You are on page 1of 20

Geometria Descritiva

A Geometria, em sentido lato, é uma ciência que deriva de um ramo da Matemática e que “estuda as propriedades e as relações entre pontos, rectas, superfícies e volumes no plano e no espaço”.

Índice
Pontos e rectas
Plano referêncial ................................................................................................................... Pág.2

Coordenadas de um ponto em G.D ......................................................................................Pág.3

Localização de pontos no espaço através das suas coordenadas ................................... Pág.4

Organização do espaço ....................................................................................................... Pág.5

Representação do ponto e da recta .....................................................................................Pág.8

Redução da tridimensionalidade à bidimensionalidade .................................................... Pág.9

Posição de pontos ................................................................................................................. Pág.10

Representação da recta ........................................................................................................ Pág.12

Pontos notáveis de uma recta ............................................................................................ Pág.14

Percurso da recta no espaço ............................................................................................... Pág.16

Posição relativa de 2 rectas no espaço ............................................................................. Pág.17

Pág.18 Alfabeto da recta ..................................................................................................................

Página 1

Plano referêncial
Plano Vertical ou Frontal 2º Quadrante

φ

1º Quadrante

Plano Horizontal

Ʋ

3º Quadrante

4º Quadrante

O Plano Vertical ou Frontal divide o Plano Horizontal em 2 semi-planos que têm o eixo x como limite.

O Plano Horizontal divide o Plano Frontal em 2 semi-planos que têm o eixo x como limite.

SPHP (Semi-Plano
Horizontal Posterior)

SPHA (Semi-Plano
Horizontal Anterior)

SPFS (Semi-Plano
Frontal Superior)

φ

φ

Ʋ

Ʋ

SPFI (Semi-Plano
Frontal Inferior)

Página 2

Coordenadas de um ponto em G.D
Um ponto no espaço tem 3 coordenadas: são as distâncias do ponto aos planos do referêncial (coordenadas ortogonais de um ponto).

π φ

Ʋ

Abcissa

de um ponto é A distância do ponto ao plano de perfil π e representa-se no eixo x.

A ( 1; 2; 3)

Afastamento

de um ponto é a distância do ponto ao plano frontal φ e representa-se no eixo y.

A ( 1; 2; 3)

Cota de um ponto é a
distância do ponto ao plano horizontal Ʋ e representa-se no eixo z.

A ( 1; 2; 3)

Página 3

Localização de pontos no espaço através das suas coordenadas
A posição de um ponto no espaço é fornecida pelas suas coordenadas, que são relativas aos planos do referêncial: podem ser positivas, negativas ou nulas. A abcissa O afastamento A cota (x) – (π.) (z) – (φ.) (y) – (Ʋ.)

2º Q
π φ

1º Q

Cota +

abcissa -

Ʋ

abcissa +

Cota -

3º Q
afastamento afastamento +

4º Q

Página 4

Organização do espaço
Ângulo – é uma região do plano compreendida entre duas semi-rectas (lados do ângulo)
com direcções diferentes e com a mesma extremidade (vértice do ângulo).

Vértice

Ângulo

Bissector do ângulo – é o lugar geométrico dos pontos do plano equidistantes dos
lados do ângulo. A bissectriz de um ângulo divide o ângulo em dois ângulos geometricamente iguais.

Bissectriz

Diedro – Região do espaço limitada por dois semi-planos (faces do diedro) com a mesma
recta de origem (aresta do diedro).

δ α

Face (semi-plano)

Aresta

Diedro (espaço entre os 2 semi-planos)

Face (semi-plano)

Página 5

Organização do espaço

Rectilíneo de um diedro – É o ângulo formado por duas semi-rectas, que são as intersecções dos dois semi-planos com um plano perpendicular à resta do diedro (estes são portanto, duas semi-rectas perpendiculares à aresta do diedro).

α r s

δ

O referêncial em geometria descritiva é formado por dois planos ortogonais entre si, ou seja,dois planos que formam entre si, quatro diedros iguais rectilíneos de 90º, os quadrantes.

Plano bissector de um diedro – é o lugar geométrico dos pontos do espaço
equidistantes das faces do diedro. O plano bissector de um diedro divide o diedro em dois diedros geometricamente iguais.

δ
Plano bissector P

β α

O ponto P está equidistante das faces do diedro α e δ.

Página 6

Organização do espaço
Planos bissectores β 1/3 e β 2/4
O plano frontal e o plano horizontal ortogonais entre si, dividem o espaço em 4 quadrantes: quatro diedros de 90º, cuja aresta é o eixo x. (os planos bissectores dividem, por sua vez, os diedros em octantes)

β 1/3 (1º bissector ou bissector de quadrantes impares)
1º Q φ
Plano bissector do 1º Quadrante que bissecta simultaneamente o 3º Quadrante.

2º Q

Ʋ

4º Q

3º Q

β 2/4 (2º bissector ou bissector de quadrantes pares)

2º Q φ
Plano bissector do 2º Quadrante que bissecta simultaneamente o 4º Quadrante.

1º Q

Ʋ 3º Q 4º Q Página 7

Representação do ponto e da recta
Projecções de um ponto

Projecção do ponto A aos planos de projecção (φ e Ʋ)

s A2

φ

A

r

A1

Ʋ

A projecção frontal chama-se A2. É o ponto de intersecção da recta r projectante (perpendicular ao plano) que passa por A, com o plano φ. A projecção horizontal chama-se A1. É o ponto de intersecção da recta s projectante (perpendicular ao plano) que passa por A, com o plano Ʋ.

A1 – Projecção horizontal do ponto A. A2 – Projecção frontal do ponto A.
S – recta projectante horizontal: projecta o ponto no plano horizontal de projecção. r – recta projectante frontal: projecta o ponto no plano frontal de projecção.

Página 8

Redução da tridimensionalidade à bidimensionalidade
Rebatimento do plano frontal de proj. sobre o plano horiz. de proj.
Gaspard Monge – sistema da dupla projecção ortogonal

SPHP SPFS

φ
SPHA x

SPHP

Ʋ
SPHA SPFI

Rebater o plano frontal de projecção sobre o plano horizontal de projecção, em torno do eixo x. O SPHP sobrepõe-se ao SPFS e o SPHA sobrepõe-se ao SPFI.

φ
A2 x A2 A1 A0

A2

A0

Ʋ

A1

Página 9

Posição de pontos
Pontos situados no plano horizontal de projecção

φ
P2

P2

P1 Ʋ

P

x

P1

P

A projecção horizontal de P, P1 está coincidente com o próprio ponto P no SPHA. A projecção frontal de P, P2 situa-se no eixo x.

Pontos situados no plano frontal de projecção φ
R2 R

R2 R1

R
R1

x

R2

R

Ʋ

A projecção frontal de R, R2 está coincidente com o próprio ponto R no SPHP. A projecção horizontal de R, R1 situa-se no eixo x.

Página 10

Posição de pontos
Pontos situados na mesma recta projectante

φ A2 B2

r
A2

A B Ʋ B1 A1
x

B2

As projecções horizontais dos dois planos estão coincidentes no mesmo ponto – o ponto de intersecção da recta com o plano horizontal de projecção.

B1

A1

Pontos simétricos em relação aos planos de projecção
A ( 4; 2) B ( 4; - 2)

φ

r
A2

O ponto B é simétrico a A em relação a φ, tem o mesmo afastamento e cota simétrica.

A2

A Ʋ B1 A1 B

x B2 B1 A1

B2

Página 11

Representação da recta
Recta – Conjunto infinito de pontos alinhados segundo uma mesma direcção.
No sistema da dupla projecção ortogonal, tal como um ponto, uma recta tem 2 projecções. É definida por 2 pontos ou um ponto e uma direcção.

Projecções de uma recta
Projecção frontal – é a recta formada pelas projecções frontais de todos os seus pontos. Projecção horizontal – é a recta formada pelas projecções horizontais de todos os seus pontos.

Recta definida por 2 pontos
r2 r2 B2 B A2 A2 A r1 A1 B1 A1 B1 r1 x r B2

φ

Ʋ

r2 e r1 são as projecções frontal e horizontal da recta r, onde se situam A1, A2,B1 e B2, que são as projecções horizontais e frontais de A e B.

Recta definida por 1 ponto e uma direcção
r2
A2 x
30º 45º

A projecção frontal da recta faz, com o eixo x, um ângulo de 30º (ae) e a projecção horizontal da recta faz com o eixo x um ângulo de 45º (ad)

A1 r1

Página 12

Representação da recta
Condição para que um ponto pertença a uma recta
É necessário que as suas projecções estejam contidas nas projecções de mesmo nome da recta. r2 C1 B2 A2 x A1 B1 C2 r1 O ponto C não pertence à recta. Os pontos A e B pertencem à recta porque A2 e B2 estão sobre r2 e A1 e B1 sobre r1.

Página 13

Pontos notáveis de uma recta
São os pontos de intersecção da recta com os planos de projecção e com os planos bissectores.

Pontos de intersecção da recta com os planos de projecção Traços de uma recta nos planos de projecção
r2

F2

H2 x F1 H1 r1

Traço frontal de uma recta É o ponto de intersecção da recta com o plano frontal de projecção. É o ponto da recta que tem 0 de afastamento. É o ponto cuja projecção horizontal se situa no eixo x e representa-se pela letra F. Traço horizontal de uma recta

φ F2
r2
r

H2

F1
r1

Ʋ H1 H

É o ponto de intersecção da recta com o plano horizontal de projecção. É o ponto da recta que tem 0 de cota. É o ponto cuja projecção frontal se situa no eixo x e representa-se pela letra H.
F e H são os pontos de intersecção da recta com os planos de projecção que separam as partes da recta que se situam em quadrantes diferentes.

Página 14

Pontos notáveis de uma recta
Pontos de intersecção da recta com os planos bissectores Traços de uma recta nos planos bissectores

β 2/4
É o ponto da recta que tem projecções coincidentes e representa-se pela letra I. É o ponto da recta que pertence ao β 2/4. É o ponto de intersecção da recta com o bissector dos quadrantes pares.

r2 r1 x I2 I1

β 1/3
r2 É o ponto da recta que tem projecções simétricas ao eixo x e representa-se pela letra Q. É o ponto da recta que pertence ao β 1/3. H É o ponto de intersecção da recta com o bissector dos quadrantes impares. H1 F2 F H2 x F1

r1 Q1

s

Q2

Processo: .Traçar uma recta auxiliar s pelos traços frontal F e horizontal H (F2 e H1). .Pelo ponto de intersecção da recta auxiliar com o eixo x conduz-se a linha de chamada do ponto Q. .As projecções de Q estão sobre as projecções homónimas da recta.

Página 15

Percurso da recta no espaço
Por percurso de uma recta no espaço entende-se a sucessão de Quadrantes que a recta atravessa. r2 C2 F2 B2 r1 C1 F1 B1 H1 A situa-se no 4º quadrante, pois tem afastamento positivo e cota negativa. B situa-se no 1º quadrante, pois tem afastamento e cota positivos. C situa-se no 2º quadrante, pois tem afastamento negativo e cota positiva.

H2
x A2

A1
Conclui-se que, à esquerda do traço horizontal, a recta situa-se no 4º quadrante, entre os traços horizontal e frontal, a recta situa-se no 1º quadrante e à direira do traço frontal, a recta situa-se no 2º quadrante.

Visibilidades e invisibilidades
Considera-se visível a parte da recta que se situa no 1º quadrante. Por oposição, consideram-se invisíveis as partes da recta que se encontram nos outros quadrantes. r2

F2 r1 H2 x F1 H1 4ºQ 1ºQ 2ºQ

C1

Página 16

Posição relativa de 2 rectas no espaço
- Complanares (no mesmo plano) - Não complanares (rectas enviesadas) Paralelas Concorrentes

Paralelas
São concorrentes num ponto infinito.

s2 r2
x

s1 r1

São rectas com a mesma direcção.
Têm as projecções do mesmo nome paralelas entre si.

Concorrentes
Têm duas direcções diferentes e um ponto comum situado a uma distância finita. As projecções frontais são concorrentes sobre a projecção frontal do ponto de concorrência. As projecções horizontais são concorrentes sobre a projecção horizontal do ponto de concorrência. r2

s2

x r1

s1

Não complanares
r e s não são paralelas porque r2 e s2 não são paralelas. r e s não são concorrentes porque não é possível determinar as projecções de um ponto de concorrência. b2 a2 A e b são enviesadas. x a1 b1 Não há um ponto comum nas 2 rectas de concorrência. x

s2

s1

r2

r1

Página 17

Alfabeto da recta
Classificação das rectas em função das posições que podem ter no espaço em relação aos planos de projecção.

Rectas paralelas aos planos de projecção Recta horizontal (ou de nível)
É toda a recta paralela ao plano horizontal de projecção e oblíqua ao plano frontal de projecção. Todos os pontos têm a mesma cota. Esta recta não tem traço horizontal pois não intersecta o plano horizontal de projecção. É paralela a este. r2 r F2 F

r2

x r1

F1

φ

F1

r1

Ʋ Recta de topo

Uma recta de topo é um caso particular das rectas horizontais – é uma recta horizontal perpendicula ao Plano Frontal de Projecção.

r2 A2 A r x r1
(r2)

A1 r1

φ

A1

Ʋ Página 18

Alfabeto da recta
Recta fronto-horizontal
Uma recta fronto-horizontal é um caso particular das rectas horizontais e das rectas frontais – é uma recta paralela aos 2 planos de projecção.

r2

r x

r2

r1

r1

φ Ʋ

Página 18