You are on page 1of 16

DELICIAS DE PARATY

Fone/ f ax:
Emai l :









Tut or a Pr es enci al :
Tut or a à di s t anci a:










SUMÁRI O
1. Pl ano de negóci os
1. 1- Sumár i o Execut i vo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3
1. 2- Des cr i ção da Empr es a. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1. 3- Anál i s e do Mer cado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1. 4- Pl ano de mar kt i ng. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6
1. 5- Pl ano Oper aci onal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 e 8
1. 6- Anál i s e Es t r at égi ca. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
1. 7- Pl ano Fi nancei r o. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8, 9, 10 e 11

2. Rot ei r o de Execução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12, 13 e 14
ANEXO 3- Rel at ór i o s obr e Empr eendedor i s mo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15
ANEXO 4- Res pos t as e deci s ões s obr e negóci os . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 e 16
Ref er ênci as Bi bl i ogr áf i cas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16













3
1. 1- Sumári o Execut i vo
A s or vet er i a Del i ci a de Par at y s er á i naugur ada em J ul ho de
2013, na Aveni da Rober t o Si l vei r a, Por t ão de Fer r o I I , nº 222, em
Par at y- Ri o de J anei r o. De i ni ci o, a s or vet er i a t er á uma boa acei t ação
no mer cado, poi s es t á s i t uado em uma ci dade Tur í s t i ca e l i t or ânea de
cl i ma quent e. Cont ar á com um bom at endi ment o de pr of i s s i onai s
qual i f i cados r es pons ávei s pel o at endi ment o ao cl i ent e. Onde no i ní ci o
o quadr o de f unci onár i o i r á s er compos t o pel a Ger ent e Ger al – J os é
Br uno, 01 ( uma) Di r et or a Fi nancei r a – Ana Car ol i na, 01( um) Di r et or
de Mar ket i ng- Ar t hur , 01 ( um) Engenhei r o Al i ment ar –Cl a yt on,
01( um) Ger ent e de Compr as - Gl auber , 02 ( doi s ) auxi l i ar .


Nos s a mi s s ão é of er ecer um pr odut o de qual i dade e val or i z ar a
s at i s f ação do cl i ent e e o pr i nci pal obj et i vo é at ender o cl i ent e com
s i mpat i a e s at i s f ação, vendendo um pr odut o de qual i dade, t endo como
mi s s ão, des envol ver pr oduzi r e comer ci al i z ar , vi s ando o bem es t ar
dos cl i ent es e col abor ador es . Nos s os val or es s ão bas eados em um bom
at endi ment o ao cl i ent e, qual i dades nos pr odut os t r abal ham em equi pe
com hones t i dade e r es pei t o na r el ação com as pes s oas e na pol í t i ca de
pr eços .

José Bruno
Gerente Geral
Clayton de Oliveira
Eng. Alimentar
Auxiliar de Cozinha Auxiliar de Cozinha
Glauber do
Nascimento
Gerente de compras
Arthur de Jesus
Gerente de Marketing
Ana Carolina
Diretora Financeira



4
1. 2- Des cri ção da Empres a
A “Sor vet er i a Del í ci a de Par at y, cont ar á com at endi ment o ao
cl i ent e e s el f - s er vi ce”. O quadr o de f unci onár i os i ni ci al ment e s er á
compos t o pel os pr ópr i os empr eendedor es e ( 2) cont r at ados . Todos os
f unci onár i os s ão al t ament e qual i f i cados at endendo com i mens a
r es pons abi l i dade e compet ênci a.
Dados dos empr eendedor es :
Nome: Cl ayt on de Ol i vei r a Bot el ho
Ender eço: Aveni da 22 de Abr i l Bai r r o: J abaquar a Ci dade: Par at y-
RJ
Tel ef one: ( 24) 9954- 7172 E- mai l : cl a yt onbot el ho2@hot mai l . com

Nome: Gl auber do Nas ci ment o e Si l va
Ender eço: Rua Dezes s et e Bai r r o: Por t ão de Fer r o I I
Ci dade: Par at y- RJ
Tel ef one: ( 24) 9839- 2023 E- mai l : gl auber ns @hot mai l . com

Nome: Ana Car ol i na Pi nt o da Si l va
Ender eço: Rua Os car Pi nt o da Si l va Bai r r o: Pont al Ci dade:
Par at y- RJ
Tel ef one: ( 24) 3371- 1782 E- mai l : anacar ol i nacps @hot mai l . com

Nome: Ar t hur de J es us Pi nt o da Si l va
Ender eço: Rua Dona Ger al da Bai r r o: Cent r o Ci dade:
Par at y- RJ
Tel ef one: ( 24) 3371- 4134 E- mai l : ar ht ur . j p@hot mai l . com

Nome: J os e Br uno de Ol i vei r a Bai r r o: Fr ade Ci dade:
Par at y- RJ
Ender eço: Rua Por t ugal
Tel ef one: ( 24) 9901- 1282 E- mai l : j os ebr unoi cm@yahoo. com



5
1. 3- Anál i s e de Mercado
Por mor ar em uma ci dade t ur í s t i ca e l i t or ânea como Par at y a
ci dade vai t er cl i ent el a co ns t ant e o a no t odo, s i t uada na r egi ão
Sudes t e. Por es t es mot i vos es col hemos o “s or vet e” por s er um
al i ment o nut r i t i vo e s audável , s endo um pr odut o r ef r es cant e, que t em
uma gr ande acei t ação na ci dade, per cebendo o pot enci al da mes ma
r es ol vemos i mpl ant ar uma s or vet er i a. Cons i der ando que o mes mo
pode s er cons umi do por t odas as pes s oas .
Vendo es s a opor t uni dade de mer cado, anal i s amos as
car act er í s t i cas da popul ação que es t á ao ent or no, os concor r ent es e o
vol ume do t r âns i t o das pes s oas . Per cebemos que t emos f or necedor es e
cons umi dor es , ent ão r es ol vemos i mpl ant a r a “Sor vet er i a Del í ci a de
Par at y”, Os cl i ent es de s or vet er i as s ão aquel es que es t ão em bus ca d o
l az er e di ver s ão ou ao s i mpl es pr az er de compr ar um bom s or vet e e
l evá- l o par a cas a, es s a é a s at i s f ação da nos s a empr es a di s poni bi l i zar
o que o cl i ent e des ej a. Par a i s s o i nves t i r emos em mar ket i ng,
pr opaganda e f ar emos uma par cer i a com donos de pous adas e es cunas
da ci dade, as s i m quando um hós pede qui s er t omar um s or vet e t er á o
nos s o.
Anal i s ar emos os concor r ent es com o i nt ui t o de i dent i f i car as
f r aquez as e as ameaças , e a par t i r di s s o, i r emos el ab or ar uma pes qui s a
de mer cado, par a at ender as neces s i dades da cl i ent el a, adqui r i ndo
as s i m novas opor t uni dades par a o negóci o.

QUADRO COMPARATI VO DOS CONCORRENTES
Car act er í s t i cas EMPRESA EMPRESA
Mi r acul l o Pi s t ache
Pr eços Al t o Pr eço Reaj us t e com
Fr equênci a
At endi ment o Fal ha no at endi ment o Quant i dade
I ns uf i ci ênci a de
Funci onár i os
Es paço Mal di vi do Pequeno







6
1. 4- Pl ano de Market i ng
Conheça nos s a Sor vet er i a Del i ci as de Par at y: Es t amos
l ocal i z ados na Aveni da Rober t o Si l vei r a, nº 222, Por t ão de Fer r o I I –
Par at y - RJ .
Tr abal hamos com a mel hor equi pe de pr of i s s i onai s s ua
s at i s f ação. Aqui você t er á qual i dade e at endi ment o di f er enci ados .
Se você é exi gent e e t em a cer t eza de que mer ece o mel hor ,
venha par a Sor vet ei r a Del i ci as de Par at y ou ent ão peça na s ua
pous ada ou no s eu mar avi l hos o pas s ei o de bar co apr eci ando o l i ndo
mar az ul de nos s a ci dade e s i nt a a s ens ação de es t a t omando uns dos
mel hor es s or vet es .
Nos s os pr eços s er ão bas eados de acor do com os cus t os de
mat er i al i ni ci al , pr epar ação e f i nal i z ação. Vi s ando s empr e t er mos os
menor es pr eços , por ém s em f ugi r do padr ão de qual i dade par a agr adar
o cl i ent e s oment e na hor a de pagar . Par a i s s o bus car emos mel hor es
f or necedor es com pr eços aces s í vei s , f az er compr as mai or es em bus ca
de des cont os .
I ni ci al ment e, nos s a es t r at égi a de pr omoção, s er á di s t r i bui ção de
panf l et os par a o públ i co al vo, onde i r ão cons t ar nos s os pr i nci pai s
s er vi ços , pr odut os , dat as e hor ár i os de at endi ment os , al ém das
pr omoções i ni ci ai s . De i ní ci o t r abal har emos com o cl i ent e f i del i dade
da Del í ci a de Par at y, a cada compr a f ei t a em nos s o es t abel eci ment o
ganhar á um ades i vo chegando ao t ot al de 10 ades i vos , ganhar á um 01
s or vet e duas bol as com cober t ur a i nt ei r ament e gr át i s . Também
i nves t i r emos em anúnci os em car r o de s om r ádi os , anúnci os em f ai xas
e r edes s oci ai s . Com o des enr ol ar dos negóci os i novar emos de acor do
com nos s o cr es ci ment o bus ca ndo s empr e cl i ent es s at i s f ei t os .
Nos s a s or vet er i a i r á di s poni bi l i z ar de um ambi ent e
aconchegant e, ar ej ado, bem equi pado, cont ando com uma equi pe de
l i mpez a ef i ci ent e par a dei xar o ambi ent e s empr e agr adável . At r avés
das pr omoções e di vul gações pr et endemos at r ai r o cl i ent e at é nos s o
es t abel eci ment o, par a compr ovar nos s o at endi ment o ági l , es t r ut ur a
f í s i ca des t i nada aos var i ados t i pos de f r equent ações .






7
1. 5- Pl ano Operaci onal















CAPACI DADE PRODUTI VA:
A Sor vet er i a Del í ci as de Par at y es t i ma que cada at endent e
i r á obt er no mí ni mo 23 ( t r ês ) cl i ent es ao di a, e apr oxi madament e 500
cl i ent es ao mês . Ter emos um val or apr ox i mado de f at ur ament o ao di a
R$ 529, 00, mens al ment e R$ 15. 870, 00 e anual ment e R$ 190. 440, 00.
Nos s o vol ume de pr odução mens al é de 614 kg e o vol ume de
comer ci al i z ação s er á de apr oxi madament e 460 kg. Em al t a es t ação
nos s as vendas i r ão aument ar em 30%. I r emos f unci onar nas s egundas
s oment e de 14h00mi n as 22h00mi n e no r es t ant e da s emana de
09h00mi n as 14h00mi n e das 16h00mi n as 01 h00mi n.
O pr odut o of er t ado pel a Sor vet er i a Del í ci as de Par at y
dur ant e o expedi ent e é pr oduzi do na s ede pr ópr i a da empr es a, de
f or ma ar t es anal , bas eando - s e em uma ant i ga r ecei t a. A pr odução de



8
s or vet es ar t es anai s cons i s t e nos s egui nt es mecani s mos : compr ar as
f r ut as , des pol pament o, medi r e mi s t ur ar os s eus i ngr edi ent es . A
mi s t ur a é conduzi da par a a bat edei r a aut omát i ca e mi s t ur ada
novament e j unt o com pol pa des ej ada. O s or vet e é embal ado e m
vas i l has pl ás t i cas , depoi s é l evado par a câmer a f r i a e por f i m es t á
pr ont o par a cons umo. A comer ci al i z ação dos pr odut os é f ei t a no
mes mo es t abel eci ment o em que el e é pr oduzi do. Os s or vet es s ão
r et i r ados da câmer a f r i a e col ocados no l ocal de venda de acor do com
a var i ação da demanda. Em r el ação à di s t r i bui ção a s or vet er i a não
vende os s eus pr odut os par a out r a empr es a.

1. 6- Anál i s e es t rat égi c a
Pont os Fr acos Fr aquezas Ameaças
I nexper i ênci a em
admi ni s t r ação, embor a com
pr of i s s i onai s f or mados ,
mas que não at uam
Fal t a de
exper i ênci a;
Recur s os
f i nancei r os
l i mi t ados
J ur os al t os , car ga
t r i but ár i a exces s i va;
Exi s t ênci a de poucos
f or necedor es

1. 7- Pl ano f i nancei ro


Nº DESCRIÇÃO VALOR
1 Investimentos Fixos 38.816,50 R$
2 Estimativa dos custo com mão de obra 12.488,00 R$
3 Investimentos Pre-operacionais 19.500,00 R$
4 Estimativa de estouque inicial 2.453,00 R$
5 Estimativa de custo fixos operacionais mensais 2.898,00 R$
76.170,50 R$
VESTIMENTOS TOTAL (RESUMO)
TOTAL
R$38,816.50
R$12,488.00
R$19,500.00
R$2,453.00 R$2,898.00
Investimentos Fixos
Estimativa dos custo com mão de obra
Investimentos Pre-operacionais
Estimativa de estouque inicial
Estimativa de custo fixos operacionais
mensais



9


VALOR TOTAL DE ( A +B) | R$ 38. 816, 50 |
Nº DESCRIÇÃO QT VALOR UNIT TOTAL
1 Freezeres Expositores 2 1.760,00 R$ 3.520,00 R$
2 Freezeres para estoque 2 2.080,00 R$ 4.160,00 R$
3 Expositor Refrigerador de Bebidas 1 2.730,00 R$ 2.730,00 R$
4 Balança 2 476,00 R$ 952,00 R$
5 Caixa registradora 1 629,00 R$ 629,00 R$
6 Mesa de Coberturas Frias 1 1.600,00 R$ 1.600,00 R$
7 Mesa de Cobeturas Quentes 1 1.700,00 R$ 1.700,00 R$
8 Impressora 1 200,00 R$ 200,00 R$
9 Computador 3 1.200,00 R$ 3.600,00 R$
10 Software 2 2.000,00 R$ 4.000,00 R$
11 Lixeira com pedal 10 12,00 R$ 120,00 R$
12 Liquidificador Industrial 2 400,00 R$ 800,00 R$
13 Batedeira Industrial 3 1.300,00 R$ 3.900,00 R$
14 Maquina de chantilly 1 2.500,00 R$ 2.500,00 R$
15 Mix 2 39,00 R$ 78,00 R$
34 18.626,00 R$ 30.489,00 R$
MAQUINAS E EQUIPAMENTOS
Valor Subtotal (A)
Nº DESCRIÇÃO QT VALOR UNIT TOTAL
1 Mesas 20 35,00 R$ 700,00 R$
2 Cadeiras 80 25,00 R$ 2.000,00 R$
3 Escrivaninha 2 200,00 R$ 400,00 R$
4 Copos 200 3,00 R$ 600,00 R$
5 Colheres 300 1,50 R$ 450,00 R$
6 Concha Térmica 5 6,00 R$ 30,00 R$
7 Porta Canudos 25 5,50 R$ 137,50 R$
8 Porta Guardanapos 25 5,00 R$ 125,00 R$
9 Taça para Sorvetes (30caixas) 150 4,40 R$ 660,00 R$
10 Potes Plasticos (pacotes) 50 8,00 R$ 400,00 R$
11 Potes Descátaveis (pacotes) 50 2,50 R$ 125,00 R$
12 Colheres descartaveis (pacotes) 50 2,50 R$ 125,00 R$
13 Prateleiras 5 120,00 R$ 600,00 R$
14 Bancos para balcão 5 95,00 R$ 475,00 R$
15 Balcão 1 1.500,00 R$ 1.500,00 R$
968 2.013,40 R$ 8.327,50 R$
MOVÉIS E UTENCILIOS
Valor Subtotal (B)



10




Nº DESCRIÇÃO QT UND VALOR UNIT TOTAL
1 Pote de granulado 3 cx 35,00 R$ 105,00 R$
2 Uvas passas de pote 2 pt 40,00 R$ 80,00 R$
3 Jujubas pacotes 2 pt 25,00 R$ 50,00 R$
4 Castanhas 2 cx 120,00 R$ 240,00 R$
5 Nozes 1 cx 180,00 R$ 180,00 R$
6 Caldas 15 pt 12,00 R$ 180,00 R$
7 Coco em flocos 3 cx 20,00 R$ 60,00 R$
8 Castanha do Pará 2 cx 130,00 R$ 260,00 R$
9 Amendoim 2 cx 50,00 R$ 100,00 R$
10 Liga Neutra 10 Kg 7,50 R$ 75,00 R$
11 Emulsificante 10 Kg 11,00 R$ 110,00 R$
12 Leite Condensado 50 cx 2,70 R$ 135,00 R$
13 Creme de leite 50 cx 2,50 R$ 125,00 R$
14 Leite 90 3,00 R$ 270,00 R$
15 Popa de Frutas 60 pt 2,80 R$ 168,00 R$
16 Açúcar 50 Kg 2,40 R$ 120,00 R$
17 Coberturas 15 10,00 R$ 150,00 R$
367 653,90 R$ 2.408,00 R$
ESTIMATIVA ESTOQUE INICIAL
Total
Nº DESCRIÇÃO QT SALARIO MENSAL TOTAL
1 Auxiliar de Cozinha 2 622,00 R$ 1.244,00 R$
2 Engenheiro Alimentar 1 2.000,00 R$ 2.000,00 R$
3 Gerente 1 2.000,00 R$ 2.000,00 R$
4 Diretor de Marketing 1 2.000,00 R$ 2.000,00 R$
5 Atendente 2 622,00 R$ 1.244,00 R$
6 Diretor Financeiro 1 2.000,00 R$ 2.000,00 R$
7 Gerente de Compras 1 2.000,00 R$ 2.000,00 R$
9 11.244,00 R$ 12.488,00 R$
ESTIMATIVA DOS CUSTO COM MÃO DE OBRA
Total
Nº DESCRIÇÃO VALOR
1 Aluguel 1.200,00 R$
2 IPTU 48,00 R$
3 Água 150,00 R$
4 Telefone 200,00 R$
5 Enegia Eletrica 400,00 R$
6 Material de Limpeza 200,00 R$
7 Material de Escritorio 200,00 R$
8 Combustivel 300,00 R$
9 Outras despesas 200,00 R$
2.898,00 R$
ESTIMATIVA DOS CUSTO FIXO OPERACIONAIS MENSAIS
Total
R$-
R$500.00
R$1,000.00
R$1,500.00
Series1



11
LUCRATI VI DADE:
O cus t o i ni ci al s er á de apr oxi madament e R$ 100. 000, 00, s endo es t es
di s t r i buí dos das s egui nt es manei r as : magui nhas e equi pament os R$
30. 689, 00, movei s e ut ens í l i os R$ 8. 327, 50, es t oque i ni ci al R$
2. 453, 00 i nves t i ment os pr é - oper aci onai s R$19. 000, 00, mão de obr a
R$ 12. 488, 00, cus t os f i xos mens ai s R$ 2. 898, 00, s omando um t ot al de
75. 855, 50. O i nves t i ment o a s er apl i cado t er á or i gem do PROGER –
Mi cr o e pequenas empr es as – f ai xa I I ( Pl ano de f i nanci ament o da
Cai xa Econômi ca Feder al ) . A empr es a l ucr ar á por mês R$ 15. 870, 00 e
por ano R$ 190. 440, 00.

CAPI TAL DE GI RO:




FORNECEDORES
Prazo Médio de Compras % Numero de dias Média Ponderada
A Vista 40% 0 0
A Prazo (1) 20% 30 6
A prazo (2) 30% 60 18
A Prazo (3) 10% 90 9
Prazo médio Total de 33 dias
Nº DESCRIÇÃO VALOR
1 Despesas de Legallização 1.500,00 R$
2 Obras Civis e /ou reformas 10.000,00 R$
3 Divulgação 5.000,00 R$
4 Outras Despesas 3.000,00 R$
19.500,00 R$
INVESTIMENTOS PRÉ -OPERACIONAIS
Total
Nº DESCRIÇÃO VALOR
1 Investimentos Fixos 39.016,50 R$
2 Estimativa dos Custo com Mão de Obra 12.488,00 R$
3 Investimentos Pré-operacionais 19.500,00 R$
4 Estimativa de estoque inicial 2.453,00 R$
5 Estimativa dos custo fixos operacionais mensais 2.898,00 R$
76.355,50 R$
INVESTIMENTOS TOTAL (RESUMO)
Total



12
2. Rot ei ro de execução
Set or da Economi a: Ter ci ár i o
Ramo de At i vi dade: Comér ci o
Ti po de Negóci o: Comér ci o de Sor vet e
I nves t i ment o: R$50 mi l a R$ 100 mi l
Em pr i mei r o l ugar s er á el abor ada uma pes qui s a de mer cado,
abor dando as neces s i dades dos cl i ent es e o que es t es pr et endem
encont r ar em uma s or vet er i a. A par t i r di s s o, s aber emos quem s er ão
nos s o públ i co al vo, s endo nos s a es t r at égi a e o nos s o di f er enci al .
Pr eocupamo- nos ai nda em com a l egi s l ação es peci f i ca, s ol i ci t ação do
Al var á da Vi gi l ânci a Sani t ár i a j unt o a Secr et ar i a Muni ci pal de Saúde
e o al var á de f unci onament o.
Tendo o pont o f i xo e r egi s t r ado, i r emos compr ar t odos os
mat er i ai s par a cons t r ução e r ef or ma das ár eas t ant o de pr epar ação
como de at endi ment o e ai nda a f achada do es t abel eci ment o, t endo que
es t á com uma apar ênci a agr adável aos ol hos dos cl i ent es .
Em cont r a par t i da, compr ar emos t odos os equi pament os
neces s ár i os par a nos s a s or vet er i a s el f - s er vi ce t ai s como: f r eez er par a
ar maz enagem, bal cão s el f - s er vi ce com f r eez er , cai xa com maqui na
r egi s t r ador a, bal ança el et r ôni ca com et i quet ador , bal ança El et r ôni ca
com Mes as e cadei r as par a cl i ent es , mat er i ai s di ver s os ( col chas ,
bal des , por t a - pá, col her de s or vet ei r o, expos i t or es par a cal das ,
bi s coi t os e conf ei t os , des car t ávei s , t aças , copos , t al her es , et c. ) . Par a
a mão de obr a s er á neces s ár i o cont r at ar no mí ni mo 4 f unci onár i os e
no máxi mo 5 s endo 1 no cai xa, os out r os s er ão os s óci os que cui dar ão
da par t e ope r aci onal , admi ni s t r at i va e cont r ol e de qual i dade dos
al i ment os .
Nos s o Pl ano de I nves t i ment os dever á t er em cont a as
neces s i dades do Ci cl o de Pr odução, des i gnando, os val or es r el at i vos
aos s t ocks de mat ér i as - pr i mas e de pr odut o acabado bem como o val or
médi o do cr édi t o concedi do a cl i ent es . Num per í odo i ni ci al , i r emos
pr ever o di nhei r o neces s ár i o par a pagament o de, por exempl o,
s al ár i os , al uguer es de i ns t al ações , des pes as de comuni cação par a o
mar ket i ng. Poi s é f r equent e a empr es a não obt er , nos pr i mei r os mes es
da s ua exi s t ênci a, um ní vel s uf i ci ent e de r ecei t as . As s i m, devemos
cal cul ar o vol ume do nos s o Capi t al Ci r cul ant e neces s ár i o, i ncl ui ndo
um val or capaz de cobr i r a di f er ença ent r e as r ecei t as e as des pes as



13
no per í odo de ar r anque da empr es a.
Nos s a f or ma de f i nanci ament o s er á de Cr édi t o bancár i o de cur t o
pr az o, que é uma oper ação at r avés da qual uma i ns t i t ui ção bancár i a
col oca à di s pos i ção do s eu cl i ent e um det er mi nado mont ant e por el e
s ol i ci t ado compr omet endo - s e, es t e úl t i mo, a l i qui dá - l o em dat as
pr evi ament e f i xadas e acr es ci das dos r es pect i vos j ur os . E ai nda com
Recur s o a capi t ai s pr ópr i os , onde s e cons t i t ui a f or ma menos car a de
uma empr es a s e f i nanci ar e, s i mul t aneament e, uma f or ma de gar ant i r a
manut enção da s ua at i vi dade e, des t e modo, gar ant i r o s eu
cr es ci ment o. Os capi t ai s pr ópr i os s ão os capi t ai s da nos s a pr ópr i a
empr es a, t ai s como, o nos s o capi t al s oci al , r es er vas e r es ul t ados . J á
que t odos os s óci os ent r ar am com uma quant i a exat a par a t odos , es t es
t êm a di s poni bi l i dade de aument ar eu capi t al s oci ai s da s oci edade ou
r eal i z ar ent r adas em di nhei r o ou es péci e, em vol ume s uf i ci ent e par a
s us t ent ar as neces s i dades de i nves t i ment o.
É a vez do mar ket i ng, at é por que s em a coi s a não anda,
i nves t i r emos em um pr eço que cons i der e uma n var i ável não s ó o
pr eço em s i de cada i t em, mas t ambém a pol í t i ca de pr eços da
empr es a, o que i ncl ui f or neci ment o de cr édi t o, des cont os , acei t ação
de car t ões de cr édi t o. Apr es ent ação, não bas t a t er um bom pont o, es t e
deve t er uma apr es ent ação vi s ual ef i ci ent e e coer ent e c om a pr opos t a
do nos s o negóci o. Comuni cação, a mes ma pr eci s a s er conheci da no
mer cado, com uma comuni cação bem f ei t a i ncl ui ndo pr opaganda,
pr omoções e di vul gação, uma gama de ações que vai at r ai r o cl i ent e,
uma vez el e que adent r ar i r á f aci l i t ar e es t i mul a r a venda, par a
mui t os var ej os s egment ados , vol t ados par a públ i cos es pecí f i cos . A
di vul gação f i car á por cont a anúnci os , car t azes , car r o de s om, r ádi o,
pr omoções , panf l et agem, cadas t r ando i ncl us i ve hobbi es da cl i ent el a
( vi s ando es t abel ecer s eu per f i l ) e t a mbém s or t ei o de pr odut os .
O pr oj et o f oi cons t i t uí do de uma par t e t eór i ca, f or mada pel as
pes qui s as apl i cadas com os públ i cos es t r at égi cos e o r econheci ment o
da r eal i dade i ns t i t uci onal , que f oi cons t i t uí do at r avés de obs er vação e
conver s as i nf or mai s com f ut ur os cl i ent es da empr es a. Em pos s e da
anál i s e, s er vi u par a i dent i f i car as pot enci al i dades , ameaças ,
opor t uni dades e f r aquez as da or gani zação, par a ent ão r eal i z ar mos um
di agnós t i co de comuni cação e de mar ket i ng. A par t i r des s e
di agnós t i co es t i pul amos nos s os obj et i vos e es t r at égi as , a f i m de
des envol ver ações comuni caci onai s e de mar ket i ng adequadas a
Sor vet er i a Del i ci a Tr opi cal . As opor t uni dades f or am apr ovei t adas em



14
t odas as ações cons i der ando as pos s í vei s ameaças . Com o públ i co
i nt er no, dever am s er r eal i z adas ações mot i vador as e t r ei nament o par a
mel hor i a do at endi ment o ao cl i ent e ameni z ando os pr obl emas de cl i ma
or gani z aci onal . Obj et i vamos t er cont r i buí do par a a per cepção do
empr es ár i o no que di z r es pei t o à i mpor t ânci a da comuni cação e do
mar ket i ng par a o mundo dos negóci os e das i dei as pl anej adas par a
al cançar mos r es ul t ados a cur t o médi o e l ongo pr az o.

ATI VI DADE
Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6
Cons t i t ui ção
l egal da empr es a
X X
Compr a de
equi pament os e
mobí l i a
X X X
Ref or mas X
Compr a de mat .
par a cons t r .

Cont r at ação
de pr of i s s i onai s
X
Comer ci al i z ação X
Des envol vi ment o X
Pes qui s a X X X
Di vul gação
at r avés de banner s
X X X
Pr opag. nas r ádi os ,
s i t es e out .
X X X X
Br i ndes par a
os cl i ent es
X
Panf l et os X X X



15
ANEXOS
3. Empr eendedor i s mo ( Res umo do Text o: “Empr eendedor i s mo no
Br as i l : As di cas par a os i ni ci ant es e par a quem quer ai nda mai s ” )
Ser dono do s eu pr ópr i o negóci o é o des ej o de mui t os , por ém,
mui t os acham que par a s er um empr es ár i o é pr eci s o apena s di nhei r o, e
com a f al t a de pr epar ação adequada, acabam f echando s uas por t as nos
pr i mei r os anos . Al guns f at or es que f az em com que i s s o acont eça s ão a
f al t a de pr epar o, f al has na ger ênci a e um l ocal i nadequado par a o t i po
de mer cado.
Par a um bom des envol vi ment o das mi cr o e pequenas empr es as é
neces s ár i o capaci t ação de acor do com o s egment o, s abendo aval i ar as
opor t uni dades e encar ar os des af i os .
O Sebr ae pr epar a o al uno par a t er um pont o de vi s ão. Ent r e el es : Se
é um mer cado f avor ável a cl i ent es , f or necedor es e s e t em os r ecur s os
neces s ár i os . Um dos pr i nci pai s r ecur s os é s e você t em vocação, poi s
par a abr i r uma empr es a pr eci s a t er f or ça de vont ade, s er di nâmi co, t er
dedi cação e s empr e s aber que t er ão di as al t os e bai xos , s em dei xar
que i s s o o des ani me.
Out r as empr es as apont am cami nhos par a os i ni ci ant es onde
uni ver s i dades e es col as de ens i no médi o f az em par cer i as na ár ea de
empr eendedor i s mo que bus cam a cons ul t or i a j unt o às empr es as -
J uni or , que f unci onam em f acul dades , onde o cus t o é bem i nf er i or a
uma cons ul t or i a pr of i s s i onal .
Al ém de abr i r uma empr es a, é neces s ár i o cui dar das r el ações dent r o
del a, poi s numa empr es a pequena qual quer pr obl ema que s ur ge pode
af et ar t odo o s eu ambi ent e dei x ando o l ocal pes ado, poi s t udo é mui t o
s uper f i ci al . Cont udo, os pequenos empr es ár i os podem f i car l i gados
di r et ament e a empr es a, como o quadr o de f unci onár i os é pequeno, o
empr es ár i o cons egue dar um t r at ament o per s onal i z ado. O que a
mai or i a dos pequenos empr es ár i os não pens am em i novação como uma
abr angênci a e i s s o acaba t or nando um pont o negat i vo, poi s com o paí s
em des envol vi ment o acaba cr i ando es paço par a at r ai r empr eendedor es
de out r os paí s es .
4. Res pos t as e deci s ões s obre negóci os
At r avés de pl anej ament o deci di mos por um negóci o que at ent a o
publ i co em ger al . Pens ando na var i edade de cl i ent es devi do nos s a
l ocal i z ação s er de uma ci dade t ur í s t i ca . Vi s ual i z amos um r et or no
econômi co pos i t i vo i ni ci al ment e e det er mi nando val or es de



16
cr es ci ment o par a o f unci o nament o at r avés dos pr ópr i os r endi ment os
dent r o do per í odo de um ano. A empr es a t er á um es paço bem
aconchegant e e ampl o compar ado com a concor r ênci a, al ém des s e
pont o a f or ma de pl anej ament o que di f er enci am as empr es as ger ando
f i del i dade de s eus cl i ent es , como por exempl o, excel ênci a no
at endi ment o, qual i f i cação de f unci onár i os , qual i dade de pr odut os e
s er vi ços . Cont ar emos com uma equi pe de pr of i s s i onai s capaci t ados na
ár ea, i novador es e aber t os par a o apr endi z ado e cons t ant es mudanças
no s i s t ema empr es ar i a l e comer ci al . Cot ando com a pr es ença dos
empr eendedor es par a dar s upor t e e cont i nui dade ao t r abal ho i novador
e de s uces s o. Anal i s ando as pos s i bi l i dades de empr eendi ment o no
Br as i l al ém dos as pect os pos i t i vos e negat i vos nos empr eendedor es
es t amos 100% compr omet i do com a empr es a s em des ani mar com as
di f i cul dades f ut ur as .
Ref erênci as Bi bl i ográf i cas
SEBRAE – Empr eendedor i s mo e I dent i f i cação de Opor t uni dades .
( ht t p: / / s ebr aemgcomvoce. com. br / 2011/ 01/ 14/ empr eendedor i s mo - e-
i dent i f i cacao- de- opor t uni dades / ) .
J os é Dor nel as – Como I dent i f i car Opor t uni dades de Negóci os na s ua
Regi ão.
( ht t p: / / www. j os edor nel as . com. br / ar t i gos / como - i dent i f i car -
opor t uni dades - de- negoci os - na- s ua- r egi ao/ ) .
CAI XA – PROGER –I nves t i ment o
( ht t p: / / www. cai xa. gov. br / pj / pj _comer ci al / mp/ l i nha_cr edi t o/ f i nanci am
ent os / pr oger _i nves t i ment o/ i ndex. as p ) .
Cez ar – Máqui nas e Pr odut os .
( ht t p: / / www. cez ar maqui nas . com. br / empr es a. ht ml )
Doces Vaz
( ht t p: / / www. doces vaz. com. br / )
Cas as Bahi a – Fr eez er e Movei s
( ht t p: / / www. cas as bahi a. com. br / )

Related Interests