Queixa ao Pai Natal – Azeitonas

Não é que acreditasse em ti

Por isso escrevo em letras garrafais

Das vezes em que te escrevi

Que eu quero uma Playstation2

Mas já que pendurei a meia

Não me faças reclamar depois

Vou ver se é desta que aparece Ainda no ano que passou
cheia

Quando eu pedi aquele GI Joe

Quando chegar o dia

Recebi um livro de animais

Talvez das outras por desmazelo
Eu me esquecesse de colar o selo
Ou o carteiro folgue no Natal

Pai Natal, Pai Natal, o que é que eu

Ou eu me tenha portado tão mal

te fiz de mal?

Ficou a meia a baloiçar vazia
Ponho a roupa p'ra lavar
Pai Natal, Pai Natal, o que é que eu

Faço a cama ao acordar

te fiz de mal?

Já nem choro na vacina
Será o trenó que está sem gasolina?

Na escola porto-me bem
Nunca minto a minha mãe

Pai Natal, Pai Natal, o que é que eu

E até já fiz a profissão de fé

te fiz de mal?

Será que erraste a minha chaminé?
Na escola porto-me bem
Pai Natal perdoa a insistência

Nunca minto a minha mãe

Mas tu baralhas a correspondência

E até já fiz a profissão de fé

Não sei se é da caligrafia

Será que erraste a minha chaminé?

Ou talvez seja de teres miopia