P. 1
Poster

Poster

|Views: 181|Likes:
Published by Porcovsky

More info:

Published by: Porcovsky on Dec 29, 2009
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/25/2014

pdf

text

original

COMO PREPARAR UM

POSTER
PARA UM EVENTO CIENTÍFICO
CIÊNCIAS NATURAIS

LER AS

INSTRUÇÕES
Conteúdo Tamanho Local Fixação Horário Retirada…

FUNÇÃO DO POSTER

SINTETIZAR INFORMAÇÕES E DADOS RELEVANTES DA PESQUISA

PREPARAÇÃO DO CONTEÚDO DIAGRAMAÇÃO CRITÉRIOS DE COMPOSIÇÃO COMO FAZER

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJECTIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS

Deve ser sintético e refletir a essência do trabalho

CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS

Citados por ordem alfabética e acompanhados da designação da sua instituição

CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

Apresenta uma visão geral do trabalho Pode ser redigido por último

ESTRUTURA DO PÔSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJECTIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

Apresenta autores e/ou descreve teorias que dão subsídios ao trabalho

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJECTIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

Expõem claramente a finalidade do trabalho Podem ser gerais e específicos

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

Apresenta os procedimentos de recolha e análise dos dados

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

Apresenta e analisa os dados obtidos

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS/BIBLIOGRAFIA

Confirma/refuta os objetivos do trabalho

ESTRUTURA DO POSTER

TÍTULO AUTORES INTRODUÇÃO REFERENCIAL OBJETIVOS METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS / CONCLUSÃO REFERÊNCIAS / BIBLIOGRAFIA

Cita autores mencionados no texto e /ou fontes de informação

ELEMENTOS BÁSICOS DE UM POSTER

TEXTOS DADOS
(TABELAS, GRÁFICOS, DIAGRAMAS, ESTATÍSTICAS...)

IMAGENS
(DESENHOS, FOTOGRAFIAS, ILUSTRAÇÕES...)

QUAL A QUANTIDADE

DE TEXTO?

NEM MUITO
NEM POUCO...

SOMENTE O NECESSÁRIO

efetivaram-se nos domicílios sorteados, por meio de um questionário semiIntrodução: Embora as duas doenças mais estruturado e foi realizada no período de dezembro de 2002 a maio de 2003. Os prevalentes em Odontologia, cárie e doenças dados foram digitados em um programa especialmente elaborado para este estudo periodontais, sejam preveníveis ou passíveis de (USCA - Utilização dos Serviços de Saúde de Canoas) sendo utilizada a técnica de controle por meio de medidas relativamente dupla digitação, com o razão homicídio objetivo de alcançar uma melhor confiabilidade e para que % simples, constata-se que em nível populacional não fossem aceitos valores que não os definidos, em22,8 todos os campos foram motivo fútil a os objetivos de tin melhor saúde bucal não uma preenchidas regras de validação. O controle de qualidade dos dados foi realizado ignorada 15,7 vingança 12,2 em 11, 6% dos domicílios, que foram sorteados da amostra total estudada são alcançados. Explica-se esse fato, pela en envolvimentoqualidade. Essa etapa foi executada de duas com drogas 7,0 rg incidência dessas patologias especialmente para o controle de prevalência e A 7,0 formas: por telefone ou companheirode entrevistas. A confiabilidade observada foi de por meio matou por ciúmes estarem associadas a fatores como condições participação em assalto 93% (Kappa = 0,93). RESULTADOS: Da amostra de 261 adolescentes vítima de roubo sociais, econômicas, políticas e educacionais e entrevistados, 47,9% (125) pertencem ao sexo masculino e 52,1% (136) ao sexo co interagem por causa da namorada não apenas a fatores biológicos que ti feminino. Os adolescentes pertenciam a famílias cuja renda média é de R$ queima de arquivo n Ur na etiologia dessas doença (MACIEL, â brigas entre amigos 1.634,00. Quanto à escolaridade 62,8% (164) possuem 35,3 8 anos de escola formal ug placa bacteriana, que traduz-se tl rixa 9 ou 1994).controle da sendo que 37,2% possuem gangs mais anos de escolaridade. A média da A ua bala perdida i escolaridade é de 8,22 anos. Quanto aos hábitos de higiene bucal 100% da como “o controle do acúmulo de abuso poder da polícia amostra relatou limpar os dentes com o auxílio da escova e creme dental, sendo microrganismos sobre os dentes, e a higiene oral homic. precedido de violência sexual que apenas 34,1% (89) revelou usar fio dental. Quanto ao número de vezes que os é um dos mais difundidos métodos preventivos adolescentes limpam os dentes, 21,1% dos jovens revelaram escovar os dentes 4 da cárie dentária e da doença periodontal ”, que ou mais vezes ao dia, sendo que cerca da metade, 53,6% (140), alegou limpar 3 pode ser efetuado por métodos mecânicos ou vezes ao dia. 22,2% (58) limpam 2 vezes, e apenas 3,1% (8), limpam 1 vez ao dia. químicos (MALTZ, 1986, p. 117). Sendo a placa Um total de 69,7% (182) dos adolescentes limpa os dentes antes do café, e 39,1% estão mais vinculados ao estilo de vida e ao gênero, situando-se o sendo que a maioria dos jovens daescala menor, sendo que esse bacteriana o fator etiológico determinante de limpam depois do café, nível socioeconômico numa amostra influencia mais nos hábitos de visita ao dentista (FISCHER, 1999) Quanto à busca por serviços odontológicos, a pesquisa sobre cárie e das doenças periodontais, a limpeza Condições de Saúde Bucal da População Brasileira revelou que 96,73% da amostra estudada foi ao dentista pelo menos uma vez na adequada e sistemática dos dentes é tida como a medida mais direta e abrangente de controle e vida, sendo que 3,27% nunca visitaram o dentista. Dos entrevistados, 51,20% consultaram o serviço público (maior percentual entre talento + dedicação = resultado jovens e menor entre idosos), 33,36% consultaram o setor privado e 10,89% consultaram o setor privado suplementar - planos de talento + dedicação = resultado tratamento das doenças dentárias (BUISCHI; AXELSSON, 1997)A escovação dentária é o meiosaúde (RIO GRANDE DO SUL ..., 2003).O presente estudo visa colaborar com futuras ações de saúde para o município de Canoas, na mecânico individual mais amplamente utilizado tentativa de qualificar a saúde coletiva da comunidade canoense. O presente projeto está vinculado ao projeto que intitula-se para o controle de placa no mundo. O hábito de Prevalência de Surdez e Outros Transtornos da Audição: Um Estudo de Base Populacional da População de Canoas, RS, Brasil. Essa escovar os dentes passou a receber destaque pesquisa integra vários estudos satélites que visam levantar dados sobre outros aspectos da saúde da comunidade em estudo (BÉRIA especial nos últimos vinte anos por ser um dos et al., 2002). Entre as pesquisas satélites encontra-se a de saúde bucal, que visa descrever os hábitos de higiene bucal e o uso dos serviços odontológicos, com a finalidade de investigar a importância dos cuidados de higiene bucal na promoção e proteção da saúde método mais eficientes de levar flúor à boca com o uso do creme dental fluoretado, tornando-se da população de Canoas, assim como avaliar a utilização dos serviços odontológicos (ABEGG, 2002).Objetivo Investigar os hábitos de higiene bucal e a utilização dos serviços odontológicos de adolescentes do município de Canoas - RS.MetodologiaEstudo descritivo do uma das formas mais eficazes de prevenir a cárie tipo transversal de base populacional. O estudo utilizou dados secundários coletadas na pesquisa de base populacional realizada em dentária (AXELSSON, 1999). No espaço 45 2002 com apoio financeiro da Christoffel Blindermission - (CBM, Bensheim, Alemanha) e com o apoio técnico e logístico da interdental, a placa pode ser controlada amostra da pesquisa de Saúde -qual constitui-se Suíça), Universidade Luterana do Brasil - estudo foi Organização Mundial rincipal a (OMS, Genebra, de 1415 indivíduos. A amostra deste (ULBRA Canoas, RS) Fundação de Apoio à 40 utilizando-se o fio dental, palito, escova unitufo e Pesquisa do 261 adolescentes, - (FAPERGS) e 14 e 19 anos, residentes nos domicílios e que teve escova interdental (EGELBERG, 1999).Uma boa composta por Rio Grande do Sul com idade entreConselho Nacional de Pesquisa - (CNPQ)dos setores como objetivo principal coletar 35 dados sobre prevalência pesquisa outros com dez duplas de entrevistadores, que visitaram protocolos das pesquisas realizadas higiene bucal é parte integrante das práticas de censitários sorteados. Ade surdez econtou transtornos da audição. O estudo seguiu as normas e1040 30 domicílios, distribuídos em Saúde - setores censitários. As entrevistas costuma limpar os dentes. saúde geral e é significativa como elo no seu pela Organização Mundial dequarenta OMS e valeu-se da 25 estabelecimento (WOODALL, 1977). Mulheres e Karsltad, Sweden: Quintessence Publishing, 1999. 159 p.BÉRIA, Jorge Umberto et al. Prevalência de surdez e outros transtornos da audição: um estudo de base populacional em Canoas, RS, Brasil. pessoas com estilo de vida20 mais saudável Canoas: ULBRA, 2002 . Projeto de Pesquisa, Faculdade de Medicina, Fonoaudiologia e Pós-graduação escovam seus dentes mais freqüentemente, 15 sendo que métodos adicionais de higiene bucal em Saúde Coletiva. Universidade Luterana do Brasil, 2002.BUISCHI, Yvonne de Paiva; AXELSSON, Número Percentual estão também relacionados a um padrão de vidaPer. Controle.) Atualização em Periodontia e Implantodologia. São Paulo: Artes Médicas, 1999. 375 p. 10 MACIEL, S. M. Saúde bucal infantil: a participação da mãe. São Paulo: USP, 1994. Tese ( Doutorado em mais saudável. Dessa forma, em nível 5 68 100 Saúde Pública), Faculdade de Saúde Pública, Universidade Total de adolescentes de São Paulo, 1994.MALTZ, Mariza. populacional, hábitos de higiene bucal Prevalência de cárie e doença periodontal. In: Toledo, Orlando Ayrton. Odontopediatria: fundamentos Visitas realizadas 57 83,8 0 Bandeira Bauhaus Mutantes Caetano Rimbaud para a prática clínica. São Paulo: Editora Panamericana, 1986. 243 p. RIO GRANDE DO SUL. mecânico da placa Recusas 08 11,8 Secretaria da Saúde. Divisão de Atenção à Saúde. Secção de Saúde Bucal. Projeto SB_RS Condições dental realizado Endereços não localizados 03 4,4 de saúde bucal da população do Rio Grande do Sul. Projeto SB Brasil 2003 - Condições de Saúde pelo paciente. In: Bucal da População Brasileira. Ampliação da Amostra para o Total de perdas - Relatório Final. Rio Grande do Sul 11 16,2 KRIEGER, Léo ( Porto Alegre: SES, 2003.WOODALL, Irene R. Prevenção da Doença Periodontal. In: GENCO, Robert coord.). ABOPREV J.,COHEN,Walter D., GOLDMAN, Henry M. Periodontia contemporânea. 2.ed. São Paulo. Santos - Promoção de Editora, 1997. 726 p. Saúde Bucal. São Paulo: Artes Médicas, 1997. Estela (coord

Evitar o excesso de informações

500 a 1.000 PALAVRAS
(uma ou duas páginas A4, fonte 10, espaço 1 ½)

O POSTER

não é um PAPER

Texto para paper:

Nos últimos dias a avó já não se sentia muito bem. Teve que ser hospitalizada na quinta-feira, pois sentia falta de ar, quase não conseguindo respirar. Ficamos todos preocupados e temendo o pior. Na sexta-feira o médico avisou que a situação era muito preocupante, o que se confirmou no sábado de manhã. Depois de uma crise, a avó faleceu, um pouco antes do meio-dia. Depois dos procedimentos legais, foi contratada uma agência funerária que tomou todas as providências necessárias para o funeral. O corpo foi transladado directamente para a capela em que se fez o velório do avô. Estamos a informar todos os familiares que o funeral se realizará às 17h 30min., no Cemitério da Santa Casa.

Texto para poster:

Nos últimos dias a avó já não se se sentia muito bem. Teve que ser hospitalizada na quinta-feira, pois sentia falta de ar, quase não conseguindo respirar. Ficamos todos preocupados e temendo o pior. Na sexta-feira o médico avisou que a situação era muito preocupante, o que se confirmou no sábado de manhã. Depois de uma crise, a avó faleceu um pouco antes do meio dia. Depois dos procedimentos legais, foi contratada uma agência funerária que tomou todas as providências necessárias para o funeral. O corpo foi trasladado directamente para a capela onde se fez o velório do avô. Estamos a informar todos os familiares que o funeral, se realizará às 17h 30min., no Cemitério da Santa Casa.

TABELAS E GRÁFICOS?

APENAS OS NECESSÁRIOS

PREPARAÇÃO DO CONTEÚDO DIAGRAMAÇÃO CRITÉRIOS DE COMPOSIÇÃO COMO FAZER

DIAGRAMAÇÃO:

é a distribuição de elementos gráficos e de texto na superfície do poster

QUAL O TAMANHO DO

POSTER?
TAMANHOS MAIS COMUNS: 90 X 90 90 X 100 90 X 120 90 X 140 70 X 90 60 X 80 etc.
Tamanho para o Congresso

OBSERVE A

HIERARQUIA

TÍTULO
AUTORES
INSTITUIÇÃO

SUBTÍTULOS
TEXTO

CONCLUSÕES
REFERÊNCIAS/ BIBLIOGRAFIA

ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

TÍTULO DO TRABALHO
AUTOR(ES)
INSTITUIÇÃO

INDICAR UM ENDEREÇO PARA

CONT@TO

USAR O SÍMBOLO DE SUA

INSTITUIÇÃO ou da ORGANIZAÇÃO

HIERARQUIZAR O TEXTO POR MEIO DE

SUBTÍTULOS

Isso torna a leitura mais fácil. Veja os exemplos a seguir:

Diagramar um texto Introdução: A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pósgraduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Desenvolvimento: Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador. Conclusão: Os sectores de produção das indústrias de calçado constituem um segmento industrial de relevante significado económico e social para a região Norte de Portugal. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros factores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar, da postura e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

Diagramar um texto Introdução A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Desenvolvimento Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a atividade no sector de costura: o trabalhador. Conclusão Os sectores de produção das indústrias de calçado constituem um segmento industrial de relevante significado económico e social para a região Norte de Portugal. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros factores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar, da posturale da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

DIAGRAMAR UM TEXTO
INTRODUÇÃO
A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos setores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga.

DESENVOLVIMENTO
Os indicadores detectados na pesquisa se destinam a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

CONCLUSÃO
Os setores de produção das indústrias de calçados constituem um segmento industrial de relevante significado económico e social para a gegião Norte de Portugal. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros factores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar, da postura e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

DIAGRAMAR UM TEXTO
INTRODUÇÃO
A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga.

DESENVOLVIMENTO
Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

CONCLUSÃO
Os sectores de produção das indústrias de calçado constituem um segmento industrial de relevante significado económico e social para a região Norte de Portugal. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros factores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar, da postura e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

DIAGRAMAR UM TEXTO
INTRODUÇÃO
A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga.

DESENVOLVIMENTO
Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

CONCLUSÃO
Os sectores de produção das indústrias de calçado constituem um segmento industrial de relevante significado económico e social para a região Norte de Portugal. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros factores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar, da postura e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

COMO CITAR AS

REFERÊNCIAS?
COM O DEVIDO DESTAQUE E DE ACORDO COM AS REGRAS...

DESTACAR AS

CONCLUSÕES
Muitas vezes, elas são a primeira coisa a ser lida

UTILIZE

DESTAQUES

“aspas” negrito itálico sublinhado MAIÚSCULAS Recuos

Use no máximo um ou dois destaques por vez

Tamanho

CUIDADO COM OS

ESPAÇAMENTOS

A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pósgraduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga.

A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pósgraduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objetivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga.

Um espaçamento adequado facilita a leitura

NÃO ESQUECER A

REVIZÃO GRAMATICAL

NÃO ESQUECER A

REVISÃO GRAMATICAL

CUIDADO COM AS

FONTES
Não existe só Times New Roman

ABC

fonte com serifa, adequada para textos impressos

fonte sem serifa, adequada para cartazes ou poster

ABC

A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga.

A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga.

Nunca use fontes artísticas para o texto, apenas para título e subtítulos

CUIDADO COM A

LEGIBILIDADE

A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pós-graduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho busca avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador. Os sectores de produção das indústrias de calçado constituem um segmento industrial de relevante significado na região Norte de Portugal. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros factores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar, da postura e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

Texto de leitura difícil

DIAGRAME O TEXTO EM COLUNAS
A proposta deste estudo, que é uma exigência do Programa de Pósgraduação em Saúde Pública na área de atenção à saúde do trabalhador, tem como objectivos verificar a aceitação da postura de trabalho de pé na percepção dos trabalhadores nos sectores de costura de uma indústria de calçado de grande dimensão, descrever as possíveis alterações biomecânicas para a coluna vertebral com enfoque nas lombalgias e discutir os aspectos críticos sob o ponto de vista de fadiga. Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria do calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador. Os sectores de produção das indústrias de calçado constituem um segmento industrial de relevante significado económico e social para a região Norte de Portugal. Por conseguinte, a sua competitividade depende, entre outros factores, da segurança nos postos de serviço, do bem-estar, da postura e da adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, o que também está ligado à Ergonomia e à qualidade de vida do trabalhador.

Texto de leitura facilitada

QUANTO

ESPAÇO USAR?

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria do calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

Deixar espaço em branco para o olho “respirar”

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria do calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores.

O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

QUAL O

TAMANHO DAS

FONTES?
No mínimo 25 pontos

JUSTIFICADO OU ALINHADO?

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no setor de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

MAIÚSCULAS ou minúsculas?

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria de calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

OS INDICADORES DETECTADOS NA PESQUISA DESTINAM-SE A INCENTIVAR NOVOS ESTUDOS, A FIM DE DESCOBRIR FACTOS RELATIVOS A UM CAMPO BASTANTE DÚBIO E REFORÇAR OS CONCEITOS NA ANÁLISE DA MELHOR POSTURA DE TRABALHO NO SECTOR DE COSTURA DA INDÚSTRIA DO CALÇADO, VISANDO MAIOR CONFORTO E BEM-ESTAR DOS TRABALHADORES. O TRABALHO PROCURA AVANÇAR COM O CONHECIMENTO CIENTÍFICO E O CONHECIMENTO PROVENIENTE DO SENSO COMUM, PROCURANDO TRAZER, PARA UM DEBATE MAIS CONSISTENTE, A MANIFESTAÇÃO DIRECTA DAQUELE QUE EXECUTA A ACTIVIDADE NO SECTOR DE COSTURA: O TRABALHADOR.

Evitar textos totalmente em maiúsculas devem ser usadas só nos títulos

CUIDADO COM O

CONSTRASTE

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria do calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador. ‘ Evitar situações como esta

USAR

FIGURAS DE FUNDO?
Sim,mas com cuidado para não prejudicar a leitura do que estiver na frente

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria do calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores. O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir factos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria do calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores.

O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

Os indicadores detectados na pesquisa destinam-se a incentivar novos estudos, a fim de descobrir fatos relativos a um campo bastante dúbio e reforçar os conceitos na análise da melhor postura de trabalho no sector de costura da indústria do calçado, visando maior conforto e bem-estar dos trabalhadores.

O trabalho procura avançar com o conhecimento científico e o conhecimento proveniente do senso comum, procurando trazer, para um debate mais consistente, a manifestação directa daquele que executa a actividade no sector de costura: o trabalhador.

FUJA DOS

CLIPARTS!!!
Não acrescentam nada ao trabalho...

CUIDADO COM A

RESOLUÇÃO
Para imagens, use no mínimo 120 dpi

CUIDADO COM AS CUIDADO COM AS

Não use todas, ao mesmo tempo, no mesmo lugar…

Excesso de cores prejudica a visualização

O QUE SE VÊ NA ÉCRAN

NÃO É O QUE SE VÊ IMPRESSO...

FAÇA SEMPRE UMA

CÓPIA IMPRESSA

Quais os erros mais comuns na elaboração de um poster?

•Dificuldade de ler o poster a uma distância de 1,20m ou mais; •Excesso de informações; •Objectivos e conclusões não destacadas.

1. 2. 3.

Cabeçalho: Cabeçalho deve empregar no mínimo fonte 150 pontos (33 mm), indicando o título do trabalho, autor(es) e instituição. Texto: Letras do texto devem empregar fonte com 36 pontos (10mm). Destaque as secções: Numerar ou destacar cada secção para guiar o leitor do poster. O uso de cores é um método efectivo de separar as seçcões e garantir um impacto visual. Verificar no entanto se a combinação de cores não prejudica a leitura. Desenvolvimento: O poster deverá incluir 3 a 5 breves frases destacando as informações necessárias para compreender a pesquisa e porque foi feita. As questões da pesquisa ou as hipóteses de trabalho a serem testadas devem ser clara e sucintamente apresentadas. Metodologia: Destacar brevemente a metodologia, apresentando apenas detalhes de novos métodos ou modificações de métodos já utilizados. Gráficos: Resultados apresentados sob a forma de gráficos são muito mais efectivos do que blocos de texto. Usar legenda para símbolos, e incluir a interpretação dos resultados abaixo de cada gráfico. Conclusões: Apresentar as conclusões sucintamente, em fonte maior. (Muitos leitores lê-las em primeiro lugar. Assim, as conclusões devem ser facilmente compreendidas).

4.

5. 6.

7,

PREPARAÇÃO DO CONTEÚDO DIAGRAMAÇÃO CRITÉRIOS DE COMPOSIÇÃO COMO FAZER

USE

PRINCÍPIOS DE COMPOSIÇÃO

Hierarquia Alinhamento Simetria Sobreposição Ordem Oposição Contraste Simplicidade Equilíbrio Etc…

HIERARQUIA

COMO FAZER UM PÔSTER
Autores

SUB-TÍTULOS
Corpo do texto
Referências

SOBREPOSIÇÃO

MONALISA
Lorem ipsum dolor sit a met, consectetuer ad consectetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea commodo consequat. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer. Adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip eamet, consectetuer ad. Ex toto corde.

EQUILÍBRIO / DESEQUILÍBRIO / ROTAÇÃO

Lore m ipsum dolor sit a met, consecte tuer a d consecte tue r adipiscing elit, sed nit nisl ut a liquip ex ea commodo consequa t. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer. Adipiscing elit, sed nit nisl ut a liquip e amet, consectetue r ad. Ex toto corde.

e t, am r r sit te tue lo d o nse c isl ut o n um ip s a d c d nit o do m r ore te tue e lit, se c om m o lor L c d ea se e r. ing um c on d ip isc uip e x m ip s c te tu ut e q se nisl a a li t. Lo r c on it r e t, d n e tue ua se q sit a m e lit, se nse c t rd e . c on c o to c o g c in e t, ip is e a m . Ex to Ad ip ad u a liq

5

5

SIMETRIA / ASSIMETRIA

SEQUÊNCIA

1 2 3 4

Lorem ipsum dolor sit amet, c onsec tetuer ad consec tetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut Aliquip ex ea c omm odo c onsequat. Lorem ipsum dolor sit amet, consec tetuer. Adipisc ing elit, sed nit nisl ut aliquip eamet, c onsec tetuer ad. Ex toto c orde.

ORDENAMENTO
COMO FAZER UM
L orem ipsum dolor sit amet, consectetuer ad c onsectetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea commodo consequat. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer . Adipisc ing elit, sed nit nisl ut aliquip eamet, c onsectetuer ad. E toto corde. x

PÔSTER

Adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip eamet, consectetuer ad. Ex toto corde.

SURPRESA

SIMPLICIDADE / COMPLEXIDADE

Complexidade

Lorem ipsum dolor sit amet, c onsec tetuer ad c onsec tetuer adipisc ing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea c ommodo c onsequat. Lorem ipsum dolor sit amet, c onsec tetuer. Adipisc ing elit, sed nit nisl ut aliquip eamet, c onsec tetuer ad. Ex toto c orde.

Lorem ipsum dolor
sit amet, consec tetuer. Adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip eamet, consectetuer ad.

Ex toto corde.

HARMONIA / DESARMONIA
C OMO F R UM PÔS R AZE TE C OMO F R UM PÔS R AZE TE

Lorem ipsum dolor sit am et, c onsec tetuer ad consec tetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea c om m odo c onsequat. Lorem ipsum dolor sit am et, c onsectetuer. Adipisc ing elit, sed nit nisl ut aliquip eam et, c onsectetuer ad. Ex toto c orde.

Lorem ipsum dolor sit amet, c onsec tetuer ad consec tetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea c om modo c onsequat. Lorem ipsum dolor sit am et, c onsectetuer. Adipisc ing elit, sed nit nisl ut aliquip eam et, c onsectetuer ad. Ex toto c orde.

Lorem ipsum dolor sit amet, c onsec tetuer ad consec tetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea c om m odo c onsequat. Lorem ipsum dolor sit am et, c onsectetuer. Lorem ipsum dolor sit am et, c onsectetuer.

Adipisc ing elit, sed nit nisl ut aliquip eamet, c onsec tetuer ad. Ex toto c orde.

Ad a li ip is a d q uip c ing .E e e x t a m lit, ot et, se d o c o c o nit rd e. nse c nisl u te t t ue r

Lorem ipsum dolor sit amet, c onsec tetuer ad consec tetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea c om m odo c onsequat. Lorem ipsum dolor sit am et, c onsectetuer. Lorem ipsum dolor sit am et, c onsectetuer.

FOCO

AGRUPAMENTO

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer ad consectetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea c ommodo consequat. Lorem ipsum dolor sit amet, consec tetuer.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer ad consectetuer adipiscing elit, sed nit nisl ut aliquip ex ea c ommodo consequat. Lorem ipsum dolor sit amet, consec tetuer.

AGRUPAMENTO

fluxo left-to-right em colunas verticais

dois campos no contraste

fluxo left-to-right em fileiras horizontais

uma imagem centrada com explanações

PESQUISE...

PREPARAÇÃO DO CONTEÚDO DIAGRAMAÇÃO CRITÉRIOS DE COMPOSIÇÃO COMO FAZER

QUE

PROGRAMA USAR?

PowerPoint CorelDraw
São os programas mais usados

FLORESTAS

POR UM FUTURO DIFERENTE

VAMOS PRESERVAR O PRESENTE
Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de S. Silvestre – Turma do 7º C

PARA SEMPRE

NUNCA MAIS

Snook Growth in Habitats with Differing Abiotic Alesia Read, Variability North Carolina State University, anread@unity.ncsu.edu
PROPOSED OBJECTIVE

To create a useful tool for assessing potential stocking habitats based on degree of variability in water quality.
W eight (g) W eight (g)

RESULTS
North Creek Lower (High Variability)
65 60 65 55 60 50 55 45 50 40 45 35 40 30 35 030 0 10 20 30 30 40 40

30 20 10

15 5 -5

degradation

5T e /2 1

• Numerous stock enhancement endeavors are currently underway
without sufficient preliminary research

0

5 / 2 15 / 2 2 5 / 2 25 / 2 3 5 / 2 35 / 2 4 5 / 2 45 / 2 5 5 / 2 55 / 2 7 5 / 2 75 / 2 8 5 / 2 85 / 3 0 5 / 3 05 / 3 1 5 /3 1 6 /2 6 /2 6 /3 6 /3 6 /5 6 /5 6 /6 6 /6 6 /8 6 /8 6 /9 6 / 96 / 1 1 6 / 1 16 / 1 2 6 / 1 26 / 1 4 6 / 1 46 / 1 5 6 / 1 56 / 1 7 6 / 1 76 / 1 8

10 20 Time (days) Time (days)

Time (days) Time (days)

T e m p (C ) & S a l (p p t) m p (C ) & S a l (p p t)

• Abiotic variability is a prominent feature of these estuaries • Temperature, dissolved oxygen and salinity might play influential roles
in the survivorship of the juvenile snook
65

North Creek Middle (Medium Variability)
40 40 30 20 10 -5 5 / 2 15 / 2 2 5 / 2 25 / 2 4 5 / 2 45 / 2 5 5 / 2 55 / 2 7 5 / 2 75 / 2 8 5 / 2 85 / 3 0 5 / 3 05 / 3 1 5 /3 1 6 /2 6 /2 6 /3 6 /3 6 /5 6 /5 6 /6 6 /6 6 /8 6 /8 6 /9 6 / 96 / 1 1 6 / 1 16 / 1 2 6 / 1 26 / 1 4 6 / 1 46 / 1 5 6 / 1 56 / 1 7 6 / 1 76 / 1 8 -5 6 /1 8 0 15 25 25

W eight (g) W eight (g)

60 65 55 60 50 55 45 50 40 45 35 40 30 35 030 0 10 20 30 40 40

STUDY SITES

10 20 Time (days) 30 Time (days)

Positive Growth: Dissolved Oxygen (mg/L) 0-8 Salinity (ppt) 16-28 Temp (ºC) 30-38
30 20 10 0

5

5 / 2T e 1

Time (days) Time (days)

High Variability

Medium Variability

North Creek Upper (Low Variability)
65

60 65 55 60 50 55 45 50 40 45 35 40 30 35 030 0

10 20 Time (days) Time (days)

30

40

Time (days) Time (days)

DO (mg/L)

Sal (ppt)

Temp (ºC)

METHODS CONCLUSION

• •
3. Fish are placed in cages within variable 1. Juvenile snook are raised to 2. All snook are tagged with habitats at the research sites for 40 days fingerlings (100-200 mm) in theidentifying markers for aquaculture facility individual growth measurements 4. Fish are weighed and measured for growth

Snook exhibit increased growth in habitats with a medium degree of abiotic variability Stock enhancement projects will be more efficient by releasing juvenile snook primarily in nursery habitats with a medium degree of abiotic variability

6 /1 9

10

20

30

40

40 Slow Growth: 30 Dissolved Oxygen (mg/L)30 20 20 0-4 10 Salinity (ppt) 10 0 16-30 0 Temp (ºC) 26-33

T e m p (C ) & S a l (p p t) m p (C ) & S a l (p p t)

Low Variability

40

25 25 15 5 -5 -5 D O ( m g /L ) D O ( m g /L ) 15 5

W eig ht (g ) W eig ht (g )

5 / 2T1 e 5 / 2 15 / 2 2 5 / 2 25 / 2 4 5 / 2 45 / 2 5 5 / 2 55 / 2 7 5 / 2 75 / 2 8 5 / 2 85 / 3 0 5 / 3 05 / 3 1 5 / 3 1 6 /2 6 /2 6 /3 6 /3 6 /5 6 /5 6 /7 6 /7 6 /9 6 / 96 / 1 0 6 / 1 06 / 1 2 6 / 1 26 / 1 3 6 / 1 36 / 1 5 6 / 1 56 / 1 6 6 / 1 66 / 1 8 6 / 1 86 / 1 9

D O ( m g /L ) D O ( m g /L )
15 5

6 /1 8

D O (m g /L ) D O (m g /L ) 15 5 -5

• Snook are a popular game fish found in the estuarine creeks of Florida • Snook population has been on the decline due to overfishing and habitat

40 Negative Growth: 30 Dissolved Oxygen (mg/L) 20 0-22 10 Salinity (ppt) 0 2-21 Temp (ºC) 25-34

T e m p (C ) & S a l (p p t) m p (C ) & S a l (p p t)

25 25

40

NC STATE UNIVERSITY

Southern Flounder Exhibit Temperature-Dependent Sex Determination
J. Adam Luckenbach*, John Godwin and Russell Borski
Department of Zoology, Box 7617, North Carolina State University, Raleigh, NC 27695

Introduction
Southern flounder (Paralichthys lethostigma) support valuable fisheries and show great promise for aquaculture. Female flounder are known to grow faster and reach larger adult sizes than males. Therefore, information on sex determination that might increase the ratio of female flounder is important for aquaculture. % Females

Growth Does Not Differ by Sex Temperature Affects Sex Determination
= male
80
50

= female

Body Weight (g)
**

60

40

40

30

Objective
This study was conducted to determine whether southern flounder exhibit temperature-dependent sex determination (TSD), and if growth is affected by rearing temperature.

20
31 6 28 23 31 6

20

0 18
10 *** 64 0 53 49

23

28

Temperature (° C)

Methods • • •
Southern flounder broodstock were strip spawned to collect eggs and sperm for in vitro fertilization. Hatched larvae were weaned from a natural diet (rotifers/Artemia) to high protein pelleted feed and fed until satiation at least twice daily. Upon reaching a mean total length of 40 mm, the juvenile flounder were stocked at equal densities into one of three temperatures 18, 23, or 28°C for 245 days. Gonads were preserved and later sectioned at 26 microns. Sex-distinguishing markers were used to distinguish males (spermatogenesis) from females (oogenesis).
60

18

23

28

Results • • • • • •
Sex was discernible in most fish greater than 120 mm long. High (28ºC) temperature produced 4% females. Low (18ºC) temperature produced 22% females. Mid-range (23ºC) temperature produced 44% females. Fish raised at high or low temperatures showed reduced growth compared to those at the mid-range temperature. Up to 245 days, no differences in growth existed between sexes.

Temperature (° C) (**P < 0.01 and ***P < 0.001 represent significant deviations from a 1:1 male:female sex ratio)

Rearing Temperature Affects Growth
80

• •

Conclusions •
These findings indicate that sex determination in southern flounder is temperature-sensitive and temperature has a profound effect on growth. A mid-range rearing temperature (23°C) appears to maximize the number of females and promote better growth in young southern flounder. Although adult females are known to grow larger than males, no difference in growth between sexes occurred in age-0 (< 1 year) southern flounder.

Body Weight (g)


40

Histological Analysis


20

37 0

51

37

18
Male Differentiation Female Differentiation

23

28

Acknowledgements
The authors acknowledge the Salstonstall-Kennedy Program of the National Marine Fisheries Service and the University of North Carolina Sea Grant College Program for funding this research. Special thanks to Lea Ware and Beth Shimps for help with the work.

Temperature

(oC)

Poster title goes here, containing strictly only the essential number of words...
Author’s Name/s Goes Here, Author’s Name/s Goes Here, Author’s Name/s Goes Here
Address/es Goes Here, Address/es Goes Here, Address/es Goes Here
Introduction
First… Check with conference organisers on their specifications of size and orientation, before you start your poster eg. maximum poster size; landscape, portrait or square. The page size of this poster template is A0 (84x119cm), landscape (horizontal) format. Do not change this page size, MIU can scale-to-fit a smaller or larger size, when printing. If you need a different shape start with either a portrait (vertical) or a square poster template. Bear in mind you do not need to fill up the whole space allocated by some conference organisers (eg. 8ftx4ft in the USA). Do not make your poster bigger than necessary just to fill that given size.

Method
Tips for making a successful poster… Re-write your paper into poster format ie. Simplify everything, avoid data overkill. Headings of more than 6 words should be in upper and lower case, not all capitals. Never do whole sentences in capitals or underline to stress your point, use bold characters instead. When laying out your poster leave breathing space around you text. Don’t overcrowd your poster. Try using photographs or coloured graphs. Avoid long numerical tables. Spell check and get someone else to proof-read.
Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, between 18 and 24 points. Left aligned if it refers to a figure on its left. Caption starts right at the top edge of the picture (graph or photo).

Results
Importing / inserting files… Images such as photographs, graphs, diagrams, logos, etc, can be added to the poster. To insert scanned images into your poster, go through the menus as follows: Insert / Picture / From File… then find the file on your computer, select it, and press OK. The best type of image files to insert are JPEG or TIFF, JPEG is the preferred format. Be aware of the image size you are importing. The average colour photo (13 x 18cm at 180dpi) would be about 3Mb (1Mb for B/W greyscale). Call MIU if unsure. Do not use images from the web.

Printing and Laminating… Once you have completed your poster, bring it down to MIU for printing. We will produce a A3 size draft print for you to check and proof read. The final poster will then be printed and laminated. Note: Do not leave your poster until the last minute. Allow at least 5 working days before you need to use it. Simply highlight this text and replace.

Cost… For poster-printing and laminating charges contact to MIU

Notes about graphs… For simple graphs use MS Excel, or do the graph directly in PowerPoint. Graphs done in a scientific graphing programs (eg. Sigma Plot, Prism, SPSS, Statistica) should be saved as JPEG or TIFF if possible. For more information see MIU.

Conclusion
For more information on: Poster Design, Scanning and Digital Photography, and Image / file size.

Aim
How to use this poster template… Simply highlight this text and replace it by typing in your own text, or copy and paste your text from a MS Word document or a PowerPoint slide presentation. The body text / font size should be between 24 and 32 points. Arial, Helvetica or equivalent. Keep body text left-aligned, do not justify text. The colour of the text, title and poster background can be changed to the colour of your choice.
Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, between 18 and 24 points. Right aligned if it refers to a figure on its right. Caption starts right at the top edge of the picture (graph or photo). Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, between 18 and 24 points. Left aligned if it refers to a figure on its left. Caption starts right at the top edge of the picture (graph or photo).

Contact: Medical Illustration Unit Prince of Wales Hospital Ph: 9382 2800 Email: miunsw@unsw.edu.au Web: http://miu.med.unsw.edu.au

Acknowledgements
Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, 18 to 24 points, to the length of the column in case a figure takes more than 2/3 of column width. Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, 18 to 24 points, to the length of the column in case a figure takes more than 2/3 of column width.

Just highlight this text and replace with your own text. Replace this with your text.

Poster title goes here, containing strictly only the essential number of words...
Author’s Name/s Goes Here, Author’s Name/s Goes Here
Address/es Goes Here, Address/es Goes Here
Introduction
First… Check with conference organisers on their specifications of size and orientation, before you start your poster eg. maximum poster size; landscape, portrait or square. The page size of this poster template is A0 (84x119cm), portrait (vertical) format. Do not change this page size, MIU can scale-to-fit a smaller or larger size, when printing. If you need a different shape start with either a landscape (horizontal) or a square poster template. Bear in mind you do not need to fill up the whole space allocated by some conference organisers (eg. 8ftx4ft in the USA). Do not make your poster bigger than necessary just to fill that given size.
Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, between 18 and 24 points. Right aligned if it refers to a figure on its right. Caption starts right at the top edge of the picture (graph or photo). Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, between 18 and 24 points. Left aligned if it refers to a figure on its left. Caption starts right at the top edge of the picture (graph or photo).

Notes about graphs… For simple graphs use MS Excel, or do the graph directly in PowerPoint. Graphs done in a scientific graphing programs (eg. Sigma Plot, Prism, SPSS, Statistica) should be saved as JPEG or TIFF if possible. For more information see MIU.

Aim
How to use this poster template… Simply highlight this text and replace it by typing in your own text, or copy and paste your text from a MS Word document or a PowerPoint slide presentation. The body text / font size should be between 24 and 32 points. Arial, Helvetica or equivalent. Keep body text left-aligned, do not justify text. The colour of the text, title and poster background can be changed to the colour of your choice.

Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, 18 to 24 points, to the length of the column in case a figure takes more than 2/3 of column width.

Results
Importing / inserting files… Images such as photographs, graphs, diagrams, logos, etc, can be added to the poster. To insert scanned images into your poster, go through the menus as follows: Insert / Picture / From File… then find the file on your computer, select it, and press OK. The best type of image files to insert are JPEG or TIFF, JPEG is the preferred format. Be aware of the image size you are importing. The average colour photo (13 x 18cm at 180dpi) would be about 3Mb (1Mb for B/W greyscale). Call MIU if unsure. Do not useequivalent, italic, between 18web. Roman or images from the and 24
points. Right aligned if it refers to a figure on its right. Caption starts right at the top edge of the picture (graph or photo). Captions to be set in Times or Times New

Printing and Laminating… Once you have completed your poster, bring it down to MIU for printing. We will produce a A3 size draft print for you to check and proof read. The final poster will then be printed and laminated. Note: Do not leave your poster until the last minute. Allow at least 5 working days before you need to use it. Simply highlight this text and replace.

Method
Tips for making a successful poster… Re-write your paper into poster format ie. Simplify everything, avoid data overkill. Headings of more than 6 words should be in upper and lower case, not all capitals. Never do whole sentences in capitals or underline to stress your point, use bold characters instead. When laying out your poster leave breathing space around you text. Don’t overcrowd your poster. Try using photographs or coloured graphs. Avoid long numerical tables. Spell check and get someone else to proof-read.

Cost… For poster-printing and laminating charges contact to MIU

Conclusion
For more information on: Poster Design, Scanning and Digital Photography, and Image / file size.

Contact: Medical Illustration Unit Prince of Wales Hospital Ph: 9382 2800 Email: miunsw@unsw.edu.au Web: http://miu.med.unsw.edu.au

Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, between 18 and 24 points. Left aligned if it refers to a figure on its left. Caption starts right at the top edge of the picture (graph or photo).

Acknowledgements

Captions to be set in Times or Times New Roman or equivalent, italic, 18 to 24 points, to the length of the column in case a figure takes more than 2/3 of column width.

Just highlight this text and replace with your own text. Replace this with your text.

NÃO DEIXAR PARA A

ÚLTIMA HORA...

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->