You are on page 1of 27

1

Resistência dos Materiais - I


FIRB – Faculdades Integradas “Rui Barbosa”
4º Período - Resistência dos Materiais I
Professor Eli Jorge da Cruz – e-mail: dacruz.eli@gmail.com

Conteúdo Programático:

 Análise de deformações;

 Esforços:
 Tração;
 Compressão.

 Diagramas:
 Força Cortante;
 Momento Fletor.

 Deformação linear e angular;


 Trabalho de deformação;


 Tensões na flexão;


 Seção composta;


 Estudo duplo tensão.


2
Resistência dos Materiais - I


Aula de 07/08/2014
No estado plano:
Movimentos possíveis:
 Translação em x e y;
 Rotação em torno de Z.

Força inclinada:

sen =

= ∙ sen

cos =

= ∙ cos

= ∙ cos

= ∙ sen



Exercício 01: Encontre as componentes (x e y) de cada força (F1, F2, F3).



= tan
−1
(
0,2
0,4
) = 26,56°

1
= 600 ∙ cos 35 = 600 ∙ 0,82 = 492

1
= 600 ∙ sen35 = 600 ∙ 0,57 = 342

2
= 500 ∙
4
5
= 500 ∙ 0,8 = 400

2
= 500 ∙
3
5
= 500 ∙ 0,6 = 300

3
= 800 ∙ sen = 800 ∙ 0,45 = 360

3
= 800 ∙ cos = 800 ∙ 0.89 = 712



y
x
F
Fx
Fy


F2 = 500N
F1 = 600N
F3 = 800N
3
4

35°
0,2 m
0,2 m
0,3 m
0,1 m
3
Resistência dos Materiais - I


Exercício 02: Encontre as reações nos apoios A e B.
Dados: massa específica: 95kg/m



















bs.: No espaço plano existem três tipos de apoio:
 1º grau – restringe um movimento (Cherriot)

 2º grau – restringe dois movimentos

 3º grau – restringe três movimentos (Engastamento)


600N
45°
200N
A B
2 m 2 m 3 m
4
Resistência dos Materiais - I


Exercício 03: Encontre as reações nos apoios A e B.










Exercício 04: Encontre Ax, Ay e T. Dado: Massa específica 95kg/m.





5
Resistência dos Materiais - I


Trabalho em Sala: Encontre as reações nos apoios A e B.











Exercício 01. Encontre as reações nos apoios A e B.






3 m
20kN
45°
50kN
A B
2 m
8 m
10kN
10kN/m
6
Resistência dos Materiais - I


Exercício 02. Encontre as reações nos apoios A e B.



















Aula do dia 21/08/2014.
Resistência dos Materiais:
 Mecânica do contínuo;
 Limite de escoamento;
 Módulo de Young;
 Coeficiente de Poisson.

Ensaios mecânicos
 Ensaio de Tração;


20kN/m
30°
10kN
A
B
5 m
10 m
7
Resistência dos Materiais - I


 Gráfico de tensão e deformação de engenharia:

=

=

I – região de deformação elástica (lei de Hooke
1
).
II – Escoamento.
III – Deformação plástica.
e – Limite de escoamento.
m – Tensão máxima.
r – Tensão / Limite de ruptura.

Exemplo: Qual a tensão normal sobre a barra BC?
D.C.L.




= ℎ =

1,5
2
+2² = 2,5
=

2
4
=
∙ (0,02)
2
4
⟹ = , ∙

²
sen
1,5
2,5
= 0,6 ⟺ cos
2
2,5
= 0,8

= 0 ⟺ (30 ∙ 2) −( ∙ 0,6 ∙ 2) = 0 ⟹ =
=

=
50 ∙ 10
3

3,14 ∙ 10
−4
⟹ = ∙

=

1
A lei de Hooke é a lei da física relacionada à elasticidade de corpos, que serve para calcular a deformação
causada pela força exercida sobre um corpo, tal que a força é igual ao deslocamento da massa a partir do seu
ponto de equilíbrio vezes a característica constante do corpo que é deformada:
1
,
5
m

2m
C
A
B
30kN
T
T
Tração
A
Ay
Ax
A
T
30kN

8
Resistência dos Materiais - I


Aula do dia 25/08/2014.
Tensões Normais (σ):
σadm do aço = 165 MPa.
σadm do alumínio = 100 MPa.

=

Exercício: Calcule a Tensão (σ) em A e B.
= ∙
2


2
4

=
+

=
80
∙ (0,03)
2
4
=
80 ∙ 10
3
7 ∙ 10
−4

= 114

=
+

=
80
∙ 10
2

= 254,77
Tensões de Cisalhamento ():





=

Exemplo:
=

2 ∙
=
50000
2 ∙ ∙ 10
2
⟹ = ,




Normais ⟹ Tensões Normais
∅ 30mm
F = 50kN
∅ 20mm
P = 30kN
1,5m A
0,8m B
F1
F2
Força Normal Força Normal
F1
F2
A
A
F = 50kN
∅ 20mm
9
Resistência dos Materiais - I


Resumo:
τ ⟶ cisalhamento
σ ⟶ Normal

Deformações (ε):
É a variação ∆l sobre l.
=

Aplicando-se a mesma tensão (σ):








Deformação Elástica:
Lei de Hooke
= ∙
Onde:
= tensão.
E = módulo de elasticidade.
= deformação
l = 10mm
∆l = 1mm
= 10%
l = 10cm ∆l = 1cm
= 10%
l = 10m ∆ = 1m
= 10%
10
Resistência dos Materiais - I



“Módulo de elasticidade representa a inclinação da reta na região de
deformação”.
Inclinações diferentes para cada tipo de material devido a elasticidade diferente
de cada material.

FIRB – Faculdades Integradas “Rui Barbosa”
4º Período - Resistência dos Materiais I
Professor Carlos Eduardo – e-mail: carlos.britto.mec@gmail.com
Aula do dia 01/09/2014.
Revisão:


=

“Módulo de elasticidade representa a inclinação da reta na região de deformação
elástica”.

= 1,2 = 1,25

= 0,8 = 0,83

1
=
0,05
1,2
= 4,16%
2
=
0,03
0,8
= 3,75%

1
=
1

1

2
=
2

2


1,25 lf
0,83 lf
1,2m
0,8m
11
Resistência dos Materiais - I


sen =


cos =




tan =




30° 45° 60º
Seno
1
2

√2
2

√3
2

Cosseno
√3
2

√2
2

1
2

Tangente
√3
3

1
√3

∗ Estática ⟼ Equilíbrio de um ponto material.
Configurações de equilíbrio.


1 – Um corpo de 50kg é sustentado por duas cordas conforme o desenho a
seguir, permanecendo em equilíbrio. Sabendo que sen37° e cos53° é 0,6 e sen53°
e cos37° é 0,8 e T1 = 300N. Calcule a tração na corda 2.
Considere g = 10m/s².







1

2

3

5

4

β
α
C
a
t
e
t
o

Cateto
50kg
Ponto de equilíbrio
= 37°
= 53°
P = m x g = 50 x 10 = 500N
12
Resistência dos Materiais - I


1º passo: Distribuição das forças.


2º passo: Análise.
Análise do ângulo β Análise do ângulo α


sen =

2

2


cos =

2

2


sen =

1

1


cos =

1

1

Equações dos ângulos:
 sen =

2

2

2
= sen ∙
2


 cos =

2

2

2
= cos ∙
2


 sen =

1

1

1
= sen ∙
1


 cos =

1

1

1
= cos ∙
1



3º passo: Somatória das forças.
Reações do eixo X:

1

2

=
2

1

= (cos ∙
2
) −(cos ∙
1
)

= (0,6 ∙
2
) −(0,8 ∙ 300)

= 0,6 ∙
2
− 240
β
T2x
T2y
T2
T1x
T1Y
α
T2
T1 = 300N
Y
X
T3 = 500N
T2x
T2y
T1x
T1Y
β
α
13
Resistência dos Materiais - I

= 0
0,6 ∙
2
−240 = 0
0,6 ∙
2
= 240 ⟹
2
=
240
0,6

=

Reações do eixo Y:

3
,
1

2

=
1
+
2

3

= (sen ∙
1
) +(sen ∙
2
) −
3

= (0,6 ∙ 300) +(0,8 ∙
2
) −500

= 180 + 0,8 ∙
2
−500

= 0,8 ∙
2
−320

= 0
0,8 ∙
2
−320 = 0
0,8 ∙
2
= 320 ⟹
2
=
320
0,8

=

Aula de 04/09/2014.
Exercícios de revisão:
01 – A viga representada abaixo encontra-se em equilíbrio sustentada pelos
apoios A e B. A viga é homogênea e tem peso desprezível. Sendo a intensidade da
carga concentrada F = 500N; AB = 5m; AC = 1m, calcular as intensidades das reações
A e B, em Newton.



C

Ra
A
B
1 m
5 m
Rb
14
Resistência dos Materiais - I


02 – A viga representada no desenho abaixo encontra-se em equilíbrio
sustentada pelos apoios A e C. A viga é homogênea e tem peso P = 1000N. Sendo F
= 200N, AB = 8m e AC = 7m, calcular as intensidades das reações dos apoios A e C
sobre a viga, em Newton.









03 – A viga representada abaixo encontra-se em equilíbrio, sustentadas pelos
apoios B e C. A viga é homogênea e tem peso desprezível. Sendo as intensidades
das cargas concentradas F1 = 100N e F2 = 600N, AB = 5m, AC = 1m e CD = 3m, calcular
as intensidades das reações dos apoios B e C sobre a viga, em Newton.


C

Ra
A
B
7 m
8 m
P Rc
C
D

2

1

A
B
1 m
5 m
Rc Rb
1 m
4 m
3 m
15
Resistência dos Materiais - I


04 – A viga representada abaixo encontra-se em equilíbrio, sustentada pelos
apoios A e B. A viga é homogênea e tem peso desprezível. Sendo a intensidade da
carga uniformemente distribuída entre C e D igual a U = 50N/m a carga concentrada F
= 200N, AB = 6m, AC = 1m, CD = 1,5m e EB = 1,5m. Calcular as intensidades das
reações dos apoios A e B sobre a viga, em Newton.








LISTA DE EXERCÍCIOS – ESTÁTICA
RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS 1
FIRB – FACULDADES INTEGRADAS RUI BARBOSA
PROF. CARLOS EDUARDO

01 – É dado o sistema em equilíbrio, e:
sen 37° = cos 53º = 0,6
sen 53º

= cos 37° = 0,8

1,5 m
C D

A
B
1 m
6 m
U =50N/m
1,5 m
E
Ra Rb
16
Resistência dos Materiais - I


Sabendo-se que a tração na corda 1 é 300 N, a tração na corda 2 é:
a) 500 kg
b) 400 N
c) 4000 N
d) 400 J
e) 4 N

02 – O corpo da figura tem peso 80N e está em equilíbrio suspenso por fios ideais.
Calcule a intensidade das forças de tração suportadas pelos fios AB e AC.
Adote: cos 30° = 0,8 e sen 45° = cos 45° = 0,7




03 – Um corpo de peso P é sustentado por duas cordas inextensíveis, conforme
a figura.

Sabendo que a intensidade da tração na corda AB é de 80 N, calcule:
a) o valor do peso P:
b) a intensidade da tração na corda BC.


17
Resistência dos Materiais - I


04 – No sistema abaixo, o peso P está preso ao fio AB por uma argola. Despreze
os atritos e calcule as trações nos fios AO e BO.
Dados: P = 100 N, sen 30° = 0,5 e cos 30º = 0,8.








05 – As cordas A, B e C da figura abaixo têm massa desprezível e são
inextensíveis. As cordas A e B estão presas no teto horizontal e se unem à corda C no
ponto P. A corda C tem preso à sua extremidade um objeto de massa igual a 10 kg.

Considerando o sistema em equilíbrio, determine as trações nos fios A, B e C
(sen60° = cos 30° =
√3
2
; sen30° = cos 60° =
1
2
)






18
Resistência dos Materiais - I


06 – (Acafe-SC) Fruto da nogueira (árvore que vive até 400 anos), a noz é
originária da Ásia e chegou à Europa por volta do século IV, trazida pelos
romanos. Uma característica da noz é a rigidez de sua casca. Para quebrá-la,
usa-se um quebra-nozes. A figura abaixo mostra um quebra-nozes, de massa
desprezível, fácil de ser construído.

Certa noz suporta, sem quebrar, uma força de módulo igual a 2000N. É correto
afirmar que, para quebrá-la, a distância mínima da articulação d, em cm, onde se deve
aplicar uma força

, de módulo igual a 250N, é:
a) 25.
b) 50.
c) 20.
d) 40.
e) 10.



19
Resistência dos Materiais - I


07 – (Uerj) Para demonstrar as condições de equilíbrio de um corpo extenso, foi
montado o experimento abaixo, em que uma régua graduada de A a M, permanece
em equilíbrio horizontal, apoiada no pino de uma haste vertical.

Um corpo de massa 60 g é colocado no ponto A e um corpo de massa 40 g é
colocado no ponto I.

Para que a régua permaneça em equilíbrio horizontal, a massa, em gramas, do
corpo que deve ser colocado no ponto K, é de:
a) 90.
b) 70.
c) 40.
d) 20.




20
Resistência dos Materiais - I


08 – Em várias situações do dia a dia, necessitamos aplicar forças que sem o
auxílio de alguma ferramenta ou máquinas, simplesmente não conseguiríamos.
Apertar ou afrouxar um parafuso, por exemplo, requer uma força que não somos
capazes de exercer. Considere um parafuso muito apertado que necessita da
aplicação de um torque igual a 150 N.m para ser solto, conforme mostra a figura a
seguir.

a) Determine a intensidade da força F aplicada, desprezado o peso da
ferramenta.
b) O que poderia se fazer para reduzir o valor da força aplicada, encontrada no
item a?








21
Resistência dos Materiais - I


09 – Suponha que duas crianças brincam em uma gangorra constituída por uma
prancha de madeira de peso 20 kgf. A prancha tem forma regular, constituição
homogênea e encontra-se apoiada em seu centro geométrico. O peso da criança A é
igual a 50 kgf:

Sabendo que o sistema está em equilíbrio na situação apresentada, determine:
a) O peso da criança B.
b) A intensidade da força exercida pelo apoio sobre a prancha (reação normal do
apoio).










Aula de 08/09/2014.
Tensão (σ):
=

Onde:
σ → Tensão Normal [MPa].
F → Força [N].
A → Área [m²].

Coeficiente de segurança (k).

Escoamento Recuperação
Deformação
Elástica
Deformação Plástica
d


E
F
D
B
C
A

Estricção
p
e
ruptura
máx.
22
Resistência dos Materiais - I


Exercício – 01. Determinar o diâmetro da barra (1) da estrutura do desenho
abaixo. O material da barra é o ABNT 1010L, com σe = 220MPa, e o coeficiente de
segurança indicado para o caso é K = 2.






Aula de 11/09/2014.
Exercício – 02. Dimensionar a seção transversal da barra (1) da construção
representada no desenho abaixo. A barra possuirá seção transversal quadrada de
lado (a). Dados:

= ; =




B
A
0,8 m 0,8 m
0,8 m
4kN
10kN
53°

1
C
A
1,2 m 0,8 m
4kN
53°
0,8 m
1
8kN
5kN
1 m
B
1
Seção Transversal
a
23
Resistência dos Materiais - I


Aula de 25/09/2014.
Exercício – 01. Dimensionar a (1) da construção representada na figura abaixo,
sabendo-se que seção transversal da barra é quadrada, e o material a ser utilizado é
o ABNT 1030L com

= , utilize o coeficiente de segurança k =2.



0,5 m
1 m 1 m
F1x
C
B

1
A
20kN
10kN
D
F1y
0,5 m
= 37°
3kNm
24
Resistência dos Materiais - I


Exercício - 02. Determinar as áreas mínimas das seções transversais das barras
(1), (2) e (3) da construção representada abaixo. O material é o ABNT 1020L

=
. Utilize coeficiente de segurança k =2.




1m
40kN/m
2 m
B

1
A
C
D
E

2

3
F
2 m
50kN/m
5m
25
Resistência dos Materiais - I


Aula de 02/10/2014.
Lei de Hooke:
Após uma série de experimentos, o cientista inglês, Robert Hooke, no ano de
1678, constatou que uma série de materiais quando submetidos à ação de carga
normal, sofre variação na sua dimensão linear inicial, bem como na área da seção
transversal inicial.
Ao fenômeno da variação linear, Hooke denominou alongamento, constando
que:
Quanto maior a carga normal aplicada, e o comprimento inicial da peça, maior o
alongamento, e que, quanto maior a área da seção transversal e a rigidez do material, medido
através do seu módulo de elasticidade, menor o alongamento, resultando daí a equação:
∆ =



Aula de 09/10/2014.
Como σ =

podemos escrever a lei de Hooke:
∆ = ∙

Onde:
∆l = Alongamento da peça [m];
F = Carga normal aplicada [N];
σ = Tensão normal [Pa];
A = Área da seção transversal [m²];
E = Módulo de elasticidade do material [Pa];
l = Comprimento inicial [m].

O alongamento será positivo, quando a carga aplicada tracionar a peça, e será
negativo quando a carga aplicada comprimir a peça.
Tração no nó


= + ∆
Compressão no nó


= − ∆

A B A B
26
Resistência dos Materiais - I


Onde:
lf = Comprimento final [m];
l = Comprimento inicial [m];
∆l = Alongamento [m].

Deformação longitudinal ():
Consiste na deformação que ocorre em uma unidade de comprimento (u.c) de
uma peça submetida à ação de carga axial.
=

=

Deformação Transversal (
t
):
Determina-se através do produto entre deformação unitária (ε) e o coeficiente de
Poisson
2
(ν).

= − ∙

Como =

=

, podemos escrever:

=
.

=
− ∙ ∆

Onde:
εt = Deformação transversal [adimensional];
σ = Tensão normal atuante [Pa];
E = Módulo de elasticidade do material [Pa];
ε = Deformação longitudinal [adimensional];
ν = Coeficiente de Poisson [adimensional].

=

2
O coeficiente de Poisson, ν, mede a deformação transversal (em relação à direção longitudinal de aplicação da
carga) de um material homogêneo e isotrópico. A relação estabelecida é entre deformações ortogonais.
27
Resistência dos Materiais - I


Exercício: O desenho abaixo, representa duas barras de aço soldadas na seção
BB.
a) A tensão normal (σ1 e σ2);
b) O alongamento (∆l1 e ∆l2);
c) A deformação longitudinal (ε1 e ε2);
d) A deformação transversal (ε
t1 e ε
t2);
e) O alongamento total da peça (∆l).
ε
aço
= 210GPa e
aço
= 0,3





d=25mm
d=15mm
0,9m
0,6m
B B
(2)
(1)
4,5 kN