o
revi3orasse at) sentir !ue voltavam as +oucas
forças !ue restavam em seu cor+o/ ,e+ois ficou
em +), secouCse com uma toal-a +endurada,
abotoou e enfiou dentro da calça a camisa, e usou
a man3a +ara lim+ar o va+or !ue se formara no
es+el-o do ban-eiro/
>ua +ele estava +@lida feito uma ostra da ba6a de
#eHark9 embora estivesse e.austo, ele ainda não
estava fora de combate/
' m)dica disse !ue os efeitos colaterais talve4
durassem um dia inteiro, mas se atenuariam :
medida !ue as -oras +assassem/ Ele tirou do bolso
outro com+rimido e disse a si mesmo !ue o +ior =@
-avia +assado/ #oa- +recisava !ue o +ior =@
tivesse mesmo ficado +ara tr@s, +or!ue, al)m de
lidar com o !ue tin-a acabado de ouvir do +ai, ele
ainda tin-a contas a acertar, antes !ue o rastro de
certa 3arota esfriasse e ela desa+arecesse de ve4/
,escendo :s +ressas a escada !ue levava at) a
sala de e.+edição, #oa- deu um +asso em falso
entre um de3rau e outro e !uase desabou/ 's
+essoas !ue ele ia encontrando +elo camin-o
desviavam e ofereciam am+lo es+aço +ara a sua
+assa3em9 talve4 +or!ue +ercebessem seu 8dio,
talve4 +or!ue vissem !ue ele estava +assando
mal, o fato ) !ue obviamente nin3u)m !ueria ser
alvo do sentimento !ue o afli3ia, fosse !ual fosse/
'o dobrar o Jltimo corredor, estava ofe3ante, e
sob as rou+as Jmidas sentia arre+ios de frio/
#oa- não es+erava !ue ela tivesse ido trabal-ar
na!uele dia como se nada tivesse acontecido, mas
daria um =eito de encontr@Cla de uma maneira ou
de outra, e a!uela era a +rimeira +arada de sua
busca/
L(rankP L #oa- c-amou, com um berro/
' cabeça do 3erente do de+artamento de
e.+edição a+areceu de tr@s dos escanin-os de
corres+ond2ncia/
LTeve al3uma not6cia da olly -o=eO
L#ão, sen-or/ Ela estava escalada, mas não
a+areceu/ 0i3uei +ara a a32ncia fa4 uma -ora, mas
ainda não me deram retorno/
LT@ bom, obri3ado/ Ela tem al3um telefone de
contato, sei l@, um nJmero de emer32nciaO
(rank +areceu ter ficado sur+reso com a!uela
+er3unta/
LTalve4 l@ nos Recursos Humanos, >r/ 7ardner/ '
Jnica coisa !ue eu ten-o ) o nJmero do lu3ar de
onde a 3ente a contratou/
LEstão falando da!uela 3arota tem+or@ria, a
ollyO L '+arentemente outro funcion@rio da
e!ui+e da sala de e.+edição tin-a ouvido +or
acaso a conversa e se a+ro.imou/ L 'l3u)m li3ou
+ara ela a!ui no fim de semana/ Ho=e cedo !uando
abri ouvi o recado/
L'inda d@ +ara ouvir a mensa3emO L +er3untou
#oa-/ L V im+ortante/
LEu a+a3uei, e tamb)m não anotei, =@ !ue era
uma coisa +essoal/ " su=eito !ue li3ou deve ter
tentado todos os nJmeros !ue ele tin-a/ Ele disse
!ue a mãe dela estava no -os+ital/
#oa- ficou l@ +lantado e dei.ou !ue a!uele fia+o
de informação desmoronasse dentro de seu
estTma3o va4io/ Ele se lembrou do !ue Karren
0anders tin-a dito na sala do seu +ai/ ' frase tin-a
entrado em um ouvido e sa6do +elo outro, +or!ue,
como sem+re, ele estava imerso em seus +r8+rios
+roblemas, como se as Jnicas coisas ruins do
mundo fossem as !ue tin-am acontecido com ele/
1amos fa4er eles se arre+enderem/ Era isso !ue o
>r/ 0anders tin-a dito/
LQue -os+italO
L#a +arte alta da cidade, no 0eno. Hill L
res+ondeu o -omem, e de+ois acrescentou um
discreto adendo/ L >ei !ue não ) da min-a conta,
>r/ 7ardner, mas a coisa +arecia 3rave/
ARTE TR=0
5' mani+ulação consciente e inteli3ente dos
-@bitos e o+iniões or3ani4ados das massas ) um
elemento im+ortante em uma sociedade
democr@tica/ '!ueles !ue mani+ulam esse
mecanismo invis6vel da sociedade constituem um
3overno invis6vel !ue ) o verdadeiro +oder !ue
re3e o +a6s/5
LE,K'R, BER#'G>, P<4P!/!N)!
CA( TULO ))
#o t@.i a camin-o da +arte alta da cidade, #oa-
tin-a dado dois telefonemas, um +ara o sistema
de atendimento autom@tico do -os+ital L a fim de
descobrir o nJmero do andar e do !uarto da
+aciente L e outro +ara uma vel-a con-ecida,
uma ami3a de confiança !ue a3ora estava indo
encontr@Clo no 0eno. Hill/
uitos verões atr@s, Ellen ,aven+ort, da fam6lia
,aven+ort de East Ham+ton, tin-a se tornado sua
Jnica ami3a mul-er/ Era uma coisa nova +ara ele,
+or!ue, embora os dois ten-am imediatamente
entrado em sintonia um com o outro, ambos
+erceberam tamb)m !ue namorar era a Jltima
coisa !ue deveriam fa4er/ #a verdade, eles at)
tin-am tentado ficar =untos uma Jnica ve4, s8 +ara
tirar a +rova, e o desconforto e o constran3imento
da!uela noite terr6vel s8 eram ameni4ados +elo
+otencial cTmico da -ist8ria !uando era recontada
+elos dois, anos mais tarde/
'3ora Ellen era neurolo3ista e estava no se3undo
ano de resid2ncia no Hos+ital ount >inai, do
outro lado da cidade/ ' li3ação do ami3o c-e3ou
no meio de um turno de $] -oras se3uidas, mas
ela asse3urou !ue, como sem+re, estaria l@
es+erando +or ele/
En!uanto +ercorria o corredor da ala do -os+ital,
ele viu tr2s coisas* uma multidão de +essoas
transbordando +ela +orta du+la da +e!uena
ca+ela, um +e!ueno 3ru+o de visitantes es+erando
=unto : +orta de um !uarto individual no fim do
corredor e a ,ra/ Ellen ,aven+ort, ainda usando o
avental amarrotado, acenando +ara ele da @rea
dos elevadores/
Eilen recebeu o ami3o com um abraço, de+ois se
desvencil-ou dele, deu uma boa ol-ada e fran4iu a
testa/
L1oc2 est@ um ba3aço, 7ardner/
L"bri3ado/ L Ele estava +reocu+ado, ol-ando
+ara a +e!uena multidão no corredor, com medo
de rever olly e, ao mesmo tem+o, receoso de
nunca mais voltar a v2Cla/ 'l3umas +essoas o
encaravam, e, a =ul3ar +elo com+ortamento delas,
+arecia !ue sabiam !uem ele era/
LEi/ L Ellen estalou os dedos na frente do rosto
dele/ L Estou falando s)rio/ ?arece !ue voc2
+recisa se deitar um +ouco/
L?reciso !ue voc2 me faça um favor/ L Com as
mãos li3eiramente tr2mulas, #oa- tirou do bolso o
frasco de rem)dios, colocou um com+rimido na
+alma da mão e o en3oliu em seco/
Ellen tomou o frasco da mão dele, c-acoal-ouCo e
trou.e +ara mais +erto do rosto/ "l-ou novamente
+ara #oa-, a3ora mais +reocu+ada do !ue antes/
L>e voc2 vai me +edir +ara arran=ar mais
metadona +ara voc2, vou lo3o avisando !ue
es!ueci meu receitu@rio no bolso da outra calça/
L'!uela mul-er no !uarto no fim do corredor L
ele disse/ L ?reciso !ue voc2 me a=ude/ >ei l@, fale
com al3um es+ecialista, certifi!ueCse de !ue tudo
est@ sendo feito/ Quero !ue cuidem bem dela/
L'!ui eles são bons nesse ti+o de coisa, #oa-/
LEllen, ouça/
(osse !ual fosse a confissão !ue #oa- estava
+restes a fa4er, ele foi interrom+ido +ela c-e3ada
de uma +essoa descon-ecida/ Era uma sen-ora
idosa, fr@3il e ma3ra como bambu, e, +elo canto
do ol-o, #oa- tin-a visto !ue ela viera da @rea do
!uarto +erto do fim do corredor/ ' mul-er meneou
a cabeça em sinal de res+eito +ela m)dica, virouC
se +ara ele e falou com uma suave 3ravidade na
vo4, o !ue di4ia mais do !ue as +alavras seriam
ca+a4es de e.+ressar/
LEla est@ acordada a3ora/ 'l3u)m disse a ela !ue
voc2 est@ a!ui, e ela !uer falar com voc2/
Ca$%tu"o )6
#oa- entrou e +arou =unto : +orta aberta, e de l@
ficou observando os visitantes remanescentes se
des+edirem antes de +assarem em sil2ncio ao lado
dele, um a um/ " !uarto estava abarrotado de
flores, dis+ostas em cestas, vasos e mesin-as
adicionais !ue +areciam ter sido tra4idas a+enas
+ara acomodar a incr6vel !uantidade de +resentes
dos ami3os e entes !ueridos/
' Jltima +essoa a sair fec-ou a +orta atr@s de si,
mas #oa- ficou im8vel onde estava, at) !ue
Beverly Emerson ol-ou +ara ele e fe4 força +ara
sorrir, convidandoCo com um 3esto suave +ara se
a+ro.imar da cama/
L1oltamos a nos encontrar L ela disse, com uma
vo4 !ue era +ouco mais !ue um sussurro, como se
seus +ulmões s8 tivessem es+aço +ara um 3olin-o
de ar/
Havia -ematomas no rosto e nos braços, manc-as
escuras e desi3uais dentro de +orções de +ele
amareladas, e uma banda3em no +escoço com
uma crosta marrom no centro/ Ela estava mirrada,
a+enas uma sombra da +essoa !ue ele tin-a visto
na noite de se.taCfeira/ ' Jnica coisa !ue
+ermanecia inalterada era a ines!uec6vel centel-a
dos ol-os verdeCclaros/
Ele não fa4ia ideia do !ue di4er, mas falou mesmo
assim/
L1oc2 vai ficar bem/
Dsso suscitou um novo sorriso, mas ela balançou
li3eiramente a cabeça e tocou a mão mais +r8.ima
dele/
L#ão devemos nos en3anar L ela disse/ L 'c-o
!ue não -@ tem+o +ara isso/ L En!uanto falava,
ela calculava o fTle3o, su3ando o ar com
dificuldade e entremeando frases de +oucas
+alavras/ L #ão es+ero !ue voc2 entenda +or !ue
a olly fe4 o !ue eu l-e +edi !ue fi4esse/ L Ela
a+ertou com mais força a mão dele, como se todas
as suas forças estivessem concentradas ali/ L
1oc2 deve +Tr a cul+a em mim e não nela/ as eu
ten-o o +rivil)3io de ser uma mul-er : beira da
morte a3ora, e !uero !ue voc2 dei.e tudo de lado,
e.ceto o !ue vou di4er/
LTudo bem/
Lin-a fil-a est@ correndo +eri3o/ ?reciso !ue
voc2 +rometa !ue vai cuidar dela/
Havia tantas coisas conflituosas martelando na
cabeça de #oa-, mas, a+esar de todo esse ru6do
mental e de tudo o !ue tin-a acontecido, +ela
+rimeira ve4 na vida ele via a verdadeira
im+ort;ncia das coisas/
LEu +rometo/
Ela rela.ou um +ouco o a+erto da mão/ ' cabeça
+ousou sobre o travesseiro, e ela fec-ou os ol-os/
0o3o um sorriso iluminou suas feições, como se ela
tivesse acabado de terminar uma oração
silenciosa/
L"bri3ada L Beverly murmurou/
Ele não res+ondeu, a+enas +or!ue não !uis
+resumir !ue ela estava se diri3indo a ele/
LEu mandei a olly embora, mas ela não est@ a
salvo ainda/ Ela est@ es+erando a3ora, no
aero+orto/ ?rocure na +rimeira 3aveta do criadoC
mudo/ Ela li3ou e disse a uma das enfermeiras
onde vai estar, e a enfermeira anotou +ara mim/
LTudo bem L ele res+ondeu/ L 'c-o mel-or eu
começar, então/ L Ele fe4 menção de soltar a mão
dela, mas Beverly não dei.ou/
L>abe contra !uem estamos lutando, fil-oO
L>im, ac-o !ue sei/ 'l3umas +essoas muito ruins/
Ela lançouCl-e um ol-ar !ue +arecia su3erir !ue a
in3enuidade dele era al3o +or !ue ela ansiava/ L
Ef)sios ]*&$9 !uando voc2 tiver a o+ortunidade,
leia
<%
/
<%
' e.+ressão cap and trade A!ue em tradução livre seria al3o como limite e
negociação9 ) usada +ara denominar um mecanismo de mercado !ue cria
limites +ara as emissões de 3ases +or +arte de um determinado setor ou
3ru+o/ Com base nos limites estabelecidos, são lançadas +ermissões de
L1ou fa4er isso L ele +rometeu/
L1oc2 nasceu +ara fa4er muito mais coisas, #oa-/
ais do !ue voc2 talve4 este=a +ronto +ara
acreditar/ Eu con-eci a sua mãe muitos anos atr@s,
e sei o bem !ue ela !ueria fa4er/ (oi isso !ue a
olly viu em voc2* ela me disse/ #ão o seu +ai,
mas o !ue sua mãe deu +ara voc2/ E eu ve=o isso,
tamb)m/
L'c-o !ue fico feli4 !ue al3u)m ve=a isso/
L#oa-///
L>im/
Ela esboçou outro sorriso/
L#oa-, o #o) da B6blia, sabeO
Ele fe4 !ue sim com a cabeça, e, a+esar de tudo,
sorriu tamb)m/
L'nti3o Testamento/ L ele com+letou/
Ela a+ertou a mão dele de novo/
LEle não foi escol-ido +or!ue era o mel-or
-omem do mundo L ela disse/ L Ele foi escol-ido
+or!ue era o mel-or -omem dis+on6vel/
Ele mal tin-a dado cinco +assos no corredor
!uando Eilen ,aven+ort o alcançou, a3arrouCo
com firme4a +ela man3a da camisa, arrastouCo
+ara uma sala do almo.arifado ali +erto e fec-ou a
+orta/
L?reciso ir, Ellen/
L?rimeiro voc2 tem de me ouvir/ En!uanto voc2
estava ali dentro, descobri al3umas coisas/ Quem
voc2 ac-a !ue ) esta mul-erO
LEla ) a mãe de uma ami3a min-a/
L>enteCse/
emissão e cada +artici+ante do es!uema determina como cum+rir@ esses
limites/ A#/ do T/B
?elo seu tom de vo4, ele +ercebeu !ue não devia
+rotestar9 sim+lesmente +u.ou um ban!uin-o e se
sentou/
L" !ue )O L #oa- +er3untou/
LEla vai morrer, sabiaO
LComo voc2 +ode di4er issoO Ela levou uma surra,
certoO Ela não ) tão vel-a assim9 eles +odem dar
um =eito e consertar !ual!uer coisa com///
L>--/ '3ora escute/ E.istem certas coisas !ue
não d@ +ara consertar, #oa-/ Quem fe4 isso com
ela sabia !ue seria im+oss6vel fa4er com !ue ela
mel-orasse/
LComo assimO
L1oc2 não +ode di4er a nin3u)m !ue falei sobre
isso, entendeuO E não a+enas +or!ue eu +osso
+erder meu re3istro/
LTudo bem/
L,eram uma surra, mas s8 +ara se divertir/ E
de+ois a envenenaram/
Ele sentiu um calafrio/
LQue ti+o de venenoO
L?ara!uat L ela disse, e +areceu +erscrutar os
ol-os dele em busca de al3um sinal de
recon-ecimento, mas não encontrou nen-um/ L
Entende a3ora o !ue eles estavam tentando di4erO
"s animais !ue +e3aram esta mul-erO " +ara!uat
) um +esticida, um -erbicida, serve +ara matar
ervas danin-as/
LNm +esticida/ L Ele tin-a ouvido, mas re+etiu
em vo4 alta, a+enas +ara se asse3urar de !ue
tin-a entendido/
LComeça com uma fibrose irrevers6vel nos
+ulmões L uma escoriação !ue vai avançando at)
!ue a +essoa não conse3ue mais res+irar/ >e isso
não matar lo3o de imediato, os outros 8r3ãos
começam a travar/ #ão -@ nada !ue +ossamos
fa4er9 nem dar o.i32nio adianta/ Dsso s8 +iora as
coisas/ Ela +ode viver mais um dia, ou outra
semana, mas ) 8bvio !ue eles !ueriam !ue ela
sofresse/
LComo os m)dicos a!ui sabem o !ue deram a
elaO
LBom, ) f@cil +ara o laborat8rio descobrir esse
ti+o de coisa, mas nesse caso foi mais f@cil ainda/
's +essoas !ue fi4eram isso dei.aram uma serin3a
veterin@ria 3rudada no +escoço dela/ Ela ainda
estava l@ !uando os +aram)dicos c-e3aram/
#oa- se levantou, mas fe4 um movimento r@+ido
demais/ E sentiu !ue a teimosa tontura ameaçava
retornar/
L"nde estão a!ueles com+rimidos !ue voc2
tomou de mimO
Ela enfiou a mão no bolso e devolveu o frasco/
LEscrevi al3umas instruções +ara voc2 usar isto/
?e3a leve, t@ bomO ?ara di4er a verdade,
recomendo a voc2 !ue +are de se automedicar/
C 't) mais, doutora/ "bri3ado +or tudo/
C #ão sei como e at) !ue +onto voc2 est@
envolvido nisso tudo L ela disse L, mas ) mel-or
saber uma coisa, #oa-/ E.istem mil-ões de ti+os
de assassinato, mas as +essoas !ue são ca+a4es
de fa4er o !ue fi4eram com ela s8 +odem estar
!uerendo di4er !ue não e.iste absolutamente
nada !ue elas não fariam/
Ca$%tu"o )7
" endereço rabiscado no bloco de anotações do
-os+ital não o levou a outra das 5casas se3uras5
dos +atriotas !ue olly tin-a descrito/ 'ssim !ue o
t@.i +arou =unto ao meioCfio, #oa- er3ueu os ol-os
e viu o !ue +arecia ser um +eculiar restaurante de
estilo familiar, o Buccaneer ,iner, no Bulevar
'storia, no distrito de Queens, a cerca de um
!uilTmetro e meio do 'ero+orto 0a 7uardia/
,entro do restaurante, o movimento mais
fren)tico da -ora do almoço estava começando a
diminuir, e a3ora a maioria das mesas estava
va4ia e os funcion@rios estavam ocu+ados
lim+ando tudo e atendendo os clientes na fila do
cai.a/ ?or)m, sentada so4in-a em uma mesa +erto
dos fundos, no Jnico +onto !ue c-e3ava mais
+erto de ser um canto escuro : dis+osição em um
lu3ar da!ueles em uma ensolarada man-ã de
se3undaCfeira, ele avistou a 3arota !ue tin-a ido
encontrar/
Quando olly o viu camin-ando no corredor, ela
se levantou e seus ol-os foram subitamente
inundados +or um =orro de l@3rimas, !ue ela s8
vin-a conse3uindo conter a duras +enas/ Ela
correu na direção dele e o abraçou/
#o t@.i, a camin-o da!uele lu3ar, #oa- tin-a
+ensado muito no !ue diria a ela se de fato a
encontrasse es+erando/ '3ora !ue estava cara a
cara com olly todo o di@lo3o mental !ue ele tin-a
ensaiado desa+areceu de sua mente/ #ada em sua
lon3a -ist8ria de relacionamentos su+erficiais era
ca+a4 de su3erir al3uma +ista de como ele devia
começar/
51oc2 não a+enas +artiu meu coração, mas voc2 e
seus ami3os +odiam ter me matado de overdose/5
5Eu 3osto de voc2, eu estava começando a
acreditar em voc2, e a3ora não sei mais se o !ue
aconteceu entre n8s foi real/5
E ) claro, -avia esta*
5'c-o !ue meu +ai deve ter mandado matar a sua
mãe, com a mesma tran!uilidade com !ue +ediu o
caf) da man-ã/5
Havia tanta coisa a di4er !ue #oa- +referiu manter
o sil2ncio/ >em es!uecer nem +erdoar, ele dei.ou
tudo de lado e sim+lesmente ficou abraçado a ela/
olly tin-a +er3untado sobre a mãe em um tom
de vo4 !ue dava a entender !ue a res+osta devia
se limitar a boas not6cias/ #oa- contou !ue a mãe
dela estava consciente e conversando, e !ue,
a+esar da +reocu+ação com o bemCestar de sua
+reciosa fil-a, +arecia estar animada/
olly ouviu com um solene meneio de cabeça, e
de+ois e.+licou sua situação/
"s com+an-eiros dela tin-am ido na frente +ara
testar as coisas no 'ero+orto 0a 7uardia,
+re+arando sua fu3a +ara o oeste, em busca de
um ambiente menos -ostil/ ,e acordo com o
notici@rio no fim de semana, o ,e+artamento de
>e3urança Dnterna tin-a +osto a nação em alerta
m@.imo, e +or causa disso os aero+ortos estavam
su+ostamente sob 5s)rio risco de ata!ues
terroristas5/ Ela recebeu a not6cia de !ue os
+rimeiros de seus ami3os a +assarem +ela
se3urança do aero+orto tin-am sido tirados da fila/
,esta ve4, eles não tin-am sido a+enas revistados
e interro3ados, como acontecera com fre!u2ncia
ao lon3o dos anos recentes9 desta ve4 foram
detidos e mantidos sob cust8dia/
olly e.+licou !ue tin-a de sair da cidade o mais
r@+ido +oss6vel e com+arecer a um encontro do
outro lado do +a6s/ Dr de carro seria muito
demorado e estava fora de co3itação/ ?ara c-e3ar
a tem+o, ela tin-a de ir de avião9 o +roblema seria
conse3uir embarcar, =@ !ue a esta altura seu nome
devia estar no to+o das listas de vi3il;ncia do
,e+artamento de >e3urança Dnterna/
En!uanto ouvia o relato de olly, #oa- estudava o
rosto dela/ ' va3a semel-ança com a!uela
foto3rafia de sua mãe =@ era !uase im+erce+t6vel9
na mel-or das -i+8teses, era al3o a+enas
subliminar, atrelado a seu subconsciente/ '3ora,
sob as lu4es fluorescentes de um restaurante do
Queens, ele +ercebeu !ue era im+oss6vel ne3ar
com !uem olly era de fato fisicamente +arecida/
E isso deu a ele uma id)ia absolutamente
bril-ante/
CA(TULO )8
#oa- voltou do telefone +Jblico defronte ao
restaurante e sentouCse bem +erto dela, de modo
a +oder conversar com +rivacidade/
LBele4a, a3ora estamos +rontos/
L" !ue voc2 !uer di4er com 5estamos +rontos5O
1oc2 deu um telefonema e anulou toda a
se3urança de um aero+orto internacionalO
L(i4 mel-or !ue isso/ L Ele ol-ou em volta/ L
Esta a6 ) a sua moc-ila de via3emO
L>im///
Le em+reste a!ui/
Embora ela +arecesse totalmente aturdida, esticou
o braço at) o c-ão, +e3ou a moc-ila =unto a seus
+)s e desli4ouCa sobre a mesa na direção dele/
#oa- abriu o 46+er da moc-ila, fuçou dentro e tirou
um bon), um moletom desbotado e uma maleta
de ma!uia3em/
L1oc2 trou.e 8culos escurosO Es+ere a6, es!uece,
eu trou.e os meus/
LT@ le3al, esta ) a +arte em !ue voc2 me di4 +ara
onde estamos indo/
L1oc2 =@ +arou +ara +ensar em como as
celebridades e fi3uras +Jblicas evitam a c-atice
!ue as +essoas comuns t2m de enfrentar !uando
+recisam via=ar em voos comerciaisO
L#unca +ensei nisso/
LElas dão um telefonema/ Todas as 3randes
com+an-ias a)reas t2m al3u)m +ara cuidar dos
vips, e a min-a firma usa uma em+resa !ue +resta
esse ti+o de serviços, a KT0, !ue vai facilitar ainda
mais as coisas/ Eles vão nos encontrar a!ui na
calçada e nos levar direto +ara o avião/
LEs+ere a6, es+ere a6, não somos celebridades,
#oa-/
L#ão, voc2 est@ certa/ as eu sou um menino rico
de uma fam6lia +oderosa, então ) +laus6vel su+or
!ue vão acreditar !ue eu namoro uma
celebridade/
L,o !ue voc2 est@ falandoO
Ele sorriu/
L'3ora estou namorando a #atalie ?ortman/
Ela o encarou como se ele tivesse acabado de se
transformar em uma ab8bora/
LEs+ere a6, o !u2O
LV +erfeito L ar3umentou #oa-/ L Ela ) uma
su+ercelebridade, mas a maioria dos filmes !ue
ela fe4 ) de arte ou do circuito inde+endente,
então uma +essoa comum não conse3ue
recon-ec2Cla de cara/ Ela ) do seu taman-o/
LEu não +areço a #atalie ?ortman/
L?ara falar a verdade, +arece sim, e temos tem+o
de fa4er al3uns reto!ues e a=ustes antes de a
limusine c-e3ar/ L Ele esticou a mão e começou a
suavi4ar com o +ole3ar uma das sobrancel-as
dela/ L Rela.a, vai dar tudo certo/
L#ão, não vai/ #ão vai mesmo, de =eito nen-um/
Ele se3urou a mão dela9 embora não
demonstrasse estar minimamente convencida,
olly não rec-açou o 3esto de afeto/
LConfie em mim L +ediu #oa-/
,e+ois de de4 minutos, olly saiu do ban-eiro,
onde -avia entrado carre3ando seu Jit de
ma!uia3em, tendo em mente al3umas instruções
de #oa-/ '3ora estava usando sua blusa de
moletom da Nniversidade 1anderbilt, os cabelos
+resos em um co!ue casual9 tin-a ma!uiado os
l@bios, sobrancel-as e c6lios, o suficiente a+enas
+ara su3erir a conce+ção !ue um lei3o tin-a de
uma estrela do cinema usando +ouca ou nen-uma
ma!uia3em/ ' 3rande vanta3em disso ) !ue,
!uando as celebridades saem em +Jblico tentando
evitar uma multidão de fãs e +a+ara44i, a Jltima
coisa com !uem !uerem se +arecer ) com elas
mesmas/
Ela se sentou e encarou #oa-, e er3ueu
li3eiramente uma de suas novas e +erfeitas
sobrancel-as, em um arco r)3io e c)tico/ #oa-
deu a ela o bon) e os 8culos escuros +ara
com+letar o disfarce/ Ela er3ueu o ca+u4 do
moletom, +Ts os 8culos e o bon) e conferiu o
visual no refle.o +rateado do +ortaC3uardana+os/
L ?erfeito L #oa- sentenciou/ L 'bsolutamente
+erfeito/ '-, es+ere a6/ L Ele +e3ou o Jit de
ma!uia3em e vascul-ou seu conteJdo : +rocura
de um +incel de +onta fina/ L '+ro.ime seu rosto/
L olly obedeceu, e ele +Ts a mão na massa, com
delicade4a/ L ' #atalie tem duas mar!uin-as,
uma a!ui/// e a outra/// bem a!ui/ L Ele se afastou
um +ouco e encarou com os ol-os meio fec-ados a
sua obraC+rima/ L V isso/ #o camin-o a 3ente
+ode colocar um +ouco de +8 nas mar!uin-as, e
fica tudo certo/ '3ora vamos embora, o carro =@
est@ l@ fora/
#o curto tra=eto at) o aero+orto ele contou a ela a
-ist8ria inventada !ue tin-a contado a Kyle, o
e.ecutivo de serviços da KT0/ #oa- e a =ovem >rta/
?ortman tin-am +assado =untos um animado fim
de semana na cidade, e no final as coisas -aviam
sa6do um +ouco do controle/ Ela teve a bolsa
roubada, não estava se sentindo nada bem, e
al3uns fot83rafos a3ressivos tin-am começado a
+erse3uiClos/ '3ora a missão era tir@Cla da cidade
antes !ue ela acabasse nas +@3inas de fofoca do
=ornal *ashington Post0
Como #oa- tin-a +revisto, essa situação não era
e.atamente uma novidade +ara a KT0, e, assim
!ue a em+resa confirmou a identidade de #oa-,
aceitaram imediatamente o restante da -ist8ria/
?or uma !uantia +ouco su+erior a $ mil d8lares, a
ser cobrada da conta de #oa- L mais os custos de
uma fileira de lu3ares na +rimeira classe, a serem
cobrados se+aradamente L, o +lano seria +osto
em +r@tica sem mais +er3untas/
'ssim !ue avistou o terminal, #oa- res+irou fundo
e de+ois começou a contar lentamente at) de4/
"l-ou +ara olly, !ue +arecia estar meditando, ou
re4ando, era dif6cil saber, mas na!uela tem+estade
!ual!uer +orto se3uro era bemCvindo/
L'3ora, lembreCse de uma coisa L ele
recomendou/ L ' ideia ) !ue voc2 não tem de
lidar com nin3u)m e não +recisa ol-ar nin3u)m
nos ol-os, o !ue ) bom +or!ue seus ol-os são da
cor errada/ Eu disse a eles !ue voc2 +erdeu a
carteira de identidade, então nin3u)m vai +edir
+ara voc2 mostrar documento al3um/ '3ora voc2
fa4 +arte do clube das estrelas, ) uma diva do
cinema !ue +assou al3uns dias feste=ando +ara
valer e não est@ a fim de ser incomodada/ V +or
isso !ue a 3ente est@ +a3ando uma +e!uena
fortuna +ara evitar/ as +on-a uma coisa na
cabeça* dei.e !ue eu e o nosso contato cuidamos
de tudo/
(iel a sua +alavra, l@ estava Kyle em seu 3arboso
terno, es+erando de braços abertos no +onto de
encontro do aero+orto/ ' limusine +arou, o
anfitrião abriu a +orta e, com um 3esto lar3o e
tarimbado das mãos de un-as bem tratadas,
convidou #oa- e olly a ficarem sob seus
cuidados/
L>r/ 7ardner, >rta/ ?ortman, +or a!ui/
E l@ se foram eles/
' maioria das +essoas sabe !ue e.iste uma +arte
oculta da ,isneyl;ndia !ue os turistas nunca
c-e3am a ver/ >ob as calçadas e atr@s dos
bastidores, em um com+le.o tão vasto !uanto o
+r8+rio +ar!ue, -@ uma rede de tJneis, oficinas,
salas de m@!uinas e salas de controle onde a
ma3ia realmente acontece/ ,a mesma maneira,
um 3rande aero+orto tem seus +r8+rios subn6veis
de se3redos, e Kyle +ossu6a as c-aves mestras
desse reino encantado +rivativo/
" +ercurso em meio :s @reas +Jblicas tin-a sido
mole4a/ "s dois -omens iam +ro+ositadamente :
frente, e olly se3uia lo3o atr@s/ #a maior +arte
do tem+o os tr2s +assavam des+ercebidos,
embora duas ou tr2s +essoas ten-am
demonstrado ter +ercebido !ue uma estrela do
cinema camin-ava inc83nita entre eles/ Em todos
os +ontos em !ue um +assa3eiro comum teria sido
+arado e obri3ado a se submeter a al3um
+rocedimento lento e invasivo, -avia al3um
funcion@rio es+ecial +ronto +ara dar uma
+iscadin-a cJm+lice e abrir camin-o/
#o meio do terminal, Kyle +arou =unto : +arede,
ol-ou furtivamente +ara os dois lados e de+ois
abriu uma +orta cin4enta e comum, sem nada
demais/ Como se fosse um +ortal !ue levava da
4ona rural de Kansas : Terra de "4, do lado de
dentro da +orta -avia uma es+açosa sala vip com
mob6lia ele3ante, uma @rea de descanso e um bar
de bistrT9 no centro, uma @rea de se3urança
es+ecialmente montada +ara a ins+eção individual
dos +assa3eiros/
LE a3ora, meus ami3os, uma r@+ida +assada +elo
detector de metais, e de+ois vamos +ara a @rea de
+r)Cembar!ue tomar uma bela taça de c-am+an-e
3eladin-o/ 't) a!ui tudo bemO
L'c-o !ue estamos bem L res+ondeu #oa-/
olly soltou um sus+iro de im+aci2ncia tão fin3ido
!ue era di3no de 3an-ar um "scar, e encostou a
cabeça no ombro de #oa-/
Quando se a+ro.imavam da @rea com o a+arel-o
de raio Z, um funcion@rio do T>' se levantou da
cadeira, lar3ou sua revista e camin-ou lentamente
at) seu +osto de se3urança/
Quando viu a!uele -omem, #oa- estacou, tão de
re+ente !ue olly tro+eçou nele/
L'l3uma coisa erradaO L +er3untou Kyle,
fran4indo a testa/
L,escul+e, nos d2 licença um minuto L ale3ou
#oa-/ L Eu me lembrei de !ue +recisamos dar um
r@+ido telefonema/
Ele camin-ou com olly at) o !uios!ue de
telefones, lon3e de Kyle e dos outros/
L,ro3a L ele coc-ic-ou/
L" !ue foiO L +er3untou olly/ L Eles estão
ol-ando +ara a 3ente/
L(in=a !ue est@ li3ando +ara al3u)m/ ?reciso
+ensar um +ouco/
olly tirou o fone do 3anc-o, levouCo ao ouvido,
a+ertou al3umas teclas e c-e3ou mais +erto de
#oa-/
L,@ s8 uma ol-ada na!uele cara com o uniforme
da T>'/
Ela obedeceu/
L" !ue ) !ue temO
L1oc2 est@ brincando comi3oO '!uele nerd tem
cara de ser o maior fã de 3tar >ars0
Talve4 fosse o +enteado de 0uke >kyHalker, as
meias desi3uais, as calças do uniforme levantadas
at) o umbi3o ou os 8culos de armação de +l@stico,
mas tudo na!uele su=eito di4ia rei dos nerds, e isso
era uma +)ssima not6cia/
LEu não estou entendendo/
#oa- abai.ou ainda mais a vo4/
L#atalie ?ortman atuou em todos os tr2s filmes
novos de 3tar >ars0
L1oc2 foi se lembrar disso a3oraO
L'c-o !ue odiei tanto esses filmes !ue eu devo
t2Clos blo!ueado da min-a mente/ as a+osto meu
Jltimo centavo como a!uele cara con-ece o rosto
de #atalie ?ortman feito a +alma da mão dele/
1oc2 não sabe como são esses caras9 ele
+rovavelmente tem uma foto3rafia dela em um
altar iluminado com velas no +orão da casa da
mãe/
olly encostou no cor+o de #oa- +ara lançar outro
ol-ar furtivo e en3oliu em seco/
L" !ue a 3ente fa4 a3oraO
Leu voto ) +ara a 3ente sair da!ui a3ora e
+ensar em outra coisa/
L#ão L ela discordou, em um tom de vo4 !ue
su3eria !ue sua +alavra era a decisão final/ L #ão
temos tem+o/ V a3ora ou nunca/ J@ estamos a!ui/
1amos em frente/
,e+ois de al3uns se3undos +ara +Tr os nervos no
lu3ar, ele fe4 !ue sim com a cabeça, a=eitou os
8culos e abai.ou ainda mais a aba do bon) dela,
recolocou o fone no 3anc-o e de+ois virou o cor+o
+ara encarar a mJsica e dançar/
#oa- foi na frente e +assou +elo detector de metal
sem +rovocar um Jnico ru6do/ Kyle tin-a se
+osicionado =unto : esteira, sem dJvida +ronto
+ara =ustificar com toda a calma do mundo
!ual!uer estran-e4a eventualmente encontrada
entre os itens +essoais de seus clientes/ ' moc-ila
de olly entrou e saiu da m@!uina de raio Z sem
nen-uma ob=eção/
as o -omem da T>' deu uma boa ol-ada em
#oa-, encarouCo com firme4a, como se estivesse
co3itando a ideia de submet2Clo tamb)m a uma
ins+eção e.tra e mais minuciosa com o detector
+ort@til/
' recente mudança no n6vel de alerta de ata!ues
terroristas viera acom+an-ada de uma diretiva
oficial encamin-ada +elo ,e+artamento de
>e3urança Dnterna a todos os +ostos de se3urança
L inclusive a!uele ali, !ue atendia a +ro+8sitos
es+eciais L listando os +rinci+ais ind6cios de
atividade sus+eita L com+ra de +assa3ens de
Jltima -ora s8 de ida, +ouca ba3a3em,
com+ortamento a3itado ou nervoso, documentos
de identificação irre3ulares L e a!uele +e!ueno
3ru+o estava dando todos esses sinais +ass6veis
de sus+eição/
Kyle +i3arreou/ Essa intervenção sutil e o+ortuna
serviu +ara lembrar ao funcion@rio !ue a via3em =@
tin-a sido +r)Ca+rovada +or escalões bem mais
altos, e !ue a!uelas duas +essoas muito es+eciais
não deviam ser incomodadas +elos ri3ores da
in!uisiçãoC+adrão/
Com al3uma relut;ncia o =ovem e severo
funcion@rio fe4 um 3esto com o !uei.o indicando
!ue o +rimeiro +assa3eiro tin-a sido liberado +ara
o embar!ue/
't) a!ui, tudo bem/
#oa- +e3ou da bande=a seu cinto e os itens !ue
-avia esva4iado dos bolsos, e =@ se +re+arava +ara
calçar novamente os sa+atos/ Justamente !uando
ele tin-a começado a se dar ao lu.o de acreditar
!ue, em breve, estariam livres +ara ir embora, o
ru6do a3udo do detector de metais dis+arou atr@s
dele/
Ca$%tu"o )9
' sen-orita +oderia, +or favor, retirar todos os
itens met@licos e dar um +asso atr@sO ?or mais
3entil e +rofissional !ue +udesse +arecer, era uma
ordem, e não um +edido/
Kyle se a+ressou em acom+an-ar olly de volta
ao in6cio do a+arel-o eletrTnico, de+ois a
e.aminou de cima a bai.o : +rocura de ob=etos
met@licos !ue +udessem ter feito o alarme
dis+arar/ #a +ressa, ela tin-a es!uecido o celular
dentro do bolso/ Kyle +e3ou o telefone e
delicadamente a=udouCa a remover o colar, o
bracelete e o anel/ Ele colocou esses itens dentro
de uma bande=a a+resentada +elo funcion@rio e
de+ois meneou a cabeça +ara ela indicando !ue
tudo estava +ronto +ara mais uma tentativa/
olly +assou lentamente +elo arco/ ' lin-a vertical
das lu4es mudou de verdeCescuro +ara amareloC
claro L talve4 uma reação :s =untas dos 8culos
escuros, mas desta ve4 não -ouve alarme aud6vel/
#oa- era o Jnico em uma +osição !ue l-e +ermitia
notar o to!ue de al6vio no rosto de olly/ Ela
estava !uase c-e3ando ao fim !uando foi
interrom+ida +ela vo4 do funcion@rio/
L >en-orita/// ?ortmanO
Quando olly se virou, ela deve ter visto
e.atamente o !ue #oa- estava vendo/ " -omem
da T>' não estava ol-ando +ara ela, mas encarava
atentamente as coisas dela dentro da bande=a de
+l@stico/
L>im L ela res+ondeu, com vo4 calma/
'3ora sim ele ol-ou +ara ela e enfiou a mão dentro
da bande=a9 !uando a er3ueu a mão, o colar
+rateado de olly, com sua cru4in-a +rateada,
estava +endurado no n8 do dedão/
L?ensei !ue a sen-orita fosse =udia/
Era como se a tem+eratura da!uela sala tivesse
subitamente diminu6do U%
o
/ ' boca de #oa- ficou
totalmente seca, sua +ele formi3ava como se toda
a umidade da atmosfera tivesse con3elado,
es+al-ando sobre todas as coisas uma fina
camada de 3elo e dei.ando sus+ensas no ar
a!uelas seis +alavras/
?oliciais recon-ecem mentirosos do mesmo =eito
!ue um encanador recon-ece um va4amento/ Eles
encontram mentirosos todo dia, o dia inteiro9
con-ecem todos os +e!uenos sinais e sintomas, e
são treinados +ara saber !ue onde -@ o menor
ind6cio de fumaça deve sem+re -aver fo3o/
Quando conversam com uma +essoa, estudam
suas reações, detectam movimentos
denunciadores, ouvem o timbre de sua vo4 e,
acima de tudo, ol-am nos ol-os/ 'ssim !ue ne3am
+ela +rimeira ve4, a maior +arte dos sus+eitos =@
est@ assinando sua confissão/
'!uele tin-a sido um dos t8+icos da conversa
amena entre #oa- e olly nas +oucas -oras da
+rimeira noite !ue +assaram =untos/ #oa- tin-a
ficado tão fascinado +or a!uela mul-er !ue não
tin-a +arado +ara +ensar +or !ue ra4ão ela
+arecia con-ecer tão bem a arte da ilusão e do
en3ano/
#ão ten-a medo, ela dissera9 esse ) o se3redo,
+or +ior !ue se=a a situação/ ?or e.em+lo, al3u)m
!ue este=a dentro de um carro diri3indo em alta
velocidade +ara saltar sobre o es+aço va4io de
uma +onte, =@ !ue a +ossibilidade de +arar o
ve6culo ) im+oss6vel/ ' maior +arte das +essoas
des+erdiçariam seus Jltimos se3undos de vida
+isando, em vão, nos freios/ #o entanto, o !ue
deveriam fa4er, diante da morte iminente, seria
re4ar e +isar com tudo L +or!ue -@ sem+re uma
6nfima c-ance de se c-e3ar ao outro lado/
#oa- viu olly tombar li3eiramente a cabeça,
movimento !ue foi acom+an-ado +or um sutil
re!uebrar dos !uadris/ Havia um es+el-o conve.o
de se3urança acima do detector de metal, e +elo
refle.o ele viu !ue no rosto dela se desen-ou uma
e.+ressão +aciente, mas s)ria, !ue !ueria di4er
51oc2 não acabou de di4er o !ue eu ac-o !ue
acabei de ouvir, não )O5/
" funcion@rio não +arecia ter se abalado/
L' sen-orita +oderia tirar os 8culos, +or favorO
V isso a6, +essoal/ ?odem abai.ar as cortinas/
Ze!ueCmate, fim de =o3o/
#oa- s8 es+erava !ue sua +r8.ima visita : +risão
fosse mais a3rad@vel do !ue a +rimeira/ Ele =@
tin-a começado a calcular a dist;ncia at) a +orta
!uando olly ol-ou +ara ele/ Ela +arecia
+erfeitamente serena, e sua boca murmurou em
sil2ncio al3uma coisa/ Ele não era muito bom de
leitura labial, e sua mente, tomada +elo +;nico,
levou al3uns se3undos +ara decifrar a mensa3em/
Era uma frase curta !ue sem+re ocu+a o to+o da
lista !uando o assunto ) 5Jltimas +alavras
famosas5/
"l-a s8 isto/
Ela se virou +ara o funcion@rio, abai.ou o ca+u4,
!ue caiu sobre os ombros, tirou o bon) e dei.ouCo
cair a seus +)s9 de+ois, com ar decidido, camin-ou
na direção dele/
L' (orça ) +oderosa neste a!ui L disse ela, com
toda a calma de um mestre Jedi/ " sota!ue tin-a
desa+arecido, e sua vo4 saiu suficientemente
sussurrada +ara esconder outros traços
caracter6sticos da vo4 da verdadeira #atalie
?ortman/
,e re+ente as boc-ec-as do funcion@rio da T>'
rubori4aram/ Estava em curso uma reviravolta de
+oder9 como o +r8+rio #oa- tin-a sentido na +ele
em +rimeira mão/ Quando a!uela 3arota decidia
fa4er al3uma coisa, mal dava +ara saber de !ue
direção tin-a vindo o dis+aro/
Ela se a+ro.imou ainda mais, abai.ou a armação
dos 8culos at) a metade do nari4, inclinou o !uei.o
+ara encarar o -omem diretamente, ol-os nos
ol-os, +or sobre as lentes escuras/ Quando ela
estacou, a menos de <% cent6metros de dist;ncia
do funcion@rio, +assou sutilmente a mão no
es+aço !ue se+arava o rosto dos dois, e falou de
novo/
LEstes não são os droides !ue voc2 est@
+rocurando L disse olly/ ,e+ois de al3uns
se3undos ela meneou a cabeça, como !ue +ara
indicar !ue tin-a c-e3ado o momento da cena em
!ue ele devia falar/
Houve uma lon3a +ausa, !ue +areceu demorar
uma eternidade, e diante de seus ol-os #oa- viu
a!uele =ovem 3randal-ão e intimidador abrir um
sorriso e se transformar do mais vi3ilante cão de
3uarda da T>' ao maior fã de #atalie ?ortman/
LEstes não são os droides !ue estamos
+rocurando/ L " funcion@rio re+etiu as +alavras
dela, e.atamente como o soldado im+erial Ao
stormtrooper9 fa4 no +osto de controle no filme
Episódio 80
,e+ois de encarar +or mais al3uns se3undos o
ol-ar arrebatado do funcion@rio, olly lançou mão
de uma arma secreta mais tem6vel do !ue
!ual!uer sabre de lu4 L a!uele sorriso doce e
+erverso ca+a4 de fa4er os =oel-os de um -omem
ficarem bambos/ Ela tirou do bolso dele uma
caneta, +e3ou a mão !ue ainda se3urava o colar e
auto3rafou a +alma com um 3racioso floreio/
LBravoP L e.clamou Kyle, e seu a+lauso foi
imitado +elos outros funcion@rios, !ue a esta
altura estavam todos ol-ando na!uela direção/
Dsso +Ts um +onto final : crise/ 'ntes de mais
delon3as e atrasos !ue +udessem ameaçar a
+ro3ramação, Kyle se a+ressou em +e3ar a
moc-ila, o bon), o telefone celular e as =8ias de
olly/ ,e+ois, com um ale3re 5obri3ado a todos5,
des+ediuCse, +Ts seus clientes sob suas asas e os
condu4iu :s +ressas +ara a +orta da sa6da/
"s dois embarcariam no avião +ela entrada lateral
da tri+ulação, ainda na +ista/ 'ssim !ue sa6ram,
#oa- indicou com um 3esto !ue +recisava de
al3uns minutos a s8s com sua 3arota/ Kyle
concordou com a cabeça e +assou a acom+an-@C
los a uma dist;ncia discreta, +arando a+enas +ara
dar uma batidin-a em seu rel83io de +ulso,
lembrete de !ue os dois não deviam demorar/
LComo me sa6O L olly +er3untou/ "bviamente
ela sabia muito bem como tin-a se sa6do/
L1oc2 citou dois +ersona3ens masculinos
diferentes da trilo3ia errada, mas, tirando isso, se
saiu muito bem/
L#a faculdade escrevi um ensaio sobre os dois
+rimeiros filmes/ "s outros eu nunca vi/
L'ula de cinemaO
LCi2ncia +ol6tica/
'ntes de falar de novo, #oa- teve de es+erar a
+assa3em de um ve6culo barul-ento/
L?reciso te +er3untar uma coisa/
LClaro/ L Ela +arecia ter +ercebido !ue ele tin-a
ficado mais s)rio/
LQuando a 3ente estava l@ na Times >!uare,
!uando a 3ente se bei=ou da!uela ve4///
Ela tirou os 8culos e os enfiou no bolso, c-e3ou
mais +erto dele, tirou dos ol-os uma mec-a de
cabelos/
LEu me lembro/
L(oi na!uele momento !ue voc2 roubou meu
smartphoneU
olly sorriu e o envolveu em um abraço a+ertado/
#ão
c-e3ou a ser uma sur+resa, mas o bei=o de a3ora
foi tão e.citante !uanto o +rimeiro tin-a sido, e ele
constatou !ue certamente todos os bei=os futuros
tamb)m seriam/
Ela recuou um +asso e, com o rosto inocente como
o de um rec)mCnascido, er3ueu nas mãos a
carteira dele/
LEu te amo L #oa- disse/
olly encarouCo com toda a cora=osa determinação
do condenado Han >olo no final de 4 império
contra(ataca0
LEu sei L ela res+ondeu/
Quando o =ato atin3iu sua altitude de cru4eiro,
olly =@ dormia +esadamente nos braços de #oa-/
"s dois tin-am : dis+osição toda a fileira de
assentos, e at) ali a tri+ulação tin-a cuidado muito
bem deles/ '3ora tudo estava tran!uilo, e no fim
de um dia como a!ueles era mais do !ue bemC
vindo um +ouco de +a4 e calma/
olly s8 tin-a tirado da moc-ila uma coisa +ara
acom+an-@Cla durante o vTo de !uatro -oras/ Ele
recon-eceu o di@rio encadernado : mão !ue ela
l-e mostrara no a+artamento dela no centro da
cidade/
Ele +ensou !ue seria bom ter al3o +ara ler, e,
de+ois de +onderar um +ouco, concluiu !ue olly
não se incomodaria se ele desse uma ol-ada no
cadernin-o dela en!uanto ela dormia/
#oa- encontrou, dobrado dentro da +rimeira
+@3ina, o desen-o a l@+is !ue ela tin-a +endurado
na +arede do !uarto, o esboço id6lico de um c-al)
na floresta/
#a +@3ina se3uinte, ele viu o in6cio dos te.tos !ue
ela recebera da +o&nders 1eepers, a +orção de
te.tos dos +rim8rdios da -ist8ria norteCamericana
!ue ela estava encarre3ada de +reservar e
memori4ar/
Thomas Jefferson
Eu =urei no altar de ,eus -ostilidade eterna contra
toda forma de tirania sobre a mente do -omem/
" !ue vin-a a se3uir não +arecia estar inclu6do
entre os te.tos mais famosos ou sucintos de
Jefferson/ ?elo contr@rio, a+arentemente uma
3rande +orção de seu le3ado liter@rio, talve4 todo
ele, tin-a sido distribu6da entre diversas +essoas, e
olly ficara incumbida a+enas de uma +e!uena
+arte/ 'ssim, a!uele +rimeiro fra3mento consistia
do >e3undo ,iscurso Dnau3ural de Jefferson/ #oa-
leu um trec-o*
#ão temo !ue !uais!uer motivos de meu interesse
+ossam me desencamin-ar9 não me sensibili4o +or
nen-uma es+)cie de +ai.ão ca+a4 de me sedu4ir e
desviar do camin-o da =ustiça, mas as fra!ue4as
da nature4a -umana, os limites da min-a +r8+ria
com+reensão +rodu4irão erros de =ul3amento +or
ve4es ofensivos a seus interesses/ ?recisarei,
+ortanto, de toda a indul32ncia at) a!ui concedida
+or meus eleitores, e !ue certamente não -@ de
ser menos necess@ria com o +assar dos anos/
En!uanto lia, #oa- ficou im+ressionado +or uma
diferença fundamental entre o tom dessas
+alavras e o discurso +ol6tico de )+ocas
+osteriores/ 'li estava um dos (undadores da
#ação, talve4 o maior +ensador de todos eles, e
!ue mesmo assim falava com uma !ualidade tão
rara e !uase e.tinta entre os servidores +Jblicos
modernos/ Era uma +rofunda -umildade, como se
nada fosse mais im+ortante do !ue e.+ressar a
-onra !ue ele sentia +or ter sido escol-ido como o
3uardião das +reciosas liberdades do +ovo/
Havia muito mais a ler/ #oa- marcou a +@3ina,
ol-ou +ara olly, !ue ainda estava dormindo, e
a=ustou a lu4 +ara não incomodar o descanso dela/
Então #oa- se lembrou de !ue -avia al3o !ue ele
!ueria +er3untar a ela, se +elo menos eles
tivessem tido tem+o de res+irar/ #ada de
im+ortante, ele estava a+enas curioso/
,e todos os destinos !ue ela +oderia ter escol-ido
+ara seu voo de fu3a L +ara !ual!uer +arte do
mundo L, ele se +er3untou +or !ue motivo ela
tin-a escol-ido =ustamente 0as 1e3as/
Ca$%tu"o ):
,anny Bailey e o a3ente Kearns estavam na
estrada -avia !uase cinco -oras, e =@ era tem+o de
+arar em um +osto +ara abastecer e esticar as
+ernas/
,e+ois de usar o acan-ado ban-eiro do
restaurante, ,anny +e3ou uma lata de soda diet e
uma barra de c-ocolate e levouCos ao balcão/
En!uanto o o+erador de cai.a acionava a
re3istradora, ele +assou os ol-os +ela +il-a de
=ornais em um estande ao lado/ ,uas manc-etes
c-amaram atenção/ Ele leu*
#6vel de alerta contra terrorismo ) elevado mais
uma ve4
C-efe do ,e+artamento de >e3urança Dnterna*
>erviço de Dnteli32ncia confirma 5ameaça cr6vel5
+ara o oeste dos EN'/
Ele er3ueu os ol-os e viu em uma +arede do canto
uma em+oeirada c;mera de se3urança/ esmo ali,
ele +ensou, nos confins da civili4ação, al3um
+rimo distante do 7rande Drmão ainda est@
vi3iando/ Ca+tada +elo bi4arro ;n3ulo da c;mera a
ima3em distorcida e 3ranulada de ,anny era
e.ibida em um +e!ueno monitor +reto e branco,
es+remido entre os ci3arros e uma +rateleira de
revistas +orno3r@ficas/
L 1ou levar um destes a!ui tamb)m L ele disse,
mostrando o =ornal/
>tuart Kearns +assou +or ele rumo : +orta, ainda
esfre3ando as mãos +ara sec@Clas/
L1amos embora, 3aroto/ Estamos +erdendo
tem+o/
,anny meneou a cabeça em sinal de !ue tin-a
ouvido o recado, mas as +alavras e sua ur32ncia
mal conse3uiram invadir seus +ensamentos/
>e3undos de+ois o o+erador de cai.a teve de
estalar os dedos e c-am@Clo de volta : realidade9
+or fim ele +e3ou a sacola com suas com+ras e se
diri3iu ao fur3ão/
Conforme a via3em avançava no sentido sul, as
estradas de #evada iam 3radualmente ficando
mais rJsticas e com movimento escasso/ ' am+la
Dnterestadual e as rodovias e.+ressas de !uatro
+istas deram lu3ar a uma solit@ria autoestrada de
duas +istas ras3ando o deserto L em certo
sentido, era como se a cada !uilTmetro eles
estivessem indo +ara tr@s9 nesse ritmo, antes do
+Tr do sol c-e3ariam a uma tril-a de mulas/
,anny ainda tin-a no colo o =ornal !ue -avia
com+rado, embora tivesse abandonado a leitura
minutos antes/
L?osso di4er o !ue estou +ensando +ara ver o !ue
voc2 ac-a, >tuartO
LClaro/
L" n6vel de alerta de terrorismo foi elevado/
Retiro o !ue eu disse L =@ tin-a sido aumentado
dois dias atr@s, e a3ora de novo/
LCerto/
L'!ui est@ falando L ele bateu no =ornal L sobre
o !ue eles c-amam de 5uma ameaça cr6vel
es+ec6fica5, talve4 duas, !ue estão rastreando em
al3um lu3ar do oeste dos Estados Nnidos/ J@ estão
+arando e revistando os carros em todas as +ontes
de >ão (rancisco/
Kearns ol-ou +ara ele, de+ois voltou a concentrar
a atenção na estrada/
L'onde voc2 !uer c-e3arO
L?on-a seu c-a+)u de alum6nio !ue eu conto/
LBele4a, bele4a, +ode falar/
L0embraCse dos atentados de R de =ul-o de $%%UO
LClaro/
L1oc2 sabia !ue uma em+resa de se3urança,
c-efiada +or um e.Ca3ente da >cotland Gard,
estava reali4ando um e.erc6cio de simulação
contra ata!ues terroristas em 0ondres na!uela
mesma man-ãO E !ue esse e.erc6cio envolvendo
mil +essoas tin-a sido +lane=ado com meses de
anteced2ncia +ara simular o mesmo ti+o de
incidente com bombas, os mesmos alvos, nos
mesmos dias, na mesma -ora e com os mesmos
intervalos de tem+oO
L#ão, eu não sabia/
LE a6 aconteceu de verdade/ En!uanto eles
estavam reali4ando o treinamento, aconteceu
e.atamente o !ue estavam simulando/ Qual ) a
c-ance de ter sido uma coincid2nciaO
L>e isso fosse verdade L ale3ou Kearns L, eu
saberia/ " !ue isso !uer di4er, "liver >toneO
LBom L ,anny +rosse3uiu, sem se abalar L,
voc2 sabia !ue o nome da!uele cara !ue os seus
ami3os no 3overno dos EN' acreditam ser o
mentor desses ata!ues ) Haroon Ras-id 'sHat L
era tamb)m um ti+o de a3ente du+lo intoc@vel
!ue estava na fol-a de +a3amento de al3uma
facção obscura do D]/ ' CD' sabia tudo sobre ele,
mas não tin-a autori4ação +ara 5incomod@Clo5/ Ele,
ali@s, c-e3ou a morar a!ui +or al3uns anos/ ?T, ele
at) tentou or3ani4ar um cam+o de treinamento da
'l Qaeda no "re3on/
L1oc2 ) uma fi3ura, sabiaO
LE mais uma coisa/ % cara !ue a 3ente não
conse3uiu ver, o nome dele ) Vlmer, certoO
LCerto/
L" cara !ue comandou o atentado de && de
setembro foi o-amed 'tta/ Ele tin-a diversos
codinomes, e esse ) o !ue ele começou a usar
de+ois de $%%%, !uando entrou nos EN'/ " nome
de batismo dele ) o-amed Elamir aHad alC>ayed
'tta Karado3an/ as o nome !ue consta no visto
de trabal-o, o nome !ue ele mostrou na escola de
+ilota3em da (l8rida, foi o-amed o-amed elC
'mir/
LE a sonoridade de el(!mir ) muito +arecida com
Vlmer L concluiu Kearns/ L 1oc2 tira um coc-ilo
durante o diaO ?or!ue deve +assar a noite inteira
acordado +ensando nessas besteiras/
L' tradução de el(!mir ) 5o 3eneral5/ ?ode ser um
c8di3o/ 'tta usava el(!mir em 5PP", e a3ora esse
cara est@ usando/ >e isso for +arte de uma falsa
o+eração secreta L se eles vão realmente tra4er a
3uerra +ara c@ L, necessitam de um novo bic-oC
+a+ão bem a!ui em solo norteCamericano, !ue
eles +recisam vincular a eventos +assados e ao
movimento +atriota, +ara assim demoni4ar a
resist2ncia/
Lo-amed 'tta est@ morto/
L'-, )O "sama bin 0aden tamb)m, mas isso não o
im+ede de divul3ar uma fita nova a cada seis
meses/ E não estou nem di4endo !ue e.iste
mesmo um com+lT isl;mico fascista +or tr@s disso,
mas fa4er com !ue +areça !ue e.iste um vai
dei.ar a -ist8ria muito mais assustadora !uando
al3uma coisa realmente acontecer/
L"l-a s8 L interrom+eu Kearns/ L 1ou di4er uma
coisa, e disso eu ten-o certe4a/ H@ uma eleição
vindo +or a6, e desde !ue eu me entendo +or
3ente o medo sem+re foi uma força decisiva na
+ol6tica +artid@ria/ ' coincid2ncia disso tudo, o
alerta de terrorismo e tudo o mais L eu não ficaria
sur+reso se no fim das contas, de+ois !ue tudo
isso tiver acabado, descobrir !ue tudo não +assou
de al3uma =o3ada +ara turbinar as ambições
+ol6ticas de al3u)m/ Tecnicamente, ac-o !ue d@
+ara c-amar de cons+iração, se isso te dei.a feli4/
,anny não ficou e.atamente feli4, mas dei.ou
+ara l@/
L'inda falta muitoO
Kearns consultou seu rel83io de +ulso e de+ois
ol-ou de relance +ara a tela do 7?>/
LNma meia -ora, um +ouco menos, talve4/
' via3em +rosse3uiu em sil2ncio9 de ve4 em
!uando ,anny es+iava o rosto de Kearns, na
e.+ectativa de ter ao menos +lantado uma
semente de alarme/ Em certo sentido +arecia ter
conse3uido/ V im+oss6vel ler os +ensamentos de
uma +essoa, mas com certe4a d@ +ara v2Cla
+ensar/
Ca$%tu"o );
' lu4 com o aviso de l'+ertem os cintosm tin-a
acabado de acender acima da cabeça de #oa-,
se3uida do anJncio de !ue o avião estava +restes
a iniciar o +rocedimento de descida no 'ero+orto
Dnternacional cCarran/
Ele esfre3ou os ol-os, !ue +areciam não +iscar
-avia -oras/ " tem+o tin-a literalmente voado
en!uanto ele se ocu+ara lendo e relendo os muitos
trec-os citados no cadernin-o de olly/
#a escola e na faculdade, ao lon3o de sua su+osta
educação de +rimeira !ualidade, #oa- =@ devia ter
lido uma boa !uantidade da!uele ti+o de te.tos,
+ortanto eles não deveriam ter +arecido uma
novidade tão 3rande/ E, de uma maneira estran-a
e in!uietante, todos a!ueles te.tos +areciam
+erfeitamente ade!uados ao momento atual,
+areciam fa4er refer2ncia : vida es+ec6fica de
#oa- 7ardner/ Havia muitos e.em+los, mas um se
destacava* ,urante uma reunião de trabal-o no
escrit8rio, no ano anterior, a e.+ressão 53rande
demais +ara dar errado5 tin-a sido ressuscitada
+ara +ro+8sitos de +ublicidade e +ro+a3anda/ Dsso
se deu durante os +rimeiros est@3ios do cola+so
financeiro do +a6s, o desastre de v@rias fases !ue
somente a3ora estava fla3elando o +a6s a todo o
va+or/
" +ro+8sito ori3inal da e.+ressão era descrever
uma entidade literalmente 3rande demais +ara
afundar L basta +ensar no ?itanic, antes do
ice'erg0 as a3ora a conclusão era !ue o novo
si3nificado tin-a sido cun-ado +ara desi3nar uma
ameaça e não uma +romessa/
>e a bem da verdade a crise não tin-a +assado de
uma am+la e ostensiva consolidação de ri!ue4a e
+oder L levada a cabo +elos clientes mais
+resti3iosos da ,oyle F erc-ant L, os mandaC
c-uvas =amais se dariam ao lu.o de +ermitir !ue a
o+inião +Jblica soubesse disso/ 'ssim, a manobra
de a=uda financeira em+reendida +elo 3overno
+ara salvar esses es+eculadores bilion@rios foi
vendida ao +Jblico como um ousado res3ate,
reali4ado em nome do bem do +ovo norteC
americano/
#ão temos escol-a L esse foi o lament@vel lema
alardeado +or !uem +a3ou e +or !uem recebeu
a!uelas centenas de bil-ões de d8lares, vultosas
somas a serem dedu4idas diretamente dos son-os
das 3erações futuras/ 'D7, 0e-man Brot-ers,
erryl 0ync-, Citi, Bear >tearns, Bank of 'merica,
e +or tr@s de tudo, o todoC+oderoso mestre
titereiro, o 7oldman >ac-s L 5essas em+resas são
os alicerces de todo o nosso estilo de vida9 se elas
forem : fal2ncia, n8s tamb)m vamos5/ Essa foi a
-ist8ria re+etida aos !uatro ventos/
Era uma maneira nova de oferecer : o+inião
+Jblica uma escol-a familiar* o menor dos males/
Havia boatos de uma es+iral de bancarrotas no
mercado, uma onda de fal2ncias de bancos e uma
en.urrada de e.ecuções de -i+otecas9 no
Con3resso correu inclusive o rumor de !ue, caso o
em+r)stimo não fosse a+rovado, seria decretada
lei marcial/ Esses foram os @libis re+etidos :
e.austão +elos sabic-ões das relações +Jblicas e
+elos -omens e mul-eres cJm+lices do nosso
3overno su+ostamente re+resentativo, toda ve4
!ue ouviam a se3uinte +er3unta* ?or !ue voc2s
fi4eram issoO
' escol-a !ue essas +essoas fi4eram foi +remiar a
corru+ção, mas todas elas sabiam !ual era a
mel-or res+osta, ou deviam saber/ #ão era +reciso
um +ro=eto de lei de mil +@3inas +ara !ue a coisa
ficasse bem clara/
5Que a =ustiça se=a feita, nem !ue desabem os
c)us/5
#o cadernin-o de olly essa citação a+arecia sem
o cr)dito do autor, mas o ideal !ue ela transmitia
era anti3o, o +ilar central do dom6nio da lei/
T-omas ?aine, citado na mesma +@3ina, tin-a
dado uma definição diferente, em senso comum*
5#a 'm)rica a lei ) o rei5/ esmo os mais
+oderosos não +odem se +Tr acima da lei, os mais
fracos nunca são indi3nos de sua +roteção, e
nen-uma instituição corru+ta ) 3rande demais
+ara não dar errado/
Então ) isto a!ui !ue ) um +rinc6+io, +ensou #oa-,
como se +ela +rimeira ve4 tivesse +arado +ara
+ensar no si3nificado da +alavra/
Nm +rinc6+io não ) uma diretri4, uma norma de
+rocedimento ou su3estão, tam+ouco ) um dos
muitos fatores a serem analisados em um
com+le.o e es+al-afatoso es+et@culo intelectual/ V
uma +edra an3ular na fundação, o alicerce sobre o
!ual ) er3uida uma 3rande estrutura/ Tudo o mais
+ode desabar L +or!ue essas coisas ef2meras
sem+re +odem ser reconstru6das mel-or do !ue
eram antes L mas, se nos aferrarmos a ele, o
+rinc6+io +ermanecer@ em +), de modo !ue
+ossamos recomeçar/
#a mesma +@3ina, mais embai.o, #oa- leu a
o+inião de Jo-n 'dams acerca de al3o sobre o !ual
'rt-ur 7ardner tin-a falado na!uela man-ã*
4 dese.o de domSnio, aI&ele formid=vel princSpio
ao I&al tentamos imp&tar o 'em e o mal, é,
I&ando adeI&adamente refreado, &m movimento
'astante no're e Wtil na mente h&mana0 Mas,
I&ando isento de tais limitaçDes, torna(se &m
poder transgressor, desrespeitoso, vora: e indócil0
2nWmeros são os sistemas de iniI&idade &rdidos
pelos poderosos para a gratificação, em si
mesmos, dessa paixão000
Em suma, os 3overnos deram +rovas cabais de
!ue sem+re se corrom+em, +or!ue são feitos de
+essoas im+erfeitas/ ?or)m, ao contr@rio de 'rt-ur
7ardner, 'dams acreditava !ue esse !uebraC
cabeça im+oss6vel tin-a sido solucionado +ela
en3en-osa se+aração de +oderes no cerne do
+ro=eto de seu novo +a6s/ "u mel-or, cabia ao
+ovo solucion@Clo dia a+8s dia, a cada eleição, na
su+ervisão constante e vi3ilante de seus +eri3osos
servidores/
#a +@3ina ao lado -avia uma citação de outro
'dams, +rimo de Jo-n, e !ue tin-a sido escrita em
ne3rito, com letras bem maiores do !ue o restante
do te.to ao redor/ Era um desafio e uma
+rovocação, lançados +or >amuel Jo-nson no
momento em !ue a inci+iente revolução estava
c-e3ando a um +onto sem volta, uma +rova de
fo3o +ara testar os nervos, a cora3em e a
determinação de todos os !ue se +roclamavam
norteCamericanos*
3e t& amas mais a riI&e:a do I&e a li'erdade, a
tranI&ilidade da servidão mais do I&e a l&ta
ferrenha pela li'erdade, vai em pa:0 Não
I&eremos t&as idéias nem t&as armas0 !.oelha(te
e lam'e a mão I&e te alimentaH I&e te&s grilhDes
te se.am leves, e I&e a posteridade se esI&eça de
I&e t& és nosso compatriota0
Em outras +alavras, arre3ace as man3as ou cale a
boca9 a3uente o tranco ou v@ embora/ Ele estava
di4endo !ue a liberdade ) uma rara e.ceção e não
a re3ra, e !uem !uiser con!uistar a liberdade tem
de estar dis+osto a fa4er sua +arte/
" avião tocou a +ista com um leve solavanco, e
lo3o começou a ta.iar na direção do +ortão de
desembar!ue/ 'l3uma coisa tocou a +erna de
#oa- e ele tirou os ol-os do livro/ ?or fim, olly
estava acordando do coc-ilo9 de+ois !ue ela se
es+re3uiçou lan3uidamente, 3an-ou de #oa- uma
3arrafa de @3ua/
L"bri3ada L ela a3radeceu/ L Eu não +retendia
dormir a via3em toda/
L'c-o !ue voc2 estava +recisando/
olly notou o cadernin-o nas mãos dele/ Ele o
fec-ou e entre3ouCo a ela/ L Es+ero !ue voc2 não
se im+orte de eu ter lido/
L#ão, nem um +ouco/ L Ela +e3ou a moc-ila
debai.o do assento, abriu o 46+er e 3uardou o
cadernin-o/
LEi, ollyO
L>imO
Ele tocou a mão dela e disse*
L'c-o !ue a3ora eu entendi/
LEntendeu o !u2O
L'ntes eu realmente não tin-a sacado/ as a3ora
entendi o !ue voc2 est@ fa4endo, voc2 e seu
+essoal/
L'-/ L Ela meneou a cabeça e continuou a
arrumar suas coisas/
LEstou falando s)rio/
LEu sei !ue est@ L ela disse, com o mesmo tom
de vo4 de um adulto !ue se diri3e a uma criança
e.cessivamente carente em sinal de
recon-ecimento +ela reali4ação de al3uma
+e!uena tarefa/ L Que bom/ (ico feli4/
#oa- não sabia !ue ti+o de res+osta +odia es+erar
!uando relatasse a olly sua recente descoberta,
mas não a!uela/ ' reação dela foi tão fria !ue
c-e3ava a ser +raticamente ine.istente/
?oucos instantes de+ois, o avião c-e3ou ao +ortão
e a +orta mais +r8.ima foi a +rimeira a ser aberta/
olly saiu andando na frente dele no tJnel de
sa6da, como se fosse movida +or al3um +ro+8sito
!ue ela não tin-a se dado se!uer ao trabal-o de
e.+licar/ #oa- s8 a alcançou !uando ela +arou
+ara e.aminar uma tela informativa e.ibindo um
ma+a dos serviços do aero+orto/
L'c-o !ue devemos comer al3uma coisa L
su3eriu #oa- L, +assar a noite em al3um -otel e
de+ois tentar ima3inar al3uma coisa +ara aman-ã/
' su3estão dele foi solenemente i3norada, como
se ele nada tivesse dito/
L?reciso da sua a=uda +ara conse3uir alu3ar um
carro/
Ca$%tu"o 6<
C ,eve ser a!ui L constatou ,anny/ Ele dobrou a
fol-a de +a+el com as instruções e enfiouCa na
lateral da +orta/ ,e acordo com o ma+a e o
odTmetro do fur3ão, a!uele era o local marcado
+ara o Jltimo encontro, em al3um lu3ar =unto :
estradin-a de cascal-o/ ,a =anela do +assa3eiro
não -avia muita coisa +ara ver al)m da vastidão
do deserto e al3umas montan-as distantes na
lin-a do -ori4onte/
Kearns deu uma ta+in-a na +erna de ,anny e
disse*
L 'li/
' +aisa3em @rida tin-a começado a ad!uirir
mati4es mais !uentes : medida !ue o sol ia se
+ondo/ as ainda -avia lu4 do dia suficiente +ara
ver as coisas com nitide4, desde !ue se soubesse
+ara onde ol-ar/ ,o outro lado, talve4 a cerca de
<%% !uilTmetros, ,anny avistou o !ue +arecia a
Jnica coisa constru6da +or mãos -umanas em um
raio de muitos !uilTmetros/ (osse o !ue fosse, não
era 3rande coisa/
#ão -avia tril-a !ue levasse at) l@, e o ve6culo não
estava +ro=etado +ara andar off(road0 as Kearns
+arecia saber o estava fa4endo/ Ele deu uma
cuidadosa 3uinada na direção do seu destino final,
manobrando na beira da estrada e sobre o terreno
endurecido +elo sol/
Quando c-e3aram mais +erto o cen@rio ficou mais
claro/ ,anny avistou a traseira de dois ve6culos,
um carro e um camin-ão amarelo, ambos
estacionados atr@s de um edif6cio !uadrado e
cin4ento de um Jnico andar/
M bem da verdade, 5edif6cio5 era um eufemismo9
tratavaCse de um recinto de tr2s metros de altura
!ue +arecia feito a+enas de blocos de cin4a de
carvão e ar3amassa escura/ Havia uma es+)cie de
+orta ar!ueada aberta, mas nem sinal de teto/ '
uma curta dist;ncia da estrutura +rinci+al, em um
c6rculo simetricamente es+açado !ue rodeava o
edif6cio +or todos os lados, viamCse al3umas
+aredes bi4arras e blocos de +edra an3ulosos
+ro=etandoCse da areia/ 'l3uns +areciam batentes
de um playgro&nd ou !uadra de -andebol9 uma
delas +arecia o monolito ne3ro do filme 5PP"G
ma odisséia no espaço0 ! distribuição dos
elementos na!uele es+aço lembrava um +ouco
>tone-en3e, isso se os monumentos de +edra de
>tone-en3e tivessem sido er3uidos :s +ressas em
um Jnico fim de semana +or um +edreiro amador
de+ois de ter tomado @cido/
Las !ue diabo de lu3ar ) esteO L +er3untou
,anny/
L'!ui nunca se sabe/ Esta +arte de #evada )
c-eia de sur+resas/ " a3ente Kearns +arou o
fur3ão bem lon3e dos outros ve6culos e colocou a
alavanca seletora do c;mbio autom@tico na
+osição Estacionar/ L Talve4 se=a al3o constru6do
+elos militares +ara reali4ar testes nucleares9 +ode
ser um alvo +ara testar o alcance de bombas/ L
Ele deu um ta+in-a no ombro de ,anny/ L % !ue
me di4O Est@ +rontoO
LEu =@ disse o !ue +enso/
L#ão se +reocu+e demais, ou vai dar na cara !ue
est@ nervoso/ Escute a!ui, isso vai ser mole4a/
1amos entrar e sair em cinco minutos, de+ois
vamos comer um cac-orroC!uente e tomar uma
cerve=a 3elada antes de eu te dei.ar no aero+orto/
,any tin-a +arado de falar +or!ue al3uma coisa
c-amara sua atenção no retrovisor/ Nm dos
-omens com !uem eles tin-am ido se encontrar
a+areceu no canto do edif6cio e com um 3esto
lar3o convidouCos a se a+ro.imarem/ 0o3o atr@s
do +rimeiro -omem sur3iu outro, com um rifle de
assalto +endurado no ombro/
LBele4a, tudo bem L ,anny sus+irou/ L 1amos
arrebentar/
Ele abriu a +orta, desceu do carro, acenou +ara o
-omem !ue os saudara, de+ois vestiu a =a!ueta
leve !ue Kearns l-e em+restara/ Era um taman-o
maior, mas isso era +erfeito +ara o !ue ele
+retendia fa4er/ Ele esticou o braço, tirou o
telefone via sat)lite do carre3ador do console e
enfiouCo no bolso/ ,e+ois, abriu o +ortaCluvas e
+e3ou a +istola/
L1oc2 tem um +ente e.traO L inda3ou ,anny/
L#ão, não ten-o/ " !ue voc2 est@ fa4endoO
,anny enfiou a +istola no cinto, na +arte de tr@s
da calça, não no meio, mas mais +ara o lado
direito9 a =a!ueta com+rida ocultou
com+letamente a arma/
LEstou me +re+arando +ara o +ior, caso tudo
acabe de3rin3olando +ara um desastre/ >e tudo
der certo, a6 voc2 +ode me di4er !ue me avisou,
mas, en!uanto isso, se me +ermite fa4er uma
su3estão/ ?or !ue não +e3a o <W do coldre do seu
torno4elo e o coloca onde +ossa alcanç@Clo caso
+reciseO
(eli4mente o -omem mais vel-o deu ouvidos ao
mais =ovem e, embora não estivesse +lenamente
convencido de !ue -averia encrenca, +elo menos
acatou a su3estão e transferiu o +e!ueno rev8lver
+ara o bolso de seu blusão/
L'c-ei !ue voc2 tin-a dito !ue não entendia
muito de armas L disse Kearns/
L#ão foi isso !ue eu disse/ Eu disse !ue não era
es+ecialista/
Es+ecialista não era um termo !ue +odia ser usado
indistintamente entre os ami3os de ,anny, estes
sim con-ecedores de armas/ Nm es+ecialista
talve4 fosse al3u)m ca+a4 de identificar a nove
metros de dist;ncia !ue +onto e.ato do alvo seria
atin3ido e de+ois, 5a frio5, sacar a +istola e meter
a bala e.atamente onde -avia +rometido, tudo
isso em !uestão de d)cimos de se3undo ou
menos/ olly Ross era uma dessas +essoas, e
anos atr@s, em um !uente e memor@vel verão no
Tennessee, ela tin-a ensinado a ,anny tudo o !ue
sabia/ #a!uele ano, Bailey vin-a recebendo mais
ameaças de morte !ue o -abitual, e olly !uis
3arantir a se3urança do ami3o/ 'ssim, embora não
fosse es+ecialista, Bailey era r@+ido na arte de
sacar a arma L mas na arte de acertar o alvo
ainda dei.ava a dese=ar/
L Tudo bem L disse Kearns/ '3ora sua vo4 era
um +ouco mais r6s+ida do !ue al3uns minutos
antes/ L 1amos l@/
CA(TULO 6 &
' r)+lica da bomba não era +esada, al3o entre <U
e [U !uilos, mas era um artefato dif6cil de
manusear entre os dois/ Quando c-e3aram ao
alcance da vista dos -omens !ue eles tin-am ido
encontrar L não contavam os cinco es+erados,
mas somente !uatro deles, como no encontro
anterior L, um a+ontou +ara um +onto do terreno
em !ue deviam +ousar o fardo/
Nm dos -omens tin-a a seus +)s uma moc-ila
novin-a em fol-a, e dentro dela +oderiam estar os
$% mil d8lares +ara a troca/ "s dois Jltimos
inte3rantes do 3ru+o se3uravam os rifles/
's armas !ue a!ueles su=eitos estavam e.ibindo
+areciam ser uma variante remontada do 'RC&U,
mas com um cano muito curto, silenciador
customi4ado, re3ula3em lateral da mira e c;mara
cromada/ Quem tentar com+rar uma arma dessas
diretamente em uma lo=a +recisa de muita sorte/
#ão era a escol-a mais vers@til +ara um combate
de ação variada, e era obviamente ris6vel +ara
uma caçada ou +ara a +r@tica de tiro ao alvo, mas
daria conta do recado em uma situação de luta
mano a mano a curta dist;ncia9 situações como
a!uela, +or e.em+lo/
"s -omens : es!uerda se3uravam as armas como
se tivessem nascido com elas nas mãos/ " outro
não +arecia nada tran!uilo, nem com sua arma
nem com o +a+el de vi3ia !ue l-e fora atribu6do/
>uas mãos estavam enfiadas nos bolsos e seu rifle
estava deslei.adamente +endurado no ombro,
como se ali tivesse sido +osto contra sua vontade
e ele não tivesse a menor vontade de us@Clo/
'o c-e3ar, Kearns =o3ou um +ouco de conversa
fora com os membros do 3ru+o, e lo3o de+ois
todos concordaram !ue era -ora de fec-ar o
ne38cio/
L'!ui est@ seu din-eiro L disse o -omem mais ao
fundo/
#a reunião da noite anterior, ele tin-a se
a+resentado com Randy/ Kearns deu al3uns
+assos +ara +e3ar a moc-ila, e, com um 3esto,
Randy deu ordens +ara !ue seus -omens
carre3assem o artefato no camin-ão/
Com o au.6lio de uma ram+a, os dois rebocaram
cuidadosamente a bomba, +ousaramCna no c-ão e
de+ois acenderam uma l;m+ada no teto do baJ do
camin-ão +ara c-ecar a mercadoria/ En!uanto
isso, Kearns voltou com a moc-ila nas mãos e se
+osicionou ao lado de ,anny/
L#ão vai contarO
Essa +er3unta foi feita +or um dos su=eitos com as
armas, o !ue mais estava se esforçando +ara
+arecer durão/
Kearns deu de ombros e res+ondeu*
L>e estiver faltando 3rana, +elo menos sei onde
encontrar voc2s aman-ã de man-ã, certoO
' res+osta fe4 todo mundo rir L menos o -omem
!ue tin-a feito a +er3unta/
' atenção de ,anny estava voltada +ara outra
coisa, a3ora vis6vel na +arte traseira do camin-ão/
#o centro, sobre uma alta +rateleira de metal, viu
o !ue +arecia ser um com+rido tor+edo +rateado/
#a verdade não9 o nari4 era muito rombudo e
ac-atado e a +arte de tr@s era afilada e
3uarnecida +or enormes barbatanas
aerodin;micas/ ?arecia uma +eça de museu de
3uerra, uma rel6!uia da 7uerra (ria/
E isso não era tudo/ Enfiada em um canto, lon3e
da lu4, viu al3uma coisa embrul-ada e amarrada
em uma lona +reta no c-ão/ '!uilo +odia ser
muitas coisas, mas, no atual estado de es+6rito de
,anny, o mais +rov@vel era !ue fosse um saco
mortu@rio/
Ele ol-ou de relance +ara Kearns, e, a =ul3ar +elas
a+ar2ncias, o a3ente tamb)m estava vendo a
mesma coisa/
" celular no cinto do -omem c-amado Randy
começou a tocar, o !ue rom+eu o sil2ncio/ Ele
er3ueu no ar o dedo indicador, como se +ara di4er*
descul+em, +reciso atender, virou as costas,
afastouCse um +ouco e atendeu/
,anny +ensou !ue era uma li3ação de elC'mir/
Kearns se abai.ou e +ousou a moc-ila entre os
dois, tremeu um +ouco, so+rou ar !uente nas
mãos e de+ois as enfiou nos bolsos do blusão/
Quando ol-ou +ara ,anny, a+enas +or um ou dois
se3undos, isso bastou +ara !ue os dois se
entendessem +erfeitamente, a +onto de !uase ser
+oss6vel ouvir as +alavras se formarem em sua
cabeça/
51oc2 estava certo/ '3ora vamos dei.ar estes
caras darem s8 mais um sinal errado, +or menor
!ue se=a, e a6 botamos +ara !uebrar/ #ada de
5?arados, (BDP5, nen-um tiro de aviso9 vamos atirar
+ara matar ou morrer/ E voc2 e eu sabemos !uem
vai dis+arar +rimeiro/
,anny tirou a mão do bolso, coçou causalmente o
nari4, fin3iu um boce=o e dei.ou o braço ao lado do
cor+o/
Randy, ainda ao telefone, ol-ou +ara tr@s +or cima
do ombro/
Ele estava a+enas ouvindo atentamente, sem
falar9 seus ol-os +rimeiro se concentraram em
>tuart Kearns, e de+ois +ousaram em ,anny9 ele
se virou novamente, e ficou de costas +ara os dois/
ais al3uns se3undos se +assaram, e ainda
ol-ando +ara o outro lado, Randy er3ueu
lentamente a mão direita e tocou o ombro do
-omem : sua direita, o falastrão !ue +arecia não
ver a -ora de ir embora/
E assim foi/
,e+ois !ue se treina bastante, o movimento
+arece ser um s8, +arece fluir de maneira
ininterru+ta, mas -@ !uatro +artes distintas +ara
sacar ra+idamente uma arma, +elo menos de
acordo com o !ue olly tin-a ensinado/ #o in6cio a
conta3em ) lenta e deveCse +arar entre cada
eta+a +ara !ue o +rofessor saiba !ue o
+rocedimento est@ correto/ ,e+ois de al3uns
meses e centenas de mil-ares de re+etições, a
+r@tica fica tão r@+ida !uanto um +iscar de ol-os/
' mão direita de ,anny fin3iu a=eitar a rou+a e
encontrou a +istola e.atamente onde ele a tin-a
colocado9 liberou a arma e trou.eCa +ara a frente
do cor+o, o cano +aralelo ao c-ão e a mão
es!uerda a3arrando tamb)m a s8lida
em+un-adura9 estendeu a +istola ao centro de
massa de seu alvo, com a mira no n6vel do seu
ol-o9 ao final do movimento, tendo alcançado sua
+osição ideal de tiro, ,anny a+ertou o 3atil-o/
" '&m dos dois +rimeiros tiros foi !uase
simult;neo, embora Kearns tivesse sacado a arma
com mais facilidade/ "s dois tin-am escol-ido o
mesmo alvo +rim@rio, o -omem +ara !uem Randy
tin-a feito um sinal de cabeça autori4ando !ue
matasse ,anny e Kearns, o cara !ue os teria
crivado de balas se tivessem l-e dado a c-ance de
atirar +rimeiro/ Quando Kearns saiu +ela es!uerda,
ainda atirando, o -omem incumbido de ser seu
carrasco desabou +ara tr@s, +rovavelmente morto,
certamente fora de combate,
,anny saiu +ela direita, mirando intuitivamente e
dis+arando toda ve4 !ue al3u)m a+arecia em sua
lin-a de tiro/ Quando atirava em um alvo +arado,
,anny era a+enas mediano, +or)m a3ora ele e
seus alvos estavam em movimento, e o inimi3o
tin-a começado a revidar, sinal de !ue Bailey
estava atirando muito e acertando +ouco9 mas
+elo menos ,anny tin-a c-amado a atenção deles/
>e3undos de+ois, ficou sem munição e sem boas
id)ias, ao mesmo tem+o em !ue o se3undo
-omem, !ue carre3ava a artil-aria +esada, +Ts os
nervos no lu3ar e começou a atirar/ ,anny viu se
a+ro.imar dele uma lin-a de marcas de balas na
areia, e então ouviu a e.+losão de um +neu e as
=anelas do fur3ão sendo des+edaçadas/ 1iu >tuart
Kearns sair de tr@s de uma das +aredes de
concreto, e o -omem do (BD dis+arou !uatro
descar3as certeiras/ Quando os Jltimos tiros
ecoaram nas montan-as, tr2s dos -omens =a4iam
im8veis no c-ão, e um deles tin-a sumido, mas
+or +ouco tem+o/
" sil2ncio foi !uebrado +elo som de um motor a
diesel sendo li3ado/ ,anny viu Kearns mancar at)
o camin-ão e entrar no com+artimento aberto/
Com o ve6culo =@ em movimento, ,anny se
levantou e saiu correndo atr@s dele/ Quanto mais
r@+ido corria, mais o camin-ão era acelerado, at)
!ue +or fim alcançou a tam+a traseira e se =o3ou :
frente +ara a3arrar a mão esticada de Kearns, !ue
o +u.ou +ara dentro/
Ca$%tu"o 6'
#oa- tin-a tomado o Jltimo com+rimido do frasco
durante o voo, e a3ora !ue o efeito do rem)dio
estava +assando foi invadido +or uma terr6vel crise
de abstin2ncia/ Quando c-e3aram ao balcão da
locadora de autom8veis, sentiu !ue estava
começando a desfalecer/ ,or de cabeça, calafrios,
tontura, um malCestar 3eral L ele =@ estava
+)ssimo, e +odia sentir !ue nas +r8.imas -oras as
coisas ficariam ainda +iores/
Nma ve4 !ue não estava em m6nimas condições de
diri3ir, olly sentouCse atr@s do volante, e
mane=ou o ve6culo de maneira bastante en)r3ica e
resoluta/ >e ele estivesse se sentindo bem,
dominado +or um conveniente estado de es+6rito
aventureiro, seria mais f@cil lidar com o estilo dela
de 3uiar/ as na sua atual condição L fisicamente
acabado, sentado no banco do +assa3eiro sendo
=o3ado +ara l@ e +ara c@ +or causa dos inJmeros
solavancos, freadas e da insist2ncia de olly em
sair costurando na +ista L, #oa- não estava
ac-ando nada en3raçado/
'l)m disso, olly não abria a boca/ ,esde !ue os
dois -aviam entrado no carro ela s8 dava
res+ostas monossil@bicas, al)m de claros sinais de
!ue na!uele momento nada era tão im+ortante
!ue valesse a +ena ser discutido/
J@ fa4ia meia -ora !ue os dois tin-am ultra+assado
os limites da cidade/ 'ssim, a es+erança de #oa-
de descansar e recobrar as forças na cama de um
-otel cinco estrelas =@ tin-a ficado uns U%
!uilTmetros +ara tr@s/ ,e acordo com o !ue di4ia o
veloc6metro, olly estava tentando c-e3ar o mais
de+ressa +oss6vel ao seu destino/
L1amos ser +arados L alertou #oa-/
Ela não res+ondeu, nem diminuiu a velocidade/
L?ara onde estamos indo, ollyO
L'=udar um ami3o L foi a res+osta, curta e
3rossa/ L '3ora, +or favor, +ode me dei.ar diri3irO
LTudo bem/
L"bri3ada/
#ão demorou muito +ara sa6rem da via +rinci+al e
entrarem em uma estradin-a des)rtica e estreita
!ue não +assava de uma fina risca na tela do 7?>/
'ntes de iniciar a via3em, os dois tin-am +assado
muitos minutos de raiva e frustração tentando
di3itar seu destino no a+arel-o/ Era dif6cil, +or!ue
olly não sabia o endereço, a+enas a latitude e a
lon3itude/
' fol-a de +a+el, na !ual ela tin-a anotado e
consultado as coordenadas, ainda estava enfiada
em um dos muitos +ortaC ob=etos do carro/
Tudo bem, então/
>e ela não !ueria +erder al3uns se3undos +ara
di4er a #oa- o !ue estava acontecendo, ele teria
de descobrir +or conta +r8+ria/ 'ntes !ue +udesse
im+ediClo, #oa- +e3ou a fol-a de +a+el, abriuCa e a
iluminou com a lu4in-a do carro9 não conse3uiu
com+reender e.atamente o !ue !ueriam di4er as
duas mensa3ens de te.to L ou talve4 e(mails L
encontradas na fol-a de +a+el/ Talve4 fosse
+or!ue sua mente estava trabal-ando com a+enas
metade da ca+acidade, mas o fato ) !ue ele teve
de ler duas ve4es/ ,a +rimeira, não conse3uiu
aceitar o !ue estava escrito/
molly (
espalhe a notScia ( fiI&em longe de las vegas na
seg&nda operação secreta do +;2 -X YexigenteY
se c&ida
'ei.os e a'raços
d'
!penas para conhecimento
Não responda nem encaminhe
!pag&e depois de ler
/rande re&nião ho.e, seg&nda à tarde, s&l de
Nevada0
3e não o&virem notScias minhas até I&arta, é
porI&e provavelmente esto& mortoY e estas são
as coordenadas para vocKs proc&rarem me&
corpoG
RatB$
o
B#NC80BCQN
Rong ""%
o
C%NB"087Q*
+2OEM R4N/E de Nevada até seg&nda ordem
d'
Y;em I&e e& I&eria I&e fosse só &ma 'rincadeira
LDnacredit@vel/
olly ol-ou de soslaio +ara #oa-, mas a+enas +or
um se3undo, antes de voltar a concentrar a
atenção na estrada/ Quando ele ol-ou +ara bai.o,
constatou !ue tin-a amassado o +a+el com tanta
força na mão !ue seria im+oss6vel desdobr@Clo/
L#ão d@ +ara acreditar nisso L esbrave=ou #oa-/
L >eu +essoal me +e3ou de novo/
Ca$%tu"o 6)
C SC&C&/ Esta mensa3em est@ sendo 3ravada/ Qual
) a sua emer32nciaO
(osse !ual fosse o destino do camin-ão, a via3em
estava tremendamente dif6cil, sobre um terreno
muito acidentado/ ,anny estava a3arrado a uma
correia de fi.ação de car3as =unto : +orta aberta
do ve6culo em movimento, no Jnico +onto do
com+artimento de metal em !ue -avia sinal
suficientemente forte +ara +ermitir, via sat)lite,
uma li3ação do celular de Kearns/
Leu nome ) ,anny Bailey, estou no deserto em
al3um lu3ar no nordeste de #evada, com o a3ente
es+ecial >tuart Kearns/ Estou na traseira de um
camin-ão em movimento, !ue +ertence a uma
or3ani4ação terrorista !ue talve4 este=a de +osse
de uma arma nuclear/
LQual ) a sua locali4ação, sen-orO
L"uça/ >ei muito bem o !ue voc2s são ca+a4es
de fa4er/ ' essa altura voc2 =@ sabe onde estou,
sabe de !uem ) o telefone do !ual estou li3ando,
sabe !ual ) a min-a rota, e da!ui a de4 se3undos
ten-o certe4a de !ue vai saber !uem eu sou
+or!ue ter@ verificado o meu es+ectro3rama
sonoro, então +are de des+erdiçar meu tem+o/
' lin-a foi momentaneamente invadida +or um
estran-o ru6do9 não era interfer2ncia, mas uma
s)rie de cli!ues eletrTnicos e sons indistintos/
LTudo bem, bele4a, todo mundo =@ est@
conectadoO Todo mundo est@ ouvindo a3oraO
TrataCse de uma o+eração de codinome E.i3ente/
EntenderamO E.i3ente/ Então a3ora voc2s =@
sabem !uem eu sou, com !uem eu estou, +or !ue
estou a!ui e +ara onde mandar a cavalaria/ E )
mel-or voc2s acreditarem !ue isto ) +ara valer/ V
s8 rastrear o sinal e c-e3ar a!ui, entenderamO
Ele dei.ou o telefone li3ado e colocouCo em um
canto do baJ do camin-ão/
Kearns estava na +arte de tr@s do com+artimento,
a=oel-ado =unto ao volume !ue ambos tin-am visto
antes do in6cio do tiroteio/
Era obviamente um cor+o, e o rosto do -omem
morto estava descoberto/ Quando Kearns se virou,
,anny não +recisou +er3untar de !uem era o
cad@ver/ Ele =@ sabia/
" a3ente Kearns tin-a dito !ue de+ois de tantos
anos trabal-ando na!uela o+eração secreta L
esforçandoCse ao m@.imo +ara +arecer um
a3itador militante conclamando abertamente uma
revolução violenta L, ele de fato s8 tin-a um
Jnico contato remanescente no (BD/ >eu
assustador +ersona3em onCline era con-ecido +or
de4enas de mil-ares de malucos e.tremistas e,
tamb)m, +or -omens da lei, mas a+enas uma
+essoa viva +oderia atestar de maneira +laus6vel
!ue ele era na verdade um norteCamericano leal
cum+rindo sua obri3ação de defender e +rote3er
os Estados Nnidos/ E ali estava essa +essoa,
morta/
L1oc2 li3ou +ara o S&&O L +er3untou Kearns/
L>im, li3uei/ E a3ora ou eles v2m ou não v2m/
L" !ue voc2 !uer di4er com issoO
,anny tocou a estrutura de metal a seu lado, a
armação !ue sustentava o ob=eto !ue : +rimeira
vista tin-a +arecido um tor+edo/
L,@ s8 uma ol-ada nisto a!ui e me di3a o !ue
voc2 ac-a/ L disse ,any
Quando Kearns tentou se levantar, seu cor+o
estremeceu e se retraiu9 ele, então, encostou a
cabeça na lateral do camin-ão/
?ouco abai.o do =oel-o da +erna direita, sua calça
estava manc-ada de san3ue/
L1oc2 est@ bemO
L1ou ficar bem/ >8 me a=ude a ficar em +)/
"s dois se +osicionaram ao lado da estrutura,
se3urandoCse nas barras transversais en!uanto o
camin-ão se movia na estradin-a acidentada/
L?arece uma vel-a bomba atTmica ark W L
disse Kearns L, do in6cio da d)cada de &SU%/ L
Ele abai.ou um +ouco mais a lanterna e +assou as
mãos +ela su+erf6cie, +arando em uma s)rie de
selos e adesivos com as datas e iniciais de
ins+etores/
LEntão esta a!ui est@ ativaO
L?arece !ue sim/ L ,a +arte de tr@s do artefato
sa6a um condu6te de metal !ue Kearns foi se3uindo
com o dedo e a+ontando/ " tubo de metal se
estendia +elo c-ão e +ela +arede at) a cabine do
motorista/ L E +arece !ue armaram +ara ser
acionada do banco da frente/
LEntão o seu ami3o deitado ali no c-ão trou.e
esta a!ui, e voc2 trou.e a sua/ 1oc2s dois foram
mani+ulados +ara um não saber o !ue o outro
estava fa4endo, e n8s tr2s ca6mos na ara+uca/
Las +or !ue/// L Kearns não estava
+er3untando, a+enas +ensando alto/
LV como eu te disse antes/ Quem !uer !ue este=a
+or tr@s disso tudo +recisava de um trou.a +ara
ser o bode e.+iat8rio de um ata!ue dom)stico de
bandeira falsa, >tuart, e esse cara ) voc2/ Eles
+recisavam transformar meu +essoal no inimi3o, e
) +or isso !ue estou a!ui/
LCom base no seu ar!uivo, +odiam +e3ar voc2 na
-ora em !ue bem !uisessem, mas te +e3aram s8
na noite de se.ta, +ara voc2 fa4er +arte disto a!ui/
Quanto a mim, dei.aram de mol-o///
LEs+erando a -ora certa, !uando +recisassem de
uma du+la +ara +a3ar o +ato L ,anny concluiu/ L
Eu, o te8rico da cons+iração, um maluco da
internet !ue incitou esses valentões : viol2ncia, e
Kearns, o e.Ca3ente do (BD a3indo como +istoleiro
solit@rio, !ue a=udou os terroristas a +orem seu
+lano em ação/
LBom, mas, se=a !uem for o cara +or tr@s disto,
+or en!uanto arruinamos os +lanos dele/
Las não +or muito tem+o/ " cara est@ diri3indo
este camin-ão com muita vontade, como se
!uisesse mesmo c-e3ar a seu destino, mas, se ele
se acalmar um +ouco e vier a!ui dar uma
conferida na car3a, estamos ferrados/ Estamos
desarmados, e ele vai mandar bala na 3ente como
se fTssemos +ei.in-os dentro de a!u@rio/ ,e+ois
vai se3uir +ara 1e3as e l@ terminar@ o !ue tem
!ue ser feito/ ' 3ente não +ode ficar +arado
es+erando/
Kearns encarou Bailey e disse*
LEntão o !ue a 3ente fa4O
?or breves instantes o camin-ão diminuiu a
velocidade, fe4 uma curva e +e3ou o !ue +arecia
ser uma estrada mais am+la, e então começou a
acelerar de novo/
LEu ten-o uma id)ia L disse ,anny L, mas não
sei se voc2 vai 3ostar/
Ele camin-ou at) a traseira, onde a falsa bomba
!ue tin-am tra4ido estava +resa +or correias :
lateral do com+artimento de car3a, e fe4 um 3esto
+ara !ue o seu +arceiro o se3uisse/ 'ssim !ue
Kearns se sentou e +osicionou a +erna ferida,
,anny se abai.ou e tirou a lona !ue cobria o
artefato/ Ele tirou as c-aves +resas com fita
adesiva =unto ao +ainel de controle e +assouCas
+ara Kearns/
>e uma das bombas era verdadeira, era l83ico
su+or !ue ambas tamb)m seriam/ E s8 -avia uma
maneira de descobrir/
L0@ vamos n8s LC Kearns disse/
Kearns inseriu as duas c-aves no +ainel met@lico
de controle, 3irouCas at) ficarem na mesma
+osição e a+ertou o botão onde se lia o comando
5armar5/ ' fileira de minJsculas lu4es amarelas se
iluminou9 o dis+ositivo eletrTnico foi sendo
carre3ado com um leve 4umbido, e as lu4es foram
+iscando e ficando verdes/
'ssim !ue o dis+ositivo locali4ou a +osição em !ue
eles estavam, foi tarefa muito sim+les reiniciar o
destino final na tela sens6vel ao to!ue do
detonador do 7?>/ "bviamente não selecionaram
um endereço, mas sim um +onto va4io na estrada
des)rtica !ue estavam +ercorrendo, a +ouco
menos de cinco !uilTmetros adiante/
" -omem mais vel-o acendeu um ci3arro e
estendeu o maço oferecendo outro a ,anny/
L#ão, eu =@ te disse, +arei fa4 cinco anos/
L'-, dei.a disso, ) uma ocasião es+ecial/
L(i4 uma +romessa +ara uma vel-a ami3a, >tuart,
e, se voc2 con-ecesse essa mul-er, saberia +or
!ue eu +reciso manter a min-a +alavra/
LJ@ !ue voc2 fala assim, ac-o !ue entendo o !ue
!uer di4er/ LC Kearns fe4 uma careta de dor e
endireitou a +erna9 de ol-os fec-ados, encostou a
cabeça na lateral corru3ada do com+artimento/
LEi L ,anny c-amou e es+erou at) !ue seu
+arceiro ol-asse/ L #a!uela outra noite voc2
estava me contando sobre sua carreira no (BD e
tal, e a6 me disse !ue de+ois de tudo +or !ue voc2
+assou, de ve4 em !uando se +er3untava +or !ue
motivo ainda não tin-a se a+osentado/
LV/
LEste ) o motivo, cara/ Ho=e ) a ra4ão +ela !ual
voc2 ficou/ Como ) mesmo a!uilo !ue fa4em voc2s
di4erem !uando colocam a mão sobre a ;S'lia e
+restam um =uramento e talO
L(a4 tanto tem+o, vamos ver se eu ainda me
lembro/// 5Juro solenemente salva3uardar,
+rote3er e defender a Constituição dos Estados
Nnidos contra todos os inimi3os, nacionais ou
estran3eiros, e !ue serei fiel a leal ao meu +a6s/5
LV isso a6/
LE voc2O
LEuO '-, +ara mim este ) o mel-or =eito de cair
fora/ Quanto mais eu +enso no assunto, mais
+ercebo !ue fi!uei mais tem+o do !ue deveria em
meu +r8+rio movimento/ #ão, eu retiro o !ue
disse9 ele =@ nem ) mais meu/ >e caras como esses
+odem concordar com !ual!uer coisa !ue eu di3o,
então devo estar di4endo al3uma coisa errada/ E,
!uer saber de uma coisa,
>tuartO uito tem+o atr@s eu =urei dar a min-a
vida, a min-a fortuna e a min-a -onra a este +a6s,
e a3ora vou entre3ar os tr2s de uma s8 ve4/
Kearns deu uma Jltima tra3ada no ci3arro, a+a3ou
a bituca no c-ão de metal e +er3untou*
L(a4 diferença o fato de nin3u)m vai saber o !ue
a 3ente fe4 a!uiO
L'-, al3u)m vai saber/ #ão !ue al3u)m v@
acreditar/
" artefato ao lado deles fe4 um barul-o/ Nma lu4
vermel-a se acendeu no +ainel, debai.o da
+alavra +ro.imidade/
L(oi bom trabal-ar com voc2, 3aroto/
Kearns estendeu o braço, ,anny Bailey se3urou e
a+ertou com firme4a a mão do +arceiro, em um
3esto de solidariedade/ Nm se3undo de+ois, os
dois desa+areceram/
Ca$%tu"o 66
C #8s +e3amos voc2O L berrou olly/ L #8s
+e3amos voc2O 1oc2 ) realmente tão e3oc2ntrico
assim a +onto de acreditar !ue isso tudo tem a ver
com voc2O
L>8 tem a ver comi3o +or!ue voc2 me +õe no
meio/ 1oc2s +odiam ter me matado, +elo amor de
,eus/ Talve4 voc2 +ossa me +erdoar +or levar
essa situação +ara o lado +essoal/
L" Hollis ficou com voc2 o tem+o todo at) !ue
foram te buscar9 ele cuidou de voc29 sinto muito se
voc2 est@ com dor de cabeça a3ora, mas nin3u)m
tentou matar voc2/
LV 8timo ouvir isso/ 1oc2s são realmente
incr6veis, sabeO eu +ai me contou -o=e de man-ã
!ue vai acontecer uma coisa !ue vai mudar tudo/
Eu estou +ensando, t@ le3al, uma 3rande correção
de rota no mercado de ações, ou outra 3uerra no
sul da `sia ou no "riente )dio, ou al3uns aviões
sendo =o3ados contra +r)dios, como da Jltima ve4
em !ue tudo mudou +ara sem+re/ J@ a sua mãe
me +ediu +ara levar voc2 +ara al3um lu3ar se3uro
L ele er3ueu o +a+el L e eu, idiota como sou,
dei.o voc2 me levar +ara o Jltimo lu3ar no +laneta
+ara onde a 3ente deveria ir/
LEstou a!ui +ara im+edir !ue isso aconteça, se eu
+uder/
LBom, voc2 não +odeP L berrou #oa-/ L 'bra os
ol-os, +elo amor de ,eus/ Eles t2m tudo nas mãos,
e voc2 não tem nada/ ' Jnica coisa !ue voc2 vai
conse3uir fa4er ) nos colocar atr@s das 3rades, ou
dar um =eito de a 3ente acabar assassinado ou
enterrado em um buraco no meio do deserto/
LEu +reciso tentar/
L1oc2 não +recisa tentar/ Eu =@ disse uma ve4, a
3ente +ode sair =untos desta/ #ão consi3o
acreditar !ue estou me ouvindo di4er isto, mas eu
ainda !uero a=udar voc2, olly/ '!uele seu son-o
de ir morar em um c-al) no bos!ue sobre o !ual
voc2 falou, onde !uer !ue se=a, se=a l@ onde for, eu
+osso transformar isso em realidade/
LComo voc2 ousa me di4er isso de novoO " !ue
voc2 +ensa, !ue eu não !ueroO Que não !uero
voc2O #ão ac-a !ue eu sinto medo, e !ue +asso
noites son-ando em fu3ir e nunca mais ter de me
+reocu+ar com 3ente como o seu +ai e +ensar no
!ue eles estão tentando transformar este mundoO
L?or +ior !ue se=a, me dei.ar cuidar de voc2, )
mel-or do !ue morrer, não )O
' e.+ressão de olly se alterou/ Ela res+irou fundo
e de+ois falou em um tom de vo4 mais moderado*
L'ntes de descer do avião, voc2 disse !ue tin-a
finalmente entendido o !ue eu estou fa4endo/
L E entendo/
L#ão, não entende/ 1oc2 não fa4 ideia/ 1oc2 ac-a
!ue saber a verdade bastaO uita 3ente sabe a
verdade, e mesmo assim nada muda/ Então -o=e,
de+ois de $W anos +asseando +ela vida e tirando
deste +a6s tudo !ue ele tem a oferecer a voc2,
sem dar a ele nada em troca, -o=e voc2 vem me
di4er !ue finalmente viu a lu4, e ac-a !ue isso
deve si3nificar al3uma coisa +ara mimO
L#ão si3nificaO
L,e+ois !ue voc2 sabe a verdade, tem de viver a
verdade/ V o !ue estou tentando fa4er/
#oa- viu olly ol-ar +elo retrovisor, e al3uma
coisa +aralisou dentro dela/
Ele virou o +escoço +ara ol-ar +elo vidro traseiro/
' visibilidade se estendia +or !uilTmetros e
!uilTmetros, e l@ no fundo, no limite de onde a
vista alcançava, era +oss6vel vislumbrar +ontin-os
minJsculos* uma lin-a de lu4es +iscantes dos
carros da +ol6cia/
Ela estava diri3indo com a mesma velocidade e o
mesmo 6m+eto de antes, mas a3ora -avia em seu
rosto e em seus ol-os al3o !ue ele ainda não tin-a
visto/ olly estava com medo, e ele sabia !ue ela
não estava com medo da +ol6cia, nem de ir +ara a
+risão, nem de morrer lutando +or sua causa/ Ela
não estava se!uer com medo de 'rt-ur 7ardner/
Ela estava com medo de !ue sua luta tivesse
c-e3ado ao fim/
#a vida de #oa- -aviam ocorrido momentos
decisivos !ue ele tin-a +revisto com meses de
anteced2ncia, mas a!uele a+areceu em um @timo,
em um +iscar de ol-os/ Nm se3undo antes ele
estava de um lado se3uro, são e salvo,
sim+lesmente sendo a +essoa !ue ele ac-ava !ue
sem+re tin-a sido, e a6 ele +iscou e de re+ente se
viu do outro lado, acordando +ara descobrir !uem
ele seria/
etros adiante ele viu !ue a estrada se estreitava
at) desembocar em uma +onte sobre um abismo,
uma fenda não muito funda !ue se estendia +elo
terreno ao lon3o de centenas de metros/
,e+ois !ue se sabe a verdade, tem de viver a
verdade/ V o !ue ela tin-a dito/ Talve4 fosse um
+ouco tarde demais, mas ele sabia o !ue +recisava
fa4er/
L,iminua, eu vou descer L +ediu #oa-/
L" !u2O
L#ão +are, s8 me dei.e descer/ L Ele abriu uma
fresta da +orta, e o vento entrou açoitando/ Ela
tirou o +) do acelerador e freou at) o carro atin3ir
uma velocidade !ue +ermitisse a #oa- sobreviver
caso ele de fato se =o3asse na estrada !ue
+assava, sibilante, sob o carro/ #ão -avia como
saber ao certo se ela entendia o !ue ele estava
fa4endo* não -avia tem+o +ara e.+licações/ Talve4
ele nunca viesse : saber, mas, como ela tin-a dito,
nada da!uilo tin-a a ver com #oa- 7ardner/
Ele ol-ou +ara ela uma Jltima ve4/ #os ol-os dela
-avia l@3rimas, mas mesmo assim os mantin-a
fi.os na estrada/
L'deus/
Ela res+ondeu, mas com um fia+o de vo4, com
+alavras ditas de maneira tão comedida e discreta,
!uase em sil2ncio, como se nem estivesse de fato
se diri3indo a ele/ >e os dois =amais voltassem a se
ver, a!uele era o ti+o de frase !ue ele 3ostaria de
ouvir em alto e bom som/ Dlusão ou +ensamento
+ositivo, talve4, mas em seu 6ntimo ele sentiu !ue
sabia e.atamente o !ue ela tin-a dito/ 5Eu
tamb)m te amo5/
Ele abriu a +orta e se dei.ou cair no asfalto, foi
rolando e c-ocandoCse violentamente contra o
c-ão, ao lon3o do !ual teve a sensação de
+ercorrer um cam+o de futebol/ ?or fim ele +arou,
e durante al3uns se3undos observou o carro, !ue
a3ora =@ tin-a recu+erado a velocidade e
começava a desa+arecer no -ori4onte/
Tentou se levantar, mas foi im+edido +ela dor, +or
isso raste=ou +ara o centro da +ista e se a=oel-ou
no meio da estreita +onte, com as mãos
levantadas de modo a ficar mais vis6vel, e ficou
observando a a+ro.imação da lin-a de carros com
lu4es +iscantes/
Talve4 eles +arem, talve4 não, +ensou #oa-, mas
de um =eito ou de outro ele retardaria um +ouco o
avanço da +ol6cia/ '+esar de tudo isso, ele sabia
a+enas duas coisas9 !ue olly Ross ainda estava
lutando, e !ue, a+esar do !ue ele teria +ela frente,
não estava com medo/
Quando o +rimeiro carro derra+ou e +arou, sentiu
no rosto o calor dos far8is/ 'l3uns dos ve6culos !ue
vieram atr@s formaram uma fila e os motoristas
ficaram atarantados tentando ac-ar uma rota
alternativa +ara contornar a estreita +assa3em,
mas fora da estrada a areia era fofa demais e
com+rometia a tração, e os carros !ue tin-am
tentado ir +ela vala a3ora estavam atolados, os
+neus 3irando em vão/
Ele er3ueu os ol-os e viu cinco -omens de
uniforme se a+ro.imando, armas em +un-o/
Estavam todos berrando ordens !ue ele não
conse3uia entender/
E então eles desa+areceram, bem como o resto do
mundo, em um re+entino lam+e=o de lu4 branca
atr@s dele/ " bril-o, !ue durou a+enas uma fração
de se3undo, era tão intenso !ue l-e turvou os
sentidos/ #oa- sentiu o clarão atr@s de si, +Tde
ouvir o som e sentir o c-eiro/ Quando recobrou a
visão, viu os +oliciais +arados em +) na estrada,
al3uns cobrindo os ol-os, mas a maior +arte deles
ol-ando +ara o -ori4onte, com e.+ressão va4ia, os
braços ca6dos do lado do cor+o/
Ele se virou +ara ol-ar +or cima do ombro, na
direção em !ue olly tin-a ido, e, !uilTmetros ao
lon3e, ele viu a nuvem de uma e.+losão atTmica
em formato de co3umelo, uma descomunal bola
de fo3o subindo lentamente no c)u noturno/ "
c6rculo cada ve4 maior, +ro+a3ado em ondas,
vin-a ras3ando o deserto rumo a eles, rumo a
tudo, em todas as direções/ >e3undos de+ois, ela
c-e3ou com o estalar de um trovão e uma sJbita
ra=ada de um vento !uente de verão/
Ca$%tu"o 67
Talve4 o tivessem es+ancado durante boa +arte
da noite/ Talve4 tivessem se +assado dias a fio/
'inda na!uela estrada #oa- tin-a +erdido toda
a noção de tem+o/
" interro3at8rio tin-a começado em um lu3ar,
e a certa altura eles se deram conta de !ue o
+ior !ue +odiam fa4er não bastaria/ Tin-a sido
levado de carro +ara outro destino, de+ois de
avião +ara outro lu3ar, onde tin-am
recomeçado as +er3untas/
Eles =@ sabiam de muita coisa/ J@ sabiam dos
telefonemas feitos do a+artamento de #oa-
+ara uma lon3a lista de cJm+lices de um
con-ecido a3itador !ue tin-a cons+irado +ara
destruir uma ou duas cidades dos Estados
Nnidos/ >abiam !ue #oa- tin-a a=udado uma
das fi3uras centrais dessa cons+iração a ter
acesso a documentos confidenciais/ >abiam !ue
ele a tin-a a=udado a burlar a se3urança e a
esca+ar de avião, cru4ando o +a6s +ara
+artici+ar do malfadado ata!ue/ Eles sabiam
!ue duas armas nucleares tin-am ca6do nas
mãos desses terroristas, e !ue uma delas -avia
sido detonada, mas outra ainda estava
desa+arecida/
" se3undo 3ru+o de interro3adores era mais
or3ani4ado, frio e sistem@tico em seus
m)todos, e bem mais criativo/ Eles não
estavam interessados a+enas em infli3ir dor,
mas terror9 a tortura mais efica4 acontece na
mente/ ,e+ois de muitas -oras usando todos os
ti+os de m)todos, +or fim tin-am decidido o+tar
+or um !ue +arecia ter o efeito mais eficiente e
imediato +ara seus +ro+8sitos/
#oa- estava amarrado a uma fria mesa de
metal, a cabeça imobili4ada e inclinada +ara
ficar mais bai.a !ue os +)s, um +ano mol-ado
sobre o rosto +ara restrin3ir a sua res+iração9
sentia a @3ua 3ote=ando, talve4 a+enas meio
co+o, somente o suficiente +ara escorrer +elas
suas narinas at) a 3ar3anta/ 'l3uma +arte
+rimitiva da mente vai : loucura ao saber !ue
est@ se afo3ando e não -@ como esca+ar/ "
su+liciado +ode tentar ser forte !uanto !uiser9
não fa4 diferença/ >e #oa- de fato soubesse
al3uma coisa !ue eles !ueriam descobrir, não
demoraria nem de4 se3undos +ara !ue ele
tivesse contado, e eles saberiam se ele estava
di4endo a verdade/
,urante a sessão de tortura, tin-am dito v@rias
coisas +ara convencer #oa- a rom+er o
sil2ncio/ ,isseram !ue a mãe de olly,
submetida a um interro3at8rio similar, revelara
o es!uema todo, incluindo o 3rau do
envolvimento de #oa-/ ,isseram !ue a +r8+ria
olly tin-a sido ca+turada e revelaram, em
detal-es dolorosos, as t)cnicas +articulares !ue
tin-am usado contra ela/ ,e acordo com eles,
ela entre3ou os +ontos !uase !ue
imediatamente, delatando seus cole3as de
cons+iração/
,e+ois de tudo +or !ue =@ tin-a +assado, #oa-
teria acreditado de bom 3rado em !uase
!ual!uer coisa !ue l-e dissessem, mas at)
mesmo +ara sua mente brutali4ada e confusa
as duas Jltimas afirmações não +areciam
verdadeiras L a!uele ti+o de 3ente não trairia
sua causa/ >e olly entre3asse os +ontos, se
sucumbisse, cairia em sil2ncio/ >aber disso deu
a #oa- o +rimeiro fia+o de es+erança em muito
tem+o/
E a tortura continuou assim, como se eles
tivessem todo o tem+o do mundo e nada a
+erder, e #oa- confirmando e reconfirmando
!ue não sabia de coisa al3uma !ue l-es
+udesse ser Jtil/ '+arentemente eles
inter+retavam a i3nor;ncia dele como sinal de
teimosa resist2ncia/ 'final de contas, nunca se
sabe !uando uma informação +reciosa +ode vir
: tona/
E então eles +araram/
,e+ois +assaram al3uns minutos lim+ando o
torturado da mel-or maneira !ue +odiam,
desamarraram uma de suas mãos, a=ustaram a
mesa de metal +ara uma +osição mais natural,
e c-e3aram a colocar al3uns travesseiros
debai.o da sua cabeça/ Jamais se diri3iram a
ele diretamente, mas +elos fra3mentos da
conversa !ue +Tde ouvir, #oa- entendeu !ue
um visitante es+ecial estava a camin-o, al3u)m
suficientemente es+ecial +ara dar +onto final ao
interro3at8rio mais im+ortante desde !ue
K-alid >-eik- o-ammed foi ca+turado dois
anos de+ois do && de setembro/
En!uanto se +re+aravam +ara ir embora,
+useram as coisas em ordem, como uma
e!ui+e de mec;nicos e.+erientes or3ani4a as
ferramentas de seu of6cio/ Essas ações
dei.avam claro !ue, caso fosse necess@rio, eles
voltariam a+8s a breve interru+ção +ara
continuar de onde tin-am +arado/
Es+al-adas +elo teto, -avia al3umas c;meras
de vi3il;ncia/ % interro3ador c-efe er3ueu os
ol-os +ara uma delas e fe4 um 3esto indicando
!ue o +reso estava +ronto +ara receber seu
visitante/ Com essa dei.a, as lu4in-as
vermel-as das c;meras +iscaram em
se!u2ncia/
'l3uns se3undos de+ois, uma fi3ura a+areceu
na +orta/
Ca$%tu"o 68
#oa- tin-a sido su+liciado +or muitas -oras, e,
) 8bvio, o interro3at8rio o dei.ara no limite do
es3otamento f6sico e mental/ #in3u)m +odia
cul+@Clo se ele não recon-ecesse de imediato
seu visitante L o -omem !ue raramente era
visto fora de seu ele3ante ha'itat0 Contudo,
a+esar de todas essas circunst;ncias
atenuantes, #oa- soube na mesma -ora !uem
era o -omem !ue o encarava, +or!ue era
san3ue do seu san3ue* o lend@rio 'rt-ur
7ardner/
" vel-o entrou e camin-ou at) o meio da sala,
dis+ensou seu 3uardaCcostas e os outros com
um li3eiro aceno, e ficou a s8s com #oa-/
Em ve4 da cadeira de escrit8rio !ue -avia sido
+rovidenciada, o +ai sentouCse em um banco
alto e sem encosto/ Como sem+re, estava
ocu+ando o +lano su+erior9 sentado da!uele
=eito o vel-o assomava sobre o fil-o, ainda
+reso : mesa de metal/
?or al3uns minutos os dois a+enas se
entreol-aram em sil2ncio/ Talve4 fosse +arte da
estrat)3ia do +ai, m)todo !ue ele
invariavelmente usava em suas reuniões de
ne38cios mano a mano* nas ne3ociações -ostis
o +rimeiro a falar !uase sem+re +erde/ ,e+ois
de al3uns minutos, +or)m, o sil2ncio deve ter
sobre+u=ado a +aci2ncia/
L ' mul-er com !uem voc2 se envolveu L
começou 'rt-ur 7ardner L, voc2 tem al3uma
ideia de !uanto ela nos custouO
C #ão sei L res+ondeu #oa-, com uma vo4
rouca e seca +or causa do sofrimento a !ue
tin-a sido submetido/ L Bil-õesO
" +un-o do vel-o bateu sobre a mesa, com
força suficiente +ara !uebrar um osso/
C Ela nos custou im+actoP L ele 3ritou/ L ,evia
ter sido um evento lim+o e es+etacular, al3o
+ara alavancar nosso novo in6cio/ Em ve4 disso,
tornouCse uma com+leta dé'Zcle, não +assou
de uma e.+losão !uase des+ercebida no
deserto, no meio do nada, !ue mal sacudiu uma
.6cara na mesa da cidade mais +r8.ima/ #ão -@
se!uer foto3rafias L tivemos de recorrer a
conce+ções art6sticas e a efeitos es+eciais/
1amos ter de ficar acordados a noite inteira,
tentando inventar uma -ist8ria +laus6vel, +ara
salvar +elo menos +arte do efeito +retendido/
,e+ois de tantos anos de +re+arativos, a coisa
foi +reci+itada, contra a min-a vontade, +or
causa das ações dessa resist2ncia inJtil/ ,a
!ual meu fil-o fa4 +arte/
' =ul3ar +elas a+ar2ncias, o +ai devia estar
+ensado !ue na!uele momento seria
a+ro+riada al3uma forma de +edido de
descul+as/
C #ão foi min-a intenção, +ai/
" vel-o resmun3ou al3uma coisa venenosa, e
+areceu fa4er um esforço +ara recobrar sua
di3nidade/ Ele a=eitou sua =@ +erfeita 3ravata de
seda +ersa e, !uando retomou a +alavra, sua
vo4 +arecia mais controlada/
C #ão !ue ten-a sido um fracasso total/ >eus
ami3os +erderam antes mesmo !ue a luta
tivesse começado/ ?assamos anos +intando
esse 3ru+o como um bando de e.tremistas
+eri3osos, -erdeiros de fi3uras como Timot-y
c1ei3-, e eles obviamente levarão a cul+a
como os vilões desse ata!ue malfadado/ L Ele
ol-ou +ara o nada, com ol-ar va3o, como se
não estivesse falando com nin3u)m em
+articular/ L V uma +ena !ue esses seus
ami3os ten-am sido tão trans+arentes em seu
dese=o de viol2ncia/ Eles adoram slogans como
5recarre3ar5 e re3ar a @rvore da liberdade com
o san3ue dos tiranos/ Eles usam camisetas !ue
a+8iam a ideia de 5transformar +ol6ticos em
alvos5, e #oa-, não vamos nos es!uecer do
desafortunado incidente em !ue voc2 se meteu
na!uele bar no centro da cidade/ Essas +essoas
=amais !uiseram dar uma c-ance : +a4 L e
a3ora elas mostraram at) !ue +onto estão
dis+ostas a ir +ara divul3ar sua mensa3em/ L
Ele estava sorrindo, claramente desfrutando um
instante de satisfação s@dica/
C (eli4mente, =@ -@ rumores de !ue vão
sus+ender a eleição +residencial/ Qual!uer um
dos dois candidatos teria sido i3ualmente Jtil,
mas isso vai ter uma dose +oderosa de
simbolismo/ #os +r8.imos dias muitas
alterações na le3islação serão a+rovadas :s
+ressas com +ouco ou nen-um debate, e
servirão +ara massacrar o !ue tiver restado do
lament@vel movimento liderado +or a!uela tal
Ross/ E, naturalmente, vai -aver uma o+eração
de lim+e4a 3eral +ara +e3ar todo mundo !ue
tiver !ual!uer relação com esses
revolucion@rios retr83rados, com +leno a+oio
da m6dia e do +ovo acovardado/
C >aul 'linsky estava certo, #oa- L os fins
=ustificam mesmo os meios/ #ão consi3o
ima3inar como uma +essoa +ode acreditar em
outra coisa/ " !ue voc2 ac-a !ue as massas
+refeririam se soubessem o !ue eu sei L !ue
elas t2m a+enas duas o+ções* uma
transformação r@+ida, ainda !ue dolorosa, ou
mais um s)culo de lento +ro3resso e sofrimento
!ue levam ao mesmo fim inevit@vel, s8 !ue
desta ve4 com toda a ri!ue4a e o +otencial do
+a6s roubado deles antes mesmo do in6cio da
decad2ncia/
C E mesmo assim esse bando de intrometidos
i3norantes e3o6stas L eles t2m a aud@cia de se
rotularem +atriotas L fica atravancando o
camin-o do destino/ " !ue voc2 ac-a !ue eles
conse3uiramO Quantas vidas eles salvaram
-o=eO Nmas <% milO Todo santo dia, ao redor do
+laneta, morre um nJmero de +essoas cinco
ve4es maior/ E essa 3ente morre na
obscuridade, ao final de uma e.ist2ncia inJtil,
desa+arece feito +oeira, como se nunca tivesse
e.istido/ as essas <% mil teriam morrido +or
uma causa maior do !ue !ual!uer outra, seus
nomes seriam 3ravados em monumentos do
novo mundo, em memoriais de 3ranito
anunciando o novo in6cio da -umanidade/ Nm
Jnico mundo, re3ido +elos s@bios, os mais
a+tos e os mais fortes, sem ilusões in32nuas de
i3ualdade ou as e.cessivas e batidas
+romessas de uma liberdade +ara todos/
C Quantas ve4es +recisamos a+render as
mesmas liçõesO ,ei.e !ue os comilões inJteis
saiam : +rocura da felicidade, e o resultado )
sem+re massacre e caos, +obre4a e deses+ero/
" !ue seus novos ami3os não conse3uem ver )
!ue este +a6s foi nada mais !ue uma breve
anomalia, um mero instante +assa3eiro na
marc-a do tem+o/ 's +essoas sem+re se
+er3untam como +ode ter e.istido a
escravidão, mas isso s8 mostra a sua
i3nor;ncia/ ' escravidão e a tirania v2m sendo
as re3ras -@ mil-ares de anos/ ' liberdade ) a
ef2mera e.ceção/
C "s Estados Nnidos =amais deveriam ter
sobrevivido +or tanto tem+o assim, mas todas
as coisas boas c-e3am ao fim/ " sistema est@
danificado de maneira irrevers6vel/ Ho=e em dia
concorrer : ?resid2ncia custa & bil-ão de
d8lares/ 'bra-am 0incoln não teria conse3uido
+assar das eleições +rim@rias de DoHa/ Quando
os ocasionais vision@rios c-e3am ao +oder, o
e.erc6cio da corru+ção começa imediatamente/
' maioria dos +ol6ticos não +assa de +rostitutas
e marionetes, e ) isso !ue sem+re serão/ ' tara
!ue eles sentem +or din-eiro, se.o e +oder fa4
deles +essoas control@veis, mas elas me
eno=am/ Quando servirem a seu +ro+8sito, elas
saberão o !ue ) o verdadeiro +oder,
=untamente com todo mundo/
C #ossa Jnica c-ance de tomar conta do mundo
) me.er os +au4in-os e controlar !uem d@ as
cartas/ ?residentes, senadores, 3overnadores L
essa 3ente toda vai e vem, mas eu e meus
+ares sem+re estivemos e sem+re estaremos
l@, n8s os criamos e os destru6mos/ "s
verdadeiros +oderes duradouros deste mundo
são mais anti3os do !ue !ual!uer 3overno, e =@
+assou da -ora de darmos um basta a son-os
va4ios de liberdade/ '3ora n8s estamos
tomando as r)deas abertamente/ '3ora
daremos ao +ovo o 3overno !ue ele fe4 +or
merecer/ #in3u)m con-ece as +essoas mel-or
do !ue eu, e eu sei do !ue elas +recisam/
,aremos a elas um sentido, um +ro+8sito, uma
vida +ac6fica, sim+les, re3rada, com todos os
confortos =ustos a serviço de al3o maior do !ue
a uma nação e3o6sta/
" vel-o ficou em +), camin-ou at) a +orta,
bateu tr2s ve4es na madeira e de+ois voltou e
sentouCse novamente/ '+8s al3uns se3undos,
outras +essoas entraram na sala, um 3ru+o de
+rofissionais diferentes dos !ue #oa- tin-a
visto antes/
C ' sua mãe L disse 'rt-ur 7ardner L
si3nificou muito +ara mim/ Eu vi nela min-as
Jltimas es+eranças de -umanidade/ Ela tin-a
as fra!ue4as dela, mas a3ora, ol-ando +ara
tr@s, !uando +enso nisso ac-o !ue essas
fra!ue4as +odem ter sido =ustamente o !ue me
atraiu nela/ ?ara começar, ela acreditava nas
+essoas, !ue o bem +odia sobre+u=ar o mal/
?elo breve +er6odo em !ue fi!uei com ela, um
+ouco dessas fra!ue4as me contaminaram/
Tivemos um fil-o =untos, embora eu ten-a
=urado !ue =amais +oria outro ser -umano no
mundo/ as ela incutiu no fil-o todos os son-os
inocentes !ue ela alimentava/
C '3oni4ando no leito de morte, a sua mãe me
disse !ue eu +odia es+erar de voc2 coisas
maravil-osas, #oa-/ Eu me aferrei a essa
es+erança/ as, ao lon3o da Jltima -ora, ali em
+) do lado de fora desta sala, eu tive de me
+er3untar se este era o fim das min-as
ambições +ara voc2/
C >uas ambições/// +ara mimO
C 'credite ou não, meu 3aroto, não viverei +ara
sem+re/ H@ muito a fa4er antes da min-a
morte/ " resultado da obra da min-a vida ainda
) bastante incerto, e +reciso de a=uda +ara
fa4er tudo o !ue eu ten-o a fa4er/ ?reciso da
sua a=uda/
C eu dese=o era !ue voc2 um dia estivesse ao
meu lado !uando eu en3endrasse meu novo
mundo/ 1oc2 tem muitos talentos, mas esses
dons ficaram adormecidos +or conta de um
tru!ue de -ereditariedade/ Eu sei !ue voc2
+adeceu desse conflito, e !ue, :s ve4es, deve
ter sido muito doloroso/ 1oc2 tem a mente do
seu +ai, mas o coração da sua mãe/ Nm não
+ermite !ue o outro aflore/
C as +arece !ue nos Jltimos dias voc2 foi
e.+osto a uma doença !ue afetou seu
+ensamento/ Eu con-eço bem essa infecção, e,
assim !ue ela toma conta de uma +essoa,
receio !ue se=a incur@vel/ Em outras +alavras,
ela vai acom+an-ar voc2 +elo resto da vida/
?ortanto, antes !ue voc2 +ossa me a=udar,
#oa-, antes !ue eu +ossa confiar em voc2,
devemos ter certe4a de !ue essa mul-er e seus
ami3os não te +assaram uma doença !ue eu
não +osso +ermitir !ue se es+al-e/
"s t)cnicos =@ tin-am iniciado seus
+re+arativos/ '3ora al3uns +esados cabos de
cobre e eletrodos estavam +resos +or +edaços
de fita adesiva branca a v@rios +ontos do cor+o
de #oa-/ Nm +ouco de 3el condutor foi a+licado
em suas t2m+oras/
C Estou a!ui +ara te salvar, #oa- L disse 'rt-ur
7ardner L, de um =eito ou de outro, e +ara
+reservar meu le3ado/ Nm dos dois =ovens sair@
desta sala comi3o/ " +rimeiro caiu ref)m nas
mãos da tal Ross e sua mil6cia terrorista, mas
conse3uiu esca+ar e de+ois arriscou
cora=osamente sua vida na estrada ao im+edir
!ue um 3ru+o de +oliciais e a3entes federais
morresse na!uela terr6vel e.+losão do deserto/
Esse -omem ) um -er8i, e dar@ continuidade :
min-a obra e ser@ meus ol-os e ouvidos
en!uanto e.ecutamos nosso +lano/
C " outro -omem se envolveu em uma -ist8ria
similar, com uma triste diferença* est@ morto/
'rt-ur 7ardner meneou a cabeça +ara um dos
t)cnicos sentados/
C E a3ora vamos descobrir =untos, de uma ve4
+or todas, se #oa- 7ardner ) realmente o fil-o
do seu +ai/
Ca$%tu"o 69
Eles amarraram de novo as correias, de modo
!ue #oa- ainda continuasse +reso, mas com
uma c-ance menor de se mac-ucar durante o
+rocedimento/ Ele foi instru6do a morder um
+edaço de borrac-a colocado entre seus
dentes/
" !ue os t)cnicos fi4eram a se3uir tin-am
a+rendido 3raças a d)cadas de tentativa e erro
e mil-ares de +risioneiros !ue tin-am tril-ado
a!uela estrada antes de #oa-/ esmo em um
ambiente cl6nico, a tera+ia eletroCconvulsiva era
mais uma arte do !ue uma ci2ncia9 os
resultados =amais eram +lenamente con-ecidos
at) !ue o +rocedimento tivesse terminado/ "s
ob=etivos eram diferentes a!ui, mas seu
+rinci+al +ro+8sito era claro* destruir !ual!uer
dese=o remanescente no +aciente de resistir ou
esca+ar, de modo !ue a verdade fosse a Jnica
coisa !ue ele seria ca+a4 de falar/
?or um lon3o tem+o seu +ai +ermaneceu
sentado em sil2ncio ao lado da mesa de metal,
en!uanto os t)cnicos administravam a
volta3em com a +recisão de um ourives/ #oa-
ouvia os 3ritos, e sabia !ue eram dele, mas
uma +e!uena +arte de seu c)rebro estava tão
se+arada dele !ue sim+lesmente observava o
sofrimento/
>ua mente, outrora seu bem mais utili4ado e
mais valioso, =@ não estava mais sob seu
controle/ Ele não conse3uia se concentrar nem
nos t)cnicos nem na dor, e =@ tin-a desistido de
saber !uanto tem+o a a3onia ainda duraria/
Tudo !ue restava era uma s)rie de
instant;neos aleat8rios do +assado +iscando :
revelia em sua mente/
Todas as defesas de #oa- o tin-am
abandonado -oras antes/ #esse estado, se ele
tivesse al3uma informação a revelar, =@ o teria
feito de bom 3rado, mas a3ora estavam
sondando al3o muito mais +rofundo do !ue a
mera inteli32ncia/ Toda ve4 !ue ele ac-ava !ue
não restava mais nada, encontravam outra
camada fr@3il da alma a ser arrancada/ #o fim,
!uando tudo o !ue ele conse3uia ver era
somente a escuridão, o !ue -avia restado dele
entre3ou os +ontos e tentou se render/
Como se +ercebesse !ue o +rocedimento
estava c-e3ando ao fim, o vel-o se levantou do
fr@3il banco de madeira e ficou em +) diante do
fil-o/ L "ra, ora, #oa-, ac-o !ue n8s dois estaC
mos descobrindo !ue ti+o de -omem ) voc2, e
devo di4er !ue ) bastante dece+cionante/ L Ele
+assou os ol-os +or um maço de fol-as de
+a+el !ue um dos t)cnicos l-e entre3ara/ L
5Dnconclusivo5/ Ten-o certe4a de !ue voc2
sabe, eis a!ui uma +alavra !ue eu odeio mais
do !ual!uer outra/ E ela não +õe um triste
+onto final na -ist8ria de uma vida muito
=ovem, des+ro+ositada e es!uec6velO
L 'o mesmo tem+o em !ue voc2 não nos
forneceu nada !ue com+rove seu envolvimento
na traição ocorrida nos Jltimos dias, voc2
tam+ouco di4 nada !ue o isente/ >e voc2 fosse
um fiel se3uidor do movimento ou um traidor
da causa, !ual!uer um dos dois, eu +elo menos
+oderia ter res+eitado/ as voc2 ) fraco, não )O
E de uma maneira fatal/
"s ol-os de #oa- não estavam totalmente
abertos, e sua visão a3ora estava a!uosa e
embaçada/ >eu +ai +arecia uma sil-ueta
3i3ante, uma sombra va3a e indistinta/
(ra3mentos de mem8ria invadiam sua mente,
um vislumbre da sala em !ue ele tin-a visto
olly +ela +rimeira ve4, mas a ima3em dela era
substitu6da +elo contorno de sete leves
+inceladas de uma caneta -idro3r@fica/
's lin-as !ue outrora re+resentavam as
re!uintadas formas de olly se dissolveram at)
formar uma +oça de escuridão e dor/
L#oa-, a Jltima ve4 !ue falei sobre isso voc2
ainda era s8 um menino, então duvido de !ue
v@ se lembrar/ L >eu +ai tin-a retomado sua
+osição ao lado da mesa/ L V um +oema !ue
escrevi +ara voc2, em res+osta a al3uma
+er3unta !ue voc2 tin-a feito/ 'c-o !ue )
ade!uado : nossa situação +resente/
Quando voltou a falar, a vo4 do vel-o tin-a um
tom mais suave e +aternal/
L5E.istem -omens fortes e fracos X E.istem
-omens certos e outros !ue estão errados em
seu saber X as de todos os -omens !ue se
amontoam +elo mundo X E.iste somente uma
Jnica verdade* s8 os mais a+tos vão
sobreviver/5
L#oa-, os mansos e submissos não -erdarão a
Terra/ Nm coração frou.o vale o mesmo !ue
uma mente d)bil/ e d8i di4er isto, mas ac-o
!ue ) -ora de se3uirmos camin-os se+arados/
E foi então !ue #oa- sentiu al3o debai.o de seu
cor+o, atr@s de si e +or toda +arte L al3o fora
dele, e !ue ele não conse3uia identificar/
' mente do seu +ai, o coração da sua mãe/ "
!ue ele tin-a recebido do +ai era tudo o !ue
a!ueles -omens ao seu redor +odiam destruir,
mas seu coração eles não tin-am meios de
atin3ir/ >eu coração era -erança de sua mãe, e,
embora a força nele contida estivesse -@ tantos
anos abandonada e es!uecida, +arecia !ue, de
al3uma forma, olly Ross tin-a conse3uido
des+ert@Cla/
' id)ia de morrer não era nem um +ouco
assustadora como ele ac-ava !ue seria/ as,
em al3um lu3ar de seu 6ntimo, ele sabia
tamb)m !ue não era da!uela maneira !ue as
coisas deveriam terminar/ olly tin-a ensinado
a ele a im+ort;ncia de viver +ara lutar outro
dia/ Ela não tin-a sido ca+turada, nem
assassinada/ Nm es+6rito como o dela não
morre assim tão facilmente/ Ele não tin-a :
dis+osição nen-um fato !ue com+rovasse isso,
mas ele sabia/ Talve4 fosse isso a f) da !ual ela
tin-a falado/
" vel-o se afastou com determinação est8ica e
+e3ou seu +alet8, !ue estava cuidadosamente
dobrado no es+aldar da cadeira, e ordenou*
LTerminem o trabal-o e de+ois inventem uma
-ist8ria +ara asse3urar !ue o meu fil-o se=a
lembrado de maneira !ue tra3a di3nidade e
-onra : nossa fam6lia/
Havia uma sa6da +ara a!uela situação, mas
#oa- não sabia !ual era at) ouvir a res+osta
sussurrada em seu ouvido, como se olly
estivesse ali ao seu lado/ ' luta continuaria, ela
disse, com ela do lado de fora e ele do lado de
dentro, onde ela mesma =@ mostrara !ue era
+oss6vel fa4er 3randes estra3os/ E +or fim
acrescentou uma Jltima coisa* 5#ão ten-a
medo/5
Quando o vel-o se virou +ara ir embora, #oa-
tentou +ronunciar as +alavras !ue ela l-e
dissera, mas sua boca e seus l@bios estavam
tão secos !ue suas +alavras sa6ram !uase
inaud6veis/ L 5Que o futuro ser@ como foi o
nascimento do Homem5 L ele murmurou/
Ele nem se!uer sabia se estava di4endo as
+alavras em vo4 alta ou recitandoCas a+enas
em sua mente/ L 5H@ a+enas !uatro certe4as
desde !ue começou o ?ro3resso >ocial/5 ' mão
do +ai estava na maçaneta da +orta !uando
subitamente ele estacou e ol-ou +ara tr@s/
L" !ue voc2 disseO L o vel-o +er3untou/
#oa- continuou, e sua vo4 foi ficando mais
forte/ L 5Que o Cão retorna ao seu 1Tmito e a
?orca ao seu 0odo/5 L '3ora o +ai tin-a dado
al3uns +assos na direção de #oa-/ L 5E !ue o
dedo !ueimado do Tolo retorna, tr2mulo, ao
(o3o/5
" rosto em 3eral im+ass6vel de 'rt-ur 7ardner,
tão acostumado a ne3ar as emoções, não +odia
conter sua sur+resa/ Ele retomou seu lu3ar
=unto : mesa e fe4 um 3esto en.otando da sala
as outras +essoas/
" vel-o se inclinou sobre #oa- e a+ertou a mão
do fil-o/ #oa- esboçou o mel-or sorriso !ue
conse3uiu estam+ar no rosto e dei.ou o +ai
acreditar no !ue estava vendo/
LEu sabia L o vel-o disse L !ue estava a6
dentro em al3um lu3ar/ Tivemos de e.tir+ar
todas as boba3ens, mas a6 est@, no ;ma3o do
seu ser* a ess2ncia do !ue ensinei a voc2/ Eu
sabia !ue voc2 não +odia ter es!uecido,
embora deva admitir !ue voc2 me dei.ou
+reocu+ado/
#oa- ol-ou diretamente +ara os ol-os a3udos e
+enetrantes do +ai e assentiu com a cabeça/
LEssas +essoas com !uem voc2 se envolveu L
continuou o vel-o L, elas acreditam !ue
+odemos ter um futuro mais bril-ante
ressuscitando ideias fracassadas do +assado/
Elas estão erradas, e as ideias delas levariam
mil-ões de +essoas : mis)ria e ao sofrimento/ '
res+osta ) um novo son-o, o meu son-o, e
=untos +odemos transform@Clo em realidade/
#esse momento #oa- +ercebeu outra coisa,
outra coisa !ue olly tin-a ensinado/ Quem
3an-a a vida mentindo, :s ve4es, não conse3ue
en.er3ar a verdade nem mesmo se ela estiver
bem na sua frente/ Essa ) uma fra!ue4a !ue
+ode ser e.+lorada/
?ara 'rt-ur 7ardner era uma !uestão de
or3ul-o !ue seu -erdeiro estivesse envolvido
na transformação !ue estava +or vir/ >eu fil-o,
então, faria o mel-or !ue +udesse +ara +rovar
o ad@3io de !ue o or3ul-o +recede a !ueda/
" vel-o sorriu/ ' +rovação tin-a c-e3ado ao
fim, e, embora ele claramente =ul3asse !ue
tin-a 3an-ado o dia, o !ue 'rt-ur 7ardner não
tin-a como saber era !ue as lin-as da batal-a
tin-am acabado de ser traçadas/
#oa- sentiu !ue ia desfalecer, e falou de novo,
mas sua vo4 era +ouco mais !ue um sussurro/
's +alavras !ue ele disse eram destinadas a
ouvidos diferentes, e, onde !uer !ue olly
estivesse, ele sabia !ue certamente ela +odia
ouviClas*
L5Temos o +oder de começar o mundo de
novo5/
E$%"ogo
Nm m2s tin-a se +assado desde !ue #oa-
c-e3ara a seu novo lar/
"s dias na!uele lu3ar tin-am começado a se
embaral-ar e se confundir uns com os outros/
Então ele -avia recorrido ao e.+ediente de
anotar cada aman-ecer com uma marca em
al3um dos ti=olos da +arede =unto a sua cama/
Embora -ouvesse calend@rios : dis+osição dos
internos de stat&s ra4o@vel, essas inscrições
+areciam um modo mais ade!uado +ara
manter o c@lculo e o controle do tem+o +assado
ali dentro/
Com um toco de l@+is !ue +e3ou no criadoC
mudo ele inscreveu outro Z no fim da Jltima
lin-a, e de+ois começou outra fileira ao lado da
+rimeira, anteci+ando o m2s vindouro/
#oa- estava -abituado : atmosfera de um
dormit8rio, embora em seus tem+os de
faculdade =amais tivesse tido de viver em um/
Era o estilo de acomodação com !ue a!uele
lu3ar mais se +arecia/ Nm !uarto de dormir
sim+les, com uma escrivanin-a e um ban-eiro
em comum, +ouco maior !ue um claustro, mas
consideravelmente menor do !ue um
a+artamento de verdade/ 'l3um ar!uiteto
+reocu+ado com a efici2ncia tin-a inclu6do no
desen-o do lu3ar um verni4 de aconc-e3o
suficiente a+enas +ara !ue o es+aço fosse visto
+elos residentes como uma casa modesta, e
não um lu3ar de confinamento/
,ois andares abai.o, o lu3ar era mais +arecido
com um !uartel, e os n6veis inferiores eram de
acesso restrito/
Nm -omem camin-ava +elo corredor, ol-ando
de relance +ela =anelin-a da +orta/ #ão era um
3uarda, de acordo com o !ue tin-am dito a
#oa- na orientação, mas sim uma es+)cie de
monitor do andar9 um administrador e vi3ia
bondoso, !ue ali estava em nome de se3urança
e +roteção/
E não se tratava de uma +risão, absolutamente
não, +elo menos era o !ue tin-a sido enfati4ado
+elo comit2 de boasC vindas/ " com+le.o e os
edif6cios dos seus arredores +odiam at) ter sido
ori3inalmente constru6dos como uma +risão,
mas nos Jltimos anos os cortes de custos e as
mudanças +ol6ticas tin-am dei.ado o lu3ar
abandonado/ (uncion@rios locais da +e!uena
cidade de ontana tin-am ficado feli4es de
saber !ue os seus +esados investimentos
finalmente tin-am uso, 3erando em+re3os +ara
os moradores das redonde4as e a=udando o +a6s
a lidar com o rec)mCdeclarado estado de
emer32ncia/
" vel-o tin-a +rovidenciado a retirada do fil-o
dali, bem como um em+re3o/ 'ssim !ue
estivesse curado, #oa- se tornaria uma +eça
c-ave na im+etuosa estrat)3ia de relações
+Jblicas +or tr@s dos novos rumos do +a6s !ue
sur3iria/ #oa- retornaria imediatamente a #ova
Gork L seria uma es+)cie de corres+ondente de
cam+o, a=udando a 3erenciar o flu.o de
informações na luta contra as forças nativas
!ue recentemente -aviam declarado 3uerra
aberta ao +ro3resso norteCamericano/
M bem da verdade, as acomodações ori3inais
de #oa- tin-am sido bem mais a3rad@veis9
uma su6te +rivativa em um dos andares
su+eriores L mas o desem+en-o insatisfat8rio
em sua +rimeira tarefa tin-a resultado em um
rebai.amento da !ualidade de seus
alo=amentos/
' missão fracassada tin-a sido muito sim+les e
ob=etiva/ Ele devia escrever um arti3o de =ornal
esboçando em detal-es o funcionamento de
uma recente cons+iração ar!uitetada +or norteC
americanos !ue !uase levara : destruição de
0as 1e3as e >ão (rancisco/ ' -ist8ria deveria
ser contada de seu +r8+rio +onto de vista, o de
um ref)m transformado involuntariamente em
colaborador dos cons+iradores/
' +rimeira versão foi +rontamente re=eitada9
-avia no te.to nuances e su3estões !ue
su3eriam nas entrelin-as al3umas tintas !ue
+areciam +intar um retrato +ositivo dos l6deres
da (ounders Kee+ers/ ' se3unda tentativa não
tin-a sido nada mel-or9 +elo contr@rio/ " fato
mais estran-o ) !ue, embora #oa-, movido
+elo instinto de autoC+reservação, tentasse com
afinco escrever o !ue eles !ueriam, as teimosas
verdades insistiam em abrir camin-o e se
insinuar no te.to/
,e+ois de uma investi3ação informal, essa
+rimeira fal-a foi atribu6da aos efeitos da
>6ndrome de Estocolmo, a!uela condição
mental +assa3eira +or meio da !ual v6timas de
se!uestro, :s ve4es, +assam a se identificar e a
desenvolver uma estran-a sim+atia +ara com
seu ca+tor ou com a causa de seu
se!uestrador/ ?elo menos momentaneamente
determinouC se !ue, at) mel-orar, #oa- seria
incumbido de tarefas menos e.i3entes e
contaria com o au.6lio de um editor adicional
+ara su+ervisionar seu trabal-o/
E não -avia falta do !ue fa4er, fossem tarefas
sim+les, fossem tarefas 3randiosas/ Era +reciso
a+licar uma boa dose de invencionice e
mani+ulação de mar!ueteiros :s mudanças =@
em curso +or todo o +a6s/ #oa- ficou
encarre3ado de escrever uma s)rie de te.tos,
em sua maioria frases de efeito, manc-etes de
uma s8 lin-a e 5enc-eções de lin3uiça5 !ue
e.i3iam menos envolvimento com a rede de
novas verdades !ue estavam sendo tramadas
+ara o consumo da im+rensa e do +Jblico/ Nma
dessas tarefas consistia sim+lesmente em criar
um nome +ara um novo de+artamento do
Tesouro #acional, ao !ual caberia a missão de
3erenciar a nova onda de em+r)stimos
3overnamentais +ara salvar cor+orações e
setores econTmicos deficit@rios/
#oa- levou +oucos se3undos +ara criar o nome
do novo 8r3ão, !ue c-amou de (ederal
Resource 'llocation F NnderHritin3 ,ivision
A,ivisão (ederal de >ubscrição e 'locação de
RecursosB/ >omente de+ois !ue uma tonelada
de +a+el timbrado e cartões de visita =@ -avia
sido im+ressa, um revisor notou o +roblema*
em in3l2s, o nome formava o acrTnimo (raud,
ou se=a, 5fraude5/
#oa- se =ustificou ale3ando !ue tin-a sido um
acidente9 eles acreditaram, mas, +or via das
dJvidas, tamb)m o transferiram +ara um andar
mais se3uro do edif6cio, a+enas como medida
de +recaução tem+or@ria/
5,e+ois !ue se sabe a verdade, tem de viver a
verdade5, olly tin-a dito/ '+arentemente ela
tin-a se es!uecido de acrescentar !ue a +essoa
!ue sabe a verdade tamb)m tende a di4er a
verdade, mesmo !ue isso a +on-a em maus
lenç8is/
#oa- a=eitou os travesseiros e deitouCse na
cama estreita, não com a intenção de dormir,
mas a+enas de descansar os ol-os e tentar
desanuviar a cabeça/
il coisas diferentes +assavam +or sua cabeça/
Era uma condição a !ue seu +ai se referia como
tem+estade t8+ica, estado em !ue tantos
+ensamentos contradit8rios travam uma
batal-a dentro do c)rebro !ue a +essoa +erde a
ca+acidade de discernir e a3ir/ Esse estado era
constantemente indu4ido +or es+ecialistas em
relações +Jblicas +ara obscurecer e controlar
!uestões no discurso +Jblico, +ara manter as
+essoas +ensantes de+rimidas e a+@ticas nos
dias de eleição e +ara desencora=ar !ual!uer
um !ue se sentisse tentado a tomar +osição
firme acerca de al3uma !uestão com+le.a/
Eles tin-am dado a #oa- um r@dio e um
+e!ueno televisor, mas ele sabia !ue isso não o
a=udaria a esclarecer coisa al3uma/ ?elo
contr@rio, o >istema de 'lerta de Emer32ncia
tin-a sido acionado lo3o a+8s o malo3rado
ata!ue, e, embora al3umas estações de r@dio e
redes de televisão tivessem voltado : ativa, as
not6cias ainda eram muito +arecidas, com as
marcas t6+icas de uma cobertura Jnica e
e.clusiva/ Embora não tivesse ocorrido nen-um
desastre, os =ornalistas escol-idos estavam
trabal-ando $[ -oras +or dia e sete dias +or
semana +ara mascarar os estra3os !ue +odiam
ter acontecido, e os !ue ainda +oderiam vir a
acontecer/ edo, incerte4a e dJvida L as tr2s
armas mais efica4es do arsenal de 'rt-ur
7ardner L estavam mantendo o +a6s em
estado de intran!uilidade, tensão e fra!ue4a, a
situação do +r8+rio #oa-/
" !ue uma +essoa +ode fa4erO Essa era a
+er3unta ret8rica e +assiva !ue mantin-a as
+essoas em sil2ncio e im+otentes diante das
coisas !ue +arecem 3randes e assustadoras
demais +ara serem dominadas/ Era tamb)m a
+er3unta !ue ecoava na mente de #oa-/ '3ora
eu ve=o a verdade, e, sim, !uero viver, mas o
!ue +osso fa4erO
?ensando na +er3unta, ele decidiu dormir, +ois
at) então não tin-a conse3uido c-e3ar a uma
boa res+osta/
'ssim !ue o ban-eiro ficou desocu+ado, #oa-
escovou os dentes e se lavou9 dei.ou a +ia e o
armarin-o bem mais lim+os do !ue -avia
encontrado, vestiu o +i=ama e se deitou/ Rolou
de lado e viu os riscos !ue ele desen-ara na
+arede : 3uisa de calend@rio im+rovisado, com
uma se3unda fieira de riscas ao lado/
"nde ele estaria dali a um m2sO
' res+osta a essa +er3unta +arecia
de+rimentemente clara/ as e onde olly
+oderia estarO (a4er a si mesmo essa +er3unta
tin-a se tornado um ritual de todas as noites,
no fim de cada um da!ueles dias lJ3ubres, e
ela ainda ressoava na mente de #oa- !uando,
minutos de+ois, ele caiu no sono/
#ão -ouve transição entre a vi36lia e o in6cio de
seu son-o, !ue de tão re+etido a3ora =@ era
familiar/
#oa- abriu os ol-os e ol-ou ao redor/ Ele estava
na +e!uena e aconc-e3ante sala de um
c-ale4in-o rJstico/ 1iuCse cercado de m8veis
sim+les, colc-as feitas : mão e +rateleiras
abarrotadas de +resentes e foto3rafias/
,iferentemente dos ob=etos im+essoais e
+rodu4idos em massa do mundo !ue ele tin-a
dei.ado +ara tr@s, as coisas ali tin-am sido
constru6das, tecidas, escul+idas e a+erfeiçoadas
+or mãos -@beis e amorosas, coisas feitas ou
dadas +or ami3os e +arentes, com a intenção
de terem si3nificado, durarem e serem
+assadas de 3eração em 3eração/
0@ fora, do outro lado das am+las =anelas, a
neve ca6a em 3randes flocos alvoroçados, em
uma id6lica cena de mata emoldurada em
cortinas +lissadas e +in-eiros nodosos/ Ele
estava sentado defronte a uma lareira de
+edra, onde um +ar de botas estava +osto +ara
secar, com es+aço +ara outro +ar, este de
botas menores, ao seu lado/ " fo3o bai.o
cre+itava9 sobre os carvões -avia uma
assadeira +reta, e o c-eiro de al3uma comida
ma3n6fica co4in-ando/ >obre a mesa do =antar
estavam dis+ostos dois +ratos e um =o3o de
tal-eres/
Nma noite sim+les/ Embora +udesse +arecer
id2ntica :s mil outras noites !ue ele tin-a
+assado com ela, ele sabia tamb)m !ue seria
diferente de todas, de antes ou de+ois/ Era
sem+re assim9 estando com olly, falando com
ela, ouvindoCa, desfrutando do sil2ncio ao lado
dela, sentindoCa +erto dele, +ensando no futuro
com ela/ Todas as noites eram +erfeitas9 e toda
man-ã tin-a o sabor do +rimeiro dia de uma
em+ol3ante vida =untos/
Como olly tin-a dito, uma e.ist2ncia tão
sim+les certamente não era +ara todo mundo/
as a liberdade de escol-er a +r8+ria felicidade
era direito de todos/ L Era sobre esse alicerce
!ue o +a6s dela -avia sido fundado, e era em
nome disso !ue ela estava lutando/
#oa- ouviu um ru6do na entrada e se virou +ara
darCl-e as boasCvindas/
as, !uando ele ol-ou, viu !ue estava em um
ambiente diferente/ ?iscou inJmeras ve4es,
mas a realidade em !ue ele tin-a des+ertado
não desa+arecia com tanta facilidade/ "
-omem !ue +atrul-ava o corredor estava
ol-ando +ela =anela, c-amando #oa- at) a
+orta/
#oa- sus+irou, levantouCse e 3irou a c-ave na
fec-adura/ Era a+enas uma formalidade, )
claro9 o su=eito do lado de fora tin-a sua +r8+ria
c-ave/
,e+ois da -abitual troca de 3race=os e
3entile4as, o -omem do corredor ofereceu a
#oa- uma bande=a do carrin-o a seu lado/
L?arece !ue te acordei/ ?eço descul+as/
LTudo bem, sem +roblemas/ " !ue tem +ara o
=antarO L !uis saber #oa-/
" -omem er3ueu a tam+a redonda de ino. da
bande=a e res+ondeu*
L'c-o !ue -o=e ) !uintaCfeira/
L'-, meu favorito/
" -omem =@ tin-a !uase voltado +ara o
carrin-o, mas +arou e c-e3ou mais +erto de
#oa-/
L"l-a s8, eu ve=o voc2 a!ui todo dia, mas
ainda não fomos devidamente a+resentados/
#oa- +ousou sua bande=a sobre a mesin-a do
lado de dentro do !uarto/
Leu nome ) #oa- 7ardner/
" -omem assentiu com a cabeça, e, antes de
res+onder em vo4 bai.a, ol-ou de relance +ara
o corredor, +rimeiro +ara a es!uerda e de+ois
+ara a direita/
Leus ami3os me c-amam de #at-an/ Ten-o
uma mensa3em +ara voc2/ 1oc2 se incomoda
se eu entrar um +oucoO
LDma3ina, entre/
#oa- deu +assa3em, fec-ou a +orta assim !ue
o -omem +assou +ara dentro do !uarto/ 1iu o
-omem des+lu3ar o televisor e +assar os dedos
+ela borda da mesa, como se estivesse
+rocurando al3uma coisa escondida/ ,e+ois,
li3ou o r@dio e aumentou o volume at) =ul3ar
!ue era uma !uantidade de ru6do suficiente
+ara abafar a conversa/
L" !ue ) istoO L tentou +er3untar #oa-, e,
antes !ue +udesse terminar a frase, se viu
im+rensado contra a +arede +or um braço !ue
a+ertava com força a sua 3ar3anta9 o rosto do
-omem estava colado ao dele/
LQuer saber o !ue ) istoO L #at-an disse, com
vo4 sibilante/ L Dsto a!ui ) um alerta/ 1oc2 est@
em uma +osição valiosa, meu ami3o, e
+recisamos !ue voc2 acorde e comece a fa4er o
trabal-o !ue tem de ser feito/ L Ele a+ertou
com mais força a 3ar3anta de #oa- e
continuou/ L Escute com atenção/ 'man-ã, no
seu trabal-o, +ouco antes de encerrar o dia,
faça o login no seu com+utador, mas não faça o
logoff, não encerre a seção/ '!ui tem uma
c-ave/ L #oa- sentiu al3o s8lido sendo enfiado
em seu bolso/ L 1oc2 vai dei.ar isto a!ui
debai.o do mo&sepad sobre a mesa, dois
lu3ares : es!uerda do seu/ Entendeu tudo
direitin-oO
#oa- fe4 !ue sim com a cabeça, o mel-or !ue
+Tde/
LEs+ero !ue ten-a mesmo entendido L disse
#at-an/ Ele recuou um +asso, sorriu e
desamarrotou suas rou+as, como se os dois
tivessem acabado de se desvencil-ar de uma
brincadeira de 5bri3uin-a volunt@ria5/ L 1ou
citar as +alavras de um 3rande ami3o meu L
ele acrescentou, a camin-o da +orta/ L J@ !ue
de !ual!uer =eito vão c-amar isso de traição,
vamos tirar o m@.imo de +roveito/
LEs+ere a6 L +ediu #oa-/
L>aboreie seu =antar/ " bolo de carne não est@
l@ 3rande coisa, mas ac-o !ue voc2 vai 3ostar
da sobremesa/
,e+ois de di4er isso, #at-an saiu do !uarto e
retomou sua camin-ada +elo corredor,
em+urrando seu carrin-o de refeições/
#oa- fec-ou a +orta e encarou a bande=a com
+ratos cobertos na mesin-a : sua frente/ Ele foi
direto ao +rato menor, levantou a tam+a e
dentro encontrou e.atamente o !ue estava
+rocurando* uma torta de +2sse3o, ainda
morna com calda escorrendo/ ?e3ou a faca,
cortou o miolo e sentiu ter atin3ido al3o s8lido/
Ele e.traiu o ob=eto do miolo +e3a=oso, levouCo
at) a +ia do ban-eiro, trancou a +orta e
se3urouCo debai.o da torneira at) !ue a @3ua
3elada se encarre3asse de dei.@Clo lim+o/
Era o bracelete de +rata de olly/
Ele se3urou a =oia +erto dos ol-os9 talve4 as
+alavras ali 3ravadas estivessem a3ora mais
3astas do !ue antes, mas ele teria se lembrado
delas mesmo se tivessem desa+arecido
com+letamente/
Ela estava viva/ #oa- +odia at) estar
es+erando outro ti+o de mensa3em, al3uma
orientação, mas a!uela era mel-or/ #ão era
a+enas um +lano, +or!ue um +lano +ode ser
derrotado/ '!uilo era um alicerce, uma base,
uma fundação/
Quando voltou +ara o !uarto, ele se lembrou da
c-ave !ue tin-a acabado de receber e tirouCa
do bolso/ Estava embrul-ada em +a+el, e,
!uando #oa- desfe4 o embrul-o, viu as
+alavras sim+les ali escritas, na letra tão
familiar de olly/
5#8s estamos em toda +arte/ (i!ue conosco/
1e=o voc2 em breve/ ' luta começa aman-ã/5
O0>?CIO
5Cr2 nos !ue buscam a verdade/ ,uvida dos
!ue a encontraram/5
L 'ndr) 7ide
Este livro se c-ama ' Janela de "verton +or um
bom motivo, e não ) a+enas +or!ue se trata de
uma das t)cnicas !ue 'rt-ur 7ardner usa +ara
atin3ir seus ob=etivos/ Escol-emos este t6tulo
+or!ue ) tamb)m uma t)cnica !ue, at) certo
+onto, acabamos de usar em voc2, leitor/ A'
+rinci+al diferença ) !ue estou revelando o
estrata3ema e contando abertamente o !ue
estou fa4endo* não ten-o nen-um +lano
secreto nem intenções ocultas/B Ten-o a
es+erança de !ue, en!uanto voc2 l2 e reflete
sobre a -ist8ria, tamb)m dedi!ue al3um tem+o
+ara +onderar sobre al3umas coisas nas !uais
talve4 não ten-a +ensado antes/
0embreCse, o conceito da Janela de "verton )
!ue a+enas os +oucos cen@rios e situações
atualmente estabelecidos dentro do esco+o de
uma =anela de debate aceit@vel serão levados a
s)rio +ela o+inião +Jblica/ ?ara mover a Janela
de "verton na direção de seu ob=etivo final, as
+essoas !ue me.em os +au4in-os e dese=am
+Tr em +r@tica seus interesses e se3undas
intenções +recisam introdu4ir ideias radicais
!ue ficam fora da 4ona de conforto/
#ormalmente essas id)ias e.tremistas seriam
re=eitadas e descartadas, mas a Janela ser@
sutilmente deslocada na direção +retendida/
Dsso +ermite !ue ideias outrora tidas como
im+ens@veis se=am introdu4idas e, +or fim,
encaradas como soluções/
'+licando esse conceito : nossa -ist8ria, )
8bvio !ue nos +ro+usemos a criar um enredo
calcado na realidade, e de+ois levado a um
e.tremo absoluto/ V um dos +otenciais
intri3antes desse ti+o de ficção* !uando sua
mente sus+ende a descrença, ela +ode tamb)m
ficar mais dis+osta a aceitar um es+ectro mais
am+lo de resultados +oss6veis +ara os eventos
e ideias !ue estão se desenrolando ao nosso
redor todo dia/
?or e.em+lo, +ilotos de caça usam simuladores
de voo +ara treinar e se +re+arar +ara
combates reais/ Em um ambiente se3uro, esses
simuladores obri3am os +ilotos a atentar +ara
uma conflu2ncia de eventos !ue em outra
situação +areceriam rid6culos, tais como fal-a
simult;nea dos dois motores en!uanto a
aeronave ) alve=ada e ao mesmo tem+o +recisa
aterrissar em um +ortaCaviões no mar revolto/ V
e.tremo, mas funciona/ uitos +ilotos !ue
+artici+aram de -orri+ilantes missões em 4onas
de 3uerra voltaram de l@ di4endo !ue a
e.+eri2ncia não tin-a sido nem a metade do
!ue eles =@ -aviam encarado em simuladores/
Este livro ) seu simulador/ V im+rov@vel !ue
ten-amos de enfrentar coisas minimamente
+arecidas com os +eri3os contra os !uais olly
e #oa- estão lutando/ Contudo, de+ois de ter
con-ecido a con=untura dos +rota3onistas nesse
ambiente ficcional, talve4 fi!ue um +ouco mais
f@cil ter conversas mais +rofundas sobre as
im+ortantes forças !ue desem+en-am +a+el
crucial no mundo atual/
J@ no começo eu avisei !ue, embora ten-a
usado uma boa dose de licença +o)tica +ara
fins dram@ticos, a -ist8ria est@ sal+icada de
verdade/ as fatos +odem ser facilmente
mani+ulados, e +or essa ra4ão estamos
incluindo esta seção/ Quero !ue voc2 decida
+or si mesmo e.atamente o !ue ) fato, o !ue )
baseado em fatos, o !ue não +assa de crença
+ossivelmente baseada em fatos distorcidos e o
!ue ) +ura ficção/ E não +are nas min-as
fontes/ Encontre as suas +r8+rias/ 'ssim voc2
vai +oder determinar em !ue +osição sua Janela
de "verton deve ficar en!uanto continuamos o
debate sobre o ti+o de 'm)rica do #orte em
!ue !ueremos viver/
E, lembreCse, esta lista ) a+enas um +onto de
+artida/ >e al3um trec-o do livro dei.ou voc2
intri3ado, mas não est@ mencionado
es+ecificamente a!ui, di3ite al3umas +alavrasC
c-ave no seu mecanismo de busca favorito
Atente, +or e.em+lo, 5K(C >e3urança da "#N5,
do Ca+6tulo &R///B/ Talve4 voc2 fi!ue sur+reso ao
ver onde a sua busca +oder@ lev@Clo///
C 7b
#o ?r8lo3o, Eli C-urc-ill menciona +ara a mãe
de olly Avoc2 +ercebeu com !uem ele estava
falandoOB !ue, no fim do verão de $%%&, ,onald
Rumsfeld anunciou !ue o 3overno dos EN'
descon-ecia o +aradeiro de $,< tril-ões de
d8lares/ Dsso de fato aconteceu, e a data ) &%
de setembro de $%%&/ Nm dia de+ois, o din-eiro
sumido Aembora fossem tril-õesB =@ não +arecia
mais ser uma coisa tão im+ortante/
Rums3e"d anuncia des3a"@ue de '+)
tri"ABes de d!"ares em &< de setemCro de
'<<&D 5,efense ,e+artment cannot account for
$U_ of funds L n$/< trillion5 A5,e+artamento
de ,efesa não sabe do +aradeiro de $U_ dos
fundos L $,< tril-ões de d8lares5B, C;3 Ne>s,
$S de =aneiro de $%%$/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/cbsneHs/comXstoriesX$%%$X%&X$SXevenin3neHsX
main<$USWU/s-tmlj
1e=a tamb)m* v6deo do +ro3rama C;3 Ne>s,
,is+on6vel em* o-tt+*XXHHH/youtube/comXHatc-O
vp<k+K!d?=moj
Nma +e!uena nota* se ao ver esta cena, voc2
ficou se +er3untando o !ue uma cabine
telefTnica estaria fa4endo no deserto, no meio
do nada, saiba !ue se trata de um lu3ar muito
interessante !ue e.istiu at) recentemente/ ?ara
saber mais, +rocure no 7oo3le 5cabine
telefTnica o=ave5/
#o Ca+6tulo < somos a+resentados a um
memorando do 3overno delineando a
5Crescente ameaça do terrorismo dom)stico5/
"bviamente esse documento teve como
modelo o memorando efetivamente divul3ado
+elo issouri Dnformation 'nalysis Center
AD'C, Centro de 'n@lise de Dnformações do
issouriB, !ue causou furor +or conta de suas
e.cessivas 3enerali4ações sobre !uem +oderia
ser membro de mil6cias +eri3osas/
#emorando do go-ernoD 5T-e modera militia
movement5 A5" moderno movimento de
mil6cias5B, issouri Dnformation 'nalysis Center
AD'C, Centro de 'n@lise de Dnformações do
issouriB, +ublicado em fevereiro de $%%S*
,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/scribd/comXdocX&<$S%]SWXT-eCodernCilitiaC
ovementCissouriCD'CC>trate3icCRe+ortC $%(eb%S
#o interior do nosso memorando ficcional -@
uma refer2ncia a um +ro3rama do 3overno
c-amado 5REZCW[5/ ,e acordo com relat8rios
+ublicados : )+oca, esse +ro3rama envolvia
ações de emer32ncia !ue seriam im+lantadas
no evento de uma crise nacional Em &SW], a
a32ncia de not6cias !ssociated Press divul3ou a
e.ist2ncia de uma diretiva da (E' !ue
descrevia um e.erc6cio REZCW[ +re+arando a
detenção de mais de [%% mil refu3iados da
'm)rica Central em de4 centros militares
militar es+al-ados +elo +a6s/
Nma mat)ria +ublicada no =ornal Miami Ferald
tamb)m tratava do REZCW[, desta ve4 relatando
!ue "liver #ort- tin-a trabal-ado em con=unto
com a (E' +ara desenvolver um +lano de
contin32ncia caso os EN' enfrentassem uma
crise 3rave, como uma 3uerra ou insurreição/
Esse +lano +revia ações tais como 5a sus+ensão
da Constituição, a entre3a do comando dos EN'
+ara a (E', a nomeação de comandantes
militares +ara assumir os 3overnos estaduais e
locais e a decretação da lei marcial5/
Em um 5memorando da (E' severamente
censurado5 obtido +elo Herald, o e.erc6cio REZC
W[ foi descrito como uma manobra !ue e.i3ia a
5ativação de Ile3islação de emer32ncia, tomada
de +oderes, etc/I5/ 5Nma fonte familiari4ada
com os e.erc6cios afirmou !ue #ort- sabia das
simulações e colaborou com a (E' e o
?ent@3ono em sua elaboração/5 En!uanto as
simulações estavam em curso, o ?ent@3ono
reali4ou o +rimeiro de uma s)rie de e.erc6cios
militares de lar3a escala em Honduras,
mobili4ando mil-ares de soldados =unto :s
bases dos Contras/
5Nma +ortaCvo4 do ?ent@3ono, a ca+itã #ancy
0a0untas, recusouCse a comentar +lanos de
contin32ncia ou detal-es dos e.erc6cios da
(E'C?ent@3ono, ale3ando Ira4ões de
se3urançaI/ Contudo, ela confirmou !ue os
e.erc6cios, de codinome Re.CW[ 'l+-a e #i3-t
Train ATrem #oturnoB W[, ocorreram entre U e
&< de abril/ Bill c'da, o +ortaCvo4 da (E',
tamb)m confirmou as simulações e, como
0a0untas, recusouCse a dar detal-es/5
Ho=e em dia o termo 5Re.CW[5 fa4 +arte do
=ar3ão cotidiano dos te8ricos da cons+iração, e
+or uma boa ra4ão/ #ão e.istem evid2ncias !ue
su3iram !ue os e.erc6cios ten-am resultado em
outra coisa al)m de constran3imento +ara o
3overno/ ?or outro lado, dada a reação do
nosso 3overno : cat@strofe no +assado Aisto ),
a internação forçada de mais de &%% mil ni+oC
americanos em &S[$B, não ) +reciso ser um
te8rico da cons+iração +ara entender !ue todos
n8s +recisamos ser vi3ilantes a fim de 3arantir
!ue o Jnico documento !ue sirva de refer2ncia
em caso de crise se=a a Constituição/
Re,E:6D 5'ssociated ?ress* 'dministration
denies e.istence of detention cam+s for ille3al
aliens5 A5'ssociated ?ress* 7overno ne3a
e.ist2ncia de cam+os de detenção +ara
estran3eiros ile3ais5B, &] de de4embro de &SW]/
,is+on6vel em* -tt+*XXneHs/3oo3le/comXneHs+a+ersO
idpue'l''''DB'JFs=idpN ?H(''''DB'=Fd!pre.C
W[F+3p]R[%_$C[SUU[&[
1e=a tamb)m* 'lfonso C-ardy, 5Rea3an
advisers ran IsecretI 3overnment5
A5Consel-eiros de Rea3an administram 3overno
IsecretoI5B, Miami Ferald, U de =ul-o de &SWR/
1e=a tamb)m* 'lfonso C-ardy, 5#ort- -el+ed
revise Hartime +lans5 A5#ort- a=udou a revisar
+lanos de 3uerra5B, Miami Ferald, &S de =ul-o
de &SWR/
?ara ilustrar at) !ue +onto a +erce+ção e o
com+ortamento da o+inião +Jblica +odem ser
moldados ao lon3o do tem+o, usamos a -ist8ria
da @3ua en3arrafada, +roduto !ue +arece ter
sur3ido do nada e acabou se tornando uma
+oderosa indJstria, +raticamente ub6!ua/ Como
isso aconteceuO Nma leitura elementar ) o livro
;ottlemania0
" marketin3 da @3ua en3arrafada* +ara o
es+6rito desta cena, ver Eli4abet- Royte,
;ottlemaniaG ?he marJeting of 'ottled >ater
and >hy >e '&y it A7arrafamania/ " marketin3
da @3ua en3arrafada e +or !ue a com+ramosB/
ABloomsbury, $%%W/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidp0HNN'Q''D''Jj
0istema inade@uado de a"erta de
tsunamisD 0aura >mit-C?ark, 5Dndonesia
tsunami system Inot readyIP5 A5>istema de
alerta contra ts&namis da Dndon)sia Inão est@
+rontoI5B, ;;C Ne>s, &S de =ul-o de $%%]/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXneHs/bbc/co/ukX$X-iXasiaC+acificXU&S&&S%/stmj
Quase todo o discurso !ue 'rt-ur 7ardner fa4
na sala de reuniões ) baseado em fatos9
obviamente, em conformidade com seu
tem+eramento, ele a+resenta sua +r8+ria
versão dos fatos/ Eis al3uns e.em+los
es+ec6ficos*
4 Congresso e o governo se comprometeram a
repassar 7 trilhDes de dólares para as
instit&içDes I&e engendraram a criseG Q?he [7
trillion 'ailo&tQ 6Q4 resgate financeiro de 7
trilhDes de dólaresQ9, CNNMoney0com, % de
.aneiro de 5PP#0 )isponSvel emG
\httpG]]
money
0cnn0co
m]5PP
#]P"]P
%]ne>s
]econo
my]>h
ere^sti
m&l&s^
fits^in]i
ndex0h
tmX
A re-idFncia 0ocia" / um es@uema de
3raudeD Jeff ?oor, 5Cramer* >ocial >ecurity a
bi33er +on4i sc-eme t-an adoffIs5 A5Cramer*
?revid2ncia >ocial ) uma fraude maior do !ue a
de adoff5B, ;&siness _ Media 2nstit&te, &W de
de4embro de $%%W/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbusinessandmedia/or3XarticlesX$%%WX$%%W&$&W%S&$
&&/as+.j
&<< mi" Ci"ABes de d!"aresD tamb)m
con-ecido como 5&%% tril-ões5, trataCse de uma
de+rimente estimativa de nosso rombo na
?revid2ncia >ocial e no edicare, sistema de
se3uros de saJde 3erido +elo 3overno/ ?amela
1illareal, 5>ocial >ecurity and edicare
+ro=ections* $%%S5 A5?revid2ncia >ocial e
edicare* +ro=eções +ara $%%S5B, #ational
Center for ?olicy 'nalysis, && de =un-o de $%%S/
,is+on6vel em* o-tt+*XXHHH/nc+a/or3X+ubXba]]$j
Naciona"iGa.4o da Genera" #otorsD
Kimberly >/ Jo-nson, 57 to reor3ani4e in
3overnmentled bankru+tcy5 A57 deve se
reor3ani4ar com fal2ncia controlada +elo
3overno5B, '? (orei3n, &
o
de =un-o de $%%S/
,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/3uardian/co/ukXHorldXfeedarticleXWU<U%$]
's +ensões dos sindicatos estão com um rombo
de &R bil-ões de d8lares* #ick Bunkley,
5'utomaker +ensions underfunded by n&R
Billion5 A5?ensões de metalJr3icos t2m rombo
de &R bil-ões de d8lares5B, ?he Ne> AorJ
?imes, ] de abril de $%&%/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/nytimes/comX$%&%X%[X%RXbusinessX
%Rcars/-tmlj
O go-erno est1 tomando em$restados dos
asi1ticos 7 Ci"ABes de d!"ares $or dia2
,eclaração de C/ (red Ber3sten, diretor do
Dnstituto de Economia Dnternacional, $C[ de
fevereiro de $%%U, ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/uscc/or3/3ovX-earin3sX$%%U-earin3sXtranscri+ts
X%Uq%$q<q[/+dfj
#o Ca+6tulo &% entra em cena +ela +rimeira ve4
a mãe de olly, !ue fa4 um discurso no bar/
uito do !ue ela di4 corres+onde e.atamente :
verdade, incluindo*
*A uni4o 3e"iG destes Estados*D James
adison, editado +or 7aillard Hunt, ?he
>ritings of ,ames Madison A#ova Gork, #G* 7/ ?/
?utnamIs >ons, &S&%B* <UR/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpvR=7''''''Jj
*A @uest4o mais C1sica n4o /222*D T-omas
>oHell, KnoHled3e and decisions A#ova Gork,
#G* Basic Books, &SW%B* RS/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidp[k!TrEKKZoC
" livro de Carroll Qui3ley ?ragedy and hope
ATra3)dia e Es+erançaB a+arece al3umas ve4es
neste romance, e +or um bom motivo* a
+remissa !ue essa obra delineou, a da
,estruição Jtua 'sse3urada, -o=e ) uma
realidade/ ?or)m, não ) a+enas com a
destruição militar !ue devemos nos +reocu+ar,
mas tamb)m com a destruição econTmica/ 's
economias internacionais tornaramCse
+ro+ositalmente tão interli3adas !ue um
cola+so em !ual!uer +arte do mundo tem
3randes conse!u2ncias +ara os EN'/ " livro de
Quickley ) leitura obri3at8ria +ara !uem !uiser
realmente entender as teorias de um -omem
!ue ins+irou muitos l6deres, incluindo o
+residente Bill Clinton/
Carro"" Huig"eID Carroll Qui3ley, ?ragedy and
hopeG a history of the >orld in o&r time A7/ >/ 7/
F 'ssociates, &SRUB/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpKQE.''''D''j
JerCert Cro"ID Herbert Croly, ?he promise of
american life A' ?romessa da vida norteC
americanaB, #ova Gork, #G* T-e acmillan
Com+any, &S%S/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpEo.D''''G''j
TAomas Je33ersonD 5' resist2ncia aos tiranos )
a obedi2ncia a ,eus5/ Killard >terne Randall,
?homas ,effersonG a life A#ova Gork, #G* Har+er
Collins, &SS<B* $RU/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksO idp=.-[r7i4RC3Cj
)7 mi" "oCistas credenciados em
KasAingtonD ,erry 1ammer, Q! steady flo> of
financial infl&enceQ 6Qm fl&xo constante de
infl&Kncia polSticaQ9, Copley Ne>s 3ervice, 5C
de agosto de 5PP%0 )isponSvel emG
\httpG]]
>>>0p
's0org]
no>]sh
o>s]5B
8]mon
ey(
politics
0htmlX
Gastaram @uase )+7 Ci"ABes de d!"ares no
ano $assadoD 4xford !nalytica, QRo''ystsN
s>ay in *ashingtonQ AQ" +oder dos lobistas em
Kas-in3ton5B, &< de abril de $%&%/ ,is+on6vel
em*
-tt+*XXHHH/forbes/comX$%&%X%[X&$XlobbyC+oliticsCelectionsC
Has-in3tonCbusinessCo.ford/-tml
O inacredit1-e" c!digo triCut1rio 3edera"
de 89 mi" $1ginasD 5]R,$%[C?a3e code
confounds ta.+ayers, yet Con3ress sits by5
A5C8di3o tribut@rio de ]R/$%[ +@3inas confunde
os contribuintes, mas Con3resso +ermanece
omisso5B, 3!?oday0com, [ de abril de $%%R/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXblo3s/usatoday/comXo+edX$%%RX%[X+ostqR/-tmlj
A Receita >edera" est1 en-o"-ida com a
"egis"a.4o dos seguros e $"anos de saLdeD
Kim ,i.on, 5N/ >/ bud3et office* [ million likely
to +ay -ealt- fine5 A5"rçamento dos EN'* [
mil-ões terão de +a3ar multa +or +lanos de
saJde5B, *ashington Post, $$ de abril de $%&%/
,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/Has-in3ton+ost/comXH+dynXcontentXarticleX$%&%X
%[X$$X'R$%&%%[$$%[$W]/-tml
O Tesouro esta-a en-o"-ido com a Lei
0ecaD 5#arcotic bill noH laH* Hoover si3ns
measure creatin3 bureau in t-e treasury5
A5?ro=eto a3ora ) lei* Hoover assina medida
criando a32ncia antinarc8ticos no tesouro5B,
?he Ne> AorJ ?imes, &U de =un-o de &S<%/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXselect/nyti
mes/comX3stXabst
ract/-tmlO
resp(<%S&%(R<,
UC&[R<W,,,'C%
SS
[,E[%UBW%W((&
,<j
*O $oder de coCrar im$ostos inc"ui o $oder
de destruir*D 5T-e >u+reme Court* T-e +oHer
to ta.5 A5' >u+rema Corte* o +oder de cobrar
im+ostos5B, ?ime, &R de março de &SUW/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/time/comXtimeXma3a4ineXarticleX
%,S&R&,W]<&<U, %%/-tmlj
Cem mi" 3uncion1rios 3ederais de-em
@uase & Ci"A4o de d!"ares em im$ostos
atrasadosD ,evin ,Hyer, 5Ta. scam Nncle
>amO Gou ou3-ta be firedP says Nta- Re+/
C-afet45 A5(raude nos im+ostos, Tio >amO
1oc2s devem ser demitidos, di4 o con3ressista
re+ublicano C-afet45B, !;C Ne>s, &W de março
de $%%/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXabcneHs/3o/comX+oliticsXta.X&%%%%%C
federalem+loyeesCoHeCirsCbackCta.esXstoryOidp&%&$UW]%j
O secret1rio do Tesouro de-e im$ostos
atrasadosD Jonat-an Keisman, 57eit-nerIs ta.
-istory muddles confirmation5 A5" -ist8rico
tribut@rio de 7ait-ner atra+al-a a
confirmação5B, ?he *all 3treet ,o&rnal, &[ de
=aneiro de $%%S/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXonline/Hs=/comXarticleX>B&$<&WRU%<]$S<RW&&S/-tml
JoAn AdamsD 5Nm 3overno feito de leis, não de
-omens5* ,avid cCullou3-, Jo-n 'dams A#ova
Gork, #G* >imon F >c-uster, $%%&B* $RU/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidp7Hn4W7%7TcCj
*NenAuma mentira $ode $erdurar $ara
sem$re*D ,r/ artin 0ut-er Kin3, Jr/, editado
+or James Kas-in3ton, ! testament of hopeG
the essential >ritings and speeches of Martin
R&ther 1ing, ,r0 A#ova Gork, #G* Har+er Collins,
&SW]B* $<%/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpkWu?HtrNWBsCj
#o Ca+6tulo &&, a+arece +ela +rimeira ve4 o
es+irituoso te8rico da cons+iração ,anny
Bailey/ ,anny ) o ti+o de cara !ue 3osta de
costurar uma 3rande variedade de fatos
diferentes na tentativa de fa4er coisas
amalucadas soarem +laus6veis/ >eu discurso )
im+ortante +or!ue mostra !ue fatos e verdades
selecionados +odem ser usados como base
+ara uma tese 3eral !ue ) inteiramente
ficcional/
Bailey começa citando dados referentes ao
desem+re3o, !ue diver3em si3nificativamente
das estimativas oficiais do 3overno/ Essas
estat6sticas e muitas outras +odem ser
encontradas em um >e'site c-amado 3hado>
3tatistics, mantido +elo economista Jo-n
Killiams/
O desem$rego rea" dis$arou e M1 $assou
dos '<ND >-adoH 3overnment statistics
AEstat6sticas ocultas do 3overnoB, Jo-n Killiams,
3hado>stats0 com0 ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/s-adoHstats/comXalternateqdataXunem+loymen
tCc-artsj
" anJncio de em+re3o !ue ,anny cita ) um
8timo e.em+lo de como os fatos +odem
alimentar o +ensamento cons+irat8rio/ E.iste
mesmo um anJncio de va3a +ara um
5Es+ecialista em Reeducação e Dnternação5O
>im L e est@ em um site +Jblico, o
goarmy0com0 ?or !ue divul3ariam de formatão
+Jblicaum anJncio tão incriminat8rioO
>im+les/// ?or!ue não ) nada incriminat8rio/ "
E.)rcito tem unidades de detenção no mundo
inteiro, e essas instalações +recisam de
funcion@rios/ >e +ublicassem um anJncio
+rocurando um 5atirador de elite e.+eriente5,
as +essoas c-e3ariam : +reci+itada conclusão
de !ue !uerem assassinar estadunidenses em
solo norteCamericanoO Claro !ue não, mas )
nisso !ue al3umas +essoas +ensam
imediatamente !uando leem 5Es+ecialista em
Reeducação e Dnternação5/
Es$ecia"ista em Reeduca.4o e Interna.4oD
anJncio de em+re3o +ublicado no
sitegoarmy0com0 ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/3oarmy/comXJob,etail/doOidp$S$j
'7N de todos os $resos do mundoD Jim
Kebb, 5K-y He must fi. our +risons5 A5?or !ue
devemos consertar nossas +risões5B, Parade, $S
de março de $%%S/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/+arade/comX neHsX$%%SX%<XH-yCHeCmustCfi.C
ourC+risons/-tmlj
Regu"amento do E,/rcito '&<E)7D ?ro3rama
de Trabal-o de ,etentos Civis/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/army/milXusa+aXe+ubsX+dfXr$&%q<U/+df
Em &SWR, en!uanto "liver#ort- de+un-a sobre
o caso DrãC Contras +erante uma comissão
+arlamentar, o Miami Ferald +ublicava uma
s)rie de arti3os detal-ando a +artici+ação de
#ort- em +lanos de contin32ncia de
emer32ncia/ Em uma mat)ria datada de U de
=ul-o de &SWR, o Ferald escreveu sobre um
memorando !ue resumia +lanos de emer32ncia
a+arentemente muito +arecidos com um
trabal-o acad2mico escrito +elo então diretor
da (E'*
5" cen@rio delineado no memorando de
Brinker-off era semel-ante a um te.to !ue
7uiffrida tin-a escrito em &SR%, !uando cursava
a (aculdade do E.)rcito em Carlisle, ?a/, e em
!ue defendia a lei marcial em caso de
insurreição de militantes ne3ros/ " arti3o
defendia tamb)m a detenção e transfer2ncia
+ara 5centros ou cam+os de realocação5 de
+elo menos $& mil-ões de 5ne3ros norteC
americanos5/
1e=a tamb)m* 'lfonso C-ardy, 5Rea3an
advisers ran IsecretI 3overnment5
A5Consel-eiros de Rea3an administram 3overno
IsecretoI5B, Miami Ferald, U de =ul-o de &SWR/
A "ista ADEO P Agitator Inde,+ (ndice de
AgitadoresD Earl "fari Hutc-inson, 5T-e
dan3erous neH (BD5 A5" +eri3oso novo (BD5B, [
de =un-o de $%%$/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/salon/comXneHsXfeatureX$%%$X%]X%[Xcointel+roX
+rint/-tmlj
VocF $ode ser um terroristaD 5issouri
re+ort on militias draHs fire5 A5Relat8rio do
issouri sobre mil6cias c-ama atenção5B, ?he
!ssociated Press, &[ de março de $%%S/
,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/fo.[kc/comXHdafCstoryCmilitiaCre+ortC
%<&[%S,%,UUS&&<]/story
Desde &;67D 5T-e declaration of Har* one for
t-e -istory booksO5 A5' declaração de 3uerra*
+ara os livros de -ist8riaO5B, #ational Kar
Colle3e, &SSW/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/dtic/milXc3iCbinX7etTR,ocO
',p','[[&[RUF0ocationpN$Fdocp7eTR,oc/+dfj
" mesmo arti3o do Miami Ferald !ue descobriu
o trabal-o acad2mico do diretor da (E'
tamb)m detal-ou as dr@sticas +ro+ostas de
continuidade de 3overno !ue a (E' estava
formulando*
5" embate da (E' com Ao +rocuradorC3eralB
>mit- se deu +or conta de um +lano de
contin32ncia secreto !ue +revia a sus+ensão da
Constituição, a entre3a do comando dos EN'
+ara a (E', a nomeação de comandantes
militares +ara assumir os 3overnos estaduais e
locais e a decretação da lei marcial/
5" +lano não definia Icrise nacionalI, mas ficava
im+l6cito !ue se tratava de 3uerra nuclear,
violenta rebelião ou dissensão interna ou
o+osição nacional contra uma invasão militar
estran3eira/5
ro-isBes $!sEorQe""ianas de continuidade
do go-erno em -igor desde a d/cada de
&;:<D 'lfonso C-ardy, 5Rea3an advisers ran
IsecretI 3overnment5 A5Consel-eiros de Rea3an
administram 3overno IsecretoI5B, Miami Ferald,
U de =ul-o de &SWR/
Direti-a residencia" nLmero 7&D ,iretiva
?residencial de >e3urança #acional,
>hiteho&se0gov0 ,is+on6vel em*
o-tt+*XX3eor3eHbus-C
H-ite-ouse/arc-ives/3ovXneHsXreleasesX$%%RX%UX$%%R%U%SC
&$/-tmlj
1e=a tamb)m* C-arlie >ava3e, 5K-ite House
revises +ostCdisaster +rotocol5 A5Casa Branca
revisa +rotocolo +8sCdesastre5B, ;oston /lo'e, $
de =un-o de $%%R/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/boston/comX neHsXnationXHas-in3tonXarticlesX$
%%RX%]X%$XH-iteq-ouseqrevisesq+ostqdisasterq+rotocolXj
Direti-a de Decis4o residencia" nLmero
89D "+eração de 7overno Constitucional
?ermanente e de Continuidade de 7overno/ $&
de outubro de &SSW/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/fas/or3Xir+XoffdocsX+ddX+ddC]R/-tmj
VeMa tamC/mD (rancie 7race, I5>-adoH
3overnmentI neHs to con3ress5 A57overno
secreto ) novidade +ara con3resso5B,
C;3Ne>s0com, $ de março de $%%$/ ,is+on6vel
em*
o-tt+*XXHHH/cbsneHs/comXstoriesX$%%$X%<X%&XattackXmainU
%$U<%/s-tmlj
Rona Li-re Constituciona"D Ellen #akas-ima,
5Citi4ens N/ >/ border crossin3s tracked* data
from c-eck+oints to be ke+t for &U years5
A5Cidadãos norteCamericanos !ue cru4am as
fronteiras rastreados* dados dos +ostos de
controle nas fronteiras serão mantidos em si3ilo
+or &U anos5B, *ashington Post, $ de a3osto de
$%%W/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/Has-in3ton+ost/comXH+CdynC
contentXarticleX$%%WX%WX&SX'R$%%W%W&S%$W&&/-tmlj
VeMa tamC/mD Ellen #akas-ima, 5E.+anded
+oHers to searc- travelers at border detailed5
A5'umentam os +oderes +ara revistar os
via=antes nas fronteiras5B, *ashington Post, $<
de setembro de $%%W/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/Has-in3ton+ost/comXH+CdynC
contentXarticleX$%%WX%SX$$X'R$%%W%S$$%$W[</-tmlj
Rona de LiCerdade de E,$ress4oD arcella
Bombardier, 5Boycott is +lanned in free s+eec-
4one5 A5?lano de boicote na 4ona de liberdade
de e.+ressão5B, ;oston /lo'e, $U de =ul-o de
$%%[/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/boston/comXneHsXlocalXmassac-usettsXarticlesXX
$%%[X%RX$UXboycottqisq+lannedqinqfreeqs+eec-q4onej
#o Ca+6tulo &$, a reunião no bar ) interrom+ida
+or al3u)m !ue antes tin-a sido descrito como um
membro rec)mC c-e3ado : or3ani4ação/ Dsso,
obviamente, ) ins+irado na!ueles !ue revelaram
+ublicamente seu ob=etivo de se infiltrar no Tea
?arty, no ?ro=eto &$ de >etembro e em outras
or3ani4ações semel-antes a fim de cometer atos
de viol2ncia ou discursos de 8dio/ ,e acordo com
um 3ru+o antiCconservador, sua missão ) 5a3ir em
nome do Tea ?arty de modo a e.a3erar suas
!ualidades menos +ositivas5/
"utra nota im+ortante sobre esta cena*
inicialmente #oa- +ensa !ue os insti3adores eram
+oliciais novaCior!uinos, mas lo3o descobre !ue
est@ errado/ >e -@ uma coisa com !ue
virtualmente todo 3ru+o de defesa dos direitos e
liberdades concorda ) !ue os res+ons@veis +ela
se3urança +Jblica L de +oliciais locais a a3entes
federais L estão do lado dos mocin-os/
Agentes $ro-ocadores in3i"trados no Tea
artID 1alerie Bauman, 5(oes of Tea ?arty to
infiltrate rallies5 A5Dnimi3os do Tea ?arty vão se
infiltrar nas reuniões5B, ?he !ssociated Press, &%
de abril de $%&%/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/Has-in
3on+ost/comXH+C
dynXcontentXarticle
X$ %&%X%[X&$X 'R$
%&%%[&$ %< <
UW/-tml
1e=a tamb)m* Brian onto+oli, 5Tea ?arty foes
tar3et movement ImoronsI5 A5Dnimi3os do Tea
?arty miram nos IimbecisI do movimento5B, C;3
Ne>s, &< de abril de $%&%/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/cbsneHs/comX W<%&CU%< U[[q&]$C$ %%%$< RRC
U%<U[[/-tmlj
"s dois +r8.imos dados estat6sticos estão
relacionados de uma maneira im+ressionante*
embora a ta.a de a+rovação do Con3resso
continue bai.6ssima, -istoricamente mais de S%_
dos con3ressistas ainda são reeleitos/ 's +essoas
sem+re !uerem saber como +odem a=udar a
mudar o rumo do +a6s/ V assimP esmo !ue as
res+ostas indubitavelmente se=am mais
com+licadas do !ue costumavam ser, a solução
mais f@cil ainda ) a mel-or* d2 as costas a !uem
deu as costas a voc2, e, +elo voto, tire essa 3ente
do car3o/ 's ações falam mais alto !ue as
+alavras, e neste e.ato momento nossas ações
estão mostrando !ue n8s a+rovamos tacitamente
as mentiras e a corru+ção/
(ndice de a$ro-a.4o do CongressoD
7allu+/com/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/3allu+/comX+ollX&$R<[<XCon3ressCJobC'++rovalC
Ratin3CDm+rovesC0oH/as+.
(ndice de ree"ei.4o dos congressistasD
5Reelection rates over t-e years5 A56ndices de
reeleição ao lon3o dos anos5B/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/o+ensecrets/or3Xbi3+ictureXreelect/+-+j
#o Ca+6tulo &[, #oa- e olly t2m uma conversa na
limusine/ 1@rias coisas citadas durante o bateC+a+o
são factuais, ou baseadas em eventos reais/
0enador do oeste em -ias de ser a"-o de
in-estiga.4o de uma comiss4o de /ticaD Eric
0ic-tblau e Eric 0i+ton, 5>enators aid after affair
raises fla3 over et-ics5 A5,e+ois de caso,
assistente de senador suscita debate sobre )tica5B,
?he Ne> AorJ ?imes, &
o
de outubro de $%%S/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/nytimes/comX$%%SX&%X%$XusX+oliticsX%$ensi3n/-tml
j
A" 0Aar$ton Afran3o frito com >afflesB no 'my
Rut-Is* menu do 'my Rut-Is/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/amyrut-s-arlem/comXdinnermenuXHafflesX
Hafflemenu%&/-tml
EdHard Bernays serviu como uma das fontes de
ins+iração +ara o +ersona3em 'rt-ur 7ardner/
1@rias das fontes se3uintes fa4em refer2ncia a
Bernays, mas, se voc2 !uiser mesmo entender o
alcance e o +oder das relações +Jblicas Ae +or !ue
Jose+- 7oebbels ac-ava Bernays tão instrutivoB,
leia o livro Propaganda, de Bernays, !ue inclui =@
na ca+a a se3uinte afirmação*
5M medida !ue a civili4ação se tornou mais
com+le.a e foi ficando mais +atente a necessidade
de um 3overno invis6vel, foram inventados e
desenvolvidos os meios t)cnicos +elos !uais a
o+inião +ode ser controlada/ ' democracia )
administrada +or uma minoria inteli3ente !ue sabe
como re3ular, controlar e 3uiar as massas5/
EdQard BernaIs+ KoodroQ Ki"son e a United
>ruitD 0arry Tye, ?he father of spinG Ed>ard R0
;ernays _ the 'irth of p&'lic relations A#ova Gork,
#G* CroHn ?ublis-ers, &SSWB/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidp,k">?K+GCsQC
>e voc2 estiver interessado em ler mais sobre um
e.em+lo da vida real de uma moderna força das
relações +Jblicas, +es!uise sobre Jo-n Rendon/
>ua em+resa ) l6der em 53erenciamento de
+erce+ção5, e, de acordo com a <olling 3tone,
5atende a uma necessidade !ue +oucas +essoas
se!uer sabem !ue e.iste5/
Em$urr4oGinAo das re"a.Bes $LC"icas na
guerra contra o Ira@ue em '<<)5Gru$o
RendonD James Bamford, 5T-e man H-o sold t-e
Har5 A5% -omem !ue vendeu a 3uerra5B, <olling
3tone, &R de novembro de $%%U/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/rollin3stone/comX+oliticsXstoryXWRSWSSRXt-eqmanqH
-oqsoldqt-eqHarj
Go"$e de Estado na Guatema"aD documento de
ar!uivo do Central Dntelli3ence '3ency (reedom of
Dnformation 'ct A0ei de 0iberdade de Dnformação da
CD'B/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/foia/cia/3ovX3uatemala/as+j
J1 :< mi"ABes de cidad4os com armas de
3ogo nos EUAD Kayne 0a?ierre, 5>otomayorIs
bias5 A5' inclinação de >otomayor5B,CB>#eHs/com,
&U de =ul-o de $%%S/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/cbsneHs/comXstoriesX$%%SX%RX&UXo+inionXmainU&]$
%U[/s-tmlj
Li-ro de BernaID Propaganda, EdHard Bernays
A#ova Gork* #G* D3 ?ublis-in3, &S$WB/ ,is+on6vel
em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpJlc?3?tlRKcCj
A menina dos o"Aos da CiC"ioteca de Jose$A
GoeCCe"s era o "i-ro de EdQard BernaIsD 0arry
Tye, 5T-e fat-er of s+in* EdHard 0/ Bernays F t-e
birt- of +ublic relations5 A5" +ai dos mar!ueteiros*
EdHard 0/ Bernays e o nascimento das relações
+Jblicas5B, P< *atch, se3undo trimestre de &SSS,
volume ], n
o
/ $/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/+rHatc-/or3X+rHissuesX&SSSQ$Xbernays/-tmlj
#o Ca+6tulo &U9 +ode não ser e.atamente o fato
mais im+ortante do livro, mas o +ai de Eliot >+it4er
) realmente um ma3nata do mercado imobili@rio, e
) +laus6vel !ue >+it4er ten-a encontrado #oa- e
olly no elevador do edif6cio do N++er East >ide de
an-attan/
O $ai do 0$itGer / dono do $r/dio inteiroD
,oulas (eiden, 5Em+ire of t-e son/ HoH dadIs real
estate fortune +ays >+it4er benefits5 A5Dm+)rio do
fil-o* como a fortuna em im8veis do +a+ai +a3a os
+rivil)3ios de >+it4er5B, NA )aily Ne>s, $S de
outubro de $%%]/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/nydailyneHs/comXarc-ivesXneHsX$%%]X&%X$SX$%%]C
&%C$Sqem+ireq ofqt-eqsonq-oHqdadqs/-tmlj
#o Ca+6tulo &R* o livro )Svida de honra, de Tom
Clancy, inclui uma cena em !ue um avião
abastecido de combust6vel ) se!uestrado e =o3ado
contra o Ca+it8lio dos EN'/ 'l3uns te8ricos da
cons+iração di4em !ue isso ) +rova de !ue Clancy
estava envolvido no +lane=amento dos atentados
de && de setembro, mas n8s sabemos !ue )
a+enas um sintoma de como os escritores de livros
de sus+ense +ensam de maneira criativa e
sur+reendente/ " +r8+rio Clancy relatou !ue
durante a elaboração do livro c-e3ou a se
encontrar com um oficial da (orça ')rea e
+er3untou sobre !uais seriam os +oss6veis
cen@rios de uso de aviões como armas/ " oficial
res+ondeu* 5>r/ Clancy, se tiv)ssemos um +lano
+ara lidar com isso, seria secreto e eu não teria
autori4ação +ara falar sobre o assunto/ as, at)
onde eu saiba, =amais +ensamos nessa
+ossibilidade5/
Antes do && de setemCro+ Tom C"ancI
escre-eu dois "i-ros soCre como os
terroristas $odiam usar a-iBes como armasD
5' Harnin3 from HollyHood5 A5Nm alerta de
HollyHood5B, ;;C, $[ de março de $%%$/
,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/neHs/bbc/co/ukX-iXen3lis-XstaticXaudioqvideoX+ro3ram
mesX+anoramaXtranscri+tsXtranscri+tq$[q%<q%$/t.t
#o Ca+6tulo &W, Rudyard Ki+lin3 tin-a U< anos e
estava em um +er6odo sombrio de sua vida !uando
escreveu o +oema do !ual citei al3umas estrofes/
Como e.+lica #oa-, o escritor tin-a +erdido o fil-o
na ?rimeira 7uerra undial, e antes disso +erdera
tamb)m a fil-a/ % t6tulo do +oema, 5T-e 7ods of
t-e Co+ybook Headin3s5, fa4 refer2ncia ao fato de
!ue no tem+o de Ki+lin3 os estudantes 3an-avam
cadernos de e.erc6cios es+eciais, em cu=o to+o da
+@3ina -avia os 5cabeçal-os de caderno5, citações
de frases famosas, +rov)rbios, m@.imas e ditados
em cali3rafia e.em+lar, a ser co+iada incans@veis
ve4es +elos alunos, na +@3ina inteira/ % -@bito de
reescrever os cabeçal-os dava aos alunos a
o+ortunidade de treinar cali3rafia AobviamenteB,
mas tamb)m incutia neles o con-ecimento +r@tico
e as lições de vida da -ist8ria/ Como di4 #oa-, vale
a +ena ler o +oema inteiro/
oema de RudIard Ki$"ingD Rudyard Ki+lin3,
5T-e 3ods of t-e co+ybook -eadin3s5/ 0eia o te.to
na 6nte3ra/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/ki+lin3/or3/ukX+oemsqco+ybook/-tm
Biogra3ia de Ki$"ingD Harry Ricketts, <&dyard
1ipingG ' life A#ova Gork* Carroll F 7raf, $%%&B/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidp.[sT'iR!-KCj
#o Ca+6tulo &S, vemos o termo C"D#TE0?R"
A?ro3rama de ContraCinteli32nciaB inclu6do no
+lano de ação descoberto +or #oa- e olly/ Ho=e o
termo +arece ter sido adotado +or te8ricos da
cons+iração, mas, antes !ue voc2 sim+lesmente o
descarte, vale a +ena dar uma ol-ada em !ual era
a intenção ori3inal desse +ro3rama
3overnamental/
C"D#TE0?R"* Ed 7ordon, 5C"D#TE0?R" and t-e History
of ,omestic >+yin35 A5C"D#TE0?R" e a Hist8ria da
Es+iona3em ,om)stica5B, National P&'lic <adio, &W
de =aneiro de $%%]/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/n+r/or3Xtem+latesXstoryXstory/+-+OstoryDdpU&]W&&
1e=a tamb)m* ic-elle 7oldber3, 5"utlaHin3
dissent* s+yin3 on +eace meetin3s, crackin3 doHn
on +rotesters, kee+in3 secret files on innocent
+eo+le L -oH Bus-Is Kar on terror -as become a
Har on freedom5 A5Banindo a discord;ncia*
es+iona3em em reuniões +ac6ficas, medidas
severas contra manifestantes, ar!uivos secretos
sobre +essoas inocentes L como a 3uerra de Bus-
ao terror se tornou uma 3uerra contra a
liberdade5B, 3alon0com, && de fevereiro de $%%[/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/salon/comXneHsXfeatureX$%%[X%$XllXcointel+roX+rint/
-tmlj
1e=a tamb)m* ,avid HoroHit4, 5C"D#TE0?R"I> overdue
return* T-e neH (BD Hill be able to investia3te
americans H-o +ose a t-reat to national security
L and t-atIs a 3ood t-in35 A5" atrasado retorno do
C"D#TE0?R"* " novo (BD +oder@ investi3ar os norteC
americanos !ue re+resentarem uma ameaça :
se3urança nacional L e isso ) uma coisa boa5B,
3alon, com, [ de =un-o de $%%$/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXdir/salon/comXstoryXneHsXcolX-oroX$%%$X%]X%[Xcointel+roXin
de./-tml
Casus Be""iD ,aniel >c-orr, 5Dn searc- of Casus
Belli5 A5Em busca de um Cas&s ;elliQ9, Christian
3cience Monitor, S de a3osto de $%%$/ ,is+on6vel
em*
-tt+*XXHHH/csmonitor/comX$%%$X%W%SX+lls%$Ccods/-tml
A Jane"a de O-ertonD #at-an J/ Russell, 5'n
introduction to t-e "verton KindoH of different
+ossibilities5 A5Nma introdução : Janela de "verton
de diferentes +ossibilidades5B, ?he MacJinac
Center, [ de =aneiro de $%%]/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/mackinac/or3XRU%[
#edidas de seguran.a a/rea em rea.4o a
amea.as ma"ogradasD 'lan 7at-ri3-t, 5#o small
feat, ti3-tenin3 u+ s-oe ins+ections5 A5#ão est@
nada f@cil* ainda mais r63idas as ins+eções de
sa+atos5B, 3an +ranciso Chronicle, &$ de =ul-o de
$%%</ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/seattle+i/comXnationalX&<%U[&q s-oesl$/-tmlj
>e voc2 !uiser entender a verdade sobre o
com)rcio de emissões de carbono e o real
+ro+8sito de +ro3ramas de 5ca+ and trade5,
comece a fa4er suas +es!uisas sobre a intersecção
entre cor+orações, +ol6ticos e interesses es+eciais/
"s linJs a se3uir AEnron, Bolsa do Clima de C-ica3o
e a em+resa norteCamericana de -i+otecas (annie
aeB são um bom lu3ar +ara começar*
Com/cio de carCono e EnronD 0aHrence
>olomon, 5EnronIs ot-er secret5 A5" outro se3redo
da Enron5B, +inancial Post, <% de maio de $%%S/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXnetHork/national+ost/comXn+Xblo3sXf+commentXarc-iveX$
%%SX%UX$SXlaHrenceCsolomonCenronCsCot-erCsecretCas+.j
1e=a tamb)m um v6deo do con3ressista
re+ublicano >teve >calise !uestionando 'l 7ore
se3undo esta mesma lin-a de racioc6nio/
,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/youtube/comXHatc-Ovpc+Ec?(>EDHQ
Agenda '& da ONUD ver a +ublicação do
,e+artamento de Economia e 'ssuntos >ociais da
"#N/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/un/or3XesaXdsdXa3enda$&Xinde./s-tmlj
Bo"sa do C"ima de CAicagoD 5T-e n&% trilion
climate fraud5 A5' fraude de &% tril-ões de d8lares
do clima5B, 2nvestorNs ;&siness )aily, $W de abril de
$%&%/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/investors/comX#eHs'nd'nalysisX'rticle/as+.O
idpU<&R<&j
VeMa tamC/mD Ed Barnes, 5"bama years a3o
-el+ed fund carbon +ro3ram -e is noH +us-in3
t-rou3- con3ress5 A5'nos atr@s "bama a=udou a
financiar o +ro3rama de carbono !ue a3ora tenta
em+urrar 3oela abai.o do con3resso5B,
+oxNe>s0com, $U de março de $%%S/ ,is+on6vel
em*
o-tt+*XXHHH/fo.neHs/comX +oliticsX$%%SX%<X$UXobamaCyearsC
a3oC-el+edCfundCcarbonC+ro3ramC+us-in3Ccon3ressXj
VeMa tamC/mD 5Barbara Hollin3sHort-* 5Barbara
Hollin3sHort-* (annie ae oHns +atent on
residential Ica+ and tradeI e.c-an3e5 A5Barbara
Hollin3sHort-* (annie ae +ossui licença na bolsa
do clima5B/ ?he *ashington Examiner, $% de abril
de $%&%/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/Has-in3tone.aminer/comXo+inionXcolumnsX(annieC
aeCoHnsC+atentConCresidentialCqca+CandCtradeqe.c-an3eC
S&U<$&%S/ -tml
#o Ca+6tulo $%, temos a c-ance de ouvir olly
começar a a+resentar seus ar3umentos e sua
causa, e ela se concentra nos as+ectos
econTmicos/ >e voc2 ainda duvida de !ue os dois
+artidos +ol6ticos Ao Re+ublicano e o ,emocrataB
estão nos levando +ara o mesmo lu3ar Aembora
em diferentes velocidadesB, o +rimeiro dado
estat6stico !ue ela cita ) muito esclarecedor*
A d%-ida naciona" mais do @ue doCrou desde
'<<<D ark Knoller, 5#ational debt u+ to n$ trillion
on "bamasIs Hatc-5 A5#o mandato de "bama, a
d6vida nacional c-e3a a $ tril-ões de d8lares5B,
C;3Ne>s0com, &] de março de $%&%/ ,is+on6vel
em*
-tt+*XXHHH/cbsneHs/comXW<%&CU%<U[[q&]$C
$%%%%UR]U%<U[[/-tml
O dinAeiro dos em$r/stimos $ara sa"-ar
Cancos e em$resas 3a"idas -ai $ara contas
o33sAoreD Eamon Javers, 5'D7 s-i+s billions in
bailout abroad5 A5'D7 manda +ara contas no
e.terior os bil-ões de em+r)stimo5B, Politico, &U de
março de $%%S/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/+olitic
o/comXneHsXstories
X%<%SX$%%<S/-tmlj
1e=a tamb)m* >-aryl 'ttkinson, 5(olloHin3 bailout
money to ta. -avens5 A5>e3uindo a tril-a do
din-eiro dos em+r)stimos enviados +ara +ara6sos
fiscais5B, C;3Ne>s0com, $< de fevereiro de $%%S/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/cbsneHs/comXW<%&CU%< U[[q&]$C$%%%%U R]CU%<
U[[/-tmlj
#o ca+6tulo $&, Ra3nar Benson, de cu=os livros
ouvimos falar a!ui, ) o nome ficcional de um autor
sobrevivencialista !ue ao lon3o dos anos escreveu
livros muito ousados e criativos Aa lenda di4 !ue o
+seudTnimo Ra3nar Benson foi tomado como
em+r)stimo de uma construtora de C-ica3oB/ %
livro antra++in3 A'rmadil-as +ara Ca+turar
HomensB, : venda no site 'ma4on/com, se inicia
com a frase* 5>em dJvida o -omem +ode ser o
animal mais dif6cil do +laneta +ara se ca+turar em
uma armadil-a///5/ as, como di4 olly, 5desde
então ele se acalmou um +ouco5, e seus livros
mais recentes tratam de t)cnicas de sobreviv2ncia
e autoCsufici2ncia/
Ragnar BensonD ary Roac-, 5T-e survivalistIs
3uide to doCitCyourself medicine5 A5" 3uia
sobrevivencialista da medicina façaCvoc2Cmesmo5B,
&R de de4embro de &SSS/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/salon/comX-ealt-XcolXroacX&SSSX&$X&RXsurvivalistsj
1e=a tamb)m* ' lista da editora ?aladin ?ress com
os t6tulos de livros de Ra3nar Benson/ ,is+on6vel
em*
o-tt+*XXHHH/+aladinC+ress/comXcate3oryXRa3narq Bensonj
5Cuidem bem do es+6rito do nosso +ovo///5*
T-omas Jefferson, errill ,/ ?eterson, ?he political
>ritings of ?homas ,efferson AJefferson (oundation,
&SS]B/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpl-B$iCT!]%Cj
George KasAington+ cereMeira e dentadura de
madeiraD 5Trut-s and false-oods about 7eor3e
Kas-in3ton5 A51erdades e inverdades sobre
7eor3e Kas-in3ton5B/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/mountvernon/or3XvisitX+lanXinde./cfmX+idXW%WX

*04o tem$os como esses @ue testam as
a"mas dos Aomens*D T-omas ?aine, ?he
american crisis0 ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpv,!]''''i''Jj
uita 3ente em Kas-in3ton !uer !ue encaremos o
controle 3overnamental como uma coisa boa, mas
eis a!ui um e.em+lo do !ue +ode acontecer
!uando o 3overno começa a re3ular as leis =@
e.istentes/ >im, a >e3unda Emenda di4 !ue o
cidadão +ode ter uma arma, mas não di4 !ue
e.ercer esse direito vai ser f@cilP #a Cidade de
#ova Gork levaram a restrição ao e.tremo,
instaurando um +rocesso !ue +ode demorar at)
seis meses e custar centenas, !uando não,
mil-ares de d8lares/
"btenção de re3istro de armas na Cidade de #ova
Gork* #G?, Hand3un 0icensin3 Dnformation
ADnformações sobre "btenção de 0icença de Nso e
?orte de 'rmas de (o3o, ,e+artamento de ?ol6cia
da Cidade de #ova GorkB/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/nyc/3ov/-tmlXny+dX-tmlX+ermitsX-and3unq
licensin3qinformation/s-tml
1e=a tamb)m* #G?, 0icensin3 ('Q A?er3untas ais
(re!uentes sobre "btenção de 0icença de 'rmas,
,e+artamento de ?ol6cia da Cidade de #ova GorkB/
,is+on6vel em* o-tt+*XXHHH/nyc/3ov/-tmlXny+dX
-tmlX+ermitsX3unqlicensin3qfa!/s-tmlj
1e=a tamb)m* Nm relato em +rimeira +essoa sobre
o +rocesso de obtenção de licença de arma de
fo3o na Cidade de #ova Gork/ 7lenn Beck, !rg&ing
>ith idiots A#ova Gork, #G* >imon F >c-uster,
$%%SB* [S/
1e=a tamb)m* Nm relato da internet sobre o
+rocesso de obtenção de licença de arma de fo3o
na Cidade de #ova Gork/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXan3rynyer/comXO+p[$$
A mi"%cia era todo cidad4oD ,onathan Elliott, T-e
debates in t-e several >tate Conventions of t-e
ado+tion of t-e (ederal Constitution 85C 65( ed0, ,0
;0 Rippincott, "7B%90
1e=a tamb)m* James adison, 5T-e (ederalist
#umber []5, in ?he +ederalist Papers, eds/ 7eor3e
K/ Carey e James cClellan ADndiana+olis, D#*
0iberty (und, $%%&B* $[[/
*Temos o $oder de come.ar o mundo de
no-o*D T-omas ?aine, Common sense A>enso
comumB/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3l
e/comXbooksO
idpe%o!''''G''J
j
JonatAan #aIAeQ+ *0em re$resenta.4o n4o
A1 ta,a.4o*D Ra=a is-ra e 0eont CalloHay,
51andals tear a Bible in -alf, Ransack old Hest
c-urc-5 A51;ndalos ras3am ;S'lia ao meio e
sa!ueiam vel-a i3re=a5B, ;oston /lo'e, &$ de
a3osto de $%%]/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/boston/comXneHsXlocalXmassac-usettsX
$%%]X%WX&$Xvandalsqtearqaqbibleqinq-alfqransackqoldqHestqc-urc
-Xj
#o Ca+6tulo $$*
Trans$orte de materiais nuc"eares de #inot
$ara BarSsda"eD ic-ael Hoffman, 5Commander
disci+lined for nuclear mistake5 A5Comandante
+unido +or erro nuclear5B, Military ?imes, U de
setembro de $%%R/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/usatoday/comXneHsXmilitaryX$%%RC%SC%UCbC
U$q#/-tmj
#o Ca+6tulo $<*
'+enas +ara fins recreativos, a+resentamos o e!uiC
+amento eletrTnico 5cai.a laran=a5/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/artof-ackin3/com/filesXobCfa!/-tmj
#o Ca+6tulo $R -@ refer2ncias a Jo-n "I#eill, e.C
a3ente do (BD es+eciali4ado na luta antiterrorista,
!ue vin-a alertando +ara o 3rave +eri3o
re+resentado +ela 'l Qaeda/ "I#eill assumiu a
c-efia de se3urança do Korld Trade Center na
Cidade de #ova Gork, e seu +rimeiro dia no novo
em+re3o foi $< de a3osto de 5PP"0
JoAn OTNei"" e a A" HaedaD 5T-e man H-o kneH5
A5" -omem !ue sabia5B, +rontline0 ,is+on6vel em*
o -tt+*XXHHH/+bs/or3XH3b-X+a3esXfrontlineXs-oHsXkneHX j
#o Ca+6tulo <&*
*Uma re$LC"ica+ se -ocF $uder mantFE"a*D
ic-ael Ric-ards, ! rep&'lic if yo& can Jeep itG ?he
fo&ndation of the !merican presidency AKest+ort,
CT* 7reen+ort ?ress, &SWRB/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpidpDt"'Rca#U[sC
5enina turca, &] anos, enterrada viva +or ter
falado com meninos5* Robert Tait, ?he /&ardian, [
de fevereiro de $%&%/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/3uardian/co/ukXHorldX$%&%XfebX3irlCburiedCaliveC
turkey
*04o uns comi"Bes inLteis e retardados
mentais*D Esta citação tem +or base muitos
ar3umentos da vida real favor@veis : eu3enia, em
todas as suas muitas faces e formas/
George Bernard 0AaQD 5Creio !ue seria uma boa
ideia fa4er com !ue todo mundo se a+resentasse
diante de uma comissão ou =unta de membros
ade!uadamente nomeados, assim como ve4 ou
outra nos a+resentamos ao fiscal de renda///
>im+lesmente +Tr a +essoa l@ e di4er, Ia3ora,
sen-or Aou sen-oraB, ten-a, +or favor, a bondade
de =ustificar sua e.ist2ncia/ >e o sen-or não
conse3uir =ustificar sua e.ist2ncia, se não est@
contribuindo com o 3ru+o social, se não est@
+rodu4indo o !ue consome, ou um +ouco mais,
então claramente não +odemos usar a 3rande
or3ani4ação da nossa sociedade +ara o +ro+8sito
de manter o sen-or vivo, +or!ue a sua vida não
nos beneficia em nada, tam+ouco +ode ser de
al3uma valia se!uer +ara o sen-orI5/
- do disc&rso de 3ha> transcrito em Q?he
revol&tionary Foloca&stG live free or dieQ 6Q4
Foloca&sto revol&cion=rioG viva em li'erdade o&
morraQ9, de /lenn ;ecJ0 ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/fo.neHs/comXstoryX%,$S<<,UW<R<$,%%/-tmlj
TAeodore Roose-e"tD 5#ão com+ete : sociedade,
!ue nada tem a 3an-ar com isso, +ermitir !ue
de3enerados re+rodu4am sua es+)cie/// 'l3um dia
+erceberemos !ue a tarefa +rimordial, a tarefa
inesca+@vel do bom cidadão do ti+o certo ) dei.ar
seu san3ue no mundo9 e !ue não devemos
+ermitir a +er+etuação dos cidadãos do ti+o
errado5/
- de &ma carta a Charles ;enedict )avenport,
datada de < de =aneiro de &S&<
#argaret 0angerD 5" acasalamento de um
imbecil e uma +essoa saud@vel e -onrada +ode///
3radualmente disseminar essas caracter6sticas at)
sola+ar o vi3or e a efici2ncia de toda uma nação e
de toda uma raça/ Dsso não ) uma fantasia inJtil/
,evemos levar isso em conta se !uisermos
esca+ar do destino !ue se abateu sobre muitas
civili4ações do +assado5/
L do livro de >an3er, T-e ?ivot of Civili4ation,
+@3ina &R]
#o Ca+6tulo <[*
ara@uatD 5(acts about ?ara!uat5 A5(atos sobre o
?ara!uat5B* N/ >/ Centers for ,isease Control/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/bt/cdc/3ovXa3entX+ara!uatXbasicsXfacts/as+j
#o Ca+6tulo <], !uando #oa- e olly são
obri3ados a recorrer a um voo comercial, usamos
certa licença +o)tica +ara mostrar como 5a outra
metade5 das +essoas via=a/ E, !uem sabe, #atalie
?ortman talve4 at) consi3a entrar em um avião
mesmo sem documentos de identidade9 ) uma
!uestão de encontrar o funcion@rio certo da T>' no
+ortão de embar!ue*
Todas as grandes com$anAias a/reas tFm
a"gu/m $ara cuidar dos -i$sD 7abe Keisert,
5HoH t-e celebrities fly5 A5Como as celebridades
via=am de avião5B, +or'es ?raveler, && de outubro
de $%%]/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/msnbc/msn/comXidX&U&<<]%&j
#o Ca+6tulo <R*
*Eu Murei no a"tar de Deus222*D T-omas Jefferson,
Jo-n ?/ (oley, ?he ,effersonian cyclopediaG !
comprehensive collection of the vie>s of A(unk F
Ka3nalls, &S%%B/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpETDo''''G''Jj
*Assumo agora as 3un.Bes e
res$onsaCi"idades @ue meus concidad4os222*D
T-omas Jefferson, Jo-n ?/ (oley, ?he ,effersonian
cyclopediaG ! comprehensive collection of the
vie>s of A(unk F Ka3nalls, &S%%B/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpETDo''''G''Jj
#o ca+6tulo <W, novamente vemos aflorar o lado
cons+irador de ,anny Bailey/ Ele menciona, +or
e.em+lo, !ue -ouve um e.erc6cio de treinamento
em 0ondres na mesma man-ã dos ata!ues de R de
=ul-o/ Dsso ) absolutamente ver6dico, mas ) um
bom e.em+lo da diferença entre um fato e uma
su+osição baseada em um fato/
#ão +airam dJvidas sobre os fatos do incidente em
0odres/ Nma em+resa de se3urança e
3erenciamento de crises, c-efiada +or um -omem
com laços com a >cotland Gard, estava reali4ando
um e.erc6cio de simulação contra ata!ues
terroristas em 0ondres na man-ã de R de =ul-o,
envolvendo atentados com bombas em mJlti+los
alvos em estações de metrT/ #o fim do dia,
aconteceu de verdade e.atamente o !ue estava
sendo simulado, +raticamente da mesma maneira
e nos mesmos lu3ares/
#in3u)m discorda sobre os eventos, mas os fatos
são inter+retados de maneiras diferentes/ #a
versão !ue ,anny Bailey conta ao a3ente Kearns,
o e.erc6cio cor+orativo +ode ter funcionado como
uma 5-ist8ria de fac-ada5 +ara mascarar o
envolvimento do +r8+rio 3overno brit;nico nos
ata!ues reais/ Contudo, uma +es!uisa um +ouco
mais a+rofundada sobre os e.erc6cios revela +or
!ue motivo a 3rande m6dia não considera !ue esse
se=a um cen@rio +oss6vel/
Em uma mat)ria do Channel 8 Ne>s intitulada
5Coincidence of bomb e.ercisesO5 A5Coincid2ncia
nos e.erc6cios de ata!ues com bombasO5B
A,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/c-annel[/comXneHsXarticle/=s+Oidp&S%&%j
#ic-olas 7lass a+onta +ara o fato de !ue a
situação de ata!ue com bombas na!uela man-ã
era uma das tr2s em !ue a em+resa estava
trabal-ando/ ais im+ortante* nen-um recurso
f6sico foi utili4ado em +arte al3uma da cidade, e a
simulação envolveu a+enas al3umas +essoas
sentadas em torno de uma mesa conversando
sobre !ual seria sua reação/ Em outras +alavras,
se su+ostamente o e.erc6cio devia servir como
@libi do 3overno, os res+ons@veis +rovavelmente
estariam atr@s das 3rades/
Em res+osta :s cons+irações de R de =ul-o, ?eter
?oHer, o e.ecutivo !ue reali4ou os e.erc6cios,
divul3ou um comunicado bastante ta.ativo em !ue
rea3iu ao !ue !ualificou de acusações 5-ostis,
ine.atas, in32nuas e i3norantes5/ "bviamente, +or
mais !ue seu comunicado fosse convincente, as
teorias cons+irat8rias sem+re recorreram : mesma
res+osta* V claro !ue ele disse isso, ele
+rovavelmente ) um a3ente do 3overno/
eu ar3umento a!ui fundamentaCse na id)ia de
!ue ) e.tremamente +eri3osa a maneira como os
fatos +odem ser mani+ulados ou distorcidos +ara
dar credibilidade a teorias cons+irat8rias
fantasiosas e !ui.otescas/ V nossa
res+onsabilidade e.aminar tudo com ol-ar c)tico,
e tamb)m ter em mente !ue muitos tentarão
desvirtuar a realidade +ara servir a seus +ro+8sitos
ou reiterar sua visão de mundo/
E,erc%cios de simu"a.4o contraEata@ues
terroristas em Londres em 9 de Mu"AoD
5Business e.ec confirms sameCtimeCasCattack
under3round bombin3 e.ercise5 A5E.ecutivo
confirma ata!ue com bombas no metrT na mesma
-ora de e.erc6cios de simulação5B, Canada +ree
Press, &[ de =ul-o de $%%U/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/canadafree+ress/comX$%%UXcover%R&[%U/-tmj
VeMa tamC/mD entrevista de ?eter ?oHer ao 2?M
Ne>s, R de =ul-o de $%%U/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/youtube/comXHatc-OvpJKvk-e<r!tc
Jaroon RasAid AsQat tentou organiGar um
cam$o de treinamento da A" Haeda no
OregonD 'lan CoHell, 5Briton sou3-t on N/ >/
terror c-ar3es a++ears in 0ondon court5 A5Cidadão
brit;nico +rocurado +or terrorismo nos EN'
com+arece a tribunal londrino5B, ?he Ne> AorJ
?imes, S de a3osto de $%%U/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/nytime
s/comX$%%UX%WX%SX
internationalXeuro+
eX%S&ondon/-tmlj
#oAamed #oAamed e"EAmir AQad e"E0aIed
AttaD Terrry c,ermott, 5>eein3 H-at He Hant to
see9 -oH could it be t-at, des+ite t-e facts, +eo+le
L and com+uters L +lace one of t-e >e+t/ &&
-i=ackers in +laces -e +robably HasnItO5 A51endo o
!ue !ueremos ver9 o !ue e.+lica !ue, a+esar dos
fatos, das +essoas L e dos com+utadores L, ainda
colocamos um dos se!uestradores de && de
>etembro em lu3ares em !ue ele +rovavelmente
não estavaO5B, Ros !ngeles ?imes, $] de a3osto de
$%%U/
#o Ca+6tulo <S*
N4o temos esco"Aa222 a manoCra de aMuda
3inanceira do go-ernoD H@ muitos e.em+los de
reação de +;nico de nossos l6deres diante do
avanço da crise financeira/ Ben Bernanke,
+residente do (ed, disse* 5>e não fi4ermos isso, na
se3undaCfeira =@ não teremos mais economia5/
1e=a tamb)m* Joe #ocera, 5<] -ours of alarm and
action as crisis s+iraled5 A5<] -oras de alarme e
ação em +lena es+iral da crise5B, ?he Ne> AorJ
?imes, 5 de outubro de $%%W/ ,is+on6vel em*
-tt+*XXHHH/neHsHeek/comXidX&SRW&%X+a3eXl
Huem receCeu a@ue"as centenas de Ci"ABes
de d!"aresD 5Trackin3 t-e nR%% billion bailout5
A5Rastreando os R%% bil-ões de d8lares da a=uda
financeira do 3overno5B, ?he Ne> AorJ ?imes0
,is+on6vel em*
-tt+*XX+ro=ects/nytimes/comXcreditcrisisXreci+ientsXtable
*Hue a Musti.a seMa 3eita+ nem @ue desaCem
os c/us*D 5T-e >tates* t-ou3- t-e -eavens fall5
A5"s Estados Nnidos* nem !ue desabem os c)us5B,
$ de outubro de &S]$/ ,is+on6vel em*
o-tt+*XXHHH/time/comXtimeXma3a4ineXarticleX%,S&R&,W$S$<<,%%/
-tmlj
*Na Am/rica a "ei / o rei*D T-omas ?aine,
Common sense 63enso com&m90 ,is+on6vel em*
-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidpe%o!''''G''J
*O deseMo de dom%nio222*D T-omas Jefferson, 5'
dissertation on t-e Canon and (eudal 0aH5
A5,issertação sobre a 0ei Can8nica e a 0ei
(eudal5B, ;oston /a:ette, &R]U/
*0e tu amas mais a ri@ueGa do @ue a
"iCerdade222*D Killiam 1incent Kells, ?he life and
p&'lic services of 3am&el !dams ABoston* 0ittle,
BroHn, and Com+any, &W]UB/
#o Ca+6tulo []*
A "iCerdade / a e3Fmera e,ce.4oD T-omas
>oHell, '++lied economics* t-inkin3 beyond sta3e
one A#ova Gork, #G* Basic Books, $%%[B* <&/
,is+on6vel em*
o-tt+*XXbooks/3oo3le/comXbooksOidp"'>-7TKE4K3Cj
Como eu disse antes, esta lista est@ lon3e de ser
com+leta, então es+ero !ue voc2 continue
e.+lorandoCa +or conta +r8+ria/ Criamos tamb)m
um >e'site, cu=o endereço a+arece em al3um
lu3ar do livro, e !ue vai direcionar voc2 +ara
muitas das fontes !ue usamos e tamb)m vai
funcionar como invent@rio de novas informações/
Boa caçadaP
Multibrasil Download - www.multibrasil.net