You are on page 1of 1

Comentário ao trabalho da colega Ana Maria Guimarães

É sempre difícil escolher um trabalho para comentar, porque todos são


interessantes e com aspectos que se completam. Optei por comentar o trabalho
publicado pela colega, porque achei a sua apresentação clara, objectiva, bem
elaborada. Efectivamente, o aspecto gráfico é muito agradável, permitindo que se
faça uma leitura rápida mas abrangente, contendo a informação que me parece
relevante, para que os intervenientes da comunidade escolar entendam, de forma
clara, a necessidade de se associarem em todo este processo.
A execução do seu plano de avaliação envolve as diferentes etapas, de
forma esquemática, a saber: diagnóstico, identificação do domínio/subdomínio a
avaliar, métodos e instrumentos a utilizar, intervenientes e composição das
amostras, calendarização, recolha e análise de dados, identificação dos pontos
fortes e fracos e o posicionamento nos respectivos níveis de desempenho,
interpretação e descrição dos resultados da avaliação, definição das acções de
melhoria, redacção e divulgação do relatório final da avaliação.
Penso que embora eu também tenho focado estes aspectos, a colega
conseguiu explicitar melhor as ideias. O seu trabalho está muito bem estruturado
e evidencia conhecimento do Modelo de Auto – Avaliação da Biblioteca Escolar
e, como também já ela própria já referiu, o seu plano de avaliação poderá ser
colocado em prática, em qualquer escola. Esta não pode, por isso, permitir-se
perpetuar modos de ensino e aprendizagem magistrais, que formam para ler e
escrever, de forma acrítica. Tem que acompanhar a mudança, nos processos
tecnológicos, sociais e comunicacionais. Tem que formar para desenvolver a
autonomia e para a criatividade, para a capacidade de interagir socialmente, de
forma crítica e para a competência de aprender a aprender.

Continuação de um bom trabalho!


A Formanda,
Maria Dolores Poças