You are on page 1of 16

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS

Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano


Disciplina de Embriologia

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS

 Início da implantação

embrioblasto

trofoblasto

Implantação

1
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS

-Após a adesão, o trofoblasto se diferencia em:

Citotrofoblasto
Sinciciotrofoblasto

sinciciotrofoblasto

citotrofoblasto

O sincício produz enzimas proteolíticas, as quais possibilitam a


implantação.

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS

Embrião/feto: • Interface feto-materna:

- PLACENTA
• precisa do corpo da mãe para  trofoblasto
- CÓRION
- obter O2 e nutrientes
- ÂMNIO  ectoderma

- eliminar produtos da excreção - SACO VITELINO  endoderma


- ALANTÓIDE  endoderma
placenta
e MEMBRANAS
membranas fetais FETAIS
Desenvolvem-se a partir do zigoto,
mas não fazem parte do embrião.

2
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Definição Definição

• Quando a termo:  de 15-20cm; espessura de 2-3cm; pesa

de 500-600g

• Placenta e cordão umbilical - sistema de transporte:

- nutrientes e O2  do sangue materno para o fetal,

• local básico das trocas de nutrientes e gases entre a mãe e - excretas e CO2  do sangue fetal para o materno
o filho  Órgão materno-fetal
• Forma discóide (do gr. plakuos =bolo chato)

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Definição Constituição

• Cresce em tamanho e espessura até 18ª sem •PORÇÃO FETAL  SACO CORIÔNICO (mesoderma extra-
• Totalmente desenvolvida cobre de 15 a 30% do endométrio embrionário somático; citotrofoblasto e sincíciotrofoblasto
• Pesa 1/6 do feto

CÓRION

•PORÇÃO MATERNA  ENDOMÉTRIO (decídua basal)

3
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Constituição Estrutura - Decídua

• Após implantação do embrião  céls. endométrio modificam-se pela

reação decidual

• DECÍDUA (do lat. Deciduus, que se desprende) = endométrio

gravídico. Termo referente a camada funcional do endométrio


-Mesoderme somático
córion -Citotrofoblasto
-Sinciciotrofoblasto

13

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Estrutura - Decídua Estrutura - Decídua

• A decídua apresenta-se com 3 regiões - Decídua Basal  forma o

componente materno da placenta


(de acordo com o local da implantação):
- Decídua Capsular  situada
- DECÍDUA BASAL entre o embrião/feto e a luz do
- DECÍDUA CAPSULAR útero; cobre o feto
- DECÍDUA PARIETAL - Decídua Parietal  todo o

restante da mucosa uterina

4
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Desenvolvimento do Córion Desenvolvimento – vilosidades coriônicas

• Durante as 2ª e 3ª semanas:
Componente fetal da placenta = córion
- rápida proliferação do sincíciotrofoblasto
na região da decídua basal este aparece
- desenvolvimento do saco coriônico com grandes projeções =
- desenvolvimento das VILOSIDADES CORIÔNICAS VILOSIDADES CORIÔNICAS.

• Final da 3ª semana:
- sendo chamado de córion viloso ou córion
- arranjo anatômico necessário para as trocas fisiológicas entre frondoso
mãe e embrião/feto

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Desenvolvimento – vilosidades coriônicas Desenvolvimento – vilosidades coriônicas

Vilosidade
primária

Placa coriônica

5
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Desenvolvimento – vilosidades coriônicas Desenvolvimento – vilosidades coriônicas

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Desenvolvimento – vilosidades coriônicas Desenvolvimento – vilosidades coriônicas

• Capilares das vilosidades fundem-se • final da 4ª sem: rede vascular completa já se estabeleceu na
placenta, facilitando as trocas gasosas, nutricionais e de
• final 3ª sem: o sangue do embrião começa a fluir lentamente
produtos de excreção
por estes capilares coriônicos = TROCAS MATERNO-FETAIS

6
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Desenvolvimento – vilosidades coriônicas Desenvolvimento – vilosidades coriônicas

vilosidades-tronco ou de ancoragem: se prendem no endométrio


• células do citotrofoblasto
através da capa citotrofoblástica
proliferam e se estendem pelo

sincício  isso forma uma capa

de citotrofoblasto que envolverá

todo o saco coriônico

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Desenvolvimento – vilosidades coriônicas Desenvolvimento – vilosidades coriônicas

vilosidades ramificadas ou terminais: crescem do lado das Vilosidades associadas


vilosidades-tronco. à decídua basal
É o local da maior parte aumentam
da troca de material entre mãe e feto. córion viloso rapidamente em
São banhadas pelo sangue materno nos espaços intervilosos número,

ramificam-se e
crescem
córion liso
formando o

CÓRION VILOSO

7
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Desenvolvimento – vilosidades coriônicas Composição

córion liso
parte materna DECÍDUA BASAL endométrio

+
córion viloso parte fetal CÓRION VILOSO Vilosidades
(sincício e
= citotrofoblasto)

PLACENTA
Embrião de 6 semanas. Embrião de 19 semanas.

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Composição Desenvolvimento
Desenvolvimento da Placenta

8
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Circulação Placentária Circulação Placentária
Nos espaços entre a placa coriônica e espaços intervilosos

• o sangue materno penetra pelas artérias endometriais

• é drenado pelas veias espiraladas,

• as vilosidades tronco

e ramificadas são banhadas

continuamente pelo sangue materno

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Circulação Placentária Circulação Placentária
• Vil. coriônicas ramificadas criam uma superfície de troca de substâncias • MEMBRANA PLACENTÁRIA:
que cruzam a MEMBRANA PLACENTÁRIA = entre a circulação do feto - formada por: sincício, cito, tecido conjuntivo das vilosidades e
e da mãe endotélio dos capilares fetais

- com o avanço da gravidez, torna-se mais delgada e muitos


capilares ficam mais próximos do sincício

Avanço da gravidez

9
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Circulação Placentária Circulação Placentária
Membrana placentária
- São conjuntos de tecidos extrafetais que separam o sangue • Produtos de excreção e CO2 do feto (sangue pobre em O2) são
materno do sangue fetal
levado pelas 2 ARTÉRIAS UMBILICAIS  para a placenta  e
Constituição:
transferidos para o sangue materno
Até a 20ª semana

• Da placenta, o sangue rico em oxigênio vai para o feto  pela VEIA

UMBILICAL

- Placenta humana é do tipo hemocorial


37

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Circulação Placentária Circulação Placentária
Cordão umbilical • No interior da placenta  sangue materno e fetal não se misturam

normalmente
Uma veia

Duas
artérias

39

10
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Circulação Placentária Circulação Placentária
Circulação
• Espaço interviloso  cerca de 150ml de sangue, substituídos de 3 a Fetal
4 vezes/minuto

• Membrana placentária  age como barreira

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Forma da Placenta Funções

Atividades essenciais para a manutenção da gravidez e

desenvolvimento do feto

• METABOLISMO  síntese de glicogênio, colesterol e ácidos

graxos ( fonte de nutriente e energia)

• ELIMINAÇÃO DE PRODUTOS DE EXCREÇÃO

Parte fetal Parte materna

11
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Funções Funções

• TRANSPORTE DE GASES E NUTRIENTES  através da • SÍNTESE E SECREÇÃO ENDÓCRINA  pelo sincício, com

membrana placentária e em ambas as direções produção de hormônios protéicos (gonadotrofina coriônica,

- gases, nutrientes, hormônios, anticorpos maternos, excreções somatomamotrofina coriônica, lactogênio placentário) e

drogas, agentes infecciosos esteróides (progesterona e estrógeno)

- por difusão simples, difusão facilitada, transporte ativo e

pinocitose

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Âmnio e líquido amniótico

• Âmnio

• Saco vitelino

• Alantóide

• Córion

12
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Âmnio e líquido amniótico Âmnio e líquido amniótico

• dobramento  envolve todo o embrião, como um balão cheio de

líquido - líquido amniótico


• acompanhando o crescimento fetal 
cavidade amniótica se expande até o
conteúdo líquido máximo de 1L. (33-
34 semanas)

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Âmnio e líquido amniótico Âmnio e líquido amniótico

• Inicialmente  secretado pelas células amnióticas

• Porém, a maior parte vem do líquido tecidual (intersticial) materno,


por difusão através da decídua parietal

• Mais tarde  provém do sangue do espaço interviloso da placenta

13
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Âmnio e líquido amniótico Âmnio e líquido amniótico

• pele sem queratina; trato respiratório e urina = importantes vias para • Durante 3º trimestre: água do fluido amniótico é trocada a cada 3hrs

passagem de água e solutos do feto para o líquido • Grandes volumes movimentam-se entre a circulação materno-fetal

• composição  99% água com material em suspensão (céls. pela membrana placentária
epiteliais fetais mortas, sais orgânicos e inorgânicos, além das fezes
• É deglutido pelo feto (cerca de 400ml/dia no final da gravidez)
e urina fetal)

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Âmnio e líquido amniótico amniocentese

• Meio de flutuação para o feto, capacitando-o mover-se livremente

• Permite crescimento simétrico do feto

• barreira contra infecções

• impede aderência entre o âmnio e o embrião/feto

• permite o desenvolvimento normal do pulmões

• protege contra choques, absorvendo impactos

• ajuda a manter constante a temperatura fetal

14
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
amniocentese Saco vitelino

Apesar de não ser ter função diretamente ligada a nutrição, é essencial:


• Estudo de sistemas enzimáticos, aminoácidos, hormônios e outras
• transfere nutrientes quando a circulação útero placentária estiver
substâncias fetais
sendo formada (2ª- 3ª sem)
• Pode-se prever doenças hemolíticas, genéticas, defeitos metabólicos

e cromossômicos

• Pode-se retirar de 20 a 30ml (antes da 14ª sem. há pouco fluido)

• níveis de -fetoproteína:  indica defeito grave no tubo neural e 

indica aberrações cromossômicas

PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS


Saco vitelino Saco vitelino

• Primeiro local de formação do sangue no

mesoderma extra-embrionário da parede do • Perde todo contato com o intestino primitivo na 6ªsem.

saco vitelino (3ª-6ªsem) • Com o avanço da gravidez, ele atrofia


• endoderma incorporado para formar o
• Em 2 a 4% dos adultos a parte proximal intra-abdominal persiste
intestino primitivo
como divertículo ileal (mais comum em homens)
• local de aparecimento das células

germinativas primordiais

15
PLACENTA E MEMBRANAS FETAIS
Alantóide
"A vida é a arte do encontro,
• Importância: embora haja tantos
- em sua parede ocorre formação de sangue desencontros pela vida."
(Vinicius de Moraes)
- seus vasos tornam-se os vasos umbilicais (2 artérias e 1 veia)
- se diferenciará em úraco e ligamento umbilical médio (liga a bexiga
à região umbilical)

16