You are on page 1of 1

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

Prof. Noemia Porto

Principais previsões contidas na Lei nº 5584/70. a) Após a proposta conciliatória, e
antes da instrução processual, o Juiz fixará o valor da causa, acaso este seja indeterminado;
b) quando a parte puder aduzir razões finais, poderá impugnar o valor fixado. Se a decisão
proferida for pela manutenção, caberá pedido de revisão, no prazo de 48 horas, dirigido ao
Presidente do TRT, que não terá, todavia, efeito suspensivo; c) nos processos de alçada, na
Ata de Audiência, não é necessário constar o resumo dos depoimentos, bastando o registro
da conclusão do Juiz sobre a matéria de fato; d) ainda nos processos de alçada (até dois
salários mínimos na data do ajuizamento), não serão cabíveis recursos, salvo na hipótese de
a decisão versar sobre matéria constitucional (RR); e) a assistência judiciária é devida
àqueles que perceberem salário igual ou inferior ao dobro do mínimo legal ou àqueles de
remuneração superior, acaso fique demonstrada a situação econômica que não lhe permita
demandar, sem prejuízo do sustento próprio ou da família; f) os honorários advocatícios
pagos pelo vencido reverterão em favor do Sindicato assistente (honorários, portanto,
assistenciais); g) a assistência judiciária, quando não existir sindicato, será prestada pela
defensoria pública; h) a assistência judiciária é devida ao trabalhador mesmo que não
sindicalizado.

Algumas referências históricas da Justiça do Trabalho brasileira. a) Inicialmente,
os órgãos destinados à solução de conflitos trabalhistas tinham finalidade eminentemente
conciliatória, como no modelo francês e italiano; b) as questões trabalhistas brasileiras,
desde o Império, estavam entregues à Justiça Comum (assim vistas como temas de locação
de mão de obra do Direito Civil); c) em 1922 foram criados em São Paulo os Tribunais
Rurais (juiz de direito, representante dos trabalhadores e dos fazendeiros); d) em 1932
foram criadas as Juntas de Conciliação e Julgamento (dissídios individuais) e as Comissões
Mistas de Conciliação (conflitos coletivos) - órgãos administrativos vinculados ao Poder
Executivo; e) tais órgãos administrativos constituíam instância única de julgamento e as
respectivas decisões, quando pertinente, produziam título de dívida líquida e certa para
posterior execução judicial; f) o constitucionalismo de 30 (34 e 37) indicava a instituição de
uma Justiça do Trabalho, mas que não se estruturou efetivamente; g) a Constituição de 1937
não atribuía aos integrantes da Justiça do Trabalho as prerrogativas e os atributos dos
integrantes da Justiça Comum (art. 139), mas o STF reconheceu o caráter jurisdicional da
Justiça do Trabalho quando admitiu o recurso extraordinário de decisão proferida pelo
Conselho Nacional do Trabalho (STF-RE-6310, DJU 30.09.1943); h) a constitucionalização
da Justiça do Trabalho ocorreu com a Constituição de 1946 (art. 142), sendo importante,
também, o Decreto-lei 9797/46.